DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROF. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. CELSO LUCAS COTRIM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROF. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. CELSO LUCAS COTRIM"

Transcrição

1 DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROF. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. CELSO LUCAS COTRIM

2 1.EMENTA EMENTA: Aborda e desenvolve um Projeto, que é o planejamento e a fundamentação do problema ou oportunidade de negócio, o qual será utilizado para o desenvolvimento do Relatório do Estágio Supervisionado. 2.OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Elaborar proposta de atuação junto a uma organização. Observar as condições reais existentes da organização; Elaborar uma proposta de plano de trabalho a ser desenvolvido nas etapas subseqüentes.

3 3.CONTEUDO PROGRAMÁTICO: 1. Apresentação da disciplina 1.1 Metodologia e formas de avaliação. 2. Temas para o desenvolvimento do estágio 3. Tipos de projetos 4. Normatização 5. Bases de dados da biblioteca 6. Estrutura de um Projeto de Estágio 7. Caracterização da organização e seu ambiente - Item 1.1 do projeto 8. Definição do problema ou oportunidade - Item 1.2 do projeto 9. Objetivo geral e objetivos específicos do projeto - Item 1.3 do projeto 10. Justificativa: oportunidade, viabilidade e importância do projeto - Item 1.4 do projeto 11. Revisão da Literatura - capítulo 2 do projeto de estágio 12. Referência bibliográfica 13. Metodologia - capítulo 3 do projeto de estágio 14. Cronograma e orçamento - capítulos 4 e 5 do projeto

4 4.ESTRATÉGIAS (METODOLOGIA, PROCEDIMENTOS) Corresponde a uma atividade coletiva, em classe, com aulas teóricas abrangendo fundamento de técnicas de pesquisa para elaboração de estudos temáticos, subsidiando os trabalhos de prática profissional e estágio supervisionado II e III. Dinâmicas em sala de aula; Utilização de biblioteca.

5 5.AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM E ESTRATÉGIAS DE RECUPERAÇÃO: A nota final da disciplina será composta pela média dos capítulos, que terão nota de 0 a 10,0, entregues nas datas estabelecidas com a sala. Os capítulos estão descritos abaixo: Capa, Folha de rosto, Sumário Introdução Capítulo I do Projeto Definição do Problema ou Oportunidade - Capítulo 2 do Projeto Revisão da Literatura Capítulo 3 do Projeto Metodologia - Capítulo 4 do Projeto Cronograma Capítulo 5 do Projeto Referencias Bibliográficas Capítulo 6 do Projeto

6 6. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: ROESCH, SYLVIA MARIA A., Projetos de estágio no curso de administração. São Paulo: Atlas, AZEVEDO, ISRAEL B., O prazer da produção científica. Piracicaba: UNIMEP, Bianchi, A., Alvarenga, M. e Bianchi, R., Manual de orientação: estágio supervisionado. São Paulo: Pioneira, COMPLEMENTAR: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Rio de Janeiro. Apresentação de citações em documentos: NBR Rio de Janeiro, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Referências bibliográficas: NBR Rio de Janeiro, ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 8ª. Ed. São Paulo: Atlas, BASTOS, C.L., KELLER, V. Aprendendo a aprender: introdução à metodologia científica. 22ª. Ed. Petrópolis: Vozes, BEUREN, Ilse Maria, e outros. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade teoria e prática. 3ª. Ed. São Paulo: Atlas, CPC Comitê de Pronunciamentos Contábeis SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, SILVA, Antonio Carlos Ribeiro da. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade. 2ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2006.

7 ESTÁGIO SUPERVISIONADO Segundo as diretrizes curriculares para os Cursos de Ciências Contábeis para obterem o diploma, os alunos serão obrigados a realizarem Estágio Supervisionado de, no mínimo 280 horas, segundo sua opção Assim distribuídas: PER. DISCIPLINA CARGA HORÁRIA 6 PRÁTICAS PROFISSIONAIS E ESTÁGIO SUPERV. I 68 h/a 7 PRÁTICAS PROFISSIONAIS E ESTÁGIO SUPERV. II 34 h/a 7 ATIVIDADES AUTÔNOMAS DE ESTÁGIO A 72 h/a 8 PRÁTICAS PROFISSIONAIS E ESTÁGIO SUPERV. III 34 h/a 8 ATIVIDADES AUTÔNOMAS DE ESTÁGIO B 72 h/a TOTAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO h/a

8 CORRELAÇÃO DIRETA COM OUTRAS DISCIPLINAS PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II Tem o objetivo de fazer um levantamento dos conceitos, modelos teóricos e contábeis aplicáveis à sua situação problemática objeto da atividade de estágio. Elaboração de estudo bibliográfico que servirá de base para a proposta de intervenção, que será objeto da disciplina Prática Profissional e Estágio Supervisionado III. Com orientação individualizada correspondente a 34h/a, e além disso, deverá cumprir no mínimo 72 h/a de Atividades Complementares pesquisa, na disciplina Estágio Supervisionado Atividade Autônoma com resultados acompanhados e avaliados pelo Orientador.

9 CORRELAÇÃO DIRETA COM OUTRAS DISCIPLINAS PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO III Tem o objetivo de elaborar proposta de intervenção organizacional considerando a realidade organizacional observada e aplicando os conhecimentos e competências adquiridos e desenvolvidos no curso, especialmente aqueles que foram objeto de estudos desenvolvidos na disciplina Estágio Supervisionado II. O resultado final desta atividade corresponderá a um trabalho que contemplará o detalhamento de todas as etapas do Projeto de Estágio. Com orientação individualizada correspondente a 34h/a, e além disso, deverá cumprir no mínimo 72 h/a de Atividades Complementares pesquisa, na disciplina Estágio Supervisionado Atividade Autônoma com resultados acompanhados e avaliados pelo Orientador.

10 PRÉ-REQUISITOS PRÉ-REQUISITOS PARA PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I (6º. SEM.) 1-Contabilidade Básica; 2-Contabilidade Financeira; 3-Contabilidade Comercial; 4-Análise das Demonstrações Contábeis; 5-Contabilidade Intermediária; 6-Contabilidade de Custos; 7-Sistema de Informações Contábeis; 8-Teoria da Contabilidade. 1º. SEM. 2º. SEM. 3º. SEM. 4º. SEM. 4º. SEM. 5º. SEM. 5º. SEM. 5º. SEM. PRÉ REQUISITO PARA PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II(7º. SEM.): -PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I (6º. SEM.) PRÉ REQUISITO PARA PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO III (8º. SEM.): -PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II (7º. SEM.)

11 DIREITOS AUTORAIS PLÁGIO.

12 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL TÍTULO II DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS CAPÍTULO I DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS Art. 5º - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito a vida, a liberdade, a igualdade, a segurança e a propriedade, nos termos seguintes: XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicação ou reprodução de suas obras, transmissivel aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar;

13 LEI Nº 9610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 DIREITOS AUTORAIS ITENS SELECIONADOS: Depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades, tais como: I - a reprodução parcial ou integral; As sanções civis previstas aplicam-se sem prejuízo das penas cabíveis O titular poderá requerer a apreensão dos exemplares reproduzidos ou a suspensão da divulgação, sem prejuízo da indenização cabível. Quem editar obra literária, artística ou científica, sem autorização do titular, perderá para este os exemplares que se apreenderem e pagar-lhe-á o preço dos que tiver vendido. Parágrafo único - Não se conhecendo o número de exemplares que constituem a edição fraudulenta, pagará o transgressor o valor de três mil exemplares, além dos apreendidos. Quem vender, expuser a venda, ocultar, adquirir, distribuir, tiver em depósito ou utilizar obra ou fonograma reproduzidos com fraude, com a finalidade de vender, obter ganho, vantagem, proveito, lucro direto ou indireto, para si ou para outrem, será solidariamente responsável com o contrafator. A transmissão e a retransmissão, por qualquer meio ou processo, e a comunicação ao público de obras artísticas, literárias e científicas, de interpretações e de fonogramas, realizadas mediante violação aos direitos de seus titulares, deverão ser imediatamente suspensas ou interrompidas pela autoridade judicial competente, sem prejuízo da multa diária pelo descumprimento e das demais indenizações cabíveis, independentemente das sanções penais aplicáveis; caso se comprove que o infrator é reincidente na violação aos direitos dos titulares de direitos de autor e conexos, o valor da multa poderá ser aumentado até o dobro.

14 LEI Nº 9610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 DIREITOS AUTORAIS A sentença condenatória poderá determinar a destruição de todos os exemplares ilícitos, bem como as matrizes, moldes, negativos e demais elementos utilizados para praticar o ilícito civil, assim como a perda de máquinas, equipamentos e insumos destinados a tal fim ou, servindo eles unicamente para o fim ilícito, sua destruição. Quem, na utilização, por qualquer modalidade, de obra intelectual, deixar de indicar ou de anunciar, como tal, o nome, pseudônimo ou sinal convencional do autor e do intérprete, além de responder por danos morais, está obrigado a divulgar-lhes a identidade da seguinte forma: II - tratando-se de publicação gráfica ou fonográfica, mediante inclusão de errata nos exemplares ainda não distribuídos, sem prejuízo de comunicação, com destaque, por três vezes consecutivas em jornal de grande circulação, dos domicílios do autor, do intérprete e do editor ou produtor

15 CÓDIGO PENAL DECRETO-LEI Nº 2848, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1940 Pena básica: Art Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: Pena detenção(regime aberto ou semi aberto), de 03 (três) meses a 01 (um) ano, ou multa. Pode chegar a reclusão (regime fechado), de 02 (dois) a 04 (quatro) anos, e multa.

16 TEMAS PARA O PROJETO

17 LINHAS DE ATUAÇÃO - Contabilidade Financeira; - Contabilidade Comercial; - Contabilidade Intermediária; - Análise de Demonstrações Contábeis; - Contabilidade de Custos; - Contabilidade Avançada; - Contabilidade Governamental; - Contabilidade Gerencial; - Contabilidade e Planejamento Tributário; - Contabilidade Internacional; - Sistemas de Informações Gerenciais; - Análise de Custos; - Auditoria; -Perícia; - Teoria da Contabilidade;

18 CPC S COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS Pronunciamento Conceitual Básico Estrutura Conceitual Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 539/08; CFC NBC TG, Resolução n /08; CPC 01 Redução ao Valor Recuperável de Ativos Aprovado por: CVM Deliberação CVM 639/10 CFC NBC TG 01, Resolução n /10 CPC 02 Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e conversão de demonstrações contábeis Aprovado por: CVM Deliberação CVM 640/10; CFC NBC TG 02, Resolução n /10; CPC 03 Demonstração dos Fluxos de Caixa Aprovado por: CVM Deliberação CVM 641/10; CFC NBC TG 03 Resolução CFC n /10; CPC 04 Ativo Intangível Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 544/10; CFC NBC TG 04 Resolução CFC n /10; CPC 05 Divulgação sobre Partes Relacionadas Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 642/10; CFC NBC TG 05 Resolução CFC n /10; CPC 06 Operações de Arrendamento Mercantil Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 545/10; CFC NBC TG 06 - Resolução CFC n /10; CPC 07 Subvenção e Assistência Governamentais Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 646/10; CFC CBC TG 07 - Resolução CFC n /10; CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 649/10; CFC NBC TG 08 Resolução CFC n /10; CPC 09 Demonstração do Valor Adicionado Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 557/08; CFC NBC TG 09 Resolução CFC n /08;

19 CPC S COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC 10 Pagamento Baseado em Ações Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 650/10; CFC NBC TG 10 Resolução CFC n /10; CPC 11- Contratos de Seguro Aprovado por: CVM Deliberação CVM 563/08; CFC NBC TG 11 Resolução CFC n /09; CPC 12 Ajuste a Valor Presente Aprovado por: CVM Deliberação CVM 564/08; CFC NBC TG 12 Resolução CFC nº 1.151,09; CPC 13 Adoção Inicial da Lei n /07 e da Medida Provisória n. 449/08 Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 565/08; CFC NBC TG 13 Resolução CFC n /09; CPC 14 Instrumentos Financeiros: Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação Este Pronunciamento foi atualizado e corresponde à Orientação OCPC 03 e deixa de ter aplicabilidade após CPC 15 Combinação de Negócios CVM Deliberação n. 580/09; CFC NBC TG 15 Resolução CFC n /09; CPC 16 Estoques CVM Deliberação CVM n. 575/09; CFC NBC TG 16 Estoques Resolução CFC n /09. CPC 17 Contratos de Construção CVM Deliberação CVM n. 576/09; CFC NBC TG 17 Resolução CFC n /09. CPC 18 - Investimento em Coligada e em Controlada CVM Deliberação CVM n. 605/09; CFC NBC TG 18 Resolução CFC n /09 CPC 19 -Investimento em Empreendimento Controlado em Conjunto (Joint Venture) CVM Deliberação CVM n. 606/09 CFC NBC TG 19 Resolução CFC nº 1.242/09; CPC 20 Custos de Empréstimos Aprovado por: CVM Deliberação CVM n. 577/09; CFC NBC TG 20 Resolução CFC n /09 a utilização do CPC 38, CPC 39 e CPC 40

20 CPC S COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC 21 Demonstração Intermediária CPC 27 Ativo Imobilizado CVM Deliberação CVM n. 581/09; CVM Deliberação CVM n. 583/09; CFC NBC TG 21 Resolução CFC n /09. CFC NBC TG 27 Resolução CFC n /09. CPC 22 Informações por Segmento CVM Deliberação CVM n. 582/09; CFC NBC TG 22 Resolução CFC n /09 CPC 28 Propriedade para Investimento CVM Deliberação CVM n. 584/09; CFC NBC TG 28 Resolução CFC n /09 CPC 23 -Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro CVM Deliberação CVM n. 592/09; CFC NBC TG 23 Resolução CFC n /09 CPC 24 - Evento Subsequente CVM Deliberação CVM n. 593/09; CFC NBC TG 24 Resolução n /09 CPC 25 -Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes CVM Deliberação CVM n. 594/09 CFC NBC TG 25 Resolução n /09 CPC 29 - Ativo Biológico e Produto Agrícola CVM Deliberação CVM n. 596/09 CFC NBC TG 29 Resolução n /09 CPC 30 -Receitas CVM Deliberação CVM n. 597/09 CFC NBC TG 30 Resolução n /09 CPC 31 -Ativo Não Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada CVM Deliberação CVM n. 598/09 CFC NBC TG 31 Resolução 1.188/09 CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis CVM Deliberação CVM n. 595/09 CFC NBC TG 26 Resolução n /09 CPC 32 -Tributos sobre o Lucro CVM Deliberação CVM n. 599/09 CFC NBC TG 32 Resolução n /09 CPC 33 - Benefícios a Empregados CVM Deliberação CVM n 600/09 CFC NBC TG 33 Resolução n /09

21 CPC S COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC 35 - Demonstrações Separadas CVM Deliberação CVM, 607/09 CFC NBC TG 35 Resolução CFC n /09 CPC 43 -Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40 CVM Deliberação CVM n. 610/09 CFC NBC TG 43 Resolução n /10 CPC 36(R1) - Demonstrações Consolidadas CMV Deliberação CVM n. 608/09 CFC NBC TG 36 Resolução CFC n /09 CPC PME -Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (com Glossário de Termos) CFC NBC TG 1000 Resolução CFC n /09 e 1.285/10 e nº 1.319/10 CPC 37 -Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade CVM Deliberação CVM n. 647/10 CFC NBC TG 37 Resolução n /10 CPC 38 -Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração CVM Deliberação CVM n 604/09 CFC NBC TG 38 Resolução CFC n /09 CPC 39 - Instrumentos Financeiros: Apresentação CVM Deliberação CVM n. 604/09 CFC NBC TG 39 Resolução CFC n /09 CPC 40 - Instrumentos Financeiros: Evidenciação CVM Deliberação CVM n. 604/09 CFC NBC TG 40 Resolução CFC n /09 CPC 41 Resultado por Ação CVM Deliberação CVM n. 636/10 CFC NBC TG 41 - Resolução CFC n /10

22 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPA FOLHA DE ROSTO SUMÁRIO PRAZO: 11/SETEMBRO 1 INTRODUÇÃO 2 DEFINIÇÃO DO PROBLEMA 2.1 Caracterização da organização e seu ambiente ou oportunidade - Trata-se de contextualizar o ambiente onde será desenvolvido o estágio prático ou oportunidade para a elaboração da pesquisa que embasará o Estágio Supervisionado 2.2 Situação problemática ou oportunidade - São dados e/ou informações que dimensionam o problema e/ou oportunidade, incluindo o estabelecimento dos limites de abordagem. 2.3 Objetivos Inclui a definição do objetivo geral que representa o propósito do Relatório de Estágio Supervisionado e os específicos, que são as diversas etapas a serem superadas para atingir o objetivo geral. 2.4 Justificativa do Projeto Inclui considerações e/ou informações e dados sobre a oportunidade, a viabilidade e importância do projeto.

23 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 3 REVISÃO DA LITERATURA Inclui basicamente os seguintes tópicos: 3.1 Resgatar e/ou levantar todos os conceitos teóricos vinculando-os ao tema, incorporando-os ao trabalho de Estágio, incluindo o levantamento de métodos e instrumentos de análise. 3.2 Rever, levantar e aproveitar trabalhos ou aplicações semelhantes em outros contextos. 3.3 Descrever, comparar e criticar a literatura sobre o tema. PRAZO: 23/OUTUBRO

24 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 4 METODOLOGIA Corresponde à definição e aplicação do método a ser utilizado para a coleta e análise dos dados incluindo: 4.1 Tipo de pesquisa quanto aos fins (Exploratória / Descritiva / Explicativa /Metodológica / Aplicada / Intervencionista) 4.2 Tipo de pesquisa quanto aos meios (Pesquisa de Campo / Pesquisa de Laboratório / Documental / Bibliográfica / Experimental/ Ex post facto / Participante / Pesquisa-ação) 4.3 Técnicas de coleta de dados Quantitativas Qualitativas 4.4 Universo (Objeto de estudo: empresa, produto, pessoas) 4.5 Amostra (Parte do universo?) 4.6 Seleção dos sujeitos (pessoas que fornecerão os dados) PRAZO: 24/NOVEMBRO

25 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 5 CRONOGRAMA Representa o planejamento das atividades que compõem o Projeto e o tempo necessário para sua execução, ou seja, o delineamento das atividades que serão desenvolvidas e a estimativa do tempo de duração de cada atividade. 6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Relação de todas as fontes bibliográficas utilizadas para desenvolver o trabalho de Estágio. ANEXOS APÊNDICE PRAZO: 01/DEZEMBRO

26 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO DO PROJETO COMPLETO COM ENCADERNAÇÃO SIMPLES PRAZO: 11/DEZEMBRO ETAPAS ENTREGUES FORA DO PRAZO TERÁ DESCONTO NA NOTA DE 1 PONTO POR AULA DE ATRASO.

27 MELHORES TRABALHOS E PREMIAÇÃO Do total de alunos que concluírem a atividade de Estágio Supervisionado em cada ano letivo, serão escolhidos os equivalentes a 10% dos melhores trabalhos cujo resumo será objeto de publicação em caderno próprio da Universidade. Desses 10% serão escolhidos os cinco melhores trabalhos que serão publicados na íntegra no caderno acima citado, sendo, também, objeto de premiação. Cada orientador escolherá, dentre seus orientados, o equivalente a 10% dos melhores trabalhos e encaminhará ao Supervisor Geral de Estágio. Ao mesmo tempo solicitará aos escolhidos que elaborem um resumo dos trabalhos a partir de critérios a serem divulgados oportunamente. Alem disso solicitará aos escolhidos que forneçam tanto o trabalho na íntegra, como o resumo em meio eletrônico para futura publicação. Será montada uma comissão de professores orientadores para que escolham, dentre os melhores trabalhos indicados pelos orientadores, os cinco melhores do ano. Tais trabalhos serão publicados na íntegra pela Universidade, além de os titulares dos trabalhos premiados serem agraciados com menção honrosa a ser fornecida pela Faculdade de Ciências Contábeis. Serão expedidas, também, correspondências às Instituições onde foram executados os trabalhos de Estágio Supervisionado, informando a escolha do trabalho como um dos melhores do ano letivo.

