ENGENHARIA MECÂNICA NA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENGENHARIA MECÂNICA NA"

Transcrição

1 ENGENHARIA MECÂNICA NA Gonçalo Falcão Marta Ramos Paulo Fernandes Pedro Lima Pedro Forte Pedro Seabra 1M05_03 Supervisor: Monitor: Ana Reis Mário Silva Mestrado Integrado Engenharia Mecânica

2 Motores

3 Energy Recovery System (ERS) MGU-K Energia desperdiçada na travagem é convertida em energia elétrica e armazenada; 160cv adicionais durante 33s por volta. MGU-H Ligado ao turbocompressor; Armazena energia proveniente do calor dos gases de escape; Controla a velocidade do turbo.

4 Turbocompressor Aumenta a densidade de ar nos cilindros, permitindo uma melhor combustão. 1. Carcaça compressora e rotor do compressor; 2. Carcaça central; 3. Eixo e carcaça da turbina.

5 Transmissão É através da transmissão que a força do motor é transmitida para as rodas, de modo a fazer circular o automóvel. A caixa de velocidades é constituída por carbono e titânio (resistentes a elevadas variações de temperatura), visto que a dissipação de calor pelo motor é elevada.

6 Embraiagem A embraiagem de um automóvel moderno da F1 é uma multi-placa de carbono com um diâmetro menor que 100mm e que pesa menos de 1 Kg. O tempo necessário para realizar a mudança de uma velocidade para outra é, aproximadamente, 0.05s.

7 Aerodinâmica Aerodinâmica é a ciência que estuda as propriedades e características do movimento de fluidos gasosos e as forças que estes exercem em corpos sólidos neles imersos. Forças fundamentais: Peso (origem não aerodinâmica) Sustentação Arrasto Impulsão Força aerodinâmica

8 Aerodinâmica Downforce Força criada pelas asas do carro. Ajuda o carro a ficar seguro à pista. Impulsão A intensidade desta força depende da potência do motor. Arrasto É a força resistente ao movimento do objeto. O seu sentido é sempre contrário ao do movimento.

9 As Asas de um Carro de Fórmula 1 O método de funcionamento das asas de um carro de F1 é semelhante ao das asas de um avião. Enquanto que neste o objetivo é levantar voo, num carro de F1, o objetivo é segurar o carro à pista. Esta força criada pelas asas designa-se por downforce (força descendente). O ângulo das asas pode ser ajustado de forma a conseguir a relação ideal entre a resistência do ar e a força descendente.

10 Sistema de Travagem Os travões são um sistema de troca de energia: Transformam energia cinética em térmica; Funcionamento anormal, quando seus componentes se encontram a elevada temperatura, brake fade.

11 Travões de Disco Funcionamento: ao aplicar pressão no pedal, o liquido dos travões vai também pressionar as pinças contra o disco. Atualmente os carros de formula 1 possuem dois sistema de travagem separados o posterior e o anterior.

12 Pneus - Características O pneu de corrida é constituído por uma mistura de diferentes tipos de borracha (mole, sintética e natural) o que fornece a máxima aderência ao piso. Características dos pneus de Fórmula 1 Os pneus são constituídos por camadas de nylon e poliéster ; Têm uma durabilidade pequena, devido ao facto de estarem sujeitos a grandes forças e temperaturas; Existem vários tipos de pneus, sendo que há 4 para piso seco e 2 para piso molhado, com durezas diferentes.

13 Suspensão A função da suspensão é maximizar o atrito com o solo e melhorar a distribuição do peso nas curvas Concedendo ao carro a estabilidade que lhe permite deslocar-se em qualquer pista a altas velocidades.

14 Funcionamento: Push-Rod e Pull-Rod Push-Rod Pull-Rod

15 Chassis O chassi é o esqueleto do veículo onde tudo é preso e anexado, é sobre ele que se monta e prende todos os outros componentes e sem ele não seria possível nenhum deles existir. Deve: Ser rígido para fornecer maior controlo e resistência; Suportar todos os componentes do veículo; Proteger o condutor contra invasões externas; Não deve ser flexível;

16 Chassis (Combinado) Possui as vantagens dos outros: Melhor gestão de espaço; Maior proteção do piloto em caso de acidente; Muito resistente à torção e flexão; Com o bónus de ser mais barato em produção de baixa quantidade.

17 Sistemas de Segurança Monocoque Célula de sobrevivência Feita de material resistente, permanecendo-se intacta em caso de acidente; Rodeada por estruturas amortecedoras de choque; Cabine do piloto Deve permitir ao condutor que saia do veículo num intervalo de tempo de 5 segundos; Gasolina, óleo ou água, não devem passar através da cabine;

18 Sistemas de Segurança HANS Elemento de segurança passiva que absorve e redistribui as forças geradas pelo choque; É uma espécie de colarinho feito de fibra de carbono que é ligado levemente ao capacete por três faixas Projetado para trabalhar em conjunto com o cinto de segurança. Hybrid Novo elemento de segurança para o pescoço e a cabeça criado pela Simpson substitui o HANS; mais seguro; mais estável; mais confortável.

19 Obrigado pela atenção!

Automobilismo e a Fibra de Carbono. Segurança e Performance na época dos compósitos

Automobilismo e a Fibra de Carbono. Segurança e Performance na época dos compósitos Automobilismo e a Fibra de Carbono Segurança e Performance na época dos compósitos Desenvolvimento de Técnicas e Avanços Mclaren foi a 1ª equipe de Formula 1 a criar um Monocoque de Fibra de Carbono com

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano 19 Sistema de Refrigeração - Tópicos Introdução Meios refrigerantes Tipos de Sistemas de Refrigeração Sistema de refrigeração a ar Sistema de refrigeração a água Anticongelantes

Leia mais

w w w. h e n f e l. c o m. b r HIDROVARIADOR

w w w. h e n f e l. c o m. b r HIDROVARIADOR w w w. h e n f e l. c o m. b r HIDROVARIADOR CH-0509-BR Introdução Fundada em 1981, a HENFEL Indústria Metalúrgica Ltda. é uma tradicional empresa do setor mecânico / metalúrgico, fornecedora de Caixas

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

Escola: Colegio Interativa - Educação Infatil, Ensino Fundamental e Medio

Escola: Colegio Interativa - Educação Infatil, Ensino Fundamental e Medio Nome: Gustavo Silva Cogo,Lucas Gruener Lima Professor: Rodrigo Mendonça, Graduado, Engenharia Forma de Apresentação: Painel Escola: Colegio Interativa - Educação Infatil, Ensino Fundamental e Medio Elaboração

Leia mais

Atuando desde 1981 (mil novecentos e oitenta e um), a Henfel fabrica caixas para

Atuando desde 1981 (mil novecentos e oitenta e um), a Henfel fabrica caixas para Atuando desde 1981 (mil novecentos e oitenta e um), a Henfel fabrica caixas para rolamentos, acoplamentos hidrodinâmicos e flexíveis, e hidrovariadores de velocidade, produtos destinados a atender os mais

Leia mais

A RENAULT REVELA A SUA POWER UNIT PARA 2014: ENERGY F1-2014

A RENAULT REVELA A SUA POWER UNIT PARA 2014: ENERGY F1-2014 COMUNICADO DE IMPRENSA 27 de Junho de 2013 A RENAULT REVELA A SUA POWER UNIT PARA 2014: ENERGY F1-2014 No salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço em Paris, a Renault apresentou a sua nova Power

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

Potência e divertimento.

Potência e divertimento. Potência e divertimento. Se já conduziu o YFM350R ou o YFM250R e quer algo mais dos seus passeios com amigos, considere o. Potente e desportivo, foi concebido para proporcionar grandes emoções. Graças

Leia mais

A Engenharia Mecânica na Fórmula 1

A Engenharia Mecânica na Fórmula 1 A Engenharia Mecânica na Fórmula 1 Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica Supervisor: Ana Rosanete Lourenço Reis Monitor: Mário André de Magalhães e Silva Gonçalo Falcão Tavares Quinta Pereira N.º 201404578

Leia mais

Transmissão de Movimento

Transmissão de Movimento Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03204 Mecânica Aplicada * Transmissão de Movimento 1. Introdução A transmissão

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MECÂNICA

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MECÂNICA A quilometragem percorrida pelo veículo é indicada pelo: 1 velocímetro. 2 hodômetro. 3 manômetro. 4 conta-giros. O termômetro é utilizado para indicar a temperatura: 1 do motor. 2 do combustível. 3 no

Leia mais

Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional. Tema 2 Atitudes e Comportamentos Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo

Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional. Tema 2 Atitudes e Comportamentos Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo FICHA TÉCNICA TRAVAGEM Níveis GDE: Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional Temas Transversais: Tema 2 Atitudes e Comportamentos Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

Disciplina Higiene do Trabalho. Ventilação Industrial

Disciplina Higiene do Trabalho. Ventilação Industrial Tópicos da Aula Complementar - Ventiladores; - Ventiladores Axiais; - Ventiladores Centrífugos; - Dados necessários para a seleção correta de um ventilador; - Modelos e Aspectos Gerais de Ventiladores.

Leia mais

Novo Battlax Adventure A40: O ADN do Battlax expande o seu potencial para todas as condições atmosféricas de radiais trail

Novo Battlax Adventure A40: O ADN do Battlax expande o seu potencial para todas as condições atmosféricas de radiais trail INTRODUÇÃO Novo Battlax Adventure : O ADN do Battlax expande o seu potencial para todas as condições atmosféricas de radiais trail Para a nova geração de motos sofisticadas e em contínua evolução, a Bridgestone

Leia mais

Motores alternativos de combustão interna. Parte 1

Motores alternativos de combustão interna. Parte 1 Motores alternativos de combustão interna Parte 1 Introdução Sistemas de potência utilizando gás: Turbinas a gás Motores alternativos (ICE, ICO) Ciclos a gás modelam estes sist. Embora não trabalhem realmente

Leia mais

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM Como funciona um aerogerador Componentes de um aerogerador Gôndola:contém os componentes chaves do aerogerador. Pás do rotor:captura o vento e transmite sua potência até o cubo que está acoplado ao eixo

Leia mais

Pneumáticos Industriais. Pneus especializados para máxima eficiência.

Pneumáticos Industriais. Pneus especializados para máxima eficiência. Pneumáticos Industriais. Pneus especializados para máxima eficiência. Pneumáticos Industriais da Continental Os pneumáticos industriais da Continental proporcionam conforto em todas as superfícies e, como

Leia mais

MANUAL DE REFORMA SEÇÃO UM

MANUAL DE REFORMA SEÇÃO UM MANUAL DE REFORMA SEÇÃO UM PNEU RADIAL DE CARGA, BÁSICO Pagina 1 de 7 1.1 MATERIAIS USADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM PNEU RADIAL CARGA São usados diferentes tipos de componentes e compostos de borracha para

Leia mais

1º. Seminário Internacional Sobre Eficiência Energética de Veículos Pesados DESPOLUIR/CNT PNEUS VERDES. 06 de Junho de 2013

1º. Seminário Internacional Sobre Eficiência Energética de Veículos Pesados DESPOLUIR/CNT PNEUS VERDES. 06 de Junho de 2013 01 1º. Seminário Internacional Sobre Eficiência Energética de Veículos Pesados DESPOLUIR/CNT PNEUS VERDES 06 de Junho de 2013 02 Índice A Indústria Brasileira de Pneus ANIP pg 03-09 Pneus Verdes ou Biopneus

Leia mais

Turbocompressores Holset

Turbocompressores Holset Turbocompressores Holset ...Só pode ser Holset Turbocompressores Holset Os turbocompressores Holset são sinônimos de excelência em turbomáquinas e em manipulação de ar em todo o mundo. Projetados e fabricados

Leia mais

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL GARFO (Comprimento X Largura x Bitola) (mm) HDF50-7S (TIPO EIXO - TIPO GANCHO) - 1.350 X 150 X 60-1.500 X 150 X 60-1.800 X 150 X 60-2.000 X 150 X 60-2.400 X 150 X 60 HDF70-7S (TIPO EIXO) - 1,350 X 180

Leia mais

Gaxetas de Fibras Sintéticas e Outras

Gaxetas de Fibras Sintéticas e Outras Gaxetas de Fibras Sintéticas e Outras Quimgax 2030 Quimgax 2004 Quimgax 2017 Quimgax 2043 Quimgax 2044 Quimgax 2777 Quimgax 2019 Quimgax 2143 Quimgax 2153 Quimgax 2061 e 2062 As gaxetas de fibras sintéticas

Leia mais

Controle de vibração significa a eliminação ou a redução da vibração.

Controle de vibração significa a eliminação ou a redução da vibração. Quais são os métodos mais utilizados para controle de vibrações? Defina um absorvedor de vibração? Qual é função de um isolador de vibração? Por que um eixo rotativo sempre vibra? Qual é a fonte da força

Leia mais

Nível 4 Nível Operacional. Tema 4 Condução Económica e Ecológica Tema 7 Controlo do Veículo

Nível 4 Nível Operacional. Tema 4 Condução Económica e Ecológica Tema 7 Controlo do Veículo FICHA TÉCNICA CONSTITUINTES DO AUTOMÓVEL Níveis GDE: Nível 4 Nível Operacional Temas Transversais: Tema 4 Condução Económica e Ecológica Tema 7 Controlo do Veículo Síntese informativa: Definição de veículo

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 01 Bombas São máquinas acionadas que recebem energia mecânica de uma fonte motora (máquina acionadora) e a transformam em energia cinética (movimento),

Leia mais

14 COMBUSTÍVEIS E TEMPERATURA DE CHAMA

14 COMBUSTÍVEIS E TEMPERATURA DE CHAMA 14 COMBUSTÍVEIS E TEMPERATURA DE CHAMA O calor gerado pela reação de combustão é muito usado industrialmente. Entre inúmeros empregos podemos citar três aplicações mais importantes e frequentes: = Geração

Leia mais

FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID. Green light for efficiency

FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID. Green light for efficiency FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID Green light for efficiency RENTABILIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Quando os desafios e tarefas dos transportes modernos se juntam às exigências europeias

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Tipos (continuação) Contato plano-frontal para junções móveis. Contato plano-frontal para junções móveis. Contato plano-frontal para junções móveis. Frontais: é composto

Leia mais

Tipos de tratores agrícolas

Tipos de tratores agrícolas Tratores Agrícolas Tipos de tratores agrícolas Tratores agrícolas São máquinas projetadas para tracionar, transportar e fornecer potência para máquinas e implementos agrícolas. O desenvolvimento de tratores

Leia mais

Tratores Agrícolas 1

Tratores Agrícolas 1 Tratores Agrícolas 1 TRATOR AGRÍCOLA 1 DEFINIÇÃO???? Máquina autopropelida provida de meios que, além de lhe conferirem apoio estável sobre uma superfície horizontal, capacitam-no a tracionar, transportar

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AUTOMOBILISMO E KARTING 001 / 2008. VÁLIDA A PARTIR DE 01 de Junho de 2008

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AUTOMOBILISMO E KARTING 001 / 2008. VÁLIDA A PARTIR DE 01 de Junho de 2008 Ficha Técnica Nº FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AUTOMOBILISMO E KARTING FICHA TÉCNICA PARA O FIATUNO 45 S FIRE VÁLIDA A PARTIR DE 01 de Junho de 2008 A) Viatura vista de ¾ frente B) Viatura vista de ¾ trás 1

Leia mais

MECÂNICA APLICADA TRATORES AGRÍCOLAS PROFº RUI CASARIN. Tratores Agrícolas

MECÂNICA APLICADA TRATORES AGRÍCOLAS PROFº RUI CASARIN. Tratores Agrícolas MECÂNICA APLICADA TRATORES AGRÍCOLAS Tratores Agrícolas PROFº RUI CASARIN PERGUNTAS IMPORTANTES? QUEM FABRICA TRATORES NO BRASIL? WWW.AGRALE.COM.BR POTÊNCIA ENTRE 15 E 168CV WWW.BRASIL.CAT.COM MÁQUINAS

Leia mais

O mundo da energia...9 1. Uma presença universal... 10

O mundo da energia...9 1. Uma presença universal... 10 S UNIDADE 1 U M Á R I O O mundo da energia...9 1. Uma presença universal... 10 ENERGIA, SEMPRE MUDANDO DE FORMA...11 ENERGIA AO LONGO DA HISTÓRIA...16 NA VIDA MODERNA...18 Buscando a sustentabilidade...20

Leia mais

PROVA DE AVALIAÇÃO TÉCNICO-MILITAR (PARTE ESPECÍFICA) Mecânicos de Material Terrestre MMT ESTRUTURA DA PROVA

PROVA DE AVALIAÇÃO TÉCNICO-MILITAR (PARTE ESPECÍFICA) Mecânicos de Material Terrestre MMT ESTRUTURA DA PROVA PROVA DE AVALIAÇÃO TÉCNICO-MILITAR (PARTE ESPECÍFICA) Mecânicos de Material Terrestre MMT ESTRUTURA DA PROVA Disciplina Motores Sistemas Auto Electricidade Auto Oficinas Máquinas e Ferramentas Capítulo

Leia mais

CORREIA TRANSPORTADORA FACULDADE CAMPO REAL ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 4º SEMESTRE

CORREIA TRANSPORTADORA FACULDADE CAMPO REAL ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 4º SEMESTRE CORREIA TRANSPORTADORA FACULDADE CAMPO REAL ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 4º SEMESTRE ACADÊMICOS: ANDERSON GOMES EVERSON SCHWAB JOSÉ OSMAR GERSON NESTOR DE SOUZA Dados Históricos Data do século 17, utilizadas

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas *

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * 1. Introdução Uma das principais fontes de potência, responsáveis pela alta produção agrícola com significante economia de mão-de-obra, é o trator agrícola.

Leia mais

Acionamento elétrico 4X4 Acionamento elétrico do sistema de tração 4x4 e reduzida com luz indicadora do sistema acionado (nas versões 4x4).

Acionamento elétrico 4X4 Acionamento elétrico do sistema de tração 4x4 e reduzida com luz indicadora do sistema acionado (nas versões 4x4). S10 Colina Disponível nas versões cabine simples ou dupla e equipada com o motor 2.8L Turbo Diesel Eletrônico MWM, a camionete Chevrolet S10 Colina tem freios ABS nas quatro rodas, acionamento elétrico

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Mecânica A respeito das bombas centrífugas é correto afirmar: A. A vazão é praticamente constante, independentemente da pressão de recalque. B. Quanto

Leia mais

4 pólos (n = 1800 rpm) 8 pólos (n = 900 rpm) 1,5 2,2 3,0 3,7 4,4 5,5 7,5 9,2 11,0 15,0 18,5 22,0 30,0 37,0 45,0 55,0 75,0 92,0 110,0

4 pólos (n = 1800 rpm) 8 pólos (n = 900 rpm) 1,5 2,2 3,0 3,7 4,4 5,5 7,5 9,2 11,0 15,0 18,5 22,0 30,0 37,0 45,0 55,0 75,0 92,0 110,0 VULBRAFLEX VB GENERALIDADES O VULBRAFLEX é um acoplamento flexível e torcionalmente elástico. Sua flexibilidade permite desalinhamentos radiais, axiais e angulares entre os eixos acoplados e ainda, sendo

Leia mais

Configuração do trem de aterragem (1)

Configuração do trem de aterragem (1) Trem de Aterragem O trem de aterragem é um sistema de extrema importância, uma vez que permite a operação da aeronave no solo; O trem tem que ser colocado numa posição adequada para que proporcione estabilidade

Leia mais

ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA Luiz Atilio Padovan Prof. Eng. Agrônomo EVOLUÇÃO DA MECANIZAÇÃO 1 TREM DE FORÇA SISTEMA MECÂNICO Diferencial Motor Câmbio Embreagem FUNCIONAMENTO DO MOTOR Motor

Leia mais

Mais aplicações das Leis de Newton

Mais aplicações das Leis de Newton Mais aplicações das Leis de Newton Disciplina: Física Geral I Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá: A natureza dos diversos tipos de força de atrito

Leia mais

Motor Posição Número de cilindros Diâmetro X Curso Cilindrada Total Taxa de compressão Potência máxima (ABNT/regime) Torque máximo (ABNT/regime)

Motor Posição Número de cilindros Diâmetro X Curso Cilindrada Total Taxa de compressão Potência máxima (ABNT/regime) Torque máximo (ABNT/regime) Motor Posição Número de cilindros Diâmetro X Curso Cilindrada Total Taxa de compressão Potência máxima (ABNT/regime) Torque máximo (ABNT/regime) Número de válvulas por cilindro Eixo de Comando de válvulas

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Definição Eixos e Árvores Cabos Definição Função: Transmissão de potênica e movimento (direção). Definição As transmissões entre os elementos podem se realizar: Por

Leia mais

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra.

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. FÍSIC 1 nalise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. Esse circuito é composto por condutores ideais (sem

Leia mais

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br CE CERTIFICADO EMPILHADEIRAS A transmissão 2-3 T possui estrutura avançada tipo flutuante, a única na China. Estruturas flutuantes são projetadas para reduzir a transmissão das vibrações ao chassis em

Leia mais

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de INSTALAÇÕES E SERVIÇOS INDUSTRIAIS. Instalações e Serviços Industriais 1

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de INSTALAÇÕES E SERVIÇOS INDUSTRIAIS. Instalações e Serviços Industriais 1 Caldeiras Notas das aulas da disciplina de INSTALAÇÕES E SERVIÇOS INDUSTRIAIS Instalações e Serviços Industriais 1 Geradores com câmara de combustão Caldeiras Tipo de combustível sólido, líquido, gasoso,

Leia mais

Energia Eólica. História

Energia Eólica. História Energia Eólica História Com o avanço da agricultura, o homem necessitava cada vez mais de ferramentas que o auxiliassem nas diversas etapas do trabalho. Isso levou ao desenvolvimento de uma forma primitiva

Leia mais

Gas-Lift - Vantagens

Gas-Lift - Vantagens Gas-Lift - Vantagens Método relativamente simples para operar O equipamento necessário é relativamente barato e é flexível Podem ser produzidos baixos ou altos volumes É efetivo sob condições adversas

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Armazenamento de energia

Armazenamento de energia Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica 3 º. trimestre, 2015 A energia solar é uma fonte de energia dependente do tempo. As necessidades de energia

Leia mais

Nota: As informações apresentadas estão corretas no momento da publicação, e estão sujeitas a alteração sem aviso prévio.

Nota: As informações apresentadas estão corretas no momento da publicação, e estão sujeitas a alteração sem aviso prévio. JEEP GRAND CHEROKEE ESPECIFICAÇÕES Todas as dimensões estão em milímetros (polegadas), salvo indicação contrária. Todas as dimensões são medidas com os pneus e rodas que equipam o veículo de série. Nota:

Leia mais

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02 Quando necessário considere: g = 10 m/s 2, densidade da água = 1 g/cm 3, 1 atm = 10 5 N/m 2, c água = 1 cal/g. 0 C, R = 8,31 J/mol.K, velocidade do som no ar = 340 m/s e na água = 1500 m/s, calor específico

Leia mais

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS TDB GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR-1(VM6x4) TS-300BR ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 10,0

Leia mais

ATERRAGENS E DESCOLAGENS: O FACTOR HUMANO

ATERRAGENS E DESCOLAGENS: O FACTOR HUMANO ATERRAGENS E DESCOLAGENS: O FACTOR HUMANO Panorâmica da Apresentação 1. Introdução 2. Estabilidade Direccional no Solo e Considerações Aerodinâmicas a Baixas Altitudes Estabilidade Direccional Efeito Solo

Leia mais

Elementos de transmissão de potência José Queiroz - Unilins

Elementos de transmissão de potência José Queiroz - Unilins Projetos Mecânicos Elementos de transmissão de potência José Queiroz - Unilins 2 Polias e correias Polias: As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo do motor e pelas correias.

Leia mais

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor.

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Objetivos Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Descrição Neste módulo são abordados os princípios de funcionamento do motor Ciclo Otto,

Leia mais

A sua melhor amiga nas deslocações pela cidade

A sua melhor amiga nas deslocações pela cidade A sua melhor amiga nas deslocações pela cidade Opte por conduzir na cidade com elegância e estilo. Prática e fiável, a Neo's faz com que todas as viagens sejam simples, permitindo-lhe concentrar-se apenas

Leia mais

Venda de pneus de mota. Enchimento de pneus a nitrogénio

Venda de pneus de mota. Enchimento de pneus a nitrogénio Venda de pneus novos - ligeiros, comerciais, pesados, agrícolas e industriais Venda de pneus de mota Venda de jantes Enchimento de pneus a nitrogénio AS RODAS INSUFLADAS COM NITROGÉNIO ATINGEM MENOR TEMPETRATURA.

Leia mais

Os comissários podem solicitar a qualquer momento que sejam feitas as verificações necessárias em qualquer veiculo inscrito no evento.

Os comissários podem solicitar a qualquer momento que sejam feitas as verificações necessárias em qualquer veiculo inscrito no evento. REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ADAPTADO TURBO 1-REGULAMENTAÇÃO Todos os veículos inscritos deveram passar por vistoria prévia. Os competidores deverão provar ao comissário técnicos e desportivos do evento,

Leia mais

História e evolução do Automóvel

História e evolução do Automóvel I Mostra de Carros Antigos SENAI Santo Amaro Mecânica Online Apresentação Tarcisio Dias História e evolução do Automóvel 125 anos de inovação Novembro - 2011 História e evolução do Automóvel Tarcisio Dias

Leia mais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais LEI DE OHM Conceitos fundamentais Ao adquirir energia cinética suficiente, um elétron se transforma em um elétron livre e se desloca até colidir com um átomo. Com a colisão, ele perde parte ou toda energia

Leia mais

TROFÉU ABARTH A WORLD OF PERFORMANCE SINCE 1949

TROFÉU ABARTH A WORLD OF PERFORMANCE SINCE 1949 TROFÉU ABARTH TROFÉU ABARTH TROFÉU ABARTH TROFÉU ABARTH NA EUROPA Troféu com forte reconhecimento no panorama do motorsport internacional Participam em média 18 pilotos por corrida nas diferentes competições

Leia mais

FORMAÇÃO DE GELO EM AERONAVES

FORMAÇÃO DE GELO EM AERONAVES FORMAÇÃO DE GELO EM A formação de gelo afeta uma aeronave tanto interna quanto externamente. A acumulação de gelo ocorre nas superfícies expostas do avião, aumentando o seu peso e a sua resistência ao

Leia mais

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Capacidade de Elevação 130t PÁGINA 01 GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Comprimento da extensão total da lança principal de 60m, perfil U, placa de aço WELDOX de alta resistência.

Leia mais

FÍSICA BÁSICA PARA CIÊNCIAS AGRÁRIAS

FÍSICA BÁSICA PARA CIÊNCIAS AGRÁRIAS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS AGROVETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL FÍSICA BÁSICA PARA CIÊNCIAS AGRÁRIAS Profª. Angela Emilia de Almeida Pinto Departamento de

Leia mais

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL A ampla linha de tanques de armazenamento e aquecimento de asfalto da Terex

Leia mais

ALCOA Jantes de Alumínio Forjado. Dados e Caracteristicas

ALCOA Jantes de Alumínio Forjado. Dados e Caracteristicas ALCOA Jantes de Alumínio Forjado Dados e Caracteristicas SABIA QUE? Alcoa a jante mais forte do mercado Cada jante começa como um bloco único de uma liga singular de alumínio com elevada resistência à

Leia mais

MICHELIN A melhor forma de avançar

MICHELIN A melhor forma de avançar MICHELIN A melhor forma de avançar ar COMPONENTES PARA VEÍCULOS ELÉCTRICOS Seminário Mobilidade Eléctrica Lisboa, 8 de Março o de 2010 MICHELIN NO MUNDO 68 centros de produção em 19 países: Argélia Alemanha

Leia mais

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos CAT. No. 9211 P NTN NTN Produtos que trazem benefícios em várias aplicações Equipamentos de siderurgia pertencem a grandes linhas que operam 24 horas por dia,

Leia mais

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: Embreagens são elementos que

Leia mais

Estrutura Atuador Bateria

Estrutura Atuador Bateria JACK 250 Kg Jack é um aparelho desenvolvido para facilitar a remoção e locomoção de pacientes. Com ele, tarefas como levar o paciente da cama para uma cadeira e ao banheiro podem ser feitas com muito mais

Leia mais

EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO

EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO Uma empilhadeira é uma máquina industrial utilizada para levantar e carregar materiais, normalmente através de garfos de metal que são inseridos por debaixo da carga. Geralmente,

Leia mais

GREGOR MENDEL & GRANDES MESTRES REVISÃO 2ª FASE BAHIANA

GREGOR MENDEL & GRANDES MESTRES REVISÃO 2ª FASE BAHIANA REVISÃO ª FASE BAHIANA 1 Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é perpendicular à superfície gerada pelo

Leia mais

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Sistema de mobilidade elétrica de duas rodas de elevada eficiência e performance José Carlos Marques da Silva Dezembro

Leia mais

Processo de Forjamento

Processo de Forjamento Processo de Forjamento Histórico A conformação foi o primeiro método para a obtenção de formas úteis. Fabricação artesanal de espadas por martelamento (forjamento). Histórico Observava-se que as lâminas

Leia mais

Foto cortesia de Honda Motor Co., Ltd. Sistema de suspensão de braços triangulares superpostos no Honda Accord Coupe 2005

Foto cortesia de Honda Motor Co., Ltd. Sistema de suspensão de braços triangulares superpostos no Honda Accord Coupe 2005 Introdução Quando as pessoas pensam sobre o desempenho de um automóvel, geralmente vem à cabeça potência, torque e aceleração de 0 a 100 km/h. No entanto, toda a força gerada pelo motor é inútil se o motorista

Leia mais

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Curso: Técnico em Mecânica Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Prof. Evandro Rodrigo Dário, Dr. Eng. Estrutura da aula Introdução O circuito H&P quanto ao fluido Aplicações e exemplos

Leia mais

Tecnologia nos Ônibus Mercedes-Benz

Tecnologia nos Ônibus Mercedes-Benz Tecnologia nos Ônibus Mercedes-Benz Brandão VEM Marketing de Produto Ônibus, Junho, 2011 Fábrica Principais atividades na planta de S. Bernardo do Campo Componentes de terceiros Montagem completa Banco

Leia mais

A sua melhor amiga nas deslocações pela cidade

A sua melhor amiga nas deslocações pela cidade A sua melhor amiga nas deslocações pela cidade Opte por conduzir na cidade com elegância e estilo. Prática e fiável, a Neo's faz com que todas as viagens sejam simples, permitindo-lhe concentrar-se apenas

Leia mais

VIDAL & SOHN TEMPO G 1200 O MAIS ESTRANHO DOS 4X4 NO EXÉRCITO BRASILEIRO

VIDAL & SOHN TEMPO G 1200 O MAIS ESTRANHO DOS 4X4 NO EXÉRCITO BRASILEIRO VIDAL & SOHN TEMPO G 1200 O MAIS ESTRANHO DOS 4X4 NO EXÉRCITO BRASILEIRO A motorização no Exército Brasileiro remonta ao início dos anos 20, recebendo veículos dos mais variados modelos, das mais variadas

Leia mais

PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES

PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES 1.1.NORMAS TÉCNICAS PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES As categorias da Corrida de jerico deverão seguir as normas técnicas constantes neste regulamento específico. 1.2.DEFINIÇÃO

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 MÁQUINAS TÉRMICAS MOTORES A PISTÃO Também conhecido como motor alternativo, por causa do tipo de movimento do pistão.

Leia mais

Ciclo de motor de combustão interna, que se completa em duas revoluções(rotação) da árvore de manivelas.

Ciclo de motor de combustão interna, que se completa em duas revoluções(rotação) da árvore de manivelas. 1 3.0 Descrição do Funcionamento dos Motores O conjunto de processo sofrido pelo fluido ativo que se repete periodicamente é chamado de ciclo. Este ciclo pode acontecer em 2 ou 4 tempos. Figura 3: Nomenclatura

Leia mais

Componente curricular: Mecanização Agrícola. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli

Componente curricular: Mecanização Agrícola. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Componente curricular: Mecanização Agrícola Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Mecanização agrícola. 1. Motores agrícola. Agricultura moderna: uso dos tratores agrícolas.

Leia mais

10 dicas para uma condução mais ecológica

10 dicas para uma condução mais ecológica A Campanha Torne os Automóveis Mais Ecológicos procura reduzir o impacto dos carros no meio ambiente bem como ajudar a que os condutores pensem ecologicamente antes de conduzirem. 10 dicas para uma condução

Leia mais

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Carregadeira LW300K Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Qualidade, confiabilidade e força, aliada ao baixo consumo de combustível. A Pá-carregadeira LW300K

Leia mais

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 13 Grupo Moto-Propulsor e Seleção de Hélices

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 13 Grupo Moto-Propulsor e Seleção de Hélices Introdução ao Projeto de Aeronaves Aula 13 Grupo Moto-Propulsor e Seleção de Hélices Tópicos Abordados Grupo Moto-Propulsor. Motores para a Competição AeroDesign. Características das Hélices. Modelo Propulsivo.

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

TERMO DE GARANTIA PARA CÂMARAS DE AR E PROTETORES PARA VEÍCULOS DE PASSEIO, CAMIONETAS, VEÍCULOS DE CARGA (CAMINHÕES E ÔNIBUS) E AGRÍCOLAS

TERMO DE GARANTIA PARA CÂMARAS DE AR E PROTETORES PARA VEÍCULOS DE PASSEIO, CAMIONETAS, VEÍCULOS DE CARGA (CAMINHÕES E ÔNIBUS) E AGRÍCOLAS AS CONDIÇÕES DESTA GARANTIA PASSAM A VALER PARA PRODUTOS COMERCIALIZADOS PELA TORTUGA CÂMARAS DE AR ADQUIRIDOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2011. Além da garantia legal, a Tortuga Câmaras de Ar, garante

Leia mais

vendas1@juntasamf.com.br

vendas1@juntasamf.com.br À Sr( a) Ref.: Apresentação para Cadastro de Fornecedor Prezados Senhores, Vimos através desta, apresentar a Juntas AMF Ind. e Com. de Peças Ltda., uma empresa que já se tornou referencia no mercado de

Leia mais

CAMINHÃO MERCEDES-BENZ 1720 A UM 4x4 FORA DE ESTRADA MILITARIZADO

CAMINHÃO MERCEDES-BENZ 1720 A UM 4x4 FORA DE ESTRADA MILITARIZADO CAMINHÃO MERCEDES-BENZ 1720 A UM 4x4 FORA DE ESTRADA MILITARIZADO O mais novo caminhão militar brasileiro é o Mercedes-Benz 1720 A, versão militarizada do modelo civil recentemente lançado no Brasil. O

Leia mais

Física Geral. Série de problemas. Unidade II Mecânica Aplicada. Departamento Engenharia Marítima

Física Geral. Série de problemas. Unidade II Mecânica Aplicada. Departamento Engenharia Marítima Física Geral Série de problemas Unidade II Mecânica Aplicada Departamento Engenharia Marítima 2009/2010 Módulo I As Leis de movimento. I.1 Uma esfera com uma massa de 2,8 10 4 kg está pendurada no tecto

Leia mais

TECNOLOGIA DOS MOTORES ALTERNATIVOS 1993

TECNOLOGIA DOS MOTORES ALTERNATIVOS 1993 TECNOLOGIA DOS MOTORES ALTERNATIVOS 1993 2 ÍNDICE 1- Introdução... 3 2- Constituição dos motores de combustão interna de quatro tempos... 3 2.1- Cabeça motor... 4 2.2- Bloco motor... 4 2.3- O cárter de

Leia mais

Introdução ao estudo dos tratores agrícolas

Introdução ao estudo dos tratores agrícolas Instituto de Tecnologia-Departamento de Engenharia IT 154 Motores e Tratores Introdução ao estudo dos tratores agrícolas Professor: Carlos Alberto Alves Varella Doutor em Engenharia Agrícola E-mail: varella.caa@gmail.com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS Luis Eduardo Machado¹ Renata Sampaio Gomes ² Vanessa F. Balieiro ³ RESUMO Todos sabemos que não é possível haver regressão nas tecnologias

Leia mais

BI 1-7. Sistemas de aceleração (testes de disparo)

BI 1-7. Sistemas de aceleração (testes de disparo) Testes de aceleração de componentes rotativos até seu ponto de explosão Cobertura de proteção a prova de explosão de alto grau de proteção Acionamento através de motor de corrente contínua com frenagem

Leia mais