PROBABILIDADE CONTEÚDOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROBABILIDADE CONTEÚDOS"

Transcrição

1 PROBABILIDADE CONTEÚDOS Experimentos aleatórios Eventos Probabilidade Probabilidade de união de dois eventos Probabilidade de eventos independentes Probabilidade condicional AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS Experimentos aleatórios Jogue para o alto um dado de seis faces, que são enumeradas de a 6 Antes dele cair no chão, você seria capaz de dizer qual é o número apresentado na face voltada para cima? Suponha que nessa primeira jogada, a face voltada para cima apresenta o número, neste caso, você saberia dizer se, realizando o lançamento do dado mais uma vez, a face que cairá voltada para cima será novamente a face que apresenta o número? Figura - Dados Africa Studio /shutterstockcom Pode parecer estranho, mas para responder essas perguntas vamos começar pela segunda A situação colada é identificada como experimento aleatório, isto é, mesmo que o dado seja jogado n vezes, tendo as mesmas condições, o resultado é imprevisível Portanto, ao jogar o dado uma vez e obter o número, não significa que no próximo lançamento, o valor obtido também será o número

2 Agora vamos a pergunta, nela também temos a ocorrência de um evento aleatório, e apesar de não conhecer qual será o resultado em um experimento, é possível descrever o conjunto de todos os resultados possíveis que podem ocorrer Esse conjunto é identificado como espaço amostral No lançamento de um dado, por exemplo, os resultados possíveis são:, 2, 3, 4, 5, 6 Esse é o conjunto que identificamos como espaço amostral Denominaremos esse conjunto como S, temos: S = {, 2, 3, 4, 5, 6} Agora que já conhecemos os resultados possíveis, vamos supor que ao lançar um dado, desejamos obter um número par De acordo com o espaço amostral, temos 3 possibilidades de obter o número par, essa ocorrência é chamada de evento O evento é um subconjunto do espaço amostral Identificaremos esse subconjunto pela letra E Vejamos mais alguns eventos que podem ser considerados no lançamento de um dado: º - Obter um número primo E = { 2, 3, 5} 2º - Obter um número ímpar E = {, 3, 5} 3º - Obter um número múltiplo de 2 E = { 2, 4, 6} Alguns eventos particulares recebem as seguintes identificações: evento certo, evento impossível, evento simples, evento complementar, eventos mutuamente exclusivos, evento união e evento intersecção Evento certo - O evento certo é aquele em que os elementos do espaço amostral são iguais aos elementos do evento Por exemplo, lançar um dado e obter um número natural Considerando que todos os números do dado são naturais, temos um evento com o número de elementos igual ao número de elementos do espaço amostral Evento impossível O evento impossível é aquele que possui um conjunto vazio Por exemplo, lançar um dado e obter o número 7 Tendo em vista que o dado tem suas faces numeradas de a 6, não há como lançar o dado e obter o número 7 Portanto esse evento é impossível

3 Evento simples Evento simples é aquele que possui um único elemento Por exemplo, lançar o dado e obter um múltiplo de 5 Sendo as faces de um dado enumeradas de a 6, temos apenas elemento múltiplo de 5 Portanto, esse evento é simples Evento intersecção O evento intersecção refere-se a ocorrência de dois eventos simultaneamente Veja como ocorre essa intersecção: Considere que um dado é lançado e vamos observar a face voltada para cima Neste caso, temos S = {, 2, 3, 4, 5, 6} O evento identificado como A será: A: ocorrência de um número ímpar A = {, 3, 5} O evento identificado como B será: B: ocorrência de um número maior ou igual a 3 B = {3, 4, 5, 6} A B = ocorrência de um número ímpar e maior que 3 A B = {3,5} Evento união Dados dois eventos A e B, o evento A B ocorrer somente quando há a ocorrência de A ou B (ou ambos) Podemos dizer que A B é a união entre o evento A e o evento B Vejamos um exemplo: Considerado que um dado é lançado e vamos observar a face voltada para cima Novamente temos como espaço amostral S = {, 2, 3, 4, 5, 6}

4 O evento A será: A: ocorrência de um número par A = {2,4, 6} O evento B será: B: ocorrência de um múltiplo de 3 B = { 3,6} Assim, temos: A B = ocorrência de um número par ou ocorrência de um múltiplo de 3 A B = { 2,3,4,6} Evento complementar Dado um evento A, de um espaço amostral S, identifica-se como evento complementar aquele formado por todos os elementos que não fazem parte de A Por exemplo: Seja o evento A a obtenção de um número primo no lançamento de um dado O complementar de A será a não obtenção de um número que não seja primo Para diferenciá-los, pode-se identificar esses eventos por meio da seguinte notação: A (identificação do evento A) A - (identificação do complementar de A) No exemplo dado, temos: S = {, 2, 3, 4, 5, 6} A = { 2, 3, 5} A = {, 6} Podemos ainda dizer que: A = S - A

5 Eventos mutuamente exclusivos Dados um evento A e B, dizemos que eles são mutuamente exclusivos quando a ocorrência de um deles exclui a ocorrência do outro Por exemplo: Evento A: No lançamento de um dado, obter a face voltada para cima um múltiplo de 2 A = {2, 4, 6} Evento B: No lançamento de um dado, obter a face voltada para cima ser um múltiplo de 5 B = {5} Esses eventos são identificados como mutuamente exclusivos porque não há intersecção entre eles Saiba mais: A B Lê-se: A união B A B Lê-se: A intersecção B O símbolo palavra ou representa a soma, ele pode ser representado pelo sinal de + ou pela O símbolo representa a multiplicação, ele pode ser representado pela palavra e ou pelo sinal de multiplicação A B = ocorre somente quando há a ocorrência de A, ou ocorrência de B, ou ambos A B = ocorre somente se A e B ocorrem A = ocorre somente se A não ocorrer

6 Probabilidade Lembra-se da primeira pergunta feita no início desse capítulo? Jogue para o alto um dado de seis faces, que são enumeradas de a 6 Antes dele cair no chão, você seria capaz de dizer qual é o número apresentado na face voltada para cima? Agora encontraremos uma resposta mais adequada para ela Pois afinal, não podemos dizer qual o número será apresentado na face voltada para cima, porém podemos calcular qual é a probabilidade de esta apresentar o número, por exemplo Para tanto, vamos compreender o que significa probabilidade Suponha um espaço amostral S e um evento E que está contido nesse espaço amostral S Identificamos como a probabilidade o número real P (E) obtido a partir da seguinte relação: P (E) = númerode casosfavoráveis númerode casospossíveis Número de casos favoráveis é o número de elementos do evento E Número de casos possíveis é o número de elementos de S Portanto, a probabilidade de obter o número no lançamento de um dado é: P(E) = 6 ou 6,67% Em uma probabilidade de espaços amostrais finitos, são válidas as seguintes condições: A probabilidade de ocorrência de um evento certo é igual a Se A e B são eventos, sendo A B, temos P (A) P (B) Se A é um evento, temos: 0 P(A) Se A e B são eventos, temos: P (A B) = P(A) + P (B), se A e B foram eventos mutuamente excludentes ( A B é vazio) A B Lê-se: A contido em B

7 Probabilidade da ocorrência de união de dois eventos Sendo A e B eventos contidos em um espaço S, o número de elementos da união dos eventos A e B será a soma dos elementos de A com os elementos de B, subtraído o número de elementos da intersecção dos dois eventos (A e B) Temos: P (A B) = P (A) + P (B) P ( A B) Por exemplo: Considere que um dado é lançado e vamos observar a probabilidade da face voltada para cima, ser um número par ou maior que 4 Assim temos: S = {, 2, 3, 4, 5, 6} A: conjunto dos números pares A = { 2, 4, 6} B: conjunto dos números maiores que 4 B = { 5, 6} A B: conjunto dos números pares e maiores que 4 A B = {6} P(A) = 6 3 P(B) = 6 2 P (A B) = 6 P (A B) = P (A B) = P (A B) = 6 4 ou 66,67%

8 Saiba mais Quando calculamos P(A) + P(B), as probabilidades dos eventos contidos em A B são contabilizados 2 vezes Para o conjunto A e para o conjunto B Portanto: P (A B) = P (A) + P (B) P ( A B) Para eventos mutuamente exclusivos, ( A B) = ( conjunto vazio) Portanto: P (A B) = P (A) + P (B) Probabilidade de eventos independentes Dois eventos, de um mesmo espaço amostral, são chamados de independentes quando a ocorrência de um, não interfere na ocorrência do outro Para os eventos independentes a probabilidade de que eles ocorram simultaneamente é igual o produto de suas probabilidades Assim temos: P (A B) = P(A)P(B) Vejamos um exemplo: Em uma caixa há 5 bolas azuis e 0 vermelhas Qual é a probabilidade de retirarmos duas bolas dessa caixa e a primeira ser azul e a segunda ser vermelha? Se na caixa há 5 bolas azuis e 0 vermelhas, há um total de 5 bolas A probabilidade de ocorrer o evento independente A: a bola retirada ser azul é: P(A) = Como a segunda bola será retirada sem reposição, restam na caixa apenas 4 bolas (4 azuis e 0 vermelhas), isso porque já foi retirado uma bola azul A probabilidade de ocorrer o evento independente B: a 2ª bola retirada é vermelha é:

9 P(B) = A probabilidade da ª bola ser azul e a 2ª ser vermelha, é dada pelo produto: P(A)(PB) = Probabilidade condicional Sendo A e B eventos de um espaço amostral S, denomina-se probabilidade condicional, a qual identifica-se pela expressão P (A/B), a probabilidade do evento A ocorrer, dado que o evento B tenha ocorrido Isto é, a ocorrência do evento A está condicionada a ocorrência do evento B Vejamos um exemplo: Vamos considerar que os 60 alunos do 7º ano de uma escola foram classificados pelo sexo e pela idade, conforme visualizamos na tabela Idade Sexo 2 anos 3 anos Masculino 4 6 Feminino 20 0 Vamos considerar que um aluno é sorteado ao acaso, e temos os seguintes eventos: A: O aluno deverá ter mais que 2 anos B: O sorteado deverá ser do sexo feminino Para calcular a P(A/B), devemos lembrar que A só ocorrerá se B ocorrer Veja que o evento B está relacionado a um aluno que seja do sexo feminino, assim temos um espaço amostral de 30 alunos Porém, teremos esse espaço reduzido porque temos apenas 0 pessoas do sexo feminino maiores que 2 anos

10 Assim: P(A/B) = A B Portanto, temos: P(A/B) = P(B) A probabilidade da ocorrência de P(A/B) é diferente da probabilidade de P(B/A) Considerando os mesmos eventos, vamos calcular a probabilidade de P (B/A) A: O aluno deverá ter mais que 2 anos B: O sorteado deverá ser do sexo feminino Para calcular P(B/A) devemos lembrar que B só ocorre se A ocorrer Veja que o evento A está relacionado a um aluno que apresente a idade maior que 2 anos Assim, temos um espaço amostral de 26 alunos Porém, esse espaço é reduzido porque temos apenas 0 pessoas do sexo feminino Assim, P(B/A) = Multiplicação de probabilidades Para compreender a multiplicação das probabilidades, vamos partir de uma situação-problema Para uma competição, os estudantes de uma classe foram divididos em 3 grupos No grupo havia 5 meninas e 7 meninos No grupo 2 havia 8 meninas e 4 meninos e no grupo 3 havia 6 meninos e 6 meninas Um grupo é escolhido ao acaso e desse grupo é sorteado um aluno que ganhará um prêmio Qual é a probabilidade do sorteado ser um aluno do grupo e menino? Para responder essa pergunta, vamos pensar em uma árvore de possibilidades Observe:

11 Como será escolhido ao acaso um grupo, a probabilidade é de 3 para cada grupo Observe que a árvore de possibilidades traz as seguintes informações: Escolhido o grupo, vamos calcular as probabilidades condicionais de ser sorteado de certo grupo, uma criança de determinado sexo Assim, temos: G : sortear o grupo M: sortear um menino Desejamos que ocorra o evento G M De acordo com a árvore de possibilidades, temos:

12 v P (G M )= P (G M )= 36 Veja que: P (G M )= P (G ) P (M/G ) Acompanhe: P (G )= 3 P (M/G ) = P( M G ) P( G ) P (M/G ) = P (M/G ) =

13 Logo, P (G ) P (M/G ) = P (G) P (M/G ) = Portanto, podemos dizer que a probabilidade de ocorrência simultânea de dois eventos (P (A B)) é igual ao produto da probabilidade de um deles, pela probabilidade do outro em relação ao primeiro ATIVIDADES Na competição, estão presentes dois grandes campeões Dentre os oito participantes, é garantido que esses campeões cheguem em º e 2º lugar Assim, ficará para os demais disputarem apenas o 3º lugar Marcos é um dos competidores que disputará essa classificação, e portanto, qual é a probabilidade dele receber a medalha de bronze (medalha oferecida aos atletas que chegam em terceiro lugar)? 2 Em um festival de música sertaneja, em uma mesma noite, houve a apresentação de 4 duplas sertanejas Durante o show, foi realizada uma pesquisa com 000 pessoas, a intenção era saber como estava dividido o público em relação a preferência por determinada dupla Em relação à pesquisa, foram obtidas as seguintes respostas: Quantidade de pessoas que tem preferência pela dupla Dupla A 50 Qual é a sua dupla preferida? Dupla B 350 Dupla C 300 Dupla D 200

