SIMPÓSIO NACIONAL DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMPÓSIO NACIONAL DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA"

Transcrição

1 SIMPÓSIO NACIONAL DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA OFICINA GEOGEBRA NA ESCOLA : ATIVIDADES EM GEOMETRIA E ÁLGEBRA PROFA. MARIA ALICE GRAVINA INSTITUTO DE MATEMÁTICA DA UFRGS BRASÍLIA SETEMBRO 2013

2 PARTE 1: GEOMETRIA EM MOVIMENTO Em diversos mecanismos ao nosso redor, a geometria em movimento se faz presente. Por exemplo, em ventiladores podemos observar o movimento circular de suas hastes em torno do seu eixo central; em roldanas, observamos movimentos de sobe-desce conforme a roldana gira; na praça de brinquedos temos o vai-vem do balanço; nas janelas basculantes vemos o movimento de giro de suas folhas; na escada rolante temos os deslocamentos dos degraus; nas portas pantográficas vemos o deslizamento das grades. Para implementar uma modelagem geométrica, a primeira atitude é ter um olhar atento ao mecanismo que se pretende modelar. Ao observá-lo precisamos identificar as características do movimento: é um deslocamento? é um movimento circular? é uma composição de movimentos? Para realizar uma atividade de modelagem é de fundamental importância o menu das transformações geométricas que tem-se disponível no GeoGebra, e que colocamos em destaque na figura 1. Figura 1 No que segue vamos fazer a modelagem de um ventilador. Na Figura 2 temos o esqueleto do ventilador que queremos contruir: o círculo pontilhado determina o tamanho do ventilador e os cinco segmentos, com um ponto em comum, correspondem às pás. Figura 2 Iniciamos construíndo segmento que vai determinar o raio do círculo pontilhado e um ponto O que vai ser o centro do círculo. Com o recurso Compasso construímos o círculo, depois um ponto M sobre o círculo e finalmente o segmento que corresponde à primeira haste, conforme indicação dada na figura 3. A figura 4 indica o procedimento de construção da primeira pá: no segmento inicial construímos o segmento que é sua quarta parte, nisso utilizando duas vezes a ferramenta Ponto Médio. Com o Compasso construímos o círculo de centro M e com raio igual ao segmento quartaparte ; este é o círculo menor que está pontilhado na figura 4. Usando os pontos de intersecção dos dois círculos e o ponto O, construímos um triângulo isósceles e depois um semicírculo que tem como diâmetro a base do triângulo. 2

3 Figura 3 Figura 4 Escolhido o número de pás (no nosso caso são cinco), calculamos a medida do ângulo entre as hastes de duas pás consecutivas (no nosso caso 72 o = 360 o /5) e usando a ferramenta Girar em torno de um Ponto por um Ângulo obtemos a segunda pá, resultante da rotação da primeira, segundo ângulo de medida de 72 o, em torno do ponto centro do ventilador. Para construir as demais pás procedemos da mesma forma: giramos a segunda pá e obtemos a terceira, giramos a terceira e obtemos a quarta e assim por diante. Agora, de forma breve, indicamos como fazer uma segunda modelagem - uma porta pantográfica. No GeoGebra é o recurso Ponto Médio que vai criar o efeito abrir/fechar a porta. Inicia-se com a construção de um segmento e a marcação de seu ponto médio, e depois é feita a marcação dos pontos médios dos segmentos determinados por estes três pontos, e sucessivamente segue-se com a marcação de pontos médios. A figura 5 ilustra a construção de sucessivos pontos no segmento inicial; e também ilustra o efeito de acumulação dos pontos, conforme um dos extremos do segmento inicial se aproxima do outro extremo. Seqüência de imagens que ilustram a inserção de pontos médios Figura 5 Seqüência de imagens que ilustram os pontos se acumulando Feita a construção do segmento horizontal, com pontos nele igualmente distribuídos, iniciase a construção da grade. Conforme ilustra a figura 6, primeiro é construído um X e os demais X s são construídos através do recurso Reflexão com Relação a uma Reta. Com este procedimento, quando movimentamos o ponto extremidade do segmento horizontal, obtemos o efeito sanfona na porta pantográfica. 3

4 Figura 6 Com a construção do ventilador e da porta pantográfica procuramos ilustrar o quanto a modelagem das formas em movimento, mesmo em situações muito simples, propicia o desenvolvimento de raciocínios geométricos. Outras tantas situações interessantes e até mesmo divertidas podem ser modeladas no GeoGebra. Podemos por exemplo, criar brinquedos e jogos com movimento sincronizado, como um caleidoscópio, uma pista de corrida de carros, brinquedos de parques de diversões. Também podemos pensar no próprio corpo humano e criar modelos que representem os movimentos de braços, pernas, mãos, olhos, dentre outros. Na Figura 7 temos a modelagem de grupo de bailarinos em movimento, onde todo grupo dança quando se manipula o ponto M. Este efeito é obtido através da ferramenta Ampliar ou Reduzir Objeto, disponível no menu das Transformações Geométricas. A segunda situação simula o brinquedo conhecido como Pogobol ; aqui o uso da ferramenta Lugar Geométrico pode criar interessantes efeitos de caminhos de pulos e a imaginação provoca raciocínios geométricos que dificilmente se fariam presentes na sala de aula tradicional. Figura 7 4

5 PARTE 2: NÚMEROS COMANDANDO PONTOS Na atividade Números comandando pontos, trabalha-se com segmentos em sistema de coordenadas. Entendidos os conteúdos de matemática (simples), tem-se a competencia para fazer, de forma divertida, desenhos surpresas que integram álgebra e geometria. Figura 1 Desenhos-surpresa Na Figura 1 trazemos exemplos de desenhos surpresa : com a alteração do número a o desenho da casa vai sendo produzido - o ponto verde traça o chão, os pontos laranja traçam as paredes e os pontos rosa traçam os segmentos que compõem o telhado. O desenho do barco também vai sendo composto conforme é manipulado o número a. Os conhecimentos de matemática exigidos na brincadeira são os mesmos que foram utilizados no trabalho com o GrafEq. Como vamos trabalhar com movimento de pontos, retomamos a ideia de translação vertical e horizontal, agora aplicada a pontos. Na Figura 2, V = (x,y) e b e c indicam as medidas dos segmentos destacados. Na primeira figura o ponto rosa R corresponde a uma translação horizontal, para a direita, do ponto verde V e assim R = (x+b,y); já o ponto laranja L corresponde a translação horizontal, para a esquerda, do ponto verde V, e assim L = ( x-c,,y). Na segunda figura o ponto rosa R é uma translação vertical, para cima, do ponto verde V e assim R = (x,y+b); o ponto laranja L é uma translação vertical, para baixo, do ponto verde V e assim L = ( x, y-c). Figura 2 Deslocamentos horizontal e vertical do ponto verde V Isto é o que basta para iniciar a brincadeira no GeoGebra! A atividade fica particularmente interessante quando se faz uso do recurso Seletor um número a variando em certo intervalo e de forma que segmentos variados podem ser desenhados sob o comando do mesmo número a ; é assim que foram desenhadas as composições da Figura 3. 5

