Padrões Contábeis CPC-IFRS Atualizado pelos Pronunciamentos CPC. Rafael Borges Morch José Augusto Veiga da Costa Marques

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Padrões Contábeis CPC-IFRS Atualizado pelos Pronunciamentos CPC. Rafael Borges Morch José Augusto Veiga da Costa Marques"

Transcrição

1 Padrões Cntábeis CPC-IFRS Atualizad pels Prnunciaments CPC Rafael Brges Mrch Jsé August Veiga da Csta Marques

2 Prpsta de curs Cntextualizar ambiente da cnvergência cntábil Apresentar s nvs padrões cntábeis Analisar criticamente s efeits desses padrões nas demnstrações das empresas Revelar s atuais frmats das demnstrações cntábeis, em especial a d resultad e a d resultad abrangente Detalhar e discutir as nvas práticas assciadas a instruments financeirs, estques, investiments, imbilizad, intangível, arrendaments, prêmis em ações, prvisões para cntingências, ajustes de avaliaçã patrimnial, etc Mstrar cuidads na análise financeira das empresas decrrentes dessas práticas, inclusive EBIT e EBITDA 2

3 Breve históric Prcesss rudimentares de cntagem; Fenícia e meda cm mei de trca; Mercantilism na Itália; Segunda Revluçã Industrial na Inglaterra e registr a cust crrente; Final d Sécul XIX ns Estads Unids e a análise de crédit ds bancs cmerciais; Crise na Blsa de Nva Irque e iníci da auditagem independente; Mudanças n ambiente ecnômic, nva crise e Lei Sarbanes-Oxley; Prcess de cnvergência às nrmas internacinais; e Após as leis /07 e /08. 3

4 CPC 00 - Arcabuç cnceitual As linhas de rientaçã n desempenh da atividade sã cstumeiramente chamadas de Princípis Cntábeis Generalizadamente Aceits (GAAP), u Princípis Fundamentais de Cntabilidade. Cm CPC 00 Estrutura Cnceitual Básica, passaram a existir s pressupsts da Cmpetência e Cntinuidade e as qualidades da infrmaçã cntábil da Relevância, Cmparabilidade, Cnfiabilidade e Cnsistência. Cada país adta seus princípis própris, cm BRGAAP, USGAAP, UKGAAP, etc. Destaque para USGAAP e IASB, prcess de cnvergência para as nrmas IFRS/IAS. 4

5 CFC - Princípis Fundamentais de Cntabilidade Entidade; Cntinuidade; Cmpetência d exercíci; Realizaçã da receita e cnfrntaçã da despesa; Denminadr cmum mnetári; Cnservadrism; Cnsistência; etc. 5

6 Critéris de avaliaçã patrimnial Ativ u Passiv Títuls mbiliáris Cntas a receber Estques Participações scietárias Imbilizad e Intangível Empréstims Cntas a pagar Prêmis em ações as empregads Saláris e encargs sciais Debêntures e financiaments Critéri de Avaliaçã Valr just (mercad) Valr presente líquid Cust u realizável líquid Equivalência patrimnial u cust Valr de cust u just (VP) Valr just (mercad) Valr presente líquid (AVP) Valr just (prrecificaçã_ Valr de cust Valr just (mercad e AVP) 6

7 Flexibilidade das práticas cntábeis Earnings management versus Earnings manipulatin Prática cntábil Prática A Prática B Avaliaçã de estques PEPS Média pnderada Participações scietárias Métd d cust MEP Arrendament mercantil Jurs de financiaments de bens em cnstruçã Nta explicativa, se peracinal Despesa d períd N ativ e passiv a valr presente Gasts capitalizads Distribuiçã de lucrs Dividends Dividends e JSCP 7

8 Cmpsiçã d Relatóri Anual Relatóri da administraçã; Parecer ds auditres independentes; Demnstrações cntábeis; Ntas explicativas; e Quadrs suplementares e anexs. 8

9 CPC 26 - Demnstrações Cntábeis de Prpósit Geral Balanç Patrimnial - BP Demnstraçã d Resultad d Exercíci - DRE Demnstraçã d Resultad Abrangente - DRA Demnstraçã ds Fluxs de Caixa DFC Demnstraçã das Mutações d Patrimôni Líquid - DMPL Demnstraçã d Valr Adicinad - DVA Ntas Explicativas 9

10 Divulgaçã cmplementar Demnstrações pr Segment de Negóci CPC 21 Balanç Scial Relatóri Glbal Reprting Initiative - GRI Prspects Fat relevante 10

