A influência e importância da criptografia na velocidade de redes Ethernet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A influência e importância da criptografia na velocidade de redes Ethernet"

Transcrição

1 A influência e importância da criptografia na velocidade de redes Ethernet Otávio Augusto G. Larrosa 1, Késsia Rita Da Costa Marchi 1, Jaime Willian Dias 1 Julio Cesar Pereira 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil Resumo. Estudo que traz conceitos relativos a chaves de criptografia, WEP e WPA2. E conceitos de velocidade em redes sem fio de computadores, com a tecnologia Ethernet e Gigabit Ethernet. Como resultado é apresentado uma posição sobre a influência do tipo de criptografia em relação à velocidade de redes sem fio, baseando-se em estudos já feitos e alguns testes realizados. 1. Introdução Com o visível crescimento dos dispositivos móveis, a utilização de redes wireless tornase, cada dia, mais necessária para que a informação seja cada vez mais difundida entre os departamentos de uma instituição, ou mesmo entre instituições distintas. Essa crescente onda de uso das redes wireless traz consigo inúmeras vantagens, porém ela oferece muitos riscos também. Para tal segurança, as redes wireless são protegidas através de criptografias e senhas seguras, porém, até que ponto essa segurança não influenciará na velocidade da informação e satisfação de quem a utiliza? Esse artigo visa trazer uma analise comparativa entre as chaves de segurança mais utilizadas nesse tipo de rede, e sua influencia na velocidade de transporte da informação. 2. Criptografia Segundo Schneier [1996], o processo de transformar a mensagem de texto puro em uma mensagem com texto de conteúdo oculto é chamado de Encriptar ou Cifrar. A mensagem encriptada é denominada ciphertext ou criptografada. O processo de tornar a mensagem encriptada em texto puro novamente é denominado decriptografar ou decifrar. O objetivo da criptografia é proteger os dados, de forma que apenas o emissor e o receptor consigam decifrá-los. Essa é uma necessidade antiga, que vem sendo aperfeiçoada ao longo dos tempos. Hoje, as chaves criptografadas em informática são um conjunto de bits baseados num algoritmo que codifica e descodifica informações. 2.1 Wired Equivalent Privacy (WEP) WEP significa Wired Equivalent Privacy, e é o algoritmo que foi usado para garantir a segurança de uma rede sem fio, mais especificamente, em WEP foi projetado para

2 o padrão para redes sem fio. É uma forma de criptografia que é construído em torno da cifra de fluxo RC4. Quando estes algoritmos foram criados, as redes sem fio tinham sérios problemas de segurança e podiam ser facilmente invadidas por hackers amadores. Para corrigir este problema a IEEE criou WEP-40 e WEP-104. A chave WEP-40 é usado para se referir ao protocolo WEP de 64 bits. No entanto, o WEP-104 foi projetado para o protocolo WEP de 128 bits, que é o mais usado atualmente. Segundo Linhares e Gonçalves, o protocolo WEP foi introduzido em 1999 no padrão IEEE , onde este protocolo previa dois métodos de autenticação dos dispositivos conectados. Esse protocolo utiliza CRC-32 (Cyclic Redundancy Checks) na verificação da integridade dos dados e para a criptografia, utiliza o algoritmo Ron s Code #4(RC4), algoritmo tal que previne a leitura de dados de usuário que irão transitar na rede. O protocolo WEP pode ser utilizado da seguinte forma: entre o ponto de acesso (AP Access Point) e os clientes da rede, esse é o modo com infra-estrutura. Já no modo Ad-hoc, o protocolo WEP é utilizado na comunicação direta entre clientes. Esse tipo de criptografia, utilizando o protocolo WEP, somente é aplicado ao tráfego do canal de comunicação sem fio, logo, o tráfego roteado para fora da rede wireless, não possui criptografia com protocolos WEP. 2.2 O Protocolo WPA2 (IEEE i) O WPA2 é uma tecnologia de segurança comumente utilizada em redes sem fio Wi-Fi. WPA2 (Wireless Protected Access 2) substituiu a tecnologia original WPA em todo o hardware Wi-Fi desde 2006 e é baseado no padrão IEEE i para a tecnologia de criptografia de dados. De acordo com Eder Coral Gimenes, o protocolo WPA2 é uma certificação de produto, disponibilizada por meio da Wi-Fi Alliance, órgão responsável pela certificação de compatibilidade dos equipamentos sem fio de acordo com o padrão da IEEE i. Essa chave de criptografia é quem oferece suporte aos recursos de segurança adicionais do padrão i que não estão presentes em produtos com suporte WPA oferecido. Esse protocolo utiliza o algoritmo de criptografia AES (Advanced Encryption Standard), onde o protocolo WEP é substituído por um algoritmo de criptografia bem mais forte. E, assim como o algoritmo TKIP presente no protocolo WPA, o AES do WPA2 dá suporte à descoberta de uma chave de criptografia de difusão ponto a ponto incial, exclusiva para cada autenticação, e também a alteração sincronizada da chave de criptografia de difusão ponto a ponto em cada quadro. No algoritmo de criptografia AES as chaves são descobertas automaticamente, sendo assim, não há necessidade de se configurar uma chave de criptografia para o protocolo WPA2. Esse protocolo é a mais forte modalidade de segurança sem fio disponível atualmente.