6 Figura 3 Composições com quadrados e retângulos Vejamos como fazer a primeira composição. Inicialmente é feita a construção do Seletor (ver Figura 4): -passo 1: selecionar o recurso Seletor e clicar com o botão esquerdo do mouse em um canto superior da tela; -passo2: na janela que se abre, fazer a escolha de variação para o número a, que no caso da composição rosa vai ser com variação entre 0 e 4; -passo 3: clicar na caixa Aplicar, e assim está criado o Seletor. Figura 4 Recurso Seletor no GeoGebra A próxima etapa é definir o primeiro ponto a ser comandado pelo número a (ver Figura 5): -passo 1 : criar ponto usando o recurso Novo Ponto ; -passo 2: clicar sobre o ponto com o botão direito do mouse e na janela que se abre escolher a opção Propriedades ; -passo 3: na aba Básico definir as coordenadas do ponto que vai fazer o desenho, e no caso indicamos na linha Valor o ponto de coordenadas (a,0) para desenhar o segmento comprimento 4 sobre o eixo OX da composição rosa; Para desenhar o segundo lado horizontal do retângulo criamos um novo ponto com coordenadas (a,2); os lados verticais são desenhados pelos pontos (0, a/2) e (4, a/2), relembrando aqui que a variação de a foi escolhida entre 0 e 4. Para o quadrado rosa temos: os pontos (1, (a/2)+2) e (3, (a/2)+2) desenham os lados verticais; o ponto ((a/2)+1, 4) desenha o lado horizontal superior. 6

7 Figura 5- Edição de coordenadas de ponto no Geogebra Para a segunda composição, o Seletor tem variação entre 0 e 3. O lado superior do quadrado maior é um segmento de comprimento 6 unidades começando no ponto (-3,3). Assim o ponto que desenha este segmento é (2.a - 3, 3). De imediato obtemos o ponto que desenha o lado inferior do quadrado: (2.a 3, -3). Os segmentos laterais são desenhados pelos pontos (-3, 2.a -3) e (3, 2.a -3). Agora vamos nos concentrar nos segmentos inclinados do quadrado menor: inicialmente imaginamos o segmento s desenhado pelo ponto (a, a) e aplicamos convenientes tranlações neste segmento: o ponto (a, a -3) desenha o lado que corresponde ao deslocamento vertical de s, para baixo de três unidades; o ponto (a -3, a) desenha o segmento que corresponde ao deslocamento horizontal de s, para a esquerda de três unidades. Agora imaginamos o segmento t desenhado pelo ponto (a, -a) e obtemos, analogamente, via deslocamentos de t, os pontos que desenham os outros dois segmentos do quadrado menor: (a, -a +3) e (a -3, -a). Para desenhar o barco (figura 6): o Seletor tem o número real a variando entre 0 e 4. Neste desenho, o que se tem de novo, sob o ponto de vista das relações algébricas, é o desenho da vela rosa. O ponto R desenha o segmento superior da vela, com inclinação negativa (-1/3). Como R é comandado pelo número a, precisamos ajustar a variação de sua primeira coordenada: enquanto a assume valores entre 0 e 4, a primeira coordenada de R assume valores entre 0 e 3. Assim a primeira coordenada de R é (3/4).a. Sabendo que o segmento tem inclinação (-1/3) e que tem extremo no ponto (0,6), a segunda coordenada é ((-1 /3).(3 / 4).a +6) Figura 6 Barco no sistema de coordenadas Explicações mais detalhadas sobre as operações algébricas e os efeitos geométricos que correspondem a segmentos em diferentes posições e inclinações podem ser vistas no artigo Álgebra e Geometria: números comandando pontos, de Gravina,M.A. & Torres, M., publicado na Revista do Professor de Matemátca, no

AULA 4. Atividade Complementar 10: Sistemas lineares 2x2 e sua interpretação geométrica 31

AULA 4. Atividade Complementar 10: Sistemas lineares 2x2 e sua interpretação geométrica 31 AULA 4 Atividade Complementar 10: Sistemas lineares 2x2 e sua interpretação geométrica 31 Conteúdos Estruturantes: Números e Álgebra / Geometrias Conteúdo Básico: Sistemas lineares / Geometria espacial

Leia mais

GEOGEBRA GUIA RÁPIDO. Na janela inicial temos a barra de ferramentas:

GEOGEBRA GUIA RÁPIDO. Na janela inicial temos a barra de ferramentas: GeoGebra: Guia Rápido GEOGEBRA GUIA RÁPIDO O GeoGebra é um programa educativo de Geometria Dinâmica que permite construir, de modo simples e rápido, pontos, segmentos de reta, retas, polígonos, circunferências,

Leia mais

DESENHAR COM PRECISÃO - O SISTEMA DE COORDENADAS

DESENHAR COM PRECISÃO - O SISTEMA DE COORDENADAS DESENHAR COM PRECISÃO - O SISTEMA DE COORDENADAS Para criar linhas, polígonos, sólidos ou outros objetos, sempre teremos que informar o Rhino o ponto de partida e o ponto final. Tais pontos podem ser criados

Leia mais

MINI-CURSO Geometria Espacial com o GeoGebra Profa. Maria Alice Gravina Instituto de Matemática da UFRGS

MINI-CURSO Geometria Espacial com o GeoGebra Profa. Maria Alice Gravina Instituto de Matemática da UFRGS MINI-CURSO Geometria Espacial com o GeoGebra Profa. Maria Alice Gravina gravina@mat.ufrgs.br Instituto de Matemática da UFRGS Neste minicurso vamos trabalhar com os recursos do GeoGebra 3D e discutir possibilidades

Leia mais

MESA REDONDA TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

MESA REDONDA TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA MESA REDONDA TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Maria Alice Gravina Instituto de Matemática da UFRGS gravina@mat.ufrgs.br Tecnologia no ensino de matemática desde quando? Tartaruga LOGO inicio dos anos

Leia mais

CÍRCULO DADO O DIÂMETRO

CÍRCULO DADO O DIÂMETRO 52 O GeoGebra oferece em sua instalação padrão um conjunto de ferramentas acessíveis por meio da Barra de Ferramentas e um conjunto com comandos que permitem construir objetos, realizar transformações,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA - UNIPAMPA - BAGÉ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA SUBPROJETO DE MATEMÁTICA PIBID

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA - UNIPAMPA - BAGÉ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA SUBPROJETO DE MATEMÁTICA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA - UNIPAMPA - BAGÉ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA SUBPROJETO DE MATEMÁTICA PIBID Atividade nº 2 Oficina de Geometria Analítica com uso

Leia mais

Nesse texto abordamos a construção de polígonos com a utilização do mouse e por meio da digitação de comandos na Entrada.

