Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado"

Transcrição

1 Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado Pedro Lucas Cuareli Alécio 1 (EPA, UNESPAR/FECILCAM) Eduardo Feliciano Caetano da Silva 1 (EPA, UNESPAR/FECILCAM) - Rony Peterson da Rocha (OR) 2 (DEP, UNESPAR/FECILCAM) Resumo: Dentre todas as atividades desenvolvidas pelos supermercadistas, a gestão dos estoques é uma das mais importantes por ser o estoque um ativo da empresa que exige um significativo aporte de capital para sua manutenção. O desafio do gerenciamento de estoques não consiste em diminuir os estoques de forma excessiva para reduzir custos ou ter muito estoque disponível a fim de satisfazer todas as demandas, mas em possuir a quantidade certa para alcançar as prioridades competitivas da empresa do modo mais eficiente. O objetivo principal desta pesquisa é de avaliar a Gestão de Estoques em um supermercado, cujos objetivos específicos são separar os itens em grupos, fazer análise da curva ABC para verificar qual grupo apresenta maiores custos e apresentar uma análise na gestão dos estosques. Com as análises realizadas sugerimos para o Supermercado de realizar a compra de um software específico para gerenciar a movimentação de compra e venda das mercadorias. Outra proposta é de que seja realizado o controle de estoque por meio de planilhas no excel, pois é uma maneira mais barata de realizar o controle dos estoques. Palavras-chave: Produtos; Estoques; Curva ABC. 1. Introdução O gerenciamento dos estoques é uma preocupação importante para todos os tipos de empresa. Para aquelas que operam com margem de lucros relativamente baixa, um gerenciamento de estoques ruim pode afetar seriamente os negócios (RITZMAN e KRAJEWSKI, 2004). De acordo com Levy e Weitz (2000, p. 191, apud Oliveira. O. M. M., 2005) dentre todas as atividades desenvolvidas pelos supermercadistas, a gestão dos estoques é uma das mais importantes por ser o estoque um ativo da empresa que exige um significativo aporte de capital para sua manutenção. Os mesmos autores afirmam: o estoque de mercadorias é a força vital do varejista e Kasper (1991, p. 149, apud Oliveira. O. M. M., 2005) completa: na atividade supermercadista, administrar estoques é uma função extremamente importante para 1 Graduando em Engenharia de Produção Agroindustrial pela Universidade Estadual do Paraná UNESPAR/Fecilcam Campus de Campo Mourão. 2 Graduado em Engenharia de Produção Agroindustrial pela Universidade Estadual do Paraná UNESPAR/Fecilcam Campus de Campo Mourão. Doutorando e Mestre em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá UEM. Professor Assistente do Departamento de Engenharia de Produção Agroindustrial da Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão.

2 a saúde financeira da empresa. Na maioria das organizações a eficácia na gestão do estoque é por vários motivos, essencial ao êxito das operações, um desses motivos é o volume de dinheiro representado pelo estoque, o outro é o impacto do estoque sobre as operações cotidianas de uma organização (STEVENSON, 2001, p.424). Segundo Stevenson (2001), a Curva ABC classifica os itens do estoque de acordo com algumas medidas de sua importância relativa, geralmente a utilização anual em unidades monetárias, e então aloca os esforços de controle de acordo. O mesmo autor afirma que são utilizadas para a classificação dos itens três classes: A (itens muito importantes), B (itens moderadamente importantes) e C (itens menos importantes). Dentro desta perspectiva, a Engenharia de Produção é voltada para características de produtos, bens e/ou serviços e sistemas produtivos (Associação Brasileira de Engenharia de Produção - ABEPRO, 2008a). Portanto há vários conhecimentos que competem a Engenharia de Produção, e a mesma divide-se em Áreas de Conhecimento, e esta pesquisa se enquadra na Área de Engenharia de Operações e Processos da Produção, que é responsável, projetos, operações e melhorias dos sistemas que criam e entregam os produtos (bens ou serviços) primários da empresa e nesta pesquisa vamos abordar a sub área de Planejamento, Programação e Controle da Produção. (ABEPRO, 2008b). O objetivo principal desta pesquisa é de avaliar a Gestão de Estoques em um supermercado, cujos objetivos específicos são separar os itens em grupos, fazer análise da curva ABC para verificar qual grupo apresenta maiores custos e apresentar uma proposta de melhoria na gestão dos estosques. O artigo está dividido da seguinte maneira: na primeira seção encontra-se a introdução do artigo, depois tem-se a fundamentação teórica, logo após a metodologia, na quarta seção tem-se a revisão de literatura, em seguida os resultados e discussões e por fim as considerações finais e referências. 2. Fundamentação Teórica O estoque pode ser conceituado como a acumulação armazenada de recursos materiais em um sistema de transformação, e algumas vezes o estoque é usado para descrever qualquer recurso armazenado (SLACK et al., 2009, p.278). O desafio do gerenciamento de estoques não consiste em diminuir os estoques de forma excessiva para reduzir custos ou ter muito estoque disponível a fim de satisfazer todas as demandas, mas em possuir a quantidade certa para alcançar as prioridades competitivas da empresa do modo mais eficiente (RITZMAN E KRAJEWSKI, 2004, p.294). As empresas trabalham com estoques de diferentes tipos que necessitam ser administrados, centralizados em um almoxarifado, ou distribuídos por vários pontos dentro da empresa. Entre os tipos de estoques principais, podem-se citar os estoques de matérias-primas, de itens componentes comprados ou produzidos internamente, de produtos acabados, de ferramentas e dispositivos para as máquinas, de peças em manutenção etc (TUBINO, 2004, p.67). É importante priorizar os itens mantidos em estoques, pois os itens não têm a mesma relevância em termos de capital investido e por volume de vendas. O tamanho de lotes de reposição é realizado através das análises de custos que estão envolvidos no sistema de reposição e armazenagem dos itens, onde a ideia é desenvolver uma 2

3 equação que represente esses custos de buscar o tamanho do lote de reposição, conhecido como lote econômico, que minimize os custos totais (TUBINO, 2004, p.68). De acordo com Tubino (2004), existem três componentes de custos relacionados ao processo de reposição de armazenagem dos itens: os custos diretos, os custos de manutenção de estoques e os custos de preparação para reposição. O mesmo autor explica que o comportamento desses custos irá definir qual o tamanho do lote econômico adequado ao processo de reposição e armazenagem do item. Quando empregados os estoques de segurança, na administração de materiais, são projetados para absorver as variações na demanda durante o tempo de ressuprimento, dado que é apenas durante este período que os estoques podem acabar e causar problemas ao fluxo produtivo (TUBINO, 2004, p.81). Segundo Tubino (2004), a ferramenta ABC é muito útil para sem empregado na realização da classificação dos itens que é baseado no seguinte princípio: poucos itens são responsáveis pela maioria dos eventos analisados. Para Slack (2009), o sistema ABC define que 80% do valor do estoque de uma operação é responsável por somente 20% de todos os tipos de itens estocados. Slack (2009) caracteriza os itens do sistema ABC da seguinte forma: Itens classe A são aqueles 20% de itens de alto valor que representam cerca de 80% do valor total do estoque; Itens classe B são aqueles de valor médio, usualmente os seguintes 30% dos itens que representam cerca de 10% do valor total; Itens classe C são aqueles itens de baixo valor que, apesar de compreender cerca de 50% do total de tipos de itens estocados, provavelmente somente representam cerca de 10% do valor total de itens estocados. Pode-se observar na Figura 1 a classificação ABC. Figura 1 - Classificação ABC. Fonte: Slack (2009). 3. Metodologia de Pesquisa A presente pesquisa classifica-se como uma pesquisa de campo, pois a coleta de dados para responder o problema da pesquisa foi realizada em um Supermercado localizado na cidade de Tapejara - PR, caracterizando assim um estudo de caso, realizada através da 3

4 aplicação de instrumentos de coleta de dados e fundamentada por pesquisas bibliográficas e virtuais. A pesquisa realizada definida como qualitativa, utiliza além da entrevista e estudo documental, conceitos, atitudes, opiniões e atributos do universo pesquisado. Definida também como descritiva por evidenciar o pesquisador no ato de descrever a realidade. Os produtos do Supermecado em estudo foi dividido em 06 grupos: Alimentos, Produtos de Limpeza, Produtos de Higiene, Bebidas e Sucos, Produtos de Bazar e Papelaria e Utilidades Domésticas Diversas. Realizou-se à análise da Curva ABC somente para os grupos Produtos de Limpeza e Produtos de Higiene por meio da software Microsoft Excel, pois realizou-se um Brainstorming para alencar os problemas considerados críticos no estoque aos funcionários do supermercado. Depois de encontrado os produtos que apresenta maiores custos para o Supermercado, será feito uma análise para realizar uma proposta de melhoria na gestão dos estoques do sepermercado. Na Revisão de Literatura não se estabeleceu uma limitação temporal, utilizou-se como base de dados o portal do Scielo. 4. Revisão de Literatura Na Revisão de Literatura focou-se na busca de estudos que tivesse o mesmo objetivo desse trabalho. Nas pesquisas encontradas, apresenta-se abordagens similares ao objetivo desse estudo de caso. O objetivo principal do trabalho de Vieira et al. (2008), é na a gestão de armazenagem com enfoque no sistema de controle e localização de estoque, utilizando várias ferramentas como por exemplo a Curva ABC e foi desenvolvido um estudo de caso em um supermercado de pequeno porte. Os resultados obtidos pelo o autor foi de propor um esboço de novo leiaute, sistemas de controle e localização de estoques bem como novas formas de armazenamento dos produtos. O trabalho de Oliveira (2005), versa sobre o melhor desempenho empresarial que pode ser obtido pelas pequenas e médias empresas do varejo de supermercados através da importância do controle e gestão dos estoques de mercadorias no varejo de supermercados, especificamente na pequena e média empresa que atua nesse segmento. Na pesquisa as entrevistas exploratórias identificou uma carência de quadros especializados em gestão de estoques na quase totalidade das empresas estudadas, o que contribui, em muito, para a dificuldade enfrentada pelas empresas na aplicação de sistemas informatizados de gestão dos estoques de mercadorias. Na pesquisa de Raimundo (2001), tem como objetivo principal propor melhorias na gestão de estoques de um supermercado, através da analise da média das vendas e da identificação de problemas ocorridos no estoque. A pesquisa foi desenvolvida através de analise dos dados existentes do supermercado, demanda, prazo de entrega, saldo dos produtos e através desta analise foram criados estoque de segurança e níveis de estoque para o supermercado. Por fim, foi realizado um check-list final sobre o processo logístico da empresa sugerindo melhorias para o sistema. 4

5 5. Resultados e Discussões Para realizar o preço médio unitário de cada produto, utilizou-se a média dos preços dos produtos que tem a mesma utilidade. A quantidade de estoque foi considerado a quantidade de produtos em estoque e também a quantidade nas prateleiras. A Tabela I apresenta os dados de quantidade de marcas e a quantidade em estoque, preço médio unitário e o valor total de cada produto, para família de Produtos de Limpeza. Tabela I Dados de quantidade de marcas e a quantidade em estoque, preço médio unitário e o valor total de cada produto. Quantidade de Quantidade em Preço Médio Produtos de Limpeza Total (R$) Marcas (unid.) Estoque (unid.) Unitário (R$) 3 Ceras abrasivas 90 13, ,70 2 Detergente Liquido 360 0,81 291,60 4 Sabão em barra 294 1,97 579,18 6 Sabão em pó 642 2, ,10 4 Desinfetantes 135 1,22 164,70 4 Amaciantes 76 3,35 254,60 3 Inseticidas 33 4,05 133,65 3 Lustradores 23 2,44 56,12 2 Álcool 150 2,28 342,00 2 Água sanitária 116 1,95 226,20 4 Bucha de Limpeza 96 1,64 157,44 A Tabela II apresenta os dados de quantidade de marcas e a quantidade em estoque, preço médio unitário e o valor total de cada produto, para família de Produtos de Higiene. Tabela II Dados de quantidade de marcas e a quantidade em estoque, preço médio unitário e o valor total de cada produto. Quantidade de Quantidade em Preço Médio Produtos de Higiene Total (R$) Marcas (unid.) Estoque (unid.) Unitário (R$) 8 Creme dental 474 1,85 876,90 12 Sabonete ,95 972,80 6 Desodorante Spray 96 5,45 523,20 4 Aparelho de barbear 421 2,04 858,84 7 Xampu 108 3,25 351,00 6 Condicionador 57 4,85 276,45 7 Absorvente higiênico 97 1,75 169,75 8 Papel higiênico 714 1,25 892,50 4 Escova de dente 55 3,27 179,85 2 Algodão 22 1,44 31,68 5 Esponja para banho 71 1,69 119,99 4 Hidratante para o corpo 25 4,22 105,50 1 Curativos 4 1,11 4,44 2 Acetona 41 1,29 52,89 5

6 Para a análise da Curva ABC, tem-se a necessidade de organizar os valores totais de cada produto em ordem decrescente, e calcular a porcentagem. A Tabela III apresenta os dados para realizar a análise da Curva ABC para a família de Produtos de Limpeza. Tabela III Valor em ordem decrescente, porcentegem e porcentagem acumulada dos Produtos de Limpeza. Valor em Ordem Decrescente Porcentagem Porcentagem Acumulada Produtos de Limpeza (R$) (%) (%) Sabão em pó 1.637,10 32,58 32,58 Ceras abrasivas 1.181,70 23,52 56,10 Sabão em barra 579,18 11,53 67,63 Álcool 342,00 6,81 74,44 Detergente Liquido 291,60 5,80 80,24 Amaciantes 254,60 5,07 85,31 Água sanitária 226,20 4,50 89,81 Desinfetantes 164,70 3,28 93,09 Bucha de Limpeza 157,44 3,13 96,22 Inseticidas 133,65 2,66 98,88 Lustradores 56,12 1,12 100,00 Na Tabela IV encontra-se os dados para realizar a análise da Curva ABC para a família de Produtos de Higiene. Tabela IV Valor em ordem decrescente, porcentegem e porcentagem acumulada dos Produtos de Higiene. Valor em Ordem Decrescente Porcentagem Porcentagem Acumulada Produtos de Higiene (R$) (%) (%) Sabonete 972,80 17,96 17,96 Papel higiênico 892,50 16,48 34,44 Creme dental 876,90 16,19 50,63 Aparelho de barbear 858,84 15,86 66,49 Desodorante Spray 523,20 9,66 76,15 Xampu 351,00 6,48 82,63 Condicionador 276,45 5,10 87,74 Escova de dente 179,85 3,32 91,06 Absorvente higiênico 169,75 3,13 94,19 Esponja para banho 119,99 2,22 96,41 Hidratante para o corpo 105,50 1,95 98,36 Acetona 52,89 0,98 99,33 Algodão 31,68 0,58 99,92 Curativos 4,44 0,08 100,00 6

7 Com os dados da Tabela III foi plotado o Gráfico I para análise da Curva ABC. Gráfico I Curva ABC Produtos de Limpeza. De acordo com a classificação da Curva ABC, pode-se observar que o produto sabão em pó corresponde aos itens de classe A, essa classificação deve-se pelo fato de que o produto possui a maior número de marcas e a maior quantidade em estoque (Tabela I) dos Produtos de Limpeza. Outro ponto a ser considerado é que o sabão em pó tem uma alta taxa venda. Analisando o Gráfico I pode-se observar que os produtos que devem ser priorizados para diminuir os custos com estoque são o sabão em pó e ceras abrasivas. A Tabela IV serviu de base para construção do Gráfico II com o intuito de realizar uma análise da Curva ABC dos Produtos de Higiene. Gráfico II Curva ABC Produtos de Higiene. 7