3 Em alguns casos não é possível agregar suporte a esse algoritmo de criptografia (AES) por meio de atualização do firmware do equipamento existente, isso torna o suporte à esse algoritmo de criptografia opcional, dependendo sempre do suporte de driver do fornecedor do equipamento. As redes de computadores vêm sendo cada vez mais importantes na vida das pessoas, e é inegável a preferencia por redes que permitam a mobilidade, como as redes sem fio, por conta de conforto e facilidade que elas propiciam. O objetivo desse capítulo é trazer os conceitos de Ethernet, Gigabit e Gigabyte, a fim de facilitar o entendimento do leitor de como funciona a transmissão de dados pela rede. 3. Ethernet A rede de área local (LAN) é uma arquitetura desenvolvida pela Xerox Corporation em cooperação com a Intel em Ethernet usa uma topologia em estrela e suporta velocidades de 10 Mbps de transferência de dados. A especificação de Ethernet serviu de base para a norma IEEE 802.3, que especifica as camadas físicas e lógicas mais baixas. Ethernet usa o método de acesso CSMA / CD para lidar com as demandas simultâneas. É uma das normas de LAN mais amplamente implementadas. A versão mais recente do Ethernet, é chamada de 100Base-T (ou Fast Ethernet), que suporta taxas de 100 Mbps de transferência de dados. E a versão mais recente, Gigabit Ethernet suporta taxas de 1 gigabit por segundo de dados. Conforme disse Menegotto[2011], o protocolo Ethernet é o segundo protocolo do modelo OSI, também conhecido como camada de enlace. É utilizado como acesso ao meio que permite que todos os dispositivos em uma rede compartilhem a mesma lagura de banda. São chamadas de redes Giga, ou redes Gigabit Ethernet, aquelas cujos enlaces entre equipamentos possuem uma banda de 1Gbps. 3.2 Gigabit Ethernet Gigabit Ethernet é da família de redes de computadores Ethernet e padrões de comunicação. O padrão Ethernet Gigabit suporta uma taxa de dados máxima teórica de 1 gigabit por segundo (Gbps), que equivale a 1000 Megabits por segundo (Mbps). Quando desenvolvido pela primeira vez, alguns pensaram que alcançar velocidades gigabit Ethernet exigiria a utilização de cabos de fibra óptica especiais ou outras. No entanto, hoje Gigabit Ethernet funciona usando um cabo de cobre de par trançado comum. Como citou Stallings, no final de 1995, um conjunto de padrões de 1000 Mbps foram emitidos pelo comitê IEEE 802.3, com o intuito de investigar meios para transmissão de pacotes em formato Ethernet na velocidade de Gigabits por segundo. Essa tecnologia é proveniente da necessidade do aumento da largura da banda nos terminais de serviço das redes e da redução dos custos entre as tecnologias comutadas e bem como o desenvolvimento das aplicações atuais. Com isso, o Gigabit Ethernet pode oferecer uma solução para o congestionamento dos backbones e atende às aplicações web atuais cada vez maiores, contando também com a vantagem de ser uma tecnologia compatível com o padrão

4 Ethernet, viabiliza a questão de custos com economia de estrutura e treinamento de profissionais, está ganhando o mercado da industria e dos profissionais de rede cada vez mais rápido. 4. Metodologia Para a realização deste artigo, foi realizada uma detalhada revisão bibliográfica baseando-se em artigos científicos já publicados em outros eventos e livros pertinentes. O passo posterior foi desenvolver um teste para comprovar a tese, com os resultados obtidos, conforme segue no próximo capítulo. 5. Conclusão Com base nos estudos acima e no experimento onde foram feitos testes de transmissão de arquivos com 2 tipos de criptografia e uma rede aberta. Para o estudo foram utilizados os seguintes equipamentos: Notebook Samsung 1 TB de disco rígido, 6 Gigabytes de memória RAM, processador Intel Core i7. Notebook Hewlett Packard 500 GB de disco rígido, 2 Gigabytes de memória RAM, processador Intel Core i3. Roteador D-Link DIR-601. E como resultado do experimento realizado, apresentam-se o gráfico abaixo. Imagem 1: Gráfico representando o teste de velocidade realizado.

5 Observando o gráfico acima, pode-se perceber que a chave de criptografia influencia pouco, ou até mesmo, quase nada na velocidade de transmissão de arquivos. E também que a qualidade do sinal é muito variável. Pode-se perceber também que a tecnologia hoje utilizada, quase anula a diferença na velocidade da rede. Com essa visão, o administrador de redes tem abertura para investir mais em segurança da rede sem fios, para garantir a integridade dos dados e o fluxo de informação que nela correr. 5. Referências Bibliográficas SCHNEIER, Bruce. Applied Cryptography: Protocols, Algorithms, and Source Code in C. New York: John Wiley & Sons, LINHARES, André Guedes e GONÇALVES Paulo André da S. Uma Análise dos Mecanismos de Segurança de Redes IEEE : WEP, WPA, WPA2 e IEEE w. Recife PE. Disponível em: acesso dia 20 de maio de GIMENES, Eder Coral. Segurança de Redes Wireless. Mauá SP. Disponível em: acesso dia 20 de maio de METCALFE, Robert M. e BOGGS, David R. Ethernet: Distributed Packet Switching for Local Computer Networks. Palo Alto California USA. Disponível em metcalfe.pdf?ip= &acc=active%20service&key=c2716febfa981ef1 C29C49EAD B6939C5CA0DC7348&CFID= &CFTOKEN= & acm = _7b448b58e859589e1f3d24841ff95b6d, acesso dia 28 de maio de MENEGOTTO, Francisco Antônio Expansão de rede Gigabit Ethernet. Curitiba PR. Disponível em 10.pdf, acesso dia 28 de maio de STALLINGS, William Gigabit Ethernet. Cambridge Massachussets USA. Disponível em ticle09186a00800c85a6.html, acesso dia 30 de maio de 2013.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Redes Sem Fio Equipamentos de Rede O que já conhecemos. Cabos; Atenas; Tipos de transmissão; 1 O que vamos conhecer. Equipamentos

Leia mais

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

X Semana de Iniciação Científica do CBPF Outubro/03

X Semana de Iniciação Científica do CBPF Outubro/03 X Semana de Iniciação Científica do CBPF Outubro/0 SEGURANÇA EM REDES WIRELESS Bruno Marques Amaral Engenharia de Telecomunicações, UERJ o Período Orientador: Márcio Portes de Albuquerque Co-orientadora:

Leia mais

Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos

Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos 2013 Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos Protocolos de Segurança de Redes WI-FI Este documento destina-se a ser uma resenha crítica tendo como base o texto Entenda WEP e WPA, protocolos de

Leia mais

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Um roteador wireless é um dispositivo de redes que executa a função de um roteador mas também inclui as funções de um access point.

Leia mais

Manual de Configuração de Rede sem Fio.

