Implementação do Web SIG para o PGRH

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implementação do Web SIG para o PGRH"

Transcrição

1 Implementação do Web SIG para o PGRH ARH Centro, I.P. Requisitos do Sistema Ref.: 30/11/2010

2 FICHA TÉCNICA Referência: Projecto: Implementação do Web SIG para o PGRH Gestor de Projecto: Miguel Rodrigues Cliente: ARH Centro, I.P. Contacto: Eng.º Nuno Bravo Data: 29 de Novembro de 2010 ESRI Portugal Sistemas e Informação Geográfica S.A. Rua Julieta Ferrão, nº 10 10º LISBOA Telefone: Fax: WWW: P/ ESRI Portugal Miguel Rodrigues (Gestor Projectos) ARHCentro/2010/ Pág. 2 de 27

3 REGISTO DE VERSÕES Versão Data Autor Alterações V1 2010/11/29 Miguel Rodrigues Criação do Documento DISTRIBUIÇÃO Nome Entidade Função Eng.º Nuno Bravo ARH Centro Director de Projecto Eng.º Nuno Charneca LNEC Gestor de Projecto Rodrigo Silva Miguel Rodrigues Nuno Gil ESRI Gestor de Cliente Gestor de Projecto Consultor Técnico ARHCentro/2010/ Pág. 3 de 27

4 ÍNDICE 1 Objectivo do Documento Tipo de Requisitos Requisitos Funcionais Requisitos Técnicos ARHCentro/2010/ Pág. 4 de 27

5 1 Objectivo do Documento O Presente projecto consiste na implementação de um Sistema de Informação Geográfica Web que sirva de suporte à tomada de decisão nos processos de licenciamento e que permita o acesso distribuído à informação geográfica da ARH Centro. Assim e baseando-se nos requisitos e premissas já existentes, o presente documento, enquadrado no âmbito do presente projecto, tem como proncipal objectivo a enumeração de todos os requisitos ou premissas que de algum modo tenham influência na definição funcional do sistema. De referir que este documento constitui uma importante ferramenta de trabalho para a posterior elaboração do documento de Análise e Desenho do Sistema, bem como para o respectivo desenvolvimento e testes que deverão estar em conformidade com os requisitos aqui descritos. 2 Tipo de Requisitos Os requisitos do sistema encontram-se divididos em dois grupos principais: Requisitos funcionais; Requisitos Técnicos: todos os requisitos técnicos (Infra-estruturas, software, etc.) que tenham influência na definição funcional do sistema a implementarem. 3 Requisitos Funcionais Este sistema tem como principais objectivos o suporte à tomada de decisão nos processos de licenciamento e a disponibilização, de forma distribuída, da informação geográfica da ARH Centro. Código Descrição Requisitos ARHCentro/2010/ Pág. 5 de 27

6 relacionados F.1 O sistema será composto pelas seguintes macrocomponentes: Integração com o Sistema de Gestão de Processos; Portal Geográfico integração com o Balcão On-line; BackOffice global do Sistema. F.2 A nível funcional passaremos a designar a sua estrutura da seguinte forma: Integração com o Sistema de Gestão de Processos: o Módulo Web SIG de georreferenciação, consulta e análise de processos; o Módulo Web SIG de visualização e análise; Portal Geográfico: o Módulo Web SIG de georreferenciação e consulta do processo; o Módulo Web SIG de visualização; o Módulo de pesquisa e criação de metadados; BackOffice global do Sistema: o Módulo de administração F.3 Toda a informação geográfica a disponibilizar encontrar-se-á num dos dois sistemas de referência, a definir posteriormente em fase de análise: ARHCentro/2010/ Pág. 6 de 27

7 PT-TM06/ETRS89 - European Terrestrial Reference System 1989; Hayford-Gauss/Lisboa (militar). F.4 Módulo Web SIG de georreferenciação, consulta e análise de processos F.4.1 O acesso a este módulo é feito única e exclusivamente a partir do Sistema de Gestão de Processos (SGP), através do formulário do processo de licenciamento, através de um URL e conjunto fixo de parâmetros. Este módulo apenas se encontrará disponível na intranet. F.4.2 O SGP utilizará, no URL de chamada ao módulo Web SIG de georreferenciação e consulta de processos, os seguintes parâmetros: Identificador do processo (chave de ligação entre o SGP e o SIG); Tipologia/procedimento associado ao processo; Freguesia da localização do processo; Outros parâmetros relevantes a definir em fase de análise. F.4.3 O SGP disponibilizará ao SIG informação sobre o estado do processo (em apreciação, deferido, indeferido, ), por exemplo através de uma view de base de dados. F.4.4 O Web SIG passará ao SGP informação referente ARHCentro/2010/ Pág. 7 de 27

8 a: Coordenadas da geometria do processo; Código da freguesia de localização (DTCCFR); Código do Sistema Aquífero; Código da Bacia Hidrográfica; Código da Sub-bacia Hidrográfica; Número da Carta Militar; Outros parâmetros relevantes a definir em fase de análise. F.4.5 Após a disponibilização do módulo Web SIG de georreferenciação e consulta de processos, o técnico deverá ter disponíveis as seguintes funcionalidades: Navegação sobre o mapa; Gestão de temas; Pesquisas e consulta de atributos sobre os temas existentes; Edição de geometria; Inserção manual de coordenadas X e Y; Ferramentas de geoprocessamento; Exportação de mapa de processo; Impressão de planta. F Navegação sobre o mapa: O sistema disponibiliza ao utilizador um conjunto de ferramentas de Navegação, assim como de avaliação de distâncias no mapa, a possibilidade de forma imediata identificar qualquer zona do Mapa e obter informação detalhada da mesma. ARHCentro/2010/ Pág. 8 de 27

9 F Gestão de temas: O sistema fornece ao utilizador a possibilidade de forma simples poder contextualizar o seu trabalho, tornando visíveis ou não os temas que pretende. F4.5.3 Pesquisas e consulta de atributos sobre os temas existentes: Esta pesquisa permite ao utilizador localizar geograficamente no mapa as entidades pretendidas, através da pesquisa aos seus atributos alfanuméricos. F Edição de geometria: O sistema oferece a possibilidade de inserção ou alteração da geometria associada ao processo de licenciamento em questão (pontos, linhas ou polígonos). A geometria associada ao processo será persistida em base de dados, em localização a definir posteriormente e de acordo com a tipologia/procedimento do processo. O sistema terá mecanismos de validação (a definir em fase de análise) que permitirão aferir se a localização indicada está correcta. Este controlo será feito ao nível da freguesia ou superior (concelho, distrito, ). F Inserção manual de coordenadas X e Y: Ao invés de inserir interactivamente a geometria ARHCentro/2010/ Pág. 9 de 27

