Contrato de Mediação Imobiliária

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contrato de Mediação Imobiliária"

Transcrição

1 Contrato de Mediação Imobiliária (Nos termos da Lei n.º 15/2013, de 08.02) Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., com sede na Av. Defensores de Chaves, n.º 6 4.º, em Lisboa, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa com o número único de matrícula e de pessoa colectiva , com o capital social de ,00, neste ato representada pelos seus administradores com poderes para a mesma, adiante designada por Proprietária ou Primeira Contratante ; e [, Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda.], com sede em [ ], com capital social de,, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ] com o número único de matrícula e de pessoa colectiva [.. ], titular da Licença AMI nº [ ], emitida pelo Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI), neste ato representada pelos seus administradores com poderes para o ato, adiante designada por Segunda Contratante ; é celebrado o presente Contrato de Mediação que se rege pelas seguintes cláusulas: Cláusula 1ª (Identificação do Imóvel) A Primeira Contratante é dona e legítima proprietária do imóvel sito em [ ], descrito na Conservatória do Registo Predial de [ ] sob o número [ ], da referida freguesia, e inscrito na respectiva matriz sob o artigo [ ] da mesma freguesia, para o qual foi emitida a Licença de Utilização nº [ ], em [ / / ], pela Câmara Municipal de [ ] (ou, o qual corresponde a uma construção legal anterior a 07/08/1951, pelo que, está isento de licenciamento), adiante abreviadamente designado por Imóvel.

2 Cláusula 2.ª (Ónus ou Encargos) O imóvel objecto do presente contrato encontra-se, nesta data, livre de quaisquer ónus e/ ou encargos. [Caso existam ónus/ encargos, devem estes ficar especificados no contrato, nos termos do art.º 16.º, n.º 2, alínea a), da Lei15/2013, de 08.02]. Cláusula 3.ª (Objecto) Pelo presente, a Segunda Contratante apresenta à Primeira Contratante uma cliente para a aquisição do imóvel melhor identificado na cláusula 1ª supra em troca de remuneração, caso a sua cliente venha a ser a efectiva adquirente do Imóvel. Cláusula 4.ª (Regime de Contratação) 1. A Primeira Contratante contrata a Segunda Contratante em regime de não exclusividade, ou seja, a Primeira Contratante pode contratar outros mediadores ou promover a alienação do imóvel diretamente junto de qualquer entidade, com exceção da cliente da Segunda Contratante, não sendo responsável por qualquer eventual ação dos outros mediadores contratados junto da cliente da Segunda Contratante. 2. A Segunda Contratante, no âmbito deste contrato, não poderá subcontratar. Cláusula 5.ª (Remuneração) 1. A remuneração, que será devida à Segunda Contratante pela venda do imóvel à sua cliente, será o equivalente a [ %] do valor da venda, acrescido de IVA à taxa legal em vigor.

3 2. A Segunda Contratante não tem direito a qualquer remuneração, caso seja celebrado um Contrato Promessa de Compra e Venda com outra entidade que não seja a cliente referido na cláusula 3.ª. O direito à remuneração da Segunda Contratante nasce apenas com a formalização do Contrato Promessa de Compra e Venda entre a sua cliente e a Primeira Contratante para o imóvel referido na cláusula 1.ª. 3. O pagamento da comissão da Segunda Contratante é efetuado na proporção do recebimento efetivo pela Primeira Contratante do sinal, de eventuais reforços de sinal e do remanescente do preço e até ao máximo de 10 dias úteis após o recebimento efetivo de tais importâncias pela Primeira Contratante. 4. A remuneração da Segunda Contratante nunca abrangerá juros ou outras compensações moratórias ou indemnizatórias devidas pela compradora à Primeira Contratante. Cláusula 6.ª (Garantias da Actividade de Mediação) Para garantia da responsabilidade emergente da sua actividade profissional, a Segunda Contratante apresentou um contrato de seguro obrigatório de responsabilidade civil no valor de [ ], com a apólice nº [ ], da Companhia de Seguros [ ]. Cláusula 7.ª (Caducidade) O presente contrato caduca com a assinatura do Contrato Promessa de Compra e Venda com outra entidade que não seja a cliente da Segunda Contratante ou no prazo máximo de 9 meses desde a assinatura do presente contrato. Cláusula 8.ª (Deveres da Segunda Contratante) Na prossecução do objecto do presente contrato, a Segunda Contratante obriga-se para com a Primeira Contratante a:

4 1. Apresentar-se desde logo devidamente mandatado pela sua cliente; 2. Cumprir as disposições previstas no Regulamento e Condições de Venda da Primeira Contratante. Cláusula 9.ª (Deveres da Primeira Contratante) A Primeira Contratante com vista a possibilidade as melhores condições de comercialização, obriga-se para com a Segunda Contratante a: 1. Facultar todos os elementos matriciais e prediais referentes ao Imóvel; 2. Facultar as certidões, alvará e quaisquer outros elementos do Imóvel, necessários à preparação da documentação de venda. Não respondendo a Primeira Contratante por qualquer desconformidade entre a realidade física e a documental do Imóvel. 3. Comunicar à Segunda Contratante a celebração do Contrato Promessa de Compra e Venda com outra entidade que não seja a cliente da Segunda Contratante, nos 5 dias úteis seguintes à outorga do mesmo. Cláusula 10.ª (Confidencialidade) 1. As partes deverão considerar obrigatoriamente como confidencial toda a informação a que tenham acesso ou de que por qualquer motivo tome conhecimento, no âmbito do presente contrato. 2. Para efeitos da relação entre as partes signatárias do presente contrato, considera-se informação confidencial toda e qualquer informação técnica ou não técnica, comercial ou não, escrita ou em qualquer suporte, incluindo a forma verbal de que as partes tenham tido conhecimento no exercício das suas funções. 3. As partes abster-se-ão de utilizar, em circunstância alguma, a informação a que tiverem acesso, para quaisquer outros fins que não os inerentes aos direitos e obrigações inerentes ao presente contrato.