Nesse texto abordamos a construção de polígonos com a utilização do mouse e por meio da digitação de comandos na Entrada. 12 Nesse texto abordamos a construção de polígonos com a utilização do mouse e por meio da digitação de comandos na Entrada. POLÍGONOS A ferramenta Polígono possibilita construir polígonos a partir de

Leia mais

Exercício 2 - modelagem básica de peça.

Exercício 2 - modelagem básica de peça. Exercício 2 - modelagem básica de peça. Abra um arquivo novo, escolha o template de peça. Por padrão, o template já esta em milímetros. Escolha o plano superior como mostrado na imagem abaixo: Agora na

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista. Nome: DATA: 09/11/2016

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista. Nome: DATA: 09/11/2016 INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista MATEMÁTICA GEOMETRIA ANALÍTICA Nome: DATA: 09/11/016 Alexandre Uma elipse tem centro na origem e o eixo maior coincide com o eixo Y. Um dos focos é 1 F1 0, 3 e a

Leia mais

UniCAD. Simulação de movimento. Passo 1. Será criada uma simulação de movimento de rotação das roldanas e de translação do bloco.

UniCAD. Simulação de movimento. Passo 1. Será criada uma simulação de movimento de rotação das roldanas e de translação do bloco. Simulação de movimento Será criada uma simulação de movimento de rotação das roldanas e de translação do bloco. Passo 1 Reproduza o desenho abaixo com as seguintes medidas. Tutorial de simulação de movimento

Leia mais

A equação da circunferência

A equação da circunferência A UA UL LA A equação da circunferência Introdução Nas duas últimas aulas você estudou a equação da reta. Nesta aula, veremos que uma circunferência desenhada no plano cartesiano também pode ser representada

Leia mais

Mosaicos com o Superlogo

Mosaicos com o Superlogo Mosaicos com o Superlogo Mauri Cunha do Nascimento Depto de Matemática, FC, UNESP 17033-360, Bauru, SP E-mail: mauri@fc.unesp.br Gabriela Baptistella Peres Aluna do Curso de Licenciatura em Matemática,

Leia mais

Como funciona o OA Percepção Espacial

Como funciona o OA Percepção Espacial Como funciona o OA Percepção Espacial 1. Para dar inicio as atividades é necessário clicar sobre, para acessar o guia do professor é necessário clicar sobre. 2. Nesta tela, é introduzido o contexto da.

Leia mais

MÓDULO 1 - AULA 21. Objetivos

MÓDULO 1 - AULA 21. Objetivos Aula 1 Hipérbole - continuação Objetivos Aprender a desenhar a hipérbole com compasso e régua com escala. Determinar a equação reduzida da hipérbole no sistema de coordenadas com origem no ponto médio

Leia mais

Sumário. Educação Matemática: Oficinas Didáticas com GeoGebra 2012

Sumário. Educação Matemática: Oficinas Didáticas com GeoGebra 2012 Sumário A Interface do GeoGebra...2 O menu do GeoGebra...3 Ferramentas de construção...4 LIÇÃO 1: Polígonos e ângulos...7 LIÇÃO 2: Retas perpendiculares e paralelas...11 LIÇÃO 3: Construindo gráficos...18

Leia mais

No desenvolvimento deste guião, procure sempre colocar as denominações referidas em cada ponto.

No desenvolvimento deste guião, procure sempre colocar as denominações referidas em cada ponto. 1 Este 3º guião contém atividades elementares com a finalidade de favorecer o reconhecimento e a consolidação das funções de algumas ferramentas do programa de geometria dinâmica Geogebra. Neste guião,

Leia mais

Figura Uso de coordenadas polares

Figura Uso de coordenadas polares INTRODUÇÃO AO AUTOCAD O CAD trabalha com dois sistemas de coordenadas. O sistema de coordenadas cartesianas (Figura) e o sistema de coordenadas polares (Figura). No sistema de coordenadas cartesianas,

Leia mais

Algumas Possibilidades do Uso do GeoGebra nas Aulas de Matemática

Algumas Possibilidades do Uso do GeoGebra nas Aulas de Matemática UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA III Semana Acadêmica de Matemática Algumas Possibilidades do Uso do GeoGebra nas Aulas de Matemática Profª Lahis Braga Souza Profª Thais Sena de Lanna Profª Cristiane Neves

Leia mais

Возрастная группа: 6º ano, 5 º ano Онлайн ресурсы: R ápi do no de se nho

Возрастная группа: 6º ano, 5 º ano Онлайн ресурсы: R ápi do no de se nho 1 План урока Transformações em Polígonos - Ampliação Возрастная группа: 6º ano, 5 º ano Онлайн ресурсы: R ápi do no de se nho Abert ura Professor apresent a Alunos prat icam Discussão com a Classe At ividade

Leia mais

Geometria Dinâmica e a lei dos cossenos Marcus Alexandre Nunes e Maria Alice Gravina (publicado na Revista do Professor de Matemática, No.

Geometria Dinâmica e a lei dos cossenos Marcus Alexandre Nunes e Maria Alice Gravina (publicado na Revista do Professor de Matemática, No. Geometria Dinâmica e a lei dos cossenos Marcus Alexandre Nunes e Maria Alice Gravina (publicado na Revista do Professor de Matemática, No. 52) Todos nós, professores, sabemos o quanto é difícil despertar

Leia mais

2º trimestre Lista de exercícios Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Maurício Nome: nº

2º trimestre Lista de exercícios Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Maurício Nome: nº º trimestre Lista de exercícios Ensino Médio º ano classe: Prof. Maurício Nome: nº --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Figura 9.1: Corpo que pode ser simplificado pelo estado plano de tensões (a), estado de tensões no interior do corpo (b).

Figura 9.1: Corpo que pode ser simplificado pelo estado plano de tensões (a), estado de tensões no interior do corpo (b). 9 ESTADO PLANO DE TENSÕES E DEFORMAÇÕES As tensões e deformações em um ponto, no interior de um corpo no espaço tridimensional referenciado por um sistema cartesiano de coordenadas, consistem de três componentes

Leia mais

Mini Curso GeoGebra. Download do GeoGebra: Java: / Divisão.

Mini Curso GeoGebra. Download do GeoGebra:  Java:  / Divisão. Mini Curso GeoGebra Etapa I: Apresentação do Software; O GeoGebra é um software dinâmico, muito usado em conteúdos de Geometria, Álgebra, Estatística e Cálculo. É um programa livre e de código aberto;

Leia mais

Sumário Objetivos da Lição Estudo de caso Exercício Exercício

Sumário Objetivos da Lição Estudo de caso Exercício Exercício Sumário Sumário... 2 1. Objetivos da Lição 05... 3 1.1. Estudo de caso 1... 4 1.2. Exercício 1... 15 1.3. Exercício 2... 16 2 1. Objetivos da Lição 05 Nesta lição serão utilizadas as ferramentas de modelagem

Leia mais

MAT001 Cálculo Diferencial e Integral I

MAT001 Cálculo Diferencial e Integral I 1 MAT001 Cálculo Diferencial e Integral I GEOMETRIA ANALÍTICA Coordenadas de pontos no plano cartesiano Distâncias entre pontos Sejam e dois pontos no plano cartesiano A distância entre e é dada pela expressão

Leia mais

GEOMETRIA DINÂMICA NA ESCOLA

GEOMETRIA DINÂMICA NA ESCOLA GEOMETRIA DINÂMICA NA ESCOLA A mais antiga das teorias MAGNÍFICAS ( SUPERB ) é a geometria euclidiana, sobre a qual aprendemos alguma coisa na escola. Os antigos podem não tê-la visto como uma teoria física,

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA GEOGEBRA Tânia Michel Pereira Juliane Sbaraine Costa Ijuí, setembro de 2009. Para acessar

Leia mais

computador sala de aula responsável victor giraldo instituto de matemática ufrj Sérgio Carrazedo Dantas

computador sala de aula responsável victor giraldo instituto de matemática ufrj Sérgio Carrazedo Dantas seção computador na sala de aula responsável victor giraldo instituto de matemática ufrj CRIANDO E INTEGRANDO NOVAS FERRAMENTAS NO GEOGEBRA Sérgio Carrazedo Dantas sergio@maismatematica.com.br Guilherme

Leia mais

Módulo I. Desejamos boa sorte e bom estudo! Em caso de dúvidas, contate-nos pelo site Atenciosamente Equipe Cursos 24 Horas

Módulo I. Desejamos boa sorte e bom estudo! Em caso de dúvidas, contate-nos pelo site  Atenciosamente Equipe Cursos 24 Horas AutoCad 2D Módulo I Parabéns por participar de um curso dos Cursos 24 Horas. Você está investindo no seu futuro! Esperamos que este seja o começo de um grande sucesso em sua carreira. Desejamos boa sorte

Leia mais

O quanto precisamos de tabelas na construcão de gráficos de função?

O quanto precisamos de tabelas na construcão de gráficos de função? Revista do Professor de Matemática, No. 17 O quanto precisamos de tabelas na construcão de gráficos de função? Maria Alice Gravina Na minha experiência como professora de alunos calouros do curso de Matemática

Leia mais

Capítulo 4 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE DESENHOS

Capítulo 4 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE DESENHOS Capítulo 4 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE DESENHOS Definição e Pré-Requisitos Ler um desenho significa entender a forma espacial do objeto representado no desenho bidimensional resultante das projeções ortogonais.

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DA MATEMÁTICA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO LIETH MARIA MAZIERO

MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DA MATEMÁTICA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO LIETH MARIA MAZIERO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DA MATEMÁTICA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO LIETH MARIA MAZIERO Produto Final da Dissertação apresentada à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Leia mais

Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância da Malagueira SÍNTESE DO TÓPICO ISOMETRIAS. rotaçã

Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância da Malagueira SÍNTESE DO TÓPICO ISOMETRIAS. rotaçã Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância da Malagueira Ficha informativa nº9 Matemática Nome: Nº: Ano: 8º Turma: Data: 11 SÍNTESE DO TÓPICO ISOMETRIAS ISOMETRIAS I - Transformações geométricas: reflexão,

Leia mais

GEOMETRIA ANALÍTICA CONTEÚDOS. Distância entre pontos Equação da reta Distância ponto reta Coeficientes Equação da circunferência.

GEOMETRIA ANALÍTICA CONTEÚDOS. Distância entre pontos Equação da reta Distância ponto reta Coeficientes Equação da circunferência. GEOMETRIA ANALÍTICA CONTEÚDOS Distância entre pontos Equação da reta Distância ponto reta Coeficientes Equação da circunferência. AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS Neste capítulo, estudaremos a Geometria Analítica.

Leia mais

MATEMÁTICA. O aluno achou interessante e continuou a escrever, até a décima linha. Somando os números dessa linha, ele encontrou:

MATEMÁTICA. O aluno achou interessante e continuou a escrever, até a décima linha. Somando os números dessa linha, ele encontrou: MATEMÁTICA Passando em uma sala de aula, um aluno verificou que, no quadro-negro, o professor havia escrito os números naturais ímpares da seguinte maneira: 1 3 5 7 9 11 13 15 17 19 21 23 25 27 29 O aluno

Leia mais

III-1 Comprimento de Arco

III-1 Comprimento de Arco Nesta aula vamos iniciar com o tratamento de integral que não calcula apenas área sob uma curva. Especificamente, o processo ainda é unidimensional, mas envolve conceitos de geometria (especificamente

Leia mais

Equações Paramétricas e Coordenadas Polares. Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados.

Equações Paramétricas e Coordenadas Polares. Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. 10 Equações Paramétricas e Coordenadas Polares Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. 10.3 Coordenadas Polares Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Coordenadas Polares

Leia mais

DESENHANDO COM PRECISÃO

DESENHANDO COM PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENHANDO COM PRECISÃO Professor: João Carmo INTRODUÇÃO Trabalhando-se com os comandos de precisão,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-LETRAMENTO DE MATEMÁTICA - RS Gertrudes Hoffmann Neuza Maia Vera Nunes. Construindo polígonos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-LETRAMENTO DE MATEMÁTICA - RS Gertrudes Hoffmann Neuza Maia Vera Nunes. Construindo polígonos Construindo polígonos 1. Desenhando polígonos no geoplano Uma maneira de construir polígonos colocando elásticos, passando pelos pregos de um geoplano. Veja mais nos endereços: http://nlvn.usu.edu/es/nav/topic_t_3.html

Leia mais

Esta opção é utilizada para desenhar círculos, arcos, elipses, e outros grupos curvilíneos.

Esta opção é utilizada para desenhar círculos, arcos, elipses, e outros grupos curvilíneos. Curvas Esta opção é utilizada para desenhar círculos, arcos, elipses, e outros grupos curvilíneos. Curvas são desenhados normalmente no sentido contra-o-relógio, a menos que o interruptor [Horário] esteja

Leia mais

Estudo Dirigido - Desvendando a Geometria Analítica: Distância entre dois pontos

Estudo Dirigido - Desvendando a Geometria Analítica: Distância entre dois pontos Estudo Dirigido - Desvendando a Geometria Analítica: Distância entre dois pontos Conteúdo: Plano Cartesiano Público-alvo: Alunos de Ensino Médio Competências; Modelar e resolver problemas que envolvem

Leia mais

PARTE 1. 1) Calcule a soma dos catetos do triângulo retângulo da figura, sabendo que AB = 10 e 4 cosx 5

PARTE 1. 1) Calcule a soma dos catetos do triângulo retângulo da figura, sabendo que AB = 10 e 4 cosx 5 ENSINO FUNDAMENTAL 9º ano LISTA DE EXERCÍCIOS PT 3º TRIM PROF. MARCELO DISCIPLINA : MATEMÁTICA PARTE 1 1) Calcule a soma dos catetos do triângulo retângulo da figura, sabendo que AB = 10 e 4 cosx 5 ) Para

Leia mais

Возрастная группа: 6º ano, 5 º ano Онлайн ресурсы: R ápi do no de se nho

Возрастная группа: 6º ano, 5 º ano Онлайн ресурсы: R ápi do no de se nho 1 План урока Transformações em Polígonos - Cópia e Translação Возрастная группа: 6º ano, 5 º ano Онлайн ресурсы: R ápi do no de se nho Abert ura Professor apresent a Alunos prat icam Discussão com a Classe

Leia mais

Existem quatro tipos de simetrias de uma figura plana:

Existem quatro tipos de simetrias de uma figura plana: Escola Secundária de Lousada Matemática do 8º ano FT nº11 Data: / 11/ 2011 Assunto: Tipos de simetrias; rosáceas, frisos e padrões Lição nº e SIMETRIA: Quando a imagem de uma figura, através de uma isometria

Leia mais

GEOMETRIA DAS TRANSFORMAÇÕES

GEOMETRIA DAS TRANSFORMAÇÕES GEOMETRIA DAS TRANSFORMAÇÕES PROF. Ms. JOSÉ CARLOS PINTO LEIVAS 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG 1. INTRODUÇÃO Algumas questões se colocam hoje a respeito do ensino de geometria. Porque

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA 4. Geometria Analítica 4.1. Introdução Geometria Analítica é a parte da Matemática,

Leia mais

Tutorial QGIS Aula 10

Tutorial QGIS Aula 10 Geração de Cartas e Impressão Engenharia de Agrimensura e Cartografia Caio Henrique de Souza Gregory Baldim Carvalho Diego Fernandes Disciplina: Sistemas de Informações Geográficas Professor: Angelo Marcos

Leia mais

Eduardo Colli. Este simples e engenhoso instrumento foi concebido para reduzir ou ampliar desenhos prontos como mapas, por exemplo.

Eduardo Colli. Este simples e engenhoso instrumento foi concebido para reduzir ou ampliar desenhos prontos como mapas, por exemplo. O pantógrafo Eduardo Colli O pantógrafo Este simples e engenhoso instrumento foi concebido para reduzir ou ampliar desenhos prontos como mapas, por exemplo. A extremidade da ripa A que não articula com

Leia mais

Explorar Restrições Esboço

Explorar Restrições Esboço Explorar Restrições Esboço Explorar o impacto das restrições geométricas e dimensionais em um simples esboço. Compreender os limites esboço para trabalhar eficazmente com o Autodesk Inventor. Objetivos

Leia mais

Introdução ao software GeoGebra Por Meio de Atividades de Geometria

Introdução ao software GeoGebra Por Meio de Atividades de Geometria Adriano Lima Teixeira Introdução ao software GeoGebra Por Meio de Atividades de Geometria O objetivo deste trabalho é de iniciar o uso do software GeoGebra por meio de atividades de Geometria, possibilitando

Leia mais

Desenho auxiliado por computador

Desenho auxiliado por computador Desenho auxiliado por computador Erase Finalidade O comando Erase apaga um objeto. Também corresponde à tecla Delete quando selecionado um objeto. Comandos de Construção Line (L) Finalidade O comando Line

Leia mais

Curso de AutoCAD Fundação Gorceix 30/05/2017. Curso de AutoCAD 2D. Instrutor : Mauro Pio Dos Santos Junior Monitor : Brenda Mara Marques

Curso de AutoCAD Fundação Gorceix 30/05/2017. Curso de AutoCAD 2D. Instrutor : Mauro Pio Dos Santos Junior Monitor : Brenda Mara Marques Curso de AutoCAD 2D Instrutor : Mauro Pio Dos Santos Junior Monitor : Brenda Mara Marques Regras da Fundação Gorceix Controle de frequência: Primeira chamada após decorridos 10 minutos do início da aula;

Leia mais

TRIÂNGULO RETÂNGULO ENSINO MÉDIO 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS PP 1º TRIM

TRIÂNGULO RETÂNGULO ENSINO MÉDIO 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS PP 1º TRIM ENSINO MÉDIO 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS PP 1º TRIM PROF. MARCELO DISCIPLINA : MATEMÁTICA TRIÂNGULO RETÂNGULO 1. Em parques infantis, é comum encontrar um brinquedo, chamado escorrego, constituído de

Leia mais

Exercícios de matemática - 3º ano - Ensino Médio - 3º bimestre

Exercícios de matemática - 3º ano - Ensino Médio - 3º bimestre Exercícios de matemática - 3º ano - Ensino Médio - 3º bimestre Pergunta 1 de 10 - Assunto: Álgebra [011 - ENEM] Um bairro de uma cidade foi planejado em uma região plana, com ruas paralelas e perpendiculares,delimitando

Leia mais

Curso de AutoCAD 2D. Instrutor : Mauro Pio Dos Santos Junior Monitor : Thainá Souza

Curso de AutoCAD 2D. Instrutor : Mauro Pio Dos Santos Junior Monitor : Thainá Souza Curso de AutoCAD 2D Instrutor : Mauro Pio Dos Santos Junior Monitor : Thainá Souza Regras da Fundação Gorceix Controle de frequência: Primeira chamada após decorridos 10 minutos do início da aula; Segunda

Leia mais

Numa circunferência está inscrito um triângulo equilátero cujo apótema mede 3cm. A medida do diâmetro dessa circunferência é:

Numa circunferência está inscrito um triângulo equilátero cujo apótema mede 3cm. A medida do diâmetro dessa circunferência é: EXERCÍCIO COMPLEMENTARES - MATEMÁTICA - 9º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - 3ª ETAPA ============================================================================================== 01- Assunto: Função Polinomial

Leia mais

Unidade. Educação Artística 161. I- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina.

Unidade. Educação Artística 161. I- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina. Unidade 1 2 Educação Artística 161 Unidade 1 I- Limpeza e organização com os materiais são requisitos básicos nesta disciplina. II- O lápis é o responsável direto pela boa qualidade do desenho. Classificamos

Leia mais

Desenho Mecânico Digital Departamento de Engenharia Agrícola Universidade Federal de Sergipe

Desenho Mecânico Digital Departamento de Engenharia Agrícola Universidade Federal de Sergipe Desenho Mecânico Digital Departamento de Engenharia Agrícola Universidade Federal de Sergipe Autores: Professor Jonathan Gazzola Professor Carlos Caetano de Almeida Professor Diego Andrade da Silva Apostila

Leia mais

Geometria Analítica Plana

Geometria Analítica Plana Softwares Para o Ensino da Matemática Geometria Analítica Plana Nome do programa: EUKLID Descrição: Software de geometria dinâmica e construções em régua e compasso para criação de figuras geométricas.

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo SketchUp Pro Gráfica_Digital SketchUp_00 Interface e comandos básicos Este tutorial foi elaborado pela equipe de monitores de

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO O USO DE FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS E AS POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS NA FORMAÇÃO DOS DOCENTES NA REDE MUNICIPAL DE GURUPI TO

CURSO DE CAPACITAÇÃO O USO DE FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS E AS POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS NA FORMAÇÃO DOS DOCENTES NA REDE MUNICIPAL DE GURUPI TO CURSO DE CAPACITAÇÃO O USO DE FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS E AS POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS NA FORMAÇÃO DOS DOCENTES NA REDE MUNICIPAL DE GURUPI TO A UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO FERRAMENTA DE ENSINO

Leia mais

Gráficos, Proporções e Variações Proporcionais

Gráficos, Proporções e Variações Proporcionais Texto complementar n 1 Gráficos, Proporções e Variações Proporcionais 1. Introdução. No estudo de um fenômeno físico são realizadas experiências onde são medidas diversas grandezas ao mesmo tempo. A relação

Leia mais

Coordenadas Cartesianas

Coordenadas Cartesianas 1 Coordenadas Cartesianas 1.1 O produto cartesiano Para compreender algumas notações utilizadas ao longo deste texto, é necessário entender o conceito de produto cartesiano, um produto entre conjuntos

Leia mais

Conhecendo o GeoGebra

Conhecendo o GeoGebra Conhecendo o GeoGebra Capítulo 1: Conhecendo o GeoGebra Passos Iniciais A figura a seguir apresenta a tela do GeoGebra 3.2. Barra de Menu Barra de Ferramentas Janela de Visualização Janela de Álgebra Campo

Leia mais

Geometria Dinâmica utilizando o Software Geogebra

Geometria Dinâmica utilizando o Software Geogebra Geometria Dinâmica utilizando o Software Geogebra Gilmara Teixeira Barcelos Silvia Cristina Freitas Batista Campos dos Goytacazes 2008 Software GeoGebra 1ª Parte - Conhecendo o Software GeoGebra 1 Trata-se

Leia mais

Coordenadas e distância na reta e no plano

Coordenadas e distância na reta e no plano Capítulo 1 Coordenadas e distância na reta e no plano 1. Introdução A Geometria Analítica nos permite representar pontos da reta por números reais, pontos do plano por pares ordenados de números reais

Leia mais

AUTOCAD: COMANDOS 2D

AUTOCAD: COMANDOS 2D UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA FACULDADE DE ENGENHARIA SANITÁRIA AMBIENTAL FLORIANÓPOLIS AUTOCAD: COMANDOS 2D DISCIPLINA: CAD PARA ENG. SANITÁRIA AMBIENTAL PROFA. ARQ. PATRÍCIA BIASI CAVALCANTI

Leia mais

Chamaremos AC de vetor soma (um Vetor resultante) dos vetores AB e BC. Essa soma não é uma soma algébrica comum.

Chamaremos AC de vetor soma (um Vetor resultante) dos vetores AB e BC. Essa soma não é uma soma algébrica comum. Vetores Uma partícula que se move em linha reta pode se deslocar em apenas uma direção, sendo o deslocamento positivo em uma e negativo na outra direção. Quando uma partícula se move em três dimensões,

Leia mais

Figura 1. Duas partículas de diferentes massas perfeitamente apoiadas pelo bastão = (1)

Figura 1. Duas partículas de diferentes massas perfeitamente apoiadas pelo bastão = (1) PRÁTICA 13: CENTRO DE MASSA Centro de massa (ou centro de gravidade) de um objeto pode ser definido como o ponto em que ele pode ser equilibrado horizontalmente. Seu significado físico tem muita utilidade

Leia mais

2. A ilustração seguinte mostra o deslocamento dos remadores em um lago, sendo que os remos são considerados alavancas.

2. A ilustração seguinte mostra o deslocamento dos remadores em um lago, sendo que os remos são considerados alavancas. 1. Deseja-se construir um móbile simples, com fios de sustentação, hastes e pesinhos de chumbo. Os fios e as hastes têm peso desprezível. A configuração está demonstrada na figura abaixo. O pesinho de

Leia mais

Exemplo 1 Introdução a esboços

Exemplo 1 Introdução a esboços Exemplo 1 Introdução a esboços Neste exemplo iremos desenhar e criar, da forma mais simples possível, uma peça sólida. Todo sólido sempre irá partir de um esboço, também conhecidos como croqui pelos desenhistas

Leia mais

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados.

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados. Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos slide 1 reservados. Definição e Pré- Requisitos Ler um desenho significa entender a forma espacial do objeto representado O principal pré-requisito para fazer

Leia mais

DESENHO GEOMÉTRICO 9º ANO Prof. Danilo A. L. Pereira. Atividades básicas no GEOGEBRA. Polígonos Regulares

DESENHO GEOMÉTRICO 9º ANO Prof. Danilo A. L. Pereira. Atividades básicas no GEOGEBRA. Polígonos Regulares Exercícios Polígonos Regulares 1 - Calcular a área de um triângulo. Para construção da figura você irá clicar no ícone que tem um triângulo, para fazer um polígono clique no ícone indicado por polígono,

Leia mais

UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE DESIGN E EXPRESSÃO GRÁFICA COMPUTAÇÃO GRÁFICA 1 JÉFERSON DOUGLAS DE FAVERI

UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE DESIGN E EXPRESSÃO GRÁFICA COMPUTAÇÃO GRÁFICA 1 JÉFERSON DOUGLAS DE FAVERI UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE DESIGN E EXPRESSÃO GRÁFICA COMPUTAÇÃO GRÁFICA 1 JÉFERSON DOUGLAS DE FAVERI TUTORIAL RHINOCEROS joystick Playstation 2 Semstre 1-2011 Desenhando

Leia mais

Soluções Simulado OBMEP 2017 Nível 1 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. = 7 cm. Logo, ela parou na marca de = 13 cm.

Soluções Simulado OBMEP 2017 Nível 1 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. = 7 cm. Logo, ela parou na marca de = 13 cm. Soluções Simulado OBMEP 2017 Nível 1 6º e 7º anos do Ensino Fundamental 1. ALTERNATIVA C Alvimar recebeu de troco 5,00 3,50 = 1,50 reais. Dividindo 1,50 por 0,25, obtemos o número de moedas de 25 centavos

Leia mais

Matemática I Cálculo I Unidade B - Cônicas. Profª Msc. Débora Bastos. IFRS Campus Rio Grande FURG UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE

Matemática I Cálculo I Unidade B - Cônicas. Profª Msc. Débora Bastos. IFRS Campus Rio Grande FURG UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Unidade B - Cônicas Profª Msc. Débora Bastos IFRS Campus Rio Grande FURG UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE 22 12. Cônicas São chamadas cônicas as curvas resultantes do corte de um cone duplo com um plano.

Leia mais

Manual do programa de cálculo de grelhas equivalentes

Manual do programa de cálculo de grelhas equivalentes Manual do programa de cálculo de grelhas equivalentes Introdução: A interface do programa foi desenvolvida para ser a mais simples possível, seguinte uma sequência de passos que são sempre necessários

Leia mais

FRACTAIS. Iteração: é um conjunto de procedimentos repetidos em série para construir um fractal. (NUNES, 2006, f. 30).

FRACTAIS. Iteração: é um conjunto de procedimentos repetidos em série para construir um fractal. (NUNES, 2006, f. 30). Revisado por: A. Patrícia Grajales Spilimbergo e Cláudia Piva FRACTAIS Algumas definições... Fractal: Um fractal é um objeto que pode ser obtido geometricamente ou aleatoriamente através de processos recursivos,

Leia mais

XXIII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA Segunda Fase Nível 2 (7 a. ou 8 a. séries)

XXIII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA Segunda Fase Nível 2 (7 a. ou 8 a. séries) XXIII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA Segunda Fase Nível 2 (7 a. ou 8 a. séries) PROBLEMA 1 As peças de um jogo chamado Tangram são construídas cortando-se um quadrado em sete partes, como mostra o

Leia mais

TUTORIAL DO HQ. - Para facilitar seu trabalho, crie a história na seguinte seqüência: cenário, personagens, balões, falas, onomatopéias.

TUTORIAL DO HQ. - Para facilitar seu trabalho, crie a história na seguinte seqüência: cenário, personagens, balões, falas, onomatopéias. TUTORIAL DO HQ O Software Educativo Hagáquê - Versão Original O HagáQuê é um software educativo de apoio à alfabetização e ao domínio da linguagem escrita. Tratase de um editor de histórias com um banco

Leia mais

Exercício 1) Uma praça circular tem 200 m de raio. Quantos metros de grade serão necessários para cerca-la?

Exercício 1) Uma praça circular tem 200 m de raio. Quantos metros de grade serão necessários para cerca-la? O círculo e o número π As formas circulares aparecem com freqüência nas construções e nos objetos presente em nosso mundo. As formas circulares estão presentes: nas moedas, nos discos, roda do carro...

Leia mais

CPV 82% de aprovação na ESPM

CPV 82% de aprovação na ESPM 8% de aprovação na ESPM ESPM NOVEMBRO/00 Prova E MATemática. Assinale a alternativa cujo valor seja a soma dos valores das demais: a) 0 + b) 5% c) d) 75% de 3 e) log 0,5 a) 0 + + 3,5 5 b) 5 % 5 00 0 0,5

Leia mais

1 SEMELHANÇA EM TRIÂNGULOS RETÂNGULOS DICA DO MINGUADO. Matemática 2 Pedro Paulo. Semelhança entre e :

1 SEMELHANÇA EM TRIÂNGULOS RETÂNGULOS DICA DO MINGUADO. Matemática 2 Pedro Paulo. Semelhança entre e : Matemática 2 Pedro Paulo GEOMETRIA PLANA XIII 1 SEMELHANÇA EM TRIÂNGULOS RETÂNGULOS Seja um triângulo retângulo, com ângulos agudos e. Traçando a altura relativa à hipotenusa, formamos os triângulos retângulos

Leia mais

Derivadas Parciais Capítulo 14

Derivadas Parciais Capítulo 14 Derivadas Parciais Capítulo 14 DERIVADAS PARCIAIS Como vimos no Capítulo 4, no Volume I, um dos principais usos da derivada ordinária é na determinação dos valores máximo e mínimo. DERIVADAS PARCIAIS 14.7

Leia mais

MOVIMENTO EM UMA LINHA RETA

MOVIMENTO EM UMA LINHA RETA MOVIMENTO EM UMA LINHA RETA MOVIMENTO EM UMA LINHA RETA Objetivos de aprendizagem: Descrever o movimento em uma linha reta em termos de velocidade média, velocidade instantânea, aceleração média e aceleração

Leia mais

AULA 4 DESENHANDO ESCADAS

AULA 4 DESENHANDO ESCADAS AULA 4 DESENHANDO ESCADAS Referência desenho: Material didático - aula escada. Autor desconhecido. Representação de projetos de arquitetura NBR- 649: REPRESENTAÇÃO DE ELEMENTOS CONSTRUTIVOS : Equipamentos

Leia mais

f) (,) = (,2) g) (,) = (,) h) (,) = (, ) i) (,) = (3, 2 ) d) (,) = (3, 2) e) (,) = 2(,) f) (,) = (, ) +2 # ' ( +

f) (,) = (,2) g) (,) = (,) h) (,) = (, ) i) (,) = (3, 2 ) d) (,) = (3, 2) e) (,) = 2(,) f) (,) = (, ) +2 # ' ( + Lista de exercícios: Unidade 3 Transformações Lineares 1) Consideremos a transformação linear : ² ² definida por (,) = (3 2, +4). Utilizar os vetores = (1,2) e = (3, 1) para mostrar que (3 +4) = 3() +

Leia mais

Métodos Matemáticos para Gestão da Informação

Métodos Matemáticos para Gestão da Informação Métodos Matemáticos para Gestão da Informação Aula 04 Taxas de variação e função lineares II Dalton Martins dmartins@gmail.com Bacharelado em Gestão da Informação Faculdade de Informação e Comunicação

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO SUPERLOGO NA GEOMETRIA PLANA E NA TRIGONOMETRIA. Palavras-chave: geometria plana; software SuperLogo; trigonometria.

CONTRIBUIÇÕES DO SUPERLOGO NA GEOMETRIA PLANA E NA TRIGONOMETRIA. Palavras-chave: geometria plana; software SuperLogo; trigonometria. CONTRIBUIÇÕES DO SUPERLOGO NA GEOMETRIA PLANA E NA TRIGONOMETRIA Resumo: Este minicurso abordará alguns conteúdos de Geometria Plana e Trigonometria, com ênfase na construção de polígonos e no estudo de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA O Desenvolvimento de Hábitos de Pensamento: Um Estudo de Caso a partir de Construções

Leia mais

Volumes (prismas e cilindros) Áreas (prismas e cilindros) Volumes (pirâmides e cones) Áreas (pirâmides e cones)

Volumes (prismas e cilindros) Áreas (prismas e cilindros) Volumes (pirâmides e cones) Áreas (pirâmides e cones) Volumes (prismas e cilindros) Áreas (prismas e cilindros) Volumes (pirâmides e cones) Áreas (pirâmides e cones) A geometria é um ramo da matemática que se dedica ao estudo do espaço e das figuras que podem

Leia mais

3ª Igor/ Eduardo. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

3ª Igor/ Eduardo. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática 3ª Igor/ Eduardo 9º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade C3 - Espaço e forma Números racionais. Números irracionais. Números reais. Relações métricas nos triângulos retângulos.

Leia mais

Transformações de Pontos. Computação Gráfica Prof. Dr. Paulo Roberto Gomes Luzzardi Aluna: Karina da Silva Salles

Transformações de Pontos. Computação Gráfica Prof. Dr. Paulo Roberto Gomes Luzzardi Aluna: Karina da Silva Salles Transformações de Pontos Computação Gráfica Prof. Dr. Paulo Roberto Gomes Luzzardi Aluna: Karina da Silva Salles Sumário Motivação Definição Translação Escala Rotação Reflexão Shearing Referências Motivação

Leia mais

PROPOSTA DE ATIVIDADE

PROPOSTA DE ATIVIDADE PROPOSTA DE ATIVIDADE 1- Título: Visualizando e estudando sistemas de inequações 2- Autor: Claudilete Frighetto Corbari 3- Aplicativo utilizado: Geogebra 4- Disciplina: Matemática 5- Objetivos / Expectativas

Leia mais

CÁLCULO DE REAÇÕES DE APOIO E OBTENÇÃO DO TRAÇADO DE DIAGRAMAS DE ESFORÇOS SOLICITANTES COM O USO DO PROGRAMA FTOOL (Versão 2.11)

CÁLCULO DE REAÇÕES DE APOIO E OBTENÇÃO DO TRAÇADO DE DIAGRAMAS DE ESFORÇOS SOLICITANTES COM O USO DO PROGRAMA FTOOL (Versão 2.11) Universidade Estadual Paulista UNESP Faculdade de Engenharia de Bauru Curso Temático Responsável: Prof. Dr. Antonio Carlos Rigitano CÁLCULO DE REAÇÕES DE APOIO E OBTENÇÃO DO TRAÇADO DE DIAGRAMAS DE ESFORÇOS

Leia mais

Cosmo Worlds. truques & dicas. cosmo Worlds. José Carlos Miranda 1

Cosmo Worlds. truques & dicas. cosmo Worlds. José Carlos Miranda 1 truques & dicas cosmo Worlds José Carlos Miranda 1 Nocões Básicas Criar primitivas gráficas? Transformações Geométricas 1. Criar um objecto Create Box 2. Aplicar transformações geométricas aos objectos

Leia mais

Atividade 1. Construindo um prisma

Atividade 1. Construindo um prisma Atividade 1. Construindo um prisma 1- Clique em Unidades = Poliedro = Prisma (ver Figura 3). Abre-se uma janela na qual você pode escolher o número de lados do polígono (regular), o comprimento de cada

Leia mais

Guia do C.a.R. para Alunos do Terceiro Ciclo

Guia do C.a.R. para Alunos do Terceiro Ciclo Guia do C.a.R. para Alunos do Terceiro Ciclo Núcleo de estágio 2008-2009 Professores associados: Dr. José Carlos Santos Maria José Carvalho Escola Básica de Santa Marinha Faculdade de Ciências da Universidade

Leia mais

Desenho Geométrico e Concordâncias

Desenho Geométrico e Concordâncias UnB - FGA Desenho Geométrico e Concordâncias Disciplina: DIAC-1 Prof a Eneida González Valdés CONSTRUÇÕES GEOMÉTRICAS Todas as construções da geometria plana são importantes, há, entretanto algumas, que

Leia mais