10 associada ao processo de licenciamento em questão, o utilizador terá a possibilidade de digitar directamente as coordenadas da sua localização. O sistema terá mecanismos de validação (a definir em fase de análise) que permitirão aferir se a localização indicada está correcta. Este controlo será feito ao nível da freguesia ou superior (concelho, distrito, ). F Ferramentas de geoprocessamento: As ferramentas de geoprocessamento a apresentar dependerão da tipologia/procedimento associado ao processo em análise. Os procedimentos formais, levantados no âmbito da certificação de qualidade da ARH, que serão suportados por modelos de geoprocessamento são os seguintes: Captação de Águas Subterrâneas; Captação de Águas Superficiais; Rejeição de Águas Residuais; Captação de Água para Produção de Energia e Implantação das Respectivas Infra-Estruturas Hidráulicas; Extracção de Inertes; Implantação de Infra-estruturas Hidráulicas; Competições Desportivas e Navegação Marítimo-Turística ou Infra-estruturas e Equipamentos de Apoio à Navegação ou Instalação de Infra-estruturas e Equipamentos Flutuantes; ARHCentro/2010/ Pág. 10 de 27

11 Culturas Biogenéticas e Marinhas; Construções em Domínio Hídrico; Apoios de Praia e Edificações de Empreendimentos Turísticos e Similares de Hotelaria; Fiscalização. Os procedimentos informais, assim designados por não fazerem parte dos procedimentos levantados no âmbito da certificação da qualidade, que serão suportados por modelos de geoprocessamento são os seguintes: Operações simplificadas de requalificação da rede hidrográfica; Intervenções na rede hidrográfica responsabilidade da ARH. Note-se que se parte do pressuposto que a informação geográfica de suporte a cada um dos modelos de geoprocessamento se encontra disponível e em condições de ser utilizada. F Procedimento Captação de Águas Subterrâneas: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a captação se situa em domínio hídrico/marítimo privado ou público; Análise da proximidade da captação às captações já existentes. A nova captação não se pode situar a menos de 100 m. de uma captação já existente; ARHCentro/2010/ Pág. 11 de 27

12 Analisar se a captação se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a captação se situa em Rede Natura; No caso da captação se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; Analisar se a captação se situa em perímetro de protecção de outras captações já existentes; Analisar quais as massas de água utilizadas na captação. F Procedimento Captação de Águas Superficiais: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a captação se situa em domínio hídrico/marítimo privado ou público; Analisar se a captação se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a captação se situa em Rede Natura; No caso da captação se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; Analisar se a captação se situa em perímetro de protecção de outras captações já existentes; Analisar quais as massas de água utilizadas na captação. ARHCentro/2010/ Pág. 12 de 27

13 F Procedimento Rejeição de Águas Residuais: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a rejeição se situa em domínio hídrico/marítimo privado ou público; Analisar se a rejeição se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a rejeição se situa em Rede Natura; No caso da rejeição se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; No caso de rejeições de águas residuais urbanas em linhas de água, analisar se a descarga é efectuada em linha de água sensível (DL 152/97 de 19 de Junho, alterado pelos DL 149/04 de 22 de Junho e DL 198/08 de 08 de Outubro). F Procedimento Captação de Água para Produção de Energia e Implantação das Respectivas Infra- Estruturas Hidráulicas: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio hídrico privado ou público; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; ARHCentro/2010/ Pág. 13 de 27

14 Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; Estudo hidrológico/hidráulico para cálculo de caudais de cheia para um período de retorno de 100 anos. F Procedimento Extracção de Inertes: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas (incluindo outros títulos de extracção de inertes); Analisar se a localização se situa em domínio hídrico privado ou público; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira. F Procedimento Implantação de Infra-estruturas Hidráulicas: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio hídrico privado ou público; ARHCentro/2010/ Pág. 14 de 27

15 Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; Estudo hidrológico/hidráulico para cálculo de caudais de cheia para um período de retorno de 100 anos. F Procedimento Competições Desportivas e Navegação Marítimo-Turística ou Infra-estruturas e Equipamentos de Apoio à Navegação ou Instalação de Infra-estruturas e Equipamentos Flutuantes: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio hídrico/marítimo privado ou público; Analisar se a localização se encontra em área de jurisdição da ARH ou da Administração Portuária; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira. ARHCentro/2010/ Pág. 15 de 27

16 F Procedimento Culturas Biogenéticas e Marinhas: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio marítimo privado ou público (delimitado ou não delimitado); Analisar se a localização se encontra em área de jurisdição da ARH ou da Administração Portuária; Analisar se a localização se encontra em área de Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) e qual a área respectiva: praias marítimas, áreas naturais, áreas urbanas e urbanizáveis e áreas de equipamentos; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura. F Procedimento Construções em Domínio Hídrico: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio hídrico privado ou público; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede ARHCentro/2010/ Pág. 16 de 27

17 Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; Estudo hidrológico/hidráulico para cálculo de caudais de cheia para um período de retorno de 100 anos. F Procedimento Apoios de Praia e Edificações de Empreendimentos Turísticos e Similares de Hotelaria: As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio marítimo privado ou público (delimitado ou não delimitado); Analisar se a localização se encontra em área de jurisdição da ARH ou da Administração Portuária; Analisar se a localização se encontra em área de Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) e qual a área respectiva: praias marítimas, áreas naturais, áreas urbanas e urbanizáveis e áreas de equipamentos; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura. F Procedimento Fiscalização: ARHCentro/2010/ Pág. 17 de 27

18 As análises a disponibilizar são as seguintes: Confrontação com outras utilizações licenciadas; Analisar se a localização se situa em domínio hídrico/marítimo privado ou público; Analisar se a localização se encontra em área de jurisdição da ARH ou da Administração Portuária; Analisar se a localização se encontra em área de Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) e qual a área respectiva: praias marítimas, áreas naturais, áreas urbanas e urbanizáveis e áreas de equipamentos; Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira; Dar indicação de quais as autoridades com competências para a fiscalização da zona em questão. F Procedimento informal Operações simplificadas de requalificação da rede hidrográfica: As análises a disponibilizar são as seguintes: Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; ARHCentro/2010/ Pág. 18 de 27