5 4. Com excepção do estritamente necessário para a execução do presente contrato, as partes abster-se-ão de copiar, reproduzir ou de por qualquer meio ceder ou transferir a informação a que tiverem acesso. 5. Cessa o dever de confidencialidade sempre que se verifique uma das seguintes situações: a) A informação em causa entre no domínio público por força de uma acção à qual a parte vinculada ao dever de confidencialidade não deu causa; b) A divulgação da informação seja expressamente autorizada por quem obriga e vincula a outra parte; c) A informação em causa seja divulgada no âmbito do procedimento e natureza legal ou judicial, sem prejuízo de eventual segredo de justiça. 6. A exclusão referida no número anterior não abrange a informação mais detalhada e pormenorizada que desenvolva uma outra mais abrangente e geral, em relação à qual tal excepção se verifique. 7. A violação do dever de confidencialidade previsto no presente contrato poderá constituir causa de rescisão do mesmo, para além de eventual indemnização. 8. A cessação do presente contrato não faz cessar a obrigação de confidencialidade dele emergente, que se manterá em vigor, no que a este dever especificamente respeita. Cláusula 11.ª (Branqueamento de Capitais) 1. A Segunda Contratante declara e garante que cumprirá com as disposições legais aplicáveis em Portugal de natureza preventiva e repressiva contra o branqueamento de capitais, no que concerne a todos os actos e operações abrangidas pelo presente contrato, com especial atenção aos deveres de identificação dos contraentes e conhecimento do objecto da transacção realizada por esta. 2. Mediante solicitação da Primeira Contratante, a Segunda Contratante obriga-se a cooperar na disponibilização de informação relevante sobre a identidade dos contraentes e objecto da transacção por estes a realizar, em momento anterior ao do vínculo contratual.

6 Cláusula 12.ª (Notificações) Todas as comunicações e notificações contratuais deverão ser feitas, por fax ou carta registada com aviso de recepção, para as seguintes moradas: Primeira Contratante Morada: Av. Defensores de Chaves, n.º 6 4.º Lisboa Fax: Segunda Contratante Morada: [ ] Fax: [ ] Cláusula 13.ª (Alterações) 1. Nada foi convencionado entre as Partes directa ou indirectamente relacionado com a matéria do presente contrato para além do que fica escrito nas suas cláusulas. 2. Quaisquer alterações ou aditamentos ao presente Contrato deverão ser celebrados por escrito e assinados por ambas as Partes. Cláusula 14.ª (Foro Competente) Para dirimirem quaisquer litígios emergentes da execução do presente contrato, as partes acordam entre si, estabelecer como competente o foro da Comarca de Lisboa, com expressa renúncia a qualquer outro.

7 O presente contrato é feito em duplicado, ficando um exemplar em poder de cada Contratante. Lisboa, [ ] de [ ] de 2014 Primeira Contratante, Segunda Contratante,

CONTRATO. 2. O Fornecedor indicará ao @rmazem, durante a vigência deste Contrato, os produtos que pretende transaccionar.

CONTRATO. 2. O Fornecedor indicará ao @rmazem, durante a vigência deste Contrato, os produtos que pretende transaccionar. CONTRATO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES 1ª CONTRATANTE FILIPA JUNQUEIRA ARQUITECTA, LDA., sociedade por quotascom sede na Rua do Centro Cultural, nº 10, 1º andar, freguesia de S. João de Brito,

Leia mais

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro Regulamento 2ª Edição, Novembro de 2011 Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro 2ª Edição Novembro de 2011 Regulamento Artigo 1º Objectivo

Leia mais

MINUTA. Contrato de Mandato de Alienação

MINUTA. Contrato de Mandato de Alienação MINUTA Entre: Contrato de Mandato de Alienação 1. [Firma da empresa notificante da Operação de Concentração], (doravante denominação abreviada da empresa ou Mandante ), com sede em [morada], com o n.º

Leia mais

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA Entre: ESTAMO PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS, S.A., pessoa colectiva número 503152544, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com sede na Av. Defensores

Leia mais

PROTOCOLO. 1. A Fidelidade Mundial é uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal;

PROTOCOLO. 1. A Fidelidade Mundial é uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal; PROTOCOLO Entre Sindicato dos Educadores e Professores Licenciados pelas Escolas Superiores de Educação e Universidades, pessoa colectiva número 503 902233, com sede em Lisboa, na Avenida de Paris, nº

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO I2ADS CADERNO DE ENCARGOS

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO I2ADS CADERNO DE ENCARGOS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO I2ADS CADERNO DE ENCARGOS 1/5 Cláusula 1.ª Objecto contratual Cláusula 2.ª Serviços incluídos na prestação de

Leia mais

A AICCOPN NÃO SE RESPONSABILIZA PELA INSUFICIENTE OU INDEVIDA ADAPTAÇÃO DO SEU CLAUSULADO. MINUTA DE CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRAS PARTICULARES

A AICCOPN NÃO SE RESPONSABILIZA PELA INSUFICIENTE OU INDEVIDA ADAPTAÇÃO DO SEU CLAUSULADO. MINUTA DE CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRAS PARTICULARES ADVERTE-SE QUE ESTA MINUTA CONSTITUI APENAS UM EXEMPLO DE CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRAS PARTICULARES, PELO QUE DEVERÁ SER ADAPTADA CASO A CASO EM FUNÇÃO DAS NEGOCIAÇÕES QUE TIVEREM LUGAR. A AICCOPN NÃO

Leia mais

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com Prime Soluções Empresariais SEDE: Rua de Entrecampos, 28, 1749-076 Lisboa Nº de Pessoa Colectiva 502 M 757 - N' de Matricula 08537 C.R.C.L Capital Social de EUR.; 30 000 000. I/ -I- CONTRATO DE PRESTAÇÃO

Leia mais

Ajuste Directo. (alínea a) do n.º 1 do artigo 20º do CCP) Procedimento 03/2015

Ajuste Directo. (alínea a) do n.º 1 do artigo 20º do CCP) Procedimento 03/2015 Ajuste Directo (alínea a) do n.º 1 do artigo 20º do CCP) Procedimento 03/2015 Aquisição de Serviços de Criação de imagem e Fornecimento de Material de divulgação da oferta comercial CADERNO DE ENCARGOS

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA PARA USO DE MARCA PEFC

CONTRATO DE LICENÇA PARA USO DE MARCA PEFC CONTRATO DE LICENÇA PARA USO DE MARCA PEFC Aos.., dias do mês de... do ano de 200.. Entre: PRIMEIRO: CONSELHO DA FILEIRA FLORESTAL PORTUGUESA, designado por CFFP, pessoa colectiva número, com sede na Rua

Leia mais

Contrato de Assistência Técnica ao Programa pleon

Contrato de Assistência Técnica ao Programa pleon Contrato de Assistência Técnica ao Programa pleon dbgep/99999 Entre: -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

ALTERAÇÃO DO CONTRATO CONSTITUTIVO DO FUNDO DE PENSÕES DA TDP TELEDIFUSORA DE PORTUGAL, S.A. CELEBRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE

ALTERAÇÃO DO CONTRATO CONSTITUTIVO DO FUNDO DE PENSÕES DA TDP TELEDIFUSORA DE PORTUGAL, S.A. CELEBRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE ALTERAÇÃO DO CONTRATO CONSTITUTIVO DO FUNDO DE PENSÕES DA TDP TELEDIFUSORA DE PORTUGAL, S.A. CELEBRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 1992 Entre: PT COMUNICAÇÕES, S.A., sociedade anónima, com sede na Rua Andrade

Leia mais

entidades obrigadas as medidas de vigilância da clientela incluem "entidades obrigadas"

entidades obrigadas as medidas de vigilância da clientela incluem entidades obrigadas Parecer da OAA Parecer da Ordem dos Advogados (Proposta de Regulamento sobre prevenção de branqueamento de capitais e de financiamento do terrorismo). A prevenção da utilização do sistema financeiro para

Leia mais

Ajuste Directo. (alínea a) do n.º 1 do artigo 20º do CCP) Procedimento 02/2015

Ajuste Directo. (alínea a) do n.º 1 do artigo 20º do CCP) Procedimento 02/2015 Ajuste Directo (alínea a) do n.º 1 do artigo 20º do CCP) Procedimento 02/2015 Aquisição de Serviços de Social Media Marketing e de Criação de espaços virtuais de divulgação CADERNO DE ENCARGOS INDICE CADERNO

Leia mais

Contrato de Aquisição de Conhecimentos. Programa de Investigação Tecnologias Inteligentes de Comunicação Veícular

Contrato de Aquisição de Conhecimentos. Programa de Investigação Tecnologias Inteligentes de Comunicação Veícular Contrato de Aquisição de Conhecimentos Programa de Investigação Tecnologias Inteligentes de Comunicação Veícular Aveiro, 29 de Abril de 2010 Entre: Brisa Inovação e Tecnologia, S.A., com sede na Quinta

Leia mais

Condições Gerais.03 .03 .04 .04 .05 .05 .05 .05 .05 .06 .06 .06 .06 .06 .06 .06

Condições Gerais.03 .03 .04 .04 .05 .05 .05 .05 .05 .06 .06 .06 .06 .06 .06 .06 ÍNDICE Condições Gerais.03 Artigo 1º Definições.03 Artigo 2º Âmbito do Seguro.04 Artigo 3º Produção de Efeitos e Duração do Contrato.04 Artigo 4º Prémio do Seguro.05 Artigo 5º Inexactidão da Declaração

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

proposta de adesão ao serviço facturação repartida (vpn)

proposta de adesão ao serviço facturação repartida (vpn) proposta de adesão ao facturação repartida (vpn) postal - Entre a TMN - Telecomunicações Móveis, S.A., e o cliente vigora um acordo de prestação de telefónico móvel, a que corresponde o cartão do plano

