Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras."

Transcrição

1 A Acomodação Capacidade do olho em focar a várias distâncias, desde o perto ao longe, por alteração da potência dióptrica do cristalino. Acuidade Visual Capacidade de discriminar dois pontos próximos como elementos separados a uma determinada distância. Ambliopia Diminuição da acuidade visual, uni ou bilateral, que não melhora após correcção do erro refractivo. Astigmatism Erro refractivo que provoca a percepção de uma imagem desfocada e distorcida numa determinada direcção, provocado por uma forma não esférica da córnea. Autorefractómetro Aparelho que permite determinar o estado refractivo do indivíduo. B Blefarite Inflamação das pálpebras. C Caixa de prova Lentes com diversas potências que se utilizam para realizar o exame refractivo. Câmara anterior Secção anterior do interior do olho onde circula o humor aquoso de dentro para fora, provendo nutrientes ao olho e aos tecidos à sua volta. Câmara posterior Secção posterior do interior do olho. Canal hialoideio Passagem estreita que permite o fluxo de sangue através do olho. Catarata Opacificação do cristalino. Conjuntiva Membrana mucosa, fina e transparente que reveste a superficie interna da pálpebra e a superficie exterior do olho. Conjuntivite Inflamação da conjuntiva. Córnea Estrutura transparente e convexa que protege a parte anterior do olho. Coróide Membrana delgada, rica em vasos sanguíneos, localizada entre a esclera e a retina, sendo responsável pela sua nutrição. Corpo ciliar Estrutura ocular que produz o humor aquoso. Cristalino Estrutura biconvexa e transparente localizada directamente atrás da iris que foca os raios de luz na retina. Curvatura corneana Forma da superficie anterior do olho. D Degeneração macular Degeneração da região macular que provoca a diminuição da visão central, podendo levar à cegueira. Descolamento da retina Separação entre a retina pigmentar e a retina neurossensorial Descolamento do vítreo posterior- Separação do humor vítreo da retina Diplopía Percepção de duas imagens a partir de um único objecto.

2 E Erro Refractivo problema visual que pode ser compensado com lentes (miopia, hipermoetropia, astigmatismo) e que é devido a um problema de geometria do olho - demasiado curto ou demasiado comprido, cornea muito plana ou muito curva, não esfericidade da córnea. Esclera Camada externa, branca e fibrosa do globo ocular. Escotoma Área de perda parcial ou total da visão rodeada por uma área de visão normal. Estereopsia Percepção de relevo e profundidade. F Foróptero - Instrumento preciso de diagnóstico que substitui a armação de prova. Fotofobia Sensibilidade à luz. Fóvea Ponto da retina que nos dá a máxima acuidade visual. Frontofocómetro Aparelho que permite medir a potência das lentes. G Glaucoma Mudanças estruturais permanentes do nervo óptico, com aumento da sua escavação, caso não seja tratada pode causar atrofia progressiva do campo visual, podendo evoluir para a cegueira. A pressão intra-ocular elevada é um factor de risco. Grelha de Amsler Grelha que permite detectar alterações da visão - esquema que possui linhas horizontais e verticais utilizado para avaliar a visão. H Hipermetropia Erro refractivo causado por um olho demasiado curto ou com córnea muito plano. O hipermétrope tem mais dificuldade em ver ao perto e está sempre em esforço acomodativo. Hipertensão ocular Elevada pressão intra-ocular (superior a 21 mmhg). Humor aquoso - Líquido incolor que circula na câmara anterior. Humor vitreo Substância transparente e gelatinosa que preenche todo o espaço interno do globo ocular entre a retina e o cristalino. I Iris Membrana colorida do olho. J K

3 L Lentes convergentes, convexas ou positivas Corrigem a hipermetropía e a presbiopia. Lentes divergentes, cóncavas ou negativas Corrigem a miopia. Lentes cilíndricas Corrigem o astigmatismo. M Mácula Porção central da retina que permite observar as imagens em pormenor. Midríase Dilatação da pupila. Miopia erro refractivo causado por um olho demasiado comprido ou córnea muito curva. O míope, para lá de uma determinada distância ao longe (ponto remoto) nunca consegue ver com ntidez. Miose Contracção da pupila. Músculo Ciliar Músculo que permite ao cristalino alterar a sua forma. N Nervo óptico Grupo de fibras nervosas, de forma tubular, que conduz as imagens focadas na retina até ao córtex visual. O Oftalmoscopia Exame que permite observar a estrutura interna do olho. Oftalmoscópio Aparelho manual que se utiliza para observar a parte interna do olho. Ortoqueratologia Uso de lentes de contacto especiais de ortoqueratologia que reduzem a miopia através de um processo de aplanação da córnea. P Pinguécula Depósito amarelo-esbranquiçado na conjuntiva. Ponto próximo de acomodação Ponto mais próximo até ao qual se consegue observar nítidamente um objecto. Ponto próximo de convergência Ponto mais próximo até ao qual se consegue convergir. Presbiopía Diminuição do poder de convergência do cristalino com a idade tendo como consequência a dificuldade em ver objectos próximos. Pupila Situada no centro da iris, a pupila regula a quantidade de luz que entra no olho. Q Queratocone - Adelgaçamento progressivo e encurvamento da córnea central. Queratómetro Aparelho utilizado para a medição dos raios de curvatura da córnea. Queratotomia radial Tratamento cirúrgico da miopia, no qual se realiza incisões radiais no epitélio corneano, geralmente com laser, com o objectivo de reduzir a curvatura da córnea.

4 R Retina Camada nervosa sensivel à luz que reveste a parte posterior do olho. Retinoscópio Aparelho manual de medida objectiva da potencia do olho. S Segmento óptico posterior Porção do olho localizado atrás do cristalino, inclui o humor vítreo, a coróide, a retina e o nervo óptico. T Tonómetro Aparelho que permite realizar a medição da pressão intra-ocular. U V Visão binocular Visão que é alcançada pelo uso coordenado de ambos os olhos, para que os estímulos visuais que chegam separadamente a cada olho sejam percepcionados como uma única imagem no córtex visual. W X Y Z

5 Mini Glossário

www.fisicanaveia.com.br Prof. Dulcidio Braz Jr Óptica da V i s ã o Esclerótica Cristalino (lente transparente) Córnea (lente transparente) Anatomia Coróide Humor Vítreo (líquido) Pálpebra Íris Pupila Humor

Leia mais

VISÃO SISTEMA NERVOSO SENSORIAL. A visão é o processo pelo qual a luz refletida dos objetos no nosso meio é traduzida em uma imagem mental.

VISÃO SISTEMA NERVOSO SENSORIAL. A visão é o processo pelo qual a luz refletida dos objetos no nosso meio é traduzida em uma imagem mental. SISTEMA NERVOSO SENSORIAL Sunol Alvar A visão é o processo pelo qual a luz refletida dos objetos no nosso meio é traduzida em uma imagem mental. 1 OLHOS Os olhos são órgãos complexos dos sentidos. Cada

Leia mais

Sentidos São os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio em que vivem.

Sentidos São os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio em que vivem. Sentidos São os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio em que vivem. 8 ano/profªelisete No ser humano O tato reside nos terminais nervosos

Leia mais

Lentes Esféricas. Retirado de

Lentes Esféricas. Retirado de rafaelsod.wordpress.com facebook.com/aulasod Lentes Esféricas 1. Introdução: Os olhos, óculos, binóculos, lupas, telescópios, datashow, retroprojetor Todos esses objetos tem algo em comum: lentes. Estudaremos

Leia mais

De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade

De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade A importância da consulta oftalmológica De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade cheia de apelos visuais, em que o contato com o mundo se faz inicialmente por

Leia mais

MAGNETISMO e ESPIRITISMO

MAGNETISMO e ESPIRITISMO Sociedade Espírita Os Mensageiros da Paz Departamento Doutrinário MAGNETISMO e ESPIRITISMO GRUPO de ESTUDO ANO 3 2016 AULA 30 NOVO SITE SEMP INTEGRA INFORMAÇÕES DO MAGNETISMO *Todas palestras - Incluído

Leia mais

pupila Íris ESCLERA CORPO CILIAR COROIDE ÍRIS HUMOR VÍTREO LENTE RETINA CÓRNEA NERVO ÓPTICO

pupila Íris ESCLERA CORPO CILIAR COROIDE ÍRIS HUMOR VÍTREO LENTE RETINA CÓRNEA NERVO ÓPTICO ANÁTOMO-FISIOLOGIA Prof a. Dr a. Aline A. Bolzan - VCI/FMVZ/USP REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA DO OLHO BULBO DO OLHO TÚNICAS ou CAMADAS Pupila Íris Fibrosa (externa) córnea e esclera Vascular (média) úvea ou

Leia mais

Órgão da visão (olho e acessórios)

Órgão da visão (olho e acessórios) Órgão da visão (olho e acessórios) Órgão da visão (olho e acessórios) Túnicas do Olho 1) Túnica fibrosa= córnea+esclera 2) Túnica vascular (úvea)= coróide+corpo ciliar +íris) 3) Túnica Neural = retina

Leia mais

LUZ. A luz é uma forma de energia, que tem origem nos corpos luminosos e que se propaga em todas as direções.

LUZ. A luz é uma forma de energia, que tem origem nos corpos luminosos e que se propaga em todas as direções. LUZ A luz é uma forma de energia, que tem origem nos corpos luminosos e que se propaga em todas as direções. CORPOS LUMINOSOS São corpos que emitem luz. CORPOS ILUMINADOS São corpos que recebem luz e a

Leia mais

FISIOLOGIA DA VISÃO E SEUS DISTÚRBIOS

FISIOLOGIA DA VISÃO E SEUS DISTÚRBIOS FISIOLOGIA DA VISÃO E SEUS DISTÚRBIOS SENTIDO DA VISÃO Tudo que vemos é de fato o que parece ser? Luz Radiação Eletromagnética Essas ondas são constituídas por campos elétricos e magnéticos que se alternam,

Leia mais

ÓRGÃOS DOS SENTIDOS. Prof. MSc. Cristiano Rosa de Moura Médico Veterinário

ÓRGÃOS DOS SENTIDOS. Prof. MSc. Cristiano Rosa de Moura Médico Veterinário UNIÃO EDUCACIONAL DO PLANALTO CENTRAL FACULDADES INTEGRADAS DA UNIÃO EDUCACIONAL DO PLANALTO CENTRAL Curso de Medicina Veterinária Disciplina de Anatomia Veterinária I ÓRGÃOS DOS SENTIDOS Médico Veterinário

Leia mais

SABER MAIS SOBRE PRESBIOPIA

SABER MAIS SOBRE PRESBIOPIA SABER MAIS SOBRE PRESBIOPIA FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 PRESBIOPIA O que é a presbiopia? "Quando leio, os

Leia mais

intensidade 2,5A. Determine: a) a força contra-eletromotriz do motor b) a indicação de um voltímetro ligado aos terminais do motor

intensidade 2,5A. Determine: a) a força contra-eletromotriz do motor b) a indicação de um voltímetro ligado aos terminais do motor Atividades de Aprimoramento Física 2ª série do Ensino Médio 01 - (UFB) Aplica-se uma ddp de 50V a um motor de resistência interna 1Ω, o qual é percorrido por uma corrente elétrica de intensidade 2,5A.

Leia mais

Assinale a alternativa que corresponde ao índice de refração n 2 dessa lente. a) 0,5 b) 1 c) 1,5 d) 2 e) 2,5

Assinale a alternativa que corresponde ao índice de refração n 2 dessa lente. a) 0,5 b) 1 c) 1,5 d) 2 e) 2,5 1. (Unicamp) Um objeto é disposto em frente a uma lente convergente, conforme a figura abaixo. Os focos principais da lente são indicados com a letra F. Pode-se afirmar que a imagem formada pela lente

Leia mais

LENTES SABINO. Prof. Sabino

LENTES SABINO. Prof. Sabino Prof. Sabino Nomenclatura das lentes Bi convexa Plano convexa Côncavo convexa Nomenclatura das lentes Bi côncava I Plano côncava III Convexo côncava AR CONVERGENTE VIDRO DIVERGENTE VIDRO AR AR AR V I D

Leia mais

SABER MAIS SOBRE HIPERMETROPIA

SABER MAIS SOBRE HIPERMETROPIA SABER MAIS SOBRE HIPERMETROPIA FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 HIPERMETROPIA O que é a hipermetropia? É uma

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola de Engenharia de Lorena EEL

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola de Engenharia de Lorena EEL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola de Engenharia de Lorena EEL LOB1021 - FÍSICA IV Prof. Dr. Durval Rodrigues Junior Departamento de Engenharia de Materiais (DEMAR) Escola de Engenharia de Lorena (EEL) Universidade

Leia mais

Biofísica da Visão. Fotorrecepção. Formação da imagem

Biofísica da Visão. Fotorrecepção. Formação da imagem Biofísica da Visão Fotorrecepção Formação da imagem Visão - Sistema sensorial Estímulo energia Receptor Sistema nervoso interpreta LUZ maioria dos seres vivos respondem a ela FOTORRECEPÇÃO Visão - transdução

Leia mais

Física Ensino Médio LENTES ESFÉRICAS

Física Ensino Médio LENTES ESFÉRICAS ísica Ensino Médio LENTES ESÉRICS Chamamos de lente esférica, a associação de dois dioptros, sendo um necessariamente esférico e o outro plano ou esférico. Sendo transparentes, quando as superfícies são

Leia mais

CATARATA. O olho funciona como uma máquina fotográfica

CATARATA. O olho funciona como uma máquina fotográfica CATARATA O Olho O olho funciona como uma câmera fotográfica. A retina corresponde ao filme que, ao ser sensibilizado por raios luminosos, forma a imagem que é interpretada pelo cérebro. Para que a visão

Leia mais

08:00-10:30 CATARATA 1 - Cirurgia de catarata premium: de A a Z

08:00-10:30 CATARATA 1 - Cirurgia de catarata premium: de A a Z DIA 16/3/2017 - QUINTA-FEIRA AUDITÓRIO SÉRGIO BERNARDES 08:00-10:30 CATARATA 1 - Cirurgia de catarata premium: de A a Z 1º Bloco: LIOs Tóricas 08:00-08:10 Dispositivo para aferição do alinhamento intraoperatório

Leia mais

Cadeira de Biofísica Molecular. Capítulo 5. Sistema Visual. Paula Tavares, FCUL ( )

Cadeira de Biofísica Molecular. Capítulo 5. Sistema Visual. Paula Tavares, FCUL ( ) Cadeira de Biofísica Molecular Capítulo 5 Sistema Visual Paula Tavares, FCUL (2012-2013) 1 A luz A radiação electromagnética propaga-se no espaço como uma onda. As partículas portadoras são os fotões.

Leia mais

DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE. A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a doença

DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE. A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a doença DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE Paulo Augusto de Arruda Mello Filho INTRODUÇÃO A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a doença ocular que acomete as regiões da retina e coróide responsáveis

Leia mais

SABER MAIS SOBRE QUERATOCONE - ANÉIS INTRACORNEANOS

SABER MAIS SOBRE QUERATOCONE - ANÉIS INTRACORNEANOS SABER MAIS SOBRE QUERATOCONE - ANÉIS INTRACORNEANOS FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 QUERATOCONE - ANÉIS INTRACORNEANOS

Leia mais

15. Óptica natureza da luz

15. Óptica natureza da luz 5. Óptica 5.. natureza da luz A luz é radiação electromagnética Uma onda transversal com campos oscilantes (eléctrico e magnético) As ondas electromagnéticas propagam-se no vácuo O campo eléctrico é detectável

Leia mais

DATA: / / 2014 VALOR: 20,0 pontos NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: / / 2014 VALOR: 20,0 pontos NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: Física PROFESSORES: Marcus Sant Ana / Fabiano Dias DATA: / / 2014 VALOR: 20,0 pontos NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2ª SÉRIE EM TURMA: Nº: I N S T R U Ç

Leia mais

Mini ebook CUIDADOS COM A VISÃO ALERTAS E

Mini ebook CUIDADOS COM A VISÃO ALERTAS E Mini ebook CUIDADOS COM A VISÃO ALERTAS E Conheça lesões e doenças que podem comprometer o sistema visual. São informações rápidas para melhor entendimento do que pode ser feito para preservar a sua visão.

Leia mais

Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 11 de Outubro de 2007

Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 11 de Outubro de 2007 Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 11 de Outubro de 2007 Disciplina: Oftalmologia Prof.: António Castanheira Dinis Tema da Aula Teórica: Semiologia em Oftalmologia Autores: Alexandra Faustino Equipa Revisora:

Leia mais

Audição. Profa. Dra. Eliane Comoli Departamento de Fisiologia da FMRP

Audição. Profa. Dra. Eliane Comoli Departamento de Fisiologia da FMRP Audição Profa. Dra. Eliane Comoli Departamento de Fisiologia da FMRP ROTEIRO DE AULA TEÓRICA: AUDIÇÃO 1. O que é o som? Características da onda sonora: a. Comprimento da onda; b. Velocidade da onda e c.

Leia mais

Mini ebook DOENÇAS OFTALMOLÓGICAS NA TERCEIRA IDADE ALERTAS E RECOMENDAÇÕES

Mini ebook DOENÇAS OFTALMOLÓGICAS NA TERCEIRA IDADE ALERTAS E RECOMENDAÇÕES Mini ebook DOENÇAS OFTALMOLÓGICAS NA TERCEIRA IDADE ALERTAS E RECOMENDAÇÕES A manutenção da saúde ocular está diretamente relacionada com os exames de rotina realizados por um médico oftalmologista, em

Leia mais

UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO

UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO UNIDADE 1 Índice de conteúdos UNIDADE 1 : Introdução... 1 Índice de conteúdos... 2 Bibliografia... 4 O exame Optométrico... 5 1. Anamnese... 6 2. Exames preliminares... 7 3. Organização

Leia mais

O ESTUDO DO FUNCIONAMENTO DA VISÃO HUMANA: UMA ANÁLISE DOS LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA

O ESTUDO DO FUNCIONAMENTO DA VISÃO HUMANA: UMA ANÁLISE DOS LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA O ESTUDO DO FUNCIONAMENTO DA VISÃO HUMANA: UMA ANÁLISE DOS LIVROS DIDÁTICOS DE FÍSICA Lineker Matheus Silva Avelino (1), Ruth Brito de Figueiredo Melo (2) (UEPB (1) Aluno do Curso de Licenciatura em Física

Leia mais

INSTITUI A "CAMPANHA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO DO GLAUCOMA" E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

INSTITUI A CAMPANHA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO DO GLAUCOMA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Projeto de Lei Nº 38/2010 INSTITUI A "CAMPANHA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO DO GLAUCOMA" E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste decreta: Art. 1 - Fica instituída a CAMPANHA MUNICIPAL

Leia mais

Ciências. Ensino Fundamental, Série 8º Ano. Os órgãos dos sentidos e seus mecanismos de funcionamento

Ciências. Ensino Fundamental, Série 8º Ano. Os órgãos dos sentidos e seus mecanismos de funcionamento Ciências Ensino Fundamental, Série 8º Ano Os órgãos dos sentidos e seus TATO, GUSTAÇÃO, OLFATO, AUDIÇÃO E VISÃO Os cinco sentidos fundamentais do corpo humano tato, gustação ou paladar, olfato, audição

Leia mais

19/Dez/2012 Aula Sistemas ópticos e formação de imagens 23.1 Combinação de lentes 23.2 Correcção ocular 23.3 Microscópio 23.

19/Dez/2012 Aula Sistemas ópticos e formação de imagens 23.1 Combinação de lentes 23.2 Correcção ocular 23.3 Microscópio 23. 7/Dez/2012 Aula 22 22. Óptica geométrica 22.1 Espelhos planos 22.2 Espelhos curvos (esféricos) 22.3 Espelhos convexos 22.4 Imagens formadas por refracção 22.5 Lentes finas 22.6 Lentes grossas 22.7 Convenções

Leia mais

Descubra. A lente PSA PRIME proporciona uma experiência visual totalmente personalizada. Progressão de design digital com Smooth Optics

Descubra. A lente PSA PRIME proporciona uma experiência visual totalmente personalizada. Progressão de design digital com Smooth Optics A lente PSA PRIME proporciona uma experiência visual totalmente personalizada. Descubra Especialmente concebida para presbitas que procuram a mais recente tecnologia e apreciam soluções personalizadas,

Leia mais

Conheça o trabalho do Optometrista, profissional da saúde responsável pelos cuidados com a sua saúde visual.

Conheça o trabalho do Optometrista, profissional da saúde responsável pelos cuidados com a sua saúde visual. Conheça o trabalho do Optometrista, profissional da saúde responsável pelos cuidados com a sua saúde visual. O Optometrista é o profissional da área da saúde, não médica, responsável pela avaliação primária

Leia mais

SABER MAIS SOBRE ASTIGMATISMO

SABER MAIS SOBRE ASTIGMATISMO SABER MAIS SOBRE ASTIGMATISMO FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 ASTIGMATISMO O que é o astigmatismo? É uma alteração

Leia mais

Para encontrarmos a vergência da lente, temos:

Para encontrarmos a vergência da lente, temos: t RESOLUÇÃO PRATIQUE EM CASA B Sendo a lente de bordas inas com n lente (ar) < n meio (vidro), concluímos que a lente é divergente. Os raios de luz que atravessam a lente voltam novamente para o ar e,

Leia mais

Atividades Para fixar a formação de imagens nas lentes convergentes e divergentes, clique no link abaixo e movimente o objeto que está posicionado dainte da lente. Observe o que acontece com a imagem à

Leia mais

Dr. Marcelo Palis Ventura. Coleção Glaucoma Coordenador: Dr. Carlos Akira Omi. Volume 1. Conceito e Diagnóstico. Volume 2. Exames complementares

Dr. Marcelo Palis Ventura. Coleção Glaucoma Coordenador: Dr. Carlos Akira Omi. Volume 1. Conceito e Diagnóstico. Volume 2. Exames complementares Introdução Glaucoma pode ser definido como um grupo complexo de doenças caracterizadas pela degeneração progressiva das células ganglionares da retina e perda progressiva da visão, sendo a pressão ocular

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Ciências 8 o ano Unidade 4 5 Unidade 4 Nome: Data: 1. Apesar de ser um órgão duro e resistente, o osso é relativamente flexível e capaz de ser remodelado em resposta a forças,

Leia mais

6/18/2015 ANATOMIA DO OLHO ANATOMIA DO OLHO CÓRNEA CRISTALINO RETINA EPITÉLIO PIGMENTAR NERVO ÓPTICO

6/18/2015 ANATOMIA DO OLHO ANATOMIA DO OLHO CÓRNEA CRISTALINO RETINA EPITÉLIO PIGMENTAR NERVO ÓPTICO ANATOMIA DO OLHO CÓRNEA CRISTALINO RETINA EPITÉLIO PIGMENTAR NERVO ÓPTICO CÂMARA ANTERIOR IRIS CORPO CILIAR ANATOMIA DO OLHO CÓRNEA CRISTALINO RETINA EPITÉLIO PIGMENTAR NERVO ÓPTICO CÂMARA ANTERIOR IRIS

Leia mais

Trabalho Prático nº 5

Trabalho Prático nº 5 ONDAS E ÓPTICA - 2008/2009 Trabalho Prático nº 5 LENTES ESPESSAS; ASSOCIAÇÃO DE LENTES 1 Objectivo Pretende-se verificar experimentalmente a formação da imagem dada por sistemas ópticos simples, constituídos

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Bauru Sistemas Biomédicos

Faculdade de Tecnologia de Bauru Sistemas Biomédicos Faculdade de Tecnologia de Bauru Sistemas Biomédicos Óptica Técnica Aula 6 Instrumentos Ópticos Proª. Me Wangner Barbosa da Costa Instrumentos óticos Olho Lupa Telescópio e luneta Microscópio composto

Leia mais

ESPELHOS E LENTES 01/09/16

ESPELHOS E LENTES 01/09/16 ESPELHOS E LENTES 01/09/16 UM ESPELHO É UMA SUPERFÍCIE MUITO LISA E QUE PERMITE ALTO ÍNDICE DE REFLEXÃO DA LUZ QUE INCIDE SOBRE ELE. ESPELHOS POSSUEM FORMAS VARIADAS: ESPELHOS PLANOS DEFINIÇÃO UM ESPELHO

Leia mais

Imagem real e virtual Espelho plano Constando fatos que ocorrem num espelho plano Espelho Esférico Espelhos côncavos e convexos

Imagem real e virtual Espelho plano Constando fatos que ocorrem num espelho plano Espelho Esférico Espelhos côncavos e convexos Imagem real e virtual Pode-se dizer que uma imagem real é aquela que podemos projetar num anterparo (tela,parede...), já a imagem virtual não pode ser projetada. Ainda pode-se dizer, de acordo com os raios

Leia mais

Representação de cores. Computação Gráfica Cores. O que é luz. Distribuição espectral da iluminação 11/12/12

Representação de cores. Computação Gráfica Cores. O que é luz. Distribuição espectral da iluminação 11/12/12 Representação de cores Computação Gráfica Cores Renato Ferreira Tratados de maneira geral como triplas RGB Um parâmetro alpha opcional Quase todas operações separadas por componente Mas usualmente tratadas

Leia mais

Psicofisiologia da visão

Psicofisiologia da visão Psicologia Percepção Visual 1º Ano, Design de Comunicação 1º Ano, Imagem Animada Psicofisiologia da visão O olho A retina O nervo óptico O núcleo geniculado lateral O córtex visual Dos neurónios à percepção

Leia mais

MARATONA PISM 2 FÍSICA PROFESSOR ALEXANDRE SCHMITZ

MARATONA PISM 2 FÍSICA PROFESSOR ALEXANDRE SCHMITZ MARATONA PISM 2 FÍSICA PROFESSOR ALEXANDRE SCHMITZ HIDROSTÁTICA TÓPICO 1 - HIDROSTÁTICA PRINCÍPIO DE STEVIN p = p o + d. g. h PRINCÍPIO DE PASCAL PRINCÍPIO DE ARQUIMEDES E = d. g. V EXEMPLO 1 PISM 2016

Leia mais

PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011

PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011 PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011 PROF. VIRGÍLIO NOME Nº 9º ANO Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma série de exercícios que têm, como base, o que foi trabalhado em sala de aula durante todo o ano.

Leia mais

Prefácio Nunca opere com dúvidas!

Prefácio Nunca opere com dúvidas! Índice Remissivo O que é a Catarata? 4 Quais os sintomas da Catarata? 5 Quais são os tipos de Catarata? 6 Qual o tratamento da Catarata? 7 Como é a anestesia na cirurgia de Catarata? 8 A importância na

Leia mais

Sentidos especiais Visão, olfacto, paladar, audição e equilíbrio

Sentidos especiais Visão, olfacto, paladar, audição e equilíbrio Funções sensoriais 5 sentidos?? Há especialistas que propõe a existência de pelo menos 20, talvez 40 sentidos diferentes!! Sentidos gerais Tacto Possuem receptores gerais distribuídos amplamente por todo

Leia mais

Lente intra-ocular multifocal difrativa apodizada: resultados

Lente intra-ocular multifocal difrativa apodizada: resultados ARTIGO ORIGINAL 383 Lente intra-ocular multifocal difrativa apodizada: resultados Diffractive apodized multifocal intraocular lens: results Virgilio Centurion 1, Augusto Cézar Lacava 1, Juan Carlos Caballero

Leia mais

Formação para Agentes de Desporto Novembro Ilda Maria Poças

Formação para Agentes de Desporto Novembro Ilda Maria Poças Novembro 2015 Ortoptista Prof. Coordenadora Especialista Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Sumário Campos visuais conceitos Campimetria - Objectivos - O Exame A Via Óptica Alterações do

Leia mais

Sistema Auditivo Humano

Sistema Auditivo Humano Sistema Auditivo Humano Tecnologias de Reabilitação Aplicações de Processamento de Sinal Constituição do Ouvido Humano JPT 2 1 Constituição do Ouvido Humano JPT 3 Constituição do Ouvido Humano O ouvido

Leia mais

O mecanismo da visão: o percurso da luz através do olho humano nos manuais escolares portugueses de ciências naturais ( )

O mecanismo da visão: o percurso da luz através do olho humano nos manuais escolares portugueses de ciências naturais ( ) O mecanismo da visão: o percurso da luz através do olho humano nos manuais escolares portugueses de ciências naturais (1900-1950) Bento Cavadas resumo Na sequência da comemoração do Ano Internacional da

Leia mais

Wilma Kempinas_IBB UNESP Embriologia Humana 2013

Wilma Kempinas_IBB UNESP Embriologia Humana 2013 Embriologia Humana Curso de C. Biomédicas 2013 Dep.. de Morfologia IBB/UNESP Profa.. Dra. Wilma De Grava Kempinas Material para fins didáticos e de uso exclusivo dos alunos do 2º. ano do curso de C. Biomédicas

Leia mais

FENÔMENOS LUMINOSOS PARTE 3. Conteúdos Lentes esféricas Refração da luz

FENÔMENOS LUMINOSOS PARTE 3. Conteúdos Lentes esféricas Refração da luz FENÔMENOS LUMINOSOS PARTE 3 Conteúdos Lentes esféricas Refração da luz AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS Neste capítulo centraremos nossa atenção no estudo das lentes. Reflita sobre a possíveis respostas aos

Leia mais

Trata-se de consulta encaminhada pelo Ministério Público Federal questionando o uso de tropicamida nos testes do olhinho realizado em recémnascidos.

Trata-se de consulta encaminhada pelo Ministério Público Federal questionando o uso de tropicamida nos testes do olhinho realizado em recémnascidos. PROCESSO-CONSULTA CFM Nº 9/13 PARECER CFM Nº 7/13 INTERESSADO: Ministério Público Federal ASSUNTO: Uso de tropicamida nos testes do olhinho realizado em recém-nascidos RELATOR: Cons. José Fernando Maia

Leia mais

Definição de uma Imagem Digital

Definição de uma Imagem Digital Definição de uma Imagem Digital Por que um objeto é visível? vel? http://www.luminous-landscape.com/tutorials/color_and_vision.shtml O olho humano o dispositivo de entrada da informação visual Funciona

Leia mais

A importância da visão

A importância da visão 1 A importância da visão A visão nos dá acesso à maioria das informações sobre o mundo a nossa volta. Por isso, preservar a saúde dos olhos é tão importante. Infelizmente, existem lesões e doenças que

Leia mais

GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO (GPAA)

GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO (GPAA) Prof. F. Falcão dos Reis 2006 DEFINIÇÃO Um suspeito de glaucoma é um indivíduo com achados físicos e/ou uma constelação de factores de risco que indicam uma probabilidade elevada de desenvolver Glaucoma

Leia mais

Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 24 de Janeiro de 2008

Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 24 de Janeiro de 2008 Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 24 de Janeiro de 2008 Disciplina: Oftalmologia Prof.: Conceição Neves Tema do Seminário: Estrabismo na Criança e no Adulto Autor: Ana Maçãs e Rita Nair Diaz Equipa Revisora:

Leia mais

Espelhos Planos. Reflexões. O objeto iluminado só poderá ser visto se a luz refletida por ele atingir nossos olhos. ESPELHOS PLANOS PROF.

Espelhos Planos. Reflexões. O objeto iluminado só poderá ser visto se a luz refletida por ele atingir nossos olhos. ESPELHOS PLANOS PROF. O objeto iluminado só poderá ser visto se a luz refletida por ele atingir nossos olhos. Espelhos Planos Reflexões ESPELHOS PLANOS PROF.: JEAN CARLO Espelhos Planos objeto A B Espelho d A B imagem d Essa

Leia mais

Lista de Exercícios - 2ª Série

Lista de Exercícios - 2ª Série ENSINO MÉDIO Data: 11/07/2016 Estudante: Exercícios Série: 2ª Turma: Turno: Matutino 2 e 3º Trimestre Componente: Física Professor: Wellington Lista de Exercícios - 2ª Série 1) No mundo artístico as antigas

Leia mais

figura 1 índice de refração: n 2 = 1,7; adotando que a lente está inicialmente no ar, índice de refração do ar: n 1 = 1.

figura 1 índice de refração: n 2 = 1,7; adotando que a lente está inicialmente no ar, índice de refração do ar: n 1 = 1. Uma lente delgada biconvexa cujos raios de curvatura são iguais a 42 cm, tem índice de refração,7. Introduz-se essa lente num cuba transparente de faces paralelas, verticais e de espessura desprezível.

Leia mais

Alguns aspectos da óptica do olho humano

Alguns aspectos da óptica do olho humano Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 33, n. 3, 3312 (2011) www.sbfisica.org.br Alguns aspectos da óptica do olho humano (Some aspects of the optics of the human eye) Otaviano Helene 1 e André Frazão

Leia mais

5 - (UFMG) As figuras representam, de forma esquemática, espelhos e lentes.

5 - (UFMG) As figuras representam, de forma esquemática, espelhos e lentes. 1 - (Unicamp) Um sistema de lentes produz a imagem real de um objeto, conforme a figura a seguir. Calcule a distância focal e localize a posição de uma lente delgada que produza o mesmo efeito. 4 - (Uerj)

Leia mais

Provão. Ciências 5 o ano

Provão. Ciências 5 o ano Provão Ciências 5 o ano 41 A maioria das plantas apresenta a mesma formação, porém há plantas que possuem flores e frutos. Podemos então afirmar que as partes comuns entre todas as plantas são: a) frutos,

Leia mais

Neuroanatomia. UBM 4 Anatomia Dentária 15 de Dezembro de 2009 Octávio Ribeiro

Neuroanatomia. UBM 4 Anatomia Dentária 15 de Dezembro de 2009 Octávio Ribeiro Neuroanatomia UBM 4 Anatomia Dentária 15 de Dezembro de 2009 Octávio Ribeiro UBM 4 Anatomia Dentária ANATOMIA E FUNÇÃO DO SISTEMA NEUROMUSCULAR Músculos unidade motora Músculos unidade motora O componente

Leia mais

Professora Bruna CADERNO 2. Capítulo 6 Espelhos Esféricos. Página - 236

Professora Bruna CADERNO 2. Capítulo 6 Espelhos Esféricos. Página - 236 CADERNO 2 Capítulo 6 Espelhos Esféricos Página - 236 O QUE SÃO ESPELHOS ESFÉRICOS? Observe a figura: O QUE SÃO ESPELHOS ESFÉRICOS? Um calota esférica com a superfície interna espelhada (refletora) é o

Leia mais

PREVENÇÃO OCULAR E TRATAMENTO CIRÚRGICO

PREVENÇÃO OCULAR E TRATAMENTO CIRÚRGICO PREVENÇÃO OCULAR E TRATAMENTO CIRÚRGICO Selma Regina Axcar Salotti Michela Cristina Gavioli Pinto Sergio Passerotti 1. INTRODUÇÃO A maior parte das incapacidades na hanseníase esta relacionada ao comprometimento

Leia mais

Exercícios Dissertativos

Exercícios Dissertativos Exercícios Dissertativos 1. (2002) O Sol tem diâmetro de 1, 4.10 9 m e a sua distância média à Terra é de 1, 5.10 11 m. Um estudante utiliza uma lente convergente delgada de distância focal 0,15 m para

Leia mais

2) (UFRJ) A figura a seguir mostra um objeto pontual P que se encontra a uma distância de 6,0 m de um espelho plano.

2) (UFRJ) A figura a seguir mostra um objeto pontual P que se encontra a uma distância de 6,0 m de um espelho plano. EXERCÍCIOS DE REVISÃO DO PRIMEIRO SEMESTRE (SETOR 1215) CARRILHO 1) A figura a seguir representa os perfis de dois espelhos planos E e E'. O raio de luz I incide obliquamente no espelho E, formando um

Leia mais

Apresentação e Aplicações de Óptica Geométrica (ENEM/UERJ)

Apresentação e Aplicações de Óptica Geométrica (ENEM/UERJ) Apresentação e Aplicações de Óptica Geométrica (ENEM/UERJ) Sérgio Ferreira de Lima http://aprendendofisica.net/rede/blog/category/aprofundamento/ cp2@sergioflima.pro.br Óptica Geométrica: Estudo dos fenômenos

Leia mais

INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM

INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM GUIA DO DOENTE COM PERDA DA VISÃO DEVIDA A EDEMA MACULAR DIABÉTICO (EMD) Este medicamento está sujeito a monitorização adicional Versão 1 EMD (outubro/2014)

Leia mais

QUESTÃO 16 PROVA DE FÍSICA I

QUESTÃO 16 PROVA DE FÍSICA I 6 PROVA DE FÍSICA I QUESTÃO 16 A figura representa um bloco de massa m que, após ser lançado com velocidade v, sobe uma rampa de comprimento L, sem atrito, inclinada de um ângulo θ. Assinale a opção que

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data!

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

- Professor João Rodrigo Escalari Quintiliano LENTES ESFÉRICAS

- Professor João Rodrigo Escalari Quintiliano LENTES ESFÉRICAS EXERCÍCIOS DE FÍSICA F - Professor João Rodrigo Escalari Quintiliano LENTES ESFÉRICAS 1. (Ufpe 2006) Uma "câmera tipo caixote" possui uma única lente delgada convergente, de distância focal f = 20 cm.

Leia mais

glaucoma Informações essenciais para preservar sua visão Dr. Remo Susanna Jr.

glaucoma Informações essenciais para preservar sua visão Dr. Remo Susanna Jr. glaucoma Informações essenciais para preservar sua visão Dr. Remo Susanna Jr. GLAUCOMA Informações essenciais para preservar sua visão Copyright 2013 by Remo Susanna Jr. Direitos desta edição reservados

Leia mais

Física. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) 04 e Método Gráfico

Física. Leonardo Gomes (Guilherme Brigagão) 04 e Método Gráfico Lentes Método Gráfico Lentes Método Gráfico 1. As figuras representam feixes paralelos de luz monocromática incidindo, pela esquerda, nas caixas A e B, que dispõem de aberturas adequadas para a entrada

Leia mais

GLAUCOMAS THE GLAUCOMAS. Cláudia R. Lauretti & Argemiro Lauretti Filho

GLAUCOMAS THE GLAUCOMAS. Cláudia R. Lauretti & Argemiro Lauretti Filho Medicina, Ribeirão Preto, Simpósio: OFTALMOLOGIA PARA O CLÍNICO 30: 56-65, jan./mar. 1997 Capítulo VII GLAUCOMAS THE GLAUCOMAS Cláudia R. Lauretti & Argemiro Lauretti Filho Mestre em Oftalmologia e Médica

Leia mais

MENINGES, LÍQUOR E SISTEMA VENTRICULAR MENINGES. Prof. João M. Bernardes

MENINGES, LÍQUOR E SISTEMA VENTRICULAR MENINGES. Prof. João M. Bernardes MENINGES, LÍQUOR E SISTEMA VENTRICULAR Prof. João M. Bernardes MENINGES O SNC é envolvido por três membranas denominadas meninges; As meninges estão compostas, de fora para dentro, pela dura-máter, aracnóide

Leia mais

Bio-Electricidade. Mestrado Integrado Engenharia Biomédica, IST/FML. 1.º Ano, 2.º Semestre Lisboa, Portugal. Ana Luísa Batista, n.

Bio-Electricidade. Mestrado Integrado Engenharia Biomédica, IST/FML. 1.º Ano, 2.º Semestre Lisboa, Portugal. Ana Luísa Batista, n. Mestrado Integrado /FML 1.º Ano, 2.º Semestre Lisboa, Portugal Bio-Electricidade Ana Luísa Batista, n.º 69443 Bárbara Caravela, n.º 69776 Bárbara Góis, n.º 70305 13 de Abril de 2011 Índice Introdução Palavras-chave

Leia mais

NEUROFISIOLOGIA DA VISÃO I

NEUROFISIOLOGIA DA VISÃO I Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Departamento de Fisiologia NEUROFISIOLOGIA DA VISÃO I Profa. Leda Menescal de Oliveira ESTRUTURA DO OLHO Renovado 12 vezes ao dia - Vasta

Leia mais

08:55-09:15 Debate - Tratamento do edema de macula - Anti-VEGF X Corticoide

08:55-09:15 Debate - Tratamento do edema de macula - Anti-VEGF X Corticoide DIA 17/3/2017 - SEXTA-FEIRA AUDITÓRIO SÉRGIO BERNARDES 08:30-10:00 RETINA - Encontro SBRV-SNNO 08:30-08:35 Abertura 08:35-08:55 A definir 08:55-09:15 Debate - Tratamento do edema de macula - Anti-VEGF

Leia mais

Aquisição de Imagens

Aquisição de Imagens Aquisição de Imagens Etapas típicas envolvidas no processamento de imagens. Aquisição da imagem Pré-processamento Segmentação Reconhecimento dos objetos e regiões Princípios da Visão Humana Referência:

Leia mais

SERVIÇO DE OFTALMOLOGIA

SERVIÇO DE OFTALMOLOGIA S. Pina, A. R. Azevedo, F. Silva, A. Gonçalves, S. Alves, D. Cavalheiro, F. Vaz, P. Kaku, F. Esperancinha SERVIÇO DE OFTALMOLOGIA HOSPITAL PROF. DR. FERNANDO FONSECA Director Serviço: Dr. António Melo

Leia mais

A imagem é real, invertida e reduzida.

A imagem é real, invertida e reduzida. Epelho eférico Um epelho côncavo tem um raio de curvatura de 4 cm. Trace diagrama de raio para localizar a imagem, e exitir, de um objecto perto do eixo para a eguinte ditância do epelho: a) 55 cm; b)

Leia mais

Como seu filho enxerga?

Como seu filho enxerga? Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Como seu filho enxerga? Muitas mães não têm a menor idéia de como o filho vê o mundo. Quem não enxerga

Leia mais

Óptica Geométrica. Óptica Ondulatória. Óptica Quântica. Propagação rectilínea Reflexão Refracção Dispersão

Óptica Geométrica. Óptica Ondulatória. Óptica Quântica. Propagação rectilínea Reflexão Refracção Dispersão Óptica Geométrica Fenómeno que podem er decrito eencialmente em termo de rente de onda e raio luminoo. Óptica Ondulatória Fenómeno que evidenciam a natureza ondulatória da luz. Óptica Quântica Fenómeno

Leia mais

Instrumentos óticos. o Telescópio e luneta. o aumento angular. o Máquina fotográfica. o Olho. o Lupa. o Microscópio composto

Instrumentos óticos. o Telescópio e luneta. o aumento angular. o Máquina fotográfica. o Olho. o Lupa. o Microscópio composto Instrumentos óticos o Telescópio e luneta o aumento angular o Máquina otográica o Olho o Lupa o Microscópio composto Telescópios e Lunetas sistema ótico reletor sistema ótico rerator Telescópio lente convergente

Leia mais

INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM

INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM GUIA DO DOENTE COM PERDA DA VISÃO DEVIDA A NEOVASCULARIZAÇÃO COROIDEIA ASSOCIADA À MIOPIA PATOLÓGICA (NVC MIÓPICA) Este medicamento está sujeito a monitorização

Leia mais

SABER MAIS SOBRE DEGENERESCÊNCIA MACULAR RELACIONADA COM A IDADE

SABER MAIS SOBRE DEGENERESCÊNCIA MACULAR RELACIONADA COM A IDADE SABER MAIS SOBRE DEGENERESCÊNCIA MACULAR RELACIONADA COM A IDADE FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 DEGENERESCÊNCIA

Leia mais

XVIII CURSO BÁSICO DE OFTALMOLOGIA DO PARANÁ 06 de Fevereiro a 17 de Março de 2017

XVIII CURSO BÁSICO DE OFTALMOLOGIA DO PARANÁ 06 de Fevereiro a 17 de Março de 2017 XVIII CURSO BÁSICO DE OFTALMOLOGIA DO PARANÁ 06 de Fevereiro a 17 de Março de 2017 A Comissão Organizadora do Curso Básico de Oftalmologia do Paraná agradece sua presença esperando que o curso seja de

Leia mais

ÓPTICA TURMA UNP PARTE 2

ÓPTICA TURMA UNP PARTE 2 ÓPTICA TURMA UNP PARTE 2 1. No vácuo, um determinado meio material isotrópico e transparente com índice de refração absoluto igual a 2 apresentará a condição de reflexão total para um raio de luz com ângulo

Leia mais

Lâminas de Faces Paralelas. sen(i

Lâminas de Faces Paralelas. sen(i Ótica Lâminas de Faces Paralelas d = e sen(i cos r r) Dioptros Dioptro é constituído pela justaposição de dois meios transparentes e opticamente homogéneos Dioptro Plano Dioptro Plano - Equação di do

Leia mais

OTI Ótica QUÍMICA

OTI Ótica QUÍMICA OTI-0002 - Ótica QUÍMICA Estágio em Docência Marsal Eduardo Bento Professor da Disciplina: Holokx Abreu Albuquerque Abril/2014 1 Sumário Instrumentos Ópticos Lente de aumento simples Microscópio composto

Leia mais

Professora Bruna FÍSICA B. Aulas 19 e 20 Construindo Imagens. Página 189

Professora Bruna FÍSICA B. Aulas 19 e 20 Construindo Imagens. Página 189 FÍSICA B Aulas 19 e 20 Construindo Imagens Página 189 INTRODUÇÃO Onde e para que finalidade utilizamos lentes? Assim como fizemos para construção de imagens em espelhos esféricos, definiremos alguns pontos

Leia mais