OFICINA DE CONSERVAÇÃO DE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OFICINA DE CONSERVAÇÃO DE"

Transcrição

1 OFICINA DE CONSERVAÇÃO DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS Iuri Rocio Franco Rizzi Professor Assistente Curso de Biblioteconomia Universidade Federal de Alagoas Alfenas-MG 5 jun. 2013

2 PLANO DA OFICINA: Parte I: um pouco de teoria 1. Introdução 2. Conceitos e definições 3. Suportes: papel 4. Fatores de degradação do papel 5. Medidas de conservação de acervos bibliográficos Parte II: vamos à prática! 1. Higienização de documentos Encerramento 2

3 INTRODUÇÃO Biblioteconomia informação registrada (suporte) Paradigmas: Preservação X Acesso 3

4 PRESERVAÇÃO DE DOCUMENTOS: 1 Conservação preventiva 2 Pequenos reparos 3 Restauração Conservar ou restaurar? 4

5 PRESERVAÇÃO [...] elaboração das políticas que irão ser adotadas para gerir a Conservação (LUCCAS e SERIPIERRI, 1995, p. 9). Envolve todos os assuntos e ações que buscam minimizar a deterioração dos documentos. (THE BRITISH..., 2003, p. 9). 5

6 CONSERVAÇÃO Oferece subsídios para que o documento permaneça em condições físicas de utilização, levando-se em conta o controle climático, condições construtivas, limpeza, reparos. (LUCCAS e SERIPIERRI, 1995, p. 9). [...] Define-se como um conjunto de medidas específicas e preventivas necessárias para a manutenção da existência física do documento. (THE BRITISH..., 2003, p. 9). 6

7 RESTAURAÇÃO [...] compreende as medidas aplicadas para reparar os documentos já deteriorados ou danificados. (THE BRITISH..., 2003, p. 9). Restaurar é devolver ao documento características mais aproximadas do seu estado original. Requer a utilização de equipamentos adequados, infra-estrutura, laboratório e sobretudo especialistas. (LUCCAS e SERIPIERRI, 1995, p. 9). 7

8 SUPORTES E TIPOS DE INFORMAÇÃO Argila Papiro Madeira Papel Couro Metais Tecidos Fita K7, disco de vinil Filmes fotográficos e cinematográficos Mídias digitais Textos Imagens, figuras, ilustrações Gráficos Fotografias Músicas Filmes Obras de arte etc. 8

9 PAPEL Inventado na China, por volta de 105 d. C. Chega à Europa no século XII. Matéria-prima: algodão, juta, linho, talos de trigo e arroz; fibras vegetais ricas em celulose. No final do século XX, a principal substância usada na fabricação do papel é a celulose; tem aspecto branco e leitoso; insolúvel em água. Composição: fibras vegetais, carboidratos, amido e lignina (polímero orgânico de caráter ácido, que impregna as fibras da celulose e diminui a resistência do papel. (LUCCAS e SERIPIERRI, 1995, p. 16). 9

10 FATORES DE DEGRADAÇÃO DO PAPEL Há livreiros que, por questão de princípio, só vendem exemplares perfeitos. Quando compram um lote de livros escolhem osmelhoreserevendemosquejulgamindignosdesuaclientelaa um colega menos exigente. No Brasil, onde o comércio de livros raros é insignificante, nenhum livreiro pode selecionar com tanto rigor os livros que compra e vende. É obrigado, por falta de mercadorias, a ficar com muitos volumes em mau estado. Mas não ésomenteporestemotivoqueaseleçãoépoucorigorosa:éporque os livros, se não forem muito bem cuidados, estragam-se se com incrível rapidez neste clima nefasto aos livros. Os estragos são de proporções tais que um livro estrangeiro, importado há poucos anos e conservado sem cuidado, acaba fatalmente arruinado. Uma obraimpressanobrasil,noséculoxix,isentadefurosdebichoé coisa rara. (MORAES, 2005, p. 35, grifo meu). 10

11 FATORES DE DEGRADAÇÃO DO PAPEL Fatores intrínsecos: estão ligados diretamente aos elementos constituintes do papel: composição, tipo de fibra, de encolagem, resíduos químicos e partículas metálicas. Fatores extrínsecos: estão ligados diretamente a agentes físicos e biológicos: manuseio, radiação ultravioleta, temperatura, umidade, poluentes atmosféricos, microorganismos, insetos e roedores (LUCCAS e SERIPIERRI, 1995, p. 9). E mais os desastres naturais e acidentais. 11

12 FATORES INTRÍNSECOS Suporte Material utilizado Composição química Fabricação 12

13 FATORES INTRÍNSECOS A acidez é um dos maiores fatores de degradação do papel. Ela ataca o papel alterando suas características químicas e coloca em risco sua durabilidade. Dependendo do processo de fabricação, um papel pode conter maior ou menor concentração de ácidos em sua composição. Quanto menos ácida sua composição mais alcalino é o papel e, portanto, melhor sua qualidade. Deve-se levar em conta que, como os ácidos migram do papel de qualidade inferior para qualquer papel que esteja em contato direto torna-se importante separá-los daqueles de menor qualidade. 13

14 FATORES EXTRÍNSECOS Agentes mecânicos: Guarda inadequada Manuseio incorreto Desastres Agentes físicos: Luz Temperatura e umidade relativa Disposição arquitetônica 14

15 FATORES EXTRÍNSECOS Agentes químicos: Poluição ambiental Poeira Agentes biológicos Microorganismos: fungos e bactérias Insetos Roedores 15

16 FATORES EXTRÍNSECOS Manuseio: 16

17 CUIDADOS NO USO DOS LIVROS: Não colocar clips e demais objetos metálicos no livro; flores ou folhas de plantas; recortes de jornais ou papelão de baixa qualidade; Retirar e devolver às prateleiras corretamente; Não dobrar páginas ou fazer orelhas para marcar as páginas; Não debruçar-se em cima dos livros ou usá-lo como apoio; Evitar transportar o livro sem invólucro protetor. Usar pastas, bolsas ou mochilas que possam acomodá-los adequadamente; Não virar as páginas com os dedos umedecidos com saliva; Não usar fitas adesivas para consertos de qualquer tipo; Lavar as mãos ao folhear as obras; 17

18 AGENTES FÍSICOS: Condições climáticas ideais: Temperatura ideal para reservas técnicas sem circulação contínua de pessoas: 12 C. Em áreas de consulta: 18 C a 22 C. Umidade relativa do ar (UR): 40 a 50%. 18

19 CONDIÇÕES CLIMÁTICAS NO BRASIL: Em Alfenas-MG, hoje (CLIMATEMPO, 2013): Temperatura: mín. 14 C e máx. 23 C. UR: 66 a 100%. Nascer do sol: 06h36 Pôr do sol: 17h29 Índice UV: Muito Alto Em Maceió-AL, hoje (CLIMATEMPO, 2013): Temperatura: mín. 23 C e máx. 28 C. UR: 60 a 96%. Nascer do sol: 05h34 Pôr do sol: 17h09 Índice UV: Alto O importante é, então, buscar se aproximar do ideal, mas dentro das limitações de cada instituição. Variações via de regra devem ser evitadas. 19

20 AGENTES FÍSICOS. CONDIÇÕES CLIMÁTICAS: Controle de temperatura e umidade por meio de equipamentos e aparelhagem adequados. Não sendo possíveis, algumas medidas de conservação: Em regiões úmidas (litoral): Não abrir janelas em dias úmidos (acima da média). Não deixar no local do acervo guarda-chuvas, capas molhadas e plantas. Em regiões secas (sertão): Espalhar recipientes contendo plantas (inclusive aquáticas) Não abrir as janelas em dias mais secos do que a média. 20

21 AGENTES BIOLÓGICOS. INSETOS: 21

22 INSETOS: 22

23 INSETOS: 23

24 INSETOS: 24

25 INSETOS: Cupim: 25

26 MEDIDAS DE CONSERVAÇÃO: Limpeza constante dos ambientes da biblioteca. Não varrer ou aspirar o piso da biblioteca. Limpar diariamente com pano umedecido em água e desinfetante. Não consumir alimentos nos ambientes dos acervos. Inspecionar freqüentemente o acervo e separar imediatamente, para local adequado, os documentos com sinais de infestação de insetos. Fechar as aberturas e frestas dos assoalhos, portas, batentes e paredes. 26

27 MEDIDAS DE CONSERVAÇÃO: Vedar ralos e orifícios de escoamento de água. Realizar a dedetização do prédio, mas não aplicar os produtos químicos diretamente ou perto dos livros e documentos. Observar freqüentemente os móveis de madeira e de preferência optar por madeiras tratadas ou resistentes a insetos. Não deixar estes móveis encostados nas paredes ou próximos a janelas. Procurar revestir o solo no entorno da biblioteca, evitando principalmente chão de terra (sem cobertura vegetal). 27

28 MEDIDAS DE CONSERVAÇÃO: Usar cadarço sarjado para amarrar os livros que estiverem desmontando ou com folhas soltas, posicionando o nó no lado do corte. Havendo cobertura vegetal no entorno do prédio da biblioteca, procurar manter o corte do mato e a poda da vegetação. Examinar minuciosamente os livros recebidos por doação e higienizar os que serão inseridos no acervo da biblioteca. Armazenar livros grandes ou volumosos horizontalmente e não empilhar mais do que 2 itens. 28

29 MEDIDAS DE CONSERVAÇÃO: Usar bibliocantos para amparar os volumes nas prateleiras. Não usar pisos em carpete. Evitar mobiliário em madeira. Por último e o mais importante: a medida de conservação mais eficiente é o uso! Claro, o uso correto dos acervos bibliográficos! 29

30 FATORES EXTRÍNSECOS: Desastres naturais e acidentais: Incêndios. Inundações. [Terremotos ou] deslizamento de terras. Medida preventiva: Plano de Gerenciamento de Riscos. Outros fatores de risco para os acervos: Furtos e roubos. Medida preventiva: conscientização dos usuários; Política de educação de usuários e exposição de danos causados aos documentos pelos próprios usuários. Sistema de segurança anti-furto. 30

31 HIGIENIZAÇÃO E CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS

32 HIGIENIZAÇÃO E CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS A higienização é uma das tarefas mais importantes para a preservação dos acervos bibliográficos! 32

33 PARTES DO LIVRO: 33

34 PARTES DO LIVRO: 34

35 HIGIENIZAÇÃO E CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS Os livros devem ser mantidos limpos, isto aumenta significativamente sua vida útil. A organização de um projeto de limpeza e os procedimentos a serem adotados com os livros e prateleiras varia de acordo com diversos fatores, dentre eles: Condições físicas dos livros. Quantidade e tipo de impurezas a serem removidas. Natureza do livro: valor informativo, histórico, artístico, raro e outros. Alcance da limpeza: determinada área ou coleção ou toda a biblioteca; tempo, prazo. Recursos humanos e materiais e estrutura física. 35

36 HIGIENIZAÇÃO E CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS Seqüência: Retirar livro cuidadosamente o livro da estante; Retirar papeis e objetos dos livros; Higienizar os livros; Limpar a estante; Devolver nas prateleiras. Importante: Treinamento e orientação da equipe. 36

37 HIGIENIZAÇÃO E CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE ACERVOS BIBLIOGRÁFICOS Cuidados com a limpeza de livros e prateleiras: Manter os pisos dos locais de armazenagem limpos. Aspirar e não varrer, quando possível. Nunca usar espanadores. Ao limpar os livros, é importante segurá-los firmemente fechados para evitar que a sujeira deslize para dentro, por entre as folhas. A parte superior deve ser limpa primeira. Os panos de limpeza devem ser trocados freqüentemente, e aqueles utilizados nas prateleiras nunca devem ser utilizados em livros. 37

38 REFERÊNCIAS E FONTES CONSULTADAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENCADERNAÇÃO E RESTAURO. ABER. Disponível em: <http://www.aber.org.br/>. Acesso em: 5 out CASSARES, Norma; TANAKA, Ana Paula (org.). Preservação de acervos bibliográficos: homenagem a Guita Mindlin. São Paulo: ABER, p. CLIMATEMPO. Previsão do tempo para Maceió - AL. Disponível em: <http://www.climatempo.com.br/previsao-do-tempo/>. Acesso em: 29 maio COSTA, Marilene Fragas. Noções básicas de conservação preventiva de documentos.. [Rio de Janeiro?]: FIOCRUZ, p. Disponível em: <http://www.bibmanguinhos.cict.fiocruz.br/normasconservacao.pdf>. Acesso em: 29 abr LUCCAS, Lucy; SERIPIERRI, Dione. Conservar para não restaurar: uma proposta para preservação de documentos em bibliotecas. Brasília: Thesaurus, p. MORAES, Rubens Borba de. O bibliófilo aprendiz : prosa de um velho colecionador para ser lida por quem gosta de livros ed. Brasília: Briquet de Lemos; Rio de Janeiro: Casa da Palavra, p. THE BRITISH LIBRARY NATIONAL PRESERVATION OFFICE. Preservação de documentos: métodos e práticas de salvaguarda. Apresentação de Robert Howes. Tradução de Zeny Duarte. 2. ed. Salvador : EDUFBA, p. 38

39 Grato pela atenção! 39

PRESERVAÇÃO PAPEL: Introdução

PRESERVAÇÃO PAPEL: Introdução PRESERVAÇÃO PAPEL: Introdução 94% da informação escrita pelo Homem está em papel. Principal motivo para a má qualidade do papel, foi a introdução de produtos químicos para branquear e aumentar a produção.

Leia mais

A Biblioteca de História e Sabores higienização e conservação do acervo de Carlos Lima e Zelinda Lima

A Biblioteca de História e Sabores higienização e conservação do acervo de Carlos Lima e Zelinda Lima Temática 3: Políticas de Informação, Multiculturalidade e Identidade Cultural A Biblioteca de História e Sabores higienização e conservação do acervo de Carlos Lima e Zelinda Lima Carlos Wellington Martins

Leia mais

Preservação Documental

Preservação Documental Preservação Documental O acesso e a preservação são duas funções vitais dos Centros de Documentação, mas muitas vezes são antagônicas. A primeira, entendida aqui como a possibilidade de consulta, como

Leia mais

BIOSSEGURANÇA EM BIBLIOTECA: GARANTIA DE SAÚDE E SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO

BIOSSEGURANÇA EM BIBLIOTECA: GARANTIA DE SAÚDE E SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO XIV ENCONTRO DE BIBLIOTECÁRIOS DA JUSTIÇA DO TRABALHO BIOSSEGURANÇA EM BIBLIOTECA: GARANTIA DE SAÚDE E SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO Eduardo Maciel Engenheiro de Segurança do Trabalho Assessor e Consultor

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Curso de Arquivologia Disciplina: Conservação e Restauração de Documentos Profa. Lillian Alvares Conservação de Acervos Documentais

Leia mais

GESTÃO DE DOCUMENTOS: ASPECTOS LEGAIS E PRÁTICOS GESTÃO DE ARQUIVOS HOSPITALARES REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS PARA DOCUMENTOS ARQUIVISTICOS

GESTÃO DE DOCUMENTOS: ASPECTOS LEGAIS E PRÁTICOS GESTÃO DE ARQUIVOS HOSPITALARES REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS PARA DOCUMENTOS ARQUIVISTICOS GESTÃO DE DOCUMENTOS: ASPECTOS LEGAIS E PRÁTICOS GESTÃO DE ARQUIVOS HOSPITALARES INTRODUÇÃO AO MODELO DE REQUISITOS PARA SISTEMAS INFORMATIZADOS DE GESTÃO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS E-ARQ BRASIL REPOSITÓRIOS

Leia mais

PLANEJAMENTO DA PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE ACERVO: O CASO DA BIBLIOTECA DAS FACULDADES DE NUTRIÇÃO E ODONTOLOGIA DA UFF

PLANEJAMENTO DA PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE ACERVO: O CASO DA BIBLIOTECA DAS FACULDADES DE NUTRIÇÃO E ODONTOLOGIA DA UFF PLANEJAMENTO DA PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE ACERVO: O CASO DA BIBLIOTECA DAS FACULDADES DE NUTRIÇÃO E ODONTOLOGIA DA UFF Ana Rosa dos Santos Anderclébio de Lima Macedo RESUMO Relata a experiência da Biblioteca

Leia mais

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA MOGIANA Gestão de riscos

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA MOGIANA Gestão de riscos CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA MOGIANA Gestão de riscos Setembro de 2011: os grupos CID e Física relizaram o curso de gerenciamento de riscos A formulação de um programa eficaz de preservação documental

Leia mais

Questão 2: O principal fato histórico que modifica o conhecimento do ser humano é:

Questão 2: O principal fato histórico que modifica o conhecimento do ser humano é: Questão 1: Cesare Brandi, no livro intitulado Teoria da Restauração, afirma que: a) em geral, entende-se por restauração qualquer intervenção voltada a dar novamente eficiência a um produto da atividade

Leia mais

a) Apresentam sugestões de obras de interesse para sua formação ou desenvolvimento profissional.

a) Apresentam sugestões de obras de interesse para sua formação ou desenvolvimento profissional. POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ACERVO PFDA DA BIBLIOTECA DO INSTITUO J. ANDRADE 1. Objetivo Para que o acervo da biblioteca esteja em conformidade com as necessidades e os objetivos da Instituição

Leia mais

Contêineres rígidos para esterilização

Contêineres rígidos para esterilização Por Silvia Baffi 1. Introdução Contêineres rígidos para esterilização Contêineres são recipientes rígidos e reutilizáveis para a esterilização. São compostos por diferentes dispositivos que podem ser denominados

Leia mais

Biblioteca Pública Regional da Madeira MANUAL DE PRESERVAÇÃO DE DOCUMENTOS

Biblioteca Pública Regional da Madeira MANUAL DE PRESERVAÇÃO DE DOCUMENTOS Biblioteca Pública Regional da Madeira MANUAL DE PRESERVAÇÃO DE DOCUMENTOS Índice Índice 2 Introdução 2 Arrumação das estantes 3 Arrumação dos livros nos carrinhos 6 Manuseamento 7 Transporte 9 Fotocópia

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA sca.com.br Parabéns! Agora, a mudança faz parte da sua vida. Neste manual, você encontrará as principais informações para garantir que seu mobiliário S.C.A.

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE DOCUMENTOS

NOÇÕES BÁSICAS DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE DOCUMENTOS Centro de Informação Científica e Tecnológica Biblioteca de Manguinhos Laboratório de Conservação Preventiva de Documentos NOÇÕES BÁSICAS DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE DOCUMENTOS Marilene Fragas Costa Tel.

Leia mais

DIRETRIZES PARA PRESERVAÇÃO DOS DOCUMENTOS DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA MAESTRO GUERRA-PEIXE

DIRETRIZES PARA PRESERVAÇÃO DOS DOCUMENTOS DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA MAESTRO GUERRA-PEIXE DIRETRIZES PARA PRESERVAÇÃO DOS DOCUMENTOS DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA MAESTRO GUERRA-PEIXE AGOSTO DE 2014 Sumário Apresentação... 3 Conservação preventiva... 3 Fatores que contribuem para a deterioração...

Leia mais

Noções Básicas de Conservação de Livros e Documentos

Noções Básicas de Conservação de Livros e Documentos Noções Básicas de Conservação de Livros e Documentos Maria Aparecida de Vries Mársico Introdução: a ordem dos fatores altera o produto Imagine a situação: documentos rasgados, amassados e manchados, livros

Leia mais

Acondicionamento e guarda de documentos de arquivo

Acondicionamento e guarda de documentos de arquivo DOSSIÊ DOSIER Acondicionamento e guarda de documentos de arquivo Emiliana Brandão e Lúcia Regina Saramago Peralta 1 Introdução A atividade de preservação do patrimônio documental da Administração Pública

Leia mais

Dicas de conservação e limpeza

Dicas de conservação e limpeza Dicas de conservação e limpeza No uso diário de seus armários, alguns cuidados devem ser tomados a fim de prolongar a vida útil do produto. Água Tome cuidado particular em torno da pia, do forno e dos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES ASPIRADOR DE PÓ 800 W COM CABO TELESCÓPICO Equipamento somente para uso doméstico. Obrigado por escolher um produto com a marca Tramontina. Por favor, leia o Manual de Instruções por

Leia mais

ACERVOS RAROS E ESPECIAIS NO COLÉGIO PEDRO II: diagnóstico, tratamento e preservação de suas coleções

ACERVOS RAROS E ESPECIAIS NO COLÉGIO PEDRO II: diagnóstico, tratamento e preservação de suas coleções ACERVOS RAROS E ESPECIAIS NO COLÉGIO PEDRO II: diagnóstico, tratamento e preservação de suas coleções Tatyana Marques de Macedo Cardoso Mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA LIMPEZA

INSTRUÇÕES PARA LIMPEZA Geral Os forros minerais Knauf AMF têm diversas opções de acabamento. Cada acabamento requer um método de limpeza. Normalmente, a aplicação padrão de painéis para forro não exige limpeza, porém algumas

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO do piso maciço estruturado de madeira

MANUAL DE INSTALAÇÃO do piso maciço estruturado de madeira MANUAL DE INSTALAÇÃO do piso maciço estruturado de madeira Produto O piso maciço estruturado de madeira SCANDIAN WOOD FLOORS é produzido com a mais moderna tecnologia, fabricado para atender os mais altos

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Curso de Arquivologia Disciplina: Conservação e Restauração de Documentos Prof. Lillian Alvares Conservação e Preservação de

Leia mais

Garantia do Produto ML Magalhães

Garantia do Produto ML Magalhães Garantia do Produto ML Magalhães (Segundo o código de defesa do consumidor) Seja bem-vindo! Estamos orgulhosos pela sua opção por nossos produtos. Com sua escolha, você passou a fazer parte de um grupo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MADEIRA LATERAL. ø3,5m MADEIRA LATERAL - WUPA - 09/09/2015-1/11 - REV.0

MANUAL DE INSTRUÇÕES MADEIRA LATERAL. ø3,5m MADEIRA LATERAL - WUPA - 09/09/2015-1/11 - REV.0 MANUAL DE INSTRUÇÕES MADEIRA LATERAL ø3,5m MADEIRA LATERAL - WUPA - 09/09/2015-1/11 - REV.0 - Os ombrellones devem ser fechados e recolhidos em caso de vento forte ou tempestade, bem como em presença de

Leia mais

11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES

11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES 11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES ELIMINAÇÃO DE PROBLEMAS ASPIRADOR NÃO LIGA Verificar se a

Leia mais

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto MANUAL TÉCNICO Kit Porta Pronto Carga e Descarga Os produtos são carregados na empresa e preparados de modo a assegurar sua proteção. Durante o transporte até o cliente é imprescindível que sejam mantidas

Leia mais

ENDURIT PISO AN Manual de Orientação para Manutenção Preventiva e Corretiva

ENDURIT PISO AN Manual de Orientação para Manutenção Preventiva e Corretiva ENDURIT PISO AN Manual de Orientação para Manutenção Preventiva e Corretiva Prefácio O sistema de revestimento da linha ENDURIT, foi desenvolvido com a mais nobre linha de resinas uretanas, levando assim

Leia mais

Obrigado por ter adquirido os nossos produtos.

Obrigado por ter adquirido os nossos produtos. Obrigado por ter adquirido os nossos produtos. A Lavore Móveis segue um rigoroso controle de qualidade com o objetivo de garantir a total satisfação dos nossos clientes. Para conservação do mobiliário

Leia mais

ENDURIT PISO ARG Manual de Orientação para Manutenção Preventiva e Corretiva

ENDURIT PISO ARG Manual de Orientação para Manutenção Preventiva e Corretiva ENDURIT PISO ARG Manual de Orientação para Manutenção Preventiva e Corretiva Prefácio O sistema de revestimento da linha ENDURIT foi desenvolvido com a mais nobre linha de resinas uretanas, levando assim

Leia mais

Manual do Proprietário

Manual do Proprietário Manual do Proprietário Produtos A Salapronta possui uma rigorosa seleção de seus móveis, começando pela qualidade de madeiras maciças, placas de madeira, laminados e outros acessórios. Escolhendo sempre

Leia mais

1. Conceito Arquivo Biblioteca- Museu

1. Conceito Arquivo Biblioteca- Museu Arquivo 1. Conceito Arquivo é o conjunto de documentos oficialmente produzido e recebido por um governo, organização ou firma, no decorrer de suas atividades, arquivados e conservador por si e seus sucessores

Leia mais

Como nosso acervo tem o papel como suporte principal, precisávamos saber os fatores de degradação d desse material.

Como nosso acervo tem o papel como suporte principal, precisávamos saber os fatores de degradação d desse material. Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Curso de Arquivologia Disciplina: Conservação e Restauração de Documentos Profa. Lillian Alvares Conservação de Acervos Documentais

Leia mais

ORIENTTAÇÕES BÁSICAS SOBRE GESTÃO DE ARQUIVOS DE ORGANIZAÇÕES MILITARES

ORIENTTAÇÕES BÁSICAS SOBRE GESTÃO DE ARQUIVOS DE ORGANIZAÇÕES MILITARES ORI IENTAÇÕES BÁSICAS SOBRE GESTÃO DE ARQ QUIVOS DE ORGANIZAÇÕES MILITARES ÍNDICE 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 2. INSTRUÇÕES E REGULAMENTOS 3. MISSÕES DOS ARQUIVOS DAS OM (CORRENTE E GERAL) 4. FINALIDADES

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

Questão 3: Assinale os serviços de atendimento ao público que se concentram no fornecimento de informações e orientações.

Questão 3: Assinale os serviços de atendimento ao público que se concentram no fornecimento de informações e orientações. Questão 1: Marque o catálogo considerado auxiliar. a) Autor. b) Biobibliográfico. c) Título. d) Dicionário. e) Assunto. Questão 2: A ficha que relaciona as entradas (autor, assunto e título) não utilizadas

Leia mais

MANUTENÇÃO RECOMENDAÇÕES E PROCEDIMENTOS LVT resiliente comercial

MANUTENÇÃO RECOMENDAÇÕES E PROCEDIMENTOS LVT resiliente comercial MANUTENÇÃO RECOMENDAÇÕES E PROCEDIMENTOS LVT resiliente comercial Vinil sólido de luxo NATURAL CREATIONS Easy Trópico Elements NATURAL CREATIONS são revestimentos fabricados com um acabamento protetor

Leia mais

Monitoramento de Conservação

Monitoramento de Conservação TÓPICOS DE GERENCIAMENTO DE COLEÇÕES BIBLIOGRÁFICAS ESPECIAIS Monitoramento de Conservação Ministrantes: Prof. Ms. Fabiano Cataldo de Azevedo Universidade do Estado do Rio de Janeiro Diná Araújo Universidade

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE LIMPEZA DE SOFÁ

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE LIMPEZA DE SOFÁ APÓS SER FEITA A HIGIENIZAÇÃO DO ESTOFADO ELA SERÁ VÁLIDA POR QUANTO TEMPO? Depende. O recomendado é ser efetuada a cada 6 meses, mas se animais e crianças utilizam muito os estofados esse prazo precisa

Leia mais

Colocação de material

Colocação de material Colocação de material Este capítulo inclui: Material suportado na página 2-2 Carregando material na bandeja 1 na página 2-8 Colocação de material na bandeja 2, 3 ou 4 na página 2-14 Copyright 2005 Xerox

Leia mais

Para ajuste de posição vertical da superfície e do tampo monitor utilizar as manivelas, observando o sentido correto de rotação.

Para ajuste de posição vertical da superfície e do tampo monitor utilizar as manivelas, observando o sentido correto de rotação. Manual do Produto Parabéns, Você acaba de adquirir um móvel RAVAD! Os móveis da RAVAD são especialmente projetados, desenvolvidos e montados a partir do resultado de pesquisas das tendências nacionais

Leia mais

DICAS ANTES DA COMPRA

DICAS ANTES DA COMPRA DICAS ANTES DA COMPRA Madeira: É um material natural e variações são consideradas normais, nuances e veios existentes nos pisos são próprios da madeira; imperfeições naturais, nós e variações nas tonalidades

Leia mais

Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas

Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas Produto/variações Devido ao processo de fabricação e aplicação de gel envelhecedor, os revestimentos cimentícios, podem apresentar pequenas variações

Leia mais

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE MÓVEIS

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE MÓVEIS MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE MÓVEIS CONSERVANDO SEU MÓVEL WORK SOLUTION Seguindo as recomendações abaixo você manterá a funcionalidade e beleza do seu produto Work Solution por muito mais tempo. Por favor

Leia mais

- Cilindro Pneumático ISO

- Cilindro Pneumático ISO de Instalação, Operação e Manutenção Janeiro 2000 - ISO Série P1E (Tubo Perfilado) 32 a 100 mm Índice Introdução... 1 Características Técnicas... 1 Características Construtivas... 1 Instalação... 2 Manutenção...

Leia mais

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Mancal é um suporte de apoio de eixos e rolamentos que são elementos girantes de máquinas. Os mancais classificam-se em duas categorias: mancais de deslizamento mancais

Leia mais

KIT Porta IPUMIRIM. Manual técnico e instruções de instalação

KIT Porta IPUMIRIM. Manual técnico e instruções de instalação Manual técnico e instruções de instalação KIT Porta IPUMIRIM Este manual de instalação do Kit Faqueadas Ipumirim vai auxiliar e orientar construtores e consumidores com as informações necessárias com relação

Leia mais

Ficha Técnica de Produto Rejunta Já! Acrílico Código: RJA001 e RJA101

Ficha Técnica de Produto Rejunta Já! Acrílico Código: RJA001 e RJA101 1. Descrição: O é mais uma solução inovadora, que apresenta praticidade e agilidade para o rejuntamento de pisos, azulejos, pastilhas, porcelanatos em áreas internas, externas, molháveis, molhadas. O principal

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO SUL DO ESTADO DE ALAGOAS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO SUL DO ESTADO DE ALAGOAS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Este POP tem como objetivo fixar procedimentos para assegurar o correto recebimento de medicamentos, tanto em quantidade quanto em qualidade dos medicamentos. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO TÍTULO: Recebimento

Leia mais

Persianas Horizontais

Persianas Horizontais Persianas Horizontais PHA /mm PHM 0mm acionamento Monocontrole Omnirise PHA 0mm Os acionamentos monocontrole e Ominirise estão disponíveis para PHA, PHA 0 e PHM 0mm Descrição do Produto.... trilho superior

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES As chapas de policarbonato alveolares, possuem em um dos lados, tratamento contra o ataque dos raios ultravioletas,

Leia mais

0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 7h às 20h. Sábado, das 07h às 13h.

0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 7h às 20h. Sábado, das 07h às 13h. 1 ANO DE GARANTIA Manual de Instruções BE-01 SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR L I G U E G R Á T I S 0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 7h às 20h. Sábado, das 07h às 13h. M.K. Eletrodomésticos Mondial

Leia mais

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Os discos de corte e desbaste são produzidos e controlados com rigor, sendo submetidos a testes internos que objetivam a reprodução da qualidade lote

Leia mais

Manual de Instalação Project - PVC

Manual de Instalação Project - PVC Manual de Instalação Project - PVC Este manual tem como objetivo o auxiliar na maneira correta de armazenamento, instalação e manutenção para que possa garantir a qualidade máxima da aplicação e prolongar

Leia mais

LEXOL ph - Limpeza Segura e Fácil para Artigos em Couro, Banco de Carro, Selaria, Botas, Malas, Sapatos e Móveis Estofados - Contém 500 ml.

LEXOL ph - Limpeza Segura e Fácil para Artigos em Couro, Banco de Carro, Selaria, Botas, Malas, Sapatos e Móveis Estofados - Contém 500 ml. LEXOL ph - Limpeza Segura e Fácil para Artigos em Couro, Banco de Carro, Selaria, Botas, Malas, Sapatos e Móveis Estofados - Contém 500 ml. O Limpador Lexol-pH é ideal para todos os cuidados necessários

Leia mais

Inovação em cada detalhe. Manual de conservação e garantia

Inovação em cada detalhe. Manual de conservação e garantia Inovação em cada detalhe Manual de conservação e garantia Índice I Limpeza e conservação das portas e painéis...3 II Limpeza e conservação dos interiores dos armários e nichos...4 III Normas para limpeza

Leia mais

CONSERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS: PONTAPÉ INICIAL

CONSERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS: PONTAPÉ INICIAL PRESERVE SEU ACERVO CONSERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS: PONTAPÉ INICIAL Sabe aquelas fotos, textos, recortes de jornal, roupas, flâmulas e outros objetos que guardamos em casa, na sede do clube, no comércio

Leia mais

ORIGAMI Manual de conservação

ORIGAMI Manual de conservação R e s p e i t a r o s l i m i t e s d e p e s o. T r a n s p o r t a r c o m c u i d a d o. TECIDO S LIMPE SEMANALMENTE A POEIRA DEPOSITADA SOBRE O TECIDO COM UM ASPIRADOR DE PÓ E REALIZE UMA ESCOVAÇÃO

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS Ao falar de prevenção de acidentes domésticos fazemos um diferencial quanto aos acidentes no lar. Aqui vamos falar de acidentes que ocorrem ao realizar trabalhos domésticos

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.: Lillian Alvares Aspectos Gerais O uso da tecnologia digital traz grandes perspectivas de trabalho para os arquivos

Leia mais

MANUAL DE USO, CONSERVAÇÃO E GARANTIA DO PRODUTO

MANUAL DE USO, CONSERVAÇÃO E GARANTIA DO PRODUTO MANUAL DE USO, CONSERVAÇÃO E GARANTIA DO PRODUTO GARANTIA QUALIDADE No Manual de Uso, Conservação e Garantia do Produto você vai encontrar dicas e informações importantes para conservação dos produtos

Leia mais

GRILL FAMÍLIA MULTI FUN KITCHEN

GRILL FAMÍLIA MULTI FUN KITCHEN GRILL FAMÍLIA MULTI FUN KITCHEN MANUAL DE INSTRUÇÕES Leia com atenção e guarde este manual Este equipamento é destinado exclusivamente ao uso doméstico Modelo SP-10 GRILL FAMÍLIA MULTI FUN KITCHEN Parabéns,

Leia mais

Inovação em cada detalhe. Manual de conservação e garantia

Inovação em cada detalhe. Manual de conservação e garantia Inovação em cada detalhe Manual de conservação e garantia Índice I Limpeza e conservação das portas e painéis...3 II Limpeza e conservação dos interiores dos armários e nichos...4 III Observações para

Leia mais

CONHEÇA O AÇO INOX E SUAS PARTICULARIDADES

CONHEÇA O AÇO INOX E SUAS PARTICULARIDADES CONHEÇA O AÇO INOX E SUAS PARTICULARIDADES Os produtos SODRAMAR em Aço Inox são fabricados utilizando matéria prima com alto padrão de qualidade, e como tal merecem cuidados. Preocupados em manter a beleza

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 POR FAVOR, LEIA ESTE MANUAL ATENTAMENTE ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO Você acabou de adquirir um produto ETERNY, da mais alta qualidade. Agradecemos a sua

Leia mais

PRESENTE NOS EDIFÍCIOS. Parabéns!

PRESENTE NOS EDIFÍCIOS. Parabéns! ANOS PRESENTE NOS EDIFÍCIOS + INTELIGENTES E MODERNOS Parabéns! Você acaba de adquirir um produto de alto padrão, elaborado com matéria-prima de excelente qualidade, tecnologia avançada e design exclusivo.

Leia mais

VESTIMENTAS ANTICHAMA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE LAVAGEM E CONSERVAÇÃO. www.guardiandx.com.br

VESTIMENTAS ANTICHAMA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE LAVAGEM E CONSERVAÇÃO. www.guardiandx.com.br VESTIMENTAS ANTICHAMA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE LAVAGEM E CONSERVAÇÃO www.guardiandx.com.br ÍNDICE INTRODUÇÃO...03 MEDIDAS DE SEGURANÇA...03 INSPEÇÃO...03 RASTREABILIDADE E ETIQUETA...04 INSTRUÇÕES DE LAVAGEM

Leia mais

DL-2000. Manual de Operação. www.dlock.com.br

DL-2000. Manual de Operação. www.dlock.com.br DL-2000 Manual de Operação Agradecemos por ter adquirido este produto Leia o manual por completo antes de utilizar o produto Guarde este manual para futuras referências www.dlock.com.br Nota: 1. Mantenha

Leia mais

Política de Desenvolvimento de Coleção

Política de Desenvolvimento de Coleção Política de Desenvolvimento de Coleção 1 Política de Desenvolvimento de Coleção É o conjunto de atividades que determina a conveniência de se adquirir, manter ou descartar materiais bibliográficos e não

Leia mais

Tamara Schenkel O MANUSEIO ADEQUADO DE LIVROS POR CRIANÇAS COMO AGENTES DE PRESERVAÇÃO DOCUMENTAL

Tamara Schenkel O MANUSEIO ADEQUADO DE LIVROS POR CRIANÇAS COMO AGENTES DE PRESERVAÇÃO DOCUMENTAL Tamara Schenkel O MANUSEIO ADEQUADO DE LIVROS POR CRIANÇAS COMO AGENTES DE PRESERVAÇÃO DOCUMENTAL Porto Alegre 2004 Tamara Schenkel O MANUSEIO ADEQUADO DE LIVROS POR CRIANÇAS COMO AGENTES DE PRESERVAÇÃO

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS. Aplique revestimento liso e impermeável em piso, paredes e teto;

ORIENTAÇÕES GERAIS. Aplique revestimento liso e impermeável em piso, paredes e teto; PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE MACEIÓ DIRETORIA DE VIGILÂNCIA À SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE VIGILÄNCIA SANITÁRIA INSPETORIA DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL ORIENTAÇÕES GERAIS

Leia mais

A segurança de se sentir bem.

A segurança de se sentir bem. Catálogo de Cores Wetroom A segurança de se sentir bem. Crédito Equipotel 2010 - Arquiteta Jorgina Nello Eclipse Aquasafe (cor 036), Aquarelle Wall HFS (cor 025) Recomendado para os segmentos: SAÚDE Hotelaria

Leia mais

Mudança. manual de montagem. Estante Divisória. ferramenta chave philips. tempo 1 hora e 30 minutos. tempo 1 hora. montagem 2 pessoas

Mudança. manual de montagem. Estante Divisória. ferramenta chave philips. tempo 1 hora e 30 minutos. tempo 1 hora. montagem 2 pessoas manual de montagem montagem 2 pessoas ferramenta martelo de borracha Mudança Estante Divisória ferramenta chave philips tempo 1 hora e 30 minutos ferramenta parafusadeira tempo 1 hora DICAS DE CONSER VAÇÃO

Leia mais

Competências Técnicas

Competências Técnicas Missão Atender bem os clientes, com bons produtos, da maneira mais rápida possível, sempre com muita atenção, com os menores preços possíveis, em um local agradável e limpo. Competências Técnicas Formar

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850 DEKEL MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE

Leia mais

ADVERTÊNCIA: Instruções gerais de segurança

ADVERTÊNCIA: Instruções gerais de segurança ADVERTÊNCIA: Instruções gerais de segurança Consulte as instruções de segurança a seguir para ajudar a garantir a sua segurança pessoal e para ajudar a proteger o seu equipamento e ambiente de trabalho

Leia mais

Aspirador de pó ASP 1000

Aspirador de pó ASP 1000 ELIMINAÇÃO DE PROBLEMAS ASPIRADOR NÃO LIGA Verificar se a tomada está energizada ou o plugue (16) está encaixado corretamente FALTA OU DIMINUIÇÃO DE SUCÇÃO Acessórios (mangueira e tubos) podem estar obstruídos.

Leia mais

VESTIMENTAS ANTICHAMA

VESTIMENTAS ANTICHAMA VESTIMENTAS ANTICHAMA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE LAVAGEM E CONSERVAÇÃO Doméstica e Industrial w w w. i d e a l w o r k. c o m. b r Vestimentas Antichama - Lavagem e Conservação ÍNDICE INTRODUÇÃO...03 MEDIDAS

Leia mais

MANUAL DO C L I E N T E

MANUAL DO C L I E N T E MANUAL DO C L I E N T E 1 Recebendo o revestimento na obra 1.1 Comparar a nota fiscal com o pedido SUMÁRIO 2 3 4 5 Manuseio e armazenamento 2.1 2.2 Ter cuidado no manuseio Empilhamento dos revestimentos

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA REIKI

MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA REIKI MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA REIKI ÍNDICE 03 - Apresentação do Sistema REIKI de Envidraçamento Panorâmico 04 - O alumínio e suas aplicações 05 - O vidro e suas aplicações 06

Leia mais

Qualidade et ecnologia MANUAL DO USUÁRIO PRENSA DIGITAL A VAPOR ELETRÔNICA MODELO QPFB-16 WWW.SUNSPECIAL.COM.BR

Qualidade et ecnologia MANUAL DO USUÁRIO PRENSA DIGITAL A VAPOR ELETRÔNICA MODELO QPFB-16 WWW.SUNSPECIAL.COM.BR Qualidade et ecnologia MANUAL DO USUÁRIO PRENSA DIGITAL A VAPOR ELETRÔNICA MODELO QPFB-16 WWW.SUNSPECIAL.COM.BR Este produto foi projetado para dar ao seu vestuário um aspecto profissional, sem rugas e

Leia mais

Exposição módulo PISO CENO

Exposição módulo PISO CENO Exposição módulo PISO CENO DESCRITIVO DO CADERNO DE DESENHO 01 Página1 PISO CENO DESCRITIVO DE PROJETO para Exposição Inaugural sobre Miçangas e Adornos Indígenas OUTUBRO. 2013 MUSEU DO ÍNDIO - Fundação

Leia mais

EXECUÇÃO DA ESTRUTURA DE CONCRETO Resumo dos requisitos de atendimento à NBR 15575/ 14931 Execução de estruturas de concreto

EXECUÇÃO DA ESTRUTURA DE CONCRETO Resumo dos requisitos de atendimento à NBR 15575/ 14931 Execução de estruturas de concreto EXECUÇÃO DA ESTRUTURA DE CONCRETO Resumo dos requisitos de atendimento à NBR 15575/ 14931 Execução de estruturas de concreto Item a ser atendido Exigência de norma Conforme / Não Conforme Área Impacto

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD MODELO DK-960D

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD MODELO DK-960D DEKEL MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD MODELO DK-960D Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

Manuseio de Compressor

Manuseio de Compressor Manuseio de Compressor Índice Item... Página 1 - Introdução... 02 2 - Remover o palete... 03 3 - Deslocar o palete... 04 4 - Erguer o palete... 05 5 - Movimentar o palete... 06 6 - Empilhar o palete...

Leia mais

A conservação compreende os cuidados prestados: - aos documentos, - ao local e - sua guarda. Preservação e Conservação Arquivologia

A conservação compreende os cuidados prestados: - aos documentos, - ao local e - sua guarda. Preservação e Conservação Arquivologia Preservação e Conservação Arquivologia A conservação compreende os cuidados prestados: - aos documentos, - ao local e - sua guarda. 1 2 Premissas básicas: 1. Local elevado 2. Mínimo de umidade 3. Área

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MEDIDOR DE ULTRA-VIOLETA MODELO UV-400

MANUAL DE INSTRUÇÕES MEDIDOR DE ULTRA-VIOLETA MODELO UV-400 MANUAL DE INSTRUÇÕES MEDIDOR DE ULTRA-VIOLETA MODELO UV-400 Leia cuidadosamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do medidor ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

Telhas Coloniais. Termo de Garantia Manual de Instalação. Telhas Coloniais. estilo do tamanho do seu bom gosto. estilo do tamanho do seu bom gosto

Telhas Coloniais. Termo de Garantia Manual de Instalação. Telhas Coloniais. estilo do tamanho do seu bom gosto. estilo do tamanho do seu bom gosto Telhas Coloniais Termo de Garantia Manual de Instalação Manual de instalação... 1 Termo de Garantia Prezado Cliente: Parabéns por ter adquirido um produto de qualidade Maristela! Este produto possui garantia

Leia mais

TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA

TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA TORVEL EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA. PENSE EM SEGURANÇA Manual Sobre Segurança e Utilização de equipamentos Hidráulicos de Alta Pressão. Página 1 de 24 DE TORVEL PARA VOCÊ... EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS

Leia mais

Como funciona seu produto. Refrigerador CRA30. 1 - Porta do Congelador 2 - Congelador 3

Como funciona seu produto. Refrigerador CRA30. 1 - Porta do Congelador 2 - Congelador 3 Como funciona seu produto Comece por aqui. Se você quer tirar o máximo proveito da tecnologia contida neste produto, leia o Guia Rápido por completo. Refrigerador CRA30 1 Características Gerais 1 1 - Porta

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. Termômetro para Alimentos Digital Modelo TM55. Introdução. Características

GUIA DO USUÁRIO. Termômetro para Alimentos Digital Modelo TM55. Introdução. Características GUIA DO USUÁRIO Termômetro para Alimentos Digital Modelo TM55 Introdução Obrigada por escolher o Modelo TM55 da Extech Instruments. O TM55 é certificado NFS para a medição da temperatura de líquidos, massas

Leia mais

Ficha Técnica de Produto Biomassa Piso e Azulejo Rápido Código: APR001

Ficha Técnica de Produto Biomassa Piso e Azulejo Rápido Código: APR001 1. Descrição: A é mais uma argamassa inovadora, de alta tecnologia e desempenho, que apresenta vantagens econômicas e sustentáveis para o assentamento e sobreposição de pisos, azulejos e pastilhas. O principal

Leia mais

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À EDIFICAÇÃO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

PORTARIA SVS/MS Nº 326, DE 30 DE JULHO DE

PORTARIA SVS/MS Nº 326, DE 30 DE JULHO DE PORTARIA SVS/MS Nº 326, DE 30 DE JULHO DE 1997 A Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais e considerando: a necessidade do constante aperfeiçoamento

Leia mais

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação 1. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os serviços de limpeza e conservação deverão ser realizados, conforme as seguintes especificações: ÁREAS INTERNAS 1.1. DIARIAMENTE, uma vez quando não explicitado. 1.1.1. Remover,

Leia mais

3 Manual de Instruções

3 Manual de Instruções 3 Manual de Instruções INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha de mais um produto de nossa linha. Para garantir o melhor desempenho de seu produto, o usuário deve ler atentamente as instruções a seguir. Recomenda-se

Leia mais

Analisado por: (SECAM) (DECCO) intranet

Analisado por: (SECAM) (DECCO) intranet Proposto por: Analisado por: Aprovado por: Chefe de Serviço de Diretor do Departamento de Diretor da Diretoria-Geral de Catalogação, Classificação e Gestão e Disseminação do Comunicação e de Difusão do

Leia mais

DA UEFS PARA NOVOS USUÁRIOS

DA UEFS PARA NOVOS USUÁRIOS APRESENTAÇÃO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS APRESENTAÇÃO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UEFS PARA NOVOS USUÁRIOS Sistema Integrado de Bibliotecas da UEFS Sejam Bem-Vindos! SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS DA

Leia mais

Fibras, Esponjas e Panos

Fibras, Esponjas e Panos 3M Soluções Comerciais Núcleo Profissional Fibras, Esponjas e Panos Food Service O mercado de Profissional é um dos que mais cresce no país e, com ele, cresce também a demanda por padrões cada vez mais

Leia mais