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA PROMOCIONAL MONEYGRAM NO CONTINENTE/NOTE! CAMPANHA NOS MUNDO

REGULAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA PROMOCIONAL MONEYGRAM NO CONTINENTE/NOTE! CAMPANHA NOS MUNDO REGULAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA PROMOCIONAL MONEYGRAM NO CONTINENTE/NOTE! CAMPANHA NOS MUNDO Os seguintes termos e condições destinam-se a regular a campanha promocional Moneygram no Continente/note! Campanha

Leia mais

representada por Henrique Amorim Faria de Araújo, Administrador e Dídia Sónia dos

representada por Henrique Amorim Faria de Araújo, Administrador e Dídia Sónia dos PROTOCOLO Entre COSTA DUARTE - Corretor de Seguros, SA, inscrito no Instituto de Seguros de Portugal sob o n.º 607084984/3, com sede na Av. António Augusto de Aguiar, 130, 4º, 1050-020 Lisboa, matriculada

Leia mais

MUNICÍPIO DO CARTAXO. Contrato para "Fornecimento de Gás Natural"

MUNICÍPIO DO CARTAXO. Contrato para Fornecimento de Gás Natural Contrato para "Fornecimento de Gás Natural" Entre. Município do Cartaxo, com sede na Praça 15 de Dezembro, no Cartaxo, NIPC 506 780 902, representada neste ato por Fernando Manuel da Silva Amorim, na qualidade

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA PROMOCIONAL MONEYGRAM NO CONTINENTE/NOTE! GRANDE CAMPANHA 2015

REGULAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA PROMOCIONAL MONEYGRAM NO CONTINENTE/NOTE! GRANDE CAMPANHA 2015 REGULAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA PROMOCIONAL MONEYGRAM NO CONTINENTE/NOTE! GRANDE CAMPANHA 2015 Os seguintes termos e condições destinam-se a regular a campanha promocional Moneygram no Continente/note!

Leia mais

Convenção de Mediação. I. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete de identidade n.º: II. Nome:, estado civil:, capacidade:,

Convenção de Mediação. I. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete de identidade n.º: II. Nome:, estado civil:, capacidade:, Convenção de Mediação Entre: I. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete de identidade n.º:, contribuinte fiscal n.º:, residente em: ; II. Nome:, estado civil:, capacidade:, titular do bilhete

Leia mais

CONTRATO DE COMODATO DE IMÓVEL

CONTRATO DE COMODATO DE IMÓVEL 1/5 CONTRATO DE COMODATO DE IMÓVEL Pelo presente instrumento particular de contrato, que tem de um lado FUNDAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA, pessoa jurídica de direito privado, de fins não lucrativos, reconhecida

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DA NEFAB (tradução para Português)

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DA NEFAB (tradução para Português) CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA DA NEFAB (tradução para Português) Válidas desde 10-10-2005 Em caso de discrepância entre a versão inglesa e a tradução portuguesa das condições gerais de venda, ou em caso de

Leia mais

3º Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.1

3º Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.1 1. Beneficiários: As empresas que tenham operações contratadas ao abrigo das Linhas de Crédito PME Investe e que à data de contratação do alargamento do prazo não tenham incumprimentos não regularizados

Leia mais

ACORDO DE COLABORAÇÃO

ACORDO DE COLABORAÇÃO ACORDO DE COLABORAÇÃO ENTRE: Primeira outorgante: ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS AGÊNCIAS DE VIAGEM E TURISMO, pessoa colectiva nº 500 910 839 com sede na Rua Duque de Palmela, nº 2 1º Dtº - 1250 098 LISBOA,

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL Entre EDP Serviço Universal, S.A., com sede na Rua Camilo Castelo Branco, 43, em Lisboa, com o capital social de 10 100 000 (dez milhões

Leia mais

CONTRATO Nº 104/2014

CONTRATO Nº 104/2014 CONTRATO Nº 104/2014 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, QUE CELEBRAM O MUNICÍPIO DE SANTANA DA BOA VISTA/RS E A EMPRESA POLYTEK COMERCIO E SERVIÇOS DE INFORMATICA LTDA. O MUNICÍPIO DE SANTANA

Leia mais

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

CONTRATO DE ARRENDAMENTO Entre: CONTRATO DE ARRENDAMENTO, com o NUIT:,, natural de, de nacionalidade, residente na, nº, em, titular do B.I. nº, emitido em _, aos de de e válido até de de, doravante designado por Locador, E, com

Leia mais

Contrato de Assistência Técnica Informática - ATI

Contrato de Assistência Técnica Informática - ATI Contrato de Assistência Técnica Informática - ATI Ao subscrever o presente contrato o cliente expressamente reconhece e aceita vincular-se ás seguintes condições gerais. Cláusula primeira Definições 1.

Leia mais

REGULAMENTO DO TRADIPLUS

REGULAMENTO DO TRADIPLUS REGULAMENTO DO TRADIPLUS 1. Generalidades e Definições 1.1 - O TRADIPLUS é o programa de cliente frequente da empresa Tradicampo, Casas de Campo Tradicionais, Lda, que disponibiliza aos seus membros a

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE Entre: 1º BANCO SANTANDER TOTTA, S.A., com sede na Rua Áurea, nº 88, 1100-063 Lisboa e com o Capital Social de 656.723.284,00,

Leia mais

COMPLEXO SOCIAL DE APOIO À PESSOA IDOSA

COMPLEXO SOCIAL DE APOIO À PESSOA IDOSA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Primeiro Outorgante: portador do B.I./ Cartão do Cidadão n.º., emitido em. /. /. pelo Arquivo de Identificação, contribuinte n.º, residente em.., adiante designado por

Leia mais

Protocolo de Colaboração Entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal

Protocolo de Colaboração Entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal Protocolo de Colaboração Entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal Considerando que: - A Câmara Municipal, no âmbito das suas

Leia mais

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Artigo 102.º Objecto É aprovado o regime especial aplicável aos fundos de investimento imobiliário para arrendamento

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Capítulo I Disposições gerais. Cláusula 1.ª Objecto

CADERNO DE ENCARGOS. Capítulo I Disposições gerais. Cláusula 1.ª Objecto CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Cláusula 1.ª Objecto 1 O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir no contrato a celebrar na sequência do procedimento pré-contratual

Leia mais

1. Programa de Fidelização Altis Blue&Green através do qual são concedidos benefícios aos clientes das suas unidades hoteleiras.

1. Programa de Fidelização Altis Blue&Green através do qual são concedidos benefícios aos clientes das suas unidades hoteleiras. REGULAMENTO T E R M O S E C O N D I Ç Õ E S 1. Programa de Fidelização Altis Blue&Green através do qual são concedidos benefícios aos clientes das suas unidades hoteleiras. 2. Podem ingressar no clube

Leia mais

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE DIREITOS DE UTILIZAÇÃO DE CAPACIDADE DE INTERLIGAÇÃO VIP PORTUGAL-ESPANHA ENTRE REN - GASODUTOS, S.A., na qualidade de concessionária da Rede Nacional de Transporte de Gás Natural

Leia mais

Condições Gerais de Venda PREÂMBULO

Condições Gerais de Venda PREÂMBULO Condições Gerais de Venda PREÂMBULO 1.º Estas condições gerais de venda são acordadas entre A Factor de Segurança, Lda, uma sociedade por quotas, com sede na Rua de Goa n.º 321 4465-148 S. Mamede de Infesta,

Leia mais

Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal

Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS - 1 - Índice Cláusula 1ª - Objecto... Cláusula 2ª - Contrato... Cláusula 3ª - Prazo...

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular Endereço

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução do Conselho do Governo n.º 161/2006 de 14 de Dezembro de 2006

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução do Conselho do Governo n.º 161/2006 de 14 de Dezembro de 2006 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Resolução do Conselho do Governo n.º 161/2006 de 14 de Dezembro de 2006 A SPRAçores Sociedade de Promoção e Gestão Ambiental, S.A., é uma sociedade que tem por

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS. 1 TEU transitário. Artigo 1º Definições. Artigo 2º Âmbito

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS EMPRESAS TRANSITÁRIAS. 1 TEU transitário. Artigo 1º Definições. Artigo 2º Âmbito Artigo 1º Definições Artigo 2º Âmbito Artigo 3º Aplicabilidade Artigo 4º Apresentação dos preços Artigo 5º Alteração dos preços Artigo 6º Revisão de preços e condições Artigo 7º Validade das propostas

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS ÍNDICE I Informações Iniciais... 4 II Glossário... 4 III Objetivo... 5 IV Natureza do Título... 5 V Vigência... 5 VI Pagamento... 5 VII Carência...

Leia mais

ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE

ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE TELEFONICA BRASIL S.A, com sede à Rua Martiniano de Carvalho, nº. 851, na cidade de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 02.558.157/0001-62, neste ato representada

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE, S.A. E CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE, S.A. E CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE, S.A. E CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS Entre: Companhia de Seguros Tranquilidade S.A., com o capital social de 95.000.000 (noventa

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. 3. Os comercializadores são responsáveis pelo cumprimento das obrigações decorrentes do acesso à RNTGN por parte dos seus clientes.

CONDIÇÕES GERAIS. 3. Os comercializadores são responsáveis pelo cumprimento das obrigações decorrentes do acesso à RNTGN por parte dos seus clientes. CONDIÇÕES GERAIS Cláusula 1ª Definições e siglas No âmbito do presente Contrato de Uso da Rede de Transporte, entende-se por: a) «Contrato» o presente contrato de uso da rede de transporte; b) «Agente

Leia mais

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução Lei n. o 7/2013 Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção Breve introdução 1. O que regula essencialmente o Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção?

Leia mais

Índice Artigo 1.º Objecto... 3. Artigo 2.º Contrato... 3. Artigo 3.º Obrigações principais do adjudicatário... 4. Artigo 4.º Prazo...