8 Com a visualização do Gráfico II pode-se verificar que os produtos que devem ter um maior gerenciamento dos estoques são: sabonete, papel higiênico, creme dental e aparelho de barbear. Apenas o sabonete corresponde aos itens de classe A, e os produtos papel higiênico e creme dental são itens de classe B, e os demais produtos se enquadram nos itens de classe C. O aparelho de barbear faz parte dos itens de classe C, porém visualizando o Gráfico II pode-se constatar que deve-se ter um cuidado especial com o gerenciamento dos estoques desse produto, devido ao seu alto custo ao Supermercado. 6. Considerações Finais Com o estudo realizado, observou-se que através da literatura contida na pesquisa, foram apontadas sugestões que poderá trazer benefícios à empresa. O objetivo proposto desta pesquisa, que era de avaliar a Gestão de Estoques em um supermercado, separar os itens em grupos e fazer análise da curva ABC para verificar qual grupo apresenta maiores custos foi alcançado. Uma proposta que sugerimos para o Supermercado é de realizar a compra de um software específico para gerenciar a movimentação de compra e venda das mercadorias, mas essa solução exige um custo elevado e a dedicação de um funcionário para controlar esse sistema. Outra proposta é de que seja realizado o controle de estoque por meio de planilias no excel, pois é uma maneira mais barata de realizar o controle dos estoques. Com a análise da Curva ABC na família de Produtos de Limpeza e nos Produtos de Higiene, pode-se constatar que aos itens de classe A e B deve-se ter um maior controle no gerenciamento do estoque desses produtos por parte do Supermercado. Para melhorar esse gerenciamento, sugere-se definir o tempo de ressuprimento desses itens, estoque de segurança, tamanho do lote de reposição e uma previsão de demanda desses produtos. Para realizar essas propostas deve-se ter um registro de dados de compra e venda dos produtos, em um determinado período, e também os tempos de entrega do produto dos fornecedores. Referências ABEPRO. Áreas e Sub-áreas de Engenharia de Produção, 2008a. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/interna.asp?p=399&m=424&s=1&c=362>. Acesso em: 26 abr ABEPRO. Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares, 2008b. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/arquivos/websites/1/ref_curriculares_abepro.pdf> Disponível em: 26 abr OLIVEIRA, O. M. M. A gestão de estoques no pequeno e médio varejo de supermercado na Bahia: estudo sobre a influência da gestão informatizada de estoques sobre o desempenho dessas empresas p.. Dissertação apresentada para a obtenção de título de mestre em administração Universidade Federal da Bahia. Salvador, RAIMUNDO, M. R. Gestão de recursos materiais: controle de estoque de um supermercado localizado em criciuma SC Monografia apresentada para obtenção do grau de Bacharel em Administração Universidade do Extremo Sul Catarinense. Criciúma, Junho de RITZMAN, L. P.; KRAJEWSKI, L. J.. Administração da Produção e Operações. 1 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, SLACK, N. et al.. Administração da Produção.Ediçaõ compactada. São Paulo: Atlas, STEVENSON, W. J. Administração das operações de produção. 6 ed. Rio de Janeiro: Edt Livros Técnicos e Científicos (LTC), TUBINO, D. F. Planejamento e controle da produção: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Atlas,

9 VIEIRA, J. G. V.; PIMENTA, M. C.; BRAGA, L. M. Gestão de armazenagem em um supermercado de pequeno porte. Revista P&D em Engenharia de Produção, Itájuba, Nº. 08, p , jun/agos, Disponível em:< Acesso em: 11 set

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR.

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Barbara Monfroi (Unioeste) bmonfroi@gmail.com Késsia Cruz (Unioeste) kessia.cruz@hotmail.com

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade Operacional AULA 04 Gestão

Leia mais

Administrando Estoques e Processos Adequadamente

Administrando Estoques e Processos Adequadamente Administrando Estoques e Processos Adequadamente Estoque é Dinheiro Planeje e Controle seus Estoques Rev - 1105 Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 Serviço de Apoio às Micro e

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Prof. Rafael Roesler Aula 5 Sumário Classificação ABC Previsão de estoque Custos

Leia mais

Previsão de Demanda por Simulação de Monte Carlo em uma Empresa Especializada em Produtos Odontológicos

Previsão de Demanda por Simulação de Monte Carlo em uma Empresa Especializada em Produtos Odontológicos Previsão de Demanda por Simulação de Monte Carlo em uma Empresa Especializada em Produtos Odontológicos Hugo Hissashi Miyata 1 (GEPPGO, DEP/FECILCAM) hugomiyata7@hotmail.com Alisson Barreto 2 (EPA, DEP,

Leia mais

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO CONTROLE DE QUALIDADE NA AVALIAÇÃO DE UM ESTOQUE Andre Luis de Souza Neto 1 RESUMO O presente trabalho justifica-se pela discussão do grande papel da avaliação e controle da qualidade de um estoque em

Leia mais

Dimensionamento do estoque para uma micro empresa do setor alimentício utilizando como ferramenta de apoio a curva ABC

Dimensionamento do estoque para uma micro empresa do setor alimentício utilizando como ferramenta de apoio a curva ABC Dimensionamento do estoque para uma micro empresa do setor alimentício utilizando como ferramenta de apoio a curva ABC Adamor Tuji Junior (UEPA) tuji@terra.com.br Anna Christina Monteiro Roffé Borges (UEPA)

Leia mais

Análise dos Controles de Estoque de uma Unidade do Poder Público do Município de Santa Maria-rs

Análise dos Controles de Estoque de uma Unidade do Poder Público do Município de Santa Maria-rs Análise dos Controles de Estoque de uma Unidade do Poder Público do Município de Santa Maria-rs Juliano da Silva Reis juliano_sr90@hotmail.com UNIFRA Juliana Andréa Rüddell Boligon julianaboligon@unifra.br

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ Daiane Maria De Genaro Chiroli 1

Leia mais

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial.

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial. ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA PRODUTORA DE BEBIDAS, COMO AUXÍLIO À GESTÃO DA LOGÍSTICA DE MATERIAIS EM UM CENÁRIO DE DEMANDA VARIÁVEL Eduardo Bezerra dos Santos

Leia mais

ANÁLISE E SELEÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CONTROLE DE ESTOQUES COM BASE EM FERRAMENTAS E MÉTODOS DA GESTÃO DE ESTOQUES.

ANÁLISE E SELEÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CONTROLE DE ESTOQUES COM BASE EM FERRAMENTAS E MÉTODOS DA GESTÃO DE ESTOQUES. ANÁLISE E SELEÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CONTROLE DE ESTOQUES COM BASE EM FERRAMENTAS E MÉTODOS DA GESTÃO DE ESTOQUES. Osmar Possamai (UFSC ) osmarpossamai@gmail.com Emerson Cleister Lima Muniz (UFSC ) eng.prod.emerson@gmail.com

Leia mais

Controle de estoque Aula 03. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Controle de estoque Aula 03. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Controle de estoque Aula 03 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Estoque e sua finalidade Estoque representa uma armazenagem de mercadoria com previsão de uso futuro; Assegurar disponibilidade

Leia mais

O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia

O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia O custeio ABC e sua utilização para estudar o preço de venda de produtos em uma empresa alimentícia e outra de bem durável na cidade de Uberlândia Elaine Gomes Assis (UNIMINAS) elainega@uniminas.br Luciane

Leia mais

Uma indústria mantém estoque de materiais; Um escritório contábil mantém estoque de informações; e

Uma indústria mantém estoque de materiais; Um escritório contábil mantém estoque de informações; e Fascículo 2 Gestão de estoques Segundo Nigel Slack, estoque é definido como a acumulação armazenada de recursos materiais em um sistema de transformação. O termo estoque também pode ser usado para descrever

Leia mais

RESUMOS DE PROJETOS... 233 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 236

RESUMOS DE PROJETOS... 233 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 236 232 RESUMOS DE PROJETOS... 233 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 236 RESUMOS DE PROJETOS 233 APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DMAIC PARA AUMENTO DE PRODUTIVIDADE INDUSTRIAL... 234 PROPOSIÇÃO DE GERENCIAMENTO DE ESTOQUE

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque Módulo Suprimentos Controle de Estoque Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Controle de Estoque. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Previsão de demanda em uma empresa farmacêutica de manipulação

Previsão de demanda em uma empresa farmacêutica de manipulação Previsão de demanda em uma empresa farmacêutica de manipulação Ana Flávia Brito Rodrigues (Anafla94@hotmail.com / UEPA) Larissa Pinto Marques Queiroz (Larissa_qz@yahoo.com.br / UEPA) Luna Paranhos Ferreira

Leia mais

Planejamento Agregado: na ótica do PCP e da Administração da Produção

Planejamento Agregado: na ótica do PCP e da Administração da Produção Planejamento Agregado: na ótica do PCP e da Administração da Produção Henrique Holowka 1 (EPA, DEP/FECILCAM) henrique_engprod@yahoo.com Isabela Korczovei Lemes 2 (EPA, DEP/FECILCAM) kl.isabela@hotmail.com

Leia mais

Palavras-Chave: Controle de Estoque, Análise ABC e Gestão de Estoque.

Palavras-Chave: Controle de Estoque, Análise ABC e Gestão de Estoque. IMPLANTAÇÃO DE FERRAMENTAS PARA CONTROLE DE ESTOQUE Estudo de caso em uma Fábrica de Ração Wemerson de Freitas Borges 1 Prof. Ms. Jordânia Louse Silva Alves 2 RESUMO No Brasil, a gestão de estoques é um

Leia mais

APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM

APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM José Henrique Garrido de Lima 1 Ronaldo Ribeiro de Campos 2 Nas últimas

Leia mais

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES 1 O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES Cesar Paulo Lomba (Discente do 4º período de Tecnologia de Gestão Financeira das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS) Maria Luzia

Leia mais

Controle de Estoques

Controle de Estoques Controle de Estoques Valores em torno de um Negócio Forma Produção Marketing Posse Negócio Tempo Lugar Logística Atividades Primárias da Logística Transportes Estoques Processamento dos pedidos. Sumário

Leia mais

ANÁLISE CONJUNTA DA CURVA ABC E DO FATOR CRITICIDADE EM UMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO DE GUAÇUÍ ES.

ANÁLISE CONJUNTA DA CURVA ABC E DO FATOR CRITICIDADE EM UMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO DE GUAÇUÍ ES. ANÁLISE CONJUNTA DA CURVA ABC E DO FATOR CRITICIDADE EM UMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO DE GUAÇUÍ ES. MAGDA VIMERCATI magda.vimercati@hotmail.com FACEC MARIA DE FÁTIMA ALVES BUENES MENDONÇA fabuenes@yahoo.com.br

Leia mais

A Área de Engenharia do Produto: apresentação de definições e conceitos e discussões do mercado de trabalho

A Área de Engenharia do Produto: apresentação de definições e conceitos e discussões do mercado de trabalho A Área de Engenharia do Produto: apresentação de definições e conceitos e discussões do mercado de trabalho Isabela Korczovei Lemes 1 (EPA, DEP, UEPR/Campus Campo Mourão) isa_bela_kl@hotmail.com Lorena

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Introdução à Adm Rec Materiais

Introdução à Adm Rec Materiais Introdução à Adm Rec Materiais Objetivo principal de uma empresa: maximizar o retorno do capital investido. Estoques: parte do capital investido que funciona como um lubrificante, de modo a permitir um

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Palavras-chaves: Logística, centro de distribuição, armazenagem, picking.

Palavras-chaves: Logística, centro de distribuição, armazenagem, picking. MÉTODOS DE ORGANIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE PICKING NA GESTÃO LOGÍSTICA: UM ESTUDO DE CASO NO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA REDE SUPERMERCADISTA DO RIO GRANDE DO SUL Jessica de Assis Dornelles (Unipampa ) jessica-dornelles@hotmail.com

Leia mais

SUPLLY CHAIN MANAGEMENT NO AUXILIO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE E VENDAS EM UMA MICRO EMPRESA

SUPLLY CHAIN MANAGEMENT NO AUXILIO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE E VENDAS EM UMA MICRO EMPRESA SUPLLY CHAIN MANAGEMENT NO AUXILIO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE E VENDAS EM UMA MICRO EMPRESA Amanda Acacia Rodrigues (UNIPAM) amandaacacia.r@gmail.com Andressa Moreira Soares

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE GESTÃO DE ESTOQUES EM UMA EMPRESA DE MATERIAIS DE HIGIENE E LIMPEZA LOCALIZADA EM CRICIÚMA - SANTA CATARINA

ANÁLISE DO PROCESSO DE GESTÃO DE ESTOQUES EM UMA EMPRESA DE MATERIAIS DE HIGIENE E LIMPEZA LOCALIZADA EM CRICIÚMA - SANTA CATARINA ANÁLISE DO PROCESSO DE GESTÃO DE ESTOQUES EM UMA EMPRESA DE MATERIAIS DE HIGIENE E LIMPEZA LOCALIZADA EM CRICIÚMA - SANTA CATARINA Daiane Milioli Dagostin 1 Wagner Blauth 2 RESUMO Atualmente as empresas

Leia mais

Gestão de estoques de materiais em uma confecção

Gestão de estoques de materiais em uma confecção Gestão de estoques de materiais em uma confecção Wendell Juliano Montanheiro(FAQ) biblioteca@faculdadexvdeagosto.edu.br Luiz Antonio Fernandes (FAQ) biblioteca@faculdadexvdeagosto.edu.br RESUMO O trabalho

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI GEDAÍAS RODRIGUES VIANA 1 FRANCISCO DE TARSO RIBEIRO CASELLI 2 FRANCISCO DE ASSIS DA SILVA MOTA 3

Leia mais

Armazenagem e movimentação de materiais

Armazenagem e movimentação de materiais V I R T U A L Armazenagem e movimentação de materiais Lote econômico e estoque de segurança GESTÃO DE LOGÍSTICA Professor: Wilson Luigi Silva Mestre em Administração Apresentação da unidade Uma vez determinada

Leia mais

Leitores: supermercadistas de todos os portes, fornecedores, órgãos governamentais, universidades

Leitores: supermercadistas de todos os portes, fornecedores, órgãos governamentais, universidades SuperHiper é a publicação oficial do setor, pertence à Abras e este ano completa 35 anos Leitores: supermercadistas de todos os portes, fornecedores, órgãos governamentais, universidades Representa o setor

Leia mais

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação;

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação; 2. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Área da Administração responsável pela coordenação dos esforços gerenciais relativos às seguintes decisões: Administração e controle de estoques; Gestão de compras; Seleção

Leia mais

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa Controle de estoques Capítulo 6 Sumário Conceito de estoque Tipos Sistemas de controle de estoques Fichas de estoque Classificação de estoque Dimensionamento de estoque Logística e Cadeia de suprimentos

Leia mais

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE! Qual o valor de um estoque?! Quanto de material vale a pena manter em estoque?! Como computar o valor da obsolescência no valor do estoque?! Qual o custo de um pedido?!

Leia mais

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques ! " # ) % & $ % & ' (

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques !  # ) % & $ % & ' ( Gestão de Estoques Motivos para surgimento de estoques % &! $ % & " # " ) % & * $ % & ' ( 1 Decisões sobre volumes. TV() = Total annual variable costs and * + $, - " 2 Custos totais de um sistema simplificado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS GESTÃO DE ESTOQUES

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS GESTÃO DE ESTOQUES GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS GESTÃO DE ESTOQUES Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Conhecer a terminologia usada na gestão de estoques Conhecer os métodos e procedimentos básicos de planejamento

Leia mais

Planejamento Estratégico da Produção: Uma análise teóricoconceitual

Planejamento Estratégico da Produção: Uma análise teóricoconceitual Planejamento Estratégico da Produção: Uma análise teóricoconceitual Raphaela Fernandes de Almeida 1 (EPA, FECILCAM) rapha_bela@hotmail.com Caroline Oliveira de Souza 2 (EPA, FECILCAM) carol_souza_16@hotmail.com

Leia mais

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE 1.1 Conceito de Gestão de estoques Refere-se a decisões sobre quando e quanto ressuprir

Leia mais

Aplicações de Otimização em Processos Industriais

Aplicações de Otimização em Processos Industriais Aplicações de Otimização em Processos Industriais Maria Cristina N. Gramani gramani@mackenzie.com.br Departamento de Engenharia de Produção Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Organização

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES Profa. Lérida Malagueta Planejamento e controle da produção O PCP é o setor responsável por: Definir quanto e quando comprar Como fabricar ou montar cada

Leia mais

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Ana Clara Rosado Silva (1) ; Daiane Oliveira Borges (2) ; Tatiana Morais Leite (3) ; Vanessa Oliveira Couto (4) ; Patrícia Carvalho

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE

PLANEJAMENTO E CONTROLE Unidade I PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUES Profa. Marinalva Barboza Planejamento e controle de estoques Objetivos da disciplina: Entender o papel estratégico do planejamento e controle de estoques.

Leia mais

GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA

GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA Eduardo Saggioro Garcia Leonardo Salgado Lacerda Rodrigo Arozo Benício Erros de previsão de demanda, atrasos no ressuprimento

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO Umberto Sales Mazzei Bruno Vieira Bertoncini PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA UNIVERSIDADE GAMA FILHO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GESTÃO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO NO SETOR PÚBLICO ELINE COÊLHO DA ROCHA ORGANIZAÇÃO DO ALMOXARIFADO NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

Professor Severino Domingos Júnior Disciplina: Gestão de Compras e Estoques no Varejo

Professor Severino Domingos Júnior Disciplina: Gestão de Compras e Estoques no Varejo Professor Severino Domingos Júnior Disciplina: Gestão de Compras e Estoques no Varejo 1) Definições de Previsão de Demanda 2) Mercados 3) Modelo de Previsão 4) Gestão da Demanda 5) Previsão como Processo

Leia mais

RELATÓRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONTROLE DE ESTOQUES MULTICAMADA EM UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS COM USO DA INFORMAÇÃO: TEORIA E CASO ILUSTRATIVO

RELATÓRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONTROLE DE ESTOQUES MULTICAMADA EM UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS COM USO DA INFORMAÇÃO: TEORIA E CASO ILUSTRATIVO RELATÓRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CONTROLE DE ESTOQUES MULTICAMADA EM UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS COM USO DA INFORMAÇÃO: TEORIA E CASO ILUSTRATIVO Aluna: Joana Freire de Carvalho Orientador: Fernanda Maria

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO GESTÃO DE ESTOQUE - 1 - Jéssica Taiani do Amaral - jessicataiani@hotmail.com Laurinda Oliveira Dourado - RESUMO A gestão de estoques é um assunto vital e, freqüentemente, absorve parte substancial do orçamento

Leia mais

Gestão Estratégica de Estoques um Estudo em Grupo de Empresas do Setor de Móveis

Gestão Estratégica de Estoques um Estudo em Grupo de Empresas do Setor de Móveis Gestão Estratégica de Estoques um Estudo em Grupo de Empresas do Setor de Móveis Hélio José Reis Aguiar arthouse@hotmail.com Faculdade de Guaçuí Simone de Souza simones@ifes.edu.br IFES Guarapari Flávio

Leia mais

Descrição do processo de priorização para tomada de tempos: Pesquisa ação em uma empresa job shop de usinados aeronáuticos.

Descrição do processo de priorização para tomada de tempos: Pesquisa ação em uma empresa job shop de usinados aeronáuticos. Descrição do processo de priorização para tomada de tempos: Pesquisa ação em uma empresa job shop de usinados aeronáuticos. Tatiana Sakuyama Jorge Muniz Faculdade de Engenharia de Guaratingüetá - Unesp

Leia mais

Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas

Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas 1 Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas Aumentos repentinos no consumo são absorvidos pelos estoques, até que o ritmo de produção seja ajustado para

Leia mais

Aplicação dos princípios de Administração da Produção em uma indústria química

Aplicação dos princípios de Administração da Produção em uma indústria química Aplicação dos princípios de Administração da Produção em uma indústria química 1 Laureilton José Almeida BORGES; 1 Fádua Maria do Amaral SAMPAIO; 1 Luciana MENDONÇA; 2 Wemerton Luís EVANGELISTA. 1 Estudante

Leia mais

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles Faz

Leia mais

PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado

PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES. Frente Almoxarifado PROJETO GESTÃO DE ESTOQUES Frente Almoxarifado Belo Horizonte, setembro de 2011 Agenda Projeto Gestão de Estoques Cartilhas Agendamento de Recebimentos e de Expedições Recebimento Armazenagem Carregamento

Leia mais

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS Gestão Estratégica de Estoques/Materiais Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 22/08/2011 O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS 2 1 GESTÃO DE ESTOQUE Demanda Adequação do Estoque Investimento Série de ações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

O MODELO DE GESTÃO DE ESTOQUE UTILIZADO NA LANCHONETE SOBRAL

O MODELO DE GESTÃO DE ESTOQUE UTILIZADO NA LANCHONETE SOBRAL 1 O MODELO DE GESTÃO DE ESTOQUE UTILIZADO NA LANCHONETE SOBRAL CARLOS RUVENS COELHO PONTE 1 CARLOS WAGNER CAVALCANTE GOMES 2 RODRIGO VIANA 3 ALINE PINTO DE MACÊDO DA SILVA 4 Resumo: Todas as empresas vêm

Leia mais

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Engenharia de Custos e Orçamentos Turma 01 10 de outubro de 2012 A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma

Leia mais

Análise dos Estoques Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva

Análise dos Estoques Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva CAPÍTULO Análise dos Estoques 1 Gestão de Estoques Série de ações que permitem ao administrador verificar se os estoques estão sendo bem utilizados, bem localizados em relação aos setores que deles se

Leia mais

Planejamento de estoque pela classificação ABC: o início da mudança da postura estratégica de uma média empresa varejista de materiais de construção

Planejamento de estoque pela classificação ABC: o início da mudança da postura estratégica de uma média empresa varejista de materiais de construção Planejamento de estoque pela classificação ABC: o início da mudança da postura estratégica de uma média empresa varejista de materiais de construção Danielly Cabral Lima (UFPE)daniellycabral@hotmail.com

Leia mais

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7)

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) A ESTRATÉGIA DA MANUFATURA E O SISTEMA PPCP: A estratégia

Leia mais

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE EXTENSÃO: CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EM FINANÇAS PROJETO: CENTRO DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NA FARMÁCIA

GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NA FARMÁCIA GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NA FARMÁCIA Em qualquer empresa que atua na comercialização de produtos, o estoque apresenta-se como elemento fundamental. No ramo farmacêutico, não é diferente, sendo o controle

Leia mais

RELATÓRIO ÍNDICE DO CUSTO DE VIDA - ICV SÃO JOSÉ/SC

RELATÓRIO ÍNDICE DO CUSTO DE VIDA - ICV SÃO JOSÉ/SC RELATÓRIO ÍNDICE DO CUSTO DE VIDA - ICV SÃO JOSÉ/SC MAIO/2007 1 INTRODUÇÃO O Índice do Custo de Vida (ICV) de São José, calculado pela Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina, em convênio com a Associação

Leia mais

Gerenciamento e planejamento de estoque em lojas de mini departamentos do município de Bambuí

Gerenciamento e planejamento de estoque em lojas de mini departamentos do município de Bambuí Gerenciamento e planejamento de estoque em lojas de mini departamentos do município de Bambuí Warlei Laurindo Martins¹; Andriele de Oliveira Bernades¹; Juliana de Souza Santos¹;Pedro H. Gomes Lima¹; Diego

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Assistente de Logística

Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Assistente de Logística Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC Paulino Botelho (Extensão Esterina Placco) Ensino Técnico Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Gerenciamento de armazém através da ferramenta FMEA: um estudo de caso para o ramo supermercadista

Gerenciamento de armazém através da ferramenta FMEA: um estudo de caso para o ramo supermercadista Gerenciamento de armazém através da ferramenta FMEA: um estudo de caso para o ramo supermercadista Mauricio João Atamanczuk (UTFPR) mauricioata@yahoo.com.br Jaime Andre Ramos Filho (UTFPR) jaramos@onda.com.br

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA TÍTULO: ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE AÇÃO A PARTIR DA APLICAÇÃO DA CURVA ABC VISANDO OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO DO ESTOQUE: PESQUISA AÇÃO EM UMA EMPRESA DO SETOR METAL-MECÂNICO. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque.

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. RAZÕES PARA MANTER ESTOQUES A armazenagem de mercadorias prevendo seu uso futuro exige investimento por parte da organização. O ideal seria

Leia mais

A CURVA ABC COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE ESTOQUES RESUMO

A CURVA ABC COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE ESTOQUES RESUMO A CURVA ABC COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE ESTOQUES Leider Simões, Unisalesiano de Lins e-mail: leidersimoes16@hotmail.com Profª M. Sc. Máris de Cássia Ribeiro, Unisalesiano Lins e-mail: maris@unisalesiano.edu.br

Leia mais

Palavras chave: Sistema logístico, redes varejistas, atividades logísticas primarias.

Palavras chave: Sistema logístico, redes varejistas, atividades logísticas primarias. PROCESSO LOGÍSTICO EM REDE VAREJISTA: UM ESTUDO DAS ATIVIDADES LOGÍSTICAS PRIMÁRIAS EM UMA REDE VAREJISTA NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Julimara Fátima da Silva 1 Julimara Lima Nunes 2 Sablina Prado de Assis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Logística em Agronegócio CÓDIGO: DP 0092 PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 10 09/06/2016 Logística

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Carla Milanesi de Oliveira Carla_mila_lala@hotmail.com CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos (SP) Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Auxiliar

Leia mais

Estruturando o Fluxo Puxado Modelos Clássicos de Reposição de Estoques

Estruturando o Fluxo Puxado Modelos Clássicos de Reposição de Estoques 1 GESTÃO DE S EM SISTEMAS DE ESTÁGIO ÚNICO Modelos Clássicos e Cálculo dos Parâmetros de Controle SISTEMAS DE ESTÁGIO ÚNICO CASOS REAIS TÍPICOS Venda de produtos no varejo Venda de produtos em máquinas

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Custos dos estoques 2. Custos diretamente proporcionais 3. Custos inversamente proporcionais 4.

Leia mais

Dimensionamento de estoques em ambiente de demanda intermitente

Dimensionamento de estoques em ambiente de demanda intermitente Dimensionamento de estoques em ambiente de demanda intermitente Roberto Ramos de Morais Engenheiro mecânico pela FEI, mestre em Engenharia de Produção e doutorando em Engenharia Naval pela Escola Politécnica

Leia mais

ANÁLISE DE AMBIENTE. E neste contexto, podemos dividir a análise ambiental em dois níveis distintos: Ambiente Externo.

ANÁLISE DE AMBIENTE. E neste contexto, podemos dividir a análise ambiental em dois níveis distintos: Ambiente Externo. Gestão de Estoques ANÁLISE DE AMBIENTE Pode-se dizer que as empresas são sistemas abertos, pois estão em permanente intercâmbio com o seu ambiente, ao mesmo tempo em que devem buscar incessantemente o

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 3 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. A Gestão de Estoques Definição» Os estoques são acúmulos de matériasprimas,

Leia mais

SISTEMA DE CUSTEIO ABC ACTIVITY BASED COSTING. Jaime José Veloso

SISTEMA DE CUSTEIO ABC ACTIVITY BASED COSTING. Jaime José Veloso SISTEMA DE CUSTEIO ABC ACTIVITY BASED COSTING Métodos de Custeio Os métodos de custeio são as maneiras de alocação dos custos aos produtos e serviços. São três os métodos mais utilizados: Custeio por absorção

Leia mais

Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição.

Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição. Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição. Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE A gestão de estoque é, basicamente, o ato de gerir recursos ociosos

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES T É C N I C O E M A D M I N I S T R A Ç Ã O P R O F. D I E G O B O L S I M A R T I N S 2015 ESTOQUES São acumulações de matérias-primas, suprimentos, componentes,

Leia mais

Análise e Aplicação de Controle de Custos na Gestão por Processo: Estudo de caso em uma indústria de implementos agrícolas.

Análise e Aplicação de Controle de Custos na Gestão por Processo: Estudo de caso em uma indústria de implementos agrícolas. Análise e Aplicação de Controle de Custos na Gestão por Processo: Estudo de caso em uma indústria de implementos agrícolas. Cátia Raquel Felden Bartz (FAHOR) catia@fahor.com.br Jonas Mazardo (FAHOR) jonas_mazardo@yahoo.com.br>,

Leia mais

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha A administração de materiais A administração de materiais procura conciliar as necessidades de suprimentos com a otimização dos recursos financeiros

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Noções básicas de Administração da Produção. Noções básicas sobre a evolução do Pensamento Administrativo. Papel estratégico e objetivos da produção. Estratégia de produção. Projeto em gestão

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Administração das Operações Produtivas Prof. Rodolpho Antonio Mendonça WILMERS São Paulo 2011 Administração das Operações Produtivas Introdução Nada

Leia mais

Análise da qualidade de vida no trabalho em uma empresa prestadora de serviços de fotocópias e serviços diversos no município de Bambuí/MG

Análise da qualidade de vida no trabalho em uma empresa prestadora de serviços de fotocópias e serviços diversos no município de Bambuí/MG Análise da qualidade de vida no trabalho em uma empresa prestadora de serviços de fotocópias e serviços diversos no município de Bambuí/MG Kamyla Espíndola Gibram REIS 1 ; Estefânia Paula da SILVA 2 ;

Leia mais

CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES UMA VISÃO GERENCIAL E FINANCEIRA

CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES UMA VISÃO GERENCIAL E FINANCEIRA CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES UMA VISÃO GERENCIAL E FINANCEIRA Diego Leal Silva Santos RESUMO Nos dias atuais têm surgido vários trabalhos que versam sobre custos, tais como, artigos, livros, monografias,

Leia mais