OFIDISMO E ARANEÍSMO DA REGIÃO DO ALTO TIETÊJ ESTADO DE SÃO PAULO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OFIDISMO E ARANEÍSMO DA REGIÃO DO ALTO TIETÊJ ESTADO DE SÃO PAULO BRASIL"

Transcrição

1 SALOMÃO. M. G.; MORAIS, V. C. & AURICCHIO, P.: Ofidismo e araneísmo do Alto Tietê - SP... OFIDISMO E ARANEÍSMO DA REGIÃO DO ALTO TIETÊJ ESTADO DE SÃO PAULO BRASIL MARIA DA GRAÇA SALOMÃ0 1,2 VIVIANE COELHO DE MORAIS 2 PAULO AURICCHI0 2 Resumo: Acidentes causados por serpentes e aranhas foram analisados na região do Alto Tietê, Estado de São Paulo, particularmente as cidades de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano. Dados apontaram um total de 226 acidentes ofídicos e 221 araneídicos no período entre 1998 e 2001, com uma tendência de diminuição das ocorrências, A maioria dos casos foi registrada em áreas urbanas, em meses da estação chuvosa, em pacientes do sexo masculino entre 19 e 70 anos que estavam trabalhando. Os membros inferiores foram as partes do corpo mais atingidas e somente os casos de picada de serpentes necessitaram soroterapia. As características biológicas e epidemiológicas dos acidentes por serpentes e aranhas observadas na região do Alto Tietê, refletem o panorama geral do ofidismo e araneismo, principalmente o observado na região sudeste do Brasil. Palavras chave: Ofidismo, Araneismo, Alto Tietê Abstract: Snake and spider bites were analyzed in the Alto Tietê area, State of São Paulo, particularly the cities of Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz ofvasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogí das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel and Suzano. Data pointed out a total of226 snakebites 221 caused by spiders from 1998 to 2001, showing a tendency of decrease in the incidence. Most of the cases were registered in urban areas, in therainy season months, in male patients between 19 and 70 years old who were working. Legs and feet were parts of the body most affected and only snakebites required antivenom terapy. The biological and epidemiological characteristics of bites described in the studied area, reflect a scenario of the Brazilian situation, particularly that of southeastern region concerning spider and snakebites. Key Words: Snake and spider bites, Alto Tietê area. 1. Laboratório de Herpetologia, Instituto Butantan. Av. Vital Brasil, 1500, Butantã, , São Paulo - SP, Brasil e Centro de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão da Universidade de Guarulhos. 2. Instituto Pau Brasil de História Natural, CP 282, CEP , Arujá - SP, Brasil. pau

2 2 Publs. Avulsas do Instituto Pau Brasil n.5, jul INTRODUÇÃO Acidentes causados por animais peçonhentos foram negligenciados em sua abordagem, não só no ensino e formação de profissionais da área médica, como também nos esquemas oficiais de notificação destas ocorrências, até pri nc íp ios da década de oitenta, notadamente nas regiões tropicais onde se constituem importante causa de agravo à saúde. Dentre estes acidentes sobressaemse os causados por serpentes, aranhas e escorpiões (CARDOSO, 1992a). No que diz respeito às serpentes, a família Viperidae se destaca, sendo Bothrops (jararacas), Crotalus (cascavéis) e Lachesis (surucucus) os gêneros mais importantes do ponto de vista médico. À família Elapidae, em especial o gênero Micrurus (corais verdadeiras) são atribuídos um dos envenenamentos humanos mais sérios do Brasil, infelizmente os menos conhecidos e estudados devido à baixíssima incidência. Estes acidentes ofídicos são reconhecidamente um problema de saúde pública, pois respondem na atualidade por 0,45% dos óbitos informados no país (MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DA SAÚDE, 1998), enquanto nas primeiras décadas do século vinte já chegaram a representar cerca de 2,5% do total de mortalidade no Brasil (BRAZIL, 1941). Dos acidentes notificados entre os anos de 1990 e 1993, cerca de 80% tiveram serpentes peçonhentas como agentes etiológicos (pinho & PEREIRA, 2001). Dentre os casos de picada por serpentes atendidos no Hospital Vital Brazil do Instituto Butantan, estes acidentes perfazem 60% dos pacientes (ALBOLEA, 1999; ALBOLEA etal., 1999). O ofidismo foi motivo de atenção das autoridades de saúde desde o começo do século vinte, e seu registro sempre foi encorajado (ver BRAZIL, 1941 para detalhes). Entretanto, o mesmo não se deu com relação ao araneismo. Acidentes causados por aranhas têm sido notificados com mais frequência nas décadas mais recentes, principalmente após a implantação do Sistema de Notificação dos Acidentes araneídicos (MI- NIsTÉRIO DA SAÚDE, FUNDAÇÃO NA- CIONAL DA SAÚDE, 1998). Dentre os agentes mais importantes podem ser mencionados os gêneros Phoneutria (armadeira), família Ctenidae, Loxoceles (aranha marrom), família Sicariidae e Latrodectus (viúvanegra), família Theridiídae, que causam cerca de 27%,36% e 0,5% respectivamete do total de acidentes (ver BUCHARETCHI, 1992a, b, CARDOSO, 1992b). Dada a relevância da notificação dos acidentes causados por animais peçonhentos, bem como da sua precisão, para o combate eficaz ao ofidismo e araneismo, a avaliação das incidências devem ser feitas não só no âmbito de macro com também demicro regiões (verfeitosa etal., 1997; RIBEIRO etal., 1998; FRANCO et 01.,2001 para detalhes sobre ofidismo em diferentes regiões do Brasil). Por isto, este trabalho pretende relatar a ocorrência de acidentes ofídicos e araneídicos nas cidades do Alto Tietê, em São Paulo, comparando-a à de todo o estado. Algumas considerações sobre o quadro clínico dos pacientes serão também tecidas.

3 # SALOMÃO, M. G.; MORAIS, V. C. & AURICCHIO, P.: Ofidismo e araneísmo do Alto Tietê - SP... 3 N.M. \', ---+_..._.- l, Figura 1: Localização dos municípios de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, ltaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano, que formam a região do Alto Tietê, estado de São Paulo, onde foi realizado este estudo. MATERIAL E MÉTODOS Para atingir os objetivos propostos, foram realizadas coletas de dados sobre a ocorrência de acidentes por a rum ars peçonhentos nas cidades da região do Alto Tietê, leste do Estado de São Paulo (23 23' S /46 19' W), que compreende as cidades de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano (Fig. 1). Os levantamentos foram conduzidos em Pronto Socorros, Postos de Saúde e no Centro de Vigilância Epidemiológica, localizado em Mogi das Cruzes, no período compreendido entre os anos de 1998 e Além disso, consultas aos arquivos do Batalhão do Corpo de Bombeiros de Arujá, que atende a todos os municípios da região estudada, foram incluídas para se ter uma idéia da proporção das ocorrências envolvendo animais peçonhentos, bem como as análises do maior número de prontuários possível dos pacientes vítimas de ofidismo e araneismo, atendidos na área investigada.

4 ... 4 Publs. Avulsas do Instituto Pau Brasil n.5, jul RESULTADOS Dados revelaram um total de 226 acidentes ofídicos registrados entre 1998 e 2001 nos onze municípios pertencentes à região do Alto Tietê, SP. Observou-se um declínio acentuado do número total de acidentes por ano considerando-se o período e a área estudados (Tab. 1). Com relação aos acidentes araneídicos foi anotado um total de 221 casos nas cidades pesquisadas. Chamou atenção também uma diminuição do número de registros para o mesmo período (1998 e 2001)(Tab. 2). O levantamento das ocorrências registradas pelo Corpo de Bombeiros revelou que juntas, as ocorrências envolvendo serpentes e o número de animais recebidos, correspondem a cerca de 0,4 % do total de casos atendidos pela Companhia no período investigado (Tab. 3). Foi possível a análise de sete prontuários de pacientes picados por animais peçonhentos. Dentre eles, um picado por escorpião, dois por serpentes e quatro por aranhas. Somente em um caso a serpente foi identificada (Bothrops), o mesmo acontecendo em um caso de aranha (Phoneutriai. A vítima de escorpião e uma de serpente foram acidentadas em zonas rurais, enquanto as demais em áreas urbanas. Os acidentes por serpentes ocorreram nos meses de outubro e janeiro, meses considerados quente. Já o acidentes por aranhas foram regisrrados no meses de março (n = 2), maio (n = 1) e setembro (n = 1). O perfil dos acidentados mostrou tratarse a maioria de homens, exceção à uma paciente picada de aranha, de idade mínima de 19 e máxima de 70 anos (vítimas de serpentes tinham 27 e 28 anos, enquanto de aranhas tinham 19,49,62 e 70 anos). A circunstância predominante do acidente envolveu o trabalho (n = 5), exceção aos pacientes de 19 e 62 anos. Serpentes picaram perna (n = 1) e pé (n = 1) igualmente. Os casos envolvendo aranhas também mostraram uma predominância dos membros inferiores do corpo como as partes mais atingidas, sendo que dedo da mão, perna, pé e dedo do pé foram assim descritos nos prontuários. Nos acidentes causados por serpentes, ambos os pacientes receberam soroterapia (anti-botrópico). Um dos casos foi considerado moderado, recebendo 5 ampolas, enquanto o outro, avaliado como leve-recebeu 4 ampolas. Dentre os sintomas, foram registrados dor, edema, eritema e mialgia para ambos. Entretanto, apenas o paciente do caso moderado manifestou formação de bolha, sangramento local, gengivorragia, oligúria, urina escura, hipotensão arterial e vômito. Nos acidentes causados por aranhas, todos os quadros clínicos foram diagnosticados como leves e os pacientes não receberam soroterapia. Os sintomas mais freqüentemente registrados foram dor (n = 4), edema (n = 2), seguidos de equimose, sangramento local, mialgia, vômito, abcesso, bolha, necrose e eritema, todos com n = 1.

5 SALOMÃO, M. G.; MORAIS, V. C. & AURICCHIO, P.: Ofidismo e araneísmo do Alto Tietê - SP... 5 Tabela 1. Acidentes ofídicos relatados anualmente em cada cidade da região do Alto Tietê, entre o período de 1998 e Municípios da Região do Alto Total Tietê n % n % n % n % n % Arujá 3 33,3 O 0, ,3 9 4,0 Biritiba Mirim 3 25,0 3 25,0 4 33,3 2 16,7 12 5,3 Ferraz de Vasconcelos 2 50,0 1 25,0 1 25,0 0,0 4 1,9 Guararema 9 47,4 4 21,0 3 15,8 3 15,8 19 8,4 Guarulhos 6 30,0 4 20,0 9 45,0 I 5,0 20 8,8 Itaquaquecetuba 6 60,0 1 10,0 2 20,0 1 10,0 10 4,4 Mogi das Cruzes 29 35, , ,9 7 8, ,3 Poá 5 62,5 I 12,5 I 12,5 I 12,5 8 3,5 Salesópolis 3 17,6 5 29,4 6 35,4 3 17,6 17 7,5 Santa Isabel 7 43,8 2 12,5 4 25,0 3 18,7 16 7,1 Suzano 13 44,8 5 17,3 7 24,1 4 13, ,8 Total 86 38, , , , ,0 Tabela 2. Acidentes araneídicos relatados anualmente em cada cidade da região do Alto Tietê entre o período de 1998 e Municípios da Região Total do Alto Tietê n % n % n % n % n % Arujá 3 42,8 2 28,6 1 14,3 1 14,3 7 3,2 Biritiba Mirim 1 16,7 3 50,0 2 33,3 O 0,0 6 2,7 -erraz de Vasconcelos O 0,0 O 0,0 O 0,0 O 0,0 O 0,0 Guararema 2 28,6 3 42,8 1 14,3 1 14,3 7 3,2 Guarulhos 10 43,5 6 26,1 5 21,7 2 8, ,4 Itaquaquecetuba 3 33,3 1 11,2 3 33,3 2 22,2 9 4,1 Mogi das Cruzes 44 40, , , , ,8 Poá 1 25,0 2 50,0 O 0,0 1 25,0 4 1,8 Salesópolis O 0,0 4 60,0 I 20,0 1 20,0 6 2,7 Santa Isabel 16 59,2 1 3,7 7 25,9 3 11, ,2 Suzano 2 15,4 5 38,5 4 30,8 2 15,4 13 5,9 Total 82 37, , , , ,0 Tabela 3. Levantamento das ocorrências totais atendidas pelo Batalhão do Corpo de Bombeiros de Arujá, e das ocorrências envolvendo serpentes e número de serpentes recebidas no quartel no período de 1998 e Total de casos Serpentes recebidas Ocorrências envolvendo Ano atendidos serpentes Total n % n % n % n % ,6 2 0,16 3 0, , ,6 5 0,40 O 0, , ,6 5 0,22 4 0, , ,8 2 0,10 2 0, ,0 Total ,6 14 0,24 9 0, ,0

6 6 Publs. Avulsas do Instituto Pau Brasil n.s, jul DISCUSSÃO Do total de acidentes por animais peçonhentos registrados na região do Alto Tietê, SP, observou-se uma equivalência entre o número de acidentes ofídicos e araneídicos. Isso deve ser resultado de trabalhos de orientação à população, ou seja, as pessoas que via de regra, tendem a desprezar ocorrências envolvendo aranhas, passaram a ficar mais atentas para a importância de procurar as autoridades médicas quando do acontecimento. Interessante notar que em ambos os tipos de acidentes houve uma diminuição do número de casos a partir do ano de Este trabalho educacional por meio de visitas de técnicos do Instituto Butantan às comunidades do Estado de São Paulo é muito voltado à prevenção de acidentes (ver TANASOV 2001 para detalhes), e deve ter contribuido sobremaneira na diminuição dos acidentes ano a ano no período investigado. Diminuição do número de acidentes ofídicos também foram observados nos dados de registro de entrada de pacientes do Hospital Vital Brazil, Instituto Butantan (HVBIB) a partir do ano de 1992 (ALBOLEA, 1999; ALBOLEA et al., 1999, 2001; SALOMÃO et al., no prelo). Neste caso, a maior oferta de tratamento por meio da distribuição gratuita do soro anti-ofídico em hospitais da rede pública de todo o estado de São Paulo, promoveu uma melhor distribuição das atividades de socorro às vítimas. Essa melhoria no atendimento médico tem sido resultado da atuação do Ministério da Saúde que implantou o Programa acional de Ofidismo a partir de 1986 (ver TANASOV, 2001 para detalhes históricos). Entretanto, os atendimentos tendem ainda a se concentrar em alguns municípios de algumas micro regiões, como é o caso da Alto Tietê, particularmente em Mogi das Cruzes. Análises das Tabs 1 e 2 mostram que este município foi responsável pelo atendimento de 36,3% de todos os acidentes ofídicos e por 53,8% de todos os acidentes araneídicos registrados entre 1998 e 2001, na área estudada. Esta concentração pode ser consequência da existência de infraestrutura de saúde daquele município, até mesmo o Centro de Vigilância Epidemiológica regional foi ali instalado. pois Os dados apresentados mostraram que o Corpo de Bombeiros não atendeu nenhum caso de acidente, mas sim de captura e auxílio à população, que ciente da importância da serpente no processo de produção do soro anti-ofídico, procura na medida do possível não matar os animais, tentando sim capturá-l os vivos e entregá-ios a profissionais que farão chegá-ias a um destino de utilidade em saúde pública. Essa preocupação, fruto da atuação de Vital Brazil desde o início do século vinte, e o trabalho de Educação Ambiental desenvolvido pelo Instituto Butantan junto às comunidades urbanas e rurais do estado de São Paulo estão descritos em detalhes por TAN ASOV (2001). Com relação aos aspectos epidemiológicos dos acidentes por animais peçonhentos, os poucos prontuários analisados mostraram que a identificação dos agentes etiológicos, nem sempre é possível, pois são raras as vezes em que o paciente consegue capturar o animal que o picou. Isto também foi observado nos dados do Hospital Vital

7 T V. Brazil, onde omeme alguns poucos paci- ~ es apturaram e trouxeram o agente causador do acidente consigo (ALBOLEA, 1999; ALBOLEA et ai, 1999; SALOMÃO et ai., DO prelo). Dos seis casos, apenas um de serpentes e um de aranhas teve seu agente etiológico identificado (Bothrops e Phoneutriay. Evidentemente C. & AURICCHIO, P.: Ofidismo e araneismo do Alto Tietê- SP... 7 isso não impediu ou prejudicou O tratamento do paciente. Porém, a precisão na especificação dos casos, muito contribui para a tomada de deciões na área de política de saúde, e os profissionais a ela afetos devem continuar a er estimulados a proceder essa identificação. Os cursos promovidos pelo Ministério da Saúde durante a década de 1980 foram muito profícuos nesse sentido, treinando médicos, enfermeiros desempenhar esta tarefa. e agentes de saúde a No que diz respeito aos aspectos epidemiológicos dos acidentes aqui analisados, eles foram mais frequentes em áreas urbanas. Importante lembrar que a região do Alto Tietê faz parte do que se chama "cinturão verde", área predominantemente dedicada 'a plantações de hortaliças e frutas para consumo da grande São Paulo, que inclui ainda os municípios de São Bernardo, São Caetano, Santo André, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Guarulhos, Osasco, dentre outros. Dada a vocação destes municípios e a proximidade dos limites urbano e rural, a ocorrência urbana destes acidentes não deve ser interpretada como um desvio da tendência habitual rural de acidentes por animais peçonhentos. Infelizmente, o baixo número de prontuários disponíveis não permitiu uma análise da freqüência de acidentes nos meses do ano. Contudo, com exceção de dois acidentes por aranhas, um em setembro e outro em maio, estação seca do ano, todos os outros ocorreram em épocas chuvosas (outubro, janeiro e março). Acidentes por animais peçonhentos, em particular por serpentes do gênero Bothrop s são mais freqüentes em épocas quentes e chuvosas (SALOMÃO et al., em preparação). Quanto ao perfil dos pacientes pode-se observar que a faixa etária mais atingida foi aquela entre 20 e 50 anos, ou seja a idade produtiva. Isso também pode ser observado nos acidentes por serpentes consideradas não peçonhentas, como é o caso das serpentes aquática e semi-aquática dos gêneros Helicops e Liophis respectivamente (ALBOLEA & SALOMÃO, 1998; ALBOLEA, 1999; SALoMÃo et al., em preparação). As partes do corpo mais atingidas apontaram os membros inferiores tanto nos acidentes envolvendo serpentes como aranhas. Isso reflete a tendência geral apontada para os acidentes ofídicos, nos quais pés e pernas são os mais atingidos em cerca de 70% dos casos (MINISTÉRIO DA SAÚDE FUN- DAÇÃONACIONALDA SAÚDE, 1998). Pode-se observar que as características biológicas e epidemiológicas dos acidentes por serpentes e aranhas observadas na região do Alto Tietê, refletem o panorama geral do ofidismo e araneismo, principalmente o observado na região sudeste do Brasil (RIBEIROetal.,1998;FRANCOetal.,2001). Todavia, acompanhamento rigoroso das tendências de incidência, tratamento e conseqüências (morbidade e mortalidade) dos acidentes por animais peçonhentos precisa ter continuidade, para garantir a minimização quer da mortalidade como seqüelas decorrentes desses acidentes. Medidas como estas permitiriam a desoneração dos setores públicos e garantiriam qualidade de vida à população.

8 8 Publs. Avulsas do Instituto Pau Brasil n.5, jul AGRADECIMENTOS Agradecemos à Bióloga Ana Lúcia Ramos Auricchio, coordenadora de Educação Ambiental do Instituto Pau Brasil de História Natural, pela indicação do problema e solicitação para que esta avaliação fosse desenvolvida com vistas a subsidiar trabalhos de Educação Ambiental na região do Alto Tietê. Ao Batalhão do Corpo de Bombeiros do Município de Arujá, aos Pronto Socorros e Postos de Saúde dos municípios de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano e ao Centro de Vigilância Epidemiológica de Mogi das Cruzes, que conscientemente abriram seus arquivos para nossa análise. Agradecemos também aos munícipes e profissionais dos Centros de Vigilância Sanitária destes municípios, que enviam informações e animais ao Instituto Pau Brasil de História Natural e ao Instituto Butantan, colaborando assim para que levantamentos deste tipo sejam realizados. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALBOLEA, A. B. P Padrões de atividade em serpentes não peçonhentas de interesse médico Helicops modestus (Colubridae: Xenodontinae) e Liophis tniliaris (Colubridae: Xenodontinae) e sua relação com a epidemiologia. Guarulhos, Universidade de Guarulhos. 70p.(Dissertação de Mestrado) ALBOLEA, A. B. P., ALMEIDA-SANTOS, S. M. & SALOMÃO, M. G Características biológicas dos agentes etiológicos de acidentes ofídicos do estado de São Paulo. III Reunião Científica Anual do Instituto Butantan, São Paulo 5 a 7/ Livro de Resumos: ALBOLEA, A. B. P. & SALOMÃO M. G Ocorrência de acidentes ofídicos causados por serpentes não peçonhentas no estado de São Paulo. 9 Encontro de Biólogos do CRB -1 (SP, MT, MS). Livro de Resumos: 61, Campo Grande, Mato Grosso do Sul. ALBOLEA, A. B. P, SALOMÃO M. G; ALMEIDA-SANTOS, S. M. & JORDÃO, R. S Epidemiologia de acidentes causados por serpentes não peçonhentas no Estado de São Paulo, Brasil. Revista Universidade Guarulhos. BRAZIL, V Memória Histórica do Instituto de Butantan. São Paulo. Elvino Pocai. 170 p. BUCHARETCHI, F. 1992a. Acidentes por Phoneutria (Foneutrismo). In: In: Schvartsman, S. [ed.]: Plantas venenosas e animais peçonhentos. São Paulo, Sarvier. Pp BUCHARETCHI, F. 1992b. Acidentes por Latrodectus (Latrodectismo). In: In: Schvartsman, S. [ed.]: Plantas venenosas e animais peçonhentos. São Paulo, Sarvier. Pp, CARDOSO, J. L. C. 1992a. Introdução ao estudo dos acidentes por animais Peçonhentos. - In: Schvartsman, S. [ed.]: Plantas venenosas e animais peçonhentos. São Paulo, Sarvier. pp

9 SALOMÃO, M. G.; MORAIS, V. C. & AURICCHIO, P.: Ofidismo e araneísmo do Alto Tietê - SP... 9 CARDOSO, J. L. C. 1992b. Acidentes por Loxosceles (Loxocelismo) : SCHVARTSMAN, S. [ed.]: Plantas venenosas e animais peçonhentos. São Paulo, Sarvier. Pp PEITOS A, R. F. G., Meio, I. M. L. A & Monteiro, H. S. A Epidemiologia dos acidentes por serpentes peçonhentas no estado do Ceará - Brasil. Rev. Soe. Bras. Med. Trop., 30(4): FRANCO, R. L., ROCHA, C. c., JORGE, M. T. & RIBEIRO, L. A Snakebites in Southern Minas Gerais State, Brazil. 1. venom. Anim. Toxins, 7(1): MINISTÉRIO DA SAÚDE Manual de Diagnóstico e Tratamento de Acidentes por Animais Peçonhentos. Brasília, Fundação Nacional de Saúde. 131p. PINHO, F M. O. & PEREIRA, I. D Ofidismo. Rev. Assoc. Mal. Bras., 47(1): RIBEIRO, L. A; Albuquerque, M. J.; Pires de Campos, V. A. F; Katz, G.; Takaoka, N. Y; Lebrão, M. L. & Jorge, M. T Óbitos por serpentes peçonhentas no Estado de São Paulo: avaliação de43 casos, 1998/93. Rev. Assoc. Med. Bras., 44(4): scielo. SALOMÃO, M. G., ALBOLEA, A B. P. & ALMEIDA-SANTOS, Snakebite: A Public Health Problem in Brazil. Herp. Review. S. M. (no prelo) Colubrid TANASOV, V. S Avaliação dos impactos causados pelos procedimentos de permuta de serpentes no Brasil em cem anos do Instituto Butantan. Universidade Guarulhos, Guarulhos, SP. 112p. (Dissertação de Mestrado) Received for publication in 09/01/2002; acepted in 25/04/2002.

ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE GUARULHOS, SÃO PAULO, BRASIL: INCIDÊNCIA

ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE GUARULHOS, SÃO PAULO, BRASIL: INCIDÊNCIA SALOMÃO et al.: Animais peçonhentos em Guarulhos: Acidentes... e... prevenção. 77 ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE GUARULHOS, SÃO PAULO, BRASIL: INCIDÊNCIA DE ACIDENTES E CIRCUNSTÂNCIAS COM VIS- TAS

Leia mais

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ 1 A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ Luciano Bárbara dos Santos 1 1 Cirurgião-dentista, aluno do curso de pós-graduação

Leia mais

Identidade e trabalho do coordenador pedagógico no cotidiano escolar

Identidade e trabalho do coordenador pedagógico no cotidiano escolar 9 Considerações finais A partir da análise dos dados coletados nessa pesquisa algumas considerações finais se fazem pertinentes em relação às questões iniciais levantadas nesta pesquisa. 9.1 Identidade

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE HEPATITE É uma inflamação do fígado provocada, na maioria das vezes, por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar a doença, que se caracteriza por febre, icterícia

Leia mais

IMPACTO DA ATIVIDADE FISCALIZATÓRIA SOBRE A MELHORIA DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE DRENAGEM URBANA NO DISTRITO FEDERAL

IMPACTO DA ATIVIDADE FISCALIZATÓRIA SOBRE A MELHORIA DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE DRENAGEM URBANA NO DISTRITO FEDERAL IMPACTO DA ATIVIDADE FISCALIZATÓRIA SOBRE A MELHORIA DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE DRENAGEM URBANA NO DISTRITO FEDERAL Carolinne Isabella Dias Gomes (1) Possui Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 1 Relatório de Atividades 2005 I- Introdução A Fundação Fé e Alegria do Brasil é uma sociedade civil de direito privado, de ação pública e sem fins lucrativos, com sede a Rua Rodrigo Lobato, 141 Bairro

Leia mais

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização Suelen Moraes de Lorenzo 1 e-mail: suelen.lorenzo@gmail.com Amabriane da Silva Oliveira e-mail: amabriane@r7.com

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF.

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. Sidney Figueiredo de Abreu¹; Arsênio Carlos Andrés Flores Becker² ¹Meteorologista, mestrando

Leia mais

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú Catalogação: Cleide de Albuquerque Moreira Bibliotecária/CRB 1100 Revisão: Elias Januário Revisão Final: Karla Bento de Carvalho Consultor: Luís Donisete Benzi Grupioni Projeto Gráfico/Diagramação: Fernando

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE NO USO DO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA Fase 1 (magistrados e servidores da Justiça do Trabalho) Secretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros?

O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros? O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros? José Luís Oreiro * O Banco Central do Brasil iniciou o recente ciclo de flexibilização da política

Leia mais

Clipping Eletrônico - Terça-feira - dia 05/01/2016 Jornal Em Tempo Dia a dia pág. C2 05 de Janeiro de 2016

Clipping Eletrônico - Terça-feira - dia 05/01/2016 Jornal Em Tempo Dia a dia pág. C2 05 de Janeiro de 2016 Clipping Eletrônico - Terça-feira - dia 05/01/2016 Jornal Em Tempo Dia a dia pág. C2 05 de Janeiro de 2016 Jornal A Crítica Cidades pág. C3 05 de Janeiro de 2016. Av. Mário Ypiranga, 1695 Adrianópolis

Leia mais

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança (Retirado do estudo promovido pela CCDR-N) Introdução A Comissão de Coordenação da Região Norte,

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação

Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação Registro Hospitalar de Câncer Este tipo de registro se caracteriza em um centro de coleta, armazenamento,

Leia mais

Ceará e o eclipse que ajudou Einstein

Ceará e o eclipse que ajudou Einstein Ceará e o eclipse que ajudou Einstein Eixo(s) temático(s) Terra e Universo Tema Sistema Solar Conteúdos Sistema Terra-Lua-Sol / eclipses Usos / objetivos Retomada de conhecimentos / avaliação / problematização

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO. Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO. Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO Elaborado por Gildenir Carolino Santos Grupo de Pesquisa LANTEC Campinas Fevereiro 2014 2 opyleft Gildenir C. Santos, 2014. Biblioteca - Faculdade

Leia mais

c) Aplicar os princípios de pesquisa operacional mediante:

c) Aplicar os princípios de pesquisa operacional mediante: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS DA EQUIPE DE SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTROLE DA HANSENÍASE 1. Atribuições

Leia mais

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Olá Gerente de Projeto. Nos artigos anteriores descrevemos um breve histórico sobre a história e contextualização dos riscos, tanto na vida real

Leia mais

PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA

PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Gerência Executiva de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde PROGRAMA SULGÁS DE QUALIDADE DE VIDA PROJETO 2014 Julho de 2014 1. DADOS DA COMPANHIA Razão

Leia mais

ANEXO 1 Relatório sobre os impactos do vazamento de óleo diesel no rio Formoso

ANEXO 1 Relatório sobre os impactos do vazamento de óleo diesel no rio Formoso ANEXO 1 Relatório sobre os impactos do vazamento de óleo diesel no rio Formoso LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO

INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO Vanessa Cristina Lourenço Casotti Ferreira da Palma Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação - PPGEdu da Faculdade de

Leia mais

MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? Por que avaliar os trabalhos? Como os avaliadores devem proceder?

MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? Por que avaliar os trabalhos? Como os avaliadores devem proceder? MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? É uma exposição que divulga os resultados de experimentos ou de levantamentos realizados, com rigor científico, por alunos, sob a orientação de um professor.

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A CONSTRUÇÃO DA GOVERNANÇA AMBIENTAL NOS MUNICIPIOS BRASILEIROS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICIPIO DE COLINAS DO TOCANTINS

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO ACESSIBILIDADE CULTURAL: ARTICULAÇÕES E REFLEXÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edital

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO ACESSIBILIDADE CULTURAL: ARTICULAÇÕES E REFLEXÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edital CURSO DE APERFEIÇOAMENTO ACESSIBILIDADE CULTURAL: ARTICULAÇÕES E REFLEXÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edital O grupo de pesquisa Núcleo de Estudos em Formação Docente, Tecnologias e Inclusão (NEFTI) torna

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO TOR/FNDE/DTI/MEC

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NOTA TÉCNICA SOBRE FEBRE DO ZIKA VÍRUS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NOTA TÉCNICA SOBRE FEBRE DO ZIKA VÍRUS Descrição da Doença NOTA TÉCNICA SOBRE FEBRE DO ZIKA VÍRUS 15 de dezembro de 2015 Febre do Zika Vírus é uma doença viral aguda, transmitida principalmente por mosquitos, tais como Aedes aegypti, caracterizada

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação) Regulamenta o art. 52, inciso I da Lei 9.394, de 1996, e dispõe sobre normas e

Leia mais

Graduanda do Curso de Nutrição FACISA/UNIVIÇOSA. E-mail: renatachequer@yahoo. com.br. 2

Graduanda do Curso de Nutrição FACISA/UNIVIÇOSA. E-mail: renatachequer@yahoo. com.br. 2 AVALIAÇÃO DO PERFIL DAS CONDIÇÕES ERGONÔMICAS DE TRABALHO EM UMA UNIDADE PRODUTORA DE REFEIÇÃO NA CIDADE DE VIÇOSA, MG Renata Chequer de Souza 1, Veydiana Costa Condé 2, Rayane Terezinha Teixeira 3, Cristiane

Leia mais

O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL

O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL ANDRÉA BENTO DOS SANTOS¹ CASSIO HARTMANN² (1)GRADUADA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Leia mais

1 Sobre os aspectos legais da abrangência da Lei 20.817 de 29/07/2013

1 Sobre os aspectos legais da abrangência da Lei 20.817 de 29/07/2013 Ofício Circular nº 252/2013 Assunto: Abrangência da Lei 20.817/2013 matrícula de aluno no 1º ano do Ensino Fundamental Setor: Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Belo Horizonte, 21 de Outubro

Leia mais

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas AUDITORIAS DE 2A PARTE em atividades aéreas " O QUE É E COMO ATUAMOS NESTA ÁREA. O significado de complience é o de agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido, ou seja,

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Camila Gomes de Souza Andrade 1 Denise Nunes Viola 2 Alexandro Teles de Oliveira 2 Florisneide

Leia mais

Sistema de Gestão VPPDT Procedimento Operacional Padrão

Sistema de Gestão VPPDT Procedimento Operacional Padrão PALAVRAS-CHAVE: LIVRO DE REGISTRO; GESTÃO. REVISÃO 02 DATA 24/11/2008 ELABORAÇÃO Ana Paula Cavalcanti Gestão de Projetos VERIFICAÇÃO Cássia Pereira Coordenadora PDTIS APROVAÇÃO Wim M.S. Degrave Coordenador

Leia mais

Tabela 1 Taxa de Crescimento do Produto Interno Bruto no Brasil e em Goiás: 2011 2013 (%)

Tabela 1 Taxa de Crescimento do Produto Interno Bruto no Brasil e em Goiás: 2011 2013 (%) 1 PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA A Tabela 1 mostra o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e de Goiás no período compreendido entre 211 e 213. Nota-se que, percentualmente, o PIB goiano cresce relativamente

Leia mais

INFORME SOBRE DESASTRES 17 de janeiro de 2012

INFORME SOBRE DESASTRES 17 de janeiro de 2012 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde Ambiental 1. Situação geral dos Estados

Leia mais

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau Alunos: Nota: 1-2 - Data: Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau 1.1 Objetivo O objetivo deste experimento é mostrar como se obtém o modelo matemático de um sistema através

Leia mais

RESONSABILIDADES DO ENGENHEIRO E CERTIFICAÇÃO

RESONSABILIDADES DO ENGENHEIRO E CERTIFICAÇÃO RESONSABILIDADES DO ENGENHEIRO E CERTIFICAÇÃO Eng. Civil EE.UFMG 1975 Dr. Mecânica dos Solos/Estruturas CEBTP-PARIS - 1985 Membro da Equipe de Engenharia da BEDÊ Engenharia de Estruturas, BH A principal

Leia mais

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com alterações hepáticas ou renais graves.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com alterações hepáticas ou renais graves. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Fluibron A cloridrato de ambroxol APRESENTAÇÕES Solução para nebulização. Cada flaconete contém 7,5 mg/ml de cloridrato de ambroxol. Embalagem com 10 flaconetes contendo 2

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P.

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P. ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P. VITORINO SÓLIDOS GEOMÉTRICOS E OS POLIEDROS DE PLATÃO TAQUARUSSU = MS AGOSTO

Leia mais

Assustadores e Venenosos

Assustadores e Venenosos Assustadores e Venenosos Assustado e chocado com as plantas tóxicas? Agora o temor e o choque serão ainda maiores. Nos próximos slides, os três animais peçonhentos mais famosos e perigosos que existem

Leia mais

VIVER BEM ÂNGELA HELENA E A PREVENÇÃO DO CÂNCER NEOPLASIAS

VIVER BEM ÂNGELA HELENA E A PREVENÇÃO DO CÂNCER NEOPLASIAS 1 VIVER BEM ÂNGELA HELENA E A PREVENÇÃO DO CÂNCER NEOPLASIAS 2 3 Como muitas mulheres, Ângela Helena tem uma vida corrida. Ela trabalha, cuida da família, faz cursos e também reserva um tempo para cuidar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2014

RESOLUÇÃO Nº 02/2014 RESOLUÇÃO Nº 02/2014 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA, no uso das atribuições que lhe confere a Lei Federal 8.069/1990, da Lei Municipal 1.261 de 16/03/2005 - com as

Leia mais

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno.

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Nota Técnica 1 OBJETO Uso racional de soros antivenenos e atualizações dos protocolos de manejo dos acidentes por animais peçonhentos.

Leia mais

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Categoria: Projetos Externos Temática: Segundo Setor Resumo: O presente case expõe a aplicabilidade de um projeto externo que desafia as acomodações

Leia mais

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ALJEZUR

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ALJEZUR ALJEZUR, 4 DE DEZEMBRO DE 7 INTRODUÇÃO Desde a sua criação até aos dias de hoje, a formação interna dos elementos que constituem o Corpo de Bombeiros Voluntários de Aljezur, tem sido uma constante, na

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 1 INSTRUÇÕES Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA VACINA CONTRA ROTAVÍRUS NA POPULAÇÃO PEDIÁTRICA

A IMPORTÂNCIA DA VACINA CONTRA ROTAVÍRUS NA POPULAÇÃO PEDIÁTRICA A IMPORTÂNCIA DA VACINA CONTRA ROTAVÍRUS NA POPULAÇÃO PEDIÁTRICA BARCELLOS, R. C. * PIRES, T. B. O. * PEREIRA, A. S. M. ** AGUIAR, M. B. ** NEVES, K. S. *** MOTTA, C. F. **** COUTINHO, J. S. **** RESUMO

Leia mais

Formulário da OPAS/OMS para o resumo de caso de influenza humana pelo vírus da Influenza A (H1N1)

Formulário da OPAS/OMS para o resumo de caso de influenza humana pelo vírus da Influenza A (H1N1) Formulário da OPAS/OMS para o resumo de caso de influenza humana pelo vírus da Influenza A (H1N1) O objetivo deste formulário é obter informações importantes para determinar a seriedade e as características

Leia mais

Projeto 10Envolver. Nota Técnica

Projeto 10Envolver. Nota Técnica Nota Técnica Referência: Análise dos dados do componente Educação do Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios de 2013 (Atlas do Desenvolvimento Humano 2013, PNUD, IPEA, FJP) para os municípios incluídos

Leia mais

2 PLANEJAMENTO AMBIENTAL. 2.2 Conceito de Planejamento Ambiental

2 PLANEJAMENTO AMBIENTAL. 2.2 Conceito de Planejamento Ambiental 2 PLANEJAMENTO AMBIENTAL A crescente degradação das bacias hidrográficas evidencia a necessidade de se viabilizar um planejamento ambiental que garanta efetivamente a resolução dos problemas e conflitos

Leia mais

Unidade 1: O Computador

Unidade 1: O Computador Unidade : O Computador.3 Arquitetura básica de um computador O computador é uma máquina que processa informações. É formado por um conjunto de componentes físicos (dispositivos mecânicos, magnéticos, elétricos

Leia mais

PARECER Nº, DE 2008. RELATORA: Senadora ADA MELLO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2008. RELATORA: Senadora ADA MELLO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2008 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 364, de 2008, que altera o art. 8º da Lei n 9.250, de 26 de dezembro de 1995, para permitir a dedução de despesa

Leia mais

Parecer sobre Estudo de Avaliação de Impacto Ambiental, Social e de Saúde no Bloco 6, São Tomé e Príncipe

Parecer sobre Estudo de Avaliação de Impacto Ambiental, Social e de Saúde no Bloco 6, São Tomé e Príncipe REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Gabinete da Presidência do governo Regional Direção Regional do Ambiente e Conservação da Natureza Unidade Disciplina Trabalho Parecer sobre Estudo de Avaliação

Leia mais

Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso

Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso Pragmatismo Político, 14 de maio de 2014 Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso Criticado por Ney Matogrosso e peça da campanha de Aécio, Campos e Dilma, benefício é pago para 14 milhões de famílias.

Leia mais

PET Humanidades Centro das Humanidades/UFOB Rua Prof. José Seabra, S/N, Centro, 47850-100, Barreiras, Ba. E-mail: pet-humanidades@ufob.edu.

PET Humanidades Centro das Humanidades/UFOB Rua Prof. José Seabra, S/N, Centro, 47850-100, Barreiras, Ba. E-mail: pet-humanidades@ufob.edu. PET Humanidades Centro das Humanidades/UFOB Rua Prof. José Seabra, S/N, Centro, 47850-100, Barreiras, Ba. E-mail: pet-humanidades@ufob.edu.br EDITAL PET BI Humanidades/Centro das Humanidades 2014 SELEÇÃO

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL. Exportações ganham importância para indústria brasileira. Comércio Exterior. Opinião CNI

SONDAGEM ESPECIAL. Exportações ganham importância para indústria brasileira. Comércio Exterior. Opinião CNI Indicadores CNI SONDAGEM ESPECIAL 64 Comércio Exterior Exportações ganham importância para indústria brasileira A queda na demanda doméstica e a desvalorização da moeda estão estimulando o aumento das

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES ENGENHARIA AMBIENTAL EAD Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Engenharia Ambiental - Campus EAD INDICADOR Curso* Campus EAD* ÍNDICE DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Os Registros na Pesquisa. Christiane Zubler

Os Registros na Pesquisa. Christiane Zubler Os Registros na Pesquisa Christiane Zubler RELEMBRANDO... A importância de se trabalhar com projetos de pesquisa na educação Básica: O Experiências exitosas; O Como organizar e avaliar feiras de ciências;

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE ESTRESSE EM CUIDADORES DE PESSOAS COM DOENÇA DE ALZHEIMER E DISTÚRBIOS COMPORTAMENTAIS DOS PACIENTES

RELAÇÕES ENTRE ESTRESSE EM CUIDADORES DE PESSOAS COM DOENÇA DE ALZHEIMER E DISTÚRBIOS COMPORTAMENTAIS DOS PACIENTES RELAÇÕES ENTRE ESTRESSE EM CUIDADORES DE PESSOAS COM DOENÇA DE ALZHEIMER E DISTÚRBIOS COMPORTAMENTAIS DOS PACIENTES Ana Virgínia de Castilho Santos Curiacos- Discente do Curso de Psicologia- Unisalesiano

Leia mais

ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS

ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS Maria Luiza Miranda Ribeiro ¹,Nalzilene Raposo ² Universidade Estadual do Maranhão 1, Universidade Estadual do Maranhão 2

Leia mais

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 2015 Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 Junta de Freguesia de Fermentelos Índice NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 3 Missão... 3 Artigo 1º... 3 CAPÍTULO II... 3 Objeto... 3 Artigo 2º...

Leia mais

PLANOS DE CONTINGÊNCIA, PROGRAMA DE ALERTA E PREPARAÇÃO DE COMUNIDADES PARA EMERGÊNCIAS LOCAIS

PLANOS DE CONTINGÊNCIA, PROGRAMA DE ALERTA E PREPARAÇÃO DE COMUNIDADES PARA EMERGÊNCIAS LOCAIS PLANOS DE CONTINGÊNCIA, PROGRAMA DE ALERTA E PREPARAÇÃO DE COMUNIDADES PARA EMERGÊNCIAS LOCAIS Eduardo Lucena C. de Amorim 1 - INTRODUÇÃO IMPACTOS AMBIENTAIS O impacto ambiental é um desequilíbrio provocado

Leia mais

Uma abordagem fuzzy para estimar o desenvolvimento de câncer de pele a partir de fatores de risco

Uma abordagem fuzzy para estimar o desenvolvimento de câncer de pele a partir de fatores de risco Biomatemática 23 (23), 55 62 ISSN 679-365X Uma Publicação do Grupo de Biomatemática IMECC UNICAMP Uma abordagem fuzzy para estimar o desenvolvimento de câncer de pele a partir de fatores de risco Beatriz

Leia mais

FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS

FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS Júlia Carla de Queiroz 1, Veronica Rodrigues de Mendonça 2, Ammanda Adhemer Albuquerque Bandeira 3, Etienne

Leia mais

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade

AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade 1 AULA 07 Distribuições Discretas de Probabilidade Ernesto F. L. Amaral 31 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

DIREÇÃO DE COMPROVAÇÃO DA QUALIDADE DIREÇÃO DE PRODUTOS DE SAÚDE

DIREÇÃO DE COMPROVAÇÃO DA QUALIDADE DIREÇÃO DE PRODUTOS DE SAÚDE DIREÇÃO DE COMPROVAÇÃO DA QUALIDADE DIREÇÃO DE PRODUTOS DE SAÚDE Dispositivos Médicos para o Controlo da Diabetes - agulhas, lancetas e seringas Dispositivos Médicos para o Controlo da Diabetes 17-07-2012

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG

FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG Maria Wellitania de Oliveira Adriana de Miranda Santiago Terra Eduardo Fernandes de Miranda Sandra de Cássia Amorim Abrão

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 Principais resultados da PNAD 2013 potencialmente relacionados às ações e programas do MDS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

Título do projeto Avaliação do estado de saúde de idosos cadastrados em uma estratégia de saúde da família no município de Anápolis - GO

Título do projeto Avaliação do estado de saúde de idosos cadastrados em uma estratégia de saúde da família no município de Anápolis - GO PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E AÇÃO COMUNITÁRIA. COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA OFÍCIO 169 2010 CEP Número de Protocolo: 2896/2010 Anápolis, 2 de setembro de 2010. Título do projeto Avaliação

Leia mais

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Orientação para pacientes com Cálculo (pedra) da vesícula. Quem pode ter pedra (cálculo) na vesícula? Pedra ou calculo da vesícula e uma doença bastante comum.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO DE CITALOPRAM NO MUNÍCIPIO DE CASTILHO/SP

AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO DE CITALOPRAM NO MUNÍCIPIO DE CASTILHO/SP AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO DE CITALOPRAM NO MUNÍCIPIO DE CASTILHO/SP Glaziely Jesus Freitas da Cruz Denise Cristina S. Takemoto Rodrigo Ferreira Corsato Graduando em Farmácia Juliana Gomes de Faria Silvana

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO 2014 DADOS DA INSTITUIÇÃO INSTITUIÇÃO CONVENIADA DIRETOR (A) ENDEREÇO MUNICÍPIO UF CEP TELEFONE FAX DESCRIÇÃO DO PLANO JUSTIFICATIVA Neste campo, retratar a situação do atendimento

Leia mais

3 Metodologia de pesquisa

3 Metodologia de pesquisa 3 Metodologia de pesquisa Esta pesquisa foi concebida com o intuito de identificar como a interação entre o gerenciamento de projetos e o planejamento estratégico estava ocorrendo nas empresas do grupo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI SIMULADORES VIRTUAIS ALIADOS AO ENSINO DE FÍSICA GOIOERÊ

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 7.028, de 2013 (Apensado: PL nº 7.568, de 2014)

PROJETO DE LEI N o 7.028, de 2013 (Apensado: PL nº 7.568, de 2014) COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N o 7.028, de 2013 (Apensado: PL nº 7.568, de 2014) Inclui a disciplina Educação para o Trânsito como conteúdo do Ensino Fundamental e cria mecanismos para coibir a

Leia mais

Eixo Temático ET-07-010 - Desenvolvimento de Estratégias Didáticas

Eixo Temático ET-07-010 - Desenvolvimento de Estratégias Didáticas 75 Eixo Temático ET-07-010 - Desenvolvimento de Estratégias Didáticas SANEAMENTO BÁSICO E A PERSPECTIVA DA COMUNIDADE COM RELAÇÃO AOS BENEFÍCIOS E IMPACTOS AMBIENTAIS Mara Araújo Ferreira*; Edna Lúcia

Leia mais

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ Prémio Jovem Empreendedor Regulamento Municí pio de Grâ ndolâ Regulamento do Prémio Jovem Empreendedor Preâmbulo O empreendedorismo tem vindo a assumir, dadas as atuais circunstâncias económicas e sociais,

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 26 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 26-21/07/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

Plano de Manejo Parque Natural Municipal Doutor Tancredo de Almeida Neves. Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO. IVB-2012 Página 1

Plano de Manejo Parque Natural Municipal Doutor Tancredo de Almeida Neves. Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO. IVB-2012 Página 1 Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO IVB-2012 Página 1 CONTEÚDO 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 6.1 Monitoramento e avaliação anual da implementação do Plano 6.2 Monitoramento e avaliação da efetividade do

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Fonte de Informação Experiências Exitosas de Gestão Estratégica e Participativa nas instâncias do SUS

TERMO DE REFERÊNCIA. Fonte de Informação Experiências Exitosas de Gestão Estratégica e Participativa nas instâncias do SUS TERMO DE REFERÊNCIA Fonte de Informação Eperiências Eitosas de Gestão Estratégica e Participativa nas instâncias do SUS 1. Nome do Projeto - conteto: Biblioteca Virtual em Saúde Pública, biênio 2006/2007

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2004 Ano Base 2001_2002_2003 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA ÁREA DE QUÍMICA 2001/2003

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2004 Ano Base 2001_2002_2003 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA ÁREA DE QUÍMICA 2001/2003 Área de Avaliação: CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA ÁREA DE 2001/2003 I - Proposta do Programa Uma proposta é considerada adequada quando se observa coerência entre a estrutura

Leia mais

4 Contextualização das Escolas Pesquisadas

4 Contextualização das Escolas Pesquisadas 4 Contextualização das Escolas Pesquisadas Neste capítulo são apresentadas as Escolas C, D e E em relação ao contexto geográfico no qual estão inseridas, à caracterização da área ocupada pelas instituições

Leia mais

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015 HIV/AIDS - 215 3/11/215 Página 1 de 6 1. Descrição da doença A AIDS é uma doença causada pelo vírus do HIV, que é um retrovírus adquirido principalmente por via sexual (sexo desprotegido) e sanguínea,

Leia mais

Adultos e crianças com mais de 6 anos: Uma pastilha 3 vezes ao dia. O tratamento não deve exceder os 7 dias.

Adultos e crianças com mais de 6 anos: Uma pastilha 3 vezes ao dia. O tratamento não deve exceder os 7 dias. RESUMO DAS CARACTERISTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Tantum Verde, 3 mg, pastilhas, sabor a menta 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada Pastilha contém 3 mg de cloridrato de benzidamina

Leia mais

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Ano 2014 Administração: Rodrigo Antônio de Agostinho Mendonça Secretária do Bem Estar Social: Darlene Martin Tendolo Diretora de Departamento: Silmaire

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Presidente da República DILMA ROUSSEFF MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Ministro de Estado da Justiça JOSÉ EDUARDO CARDOZO Secretária-Executiva MÁRCIA PELEGRINI DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DA PARAÍBA SEDUP FACULDADES DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA FESP

SOCIEDADE EDUCACIONAL DA PARAÍBA SEDUP FACULDADES DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA FESP SOCIEDADE EDUCACIONAL DA PARAÍBA SEDUP FACULDADES DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA FESP Edital Nº. 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito: A Coordenação de Pesquisa e Extensão através

Leia mais

Introdução. Parte do Trabalho de Conclusão de Curso do Primeiro Autor. 2

Introdução. Parte do Trabalho de Conclusão de Curso do Primeiro Autor. 2 399 IMPLANTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA O PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) NA POPULAÇÃO FEMININA EM IDADE FÉRTIL: PERSPECTIVAS DE DIMINUIÇÃO DA INCIDÊNCIA DE CASOS DE CÂNCER DE COLO DO ÚTERO 1 Kelen Lopes Da Silva

Leia mais

1º Concurso - Universidades Jornalismo e Publicidade - Maio Amarelo 2016

1º Concurso - Universidades Jornalismo e Publicidade - Maio Amarelo 2016 1º Concurso - Universidades Jornalismo e Publicidade - Maio Amarelo 2016 Justificativa O Movimento Maio Amarelo nasceu com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e

Leia mais

LABIRIN. dicloridrato de betaistina

LABIRIN. dicloridrato de betaistina LABIRIN dicloridrato de betaistina APRESENTAÇÃO Comprimidos de 24 mg. Caixa com 30 e 60 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido contém: dicloridrato de betaistina... 24 mg Excipientes

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO MANUAL DE PREENCHIMENTO

PROPOSTA DE PROJETO MANUAL DE PREENCHIMENTO PROPOSTA DE PROJETO MANUAL DE PREENCHIMENTO Cuiabá, 26 de julho de 2005 01-Proposta de Projeto.doc Instruções para Preenchimento dos Formulários do Projeto Este documento deve ser utilizado como referência

Leia mais

4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES A metrologia como insumo para a gestão da qualidade desenvolve um papel essencial no ciclo de vida de produtos. Faz-se presente em todas as fases, concepção, especificação

Leia mais

A dependência entre a inflação cabo-verdiana e a portuguesa: uma abordagem de copulas.

A dependência entre a inflação cabo-verdiana e a portuguesa: uma abordagem de copulas. A dependência entre a inflação cabo-verdiana e a portuguesa: uma abordagem de copulas. Jailson da Conceição Teixeira Oliveira 1 Murilo Massaru da Silva 2 Robson Oliveira Lima 3 Resumo: Cabo Verde é um

Leia mais

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO UM JOGO BINOMIAL São muitos os casos de aplicação, no cotidiano de cada um de nós, dos conceitos de probabilidade. Afinal, o mundo é probabilístico, não determinístico; a natureza acontece

Leia mais

Modelo Comportamental

Modelo Comportamental MEDIDA 2.2 - Cursos de Educação e Formação de Adultos Modelo Comportamental Documento de apoio 3 Diagrama Entidade Relação Curso de Educação e Formação de Adultos Turma de Qualificação Escolar de Nível

Leia mais

O POTENCIAL DE INOVAÇÃO E A QUESTÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NAS INDÚSTRIAS DA REGIÃO NOROESTE DO RS 1

O POTENCIAL DE INOVAÇÃO E A QUESTÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NAS INDÚSTRIAS DA REGIÃO NOROESTE DO RS 1 O POTENCIAL DE INOVAÇÃO E A QUESTÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NAS INDÚSTRIAS DA REGIÃO NOROESTE DO RS 1 Valquíria Marchezan Colatto Martins 2, Dieter Rugard Siedenberg 3, Marcos Paulo Dhein Griebeler

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Estrutura Organizacional Organização da Empresa: É a ordenação e agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance dos objetivos

Leia mais