TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA PARQUE NACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS UNIDADE AVANÇADA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS 1. DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 Registro de Preços para contratação de empresa(s) especializada na prestação de serviços de limpeza, asseio e conservação predial, visando a obtenção de adequadas condições de salubridade e higiene, com a disponibilização de mão-de-obra, saneantes domissanitários, materiais e equipamentos, a serem realizados no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade- ICMBio, nas Unidades Vinculadas à Unidade Avançada de Administração e Finanças , a saber: No Estado do Rio de Janeiro - Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, Área de Proteção Ambiental de Guapimirim, Área de Proteção Ambiental de Petrópolis, Estação Ecológica da Guanabara, Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João Mico-Leão-Dourado, Reserva Biológica do Tinguá, Reserva Biológica de União, Reserva Biológica de Poço das Antas, Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo; no Estado do Espírito Santo Floresta Nacional de Goytacazes, Floresta Nacional do Rio Preto, Floresta Nacional de Pacotuba, Reserva Biológica de Comboios, Reserva Biológica de Córrego Grande, Reserva Biológica do Córrego do Veado, Reserva Biológica Augusto Ruschi e Reserva Biológica de Sooretama, bem como qualquer Unidade que venha a ser vinculada a UASG do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, de acordo com o especificado neste Termo de Referência e com as condições, especificações e quantidades estabelecidas no Edital e anexos. 2. DA JUSTIFICATIVA DA CONTRATAÇÃO Motivação: 2.1 Justifica-se a realização do Registro de Preços para a contratação pretendida, à vista do disposto no Decreto 2.271/97 que regulamenta a contratação de atividades acessórias à consecução da atividade pública - bem como as disposições da Instrução Normativa nº 02, de 30 de abril de 2008, especialmente o procedimento para a contratação de serviços contínuos de limpeza, conservação, higienização e dedetização, com a finalidade de garantir perfeitas condições de asseio nas instalações pertencentes ao patrimônio do ICMBio a fim de atingir, com eficácia e eficiência, as metas institucionais por ele propostas. Benefícios diretos e indiretos que resultarão da contratação: 2.2 A pretensa e futura contratação proverá as Unidades com a manutenção da higidez necessária nas repartições para a realização de sua missão institucional e garantirá um atendimento ao fluxo de visitação de forma a reduzir os riscos de movimentação antrópica, especialmente idosos, portadores de necessidades especiais e crianças, garantindo um ambiente saudável de visitação. Atividades tais como limpeza, copa e cozinha e conservação de áreas verdes, serão objetivados, uma vez que ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 1

2 proporcionarão aos técnicos e analistas do Instituto a possibilidade de execução das políticas públicas ambientais e o atendimento à sociedade. Conexão entre a contratação e o planejamento existente: 2.3: As disposições da Portaria 115/2008 definiram como atribuições das Unidades Gestoras do Instituto Chico Mendes a responsabilidade de gestão e execução orçamentário-financeira das Unidades de Administração de seu entorno. No caso do PARNASO, a responsabilidade de administração compreende as Unidades do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, Área de Proteção Ambiental de Petrópolis, Área de Proteção Ambiental de Guapimirim, Área de Proteção Ambiental de Petrópolis, Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João, Reserva Biológica de Poço das Antas, Reserva Biológica União, Reserva Biológica do Tinguá, Reserva Biológica Sooretama, Reserva Biológica Córrego Grande, Reserva Biológica Augusto Ruschi, Reserva Biológica Córrego do Veado, Reserva Biológica Comboios, Floresta Nacional dos Goytacazes, Floresta Nacional Rio Preto, Floresta Nacional Pacotuba, Estação Ecológica da Guanabara e Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo. Estando, portanto, com a responsabilidade de provimento das Unidades de Conservação dos Estados do Rio de Janeiro e Espirito Santo, como UGE (Unidade Gestora Executora), faz-se necessária a contratação dos serviços essenciais à realização de apoio às atividades institucionais, permitindo garantir de forma sustentável as condições de salubridade e conservação de patrimônio e documentos, pugnando pelos requisitos da eficiência determinados no art. 37 da Carta Magna. Natureza dos serviços continuados: 2.4: Assim, o presente Termo de Referência tem por objetivo definir o conjunto de elementos técnicos que nortearão o procedimento licitatório para a contratação de empresa(s) do ramo para prestação, de forma contínua dos serviços acima citados para as unidades elencadas no item anterior. Referência a estudos anteriores: 2.5: Todo o planejamento para a realização das futuras contratações oriundas deste Termo de Referência baseia-se nas contratações realizadas anteriormente por Órgãos da Administração Pública, especialmente Unidades Gestoras do Ministério do Meio Ambiente pertencentes à Administração Indireta, com as devidas atualizações requeridas pela Agenda Ambiental da Administração Pública A3P do Ministério do Meio Ambiente, bem como às disposições da IN 02/08, especialmente sobre a análise de impactos ambientais. Os produtos de limpeza sempre estiveram atrelados a problemas ambientais. Antes mesmo do aparecimento dos produtos sintéticos, o sabão já apresentava o problema de deixar as águas muito alcalinas (duras), deixando também uma película insolúvel sobre a superfície da água. Acontece que geralmente os produtos utilizados nos serviços de limpeza em licitações públicas consistem apenas nos mais simples e baratos, mas com alta carga química sintética em sua formulação. Produtos que possuem alta eficácia na conservação do patrimônio, porém com grande impacto nesses locais. Pensando-se em Unidades de Conservação, o problema torna-se exponencialmente mais grave. Atualmente, os níveis de fosfatos nos detergentes são controlados pelo ordenamento jurídico brasileiro e internacional. Entretanto, o acúmulo dessas substâncias nos rios, lagos e praias que recebem esgotos, podem prejudicar a vida de toda a biota que vive nestes locais, o que representa um contra-senso com a missão do Órgão. Outro problema é que muitos produtos de limpeza possuem substâncias à base de cloro. O cloro, em pó ou em pastilhas usado para desinfecção de piscinas, contêm estabilizadores e outras substâncias muito prejudiciais como o mercúrio e outros metais ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 2

3 pesados. Esses metais não só contaminam a água da piscina, mas também, as águas subterrâneas, através das descargas da água de lavagem de filtro de areia, chegando aos oceanos. É importante ressaltar que a poluição das águas nos rios, lagos, mares e oceanos ocorre não apenas pelo despejo individual de uma substância ou outra, mas também pela reação química resultante da soma dos inúmeros produtos de limpeza que usamos como: detergentes, sabão em pó, sabonetes, desinfetantes, limpa-vidros, água sanitária (com 2% de cloro ativo), amoníaco, entre outros. O potencial impactante que os produtos de limpeza sintéticos possuem pode causar danos ao homem e ao meio ambiente. Por essa razão devem ser usados de forma moderada, cuidadosa e, quando possível, substituídos por outros métodos e produtos menos agressivos aos ecossistemas. Optar por produtos de limpeza de bases e formulações naturais são uma solução. Há algumas marcas disponíveis no mercado que possuem formulação adequada e suficiente para limpeza, a partir de ingredientes de fontes renováveis. Como exemplos temos as marcas Cassiopéia, Power Roll, Astória, NovoClean, RL, marcas produtos das linhas ecológicas não contém derivados de petróleo, tensoativos, fosfatos ou produtos de origem animal ou testados em animais. Além de se optar por produtos ecológicos, o Estado deve também tomar pequenas providências no dia-a-dia para diminuir o impacto ambiental dos produtos de limpeza convencionais, como algumas sugestões abaixo transcritas: Não permitir, salvo exceções justificadas, adquirir produtos em cuja fórmula constem componentes como cloro, formaldeído e solventes. Não comprar produtos, sem embalagem própria ou rótulos que descreva os conteúdos químicos e indique o fabricante; Procurar conhecer e testar os produtos de limpeza ecológicos que existem no mercado. Dentro dos produtos industrializados existe grande mistura de substâncias que podem não estar indicadas nos rótulos. Dar preferência aos produtos que tenham selo de certificação. Isso significa que a empresa passou por uma sobre os processos e matérias-primas utilizadas. 3. DO FUNDAMENTO LEGAL E OBJETIVO DA FUTURA CONTRATAÇÃO 3.1 A contratação de pessoa jurídica para execução das atividades previstas neste Termo de Referência encontra amparo legal na Lei nº , de 17 de julho de 2002, no Decreto nº 5.450, de 31 de maio de 2005, no Decreto nº 3.722, de 9 de janeiro de 2001, Decreto nº 3.931, de 19 de setembro de 200; no Decreto nº 2.271, de 7 de julho de 1997 e, subsidiariamente, na Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, na Instrução Normativa nº 5, de 21 de julho de 1995, e na Instrução Normativa nº 02, de 30 de abril de 2008, bem como no que couber às disposições do Código de Defesa do Consumidor. 4. DAS DEFINIÇÕES: I - SERVIÇOS CONTINUADOS são aqueles cuja interrupção possa comprometer a continuidade das atividades da Administração e cuja necessidade de contratação deva estender-se por mais de um exercício financeiro e continuamente; ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 3

4 II - SERVIÇOS NÃO-CONTINUADOS são aqueles que têm como escopo a obtenção de produtos específicos em um período pré-determinado. III - PROJETO BÁSICO OU TERMO DE REFERÊNCIA é o documento que deverá conter os elementos técnicos capazes de propiciar a avaliação do custo, pela administração, com a contratação e os elementos técnicos necessários e suficientes, com nível de precisão adequado para caracterizar o serviço a ser contratado e orientar a execução e fiscalização contratual; IV - UNIDADE DE MEDIDA é o parâmetro de medição adotado pela Administração para possibilitar a quantificação dos serviços e a aferição dos resultados; V - PRODUTIVIDADE é a capacidade de realização de determinado volume de tarefas, em função de uma determinada rotina de execução de serviços, considerando-se os recursos humanos, materiais e tecnológicos disponibilizados, o nível de qualidade exigido e as condições do local de prestação do serviço; VI - ROTINA DE EXECUÇÃO DE SERVIÇOS é o detalhamento das tarefas que deverão ser executadas em determinados intervalos de tempo, sua ordem de execução, especificações, duração e freqüência; VII - PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS é o documento a ser utilizado para detalhar os componentes de custo que incidem na formação do preço dos serviços; VIII - SALÁRIO é o valor a ser efetivamente pago ao profissional envolvido diretamente na execução contratual, não podendo ser inferior ao estabelecido em acordo ou convenção coletiva, sentença normativa ou lei, ou ainda, quando da não existência destes, poderá ser aquele praticado no mercado ou apurado em publicações ou pesquisas setoriais para a categoria profissional correspondente; IX - REMUNERAÇÃO é o salário base percebido pelo profissional em contrapartida pelos serviços prestados mais os adicionais cabíveis, tais como hora extra, adicional de insalubridade, adicional de periculosidade, adicional de tempo de serviço, adicional de risco de vida e demais que se fizerem necessários; X - ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS são os custos de mão-de-obra decorrentes da legislação trabalhista e previdenciária, estimados em função das ocorrências verificadas na empresa e das peculiaridades da contratação, calculados mediante incidência percentual sobre a remuneração; XI - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA são os custos decorrentes da execução dos serviços, relativos aos benefícios efetivamente concedidos aos empregados, tais como transporte, seguros de vida e de saúde, alimentação, treinamento, e ainda custos relativos a uniformes, entre outros; XII - RESERVA TÉCNICA são os custos decorrentes de substituição de mão-de-obra quando da ocorrência de atrasos ou faltas que não sejam amparadas por dispositivo legal e, ainda, abonos e outros, de forma a assegurar a perfeita execução contratual. Este custo é calculado para cobertura não discriminada no cálculo da remuneração mediante incidência percentual sobre o somatório da remuneração, encargos sociais e trabalhistas e insumos de mão-de-obra; XIII - INSUMOS DIVERSOS são os custos relativos a materiais, utensílios, suprimentos, máquinas, equipamentos, entre outros, utilizados diretamente na execução dos serviços; XIV - DESPESAS OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS são os custos indiretos envolvidos na execução contratual decorrentes dos gastos da contratada com sua estrutura administrativa, organizacional e gerenciamento de seus contratos, calculados mediante incidência de um percentual sobre o somatório da remuneração, encargos sociais e trabalhistas, insumos de mão-de-obra e insumos diversos, tais como as despesas relativas a: a) funcionamento e manutenção da sede, tais como aluguel, água, luz, telefone, o Imposto Predial Territorial Urbano IPTU, dentre outros; b) pessoal administrativo; c) material e equipamentos de escritório; d) supervisão de serviços; e ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 4

5 e) seguros. XV - LUCRO é o ganho decorrente da exploração da atividade econômica, calculado mediante incidência percentual sobre a remuneração, encargos sociais e trabalhistas, insumos de mãode-obra, insumos diversos e despesas operacionais e administrativas; XVI - TRIBUTOS são os valores referentes ao recolhimento de impostos, e contribuições incidentes sobre o faturamento, conforme estabelecido pela legislação vigente; XVII - FISCAL OU GESTOR DO CONTRATO é o representante da Administração, especialmente designado, na forma dos arts. 67 e 73 da Lei nº 8.666/93 e do art. 6º do Decreto nº 2.271/97, para exercer o acompanhamento e a fiscalização da execução contratual, devendo informar a Administração sobre eventuais vícios, irregularidades ou baixa qualidade dos serviços prestados pela contratada, propor as soluções e as sanções que entender cabíveis para regularização das faltas e defeitos observados, conforme o disposto nesta Instrução Normativa; XVIII - INSTRUMENTO LEGAL é todo ato normativo ou instrumento jurídico ao qual seja atribuída força de Lei, que tenha abrangência geral ou coletiva e disponha sobre matéria tutelada pelo Direito Público, tais como acordos, convenções coletivas e decisões normativas trabalhistas; XIX - REPACTUAÇÃO é o processo de negociação para a revisão contratual de forma a garantir a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro do contrato em face da variação dos custos contratuais dos serviços continuados, devendo estar previsto no instrumento convocatório com data vinculada à apresentação das propostas ou do acordo ou convenção coletiva ao qual o orçamento esteja vinculado, no caso da primeira repactuação, ou da última repactuação, no caso de repactuação sucessiva; XX - PRODUTOS ou RESULTADOS são os bens materiais e imateriais, quantitativamente delimitados, a serem produzidos na execução do serviço contratado; XXI - ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO - ANS, é um ajuste escrito, anexo ao contrato, entre o provedor de serviços e o órgão contratante, que define, em bases compreensíveis, tangíveis objetivamente observáveis e comprováveis, os níveis esperados de qualidade da prestação do serviço e respectivas adequações de pagamento; XXII - ORDEM DE SERVIÇO é o documento utilizado pela Administração para a solicitação, acompanhamento e controle de tarefas relativas à execução dos contratos de prestação de serviços, especialmente os de tecnologia de informação, que deverá estabelecer quantidades estimativas, prazos e custos da atividade a ser executada, e possibilitar a verificação da conformidade do serviço executado com o solicitado. 5. DA DENOMINAÇÃO E DO PERFIL MÍNIMO DAS CATEGORIAS PROFISSIONAIS - RELAÇÃO ENTRE A DEMANDA E QUANTIDADE A SER CONTRATADA 5.1 Com vistas à prestação dos serviços constantes do objeto, a Contratada deverá dispor de pessoal obrigatoriamente contratado de acordo com a legislação trabalhista (Consolidação das Leis do Trabalho CLT), obedecidas também outras disposições constantes de Acordos ou Convenções Coletivas de Trabalho, celebrados entre entidades sindicais patronais e de empregados (registrada e arquivada na DRT/MTE), e qualificado para atender ao perfil de cada serviço de acordo com o constante de descrição geral de atividades e área de abrangência de cada serviço. 5.2 Desta forma, a(s) Contratada(s) deverá(ão) estar(em) apta(s) a fornecer(em) os seguintes profissionais para os serviços assim discriminados: ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 5

6 SERVIÇOS DESCRIÇÃO GERAL Servente para áreas verdes especialidade operação de roçadeira Servente para áreas externas Servente para áreas internas Compreende o conjunto de atividades de limpeza de áreas externas, capina, roçado (que envolva operação de roçadeira costal), poda e extração de galhos e outros obstáculos (de acordo com o plano de manejo da Unidade ou das regras gerais estabelecidas por sua Chefia ou autoridade superior), limpeza de banheiros externos, áreas de visitação, trilhas, revitalização de jardins e pequenos reparos, retirada e transporte de resíduos, bem como demais atividades correlatas, inclusive lavação de janelas e esquadrias externas. Compreende o conjunto de atividades de limpeza de áreas externas, capina, roçado (que não envolva operação de roçadeira costal), poda e extração de galhos e outros obstáculos (de acordo com o plano de manejo da Unidade ou das regras gerais estabelecidas por sua Chefia ou autoridade superior), limpeza de banheiros externos, áreas de visitação, trilhas, revitalização de jardins e pequenos reparos, retirada e transporte de resíduos, bem como demais atividades correlatas, inclusive lavação de janelas e esquadrias internas (auxílio) e externas. Compreende o conjunto de atividades de limpeza de áreas internas tais como banheiros, salas, copa, cozinha, corredores, móveis, equipamentos, uniformes, lavação de janelas e esquadrias internas e externas (auxílio), abastecimento de bebedouros e máquinas de café e/ou garrafas térmicas, revitalização de jardins internos e pequenos reparos, retirada e transporte de resíduos (de acordo com o plano de manejo da Unidade ou das regras estabelecidas por sua Chefia ou autoridade superior) e atividades correlatas. 5. RELAÇÃO DE POSTOS E EQUIPAMENTOS DE SERVIÇOS POR LOCALIZAÇÃO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 5.1 Os postos de Serviços a serem contratados serão distribuídos nas Unidades de Conservação discriminadas abaixo nos seguintes endereços: Parque Nacional da Serra dos Órgãos (sede Teresópolis), situada na Avenida Rotariana, s/nº, Alto, Teresópolis ; Parque Nacional da Serra dos Órgãos (sede Guapimirim), situada na Rodovia BR-116 (Rio - Teresópolis), Km 98,5, Guapimirim; Parque Nacional da Serra dos Órgãos (sede Petrópolis), situada na Estrada do Bonfim, s/nº, Corrêas, Petrópolis; Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, situado na Rodovia Amaral Peixoto, KM 182, Macaé/RJ, Reserva Biológica de Poço das Antas, situada na BR 101, KM 214, Aldeia Velha, Silva Jardim/RJ; Reserva Biológica União, situado na Rodovia BR 101, Km 185, Distrito de Rocha Leão, Rio das Ostras Reserva Biológica do Tinguá, situado na Estrada do Comércio, 3.400, Nova Iguaçu/RJ; Estação Ecológica da Guanabara / RJ; situada na BR 493, KM 12.8, Estrada do Contorno, Guapimirim/RJ. APA da Bacia do Rio São João, situada na BR 101, KM 214, Aldeia Velha, Silva Jardim/RJ; APA Petrópolis, situada na Estrada União Indústria, 9726, Itaipava, Petrópolis/RJ e; APA Guapimirim, situada na BR 493, KM 12.8, Estrada do Contorno, Guapimirim/RJ. ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 6

7 RESEX Arraial do Cabo, situada na Rua Nilo Peçanha, nº 03 Bairro Praia dos Anjos Arraial do Cabo/RJ. FLONA Pacotuba, situada na Rodovia João Domingos, km 2,5 Pacotuba/ES. REBIO Sooretama, situada na BR 101, km 101 Sooretama/ES. REBIO Córrego do Veado, situada na Estrada Pinheiros/Pedro Canário, km 11 Pinheiros/ES. FLONA Goytacazes, situada na BR 101, km 153 Linhares/ES. REBIO Augusto Ruschi, situada na Estrada Intermunicipal Santa Teresa à Nova Lombardia, km 07 Santa Teresa/ES. REBIO Córrego Grande, situada na Estrada do Picadão, km 16 Conceição da Barra/ES. REBIO Comboios, situada na ES 10, km 43 Linhares/ES. FLONA Rio Preto, BR 101, km 27 e 12km à direita em direção ao Córrego do Arthur Conceição da Barra/ES. Os postos de serviço em cada unidade estão distribuídos conforme quantitativos abaixo: UGR Item 01 Item 02 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Parque Nacional da Serra dos Órgãos Sede Teresópolis (4) (12)* 16 Parque Nacional da Serra dos Órgãos Sede Guapimirim (2) (4)** 06 Parque Nacional da Serra dos Órgãos Sede Petrópolis 523 (1) (1) 02 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 01 e 02) * Sendo 04 (quatro) operadores de roçadeira ** Sendo 01 (hum) operador de roçadeira ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 7

8 UGR e Item 03 Item 04 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Área de Proteção Ambiental de Guapimirim e Estação Ecológica da Guanabara (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 03 e 04) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 05 Item 06 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Área de Proteção Ambiental de Petrópolis (2) (2)* 04 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 05 e 06) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 07 Item 08 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 8

9 Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba 621 (1) (1) 02 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 07 e 08) UGR Destino Área Interna m 2 Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João Mico Leão Dourado e Reserva Biológica de Poço das Antas Item 09 Item 10 1/ (2) Área Externa - m 2 1/ (4)* TOTAL POR ITEM Quantitativo de Serventes (Total de serventes itens 09 e 10) * Sendo 02 (dois) operadores de roçadeira. UGR Item 11 Item 12 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Biológica de União (2) (6)* 08 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 11 e 12) * Sendo 05 (cinco) operadores de roçadeira. ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 9

10 UGR Item 13 Item 14 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Biológica de Sooretama (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 13 e 14) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 15 Item 16 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Biológica do Tinguá (2) (2)* 04 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 15 e 16) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 17 Item 18 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 10

11 Reserva Biológica do Córrego Grande (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 17 e 18) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 19 Item 20 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Biológica Augusto Ruschi (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 19 e 20) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 21 Item 22 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Floresta Nacional de Goytacazes (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 21 e 22) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 11

12 Item 23 Item 24 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Floresta Nacional de Rio Preto (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 23 e 24) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 25 Item 26 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Biológica de Comboios (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 25 e 26) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 27 Item 28 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Floresta Nacional de Pacotuba (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 25 e 26) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 12

13 UGR Item 29 Item 30 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Biológica de Córrego do Veado (2) (3)* 05 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 25 e 26) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. UGR Item 31 Item 32 Destino Área Interna m 2 1/600 Área Externa - m 2 1/1200 Quantitativo de Serventes Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo 650 (1) (1) 02 TOTAL POR ITEM (Total de serventes itens 03 e 04) * Sendo 01 (hum) operador de roçadeira. 5.2 DOS UNIFORMES 5.1. A empresa contratada deverá fornecer, gratuitamente, à mão-de-obra colocada à disposição do ICMBIO, uniformes e seus complementos, conforme a seguir, vedada a distribuição de uniformes usados, que deverão ser constituídos das seguintes peças, garantindo a reposição constante, sempre que necessário: Macacão Macacão mínimo de 02(duas) unidades por funcionário para cada quadrimestre Limpeza de área externa. ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 13

14 Confeccionado em CedroTech RS com Rip Stop - tecido profissional macio com excelente toque e caimento e repelente a manchas. Tecido que protege a pele por dificultar a aderência de líquidos aquosos como sangue, óleo e graxa, garantindo proteção contra contaminações e maior vida útil a peça. Devido a sua composição (33% algodão e 67% poliéster) não necessita o uso de ferro de passar após lavagem Sua gramatura confere proteção UV (Ultra Violeta) garantindo o não desbotamento e maior vida útil ao macacão. O tecido Cedrotech [RS] foi testado e aprovado por normas internacionais, como: ATCC TM 22 / ISO AATCC TM 193 AATCC TM 118 / ISO Cor cáqui, com as seguintes características: Reforço de tecido nos ombros, como proteção contra desgaste, principalmente por fricção; Bolso na manga, com tampa, (para evitar que ao abaixar as canetas caiam do bolso) com compartimento para canetas e zíper para guardar celular e pequenos documentos; Dois bolsos frontais superiores, com abertura em diagonal, para facilitar acesso; Bolso para canivete; Bolsos na altura das coxas e dois bolsos no final das pernas para multi-usos e demais finalidades; Zíper com dois carrinhos para facilitar a abertura superior e inferior; Cinto com ajuste na cintura (velcro) e nas costas (elástico); Velcro para ajuste das mangas; Zíper de abertura nas pernas, (para facilitar o uso de botas ou calçados de cano alto); Pregas nas costas para ampliar os movimentos. Faixas refletiva nas costas, braços e pernas; Bordados: No canto superior direito do macacão o dístico A SERVIÇO. Referência visual: Figura 01 Modelo do macacão pretendido. Fotos site FLYTEX. Permanecem os direitos autorais Calça comprida 02 (duas) unidades por funcionário Servente de área externa - por quadrimestre no mínimo. Cor cáqui. TECIDO:.CedroTech RS: tecido misto (57% algodão e 43% poliéster) Rip Stop com resistência ao rasgo. Possui reforço na trama e urdume, formando uma trama quadriculada dificultando o esgarçamento e impedindo que o rasgo se propague. Devido a composição do tecido não ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 14

15 necessita o uso de ferro de passar após lavagem Sua gramatura confere proteção UV. Modelo BDU (Battle dress uniform) DETALHES DO MODELO - Cós postiço com 4,5 cm de largura, 1 botão e 1 caseado no sentido horizontal, 7 passantes com 5,5 cm de comprimento por 1 cm de largura, vista embutida com botões, 2 bolsos frontais embutidos, com aberturas, oblíquas, tipo americano, 2 bolsos chapados centralizados nas costuras laterais 1 em cada perna, na altura da coxa, com 2 pregas tombadas ara trás, sendo o lado traseiro do tipo fole e tendo cada bolso fechamento através de portinhola abotoável por 2 botões e 2 caseados no sentido vertical embutidos, cadarço embutido na extremidade inferior da perna (na barra) para ajuste no tornozelo. No bolso esquerdo lateral deverá ser bordado o logotipo do PARNASO ou da unidade de conservação e no bolso direito lateral os dísticos A SERVIÇO. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE COSTURAS - Costuras com máquina de pregar cós ou ponto fixo 1 agulha para colocação do cós. - Costuras ponto corrente 2 agulhas paralelas para fechamento das laterais, entrepernas e gancho. - Costuras ponto fixo 2 agulhas paralelas para fixação dos bolsos e portinholas. - Costuras ponto fixo 1 agulha na vista e barra para passamento de cadarço. - Travetes para reforçar os cantos dos bolsos, passantes e o acabamento final da vista. - Overlock nas partes desfiantes do tecido. AVIAMENTOS - Linha mercerizada nº 30 ou Pes/Algodão nº 80 para as operações de fechamento, colocação do cós, pesponto dos bolsos, vista, casear e pregar botões. - Linha mercerizada nº 50 ou Pes/Algodão nº 120 no overlock e demais operações de costuras. - As cores das linhas e botões deverão estar de acordo com a tonalidade do tecido. NÚMERO CINTURA QUADRIL ENTREPERNAS (c/barra feita de 3 cm) ILHARGAS S/CÓS (c/barra feita de 3 cm) COMO MEDIR A CALÇA PRONTA A) CINTURA: Sobre o cós, com a calça abotoada. B) QUADRIL: 7 cm da junção entre as duas pernas, ao longo da costura C) ENTREPERNAS: Da junção entre as duas pernas, ao longo da costura interna, até o final da barra (não considerar o tecido dobrado internamente) D) ILHARGA S/CÓS: Da costura da junção do cós, ao longo da costura lateral, até o final da barra, (não considerar o tecido do dobrado internamente). Referência visual: ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 15

16 Fonte: Rassier Artigos Militares Camisa tipo pólo de mangas compridas e curtas; mínimo 02 unidades de cada por funcionário servente de área externa - por trimestre ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO TECIDO Composição...100% Algodão Malha Piquet. Peso gr/m 2 (STD) Largura...1,61m Fios/CM: Urdume...46,45 Trama...17,90 Cor...Cáqui DETALHES DO MODELO - Gola tipo esporte pespontada, mangas compridas com punhos elásticos, abertura frontal parcial com fechamento através de 3 botões e 3 caseados no sentido vertical, 1 bolso chapado com barra dobrada no do lado esquerdo, tecido único nas costas, identificação com bordado no lado direito A SERVIÇO DO ICMBio, na cor amarela. Bolso com o logotipo do ICMBio. Verificar o esquema visual de identificação de bordados conforme layout abaixo: ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 16

17 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE COSTURAS - Costuras ponto corrente 2 agulhas paralelas para o fechamento das ilhargas, ombros e colocação das mangas. - Costuras ponto fixo 2 agulhas paralelas para fixação dos bolsos, punhos e pespontos da gola. - Costuras ponto fixo 1 agulha para fixar gola e bainha. - Travetes para reforçar os cantos dos bolsos. - Overlock nas partes desfiantes do tecido. AVIAMENTOS - Linha mercerizada nº 40 ou Pes/Algodão nº 120 em todas as operações de costuras. - Linha mercerizada nº 50 ou Pes/Algodão nº 120 no overlock. - As cores das linhas deverão estar de acordo com a tonalidade do tecido. - Os botões deverão ser de poliéster de acordo com a tonalidade do tecido. TABELA DE MEDIDAS BÁSICAS PARA A CAMISA PRONTA (Manga Comprida) NÚMERO TÓRAX ESPALDA MANGA COMPRIDA COM PUNHO COMPRIMENTO TOTAL (c/bainha feita de 1 cm) COMO MEDIR A CAMISA PRONTA A) TÓRAX: Da parte inferior de uma cava à outra, com a camisa abotoada. B) ESPALDA: Da parte do meio de uma cava à outra, nas costas. C) MANGA COMPRIDA COM PUNHO: Da parte da junção com o ombro até o final do punho. D) COMPRIMENTO TOTAL: Da junção da gola no ombro, até o final da bainha (não considerar o tecido dobrado internamente). TABELA DE MEDIDAS BÁSICAS PARA A CAMISA PRONTA (Manga Curta) NÚMERO ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 17

18 TÓRAX ESPALDA MANGA CURTA (c/bainha feita de 2 cm) COMPRIMENTO TOTAL (c/bainha feita de 1 cm) Boné, com bordado ICMBio; mínimo 01 unidade por funcionário a cada 06 (seis) meses (servente de área externa e interna, exceto feminino). Confeccionado em brim peletizado, com entretela frontal e aba lisa, contendo bordado frontal A SERVIÇO DO ICMBio, na cor marrom, boné cor cáqui. Regulagem do boné com carneira elástica. Referência visual: Fonte: Flytex uniformes especiais Jaqueta de frio; Confeccionada em Nylon, com proteção impermeablizante (Satin semi-impermeabilizado), cor verde oliva. Possui dois bolsos (tipo cargo) frontais, com fechamento de velcro ; Possui bolso na manga para canetas e pequenos objetos; Possui zíper trator de alumínio com aba corta vento (Storm flap);. Bordados: No canto superior direito da jaqueta o logotipo do ICMBio. bordado na cores originais. Dísticos bordados no verso na cor amarela em caixa alta A SERVIÇO DO ICMBio. Bordado do pavilhão nacional no braço esquerdo. Referência visual: ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 18

19 Foto 01 Figura 01 Modelo da jaqueta a ser adquirida. Fotos site FLYTEX. Permanecem os direitos autorais. TABELA DE MEDIDAS BÁSICAS PARA JAQUETA PRONTA NÚMERO TÓRAX MANGA RAGLÃ COMPRIMENTO TOTAL COMO MEDIR A JAQUETA PRONTA A) TÓRAX: Da parte inferior de uma cava à outra, com a japona abotoada. B) COMPRIMENTO MANGA RAGLÃ: Da junção do capuz com a fita métrica centralizada sobre o ombro até o final do punho. C) COMPRIMENTO TOTAL: Da junção do capuz com o ombro, até a extremidade inferior da japona Capa de chuva; mínimo de 02 unidades por funcionário a cada ano. Composição...Tecido Plastificado (trevira) Tenacidade (Tipo)...KP 500 Peso gr/m Espessura (mm)...0,40 0,04 Alongamento (%)...18/18 Rasgamento...12/12 Deslocamento (kg/5cm)...3,3/3,3 Cor...Amarelo Ouro ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 19

20 TABELA DE MEDIDAS BÁSICAS PARA CAPA DE CHUVA COMO MEDIR A CAPA PRONTA NÚMERO TÓRAX MANGA COMPRIMENTO A) TÓRAX: Da parte inferior, de uma cava à outra, com a capa abotoada. B) COMPRIMENTO DA MANGA: Da parte da junção com o ombro até o final da manga. C) COMPRIMENTO TOTAL: Da junção da gola com o ombro até o final da bainha da frente (Não considerar o tecido dobrado internamente). DETALHES DO MODELO - Capa de mangas compridas, com capuz removível preso à cola da capa por 3 botões de pressão metálicos (2 frontais e 1 traseiro), fechamento frontal feito por botões de pressão metálicos, 2 bolsos laterais e uma abertura na parte traseira da capa. - Logomarca do ICMBIO impressa do lado esquerdo, à altura do peito, nas medidas e cores reais, conforme modelo às pags. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA COSTURA - Confeccionada com solda eletrônica de alta freqüência Uniforme para área interna feminino e masculino mesmas quantidades e tecidos do macacão de área externa. Para o uniforme feminino A cor deverá ser Cáqui para a blusa e a calça e verde para o avental. Atentar para o calçado a ser fornecido, de acordo com a indicação na figura (sapatilha tipo Moleca Beira Rio. Observar os bordados conforme esquema visual: ICMBio/PARNASO/Unidade de Administração.e Finanças Termo de Referência suporte Logístico 20

ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS. Área

ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS. Área ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS A execução dos serviços de limpeza, conservação e higienização nas dependências internas e externas dos edifícios, bem como nos seus bens móveis,

Leia mais

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação 1. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os serviços de limpeza e conservação deverão ser realizados, conforme as seguintes especificações: ÁREAS INTERNAS 1.1. DIARIAMENTE, uma vez quando não explicitado. 1.1.1. Remover,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA 1- INTRODUÇÃO E BASE LEGAL A elaboração deste Termo de Referência rege-se pelas disposições do Decreto nº 5.450, de 31/05/2005, subsidiariamente pela Lei nº 8.666/93, de 21/06/93

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 008/2011 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DAS UNIDADES DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ. Versão: 01 Aprovação: 22/07/2011

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS 1- COLETE : - Azul marinho; - 02 (duas) faixas refletivas, na direção horizontal, na cor laranja;

Leia mais

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO 1.1. Tarefa: Limpeza de MÓVEIS E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA - limpar com pano úmido e remover pó e manchas das mesas, armários,

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Tocantins Comissão Permanente de Licitação ANEXO II MINUTA DO CONTRATO Nº /2004 CONVITE Nº 007/2005

Tribunal de Contas do Estado do Tocantins Comissão Permanente de Licitação ANEXO II MINUTA DO CONTRATO Nº /2004 CONVITE Nº 007/2005 ANEXO II MINUTA DO CONTRATO Nº /2004 CONVITE Nº 007/2005 TERMO DE CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO TOCANTINS e a empresa. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO TOCANTINS, pessoa

Leia mais

MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL ACADEMIA NACIONAL DE POLÍCIA

MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL ACADEMIA NACIONAL DE POLÍCIA MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL ACADEMIA NACIONAL DE POLÍCIA CONTRATO N.º 027/2003 TERMO DE CONTRATO QUE, ENTRE SI CELEBRAM A ACADEMIA NACIONAL DE POLÍCIA E A FIRMA, BEST - BRASÍLIA EMPRESA DE SERVIÇOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA PARQUE NACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS UNIDADE DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS

Leia mais

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado 1 POSTOS UAI - PROJETO DE UNIFORMIZAÇÃO ARTIGO COD. PAG FUNÇÃO AGASALHO FEMININO BEGE T- 11/ T-12 58 COPEIRA AGASALHO FEMININO PRETO T-13 13 ATEN. RECEPÇÃO,

Leia mais

2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015. OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços.

2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015. OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços. 2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015 OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços. A Câmara Municipal de Lapa/Pr, através de sua Comissão Permanente

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA Fundap - Fundação do Desenvolvimento Administrativo VOLUME 3 Prestação de Serviços de Limpeza, Asseio e Conservação Predial Versão Fevereiro/2007 VOLUME 3 INSTRUÇÕES GERAIS...02

Leia mais

UTENSÍLIO DA SUBESTAÇÃO TACARATÚ, NO MUNICIPIO DE TACARATÚ- PE.

UTENSÍLIO DA SUBESTAÇÃO TACARATÚ, NO MUNICIPIO DE TACARATÚ- PE. COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO CHESF DA - DIRETORIA ADMINISTRATIVA DRGP - DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS SPAA SERVIÇO DE ADMINISTRAÇÃO AUXILIAR DE PAULO AFONSO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SPAA- 021 -

Leia mais

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010 À DME Distribuição S/A - DMED PREGÃO N. 038/2010 A empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob o n..., estabelecida à Av./Rua..., n..., bairro..., na cidade de..., CEP..., telefone..., fax..., e-mail..., vem pela

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/051. Retificação

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/051. Retificação UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/051 Retificação O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida empresas

Leia mais

LOTE 01 LOTE 02 ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

LOTE 01 LOTE 02 ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1 - OBJETO: Aquisição de uniformes de uso diário para agentes de segurança lotados na Seção de Transporte e Vigilância SETRAV e Grupo Especial de Segurança - GES, conforme

Leia mais

Anexo II - TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA

Anexo II - TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA Anexo II - TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA 1. OBJETO 1.1. Prestação de Serviços de Conservação e limpeza, higiene e desinfecção e Jardinagem com fornecimento de materiais e equipamentos, para

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL (Área Administrativa, Almoxarifado, Galpão, Laboratório, Oficina, Garagem, Passeios e Arruamentos) SEMPLA/COBES/DGSS AGOSTO/2014 ÍNDICE -

Leia mais

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010 ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Referente ao Pregão nº 038/2010 LOTE 01: ESPECIFICAÇÕES DO ITEM 1: Blusa para usuários do sexo feminino, colarinho, com pence de busto no sentido horizontal frente e pence

Leia mais

1. O item 2 da Instrução n. 008 passa a vigorar co m a seguinte redação:

1. O item 2 da Instrução n. 008 passa a vigorar co m a seguinte redação: Salvador, Bahia Quinta-feira 16 de Janeiro de 2014 Ano XCVIII N o 21.333 INSTRUÇÃO N. 001/2014 Altera a Instrução n. 008, de 02 de maio de 2011, que orienta os órgãos e entidades da Administração Pública

Leia mais

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA CAIXAS - CONTACT CENTER - BIBLIOTECA FEMININO - INVERNO 01 RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA

TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA 1. OBJETO 1.1. Prestação de Serviços de Conservação e limpeza, higienização, desinfecção e limpeza de reservatórios de água e controle de pragas em geral, com

Leia mais

Acompanhamento dos serviços de limpeza

Acompanhamento dos serviços de limpeza CAMPUS SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS Acompanhamento dos serviços de limpeza Manual dos usuários 1 versão Este documento é uma referência para acompanhamento dos serviços

Leia mais

Concurso Público. Serviços de Limpeza na Sede e no Edifício Administrativo da Ala Oeste do Instituto do Desporto

Concurso Público. Serviços de Limpeza na Sede e no Edifício Administrativo da Ala Oeste do Instituto do Desporto Concurso Público Serviços de Limpeza na Sede e no Edifício Administrativo da Ala Oeste do Instituto do Desporto Requisitos para a prestação de serviços de limpeza 1. Serviços de limpeza da 1ª parte Fornecimento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado da Casa Civil Subsecretaria Militar da Casa Civil ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado da Casa Civil Subsecretaria Militar da Casa Civil ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA JUSTIFICATIVA Justifica-se a contratação de empresa especializada na prestação de serviço de manutenção, limpeza, higienização, desinsetização, descupinização e desratização

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1-OBJETO: Registro de preço para eventual aquisição de uniformes, ternos e coturnos para a Justiça Federal de Primeiro Grau - Seção Judiciária do Espírito Santo, conforme especificações

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Administração - SAEB

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Administração - SAEB Salvador, Bahia Quinta-feira 1º de dezembro de 2011 Ano XCVI N o 20.719 INSTRUÇÃO N. 015 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Altera a Instrução n. 009/2011, que orienta os órgã os e entidades da Administração Pública

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA I - DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA I - DO OBJETO I - DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1. Contratação de empresa para a prestação de serviço de fretamento de veículos, caminhões do tipo BAÚ, por horas de utilização, com motoristas e ajudantes, para atender

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE Esta norma aplica-se atodas as edificações de uso público e/ou mobiliário urbano, tanto em condições temporárias como em condições permanentes. É sempre necessário consultar o REGULAMENTO DO CÓDIGO NACIONAL

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 12 / 14 Aos dezesseis dias do mês de abril do ano de 2015, nas dependências do Departamento de Compras e Licitações, situado na Avenida Presidente

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.4 Áreas de Vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d)

Leia mais

Av. Presidente Vargas, 1261 CEP: 20071-004 - Centro - Rio de Janeiro Tel: +55 (21) 2532-2661

Av. Presidente Vargas, 1261 CEP: 20071-004 - Centro - Rio de Janeiro Tel: +55 (21) 2532-2661 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NO SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE TELHADOS VERDES/ECOTELHADO, JARDINS E CANTEIROS NA BIBLIOTECA PARQUE ESTADUAL RJ. JUSTIFICATIVA A Biblioteca

Leia mais

18.4. Áreas de vivência

18.4. Áreas de vivência 18.4. Áreas de vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; (118.015-0 / I4) b) vestiário; (118.016-9 / I4) c) alojamento; (118.017-7 / I4) d) local de refeições;

Leia mais

Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA ERGDF 02/2008

Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA ERGDF 02/2008 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA ERGDF 02/2008 1. DO OBJETO Visa o presente à contratação de empresa especializada para prestação de serviços contínuos de limpeza e conservação nas dependências da SUSEP no

Leia mais

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO 1 CONCEITOS E DIRETRIZES... 3 2 LIMPEZA... 3 2.1 Caracterização do Pessoal... 3 2.2 Materiais e Equipamentos a serem fornecidos e utilizados...

Leia mais

Manual de Utilização dos Serviços de Limpeza da UFES Usuário Campi Goiabeiras, Maruípe e Base Oceanográfica

Manual de Utilização dos Serviços de Limpeza da UFES Usuário Campi Goiabeiras, Maruípe e Base Oceanográfica Manual de Utilização dos Serviços de Limpeza da UFES Usuário Campi Goiabeiras, Maruípe e Base Oceanográfica Este manual descreve o processo de limpeza e conservação das áreas edificadas da UFES. Maio de

Leia mais

Pisos de Madeira. Pisos de Cerâmica. Equipamentos. Equipamentos. Segurança. Vassoura Esfregão (se necessário) Pá de lixo Cesto de lixo

Pisos de Madeira. Pisos de Cerâmica. Equipamentos. Equipamentos. Segurança. Vassoura Esfregão (se necessário) Pá de lixo Cesto de lixo Pisos de Madeira 1. Varra bordas, cantos e atrás das portas. 2. Varra o restante do piso, começando de um lado da sala até o outro. Para pisos amplos, use um esfregão, sacudindo-o quando terminar. 3. Junte

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO Blazer padrão alfaiataria, acinturado, modelo tradicional com três botões bolsos com lapelas. Tecido composto c/ 100% poliéster, (padrão Sanyotex ou Superior); Sanyotex:

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 008 DE 02 DE MAIO DE 2011

INSTRUÇÃO Nº 008 DE 02 DE MAIO DE 2011 INSTRUÇÃO Nº 008 DE 02 DE MAIO DE 2011 Publicado no DOE em 03 de maio de 2011 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto aos procedimentos licitatórios e

Leia mais

UNIFORME SESI. Especificação Técnica

UNIFORME SESI. Especificação Técnica UNIFORME SESI Especificação Técnica 2015 SUMÁRIO 1. CAMISETA MANGA CURTA 3 2. CAMISETA MANGA LONGA 10 3. REGATA 17 4. POLO MASCULINA 24 5. POLO FEMININA 32 6. JAQUETA MASCULINA - TACTEL 40 7. JAQUETA MASCULINA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÃO PREDIAL GERAL

TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÃO PREDIAL GERAL 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÃO PREDIAL GERAL 1.1. Prestação de Serviços de Manutenção Predial Geral, para as dependências do Centro Cultural José Bonifácio localizado na Rua Pedro Ernesto, nº

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA sca.com.br Parabéns! Agora, a mudança faz parte da sua vida. Neste manual, você encontrará as principais informações para garantir que seu mobiliário S.C.A.

Leia mais

MUNICIPIO DE ERECHIM PREFEITURA MUNICIPAL

MUNICIPIO DE ERECHIM PREFEITURA MUNICIPAL ADITIVO Nº 419/2014 ADITIVO AO CONTRATO ADMINISTRATIVO N.º 197/2014 ADITIVO AO CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 197/2014 PROCESSO N.º 13443/2013 PREGÃO PRESENCIAL N.º 199/2013 AQUISIÇÃO DE EPIs - DIVERSAS SECRETARIAS

Leia mais

INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS Processos Administrativos Nº 2408/2013

INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS Processos Administrativos Nº 2408/2013 INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS Processos Administrativos Nº 2408/2013 O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE, por intermédio da Comissão Permanente de Licitação, em obediência ao disposto no art. 5º do Decreto Federal

Leia mais

INFORMAÇOES TÉCNICA DOS SERVIÇOS

INFORMAÇOES TÉCNICA DOS SERVIÇOS INFORMAÇOES TÉCNICA DOS SERVIÇOS 3 - LIMPEZA E MANUTENÇÃO Informamos abaixo a forma correta de como proceder à limpeza profunda. Os equipamentos utilizados estão dimensionados de acordo com o tamanho do

Leia mais

Especificação dos materiais e produtos de limpeza

Especificação dos materiais e produtos de limpeza Item Especificação dos materiais e produtos de limpeza Apres. Qtd/ mensal 03 06 07 ÁGUA SANITÁRIA, uso doméstico, a base de hipoclorito de sódio. Embalagem plástica de litro, com dados de identificação

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012

QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012 QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012 1) Solicito esclarecimento referente ao Pregão Presencial nº 009/2012, cujo objeto é a prestação de serviço de limpeza e conservação predial, movimentação

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação. I. Instrução Normativa da Presidência... 05 II. Despacho da Corregedoria... 16

SUMÁRIO. Apresentação. I. Instrução Normativa da Presidência... 05 II. Despacho da Corregedoria... 16 SUMÁRIO Apresentação I. Instrução Normativa da Presidência... 05 II. Despacho da Corregedoria... 16 SEPARATA DO BOLETIM DE SERVIÇO Nº 20 ANO XXV Outubro - 2012 APRESENTAÇÃO Esta Separata do Boletim de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADO CNPJ 51.814.960/0001-26. Projeto Básico

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADO CNPJ 51.814.960/0001-26. Projeto Básico Projeto Básico Pintura e reparos na Escola Municipal de Ensino Fundamental Senador Carlos José Botelho 1.0 Objeto Trata-se de obra de pintura e correção de reparos no edifício da escola, tombado pelo Patrimônio.

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA A B C D E OBJETO O presente Termo de Referência tem como objeto o fornecimento parcelado de combustíveis à frota dos veículos oficiais do Conselho Regional de Medicina do

Leia mais

ANEXO 01 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE DE ÁGUA POTÁVEL POR CAMINHÃO PIPA

ANEXO 01 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE DE ÁGUA POTÁVEL POR CAMINHÃO PIPA ANEXO 01 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE DE ÁGUA POTÁVEL POR CAMINHÃO PIPA SERVIÇO FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS TIPO CAMINHÃO PIPA COM CAPACIDADE DE TRANSPORTE DE 9.000 A

Leia mais

DOCUMENTO Nº 31 - SETEMBRO/08. Manual de Uniformes

DOCUMENTO Nº 31 - SETEMBRO/08. Manual de Uniformes DOCUMENTO Nº 31 - SETEMBRO/08 Manual de Uniformes ROBERTO REQUIÃO Governador do Estado do Paraná VALTER BIANCHINI Secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ -

Leia mais

Limpeza e Sustentabilidade. Osmar Viviani Consultor Técnico 1

Limpeza e Sustentabilidade. Osmar Viviani Consultor Técnico 1 Limpeza e Sustentabilidade Osmar Viviani Consultor Técnico 1 ANTIGAMENTE > conceito primário de aproveitamento Trapos (sobras), sabão caseiro, balde, vassoura, rodo, escovão... Era só o que se usava na

Leia mais

Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP 34/2008

Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP 34/2008 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP 34/2008 1 DO OBJETO Visa à contratação de empresa especializada nos serviços de instalação/colocação de Isolamento Acústico com fornecimento de todos os materiais necessários

Leia mais

L E I. Art. 2º. Os demais artigos das leis permanecem inalterados. Art. 3º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua Publicação.

L E I. Art. 2º. Os demais artigos das leis permanecem inalterados. Art. 3º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua Publicação. LEI Nº 1362 de 21 de maio de 2010 Altera dispositivos das Leis: 536/95, 931/03, 935/03 e 1302/09, alterando as atribuições de cargos existentes, na estrutura do quadro de funcionários efetivos e dá outras

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS E FINANCEIRAS PARA A CONSTRUÇÃO DA UNIDADE DE PROCESSAMENTO DE DOCES E OUTROS PELA ASSOCIAÇÃO DE MULHERES DE PORTO DE AREIA

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS E FINANCEIRAS PARA A CONSTRUÇÃO DA UNIDADE DE PROCESSAMENTO DE DOCES E OUTROS PELA ASSOCIAÇÃO DE MULHERES DE PORTO DE AREIA ORIENTAÇÕES TÉCNICAS E FINANCEIRAS PARA A CONSTRUÇÃO DA UNIDADE DE PROCESSAMENTO DE DOCES E OUTROS PELA ASSOCIAÇÃO DE MULHERES DE PORTO DE AREIA Consultora: Eng. Agr. Marcio G. de Lima Alta Floresta, Maio

Leia mais

Oferecemos também uma linha completa de acabamentos para pisos em madeira, como rodapés, cantoneiras e frontais para escadas.

Oferecemos também uma linha completa de acabamentos para pisos em madeira, como rodapés, cantoneiras e frontais para escadas. Ecopiso Ecopiso empresa com sede em Curitiba, produzindo pisos maciços pré acabados, com o que existe de melhor e mais moderno em padrões de cores e acabamentos de verniz. Oferecemos também uma linha completa

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE LEI Nº 354/2014 Dispõe sobre a Política Municipal de Saneamento Básico, cria o Conselho Municipal de Saneamento Básico e o Fundo Municipal de Saneamento de Básico, e dá outras providências. A Prefeita

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA 1 EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Fornecimento e instalação de películas de proteção para vidros, conforme descrição

Leia mais

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À EDIFICAÇÃO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: (Alimentício e Limpeza) 001 000047-3 AGUA, sanitaria, uso domestico, a base de hipoclorito de sodio, com teor de cloro ativo entre 2,0 a 2,5 % p/p. Embalagem plastica de 01 litro, com

Leia mais

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá APÊNDICE V Modelos de Uniforme e Crachá MARÇO DE 2016 1 23 ÍNDICE 1.1. Apresentação...3 1.2. Tecidos...3 2.1. Gerente Feminino...5 2.2. Atendente Feminino...7 2.3. Gestante...9 2.4. Orientador Feminino...

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Frotas (Transportes); 1.2) Proteger o Patrimônio Público contra o uso indevido, bem como atender a legislação em vigor e evitar

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011 Projeto: FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA PEDRA BRANCA - PEPB: OBRAS DE RECUPERAÇÃO E AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIO E EQUIPAMENTOS Protocolo nº: 20110302174043107 Assunto:

Leia mais

NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2)

NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2) NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2) Resumo da NR 18 para áreas de vivência 18.1. Objetivo e campo de aplicação. 18.1.1. Esta Norma Regulamentadora NR

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS TERMO DE REFERÊNCIA GESER 10/2008

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS TERMO DE REFERÊNCIA GESER 10/2008 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS TERMO DE REFERÊNCIA GESER 10/2008 1. DO OBJETO Visa o presente à contratação de empresa especializada para prestação de serviços contínuos de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de materiais de sinalização de emergência, de alerta e orientação

TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de materiais de sinalização de emergência, de alerta e orientação TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de materiais de sinalização de emergência, de alerta e orientação 1 OBJETO: 1.1 Fornecimento e instalação de placas para sinalização de emergência, de alerta

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA.

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

1.1. Para os efeitos desta IN são adotadas as seguintes definições:

1.1. Para os efeitos desta IN são adotadas as seguintes definições: INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 013, de 30 de outubro de 1996 O MINISTRO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO, no uso de sua competência, e considerando o disposto no Decreto nº 2.031, de 11 de

Leia mais

CONTRATO N o 12 / 2006

CONTRATO N o 12 / 2006 SEÇÃO REGIONAL ADMINISTRATIVA CONTRATO N o 12 / 2006 TERMO DE CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM A UNIÃO FEDERAL, REPRESENTADA PELA SUPERINTENDÊNCIA REGINAL DO DPF EM GOIÁS, E A EMPRESA APECÊ SERVIÇOS GERAIS

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO PROCURADORIA GERAL PRIMEIRO TERMO DE RENOVAÇÃO AO CONTRATO Nº 064/PGM/2013 PROCESSO Nº 04.

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PORTO VELHO PROCURADORIA GERAL PRIMEIRO TERMO DE RENOVAÇÃO AO CONTRATO Nº 064/PGM/2013 PROCESSO Nº 04. PRIMEIRO TERMO DE RENOVAÇÃO AO CONTRATO Nº 064/PGM/2013, QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, POR INTERMÉDIO DA DO MUNICÍPIO / PGM, DE UM LADO E DO OUTRO, A EMPRESA PARAISO COMERCIO DE CONFECÇÕES

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ 1. Dados Gerais da Licitação Número do Processo Licitatório PA 031/2016 Exercício 2016 Modalidade Tipo Objeto Registro de Preços Originário de Pregão Presencial Menor Preço Status Publicada Contratação

Leia mais

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro Atendendo a que os modelos dos uniformes e distintivos a utilizar pelos elementos do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio CONCORRÊNCIA n.º 04/10 Processo n.º 001.039480.09.7 Anexo 1 Projeto Básico RETIFICADO 1. Descrição do objeto:

Leia mais

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1 EDITAL DE PREGÃO (PRESENCIAL) n 27/2006 PROCESSO n A-06/018 DATA DA REALIZAÇÃO: 09/10/2006 HORÁRIO: 09:00 horas LOCAL: Rua Pio XI, 1500 - Alto da Lapa A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO DO CARGO

PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO DO CARGO DENOMINAÇÃO DO CARGO: AUXILIAR DE CARPINTARIA : ESCOLARIDADE: Fundamental Incompleto Auxiliar em todas as atividades de carpintaria tais como: corte, armação, instalação e reparação de peças de madeira.

Leia mais

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO 24.1 Instalações Sanitárias 24.1.1 Todo estabelecimento deve ser dotado de instalações sanitárias, constituídas por vasos sanitários,

Leia mais

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de coberturas metálicas para o prédio da Sede da SJES na capital

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de coberturas metálicas para o prédio da Sede da SJES na capital ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de coberturas metálicas para o prédio da Sede da SJES na capital 1 OBJETO: 1.1 Contratação de empresa especializada para fornecimento, montagem e instalação

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 033/2007 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO

PREGÃO PRESENCIAL Nº 033/2007 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 033/2007 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO SETOR TIPO PROCESSO Nº 0000597.2007.000.14.00-0 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Menor Preço por lote. BASE LEGAL Este procedimento

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 004/2015 MENOR PREÇO POR ITEM PROCESSO N.º 201500057000041

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 004/2015 MENOR PREÇO POR ITEM PROCESSO N.º 201500057000041 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 004/2015 MENOR PREÇO POR ITEM PROCESSO N.º 201500057000041 1 OBJETIVO 1.1 - A abertura do presente procedimento licitatório, decorre da necessidade da contratação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 025/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as atribuições e designações dos procedimentos

Leia mais

Manual do Proprietário

Manual do Proprietário Manual do Proprietário Produtos A Salapronta possui uma rigorosa seleção de seus móveis, começando pela qualidade de madeiras maciças, placas de madeira, laminados e outros acessórios. Escolhendo sempre

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Características Densidade: 1,02 g/cm 3 Aparência: Cor preta Composição básica: emulsão asfáltica modificada com elastômeros

Leia mais

CARTA CONVITE 015/2015 MATÃO

CARTA CONVITE 015/2015 MATÃO CARTA CONVITE 015/2015 MATÃO A OSCIP INSTITUTO DE GESTÃO DE PROJETOS DA NOROESTE PAULISTA, organização da sociedade civil de interesse público, inscrita no CNPJ sob nº. 07.393.885/0001-85, estabelecida

Leia mais

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO 1. DO OBJETO 1.1. Constitui objeto deste Pregão a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de manutenção e recuperação

Leia mais

ESTADO DO PARÁ M I N I S T É R I O P Ú B L I C O TERMO DE REFERÊNCIA - ANEXO I DO PREGÃO PRESENCIAL 011/2010-MP/PA.

ESTADO DO PARÁ M I N I S T É R I O P Ú B L I C O TERMO DE REFERÊNCIA - ANEXO I DO PREGÃO PRESENCIAL 011/2010-MP/PA. 1 TERMO DE REFERÊNCIA - ANEXO I DO PREGÃO PRESENCIAL 011/2010-MP/PA. 1. OBJETO Contratação de Empresa para Locação (MENSAL) de Veículos (Item 01) e Registro de Preços para Locação Eventual (DIÁRIAS) de

Leia mais

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental.

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. PROJETO BÁSICO Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do Projeto Recuperação das Casas destinadas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MODELO ABC DESIGN 3 TEC

MANUAL DE INSTRUÇÕES MODELO ABC DESIGN 3 TEC MANUAL DE INSTRUÇÕES MODELO ABC DESIGN 3 TEC Utilização 3 em 1 (sistema travel system) bebê conforto adaptável ao carrinho Altura regulável das alças para empurrar o carrinho 3 posições de regulagem de

Leia mais

Coordenadoria Geral de Licitações ATA PUBLICADA DOC 16/08/2007 PÁG. 63/64. Anexo I MEMORIAL DESCRITIVO

Coordenadoria Geral de Licitações ATA PUBLICADA DOC 16/08/2007 PÁG. 63/64. Anexo I MEMORIAL DESCRITIVO ATA UBLICADA DOC 16/08/2007 Á. 63/64 Anexo I EORIAL DESCRITIVO I DA DESCRIÇÃO DO OBJETO 1 O presente emorial presta-se a DESCRIÇÃO DE UNIFORES ARA O USO DE SERVIDORES JUNTO AS RAÇAS DE ATENDIENTO DAS SUBREFEITURAS,

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do produto: COLA PVA EXTRA FORMICA Nome da empresa: Formiline Indústria de Laminados Ltda. Endereço: Estrada Portão do Honda, 120 Rio Abaixo

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA FÁBRICAS DE CONSERVAS DE OVOS

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA FÁBRICAS DE CONSERVAS DE OVOS SECRETARIA DA AGRICULTURA E ABASTECIMENTO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL COORDENADORIA DE INSPEÇÃO SANITÁRIA DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL - C I S P O A - NORMAS TÉCNICAS

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA O SERVIÇO DE LIMPEZA HOSPITALAR

ORIENTAÇÃO PARA O SERVIÇO DE LIMPEZA HOSPITALAR ORIENTAÇÃO PARA O SERVIÇO DE LIMPEZA HOSPITALAR I- Introdução: A higiene e a ordem são elementos que concorrem decisivamente para a sensação de bem-estar, segurança e conforto dos profissionais, pacientes

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1 OBJETIVO 1.1 - Estabelecer diretrizes gerais para a contratação e execução de serviços continuados de limpeza, conservação e higienização, jardinagem e copeiragem, por meio

Leia mais

FICHA TÉCNICA DATA: 18-05-12 FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO

FICHA TÉCNICA DATA: 18-05-12 FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO 1 FICHA TÉCNICA FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO DATA: 18-05-12 DESCRIÇÃO: CAMISETA COM RECORTES LATERAIS, MANGA MEIA CAVA COM RECORTE NO CORPO DA CAMISETA, GOLA EM ESTILO MANDARIM COM ABERTURA EM ZÍPER E PUNHO

Leia mais

ANEXO IV DO PREGÃO N. 56/2011 TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO IV DO PREGÃO N. 56/2011 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO IV DO PREGÃO N. 56/2011 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO: prestação continuada de serviços de manutenção preventiva e corretiva das instalações hidrossanitárias dos prédios em uso ou que venham a ser

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 01. No depósito de uma cantina, que tipo de produtos não deve ser armazenado junto com alimentos? A) Cereais. B) Condimentos. C) Produtos de limpeza. D) Frutas e verduras. 02.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

Qualidade et ecnologia MANUAL DO USUÁRIO PRENSA DIGITAL A VAPOR ELETRÔNICA MODELO QPFB-16 WWW.SUNSPECIAL.COM.BR

Qualidade et ecnologia MANUAL DO USUÁRIO PRENSA DIGITAL A VAPOR ELETRÔNICA MODELO QPFB-16 WWW.SUNSPECIAL.COM.BR Qualidade et ecnologia MANUAL DO USUÁRIO PRENSA DIGITAL A VAPOR ELETRÔNICA MODELO QPFB-16 WWW.SUNSPECIAL.COM.BR Este produto foi projetado para dar ao seu vestuário um aspecto profissional, sem rugas e

Leia mais