19 Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira. F Procedimento informal Intervenções na rede hidrográfica responsabilidade da ARH: As análises a disponibilizar são as seguintes: Analisar se a localização se situa em Reserva Ecológica Nacional; Analisar se a localização se situa em Rede Natura; No caso da localização se situar numa albufeira, analisar se a mesma é abrangida por Plano de Ordenamento de Albufeira. F Resultados das análises de geoprocessamento: O resultado de cada análise será apresentado sobre a forma de texto, permitindo que o utilizador o possa copiar para a clipboard. F Exportação de mapa de processo: Sempre que existam elementos do processo georreferenciados, o utilizador terá a possibilidade de exportar o mapa do processo (escala e dimensão a definir). O mapa será única e exclusivamente composto pelos elementos geográficos do processo, centrados sobre a carta militar. ARHCentro/2010/ Pág. 19 de 27

20 Este mapa será exportado para uma tabela de interface, acessível ao SGP, que conterá: Identificador do processo; Imagem num formato standard a definir; Data/Hora da geração da imagem; Nome do técnico que exportou a imagem. F Impressão de planta: O sistema permitirá a impressão, para formato PDF e tamanho A4 retrato, do mapa que se encontra a ser visualizado pelo utilizador. O utilizador poderá ainda escolher a escala de impressão do mapa, e inserir um título para o mesmo. F.4.6 No que diz respeito às rejeições de águas residuais, o sistema processará os dados do autocontrolo das mesmas e simbolizará as suas geometrias, num código de cores a definir, de acordo com os resultados do último auto-controlo registado e do último auto-controlo anual. O utilizador poderá ainda obter um detalhe tabular dos resultados do ano actual, clicando sobre cada rejeição. F.4.7 A informação geográfica a disponibilizar será alvo de análise futura. F.5 Módulo Web SIG de visualização e análise F.5.1 O acesso a este módulo é feito de forma directa e ARHCentro/2010/ Pág. 20 de 27

21 independente do SGP. Este módulo apenas se encontrará disponível na intranet. F.5.2 Após o acesso a este módulo Web SIG de visualização e análise, o técnico deverá ter disponíveis todas as funcionalidades descritas nos requisitos F4.5 (e seus sub-requisitos), F4.6 e F4.7, salvo as seguintes excepções: F4.5 F4.6 F4.7F.4.5 A(s) geometria(s) criada(s) não serão persistidas em base de dados; A funcionalidade de exportação de mapa de processo não estará disponível. Nota: No contexto deste módulo, o utilizador trabalhará com processos fictícios. F.6 Módulo Web SIG de georreferenciação e consulta do processo F.6.1 O acesso a este módulo é feito única e exclusivamente a partir do Balcão On-Line (SGP), através do formulário do processo de licenciamento, através de um URL e conjunto fixo de parâmetros. Este módulo encontrar-se-á disponível na intranet e internet. F.6.2 A autenticação do utilizador será garantida pelo SGP. O Web SIG validará a sessão do utilizador. Esta validação será definida posteriormente. ARHCentro/2010/ Pág. 21 de 27

22 F.6.3 O SGP utilizará, no URL de chamada ao módulo Web SIG de georreferenciação e consulta de processos, os seguintes parâmetros: Identificador do processo (chave de ligação entre o SGP e o SIG); Tipologia/procedimento associado ao processo; Freguesia da localização do processo; Outros parâmetros relevantes a definir em fase de análise. F.6.4 O SGP disponibilizará ao SIG informação sobre o estado do processo (em apreciação, deferido, indeferido, ), por exemplo através de uma view de base de dados. F.6.5 O Web SIG passará ao SGP informação referente a: Coordenadas da geometria do processo; Código da freguesia de localização (DTCCFR); Código do Sistema Aquífero; Código da Bacia Hidrográfica; Código da Sub-bacia Hidrográfica; Número da Carta Militar; Outros parâmetros relevantes a definir em fase de análise. F.6.5 Após a disponibilização do módulo Web SIG de georreferenciação e consulta de processo, o requerente deverá ter disponíveis as seguintes funcionalidades: ARHCentro/2010/ Pág. 22 de 27

23 Navegação sobre o mapa; Gestão de temas; Pesquisas e consulta de atributos sobre os temas existentes; Edição de geometria; Inserção manual de coordenadas X e Y; Impressão de planta. F A descrição de cada uma destas funcionalidades é a que consta dos requisitos F4.5.1, F4.5.2, F4.5.3, F4.5.4, F4.5.5 e F4.5.8 F4.5.1 F4.5.2 F4.5.3 F4.5.4 F4.5.5 F4.5.8 F.6.7 A informação geográfica a disponibilizar será alvo de análise futura. F.7 Módulo Web SIG de visualização F.7.1 O acesso a este módulo é feito de forma directa e independente do SGP. Este módulo encontrar-se-á disponível na intranet e internet. F.7.2 Após o acesso a este módulo Web SIG de visualização, o utilizador deverá ter disponíveis as seguintes funcionalidades: F4.5 F4.6 Navegação sobre o mapa; F4.7F.4.5 ARHCentro/2010/ Pág. 23 de 27

24 Gestão de temas; Pesquisas e consulta de atributos sobre os temas existentes; Impressão de planta. F A descrição de cada uma destas funcionalidades é a que consta dos requisitos F4.5.1, F4.5.2, F4.5.3 e F F4.5.1 F4.5.2 F4.5.3 F4.5.8 F.7.3 A informação geográfica a disponibilizar será alvo de análise futura. F.8 Módulo de pesquisa e criação de metadados F.8.1 Este módulo terá as suas funcionalidades suportadas pela extensão ArcGIS Server Geoportal Extension. F.8.2 O acesso a este módulo é feito de forma directa e independente do SGP. Este módulo encontrar-se-á disponível na intranet e internet. F8.3 Este módulo disponibilizará funcionalidades de: Pesquisa de metadados; Consulta de metadados; Criação de metadados; Harvesting de metadados. F Pesquisa de metadados: ARHCentro/2010/ Pág. 24 de 27

25 Esta funcionalidade permitirá aos utilizadores pesquisar o catálogo de metadados da ARH Centro através de: Palavras-chave; Extensão geográfica; Datas de criação/edição; Categorias de dados. F Consulta de metadados: Esta funcionalidade permite ao utilizador ter acesso a todos os conteúdos do metadado seleccionado. F Criação de metadados: Esta funcionalidade disponibiliza um editor de metadados para a criação dos mesmos. Os metadados a criar obedecerão ao Perfil Nacional de Metadados Conjuntos de Dados Geográficos e Perfil Nacional de Metadados Serviços Geográficos. F Harvesting de metadados: Esta funcionalidade permite a criação de repositórios de metadados, que periodicamente serão alimentados por metadados existentes em repositórios distribuídos. F.9 Módulo de administração O acesso a este módulo é feito de forma directa e ARHCentro/2010/ Pág. 25 de 27

26 independente do SGP. F.9.1 Este módulo deve disponibilizar ao Administrador o acesso às configurações base do sistema: Configuração de serviços de mapas; Associação de tipologias/procedimentos às funcionalidades de geoprocessamento; Outras configurações a definir em fase de análise. ARHCentro/2010/ Pág. 26 de 27

27 4 Requisitos Técnicos Código Descrição Requisitos relacionados T.1 O Sistema estará alojado em dois servidores: servidor aplicacional e servidor de base de dados. T.2 O Sistema Operativo do(s) servidor(es) será o Windows 2008 Server, T.3 As máquinas terão no mínimo um processador Quad Core e 16 GB RAM T.4 O Sistema terá por base o ArcGIS Server Enterprise Advanced 10, com a extensão Geoportal. T.55 O Sistema de gestão de base de dados será SQL Server, onde estará assente o ArcSDE 10. T.6 O Sistema estará integrado com a solução de directório de utilizadores (Active Directory) da ARH Centro. T.7 O Sistema utilizará o servidor Web IIS e o servidor aplicacional Apache Tomcat. T.8 O Sistema utilizará um servidor de . ARHCentro/2010/ Pág. 27 de 27

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS I. IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, com residência/sede em, código

Leia mais

Mapas. Visualização de informação geográfica; Consulta e edição (mediante permissões) de informação geográfica;

Mapas. Visualização de informação geográfica; Consulta e edição (mediante permissões) de informação geográfica; Mapas Destinado especialmente aos Utilizadores do GEOPORTAL, nele são descritas e explicadas as diferentes funcionalidades existentes no FrontOffice (GEOPORTAL). O GEOPORTAL é baseado em tecnologia Web,

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SILiAmb Felisbina Quadrado (binaq@apambiente.pt) Manuel Lacerda (manuel.lacerda@apambiente.pt) XIII CONFERENCIA DE DIRECTORES IBEROAMERICANOS DEL AGUA Foz

Leia mais

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos.

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos. Agenda Objectivo Enquadramento Historial Equipa Arquitectura MuniSIG Web Casos Práticos ArcGIS Mobile Futuro Objectivo Criar uma infra-estrutura de suporte a todas as aplicações de informação geográfica

Leia mais

GeoMafra SIG Municipal

GeoMafra SIG Municipal GeoMafra SIG Municipal Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar a

Leia mais

Componentes e Funcionalidades do SIG Institucional da ARH do Centro I.P. Nuno Charneca Nuno Bravo

Componentes e Funcionalidades do SIG Institucional da ARH do Centro I.P. Nuno Charneca Nuno Bravo Componentes e Funcionalidades do SIG Institucional da ARH do Centro I.P. Nuno Charneca Nuno Bravo Enquadramento do Projeto 1. Desenvolvimento e implementação da Base de dados (geográfica) central da ARH

Leia mais

Sistema Integrado de Informação Geográfica da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro

Sistema Integrado de Informação Geográfica da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro Sistema Integrado de Informação Geográfica da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro BRAVO, Nuno; SEABRA, Cristina; SILVA, Leonor Resumo No âmbito das suas competências, estabelecidas

Leia mais

1. Rede de Apoio Topográfico... 2. 1.1. Características da Rede... 2. 2. Acesso e Utilização... 2. 2.1. Visualizador de mapa... 3

1. Rede de Apoio Topográfico... 2. 1.1. Características da Rede... 2. 2. Acesso e Utilização... 2. 2.1. Visualizador de mapa... 3 MANUAL DE UTILIZAÇÃO... 2 1. Rede de Apoio Topográfico... 2 1.1. Características da Rede... 2 2. Acesso e Utilização... 2 2.1. Visualizador de mapa... 3 2.1.1. Elementos do mapa... 3 2.1.2. Tarefas...

Leia mais

Guia de apoio à utilização. de serviços WFS

Guia de apoio à utilização. de serviços WFS Guia de apoio à utilização de serviços WFS maio de 2015 Ficha Técnica Referência: For ArcGIS for Desktop 10.3 Esri Portugal Sistemas e Informação Geográfica, S.A. Rua Julieta Ferrão, nº 10 10º 1600-131

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E A. Considerando que:

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E A. Considerando que: PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E A ADMINISTRAÇÃO DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DO TEJO Considerando que: Compete ao Conselho Distrital de Lisboa da Ordem

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO. Manual de Utilizador. Portal TRH

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO. Manual de Utilizador. Portal TRH MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Manual de Utilizador Portal TRH Novembro de 2009 ÍNDICE 1. Introdução...2 2. Registo...4 3. Visualização e criação de operadores...8 4. Introdução

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

GeoMafra Portal Geográfico

GeoMafra Portal Geográfico GeoMafra Portal Geográfico Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar

Leia mais

SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica

SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica Especializações em Transportes e Vias de Comunicação e Sistemas de Informação Geográfica Transportes / SIG / INSPIRE Painel Lisboa 6 novembro 2012 SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica

Sistema de Informação Geográfica Sistema de Informação Geográfica Conteúdo Apresentação da Empresa Implementação do SIG na Prestiteca, porquê? SIG na Prestiteca Constituição do SIG Vantagens na implementação do SIG Principais dificuldades

Leia mais

GIIGA GESTÃO DA INFORMAÇÃO DA IGA

GIIGA GESTÃO DA INFORMAÇÃO DA IGA IGA INVESTIMENTOS E GESTÃO DA ÁGUA GIIGA GESTÃO DA INFORMAÇÃO DA IGA IGA INVESTIMENTOS E GESTÃO DA ÁGUA GIIGA GESTÃO DA INFORMAÇÃO DA IGA OBJECTIVOS O projecto GIIGA tem por objectivo elaborar o cadastro

Leia mais

Tarefas Geográficas. uma solução para atualização cartográfica num município. Alexandrina Meneses Engª Geógrafa

Tarefas Geográficas. uma solução para atualização cartográfica num município. Alexandrina Meneses Engª Geógrafa Tarefas Geográficas uma solução para atualização cartográfica num município Alexandrina Meneses Engª Geógrafa SUMÁRIO 1. GABINETE DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA 2. TAREFAS GEOGRÁFICAS 3. CONCLUSÕES 1. GABINETE

Leia mais

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador 1 Índice 1. Sobre o Guia... 3 1.1 Objectivo... 3 1.2 Conceitos e Termos... 3 1.2 Utilização do Guia... 3 2. Ferramentas de Administração... 4 2.1

Leia mais

IDE_CIMAC O OSGeo na disponibilização de IG aos municípios do Alentejo Central. Teresa Batista, Cristina Carriço e Duarte Carreira CIMAC

IDE_CIMAC O OSGeo na disponibilização de IG aos municípios do Alentejo Central. Teresa Batista, Cristina Carriço e Duarte Carreira CIMAC IDE_CIMAC O OSGeo na disponibilização de IG aos municípios do Alentejo Central Teresa Batista, Cristina Carriço e Duarte Carreira CIMAC O projecto IDE CIMAC Enquadramento e objectivos Componentes da solução

Leia mais

Software de Apoio a Gabinetes na Elaboração de Projetos

Software de Apoio a Gabinetes na Elaboração de Projetos SAGEP Software de Apoio a Gabinetes na Elaboração de Projetos www.sofware-global.info SAGEP geral@software-global.info Página 1 de 30 Destina-se a Gabinetes de Engenharia, Arquitectura ou idênticos, onde

Leia mais

Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG

Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG Nuno AFONSO 1, Alexandra CARVALHO 1 1 Laboratório Nacional de Engenharia Civil (nuno.fnvs.afonso@gmail.com; xana.carvalho@lnec.pt) Palavras-chave:

Leia mais

TERRAMAIS. Serviço on-line de suporte à gestão agro-florestal. Gomes Aires, José Miguel; Dias, Ana Paula; Duarte, Pedro; Coucelo, Carlos RESUMO

TERRAMAIS. Serviço on-line de suporte à gestão agro-florestal. Gomes Aires, José Miguel; Dias, Ana Paula; Duarte, Pedro; Coucelo, Carlos RESUMO TERRAMAIS Serviço on-line de suporte à gestão agro-florestal Gomes Aires, José Miguel; Dias, Ana Paula; Duarte, Pedro; Coucelo, Carlos RESUMO A vantagem na utilização de Sistemas de Informação Geográfica

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA CONFIGURAÇÃO DO ARCGIS SERVER ENTERPRISE ADVANCED E DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES ESPECÍFICAS.

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA CONFIGURAÇÃO DO ARCGIS SERVER ENTERPRISE ADVANCED E DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES ESPECÍFICAS. TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA CONFIGURAÇÃO DO ARCGIS SERVER ENTERPRISE ADVANCED E DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES ESPECÍFICAS. 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1. Número UGL/PDRS:

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

GeoMafra Portal Geográfico

GeoMafra Portal Geográfico GeoMafra Portal Geográfico Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar

Leia mais

Disponibilização de Informação sobre Recursos Hídricos via INTERNET

Disponibilização de Informação sobre Recursos Hídricos via INTERNET Disponibilização de Informação sobre Recursos Hídricos via INTERNET INTRODUÇÃO O Ministério do Ambiente, através do Instituto da Água (INAG) e Direcções Regionais do Ambiente (DRA) dispõe actualmente de

Leia mais

manual instalação e configuração v13 1

manual instalação e configuração v13 1 manual instalação e configuração v13 1 Conteúdo Introdução... 3 Conteúdo do DVD:... 3 Instalação e configuração do ERP... 4 Instalação do ERP... 4 Configuração do ERP... 6 Como actualização de versão...

Leia mais

22/11/2012. Principais características / Acessos. Índice. Os SIG aplicados à Gestão Portuária. Porto de Sines Porta Atlântica da Europa

22/11/2012. Principais características / Acessos. Índice. Os SIG aplicados à Gestão Portuária. Porto de Sines Porta Atlântica da Europa 22/11/2012 Índice Enquadramento do Porto de Sines SIG Histórico Porto de Sines Principais Características Os SIG aplicados à Gestão Portuária Projeto SIIG SIIG - Sistema de Identificação e Informação Geográfica

Leia mais

Sistema de formação e certificação de competências

Sistema de formação e certificação de competências Sistema de Formação e Certificação de Competências Portal das Escolas Manual de Utilizador Docente Referência Projecto Manual do Utilizador Docente Sistema de formação e certificação de competências Versão

Leia mais

EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE. GestProcessos Online. Manual do Utilizador

EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE. GestProcessos Online. Manual do Utilizador EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE GestProcessos Online Manual do Utilizador GestProcessos Online GABINETE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EAmb Esposende Ambiente, EEM Rua da Ribeira 4740-245 - Esposende

Leia mais

Implementação da Directiva INSPIRE no INAG

Implementação da Directiva INSPIRE no INAG Implementação da Directiva INSPIRE no INAG Ana Catarina Mariano INTITUTO DA ÁGUA, I. P. 14-16 de Maio, Taguspark, Oeiras 1 Agenda 1. 1. INSPIRE 2. 2. WISE 3. 3. InterSIG 4. 4. Exemplos de implementação

Leia mais

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006 EIC Engenharia de Informática e Comunicações Morro do Lena, Alto Vieiro Apart. 4163 2401 951 Leiria Tel.: +351 244 820 300 Fax.: +351 244 820 310 E-mail: estg@estg.iplei.pt http://www.estg.iplei.pt Engenharia

Leia mais

Manual de Administração Intranet BNI

Manual de Administração Intranet BNI Manual de Administração Intranet BNI Fevereiro - 2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Conceitos... 5 3. Funcionamento base da intranet... 7 3.1. Autenticação...8 3.2. Entrada na intranet...8 3.3. O ecrã

Leia mais

O WebSig do Município de Guimarães

O WebSig do Município de Guimarães O WebSig do Município de Guimarães Pedro Pereira A Divisão SIG O SIG do Município de Guimarães Gabinete criado em 1998 (no âmbito do PROSIG) Nos 10 anos seguintes, o SIG serviu de apoio aos diversos serviços

Leia mais

NORMAS DE INSTRUÇÃO DE UM PROCESSO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA EM FORMATO DIGITAL. Pedidos de Licenciamento (PL) e Comunicações Prévias (CP)

NORMAS DE INSTRUÇÃO DE UM PROCESSO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA EM FORMATO DIGITAL. Pedidos de Licenciamento (PL) e Comunicações Prévias (CP) NORMAS DE INSTRUÇÃO DE UM PROCESSO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA EM FORMATO DIGITAL Pedidos de Licenciamento (PL) e Comunicações Prévias (CP) No cumprimento da Lei n.º 60/2007 de 4 de Setembro e nas alterações

Leia mais

Guia de Utilização. A consulta dos e-books não exige a instalação de nenhum programa específico.

Guia de Utilização. A consulta dos e-books não exige a instalação de nenhum programa específico. Guia de Utilização Acompanhando a tendência actual para o acesso rápido a conteúdos informativos via Web e atendendo às solicitações dos clientes internos e externos do Centro de Recursos em Conhecimento/Mediateca

Leia mais

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1 Copyright 2012 Efacec Todos os direitos reservados. Não é permitida qualquer cópia, reprodução, transmissão ou utilização deste documento sem a prévia autorização escrita da Efacec Sistemas de Gestão S.A.

Leia mais

CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS

CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS JOÃO COELHO RITA ALMEIDA ALICE GANHÃO ANA SANTOS JOÃO FELICIANO Conferência Nacional de Geodecisão Escola

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Portal Web de Apoio às Filiadas

Portal Web de Apoio às Filiadas Portal Web de Apoio às Filiadas Manual de Utilizador Externo Titularidade: FCMP Data: 2014-02-03 Versão: 1 1 1. Introdução 3 2. Descrição das Funcionalidades 4 2.1. Entrada no sistema e credenciação de

Leia mais

Encontro de Utilizadores Esri 2013. ArcGIS for Server 10.2 Administração Orador: João Ferreira Esri Portugal

Encontro de Utilizadores Esri 2013. ArcGIS for Server 10.2 Administração Orador: João Ferreira Esri Portugal Encontro de Utilizadores Esri 2013 ArcGIS for Server 10.2 Administração Orador: João Ferreira Esri Portugal ArcGIS Server Administração e Configuração João Ferreira Agenda Arquitectura Instalação do ArcGIS

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

Instituto Hidrográfico - Marinha. Infra-estrutura de dados geoespaciais sobre o ambiente marinho

Instituto Hidrográfico - Marinha. Infra-estrutura de dados geoespaciais sobre o ambiente marinho Instituto Hidrográfico - Marinha Infra-estrutura de dados geoespaciais sobre o ambiente marinho Sumário Instituto Hidrográfico - Capacidades instaladas A Actividade Capacidades únicas Integração dos sistemas

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO CENTRALIZADO (SIC) UTILIZADOR CONSUMIDOR

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO CENTRALIZADO (SIC) UTILIZADOR CONSUMIDOR MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO CENTRALIZADO (SIC) UTILIZADOR CONSUMIDOR ÍNDICE Introdução e Objetivos... 7 Acesso ao SIC... 8 2.1. Página Inicial Consulta de informação... 10 2.1.1. Ícones relevantes

Leia mais

Projecto Gestão de Frotas (Geonaut) Manual de Utilização

Projecto Gestão de Frotas (Geonaut) Manual de Utilização Este documento pretende mostrar como utilizar todas as funcionalidades disponíveis no Projecto Geonaut através da aplicação rtfrontweb no módulo Geonaut. Módulo/Opção Descrição Disponibiliza todas as funcionalidades

Leia mais

O produto. Caraterísticas gerais e arquitetura do sistema

O produto. Caraterísticas gerais e arquitetura do sistema sistema integrado de processamento e gestão bibliográfica - versão 2012 Informática Formação e Serviços, Lda - Web: http://www.bibliosoft.pt Email: bibliosoft@bibliosoft.pt O produto O sistema biblio.net

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Câmara Municipal de Mafra ArcGIS For AutoCAD. Integração ArcGIS e AutoCAD na Actualização Diária da BD de Processos de Obras

Câmara Municipal de Mafra ArcGIS For AutoCAD. Integração ArcGIS e AutoCAD na Actualização Diária da BD de Processos de Obras Câmara Municipal de Mafra ArcGIS For AutoCAD Integração ArcGIS e AutoCAD na Actualização Diária da BD de Processos de Obras Índice 3 Introdução Primeiros passos na Georreferenciação de Processos Início

Leia mais

Visualização de Informação Geográfica na WEB. O exemplo do Atlas de Portugal.

Visualização de Informação Geográfica na WEB. O exemplo do Atlas de Portugal. Visualização de Informação Geográfica na WEB. O exemplo do Atlas de Portugal. INSPIRE e a Infra-estrutura Nacional de Informação Geográfica 17 de Novembro de 2006 1 Tópicos Atlas de Portugal na WEB A proposta

Leia mais

O Sig como Ferramenta de Apoio à Gestão

O Sig como Ferramenta de Apoio à Gestão O Sig como Ferramenta de Apoio à Gestão Apresentação da Empresa 2 Actividades Distribuição de Água Recolha e Tratamento de Águas Residuais Gestão das Águas Pluviais Gestão das Praias Gestão das Ribeiras

Leia mais

Instruções para aceder ao correio electrónico via web

Instruções para aceder ao correio electrónico via web Caro utilizador(a) Tendo por objectivo a melhoria constante das soluções disponibilizadas a toda a comunidade do Instituto Politécnico de Santarém, tanto ao nível de serviços de rede como sistema de informação.

Leia mais

GISWEB - Informação Geográfica ao Alcance de Todos

GISWEB - Informação Geográfica ao Alcance de Todos GISWEB - Informação Geográfica ao Alcance de Todos Bruno Perboni Qualityware Conselheiro Laurindo 825 cj. 412 centro Curitiba PR fone: 3232-1126 bruno@qualityware.com.br Maysa Portugal de Oliveira Furquim

Leia mais

Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP)

Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP) Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP) Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/03/2014 1.0 Criação do documento Frederico dos Santos Soares APRESENTAÇÃO O presente documento tem como

Leia mais

Acrescente. Valor. à Sua. Organização. Obtenha Melhores Resultados com a Formação Esri Portugal

Acrescente. Valor. à Sua. Organização. Obtenha Melhores Resultados com a Formação Esri Portugal Acrescente Valor à Sua Organização Obtenha Melhores Resultados com a Formação Esri Portugal 4 ArcGIS 1 Iniciação aos SIG 6 ArcGIS 2 Fluxos de Trabalho Essenciais 8 ArcGIS 3 Efectuar Análises 10 Construção

Leia mais

Sistema Informação Geográfico

Sistema Informação Geográfico Sistema Informação Geográfico Autoridade Tributária e Aduaneira Judas Gonçalves IT Project Manager Agenda Enquadramento; Sistema de Informação Geográfico da AT: - Base de Dados Geográfica Centralizada;

Leia mais

Plataforma REAI. Guia prático de alterações e novas funcionalidades Versão 2.1.9 (implementada em 28 setembro de 2012)

Plataforma REAI. Guia prático de alterações e novas funcionalidades Versão 2.1.9 (implementada em 28 setembro de 2012) Plataforma REAI Guia prático de alterações e novas funcionalidades Versão 2.1.9 (implementada em 28 setembro de 2012) ÍNDICE 1 Enquadramento 2 Licença de Exploração 3 Novos mecanismos de validação nos

Leia mais

Comunicação documentos de transporte AT via Webservice Singest Sistema Integrado de Gestão. 22-05-2013 Cambragest Serviços de Gestão e Software

Comunicação documentos de transporte AT via Webservice Singest Sistema Integrado de Gestão. 22-05-2013 Cambragest Serviços de Gestão e Software Comunicação documentos de transporte AT via Webservice 22-05-2013 Cambragest Serviços de Gestão e Software I. Índice I. Índice... 1 II. Introdução... 2 III. Configuração de documentos de transporte...

Leia mais

Governo Federal / Governo Estadual. Imagem suportando a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais INDE Carlos Toledo

Governo Federal / Governo Estadual. Imagem suportando a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais INDE Carlos Toledo Governo Federal / Governo Estadual Imagem suportando a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais INDE Carlos Toledo Plenária Desafios comuns Governança de dados espaciais; Informação geográfica é um ativo

Leia mais

O Programa de Acção Territorial do Escarpão

O Programa de Acção Territorial do Escarpão O Programa de Acção Territorial do Escarpão João Telha CEDRU - Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano, Lda Seminário Indústria Extractiva Ordenamento Territorial e Licenciamento de Pedreiras

Leia mais

Requisitos para a Federação de um serviço web. Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010

Requisitos para a Federação de um serviço web. Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010 Requisitos para a Federação de um serviço web Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010 15 de Janeiro de 2010 Requisitos para a Federação de um serviço web Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010 EXT/2010/Serviço

Leia mais

Guia de Referência do Simulador Online

Guia de Referência do Simulador Online 09 de Junho de 2009 Guia de Referência do Simulador Online Versão 2.0 Índice Introdução Glossário Que equipamento devo ter? Como aceder ao simulador? Quais os dados que devo saber para fazer uma simulação?

Leia mais

Cadastro, Gestão e Manutenção do Património da REFER com recurso aos Sistemas de Informação Geográfica

Cadastro, Gestão e Manutenção do Património da REFER com recurso aos Sistemas de Informação Geográfica Cadastro, Gestão e Manutenção do Património da REFER com recurso aos Sistemas de Informação Geográfica 1. Introdução Ao longo de mais de 150 anos da existência do caminho de ferro em Portugal, foram muitos

Leia mais

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria guião de exploração dos serviços SIG na web Associação de Municípios da Ria 02 GUIA WEB ÍNDICE Introdução O que é um SIG? 03 O que é SIGRia?

Leia mais

ArcGIS for INSPIRE. ArcGIS. ArcGIS for INSPIRE. Discovery. Download. View

ArcGIS for INSPIRE. ArcGIS. ArcGIS for INSPIRE. Discovery. Download. View ArcGIS for INSPIRE Discovery View Download ArcGIS for INSPIRE ArcGIS Agenda ArcGIS for INSPIRE O que está incluído Template de Geodatabase Componentes Desktop Componentes Servidor Outras Novidades Evolução

Leia mais

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira OBJECTIVOS DO POLIS LITORAL: (RCM n.º 90/2008, de 3 de Junho) a) Proteger e requalificar a zona costeira, tendo em vista

Leia mais

SIG do Município de Oeiras: um instrumento para a gestão Municipal. ORADOR 1 Maria João Bessa (CM de Oeiras) ORADOR 2 João Melo (Municípia, S.A.

SIG do Município de Oeiras: um instrumento para a gestão Municipal. ORADOR 1 Maria João Bessa (CM de Oeiras) ORADOR 2 João Melo (Municípia, S.A. SIG do Município de Oeiras: um instrumento para a gestão Municipal ORADOR 1 Maria João Bessa (CM de Oeiras) ORADOR 2 João Melo (Municípia, S.A.) Maria João Bessa Câmara Municipal de Oeiras SIG do Município

Leia mais

FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC

FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC Tecnologias SIG Sistemas de Informação Geográfica Centro de Operações e Técnicas

Leia mais

Qgis na Gestão Patrimonial de Infraestruturas (GPI) Município do Sabugal. Telmo Salgado e Ana Carreira

Qgis na Gestão Patrimonial de Infraestruturas (GPI) Município do Sabugal. Telmo Salgado e Ana Carreira Qgis na Gestão Patrimonial de Infraestruturas (GPI) Município do Sabugal Telmo Salgado e Ana Carreira Introdução do Qgis no SIG da câmara municipal do sabugal Teve como motivação principal os custos elevados

Leia mais

Sistema de Certificação de Competências TIC

Sistema de Certificação de Competências TIC Sistema de Certificação de Competências TIC Portal das Escolas Manual de Utilizador INDICE 1 Introdução... 5 1.1 Sistema de formação e certificação de competências TIC...6 1.1.1 Processo de certificação

Leia mais

Empresa de Projecto e Desenvolvimento de. Engenharia Civil - EPDEC

Empresa de Projecto e Desenvolvimento de. Engenharia Civil - EPDEC Empresa de Projecto e Desenvolvimento de Engenharia Civil - EPDEC Pedido de Proposta para Implementação da Rede Informática Projecto: Rede Informática da EPDEC Novembro de 2007 Índice 1 Introdução...1

Leia mais

Apresentação da Solução. Divisão Área Saúde. Solução: Gestão de Camas

Apresentação da Solução. Divisão Área Saúde. Solução: Gestão de Camas Apresentação da Solução Solução: Gestão de Camas Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros, 82-A, 1500-060

Leia mais

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG Autores: Fernando Cruz - E-mail: f2crux@clix.pt Rui Teixeira - E-mail: rtsf@clix.pt Instituição: Câmara Municipal de Salvaterra de Magos Palavras chave: Cartografia digital, PDM, integração em SIG. Sessão

Leia mais

INSPIRE Metadados e Serviços de Pesquisa

INSPIRE Metadados e Serviços de Pesquisa INSPIRE Metadados e Serviços de Pesquisa II Jornadas de Software Aberto para Informação Geográfica Henrique Silva, hsilva@igeo.pt Metadados e Serviços de Pesquisa Metadados são as informações que descrevem

Leia mais

GeoMafra SIG Municipal

GeoMafra SIG Municipal GeoMafra SIG Municipal O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar a qualidade dos serviços prestados pela autarquia. O seu novo ambiente de trabalho optimiza

Leia mais

Manual do GesFiliais

Manual do GesFiliais Manual do GesFiliais Introdução... 3 Arquitectura e Interligação dos elementos do sistema... 4 Configuração do GesPOS Back-Office... 7 Utilização do GesFiliais... 12 Outros modos de utilização do GesFiliais...

