Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br"

Transcrição

1 Jornalismo Multiplataforma Tecnologias Redes e Convergência

2 Panorama Em 2011, a TV atingiu 96,9% (

3 TV Digital Uma novidade????

4 TV Digital Resolve problemas de Interferência (ruído), gerando a possibilidade de: Melhor qualidade de video (codificação e resolução) Melhor qualidade de audio Transporte de dados

5 TV DiGITAL -> envio

6 TV Digital Interativa Agora sim, algo mais novo!!!!

7 Sistemas de Tv Digital DASE MHP ARIB GINGA Codificação Vídeo MPEG-2 HDTV MPEG-2 SDTV MPEG-2 HDTV MPEG -4 Áudio DOLBY AC-3 MPEG-2 BC MPEG-2 AAC MPEG-2 AAC Transporte MPEG-2 TS MPEG-2 TS MPEG-2 TS MPEG-2 TS Transmissão 8 - VSB COFDM COFDM COFDM Privilegia a TV de alta definição Privilegia a multiprogramação, interatividade e novos serviços Privilegia a TV de alta definição, a recepção móvel e portátil Privilegia a TV de alta definição, a recepção móvel e portátil ATSC: Advanced Television System Comitee DVB: Digital Video Broadcasting ISDB: Integrated System Digital Broadcasting

8 Sistemas de Tv Digital País Padrão Implantação Switch-off México ATSC O padrão foi adotado em julho/ Brasil ISDB-T Lançada no dia 02 de dezembro/2007 na cidade de São Paulo. *2016 Colômbia DVB-T Em 28 de agosto/2008, a Comissão Nacional de Televisão da Colômbia anunciou a adoção do sistema europeu El Salvador ATSC Em 22 de abril/2009, o governo adotou o padrão americano para transmissão da TV digital no país. Dez/2018 Peru ISDB-T Em 23 de abril/2009, o governo peruano anunciou a escolha do padrão ISDB. Com a notícia, o Peru se tornou o primeiro país na América do Sul a aderir ao padrão denominado nipo-brasileiro. De acordo com o cronograma peruano, os sinais digitais estarão disponíveis em Lima em março do próximo ano Panama DVB-T O decreto de adoção do padrão DVB-T foi assinado em 12 de maio/ Argentina ISDB-T Em 28 de agosto/2009, os governos brasileiro e argentino assinaram um convênio bilateral para a implantação do sistema de TV Digital nipo-brasileiro na Argentina. O país foi o segundo na América do Sul a aderir ao padrão Chile ISDB-T O governo do Chile anunciou, em 14 de setembro/2009, a adesão ao padrão ISDB-T. A previsão é de que as primeiras transmissões digitais no país sejam realizadas a partir de Venezuela ISDB-T O governo da Venezuela anunciou, no dia 6 de outubro/2009, a decisão de adotar sistema japonês de televisão digital. O sistema de televisão analógico deverá desativado no país em Equador ISDB-T Em 26 de março/2010, o governo do Equador anunciou a adesão ao sistema ISDB-T. Com a decisão, o Equador se torna o sexto país da América Latina a aderir oficialmente ao padrão. O prazo de implantação do sistema é estimado em sete anos Costa Rica ISDB-T A escolha pelo padrão nipo-brasileiro foi homologada em 7 de maio/ Paraguai ISDB-T Em 2 de junho/2010, o Paraguai tornou-se o oitavo país da América Latina a aderir ao padrão ISDB-T - Bolívia ISDB-T Em 5 de julho/2010, o governo boliviano anunciou a adoção do padrão nipo-brasileiro a TV Digital no país. A implementação da nova tecnologia no país levará dois anos. As primeiras transmissões serão realizadas em República Dominicana ATSC Em 10 de agosto de 2010 foi aprovada a adoção do padrão americano ATSC no país. O governo estabelecer um prazo de cinco anos para finalizar o processo de transição do sinal analógico para o digital. Set/2015 Uruguai ISDB-T O país anunciou, no dia 28 de dezembro/2010, a opção pelo padrão ISDB-T. Em 28 de agosto de 2007, o governo uruguaio havia anunciado a adoção do sistema europeu, entretanto o o presidente José Mujica reverteu a decisão. - Cuba - O país está testando pelo menos três sistemas de televisão digital. Embora, não tenha prazo fixo para que seja tomada uma decisão, espera anunciar o padrão até o final deste ano. - Nicarágua ISDB-T O governo anunciou em 20 de agosto de 2010 a adoção do padrão ISDB-T no país. -

9 Sistema Brasileiro de Tv Digital Terrestre PREVISÃO INICIAL Decreto-lei n , de 26 de novembro de Institui o Sistema Brasileiro de Televisão Digital - SBTVD, e dá outras providências, Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 27 de nov Seção 1, Pág. 7. Normas da ABNT sobre TV digital:

10 Temos que nos lembrar... Capítulo V Da Comunicação Social Art A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios: I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas; II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação; III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística,conforme percentuais estabelecidos em lei; IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família. Normas da ABNT sobre TV digital:

11 O que se pode transmitir O que dá para transmitir???

12 Exemplo de Ambiente de TVDI

13 Transporte dos dados...

14 Carrossel de Dados Para transmitir os dados é utilizado um Carrossel de Dados/Ojbetos. Os dados são transmitidos de forma cíclica em um carrossel, através de difusão (broadcast).

15 Carrossel de Dados O carrossel de objetos DSM-CC (Digital Storage Media Command and Control) facilita a transmissão de diversos tipos de objetos. Esses objetos contidos são colocados em mensagens BIOP (Broadcast Inter-ORB Protocol Messages). Esse formato possibilita a identificação dos objetos. As mensagens BIOP são colocadas em módulos, que posteriormente são divididos em blocos e inseridos em seções MPEG-2.

16 Fluxo de Transporte Áudio, vídeo e dados formam respectivamente Elementary Streams Codificador MPEG-2 transforma todos os ES em PES (Packetized Elementary Stream). Cada PES pode ter até bytes por bloco e cabeçalho de 6 bytes PES são multiplexados, formando um fluxo de transporte MPEG-2 (Transport Stream) Pacotes de 188 bytes (184 bytes de payload e 4 bytes de cabeçalho).

17 Fluxo de Transporte PAT Program Association Table PMT Program Map Table

18 Set-Top Box

19 Set-Top Box Arquitetura de Software: Sistema Operacional Middleware Camada de Aplicação

20 Set-Top Box -> Classes de Interatividade Classe Interação Forte Forte Média Fraca Sem Canal de Retorno Descrição Transmissão bidirecional simétrica. Esta interação dá-se usualmente pelas altas taxas de transmissão tanto de upstream como de downstream Transmissão bidirecional assimétrica de retorno solicitado pelo usuário. Essa interação faz o compartilhamento do canal de retorno entre os usuários Transmissão bidirecional assimétrica com retorno solicitado pelo provedor de serviço. O usuário apenas pode escolher entre algumas opções propostas pela emissora Transmissão bidirecional assimétrica com retorno offline. Transmissão unidirecional, sendo o STB apenas um servidor de aplicações. Nesta classe não há interação nenhuma.

21 Set-Top Box -> Arquitetura Compressão, Transporte e Transmissão (COFDM modulação QPSK ou QAM)

22 Set-Top Box -> Ginga

23 Set-Top Box -> Ginga

24 Ambiente robusto de TVDI Internet

25 Ginga Situação Atual do Projeto 1) GingaRAP: suporte a autoria de aplicações Parte 1 - GingaSuite: suite de ferramentas integradas para autoria e difusão de dados em conformidade com o ambiente declarativo do Middleware Ginga. Parte 2 Ginga-WaC: conjunto de módulos para autoria e anotação colaborativa de conteúdo no lado do cliente integrado a outras ferramentas; e um conjunto de boas práticas para avaliação de acessibilidade de conteúdo e da interação para TV digital.

26 Ginga Situação Atual do Projeto 2) GingaFrEvo: um framework de evolução da tecnologia Ginga Parte 1 - GingaMPB: Distribuição e Recepção de Conteúdo Ginga-NCL em Multiredes (multiplataformas de difusão) Parte 2 - GingaCDN: desenvolvimento de componentes do middleware Ginga (Ginga-NCL, Ginga-J e Ginga-CC) e de ferramentas para seu uso Parte 3 - GingaForAll - arquitetura e ferramenta para concepção de linhas de produtos do Ginga-CC Parte 4 - GingaAiyê Especialização do Ginga-CC para aplicações não convencionais

27 Programação Interativa

28 Aplicações para TVDI Sincronização

29 Aplicações para TVDI -> Adaptabilidade

30 TV DiGITAL -> MOTIVAÇÃO TV não é computador! Tela de menor resolução Distância entre o usuário e a tela é maior Componentes visuais pouco sofisticados Sistema de transmissão em broadcasting Assistência coletiva Geralmente hardware limitado Dispositivos para entrada de dados limitados Controle Remoto

31 GINGA -> Usabilidade

32 GINGA -> Exemplos

33 GINGA -> Usabilidade

34 GINGA -> Usabilidade

35 GINGA -> Usabilidade

36 Desafios e Oportunidades Desenvolvimento de aplicações para: Emissora (autoria) Set-Top Box (EaD, Publicidade, Tipo específico de programação) Aplicações conforme especificação do SBTVD Integração de serviços (web,mobile e TVDI) Desenvolvimento de Provedores de Serviços Estudo: análise de desempenho dos componentes da arquitetura e especificação de serviços (exemplo: busca automática de PS) Aplicações P2P Integração com redes domésticas, etc...

37 Se você ainda não entendeu...

38 PRA PENSAR...

39 Leia mais:

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital Middleware GINGA Desenvolvimento de Aplicações Interativas Linguagem NCL (Nested Context Language) Trabalhos em andamento 1 2 3 4 Maior resolução de imagem Melhor

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social Desenvolvimento de Aplicações Interativas GINGA NCL e LUA Projeto TV Digital Social Marco Antonio Munhoz da Silva DATAPREV Gestor do Proejeto TV Digital Social AGENDA Divisão dos assuntos em quatro partes

Leia mais

TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga. Luiz Eduardo Cunha Leite

TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga. Luiz Eduardo Cunha Leite TV Digital no Brasil e o Middleware Ginga Luiz Eduardo Cunha Leite 1 Sistema de TV Digital no Brasil 3G 1 Seg 2 PTSN, Internet, etc. Nível de Transporte TCP / IP -SI -Carrossel de Dados e Objetos -MPE

Leia mais

Metodologia de Integração entre Aplicações Web e Aplicações para TV Digital

Metodologia de Integração entre Aplicações Web e Aplicações para TV Digital 1 Metodologia de Integração entre Aplicações Web e Aplicações para TV Digital Eduardo Barrére Universidade Federal de Juiz de Fora eduardo.barrere@ice.ufjf.br Paula Marin Leite Universidade Federal de

Leia mais

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Rafael V. Coelho Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Rio Grande - RS rafaelvc2@gmail.com Resumo. Este trabalho discute os tipos de Middleware usados

Leia mais

TV Dig ital - S ocial

TV Dig ital - S ocial Edson Luiz Castilhos Gerente Célula Software Livre - RS Marco Antonio Munhoz da Silva Gestor Projeto TV Digital Social 1 AGENDA O que é TV Digital? Histórico TV Analógica x TV Digital Sistema de TV Digital

Leia mais

Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios

Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios Congresso SUCESU-SP 2007 Integrando Tecnologia aos Negócios 29/11/07 Juliano Castilho Dall'Antonia Diretor de TV Digital w w w. c p q d. c o m. b r 1 Sumário

Leia mais

Entretenimento e Interatividade para TV Digital

Entretenimento e Interatividade para TV Digital Entretenimento e Interatividade para TV Digital Desenvolvimento de Aplicativos para TV Digital Interativa Rodrigo Cascão Araújo Diretor Comercial Apresentação da Empresa A EITV desenvolve software e provê

Leia mais

TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br

TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br II SIMPOSIO INTERNACIONAL SOBRE NOVAS COMPETENCIAS EM TECNOLOGIA DIGITAL INTERATIVAS NA EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE TV DIGITAL DR. PROF. FUJIO YAMADA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Email: fujio.yamada@mackenzie.br

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital. Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves

Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital. Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves Objetivo Apresentar os conceitos básicos para o desenvolvimento de sistemas para TV Digital.

Leia mais

Televisão Digital Interativa se faz com Ginga. Guido Lemos de Souza Filho LAVID DI - UFPB

Televisão Digital Interativa se faz com Ginga. Guido Lemos de Souza Filho LAVID DI - UFPB Televisão Digital Interativa se faz com Ginga Guido Lemos de Souza Filho LAVID DI - UFPB Instituições Selecionadas para Elaborar Propostas de Alternativas Tecnológicas Requisitos básicos b do SBTVD Robustez

Leia mais

NCL e Java. Aquiles Burlamaqui

NCL e Java. Aquiles Burlamaqui Construindo programas de TV Digital Interativa usando NCL e Java Aquiles Burlamaqui Sumário Introdução Middleware Aplicações de TVDI Ginga NCL Ginga J Conclusões Introdução TV Digital Interativa O que

Leia mais

Padrões de Middleware para TV Digital

Padrões de Middleware para TV Digital Padrões de Middleware para TV Digital Alexsandro Paes, Renato Antoniazzi UFF Universidade Federal Fluminense Centro Tecnológico Departamento de Engenharia de Telecomunicações Mestrado em Telecomunicações

Leia mais

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television TV Digital : Convergência e Interatividade. A TELEVISÃO. A Televisão... o mais subversivo instrumento da comunicação deste século!" Assis Chateaubriand (1950). A Televisão Sem TV é duro de dizer quando

Leia mais

Engenheiro Eletrônico pela PUC-RJ e mestrando da Universidade Federal Fluminense.

Engenheiro Eletrônico pela PUC-RJ e mestrando da Universidade Federal Fluminense. Padrões de Middleware para TV Digital Este tutorial apresenta o conceito de middleware para TV Digital, os atuais padrões de mercado e uma comparação entre eles, em termos de funcionalidades disponibilizadas.

Leia mais

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel Universidade Cruzeiro do Sul/CETEC, Av. Ussiel Cirilo, 225 São Paulo Resumo A TV é um importante

Leia mais

2 TV digital e TV de alta definição 2.1. A tecnologia digital

2 TV digital e TV de alta definição 2.1. A tecnologia digital 2 TV digital e TV de alta definição 2.1. A tecnologia digital Neste capítulo, serão abordados os aspectos principais da tecnologia digital e suas conseqüências em termos de mercado consumidor (telespectadores).

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA A TV digital O surgimento da TV digital se deu em função do desenvolvimento da TV de alta definição (HDTV) no Japão e na Europa, há mais de duas décadas,

Leia mais

PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL *

PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL * PESPECTVIAS DO PROJETO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO DE MIDDLEWARE PARA DIVULGAÇÃO DE SABERES POPULARES NO CANAL DE INTERATIVIDADE DA TV DIGITAL * Wellington Garcia PEREIRA 1 ; Hudson Henrique de Sousa LOPES

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 1 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1 2.1 ARQUITETURA DO SISTEMA 4 3 CONFIGURAÇÃO DO PROCESSADOR BTS 4 3.1 COMPRESSOR 5 3.

1 INTRODUÇÃO 1 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1 2.1 ARQUITETURA DO SISTEMA 4 3 CONFIGURAÇÃO DO PROCESSADOR BTS 4 3.1 COMPRESSOR 5 3. COMPRESSOR / DECOMPRESSOR TS9600 BTS i SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 1 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1 2.1 ARQUITETURA DO SISTEMA 4 3 CONFIGURAÇÃO DO PROCESSADOR BTS 4 3.1 COMPRESSOR 5 3.2 DECOMPRESSOR 6 4. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Niterói, RJ, Brasil, 8-10 de novembro de 2005. PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Alexsandro Paes, Renato H. Antoniazzi, Débora C. Muchaluat Saade Universidade Federal Fluminense (UFF) / Centro Tecnológico

Leia mais

Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado

Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado Amadeus-TV: Portal Educacional na TV Digital Integrado a um Sistema de Gestão de Aprendizado Bruno de Sousa Monteiro Orientação: Prof. Dr. Fernando da Fonseca de Souza Prof. Dr. Alex Sandro Gomes 1 Roteiro

Leia mais

GTTV - Grupo de Trabalho de Televisão Digital. Guido Lemos de Souza Filho LAViD - DI CCEN UFPB

GTTV - Grupo de Trabalho de Televisão Digital. Guido Lemos de Souza Filho LAViD - DI CCEN UFPB GTTV - Grupo de Trabalho de Televisão Digital Guido Lemos de Souza Filho LAViD - DI CCEN UFPB Sistema de TV Digital ITV Middleware (eg. MHP or DASE) Real-Time Operating System Device Drivers Conditional

Leia mais

O Panorama da TV Digital no Brasil. Leandro Miller Leonardo Jardim

O Panorama da TV Digital no Brasil. Leandro Miller Leonardo Jardim O Panorama da TV Digital no Brasil Leandro Miller Leonardo Jardim Tópicos Abordados TV Aberta no Brasil Vantagens da TV Digital Padrões de TV Digital Sistema Brasileiro de TV Digital Oportunidades na TV

Leia mais

MDD Mídias Interativas. TV Digital no Brasil

MDD Mídias Interativas. TV Digital no Brasil Pós-Graduação MDD Mídias Interativas TV Digital no Brasil Apresentações Profª. Graciana Simoní Fischer de Gouvêa Email: graciana.fischer@prof.infnet.edu.br COMO FUNCIONAVA A TV NO BRASIL? Analógico Analógico

Leia mais

Protocolo de Aplicação para Jogos de Tabuleiro para Ambiente de TV Digital

Protocolo de Aplicação para Jogos de Tabuleiro para Ambiente de TV Digital Protocolo de Aplicação para Jogos de Tabuleiro para Ambiente de TV Digital Felipe Martins de Lima Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria, 156 São Domingos Niterói

Leia mais

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos TV Digital Me Engº Leonardo Ortolan Me Engº Thiago L. S. Santos Sumário Introdução Desenvolvimento TV Digital: O que é? Padrões de TV Digital TV Digital Brasileira Participação da PUCRS no SBTVD Conclusão

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas

Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas Jorge Fernandes 1,2, Guido Lemos 3 e Gledson Silveira 3 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília

Leia mais

Uma Implementação de Broadcast File System para Transmissão de Dados de TV Digital

Uma Implementação de Broadcast File System para Transmissão de Dados de TV Digital UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO E CIENTÍFICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Uma Implementação de Broadcast File System

Leia mais

FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL. Objetivos do Sistema Digital. Digital. Comparação. (NTSC x ATSC) Transmissão simultânea de várias programações

FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL. Objetivos do Sistema Digital. Digital. Comparação. (NTSC x ATSC) Transmissão simultânea de várias programações PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ FUNDAMENTOS DE TV DIGITAL Prof. Alexandre A. P. Pohl Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial - CPGEI 1 Objetivos do Sistema

Leia mais

ISDB-Brasil Padrão Brasileiro de TV Digital

ISDB-Brasil Padrão Brasileiro de TV Digital ISDB-Brasil Padrão Brasileiro de TV Digital Penetração da TV analógica no Brasil 89,9% das residências brasileiras possuem TV analógica 40,6 milhões de residências 57 milhões de aparelhos de televisão

Leia mais

Ginga e a TV Digital Interativa no Brasil

Ginga e a TV Digital Interativa no Brasil Ginga e a TV Digital Interativa no Brasil Bruno Ghisi Engenheiro de Software weblogs.java.net/brunogh Alexandre Lemos Engenheiro de Software Objetivo Introduzir o conceito do cenário brasileiro de TV Digital,

Leia mais

Televisão Digital Interativa Principais Características e Tecnologias Multimedia Home Platform Sistema Brasileiro de Televisão Digital

Televisão Digital Interativa Principais Características e Tecnologias Multimedia Home Platform Sistema Brasileiro de Televisão Digital Televisão Digital Interativa Principais Características e Tecnologias Multimedia Home Platform Sistema Brasileiro de Televisão Digital Jomar Alberto Andreata, M.Eng. 1. Introdução Objetivos Visualizar

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA Case vencedor do VII Prêmio ANATEC na categoria B2B Serviços BANCA ASSINATURA CUSTOMIZADA PORTFÓLIO A maior provedora de conteúdo de economia, negócios e finanças da América

Leia mais

Conversor de TV Digital Terrestre: Set-top box

Conversor de TV Digital Terrestre: Set-top box Conversor de TV Digital Terrestre: Set-top box Este tutorial apresenta detalhes de funcionamento de um Conversor de TV Digital Terrestre, também chamado de Set-top box ou terminal de acesso, incluindo

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA TV DIGITAL INTERATIVA EM UM CENÁRIO DE T-COMMERCE

ANÁLISE DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA TV DIGITAL INTERATIVA EM UM CENÁRIO DE T-COMMERCE III Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica ANÁLISE DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA TV DIGITAL INTERATIVA EM UM CENÁRIO DE T-COMMERCE Nairon S.

Leia mais

Demonstrações: Requisitos do M iddleware

Demonstrações: Requisitos do M iddleware 1 Copyright 2012 TeleMídia Agenda Introdução à TV Digital Demonstrações: Requisitos do M iddleware M odelo de Referência Ginga: NCL (Lua) Considerações Finais 2 Copyright 2012 TeleMídia Copyright Laboratório

Leia mais

Mecanismo de Identificação de Recursos para Aplicações Interativas em Redes de TV Digital por Difusão

Mecanismo de Identificação de Recursos para Aplicações Interativas em Redes de TV Digital por Difusão Mecanismo de Identificação de Recursos para Aplicações Interativas em Redes de TV Digital por Difusão Marcio Ferreira Moreno, Rogério Ferreira Rodrigues, Luiz Fernando Gomes Soares Departamento de Informática

Leia mais

TV DIGITAL INTERATIVA: UM RECURSO DIDÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

TV DIGITAL INTERATIVA: UM RECURSO DIDÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SET Congresso 2012 TV DIGITAL INTERATIVA: UM RECURSO DIDÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Pricila de Souza, Hálison Maia, Marlos Rodrigues, Samir Batalha,

Leia mais

TV Digital Interativa Jocimar Fernandes ESAB Vitória (ES)

TV Digital Interativa Jocimar Fernandes ESAB Vitória (ES) TV Digital Interativa Jocimar Fernandes ESAB Vitória (ES) Introdução Este trabalho apresenta o modelo brasileiro de telecomunicações, seus problemas e motivos de migração para um sistema digital. São abordados

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Motivação

1 Introdução. 1.1. Motivação 1 Introdução A adoção do Ginga-NCL como middleware declarativo do SBTVD (Sistema Brasileiro de Televisão Digital) estabeleceu um marco no desenvolvimento de aplicações interativas para TV Digital terrestre

Leia mais

Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital

Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital Um framework para o desenvolvimento de aplicações interativas para a Televisão Digital Adriano Simioni, Valter Roesler Departamento de Informática Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) Av. Unisinos,

Leia mais

TV Digital interativa versus TV Conectada: o futuro da interatividade no Brasil

TV Digital interativa versus TV Conectada: o futuro da interatividade no Brasil TV Digital interativa versus TV Conectada: o futuro da interatividade no Brasil Doutorando em Televisão Digital POLI USP Mestre em Televisão Digital UNESP Bacharel em Comunicação (Jornalismo) UNESP - Pesquisador

Leia mais

TERRA DESENVOLVE O SUNDAYTV, SERVIÇO DE VÍDEO ON DEMAND

TERRA DESENVOLVE O SUNDAYTV, SERVIÇO DE VÍDEO ON DEMAND julho/2012 Case de Sucesso TERRA DESENVOLVE O SUNDAYTV, SERVIÇO DE VÍDEO ON DEMAND Para publicar um case no Portal IT4CIO, entre em contato pelo e-mail comunicacao@it4cio.com. PERFIL Terra é parte da Telefônica

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ESTUDO DO POTENCIAL INTERATIVO DA TV DIGITAL PARA APLICAÇÕES EDUCACIONAIS Área de Informática

Leia mais

ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil

ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil Câmara dos Deputados Seminário Internacional TV Digital obstáculos e desafios para uma nova comunicação Sávio Pinheiro Brasília-DF 16 de Maio de 2006

Leia mais

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T ANEXO 5 NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T Uma das vantagens mais marcantes do ISDB-T é a sua flexibilidade para acomodar uma grande variedade de aplicações. Aproveitando esta característica única do ISDB-T, vários

Leia mais

Jorge Fernandes (jhcf@cic.unb.br) 1,2 Guido Lemos (guido@di.ufpb.br) 3 Gledson Elias Silveira (gledson@di.ufpb.br) 3

Jorge Fernandes (jhcf@cic.unb.br) 1,2 Guido Lemos (guido@di.ufpb.br) 3 Gledson Elias Silveira (gledson@di.ufpb.br) 3 Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas Dia 1 Minicurso com duração de 6 Horas, Apresentado na XXIII Jornada de Atualização em Informática do XXIV Congresso

Leia mais

TV Digital Interativa: Oportunidade ou Sonho? TV Digital

TV Digital Interativa: Oportunidade ou Sonho? TV Digital TV Digital Interativa: Oportunidade ou Sonho? Luiz Fernando Gomes Soares Departamento de Informática PUC-Rio lfgs@inf.puc-rio.br Resumo. Esta apresentação discute primeiramente as características da TV

Leia mais

CARLOS ALEXANDRE PICCIONI MODELO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO DE DATACASTING PARA TELEVISÃO DIGITAL

CARLOS ALEXANDRE PICCIONI MODELO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO DE DATACASTING PARA TELEVISÃO DIGITAL CARLOS ALEXANDRE PICCIONI MODELO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIÇO DE DATACASTING PARA TELEVISÃO DIGITAL FLORIANÓPOLIS 2005 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2004.2 ANOTAÇÃO EM VÍDEO PARA TELEDIAGNÓSTICO USANDO TV-DIGITAL EM DISPOSITIVOS MÓVEIS TRABALHO DE GRADUAÇÃO

Leia mais

Distribuição do sinal ISDB-T BTS por diferentes meios usando ferramenta de compressão e adaptação

Distribuição do sinal ISDB-T BTS por diferentes meios usando ferramenta de compressão e adaptação Distribuição do sinal ISDB-T por diferentes meios usando ferramenta de compressão e adaptação Broadcast & Cable SET 2011 24/8/2011 Prof. Dr. Cristiano Akamine Escola de Engenharia Mackenzie Universidade

Leia mais

TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras. Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD

TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras. Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD TDC 2011 AGENDA I. Cadeia de valor da TV Digital Interativa II. O Ginga e

Leia mais

IPTV em rede Multicast

IPTV em rede Multicast IPTV em rede Multicast Flávio Gomes Figueira Camacho Apresentação Flavio Gomes Figueira Camacho Diretor de TI da Vipnet Baixada Telecomunicações e, Operadora de STFC e SCM. Mestrando em Engenharia de Telecomunicações

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PLATAFORMA MULTIAPLICATIVA DE BAIXO CUSTO PARA A INCLUSÃO DIGITAL ALEXANDRE GONTIJO RABELO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social

Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social O SISTEMA DE RÁDIO DIGITAL: A MODERNIZAÇÃO DO M.C.M. MAIS POPULAR DO PLANETA Texto redigido para embasar apresentação de seminário na

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Fundamentos de Sistemas Multimídia Padrões de Rádio Digital Agosto/2006 Jailton Neves Padrões de Rádio Digital Agenda - IBOC In

Leia mais

Visão Geral das Tecnologias Envolvidas no Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV

Visão Geral das Tecnologias Envolvidas no Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Visão Geral das Tecnologias Envolvidas no Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Felipe S. PEREIRA 1, Danielle COSTA 2 1 aluno do curso de Análise e Desenvolvimento de

Leia mais

2 Perspectivas de Consumo de Banda no Acesso

2 Perspectivas de Consumo de Banda no Acesso 2 Perspectivas de Consumo de Banda no Acesso Esse capítulo apresenta os novos serviços disponíveis aos usuários e a tendência de oferta futura, indicando as previsões de bandas associadas necessárias a

Leia mais

Entretenimento e Interatividade para TV Digital

Entretenimento e Interatividade para TV Digital Entretenimento e Interatividade para TV Digital Interatividade na TV Digital Ginga e Plataformas de Desenvolvimento Rodrigo Cascão Araújo Diretor Comercial O que é a TV Digital Transmissão da emissora

Leia mais

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. TERRA NETWORKS APERFEIÇOA FERRAMENTA DE BI PARA O AUTOCONHECIMENTO DE SEUS NEGÓCIOS

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. TERRA NETWORKS APERFEIÇOA FERRAMENTA DE BI PARA O AUTOCONHECIMENTO DE SEUS NEGÓCIOS Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. TERRA NETWORKS APERFEIÇOA FERRAMENTA DE BI PARA O AUTOCONHECIMENTO DE SEUS NEGÓCIOS Perfil Terra é parte da Telefônica Digital, braço da Telefônica

Leia mais

TV Digital: Recepção no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T)

TV Digital: Recepção no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T) TV Digital: Recepção no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T) O conteúdo deste tutorial foi obtido do artigo de autoria do Érico Barbosa Teixeira, do Filipe Sousa Bragança Ferreira de Almeida

Leia mais

Trilha TV DIGITAL. Prof. Me. Marcelo Falco

Trilha TV DIGITAL. Prof. Me. Marcelo Falco Trilha TV DIGITAL Prof. Me. Marcelo Falco Mestre em Design, Pós-Graduado no MBA em Marketing e Graduado em Design Digital pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Pesquisador do Design Lab TVDi e professor

Leia mais

Uma Proposta de Ambiente de Recepção Colaborativa de TV Digital Interativa

Uma Proposta de Ambiente de Recepção Colaborativa de TV Digital Interativa Uma Proposta de Ambiente de Recepção Colaborativa de TV Digital Interativa Tiago dos Santos Façanha 1, Clayson Sandro Francisco de Sousa Celes 2, Igor Rafael Silva Valente 1, Domingos Sávio Soares Felipe

Leia mais

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital 6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital Neste capítulo, os modelos desenvolvidos serão utilizados para a avaliação da cobertura de sistemas de TV digital na cidade de São Paulo. Partindo dos limiares

Leia mais

PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE:

PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE: PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE: Copa do mundo, o mundo em sua escola BRASIL 1 TITULO DO PROJETO: Copa do mundo, o mundo em sua escola PAÍSES PARTICIPANTES:

Leia mais

Bringing All Users to the Television

Bringing All Users to the Television PUC Minas Campus de Poços de Caldas Departamento de Ciência da Computação Laboratório de Televisão Digital Interativa Bringing All Users to the Television Guia de Instalação, Configuração e Desenvolvimento

Leia mais

Utilização de uma Arquitetura e um Modelo Escalável para um Programa de EAD Meditizado pela TV Digital Interativa 1

Utilização de uma Arquitetura e um Modelo Escalável para um Programa de EAD Meditizado pela TV Digital Interativa 1 Utilização de uma Arquitetura e um Modelo Escalável para um Programa de EAD Meditizado pela TV Digital Interativa 1 Sergio Ferreira do Amaral 2 Carlos Otávio Schocair Mendes 3 Mônica Cristina Garbin 4

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Fundado em 1965, o Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel - é um centro de excelência em ensino e pesquisa na área de Engenharia, e tem se consolidado cada vez mais, no Brasil e no exterior, como

Leia mais

Qualidade. Confiança. Inovação.

Qualidade. Confiança. Inovação. Qualidade. Confiança. Inovação. Soluções em Radiodifusão, Vídeo e Comunicação do Brasil para o mundo. Transmissores Excitadores Multiplexadores Encoders Gap-fillers Micro-ondas Rádio Digital Câmeras Broadcast

Leia mais

Modulação COFDM Uma proposta atrativa para os padrões de TV Digital

Modulação COFDM Uma proposta atrativa para os padrões de TV Digital Modulação COFDM Uma proposta atrativa para os padrões de TV Digital ANA LUIZA RODRIGUES REGINA MISSIAS GOMES Instituto de Ensino Superior de Brasília - IESB analurr@hotmail.com.br regina_missias@pop.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO A API GINGA-J: UM

Leia mais

João Ricardo Andrêo EXPLORANDO A INTERATIVIDADE LOCAL EM TV DIGITAL: UMA METODOLOGIA PARA VÍDEO INSTITUCIONAL DE UMA ESCOLA DE NÍVEL TÉCNICO

João Ricardo Andrêo EXPLORANDO A INTERATIVIDADE LOCAL EM TV DIGITAL: UMA METODOLOGIA PARA VÍDEO INSTITUCIONAL DE UMA ESCOLA DE NÍVEL TÉCNICO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ARQUITETURA, ARTES E COMUNICAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL TELEVISÃO DIGITAL: INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO João Ricardo Andrêo EXPLORANDO A

Leia mais

www.philips.com/welcome

www.philips.com/welcome Register your product and get support at www.philips.com/welcome SDV1225T/55 PT Manual do Usuário Sumário 1 Importante 4 Segurança 4 Aviso para os EUA 4 Aviso para o Canadá 4 Reciclagem 4 Português 2

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Júlio de Mesquita Filho

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Júlio de Mesquita Filho UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Júlio de Mesquita Filho Pós-Graduação em Ciência da Computação Leandro Jekimim Goulart Estudo de Caso de uma extensão de Middlewares de TV Digital Interativa para suporte

Leia mais

Newsletter A BANDA KA É ÓTIMA PARA CONSEGUIR A UNIVERSALIZAÇÃO DO ACESSO À BANDA LARGA NA AMÉRICA LATINA

Newsletter A BANDA KA É ÓTIMA PARA CONSEGUIR A UNIVERSALIZAÇÃO DO ACESSO À BANDA LARGA NA AMÉRICA LATINA A BANDA KA É ÓTIMA PARA CONSEGUIR A UNIVERSALIZAÇÃO DO ACESSO À BANDA LARGA NA AMÉRICA LATINA Veja mais A Media Networks introduzirá este serviço na América do Sul no segundo semestre do ano 2013 O acordo

Leia mais

R E M J A VIII. 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010

R E M J A VIII. 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010 R E M J A VIII Brasília, Brasil 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010 Antecedentes da Rede Institucionalização da Rede Composição da Rede Progressos desde a REMJA VII Novos Avanços Propósito: aumentar e melhorar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA SMS COMO CANAL DE INTERATIVIDADE PARA DISPOSITIVOS PORTÁTEIS LUIZ FILIPE DA SILVA SOUZA PINTO MANAUS

Leia mais

Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD)

Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Início das transmissões 100% digitais Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 07 de abril

Leia mais

4 CARACTERÍSTICA DE DESEMPENHO DE RECEPÇÃO

4 CARACTERÍSTICA DE DESEMPENHO DE RECEPÇÃO 4 CARACTERÍSTICA DE DESEMPENHO DE RECEPÇÃO Este bloco de ensaios visa a avaliar as características dos sistemas de TV Digital ATSC, DVB-T e ISDB-T para recepção dos sinais. 4.1 Limiar da relação portadora

Leia mais

Receptores e Canal de Interatividade para o Sistema Brasileiro de TV Digital

Receptores e Canal de Interatividade para o Sistema Brasileiro de TV Digital Receptores e Canal de Interatividade para o Sistema Brasileiro de TV Digital Valério Pereira Etcharte Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria 156 Niterói RJ Brasil

Leia mais

SISTEMAS DE VÍDEO. Instrutor : Claudio Younis

SISTEMAS DE VÍDEO. Instrutor : Claudio Younis SISTEMAS DE VÍDEO Instrutor : Claudio Younis VÍDEO Sequência de imagens exibidas em uma determinada velocidade de modo que nosso sistema visual (olho, retina, nervo óptico e cerébro) reconstrua o movimento

Leia mais

DVB, um modelo mundial para TV digital no Brasil?

DVB, um modelo mundial para TV digital no Brasil? DVB, um modelo mundial para TV digital no Brasil? Eduardo Nascimento Lima Consultor de Estratégias Tecnológicas da área de Comunicações Móveis da Siemens para a região Mersocul. Graduado em Engenharia

Leia mais

Televisão Digital Interativa se faz com Ginga

Televisão Digital Interativa se faz com Ginga Televisão Digital Interativa se faz com Ginga Guido Lemos de Souza Filho Luiz Eduardo Cunha Leite LAVID DI - UFPB Instituições Selecionadas para Elaborar Propostas de Alternativas Tecnológicas Requisitos

Leia mais

ENSINO-APRENDIZAGEM NA TV DIGITAL: ESTENDENDO O AMBIENTE AULANET PARA A TV

ENSINO-APRENDIZAGEM NA TV DIGITAL: ESTENDENDO O AMBIENTE AULANET PARA A TV CENTRO UNIVERSITÁRIO VILA VELHA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO FILIPE BOSI GUAITOLINI ENSINO-APRENDIZAGEM NA TV DIGITAL: ESTENDENDO O AMBIENTE AULANET PARA A TV VILA VELHA 2008 FILIPE BOSI GUAITOLINI

Leia mais

SBTVD Uma ViSão SoBre a TV DigiTal no BraSil LuCIANO LeONeL MeNdes

SBTVD Uma ViSão SoBre a TV DigiTal no BraSil LuCIANO LeONeL MeNdes ARTIGO SBTVD Uma ViSão SoBre a TV DigiTal no BraSil LuCIANO LeONeL MeNdes 48 Resumo Hoje, a televisão brasileira está passando por uma revolução. A mudança do sistema analógico de televisão para o sistema

Leia mais

Arquitetura para Aplicações Interativas Imersivas de Televisão Digital

Arquitetura para Aplicações Interativas Imersivas de Televisão Digital UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA E DE COMPUTAÇÃO Arquitetura para Aplicações

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operativos

Arquitetura de Sistemas Operativos Arquitetura de Sistemas Operativos Sistemas Operativos 2011/2012 1 Introdução Os sistemas operativos implementam mecanismos que asseguram independência entre processos (i.e., a execução de um processo

Leia mais

APLICAÇÃO PARA A TV DIGITAL INTERATIVA UTILIZANDO A API JAVATV Eli CANDIDO JUNIOR 1 Francisco Assis da SILVA 2

APLICAÇÃO PARA A TV DIGITAL INTERATIVA UTILIZANDO A API JAVATV Eli CANDIDO JUNIOR 1 Francisco Assis da SILVA 2 APLICAÇÃO PARA A TV DIGITAL INTERATIVA UTILIZANDO A API JAVATV Eli CANDIDO JUNIOR 1 Francisco Assis da SILVA 2 RESUMO: A televisão é uma das principais fontes de informação, entretenimento e cultura. A

Leia mais

Uso da TV Digital na Educação a Distância

Uso da TV Digital na Educação a Distância Uso da TV Digital na Educação a Distância Eduardo da Silva 1,Vanessa Battestin Nunes 1 1 Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), Campus Serra. Rod. ES 010, s/n Manguinhos Serra ES. Cep: 29164-231 edsilva@redegazeta.com.br,

Leia mais

Sistema de acesso a dispositivos eletrônicos através da TV Digital interativa. Aluno: Rodrigo Brüning Wessler Orientador: Francisco Adell Péricas

Sistema de acesso a dispositivos eletrônicos através da TV Digital interativa. Aluno: Rodrigo Brüning Wessler Orientador: Francisco Adell Péricas Sistema de acesso a dispositivos eletrônicos através da TV Digital interativa Aluno: Rodrigo Brüning Wessler Orientador: Francisco Adell Péricas Roteiro da Apresentação Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

1.1. Aplicações de TVD dinâmicas

1.1. Aplicações de TVD dinâmicas 1 Introdução Uma aplicação de TV Digital (TVD) comumente é composta por um vídeo principal associado a outros objetos (aplicações, imagens, vídeos, textos etc.), que são transmitidos em conjunto possibilitando

Leia mais