CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB"

Transcrição

1 REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CURSO DE PÓS-MBA Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB Coordenação Acadêmica: Prof. André Limeira, MSc. Prof. Betovem Coura, MSc.

2 A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada em 2009 com o objetivo de ser uma sólida opção para a formação e desenvolvimento de pessoas com foco na preparação de profissionais, executivos e líderes para Alagoas. Conveniada da Fundação Getulio Vargas - FGV, oferece curso de graduação em Administração de Empresas e formação continuada do programa FGV Management, Certificação de Qualidade e Online, que atendem aos diversos segmentos de profissionais de administração de empresas privadas, públicas e do terceiro setor. A FAN-FGV firmou-se como instituição de ensino através da OFM, que está no mercado desde 1996 oferecendo soluções em TI específicas para cada empresa e cliente. Buscando a excelência profissional e empresarial, a OFM teve contato com a FGV e seus cursos, e em 2007, em uma iniciativa arrojada e desenvolvimentista passou a canalizar investimentos na área de ensino. Assinou o convênio com essa renomada instituição de ensino que tem como missão o desenvolvimento do país através da educação e passou a oferecer toda a cadeia de produtos, serviços e principalmente de cursos da FGV em Alagoas. A OFM buscou, através desta parceria, aperfeiçoar sua visão e percepção da administração, trazendo o conhecimento dos melhores formadores de administradores do país. Em 2010 a FAN recebeu a nota máxima na avaliação do Ministério da Educação para o curso de Graduação em Administração de Empresas, consolidando sua missão em oferecer excelência em ensino e estrutura para nosso estado, e tornou-se apta para, no final de 2011, iniciar o vestibular para o curso com a chancela da FGV. O intuito da FAN-FGV para com os futuros alunos é de manter um compromisso de lapidação intelectual, preparação para a solução de problemas, e associação contínua de teoria e prática em um ensino inter e multidisciplinar. Entendendo que o desenvolvimento só é possível através da educação de qualidade, a FAN-FGV busca oferecer excelência em ensino para que os profissionais de Alagoas e o estado em si possam alcançar um posto de destaque no país e no mundo.

3 OBJETIVO: Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB O PÓS MBA EM CONVERGÊNCIA DE NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS PARA AS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE tem o objetivo de capacitar os participantes a analisar as leis /07 e /09 comparativamente com a legislação anterior, identificar as ações brasileiras voltadas à convergência das normas contábeis brasileiras para as normas internacionais de contabilidade e aplicar os pronunciamentos do CPC Comitê de Pronunciamentos Contábeis no processo de elaboração e análise de demonstrações contábeis. PÚBLICO ALVO: Este curso destina-se a profissionais pós - graduados que visam assumir a Diretoria de Controladoria ou posições de comando em empresas; Profissionais que atuam em outras áreas, mas que percebam a importância do conhecimento de Contabilidade no nível internacional no seu desenvolvimento profissional; Executivos com responsabilidades crescentes e carentes de uma base conceitual adequada em Contabilidade; Empresas com programas de treinamento para profissionais da área de Contabilidade e Controladoria. METODOLOGIA DO TCC O TCC se inicia na disciplina de Convergência e Demonstrações Contábeis, sendo acompanhado pela coordenação acadêmica do MBA, com prazo de entrega de 60 (sessenta) dias após o término do programa. O foco do MBA terá duas partes, a saber: Os efeitos do processo de convergência mundial de normas contábeis nos relatórios contábeis e suas conseqüências para os usuários, e a ênfase em um tema específico do PÓS MBA, a ser escolhido pelo aluno. CARGA HORÁRIA TOTAL: 120 horas aula Disciplinas 1. Convergência e Demonstrações Contábeis 2. Ativos e Passivos Financeiros 3. Estoques e Atividades Especiais 4. Intangível, Imobilizado e outros Bens 5. Passivos, Receitas e Despesas 6. Grupos empresariais e Combinação de Negócios Disciplinas e Ementas 1 - Convergência e Demonstrações Contábeis - 20 Horas-aula Evolução das Normas Contábeis Brasileiras e Internacionais, Reforma da Legislação Societária, Comitê de Pronunciamentos Contábeis, Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis, Apresentação das Demonstrações Contábeis, Demonstração Intermediária, Demonstração dos Fluxos de Caixa,

4 Demonstração do Valor Adicionado (DVA), Divulgação sobre Partes Relacionadas, Informações por Segmento, Políticas Contábeis, Mudanças de Estimativa e Retificação de Erro, Evento Subsequente, Contabilidade e Evidenciação em Economia Hiperinflacionária. 2 - Ativos e Passivos Financeiros - 20 Horas-aula Ajuste a Valor Presente, Empréstimos e Recebíveis, Instrumentos Financeiros: Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação, Operações com Derivativos, Hedge, Swap, Contratos de Seguro. 3 - Estoques e Atividades Especiais - 20 Horas-aula Estoques, Ativo Biológico e Produto Agrícola, Exploração e Avaliação de Recursos Minerais, Entidades de Incorporação Imobiliária, Contrato de Construção do Setor Imobiliário, Concessões. 4 - Intangível, Imobilizado e outros Bens - 20 Horas-aula Ativo Intangível, Ativo Imobilizado, Redução ao Valor Recuperável de Ativos, Operações de Arrendamento Mercantil, Custos de Empréstimos, Propriedade para Investimento, Ativo Não-Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada 5 - Passivos, Receitas e Despesas - 20 Horas-aula Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes, Receitas, Contratos de Construção, Subvenção e Assistência Governamentais, Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários, Pagamento Baseado em Ações, Tributos sobre o Lucro, Benefícios a Empregados. 6 - Grupos empresariais e Combinação de Negócios - 20 Horas-aula Investimento em Coligada, Investimento em Empreendimento Conjunto, Demonstrações Separadas, Demonstrações Consolidadas, Combinação de Negócios, Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis. Serão identificados a partir da definição das ementas 1. Convergência e Demonstrações Contábeis 2. Ativos e Passivos Financeiros 3. Estoques e Atividades Especiais 4. Intangível, Imobilizado e outros Bens 5. Passivos, Receitas e Despesas 6. Grupos empresariais e Combinação de Negócios Programa das Disciplinas 1 - Convergência e Demonstrações Contábeis - 20 Horas-aula Evolução das Normas Contábeis Brasileiras e Internacionais Órgãos regulamentadores

5 Brasileiros: lei 6.404, CVM, CFC, Banco Central Convergência, harmonização, uniformidade e padronização Reforma da Legislação Societária Lei /07 e Lei /09 (MP 449/08) Equiparação das sociedades de grande porte às sociedades por ações Comitê de Pronunciamentos Contábeis Alterações nas práticas contábeis RTT Regime Tributário de Transição Comitê de Pronunciamentos Contábeis Origem, objetivo e composição CPC 00 Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis CPC 00 C1 Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis - Complemento nº. 1 CPC 13 Adoção Inicial da Lei no /07 e da Medida Provisória no. 449/08 CPC 37 Adoção Inicial das IFRSs (IFRS 1) CPC 26 Apresentação das Demonstrações Contábeis (IAS 1) CPC 21 Demonstração Intermediária (IAS 34) CPC 03 Demonstração dos Fluxos de Caixa (IAS 7) CPC 09 Demonstração do Valor Adicionado (DVA) CPC 05 Divulgação sobre Partes Relacionadas (IAS 24) CPC 22 Informações por Segmento (IFRS 8) CPC 23 Políticas Contábeis, Mudanças de Estimativa e Retificação de Erro (IAS 8) CPC 24 Evento Subsequente (IAS 10) OCPC 02 Esclarecimentos sobre as Demonstrações Contábeis de 2008 CPC 42 Contabilidade e Evidenciação em Economia Hiperinflacionária (IAS 29) 2 - Ativos e Passivos Financeiros - 20 Horas-aula CPC 12 Ajuste a Valor Presente CPC 14 Instrumentos Financeiros: Reconhecimento, Mensuração e Evidenciação (Fase I) CPC 38 Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração (IAS 39) CPC 39 Instrumentos Financeiros: Apresentação (IAS 32) CPC 40 Instrumentos Financeiros: Evidenciação (IFRS 7) CPC 11 Contratos de Seguro (IFRS 4) 3 - Estoques e Atividades Especiais - 20 Horas-aula CPC 16 Estoques (IAS 2) CPC 29 Ativo Biológico e Produto Agrícola (IAS 41) CPC 34 Exploração e Avaliação de Recursos Minerais (IFRS 6) OCPC 01 Entidades de Incorporação Imobiliária (Orientação) ICPC 02 Contrato de Construção do Setor Imobiliário (IFRIC 15)

6 ICPC 01 Concessões (IFRIC 12) 4 - Intangível, Imobilizado e outros Bens - 20 Horas-aula CPC 04 Ativo Intangível (IAS 38) CPC 27 Ativo Imobilizado (IAS 16) CPC 01 Redução ao Valor Recuperável de Ativos (IAS 36) CPC 06 Operações de Arrendamento Mercantil (IAS 17) CPC 20 Custos de Empréstimos (IAS 23) CPC 28 Propriedade para Investimento (IAS 40) CPC 31 Ativo Não-Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada (IFRS 5) 5 - Passivos, Receitas e Despesas - 20 Horas-aula CPC 25 Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes (IAS 37) CPC 30 Receitas (IAS 18) CPC 17 Contratos de Construção (IAS 11) CPC 07 Subvenção e Assistência Governamentais (IAS 20) CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários (IAS 39 - partes) CPC 10 Pagamento Baseado em Ações (IFRS 2) CPC 32 Tributos sobre o Lucro (IAS 12) CPC 33 Benefícios a Empregados (IAS 19) 6 - Grupos empresariais e Combinação de Negócios - 20 Horas-aula CPC 18 Investimento em Coligada (IAS 28) CPC 19 Investimento em Empreendimento Conjunto (IAS 31) CPC 35 Demonstrações Separadas (IAS 27) CPC 36 Demonstrações Consolidadas (IAS 27) CPC 15 Combinação de Negócios (IFRS 3) CPC 02 Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis (IAS 21)

7 INVESTIMENTO À VISTA INVESTIMENTO À PRAZO** R$ 7.147,67 CONSULTE-NOS ** Valor reajustado pelo IGPM após 12 parcela da assinatura do contrato. REQUISITOS PARA MATRÍCULA Ÿ Preenchimento do Formulário de Matrícula Ÿ Duas fotos 3x4 Ÿ Cópia do CPF Ÿ Cópia do R.G Ÿ Cópia do comprovante de residência Ÿ Cópia do comprovante de Rendimentos Ÿ Cópia e Original: Diploma (Frente e Verso) Ÿ Cópia do Certificado de especialização Ÿ Cópia do Histórico Universitário Ÿ Pagamento da matrícula Obs: A matrícula do aluno só poderá ser efetuada mediante a apresentação da documentação citada acima.

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB CURSO DE PÓS-MBA Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB Código no SIGA: PMBACBIC09/00 Coordenação Acadêmica

Leia mais

A Única Escola de Negócios de Alagoas.

A Única Escola de Negócios de Alagoas. Referência em Educação Executiva A Única Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada em 2009 com o objetivo de ser uma sólida opção para a formação e desenvolvimento

Leia mais

POSIÇÃO ATUAL DOS PRONUNCIAMENTOS, INTERPRETAÇÕES E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS

POSIÇÃO ATUAL DOS PRONUNCIAMENTOS, INTERPRETAÇÕES E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS POSIÇÃO ATUAL DOS PRONUNCIAMENTOS, INTERPRETAÇÕES E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC 00 CPC 01 CPC 02 CPC 03 CPC 04 CPC 05 CPC 06 CPC 07 CPC 08 EMITIDOS Pronunciamento Técnico

Leia mais

CADEMP FGV. Pesquisas de Opinião Para a Administração Pública. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA

CADEMP FGV. Pesquisas de Opinião Para a Administração Pública. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CADEMP FGV Pesquisas de Opinião Para a Administração Pública Coordenação Acadêmica: Prof. Fernando Salgado A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração

Leia mais

CADEMP FGV. Elaboração de Projeto Básico, Termo de Referência. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA

CADEMP FGV. Elaboração de Projeto Básico, Termo de Referência. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CADEMP FGV Elaboração de Projeto Básico, Termo de Referência Coordenação Acadêmica: Prof. Fernando Salgado A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração

Leia mais

CADEMP FGV. Gestão e Liderança. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA. Coordenação Acadêmica: Prof.

CADEMP FGV. Gestão e Liderança. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA. Coordenação Acadêmica: Prof. REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CADEMP FGV Gestão e Liderança Coordenação Acadêmica: Prof. Fernando Salgado A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada em

Leia mais

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC O Comitê de Pronunciamentos - CPC Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de - FBC Objetivo: O estudo, o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de e a divulgação de informações

Leia mais

Pontuação homologada para o PEPC - 2014

Pontuação homologada para o PEPC - 2014 100 PORCENTO AUDIT 100 PORCENTO AUDIT AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL

Leia mais

LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS)

LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS) LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS) Miguel Silva RTD REGIME TRIBUTÁRIO DEFINITIVO (Vigência e Opção pela Antecipação de seus Efeitos) 1 Para efeito de determinação do IRPJ, CSLL, PIS-PASEP e

Leia mais

CADEMP FGV. CADEMP ADMINISTRAÇÃO - Gerenciamento de Projetos e Portfólio. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA

CADEMP FGV. CADEMP ADMINISTRAÇÃO - Gerenciamento de Projetos e Portfólio. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CADEMP FGV CADEMP ADMINISTRAÇÃO - Gerenciamento de Projetos e Portfólio Coordenação Acadêmica: Prof. Fernando Salgado A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de

Leia mais

CADEMP FGV. Licitações Públicas. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA. Coordenação Acadêmica: Prof.

CADEMP FGV. Licitações Públicas. Referência em Educação Executiva REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA. Coordenação Acadêmica: Prof. REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA CADEMP FGV Licitações Públicas Coordenação Acadêmica: Prof. Fernando Salgado A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada em

Leia mais

MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade)

MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) MBA em IFRS (Normas Internacionais de Contabilidade) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 10º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ ORIGEM e COMPOSIÇÃO O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) foi idealizado a partir da união de esforços e comunhão de objetivos das seguintes entidades: -ABRASCA: Presidente - ANTONIO DUARTE CARVALHO

Leia mais

A Escola de Negócios de Alagoas.

A Escola de Negócios de Alagoas. A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada em 2009 com o objetivo de ser uma sólida opção para a formação e desenvolvimento de pessoas com foco na preparação

Leia mais

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem 1 * Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem Em função das Necessidades de: - convergência internacional das normas contábeis (redução de custo de elaboração de relatórios contábeis, redução de riscos

Leia mais

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Conhecimento essencial em Gestão de Controladoria Depois de sucessivas crises econômicas, os investidores pressionam cada vez mais pela

Leia mais

TABELA DE PONTUAÇÃO 2012

TABELA DE PONTUAÇÃO 2012 Encantado Cruz Alta Soledade Gravataí Caxias do Sul Ijui Cerro Largo Curso de Auditoria voltado à validação da escrituração contábil fundamentado nas novas NBCs e nos dispositivos das legislações comercial

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 41-CEPE/UNICENTRO, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012. Aprova o Curso de Especialização MBA em International Financial Reporting Standards, IFRS, Comitê de Pronunciamentos Contábeis, CPC, e Controladoria,

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2010

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2010 Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2010 Equipe técnica Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Ed Ruiz Rogério Mota Emerson Ferreira Jonas Dal

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 13º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA JUNHO/2013 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA

Leia mais

Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação

Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação A Nova Lei das S/A Lei nº 11.638/07 Introdução Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação Dependência de normatização: CVM, BACEN, SUSEP, CFC e outros LEI nº 11.638 versus Medida

Leia mais

Demonstrações financeiras Exercício de 2013 O aperfeiçoamento das regras contábeis brasileiras

Demonstrações financeiras Exercício de 2013 O aperfeiçoamento das regras contábeis brasileiras Demonstrações financeiras Exercício de 2013 O aperfeiçoamento das regras contábeis brasileiras Acesse este e outros conteúdos em www.deloitte.com.br e por meio do aplicativo Deloitte Publicações, disponível

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS PARTE 1 - IFRS NORMATIVOS E SEUS EFEITOS NO PROCESSO DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS PARTE 2 MENSURAÇÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IFRS GRUPO APLICABILIDADE IFRS FULL ENTIDADES

Leia mais

Estrutura, Análise e Interpretação das Demonstrações Contábeis

Estrutura, Análise e Interpretação das Demonstrações Contábeis Alexandre Alcantara da Silva Estrutura, Análise e Interpretação das Demonstrações Contábeis Adendo à 1ª edição Texto atualizado em 28.04.2009 Relativo às alterações introduzidas pela Lei nº 11.638/2007

Leia mais

MBA BPM - Business Process

MBA BPM - Business Process MBA BPM - Business Process Management BPM - Business Process Management O curso busca fundamentar o profissional na gestão de processos, provendo-lhe uma visão geral dos conceitos e princípios do que é

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2014

Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2014 Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2014 Acesse este e outros conteúdos em www.deloitte.com.br

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2013

Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2013 Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) e Práticas Contábeis Adotadas no Brasil (BR GAAP) Modelo de demonstrações financeiras para 2013 Acesse este e outros conteúdos em www.deloitte.com.br

Leia mais

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa outubro/2010 1 SIMPLIFICAÇÃO DOS PRONUNCIAMENTOS: Pronunciamento CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (225 páginas)

Leia mais

MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores Coordenação Acadêmica: Prof. Edmarson Bacelar Mota, M. A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios

Leia mais

Desafios do IFRS para empresas brasileiras

Desafios do IFRS para empresas brasileiras Desafios do IFRS para empresas brasileiras Estamos em consonância com o mundo? 3º Encontro de Contabilidade e Auditoria 16 de setembro de 2013 Ramon D. Jubels 3º Encontro de Contabilidade e Auditoria 1

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 19. Tributos. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRIC 21 (BV2013)

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 19. Tributos. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRIC 21 (BV2013) COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 19 Tributos Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRIC 21 (BV2013) Sumário Item REFERÊNCIAS CONTEXTO 1 ALCANCE 2 6 QUESTÕES

Leia mais

Checklist de divulgação: IFRS/CPC - 2010

Checklist de divulgação: IFRS/CPC - 2010 Checklist de divulgação: IFRS/CPC - 2010 Checklist de divulgação: IFRS/CPC 2010 Introdução... 5 Estrutura do checklist de divulgação... 6 Formato do checklist de divulgação... 6 Seção A Divulgações aplicáveis

Leia mais

Notas Explicativas Extensas no Brasil: Revelam ou Ocultam?

Notas Explicativas Extensas no Brasil: Revelam ou Ocultam? Notas Explicativas Extensas no Brasil: Revelam ou Ocultam? Nível de Compliance com o Disclosure Requerido pelo IFRS e Análise da Materialidade AAA (2013); ANPCONT (2013) - Prêmio Melhor Artigo; EnANPAD

Leia mais

A Busca da Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais

A Busca da Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) 1 A Busca da Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais Programa de trabalho 2008 a 2010* * Atualizado em função da edição da Lei no. 11.638/07 (a)

Leia mais

BR GAAP vs. IFRS. Visão Geral. Junho de 2009

BR GAAP vs. IFRS. Visão Geral. Junho de 2009 BR GAAP vs. IFRS Visão Geral Junho de 2009 Índice Introdução 4 Normas convergidas CPC 01 - Redução ao Valor Recuperável de Ativos CPC 02 - Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações

Leia mais

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria Pense antes de imprimir. A natureza agradece. MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria COMPROMISSO NÃO É CHEGAR SEMPRE NO HORÁRIO, É, ÀS VEZES, PERDER A NOÇÃO DO TEMPO. O que é ser bem-sucedido?

Leia mais

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13 Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13 Adoção Inicial da Lei n o 11.638/07 e da Medida Provisória n o 449/08 Observação: Este sumário, que não faz parte do Pronunciamento, está sendo apresentado apenas

Leia mais

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria Coordenação Acadêmica: Prof. Fernando Augusto Furtado Pinto A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 43 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da adoção inicial dos pronunciamentos técnicos CPC 15 a 40. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Resolução CFC nº 1.159, de 13/02/2009 DOU 1 de 04/03/2009 Aprova o Comunicado Técnico CT 01 que aborda como os ajustes das novas práticas contábeis adotadas no Brasil trazidas pela Lei nº 11.638/07 e MP

Leia mais

EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SNC Nº 03/2014 ICPC 19 TRIBUTOS. Prazo: 15 de setembro de 2014

EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SNC Nº 03/2014 ICPC 19 TRIBUTOS. Prazo: 15 de setembro de 2014 EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SNC Nº 03/2014 ICPC 19 TRIBUTOS Prazo: 15 de setembro de 2014 O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Conselho Federal de Contabilidade

Leia mais

RELATÓRIO COMPLETO DE CURSOS/EVENTOS

RELATÓRIO COMPLETO DE CURSOS/EVENTOS 01182 NORMAS BRASILEIRAS E INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE VISÃ? O GERAL DAS PRINCIPAIS DIFERENÃ? AS SETOR PÃ? ºBLICO (IPSAS) VERSUS SETOR PRIVADO (IAS / IFRS) Capacitadora: 00006 - IBRACON - INSTITUTO

Leia mais

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional AS IFRS COMO FATOR IMPULSIONADOR DA ECONOMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL NO BRASIL JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR José Hernandez Perez Junior 1 PALESTRANTE JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR PhD Doctor of Philosophy

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.315/10

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.315/10 NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 19.40 para NBC TG 43 e de outras normas citadas: de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL; de NBC T 19.18 para

Leia mais

DESAFIOS. Mudanças no Cenário da Contabilidade. Reflexos no Brasil: área privada e pública. Desafios da Educação Contábil

DESAFIOS. Mudanças no Cenário da Contabilidade. Reflexos no Brasil: área privada e pública. Desafios da Educação Contábil EDUCAÇÃO CONTINUADA Desafios para o Profissional de Contabilidade Prof. Dr. Aridelmo Teixeira / Prof. Dr Valcemiro Nossa DESAFIOS Mudanças no Cenário da Contabilidade Reflexos no Brasil: área privada e

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 2 Demonstrações financeiras para o exercício findo em 31 de dezembro de 2009 As demonstrações financeiras, modelo

Leia mais

Visão Geral. Normas Brasileiras e Internacionais (NBC TA / ISA) de Auditoria e de Contabilidade (CPC / IFRS) São Paulo 12.2.15

Visão Geral. Normas Brasileiras e Internacionais (NBC TA / ISA) de Auditoria e de Contabilidade (CPC / IFRS) São Paulo 12.2.15 Visão Geral Normas Brasileiras e Internacionais (NBC TA / ISA) de Auditoria e de Contabilidade (CPC / IFRS) São Paulo 12.2.15 O Instrutor Roberto Vilela Resende não se responsabiliza pelo uso deste material

Leia mais

Claucineia Slaviero Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ) claucineia@unochapeco.edu.br

Claucineia Slaviero Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ) claucineia@unochapeco.edu.br Os Principais Impactos à Aplicabilidade das Normas Internacionais de Contabilidade reflexos nas demonstrações contábeis do segmento frigorífico e transporte. Claucineia Slaviero Universidade Comunitária

Leia mais

SEMANA EMPRESARIAL FGV Projetos em Saúde

SEMANA EMPRESARIAL FGV Projetos em Saúde FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Criada há 60 anos com o objetivo de ser uma instituição voltada ao desenvolvimento intelectual do País, a Fundação Getulio Vargas é composta por escolas e importantes centros de

Leia mais

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014 Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT Claudio Yano 20 de maio de 2014 DIPJ 2014 Prazo de entrega Programa Gerador aprovado pela IN RFB 1.463/14; Prazo para entrega:

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008

O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008 O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008 Pronunciamento CPC 013 Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07 e da Medida Provisória no 449/08 Antônio Carlos Palácios Vice-Presidente

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 13. Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07 e da Medida Provisória n o 449/08

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 13. Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07 e da Medida Provisória n o 449/08 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 13 Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07 e da Medida Provisória n o 449/08 Índice Itens Introdução 1 4 Objetivo 5 6 Alcance 7 9 Práticas contábeis

Leia mais

Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBC T SP) às IPSAS

Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBC T SP) às IPSAS Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Aplicadas ao Setor Público (NBC T SP) às IPSAS Grupo de Estudo da Área Pública Expandido do CFC Coordenadora: Verônica Souto Maior Coordenador Adjunto:

Leia mais

CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE Profs. Eliseu Martins e Ariovaldo dos Santos Apresentação e atualização: Pretextato Mello Contador (Modéstia à parte) 1 - Introdução Mudança de natureza

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

MBA em Gestão Empresarial

MBA em Gestão Empresarial REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão Empresarial Coordenação Acadêmica: Prof. Isnard Marshall Junior A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada em

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.265/09. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.265/09. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Interpretação de IT 12 para ITG 12 e de outras normas citadas: de NBC T 19.1 para NBC TG 27; de NBC T 19.7 para NBC TG 25; de NBC

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/09/2009 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS

Leia mais

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA Sócio da Deloitte e autor de livros da Editora Atlas 1 EVOLUÇÃO Instrução CVM n 457/07 Demonstrações financeiras consolidadas a partir

Leia mais

Observações na Implementação da Lei n 11.638/07. Junho 2009

Observações na Implementação da Lei n 11.638/07. Junho 2009 Observações na Implementação da Lei n 11.638/07 Junho 2009 Índice Introdução 3 Resumo dos resultados 4 Impactos da Lei n 11.638/07 por segmento de indústria 6 Telecomunicações 8 Energia 10 Mercado Imobiliário

Leia mais

A ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL: UM COMPARATIVO ANTES E DEPOIS DA ADOÇÃO DO PADRÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL.

A ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL: UM COMPARATIVO ANTES E DEPOIS DA ADOÇÃO DO PADRÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL. A ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL: UM COMPARATIVO ANTES E DEPOIS DA ADOÇÃO DO PADRÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL. Eliseu Pereira Lara 1 RESUMO: As alterações ocorridas na legislação contábil, visando à adequação

Leia mais

FECHAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DE 2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E FISCO- TRIBUTÁRIOS

FECHAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DE 2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E FISCO- TRIBUTÁRIOS Soluções de auditoria e consultoria que garantem o sucesso do seu negócio. TREINAMENTO CORPORATIVO FECHAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DE 2014 ASPECTOS CONTÁBEIS E FISCO- TRIBUTÁRIOS 11 e 12 de dezembro

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 20. Custos de Empréstimos. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 23

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 20. Custos de Empréstimos. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 23 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 20 Custos de Empréstimos Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 23 Índice OBJETIVO 1 Item ALCANCE 2 4 DEFINIÇÕES 5 7 RECONHECIMENTO

Leia mais

MBA CONTABILIDADE ESTRATÉGICA E GESTÃO DE NEGÓCIOS

MBA CONTABILIDADE ESTRATÉGICA E GESTÃO DE NEGÓCIOS MBA CONTABILIDADE ESTRATÉGICA E GESTÃO DE NEGÓCIOS Apresentação MBA desenvolvido por uma das mais reconhecidas e respeitadas Universidades do país UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro, com tradição

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Dia do Contabilista: Encontro de Especialidades A Atuação da Auditoria Independente no Âmbito das IFRS

Dia do Contabilista: Encontro de Especialidades A Atuação da Auditoria Independente no Âmbito das IFRS Dia do Contabilista: Encontro de Especialidades A Atuação da Auditoria Independente no Âmbito das IFRS Alexandre Dias Fernandes 18 de maio de 2012 Introdução das IFRS no Brasil Órgãos Reguladores Contabilidade

Leia mais

IFRS-PME-NBC TG 1000 SEÇÃO 35-ADOÇÃO INICIAL 2013-O ANO DA CONTABILIDADE

IFRS-PME-NBC TG 1000 SEÇÃO 35-ADOÇÃO INICIAL 2013-O ANO DA CONTABILIDADE IFRS-PME-NBC TG 1000 SEÇÃO 35-ADOÇÃO INICIAL 2013-O ANO DA CONTABILIDADE Claudinei Tonon 1 O SIGNIFICADO DO CADUCEU O SÍMBOLO DO CONTABILISTA COMPOSIÇÃO DO SÍMBOLO: -O Caduceu simboliza a Contabilidade

Leia mais

MBA CONTROLES INTERNOS (COMPLIANCE)

MBA CONTROLES INTERNOS (COMPLIANCE) MBA CONTROLES INTERNOS (COMPLIANCE) Disciplinas Carga horária Gestão de Pessoas 12 Ética Empresarial 15 Cálculos Financeiros 18 Estatística 30 Contabilidade Societária e para Instituições Financeiras (com

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

GRUPO VIRGOLINO DE OLIVEIRA AGROPECUÁRIA NOSSA SENHORA DO CARMO S.A.

GRUPO VIRGOLINO DE OLIVEIRA AGROPECUÁRIA NOSSA SENHORA DO CARMO S.A. GRUPO VIRGOLINO DE OLIVEIRA AGROPECUÁRIA NOSSA SENHORA DO CARMO S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS INDIVIDUAIS E CONSOLIDADAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 30 DE ABRIL DE 2010 E 2009 E PARECER DOS AUDITORES

Leia mais

Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Reapresentação das Informações Trimestrais - ITR em 30 de junho de 2010 e relatório de revisão dos

Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Reapresentação das Informações Trimestrais - ITR em 30 de junho de 2010 e relatório de revisão dos Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Reapresentação das Informações Trimestrais - ITR em 30 de junho de 2010 e relatório de revisão dos auditores independentes Relatório de revisão dos auditores

Leia mais

IFRS PME Imobilizado e Arrendamento

IFRS PME Imobilizado e Arrendamento IFRS PME Imobilizado e Arrendamento Luciano Perrone lucianoperrone@rptreinamento.com.br www.rptreinamento.com.br Julho de 2011 REFLEXÃO INICIAL Fonte: www.uol.com.br Fonte: www.uol.com.br Fonte: Portal

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 18 (R2)

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 18 (R2) COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 18 (R2) Investimento em Coligada, em Controlada e em Empreendimento Controlado em Conjunto Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade

Leia mais

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 No dia 3 de dezembro de 2008, foi editada a Medida Provisória nº 449,

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 20 (R1) Custos de Empréstimos

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 20 (R1) Custos de Empréstimos COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 20 (R1) Custos de Empréstimos Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 23 (IASB BV 2011) Índice OBJETIVO 1 Item ALCANCE 2

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

CONTABILIDADE INTERNACIONAL

CONTABILIDADE INTERNACIONAL CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA CONTABILIDADE INTERNACIONAL Com ênfase no IFRS, US Gaap e BR Gaap Maio de 2012 SUMÁRIO DAS AULAS 05/05/2012 Ambiente Econômico Internacional

Leia mais

GISELE CRISTINE ASSUGENI

GISELE CRISTINE ASSUGENI GISELE CRISTINE ASSUGENI Brasileira, solteira, 38 anos Alameda dos Ipês, 35 - Itu/SP Tel.resid. (11) 4023-1796 celular (11) 9 9919-5900 e-mail: falandocomgisele@hotmail.com linkedin: https://www.linkedin.com/pub/gisele-cristine-assugeni/30/178/14b

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011. Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII

Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011. Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011 Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII Apresentação BM&FBOVESPA 12/07/2011 Disclaimer As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação

Leia mais

III Convenção dos Contabilistas de MS. Normas Nacionais e Internacionais de Contabilidade IFRS

III Convenção dos Contabilistas de MS. Normas Nacionais e Internacionais de Contabilidade IFRS Prof. Everson Luiz Breda Carlin / Prof. Wilson Alberto Zappa Hoog III Convenção dos Contabilistas de MS Normas Nacionais e Internacionais de Contabilidade IFRS Este material foi elaborado pelo Professor

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 728, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014

DELIBERAÇÃO CVM Nº 728, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014 Aprova o Documento de Revisão de Pronunciamentos Técnicos nº 06 referente aos Pronunciamentos CPC 04, CPC 05, CPC 10, CPC 15, CPC 22, CPC 25, CPC 26, CPC 27, CPC 28, CPC 33, CPC 38, CPC 39 e CPC 46 emitidos

Leia mais

Concessionária da Rodovia Presidente Dutra S.A. (Companhia aberta)

Concessionária da Rodovia Presidente Dutra S.A. (Companhia aberta) Concessionária da Rodovia Presidente Dutra S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

MBA É COM A FGV. MBA em Logística e Supply. Chain Management SUA MELHOR DECISÃO.. São José dos Campos - SP

MBA É COM A FGV. MBA em Logística e Supply. Chain Management SUA MELHOR DECISÃO.. São José dos Campos - SP MBA É COM A FGV SUA MELHOR DECISÃO.. São José dos Campos - SP MBA em Logística e Supply Chain Management Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas

Leia mais

Se vencer na vida fosse apenas sobre trabalho, a expressão seria vencer no trabalho.

Se vencer na vida fosse apenas sobre trabalho, a expressão seria vencer no trabalho. Pense antes de imprimir. A natureza agradece. MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria Se vencer na vida fosse apenas sobre trabalho, a expressão seria vencer no trabalho. O que é ser bem-sucedido?

Leia mais

Exercício 2008. Checklist para elaboração de demonstrações financeiras

Exercício 2008. Checklist para elaboração de demonstrações financeiras Exercício 2008 Checklist para elaboração de demonstrações financeiras 2 Checklist De acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil Este checklist foi desenvolvido com a finalidade de auxiliar na

Leia mais

Senhores Diretor de Relações com Investidores e Auditores Independentes,

Senhores Diretor de Relações com Investidores e Auditores Independentes, Ofício-Circular CVM/SNC/SEP nº 002/2011 Rio de Janeiro, 04 de março de 2011. ASSUNTO: Orientação quanto a aspectos relevantes a serem observados na elaboração das demonstrações financeiras relativas ao

Leia mais