Índice Artigo 1.º Objecto... 3. Artigo 2.º Contrato... 3. Artigo 3.º Obrigações principais do adjudicatário... 4. Artigo 4.º Prazo... Concurso Público para a elaboração do Inventário de Referência das Emissões de CO2 e elaboração do Plano de Acção para a Energia Sustentável do Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS Índice Artigo 1.º

Leia mais

ADENDA CONTRATO DE ALUGUER DE VIATURA EM SISTEMA CARSHARING N.º

ADENDA CONTRATO DE ALUGUER DE VIATURA EM SISTEMA CARSHARING N.º Original ADENDA CONTRATO DE ALUGUER DE VIATURA EM SISTEMA CARSHARING N.º Que celebram: CARRISTUR Inovação em Transportes Urbanos e Regionais, Sociedade Unipessoal, Limitada, com sede social na Rua 1º de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. 3.1- A Tabela de Preços pode ser alterada sem aviso prévio (P.V.P.). Os preços estão sujeitos á Taxa de IVA em vigor na lei fiscal

CONDIÇÕES GERAIS. 3.1- A Tabela de Preços pode ser alterada sem aviso prévio (P.V.P.). Os preços estão sujeitos á Taxa de IVA em vigor na lei fiscal CONDIÇÕES GERAIS 1- Disposições Gerais 1.1- As vendas de materiais e serviços pela Politejo S.A. regem-se pelas condições especiais de cada fornecimento, pelas presentes condições gerais e pela lei aplicável.

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre Primeira Contraente: Fundação de Serralves, pessoa colectiva de direito privado nº 502266643, instituída pelo Decreto-Lei nº 240-A/89, de 27 de Julho, com sede na

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR1_S100_1S_CS0834 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

CONTRATO DE UTILIZADOR

CONTRATO DE UTILIZADOR CONTRATO DE UTILIZADOR Entre: a) Ecopilhas Sociedade Gestora de Resíduos de Pilhas e Acumuladores, Lda., sociedade comercial por quotas, com sede na Praça Nuno Rodrigues dos Santos, n.º 7, 1.º andar sala

Leia mais

Essência d Afectos. As entidades signatárias assumem o compromisso geral de cooperação sobre este protocolo.

Essência d Afectos. As entidades signatárias assumem o compromisso geral de cooperação sobre este protocolo. Protocolo de condições preferenciais sobre os serviços da Essência d Afectos 1. Identificação dos Outorgantes: Essência d Afectos, Lda, pessoa coletiva nº 509 513 182, com sede na Rua Júlio Dinis, n.º

Leia mais

PROTOCOLO DE COMODATO

PROTOCOLO DE COMODATO PROTOCOLO DE COMODATO Considerando que a Administração Regional de Saúde do Norte I.P., (ARSN) tem por missão garantir à população da respetiva área geográfica de intervenção, o acesso à prestação de cuidados

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO Considerando que: O voluntariado está a crescer no nosso país, ganhando cada vez mais expressão e importância, tanto para quem o pratica

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS (Conforme art.42º do Decreto Leinº18/2008 de 29 de Janeiro de 2008) Cláusula 1.ª Objecto 1. O presente

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A "DESENTOP AMBIENTE - Gestão Global de Serviços e Resíduos, Lda" 1. Preâmbulo

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A DESENTOP AMBIENTE - Gestão Global de Serviços e Resíduos, Lda 1. Preâmbulo PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A "DESENTOP AMBIENTE - Gestão Global de Serviços e Resíduos, Lda" 1. Preâmbulo A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos militares e aos

Leia mais

Atributos da Proposta e Preço Contratual

Atributos da Proposta e Preço Contratual Atributos da Proposta e Preço Contratual António José da Silva Coutinho, portador do cartão de cidadão nº. 08419828, com domicílio profissional na Rua Castilho, 165, 4º, 1070-050 Lisboa, na qualidade de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: Nº 03.558.096/0001-04 PU 12 MESES - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

É celebrado o presente Protocolo de Cooperação para a realização de Estágio(s), nos termos das cláusulas seguintes : Cláusula 1ª (Âmbito e Objeto)

É celebrado o presente Protocolo de Cooperação para a realização de Estágio(s), nos termos das cláusulas seguintes : Cláusula 1ª (Âmbito e Objeto) MINUTA DE PROTOCOLO DE ESTÁGIO A Marinha, neste ato representada pelo (cargo da entidade), (posto e nome), por designação do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, adiante designada por Entidade de

Leia mais

Contrato de Arrendamento Urbano para Alojamento Local Temporário

Contrato de Arrendamento Urbano para Alojamento Local Temporário Contrato de Arrendamento Urbano para Alojamento Local Temporário Entre: I -... (nome completo, estado civil, contribuinte fiscal e morada) na qualidade de senhorio e adiante designado por primeiro outorgante.

Leia mais

Condições Gerais do Caixadirecta Empresas

Condições Gerais do Caixadirecta Empresas Condições Gerais do Caixadirecta Empresas Cláusula 1ª - Objecto As presentes condições gerais regulam o Caixadirecta Empresas, sem prejuízo das disposições legais aplicáveis e daquilo que for especialmente

Leia mais

NORMA REGULAMENTAR N.º 18/2007-R, de 31 de Dezembro SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS MEDIADORES D E SEGUROS

NORMA REGULAMENTAR N.º 18/2007-R, de 31 de Dezembro SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS MEDIADORES D E SEGUROS Não dispensa a consulta do regulamento publicado em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 18/2007-R, de 31 de Dezembro SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS MEDIADORES D E SEGUROS O Decreto-Lei

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET Minuta I CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta O PRESENTE CONTRATO FOI APROVADO PELO INSTITUTO DAS COMUNICAÇÕES DE PORTUGAL, NOS TERMOS E PARA OS EFEITOS DO ARTIGO 9/2 DO DECRETO

Leia mais

SEGURO UNIT LINKED CA INVESTIMENTO -1ª SÉRIE (Não Normalizado)

SEGURO UNIT LINKED CA INVESTIMENTO -1ª SÉRIE (Não Normalizado) CONDIÇÕES GERAIS SOLUÇÕES CAPITALIZAÇÃO SEGURO UNIT LINKED CA INVESTIMENTO -1ª SÉRIE (Não Normalizado) 1 CONDIÇÕES GERAIS DA APÓLICE CA Investimento 1ª Série (Não Normalizado) SEGURO INDIVIDUAL Cláusula

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE CORREIO ELECTRÓNICO DOS SOLICITADORES

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE CORREIO ELECTRÓNICO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE CORREIO ELECTRÓNICO DOS SOLICITADORES * Aprovado em assembleia-geral de 1/7/2003 Nos termos do al f) do n.º 1 do art.º 30.º, do n.º 6 do art.º 33.º e da alínea j) do art.º

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre: Município da Nazaré, pessoa colectiva nº 507 012 100, com sede na Avenida Vieira Guimarães, n.º 54, Nazaré, através do seu órgão executivo, Câmara Municipal da Nazaré, representado

Leia mais

Procedimento de Contratação. (artº 5º do CCP Contratação Excluída) Procedimento 5/2013

Procedimento de Contratação. (artº 5º do CCP Contratação Excluída) Procedimento 5/2013 Procedimento de Contratação (artº 5º do CCP Contratação Excluída) Procedimento 5/2013 Aquisição de Serviços de Consultores-formadores de Ligação e Especialistas para a execução do Projecto nº 084749/2012/831

Leia mais

REAL PPR Condições Gerais

REAL PPR Condições Gerais Entre a, adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro identificado nas Condições Particulares, estabelece-se o presente contrato de seguro que se regula pelas Condições Particulares e desta apólice,

Leia mais

Anexo 1.2.7 : Modelo de instrumento de cessão de crédito sem coobrigação

Anexo 1.2.7 : Modelo de instrumento de cessão de crédito sem coobrigação Anexo 1.2.7 : Modelo de instrumento de cessão de crédito sem coobrigação INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO DE CRÉDITOS SEM COOBRIGAÇÃO Por este instrumento, as partes a seguir designadas e qualificadas,

Leia mais

Condições Gerais. I Informações Iniciais

Condições Gerais. I Informações Iniciais Condições Gerais I Informações Iniciais Sociedade de Capitalização: MAPFRE Capitalização S.A. CNPJ: 09.382.998/0001-00 Nome Fantasia do Produto: Mc-T-04- Pu 12 Meses Modalidade: Tradicional Processo Susep

Leia mais

ENTRE CTOC CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS AVS CORRETORES DE SEGUROS COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE BANCO ESPIRITO SANTO

ENTRE CTOC CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS AVS CORRETORES DE SEGUROS COMPANHIA DE SEGUROS TRANQUILIDADE BANCO ESPIRITO SANTO PROTOCOLO D ACORDO NTR CTOC CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS D CONTAS AVS CORRTORS D SGUROS COMPANHIA D SGUROS TRANQUILIDAD BANCO SPIRITO SANTO NTR: CTOC - CÂMARA D TÉCNICOS OFICIAIS D CONTAS, com sede na

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre F.., residente em.com o número de contribuinte, [ou 1 ] F..., com sede em,, com o capital social de. euros, matriculada na Conservatória

Leia mais

CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO

CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO Por este instrumento e na melhor forma de direito, o BANCO SANTANDER (BRASIL) S/A, com sede na Av. Pres. Juscelino Kubitschek,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: 03.558.096/0001-04 (PU 15 MESES) - MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO ETAPAS DO PROCESSO DE CANDIDATURA 1ª Etapa Candidaturas: 1 Out 2014 28 Fev 2015. O prémio Consumus Dixit é aberto a todos trabalhos profissionais, académicos, personalidades

Leia mais

O mútuo, objeto deste contrato, será concedido conforme condições que se seguem:

O mútuo, objeto deste contrato, será concedido conforme condições que se seguem: SÃO PARTES DESTE CONTRATO: CONTRATO DE EMPRÉSTIMO FUNCEF NA MODALIDADE DE CREDINÂMICO FUNCEF 13º SALÁRIO QUE ENTRE SI FAZEM AS PARTES ABAIXO IDENTIFICADAS, NAS CONDIÇÕES QUE SE SEGUEM: A FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS

Leia mais

Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011

Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011 Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011 Programa de concurso CMF Abril de 2011 Programa de concurso Pág.