11 Liquidez Estrutura d Balanç Patrimnial Passiv Ativ = + Patrimôni Líquid 11

12 Balanç Patrimnial Ativ Circulante Caixa, bancs, títuls mbiliáris, clientess, estques, gasts antecipads, utrs valres a receber Ativ Nã Circulante Realizável a lng praz Investiments Imbilizad e intangível Ttal Passiv Circulante Empréstims, financiaments, frnecedres, saláris, encargs, impsts, dividends, valres a pagar Passiv Nã Circulante Financiaments, impsts diferids, prvisões e cntingências Patrimôni Líquid Capital scial, reservas, ajustes de avaliaçã patrimnial, prejuízs acumulads Ttal 12

13 Demnstraçã de Resultad Receitas de vendas de mercadrias, prduts u serviçs (-) Deduções da receita (impsts, devluções, cancelaments) Receita llíquida (-) Cust das mercadrias, prduts u serviiçs vendids Lucr brut (-) Despesas de vendas, gerais e administrativas, utras (+) Receitas de equivalência patrimnial, dividends, utras Lucr antes ds resultads financeirs (-) Despesas financeiras, (+) Receitas financeiras (-) Impsts crrentes e diferids Resultad antes de impsts Resultad das perações cntinuadas (-/+) Operações descntinuadas, ganhs e perdas de avaliações patrimniais, líquidas de impsts (-) Participações estatutárias Resultad líquid e pr açã 13

14 Demnstraçã d Resultad Abrangente CPC 26 Outrs resultads abrangentes cmpreendem itens de receita e despesa (incluind ajustes de reclassificaçã) que nã sã recnhecids na demnstraçã d resultad cm requerid u permitid pels Prnunciaments, Interpretações e Orientações emitids pel CPC. Os cmpnentes ds utrs resultads abrangentes incluem: a) variações na reserva de reavaliaçã quand permitidas legalmente (veja Prnunciaments Técnics CPC 27 Ativ Imbilizad e CPC 04 Ativ Intangível); b) ganhs e perdas atuariais em plans de pensã cm benefíci definid recnhecids cnfrme item 93A d Prnunciament Técnic CPC 33 Benefícis a Empregads; c) ganhs e perdas derivads de cnversã de demnstrações cntábeis de perações n exterir (ver Prnunciament Técnic CPC 02 Efeits das Mudanças nas Taxas de Câmbi e Cnversã de Demnstrações Cntábeis); d) ajuste de avaliaçã patrimnial relativ as ganhs e perdas na remensuraçã de ativs financeirs dispníveis para venda (ver Prnunciament Técnic CPC 38 Instruments Financeirs: Recnheciment e Mensuraçã); e) ajuste de avaliaçã patrimnial relativ à efetiva parcela de ganhs u perdas de instruments de hedge em hedge de flux de caixa (ver também Prnunciament Técnic CPC 38). Resultad d períd é ttal das receitas deduzid das despesas, excet s itens recnhecids cm utrs resultads abrangentes n patrimôni líquid. Ajuste de reclassificaçã é valr reclassificad para resultad n períd crrente que fi inicialmente recnhecid cm utrs resultads abrangentes n períd crrente u em períd anterir. Resultad abrangente é a mutaçã que crre n patrimôni líquid durante um períd que resulta de transações e utrs events que nã derivads de transações cm s sócis na sua qualidade de prprietáris. Resultad abrangente cmpreende tds s cmpnentes da demnstraçã d resultad e da demnstraçã ds utrs resultads abrangentes. 14

15 Relaçã entre BP e DRE Balanç Patrimnial Demnstraçã d Resultad Ativ Passiv Receitas Despesas Patrimôni Líquid Ajustes de avaliaçã patrimnial Resultad líquid d exercíci LL Demnstraçã d Resultad Abrangente LL e Outrs resultads abrangentes Resultad abrangente d períd 15

16 Demnstraçã ds fluxs de caixa Fluxs de caixa das atividades peracinais Flux de caixa das atividades de investiment (1.175) Fluxs de caixa das atividades de financiament 875 Acréscim líquid n caixa e equivalentes Caixa e equivalentes n iníci d an 600 Caixa e equivalentes a final d an

17 Classificaçã das transações que envlvem caixa pr atividades Flux de Caixa de Atividades Operacinais Flux de Caixa de Atividades de Investiment Ativ Circulante Ativ Realizável a Lng Praz Ativ Permanente Passiv Circulante Exigível a Lng Praz Patrimôni Líquid Flux de Caixa de Atividades de Financiament 17

18 FCO pel métd diret Recebiments de clientes (-) Pagaments a frnecedres (-) Pagaments de saláris e encargs sciais (+) Recebiments de jurs (-) Pagaments de jurs e encargs (-) Pagaments de impsts e cntribuições (-) Pagaments de participações estatutárias (=) FCO 18 18

