CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE MBA - GESTÃO DE PROJETOS - 33PMI. Plano de Projeto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE MBA - GESTÃO DE PROJETOS - 33PMI. Plano de Projeto"

Transcrição

1 FACULDADE DE INFORMÁTICA E ADMINISTRAÇÃO PAULISTA CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE MBA - GESTÃO DE PROJETOS - 33PMI Marcos Henrique Pansanato Plano de Projeto São Paulo 2008 Marcos Henrique Pansanato

2 Plano de Projeto Monografia de Conclusão de Curso apresentada como exigência parcial para obtenção do título de pós-graduação Lato Sensu em MBA Gestão de Projetos - PMI Orientador: Prof.( a ) Augusto Camargos São Paulo 2008 Marcos Henrique Pansanato

3 Plano de Projeto Monografia de Conclusão de Curso apresentada como exigência parcial para obtenção do título de pós-graduação Lato Sensu em MBA Gestão de Projetos - PMI Aprovada em 22 de Outubro de 2008 BANCA EXAMINADORA Prof.( a ) [Titulação e Nome] Orientador: Mestre Augusto Camargos

4 Dedico este trabalho a toda minha família pela formação que me deu até eu chegar aqui e dedico também a minha noiva pela força que tem me dado. AGRADECIMENTOS

5 RESUMO Este trabalho é composto de um plano de projeto seguindo as melhores práticas do PMI passando por todas as disciplinas proposta no PMBOK: Integração; Escopo; Prazo; Custo; Qualidade; Comunicação; Riscos; RH; Aquisições. Artefatos para cada uma das disciplinas fazem parte do plano do projeto, artefatos que se integram para trabalharem de forma sincronizada visando o sucesso na execução do projeto. O projeto consiste na implementação de um sistema bancário, mobile, para que clientes possam acessar suas contas, verificar saldo e extrato bancário, realizar pagamentos e transferência, através de aparelhos celulares. Palavras chaves: PMI: Project Management Institute EAP: Estrutura Analítica do Projeto RFP: Request for Proposals DT: Declaração de Trabalho

6 ABSTRACT This work is composed of a project plan following the best practices of PMI through all disciplines proposed in PMBOK: Integration; Scope; Time; Cost; Quality; Communication; Risk; HR; Acquisitions. Artifacts for each of the disciplines are part of the plan of the project, artifacts that may be linked to work order Synchro in the successful implementation of the project. The project is the implementation of a banking system, mobile, so that customers can access their accounts, check and bank balance, make payments and transfers through mobile devices. Key-words: PMI: Project Management Institute WBS: Work Breakdown Structure RFP: Request for Proposals DT: Statement of Work

7 Lista de Ilustrações Ilustração 1: Formulário de requisição de mudança...23 Ilustração 2: Fluxo de requisição de mudanças...24 Ilustração 3: Organograma preliminar do projeto...30 Ilustração 4: EAP...31 Ilustração 5: Dicionário da EAP...32 Ilustração 6: Lista de atividades...36 Ilustração 7: Cronograma com recursos...37 Ilustração 8: Cronograma com custo...38 Ilustração 9: Curva S...40 Ilustração 10: Política de qualidade corporativa...42 Ilustração 11: Política de qualidade da fábrica de software...43 Ilustração 12: Modelo do gráfico de pareto...46 Ilustração 13: Relatório semanal de acompanhamento de correções...46 Ilustração 14: Matriz dos stakeholders (SAM)...50 Ilustração 15: Matriz de riscos...53 Ilustração 16: Organograma do projeto...56 Ilustração 17: Matriz de responsabilidades no projeto...56 Ilustração 18: Ações gerencias...64 Ilustração 19: Acompanhamento de mudanças...65 Ilustração 20: Gráfico de controle - Projeto linha de base...67 Ilustração 21: Gráfico de controle Projeto real...68 Ilustração 22: Ishikawa Análise de causa raiz...68 Ilustração 23: Ações corretivas/preventivas...69

8 Lista de Tabelas Tabela 1: Entregas do projeto...21 Tabela 2: Cronograma preliminar...21 Tabela 3: Partes interessadas preliminar...21 Tabela 4: Entregas/Faseamento do projeto...28 Tabela 5: Entrega/Faseamento do produto...29 Tabela 6: Padrões adotados Gerenciamento do projeto...44 Tabela 7: Padrões adotados Análise, design, implementação e testes...45 Tabela 8: Garantia da qualidade Matriz de responsabilidades...45 Tabela 9: Ações da garantia da qualidade...45 Tabela 10: Ações do controle da qualidade...45 Tabela 11: Plano de comunicação...48 Tabela 12: Plano de escalonamento...49 Tabela 13: Matriz de relatórios...50 Tabela 14: Matriz de responsabilidades do plano de riscos...52

9 SUMÁRIO RESUMO...5 ABSTRACT...6 LISTA DE ILUSTRAÇÕES...7 LISTA DE TABELAS...8 SUMÁRIO...9 INTRODUÇÃO INTEGRAÇÃO ESTRATÉGIAS TERMO DE ABERTURA E DECLARAÇÃO PRELIMINAR DE ESCOPO CONTROLE INTEGRADO DE MUDANÇAS FORMULÁRIO DE REQUISIÇÃO DE MUDANÇAS FLUXO DE REQUISIÇÃO DE MUDANÇAS GERENCIAMENTO DO ESCOPO PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO DEFINIÇÃO DO ESCOPO CONTROLE DO ESCOPO MUDANÇA DO ESCOPO DECLARAÇÃO DO ESCOPO EAP (ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO) DICIONÁRIO DA EAP PREMISSAS GERENCIAMENTO DO PRAZO PLANO DE GERENCIAMENTO DO PRAZO DEFINIÇÃO DO CRONOGRAMA CONTROLE DO CRONOGRAMA MUDANÇA DO CRONOGRAMA LISTA DE ATIVIDADES CRONOGRAMA PREMISSAS GERENCIAMENTO DO CUSTO PLANO DE GERENCIAMENTO DO CUSTO DEFINIÇÃO DO CUSTO CONTROLE DO CUSTO MUDANÇA DO CUSTO ESTIMATIVAS CURVA S PREMISSAS GERENCIAMENTO DA QUALIDADE PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE GARANTIA DA QUALIDADE CONTROLE DA QUALIDADE PREMISSAS GERENCIAMENTO DA COMUNICAÇÃO PLANO DA COMUNICAÇÃO PLANO DE ESCALONAMENTO MATRIZ DOS STAKEHOLDERS (SAM) MATRIZ DOS RELATÓRIOS (SRM) PREMISSAS GERENCIAMENTO DE RISCOS...52

