Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história"

Transcrição

1 Resultados do 4 o Trimestre de 2006 Cotações (28/12/06) ROMI3 - R$ 158,00 ROMI4 - R$ 146,50 Valor de Mercado R$ 999,0 milhões Quantidade de Ações Ordinárias: Preferenciais.: Total: Free Float 32,2% Santa Bárbara d Oeste, SP, 8 de fevereiro de 2007 Indústrias Romi S.A. (Bovespa: ROMI3, ROMI4), líder nacional nos mercados de Máquinas-Ferramenta, Injetoras de Plástico e Fundidos e Usinados, anuncia seus resultados do quarto trimestre e do exercício encerrado em 31 de dezembro de As informações operacionais e financeiras da Empresa, exceto quando indicadas de outra forma, são consolidadas e os valores monetários estão expressos em Reais. Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história Destaques Volume de vendas de Máquinas-Ferramenta cresce 10% em 2006, resultado de investimentos das empresas privadas no aumento da capacidade de produção e na melhoria de produtividade. Volume de vendas de Máquinas Injetoras de Plástico evolui 46% no ano, em função do lançamento de novos produtos no mercado. Receita líquida cresce 7,5% em relação a 2005, alcançando o valor recorde de R$ 549 milhões. Contatos: Sergio Roberto Novo Diretor de Relações com Investidores Tel.: 55 (19) Luiz Cassiano R. Rosolen Relações com Investidores Tel.: 55 (19) Website: FIRB - FINANCIAL INVESTOR RELATIONS BRASIL Nelson Andrade Consultor de RI EBITDA evolui 17% no exercício, alcançando R$ 108 milhões, em função do maior volume de vendas, melhoria da margem bruta e estabilidade das despesas operacionais. ROMI - Consolidado Valores em R$ mil 4T05 4T06 Var.% 12M05 12M06 Var.% Volume de vendas Trimestral Acumulado Máquinas-Ferramenta (unidades) , ,1 Injetoras de Plástico (unidades) , ,4 Fundidos e Usinados (toneladas) , ,3 Receita operacional líquida , ,5 Lucro bruto , ,3 margem bruta (%) 42% 46% 41% 43% Lucro operacional (EBIT) , ,0 margem operacional (%) 18% 22% 17% 18% Lucro líquido , ,6 margem líquida (%) 17% 18% 15% 15% EBITDA , ,7 margem EBITDA (%) 18% 22% 18% 20% Ativos totais , ,9 Patrimônio líquido (6,4) (6,4) Investimentos , ,0 1 EBITDA = lucro operacional antes dos juros, impostos, depreciação e amortização Máquinas-Ferramenta Injetoras de Plástico Fundidos e Usinados 1

2 Perfil corporativo A Romi é empresa líder entre os fabricantes nacionais de Máquinas-Ferramenta e Máquinas Injetoras de Plástico. Detém, também, participação importante no mercado de Fundidos e Usinados. Os principais segmentos consumidores dos produtos da empresa são os setores automobilístico e de autopeças, bens de consumo e bens de capital em geral. A empresa conta com nove unidades fabris, sendo duas de usinagem, três de montagem final de máquinas industriais, uma para Fundidos, uma para ferramentas de alta precisão, uma para fabricação de chaparia e uma divisão para montagem de painéis eletrônicos. A capacidade instalada de produção de máquinas industriais é de toneladas/ano e a de Fundidos é de toneladas/ano. Esta última ainda está em fase de ocupação gradual, após os investimentos de ampliação de capacidade recentemente realizados. A Unidade de Negócios de Máquinas-Ferramenta responde por 67% da receita da empresa e compreende as linhas de Tornos Convencionais, Tornos a CNC (controle numérico computadorizado), Centros de Usinagem e Ferramentas de Alta Precisão Romicron. As Unidades de Negócios de Fundidos e Usinados e de Máquinas Injetoras de Plástico respondem, respectivamente, por 17% e 16% da receita da Companhia. Conjuntura Desempenho Operacional O desempenho da economia brasileira, em 2006, foi marcado por vários fatores positivos, como a redução da taxa básica de juros, a forte expansão da massa de salários, a expansão do crédito, a estabilidade da inflação e a manutenção de um saldo elevado na balança comercial. Este ambiente favorável não foi suficiente para confirmar a expectativa inicial de muitos agentes econômicos, de um crescimento do PIB da ordem de 4% em 2006, após um fraco crescimento de 2,3% em No último trimestre de 2006, analistas apontavam para um crescimento menor que o esperado, com a variação do PIB ficando ao redor de 2,8%, um resultado considerado insuficiente para as necessidades do país. Parte desse baixo crescimento é explicado pela taxa de câmbio apreciada, que afetou negativamente a competitividade da economia brasileira, desacelerando o crescimento das exportações e aumentando a demanda por bens importados. O desempenho da Romi é fortemente relacionado com a expansão econômica e a taxa cambial. O crescimento econômico é favorável aos negócios da Companhia, uma vez que seus produtos classificam-se como investimentos de capital. Pelo lado da taxa cambial, a moeda apreciada afeta diversamente os negócios, podendo prejudicar a competitividade das exportações, mas facilita o ingresso de produtos importados. Por outro lado, permite a redução de custos nas importações de componentes. A Romi, atenta a este quadro, adotou uma estratégia de negócios para se adaptar a este ambiente. Investiu na modernização de suas unidades, lançou novos produtos, ampliou seus mercados de atuação e implementou medidas para aumentar sua eficiência operacional e reduzir seus custos. Prova disso foi a obtenção de receita e lucro recordes em seus 76 anos de existência. Receita operacional A receita operacional líquida consolidada foi de R$155,7 milhões no 4T06, com crescimento de 5,6% em relação ao exercício anterior. No acumulado do ano, a receita evoluiu 7,5%, alcançando R$ 548,9 milhões. O desempenho das vendas no exercício, também, um recorde histórico, foi fruto da estratégia comercial adotada pela Romi, ampliando a sua gama de produtos, em especial nas Injetoras de Plástico, com o lançamento da nova linha Prática, de menor valor unitário. Ao mesmo tempo, na área de fundidos e usinados a estratégia foi atuar em produtos de maior valor agregado, cujo mercado se apresentou mais demandante. 2

3 2005 Desempenho das Unidades de Negócios Receita líquida (R$ milhões) ,5% 549 Receita operacional líquida por Unidade de Negócios 68% 15% 17% A receita líquida no mercado interno atingiu R$ 138 milhões no trimestre e R$ 484 milhões no acumulado de 2006, contra R$ 132 milhões e R$ 435, milhões, respectivamente, registrados no ano anterior. O mercado interno continuou representando a maior parte dos negócios da Companhia, já que o atual nível da taxa de câmbio não tem estimulado o crescimento das exportações. Os principais compradores de nossos produtos no mercado interno em 2006 foram os segmentos de prestação de serviços, automotivo e indústria de máquinas e equipamentos, no caso de Máquinas-Ferramenta. Os principais clientes compradores de máquinas Injetoras de Plástico, em 2006, foram dos segmentos de embalagens, automotivo, prestação de serviços e utilidades domésticas. Os principais clientes de Fundidos e Usinados concentram-se na indústria automotiva pesada (caminhões e tratores), indústria automotiva leve (autopeças) e bens de capital. As exportações em 2006 alcançaram US$ 28,1 milhões, com redução de 8,5% em relação aos US$ 30,7 milhões exportados em Em termos de participação na receita operacional líquida, as exportações representaram, em Reais, 11% da receita operacional líquida, comparadas com 15% alcançados em A unidade de negócios de Máquinas-Ferramenta foi responsável por 61,9% das exportações, sendo que o restante foi obtido com vendas da unidade de negócios de Fundidos e Usinados. Não houve exportações pela unidade de negócios de Injetoras de Plástico. O principal mercado consumidor das exportações continua sendo os Estados Unidos com 50,5% das vendas para o mercado externo, seguido da Europa com 24,9% e a América do Sul com 17,5%, com destaque para a Argentina com 9,4%. Nota: As informações e comentários a seguir, relacionadas às Unidades de Negócios da Companhia, referem-se à Controladora. Rec. Op. Líquida (R$ mil) 4T05 4T06 Var.% 12M05 12M06 Var.% Máquinas-Ferramenta , ,6 Injetoras de Plástico , ,8 Fundidos e Usinados , ,8 Total , ,2 Máquinas-Ferramenta % 16% 17% A receita operacional líquida da unidade de negócios de Máquinas-Ferramenta no 4T06 alcançou R$ 98,2 milhões, contra R$ 92,0 milhões no 4T05, o que representa uma evolução de 6,7%. No acumulado do exercício, evoluiu 4,6% em relação ano anterior, passando de R$ 343,9 milhões para R$ 359,8 milhões. No trimestre, foram vendidas 545 máquinas, com crescimento de 9,2% em relação ao 4T05. No ano, o crescimento foi de 10,1%, atingindo unidades. Neste período, a Companhia manteve seus preços médios de venda nos mesmos níveis do ano anterior, em decorrência da estabilidade cambial e inflacionária vivida pela economia brasileira nesse período. Máquinas Ferramenta Injetoras de Plástico Fundidos e Usinados Injetoras de Plástico A receita operacional líquida desta unidade de negócios alcançou R$ 27,4 milhões no 4T06, contra R$ 26,0 milhões em 2005, com evolução de 5,2%. No exercício, evoluiu 12,8%, em relação a 2005 (R$ 88,4 milhões e R$ 78,3 milhões, respectivamente). Em termos operacionais, houve expressivo crescimento das máquinas vendidas, com 309 unidades em 2006, comparadas a 211unidades em 2005 (evolução de 46,4%). 3