Manual de Configuração de Rede sem Fio. IFBA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA Manual de Configuração de Rede sem Fio. 2010 T U R M A : 93631. IFBA - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Prof.: Rafael Reale Disciplina:

Leia mais

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA Nome: Micaella Coelho Valente de Paula Matrícula: 201207115071 2 o Período Contents 1 Introdução 2 2 802.11 3 3 Seu Funcionamento 3 4 História 4

Leia mais

Segurança em IEEE 802.11 Wireless LAN

Segurança em IEEE 802.11 Wireless LAN Segurança em IEEE 802.11 Wireless LAN Giovan Carlo Germoglio Mestrado em Informática Departamento de Informática Universidade do Minho 1 Contextualização Padrão IEEE 802.11 Wireless LAN: Estabelecido em

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Equipamento: O equipamento utilizado nesta demonstração é um roteador wireless D-Link modelo DI-524, apresentado na figura abaixo. A porta LAN desse

Leia mais

Arquitetura de Redes de Computadores - aula 3

Arquitetura de Redes de Computadores - aula 3 Arquitetura de Redes de Computadores - aula 3 Prof. Celso Rabelo Universidade Castelo Branco 1 Objetivo 2 Conceitos Tratamento de Colisão Histórico 3 Características Regras de Controle Tipos de Cabo e

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Sobre a arquitetura Ethernet Camadas da arquitetura Ethernet Topologias para redes Ethernet IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 É a arquitetura mais comum em redes locais

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Padrão 802.11 Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Arquitetura Wireless Wi-Fi

Leia mais

Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio 57

Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio 57 Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio Objetivos Descrever como funciona o controle de acesso baseado em filtros de endereços; Definir o que é criptografia e qual a sua importância;

Leia mais

Redes Sem Fio. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Rede Sem Fio. 2.2. Zona de Cobertura. Tecnologias Atuais de Redes Redes Sem Fio

Redes Sem Fio. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Rede Sem Fio. 2.2. Zona de Cobertura. Tecnologias Atuais de Redes Redes Sem Fio 1. Introdução Geralmente, a forma mais rápida de se implementar uma rede de computadores é por meio da utilização de cabos, sejam eles de par trançado ou de fibra óptica. Para pequenas redes, com poucos

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio. Redes Sem Fio (Wireless) 1

Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio. Redes Sem Fio (Wireless) 1 Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio Redes Sem Fio (Wireless) 1 INTRODUÇÃO Redes Sem Fio (Wireless) 2 INTRODUÇÃO Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio Base da segurança: Confidencialidade Controle

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

Wireless LAN (IEEE 802.11x)

Wireless LAN (IEEE 802.11x) Wireless LAN (IEEE 802.11x) WLAN: Wireless LAN Padrão proposto pela IEEE: IEEE 802.11x Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Sem estrutura pré-definida. Cada computador é capaz de se comunicar

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de

Leia mais

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o Wireless Redes sem fio A tecnologia Wireless (sem fio) permite a conexão entre diferentes pontos sem a necessidade do uso de cabos (nem de telefonia, nem de TV a cabo, nem de fibra óptica), através da

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Enlace de Dados - Apêndice Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Endereço MAC; ARP Address Resolution Protocol; DHCP Dynamic Host Configuration Protocol; Ethernet Estrutura do quadro Ethernet;

Leia mais

Para isso, selecione as duas interfaces no "Painel de Controle > Conexões de rede" e ative a opção "Conexões de ponte":

Para isso, selecione as duas interfaces no Painel de Controle > Conexões de rede e ative a opção Conexões de ponte: Para criar uma rede ad-hoc no Windows XP, acesse o "Painel de Controle > Conexões de rede". Dentro das propriedades da conexão de redes sem fio, acesse a aba "Redes sem fio" e clique no "adicionar". Na

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 2 Redes Sem Fio Tecnologias Atuais de Redes - Redes Sem Fio 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Alcance Interferência Padrões Segurança Tecnologias Atuais de Redes - Redes

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação A camada de enlace, cujo protocolo é utilizado para transportar um datagrama por um enlace individual, define o formato dos pacotes trocados entre os nós nas extremidades, bem como

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof o : Marcelo Mendes. Padrões IEEE Termos importantes a saber: PACOTE Pacote é a estrutura de dados unitária de transmissão em uma rede de computadores. A informação a transmitir

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias de Redes; Meios de Transmissão; Arquitetura de Redes; Conteúdo deste

Leia mais

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3 Padrões de Rede Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Padrões de rede Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso. Definem

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

Subcamada de Controle de Acesso ao Meio. Bruno Silvério Costa

Subcamada de Controle de Acesso ao Meio. Bruno Silvério Costa Subcamada de Controle de Acesso ao Meio Bruno Silvério Costa 1. O Problema de Alocação do Canal Alocação estática de canais em LANs e MANs Alocação dinâmica de canais em LANs e MANs 1.1 Alocação dinâmica

Leia mais

Compartilhamento de Internet/ Wireless. Wilson Rubens Galindo

Compartilhamento de Internet/ Wireless. Wilson Rubens Galindo Compartilhamento de Internet/ Wireless Wilson Rubens Galindo Compartilhamento de Internet Ganhe dinheiro fácil com compartilhamento de Internet: Habilite um plano de Internet Banda Larga Compre um hub-switch

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos Redes Wireless 26/1/07 Rui Santos Índice Introdução Classificação das redes sem fios Padrões Wi-Fi Equipamento necessário Segurança Links 05-02-2007 2 Introdução http://pt.wikipedia.org/wiki/rede_sem_fios

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Introdução Camada física Subcamada MAC Estrutura do quadro Segurança Introdução

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

Segurança em Redes IEEE 802.11. Ienne Lira Flavio Silva

Segurança em Redes IEEE 802.11. Ienne Lira Flavio Silva Segurança em Redes IEEE 802.11 Ienne Lira Flavio Silva REDES PADRÃO IEEE 802.11 O padrão IEEE 802.11 define as regras relativas à subcamada de Controle de Acesso ao Meio (MAC) e camada física (PHY). Da

Leia mais

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos)

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos.

Leia mais

REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA

REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA Routerboard RB 433 Routerboard RB 750 Routerboard RB 1100 AH Redes Wireless Wireless, provém do inglês: wire (fio, cabo); less (sem); ou seja: sem fios. Utiliza

Leia mais

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira 2. Padrões de Redes Locais 2.1 - Criação da Ethernet 2.2 - Padrões IEEE 802.x 2.3 - Especificações 802.3 2.4 - Token Bus 2.5 - Token Ring 2.1 - Criação

Leia mais

REDES ETHERNET. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Redes de Comunicação 10º Ano

REDES ETHERNET. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Redes de Comunicação 10º Ano REDES ETHERNET Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Redes de Comunicação 10º Ano Nome: Marcelo Filipe Rocha Assunção 2013/2014 ÍNDICE Introdução... 2 Arquitetura

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 8: Segurança de Redes Sem Fio Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Uma Wireless LAN (WLAN) é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE 802.11.

Leia mais

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões As redes locais sem fio (WLANs) constituem-se como uma alternativa às redes convencionais com fio, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível,

Leia mais

Rede sem fio. Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br

Rede sem fio. Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br I Workshop do POP-MG Rede sem fio Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br Sumário Introdução Principais aplicações O padrão IEEE 802.11 Segurança e suas diferentes necessidades Conclusão 2/36

Leia mais

ERRATA nº 2 Solicitação de Proposta (SDP) Nº 15366/2012

ERRATA nº 2 Solicitação de Proposta (SDP) Nº 15366/2012 ERRATA nº 2 Solicitação de Proposta (SDP) Nº 15366/2012 No Anexo I, item 23.2.2 (Qualificação da equipe técnica) Data: 06/02/2012 Estes profissionais deverão apresentar seu currículo (conforme modelo FORM

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos)

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos

Leia mais

Manual do Usuário - Repetidor M300EW

Manual do Usuário - Repetidor M300EW ÍNDICE 1. Introdução... 1 1.1.Sobre o Repetidor Wireless M300EW... 1 1.2..Ethernet / Fast Ethernet... 1 1.3.Wireless LAN... 1 1.4..Conteúdo da Embalagem... 1 1.5.Características... 1 1.6..Requisitos de

Leia mais

1 Lista de exercícios 01

1 Lista de exercícios 01 FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 1 Lista de exercícios 01 1) No desenvolvimento e aperfeiçoamento realizado em redes de computadores, quais foram os fatores que conduziram a interconexão de sistemas abertos

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC Redes de Computadores Fabricio Alessi Steinmacher Histórico Funcionamento Padrões Wimax PLC H I S T Ó R I C O Wire (cabo, fio) + Less (sem) IEEE 802.11a IEEE 802.11b IEEE 802.11g IEEE 802.11n Faixa 5GHZ

Leia mais

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica 1 PLACA MÃE E MICROPROCESSADOR Descrição / Especificação Técnica Microprocessador com dissipador e cooler apropriados, tecnologia Mobile (portátil) de 32 e 64 bits. 1.01 Para microprocessadores INTEL,

Leia mais

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica 1 PLACA MÃE E MICROPROCESSADOR Descrição / Especificação Técnica Microprocessador com dissipador e cooler apropriados, tecnologia Mobile (portátil) de 32 e 64 bits. 1.01 Para microprocessadores INTEL,

Leia mais

A solução objetiva conjugar a operação dos mecanismos internos do Padrão IEEE 802.11b com uma autenticação externa, utilizando o Padrão IEEE 802.1x.

A solução objetiva conjugar a operação dos mecanismos internos do Padrão IEEE 802.11b com uma autenticação externa, utilizando o Padrão IEEE 802.1x. 1 Introdução A comunicação de dados por redes sem fio (Wireless Local Area Network - WLAN - Padrão IEEE 802.11b) experimenta uma rápida expansão tecnológica, proporcionando novas soluções para serem implementadas

Leia mais

Redes 10 Gigabit Ethernet

Redes 10 Gigabit Ethernet Redes 10 Gigabit Ethernet Ederson Luis Posselt 1, Joel Henri Walter 2 1 Instituto de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) Bairro Universitário na Av. Independência 2293 Santa Cruz do Sul

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

Redes wireless e inseguranças: estudo comparativo entre WEP, WPA e WPA2. Grupo: Espedito Anderson Américo Jean

Redes wireless e inseguranças: estudo comparativo entre WEP, WPA e WPA2. Grupo: Espedito Anderson Américo Jean Redes wireless e inseguranças: estudo comparativo entre WEP, WPA e WPA2 Grupo: Espedito Anderson Américo Jean 1 Agenda Introdução Wireless Wi-Fi WiMax Segurança WEP WPA WPA2 Conclusão 2 Introdução Comunicação

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Introdução Redes

Leia mais

TOPOLOGIAS FÍSICA. BARRAMENTO É a mais simples das três, pois nela um PC é ligado ao outro,usando apenas um único cabo coaxial.

TOPOLOGIAS FÍSICA. BARRAMENTO É a mais simples das três, pois nela um PC é ligado ao outro,usando apenas um único cabo coaxial. Topologia É um diagrama que descreve como os elementos de uma rede estão interligados. Esses elementos são chamados de NÓS, e podem ser computadores, impressoras e outros equipamentos. 1 Topologias de

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

Voltar. Placas de rede

Voltar. Placas de rede Voltar Placas de rede A placa de rede é o dispositivo de hardware responsável por envio e recebimento de pacotes de dados e pela comunicação do computador com a rede. Existem placas de rede on-board(que

Leia mais

Guia de conexão. Sistemas operacionais suportados. Instalando a impressora. Guia de conexão

Guia de conexão. Sistemas operacionais suportados. Instalando a impressora. Guia de conexão Página 1 de 5 Guia de conexão Sistemas operacionais suportados Com o CD de Software e documentação, você pode instalar o software da impressora nos seguintes sistemas operacionais: Windows 8 Windows 7

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Redes e Serviços em Banda Larga

Redes e Serviços em Banda Larga Redes e Serviços em Banda Larga Redes Locais de Alta Velocidade Paulo Coelho 2002 /2003 1 Introdução Fast Ethernet Gigabit Ethernet ATM LANs 2 Características de algumas LANs de alta velocidade Fast Ethernet

Leia mais

Projeto Integrador - Projeto de Redes de Computadores

Projeto Integrador - Projeto de Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Projeto Integrador - Projeto de Redes de Computadores AYLSON SANTOS EDFRANCIS MARQUES HEVERTHON LUIZ THIAGO SHITINOE AYLSON SANTOS EDFRANCIS

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Esta dúvida foi esclarecida através da simulação em laboratório dos diversos mecanismos de segurança propiciados pelos Padrões IEEE 802.

Esta dúvida foi esclarecida através da simulação em laboratório dos diversos mecanismos de segurança propiciados pelos Padrões IEEE 802. 6 Conclusão As inúmeras vantagens proporcionadas pela WLAN contribuem para a expansão das redes sem fio IEEE 802.11 nos ambientes empresariais, governamentais e residenciais. Porém, estas redes possuem

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações

Redes de Dados e Comunicações Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Modelo de referência OSI Camada 6 Apresentação Também chamada camada de Tradução, esta camada converte o formato do dado recebido pela camada de Aplicação

Leia mais

Protocolo wireless Ethernet

Protocolo wireless Ethernet Protocolo wireless Ethernet Conceituar as variações de redes sem fio (wireless) descrevendo os padrões IEEE 802.11 a, b, g e n. Em meados de 1986, o FCC, organismo norte-americano de regulamentação, autorizou

Leia mais

TRABALHO SOBRE ETHERNET

TRABALHO SOBRE ETHERNET TRABALHO SOBRE ETHERNET Centro de Formação de Alcoitão UFCD 0831 Topologias de redes Ethernet Formador(a): Daniela Azevedo Formandos: António Rocha, Célia Silva e Rui Bárcia Índice Introdução Características

Leia mais

Evolução do Padrão Ethernet

Evolução do Padrão Ethernet Beethovem Zanella Dias bzdias@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br http://mesonpi.cat.cbpf.br/naj Evolução do Padrão Ethernet Resumo A rápida evolução dos padrões de tecnologias de rede nós leva a várias

Leia mais

REGRAS PARA SEGMENTAÇÃO

REGRAS PARA SEGMENTAÇÃO REGRAS PARA SEGMENTAÇÃO Professor Victor Sotero 1 Domínio de Colisão A conexão de vários computadores a um único meio de acesso compartilhado que não possui nenhum outro dispositivo de rede conectado cria

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem 1 1. Introdução / 2. Conteúdo da embalagem 1. Introdução O Repetidor WiFi Multilaser é a combinação entre uma conexão com e sem fio. Foi projetado especificamente para pequenas empresas, escritórios e

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. Segurança em WLANs (802.11) Parte 03. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. Segurança em WLANs (802.11) Parte 03. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 Segurança em WLANs (802.11) Parte 03 Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Protocolos de Segurança para Redes sem Fio WPA (Wi-Fi Protected Access)

Leia mais

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira 1. Introdução 1.1 - Meios de Transmissão e Topologias 1.2 - Classificação das Redes 1.3 - Métricas de Desempenho 1.4 - Fatores que Impactam no Desempenho

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Metro-Ethernet (Carrier Ethernet) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Ethernet na LAN www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique

Leia mais

CRIPTOGRAFIA EM REDES DE COMPUTADORES

CRIPTOGRAFIA EM REDES DE COMPUTADORES CRIPTOGRAFIA EM REDES DE COMPUTADORES 1 Tiago Menezes Xavier de Souza, 1 Alexandre Paulino Sierra da Silva 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí- PR- Brasil tiagoxavier13@outlook.com, alexandre.pss@unipar.br

Leia mais

MECANISMOS DE AUTENTICAÇÃO EM REDES IEEE 802.11

MECANISMOS DE AUTENTICAÇÃO EM REDES IEEE 802.11 U N I V E R S I D ADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2 0 1 0. 2 MECANISMOS DE AUTENTICAÇÃO EM REDES IEEE 802.11 PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno Eduardo

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) UNISC Setor de Informática/Redes Atualizado em 22/07/2008 1. Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão de dados via

Leia mais

1.1 CONCEITOS BÁSICOS

1.1 CONCEITOS BÁSICOS 1.1 CONCEITOS BÁSICOS PADRÕES 802.11a 802.11b 802.11g 802.11n TRANSMISSÃO VIA RÁDIO E INTERFERÊNCIA - ALCANCE DA REDE SEM FIO SEGURANÇA WEP (WIRED EQUIVALENT PRIVACY) - - - - - - WPA E WPA2 (WI-FI PROTECTED

Leia mais

Ethernet. Fast Ethernet

Ethernet. Fast Ethernet Ethernet Desenho feito por Robert Metcalfe em 1973 no centro de pesquisas da Xerox. Fast Ethernet Padrão IEEE 802.3u 1995 Switches com função: Full duplex / Controle de Fluxo (802.3x) Virtual LAN (VLAN)

Leia mais