Leia mais

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA USP de Concelho A. Identificação da Zona Balnear Zona Balnear Identificada: Zona Balnear (cod.) (designação) Bandeira Azul Praia Acessível (ano de atribuição) (ano de atribuição) Identificação do local

Leia mais

Manual de Procedimentos. Câmaras Municipais

Manual de Procedimentos. Câmaras Municipais Manual de Procedimentos Câmaras Municipais índice PÁGINA INICIAL... 4 1. Acesso à área reservada... 4 2. Recuperar senha de acesso... 4 3. Lembrar palavra-passe... 5 4. Consulta de legislação relacionada

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Procedimentos (Elaborado no âmbito do Protocolo de colaboração com vista à regularização das utilizações dos recursos hídricos no sector agrícola estabelecido com a CAP e CONFAGRI) Janeiro, 2010

Leia mais

EUE 2012 10º Encontro Utilizadores Esri Portugal I Os SIG e a Arte de Ser Português I 14 e 15 de março de 2012 Centro de Congressos de Lisboa

EUE 2012 10º Encontro Utilizadores Esri Portugal I Os SIG e a Arte de Ser Português I 14 e 15 de março de 2012 Centro de Congressos de Lisboa O Sistema Nacional de Informação Geográfica (SNIG) no contexto da implementação da Directiva INSPIRE (Infrastructure for Spatial Information in Europe) João GEIRINHAS Direção de Serviços de Investigação

Leia mais

DISPONIBILIZAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO NA INTERNET. Investimento Elegível: 52.031,42 Comparticipação FEDER: 31.

DISPONIBILIZAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO NA INTERNET. Investimento Elegível: 52.031,42 Comparticipação FEDER: 31. DISPONIBILIZAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO NA INTERNET Tipologia 01.0526 Sistema de Apoio à Modernização Administrativa Beneficiário: Globalgarve, Cooperação e desenvolvimento,

Leia mais

Apresentação de Solução

Apresentação de Solução Apresentação de Solução Solução: Gestão de Altas Hospitalares Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros,

Leia mais

Livro de Ponto Automático e Controlo de Assiduidade

Livro de Ponto Automático e Controlo de Assiduidade Instituto Superior Politécnico Gaya Disciplina de Seminário Engenharia Informática 2006/2007 cms@ispgaya.pt spss@ispgaya.pt Manual de administração e Controlo de Assiduidade Outubro de 2007 Índice Introdução...

Leia mais

Administração de Sistemas 2008/2009 (Trabalho de Administração de Sistemas) Docente: Armando Ventura

Administração de Sistemas 2008/2009 (Trabalho de Administração de Sistemas) Docente: Armando Ventura Administração de Sistemas 2008/2009 (Trabalho de Administração de Sistemas) Docente: Armando Ventura Introdução Pretende-se com este trabalho que os alunos criem alguma autonomia na implementação de alguns

Leia mais

OBOSHotel - Central de Reservas Online. Especificação de Requisitos Funcionais. Lista de Casos de Uso Front-end e BackOffice

OBOSHotel - Central de Reservas Online. Especificação de Requisitos Funcionais. Lista de Casos de Uso Front-end e BackOffice OBOSHotel - Central de Reservas Online Lista de Casos de Uso Front-end e BackOffice Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 13-01-2008 1.0.0 Construção dos casos de uso. Nelson Santos 19-02-2008

Leia mais

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador Acronis Servidor de Licença Manual do Utilizador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Descrição geral... 3 1.2 Política de licenças... 3 2. SISTEMAS OPERATIVOS SUPORTADOS... 4 3. INSTALAR O SERVIDOR DE LICENÇA

Leia mais

ONLINE. www.leiriareg iaodig ital.p t. Serviços on-line para cidadãos e empresas. Nerlei

ONLINE. www.leiriareg iaodig ital.p t. Serviços on-line para cidadãos e empresas. Nerlei www.leiriareg iaodig ital.p t U M ONLINE COM A R E G I Ã O A VIDA Leiria Região Digital Serviços on-line para cidadãos e empresas Nerlei Sumário Parceiros do Leiria Região Digital (LRD) Zona de abrangência

Leia mais

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO Introdução Esta informação foi concebida como apoio ao processo de submissão dos

Leia mais

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria Unidade de Ensino a Distância Equipa Guia

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

ArcGIS 1: Introdução ao GIS (10.2)

ArcGIS 1: Introdução ao GIS (10.2) ArcGIS 1: Introdução ao GIS (10.2) Duração: 02 dias (16 horas) Versão do ArcGIS: 10.2 Material didático: Português Descrição Este treinamento ensina o que é o GIS e o que você pode realizar com ele. Trabalhando

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

RENT versão desktop Manual de Utilizador para empresa

RENT versão desktop Manual de Utilizador para empresa RENT versão desktop Manual de Utilizador para empresa @ Copyright 2015 Desenvolvido pela Dória Software versão manual 1.3 Última atualização 23.03.2015 Sobre o RENT I. O que é o RENT? RENT- Registo Nominal

Leia mais

ÂMBITO Aplica-se à instalação e ao funcionamento dos recintos com diversões aquáticas.

ÂMBITO Aplica-se à instalação e ao funcionamento dos recintos com diversões aquáticas. O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui a consulta dos diplomas legais referenciados e da entidade licenciadora. FUNCHAL RECINTOS COM DIVERSÕES AQUÁTICAS CAE REV_3: 93210

Leia mais

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras Teresa Rafael 11 de março de 2014 Pontos chave: O que é o SNIMar? Quais são os objetivos? Organização e gestão do projeto

Leia mais

FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional fccn.pt. Nelson Ribeiro - nelson.ribeiro@fccn.pt

FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional fccn.pt. Nelson Ribeiro - nelson.ribeiro@fccn.pt FCCN - Fundação para a Computação Científica Nacional fccn.pt Nelson Ribeiro - nelson.ribeiro@fccn.pt Agenda FCCN RCTS serviços e projectos internacionais Projecto SIG@Fibra Network Engineer Futuro Q&A

Leia mais

Tutorial para Módulo de Georreferenciamento Posição. 3 Edição da Norma de Georreferenciamento do Incra

Tutorial para Módulo de Georreferenciamento Posição. 3 Edição da Norma de Georreferenciamento do Incra Tutorial para Módulo de Georreferenciamento Posição 3 Edição da Norma de Georreferenciamento do Incra Importante: Buscar sempre as últimas atualizações do sistema posição no site: www.posicao.com.br Em

Leia mais

Licenciatura em Eng.ª Informática Complementos de Redes - 3º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 4 - VoIP

Licenciatura em Eng.ª Informática Complementos de Redes - 3º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 4 - VoIP Trabalho Nº 4 - VoIP 1. Introdução A utilização de tecnologia VoIP como alternativa às redes telefónicas tradicionais está a ganhar cada vez mais a aceitação junto dos utilizadores, e está sobretudo em

Leia mais