4 Lucro bruto (R$ milhões) +13,3% A unidade de negócios de Injetoras de Plástico foi a que apresentou um melhor desempenho de faturamento nesses dois últimos anos, em função basicamente de três fatores: a) o lançamento de uma nova linha de máquinas pela Companhia, mais despojada e de menor tamanho, onde praticamente não atuava, denominada Linha Prática, para concorrer em setores de menor poder aquisitivo e que atuam em mercados de menor necessidade de conteúdo tecnológico: b) a entrada agressiva da concorrência chinesa com produtos de baixo preço, mesmo dificultando nossos esforços de venda, não conseguiu impedir a Companhia de ganhar fatia de mercado dos produtores nacionais, que não têm as vantagens competitivas da Companhia, como assistência técnica em nível nacional e oferta de financiamento do BNDES; c) uma política agressiva de preços, na Linha Prática, no final de 2005 e início de 2006, para aumentar a participação no market share. Fundidos e Usinados Lucro operacional (R$ milhões) +17,0% 100 A receita líquida do segmento de Fundidos e Usinados evoluiu 14,2% no trimestre e 6,8% no acumulado do ano, enquanto que o volume vendido evoluiu 26,7% e 8,3% nos mesmos períodos. Esta unidade apresentou um bom crescimento em 2006, com a ênfase na venda de fundidos com maior valor agregado peças fundidas com a agregação de serviços de usinagem, até a ocupação de toda a capacidade fabril. O crescimento foi possível em função da capacidade instalada, já que os investimentos feitos nesta unidade de negócios desde 2005, para ampliação da capacidade produtiva em mais 65%, só começaram a ser ocupados ao final de Custos e Despesas Operacionais 85 Margem Bruta 4T05 4T06 12M05 12M06 Máquinas-Ferramenta 46,3% 47,6% 43,4% 46,8% Injetoras de Plástico 33,4% 40,0% 37,1% 34,0% Fundidos e Usinados 36,6% 40,5% 31,4% 34,3% Geral 42,3% 45,0% 40,4% 42,6% Máquinas-Ferramenta A margem bruta desta unidade de negócios alcançou 47,6% no 4T06, com incremento de 1,3 pontos percentuais, em relação ao 4T05, quando foi de 46,3%. No acumulado de 2006, a margem bruta desta unidade foi de 46,8%, contra 43,4% em A evolução da rentabilidade deveu-se ao aumento do volume vendido, que permitiu um melhor aproveitamento dos custos fixos e também da redução do custo dos materiais importados, os quais representam, aproximadamente, 30% do custo industrial desta unidade. Injetoras de Plástico Houve significativa evolução da margem bruta desta unidade de negócios no 4T06, alcançando 40,0% contra 33,4% no período anterior. No acumulado do exercício a margem foi de 34,0%, comparada com 37,1% do exercício anterior. A recuperação ocorrida no trimestre foi resultado da recuperação dos preços de venda, em conjunto com o reforço das políticas de redução de custos e despesas. 4

5 EBITDA (R$ milhões) e margem Ebitda (%) 20% Fundidos e Usinados A margem bruta cresceu 3,9 pontos percentuais no 4T06, em relação ao 4T05 (de 36,6% para 40,5%). No acumulado do ano, a margem bruta evoluiu de 31,4% para 34,3%. 18% +16,7% Este crescimento de margem foi decorrente de melhores preços de venda e de rigoroso controle de custos, haja vista que o volume físico de vendas evoluiu apenas 3,5% no 4T06, comparado ao 3T Margem Operacional 4T05 4T06 12M05 12M06 Máquinas-Ferramenta 22,0% 21,2% 17,2% 19,8% Injetoras de Plástico 11,5% 16,4% 11,1% 7,3% Fundidos e Usinados 23,7% 27,0% 18,6% 20,9% Geral 20,3% 21,4% 16,5% 17,9% A margem operacional média da empresa apresentou uma evolução de 1,4 pontos percentuais, decorrente basicamente do crescimento da sua margem bruta geral, já que as despesas operacionais permaneceram praticamente constantes, em termos relativos, no período analisado. Lucro líquido (R$ milhões) 76 8,6% 83 EBITDA e margem Ebitda A geração de caixa operacional, medida pelo EBITDA, alcançou R$ 34,4 milhões no trimestre, com expressivo crescimento de 26,0%, em comparação com igual período do ano anterior, quando atingiu R$ 27,3 milhões. A margem EBITDA, nos períodos mencionados, foi de 22% e 18%, respectivamente. O efeito combinado do crescimento da receita operacional, da melhoria da margem bruta e o controle de custos e despesas permitiu este expressivo crescimento. No acumulado do de 2006, o EBITDA alcançou R$ 108,2 milhões, comparados a R$ 92,7 milhões em 2005, com margem EBITDA de 20% e 18%, respectivamente. Resultado financeiro O resultado financeiro líquido foi positivo em R$ 2,9 milhões no 4T06, contra R$ 4,8 milhões no mesmo período do ano anterior. No acumulado do exercício, o resultado foi positivo em R$10,1 milhões, contra R$11,9 milhões em A menor contribuição dos resultados financeiros em 2006 é decorrente da taxa de juros, que ofereceu menor rendimento das aplicações financeiras, quando comparadas com Lucro líquido A combinação de maior volume de vendas, e melhoria da eficiência operacional, que se traduziu no incremento de margens, propiciou à Romi o maior lucro de sua história em No trimestre, o lucro líquido foi de R$ 27,8 milhões, contra R$ 25,5 milhões no 4T05. No acumulado, o resultado líquido foi de R$ 82,9 milhões, contra R$ 76,3 milhões em

6 Investimentos em Imobilizado (R$ milhões) 29 Investimentos em P&D (R$ milhões) 19 75,9% +12.2% Investimentos Os investimentos de capital da Companhia estão concentrados na transferência das operações, atualmente desenvolvidas na Matriz da Companhia, para a área localizada no km 141,5 da Rodovia SP-304 e a expansão de 30% da capacidade produtiva de montagem de máquinas-ferramenta. O principal objetivo do plano de centralização das operações num único local é a otimização geral das operações da produção e comercialização das unidades de negócios de Máquinas-Ferramenta e Máquinas Injetoras de Plástico, com novos layouts e logísticas, incluindo a centralização da área administrativa e corporativa da Companhia. Os investimentos em imobilizado no ano de 2006 foram de R$ 51,6 milhões, superior em 75% ao valor investido em 2005 e representam o maior volume de investimentos dos últimos anos da Companhia. A unidade de negócios de Máquinas-Ferramenta foi a que recebeu os maiores investimentos, sendo R$ 23,1 milhões na expansão da capacidade de montagem final, com a construção de uma área adicional de m 2, que fica disponibilizada para operar já no primeiro trimestre de Os demais investimentos nessa unidade de negócios têm como objetivo a modernização e atualização dos equipamentos e processos de produção. A unidade de negócios de Fundidos e Usinados recebeu também investimentos significativos, basicamente para atualização do parque fabril e incremento da capacidade de usinagem de fundidos. Dentro dos investimentos corporativos destaca-se a aplicação de R$ 8,1 milhões de reais para a aquisição de m 2 de áreas de terrenos adjacente ao local onde se concentrará o futuro de todas as operações da Companhia. Os investimentos em tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, em 2006, foram de R$21,1 milhões, um incremento de 12,2% sobre os gastos do exercício anterior, evidenciando a preocupação constante da Companhia com inovação e desenvolvimento de novos produtos. Perspectivas As perspectivas da Companhia, para 2007, têm como referência a continuidade do crescimento da economia mundial, a expectativa de crescimento do PIB nacional ao redor de 4%, a inflação sob controle, continuidade da redução das taxas de juros, e não estão considerando movimentos significativos de desvalorização do real. A Companhia tem condições de atender a demanda esperada dentro dessas premissas, uma vez que tem capacidade operacional suficiente para tanto em todas as suas unidades de negócio. Carteira de pedidos (valores brutos, com impostos) R$ mil 4T05 4T06 Var.(%) Máquinas-Ferramenta ,1% Injetoras de Plástico ,6% Fundidos e Usinados ,0% Total ,4% A redução da carteira de pedidos de Máquinas-Ferramenta e Injetoras de Plástico deve-se ao fato de que, em novembro de 2005, a Companhia havia recém lançado a estratégia comercial que tornou mais atrativo o financiamento de vendas denominado Finame a Fabricante, o que ocasionou um fluxo de pedidos acima do normal. Os níveis do 4T06 podem ser considerados normais, ou seja, representam aproximadamente 8 semanas de vendas médias. O expressivo crescimento da carteira de Fundidos e Usinados reflete a ocupação gradual da capacidade instalada, decorrente dos investimentos já realizados. 6

7 m m Mercado de Capitais Mercado de Capitais Ao final do período, a cotação das ações ON e PN era de R$ 158,00 e R$ 146,50 respectivamente, representando um valor de mercado de R$ 999 milhões. Em 2006, as ações ordinárias e preferenciais valorizaram-se 138,3% e 112,5%, respectivamente, comparada com uma evolução de 32,9% no Índice Bovespa. Nos últimos três anos, as ações PN apresentaram valorização de 351%, contra 100% no Índice Bovespa, o que reflete os sólidos fundamentos da Companhia. Romi PN x Ibovespa 30/12/03 = ROMI4 +351% Ibovespa + 100% dez-03 mar-04 jun-04 set-04 dez-04 abr-05 jun-05 set-05 dez-05 mar-06 jun-06 set-06 dez-06 Relações com Investidores Em 31/01/07, a Administração da Romi convocou Assembléia Geral Extraordinária, a ser realizada no dia 15/02/07, para deliberar sobre as seguintes propostas, com o objetivo de criação de bases para a sustentação, crescimento e perpetuidade dos negócios e atividades da Companhia: a) desdobramento das ações, sem valor nominal, quando cada 1 (uma) ação atual passará a ser representada por 10 (dez) ações pós-desdobramento, da respectiva espécie; b) adesão ao Novo Mercado da Bovespa e conversão de Ações PN em ON, à razão de 10 (dez) ações preferenciais para 9 (nove) ações ordinárias; c) reforma estatutária, com o objetivo de adequar os Estatutos Sociais da Companhia ao Regulamento de Listagem do Novo Mercado da Bovespa. Conforme comentado nos releases anteriores, a Romi, desde o terceiro trimestre de 2005, tem ampliando o leque de informações disponiblizadas ao mercado, bem como aprimorado as suas práticas no relacionamento com os investidores. Fazem parte deste processo a divulgação de releases trimestrais de resultados, o novo site de relações com investidores e a realização de reunião pública com analistas. Declarações contidas neste comunicado relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais e financeiros, e referências ao potencial de crescimento da Companhia, constituem meras previsões e foram baseadas nas expectativas da Administração, em relação ao seu desempenho futuro. Estas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, estão sujeitas a mudanças. 7

8 Demonstrações Financeiras 8

9 ATIVO 31/12/05 31/12/06 CIRCULANTE Disponibilidades Aplicações financeiras Duplicatas a Receber Valores a receber - repasse Finame fabricante Estoques Impostos a recuperar Outros valores a realizar NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Balanço Patrimonial Consolidado Legislação Societária (R$ mil) Duplicatas a receber 39 Valores a receber - repasse Finame fabricante Impostos e contribuições a recuperar Imposto de renda e contribuição social diferidos Outros valores a realizar Investimentos Investimentos em controladas e ágio 9 Imobilizado TOTAL DO ATIVO

10 Balanço Patrimonial Consolidado Legislação Societária (R$ mil) PASSIVO 31/12/05 31/12/06 CIRCULANTE Financiamentos Financiamentos - Finame fabricante Fornecedores Salários e encargos sociais Impostos e contribuições a recolher Adiantamento de clientes Dividendos, juros sobre o capital próprio e participações Outras contas a pagar NÃO CIRCULANTE Exigível a longo prazo Financiamentos Financiamentos - Finame fabricante Imposto de renda e contribuição social sobre reserva de reavaliação Provisão para passivos eventuais RESULTADO DE EXERCÍCIO FUTURO Deságio em controladas PARTICIPAÇÃO MINORITÁRIA PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social Reservas de capital Reservas de reavaliação Reservas de lucros TOTAL DO PASSIVO E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

11 Demonstração do Resultado Consolidado Legislação Societária R$ mil 4T05 4T06 Var.% 12M05 12M06 Var.% Receita Operacional Bruta , ,1 Impostos e contribuições (29.457) (31.699) 7,6 ( ) ( ) 5,3 Receita Operacional Líquida , ,5 Custo dos produtos e serviços vendidos (85.445) (84.312) -1,3 ( ) ( ) 3,5 Lucro Bruto , ,3 Margem bruta % 42,1% 45,8% 40,9% 43,1% Despesas Operacionais (35.054) (36.607) 4,4 ( ) ( ) 10,8 Despesas com vendas (12.637) (15.202) 20,3 (50.896) (58.076) 14,1 Despesas gerais e administrativas (13.661) (14.560) 6,6 (48.214) (52.453) 8,8 Despesas com pesquisa e desenvolvimento (5.264) (5.460) 3,7 (18.818) (21.105) 12,2 Despesas tributárias (3.492) (1.385) -60,3 (5.378) (4.997) -7,1 Lucro Operacional antes do Resultado Financeiro , ,0 Margem Operacional % 18,3% 22,3% 16,7% 18,2% Resutado Financeiro , ,9 Despesas financeiras (688) - (3.217) (2.572) -20,0 Receitas financeiras , ,0 Variações cambiais líquidas (152) (253) 66,4 689 (569) - Resultado Operacional , ,1 Resultado Não Operacional 629 (140) ,2 Lucro antes do Imposto de Renda e Contribuições , ,9 Imposto de Renda/Contribuição Social (4.089) (6.523) 59,5 (19.269) (23.924) 24,2 Participação dos administradores (2.792) (3.100) 11,0 (2.792) (3.100) 11,0 Participação minoritária (30) (105) 250,0 (73) (275) 276,7 Lucro Líquido , ,6 Margem Líquida % 17,3% 17,9% 15,0% 15,1% EBITDA , ,7 Margem EBITDA % 18,5% 22,1% 18,2% 19,7% No. de ações do capital social (mil) Lucro líquido por ação - R$ 3,89 4,25 11,66 12,67 Valor patrimonial por ação - R$ 55,71 52,15 55,71 52,15 11

12 R$ mil 4T05 4T06 12M05 12M06 Fluxo de Caixa de atividades operacionais: Lucro Líquido Depreciação Provisão para créditos de liquidação duvidosa (160) Perda (ganho) na alienação de imobilizado (631) (107) (612) Encargos financeiros e variação cambial sobre saldos de transações com partes relacionadas, duplicatas a receber, fornecedores e (197) financiamentos Imposto de renda e contribuição social diferidos (1.854) (628) Provisão para passivos eventuais, líquida (592) (65) Participação minoritária Variação nos ativos operacionais Duplicatas a receber (3.693) Valores a receber - repasse Finame fabricante (28.790) (70.994) (31.620) ( ) Estoques (5.131) Impostos e contribuições a recuperar, líquidos (227) (2.903) (2.251) (4.031) Outros valores a realizar (159) Variação nos passivos operacionais Fluxo de Caixa Consolidado Legislação Societária Fornecedores (3.108) (2.125) (6.621) (2.871) Salários e encargos sociais (4.830) (4.080) Impostos e contribuições a recolher (1.325) (2.068) Adiantamentos de clientes (557) (2.091) (1.634) (7.318) Outras contas a pagar (437) (248) 237 (464) Imposto de renda e contribuiçãosocial sobre realizaçãoda reservade reavaliação (262) 96 (805) (524) Caixa oriundo das (gerado nas) atividades operacionais (18.080) (98.840) Fluxo de caixa de operações de investimentos (1.592) (21.812) (28.406) (51.360) Aquisição de imobilizado (2.234) (21.933) (29.455) (51.554) Venda de imobilizado Ágio na aquisição de investimentos 1 (9) Fluxo de caixa de atividades financeiras (23.205) (27.888) Juros sobre o capital próprio distribuídos (13.704) (8.590) (26.781) (24.501) Novos empréstimos e financiamentos Pagamentos de financiamentos (6.071) (1.313) (46.989) (15.482) Novos financiamentos - Finame fabricante Pagamentos de financiamentos - Finame fabricante (32.446) (36.612) ( ) ( ) Fluxo de Caixa Líquido (10.581) Disponibilidades e aplicações financeiras - início do período Disponibilidades e aplicações financeiras - fim do período

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões.

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões. Última Cotação em 30/09/2013 FBMC4 - R$ 43,90 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2013): R$ 31.893,9 milhões US$ 14.431,7 milhões São Bernardo do Campo,

Leia mais

10 de fevereiro de 2015 Release de Resultados do 4T14

10 de fevereiro de 2015 Release de Resultados do 4T14 0000000-1 - 10 de fevereiro de 2015 Release de Resultados do 4T14 31 de dezembro de 2014 Cotação ROMI3 - R$2,87 por ação Valor de mercado R$205,9 milhões US$77,6 milhões Quantidade de ações Ordinárias:

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07 22 de novembro de 2007 Apresentação dos Resultados 4T07 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00751-0 INDS ROMI SA 56.720.428/0001-63 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00751-0 INDS ROMI SA 56.720.428/0001-63 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/27 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Release de Resultados 3T13. 23 de outubro de 2013

Release de Resultados 3T13. 23 de outubro de 2013 Release de Resultados 3T13 23 de outubro de 2013 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%)

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%) o Margem Bruta atinge 42% no 3T07 e distribuição de proventos chega a R$ 40 milhões nos 9M07. 3T07 Cotação (31/10/07) ETER3 R$/ação 8,46 US$/ação 4,83 Base Acionária (31/10/07) Total 72.555.934 Free Float

Leia mais

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 1 1 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

A Mangels Industrial S.A. anuncia EBITDA de R$ 96,2 milhões em 2008

A Mangels Industrial S.A. anuncia EBITDA de R$ 96,2 milhões em 2008 A Mangels Industrial S.A. anuncia EBITDA de R$ 96,2 milhões em 2008 São Paulo, 27 de março de 2009. A Mangels Industrial S.A. (Bovespa: MGEL4), empresa líder em praticamente todos os segmentos de mercado

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Indústrias Romi S.A. Junho de 2013

Indústrias Romi S.A. Junho de 2013 Indústrias Romi S.A. Junho de 2013 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Fevereiro/2014 A taxa de câmbio é um dos principais preços relativos da economia, com influência direta no desempenho macroeconômico do país e na composição de

Leia mais

APIMEC. 23 de outubro de 2008

APIMEC. 23 de outubro de 2008 APIMEC 23 de outubro de 2008 1 Importante As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e informações

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Ebitda consolidado pro-forma com Ripasa atinge US$125 milhões São Paulo, 19 de julho de 2006. Suzano Papel e Celulose

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T15

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T15 Caxias do Sul, 04 de maio de 2015 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2015 (1T15). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

Indústrias Romi S.A. Informações Trimestrais - ITR em 30 de setembro de 2014 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais

Indústrias Romi S.A. Informações Trimestrais - ITR em 30 de setembro de 2014 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais Indústrias Romi S.A. Informações Trimestrais - ITR em 30 de setembro de 2014 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais Relatório sobre a revisão de informações trimestrais Aos Administradores

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

Vendas Recrusul de Implementos Rodoviários (em unidades) 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12

Vendas Recrusul de Implementos Rodoviários (em unidades) 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 Faturamos 53 unidades de implementos rodoviários no 1T12 Vendas Recrusul de Implementos Rodoviários (em unidades) 116 33 40 55 53 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 O mercado de implementos rodoviários mostrou-se

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014

NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014 NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014 Março 2015 1 NOTA CEMEC 03/2015 SUMÁRIO Os dados de Contas Nacionais atualizados até o terceiro trimestre de 2014 revelam a continuidade da

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 4T 2013 e de 2013 MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 2013 Receita Líquida de Vendas de R$ 2.393,8 milhões em 2013,

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

metanor s.a. METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2010 Metanol do Nordeste

metanor s.a. METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2010 Metanol do Nordeste METANOR S.A. Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2010 Senhores Acionistas, Em conformidade com as disposições legais e estatutárias, a administração da METANOR S.A. submete à apreciação

Leia mais

Apresentação dos Resultados 3T06

Apresentação dos Resultados 3T06 Apresentação dos Resultados 3T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14 Caxias do Sul, 12 de maio de 2014 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2014 (1T14). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 0 1. Visão Geral Setor de Ensino Superior no Brasil Visão Geral Estratégia Empresarial Destaques Financeiros

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1

ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1 ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1 Índice Análise Vertical e Análise Horizontal...3 1. Introdução...3 2. Objetivos e técnicas de análise...4 3. Análise vertical...7 3.1 Cálculos da análise vertical do balanço

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 1. Mercado de Capitais Cotações: (14/05/2010) ALPA3 R$ 6,10 ALPA4 R$ 5,95 Valore de Mercado: R$ 2,1 bilhões 2. Teleconferência Data: 18/05/2010 às 16h00

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1 Exercícios de Fixação (Questões de concurso) 1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1.1.1 Concurso para AFRF 2000 prova de contabilidade avançada - Questão 15 ENUNCIADO 15- Aplicações em Investimentos

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

Relatório da Administração - IFRS

Relatório da Administração - IFRS Relatório da Administração - IFRS 1 - Conjuntura O desempenho geral da economia brasileira, no primeiro trimestre de 2008, como vem acontecendo desde 2007, mostrou-se favorável, com crescimento real nos

Leia mais

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 DASA divulga receita bruta de R$ 640,4 milhões e geração de caixa operacional de R$ 43,3 milhões no 1T13 Romeu Cortes Domingues Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T10

Apresentação de Resultados 3T10 Apresentação de Resultados 3T10 09 de Novembro de 2010 Agenda 1. Desempenho do Período 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa 5. Estratégia

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - KLABIN S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - KLABIN S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Relações com Investidores Agenda 1. Destaques 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa

Leia mais

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária Alcance 1. Uma entidade que prepara e apresenta Demonstrações Contábeis sob o regime de competência deve aplicar esta Norma

Leia mais

DESTAQUES DO CONSOLIDADO

DESTAQUES DO CONSOLIDADO 1 T 13 Passo Fundo, 30 de abril de 2013 A Grazziotin (BM&FBOVESPA: CGRA3 e CGRA4), empresa de comércio varejista do segmento de vestuário e utilidades domésticas, localizada na região sul do país, divulga

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%)

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%) 103 Contexto Operacional A seguir seguem os comentários sobre o desempenho da S.A. referentes ao exercício de 2014. Com intuito de proporcionar a visibilidade anual dos resultados, tais comentários são

Leia mais

Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito.

Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. Valor ao par O valor de face uma ação ou título. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. Valor da cota de um fundo de investimento É calculado

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 Eusébio CE, 09 de novembro de 2006 A M. Dias Branco S.A. (Bovespa: MDIA3), empresa líder nos mercados de biscoitos e de massas no Brasil, anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

1T08. PRINCIPAIS INDICADORES CONSOLIDADOS R$ mil. Dados em 29/04/2008

1T08. PRINCIPAIS INDICADORES CONSOLIDADOS R$ mil. Dados em 29/04/2008 1T08 Dados em 29/04/2008 Sadia ON (SDIA3)= R$10,30/ação Sadia PN (SDIA4)= R$11,58/ação Sadia ADR (SDA) = US$ 20,63 (1 ADR = 3 ações) Sadia Latibex (XSDI) = 4,58 Valor de Mercado - Bovespa R$ 7,9 bilhões

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - WEG SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - WEG SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Marketing Prof. Sidney Leone Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Hoje Você Aprenderá: Demonstrativos financeiros da empresa (Balanço Patrimonial, DRE, DMPL etc...) Análise econômicofinanceira.(fluxo

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2010 2009 CIRCULANTE Caixa e bancos 422.947 20.723 Contas a receber 4 698.224 903.098 Outras contas a receber 5 3.304.465 121.908 Estoques 14.070

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011 RESULTADOS 3T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 4 de novembro de 2011 ELETRO GPA ALIMENTAR AGENDA RESULTADOS Supermercados Proximidade Atacarejo Postos e Drogarias Hipermercado Lojas Especializadas

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T09

Teleconferência de Resultados 4T09 Teleconferência de Resultados 4T09 Índice Comentários de Mercado Pág. 3 Qualidade da Carteira de Crédito Pág. 10 Liquidez Pág. 4 Índice de Eficiência Pág. 14 Funding e Carteira de Crédito Pág. 5 Rentabilidade

Leia mais

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 07 de maio de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET)

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 07 de maio de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET) Release de Resultados do 1T15 São Paulo, 06 de maio de 2015 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA DA EMPRESA BOMBRIL S.A.

ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA DA EMPRESA BOMBRIL S.A. Universidade Federal do Pará Centro: Sócio Econômico Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Análise de Demonstrativos Contábeis II Professor: Héber Lavor Moreira Aluno: Roberto Lima Matrícula:05010001601

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais