AVALIAÇÃO DE LINHAGENS AVANÇADAS DE AMENDOIM PARA CARACTERES RELACIONADOS À PRODUÇÃO E TEOR DE ÓLEO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DE LINHAGENS AVANÇADAS DE AMENDOIM PARA CARACTERES RELACIONADOS À PRODUÇÃO E TEOR DE ÓLEO"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DE LINHAGENS AVANÇADAS DE AMENDOIM PARA CARACTERES RELACIONADOS À PRODUÇÃO E TEOR DE ÓLEO Eder Jorge de Oliveira Ignácio José de Godoy Cássia Regina Limonta Carvalho Andréa Rocha Almeida de Moraes RESUMO O amendoim é atualmente mais utilizado no Brasil como produto para confeitaria, onde a extração de óleo é considerada um subproduto desta atividade e, em conseqüência, com baixo rendimento econômico. Entretanto, a disponibilidade de cultivares de amendoim que associem alto potencial produtivo e teores mais elevados de óleo pode tornar a cultura mais competitiva neste segmento de mercado. O objetivo deste trabalho foi o de estudar preliminarmente o potencial de um grupo de linhagens com essas características. Avaliaramse, em dois experimentos, a produtividade em casca, rendimento de grãos após descascamento, peso de 100 grãos e teor de óleo. Os resultados mostraram linhagens com teores de óleo e produtividade acima de 51% e 5400kg/ha, respectivamente, que podem proporcionar a obtenção de até 2240,2 kg de óleo por hectare, ou seja, com potencial para projetos agrícolas envolvendo produção de amendoim também para extração de óleo. Palavras-chave: amendoim, óleo, melhoramento, produtividade 1 INTRODUÇÃO A industrialização do amendoim para a produção de óleo é um elo importante na cadeia produtiva que complementa a utilização deste produto em confeitaria. Entretanto os baixos rendimentos econômicos alcançados pela cultura, ao destinar apenas o excedente da produção para extração de óleo, impõem uma limitação para exploração dessa oleaginosa neste segmento de mercado. A utilização de cultivares com elevado potencial produtivo, maior 1 Eng. Agrônomos, M.S., Pesquisadores do Instituto Agronômico, IAC-SP, C.P , Campinas SP. e 1 Eng. Agrônomo, M.S., PhD. Pesquisador do IAC-SP, 1 Química, M.S., Pesquisadora do IAC-SP, 70

2 rendimento no descascamento e teor de óleo, podem propiciar um aumento significativo no rendimento industrial, tornando o preço final do óleo mais competitivo (Godoy et al., 1999a). As linhagens do tipo Virginia, com grãos do tipo comercial runner, de hábito de crescimento rasteiro são as mais exploradas no melhoramento para obtenção de cultivares de alta capacidade produtiva em culturas mais tecnificadas (Godoy et al. 1999b). O programa de melhoramento genético do IAC vem trabalhando na busca de novos cultivares do tipo comercial runner que associem características favoráveis quanto à resistência a doenças, produtividade e qualidade de grãos para exportação. O cultivar IAC Caiapó foi o primeiro cultivar desenvolvido com estas características. Possui grãos com peso médio entre g/100 grãos, média a alta produtividade e resistência parcial e múltipla a doenças foliares, propiciando redução no custo de produção, pela redução do controle químico dessas doenças (Godoy et al., 1999b). O cultivar Runner IAC 886 é considerado de alto potencial produtivo, porém o seu custo de produção tende a ser mais elevado, devido à sua suscetibilidade a doenças, o que requer um rígido esquema de controle químico. Com o crescimento do interesse nacional por fontes de matéria-prima para óleo vegetal, a existência de cultivares de amendoim que associem tanto os caracteres procurados para o mercado de confeitaria como os que levem à maior produtividade em óleo, passa a ser um dos objetivos do melhoramento genético. Assim, este trabalho visa a avaliação preliminar de dezesseis linhagens avançadas do programa IAC, juntamente com os cultivares comerciais IAC Caiapó e IAC Runner 886, para caracteres relacionados à produção e teor de óleo. 2 MATERIAL E MÉTODOS Visando a associação de caracteres favoráveis dos dois cultivares rasteiros descritos, (produtividade, resistência a doenças e melhor granulometria para exportação), efetuaram-se cruzamentos da linhagem L65/3-1 componente do cultivar IAC Caiapó com o cultivar Runner IAC 886, e com um outro acesso do tipo runner, coletado de produtor de amendoim no interior de São Paulo, obtendo-se as sementes F 1 desses cruzamentos e de seus recíprocos. A condução das populações segregantes F 2 e F 3 foi feita no Centro Experimental do Instituto Agronômico em Campinas SP, utilizando-se o método genealógico. Seleções individuais para tipo de vagem e de grãos foram realizadas nas populações F 2. Seleções entre e dentro das famílias F 3 foram efetuadas, visando padrão de vagem e grãos e resistência à doenças (mancha preta e ferrugem). As progênies em F 4 foram plantadas em Pindorama, sem controle de doenças, efetuando-se seleção das melhores para resistência à ferrugem. 71

3 Destacaram-se dezesseis linhagens F 5, que foram avaliadas em ensaios comparativos preliminares em Pindorama e Ribeirão Preto, ambas em São Paulo, em 2002/2003. Os ensaios compreenderam 18 tratamentos (16 linhagens mais os controles IAC Caiapó e Runner IAC 886), utilizando delineamento em blocos ao acaso com 4 repetições. Cada parcela consistiu de uma linha de 5m com 40 a 50 plantas/linha. As características avaliadas foram produtividade do amendoim em casca, rendimento de grãos após o descascamento, peso de 100 grãos e teor de óleo. As análises de óleo foram feitas por ressonância magnética nuclear (RMN). Foram feitas análises de variância individual para cada ambiente (local) e, após verificação da uniformidade dos quadrados médios entre os dois locais, efetuou-se a análise conjunta para as 4 variáveis consideradas, utilizando o programa Genes (Cruz, 2001). 3 RESULTADOS E DISCUSSÃO O resumo das análises de variância individuais de cada caráter é apresentado na Tabela 1. Para o caráter produtividade, houve diferença significativa entre as linhagens a 5% de probabilidade pelo teste F em Pindorama e a 1% em Ribeirão Preto. Para rendimento de grãos, após descascamento, houve diferença significativa a 5% apenas em Pindorama. Já para peso de 100 grãos e teor de óleo, houve diferença significativa a 1% nas duas localidades analisadas. TABELA 1. Resumo das análises de variância individuais das 18 linhagens avaliadas na safra de 2002/2003, em dois ambientes e para quatro caracteres. Caráter Ambiente CV (%) 1 QM 2 (Blocos) QM (linhagens) QM (Resíduo) F Produtividade Ribeirão Preto 9, , , ,44 9,08** Pindorama 13, , , ,59 2,02* Rendimento Ribeirão Preto 3,97 0,80 8,81 8,188 1,08 Pindorama 4,50 8,98 24,80 11,34 2,18* Peso de 100 Ribeirão Preto 4,81 57,22 103,21 9,17 11,25** grãos Pindorama 4,43 65,41 122,13 7,95 15,35** Teor de óleo Ribeirão Preto 4,51 14,36 12,61 4,85 2,59** Pindorama 2,95 9,71 8,72 2,33 3,74** 1 Coeficiente de variação; 2 Quadrados médios; * e ** significativos a 5 e 1%, respectivamente pelo teste F Com base nestes resultados, é possível fazer seleção neste grupo de linhagens principalmente para os caracteres produtividade, peso de 100 grãos e teor de óleo. Os dados das análises de variância conjunta para os dois ambientes, mostraram que o efeito da interação A x L foi significativo a 1% de probabilidade apenas para o caráter 72

4 produtividade. O que indica que determinadas linhagens comportam-se diferencialmente nos dois ambientes analisados. Este fato pode ser explicado pela distribuição diferencial de chuvas, bem como de doenças que afetam sobremaneira a expressão do potencial produtivo do amendoim (Godoy et al., 1999b). Na Tabela 2, é mostrado o teste de Duncan a 5% de probabilidade para as médias dos ambientes e repetições para as quatro características avaliadas. Para o caráter produtividade, a diferença entre a linhagem mais produtiva (1-13) e a menos produtiva (1-46), foi de 1480,46 kg. Já para o caráter rendimento de grãos as linhagens 1-27 e a 1-28 apresentaram um diferencial de 6,22%, que é bastante expressivo para culturas de larga escala. TABELA 2. Teste de Duncan, para os valores médios de produtividade em casca, rendimento após descascamento, peso de 100 grãos e teor de óleo de 18 linhagens de amendoim Caracteres avaliados Linhagens Produtividade Rendimento % Peso de 100 Teor de óleo (kg/ha) (peso grãos/peso total) grãos (gramas) (%) ,11 a 73,39 abc 62,00 cd 51,91abc IAC Caiapó 6217,39 ab 72,18 abcd 57,58 e 52,00 abc ,19 abc 74,29 abc 60,56 de 50,39 bcde ,25 abc 73,46 abc 70,50 a 49,88 cde ,99 abcd 73,49 abc 61,14 cd 48,85 e ,24 abcd 75,08 ab 63,50 bcd 49,66 de ,96 abcd 74,01 abc 61,68 cd 51,14 abcd ,58 abcd 75,61 a 70,66 a 51,14 abcd ,41 abcd 73,21 abc 61,48 cd 50,01 bcde ,6 abcd 75,13 a 61,94 cd 50,45 bcde ,69 abcd 72,51 abcd 62,83 cd 50,81 abcde ,81 abcd 73,54 abc 60,90 d 52,14ab ,73 bcde 74,91 ab 71,51 a 49,58 de ,00 cde 74,24 abc 70,36 a 52,75 a ,7 de 70,28 cd 51,18 f 49,11de IAC Runner ,34 de 75,39 a 66,09 b 48,83 e ,58 de 69,39 d 60,55 de 46,85 f ,65 e 71,1 bcd 64,25 bc 49,01 de 1 Médias seguidas das mesmas letras não diferem estatisticamente a 5% de probabilidade pelo teste de Duncan Para o caráter peso de 100 grãos as melhores linhagens foram (1-44, 1-27, 1-41 e 1-47) com valores superiores ao Runner IAC 886, o melhor controle, indicando o seu potencial diferenciado para os padrões de grãos tipo exportação. Sobressaíram-se em teor de óleo as linhagens (1-47, 1-18, IAC Caiapó, 1-13, 1-27, 1-23 e 1-49). A linhagem que apresentou maior teor de óleo foi a 1-47 (52,75%), superando com pequena margem o IAC Caiapó (52,00%), tido como uma cultivar com alto teor, já disponível no mercado. 73

5 Embora preliminares, os resultados indicam que é possível a seleção de linhagens com boa produtividade e com alto teor de óleo. Com base nestes dados, podemos selecionar as linhagens 1-47, 1-18, IAC Caiapó, 1-13, 1-27 e 1-23, com teores de óleo e produtividade acima de 51% e 5400kg/ha, respectivamente. Trabalhando com a média das linhagens para as duas características, observa-se uma produtividade de 5852 kg/ha, rendimento médio de grãos de 73,83% e teor médio de óleo de 51,85%. Estes números indicam um potencial para obtenção de 2240,2 kg de óleo por hectare. Não obstante à necessidade de avaliação do custo de produção deste óleo, novas perspectivas podem surgir para a cultura do amendoim como fonte de óleo, seja para alimentação humana ou para outros usos como o biocombustível. Estas linhagens continuarão a ser avaliadas para estas características em um maior número de locais e/ou anos para confirmar o seu potencial. Como elas foram também selecionadas para moderada resistência múltipla à doenças foliares, espera-se que apresentem, como vantagem adicional, a possibilidade de serem cultivadas com redução no custo do controle químico das doenças, como ocorre com o cultivar IAC Caiapó. 4 CONCLUSÕES É possível desenvolver programas de melhoramento visando a obtenção de linhagens de amendoim com elevado potencial produtivo e adequação para o mercado de grãos in natura, e que sejam, ao mesmo tempo, eficientes em produção de óleo, o que pode contribuir para a expansão do seu uso para este segmento agroindustrial, com perspectiva de redução nos custos de produção da matéria-prima para óleo. 5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CRUZ, C, D. GENES - versão Windows. Editora UFV. Viçosa, MG. 642p GODOY, I.J.; MORAES, S.A.; ZANOTTO, M.D.; SANTOS, R.C. Melhoramento do amendoim. In: BORÉM, A. (ed.) Melhoramento de espécies cultivadas. Viçosa, Universidade Federal de Viçosa, 51-94, 1999a. GODOY, I.J.; MORAES, S.A.; SIQUEIRA, W.J.; PEREIRA, J.C.V.N.A.; MARTINS, A;L.M.; PAULO, E.M. Produtividade, estabilidade e adaptabilidade de cultivares de amendoim em três níveis de controle de doenças foliares. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 34: , 1999b. 74

III WORKSHOP AGROENERGIA MATÉRIAS PRIMAS ASSOCIAÇÃO DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA RIBEIRÃO PRETO

III WORKSHOP AGROENERGIA MATÉRIAS PRIMAS ASSOCIAÇÃO DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA RIBEIRÃO PRETO III WORKSHOP AGROENERGIA MATÉRIAS PRIMAS ASSOCIAÇÃO DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA RIBEIRÃO PRETO - 21/10/2009 POTENCIAL DE VARIEDADES DE AMENDOIM PARA BIODIESEL Ignácio J. de Godoy Instituto Agronômico

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO Página 1481 CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. Murilo Barros Pedrosa (Fundação Bahia / algodao@fundacaoba.com.br), Camilo de Lelis Morello (Embrapa

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1751

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1751 Página 1751 PRODUTIVIDADE DE AMENDOIM RASTEIRO EM CINCO ESTADOS DO NORDESTE Roseane Cavalcanti dos Santos 1, Péricles de Albuquerque Melo Filho 2, Alineaurea Florentino Silva 3, Tarcisio M. S. Gondim 1,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA Rafael Santos Finholdt (1), Roberto Kazuhiko Zito (2), Maria Eugenia Lisei de Sá (3) (1) Bolsista PIBIC FAPEMIG/EPAMIG, rafaelfinholdt@yahoo.com.br;

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1573

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1573 Página 1573 AVALIAÇÃO DE LINHAGENS DE MAMONEIRA NO MUNICÍPIO DE NOSSA SENHORA DAS DORES/SE Francisco Elias Ribeiro 1 ; Samuel Silva da Mata 1 ; Milena Mascarenhas de Jesus Ribeiro 2 ; Máira Milani 3 1Pesquisador

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

LINHAGENS FINAIS DE ALGODÃO DE FIBRAS MÉDIAS E LONGAS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA

LINHAGENS FINAIS DE ALGODÃO DE FIBRAS MÉDIAS E LONGAS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA Página 1417 LINHAGENS FINAIS DE ALGODÃO DE FIBRAS MÉDIAS E LONGAS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 200910. 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Nelson Dias Suassuna 2, Camilo de Lelis Morello 2 ; Eleusio Curvelo Freire

Leia mais

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Página 1650 COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Marcelo Abdon Lira 1 ; Máira Milani 2 ; Hélio Wilson Lemos de Carvalho 3 ; João

Leia mais

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul Machado, J.R. de A. 1 ; Guimarães, L.J.M. 2 ; Guimarães, P.E.O. 2 ; Emygdio, B.M. 3 Introdução As variedades sintéticas

Leia mais

TBIO SELETO - Rusticidade, precocidade e bom potencial de rendimento

TBIO SELETO - Rusticidade, precocidade e bom potencial de rendimento TBIO SELETO - Rusticidade, precocidade e bom potencial de rendimento Igor Tonin 1, André Cunha Rosa 2, Ottoni Rosa Filho 3 Ana Silvia de Camargo 4 1 Eng. Agrônomo, Biotrigo Genética Ltda (BIOTRIGO), Rua

Leia mais

DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1

DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1 DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1 TOEBE, Marcos 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; SILVEIRA, Tatiani Reis da 2 ; CASAROTTO, Gabriele 4 ; SCHWANTES, Ismael Albino

Leia mais

Ensaio Intermediário de Cevada

Ensaio Intermediário de Cevada Ensaio Intermediário de Cevada - 1998 Antoniazzi, N. 1; Arias, G.N. 2 ; Minella, E. 2 Objetivos Avaliar as linhagens promovidas a partir dos Ensaios CEV de Cevada, visando selecionar em diferentes locais,

Leia mais

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE Marcos Antônio Drumond 1, José Barbosa dos Anjos 1, Máira Milani 2, Luiz Balbino Morgado 1, e José Monteiro

Leia mais

Palavras-chave: Oryza sativa, melhoramento de arroz, número ótimo de ambientes.

Palavras-chave: Oryza sativa, melhoramento de arroz, número ótimo de ambientes. NÚMERO ÓTIMO DE ANOS AGRÍCOLAS PARA AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DE ARROZ IRRIGADO NO ESTADO DE MINAS GERAIS Antônio Carlos da Silva Júnior 1 ; Plínio César Soares 2 ; Iara Gonçalves dos Santos 3 ; Francyse

Leia mais

Progresso genético em 22 anos de melhoramento do feijoeiro-comum do grupo carioca no Brasil.

Progresso genético em 22 anos de melhoramento do feijoeiro-comum do grupo carioca no Brasil. Progresso genético em 22 anos de melhoramento do feijoeiro-comum do grupo carioca no Brasil. Luís Cláudio de Faria 1, Patrícia Guimarães Santos Melo 2, Leonardo Cunha Melo 1, 1, 1, Antônio Joaquim Braga

Leia mais

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG.

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG. AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI FERNANDA DE CÁSSIA SILVA 1, NEI PEIXOTO 2, MARIA MARTA ANTÔNIA DA SILVA 3, DIANA CRISTINA DA SILVA 3. 1 Bolsista PBIC/UEG,

Leia mais

ENSAIO BRASILEIRO DE CULTIVARES RECOMENDADAS DE AVEIA BRANCA EM ITABERÁ, SP, ARAPOTI, PR, TIBAGI, PR E CASTRO, PR, EM 2012.

ENSAIO BRASILEIRO DE CULTIVARES RECOMENDADAS DE AVEIA BRANCA EM ITABERÁ, SP, ARAPOTI, PR, TIBAGI, PR E CASTRO, PR, EM 2012. ENSAIO BRASILEIRO DE CULTIVARES RECOMENDADAS DE AVEIA BRANCA EM ITABERÁ, SP, ARAPOTI, PR, TIBAGI, PR E CASTRO, PR, EM 2012. Rudimar Molin 1. Élide D. Costa 1. Rodrigo Zimmer 1. A aveia (Avena sativa L.)

Leia mais

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL Auri Fernando de Moraes 1, Alexandre Pereira Bonfá 1, Walter Quadros Ribeiro Júnior 2, Maria Lucrécia Gerosa Ramos 3, Júlio César Albrecht 2, Renato

Leia mais

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89)

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) 3562-2274 Efeito do uso dos produtos da linha Celleron no tratamento de semente e na parte aérea, para o aumento do

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT Alexandre Ferreira da Silva (1), Miguel Marques Gontijo Neto (2), Flávio Dessaune Tardin (3) Eduardo Lopes Filimberti (4),

Leia mais

Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja

Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja 40ª Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul - Atas e Resumos 401 Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja Cley Donizeti Martins Nunes 1 Introdução

Leia mais

VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS

VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS Geraldo Magela da Silva (1), Geraldo Antônio Resende Macêdo (2), Édio Luiz da Costa (3), Heloísa Mattana Saturnino (3), Fúlvio Rodriguez

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

CULTIVARES DE SOJA NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO ENCONTRO REGIONAL SOBRE TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO DE MILHO E SOJA 61 CULTIVARES DE SOJA NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO LOPES, L.G. 1 CLEMENTE FILHO, A. 1 UNÊDA-TREVISOLI, S.H. 2 RECO, P.C. 3 BARBARO,

Leia mais

Métodos de condução de populações segregantes para teor de fibra em feijoeiro-comum

Métodos de condução de populações segregantes para teor de fibra em feijoeiro-comum Métodos de condução de populações segregantes para teor de fibra em feijoeiro-comum Vilmar de Araújo PONTES JÚNIOR 1 ; Patrícia Guimarães Santos MELO 2 ; Leonardo Cunha MELO 3 ; Helton Santos PEREIRA 3

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1326

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1326 Página 1326 CARACTERIZACAO DA ARQUITETURA DE PLANTA EM GENOTIPOS DE ALGODOEIROS PORTADORES DO CARÁTER CLUSTER E NORMAL EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS Joyce Dorneles Moura 1 ; Julio Cesar Viglioni Penna 2 ;

Leia mais

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL Adeliano Cargnin 1, João Augusto Müller 1, Fernando Daminelli Araújo Mello 1, Cláudia Martellet Fogaça 1 ( 1 Embrapa

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA

AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA Fernanda Pereira de Souza 1 Eder de Souza Martins 2 Luise Lottici Krahl 3 Eduardo Alano Vieira 4 Josefino de Freitas

Leia mais

Palavras-Chave: Adubação mineral. Adubação orgânica. Cama de Peru. Glycine max.

Palavras-Chave: Adubação mineral. Adubação orgânica. Cama de Peru. Glycine max. RENDIMENTO DE SOJA (GLICINE MAX) SUBMETIDO A SUBISTITUIÇÃO DO ADUBO QUIMICO POR CAMA DE PERU Leonardo Citelli Dias 1, Rejane Aparecida de Carvalho Pohlmann 1 Egresso do Curso de Agronomia UNIFIMES, Rua

Leia mais

Performance de Híbridos e Análise Dialélica de Linhagens de Sorgo Granífero

Performance de Híbridos e Análise Dialélica de Linhagens de Sorgo Granífero XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Performance de Híbridos e Análise Dialélica de Linhagens de Sorgo Granífero Isabelle Cristine Souza Vieira 1, Karla

Leia mais

Avaliação Preliminar de Híbridos Triplos de Milho Visando Consumo Verde.

Avaliação Preliminar de Híbridos Triplos de Milho Visando Consumo Verde. Avaliação Preliminar de Híbridos Triplos de Milho Visando Consumo Verde. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC Monteiro, M. A. R1., Pereira Filho,

Leia mais

Melhoramento de autógamas por hibridação. João Carlos Bespalhok Filho

Melhoramento de autógamas por hibridação. João Carlos Bespalhok Filho Melhoramento de autógamas por hibridação João Carlos Bespalhok Filho O que necessitamos para fazer melhoramento? Variabilidade genética Populações com diferentes genótipos Como criar variabilidade genética?

Leia mais

Seleção de cultivares Bourbon visando à produção de cafés especiais

Seleção de cultivares Bourbon visando à produção de cafés especiais Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Seleção de cultivares Bourbon visando à produção de cafés especiais Antonio Alfredo de Figueiredo Rodrigues (1), Gladyston Rodrigues

Leia mais

Resultados de Pesquisa do Programa de Melhoramento de Soja: Ensaios de Avaliação Final

Resultados de Pesquisa do Programa de Melhoramento de Soja: Ensaios de Avaliação Final Resultados de Pesquisa do Programa de Melhoramento de Soja: Ensaios de Avaliação Final Resumo Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Insituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa

Leia mais

Policultivos de coentro x beterraba x rúcula: Avaliação uni e multivariada da eficiência agronômica/biológica

Policultivos de coentro x beterraba x rúcula: Avaliação uni e multivariada da eficiência agronômica/biológica Policultivos de coentro x beterraba x rúcula: Avaliação uni e multivariada da eficiência agronômica/biológica Francisco Cicupira Andrade Filho 1 Francisco Bezerra Neto 2 Jailma Suerda Silva de Lima 2 Joserlan

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho de Híbridos de Milho Pipoca na Safra de Verão no Estado de São Paulo Eduardo Sawazaki 1, Maria Elisa Ayres

Leia mais

Melhoramento de espécies autógamas

Melhoramento de espécies autógamas Universidade Federal de Rondônia Curso de Eng. Florestal Melhoramento genético Florestal Melhoramento de espécies autógamas Emanuel Maia www.lahorta.acagea.net emanuel@unir.br Apresentação Introdução Efeitos

Leia mais

AVALIAÇÃO DE HÍBRIDOS DE MAMONA NOS CERRADOS DO OESTE DA BAHIA. Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S/A EBDA,

AVALIAÇÃO DE HÍBRIDOS DE MAMONA NOS CERRADOS DO OESTE DA BAHIA. Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S/A EBDA, AVALIAÇÃO DE HÍBRIDOS DE MAMONA NOS CERRADOS DO OESTE DA BAHIA Ariosvaldo Novais Santiago 1, Luiz Alberto Passos Larangeiras 1, Jacques Magalhães Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S/A EBDA, arisan@sendnet.com.br

Leia mais

Leonardo Henrique Duarte de Paula 1 ; Rodrigo de Paula Crisóstomo 1 ; Fábio Pereira Dias 2

Leonardo Henrique Duarte de Paula 1 ; Rodrigo de Paula Crisóstomo 1 ; Fábio Pereira Dias 2 Avaliação de diferentes cultivares de milho (Zea mays) para a produção de minimilho na região Bambuí MG Leonardo Henrique Duarte de Paula 1 ; Rodrigo de Paula Crisóstomo 1 ; Fábio Pereira Dias 2 1 Estudante

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Diferentes Épocas de Corte e Densidade de Plantas no Desempenho Agronômico de Duas Cultivares de Sorgo

Leia mais

Feksa, H. 1, Antoniazzi, N. 1, Domit, R. P. 2, Duhatschek, B. 3. Guarapuava PR. Palavras-chave: aviação agrícola, fungicida, rendimento, FAPA OBJETIVO

Feksa, H. 1, Antoniazzi, N. 1, Domit, R. P. 2, Duhatschek, B. 3. Guarapuava PR. Palavras-chave: aviação agrícola, fungicida, rendimento, FAPA OBJETIVO Aviação Agrícola com Tecnologia BVO versus Fungicida visando o Controle de Diplodia macrospora e Cercospora zeae-maydis, nos Híbridos DKB 214/DKB 215 na Região de Guarapuava/PR. FAPA - Cooperativa Agrária

Leia mais

Avaliação do desenvolvimento inicial de milho crioulo cultivados na região do Cariri Cearense através de teste de germinação

Avaliação do desenvolvimento inicial de milho crioulo cultivados na região do Cariri Cearense através de teste de germinação Juazeiro do Norte-CE, 17 a 19 de Dezembro de Avaliação do desenvolvimento inicial de milho crioulo cultivados na região do Cariri Cearense através de teste de germinação Rubens Rangel Rolim 1 Silvério

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho Agronômico de Híbridos de Milho na Região Norte e Noroeste Fluminense Pedro Henrique Araújo Diniz Santos

Leia mais

CORRELAÇÕES LINEARES ENTRE CARACTERES E DIFERENCIAÇÃO DE HÍBRIDOS SIMPLES, TRIPLO E DUPLO DE MILHO 1

CORRELAÇÕES LINEARES ENTRE CARACTERES E DIFERENCIAÇÃO DE HÍBRIDOS SIMPLES, TRIPLO E DUPLO DE MILHO 1 CORRELAÇÕES LINEARES ENTRE CARACTERES E DIFERENCIAÇÃO DE HÍBRIDOS SIMPLES, TRIPLO E DUPLO DE MILHO 1 ANTONELLO, Bruno Ioppi 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; CASAROTTO, Gabriele 2 ; BURIN, Cláudia 4 ;

Leia mais

Método Genealógico ( Pedigree )

Método Genealógico ( Pedigree ) Método Genealógico ( Pedigree ) Usado durante as etapas de autofecundação de populações para o desenvolvimento de linhas homozigotas, mantendo-se o registro de genitores e progênies. Histórico: pedigree

Leia mais

CONTEÚDO DO MICRONUTRIENTE MOLIBDÊNIO NA SEMENTE DE FEIJÃO E PRODUTIVIDADE DAS PLANTAS-FILHAS

CONTEÚDO DO MICRONUTRIENTE MOLIBDÊNIO NA SEMENTE DE FEIJÃO E PRODUTIVIDADE DAS PLANTAS-FILHAS 74 CONTEÚDO DO MICRONUTRIENTE MOLIBDÊNIO NA SEMENTE DE FEIJÃO E PRODUTIVIDADE DAS PLANTAS-FILHAS Gilmar Silvério da Rocha (1), Rogério Faria Vieira (2), Luiz Tarcísio Salgado (2), Alexandre Cunha de Barcellos

Leia mais

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA Renato Barbosa Camargos 1, Amanda

Leia mais

MÉTODOS GENEALÓGICO (Pedigree) e RETROCRUZAMENTOS

MÉTODOS GENEALÓGICO (Pedigree) e RETROCRUZAMENTOS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE GENÉTICA LGN0313 Melhoramento Genético MÉTODOS GENEALÓGICO (Pedigree) e RETROCRUZAMENTOS Prof. Roberto Fritsche-Neto

Leia mais

Produtividade de Matéria Seca de Capim Brachiaria brizantha cv. Marandu, com residual de 8 Toneladas de Cama Aviária e Diferentes Doses de Nitrogênio.

Produtividade de Matéria Seca de Capim Brachiaria brizantha cv. Marandu, com residual de 8 Toneladas de Cama Aviária e Diferentes Doses de Nitrogênio. Produtividade de Matéria Seca de Capim Brachiaria brizantha cv. Marandu, com residual de 8 Toneladas de Cama Aviária e Diferentes Doses de Nitrogênio.. SODRÉ M. C. R. F ¹, CARBALIAL M. R. ², DIOG M. F.

Leia mais

Qualidade da palha em novas variedades de milho para artesanato 1

Qualidade da palha em novas variedades de milho para artesanato 1 Qualidade da palha em novas variedades de milho para artesanato 1 Dayane de Oliveira França 2, Isis Fonseca de Andrade 3, Marciele Silva Oliveira 4 e Flavia França Teixeira 5 1 Trabalho financiado pela

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO NO CERRADO MATOGROSSENSE *

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO NO CERRADO MATOGROSSENSE * AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO NO CERRADO MATOGROSSENSE * Fábio Akiyoshi Suinaga 1, Eleusio Curvelo Freire 2, Francisco José Correa Farias 3, Luiz Gonzaga Chitarra 4, Mário Cezar Coelho

Leia mais

ESTIMATIVA DA HETEROSE EM ALGODOEIRO HERBÁCEO IRRIGADO NO NORDESTE

ESTIMATIVA DA HETEROSE EM ALGODOEIRO HERBÁCEO IRRIGADO NO NORDESTE ESTIMATIVA DA HETEROSE EM ALGODOEIRO HERBÁCEO IRRIGADO NO NORDESTE Murilo Barros edrosa 1, Eleusio Curvelo Freire 2, Joaquim Nunes da Costa 3. (1) Universidade Federal do Ceará, e-mail: murilobp@bol.com.br;

Leia mais

DELINEAMENTO INTEIRAMENTE CASUALIZADO e CASUALIZADOS

DELINEAMENTO INTEIRAMENTE CASUALIZADO e CASUALIZADOS DELINEAMENTO INTEIRAMENTE CASUALIZADO e DELINEAMENTO EM BLOCOS CASUALIZADOS Prof. Anderson Rodrigo da Silva anderson.silva@ifgoiano.edu.br 1. Objetivos Estudar o procedimento de instalação e análise de

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Sorgo Granífero para Indicação no Estado do Rio Grande do Sul Safra 2012/13

Avaliação de Cultivares de Sorgo Granífero para Indicação no Estado do Rio Grande do Sul Safra 2012/13 ISSN 1516-8832 153 Pelotas, RS Junho, 2014 Autores Beatriz Marti Emygdio Bióloga, Doutora em Fitomelhoramento, pesquisadora da Embrapa Clima Temperado, Pelotas, RS, beatriz.emygdio@embrapa.br Marcos Caraffa

Leia mais

AVALIAÇÃO DE POPULAÇÕES DE SOJA DESTINADAS À ALIMENTAÇÃO HUMANA PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS

AVALIAÇÃO DE POPULAÇÕES DE SOJA DESTINADAS À ALIMENTAÇÃO HUMANA PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS AVALIAÇÃO DE POPULAÇÕES DE SOJA DESTINADAS À ALIMENTAÇÃO HUMANA PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS Paulo Rogério Nascimento Resende (1), Maria Eugênia Lisei de Sá (2), Roberto Kazuhiko Zito (3) (1) Bolsista

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE GRUPOS DE GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA AVALIADOS EM DOURADOS, MS

CARACTERIZAÇÃO DE GRUPOS DE GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA AVALIADOS EM DOURADOS, MS CARACTERIZAÇÃO DE GRUPOS DE GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA AVALIADOS EM DOURADOS, MS Luan Marlon Ribeiro (1), Priscilla Cunha Moreira dos Santos (1), Jorge Junior Theodoro Martins Prata (2), Gessí Ceccon

Leia mais

MANEJO DAS PLANTAS INFESTANTES EM PLANTIOS DE ABACAXI EM PRESIDENTE TANCREDO NEVES, MESORREGIÃO DO SUL BAIANO

MANEJO DAS PLANTAS INFESTANTES EM PLANTIOS DE ABACAXI EM PRESIDENTE TANCREDO NEVES, MESORREGIÃO DO SUL BAIANO MANEJO DAS PLANTAS INFESTANTES EM PLANTIOS DE ABACAXI EM PRESIDENTE TANCREDO NEVES, MESORREGIÃO DO SUL BAIANO Aristoteles Pires de Matos 1 ; Quionei Silva Araújo 2 ; Fábio José Pereira Galvão 3 ; Antônio

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MANGA VISANDO O MERCADO DE CONSUMO IN NATURA LAERTE SCANAVACA JUNIOR 1 ; NELSON FONSECA 2

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MANGA VISANDO O MERCADO DE CONSUMO IN NATURA LAERTE SCANAVACA JUNIOR 1 ; NELSON FONSECA 2 AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MANGA VISANDO O MERCADO DE CONSUMO IN NATURA LAERTE SCANAVACA JUNIOR ; NELSON FONSECA INTRODUÇÃO A seleção de variedades de mangueira para consumo de frutas frescas depende de

Leia mais

Importância e objetivos do melhoramento de plantas

Importância e objetivos do melhoramento de plantas Universidade Federal de Rondônia Curso de Eng. Florestal Melhoramento genético Florestal Importância e objetivos do melhoramento de plantas Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Introdução

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA BONFADA, Élcio B. 1 ; FIORIN, Jackson E. 2 ; SILVA, Alieze N. da 3 ; WYZYKOWSKI, Tiago 4 Palavras-chave: Nutrição de Plantas.

Leia mais

MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO. Resumo

MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO. Resumo MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO Denardin, J.E. 1 ; Kochhann, R.A. 1 Resumo Presume-se que semeadoras para plantio direto apresentam problemas operacionais para semear trigo

Leia mais

METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE FAMÍLIAS RB DA SÉRIE 07 NAS FASES INICIAIS DO MELHORAMENTO DE CANA-DE-AÇÚCAR

METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE FAMÍLIAS RB DA SÉRIE 07 NAS FASES INICIAIS DO MELHORAMENTO DE CANA-DE-AÇÚCAR UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA MELHORAMENTO GENÉTICO DE PLANTAS METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE FAMÍLIAS RB DA SÉRIE 07 NAS FASES INICIAIS DO MELHORAMENTO DE

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE AVEIA BRANCA (Avena sativa) NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO SUL, SAFRAS 1997 E 1998

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE AVEIA BRANCA (Avena sativa) NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO SUL, SAFRAS 1997 E 1998 ISSN 0104-5164 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Emrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura e do Aastecimento BR 163, km 253,6 - Trecho Dourados-Caarapó km 5 Caixa Postal 661 79804-970

Leia mais

Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita manual

Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita manual Precisão experimental, na avaliação da produtividade de colmos, em ensaios de genótipos de cana-de-açúcar com colheita manual Letícia Barão Medeiros 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Fernanda Martins Simões

Leia mais

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde PARCERIIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO Lucas do Rio, Outubro de 2007 PLANO DE PARCERIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO TECNOLOGIAS DE NUTRIÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS LINHA DE PESQUISA: Avaliação de

Leia mais

PRODUÇÃO DE ARROZ COM TIPO DE GRÃO PARA A CULINÁRIA JAPONESA: UMA OPÇÃO PARA RORAIMA

PRODUÇÃO DE ARROZ COM TIPO DE GRÃO PARA A CULINÁRIA JAPONESA: UMA OPÇÃO PARA RORAIMA PRODUÇÃO DE ARROZ COM TIPO DE GRÃO PARA A CULINÁRIA JAPONESA: UMA OPÇÃO PARA RORAIMA Antonio Carlos Centeno Cordeiro Eng.Agr. Dr. Pesquisador da Embrapa Roraima Em Roraima, o cultivo do arroz representa

Leia mais

PRODUÇÃO DE CULTIVARES DE AZEVÉM NO EXTREMO OESTE CATARINENSE. Palavras-chave: Lolium multiflorum L., Produção de leite, Pastagem de inverno.

PRODUÇÃO DE CULTIVARES DE AZEVÉM NO EXTREMO OESTE CATARINENSE. Palavras-chave: Lolium multiflorum L., Produção de leite, Pastagem de inverno. PRODUÇÃO DE CULTIVARES DE AZEVÉM NO EXTREMO OESTE CATARINENSE José Tiago Rambo Hoffmann 1 ; Leandro Werlang 1 ; Rogério Klein 1 ; Marcos Paulo Zambiazi 1 ; Fabiana Raquel Mühl 2 ; Neuri Antônio Feldman

Leia mais

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS 05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DE DOENÇAS NA CULTURA DA SOJA EM DUAS EPOCAS DE SEMEADURA OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência dos principais

Leia mais

Ângela Maria Nogueira 2, Samuel Pereira de Carvalho 3, Gabriel Ferreira Bartholo 4, Antônio Nazareno Guimarães Mendes 3

Ângela Maria Nogueira 2, Samuel Pereira de Carvalho 3, Gabriel Ferreira Bartholo 4, Antônio Nazareno Guimarães Mendes 3 AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE E VIGOR VEGETATIVO DE LINHAGENS DAS CULTIVARES CATUAÍ VERMELHO E CATUAÍ AMARELO (Coffea arabica L.) PLANTADAS INDIVIDUALMENTE E EM DIFERENTES COMBINAÇÕES 1 Vegetative vigor and

Leia mais

Melhoramento de soja para alimentação humana na Embrapa Trigo safra agrícola 2015/2016

Melhoramento de soja para alimentação humana na Embrapa Trigo safra agrícola 2015/2016 Atividades de transferência de tecnologia da embrapa trigo para a cultura da soja na safra 2015/2016 25 Melhoramento de soja para alimentação humana na Embrapa Trigo safra agrícola 2015/2016 Mercedes Concórdia

Leia mais

Desenvolvimento e Produção de Sementes de Feijão Adzuki em Função da Adubação Química

Desenvolvimento e Produção de Sementes de Feijão Adzuki em Função da Adubação Química Desenvolvimento e Produção de Sementes de Feijão Adzuki em Função da Adubação Química Flívia Fernandes de Jesus 1, Fabrícia C. Adriano 2, Fabrício de C. Peixoto 3, Adilson Pelá 4, Nei Peixoto 5 1. Bolsista

Leia mais

SELETIVIDADE DOS HERBICIDAS BENTAZON E NICOSULFURON PARA Crotalaria juncea e Crotalaria spectabilis

SELETIVIDADE DOS HERBICIDAS BENTAZON E NICOSULFURON PARA Crotalaria juncea e Crotalaria spectabilis SELETIVIDADE DOS HERBICIDAS BENTAZON E NICOSULFURON PARA Crotalaria juncea e Crotalaria spectabilis NOGUEIRA, C. H. P (FCAV - UNESP, Jaboticabal/SP - nogueirachp@gmail.com), CORREIA, N. M. (Embrapa, Brasília/DF

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento VII CONGRESSO BRASILEIRO DO ALGODÃO Sustentabilidade da Cotonicultura

Leia mais

Aula 10: Genética Quantitativa II

Aula 10: Genética Quantitativa II LGN215 - Genética Geral Aula 10: Genética Quantitativa II Prof. Dr. Antonio Augusto Franco Garcia Monitora: Maria Marta Pastina Piracicaba SP Caracteres Quantitativos Caracteres controlados por muitos

Leia mais

EXPERIMENTAÇÃO AGRÍCOLA. Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari

EXPERIMENTAÇÃO AGRÍCOLA. Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari EXPERIMENTAÇÃO AGRÍCOLA Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari amanda@fcav.unesp.br INTRODUÇÃO Muitas vezes, embora se tenha cuidado no planejamento e Ao planejar um experimento, o pesquisador

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1213

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1213 Página 1213 COMPORTAMENTO DA CULTIVAR DE MAMONA BRS ENERGIA CULTIVADA SOB DUAS DENSIDADES DE PLANTIO EM IRECÊ, BA Jalmi Guedes Freitas 1, José Carlos Aguiar da Silva 1, Jocelmo Ribeiro Mota 1 Gilvando

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA

CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE ARROZ IRRIGADO INDICADAS PARA SEMEIO NA SAFRA 2009/10 EM RORAIMA Antonio Carlos Centeno Cordeiro Eng. Agr. Dr. Pesquisador da Embrapa Roraima Em Roraima, o agronegócio

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito da Época e Dose de Aplicação de Fungicida no Controle da Antracnose do Sorgo Lorena de Oliveira Moura 1, Luciano

Leia mais

SELEÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM AMBIENTES CONTRASTANTES PARA NITROGÊNIO SELECTION OF MAIZE VARIETIES IN CONTRASTING NITROGEN ENVIROMENTS

SELEÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM AMBIENTES CONTRASTANTES PARA NITROGÊNIO SELECTION OF MAIZE VARIETIES IN CONTRASTING NITROGEN ENVIROMENTS SELEÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM AMBIENTES CONTRASTANTES PARA NITROGÊNIO SELECTION OF MAIZE VARIETIES IN CONTRASTING NITROGEN ENVIROMENTS Leonardo Henrique de Oliveira Gonçalves (1) Camila Baptista do

Leia mais

II. GENÉTICA E MELHORAMENTO DE PLANTAS

II. GENÉTICA E MELHORAMENTO DE PLANTAS II. GENÉTICA E MELHORAMENTO DE PLANTAS CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DE GRÃOS E ÓLEO EM LINHAGENS E CULTIVARES DE AMENDOIM ( 1 ) IGNÁCIO JOSÉ DE GODOY (2,5), JOSÉ CARLOS VILA NOVA ALVES PEREIRA (3) e ANTONIO

Leia mais

Hibridação. Hibridações naturais Hibridações artificiais ou dirigidas

Hibridação. Hibridações naturais Hibridações artificiais ou dirigidas Hibridação Hibridações naturais Hibridações artificiais ou dirigidas HIBRIDAÇÃO A x B P 1 x P 2 C F 1 x P 1 População Variabilidade genética Seleção Novas Linhagens Figura 1. Genealogia da cv. Joaquina

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA E CURVA DE SUPERFÍCIE DOS RENDIMENTOS DA EXTRAÇÃO POR SOLVENTE DO ÓLEO DE PINHÃO MANSO

ANÁLISE ESTATÍSTICA E CURVA DE SUPERFÍCIE DOS RENDIMENTOS DA EXTRAÇÃO POR SOLVENTE DO ÓLEO DE PINHÃO MANSO ANÁLISE ESTATÍSTICA E CURVA DE SUPERFÍCIE DOS RENDIMENTOS DA EXTRAÇÃO POR SOLVENTE DO ÓLEO DE PINHÃO MANSO B. K. S. A. ANDRADE 1, J. I. SOLETTI 1, S. H. V. de CARVALHO 1 1 Universidade Federal de Alagoas,

Leia mais

COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016

COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016 COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016 Margarida Fumiko Ito 1, Ignácio José de Godoy 2, Andrea Rocha Almeida de Moraes 2,

Leia mais

COMPORTAMENTO DE PROGENIES DE CAFEEIROS COM RESISTENCIA À FERRUGEM, SELECIONADAS DE ENSAIOS EM VÁRIOS CAMPOS EXPERIMENTAIS DO PROCAFÉ

COMPORTAMENTO DE PROGENIES DE CAFEEIROS COM RESISTENCIA À FERRUGEM, SELECIONADAS DE ENSAIOS EM VÁRIOS CAMPOS EXPERIMENTAIS DO PROCAFÉ COMPORTAMENTO DE PROGENIES DE CAFEEIROS COM RESISTENCIA À FERRUGEM, SELECIONADAS DE ENSAIOS EM VÁRIOS CAMPOS EXPERIMENTAIS DO PROCAFÉ J.B. Matiello, S.R. Almeida Iran B. Ferreira, M. B. da Silva, Engs

Leia mais

Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹

Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹ Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹ L.C.Dias², W.S. Rezende³, M. R. Carbalial 4, L. A. Silva 5 Resumo Com o objetivo de se avaliar o efeito de produção

Leia mais

Seleção de progênies de café arábica com resistência à ferrugem

Seleção de progênies de café arábica com resistência à ferrugem Seleção de progênies de café arábica com resistência à ferrugem Gustavo Hiroshi Sera, Tumoru Sera, Luciana Harumi Shigueoka, Inês Cristina de Batista Fonseca, Valdir Mariucci Junior, José Alves de Azevedo,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ACESSOS DE MANDIOCA DE INDÚSTRIA NA EMBRAPA CERRADOS

AVALIAÇÃO DE ACESSOS DE MANDIOCA DE INDÚSTRIA NA EMBRAPA CERRADOS AVALIAÇÃO DE ACESSOS DE MANDIOCA DE INDÚSTRIA NA EMBRAPA CERRADOS Cásio Alves Costa de Souza 1, Eduardo Alano Vieira 1, Josefino de Freitas Fialho 1, Francisco Duarte Fernandes 1, Roberto Guimarães Júnior

Leia mais

EFEITO DOS GENÓTIPOS NA INCIDÊNCIA DA VIROSE EM AMENDOIM

EFEITO DOS GENÓTIPOS NA INCIDÊNCIA DA VIROSE EM AMENDOIM EFEITO DOS GENÓTIPOS NA INCIDÊNCIA DA VIROSE EM AMENDOIM Marcos Doniseti Michelotto 1 ; Maycon Ferraz 2 ; Luis Eduardo Prado Lamana 3 ; Tamiris Marion de Souza 4 ; João Francisco dos Santos 5 ; Ignácio

Leia mais

Análise de Trilha para os Componentes de Produção de Grãos em Variedades de Milho Tropical

Análise de Trilha para os Componentes de Produção de Grãos em Variedades de Milho Tropical XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Análise de Trilha para os Componentes de Produção de Grãos em Variedades de Milho Tropical Rafael Silva Ramos dos

Leia mais

SELEÇÃO DE FAMÍLIAS DE MEIOS IRMÃOS DE MILHO PIPOCA COM ENFASE NA PRODUTIVIDADE E NA CAPACIDADE DE EXPANSÃO.

SELEÇÃO DE FAMÍLIAS DE MEIOS IRMÃOS DE MILHO PIPOCA COM ENFASE NA PRODUTIVIDADE E NA CAPACIDADE DE EXPANSÃO. SELEÇÃO DE FAMÍLIAS DE MEIOS IRMÃOS DE MILHO PIPOCA COM ENFASE NA PRODUTIVIDADE E NA CAPACIDADE DE EXPANSÃO. Wilma Dias Santana 1, Aurélio Vaz-de-Melo ², Rubens Ribeiro da Silva 3 1 Aluno do Curso de Agronomia;

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA

AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA Mariéle Carolina EBERTZ 1 ; Gilmar Silvério da ROCHA 2 1 Aluna do Curso Técnico em Agropecuária, Instituto Federal Catarinense, Campus Rio do Sul,

Leia mais

Desempenho de cultivares de alface em cultivo de verão na região Campo das Vertentes de Minas Gerais

Desempenho de cultivares de alface em cultivo de verão na região Campo das Vertentes de Minas Gerais Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Desempenho de cultivares de alface em cultivo de verão na região Campo das Vertentes de Minas Gerais Suelen Francisca Ribeiro (1),

Leia mais

Relações lineares entre caracteres de tremoço branco

Relações lineares entre caracteres de tremoço branco Relações lineares entre caracteres de tremoço branco Alberto Cargnelutti Filho 1 Marcos Toebe 2 Cláudia Burin 2 Bruna Mendonça Alves 2 Giovani Facco 2 Gabriele Casarotto 3 1 - Introdução Por apresentar

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Seleção De Híbridos De Sorgo Granífero Para Condições De Safrinha Karla Jorge da Silva 1, Karine da Costa Bernardino

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Componentes de Produção de Seis Cultivares de Milho na Região de Pompéia - SP. Elvio Brasil Pinotti 1, Silvio José

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA NA REGIÃO DE RIO VERDE (GO)

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA NA REGIÃO DE RIO VERDE (GO) AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA NA REGIÃO DE RIO VERDE (GO) Miguel Marques Gontijo Neto (1), André May (1), Álisson Vanin (2), Alexandre Ferreira da Silva (1), Eduardo de

Leia mais

Método Genealógico ( Pedigree )

Método Genealógico ( Pedigree ) Método Genealógico ( Pedigree ) Usado durante as etapas de autofecundação de populações para o desenvolvimento de linhas homozigotas Histórico: pedigree selection : seleção de uma planta para isolar linhas

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO E DE SORGO PARA SILAGEM

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO E DE SORGO PARA SILAGEM AVALIAÇÃO D CULTIVARS D MILHO D SORGO PARA SILAGM. Antônio Carlos Viana(1); João ustáquio Cabral de Miranda (1); José Carlos Cruz (1); José de Oliveira Valente (2) & José Joaquim Ferreira (3), (1) - mbrapa

Leia mais

Gustavo Henrique Mendes Bedendo 2, Magda Metz 3. Projeto de pesquisa realizado no curso de medicina veterinária da Unijuí 2

Gustavo Henrique Mendes Bedendo 2, Magda Metz 3. Projeto de pesquisa realizado no curso de medicina veterinária da Unijuí 2 ANÁLISE DE COMPONENTES PRINCIPAIS EM CARACTERÍSTICAS DE AVES RODE ISLAND RED 1 ANALYSIS OF MAIN COMPONENTS CHARACTERISTICS IN RHODE ISLAND RED POULTRY BREED Gustavo Henrique Mendes Bedendo 2, Magda Metz

Leia mais