Limitadores de sobretensão Generalidades e guia de escolha

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Limitadores de sobretensão Generalidades e guia de escolha"

Transcrição

1 Generalidades e guia de escolha Os limitadores de sobretensão protegem os equipamentos eléctricos e electrónicos contra as sobretensões transitórias, não só as de origem atmosférica, mas também as resultantes da comutação de transformadores, de motores, ou de variações bruscas de carga. Estas sobretensões podem provocar a deterioração dos equipamentos eléctricos e a destruição dos componentes electrónicos dos receptores. A gama de limitadores de sobretensão destinase a tipos de protecção: 1 protecção geral: limitadores com uma capacidade de escoamento elevada ou média, compatível com a corrente de descarga à terra previsível protecção fina: limitadores com nível de protecção reduzido (Up 00 V), para poder limitar as cristas das sobretensões e proteger os receptores mais sensíveis. Os limitadores de sobretensão podem ser utilizados em todos os esquemas de ligação à terra (regime de neutro), em particular em TT e TS. Os limitadores de sobretensão são obrigatórios em algumas situações de risco ou de segurança Os diferentes tipos de limitadores de sobretensão conforme a norma E limitadores à entrada da instalação limitador tipo 1 ou (e) limitador tipo limitador de protecção fina 1.ª situação: A colocação de um limitador de sobretensão geral na origem da instalação de BT é determinada em função: do nível do risco ligado à descarga atmosférica das consequências directas dos estragos provocados pela descarga atmosférica O risco está também ligado à presença de um páraraios no edifício. a) o edifício com páraraios: sobre um pavilhão sobre um edifício num edifício onde ou edifício (1) que tem várias exista um posto de instalações de transformação e de utilização () distribuição (3) limitador sobretensão à entrada é obrigatório limit. sobret. à entrada escolha * escolha * * * não é obrigatório (1) A origem da instalação BT permite a instalação de um limitador de sobretensão. () A origem da instalação BT não está acessível à instalação de um limitador de sobretensão, deve ser instalado um limitador na origem de cada instalação de utilização. (3) As terras de serviço e de protecção deverão ser interligadas e ligadas à terra do páraraios. (4) A linha aérea de BT considerada tem l 500 m. As linhas aéreas constituidas por condutores isolados com ecran metálico ligado à terra podem ser consideradas como linhas subterrâneas. (5) A linha aérea de BT considerada tem l 50 m. Se o comprimento da linha for superior a 50 m, como primeira aproximação deve considerarse como linha totalmente aérea. b) O edifício sem páraraios o risco está ligado à zona geográfica: cada zona tem um índice denominado nível kéraunico k indicado no mapa. certas zonas apresentam níveis de exposição elevados. o risco geográfico é diminuído ou aumentado se: o edifício for localizado: no meio de estruturas elevadas isolado ou com poucas estruturas na sua proximidade terreno plano ou campo aberto num local especial (plano de água, elevação,...) ou dentro do raio de 50 m centrado num páraraios e a linha de alimentação em BT for: aérea (4) aérea/subterrânea (5) subterrânea (enterrada) Escolha do limitador de sobretensão em edifícios sem páraraios As cores indicam a gama de limitadores de sobretensão a escolher. Quais serão as consequências dos estragos? indisponibilidade do material ou da instalação afecta a saúde ou a segurança das pessoas economicamente inaceitável parciais, dificilmente controlável não críticas, sob controlo substituição dos equipamentos muito caro (por exemplo > 15 k ) caro (por exemplo entre 1,5 k e 15 k ) normal (por exemplo < 1,5 k ) 4.5

2 Generalidades e guia de escolha Escolha do limitador de sobretensão geral, que cor para que tipo? Habitação individual Habitação de vivenda Habitação colectiva Local profissional Local industrial oficina, lojas Solução quando está montado um páraraios no edifício e há possibilidade de montar um limitador de sobretensão na origem da instalação: uma protecção geral com limitador do tipo 1; permite o escoamento de uma corrente de descarga directa onda /350 μs; Up = 4 kv (SP1xx) ou,5 kv (SPA). uma protecção geral com limitador do tipo 1+; permite o escoamento de uma corrente de descarga directa onda /350 μs; Up = 1,5 kv verificar se na origem da instalação de BT é possível a montagem de um limitador de sobretensão geral. SPA 1A SPA 41A SP 80 Solução mínima: uma protecção geral com limitador de sobretensão do tipo ; com capacidade de escoamento média é suficiente In: 5 ka Imáx: 15 ka onda 8/0 μs SP 15R(ª) SP 15D SP 415R(ª) SP 415D Solução recomendada se o nível de risco é elevado ou o material a proteger é sensível às sobretensões (mantendo a continuidade do serviço) uma protecção geral com limitador sobretensão do tipo ; com capacidade de escoamento elevada é necessário In: 15 ka Imáx: 40 ka onda 8/0 μs ou SP 140C SP 40R(ª) SP 40D SP 440R(ª) SP 440D uma protecção geral com capacidade de escoamento muito elevada é necessário In: 0 ka Imáx: 65 ka onda 8/0 μs ota: (ª) limitadores de sobretensão equipados com indicador de aptidão à protecção e um contacto para a telesinalização. SP 65R(ª) SP 465R(ª) Limitador de sobretensão e esquema de ligação à terra (regime de neutro) tipo de rede referências dos produtos rede trifásica (3 F + ) no esquema TT ou TS SPA 41A, SP 465R, SP 440R, SP 440D, SP 415R, SP 415D, SP 80, SP 10, SP 150 rede monofásica (F + ) no esquema TT ou TS SPA 1A, SP 65R, SP 40R, SP 40D, SP 15R, SP 15D, SP 10, SP 150 esq. IT ou TC, com materiais de categoria II (sobretensão) ou superior SP 140C 4.53

3 Generalidades e guia de escolha.ª situação: os limitadores de protecção fina colocados junto aos equipamentos; são determinados em função de: do tipo de limitador de sobretensão geral + localização (distância) destes equipamentos + tipo de equipamento a proteger da instalação BT previamente escolhido em relação à protecção geral da instalação e na sensibilidade ao risco sejam: tipo com capacidade muito elevada: In: 0 ka; Imáx: 65 ka; onda 8/0 μs P + 3 P + protecção dos receptores situados a uma distância 30 m (de cabo) do limitador de sobretensão geral: aparelhos electromecânicos, orgãos de comando, de corte, motores,... protecção dos receptores situados a uma distância 30 m (de cabo) do limitador de sobretensão geral: electrodomésticos, ferramentas portáteis,... SP 65R(ª) SP 465R(ª) electrodomésticos, ferramentas portáteis,... protecção fina colocada junto dos equipamentos tipo com capacidade elevada: In: 15 ka; Imáx: 40 ka; onda 8/0 μs computador equip. médico televisor, HIFI SP 140C SP 40R(ª) SP 440R(ª) SP 40D SP 440D tipo com capacidade média: In: 5 ka; Imáx: 15 ka; onda 8/0 μs computadores, equipamento médico, televisor, HIFI, automatos, etc...( b ) SP 08S SP 408S SP 15R(ª) SP 415R(ª) SP 15D SP 415D (a) limitadores de sobretensão equipados de cartucho com indicador de aptidão à protecção e telesinalização tipo 1+: Iimp.: 5 ka; onda /350 μs ou: tipo 1: Iimp.: 1,5 ka; onda /350 μs SP 80 + tipo na proximidade ( b ) restrição: verificar se estes equipamentos são de categoria II ou superior (resistência ao choque de,5 kv mín.) e estão ligados entre fases ou entre fases e neutro, antes de os colocar na proximidade de um limitador de sobretensão geral em esquema TC. Exemplo: caso de um automato instalado num QGBT. Senão os equipamentos a proteger deverão ser instalados na parte TS do armário de distribuição. protecção fina protecção dos receptores ligados à linha telefónica (mais limitadores de sobretensão de protecção fina) SP 504 para linha telefónica numérica para linha telefónica analógica SPA 41A/SPA 1A (tetrapolar) ou tipo 1: Imp: 50 ka onda: /350 μs SP 10 + SP 150 ou protecção fina instalado na proximidade dos receptores, distância 30 m verificar se os aparelhos são de categoria III (resistência ao choque de 4 kv mín.), tais como máquinas, podem ser eventualmente autorizadas a menos de 30 m sem protecção fina SP 08S SP 408S SP

4 Tipo 1 e Tipo 1+ Tipo 1 são aqueles que são capazes de escoar correntes totais ou parciais, provenientes de descargas atmosféricas directas, segundo a classificação estabelecida na norma DI VDE Obrigatórios em instalações eléctricas de edifícios que estejam protegidos por páraraios. Todos os limitadores de sobretensão Tipo 1, estão equipados com câmaras de descarga encapsuladas. Esta tecnologia anula quase na totalidade a possibilidade de incêndio interno do aparelho e permite obter um nível de protecção Up 4 kv. Tipo 1 +, são aqueles que integram num único aparelho as características dos limitadores Tipo 1 e Tipo, permitindo obter um nível de protecção Up 1,5 kv. Os limitadores Tipo 1+ são combináveis com os limitadores Tipo da série SP. Caso seja necessária a sua instalação em quadros situados a jusante deste. A sinalização do estado do limitador, poderá ser obtida mediante a visualização da parte frontal do aparelho, ou através de um sinalizador à distância. Em conformidade com a norma: IEC/E características técnicas ver pág e 4.61 Designação Características Larg. em 17,5 mm Embal. Ref. novo Tipo 1+ SP 80 versão extraível 3 P + cartucho extraível de substituição Imp= 0 ka (/350) μs Up 1,5 kv Fase 8 1 SP 80 SP 080 eutro SP 080 novo Tipo 1 versão unipolar 1P protecção de fase (monobloco) Imp= 50 ka (/350) μs Up 4 kv 1 SP 10 SP 10 versão unipolar 1 protecção de neutro (monobloco) Imp= 50 ka (/350) μs Up 4 kv 1 SP

5 Tipo 1 monobloco Este tipo de limitador de sobretensão é obrigatório em instalações eléctricas de edifícios que estejam protegidos por páraraios. A corrente de choque mínima pedida é Iimp =1,5 ka. São caracterizados por correntes do tipo /350 μs (Iimp.) que são ilares à corrente gerada pelo impacto directo de uma descarga atmosférica. Devem portanto, poder escoar este tipo de onda muito energética. Os limitadores de sobretensão monobloco do Tipo 1 dispõem também de um sinalizador de bom funcionamento por fase, colocado na face frontal do aparelho. homologado em conformidade com a norma FE de Setembro 00 capacidade de ligação: 35 flexível, 50 rígido. características técnicas, ver pág Designação Características Larg. em 17,5 mm Ref. Tipo 1 Iimp. 1,5 ka Un: 30/400 V bipolar 1 P + Up:,5 kv com In tetrapolar 3 P + Up:,5 kv com In 4 8 SPA 1A SPA 41A SPA 41A para protecção geral Tipo com cartucho extraível com uma capacidade de escoamento muito elevada e média (65 ka, 40 ka e 15 ka). Os limitadores de sobretensão com cartucho extraível asseguram: a protecção geral dos equipamentos eléctricos, a protecção geral em modo comum e em modo diferencial; de habitações e de locais de uso profissional. Características comuns: o limitador de sobretensão é composto por uma base e por um cartucho. Encontramse disponíveis em versões: limitador de sobretensão com uma base e cartucho extraível e com sinalizador de fim de vida, limitador de sobretensão com uma base integrando um contacto auxilar para telesinalização e cartucho extraível com um sinalizador de aptidão à protecção. A versão com sinalizador de aptidão à protecção possui ainda um estado intermédio que indica a mudança de cartucho antes da abertura do limitador, guardando ao mesmo tempo a sua capacidade máxima. A telesinalização é um contacto auxiliar inversor que permite sinalizar à distância a informação, de aptidão à protecção e o fim de vida do aparelho. O cartucho extraível permite uma troca ples e sem corte da alimentação os limitadores de sobretensão estão equipados com um sistema de desconexão térmico e dinâmico integrados, homologado em conformidade com a norma FE de Setembro 00 capacidade de ligação dos bornes de potência, (P/ e ): 5 flexível, 35 rígido do contacto auxiliar: 0,5 mín. 1,5 máx. índice de protecção: IP 0 (em armário ou caixa). características técnicas, ver pág. 4.6 Designação Características Larg. em 17,5 mm Ref. SP 65R com cartucho extraível Imáx. 65 ka Un: 30/400 V bipolar 1 P + com indicador de aptidão à protecção e telesinalização Up: 1,5 kv com In tetrapolar 3 P + com indicador de aptidão à protecção e telesinalização Up: 1,5 kv com In 4 SP 65R SP 465R SP 465R 4.56

6 para protecção geral Tipo Designação Características Larg. em 17,5 mm Ref. SP 40D com catucho extraível Imáx. 40 ka Un: 30/400 V unipolar 1 P Up: kv com In bipolar 1 P + com sinalizador de aptidão à protecção e telesinalização Up: 1, kv com In bipolar 1 P + Up: 1, kv com In tetrapolar 3 P + com sinalizador de aptidão à protecção e telesinalização Up: 1, kv com In tetrapolar 3 P + Up: 1, kv com In SP 140C SP 40R SP 40D SP 440R SP 440D SP 415R com cartucho extraível Imáx. 15 ka Un: 30/400 V bipolar 1 P + com sinalizador de aptidão à protecção e telesinalização Up: 1,0 kv com In bipolar 1 P + Up: 1,0 kv com In tetrapolar 3 P + com sinalizador de aptidão à protecção e telesinalização Up: 1,0 kv com In tetrapolar 3 P + Up: 1,0 kv com In 4 4 SP 15R SP 15D SP 415R SP 415D Tipo autoprotegido Limitador de sobretensão autoprotegido com cartucho extraível Integra uma protecção contra sobretensão em modo comum e em modo diferencial com um disjuntor 1 P A (E ), tudo em módulos. O seu nível de protecção Up 1 kv permite efectuar a protecção da maior parte dos receptores instalados numa habitação ou pequeno terciário. Este limitador de sobretensão é constituído por uma base e um cartucho extraível 15 ka com sinalizador de aptidão à protecção. A protecção no fim de vida do limitador de sobretensão é assegurada por dispositivos: um de interrupção térmica associado ao cartucho, que reage quando se dá um sobreaquecimento; outro de interrupção integrado de disjuntor, que reage na presença de um curtocircuito. o fim de vida do cartucho, só é necessário substituílo e rearmar o disjuntor associado. O cartucho extraível pode ser substituído sem necessidade de cortar a alimentação os limitadores de sobretensão estão equipados com dispositivos de abertura térmica e dinâmica integrados, homologados em conformidade com a norma FE de Setembro 00 capacidade de ligação (F/ e T) : flexível, rígido índice de protecção: IP 0 (em armário ou caixa). características técnicas, ver pág Designação Características Larg. em 17,5 mm Ref. Limitador autoprotegido extraível Imáx. 15 ka 1 F + Up = 1,5 kv com In SP 715D Un: 30 V SP 715D Cartucho de reserva: SP 015D 4.57

7 para protecção fina Tipo 3 com nível de protecção fino Para protecção de equipamento muito sensível de classe I e de classe II. Complementam a protecção geral e podem garantir a protecção de um ou vários equipamentos. A coordenação é optimizada com um limitador de entrada (diminuição de Up). Ver abaixo. assegurada em modo comum e em modo diferencial. Capacidade de escoamento: Imáx. 8 ka (onda 8/0 μs). Visualização do bom estado de funcionamento através de um sinalizador verde na face frontal do aparelho. Ligação em paralelo com os receptores a proteger. Adequado a todos os esquemas de ligação à terra (regimes de neutro). Capacidade de ligação: 6 flexível, rígido. Índice de protecção: IP 0 (em armário ou caixa). Em conformidade com a norma: IEC 6431 de Setembro 00 características técnicas, ver pág Designação Características Larg. em 17,5 mm Ref. com nível de protecção fino bipolar 1 P + SP 08S Un: 30/400 V tetrapolar 3 P + 3 SP 408S SP 408S Up (P// ): 1, kv com In Up (P/): 1 kv com In O valor do nível de protecção Up em associação com um limitador de sobretensão geral é Up 800 V para linhas telefónicas para linhas telefónicas Para a protecção dos receptores contra sobretensões transitórias transmitidas pelas linhas telefónicas (modem, telex, equipamentos telefónicos, etc ). A protecção é assegurada em modo comum e em modo diferencial. Ligação sobre a linha telefónica em série com os receptores a proteger. Em habitação, quando é colocado um limitador de sobretensão no circuito de potência, recomendamos a instalação de um limitador de sobretensão de linhas telefónicas no circuito de comunicação. Capacidade de escoamento: Imáx. ka (onda 8/0 μs). Capacidade de ligação: 0,5 a,5 flexível, 0,5 a,5 rígido. Índice de protecção: IP (em armário ou caixa). A ligação é possível por condutores ou ligador RJ 45 directamente ao limitador. Em conformidade com a norma: IEC 6431 de Setembro 00 características técnicas, ver pág Designação Características Larg. em Ref. 17,5 mm para linha telefónica analógica (redes comutadas, RTC, ADSL) Un: 130 V Up: 600 V 1,5 SP 505 para linha telefónica digital (redes RDIS) Un: 40 V Up: 600 V 1,5 SP 504 SP

8 Cartuchos de substituição para limitadores de sobretensão com cartucho extraível Cartuchos de substituição Os cartuchos de substituição permitem uma troca ples e sem corte da alimentação. Os cartuchos estão disponíveis para todas as capacidades de escoamento (65 ka, 40 ka, 15 ka) e com ou sem sinalizador de aptidão à protecção. As bases dos limitadores para os cartuchos extraíveis impedem, por construção, a montagem dos cartuchos de fase no lugar dos cartuchos de neutro e viceversa. homologados em conformidade com a norma FE de Setembro 00. Designação Características Ref. Cartuchos de substituição Fase para: SP 65R, SP 465R SP 065R SP 140C SP 040C SP 40R, SP 440R SP 040R SP 065R SP 40D, SP 440D SP 040D SP 15R, SP 415R SP 015R SP 065 ota: obrigatoriamente, as referências dos cartuchos substituto e substituído serão as mesmas SP 15D, SP 415D, SP 715D eutro para: SP 65R, SP 465R, SP 40R, SP 440R, SP 15R, SP 415R SP 40D, SP 440D, SP 15D, SP 415D SP 015D SP 065 SP 040 Cartuchos de recarga para limitadores de sobretensão antiga geração Cartuchos extraíveis de recarga Destinamse a substituir os cartuchos nos limitadores de sobretensão da antiga geração. Os cartuchos extraíveis permitem uma troca ples e sem cortes da alimentação. Os cartuchos estão disponíveis para todas as capacidades de escoamento (65 ka, 40 ka, 15 ka) com ou sem sinalizador de aptidão à protecção. Os cartuchos de neutro têm uma capacidade de escoamento única de 65 ka. As bases dos limitadores para cartuchos extraíveis impedem, por construção, a montagem dos cartuchos de fase no lugar dos cartuchos de neutro e viceversa. Em conformidade com a norma: F C 61740/95. Cartucho extraível de recarga Fase para: SP 5P SP 65R, SP 465R SP 065P SP 065R SP 140C SP 040C SP 065R SP 40R, SP 440R SP 040R SP 40D, SP 440D SP 040D SP 115C SP 015C SP 15R, SP 415R SP 015R SP 015R SP 15D, SP 415D SP 015D SP 065 ota: obrigatoriamente, as referências dos cartuchos substituto e substituído serão as mesmas eutro para: SP 65R, SP465R, SP 40R, SP 440R, SP 15R, SP 415R SP 40D, SP 440D, SP 15D, SP 415D SP 065 SP

9 SPA 41A Tipo 1 Características técnicas dos limitadores de sobretensão monobloco: bipolares e tetrapolares referências limitadores de sobret. c/capacidade de escoamento ligação tensão nominal Un frequência tensão máxima permanente Uc nível de protecção Up modo de protecção SPA 1A SPA 41A muito elevada em paralelo 30 V,5 kv comum diferencial corrente de choque Iimp 1,5 ka valor de interrupção Ifi 1,5 ka comportamento ao Icc limite 1,5 ka curtocircuito com protecção série 15 A ou em paralelo 315 A 5 ka temperatura de funcionamento 40 a +60 C sinalizador de aptidão à protecção regime de neutro TT TS capacidade de ligação máxima flexível rígido cabeça dos parafusos 5 mm 35 mm PZ3 SP 80 muito elevada série ou paralelo 50 Hz 1,5 kv comum diferencial 5 ka 50 ka 50 ka 40 a +60 C TT 5 mm 35 mm PZ3 ok sinalizador apagado; verificar a protecção associada sinalizador apagado e protecção ok; deve ser substituído o produto sinalizadores de aptidão à protecção por fase Esquemas de ligação paralelo ão é necessário proteger os limitadores de sobretensão do tipo 1 a montante com fusíveis ou disjuntores porque são autoprotegidos até 1,5 ka de IK3. Quando IK3 é superior a 1,5 ka, é necessária a protecção do limitador de sobretensão com fusíveis ou disjuntores (ver quadro) I Curto Circuitos S ' ' ' ' ' ' ' ' S 3 I 1 S ' ' ' ' I ' ' ' ' S 3 Tipo I I1 I hager 315 A gl/gg > 315 A gl/gg hager 0 A hager > 0 A 315 A gl/gg hager 0 A I /I1 (A) > 315 Smín. (mm ) S3mín. (mm ) Esquema de princípio/ligações eléctricas Esquema de ligação série até 15 A SP 80 I S ' ' ' SP 80 S3 ' Os fusíveis utilizados como protecção geral podem ser substituídos por um disjuntor modular de 15 A. ' ' ' ' I I I 15 A OK I > 15 A TT 3+1 paralelo F A S mm 5 35 S 3 mm mín. 0 cm ' ' ' ' H1 H H3 mín.,,,,,,,,, 13 mm 13 mm mm mm máx.,,,, 35 mm 50 mm máx.,,,, 5 mm 35 mm 4.60

10 Tipo 1 SP10 SP150 Ref. SP 10 SP 150* normas E 60099/1 CEI 431 n. de módulos SP10 SP10 tensão nominal (tensão máx. de serviço) capacidade de extinguir correntes consecutivas / 50 Hz 1,5 kaeff 0 Aeff valor máximo de crista 50 ka (1 pólo) 50 ka (1 pólo) nível de protecção Up 4 kv temporização 0 ms fusível de protecção 0 A gl/gg índice de protecção IP 0 capacidade de ligação rígido flexível a 50 mm a 35 mm (*) especialmente para sistema TT, na configuração 3+1 segundo E DI VDE 00534/A1: 1996 entre seccionador de neutro e condutor /equipotencial. Esquema sistema TT conceito de protecção a níveis quadro de entrada quadro divisionário FI Interruptor diferencial SP10 SP10 SP10 SP150 > 15m SP415 equipotencial ota: os limitadores de sobretensão devem ser protegidos com fusíveis ou disjuntores com Pdc adequado ao local da instalação, onde se encontram. 4.61

11 geral Tipo Características técnicas dos limitadores de sobretensão multipolares referências SP140C SP 65RSP 465R SP 40R, SP 440R SP 40D, SP 440D SP 15R, SP 415R SP 15D, SP 415D limitadores de sobret. c/capacidade de escoamento muito elevada muito elevada elevada média ligação em paralelo em paralelo em paralelo em paralelo tensão nominal Un frequência tensão máxima permanente Uc modo de protecção entre Fase / eutro entre eutro / entre fase / comum diferencial 30 V 440 V 30/400 V 75 V 30/400 V 75 V nível de protecção Up kv 1,5 kv 1, kv 1,0 kv capacidade de escoamento corrente nominal In 15 ka 0 ka 15 ka 5 ka onda 8/0 μs corrente máxima Imáx. 40 ka 65 ka 40 ka 15 ka índice de protecção IP 0 Icc limite (disjuntor curva C) 0 ka 3 A 0 ka 3 A 0 ka 3 A ka 3 A temperatura de funcionamento 40 C a +60 C sinalizador de fim de vida SP 140C SP 40D SP 440D SP 15D SP 415D sinalizador de aptidão à protecção + contacto auxiliar SP 65R SP 465R SP 40R SP 440R SP 15R SP 415R habitação colectivo/ individual locais uso profissional regime de neutro capacidade de ligação máxima (F,, T) cabeça de parafusos flexível rígido IT T C 5 mm 35 mm PZ 30/400 V 75 V TT T S TT T S TT T S com cartucho extraível Os limitadores de sobretensão unipolares e multipolares existem em duas versões: uma base equipada com um contacto auxiliar e cartuchos com sinalizador de aptidão à protecção, uma base sem contacto auxiliar e cartuchos com um sinalizador de fim de vida. Esquemas de ligação unipolares: SP 140C protecção unicamente em modo comum IT / TC L d1 contacto auxiliar base d1 + d 50 cm sinaliz. de fim de vida cartucho extraível sinalizador de aptidão à protecção d Contacto auxiliar para telesinalização Por construção é impossível a montagem do cartucho de fase no lugar do de neutro sinalizador de aptidão à protecção multipolares: SP 15D... SP 465R protecção assegurada em modo comum e em modo diferencial sem acrescentar produtos TT / TS L sinalizador de fim de vida d bases bipolares ou tetrapolares d1 50 cm Os cartuchos extraíveis de neutro não podem ser colocados nos espaços reservados aos cartuchos de fase e viceversa. OK 4.6

12 Limitador de sobretensão Tipo autoprotegido Características técnicas dos limitadores de sobretensão unipolares referências limitador de sobret. c/capacidade de escoamento ligação tensão nominal Un frequência tensão máxima permanente Uc nível de protecção Up capacidade de escoamento corrente nominal In onda 8/0 μs: corrente máxima Imáx. cabeça dos parafusos SP 715D médio em paralelo 30 V 75 V 1,5 kv 5 ka 15 ka índice de protecção IP 0 Icc limite temperatura de funcionamento sinalizador de fim de vida habitação: colectiva/individual locais uso profissional regime de neutro capacidade de ligação máxima: flexível (F,, T) rígido Esquema de príncipio de instalação 15/90 A 500 ma 4500 A 40 C a +60 C TT mm mm PZ Limitador de sobretensão autoprotegido extraível É composto por uma base com protecção contra curtocircuitos e um cartucho extraível com indicação do fim de vida. Ligações Exemplo: ligação numa caixa Gamma de filas Verde OK Encarnado S d1 d1 + d 50 cm d 4.63

13 para protecção fina Tipo 3 monobloco Características técnicas dos limitadores de sobretensão secundária (protecção fina) referências SP 08S SP 408S limitador de sobretensão com capacidade de escoamento fina fina ligação em paralelo em paralelo tensão nominal Un frequência tensão nominal permanente Uc modo de protecção entre / entre Fase e eutro comum diferencial 30 V 30/400 V nível de protecção Up 1,0 kv 1,0 kv capacidade de escoamento corrente nominal In ka ka onda 8/0 μs corrente máxima Imáx. 8 ka 8 ka índice de protecção IP 0 IP 0 Icc limite (disjuntor curva C) 6 ka 3 A 6 ka 3 A temperatura de funcionamento de armazenamento 5 C a +40 C 5 C a +40 C 5 C a +40 C 5 C a +40 C indicador de bom funcionamento sinalizador verde sinalizador verde habitação regime de neutro capacidade de ligação (F,, T) colectiva / individual locais de uso profissional flexível mín./máx. rígide mín./máx. TT, IT, T S TT, IT, T S,5/6 mm,5/6 mm 6/ mm 6/ mm cabeça de parafusos PZ1 PZ1 Esquema de príncipio de instalação 15 / 90 A 500 ma S C1 C L SP xxx SP 4xxx SP 08S SP 408S L 3 A 3 A Coordenação: entre limitador de entrada e os limitadores de protecção secundária, esta coordenação permite diminuir o nível de protecção Up a 800 V L OK L SP 08S SP 408S SP x 15 ka x SP x 40 ka x SP x 65 ka x SP 08S SP 408S Up = 800 V 4.64

14 para linhas telefónicas Características técnicas dos limitadores de sobretensão de protecção telefónica referências SP 504 SP 505 limitador de sobretensão linha telefónica, redes digitais (RDIS) linha telefónica, redes comutadas ligação em série em série índice de protecção IP IP tensão nominal Un 5 V / 40 V 130 V tensão nominal regime permanente Uc 7,5 V / 60 V 170 V nível de protecção Up 600 V 600 V modo de protecção comum diferencial impedância em série 1,0 Ω 4,7 Ω capacidade de escoamento aplicações In (total) In (linha) ka 5 ka linhas digitais ISD, RDIS 5 ka / ka (RJ 45/parafuso),5 / 5 ka (RJ 45/parafuso) banda passante temperatura de funcionamento 40 C a +60 C 40 C a +60 C ligadores entrada saída parafuso parafuso / RJ 45 parafuso / RJ 45 parafuso / RJ 45 capacidade de ligação (F,, T) flexível mín./máx. rígido mín./máx. Ligações eléctricas SP 504 SP 505 condutores 0,08 mm 0,08 mm,5 mm,5 mm condutores RJ45 linhas telefónicas analógicas ou a a1 b1 b I a1 b1 I SP 505 SP 504 OUT a a1 b1 b OUT a1 b1 condut. RJ 45 condut. RJ45 ou ou a a1 b1 b a1 b1 A1 A A1 R1 R R3 R4 R1 R V1 V V3 V4 V1 V a a1 b1 b a1 b1 4.65

Protecção contra sobretensões. Descarregadores de sobretensões

Protecção contra sobretensões. Descarregadores de sobretensões Protecção contra Descarregadores Protecção contra As podem muitas vezes causar danos irreparáveis nas instalações eléctricas, bem como, nos equipamentos eléctricos e electrónicos. Os descarregadores são

Leia mais

Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão

Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão A escolha correcta dos elementos de protecção de uma instalação eléctrica, minimiza ou elimina por completo o risco de incêndio, explosão ou choques eléctricos

Leia mais

Soluções de ligação à rede Miniprodução

Soluções de ligação à rede Miniprodução 1 - Instalação de consumo BT monofásica ou trifásica Instalação de miniprodução monofásica 1A - Esquema de pormenor (multifilar) - Ligação à rede através dos terminais de entrada do contador de miniprodução

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Eletrobrás MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Anexo XIII do Pregão Eletrônico n 029/2009 Página 1 de 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRANSFORMADORES DE CORRENTE AUXILIARES 0,6 KV USO INTERIOR

Leia mais

電 動 車 輛 充 電 設 施 安 全 技 術 指 引

電 動 車 輛 充 電 設 施 安 全 技 術 指 引 電 動 車 輛 充 電 設 施 安 全 技 術 指 引 Directrizes Técnicas de Segurança de Instalações de Carregamento de Veículos Eléctricos 第 一 條 Artigo 1.º 標 的 Objecto 本 指 引 為 訂 定 安 裝 電 動 車 輛 充 電 設 施 應 遵 守 的 安 全 技 術 條 件 As presentes

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES TRANSFORMADOR A SECO ÍNDICE DESCRIÇÃO PÁGINA 1 Instruções para a instalação.................................... 02 2 Instruções para a manutenção..................................

Leia mais

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO Sistemas de protecção contra sobretensões BT Características Elaboração: GTRPT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 1ª Emissão: EDP

Leia mais

GERADORES DE EMERGÊNCIA ACCIONADOS POR MOTORES DE COMBUSTÃO

GERADORES DE EMERGÊNCIA ACCIONADOS POR MOTORES DE COMBUSTÃO República de Angola Ministério da Energia e Águas GERADORES DE EMERGÊNCIA ACCIONADOS POR MOTORES DE COMBUSTÃO Emissão: MINEA/DNEE Dezembro 2010 Av. Cónego Manuel das Neves, 234 1º - Luanda ÍNDICE 1 OBJECTIVO...

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA Especificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: www.engetron.com.br Link:

Leia mais

Medidor TKE-01. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-01. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O TKE-01 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (Varh) em sistema de corrente alternada (CA). A leitura do

Leia mais

7. A importância do aterramento na Qualidade da Energia.

7. A importância do aterramento na Qualidade da Energia. 7. A importância do aterramento na Qualidade da Energia. Em primeiro lugar é preciso esclarecer o que significa e para que serve o aterramento do sistema elétrico. Ao contrário do que é usual considerar,

Leia mais

Dados Técnicos. DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5. Potência CC máxima para cos φ=1. Máx. corrente de entrada. Min.

Dados Técnicos. DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5. Potência CC máxima para cos φ=1. Máx. corrente de entrada. Min. Dados Técnicos DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5 Potência CC máxima para cos φ=1 2,650 W Máx. corrente de entrada 16.6 A Máx. tensão de entrada 24.8 A Faixa de tensão MPP 165 V Min. tensão de entrada

Leia mais

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA.

ENERGIA EM SUA CASA CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. ENERGIA EM SUA CASA Recon BT/2013 Regulamentação para o Fornecimento de Energia Elétrica a Consumidores em Baixa Tensão CONHEÇA AS NORMAS E FAÇA UMA INSTALAÇÃO CORRETA E 100% SEGURA. Regulamentação para

Leia mais

Instruções de segurança VEGAPULS PS61.D****D/H/K/ L/P/F/G/M/B/I****

Instruções de segurança VEGAPULS PS61.D****D/H/K/ L/P/F/G/M/B/I**** Instruções de segurança VEGAPULS PS61.D****D/H/K/ L/P/F/G/M/B/I**** NCC 15.0167 X Ex d ia IIC T6 T1 Ga/Gb, Gb 0044 Document ID: 50548 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 3 4 Condições

Leia mais

1 Circuitos Pneumáticos

1 Circuitos Pneumáticos 1 Circuitos Pneumáticos Os circuitos pneumáticos são divididos em várias partes distintas e, em cada uma destas divisões, elementos pneumáticos específicos estão posicionados. Estes elementos estão agrupados

Leia mais

REGULADOR ACOPLÁVEL Tipo MODULAR 112 G 3/8 - G 1/2

REGULADOR ACOPLÁVEL Tipo MODULAR 112 G 3/8 - G 1/2 Série : Modular P REGULAOR ACOPLÁVEL G /8 - G 1/ Aparelhos de tratamento de ar destinados a serem utilizados em atmosferas explosivas, poeirentas ou gasosas, segundo a directiva ATEX 9/9/CE MOO E PROTECÇÃO

Leia mais

SOBRETENSÃO. saiba como se proteger

SOBRETENSÃO. saiba como se proteger SOBRETENSÃO saiba como se proteger O QUE É UMA DESCARGA ELÉTRICA? Descargas atmosféricas são relâmpagos que produzem uma quantidade extremamente grande de energia elétrica pulsada de milhares de ampères

Leia mais

Módulo 8 Entradas Digitais 24 Vdc Monitorado. Os seguintes produtos devem ser adquiridos separadamente para possibilitar a utilização do produto:

Módulo 8 Entradas Digitais 24 Vdc Monitorado. Os seguintes produtos devem ser adquiridos separadamente para possibilitar a utilização do produto: Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, possui 8 pontos de entrada digital +24 Vdc isolada e monitorada, é indicado para aplicações onde a situação de linha rompida necessita ser detectada

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO COREN Subseção de Floriano ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. NORMAS TÉCNICAS 3. DESCRIÇÃO DOS SITEMAS 3.1. Entradas de energia e telefone 3.2. Quadros de distribuição local 3.3. Dispositivos

Leia mais

Proteção contra sobretensão e filtro antiparasitário

Proteção contra sobretensão e filtro antiparasitário COMTRAB modular Proteção compacta modular para redes de alta densidade Tecnologia de conexão LSA-PLUS com economia de espaço Dispositivos de proteção contra surtos para -0 pares de condutores ou 2-20 condutores.

Leia mais

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga):

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 23 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 24 Exemplo de aplicação 4.4(3.7): 4(3 Calcular a seção

Leia mais

OBJETIVOS DA SEÇÃO. Após concluir com êxito o módulo sobre Área de Trabalho, o aluno deve estar apto a:

OBJETIVOS DA SEÇÃO. Após concluir com êxito o módulo sobre Área de Trabalho, o aluno deve estar apto a: OBJETIVOS DA SEÇÃO Após concluir com êxito o módulo sobre Área de Trabalho, o aluno deve estar apto a: I. Definir os critérios da Área de Trabalho para o Sistema de Cabeamento Siemon, tanto para interfaces

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY TRIFÁSICO

LINHA DOUBLE WAY TRIFÁSICO Especificação Técnica LINHA DOUBLE WAY TRIFÁSICO 10 / 15 / 20 / 25 / 30 / 40 / 50 / 60 / 80 / 120 / 150 / 160 / 180/ 250kVA Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31)

Leia mais

EM8032 EM8033 Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica

EM8032 EM8033 Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica EM8032 EM8033 Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica 2 PORTUGUÊS EM8032 EM8033 - Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Conteúdo da embalagem... 2

Leia mais

BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" FUSÍVEIS NH

BHR5 - SECCIONADORAS SOB CARGA FUSÍVEIS NH BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" FUSÍVEIS NH Página 1 BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" - FUSÍVEIS NH -proteção e comando de instalações elétricas em Baixa Tensão (BT). -prevista para incorporar fusíveis

Leia mais

(11) Número de Publicação: PT 104681 A. (51) Classificação Internacional: H04L 5/00 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO

(11) Número de Publicação: PT 104681 A. (51) Classificação Internacional: H04L 5/00 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (11) Número de Publicação: PT 104681 A (51) Classificação Internacional: H04L 5/00 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2009.07.23 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação

Leia mais

Instruções de Utilização. Unidade de leitura de impressão digital 2607..

Instruções de Utilização. Unidade de leitura de impressão digital 2607.. Instruções de Utilização Unidade de leitura de impressão digital 607.. Índice Descrição do aparelho...4 Ilustração do aparelho...5 Âmbitos de aplicação...6 Utilização...8 Sinais de confirmação...9 Sequência

Leia mais

proteção contra sobretensões.

proteção contra sobretensões. OSSIER 90 João Cruz F Product Manager. Schneider Electric proteção contra sobretensões Contribuir para a total eficácia das instalações elétricas é objetivo deste artigo técnico sobre sobretensões. Cada

Leia mais

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada Notas: Critérios Construtivos do Padrão de Entrada A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada. O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE FUN- CIONAMENTO (Tradução) Plataforma elevadora Tipo 1097.0,75 1097.1,25 8718.0,2

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE FUN- CIONAMENTO (Tradução) Plataforma elevadora Tipo 1097.0,75 1097.1,25 8718.0,2 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE FUN- CIONAMENTO (Tradução) Plataforma elevadora Tipo 1097.0,75 1097.1,25 8718.0,2 PT 1. Grupos de utilizadores Tarefas Qualificação Operador Operação, verificação visual Instrução

Leia mais

APARELHAGEM DE EMBEBER

APARELHAGEM DE EMBEBER Interruptor Unipolar METALIZADA - Prata A Série APOLO 000 prima pelas linhas direitas e traços elegantes. O seu design actual confere um toque minimalista e de requinte à sua decoração. Disponível em cores

Leia mais

Análise Termográfica RELATÓRIO TÉCNICO 0714

Análise Termográfica RELATÓRIO TÉCNICO 0714 ANÁLISE TERMOGRÁFICA DAE - Santa Barbara D'Oeste DAE 1. OBJETIVO Apresentar ao DAE a Inspeção Termográfica realizada nos equipamentos de suas unidades em Santa Barbara d'oeste 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA

Leia mais

Calhasxxxxxx. emxxxxxcor U23X cinzento RAL 7035. Cumprir o RTIEBT. Catálogo Geral 2015-2016. Indicado para intempérie

Calhasxxxxxx. emxxxxxcor U23X cinzento RAL 7035. Cumprir o RTIEBT. Catálogo Geral 2015-2016. Indicado para intempérie 73 Calhasxxxxxx UV Indicado para intempérie emxxxxxcor U23X cinzento RAL 7035 Cumprir o RTIEBT Catálogo Geral 2015-2016 47 CALHAS 73 EM U23X COR CINZENTO RAL 7035 Calhas 73 em U23X cor cinzento RAL 7035

Leia mais

Catalogo Técnico. Disjuntor Motor BDM-NG

Catalogo Técnico. Disjuntor Motor BDM-NG Catalogo Técnico Disjuntor Motor BDM-NG Disjuntores-Motor BDM-NG Generalidade: O disjuntor-motor BDM-NG,Tripolar, são termomagnéticos compactos e limitadores de corrente. Ideal para o comando e a proteção

Leia mais

INBI INOVADOR ROLO FLEXIVEL PARA A SUA TELA TRANSPORTADORA

INBI INOVADOR ROLO FLEXIVEL PARA A SUA TELA TRANSPORTADORA INBI INOVADOR ROLO FLEXIVEL PARA A SUA TELA TRANSPORTADORA Sede Porto Rua Antonio Silva Marinho, 66 100-063 Porto Portugal Email: vendasporto@juncor.pt Telefone: +31 6 197 360 Fax: +31 6 197 361 (Abertos

Leia mais

Montagem & Manutenção Oficina de Informática - 1 - GABINETE. O mercado disponibiliza os seguintes modelos de gabinete para integração de PC s:

Montagem & Manutenção Oficina de Informática - 1 - GABINETE. O mercado disponibiliza os seguintes modelos de gabinete para integração de PC s: GABINETE - 1 - O gabinete é considerado a estrutura do PC porque é nele que todos os componentes internos serão instalados e fixados. Portanto, a escolha de um gabinete adequado aos componentes que serão

Leia mais

Terminal de Operação Cimrex 69

Terminal de Operação Cimrex 69 Descrição do Produto O Cimrex 69 agrega as mais novas tecnologias e a mais completa funcionalidade de terminais de operação. Possui visor de cristal líquido gráfico colorido de 5,7 sensível ao toque (

Leia mais

Caixa de passagem Ex e / Ex tb

Caixa de passagem Ex e / Ex tb Tomadas/Plugs Painéis Caixa de passagem Ex e / Ex tb Segurança aumentada, tempo e jatos potentes d água. Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper

Leia mais

Sistemas Ininterruptos de Energia

Sistemas Ininterruptos de Energia Sistemas Ininterruptos de Energia Nikolas Libert Aula 13 Manutenção de Sistemas Eletrônicos Industriais ET54A Tecnologia em Automação Industrial Sistemas Ininterruptos de Energia Sistemas Ininterruptos

Leia mais

COMANDO E SINALIZAÇÃO 22,5mm - LINHA LAY5

COMANDO E SINALIZAÇÃO 22,5mm - LINHA LAY5 COMANDO E SINALIZAÇÃO 22,5mm - LINHA LAY5 Conformidade IEC60947-5-1 VDE0660 CENELEC EN50007 Tensão nominal de isolação UI 600V Frontal IP65 Grau de proteção IEC60529 Frontal c/ capa protetora IP66 Terminais

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONCURSO

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONCURSO TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONCURSO Nº 01/DSI/2010 Fornecimento e Montagem de Equipamentos de Energia Eléctrica Em 21 de Junho de 2010 INTRODUÇÃO O Instituto Nacional de Previdência Social - INPS pretende

Leia mais

Subestação. Conceito:

Subestação. Conceito: Sistema Eletrosul Conceito: Subestação Instalações elétricas que compreendem máquinas ou aparelhos, instalados em ambiente fechado ou ao ar livre, destinadas à transformação da tensão, distribuição da

Leia mais

Sistema de repartição e aparelhagem modular. Clario. Merlin Gerin. Building a New Electric World

Sistema de repartição e aparelhagem modular. Clario. Merlin Gerin. Building a New Electric World Sistema de repartição e aparelhagem modular Clario Merlin Gerin Building a New Electric World Clario Funções e Capítulo 1 Índice...1 Apresentação...2 Pentes Clario... 8 Características...8 Referências...9

Leia mais

Bussmann. Soluções em Proteção de Circuitos

Bussmann. Soluções em Proteção de Circuitos Bussmann Soluções em Proteção de Circuitos Soluções em Proteção de Circuitos em todo Mundo A Bussmann, líder mundial de mercado no segmento de sistemas de proteção, com seus 80 anos de tecnologia e inovação,

Leia mais

albany led + cayado a LUZ SUSTENTÁVEL

albany led + cayado a LUZ SUSTENTÁVEL albany led + cayado a LUZ SUSTENTÁVEL albany led CARATERíSTICaS LUMINáRiaS Estanquicidade do bloco óptico: IP 66 Estanquicidade dos acessórios eléctricos: IP 44 Resistência aos choques (PC): IK 08 (**)

Leia mais

O circuito RLC. 1. Introdução

O circuito RLC. 1. Introdução O circuito C Na natureza são inúmeros os fenómenos que envolvem oscilações. Um exemplo comum é o pêndulo de um relógio, que se move periódicamente (ou seja, de repetindo o seu movimento ao fim de um intervalo

Leia mais

GUIA TÉCNICO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PARA A ALIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS

GUIA TÉCNICO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PARA A ALIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS COMISSÃO TÉCNICA DE NORMALIZAÇÃO ELETROTÉCNICA - CTE 64 Instalações Elétricas em Edifícios GUIA TÉCNICO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PARA A ALIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS março 2015 ÍNDICE 1 GENERALIDADES

Leia mais

Disjuntores-Motor BDM-G. Dados Técnicos Características Gerais. Posições das teclas

Disjuntores-Motor BDM-G. Dados Técnicos Características Gerais. Posições das teclas Disjuntores-Motor BDM-G Generalidade: O disjuntor-motor BDM-G,Tripolar, são termomagnéticos compactos e limitadores de corrente. Ideal para o comando e a proteção dos motores. Possuem alta capacidade de

Leia mais

Gama VIT. Gama de caldeiras de chão, em ferro fundido, mistas e de só aquecimento

Gama VIT. Gama de caldeiras de chão, em ferro fundido, mistas e de só aquecimento Gama VIT Gama de caldeiras de chão, em ferro fundido, mistas e de só aquecimento Design inovador para gás Caldeira VK Painel de comandos com display digital Economia e eficiência As novas caldeiras digitais

Leia mais

Acti 9. A eficiência que você merece

Acti 9. A eficiência que você merece Acti 9 A eficiência que você merece Acti 9, a eficiência que você merece Apresentação Acti 9, Eficiente Acti 9, Seguro Acti 9, Simples & inteligente Conclusão 2 40 Anos de experiência e atenção aos nossos

Leia mais

Protecção das instalações eléctricas. http://www.prof2000.pt/users/lpa

Protecção das instalações eléctricas. http://www.prof2000.pt/users/lpa Protecção das instalações eléctricas http://www.prof2000.pt/users/lpa Aparelhos de protecção Os aparelhos de protecção têm como função proteger todos os elementos que constituem uma instalação eléctrica

Leia mais

Simplicidade aliada à competência

Simplicidade aliada à competência Simplicidade aliada à competência Operação simples, fácil instalação e baixo custo SINAMICS G110 Answers for industry. 1 SINAMICS G110 Simples instalação e fácil comissionamento Compacto por fora... Fácil

Leia mais

Guia Rápido de Instalação

Guia Rápido de Instalação Guia Rápido de Instalação Caro Usuário, Queremos parabenizá-lo por escolher o PlugData MG100T e dar-lhe as boas vindas a um conjunto de facilidades que serão conseguidas com o uso deste equipamento. Apresentação

Leia mais

Detecção de incêndio e iluminação de emergência

Detecção de incêndio e iluminação de emergência Detecção de incêndio e iluminação de emergência Portfólio ª edição 206 Engesul, uma marca do Grupo Intelbras Os produtos da Engesul complementam o portfólio de segurança da Intelbras, oferecendo soluções

Leia mais

DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho

DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho [ PROTEÇÃO E COMANDO ] Produtos e sistemas DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho 1 VANTAGENS Permite a montagem frontal de acessórios elétricos por encaixe simples Fácil conexão

Leia mais

Dados técnicos. Polaridade de saída Intervalo seguro de comutação s a 0... 1,62 mm Factor de redução r Cu 0,2

Dados técnicos. Polaridade de saída Intervalo seguro de comutação s a 0... 1,62 mm Factor de redução r Cu 0,2 0102 Designação para encomenda Características 2 mm nivelado Pode ser aplicado até SIL 2 conforme IEC 61508 Dados técnicos Dados gerais Função do elemento de comutação Contacto de ruptura NAMUR Intervalo

Leia mais

ISEL. Mini-hídrica da Mesa do Galo. Relatório de Visita de Estudo. 3 Junho 2005. Secção de Sistemas de Energia

ISEL. Mini-hídrica da Mesa do Galo. Relatório de Visita de Estudo. 3 Junho 2005. Secção de Sistemas de Energia ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E AUTOMAÇÃO Relatório de Visita de Estudo 3 Junho 2005 Secção de Sistemas de Energia Junho 2005 Índice 1. Objectivos

Leia mais

Instruções de segurança para os comandos WAREMA

Instruções de segurança para os comandos WAREMA Instruções de segurança para os comandos WAREMA Válido a partir de 01 Outubro de 2015 2014280_0 pt Instruções de segurança para os comandos WAREMA 1 Informações básicas Este documento é uma coleção importante

Leia mais

BIT 374 LAÇAMENTO PEUGEOT 3008

BIT 374 LAÇAMENTO PEUGEOT 3008 CIRCULAR REDE De : DIREÇÃO PEÇAS E SERVIÇOS Para : Rede de Concessionárias Data : 03/11/2010 Código Circular: 374 Depto 11/10 Página (s) : 07 Cc: Gerentes regionais Peças e Serviços Peugeot Direção PBRA

Leia mais

Proteção de Sistemas Elétricos Disjuntores, DR e DPS. Júlio Bortolini Engenheiro Eletricista Soprano Eletrometalúrgica e Hid. Ltda

Proteção de Sistemas Elétricos Disjuntores, DR e DPS. Júlio Bortolini Engenheiro Eletricista Soprano Eletrometalúrgica e Hid. Ltda Proteção de Sistemas Elétricos Disjuntores, DR e DPS Júlio Bortolini Engenheiro Eletricista Soprano Eletrometalúrgica e Hid. Ltda DISJUNTORES Definição Disjuntor Disjuntor: dispositivo de seccionamento

Leia mais

Aula 6 Corrente Alternada e Corrente Contínua

Aula 6 Corrente Alternada e Corrente Contínua INTODUÇÃO À ENGENHI DE COMPUTÇÃO PONTIFÍCI UNIVESIDDE CTÓLIC DO IO GNDE DO SUL FCULDDE DE ENGENHI Professores velino Francisco Zorzo e Luís Fernando lves Pereira ula 6 Corrente lternada e Corrente Contínua

Leia mais

IFRN - Campus Parnamirim Curso de eletricidade turma de redes de Computadores 2011.2. Figura 35 Relé eletromecânico

IFRN - Campus Parnamirim Curso de eletricidade turma de redes de Computadores 2011.2. Figura 35 Relé eletromecânico Figura 35 Relé eletromecânico Figura 36 Aplicação para o relé eletromecânico INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE OS INDUTORES Três conclusões muito importantes podem ser tiradas em relação ao comportamento do

Leia mais

Manual de Operação 1

Manual de Operação 1 1 Índice Ambiente operacional...03 Instalação...03 Precauções na instalação...04 Utilizando o controle da Cortina de Ar...05 Dados técnicos...06 Manutenção...06 Termo de garantia...07 2 As cortinas de

Leia mais

Iniciar. Antes de utilizar o comando à distância. Instalação. Efectuar a ligação a uma fonte de vídeo. Efectuar a ligação a um computador

Iniciar. Antes de utilizar o comando à distância. Instalação. Efectuar a ligação a uma fonte de vídeo. Efectuar a ligação a um computador Iniciar 1 Antes de utilizar o comando à distância Inserir as pilhas Período de substituição das pilhas e Utilizar o comando à distância Alcance de funcionamento do comando à distância 2 Instalação Tamanho

Leia mais

Aula 03. Processadores. Prof. Ricardo Palma

Aula 03. Processadores. Prof. Ricardo Palma Aula 03 Processadores Prof. Ricardo Palma Definição O processador é a parte mais fundamental para o funcionamento de um computador. Processadores são circuitos digitais que realizam operações como: cópia

Leia mais

Especificação Disjuntores Baixa Tensão

Especificação Disjuntores Baixa Tensão Especificação Disjuntores Baixa Tensão Descrição: DISJUNTOR MICROPROCESSADO Local de Aplicação: QGBT Modelo: Fabricante: Fabricante Alternativo: Normas NBR-5361 / 8176, IEC-947-2 Aplicáveis Critério de

Leia mais

2 Workshop processamento de artigos em serviços de saúde Recolhimento de artigos esterilizados: é possível evitar?

2 Workshop processamento de artigos em serviços de saúde Recolhimento de artigos esterilizados: é possível evitar? 2 Workshop processamento de artigos em serviços de saúde Recolhimento de artigos esterilizados: é possível evitar? 3 Farm. André Cabral Contagem, 19 de Maio de 2010 Rastreabilidade É definida como a habilidade

Leia mais

Estudo de Coordenação e Seletividade

Estudo de Coordenação e Seletividade Estudo de Coordenação e Seletividade Memorial de Cálculo Obra: Subestação Abrigada 750kVA para Pavilhão Industrial de Reciclagem Proprietário: Prefeitura Municipal de Ponte Preta - RS Localização: Parte

Leia mais

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT I Odailson Cavalcante de Oliveira Componentes das instalações Componente: podem ser materiais, acessórios, dispositivos, instrumentos, equipamentos, máquinas, conjuntos, partes

Leia mais

Soluções eléctricas para a residência. Novo quadro eléctrico Mini Pragma

Soluções eléctricas para a residência. Novo quadro eléctrico Mini Pragma Soluções eléctricas para a residência Novo quadro eléctrico Mini Pragma Escolha uma instalação eléctrica atraente que possa ser parte importante na decoração da sua casa Mini Pragma, um quadro eléctrico

Leia mais

7as JORNADAS DE CLIMATIZAÇÃO Lisboa, 8 de Novembro de 2007

7as JORNADAS DE CLIMATIZAÇÃO Lisboa, 8 de Novembro de 2007 7as JORNADAS DE CLIMATIZAÇÃO Lisboa, 8 de Novembro de 2007 1 Se se fecham cozinhas e restaurantes por falta de limpeza, como nos podemos permitir essa falta de limpeza no ar que respiramos todos os dias

Leia mais

FS230 FS210. 30.15xx. Envolvedora Semi - Automática com joystick. Envolvedora Semi-Automática com múltiplos programas de envolvimento.

FS230 FS210. 30.15xx. Envolvedora Semi - Automática com joystick. Envolvedora Semi-Automática com múltiplos programas de envolvimento. Envolvedoras FS210 Envolvedora Semi - Automática com joystick. 1.650mm 1.100 x 1.200mm 2.000mm/ 2.500mm 400V 50/60Hz Versão Standard FS210 Travão mecânico para o filme Versão Joystick Opcionais FS210 estrutura

Leia mais

Protecção & Distribuição de Energia

Protecção & Distribuição de Energia Protecção & Distribuição de Energia Orador: Hugo Madeira hugo.madeira@legrand.pt INDICE Introdução aos disjuntores Disjuntores Modulares (MCBs DX) Disjuntores de Caixa Moldada (MCCBs - DPX) Disjuntores

Leia mais

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra SUNNY CENTRAL Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra 1 Introdução Alguns fabricantes de módulos recomendam ou exigem a ligação à terra negativa ou positiva do gerador fotovoltaico

Leia mais

DOC. 08 DEZEMBRO 2007. ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL Recomendações

DOC. 08 DEZEMBRO 2007. ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL Recomendações DOC. 08 DEZEMBRO 2007 ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL Recomendações DIRECÇÃO-GERAL DO LIVRO E DAS BIBLIOTECAS RECOMENDAÇÕES PARA ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL Introdução O presente documento tem como objectivo fornecer

Leia mais

Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência

Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência SOBRE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Informativo - Normas Quarta 11 Novembro Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência Conjunto de Blocos Autônomos. São aparelhos de iluminação de emergência constituído de um

Leia mais

W o r l d w i d e P a r t n e r

W o r l d w i d e P a r t n e r GE Consumer & Industrial Power Protection W o r l d w i d e P a r t n e r Série CB Contactores até 45kW NOVIDADE Série PB Unidades de Comando e Sinalização GE imagination at work Série CB Contactores Tipo

Leia mais

Acionamento de Motores: PWM e Ponte H

Acionamento de Motores: PWM e Ponte H Warthog Robotics USP São Carlos www.warthog.sc.usp.br warthog@sc.usp.br Acionamento de Motores: PWM e Ponte H Por Gustavo C. Oliveira, Membro da Divisão de Controle (2014) 1 Introdução Motores são máquinas

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET COTAÇÃO ELETRÔNICA: 79/2014 COMPRASNET Especificação Técnica 1. Objeto Aquisição de 1 (um) NOBREAK DE POTÊNCIA 5 kva Obs.: Os atributos técnicos abaixo relacionados são de atendimento obrigatório. A nomenclatura

Leia mais

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO 1 CONDIÇÕES PRÉVIAS Antes de iniciar qualquer trabalho de montagem, ou antes de adquirir um posto de transformação (PT),

Leia mais

Contadores de energia

Contadores de energia módulo Permitem a medição de energia em redes monofásicas, fazendo a leitura directa até A. Existe uma versão com saída impulsional. A grande vantagem destes produtos é a sua reduzida dimensão, de apenas

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Apresentação geral

Leia mais

ÓRGÃOS ACESSÓRIOS DA REDE DE ESGOTO

ÓRGÃOS ACESSÓRIOS DA REDE DE ESGOTO SANEAMENTO II AULA 06 8 semestre - Engenharia Civil ÓRGÃOS ACESSÓRIOS DA REDE DE ESGOTO Profª. Priscila Pini prof.priscila@feitep.edu.br POÇOS DE VISITA (PV) São utilizados para permitir o acesso de homens

Leia mais

Série 86 - Módulo temporizador. Características 86.00 86.30

Série 86 - Módulo temporizador. Características 86.00 86.30 Série 86 - Módulo temporizador Características 86.00 86.30 Módulo temporizador utilizável com relé e base 86.00 - Módulo temporizador, multifunções e multitensão 86.30 - Módulo temporizador, bifunções

Leia mais

Dispositivo de Proteção Contra Surto (DPS) Proteção certa para equipamentos eletro-eletrônicos

Dispositivo de Proteção Contra Surto (DPS) Proteção certa para equipamentos eletro-eletrônicos Dispositivo de Proteção Contra Surto (DPS) Proteção certa para equipamentos eletro-eletrônicos Potência para os negócios no mundo todo Automotivo A Eaton fornece energia para centenas de produtos atendendo

Leia mais

Especi cação Técnica Cabo OPGW

Especi cação Técnica Cabo OPGW Especi cação Técnica Cabo OPGW No Especificação.: ZTT 15-48656 Revisão: DS_V.00-15/02/2016 Escrito por: Fabricante: ZTT Cable - Jiangsu Zhongtian Technology Co.,td. Gerencia Técnica Escritório Comercial

Leia mais

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL CMVM PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL 1...Descrição geral do método e fases da sua implementação... 2 2...Mecanismo de leilões explícitos de capacidade... 2 3...Mecanismo

Leia mais

Terminal de Operação Cimrex 12

Terminal de Operação Cimrex 12 Descrição do Produto O terminal de operação Cimrex 12 apresenta excelente desempenho em tamanho compacto. Possui visor de cristal líquido alfanumérico de duas linhas e 20 colunas. O teclado de membrana

Leia mais

OBO Catálogo de Produtos Brasil Sistemas de Proteção contra surtos

OBO Catálogo de Produtos Brasil Sistemas de Proteção contra surtos OBO Catálogo de Produtos Brasil Sistemas de Proteção contra surtos Descarregadores de Corrente de raio Protetor contra sobretensões Proteção de linha de dados Proteção fina Centelhador Dispositivos de

Leia mais

Esquemas. & diagramas. caderno 3

Esquemas. & diagramas. caderno 3 Esquemas & diagramas caderno 3 Regimes de neutro Norma IEC 60364 A norma IEC 60364 é a norma padrão internacional definida pelo International Electrotechnical Commission relativamente a instalações eléctricas

Leia mais

SIMULADOR DE SINAIS DISCRETOS SID-16

SIMULADOR DE SINAIS DISCRETOS SID-16 SIMULADOR DE SINAIS DISCRETOS SID-16 Manual do usuário Série: H Simulador de Sinais Discretos MAN-DE-SID-16 Rev.: 2.00-08 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso SID-16. Para garantir o uso correto

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Automação Contatores para Manobra de Capacitores Manobras de Capacitores para Correção do Fator de Potência A linha de contatores especiais CWMC

Leia mais

Modulação. Modulação e Codificação. Modulação. Modulação. Técnicas de Modulação

Modulação. Modulação e Codificação. Modulação. Modulação. Técnicas de Modulação Modulação e Codificação Modulação Dados analógicos Sinais analógicos Dados digitais Sinais analógicos Codificação Dados analógicos Sinais digitais Dados digitais Sinais digitais Modulação Processo pelo

Leia mais

1-Eletricidade básica

1-Eletricidade básica SENAI 1 1-Eletricidade básica 1.1 - Grandezas Elétricas: 1.1 - Carga Elétrica, Tensão Elétrica, Corrente Elétrica, Resistência Elétrica; 1.2 - Leis de Ohm: 1.2.1-1 a Lei de Ohm 1.2.2 múltiplos e submúltiplos

Leia mais

QUADROS DE OBRA ( QO )

QUADROS DE OBRA ( QO ) INDÚSTRIA DE QUADROS ELÉCTRICOS QUADROS DE OBRA ( QO ) 1 CAMPO DE APLICAÇÃO Para instalações destinadas à construção de novos edifícios, trabalhos de reparação, modificação, ampliações ou demolições de

Leia mais

Produtos de Média Tensão. Is-limiter Limitador de corrente extra rápido

Produtos de Média Tensão. Is-limiter Limitador de corrente extra rápido Produtos de Média Tensão Is-limiter Limitador de corrente extra rápido Is-limiter O limitador de corrente extra rápido reduz os custos das instalações resolve problemas de curto-circuito em instalações

Leia mais

Relé Auxiliar RCA 116

Relé Auxiliar RCA 116 Relé Auxiliar RCA 116 Aplicação, Estrutura e Funcionamento. Aplicação O Relé Auxiliar RCA 116 é especialmente apropriado para uso em instalações de comando manual, controles automáticos e supervisão. O

Leia mais

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica Num condutor metálico em equilíbrio eletrostático, o movimento dos elétrons livres é desordenado. Em destaque, a representação de

Leia mais

Software PHC com MapPoint 2007

Software PHC com MapPoint 2007 Software PHC com MapPoint 2007 Descritivo completo A integração entre o Software PHC e o Microsoft MapPoint permite a análise de informação geográfica (mapas, rotas e análise de dispersão), baseada em

Leia mais