10 7.1 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS MATRIZ DE RISCOS PROBABILIDADE X IMPACTO PLANO DE RESPOSTAS AOS RISCOS PREMISSAS GERENCIAMENTO DE RH PLANO DE GERENCIAMENTO DE RH ORGANOGRAMA MATRIZ DE RESPONSABILIDADES PREMISSAS GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES PLANO DE GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES RFP E DT PREMISSAS CONTROLE E ACOMPANHAMENTO PAINEL DE CONTROLE CONTROLE QUANTITATIVO...65 CONCLUSÃO...70 REFERÊNCIAS...72

11 INTRODUÇÃO Este trabalho representa o plano do projeto Mobile Bank WAP da empresa TCC- MHP. Este plano demonstra um conjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos incluindo práticas tradicionais comprovadas e amplamente aplicadas, além de conhecimentos de práticas inovadoras, segundo o PMI. O projeto Mobile Bank WAP se trata do desenvolvimento de um aplicativo bancário pagamento de contas e transferência de valores através de celulares com a tecnologia WAP. Este aplicativo tem como finalidade proporcionar que os Bancos possam oferecer aos seus clientes um serviço moderno e inovador, proporcionando uma facilidade nas transações bancárias e atraindo novos clientes. Já para a empresa TCC-MHP, este projeto visa colocá-la entre as maiores empresas de TI do Brasil. O principal objetivo deste trabalho é fornecer uma visão geral de forma prática, das disciplinas proposta pelo PMI: Integração, Escopo, Prazo, Custo, Qualidade, Comunicação, Riscos, RH e Aquisição, demonstrando produtos da gestão de um projeto. Artefatos de cada uma das disciplinas irão compor o plano do projeto se integram de forma que trabalhem sincronizados. Um capítulo será gerado para cada uma das disciplinas, incluindo um último capítulo de controle e acompanhamento do projeto. O plano do projeto nasce na elaboração do termo de abertura e declaração preliminar do escopo, na disciplina de integração, onde é nomeado o gerente do projeto. Nesta disciplina também será realizado o plano estratégico do projeto, integrando todas as demais disciplinas. Ainda nesta disciplina será mapeado o controle de mudanças no projeto.

12 12 Para gerenciamento do escopo será elaborado o plano de gerenciamento de escopo, a declaração do escopo, a EAP e o dicionário da EAP visando garantir que seja feito o que foi desejado. Em gerenciamento do prazo será realizado o planejamento de gerenciamento do prazo, a lista de atividades e cronograma com o objetivo de elencar todo trabalho necessário para a conclusão do projeto e seqüenciá-lo já com previsão de tempo para cada uma das atividades. No gerenciamento do custo, está previsto uma estimativa de custo a lista de atividades prevista para o gerenciamento do prazo. Com base nessas estimativas será gerada uma curva-s representando o acumulo de gastos previstos no projeto. Quanto o gerenciamento da qualidade está previsto um plano da qualidade composto do controle e garantia da qualidade. A comunicação do projeto estará representada num plano de comunicação, num plano de escalonamento, numa matriz dos stakeholders e por fim numa matriz de relatórios. Os riscos do projeto serão planejados, identificados e mapeados numa matriz de riscos, representando a probabilidade versus impacto de cada um dos riscos. Para finalizar um plano de respostas a riscos será construído. A disciplina de recursos humanos estará mapeada no plano de gerenciamento de RH, no organograma e na matriz de responsabilidades, neste último artefato citando as principais atividades de cada um dos envolvidos no projeto. Subcontratações estão previstas e serão planejadas e geradas numa requisição de propostas e numa declaração de trabalho.

13 13 Para garantir que tudo planejado seja executado da forma correta, um painel de controle do projeto e uma análise quantitativa serão gerados no capítulo de controle e acompanhamento do projeto. Ao final deste trabalho teremos uma visão prática das melhores práticas proposta pelo PMBOK do PMI.

14 14 1 Integração Esta disciplina integra todas outras disciplinas de forma que elas se unifiquem e consolidem com o objetivo de executar e acompanhar o projeto garantindo o sucesso. 1.1 Estratégias Este documento tem por objetivo estabelecer a estratégia de condução do projeto Mobile Bank WAP passando por todas as disciplinas proposta pelo PMI no PMBOK. Reuniões Deverão ocorrer reuniões periódicas, conforme definido no plano de comunicação do projeto. Gerenciamento de Mudanças Um comitê integrado de mudanças será montado para controle de mudanças. Vide item 1.3 Comitê Integrado de Mudanças. Gerenciamento de Versões O controle de versão do código fonte da aplicação e documentação será de responsabilidade do gerente do projeto, podendo este delegar este controle a uma pessoa da equipe. Todos os artefatos deverão estar dentro de uma ferramenta de controle de versão, com backups semanais. Requisitos de Aprovação Todos os produtos do projeto deverão ser aprovados pelo gerente e pelo sponsor do projeto. Sistema de Autorização de Trabalho Os trabalhos serão autorizados pessoalmente ou por pelo gerente do projeto.

15 15 Encerramento do Projeto O projeto será encerrado quando: Todos os artefatos estiverem concluídos e aprovados com o termo de aceite assinado. Uma reunião de encerramento deve ocorrer para análise final do projeto. Documentos do Plano O plano de projeto é composto pelos seguintes documentos: Integração: Termo de abertura e declaração preliminar de escopo; Controle integrado de mudanças: Comitê integrado de mudanças; Formulário de requisição de mudanças; Fluxo de requisição de mudança. Escopo: Plano de gerenciamento de escopo; Declaração de escopo; EAP; Dicionário da EAP. Prazo: Plano de gerenciamento do tempo; Lista de atividades; Cronograma. Custo: Plano de gerenciamento do custo; Estimativas; Curva S. Qualidade: Plano de gerenciamento da qualidade; Garantia da qualidade; Controle da qualidade. Comunicação:

16 16 Plano da comunicação; Plano de escalonamento; Matriz dos stakeholders; Matriz dos relatórios. Riscos: Plano de gerenciamento dos riscos; Matriz de riscos; Plano de resposta aos riscos. RH: Plano de gerenciamento de RH; Organograma; Matriz de responsabilidades. Aquisições: Plano de gerenciamento de aquisições; RFP e DT. Controle/Acompanhamento: Painel de controle; Controle quantitativo. Estes produtos se integrarão uns aos outros com o propósito de desenhar um plano de ação que visa o sucesso do projeto. Produtos de controle e acompanhamento do projeto também foram gerados. 1.2 Termo de Abertura e Declaração Preliminar de Escopo Designação Marcos Pansanato, você foi designado como Gerente de Projeto do Projeto Mobile Bank - WAP. Você é responsável por assegurar que os requerimentos do cliente sejam satisfeitos e que todos os produtos e serviços cotados ou contratados sejam entregues. Você é responsável pelo sucesso do projeto e estará trabalhando próximo aos gerentes funcionais apropriados para assegurar que todos objetivos do projeto sejam atingidos.