28 APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NBR-ABNT ESTRUTURA Parte externa Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Parte interna Elementos pré-textuais Folha de rosto (obrigatório) Errata (opcional) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatória(s) (opcional) Agradecimento(s) (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo na língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Lista de ilustrações (opcional) Lista de tabelas (opcional) Lista de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Sumário (obrigatório)

29 APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NBR ESTRUTURA Parte interna Elementos textuais Introdução Desenvolvimento Conclusão Parte interna Elementos pós-textuais Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice (opcional) Anexo (opcional) Índice (opcional) Desenvolvimento Conclusão

30 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS NBR Na CAPA devem constar as seguintes informações: a) Nome da instituição (opcional); b) Nome do autor; c) Título que deve ser claro e preciso, identificando o seu conteúdo; d) Subtítulo se houver precedido de dois pontos, evidenciando a sua subordinação ao título; e) Número do volume se houver mais de um devendo constar em cada capa a especificação do respectivo volume; f) Local (cidade) da instituição onde dever ser apresentado; g) Ano de depósito (da entrega) Na LOMBADA (opcional) devem constar as seguintes informações: a) Nome do autor, impresso longitudinalmente e legível do alto para o pé da lombada; b) Título do trabalho, impresso da mesma forma que o nome do autor; c) Elemento alfanuméricos de identificação, por exemplo: v.2.

31 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS NBR Na FOLHA DE ROSTO devem constar as seguintes informações: ANVERSO a) Nome do autor; b) título; c) Subtítulo, se houver; d) Número do volume se houver mais de um devendo constar em cada capa a especificação do respectivo volume; e) Natureza, tipo do trabalho (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso e outros) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido, área de concentração; f) Nome do orientador e se houver, do coorientador; g) Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; h) Ano de depósito (da entrega) VERSO Deve conter os dados de catalogação-na-publicação, conforme Código de Catalogação Anglo-Americano vigente (ficha catalográfica)

32 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS NBR A ERRATA é constituída pela referência do trabalho e pelo texto da errata; A FOLHA DE APROVAÇÃO deve ser constituída pelo nome do autor do trabalho, título do trabalho e subtítulo (se houver), natureza (tipo do trab alho, objetivo, nome da instituição a que é submetido, área de concentração) data de aprovação, nome, titulação e assinatura dos componentes da banca examinadora e instituições a que pertencem. A data de aprovação e assinaturas dos membros componentes da banca examinadora são colocadas após a aprovação do trabalho; Na DEDICATÓRIA, que é opcional o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho; No AGRADECIMENTO o autor faz agradecimentos dirigidos àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho; Na EPÍGRAFE o autor apresenta uma citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho. O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário. Albert Einstein

33 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS NBR O RESUMO NA LINGUA VERNÁCULA deve ressaltar o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do documento; deve ser precedido da referência do documento; deve ser composto de uma seqüência de frases concisas, afirmativas e não de enumeração de tópicos sendo recomendado o uso de parágrafo único; a primeira frase deve ser significativa, explicando o tema principal do documento e a seguir, indicar a informação sobre a categoria do tratamento (memória, estudo de caso, análise da situação, etc.; Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular; As palavras-chaves devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão Palavras-chave, separadas entre sí por ponto e finalizadas também por ponto; Na sua extensão deve ter de 150 a 500 palavras. O RESUMO NA LINGUA ESTRANGEIRA, tem as mesmas características do resumo em língua vernácula, digitado em folha separada (em inglês Abstract, em espanhol Resumem, em francês Résumé, por exemplo). Deve ser seguido das palavras-chave na língua.

34 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS NBR A LISTA DE ILUSTRAÇÕES Elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, travessão, título e respectivo número da folha ou página. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outros). A LISTA DE TABELAS Elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, acompanhado do respectivo número da folha ou página. A LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso A LISTA DE SÍMBOLOS elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com o devido significado.

35 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS NBR O SUMÁRIO apresenta a enumeração das divisões, seções e outras partes de uma publicação, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede, sendo o último elemento pré-textual. A palavra sumário deve ser centralizada e com a mesma tipologia da fonte utilizada para as seções primárias; A subordinação dos itens do sumário deve ser destacada pela apresentação tipográfica utilizada no texto; Os elementos pré-textuais não devem constar no sumario; Os indicativos das seções que compõem o sumário devem ser alinhados à esquerda;

36 ELEMENTOS TEXTUAIS NBR Na INTRODUÇÃO devem constar a delimitação do assunto tratado, objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho; O DESENVOLVIMENTO contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções que variam em função da abordagem do tema e do método; Na CONCLUSÃO são apresentadas as conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses.

37 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS NBR As REFERÊNCIAS são o conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual. No GLOSSÁRIO é apresentado em ordem alfabética a relação de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições; Os APÊNDICES são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. São textos ou documentos elaborados pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho. Os ANEXOS são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. São textos ou documentos não elaborados pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. No ÍNDICE é apresentado a lista de palavras ou frases, ordenadas segundo determinado critério, que localiza e remete para as informações contidas no texto.

38 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO NBR FORMATO Os textos devem ser apresentados em papel branco ou reciclado no formato A4 (21cm x 29,7 cm), digitados em cor preta, com exceção das ilustrações. Os elementos pré-textuais devem iniciar no anverso da folha, com exceção da ficha catalográfica que deve vir no verso da folha de rosto. Recomenda-se que os elementos textuais e pós-textuais sejam digitados no anverso e verso das folhas. Recomenda-se a utilização de fonte tamanho 12 para todo o trabalho, inclusive capa e tamanho menor para citações de mais de três linhas, notas de rodapé, paginação, ficha catalográfica, legendas e fontes das ilustrações e tabelas. (normalmente tamanho 10) MARGEM As margens devem ser: para o anverso, esquerda e superior de 3 cm, direita e inferior de 2 cm; para o verso, direita e superior de 3cm e esquerda e inferior de 2cm.

39 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO NBR ESPACEJAMENTO Todo texto deve ser digitado com espaçamento 1,5 entre as linhas. As citações de mais de três linhas, as notas de rodapé, as referências, as legendas das ilustrações e tabelas, a natureza do trabalho devem ser digitados ou datilografados em espaço simples. As referências, ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco. Na folha de rosto e na folha de aprovação, o tipo do trabalho, o objetivo, o nome da instituição e a área de concentração devem ser alinhados do meio da mancha gráfica para a margem direita. As notas de rodapé devem ser digitadas dentro das margens, ficando separadas do texto por um espaço simples de entre as linhas e por filete de 5cm, a partir da margem esquerda. Devem ser alinhadas, a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente, sem espaço entre elas e com fonte menor.

40 ESPACEJAMENTO REGRAS PARA APRESENTAÇÃO NBR O indicativo numérico, em algarismo arábico, de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado por um espaço de caractere, não se utilizando ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu título. Os títulos das seções primárias devem começar em página ímpar (anverso), na parte superior da mancha gráfica e ser separados do texto que os sucede por um espaço entre as linhas de 1,5. Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede e que os sucede por um espaço entre as linhas de 1,5. Títulos que ocupem mais de uma linha devem ser, a partir da segunda linha, alinhados abaixo da primeira letra da primeira palavra do título, Os títulos sem indicativo numérico errata, agradecimentos, lista de ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, lista de símbolos, resumos, sumário, referências, glossário, apêndice(s), anexo(s) e índice(s) devem ser centralizados. Folha de aprovação, dedicatória e a epígrafes são elementos sem título e sem indicativo numérico.

41 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO NBR PAGINAÇÃO As folhas ou páginas pré-textuais devem ser contadas, mas não numeradas. A numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha. Quando se fizer a digitação também no verso, neste, a numeração da página deve ser colocada no canto superior esquerdo. Quando o trabalho for constituído de mais de um volume, deve ser mantida uma única sequência de numeração das folhas ou páginas, do primeiro ao último volume. Havendo apêndice e anexo, as suas folhas ou páginas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

Especialização em Contabilidade, Internacional DE PESQUISA EM CONTABILIDADE I PROF. CELSO LUCAS COTRIM

Especialização em Contabilidade, Internacional DE PESQUISA EM CONTABILIDADE I PROF. CELSO LUCAS COTRIM Especialização em Contabilidade, Internacional DISCIPLINA: MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA EM CONTABILIDADE I PROF. CELSO LUCAS COTRIM 1 EMENTA: Definição de Tema (Objeto de Estudo). Projeto de Trabalho

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT www.abnt.org.br Objetivos da normalização Comunicação Simplificação Níveis de normalização Menos exigente (Genérica) INTERNACIONAL REGIONAL

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação AGO 2002 NBR 14724 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 2º andar CEP 20003-900 Caixa Postal

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011]

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] Professora Alcione Mazur 25/07/11 Cancela e substitui a edição anterior. ABNT NBR 14724: 2005 Não houve alterações na estrutura do trabalho, mas em uma

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002)

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) DIRETOR: Profº. Daniel Jorge dos Santos Branco Borges COORDENADORA PEDAGÓGICA: Profª. Paloma Martinez Veiga Branco COORDENADORA

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (FTA) VITÓRIA DA CONQUISTA BA 2009

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

ABNT NBR 14724 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

ABNT NBR 14724 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14724 Segunda edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Information and documentation Presentation of academic

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e análise de práticas de gestão em empresas hospitalares de médio porte. OBS: O Projeto deverá ser

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005

Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005 Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005 Produzido pelos bibliotecários da Rede de Bibliotecas do Senac/RS com a finalidade de orientar os usuários na elaboração de seus trabalhos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I Este manual atende todos os cursos de gestão 1º semestre, turmas ingressantes em fevereiro

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica 2012 PROJETO DE PESQUISA Apresentação gráfica Revisto e atualizado segundo alterações ABNT: NBR 15287:2011 Projeto de Pesquisa; NBR 14724:2011 Trabalhos Acadêmicos. Profa. Dra. Wakiria Martinez Heinrich

Leia mais

Faculdade de Tecnologia da Zona Sul

Faculdade de Tecnologia da Zona Sul Faculdade de Tecnologia da Zona Sul NORMAS TÉCNICAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS DE ACORDO COM A ABNT Profª Dra. Márcia Araújo 1 RESUMO DAS NORMAS PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Este resumo é indicado, principalmente,

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos 2011 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com NBR

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

MARIA BERNADETE MIRANDA

MARIA BERNADETE MIRANDA MARIA BERNADETE MIRANDA Trabalhos Acadêmicos segundo a ABNT-NBR 14724:2002 NORMALIZAÇÃO DOCUMENTÁRIA! Referências! Citações em documentos! Trabalhos Acadêmicos ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS!

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Segunda edição 17.03.2011 Válida a partir de 17.04.2011 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF)

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) 3ª edição Revisto e atualizado

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI GUIA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: diretrizes para normalização Rosemeire Zambini Bibliotecária CRB5018

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT ESCOLA E FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ANTÔNIO ADOLPHO LOBBE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT SÃO CARLOS 2010 MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS:

Leia mais

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC)

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) compreende a elaboração de trabalho de caráter individual teórico, projetual ou aplicativo, com observância de exigências

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Prezado(a) Aluno(a): Esta pequena orientação e o modelo de relatório em anexo foram produzidos com o objetivo de facilitar a elaboração do Relatório

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros.

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. Estrutura Elementos Parte externa Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Parte

Leia mais

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2005 São Carlos 2010 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com a

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Caxias MA 2012 1. INTRODUÇÃO Conforme regulamento do núcleo de trabalho de conclusão de curso da

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga Ibitinga/ SP 2010 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 REGRAS GERAIS... 3 2.1 DAS FINALIDADES... 3 2.2

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5 Antes de iniciar a digitação de seu trabalho acadêmico configure seu documento com as especificações a seguir, facilitando a visualização e sua

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA PIM II Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: O aluno deverá escolher uma empresa de qualquer porte ou segmento e, com base no cenário

Leia mais

PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS

PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS A estrutura de uma monografia compreende as seguintes partes: a) elementos pré-textuais; b) elementos textuais; c) elementos pós-textuais.

Leia mais

NORMAS INTERNAS PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS INTERNAS PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS NORMAS INTERNAS PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES Material de apoio para elaboração padronizada

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FLORIANO/ 2013 É importante enfatizar que as regras constantes neste manual para a apresentação do projeto de TCC e para a apresentação do próprio

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Faculdade de Jussara FAJ Curso de Direito Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Jussara 2013 APRESENTAÇÃO Este manual

Leia mais

Normalização de trabalhos acadêmicos para apresentação. Estrutura do trabalho acadêmico NBR 14724/2005

Normalização de trabalhos acadêmicos para apresentação. Estrutura do trabalho acadêmico NBR 14724/2005 Normalização de trabalhos acadêmicos para apresentação Estrutura do trabalho acadêmico NBR 14724/2005 Estrutura do trabalho Acadêmico: teses, dissertações, monografias, etc. Elementos: 1 Pré-textual 2

Leia mais

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS O texto a seguir tratará das seguintes normalizações: A. NBR 14724:2001 Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação Informações pré-textuais

Leia mais