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE CONSÓRCIO

MINUTA DE CONTRATO DE CONSÓRCIO ADVERTE-SE QUE ESTA MINUTA CONSTITUI APENAS UM EXEMPLO, PELO QUE DEVERÁ SER ADAPTADA CASO A CASO. A AICCOPN NÃO SE RESPONSABILIZA PELA INSUFICIENTE OU INDEVIDA ADAPTAÇÃO DA PRESENTE MINUTA. MINUTA DE CONTRATO

Leia mais

CONVITE AJUSTE DIRETO N.º 04/ENB/2012

CONVITE AJUSTE DIRETO N.º 04/ENB/2012 CONVITE AJUSTE DIRETO N.º 04/ENB/2012 RELATIVO A AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉCTRICA DE BAIXA TENSÃO PARA AS INSTALAÇÕES DO CENTRO DE FORMAÇÃO DE SINTRA DA ESCOLA NACIONAL DE BOMBEIROS.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PU 12 meses 1 sorteio, pagamento variável Modalidade: Incentivo Processo SUSEP: 15414.003760/2011-45

CONDIÇÕES GERAIS PU 12 meses 1 sorteio, pagamento variável Modalidade: Incentivo Processo SUSEP: 15414.003760/2011-45 CONDIÇÕES GERAIS PU 12 meses 1 sorteio, pagamento variável Modalidade: Incentivo Processo SUSEP: 15414.003760/2011-45 1. Glossário Subscritor é quem adquire o Título, assumindo o compromisso de efetuar

Leia mais

CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA FREGUESIA DE EM MATÉRIA DE

CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA FREGUESIA DE EM MATÉRIA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA FREGUESIA DE EM MATÉRIA DE No dia?? de????? de 2015, no Departamento de Administração Geral da Câmara Municipal de Guimarães, perante mim,?????????????????????,

Leia mais

Município de Alcácer do Sal

Município de Alcácer do Sal Município de Alcácer do Sal Divisão de Planeamento e Gestão Urbanística CONCURSO PÚBLICO CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO DO QUIOSQUE NA MARGEM SUL PROGRAMA DE PROCEDIMENTO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Objecto: Concessão

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA A PRODUTORES EM REGIME ESPECIAL Entre EDP Serviço Universal, S.A., com sede na Rua Camilo Castelo Branco, 43, em Lisboa, com o capital social de 10 100 000 (dez

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, com sede em, com o capital social de ( Euros), matriculada na Conservatória do Registo Comercial de, com o número de matrícula e

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES. 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES. 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ACÇÕES PARTES: 1., adiante designadas simplesmente por VENDEDORAS E 2., com sede em, com o capital social de, Pessoa Colectiva número, matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços de Alojamento de Web Site e Registo de Domínio

Contrato de Prestação de Serviços de Alojamento de Web Site e Registo de Domínio Contrato de Prestação de Serviços de Alojamento de Web Site e Registo de Domínio Entre Olivertek, LDA, pessoa colectiva n.º 507827040, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Gondomar, sob

Leia mais

Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013. Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo)

Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013. Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo) Decreto-Lei n.º 255/99 de 7 de Julho- Versão27-08-2013 Texto consolidado com as alterações introduzidas pela Lei 5/2013 (texto sublinhado a amarelo) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1. O

Leia mais

CONDIÇÕES DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO SITO NO PORTO DE RECREIO DE OLHÃO

CONDIÇÕES DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO SITO NO PORTO DE RECREIO DE OLHÃO CONDIÇÕES DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO SITO NO PORTO DE RECREIO DE OLHÃO 1.- OBJECTO DO CONTRATO 1.1. - O contrato terá por objecto a concessão de exploração do Snack-Bar-Restaurante

Leia mais

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL PERÍCIAS COMPLEMENTARES

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL PERÍCIAS COMPLEMENTARES PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AVALIAÇÃO DO DANO CORPORAL PERÍCIAS COMPLEMENTARES Considerando que: nos termos legais e regulamentares aplicáveis, o FUNDO DE GARANTIA AUTOMÓVEL, entre outras atribuições,

Leia mais

TERMO DE DISPONIBILIZAÇÃO DE ESPAÇO VIRTUAL PARA DIVULGAÇÃO DE MARCA, PRODUTOS E/OU SERVIÇOS

TERMO DE DISPONIBILIZAÇÃO DE ESPAÇO VIRTUAL PARA DIVULGAÇÃO DE MARCA, PRODUTOS E/OU SERVIÇOS TERMO DE DISPONIBILIZAÇÃO DE ESPAÇO VIRTUAL PARA DIVULGAÇÃO DE MARCA, PRODUTOS E/OU SERVIÇOS Pelo presente Termo, em que são partes, de um lado SHAPE.I e, de outro, PARCEIRO, regularmente cadastrado em

Leia mais

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO Termo de Constituição de Consórcio 1 As Partes: A empresa (Nome da Empresa)..., com sede na cidade de..., (Endereço)..., com CNPJ n o..., Inscrição Estadual...,

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A.

PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A. PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A. A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos associados da ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS

Leia mais

Minuta de Apólice de Responsabilidade Civil Profissional de Projectistas Requerida para Qualquer Contratação da PARQUE ESCOLAR, E.P.E.

Minuta de Apólice de Responsabilidade Civil Profissional de Projectistas Requerida para Qualquer Contratação da PARQUE ESCOLAR, E.P.E. Minuta de Apólice de Responsabilidade Civil Profissional de Projectistas Requerida para Qualquer Contratação da PARQUE ESCOLAR, E.P.E. No entanto, para que o nível de exigência aqui definido não constitua

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO.1 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.30/0001-94 APLUBCAP ECO.1 MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: 15414.0055/011-47

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, residente em com o número de contribuinte, adiante designado(a) abreviadamente por Produtor; e EDP Serviço Universal, S.A., com sede

Leia mais