17 17 Responsabilidades Abaixo seguem as responsabilidades do gerente de projetos: Revisar a documentação formal do projeto e tomar uma decisão para (Aceitar, Recusar ou Aceitar com condições) a responsabilidade pelo projeto. Atuar como ponto central de contato para toda comunicação formal relacionada ao projeto dentro da organização. Assegurar que os membros da equipe do projeto estejam cientes de suas responsabilidades e também, que todos os compromissos assumidos pelos indivíduos sejam realizados. Gerenciar os compromissos contratuais para realizá-los em tempo, dentro do orçamento e com satisfação do cliente. Controlar os custos, cronogramas, orçamentos e variações técnicas dentro das margens estabelecidas do projeto. Manter toda documentação atualizada nos sistemas, bem como na base de conhecimento. Seguir todos os processos e padrões metodológicos. Reportar formalmente o status do projeto a gerencia regularmente, evitando supressas. Autoridade Abaixo seguem as autoridades do gerente de projetos: Engajar e substituir o pessoal da equipe de projeto quando necessário e dirigir as atividades da equipe. Para acessar os Gerentes de Recursos em todos os assuntos relativos ao projeto. Para controlar o orçamento do projeto. Para dirigir ações de monitoração de atividades referentes a tempo, custo, risco, performance e qualidade de forma a garantir que todos os problemas são prontamente identificados, reportados e solucionados. Para contatar através das unidades funcionais e com todos os níveis de gerencia para realizar os objetivos do projeto.

18 18 Para delegar a responsabilidade e autoridade do projeto dos membros de sua equipe. Escopo Desenvolver um sistema Mobile Bank WAP para o cliente BANK FIAP. Os produtos a ser entregues incluem as seguintes funcionalidades: Login Pagamentos Bloqueto Concessionária Recarga Celular Transferências Transfêrencia DOC TED Consultas Saldo Extrato Pagamentos Transferências O projeto se restringe a desenvolver a camada de apresentação utilizando a linguagem de programação Java. O cliente irá fornecer: Serviços de regra de negócio, na tecnologia Cobol; Um componente de comunicação entre a camada de apresentação (Java) com a camada de regras de negócio (Cobol); Especificações de comunicação; Requisitos do sistema. Justificativa do Projeto O desenvolvimento de um sistema Mobile Bank - WAP tem como finalidade ao Banco, oferecer aos seus clientes um serviço moderno e inovador,

19 19 proporcionando uma facilidade nas transações bancárias e atraindo novos clientes. Já para a empresa TCC-MHP, este projeto visa colocá-la entre as maiores empresas de TI do Brasil. Premissas Técnicas O desenvolvimento do sistema Mobile Bank será baseado nas metodologias e modelos do CMMi nível 5 da TCC-MHP. O cliente irá fornecer: Serviços de regra de negócio, na tecnologia Cobol; Um componente de comunicação entre a camada de apresentação (Java) com a camada de regras de negócio (Cobol); Especificações de comunicação; Requisitos do sistema. Organizacionais Serão utilizados como ponto de partida alguns procedimentos cooperativos existentes e disponibilizados pelo departamento de engenharia de software. Ambientais Variáveis ambientais que impactam o projeto e devem ser acompanhadas. Não aplicáveis. Restrições Técnicas Por exigência do cliente a equipe deve ser composta por analistas desenvolvedores certificados na tecnologia Java. Gerenciais A data limite para a finalização do projeto é no dia 03/09/2008. O sistema Mobile Bank WAP será exibido na semana da tecnologia bancária que se iniciará no dia 08/09/2008. Prazos A data limite para a finalização do projeto é no dia 03/09/2008. Investimentos

20 20 Para o desenvolvimento e conclusão do sistema Mobile Bank - WAP será destinado um investimento em torno de R$ ,00, contando com R$10.000,00 em equipamentos. Riscos Preliminares Serviços de Regras de Negócio (Cobol) fornecido pelo cliente A falta de consistência nos serviços de regra de negócio (Cobol) e nas especificações de comunicação (Cobol-Java) fornecido pelo cliente. Impacto no projeto Atrasos no período de desenvolvimento. Compatibilidade com aparelhos reais (celulares) A falta de padrão de WAP e a grande variedade de aparelhos celulares que é lançado no mercado. Impacto no projeto A inviabilidade do uso do sistema em alguns aparelhos e o descontentamento dos clientes. Entregas do projeto Fase Produto / Resultados Termino (dias) Custos (R$) Análise e Design PACOTE INICIAL Protótipo, modelo de análise e ,00 modelo de design PACOTE 1 Funcionalidades: Login; Pagamentos (Bloqueto, Concessionária e Recarga Desenvolvimento Celular); e testes Consultas (Pagamentos, ,00 Extrato e Saldo); Casos e evidências de teste das funcionalidade citada acima. PACOTE 2 Funcionalidades: Transferências (Transferência, DOC e Desenvolvimento TED); e testes Consultas (Transferência); Casos e evidências de teste das funcionalidade citadas acima ,00

21 21 Tabela 1: Entregas do projeto Cronograma Preliminar ITEM ATIVIDADE FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET 1 PACOTE INICIAL X 2 PACOTE 1 X 3 PACOTE 2 X Tabela 2: Cronograma preliminar Partes Interessadas Preliminar Stakeholders Cargo Empresa Participação Influencia Alta Media Baixa Alta Media Baixa Danúbio Borba Diretor BANK FIAP X X Augusto Diretor TCC-MHP X X Camargos Marcos Gerente TCC-MHP X X Pansanato Projeto Equipe de Projeto Variado TCC-MHP X X Tabela 3: Partes interessadas preliminar 1.3 Controle Integrado de Mudanças Assim que concluído o planejamento do projeto será gerado a linha de base de escopo, uma linha de base de prazo e uma linha de base de custo que serão usadas como referência para avaliar mudanças no projeto O Comitê de Mudanças da Fábrica de Projetos da empresa será o responsável para controlar as mudanças no projeto, através da linha de base de escopo. Suas principais atividades são: Identificar mudanças; Revisar e aprovar mudanças solicitadas; Gerenciar mudanças aprovadas, no momento da sua execução; Gerar nova linha de base; Revisar e aprovar ações preventivas e corretivas solicitadas;

22 22 Analisar e controlar impactos, gerando RCM (Relatório de Controle de Mudanças), em custos, cronogramas, requisitos de qualidade e riscos Formulário de Requisição de Mudanças Toda solicitação de alteração deverá ser requisita ao comitê através do preenchimento do formulário de requisição de mudanças apresentado abaixo: Projeto ID: Baseline Versão: Título Projeto: Informações do Projeto: Mudança #: Versão: Data: Solicitante: Descrição da Mudança: Motivo da Mudança: Impacto no Cronograma: Milestone/Tarefas Data Original Nova Data Comentário Impacto no Custo: Aprovações: Função/Cargo Nome Iniciais /Chav e Comentário

23 Ilustração 1: Formulário de requisição de mudança 23

24 Fluxo de Requisição de Mudanças act Business Process Model Início Preencher Formulário de Requisição de Mudança (Equipe) Encamihar Formulário ao Comitê de Mudanças (Equipe) Comitê de Mudanças Analisa Requisição (Comitê) Comitê de Mudanças mapeia Impactos (Comitê) Aprova [Não] Emite Comunicado de Não Aprovação (Comitê) [Sim] Emite Comunicado de Aprov ação (Comitê) Realiza Replanejamento junto do Coordenador do Projeto, Salva Nov a Linha de Base e Publica (Comitê e Coordenador) Elabora RCM e Registra Mudança no Relátório de Controle de Mudanças (Comitê) Fim Ilustração 2: Fluxo de requisição de mudanças

25 25 2 Gerenciamento do Escopo 2.1 Plano de Gerenciamento do Escopo O plano de gerenciamento do escopo do projeto visa demonstrar os requisitos que fazem parte do projeto e os requisitos que não fazem parte do projeto. O objetivo deste plano é garantir que o trabalho proposto seja executado para proporcionar o sucesso no projeto. Fazem parte deste plano: Definição do Escopo, Controle do Escopo e Mudança do Escopo Definição do Escopo A definição do escopo deverá fornecer uma visão das necessidades e características do sistema a serem desenvolvidos pelo projeto. Detalhes do projeto podem ser verificados nos requisitos funcionais, requisitos não funcionais e na respectiva lista de requisitos. Este artefato tratará principalmente da definição do que está e do que não está incluído no projeto. Seu principal objetivo é de garantir que o resultado do trabalho do projeto corresponda à entrega do escopo do produto especificado. Por fim este plano deverá registrar os critérios de aceite do produto terminado Controle do Escopo O controle do escopo será executado em cima da linha de base de escopo que será salva no final do planejamento e no final de cada replanejamento. A cada evento inesperado o escopo deve ser verificado para garantir que está sendo elaborado exatamente o que foi proposto Mudança do Escopo Como mencionado no item de integração, toda mudança de escopo deverá ser requisitada através do preenchimento de um formulário a ser enviado ao

26 26 comitê integrado de mudanças. Este comitê tem a responsabilidade de aprovar a mudança e controlar os impactos. 2.2 Declaração do Escopo Escopo Desenvolver um sistema Mobile Bank WAP para o cliente BANK FIAP. Os produtos a ser entregues incluem as seguintes funcionalidades: Login: Processo autenticado com usuário e senha. Pagamentos Bloqueto: Pagamento de Bloquetos através do código de barras; Concessionária: Pagamento de Concessionária através do código de barras; Recarga Celular: Recarregamento de Celular através do código da operadora e número do aparelho. Transferências Transfêrencia: Transferência entre contas do mesmo Banco; DOC: Transferências entre Bancos diferentes e com valor inferior a R$ 5.000,00; TED: Transferências entre Bancos diferentes e com valor igual ou superior a R$ 5.000,00 Consultas Saldo: Consulta de Saldo Bancário; Extrato: Consulta de Extrato Banário, limitado dos últimos 30 dias; Pagamentos: Consulta Pagamentos efetuados da Conta informada; Transferências: Consulta Transferências efetuados da Conta informada. Manual do Usuário: Passo a Passo de cada funcionalidade. O projeto se restringe a desenvolver a camada de apresentação utilizando a linguagem de programação Java.

27 27 O cliente deverá fornecer: Serviços de regra de negócio, na tecnologia Cobol; Um componente de comunicação entre a camada de apresentação (Java) com a camada de regras de negócio (Cobol); Especificações de comunicação; Requisitos do sistema. Itens Excluídos Funcionalidades O escopo do projeto se restringe aos requisitos apresentados acima. Não incluí nenhum tipo de transação bancária de investimentos outro tipo que não esteja citado no item escopo. Premissas Técnicas O desenvolvimento do sistema Mobile Bank será baseado nas metodologias e modelos do CMMi nível 5 da TCC-MHP. O cliente irá fornecer: Serviços de regra de negócio, na tecnologia Cobol; Um componente de comunicação entre a camada de apresentação (Java) com a camada de regras de negócio (Cobol); Especificações de comunicação; Requisitos do sistema. Organizacionais Serão utilizados como ponto de partida alguns procedimentos cooperativos existentes e disponibilizados pelo departamento de engenharia de software. Ambientais Variáveis ambientais que impactam o projeto e devem ser acompanhadas. Não aplicáveis. Restrições Técnicas

28 28 Por exigência do patrocinador a equipe deve ser composta por analistas desenvolvedores certificados na tecnologia Java. Gerenciais A data limite para a finalização do projeto é no dia 02/09/2008. O sistema Mobile Bank WAP será exibido na semana da tecnologia bancária que se iniciará no dia 10/09/2008. Riscos Montagem da Equipe Ter todos integrantes da equipe disponíveis na empresa e com a capacitação exigida do patrocinador. Entregas/Faseamento do Projeto Fase Produto / Resultados Iniciação Plano de Projeto; Termo de Abertura e Dec. Preliminar de Escopo. Plano de Gerenciamento de Escopo o Declaração de Escopo; o EAP; o Dicionário da EAP. Plano de Gerenciamento do Tempo o Lista de Atividades; o Cronograma. Plano de Gerenciamento de Custo o Curva S. Plano de Gerenciamento da Qualidade o Plano de Controle e Garantia da Planejamento e Qualidade. Execução Plano de Gerenciamento da Comunicação o Plano da Comunicação; o Plano de Escalonamento; o Matriz dos Stakeholders; o Matriz dos Relatórios. Plano de Gerenciamento de Riscos o Matriz de Riscos e Plano de Respostas. Plano de Gerenciamento de RH o Organograma; o Matriz de Responsabilidades. Plano de Gerenciamento de Aquisições o RFP. Controle e Painel de Controle; Acompanhamento Controle Quantitativo. Encerramento Termo de Aceite Tabela 4: Entregas/Faseamento do projeto

29 29 Entregas/Faseamento do Produto Fase Produto / Resultados Termino (dias) Custos (R$) Análise e Design PACOTE INICIAL Protótipo, modelo de análise e ,00 modelo de design PACOTE 1 Funcionalidades: Login; Pagamentos (Bloqueto, Concessionária e Recarga Desenvolvimento Celular); e testes Consultas (Pagamentos, ,00 Extrato e Saldo); Casos e evidências de teste das funcionalidade citada acima. PACOTE 2 Funcionalidades: Transferências (Transferência, DOC e Desenvolvimento TED); e testes Consultas (Transferência); Casos e evidências de teste das funcionalidade citadas acima ,00 Detalhes dos Entregáveis do Produto: Tabela 5: Entrega/Faseamento do produto Pacote Inicial: Corresponde ao Projeto Lógico e Projeto físico do projeto gerando o protótipo, o modelo de análise e o modelo de design do aplicativo; Pacote1: Correspondem as seguintes funcionalidades do aplicativo já concluídas e testadas: o Login; o Pagamentos de Bloqueto, Concessionária e Recarga de Celular; o Consultas de pagamentos, extrato e saldo da conta corrente. Pacote2: Corresponde as seguintes funcionalidades do aplicativo já concluídas e testadas: o Transferências de valores, DOCs eletrônicos e TED; o Consultas de transferências.

30 30 Organograma Preliminar do Projeto Patrocinador Danubio Borba Responsável pelo Projeto Augusto Camargos Gerentes de Recursos Gerente de Projeto Marcos Pansanato Membros da Equipe Ilustração 3: Organograma preliminar do projeto Critérios de aceitação A aceitação do produto será realizada através testes com aparelhos reais executados num ambiente de desenvolvimento do cliente. O teste será feito com pelo menos 1 aparelho de cada marca, dentre as principais do mercado. 2.3 EAP (Estrutura Analítica do Projeto) A EAP abaixo se trata do agrupamento dos elementos do projeto, orientados para resultados, que organiza e define o completo escopo do projeto. Cada nível descendente representa uma definição cada vez mais detalhada do

31 31 trabalho do projeto. O primeiro nível de decomposição da EAP deste projeto deve conter as fases do projeto e o segundo nível deve conter os produtos do projeto, ou seja, os pacotes de trabalho. 2.4 Dicionário da EAP Ilustração 4: EAP Segue abaixo o dicionário da EAP contem a descrição de todos os pacotes de trabalho da EAP.

32 32 Ilustração 5: Dicionário da EAP 2.5 Premissas Segue(m) abaixo premissa(s) do escopo do projeto: Caso haja qualquer alteração no escopo do projeto, será enviada uma requisição de mudança ao comitê integrado de mudanças. Após a compreensão integral do escopo, uma nova avaliação de esforço e duração do projeto deverá ser realizada devido ao nível de detalhes do escopo fornecido.

33 33 3 Gerenciamento do Prazo 3.1 Plano de Gerenciamento do Prazo O plano do prazo do projeto visa planejar e controlar a lista de atividades realizando estimativas e acompanhamento de tempo, esforço e prazo de cada atividade. A lista de atividades e as estimativas devem ser compiladas num cronograma, representando a evolução do projeto seguindo a linha do tempo. Este plano se divide em Definição do Cronograma, Controle do Cronograma e Mudança do Cronograma Definição do Cronograma O cronograma contempla o seqüenciamento das atividades, a estimativa de duração e de recursos de cada atividade, e por fim demonstra uma visão do diagrama de rede do projeto. A construção do cronograma deverá seguir a estrutura da EAP e as atividades da lista de atividades Controle do Cronograma Após conclusão do planejamento do prazo, será gerada uma linha de base do tempo. Semanalmente o andamento das atividades e os prazos do projeto serão controlados. O percentual de conclusão de cada atividade será coletado junto a equipe e lançado no cronograma (MS Project). Um relatório será gerado através da função Analisar dados de escala do tempo no Excel da ferramenta, onde apontará a quantidade de horas acumulada do projeto perante o percentual de conclusão, através de uma curva S. Com este relatório será analisado o andamento do projeto, comparando com alinha de base do tempo e caso necessário, uma solicitação de alteração de prazo será

34 34 enviada ao Comitê de Mudanças do projeto. O gerente do projeto fica responsável pelas renegociações de prazos junto à sponsor do projeto Mudança do Cronograma Qualquer alteração no cronograma que impacte no prazo de algum entregável e até mesmo na data final de conclusão do projeto, deverá ser solicitada autorização ao comitê integrado de mudanças para o mesmo aprovar efetuar a atualização da linha de base de prazo. 3.2 Lista de Atividades A lista de atividades identifica e elenca todas as atividades necessárias para completar todo trabalho do projeto, bem como uma estimativa de tempo e de recurso necessário.

35 35

36 Ilustração 6: Lista de atividades 36

37 Cronograma O cronograma contempla o seqüenciamento das atividades, a estimativa de duração e de recursos de cada atividade, e por fim demonstra uma visão do diagrama de rede do projeto. Ilustração 7: Cronograma com recursos

38 38 Ilustração 8: Cronograma com custo 3.4 Premissas Segue(m) abaixo premissa(s) do gerenciamento tempo do projeto: Caso haja qualquer alteração no prazo do projeto, deverá ser requisitada a aprovação ao comitê integrado de mudanças; Após a compreensão integral do escopo, uma nova avaliação do cronograma deverá ser feita devido ao nível de detalhes do escopo fornecido.

39 39 4 Gerenciamento do Custo 4.1 Plano de Gerenciamento do Custo O plano de gerenciamento de custo visa levantar as estimativas de custos e acompanhar os gastos do projeto. Compõe este plano a Definição do Custo, o Controle do Custo e Mudança de Custo Definição do Custo A definição do custo será realizada na estimativa de custo levantada na lista de atividades do projeto. Esta estimativa será consolidada dentro do cronograma do projeto Controle do Custo Após conclusão do planejamento do custo, será gerada uma linha de base de custo. Semanalmente os custos do projeto serão controlados através da análise da curva S, comparando com a linha de base de custo. Qualquer desvio de custo identificado será enviada uma solicitação de mudança ao Comitê de Mudanças Mudança do Custo Qualquer alteração no custo deverá ser solicitada autorização ao comitê integrado de mudanças para o mesmo ao aprovar e efetuar a atualização da linha de base de custo. 4.2 Estimativas

40 40 A estimativa de custo do projeto está representada na lista de atividades criada no gerenciamento do tempo. Vide lista de atividades com estimativa de custo no capítulo anterior. A estimativa deve ser realizada por atividade. 4.3 Curva S O resultado da acumulação das distribuições percentuais, parciais e totais de custo será representa através da curva S. Por conseguinte, a curva S será extraída do cronograma (MS Project) através da funcionalidade de Analisar dados de escala de tempo no Excel. Curva - S (Trabalho / Custo) 3.500,00h R$ , ,00h R$ , ,00h R$ ,00 Trabalho 2.000,00h 1.500,00h R$ ,00 R$ ,00 C usto Total Trabalho acumulado Total Custo acumulado 1.000,00h R$ ,00 500,00h R$ ,00 0,00h 27/1/ /2/ /2/2008 9/3/ /3/2008 6/4/ /4/2008 4/5/ /5/2008 Semanas 1/6/ /6/ /6/ /7/ /7/ /8/ /8/2008 R$ 0,00 Ilustração 9: Curva S 4.4 Premissas Segue(m) abaixo premissa(s) do custo do projeto: Caso haja qualquer alteração no custo do projeto deverá ser solicitada aprovação ao comitê integrado de mudanças.

41 41 Após a compreensão integral do escopo, uma nova avaliação do custo deverá ser feita devido ao nível de detalhes do escopo fornecido.

42 42 5 Gerenciamento da Qualidade 5.1 Plano de Gerenciamento da Qualidade Política de qualidade corporativa Ilustração 10: Política de qualidade corporativa Interessada em produzir qualidade a TCC MHP certificou pela ISO 9001 em Janeiro de Para ser líder é preciso chegar sempre à frente, por isso a TCC-MHP é reconhecida no mercado de TI e ocupa uma posição de destaque entre os líderes do segmento. O crescimento é conseqüência da visão de futuro e um objetivo que faz parte constante de nossos planejamentos. Hoje a empresa segue as normas da ISO 9001, versão Compromissos da empresa: o Constância de propósitos; o Compromisso com a qualidade; o Envolvimento e foco no cliente; o Orientado a processos; o Melhoria contínua; o Sistema centrado em gerenciamento; o Investimento em conhecimento; o Trabalho em equipe;

43 43 o Manutenção das pessoas o Envolvimento total; o Compromisso de longevidade. Política de qualidade da fábrica de software Ilustração 11: Política de qualidade da fábrica de software Interessada em seguir um modelo de referência que contém práticas (Genéricas ou Específicas) necessárias à maturidade em disciplinas específicas a TCC-MHP se certificou em CMMI nível 5 em Janeiro de 2008 e segue por sua vez 22 processos bem definidos: o Análise Causal e Resolução; o Gerência de Configuração; o Análise de Decisão e Resolução; o Gerenciamento Integrado de Projeto; o Medição e Análise; o Inovação Organizacional e Deployment; o Definição de Processo Organizacional; o Foco de Processo Organizacional; o Desempenho de Processo Organizacional; o Treinamento Organizacional; o Monitoração e Controle de Projeto; o Planejamento de Projeto; o Garantia da Qualidade de Processo e Produto; o Integração de Produto; o Gerenciamento Quantitativo de Projeto;

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Airton Eustaquio Braga Junior aebjr@terra.com.br MBA Gestão de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pos-Graduação IPOG Goiania, GO, 02 de Setembro

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

PLANEJAMENTO DO ESCOPO

PLANEJAMENTO DO ESCOPO PLANEJAMENTO DO ESCOPO Dr. rer. nat. Christiane Gresse von Wangenheim, PMP Objetivo de aprendizagem desta aula Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Motivar a importância do planejamento de escopo.

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM PROJETO MUDANÇA DE GERADORES DA SALA DE MÁQUINAS DA CENTRAL LEOPOLDINA

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM PROJETO MUDANÇA DE GERADORES DA SALA DE MÁQUINAS DA CENTRAL LEOPOLDINA 1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM PROJETO MUDANÇA DE GERADORES DA SALA DE MÁQUINAS DA CENTRAL LEOPOLDINA Por: Elton Borges Cavalcante Orientador Prof.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

17/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2.

17/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.2 2 ESCOPO 3 1 Gerência do Escopo Processos necessários

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES SUMÁRIO 1. PREENCHIMENTO DA PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS...3 1.1 Menu...3 1.2 Termo de Abertura...4 1.3 Plano do Projeto...5 1.4

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

PMBOK/PMI Project Management Body of Knowledge. Gerenciamento de Projetos

PMBOK/PMI Project Management Body of Knowledge. Gerenciamento de Projetos PMBOK/PMI Project Management Body of Knowledge Gerenciamento de Projetos Organização de Projetos GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIOS GERENCIAMENTO DE PROGRAMA GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE SUBPROJETOS

Leia mais

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE 1 PMI- Project Management Institute Fundado nos Estudos Unidos em 1969; Instituto sem fins lucrativos, dedicado ao

Leia mais

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO GERÊNCIA DO ESCOPO GERÊNCIA DO TEMPO GERÊNCIA DE CUSTO GERÊNCIA DA QUALIDADE Desenvolvimento do Plano

Leia mais

PLANEJAMENTO E PROJETOS. Lílian Simão Oliveira

PLANEJAMENTO E PROJETOS. Lílian Simão Oliveira PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS Lílian Simão Oliveira Contexto Gerentes lutam com projetos assustadores e com prazos finais difíceis de serem cumpridos Sistemas não satisfazem aos usuários Gastos

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES COMMUNICATIONS MANAGEMENT PLAN Preparado por Tarcísio Viana Tavares Membro do time Versão 2 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do

Leia mais

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO 1 - Descrição do Plano de Gerenciamento detempo (PMBOK) O gerenciamento de tempo do projeto inclui os processos necessários para realizar o término do projeto no prazo.

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS BRUNO ROBERTO DA SILVA CESAR HENRIQUE MACIEL RIBEIRO GUSTAVO HENRIQUE PINHEIRO RICARDO SALLUM DE SOUZA VITOR

Leia mais

Gerenciamento de Projetos (PMI) e sua aplicação em projetos de transporte público.

Gerenciamento de Projetos (PMI) e sua aplicação em projetos de transporte público. Gerenciamento de Projetos (PMI) e sua aplicação em projetos de transporte público. Sérgio Ricardo Fortes 1 ; Ana Cristina Dalborgo 2 1 EMTU Rua Joaquim Casemiro, 290, Bairro Planalto São Bernardo do Campo-SP

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr Projetos na área de TI Prof. Hélio Engholm Jr Projetos de Software Ciclo de Vida do Projeto Concepção Iniciação Encerramento Planejamento Execução e Controle Revisão Ciclo de Vida do Produto Processos

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Prática essencial para gerar negócios sustentáveis

Gerenciamento de Projetos. Prática essencial para gerar negócios sustentáveis MBA em Gestão de Projetos Gerenciamento de Projetos Prática essencial para gerar negócios sustentáveis Prof: Ângelo Braga, PMP, MBA angelo.braga@fgv.br eu@angelobraga.com.br 2/154 Contatos Prof. Ângelo

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

Simulações em Aplicativos

Simulações em Aplicativos Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 4 Programação da Disciplina 20/Agosto: Conceito de Project Office. 27/Agosto: Tipos de Project Office.

Leia mais

W Projeto. Gerenciamento. Construindo a WBS e gerando o Cronograma. Autor: Antonio Augusto Camargos, PMP 1/12

W Projeto. Gerenciamento. Construindo a WBS e gerando o Cronograma. Autor: Antonio Augusto Camargos, PMP 1/12 W Projeto BS Construindo a WBS e gerando o Cronograma. Gerenciamento Autor: Antonio Augusto Camargos, PMP 1/12 Índice Remissivo Resumo...3 1. Introdução...3 2. Conceituando a WBS (Work Breakdown Structure/Estrutura

Leia mais

Gestão de Projetos Logísticos

Gestão de Projetos Logísticos Gestão de Projetos Logísticos Professor: Fábio Estevam Machado CONTEÚDO DA AULA ANTERIOR Teoria Gestão de Projetos Projetos Atualidades Tipos de Projetos Conceitos e Instituições Certificação Importância

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Laboratório de Tecnologia de Software LTS www.ufpa.br/lts Rede Paraense de Pesquisa em Tecnologias de Informação

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO

TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO Estratégia & Desempenho Empresarial Gerência de Análise e Acompanhamento de Projetos de Investimento Março 2010 SUMÁRIO 1. Introdução...

Leia mais

Gestão de Portfólio de Projetos

Gestão de Portfólio de Projetos Dez/2010 Gestão de de Projetos Prof. Américo Pinto FGV, IBMEC-RJ, PUC-RJ, COPPEAD Email: contato@americopinto.com.br Twitter: @americopinto Linkedin: Americo Pinto Website: www.americopinto.com.br Por

Leia mais

PROJETOS IV. Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009)

PROJETOS IV. Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009) PROJETOS IV Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009) Assinaturas de Aprovação Responsabilidade Organizacional Assinatura Data Gerente de Projeto 07/10/2009 Líder de

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia 1 Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Metodologias ágeis Princípios do Manifesto ágil 12 itens do manifesto

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO

PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO Identificação do Projeto Projeto Nome do projeto. Unidade Demandante Unidade que solicitou o projeto. Gestor do Projeto Nome do Gestor do projeto. Responsável na Unidade Demandante Nome do Responsável

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE

GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE O PMI e a Certificação PMP Visão Geral sobre o Modelo PMI APRESENTAÇÃO DO PMI O PMI - Project Management Institute é uma instituição sem fins lucrativos,

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL POLÍTICA ORGANIZACIONAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE NA DR TECH Data 01/03/2010 Responsável Doc ID Danielle Noronha PoliticaOrg_DR_V003 \\Naja\D\Gerenciamento\Política Localização Organizacional Versão

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gerenciamento de Projetos Coordenação Acadêmica: Dr. André Valle

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gerenciamento de Projetos Coordenação Acadêmica: Dr. André Valle CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gerenciamento de Projetos Coordenação Acadêmica: Dr. André Valle APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em 1944,

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Projetos

Manual de Gerenciamento de Projetos TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS (EPE) Manual de Gerenciamento de Projetos SISTEMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Anexo da Portaria

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos

Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos Departamento de Planejamento Pró-reitoria de Planejamento e Finanças Universidade Federal de Santa Catarina 1 Sumário O que é um projeto?... 4 O que é

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu. Gerenciamento de Projetos Web Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/frufrek Possui Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados pela

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

MANUAL GESTÃO DE PROJETOS. COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA TRT6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Junho/2015

MANUAL GESTÃO DE PROJETOS. COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA TRT6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Junho/2015 MANUAL DE GESTÃO DE PROJETOS COORDENADORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA TRT6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Junho/2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 O QUE É PROJETO?... 2 3 O QUE É GESTÃO DE PROJETOS?... 3 4 ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO...

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

FAUSTO SILVA MASTRELLA

FAUSTO SILVA MASTRELLA União Educacional Minas Gerais FAUSTO SILVA MASTRELLA NOVAS PERSPECTIVAS UBERLÂNDIA MINAS GERAIS BRASIL 2009 2 FAUSTO SILVA MASTRELLA NOVAS PERSPECTIVAS Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento

Leia mais

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) PMI O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? O PMBoK Guide 3º Edition (2004) é uma denominação que representa todo o somatório de conhecimento dentro da área de gerenciamento de projetos, além de fornecer uma

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano Unidade I GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Objetivo Estimular o aluno no aprofundamento do conhecimento das técnicas de gestão profissional de projetos do PMI. Desenvolver em aula

Leia mais

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como:

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como: Plano de Teste (resumo do documento) I Introdução Identificador do Plano de Teste Esse campo deve especificar um identificador único para reconhecimento do Plano de Teste. Pode ser inclusive um código

Leia mais

Conteúdo. Apresentação do PMBOK. Projeto 29/07/2015. Padrões de Gerenciamento de Projetos. Fase 01 1.PMBOK e PMI. 2. Conceitos 3.

Conteúdo. Apresentação do PMBOK. Projeto 29/07/2015. Padrões de Gerenciamento de Projetos. Fase 01 1.PMBOK e PMI. 2. Conceitos 3. 02m Conteúdo Apresentação do PMBOK Brasília, 25 de Junho de 2015 Fase 01 1.PMBOK e PMI 2. Conceitos 3.Processos Fase 02 4. Áreas de Conhecimento 10m Gerenciamento de Projetos Projeto A manifestação da

Leia mais

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr

Projetos na área de TI. Prof. Hélio Engholm Jr Projetos na área de TI Prof. Hélio Engholm Jr Projetos de Software Ciclo de Vida do Projeto Concepção Iniciação Encerramento Planejamento Execução e Controle Revisão Ciclo de Vida do Produto Processos

Leia mais

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Objetivo dessa aula é mostrar a importância em utilizar uma metodologia de implantação de sistemas baseada nas melhores práticas de mercado

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Criando EAP. Planejando a qualidade. Criando a Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª REGIÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - SETI Versão 1.0 MANAUS-AM (2010) MDS Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

MGP Manual de Gerenciamento de Projetos

MGP Manual de Gerenciamento de Projetos MGP Manual de Gerenciamento de Projetos v. 1.2 Diretorias: DT / DE / DA DTPE Superintendência Planejamento de Empreendimentos 1 Sumário 1. Introdução 2. Ciclo de Vida dos Projetos 3. 4. Ciclo de Vida do

Leia mais

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1 DESAFIO Um dos maiores avanços percebidos pela área de qualidade de software foi comprovar que a qualidade de um produto final (software) é uma consequência do processo pelo qual esse software foi desenvolvido.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP.

II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP. II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP. Nesta fase busca-se o refinamento dos objetivos do projeto e detalhamento do melhor caminho

Leia mais

8/3/2009. Empreendimento temporário que tem por finalidade criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

8/3/2009. Empreendimento temporário que tem por finalidade criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. FAE S.J. dos Pinhais Projeto e Desenvolvimento de Software Conceitos Básicos Prof. Anderson D. Moura O que é um projeto? Conjunto de atividades que: 1. Objetivo específico que pode ser concluído 2. Tem

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração

Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS IS-CGMI-02/2005 Aprovada pela Portaria nº 1494 de 22/11/2005 Histórico de Versões Data Versão Descrição Autor

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente.

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente. Copyright 2015 PMtotal.com.br - Todos os direitos reservados PMI, Guia PMBOK, PMP, CAPM são marcas registradas do Project Management Institute, Inc Simulado de 20 questões para as provas CAPM e PMP do

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com 23/04/2013. 1 Semestre de 2013

Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com 23/04/2013. 1 Semestre de 2013 Alessandro Almeida www.alessandroalmeida.com 23/04/2013 1 Semestre de 2013 Fonte: https://www.facebook.com/cons ELHOSDOHEMAN Defina os seguintes termos: a) Risco Definição do PMBoK, 4ª edição: Um evento

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combining the ISO 10006 and PMBOK to ensure successful projects 1 Por Michael Stanleigh Tradução e adaptação para fins didáticos

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.

PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 Processos Processos, em um projeto, é um conjunto de ações e atividades

Leia mais

Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Unidade 2 Processos PROCESSOS

Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Unidade 2 Processos PROCESSOS Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 2 Processos O gerenciamento de projetos é a aplicação de

Leia mais

PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO

PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO PAULO SÉRGIO LORENA Julho/2011 1 Planejamento escopo, tempo e custo PROGRAMA DA DISCIPLINA Apresentação professor Programa da disciplina Avaliação Introdução Processos

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS - FMU PROJETO INTEGRADO II

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS - FMU PROJETO INTEGRADO II FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS - FMU PROJETO INTEGRADO II Termo de Abertura do Projeto Danilo Silva Francilaine Florencio Renan Rodrigues Ricardo Issao Kitahara Aluno da FMU - Centro das Faculdades Metropolitanas

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A Aplicação do Gerenciamento de Risco nos Projetos de Implantação de ERP - Protheus. Por: Gisele Santos Ribeiro Orientador

Leia mais

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G por Adriana Silveira de Souza Agenda Visão Geral do MPS.BR Processos e Capacidade de Processo Níveis de Maturidade Atributos de Processo Processo

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares O Project Management Institute é uma entidade sem fins lucrativos voltada ao Gerenciamento de Projetos.

Leia mais

4 Metodologia de Gerenciamento Integrado de Riscos

4 Metodologia de Gerenciamento Integrado de Riscos 4 Metodologia de Gerenciamento Integrado de Riscos Neste capitulo iremos apresentar a metodologia escolhida para a elaboração do estudo de caso que incorpora a análise quantitativa dos riscos financeiros.

Leia mais

Proposta e Objetivos do Treinamento de Profissionalização na Ferramenta MSproject

Proposta e Objetivos do Treinamento de Profissionalização na Ferramenta MSproject Proposta e Objetivos do Treinamento de Profissionalização na Ferramenta MSproject Índice CAPÍTULO 1 INICIAÇÃO DE PROJETOS... 4 CAPÍTULO 2 PLANEJAMENTO DE PROJETOS... 5 CAPÍTULO 3 CONTROLE DE PROJETOS...

Leia mais

GERENCIANDO PROJETOS UTILIZANDO AS PRÁTICAS DO GUIA PMBOK

GERENCIANDO PROJETOS UTILIZANDO AS PRÁTICAS DO GUIA PMBOK GERENCIANDO PROJETOS UTILIZANDO AS PRÁTICAS DO GUIA PMBOK Ana Cristina Zanetti*, Ednei Ernesto Consiglio*, Oscar Sante Ruggiero*, Paulo Sergio Tio*, Wagner Faquim*, João Carlos Boyadjian** * Aluno do curso

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Comunicações

Plano de Gerenciamento das Comunicações Projeto: Simul-e Plano de Gerenciamento das Comunicações Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 01/11/2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline Página 2 de 9 Índice

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

I - Uma vez fechada a declaração de escopo, não é possível alterá-la. II - Uma parte interessada tem o poder de vetar a implantação do projeto.

I - Uma vez fechada a declaração de escopo, não é possível alterá-la. II - Uma parte interessada tem o poder de vetar a implantação do projeto. Bateria PMBoK Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ 1. (CESGRANRIO/Petrobras 2008) A Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

Gerenciamento da Integração com metodologia PMBOK 30 h/a

Gerenciamento da Integração com metodologia PMBOK 30 h/a da Integração com 30 h/a Facundo Barbosa, MBA, PMP, ITIL, CSP 85 9444.9544 e 85 4005.5644 facunndo@mdb.com.br Slide 1 Metodologia Explanação Discussões em grupo Exercícios práticos Apresentação e estudo

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

GPWeb Gestão de projetos

GPWeb Gestão de projetos Manual Básico do Usuário GPWeb Gestão de projetos Brasília DF, Maio de 2015 1 Sumário O que é um projeto?... 5 O que é o GPWeb?... 6 Como criar um projeto no GPWeb:... 6 As partes envolvidas: Integração/

Leia mais