14 Se para os participantes dessa pesquisa, for sorteado um ingresso para o próximo festival sertanejo, qual é a probabilidade do ganhador ser uma pessoa que tem preferência pela dupla D? 3 (UERJ - 2º exame de qualificação 203/42) Em uma escola, 20% dos alunos de uma turma marcaram a opção correta de uma questão de múltipla escolha que possui quatro alternativas de resposta Os demais marcaram uma das quatro opções ao acaso Verificando-se as respostas de dois alunos quaisquer dessa turma, a probabilidade de que exatamente um tenha marcado a opção correta equivale a: a) 0,48 b) 0,40 c) 0,36 d) 0,25 4 (UERJ 2 Exame de qualificação) Uma máquina contém pequenas bolas de borracha de 0 cores diferentes, sendo 0 bolas de cada cor Ao inserir uma moeda na máquina, uma bola é expelida ao acaso Observe a ilustração: Inserindo-se 3 moedas, uma de cada vez, a probabilidade de que a máquina libere 3 bolas, sendo apenas duas delas brancas, é aproximadamente de: a) 0,008 b) 0,025 c) 0,040 d) 0,072

15 5(ENEM - 202) Em um jogo há duas urnas com 0 bolas de mesmo tamanho em cada urna A tabela a seguir indica as quantidades de bolas de cada cor em cada urna Uma jogada consiste em: º) o jogador apresenta um palpite sobre a cor da bola que será retirada por ele da urna 2; 2º) ele retira, aleatoriamente, uma bola da urna e a coloca na urna 2, misturando-a com as que lá estão; 3º) em seguida ele retira, também aleatoriamente, uma bola da urna 2 4º) se a cor da última bola retirada for a mesma do palpite inicial, ele ganha o jogo Qual cor deve ser escolhida pelo jogador para que ele tenha a maior probabilidade de ganhar? a) Azul b) Amarela c) Branca d) Verde e) Vermelha

16 6 (ENEM -203) Uma loja acompanhou o número de compradores de dois produtos, A e B, durante os meses de janeiro, fevereiro e março 202 Com isso, obteve este gráfico: A loja sorteará um brinde entre os compradores do produto A e outro entre os compradores do produto B Qual a probabilidade de que os dois sorteados tenham feito suas compras em fevereiro de 202? a) 20 3 b) c) 22 6 d) 25 e) 5 7 INDICAÇÕES Para você explorar um pouco mais a probabilidade, consulte os links indicados a seguir Podcast Probabilidade Disponível em: DispFormaspx?ID=3&Source=http%3A%2F%2Fwww%2Eeja%2Eeducacao%2Eorg%2Eb r%2fbibliotecadigital%2fcienciasnatureza%2fpodcasts%2fpaginas%2fpodcastem%2 Easpx O link traz um podcast que aborda a probabilidade No endereço indicado, além do podcast, você encontrará uma atividade com uma série de exercícios relacionados ao conteúdo

17 OBMEP Probabilidade Disponível em: O link traz uma série de vídeos que abordam o tema probabilidade Podcast - A História da Probabilidade Disponível: No link você encontrará um podcast que conta a história da probabilidade Probabilidade - Eventos independentes Disponível em: No link você encontrará um artigo que aborda a Teoria das Probabilidades considerando eventos independentes REFERÊNCIAS AFRICA STUDIOIn: SHUTTERSTOCK Red dices isolated on white Disponível em:< https://wwwshutterstockcom/pic html> Acesso em: 9 out 206 0h INEP ENEM 202 Prova Amarela Disponível em:< m_amarelopdf> Acesso em: 6 maio 206 2h INEP ENEM 203 Prova Amarela Disponível em: m_amarelopdf> Acesso em: 20 out 206 6h INEP ENEM 204 Prova Amarela Disponível em:< 2_05_AMARELOpdf> Acesso em: 3 set 206 h SILVA, Claudio Xavier Filho, Benigno Barreto Matemática: Aula por Aula 2ª série 2ª ed São Paulo: FTD, 2005 p UERJ 2º exame de qualificação 20 Disponível em:<http://wwwrevistavestibularuerjbr/questao/questaoobjetivaphp?seq_questao=66> Acesso em: 9 out 206 5h40min UERJ 2º exame de qualificação 203 Disponível em: <http://wwwrevistavestibularuerjbr/questao/questao-objetivaphp?seq_questao=99> Acesso em: 9 out 206 5h

18 GABARITO Se o º e 2º lugar já estão garantidos por dois competidores, restam, para disputar o 3º lugar, apenas 6 atletas, sendo Marcos um deles Assim, temos: Evento: Marcos ganhar em 3º lugar P(E) = Número de casos favoráveis Número de casos possívies P(E) = 6 2 Neste caso, temos: Evento: O ganhador do ingresso ser um fã da dupla D P(E) = Número de casos favoráveis Número de casos possívies 200 P(E) = 0, 2 0,200 = 20% 000 Portanto, a probabilidade do ganhador do ingresso ser um fã da dupla D, é de 20% 3 A alternativa correta é a letra A Sabemos que 20% marcaram a opção certa, e devemos considerar que somente dos dois alunos que terão suas respostas verificadas, apresentará a resposta correta Assim, temos: Primeiro, vamos fazer as seguintes identificações: Vamos chamar de grupo, os alunos que pertencem aos 20% que marcaram a opção correta A probabilidade de acertos, vamos identificar como P(A) Vamos chamar de grupo 2, os alunos que pertencem aos 80% que escolheram ao acaso uma das 4 alternativas Dentre esses 80%, temos os alunos que erram e os que acertaram Vamos identificar como E a probabilidade de erro e A a probabilidade de acerto Tendo apenas resposta correta, dentre 4, a probabilidade de acerto para esses 80% é de: 80 20% 4

19 Tendo 3 respostas incorretas, dentre as 4 possibilidades, a probabilidade de erro para esses 80% é de: % Conhecida essas probabilidades, devemos considerar que: A probabilidade de acerto é de 40% (20% + 20%) E a probabilidade de erro é de 60% Ao verificar as respostas de dois alunos, considerando que exatamente estará certa, temos a seguinte probabilidade: P(A)P(E) + P(E)P(A) = 0,40,6 + 0,60,4 (P(A)P(E) + P(E)P(A) = 0,24 + 0,24 (P(A)P(E) + P(E)P(A) = 0,48 4 A alternativa correta é a letra B Se na máquina há 0 cores diferentes e cada cor tem 0 bolas, devemos considerar que na máquina há 00 bolas Desejamos calcular a probabilidade de que saiam exatamente duas brancas, vamos identificar esse evento como P(B) Em uma das retiradas, a bola não pode ser branca, vamos chamar esse evento como P( B ) (probabilidade de não sair branca) Considerando que a máquina tem 0 bolas brancas e 90 não brancas Assim, temos: P(B) P(B) P( B ) + P(B) P( B ) P(B) + P( B ) P(B) P(B) = 0,025 5 A alternativa correta é a letra E Para determinar qual será a melhor escolha, vamos calcular a probabilidade de retirada para cada urna

20 Considerando que o palpite refere-se a bola amarela Neste caso, ele pode: Retirar da urna uma bola amarela e da urna 2 uma bola amarela, ou não retirar da urna uma bola amarela e retirar da urna 2 uma bola amarela Assim, considerando o palpite de bola amarela, a probabilidade é Considerando que o palpite refere-se a bola azul, temos as seguintes situações: Retirar da urna uma bola azul e da urna 2 uma bola azul, ou não retirar da urna uma bola azul, e retirar da urna 2 uma bola azul Assim, considerando o palpite de bola azul, a probabilidade é Considerando que o palpite refere-se a bola verde, temos as seguintes situações: Retirar da urna uma bola verde e da urna 2 uma bola verde, ou não retirar da urna uma bola verde, e retirar da urna 2 uma bola verde Assim, considerando o palpite de bola verde, a probabilidade é

21 Considerando que o palpite refere-se a bola branca, temos as seguintes situações: Retirar da urna uma bola branca e da urna 2 uma bola branca, ou não retirar da urna uma bola branca, e retirar da urna 2 uma bola branca Assim, considerando o palpite de bola branca, a probabilidade é Considerando que o palpite refere-se a bola vermelha, temos as seguintes situações: Retirar da urna uma bola vermelha e da urna 2 uma bola vermelha, ou não retirar da urna uma bola vermelha, e retirar da urna 2 uma bola vermelha Assim, considerando o palpite de bola vermelha, a probabilidade é Portanto, a maior possibilidade é de retirada da bola vermelha 6A alternativa correta é a letra A De acordo com os dados do gráfico, os compradores do produto A, totalizam 00, e do produto B, totalizam 20 No mês de fevereiro, compraram o produto A, 30 pessoas, e o produto B, 20 Assim temos:

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Campus de Lhanguene, Av. de Moçambique, km 1, Tel: +258 21401078, Fax: +258 21401082, Maputo Cursos de Licenciatura em Ensino de Matemática

Leia mais

Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS

Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS Cap. II EVENTOS MUTUAMENTE EXCLUSIVOS E EVENTOS NÃO- EXCLUSIVOS Dois ou mais eventos são mutuamente exclusivos, ou disjuntos, se os mesmos não podem ocorrer simultaneamente. Isto é, a ocorrência de um

Leia mais

Adição de probabilidades. O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e):

Adição de probabilidades. O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e): Adição de probabilidades O número de elementos da união dos conjuntos A e B n(aub) = n(a B) Dividindo os dois membros por n(e): Dois eventos A e B são ditos mutuamente exclusivos se, e somente se, A B

Leia mais

Se A =, o evento é impossível, por exemplo, obter 7 no lançamento de um dado.

Se A =, o evento é impossível, por exemplo, obter 7 no lançamento de um dado. PROBABILIDADE Espaço amostral Espaço amostral é o conjunto universo U de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. O número de elementos desse conjunto é indicado por n(u). Exemplos: No

Leia mais

Técnicas de Contagem I II III IV V VI

Técnicas de Contagem I II III IV V VI Técnicas de Contagem Exemplo Para a Copa do Mundo 24 países são divididos em seis grupos, com 4 países cada um. Supondo que a escolha do grupo de cada país é feita ao acaso, calcular a probabilidade de

Leia mais

RESOLUÇÃO DAS ATIVIDADES E FORMALIZAÇÃO DOS CONCEITOS

RESOLUÇÃO DAS ATIVIDADES E FORMALIZAÇÃO DOS CONCEITOS CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO Curso de Administração Disciplina: Estatística I Professora: Stefane L. Gaffuri RESOLUÇÃO DAS ATIVIDADES E FORMALIZAÇÃO DOS CONCEITOS Sessão 1 Experimentos Aleatórios e

Leia mais

Probabilidade. Evento (E) é o acontecimento que deve ser analisado.

Probabilidade. Evento (E) é o acontecimento que deve ser analisado. Probabilidade Definição: Probabilidade é uma razão(divisão) entre a quantidade de eventos e a quantidade de amostras. Amostra ou espaço amostral é o conjunto formado por todos os elementos que estão incluídos

Leia mais

Probabilidade. Luiz Carlos Terra

Probabilidade. Luiz Carlos Terra Luiz Carlos Terra Nesta aula, você conhecerá os conceitos básicos de probabilidade que é a base de toda inferência estatística, ou seja, a estimativa de parâmetros populacionais com base em dados amostrais.

Leia mais

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO UM JOGO BINOMIAL São muitos os casos de aplicação, no cotidiano de cada um de nós, dos conceitos de probabilidade. Afinal, o mundo é probabilístico, não determinístico; a natureza acontece

Leia mais

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia

ActivALEA. ative e atualize a sua literacia ActivALEA ative e atualize a sua literacia N.º 26 A FREQUÊNCIIA RELATIIVA PARA ESTIIMAR A PROBABIILIIDADE Por: Maria Eugénia Graça Martins Departamento de Estatística e Investigação Operacional da FCUL

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº06

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº06 Nome: Ano: º Ano do E.M. Escola: Data: / / 3º Ano do Ensino Médio Aula nº06 Assunto: Noções de Estatística 1. Conceitos básicos Definição: A estatística é a ciência que recolhe, organiza, classifica, apresenta

Leia mais

Coordenadoria de Matemática. Apostila de Probabilidade

Coordenadoria de Matemática. Apostila de Probabilidade Coordenadoria de Matemática Apostila de Probabilidade Vitória ES 1. INTRODUÇÃO CAPÍTULO 03 Quando investigamos algum fenômeno, verificamos a necessidade de descrevê-lo por um modelo matemático que permite

Leia mais

AV2 - MA 12-2011 UMA SOLUÇÃO

AV2 - MA 12-2011 UMA SOLUÇÃO Questão 1. Considere os caminhos no plano iniciados no ponto (0, 0) com deslocamentos paralelos aos eixos coordenados, sempre de uma unidade e no sentido positivo dos eixos x e y (não se descarta a possibilidade

Leia mais

Matemática Ficha de Apoio Modelos de Probabilidade - Introdução

Matemática Ficha de Apoio Modelos de Probabilidade - Introdução Matemática Ficha de Apoio Modelos de Probabilidade - Introdução 12ºano Introdução às probabilidades No final desta unidade, cada aluno deverá ser capaz de: - Identificar acontecimentos com conjuntos e

Leia mais

Análise e Resolução da prova de Agente de Polícia Federal Disciplina: Raciocínio Lógico Professor: Custódio Nascimento

Análise e Resolução da prova de Agente de Polícia Federal Disciplina: Raciocínio Lógico Professor: Custódio Nascimento Análise e Resolução da prova de Agente de Polícia Federal Disciplina: Professor: Custódio Nascimento 1- Análise da prova Análise e Resolução da prova de Agente / PF Neste artigo, farei a análise das questões

Leia mais

1- INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS BÁSICOS

1- INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS BÁSICOS 1 1- INTRODUÇÃO O termo probabilidade é usado de modo muito amplo na conversação diária para sugerir um certo grau de incerteza sobre o que ocorreu no passado, o que ocorrerá no futuro ou o que está ocorrendo

Leia mais

Probabilidade e Estatística

Probabilidade e Estatística Probabilidade e Estatística TESTES DE HIPÓTESES (ou Testes de Significância) Estimação e Teste de Hipóteses Estimação e teste de hipóteses (ou significância) são os aspectos principais da Inferência Estatística

Leia mais

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade 1 AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade Ernesto F. L. Amaral 31 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES 1 1. VARIÁVEIS ALEATÓRIAS Muitas situações cotidianas podem ser usadas como experimento que dão resultados correspondentes a algum valor, e tais situações

Leia mais

Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos

Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos SISTEMA DE GESTÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS (SiGPC) CONTAS ONLINE Registro de Retenções Tributárias e Pagamentos Atualização: 20/12/2012 A necessidade de registrar despesas em que há retenção tributária é

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ROTEIRO Esta aula tem por base o Capítulo 2 do livro de Taha (2008): Introdução O modelo de PL de duas variáveis Propriedades

Leia mais

8 - PROBABILIDADE. 8.1 - Introdução

8 - PROBABILIDADE. 8.1 - Introdução INE 7002 - Probabilidade 1 8 - PROBABILIDADE 8.1 - Introdução No capítulo anterior foi utilizado um raciocínio predominantemente indutivo: os dados eram coletados, e através da sua organização em distribuições

Leia mais

AMEI Escolar Matemática 9º Ano Probabilidades e Estatística

AMEI Escolar Matemática 9º Ano Probabilidades e Estatística AMEI Escolar Matemática 9º Ano Probabilidades e Estatística A linguagem das probabilidades As experiências podem ser consideradas: - aleatórias ou casuais: quando é impossível calcular o resultado à partida;

Leia mais

I. Conjunto Elemento Pertinência

I. Conjunto Elemento Pertinência TEORI DOS CONJUNTOS I. Conjunto Elemento Pertinência Conjunto, elemento e pertinência são três noções aceitas sem definição, ou seja, são noções primitivas. idéia de conjunto é praticamente a mesma que

Leia mais

Raciocínio Lógico 1 Probabilidade

Raciocínio Lógico 1 Probabilidade PROBABILIDADE 1. CONCEITOS INICIAIS A Teoria da Probabilidade faz uso de uma nomenclatura própria, de modo que há três conceitos fundamentais que temos que passar imediatamente a conhecer: Experimento

Leia mais

Lista de Exercícios Critérios de Divisibilidade

Lista de Exercícios Critérios de Divisibilidade Nota: Os exercícios desta aula são referentes ao seguinte vídeo Matemática Zero 2.0 - Aula 10 - Critérios de - (parte 1 de 2) Endereço: https://www.youtube.com/watch?v=1f1qlke27me Gabaritos nas últimas

Leia mais

Modelos de Regressão Linear Simples - Erro Puro e Falta de Ajuste

Modelos de Regressão Linear Simples - Erro Puro e Falta de Ajuste Modelos de Regressão Linear Simples - Erro Puro e Falta de Ajuste Erica Castilho Rodrigues 2 de Setembro de 2014 Erro Puro 3 Existem dois motivos pelos quais os pontos observados podem não cair na reta

Leia mais

Heredogramas. Capítulo 2 Item 4 Pág. 214 a 216. 2ª Série Ensino Médio Professora Priscila Binatto Fev/ 2013

Heredogramas. Capítulo 2 Item 4 Pág. 214 a 216. 2ª Série Ensino Médio Professora Priscila Binatto Fev/ 2013 Heredogramas Capítulo 2 Item 4 Pág. 214 a 216 2ª Série Ensino Médio Professora Priscila Binatto Fev/ 2013 O que é um heredograma? Também chamado do pedigree ou genealogia. Representa as relações de parentesco

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DO BANCO DO BRASIL

COMENTÁRIO DA PROVA DO BANCO DO BRASIL COMENTÁRIO DA PROVA DO BANCO DO BRASIL Prezados concurseiros, segue abaixo os comentários das questões de matemática propostas pela CESPE no último concurso para o cargo de escriturário do Banco do Brasil

Leia mais

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES

QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÕES PARA A 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2º BIMESTE QUESTÃO 01 SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES Descritor 11 Resolver problema envolvendo o cálculo de perímetro de figuras planas. Os itens referentes a

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a: Escopo

Leia mais

15.053 26 de fevereiro de 2002

15.053 26 de fevereiro de 2002 15.053 26 de fevereiro de 2002 Análise de Sensibilidade apresentado como Perguntas Freqüentes Pontos ilustrados em um exemplo contínuo de fabricação de garrafas. Se o tempo permitir, também consideraremos

Leia mais

Disciplina: Economia & Negócios Líder da Disciplina: Ivy Jundensnaider Professora: Rosely Gaeta / /

Disciplina: Economia & Negócios Líder da Disciplina: Ivy Jundensnaider Professora: Rosely Gaeta / / Disciplina: Economia & Negócios Líder da Disciplina: Ivy Jundensnaider Professora: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 03 MICROECONOMIA DEMANDA E OFERTA SEMANA E DATA / / 3.1. A curva de demanda Em uma economia

Leia mais

Lista de Exercícios 5: Soluções Teoria dos Conjuntos

Lista de Exercícios 5: Soluções Teoria dos Conjuntos UFMG/ICEx/DCC DCC Matemática Discreta Lista de Exercícios 5: Soluções Teoria dos Conjuntos Ciências Exatas & Engenharias 2 o Semestre de 206. Escreva uma negação para a seguinte afirmação: conjuntos A,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE NO USO DO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA Fase 1 (magistrados e servidores da Justiça do Trabalho) Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Olá Gerente de Projeto. Nos artigos anteriores descrevemos um breve histórico sobre a história e contextualização dos riscos, tanto na vida real

Leia mais

PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS

PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS 1. Experimentos Experimento determinístico: são aqueles em que o resultados são os mesmos, qualquer que seja o número de ocorrência dos mesmos. Exemplo: Um determinado

Leia mais

Probabilidade e Estatística 2008/2. Regras de adicão, probabilidade condicional, multiplicação e probabilidade total.

Probabilidade e Estatística 2008/2. Regras de adicão, probabilidade condicional, multiplicação e probabilidade total. Probabilidade e Estatística 2008/2 Prof. Fernando Deeke Sasse Problemas Resolvidos Regras de adicão, probabilidade condicional, multiplicação e probabilidade total. 1. Um fabricante de lâmpadas para faróis

Leia mais

PRINCÍPIOS DA MULTIPLICAÇÃO, DA ADIÇÃO E DA INCLUSÃO-

PRINCÍPIOS DA MULTIPLICAÇÃO, DA ADIÇÃO E DA INCLUSÃO- Matemática Discreta 2009.10 Exercícios CAP2 pg 1 PRINCÍPIOS DA MULTIPLICAÇÃO, DA ADIÇÃO E DA INCLUSÃO- EXCLUSÃO 1. Quantas sequências com 5 letras podem ser escritas usando as letras A,B,C? 2. Quantos

Leia mais

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento.

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento. Probabilidade A probabilidade estuda o risco e a ocorrência de eventos futuros determinando se existe condição de acontecimento ou não. O olhar da probabilidade iniciou-se em jogos de azar (dados, moedas,

Leia mais

Estatística e Probabilidade. Aula 5 Cap 03 Probabilidade

Estatística e Probabilidade. Aula 5 Cap 03 Probabilidade Estatística e Probabilidade Aula 5 Cap 03 Probabilidade Na aula anterior vimos... Conceito de Probabilidade Experimento Probabilístico Tipos de Probabilidade Espaço amostral Propriedades da Probabilidade

Leia mais

Matemática Discreta - 08

Matemática Discreta - 08 Universidade Federal do Vale do São Francisco urso de Engenharia da omputação Matemática Discreta - 08 Prof. Jorge avalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Autoria: Fernanda Maria Villela Reis Orientadora: Tereza G. Kirner Coordenador do Projeto: Claudio Kirner. Projeto AIPRA (Processo CNPq 559912/2010-2)

Autoria: Fernanda Maria Villela Reis Orientadora: Tereza G. Kirner Coordenador do Projeto: Claudio Kirner. Projeto AIPRA (Processo CNPq 559912/2010-2) Autoria: Fernanda Maria Villela Reis Orientadora: Tereza G. Kirner Coordenador do Projeto: Claudio Kirner 1 ÍNDICE Uma palavra inicial... 2 Instruções iniciais... 3 Retângulo... 5 Quadrado... 6 Triângulo...

Leia mais

Ceará e o eclipse que ajudou Einstein

Ceará e o eclipse que ajudou Einstein Ceará e o eclipse que ajudou Einstein Eixo(s) temático(s) Terra e Universo Tema Sistema Solar Conteúdos Sistema Terra-Lua-Sol / eclipses Usos / objetivos Retomada de conhecimentos / avaliação / problematização

Leia mais

I-OBJETIVO DO JOGO ENQUANTO ATIVIDADE DE ENSINO

I-OBJETIVO DO JOGO ENQUANTO ATIVIDADE DE ENSINO 6 I-OBJETIVO DO JOGO ENQUANTO ATIVIDADE DE ENSINO Resolver problemas envolvendo as operações: adição subtração e multiplicação; Desenvolver a habilidade de cálculo mental. II-MATERIAL 1. Fichas com a figura

Leia mais

Exercício. Exercício

Exercício. Exercício Exercício Exercício Aula Prática Utilizar o banco de dados ACCESS para passar o MER dos cenários apresentados anteriormente para tabelas. 1 Exercício oções básicas: ACCESS 2003 2 1 Exercício ISERIDO UMA

Leia mais

REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO

REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO BALÃO Cada equipe apresentará um componente para esta prova. Os participantes deverão soprar o balão até estourar. Será estabelecida a ordem de classificação pelo tempo de estouro

Leia mais

EXAME DE MACS 2º FASE 2014/2015 = 193

EXAME DE MACS 2º FASE 2014/2015 = 193 EXAME DE MACS 2º FASE 2014/2015 1. Divisor Padrão: 00+560+80+240 200 = 190 = 19 200 20 Filiais A B C D Quota Padrão 1,088 58,01 86,010 24,870 L 1 58 86 24 L(L + 1) 1,496 58,498 86,499 24,495 Quota Padrão

Leia mais

Objetivo do jogo 40 pontos todos os quadrados de um templo todos os quadrados amarelos todos os quadrados verdes Material do jogo 72 cartas

Objetivo do jogo 40 pontos todos os quadrados de um templo todos os quadrados amarelos todos os quadrados verdes Material do jogo 72 cartas Objetivo do jogo Cada jogador representa o papel de um sumo sacerdote na luta pelo poder em Tebas no antigo Egito. Ganha o jogador que primeiro: Conseguir 40 pontos, ou Ocupar todos os quadrados de um

Leia mais

REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO

REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO 1. Apresentação O Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus João Pessoa, por meio da Departamento de Gestão e Desenvolvimento

Leia mais

Ficha Prática 5: Cap 3.Princípios Elementares de Contagem

Ficha Prática 5: Cap 3.Princípios Elementares de Contagem Matemática Discreta - 2010/11 Cursos: Engenharia Informática, Informática de Gestão DEPARTAMENTO de MATEMÁTICA ESCOLA SUPERIOR de TECNOLOGIA e de GESTÃO - INSTITUTO POLITÉCNICO de BRAGANÇA Ficha Prática

Leia mais

SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+

SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+ SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+ Passo a Passo 1 COMPREENDENDO OS RESULTADOS 1) Professores e coordenadores fazem a leitura individual dos dados gerais

Leia mais

7- Probabilidade da união de dois eventos

7- Probabilidade da união de dois eventos . 7- Probabilidade da união de dois eventos Sejam A e B eventos de um mesmo espaço amostral Ω. Vamos encontrar uma expressão para a probabilidade de ocorrer o evento A ou o evento B, isto é, a probabilidade

Leia mais

Decreto-Lei nº139 /2012, de 5 de junho, alterado pelo Despacho Normativo n.º1-g/2016

Decreto-Lei nº139 /2012, de 5 de junho, alterado pelo Despacho Normativo n.º1-g/2016 Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Físico-Química 3.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei nº139 /2012, de 5 de junho, alterado pelo Despacho Normativo n.º1-g/2016 Prova 11 (2016) Duração

Leia mais

Função. Adição e subtração de arcos Duplicação de arcos

Função. Adição e subtração de arcos Duplicação de arcos Função Trigonométrica II Adição e subtração de arcos Duplicação de arcos Resumo das Principais Relações I sen cos II tg sen cos III cotg tg IV sec cos V csc sen VI sec tg VII csc cotg cos sen Arcos e subtração

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PROBABILIDADE E GEOMETRIA

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PROBABILIDADE E GEOMETRIA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PROBABILIDADE E GEOMETRIA Leitura e Análise de Texto O π e a agulha de Buffon O estudo da probabilidade, aparentemente, não tem uma ligação direta com a Geometria. A probabilidade

Leia mais

Conceitos Básicos de Probabilidade

Conceitos Básicos de Probabilidade Conceitos Básicos de Probabilidade Como identificar o espaço amostral de um experimento. Como distinguir as probabilidades Como identificar e usar as propriedades da probabilidade Motivação Uma empresa

Leia mais

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA OS TIMES E TENISTAS!

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA OS TIMES E TENISTAS! INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA OS TIMES E TENISTAS! Qualifying Dia 8 de Novembro ATENÇÃO! Os times inscritos no Futebol Masculino categoria livre e os tenistas inscritos no Tênis categoria A disputarão o

Leia mais

Matemática 2 aula 11 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS POLINÔMIOS I. P(x) = 4x (x 1) + (x 1)

Matemática 2 aula 11 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS POLINÔMIOS I. P(x) = 4x (x 1) + (x 1) Matemática aula POLINÔMIOS I. COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA b a P() b P() + + Calculando P (), temos: b a P() b b + b + a ab b a P () b + ( ab) + b + a b Se P () P (), podemos observar que: b + ( ab)

Leia mais

REGULAMENTO VI COPA LOC GAMES DE FUTEBOL DIGITAL

REGULAMENTO VI COPA LOC GAMES DE FUTEBOL DIGITAL 1. AGRADECIMENTOS REGULAMENTO VI COPA LOC GAMES DE FUTEBOL DIGITAL Sem parceria e muita dedicação de pessoas e empresas envolvidas, esse projeto não seria possível, por isso, nossos sinceros agradecimentos

Leia mais

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico da ANS (Técnico Administrativo) de 2016, aplicada em 21/02/2016.

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico da ANS (Técnico Administrativo) de 2016, aplicada em 21/02/2016. Raciocínio Lógico p/ NS Resolução da Prova de Raciocínio Lógico da NS (Técnico dministrativo) de 2016, aplicada em 21/02/2016. 11 - De acordo com o raciocínio lógico-matemático, a negação da frase: o obstetra

Leia mais

Aula 02: Probabilidade

Aula 02: Probabilidade ITA - Laboratório rio de Guerra Eletrônica EENEM 2008 Estatística stica e Probabilidade Aula 02: Probabilidade população probabilidade (dedução) inferência estatística stica (indução) amostra Definições

Leia mais

5) Qual a probabilidade de sair um ás de ouros quando retiramos uma carta de um baralho de 52 cartas?

5) Qual a probabilidade de sair um ás de ouros quando retiramos uma carta de um baralho de 52 cartas? TERCEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE CURSO: MATEMÁTICA PROF. LUIZ CELONI 1) Dê um espaço amostral para cada experimento abaixo. a) Uma urna contém bolas vermelhas (V), bolas brancas (B) e bolas

Leia mais

Prof. Eugênio Carlos Stieler

Prof. Eugênio Carlos Stieler CAPITALIZAÇÃO COMPOSTA CAPITALIZAÇÁO COMPOSTA: MONTANTE E VALOR ATUAL PARA PAGAMENTO ÚNICO Capitalização composta é aquela em que a taxa de juros incide sobre o capital inicial, acrescido dos juros acumulados

Leia mais

Módulo e-rede Magento v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede Magento v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede Magento v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Instruções iniciais 4 4.2 Instalação e

Leia mais

Estimativas de Arrecadação de Impostos Próprios Estaduais e Municipais, Transferências Constitucionais e os 25% Constitucionais da Educação

Estimativas de Arrecadação de Impostos Próprios Estaduais e Municipais, Transferências Constitucionais e os 25% Constitucionais da Educação 1 Estimativas de Arrecadação de Impostos Próprios Estaduais e Municipais, Transferências Constitucionais e os 25% Constitucionais da Educação Resumo O presente estudo objetivou levantar dados sobre o total

Leia mais

M =C J, fórmula do montante

M =C J, fórmula do montante 1 Ciências Contábeis 8ª. Fase Profa. Dra. Cristiane Fernandes Matemática Financeira 1º Sem/2009 Unidade I Fundamentos A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no tempo, nas aplicações e

Leia mais

REGULAMENTO DA 15ª COPA RURAL DE FUTSAL (SUPER LIGA REGIONAL DE FUTSAL 2016)

REGULAMENTO DA 15ª COPA RURAL DE FUTSAL (SUPER LIGA REGIONAL DE FUTSAL 2016) REGULAMENTO REGULAMENTO DA 15ª COPA RURAL DE FUTSAL (SUPER LIGA REGIONAL DE FUTSAL 2016) DA PRIMEIRA FASE Art.1º A 15ª Copa Rural de Futsal, realizada pelo Departamento de Esportes da Rádio Rural de Guarabira,

Leia mais

Faculdade de Paraíso do Norte - FAPAN

Faculdade de Paraíso do Norte - FAPAN EDITAL N 004/2015 DAC O Diretor Acadêmico da Faculdade de Agronegócio Paraíso do Norte - FAPAN, no uso de suas atribuições regimentais, considerando o disposto no Inciso II do Artigo 44 da Lei n 9.394,

Leia mais

Dureza Rockwell. No início do século XX houve muitos progressos. Nossa aula. Em que consiste o ensaio Rockwell. no campo da determinação da dureza.

Dureza Rockwell. No início do século XX houve muitos progressos. Nossa aula. Em que consiste o ensaio Rockwell. no campo da determinação da dureza. A UU L AL A Dureza Rockwell No início do século XX houve muitos progressos no campo da determinação da dureza. Introdução Em 1922, Rockwell desenvolveu um método de ensaio de dureza que utilizava um sistema

Leia mais

Usando potências de 10

Usando potências de 10 Usando potências de 10 A UUL AL A Nesta aula, vamos ver que todo número positivo pode ser escrito como uma potência de base 10. Por exemplo, vamos aprender que o número 15 pode ser escrito como 10 1,176.

Leia mais

Venha viver a emoção de nadar, pedalar e correr num cenário paradisíaco e desafiador: o Recreio dos Bandeirantes.

Venha viver a emoção de nadar, pedalar e correr num cenário paradisíaco e desafiador: o Recreio dos Bandeirantes. O Rio Triathlon A Tri Fitness, sob a supervisão da Federação de Triathlon do Estado do Rio de Janeiro, traz para a Cidade Maravilhosa e Olímpica o projeto Rio Triathlon. Venha viver a emoção de nadar,

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Campus Macaé Professor Aloísio Teixeira Coordenação de Pesquisa e Coordenação de Extensão

Universidade Federal do Rio de Janeiro Campus Macaé Professor Aloísio Teixeira Coordenação de Pesquisa e Coordenação de Extensão Universidade Federal do Rio de Janeiro Campus Macaé Professor Aloísio Teixeira Coordenação de Pesquisa e Coordenação de Extensão EDITAL nº 1 Coordenação de Pesquisa/Coordenação de Extensão 2016 VIII JORNADA

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados Prof. Hugo Souza Após vermos uma breve contextualização sobre esquemas para bases dados e aprendermos

Leia mais

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008 Universal Entrada 2008 Programa Programa - Manual do Aplicador Teste Universal - 2008 Teste Cognitivo Leitura/Escrita e Matemática Caro alfabetizador(a): Se você está recebendo este material, é porque

Leia mais

MUNICÍPIOS DA PENÍNSULA DE SETÚBAL ASSOCIAÇÕES ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 BASQUETEBOL REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA PENÍNSULA DE SETÚBAL ASSOCIAÇÕES ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 BASQUETEBOL REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 BASQUETEBOL REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Basquetebol dos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2016 é da responsabilidade da Câmara

Leia mais

Caique Tavares. Probabilidade Parte 1

Caique Tavares. Probabilidade Parte 1 Caique Tavares Probabilidade Parte 1 Probabilidade: A teoria das probabilidades é um ramo da Matemática que cria, elabora e pesquisa modelos para estudar experimentos ou fenômenos aleatórios. Principais

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta. Resposta. a) calcule a área do triângulo OAB. b) determine OC e CD.

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta. Resposta. a) calcule a área do triângulo OAB. b) determine OC e CD. Questão Se Amélia der R$,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia. Se Maria der um terço do que tem a Lúcia, então esta ficará com R$ 6,00 a mais do que Amélia. Se Amélia perder a metade do

Leia mais

2 Segmentação de imagens e Componentes conexas

2 Segmentação de imagens e Componentes conexas Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Departamento Acadêmico de Informática (DAINF) Algoritmos II Professor: Alex Kutzke (alexk@dainf.ct.utfpr.edu.br) Especificação do Primeiro Trabalho Prático

Leia mais

Matemática - Módulo 1

Matemática - Módulo 1 1. Considerações iniciais Matemática - Módulo 1 TEORIA DOS CONJUNTOS O capítulo que se inicia trata de um assunto que, via-de-regra, é abordado em um plano secundário dentro dos temas que norteiam o ensino

Leia mais

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano

Módulo de Equações do Segundo Grau. Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Módulo de Equações do Segundo Grau Equações do Segundo Grau: Resultados Básicos. Nono Ano Equações do o grau: Resultados Básicos. 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. A equação ax + bx + c = 0, com

Leia mais

Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia

Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia Análise de Variância - ANOVA Cap. 12 - Pagano e Gauvreau (2004) - p.254 Enrico A. Colosimo/UFMG Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1 / 39 Introdução Existem

Leia mais

AULA DO CPOG. Progressão Aritmética

AULA DO CPOG. Progressão Aritmética AULA DO CPOG Progressão Aritmética Observe as seqüências numéricas: 2 4 6 8... 12 9 6 3... 5 5 5 5... Essas seqüências foram construídas de forma que cada termo (número), a partir do segundo, é a soma

Leia mais

Probabilidade é o quociente entre o número de casos favoráveis e o número de casos possíveis em um dado experimento.

Probabilidade é o quociente entre o número de casos favoráveis e o número de casos possíveis em um dado experimento. Probabilidade é o quociente entre o número de casos favoráveis e o número de casos possíveis em um dado experimento. número de casos favoráveis probabilidade número de casos possíveis Nessa definição convém

Leia mais

Prefácio. 2. As lições são programadas para pessoas que cumpram os seguintes requisitos:

Prefácio. 2. As lições são programadas para pessoas que cumpram os seguintes requisitos: Prefácio 1. Este curso foi preparado pelo Seminário por Extensão às Nações (SEAN). Para que se obtenha o máximo benefício de um seminário por extensão, é recomendável estudar sob a direção de um orientador,

Leia mais

Estatística AMOSTRAGEM

Estatística AMOSTRAGEM Estatística AMOSTRAGEM Estatística: É a ciência que se preocupa com a coleta, a organização, descrição (apresentação), análise e interpretação de dados experimentais e tem como objetivo fundamental o estudo

Leia mais

INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1

INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1 1 INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1 1. Origem histórica É possível quantificar o acaso? Para iniciar,

Leia mais

Entropia, Entropia Relativa

Entropia, Entropia Relativa Entropia, Entropia Relativa e Informação Mútua Miguel Barão (mjsb@di.uevora.pt) Departamento de Informática Universidade de Évora 13 de Março de 2003 1 Introdução Suponhamos que uma fonte gera símbolos

Leia mais

1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição, do modelo LCD, full HD, 32

1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição, do modelo LCD, full HD, 32 1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição, do modelo LCD, full HD, 32 polegadas, antes da Copa do Mundo na África do Sul e sua queda

Leia mais

Programação Futsal Máster - JOGOS DO SESI 2016

Programação Futsal Máster - JOGOS DO SESI 2016 Programação Futsal Máster - JOGOS DO SESI 2016 - A identificação do atleta deverá ser apresentada antes do início de cada jogo: CTPS ou Carteira do SESI dentro da validade. - Cada equipe deve apresentar

Leia mais

Orientações para Inscrição do Grupo e Projeto de Pesquisa

Orientações para Inscrição do Grupo e Projeto de Pesquisa 1 Orientações para Inscrição do Grupo e Projeto de Pesquisa O primeiro passo é criar um login de acesso que será com um e-mail e uma senha única para o grupo. Ao entrar no ambiente de Inscrição e selecionar

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 2º Ano Turma B - C.C.H. de Ciências e Tecnologias - Teste de Avaliação de Matemática A V Duração: 90 min 03 Fev. 200 Prof.: Na folha de respostas, indicar de forma legível

Leia mais

Resolução da Lista de Exercício 6

Resolução da Lista de Exercício 6 Teoria da Organização e Contratos - TOC / MFEE Professor: Jefferson Bertolai Fundação Getulio Vargas / EPGE Monitor: William Michon Jr 10 de novembro de 01 Exercícios referentes à aula 7 e 8. Resolução

Leia mais

TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA

TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA Nome: Turma: Data / / Prof: Walnice Brandão Machado Equações de primeiro grau Introdução Equação é toda sentença matemática aberta que exprime

Leia mais

EDITAL Nº 08/2015 PROCESSO SELETIVO ESPECIAL DA FACULDADE METROPOLITANA DE MARABÁ METROPOLITANA 2016/1

EDITAL Nº 08/2015 PROCESSO SELETIVO ESPECIAL DA FACULDADE METROPOLITANA DE MARABÁ METROPOLITANA 2016/1 EDITAL Nº 08/2015 PROCESSO SELETIVO ESPECIAL DA FACULDADE METROPOLITANA DE MARABÁ METROPOLITANA 2016/1 Abre o processo seletivo especial para ingresso nos cursos de Graduação da Faculdade Metropolitana

Leia mais

TRANSFORMAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: OS PRIMEIROS PASSOS DE UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL1 1

TRANSFORMAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: OS PRIMEIROS PASSOS DE UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL1 1 TRANSFORMAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: OS PRIMEIROS PASSOS DE UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL1 1 Isadora Somavila 2, Fernando Jaime González 3. 1 Trabalho vinculado ao projeto Transformação da Educação

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A1 Prova A (13A1AE) 60 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A1 Prova A (13A1AE) 60 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A1 Prova A (13A1AE) 60 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Introdução aos Processos Estocásticos - Independência

Introdução aos Processos Estocásticos - Independência Introdução aos Processos Estocásticos - Independência Eduardo M. A. M. Mendes DELT - UFMG Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal de Minas Gerais emmendes@cpdee.ufmg.br Eduardo

Leia mais

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios O Método Intuitivo de elaboração de circuitos: As técnicas de elaboração de circuitos eletropneumáticos fazem parte

Leia mais