19 FCO pel métd indiret Lucr (Prejuíz) Líquid d Exercíci (+) Depreciaçã, amrtizaçã e exaustã (-) Receita de equivalência patrimnial (+) Perda na baixa de imbilizad (+) Decréscims (acréscims) ds ativs: clientes, estques, despesas antecipadas (+) Acréscims (decréscims) de passivs: frnecedres, saláris e encargs, IR (=) FCO 19 19

20 Cmparaçã entre prnunciaments internacinais Item IASB FASB CPC Caixa e equivalentes Flexível Rígid Flexível Jurs e dividends Flexível Rígid Flexível Ntas explicativas Algumas Muitas Algumas Recnciliaçã entrre lucr e caixa Requerid Requerid Requerid Divulgaçã ds jurs e impsts pags Vag Exigid Exigid Flux de caixa pr açã Omiss Pribid Pribid 20

21 LAJIR e LAJIDA Lucr antes ds resultads financeirs, impsts e utrs. Earnings befre interest and taxes (EBIT). Medida d lucr prduzid pela atividade principal d negóci. Lucr antes ds resultads financeirs, impsts, depreciaçã, amrtizaçã e exaustã. Earnings befre interest, taxes, depreciatin, amrtizatyin and depletin (EBITDA). Medida d ptencial de geraçã de caixa peracinal d negóci. 21

22 Receitas de vendas (-) Custs das vendas (60% dep/amrt) (32.000) Lucr brut Despesas cm vendas (4.000) Despesas gerais e administrativas (15.000) Outras despesas peracinais (2.000) Resultad de equivalência patrimnial Lucr antes ds resultads financeirs Despesas financeiras (30.000) Receitas financeiras Lucr antes de impsts e cntribuições IR e CSLL crrentes e diferidas (2.000) Lucr das perações cntinuadas Operações descntinuadas líquidas (2.000) Perdas (ganhs) de avaliações (600) Lucr líquid

23 Cálcul LAJIR e LAJIDA R$ Lucr das perações cntinuadas (+) IR e CSLL crrentes e diferidas (+) Despesas financeiras (-) Receitas financeiras (6.000) (-) Resultad de equivalência (7.000) LAJIR (+) Deprreciações e amrtizações LAJIDA

24 CPC 39 Instruments financeirs Títuls mantids até a data de venciment sã representads pr aplicações em renda fixa e avaliads pel mntante d cust amrtizad acrescid ds respectivs rendiments até a data d balanç. Títuls mantids para negciaçã, de fácil liquidez e cm prpósit de bter benefícis a curt praz, sã avaliads pel valr de cust acrescid ds respectivs rendiments até a data d balanç e ajustads a valr de mercad. Rendiments e ajuste a valr de mercad sã cmputads n resultad. Títuls dispníveis para venda, que nã se enquadram nas categrias anterires, sã avaliads pel valr de cust acrescid ds rendiments até a data d balanç e ajustads a valr de mercad. Rendiments sã tratads cm receitas financeiras e ajuste a valr de mercad diretamente n PL. 24

25 CPC 30 - Receitas Cntrat de preç fix cnsiste num cntrat de cnstruçã frmalizad pr um valr préestabelecid u uma quantidade fixa pr unidade de prduts, em certs cass preç tem cláusula de revisã em razã de aument ds custs (I:AS 11, p. 3). Os resultads ds cntrats de cnstruçã pr empreitada e a preç fix sã registrads na DRE de acrd cm andament de cada cntrat, utilizand métd de prcentagem de execuçã física (IAS 11, p. 3). O andament d cntrat pde ser determinad das seguintes frmas: (a) prprçã as custs incrrids em relaçã as custs ttais estimads d cntrat; (b) exame d trabalh executad; e (c) Percentual de execuçã física d cntrat (IAS 11, p. 30). Os prejuízs sã recnhecids de imediat na DRE quand fr prvável que ttal de custs d cntrat excederá ttal da receita d cntrat (IAS 11, p. 36). N Brasil s métds sã similares, prém cntas de REF sã usadas, sbretud em transações pr empreitada e lteament de firmas imbiliárias. 25

26 CPC 1 - Valr recuperável de ativ u UGC Valr recuperável cnsiste n valr mais elevad de um ativ u de uma UGC, seu valr just mens cust de vender e seu valr de us. Se valr just mens custs de vender, u valr de us, exceder valr cntábil líquid d ativ, nã huve perda. O valr de us será valr recuperável, quand nã fr pssível estimar cnfiavelmente valr just mens s custs de vender. Valr recuperável é determinad para um ativ individual, a mens que ativ nã cnsiga gerar entradas de caixa que sejam, em grande medida, independentes ds de utrs ativs u grups de ativs; se fr este cas, valr recuperável é determinad para a UGC a qual ativ pertença. julh de 11 Departament de Cntabilidade - FACC/UFRJ 26 26

27 Recnheciment e mensuraçã Alguns passivs de difícil mensuraçã: Cntingências (determinaçã de event prvável e cm valr estimad); e Prvisões atuariais de funds de pensã de empregads. Alguns passivs usualmente fra d balanç: Arrendament mercantil (até a Lei /07); Cust de abandn de unidade (excet para setr de petróle e gás); Prvisões ambientais; e Opções de ações as funcináris. 27

28 Prêmis em pções de ações Significa uma transaçã na qual a empresa recebe bens e serviçs e assume cmprmiss de entregar em trca ações de sua própria emissã. Registr da despesa acntece n mment em que a empresa receber bem, cnsumir serviç u passar a prpriedade da açã de sua emissã para terceirs (IFRS 2). N Brasil sua divulgaçã crre em nta explicativa, pel valr de mercad. 28

29 Cmpsiçã, grups d PL Capital Scial Reservas de Capital Ajustes de Avaliaçã Patrimnial Reservas de Lucrs Prejuízs) Acumulad s Investiment inicial e nvs investiments ds acinistas. Capital Autrizad, Subscrit e A subscrever, Integralizad e A integralizar. Cntribuições recnhecidas diret n PL. Ági na emissã de ações, na alienaçã de partes beneficiárias subscriçã; lucr na alienaçã de ações em tesuraria. Resultads nã realizads registrads diret n PL. e bônus de Ganhs e perdas de instruments financeirs e derivativs, Reavaliaçã residual de bens de us própris e de cntrladas, Efeits das mudanças das taxas de câmbi de investiments n exterir (CTA). Retenções d lucr líquid nã distribuídas. Legal, Estatutárias, Cntingências, Lucrs a realizar, Incentivs fiscaisretençã de lucrs (para expansã), Especial para dividends brigatóris. Prejuízs nã absrvids pelas reservas de lucrs e recmpras de ações próprias nã canceladas. 29

30 Cnteúd sintétic Estrutura cnceitual Valr just e valr presente Apresentaçã das demnstrações cntábeis Plítica cntábil, retificaçã de estimativa e crreçã de err Event subsequente Partes relacinadas Instruments financeirs e derivativs Estque e ativs bilógics Investiments e participaçã scietária Imbilizad e intangível Perda d valr recuperável Arrendament mercantil Custs de empréstims Prêmis em ações Benefícis de empregads Custs de transaçã Ajustes de avaliaçã patrimnial 30

PCASP Alterações propostas no GTCON de maio/10

PCASP Alterações propostas no GTCON de maio/10 ALTERAÇÕES N PCASP PCASP Alterações propostas no GTCN de maio/10 Permitida a reprodução total ou parcial desta publicação desde que citada a fonte. Alterações Antiga no estrutura PCASP Ficou acordado que

Leia mais

Resultados Consolidados 1º Semestre de 2015

Resultados Consolidados 1º Semestre de 2015 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs sb númer únic de matrícula e de pessa clectiva 503 219 886 COMUNICADO Resultads

Leia mais

Formação integrada em Contabilidade, Finanças e Fiscalidade

Formação integrada em Contabilidade, Finanças e Fiscalidade Frmaçã integrada em Cntabilidade, Finanças e Fiscalidade Objetivs Gerais Este Curs pretende dtar e cnslidar ns participantes s cnheciments avançads para desempenh das suas atividades prfissinais ns dmínis

Leia mais

Resultados Consolidados 1º Trimestre de 2015

Resultados Consolidados 1º Trimestre de 2015 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

Resultados Janeiro Junho / 2015. Resultados 2T14 Telefônica Brasil S.A.

Resultados Janeiro Junho / 2015. Resultados 2T14 Telefônica Brasil S.A. Resultads Janeir Junh / 2015 Resultads 2T14 Resultads 2T15 Neste 0+ trimestre, após a cnclusã da aquisiçã da GVT, divulgams as infrmações da nva Cmpanhia, que atingiu sólid cresciment anual ns principais

Leia mais

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro Apresentaçã a mercad d crngrama d prcess de adpçã plena das IAS/IFRS n sectr financeir DEPARTAMENTO DE SUPERVISÃO PRUDENCIAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 12 de Junh de 2014 Departament de Supervisã Prudencial

Leia mais

Resultados Consolidados 3º Trimestre de 2014

Resultados Consolidados 3º Trimestre de 2014 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Reajuste Tarifário de 2006. Esclarecimentos sobre os valores concedidos pela ANEEL

Reajuste Tarifário de 2006. Esclarecimentos sobre os valores concedidos pela ANEEL Reajuste Tarifári de 2006 Esclareciments sbre s valres cncedids pela ANEEL Abril/2006 Agenda Intrduçã IRT 2006 CVA PASEP-COFINS Impact na geraçã de caixa 2 ANEEL divulga reajuste de 6,7% Resluçã Hmlgatória

Leia mais

MENSAGEM DA DIRETORIA

MENSAGEM DA DIRETORIA Ns terms das dispsições legais e estatutárias, a Administraçã da Hypermarcas S.A. ( Cmpanhia u Hypermarcas ) submete à apreciaçã de seus Acinistas Relatóri da Administraçã e as Demnstrações Cntábeis da

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana de Parnaíba Cmpnente Curricular: Cntabilidade Cmercial Eix Tecnlógic: Gestã e Negócis Módul: II C.

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Curso de Extensão: Finanças Corporativas

Curso de Extensão: Finanças Corporativas 1. Apresentaçã Curs de Extensã: Finanças Crprativas Uma crpraçã é, genericamente, caracterizada pela tmada de duas decisões fundamentais, a de financiament e a de investiment. O prcess de seleçã, análise

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

Lei N. 12.973/14 Relevantes Alterações na Legislação Tributária Brasileira

Lei N. 12.973/14 Relevantes Alterações na Legislação Tributária Brasileira ALERTA TRIBUTÁRIO Lei N. 12.973/14 Relevantes Alterações na Legislaçã Tributária Brasileira Prezads Clientes, N últim dia 14 de mai fi publicada a Lei nº 12.973, de 13 de mai de 2014, cnvertend em lei

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Resultados Janeiro Março / 2015. Resultados 2T14 Telefônica Brasil S.A.

Resultados Janeiro Março / 2015. Resultados 2T14 Telefônica Brasil S.A. Resultads Janeir Març / 2015 Resultads 2T14 TELEFÔNICA 0+ BRASIL REGISTRA NO 1T15 CRESCIMENTO RECORDE NA RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA, IMPULSIONADO PELA ACELERAÇÃO NA RECEITA DE DADOS MÓVEIS DESTAQUES Cntínu

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

O que é sucessão de responsabilidades?

O que é sucessão de responsabilidades? GLOSSÁRIO DO EMPREENDEDOR O que é capital inicial? É capital de gir necessári para iniciar as atividades de seu negóci e "rdar" as perações até cmeçar a gerar receita suficiente para equilibrar este capital.

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS

TRIBUTAÇÃO DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS Pribida a reprduçã. TRIBUTAÇÃO DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS Abril de 2012 Índice Pessas Físicas 1. À Vista... 2 2. Opções... 4 3. POP Prteçã d Investiment cm Participaçã... 6 4. Term... 7 5. Futur Títuls

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

Política de Investimentos. OABPrev-SP

Política de Investimentos. OABPrev-SP Plítica de Investiments OABPrev-SP 2011 1 Intrduçã 2 Objetivs de Investiment 3 Alcaçã Estratégia 4 Limites peracinais para investiment n segment de Renda Fixa 5 Us de Instruments Derivativs 6 Índices de

Leia mais

RESULTADOS SONAE SIERRA DE 2007

RESULTADOS SONAE SIERRA DE 2007 COMUNICADO SONAE - SGPS, S. A. Sede: Lugar d Espid, Via Nrte, Maia Capital scial: 2.000.000.000,00 Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Maia sb númer únic de matrícula e identificaçã fiscal

Leia mais

TREINAMENTO. Instrumentos Financeiros, Derivativos e Contabilidade de Hedge para Bancos

TREINAMENTO. Instrumentos Financeiros, Derivativos e Contabilidade de Hedge para Bancos C ésar Rams & Cia Auditria e Cnsultria César Rams & Cia Ltda Edifíci Mnument Avenida Brigadeir Faria Lima nº 1478 CEP 01451-001, Sã Paul, Brasi Telefne: +5511 35897580 TREINAMENTO Instruments Financeirs,

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 Atualiza a Lista de Prduts, Linhas e Prgramas Passíveis de Outrga de Garantia pel Fund Garantidr para Investiments FGI.

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versã: 1 Data: 28/10/2013 M5. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO AÇÃO 5.1. CRIAÇÃO DE AGRUPAMENTOS E ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

Resultados Consolidados 4º Trimestre de 2014

Resultados Consolidados 4º Trimestre de 2014 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

VENDAS CONTRATADAS NO 1S10 ULTRAPASSAM R$507 MILHÕES, RESULTADO 73% ACIMA DO OBTIDO NO MESMO PERÍODO DE 2009.

VENDAS CONTRATADAS NO 1S10 ULTRAPASSAM R$507 MILHÕES, RESULTADO 73% ACIMA DO OBTIDO NO MESMO PERÍODO DE 2009. PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA: Sã Paul, 14 de julh de 2010: A CAMARGO CORRÊA DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO ( CCDI u Cmpanhia ; Bvespa: CCIM3) anuncia seus resultads peracinais referentes a segund trimestre de

Leia mais

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações.

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações. Vensis Assciaçã Vensis ERP Entidades, Sindicats e Federações. Vensis Assciaçã O Vensis Assciaçã é um sistema desenvlvid para entidades cm sindicats, assciações, federações, fundações e utras de natureza

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

AULA 3 GERENCIAMENTO DE CUSTOS E GESTÃO DE OPERAÇÕES PARA A QUALIDADE TOTAL. Prof. Glauce Almeida Figueira

AULA 3 GERENCIAMENTO DE CUSTOS E GESTÃO DE OPERAÇÕES PARA A QUALIDADE TOTAL. Prof. Glauce Almeida Figueira AULA 3 GERENCIAMENTO DE CUSTOS E GESTÃO DE OPERAÇÕES PARA A QUALIDADE TOTAL Prf. Glauce Almeida Figueira EMENTA AULA TÓPICOS 31/08 Intrduçã a Cntabilidade de Custs ; Terminlgia Cntábil; Tips de Custei;

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

3 Aplicações dos Modelos de Análise de Crédito

3 Aplicações dos Modelos de Análise de Crédito 3 Aplicações ds Mdels de Análise de Crédit Pdem ser citads cm principais estuds realizads para previsã de inslvência de pessas jurídicas: Estud de Tamari O estud fi realizad n final da década de 50 e fi

Leia mais

Divulgação de Resultados Terceiro Trimestre de 2013

Divulgação de Resultados Terceiro Trimestre de 2013 Divulgaçã de Resultads Terceir Trimestre de 2013 Barueri, 12 de nvembr de 2013. Apresentaçã de Resultads 3T13 A Temp Participações S.A. (BM&FBvespa: TEMP3; Reuters: TEMP3.SA; Blmberg: TEMP3 BZ), empresa

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativ... 8 Participante Assistid...

Leia mais

Análise da conformidade das demonstrações contábeis das Fundações de Apoio as Universidades Públicas no Brasil

Análise da conformidade das demonstrações contábeis das Fundações de Apoio as Universidades Públicas no Brasil Análise da cnfrmidade das demnstrações cntábeis das Fundações de Api as Universidades Públicas n Brasil ALESSANDRO JORGE a219128@fumec.edu.br Fumec Carls Albert de Suza carlsprfs@gmail.cm Fumec e Una Vanda

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONTAS SEPARADAS

RELATÓRIO E CONTAS CONTAS SEPARADAS RELATÓRIO E CONTAS CONTAS SEPARADAS 2014 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta C.R.C. Amadra n.º 503 219 886 Capital Scial: EUR 169.764.398 NIPC 503 219 886 Sede: Estrada de Alfragide,

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 23/11/2014 a 18/12/2014 Carg: Técnic de Nível Superir: Ciências Cntábeis Taxa de Inscriçã: R$ 60,00 Salári/Remuneraçã: R$ 4.232,00 Nº Vagas: 01

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 Gerenciament de Riscs Circular 3.477 3º Trimestre de 2012 Cnteúd 1. OBJETIVO 3 2. INTRODUÇÃO 3 3. GERENCIAMENTO DE RISCOS 3 3.1. RISCO DE CRÉDITO 6 MENSURAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 6 3.2.

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Desempenho de Vendas 1º Trimestre/2015

Desempenho de Vendas 1º Trimestre/2015 Sã Paul, Brasil, 13 de abril de 2015 - O GPA [BM&FBOVESPA: PCAR4 (PN); NYSE: CBD] e Via Varej S.A. [BM&FBOVESPA:VVAR3 e VVAR11] anunciam desempenh das vendas d 1º trimestre de 2015. Desempenh de Vendas

Leia mais

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0 Events Extras - Descnts PP - Cntestaçã PP - Faturas Avulsas - Events Prgramads FP x PEONA 12.1.5 mai de 2015 Versã 1.0 1 Sumári 1 Intrduçã... 3 2 Seleçã de Dads... 4 2 1 Intrduçã Emitir n relatóri d PEONA,

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING

SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS: Cnta Crrente: sald d dia, extrat mês atual, extrat de cheques, extrat d mês anterir e extrat n períd. Empréstims/Crédits Cnta Investiment:

Leia mais

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA ENTIDADE MDIFICAÇÕES A RÇAMENT DA Pagina: 1 TTAL DE ALTERAÇÕES : 13 CMVC TTAL DE REVISÕES : 2 D AN CNTABILISTIC DE 2014 ATÉ À DATA : 2014/12/31 IDENTIFICAÇÃ DAS RUBRICAS MDIFICAÇÕES RÇAMENTAIS DTAÇÕES

Leia mais

Passo 1: Definição do tipo de crédito

Passo 1: Definição do tipo de crédito Manual Cm avaliar risc de crédit de um cliente Índice Intrduçã O que é risc de crédit? Pass 1: Definiçã d tip de crédit Pass 2: Cm elabrar uma ficha de crédit Pass 3: Métds para avaliar risc de crédit

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

ESCLARECIMENTOS AOS CANDIDATOS

ESCLARECIMENTOS AOS CANDIDATOS ESCLARECIMENTOS AOS CANDIDATOS Ecnmia é um assunt freqüentemente exigid em cncurss públics. Talvez, que mais assuste s candidats que vã estudar Ecnmia pela primeira vez seja vcabulári ecnmês. Diante diss,

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

FATO RELEVANTE Volumes e Prévia de Resultados do 3T15

FATO RELEVANTE Volumes e Prévia de Resultados do 3T15 Lg-In Lgística Intermdal S.A. CNPJ n 42.278.291/0001-24 - NIRE n 3.330.026.074-9 - Cmpanhia Aberta FATO RELEVANTE Vlumes e Prévia de Resultads d 3T15 Ri de Janeir, 27 de utubr de 2015 - A Lg-In Lgística

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

PROGRAMA DE EMISSÃO DE OBRIGAÇÕES DE MÉDIO PRAZO ATÉ AO MONTANTE DE 200.000.000

PROGRAMA DE EMISSÃO DE OBRIGAÇÕES DE MÉDIO PRAZO ATÉ AO MONTANTE DE 200.000.000 Snae, SGPS, S.A. Sede n Lugar d Espid, Via Nrte, Apartad 1011, 4471-909 Maia Registada na Cnservatória d Regist Cmercial da Maia, cm númer de matrícula e de pessa cletiva 500 273 170 Capital Scial, integralmente

Leia mais

o CUSTO DO FINANCIAMENTO

o CUSTO DO FINANCIAMENTO CUSTO DO FINANCIAMENTO DAS VENDAS A PRESTACOES NO BRASIL POLIA LERNER HAMBURGER JORGE WILSON SIMIERA JACOB "A dispnibilidade de vendas a prestaçã tem ajudad a cmpensar, de certa frma" as desigul"a.ldades

Leia mais

Então o que vem a ser Fluxo de Caixa?

Então o que vem a ser Fluxo de Caixa? FLUXO DE CAIXA É muit freqüente, n ambiente d SEBRAE, empresári chegar cm muitas dúvidas sbre as finanças da empresa. E finanças, cm sabems, é fundamental para a sustentaçã um negóci, tant para a sua sbrevivência

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Li, o. 1%,) o. r3 o. r-~) III I:( nuj. íp e

Li, o. 1%,) o. r3 o. r-~) III I:( nuj. íp e -I íp e a ti III nuj I:( r-~) a, 1%,) Li, a) r3 t çn CÂMARA MUNICIPAl. 22 ABF 2015 j ~i ~r 2 u Relatóri de Gestã e Cntas 2014 À Índice CAMARA MUNICIPAl. 22.ÀBE 2015 Relatóri de Gestã e Cntas 2014 ÍNDICE

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

Contabilidade Avançada Apresentação das Demonstrações Contábeis

Contabilidade Avançada Apresentação das Demonstrações Contábeis Contabilidade Avançada Apresentação das Demonstrações Contábeis Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 1 Presentation of Financial Statements No CPC: CPC 26 Apresentação das Demonstrações

Leia mais

10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10

10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10 10 de Mai de 2010 Divulgaçã ds Resultads d 1T10 ÍNDICE DESTQUES... 3 CRIÇÃO DO MULTIPLUS S..... 4 TM Fidelidade... 4 VISÃO GERL DO SETOR DE REDES E PROGRMS DE FIDELIZÇÃO DE CLIENTES... 5 Prgrama Individual...

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA. Curitiba PR http://www.softwar.com.br comercial@softwar.com.br

PROPOSTA TÉCNICA. Curitiba PR http://www.softwar.com.br comercial@softwar.com.br PROPOSTA TÉCNICA Curitiba PR http://www.sftwar.cm.br cmercial@sftwar.cm.br Prpsta Técnica Aderência Prdut desenvlvid especificamente para Cnstrutras e empresas d Setr, utilizand linguagem cnhecid pr prfissinais

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. ads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

Divulgação de Resultados Primeiro Trimestre de 2014

Divulgação de Resultados Primeiro Trimestre de 2014 Divulgaçã de Resultads Primeir Trimestre de 2014 Barueri, 14 de mai de 2014. Apresentaçã de Resultads 1T14 A Temp Participações S.A. (BM&FBvespa: TEMP3; Reuters: TEMP3.SA; Blmberg: TEMP3 BZ), empresa de

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 24/11/2014 a 15/12/2014 Carg: Técnic em Cntabilidade Taxa de Inscriçã: R$ 40,00 Salári/Remuneraçã: R$ 2.835,16 Nº Vagas: 02 Data da Prva: 18/01/2015

Leia mais

CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL)

CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO Prof. Emanoel Truta Conceito É uma demonstração contábil que visa evidenciar as variações ocorridas em todas as contas que compõem o Patrimônio

Leia mais

10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10

10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10 10 de Mai de 2010 Divulgaçã ds Resultads d 1T10 ÍNDICE DESTQUES... 3 CRIÇÃO DO MULTIPLUS S..... 4 TM Fidelidade... 4 VISÃO GERL DO SETOR DE REDES E PROGRMS DE FIDELIZÇÃO DE CLIENTES... 5 Prgrama Individual...

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Contabilidade financeira, contabilidade de gestão e contabilidade de custos

Contabilidade financeira, contabilidade de gestão e contabilidade de custos LEC205 Cntabilidade de Custs e de Gestã 1. Intrduçã à Cntabilidade de Custs e de Gestã Cntabilidade financeira, cntabilidade de gestã e cntabilidade de custs Cntabilidade financeira (CF) Cntabilidade de

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES Tribunal de Cntas da Uniã Marcel Pachec ds Guaranys Brasília, 22.11.2011 ROTEIRO Dads d setr Infraestrutura aeprtuária: desafis Definiçã da mdalidade

Leia mais

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA ENTIDADE MDIFICAÇÕES A RÇAMENT DA Pagina: 1 TTAL DE ALTERAÇÕES : 5 MUNICIPI DE ESPINH TTAL DE REVISÕES : 1 D AN CNTABILISTIC DE 2007 IDENTIFICAÇÃ DAS RUBRICAS MDIFICAÇÕES RÇAMENTAIS 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Índice. Introdução. Passo 1 - Conhecer os. O que é capital de risco. Manual

Índice. Introdução. Passo 1 - Conhecer os. O que é capital de risco. Manual Manual O que é capital de risc Índice Intrduçã Pass 1 - Cnhecer s cnceits-base Pass 2 - Cnhecer as frmas de atuaçã Pass 3 - Elabrar um plan de negócis Pass 4 - Apresentar plan de negócis a ptenciais SCR

Leia mais

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa outubro/2010 1 SIMPLIFICAÇÃO DOS PRONUNCIAMENTOS: Pronunciamento CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (225 páginas)

Leia mais

Mais segurança para sua empresa conceder crédito a consumidores.

Mais segurança para sua empresa conceder crédito a consumidores. 909 SCPC/SERVIÇO E PROTEÇÃO (SCPC) Mais segurança para sua empresa cnceder crédit a cnsumidres. O SCPC frnece infrmações restritivas de td Brasil para auxiliar a sua empresa a avaliar cnsumidres e realizar

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 20/11/2014 a 20/12/2014 Carg: Cntadr Taxa de Inscriçã: R$ 80,00 Salári/Remuneraçã: R$ 7.441,85 Nº Vagas: 01 + Cadastr de Reserva Data da Prva:

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

Recentes Inclusões no Código de Fundos e novos temas supervisionados

Recentes Inclusões no Código de Fundos e novos temas supervisionados Recentes Inclusões n Códig de Funds e nvs temas supervisinads RICARDO AUGUSTO MIZUKAWA Vice-presidente da Cmissã de Acmpanhament de Funds de Investiment da ANBIMA 21 de junh de 2011 Prcediments para aquisiçã

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

SUMÁRIO DOS AVANÇOS RECENTES NO GERENCIAMENTO DA DÍVIDA PÚBLICA BRASILEIRA

SUMÁRIO DOS AVANÇOS RECENTES NO GERENCIAMENTO DA DÍVIDA PÚBLICA BRASILEIRA SUMÁRIO DOS AVANÇOS RECENTES NO GERENCIAMENTO DA DÍVIDA PÚBLICA BRASILEIRA Crdenaçã-Geral de Planejament Estratégic da Dívida Pública COGEP O an de 2003 tem sid favrável para alcance de avançs significativs

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. Dads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais