Sindtur faz parceria e programa novos cursos com o SEBRAE. PM pede parceria da sociedade para combater a violência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sindtur faz parceria e programa novos cursos com o SEBRAE. PM pede parceria da sociedade para combater a violência"

Transcrição

1 Destaque Sindtur faz parceria e programa novos cursos com o SEBRAE Ribeirão Preto, agosto de 2012 Editorial Como é sabido, o Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente foi construído por meio do diálogo e cooperação entre diferentes órgãos do governo federal e envolveu um amplo processo de consultas tripartite. Ele representa uma referência fundamental para a continuidade do debate sobre os desafios de fazer avançar as políticas públicas de emprego e proteção social. PM pede parceria da sociedade para combater a violência Sindtur contesta decisão da Justiça do Trabalho Em reunião realizada na sede do SEBRAE em Ribeirão Preto, com a participação do gerente regional daquela entidade em Ribeirão Preto, Rodrigo Matos do Carmo, o presidente do Sindtur, Aguinaldo Rodrigues da Silva, acompanhado pela gerente de marketing, Edna Fernandes, fez parceria e programou novos cursos ainda para este semestre. Comturp Comturp participará da recepção aos integrantes da ANSEDITUR Visita de cortesia à Gerente Regional do Trabalho e Emprego em Ribeirão Preto Sindbeleza promoveu palestra sobre Podologia

2 Seminário sobre política de emprego e trabalho decente Nos dias 25 e 26 de julho último, sob a presidência do Secretario do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo, Sr. Carlos Andreu Ortiz, tivemos a realização de um Seminário para análise da Agenda Nacional do Emprego e Trabalho Decente e a elaboração de mecanismos participativos da Delegação Estadual do Estado de São Paulo para a I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente que será realizada, no período de 08 a 11 de Agosto de 2012, no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília-DF. Como é sabido, o Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente foi construído por meio do diálogo e cooperação entre diferentes órgãos do governo federal e envolveu um amplo processo de consultas tripartite. Ele representa uma referência fundamental para a continuidade do debate sobre os desafios de fazer avançar as políticas públicas de emprego e proteção social. O seu objetivo é o fortalecimento da capacidade do Estado Brasileiro para avançar no enfrentamento dos principais problemas estruturais da sociedade e do mercado de trabalho. Entre as preocupações, se destacam: a pobreza e a desigualdade social; o desemprego e a informalidade; a extensão da cobertura da proteção social; a parcela de trabalhadores sujeitos a baixos níveis de rendimentos e produtividade; os elevados índices de rotatividade no emprego; as desigualdades de gênero e raça/etnia; as condições de segurança e saúde nos locais de trabalho, sobretudo na zona rural. O Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente representa,igualmente, uma contribuição ao Pacto Mundial pelo Emprego, com um enfoque integrado de políticas econômicas, sociais e ambientais tendo como ênfase a promoção do emprego e do trabalho decente que venha a favorecer o desenvolvimento de empresas sustentáveis, indispensável na estratégia de desenvolvimento de nosso país. Estas são as razões que fundamentam a presente proposta de Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente, destinado a subsidiar esforços para a promoção do emprego pleno e produtivo e do trabalho decente com proteção social em todo o território nacional, objetivando o aperfeiçoamento das relações federativas para o desenvolvimento eqüitativo e a promoção da coesão social do país. O Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente visa, também, prover o respaldo necessário aos governantes para garantir o cumprimento dos compromissos de combate à pobreza e de melhoria da qualidade de vida da população. Para a concretização deste ideário, como Delegado eleito representando o Estado de São Paulo e presidente do Sindtur, continuaremos empenhando esforços para que as recomendações a serem propostas na I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente possam se refletir em ação concreta no sentido da coordenação de um esforço capaz de fazer com que a recuperação econômica seja acompanhada do seu equivalente em geração de empregos. BENEFÍCIOS Descontos e convênios Faculdade Barão de Mauá (10% nos cursos de graduação - exceto medicina) Ateneu Barão de Mauá (20% na préescola, ensino fundamental e médio) Carlos Chagas Filho (Anglo) (20% em ensino médio e pré-extensivo) Faculdades COC (10%) Reges - Centro de Ensino Superior (15%) FAAP (6%) Instituição Universitária Moura Lacerda (5% no Colégio e 5% na Faculdade) CNA Unidade Campos Sales (20%) Máxima Qualificação Profissional SENAC (10% nos cursos de qualificação profissional e técnico; 20% nos cursos livres idiomas (em horários não promocionais), extensão universitária, pós-graduação (lato sensu) e eventos) Grande Hotel São Pedro e Grande Hotel Campos do Jordão (SENAC) 10% sobre diárias vigentes na baixa temporada; 5% nos pacotes de finais de semana na baixa temporada. Editora SENAC (20% na aquisição de livros e outros produtos) Express Extintores (15% nos serviços de manutenção e recarga) PragTech Controle de Pragas Urbanas (10% na dedetização) Agência de Publicidade e Propaganda Fit Comunicação 20% Convênios Médicos São Francisco Clínicas Santa Casa Unimed e Medicar. Assistência jurídica O Sindtur disponibiliza advogados, através do seu departamento jurídico, para proporcionar consultoria jurídica gratuita aos seus associados. Maiores informações pelo ou pelo telefone:

3 Informe Jurídico Dr. Roberto Rodrigues Negociação da convenção coletiva de trabalho 2012/2013 (parte 1) Na última edição desta coluna ponderou-se acerca da forma como se dava as negociações de reajuste salarial, na qual as entidades sindicais, empresarial e laboral, apresentam suas reivindicações de mudanças, seja no âmbito dos direitos e deveres a serem seguidos na relação de trabalho, como também sobre o índice de reajuste salarial. No final do mês de junho foi concluída as negociações sobre a convenção coletiva de trabalho que vigerá durante o período de a , ocasião em que foi acordado o índice de reajuste sobre o salário em 7,5% (sete e meio por cento), conforme amplamente noticiado pelas entidades sindicais. Inobstante o índice de reajuste acordado tenha ultrapassado os índices inflacionários, a concordância da entidade patronal quanto ao índice de aumento foi pautada na aceitação pelo sindicato laboral em significativas mudanças em relação as cláusulas sociais, as quais, inobstante impactassem economicamente os condomínios, não traziam efetivamente benefícios diretos ao trabalhador, ou seja, não trazia benefício a nenhuma das partes na relação de trabalho, conforme abaixo especificado pontualmente cada uma das alterações. POSSIBILIDADE DA CONTRATAÇÃO POR HORA TRABALHADA. Até maio.2011 os condomínios não podiam contratar empregados pelo regime de pagamento de salário por hora trabalhada, haja vista as restrições até então contidas no parágrafo primeiro da cláusula primeira e cláusula quadragésima quarta, as quais, impunham o pagamento mínimo de um salário mínimo, independentemente do número de horas efetivamente laboradas pelo trabalhador, ou seja, inviabilizava a contratação de profissionais para trabalhar jornada inferior a 220 (duzentos e vinte) horas semanais. A partir da vigência desta convenção coletiva, os condomínios, caso queiram, poderão contratar funcionários para execução de jornadas inferiores a 220 (duzentos e vinte) horas mensais, pagando consequentemente o piso proporcional ao volume de horas trabalhadas. Além da possibilidade ora declinada, outro fator e na minha singela opinião o de maior relevância, será os efeitos que a referida alteração incidirá sobre os trabalhadores chamados de folguistas que comumente são contratados para substituírem os porteiros em sua folga semanal, já que, com a desvinculação ao salário mínimo, os condomínios poderão registrar e consequentemente assalariar este profissional (folguista) pelo volume de horas efetivamente trabalhadas. Sabe-se que vários condomínios acabam por não registrar este profissional, que não raramente trabalham não mais que uma ou duas vezes por semana para o condomínio, eis os custos que isso acarretaria, atribuindo-lhe a natureza de profissional eventual ou diarista. Porém, os riscos trabalhistas decorrentes desta prática dispensam quaisquer comentários. DEFINIÇÃO DA NATUREZA JURÍDICA DO ACRÉSCIMO PAGO NO AVISO PRÉVIO AO EM- PREGADO QUE TENHA MAIS DE 45 ANOS DE IDADE E MAIS DE 04 ANOS DE SERVIÇOS NO MESMO CONDOMÍNIO. Tendo em vista a dubiedade quanto a natureza jurídica do acréscimo pago ao empregado quando da rescisão contratual (15 dias do piso salarial da função exercida), ou seja, se a mesma consistira em verba salarial ou indenizatória, o que ocasionava embaraços na ocasião da rescisão contratual e até consequências no âmbito judicial, restou acordado entre as entidades sindicais que referida verba tem cunho indenizatório, não gerando assim quaisquer reflexos sobre as demais verbas, sobre contribuição previdenciária e sobre o FGTS. sindtur.ribeiraopreto

4 DESTAQUE Sindtur faz parceria e programa novos cursos com o SEBRAE Na segunda-feira, 10/07, às 15h00, em reunião realizada na sede do SEBRAE em Ribeirão Preto, com a participação do gerente regional daquela entidade em Ribeirão Preto, Rodrigo Matos do Carmo, o presidente do Sindtur, Aguinaldo Rodrigues da Silva, acompanhado pela gerente de marketing, Edna Fernandes, fez parceria e programou novos cursos ainda para este semestre. Abrindo o encontro cordial com Rodrigo e seus colaboradores (Vinicius Agostinho da Nobrega e Danielle de Paula), Aguinaldo foi explícito: Nós queremos reativar a parceria que fizemos uma vez porque o Sindtur está empenhado, atualmente, em desenvolver a qualificação não só no segmento empresarial mas, também, no laboral, porque sentimos a necessidade disto. Como os sindicatos laborais não promovem a qualificação dos empregados, somos obrigados a entrar nesse meio para proporcionar tais cursos porque a qualificação de uma AGENDA DE CURSOS Fluxo de Caixa Dia: 30 de Agosto de 2012 (Quinta- Feira) Horário: 09 às 13 horas Local: Sindtur - Sindicato de Turismo e Hospitalidade de Ribeirão Preto Rua: Amador Bueno, Centro Motivando sua equipe Dia: 25 de Setembro de 2012 (terça-feira) Horário: 09h00 às 11h. Local: Sindtur - Sindicato de Turismo e Hospitalidade de Ribeirão Preto Rua: Amador Bueno, Centro Queremos proporcionar esses cursos porque a qualificação de uma empresa começa pela qualificação dos seus colaboradores empresa começa pela qualificação dos seus colaboradores. Aguinaldo lembrou ao pessoal do SEBRAE que o Sindtur agrega prestadores de serviços das áreas de asseio e conservação, turismo, lavanderias, todo o mercado imobiliário, imobiliárias, administradoras de imóveis e de condomínios, a área de beleza (enquanto não se formaliza a criação do Sindbeleza) e ainda os condomínios com gestão própria. Ribeirão Preto salientou o presidente do Sindtur vive um boom imobiliário com a presença no mercado de grandes imobiliárias e grandes construtoras de São Paulo que vieram para Ribeirão Preto e tomaram conta do mercado. Quando elas chegaram o metro quadrado era de cerca de R$ 1.500,00; hoje, na área da Fiusa, é de R$ 5 mil a R$ 6 mil.elas inflacionaram o mercado.ribeirão Preto atrai investimentos de toda a região; é impressionante o desenvolvimento do nosso mercado imobiliário com dinheiro que vem de fora. Muitas das grandes construtoras de São Paulo já chegaram com capital estrangeiro. Gestão Rodrigo esclareceu que o SEBRAE não dispõe de cursos específicos para gestão de condomínios, mas sim para gestão de modo geral dentro de um padrão envolvendo marketing e outros aspectos. O SEBRAE, assim, na avaliação de Aguinaldo, tem um papel importante pela credibilidade de sua atuação para atrair os síndicos e as Aguinaldo Rodrigues da Silva administradoras. A gente pode soltar um pacote sugeriu Rodrigo abrangendo mais a parte de marketing e finanças;a parte técnica, mais específica, o Sindtur pode pleitear junto ao SENaC que tem mais flexibilidade para atuar nessa área; a parte de gestão nós tocamos aqui. Para começar, nossos cursos de gestão são bons e atraentes. Minha proposta é simples: já temos o Vinicius numa agenda para agosto e setembro; podemos fechar para outubro e novembro e estabelecer uma programação envolvendo uma atividade por mês. Ações para 2013 Pelo que ficou estabelecido, as ações Sindtur-SEBRAE terão continuidade em 2013 mediante o despertar do interesse dos síndicos e administradores em se capacitarem para viverem os novos tempos do mercado imobiliário em Ribeirão Preto. A gente pode avançar complementou Rodrigo pois a medida em que for dando liga iremos ampliando a ação dos nossos consultores junto ao Sindtur.

5 INTEGRAÇÃO Comturp participará da recepção aos integrantes da ANSEDITUR Alimentos doados para a instituição Toca de Assis Na tarde do último dia 1º, o irmão João Maria e Etevaldo Lima, representando a Toca de Assis (uma organização dos franciscanos voltada para o atendimento aos moradores de ruas) vieram recolher as latas de óleo e alimentos coletados durante palestras promovidas durante o mês de julho pelo Sindtur, pelo Sindbeleza e pelo Sinbfir. Participaram dessa entrega os presidentes Aguinaldo Rodrigues da Silva (do Sindtur) e Elis Regina (do Sinbdeleza) lembrando o simbolismo representado pelas doações daqueles produtos por todos os participantes de eventos realizados pelas referidas entidades. Aguinaldo aproveitou para elogiar o trabalho de solidariedade humana desenvolvido pela Toca de Assis nos seus dois endereços: na rua Prudente de Morais, 665( Igreja São Benedito) e na rua José Raimundo Filho, nas imediações da Recreativa-Campo. Conselheiros da Comturp reunidos com o presidente Aguinaldo Rodrigues da Silva e o secretário Tanielson Campos Na primeira reunião do COMTURP (Conselho Municipal de Turismo) realizado sob a presidência de Aguinaldo Rodrigues da Silva e com a participação de Tanielson Campos, secretário municipal de Turismo no último dia 17 de julho, a partir das 9h00, no auditório do Centro Cultural Palace, ficou definido o apoio e a participação na recepção aos integrantes da ANSEDITUR (Associação Nacional dos Secretários e Dirigentes de Turismo das Capitais e Destinos Indutores) durante a 16ª AVIRRP entre os dias 17 e 18 deste mês. Conforme explicou Tanielson, Ribeirão Preto se filiou recentemente a essa entidade pelo fato de ser uma cidade referência em turismo de negócios e eventos. A COMTURP terá, assim, papel relevante na programação social e institucional dessa feira de turismo que a cada ano ganha maior amplitude. Outro assunto tratado nessa reunião foi o fato da Secretaria de Turismo em conjunto com a de Saúde e a AVIRRP terem trazido para Ribeirão Preto a Carteira Internacional de Vacinação, que pode ser obtida por qualquer interessado, mesmo porque o Aeroporto Leite Lopes está em processo de internacionalização e a ANVISA (órgão responsável pela vigilância sanitária) nele terá posto próprio, funcionando 24 horas. O Sr. Paulo Alonso (do Carnabeirão ) sugeriu convite à TRANSERP para poder discutir melhorias no transporte coletivo e a criação do transporte noturno em bares, restaurantes etc; o Sr. Aires Rodrigues da Cunha (da secretaria do Planejamento) falou sobre a reivindicação da instalação de um posto de Informação Turística a ser instalado no Centro Cultural Palace e que a autorização para implantação do mesmo cabe à secretaria da Cultura; a sra. Suselaine Alves da Silva, do SENAC, falou sobre cursos de capacitação do profissional de turismo oferecidos por aquela instituição. No encerramento da reunião, o presidente Aguinaldo agradeceu a presença de todos e apelou aos conselheiros para um trabalho conjunto para melhorias e aperfeiçoamentos no ramo do turismo em Ribeirão Preto. Ribeirão Preto se filiou à ANSEDITUR pelo fato de ser uma cidade referência em turismo de negócios e evento Aguinaldo e Elis entregam as doações aos irmãos João Maria e Etevaldo Lima. 12 de agosto. DIA DOS PAIS. O grande herói de todas as nossas histórias. Eles transmitem amor, dedicação e conhecimentos desde cedo aos fi lhos, ensinando-os a buscar grandes conquistas. O Sindtur presta essa homenagem a todos os pais que zelam pela formação de seus fi lhos. anuncio_dia-dos-pais_9,5x9cm_sindtur.indd 1 02/08/ :10:18

6 PALESTRA PM pede parceria da sociedade para combater a violência O capitão Mauricio Jerônimo de Mello, chefe do setor de Comunicação Social do CPI 3 com a experiência de ser morador e já ter sido síndico de um condomínio em Ribeirão Preto foi o responsável, na noite da última segunda-feira, dia 30, por uma das mais aguardadas palestras recentemente promovidas pelo Sindtur voltada para tema dos mais atuais: como prevenir violências pessoais ou patrimoniais nos agrupamentos humanos representados pelos condomínios? A palestra do capitão Jerônimo especialmente designado pelo coronel Antonio Cesar Cardoso, comandante do CPI 3 e cujo coquetel de boas vindas foi patrocinado pela Desentupidora Anhanguera agradou plenamente pela objetividade e conhecimento de causa do palestrante. Na entrevista à Clube bem como na apresentação do conferencista a um publico interessado e que lotou completamente o auditório do Sindtur Aguinaldo explicou o seu empenho, como dirigente sindical, em conscientizar síndicos, porteiros, os condôminos de um modo geral, quanto à gravidade do momento. Lembramos a todos que a marginalidade está sendo expulsa de São Paulo, do Rio de Janeiro, e agora procura o interior. Essa prevenção, portanto,é muito importante num momento como o atualmente vivido. É por isso que estamos ouvindo, hoje, a Policia Militar para orientar- -nos em questões de segurança condominial No nosso caso, como Sindicato, ela vem para dizer aos condôminos a cautela que devem ter porque, segundo estatísticas confiáveis, 60% dos assaltos ocorridos em condomínios se originam de informações obtidas dentro dos próprios condomínios: ou é de morador, numa conversa informal, ou do síndico, ou de funcionário etc Para Aguinaldo é fundamental o morador obedecer as normas de segurança do próprio condomínio, evitando abrir brechas como, por exemplo, telefonar para a portaria e mandar o entregador de pizzas subir, sem a preocupação de identificá-lo, contrariando a cautela prevista no próprio regimento do condomínio. O funcionário, muitas vezes, inocentemente, deixa subir pessoas que sobem para praticar assaltos. Observa. Também na entrevista à Clube, num preâmbulo à própria palestra, o capitão Jerônimo definiu como objetivo maior da PM obter a parceria da sociedade para combater e evitar essas violências nos condomínios. Conforme prevê a própria Constituição Federal salientou a segurança é dever do estado mas direito e responsabilidade de todos e não apenas da Polícia Militar, sendo exercida para preservação da ordem pública e incóluminidade das pessoas e do patrimônio. Se as pessoas entenderem isto e passarem a ter atitudes seguras certamente facilitarão o próprio trabalho da PM. Esses condomínios são, teoricamente seguros, mas os marginais usam de artifícios para vencer essas barreiras; daí nossa orientação no sentido de prevenir e evitar brechas na própria segurança do imóvel. Na maioria das vezes, o marginal procura facilidades o cara que parte para o crime não está procurando serviço, mas sim uma forma fácil de adquirir uma vantagem e nosso papel, como policiais, moradores, síndicos ou funcionários desses condomínios, é evitar que tais facilidades aconteçam. Como disse o presidente do Sindtur o morador também é responsável pela segurança e deve assumir essa responsabilidade evitando situações de insegurança para ele e para os demais. Zeladores, síndicos e porteiros unânimes na avaliação positiva Um evento Construtivo, eficaz e necessário José Carlos de Araújo - Zelador do Cond. Ed. Lessence O capitão Jerônimo abordou pontos necessários para o desenvolvimento do trabalho do dia do condomínio visando a segurança dos moradores João Fernando Buosi - Porteiro do Ed. Cambuí Excelente iniciativa do Sindtur pois o assunto segurança tem sido um problema nos dias atuais. Informações como o dessa palestra nos ajudam a tratar do assunto com mais seriedade José Carlos Moura Síndico do Condomínio Edifício Baia de Sapri Para mim foi muito produtivo; gostei muito das dicas e da clareza do palestrante Paulo César Macedo - Síndico do Condomínio Rodin A palestra mostrou que a segurança é tudo e que temos sempre de estar atualizando o sistema eletrônico e humano Dener Ricci Gerente Operacional do Residencial Saint Gerard Motivadora e estimulante; ouvindo os exemplos apontados percebemos a realidade dos fatos Igor de Oliveira Valsichi Síndico do Solar das Varandas Valeu pela oportunidade da reciclagem e para ativar antigas práticas Franz Brieger Síndico do Condomínio São Conrado

7 ARTIGO Dra. Renata Galão Foi sancionada nesta quinta-feira (19/07) pela Presidente Dilma Rousseff e publicada na sexta-feira (20/07) no Diário Oficial da União, a nova lei que disciplina as Cooperativas de Trabalho em todo o país (Lei n.º /2012). O texto é oriundo do Projeto de Lei n.º 4.622/2004, apresentado pelo então deputado Pompeo de Mattos, projeto este que sofreu alterações no Senado (PLC 131/2008) e retornou à Câmara, vindo a ser aprovado definitivamente em junho deste ano. A novel legislação além de trazer relevantes mudanças para o setor, também fomenta algumas polêmicas, principalmente no que tange ao sócio- -cooperado, pois segundo o texto da lei ele passa a ter direito ao repouso semanal e anual remunerado; jornada de trabalho diária não superior a oito e semanal não superior a 44 horas; retiradas não inferiores ao piso da categoria profissional e, na ausência deste, não inferiores ao salário mínimo, calculadas de forma proporcional às horas trabalhadas ou às atividades desenvolvidas; retirada para o trabalho noturno superior ao do diurno; adicional sobre a retirada para as atividades insalubres ou perigosas; e seguro acidente de trabalho. O que se contrapõe com o próprio Cooperado ou Empregado: à luz da nova Lei das Cooperativas de Trabalho espírito da lei, pois o objetivo de uma cooperativa de trabalho é a associação de trabalhadores para o exercício de suas atividades laborativas ou profissionais com proveito comum. A incompatibilidade dos direitos do sócio-cooperado e a finalidade da cooperativa cinge-se no simples fato das cooperativas serem formadas por sócios, e não por patrão e empregados, assim, não se pode impor da cooperativa observância à direitos eminentemente empregatícios, como os alhures mencionados. Nesta senda, crucial lembrar que, a assunção dos riscos da economia é característica da relação mantida entre empregador e empregado, o que não é o caso, logo não há como exigir a garantia de tais direitos na relação cooperativa e sócio-cooperado. Entre as novidades trazidas pela recente lei está a possibilidade de se constituir uma cooperativa com o número mínimo de sete sócios; que anteriormente eram necessários no mínimo vinte. E aqui reside outra possível contradição, pois o artigo 3º estabelece onze princípios que vão nortear as cooperativas, entre eles o da gestão democrática, resultando no seguinte questionamento: se a gestão é democrática, por que a lei manteve o entrave de número mínimo para a formação da cooperativa? O novo regulamento estabelece ainda a existência de duas únicas espécies de cooperativa, a de produção e de serviço, obrigando o uso da expressão cooperativa de trabalho na denominação social das cooperativas, bem como dispõe, que as atividades prestadas fora da sede da cooperativa deverão ser submetidas a uma coordenação com mandato nunca superior a um ano ou ao prazo estipulado para a realização destas, e ainda, atribui ao Ministério do Trabalho e Emprego a fiscalização do cumprimento do disposto em lei e penaliza a cooperativa de trabalho que intermediar mão-de-obra subordinada e os contratantes de seus serviços a uma multa de R$ 500 (quinhentos reais), por trabalhador prejudicado, que será dobrada na reincidência e revertida ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Superados tais empasses no cotidiano juslaboral, é certo que o regramento trará às cooperativas maior tranquilidade e segurança no desenvolvimento dos seus trabalhos e melhor alcance da função social. Sindtur contesta decisão da Justiça do Trabalho Em sua edição do último dia 19, o jornal A CIDADE noticiou a condenação de um condomínio de Ribeirão Preto pela Justiça do Trabalho ao pagamento de adicional de insalubridade a um ex-funcionário do setor de limpeza. Entrevistado pelo jornal e também pela TV Clube, Aguinaldo Rodrigues da Silva, presidente do Sindtur, afirmou ter um entendimento diferente do adotado pela juíza da terceira vara do trabalho, cuja sentença teve por base perícia oferecida ao judiciário por perito público. Na convenção coletiva - esclarece Aguinaldo foi entendido que esse Comprar um imóvel na planta significa a realização de um sonho para os brasileiros, mas que nem sempre tem o desfecho perfeito para uma parcela dos consumidores. Os constantes atrasos têm gerado transtornos para quem adquire esses imóveis na planta. Problemas no setor de construção civil ao longo do ano passado, envolvendo escassez de mão-de-obra, equipamentos e materiais de construção, além do mal planejamento financeiro das construtoras que adquiriram terrenos a preços elevados e não conseguiram repassar os imóveis aos seus consumidores, tornaram esses atrasos constantes. O advogado André Arruda, especialista em direito empresarial e imobiliário, afirma que para resguardar os direitos de quem já está pagando por seu imóvel e ainda tem que arcar com os custos de sua moradia trabalhador não tem direito à periculosidade ou insalubridade. Ela, por sinal, é muito clara ao estabelecer que o faxineiro que leva o lixo para a rua não pode ser equiparado ao gari que faz o recolhimento do lixo público. O condomínio vai recorrer dessa decisão e a expectativa do presidente do Sindtur é que ela será revogada em segunda instância porquanto não houve manipulação do lixo mas, simplesmente, o transporte de um local para outro dentro do próprio condomínio; não se configura, portanto, nenhuma situação de insalubridade. Atraso na entrega de imóvel e o direito ao ressarcimento atual por mais tempo que o previsto, a Justiça tem proferido decisões favoráveis aos consumidores. Além do reembolso do aluguel pago pelo consumidor para locação de outro imóvel, a Justiça tem fixado indenização variável em 0,5% e 2% do valor de mercado do imóvel multiplicado pelos meses de atraso da obra. Isso sem falar no direito a indenização por dano moral que também deve ser pleiteada pelos consumidores, sobretudo em casos em que o atraso na entrega da sonhada moradia impacta no planejamento de vida e cotidiano de uma família ou casal. O especialista afirma que os consumidores que, de uma forma ou outra, sofreram prejuízos em decorrência desses atrasos, devem procurar a Justiça para reaver seus direitos, que nem sempre são solucionados diretamente com a construtora.

8 REPRESENTAÇÃO Visita de cortesia à Gerente Regional do Trabalho e Emprego em Ribeirão Preto No último dia 6 de julho, às 10h00, o presidente do Sindtur, Aguinaldo Rodrigues da Silva (acompanhado do diretor financeiro Paulo Braga e da gerente de marketing Edna Fernandes) realizou uma visita de cortesia à Dra. Maria Helena Fortes Henrique Faria de Vergueiro, Gerente Regional do Trabalho e Emprego em Ribeirão Preto. Marcado pela cordialidade, o encontro foi uma oportunidade de Aguinaldo informá-la sobre o acordo firmado com o SECERP (Sindicato dos Empregados em Edifícios e Condomínios de Ribeirão Preto) resultando num índice recorde de 7,5%, em vigência desde o último dia 1º de junho (além de outros benefícios sociais) para esses profissionais tão importantes no dia a dia dos edifícios e condomínios (porteiros, zeladores, vigias, garagistas, jardineiros, auxiliares de manutenção etc). Aguinaldo pediu a orientação da Dra. Maria Helena para incluir o segmento Condomínio na denominação do Sindtur especificando Sindicato de Serviços, Condomínios, Turismo e Hospitalidade ; ela explicou que a alteração da razão social implicaria também em mudança no estatuto. Feita essa alteração o processo deverá dar entrada na Gerência Regional de Ribeirão Preto para encaminhamento à Coordenadoria de Registros Sindicais do Ministério do Trabalho para análise e alteração no cadastro nacional de entidades sindicais. Qualificação profissional Os condomínios e administradoras reconhecem o Sindtur como sua entidade patronal representativa explicou Aguinaldo tanto que temos realizado inúmeros cursos de qualificação não só dos empregados mas também de administradores e síndicos. Nossa intenção é conscientizar o síndico sobre suas responsabilidades como gestor do condomínio e, também, como empregador. A Delegada aplaudiu essa iniciativa do Sindtur, lembrando a importância da qualificação, sobretudo, de quem trabalha nas portarias dos edifícios e condomínios. São tantas as situações que ocorrem numa portaria salientou a Dra. Maria Helena que o empregado precisa se qualificar para poder atendê-las sem colocar em risco a segurança própria e a dos moradores. Sindbeleza (com apoio do Sindtur e da Gnatus) promoveu palestra sobre Podologia Maria de Lourdes Iozzi Supino durante a palestra promovida pelo Sindbeleza O SindBeleza realizou, no último dia 30, evento sobre podologia convidando para realizar palestra a especialista Maria de Lourdes Iozzi Supino, da Clínica dos Pés que difundiu seus conhecimentos para um púbico formado por mais de 50 profissionais das áreas da beleza e estética. Com o apoio do SindTur, e parceria da empresa Gnatus Equipamentos Médicos Odontológicos, foram enfocados tópicos como, entre outros, Tratamento de Unhas Encravadas, Micose de Unhas e, Como Deixar os Pés mais Bonitos. AGENDA A próxima palestra que o Sindicato dos Profissionais da Beleza realizará será no próximo dia 20 de agosto, as 14 horas, com o tema Linhas para Investimentos MICROCRÉDITO e Linhas de Investimento de Longo Prazo.

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007 Que fazem de um lado, o SINAERO Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Empresa de Táxi Aéreo, Aeroclubes, Aviação Agrícola e de Garimpo, Prestadores

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998 Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências (Alterada pela MP Nº 2.076-35/27.03.2001, MP Nº 2.164-41/24.08.2001 já inserida

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 Termo de CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e em Empresas de Compra, Venda Locação e Administração de Imóveis

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

NOVA LEI DAS DOMESTICAS

NOVA LEI DAS DOMESTICAS NOVA LEI DAS DOMESTICAS DEVERES DAS DOMÉSTICAS Se a doméstica trabalhar menos que o contrato, posso descontar do salário? O desconto é linear? Independentemente de trabalhar menos, ela recebe o mesmo valor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.690, DE 19 DE JULHO DE 2012. Mensagem de veto Dispõe sobre a organização e o funcionamento das Cooperativas de Trabalho;

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP006002/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR030110/2015 NÚMERO DO PROCESSO:

Leia mais

3ª CLÁUSULA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS: Os empregados participarão nos lucros de suas empresas empregadoras, na forma que vier estabelecida em lei.

3ª CLÁUSULA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS: Os empregados participarão nos lucros de suas empresas empregadoras, na forma que vier estabelecida em lei. 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO FIRMADA ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE JACOBINA E O SINDICATO PATRONAL DO COMERCIO VAREJISTA DE JACOBINA E REGIÃO, PARA O PERIODO DE 01 DE JUNHO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001702/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR014964/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006002/2013-41

Leia mais

Entre as partes de um lado: e, de outro lado:

Entre as partes de um lado: e, de outro lado: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO Entre as partes de um lado: SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO, CNPJ nº 60.266.996/0001-03 e, de outro lado: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002151/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026676/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010071/2009-72 DATA DO

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, que entre si ajustam, de um lado a FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO ESTADO DO MARANHÃO, CNPJ nº06.52.757/0001-05; SINDICATO

Leia mais

Petições Trabalhistas 3.0

Petições Trabalhistas 3.0 Petições iniciais 1. Reclamação-trabalhista-relação-de-emprego-representação-comercialcomissão-pedido-pelo-espólio-inicial 2. Declaratória - incidental - data da admissão 3. Declaratória - incidental trabalhista

Leia mais

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA HORAS

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

ACORDO COLETIVO 2008/2009

ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA 01 DE MARÇO DE 2008 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Page 1 of 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR004589/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057715/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.013061/2013-75 DATA DO

Leia mais

A seguir, na íntegra, o teor das cláusulas que foram mantidas pelo acórdão:

A seguir, na íntegra, o teor das cláusulas que foram mantidas pelo acórdão: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 01.07.2007 A 30.06.2009 (conforme decisão judicial em dissídio coletivo acórdão TRT 24ª Região no processo nº. 179/2007-000-24-00-9-DC.0 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO entre

Leia mais

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original)

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Proposição Originária: PEC 478/2010 PODER LEGISLATIVO Título EMC 72 de 02/04/2013 - EMENDA CONSTITUCIONAL Data 02/04/2013 Ementa

Leia mais

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS Público alvo: síndicos, condôminos, administradores de condomínio, gerentes de condomínio, advogados e quaisquer pessoas

Leia mais

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: SINDICATO TRABALHADORES MOV MERC EM GERAL DE PASSOS, CNPJ n. 64.480.692/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). Manoel Messias dos Reis Silva; E FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS

Leia mais

TERMO ADITIVO Á CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

TERMO ADITIVO Á CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO TERMO ADITIVO Á CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 1 Entre as partes, de um lado o SINDICATO DOS EMPREGADOS VENDEDORES E VIAJANTES DO COMÉRCIO, PROPAGANDISTAS, PROPAGANDISTAS VENDEDORES E VENDEDORES DE PRODUTOS

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000096/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064426/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.042751/2011-40 DATA DO

Leia mais

Data-Base 1º de maio de 2015

Data-Base 1º de maio de 2015 PRÉ-PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2015 Data-Base 1º de maio de 2015 Pré-Pauta de Reivindicações 2015 Agroindústrias do setor de carnes e leite, Cooperativas Agropecuárias, Clinicas Veterinárias, Laboratórios

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo IV Aula 01 1 CÁLCULOS TRABALHISTAS Neste módulo você irá aprender a realizar os cálculos de verbas rescisórias e Liquidação de Sentença. I. VERBAS RESCISÓRIAS Podemos entender

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000776/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015125/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.000402/2014-94 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SUSCITANTE: SINDICATO DOS PSICÓLOGOS NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINPSI-SP, Entidade Sindical Profissional, com registro no MTb sob nº012.228.026.60-5 e inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2009/2010. b) Sentença normativa proveniente de Dissídio Coletivo de Trabalho.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2009/2010. b) Sentença normativa proveniente de Dissídio Coletivo de Trabalho. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2009/2010 ESTEL - MÁQUINAS E SERViÇOS INDUSTRIAIS LTOA, com estabelecimento à Rua Luiz Musso, 240, Vila Nova, Aracruz Espírito Santo, doravante denominada ESTEL, representado

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001531/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061722/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.018555/2014-16 DATA DO

Leia mais

CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO

CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO Objetivo: Mostrar os direitos e os deveres de cada um: atribuições, responsabilidades, o que é permitido e o que é vedado, bem como expor aspectos

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000015/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000163/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.000147/2011-48 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014

CONVENÇÃO COLETIVA 2014 CONVENÇÃO COLETIVA 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 17.437.757/0001-40, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA CAMPINAS JANEIRO/2014 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÃO CLÁUSULA 1ª - PISO SALARIAL Fica estipulado

Leia mais

O Sindicato que é a cara do trabalhador!

O Sindicato que é a cara do trabalhador! SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EDIfícios e condomínios, em empresas de prestação de serviços em asseio, conservação, higienização, desinsetização, portaria, vigia e dos cabineiros de belo horizonte Rua Jaceguai,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001071/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/12/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057155/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.017363/2009-25 DATA

Leia mais

O sindicato que é a cara do trabalhador!

O sindicato que é a cara do trabalhador! SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EDIfícios e condomínios, em empresas de prestação de serviços em asseio, conservação, higienização, desinsetização, portaria, vigia e dos cabineiros de belo horizonte Rua Jaceguai,

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009

RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009 RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009 Dispõe sobre o reajuste, direitos e deveres dos empregados do Conselho Federal de Psicologia. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais, estatutárias

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS Linha de pesquisa: Gestão Empresarial João Paulo dos Santos Ribeiro

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2011

CONVENÇÃO COLETIVA 2011 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA CONVENÇÃO COLETIVA 2011 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PELO PRESENTE

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029334/2013 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46261.003131/2012-11

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001746/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020832/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005849/2012-27

Leia mais

MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA

MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA Fiscalização do Trabalho Finalidade: tem por finalidade assegurar, em todo o

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001599/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017802/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.004343/2013-81 DATA DO

Leia mais

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções?

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções? LUANA ASSUNÇÃO ALBUQUERK Especialista em Direito do Trabalho Advogada Associada de Cheim Jorge & Abelha Rodrigues - Advogados Associados O CONTRATO TEMPORÁRIO DE TRABALHO São as conhecidas contratações

Leia mais

TRABALHADORES DOMÉSTICOS

TRABALHADORES DOMÉSTICOS Trabalho realizado pela advogada dra. Marília Nascimento Minicucci, do escritório do conselheiro prof. Cássio de Mesquita Barros Júnior TRABALHADORES DOMÉSTICOS Foi publicado, no Diário Oficial da União

Leia mais

SINDMINÉRIOS SANTOS. Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios, Derivados de Petróleo e Combustíveis de Santos e Região.

SINDMINÉRIOS SANTOS. Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios, Derivados de Petróleo e Combustíveis de Santos e Região. FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NO COMÉRCIO DE MINÉRIOS E DERIVADOS DE PETRÓLEO NO ESTADO DE SÃO PAULO 01 - REAJUSTE SALARIAL PAUTA DE REIVINDICAÇÕES SIREGÁS 2012/2013 As Empresas concederão, a todos os empregados

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2014-2015 DOS EMPREGADOS DA EMPRESA ADINOR INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ADITIVOS LTDA. 1ª Cláusula - REAJUSTE SALARIAL A Empresa reajustará o salário de seus empregados em 100% (cem

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho SINPEFESP-(empregados)-SINDELIVRE-(patronal) Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015. VIGÊNCIA E DATA-BASE As cláusulas e condições da presente Convenção Coletiva de Trabalho que

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 493, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 493, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 493, DE 2009 Assegura aos empregados de condomínios, prestadores dos serviços de portaria, vigilância e segurança, o adicional de periculosidade previsto no artigo

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001711/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016575/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005146/2014-61 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP012425/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060338/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46263.004405/2014-31 DATA DO

Leia mais

Como o Brasil enfrenta a exploração sexualcomercial de crianças e adolescentes

Como o Brasil enfrenta a exploração sexualcomercial de crianças e adolescentes Como o Brasil enfrenta a exploração sexualcomercial de crianças e adolescentes 1. Introdução Fenômeno dos mais graves de nosso tempo, a exploração sexual-comercial de crianças e adolescentes não deve ser

Leia mais

Parágrafo Primeiro: Fica assegurado ao TRABALHADOR admitido para a função de outro, o percebimento de salário igual ao TRABALHADOR desligado.

Parágrafo Primeiro: Fica assegurado ao TRABALHADOR admitido para a função de outro, o percebimento de salário igual ao TRABALHADOR desligado. REFERÊNCIA: CLARO S/A PAUTA NACIONAL DE REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DAS EMPRESAS CONCESSIONÁRIAS DE TELEFONIA FIXA E MÓVEL (OPERADORAS) PARA NEGOCIAÇÃO UNIFICADA DOS SINDICATOS FILIADOS À FENATTEL

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 DA ABRANGÊNCIA:

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 DA ABRANGÊNCIA: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 DA ABRANGÊNCIA: Cláusula 1ª - Esta convenção coletiva de trabalho que entre si celebram, de um lado o Sindicato dos Médicos de Anápolis e, do outro lado, o Sindicato

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000351/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR049128/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.002980/2015-57 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SETHOP/ER - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM TURISMO E HOSPITALIDADE DE OURO PRETO E REGIÃO, CNPJ n. 14.026.659/0001-21, neste ato representado por seu Presidente, Sr. ANTÔNIO

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL COPEL 2015 PAUTA UNIFICADA SEÇÃO I DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

CAMPANHA SALARIAL COPEL 2015 PAUTA UNIFICADA SEÇÃO I DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CAMPANHA SALARIAL COPEL 2015 PAUTA UNIFICADA SEÇÃO I DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CLÁUSULAS ECONÔMICAS 01 REAJUSTE SALARIAL A partir de 1º de outubro de 2015, a Copel fará a correção salarial pelo índice

Leia mais

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014:

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016 CLÁUSULA 1ª - DO PISO SALARIAL São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: a) Fica afixado o piso salarial da

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000075/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/01/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076735/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.000023/2013-53 DATA DO

Leia mais

Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios do Grande ABC.

Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios do Grande ABC. Ciclo de Palestras para Síndicos e Administradoras de Condomínios do Grande ABC. QUESTÕES TRABALHISTAS EM CONDOMÍNIOS Palestrante: Carlos Alexandre Cabral 2/30 1 -ESCALA 6 POR 1 Antonio (auxiliar ou servente)

Leia mais

I- TENS ORGANIZACIONAIS

I- TENS ORGANIZACIONAIS I- TENS ORGANIZACIONAIS 1.1 JORNADA TRABALHO - A jornada de trabalho dos empregados das Cooperativas crédito será de 40 horas (quarenta horas) semanais. 1.2 Jornada Semanal de Trabalho Todas as horas prestadas

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CLÁUSULAS ECONÔMICAS

PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CLÁUSULAS ECONÔMICAS PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CLÁUSULAS ECONÔMICAS Cláusula 01 - ABRANGÊNCIA A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá todas as Empregadoras e Empregados das categorias econômica

Leia mais

CONTRATO DE CONVÊNIO

CONTRATO DE CONVÊNIO CONTRATO DE CONVÊNIO Pelo presente instrumento particular, CANDEIAS ESPORTE LAZER E RECREAÇÃO, Pessoa Jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob número 43.446.434/0002-03, com sede administrativa

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO PARÁGRAFO PRIMEIRO

PARÁGRAFO ÚNICO PARÁGRAFO PRIMEIRO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO FIRMADA PERANTE O EXMO. DR. DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO QUE ENTRE SI FAZEM O SINDICATO DOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, LOCALIZADO À

Leia mais

Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2016

Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000921/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/05/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023133/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002652/2016-61 DATA DO PROTOCOLO: 24/05/2016 Convenção Coletiva

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001186/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054961/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.013060/2015-81 DATA DO

Leia mais

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu:

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: Art. 37º... VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

CURSO COMO FISCALIZAR OS CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CICLO DA FISCALIZAÇÃO PARA PREVENÇÃO DA RESPONSABILIDADE

CURSO COMO FISCALIZAR OS CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CICLO DA FISCALIZAÇÃO PARA PREVENÇÃO DA RESPONSABILIDADE CURSO COMO FISCALIZAR OS CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CICLO DA FISCALIZAÇÃO PARA PREVENÇÃO DA RESPONSABILIDADE PERÍODO DE REALIZAÇÃO E CARGA HORÁRIA O curso será realizado

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000696/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011217/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46000.002275/2015-73 DATA

Leia mais

A seguir apresentamos:

A seguir apresentamos: O Senado Federal aprovou em 26/03, em segundo turno, por unanimidade, a Proposta de Emenda à Constituição n 478/2010 (PEC das Domésticas). A promulgação ocorreu pelo Congresso Nacional nesta terça feira

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2009/2011

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2009/2011 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2009/2011 Que entre si celebram, de um lado, E de outro lado, SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS DE PORTO ALEGRE, com sede na Rua Augusto Severo, 82 - Porto Alegre RS, CEP 90.240-480,

Leia mais

Rua Jaceguai, 164 Prado BH-MG 31 2104 5899 www.sindeac.org.br sindeac@sindeac.org.br. convenção coletiva empregados em conservadoras 2014

Rua Jaceguai, 164 Prado BH-MG 31 2104 5899 www.sindeac.org.br sindeac@sindeac.org.br. convenção coletiva empregados em conservadoras 2014 SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EDIfícios e condomínios, em empresas de prestação de serviços em asseio, conservação, higienização, desinsetização, portaria, vigia e dos cabineiros de belo horizonte Rua Jaceguai,

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE, FALTAS

JORNADA DE TRABALHO DURAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, CONTROLE, FALTAS Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PE001265/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055691/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46213.020867/2012-29 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico.

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. RESUMO INFORMATIVO SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. Lei Complementar n. 150/2015 Jul 2015 Este resumo informativo

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000780/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020580/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.007516/2015 25 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000267/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/09/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR043602/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.003293/2009-19 DATA DO

Leia mais

Porto Alegre, 18 de agosto de 2015.

Porto Alegre, 18 de agosto de 2015. Porto Alegre, 18 de agosto de 2015. Excelentíssimo Senhor Doutor Henrique Eduardo Lyra Alves Ministro do Turismo Esplanada dos Ministérios, Bloco "U" - 2º/3º andar Brasília - DF - Brasil - CEP: 70065-900

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AL000089/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/04/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002498/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46201.000506/2014-67 DATA

Leia mais

Manual da Aprendizagem

Manual da Aprendizagem Manual da Aprendizagem Preparado pelo Centro Social Betesda (CSB) INTRODUÇÃO Aprendizagem é uma ação promovida para incentivar a aplicação prática da Lei 10.097, que regulariza o trabalho de adolescentes

Leia mais

PAUTA DE ACORDO COLETIVO DOS TRABALHADORES DA CANDIAS ENERGIA S.A.

PAUTA DE ACORDO COLETIVO DOS TRABALHADORES DA CANDIAS ENERGIA S.A. PAUTA DE ACORDO COLETIVO DOS TRABALHADORES DA CANDIAS ENERGIA S.A. CLÁUSULA PRIMEIRA - REAJUSTE SALARIAL A CANDEIAS ENERGIA reajustará os salários dos empregados, com exceção dos Dirigentes, Superintendentes

Leia mais