Estrutura da apresentação: 1 Estudo de Viabilidade Técnica. 2 Enquadramento Estratégico. 3 Vantagens Competitivas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrutura da apresentação: 1 Estudo de Viabilidade Técnica. 2 Enquadramento Estratégico. 3 Vantagens Competitivas"

Transcrição

1 Estrutura da apresentação: 1 Estudo de Viabilidade Técnica 2 Enquadramento Estratégico 3 Vantagens Competitivas 4 Viabilidade de Financiamento 5 Etapas para a Operacionalização 1

2 1 Estudo de Viabilidade Técnica: Engº Miguel Palma. Consulmar 2 Enquadramento Estratégico: A ) Terminal de Passageiros da Terceira é um problema infraestrutural relevante por resolver; B ) PREIT Eixo 5 Dinamização de Infraestruturas Portuárias do Porto da Praia da Vitória; C ) Porto POL Registo de utilização anual do petroleiro 1 a 2 dias; 2

3 2 Enquadramento Estratégico: D ) Acordo prévio de cedência das parcelas anexas ao Terminal Portuário entre o CZAA/CMPV (pedido formalizado em set16) Requalificação e Ordenamento da frente marítima norte da baía Terminal de Passageiros da Ilha Terceira 2 Enquadramento Estratégico: E ) Governo Regional decide lançar Concurso Público Internacional para Concessão da Exploração e da Operação do Porto Comercial; F ) Candidatura do Porto Comercial ao Plano Junckers que garante o acesso dos privados ao Fundo Europeu de Investimento Estratégico; G ) A orientação do Porto Comercial, a concessionar a privados, para abastecimento de navios a LNG e para Entreposto Logístico e Aduaneiro, torna a segregação mercadorias/passageiros uma questão prioritária; 3

4 2 Enquadramento Estratégico: H ) A partilha de infraestruturas (uso militar/civil) não é exceção na Região: - Cais NATO Porto de Ponta Delgada - Aeroporto das Lajes I ) Postura do Município Não estivemos aqui à espera de algo acontecer. Com proatividade, demos passos concretos e buscamos soluções de consenso entre todos os Agentes. Estamos perante uma medida PREIT Plus; Estamos perante o Projeto do Séc.XXI para a Terceira. 3 Vantagens Competitivas: A ) Rentabilização da Infraestrutura Portuária, anexa à cidade, cuja utilização é quase nula; B ) Existência de molhe protetor/abrigo e de zonas de terrapleno de excelência; C ) A bacia de manobra cumpre com todas as recomendações e critérios internacionais de operação de navios; D ) Permite libertar o Porto Comercial, a concessionar, para uso exclusivo de Logística, Mercadorias e LNG condição determinante para otimização da Gestão da Operação pelo futuro Concessionário Privado; 4

5 3 Vantagens Competitivas: E ) Permite a utilização simultânea e autónoma por cruzeiros, ferries e inter-ilhas; F ) Fomenta a criação de um Circuito Regional para Cruzeiros, gerando um efeito multiplicador para os 3 terminais e, por esta via, torna o projeto de Interesse Estratégico Regional; G ) Solução integrada gerará, no mínimo, 30 empregos diretos, e dezenas de postos de trabalho indireto; 3 Vantagens Competitivas: H ) Potencia a complementaridade entre o Modelo de Transportes Aéreos (regular + low-cost) e os Circuitos Marítimos Inter-ilhas; I ) Projeto sem impactos negativos nos areais da Prainha e Praia Grande. 5

6 4 Viabilidade económica e de financiamento: A ) As condições de base existentes (molhe e terrapleno) garantem uma solução financeira correspondente a 1/3 do investimento no Terminal de Ponta Delgada e a 1/2 do investimento no Terminal da Horta: Ponta Delgada Investimento: 63 milhões de euros Investimento (sem molhe): 30 milhões de euros Horta Investimento: 40 milhões de euros Investimento (sem molhe): 20 milhões de euros 4 Viabilidade económica e de financiamento: B ) Financiamento do Investimento: Fundos Estruturais - Aviso PO Compete2020: Governo Regional - CMPV: Disponível para afetar 25% do seu plafond de Fundos Comunitários ao Projeto - Recursos próprios a afetar ao projeto serão, no máximo de dois milhões de euros. C ) Reforço relevante para a Atratividade Económica da Gestão da Exploração e da Operação do Porto Comercial. 6

7 5 Etapas para a Operacionalização: A ) Continuar os contactos institucionais com a Embaixada dos EUA, com o Comando Americano na Base das Lajes, com o Comando da Zona Aérea dos Açores e com os Governos Regional e da República; B ) Concluir o Projeto de Requalificação e Ordenamento da Zona Envolvente ao Porto parcelas A e B com Processo de Cedência pelo MDN em curso; C ) Entregar os Estudos de Viabilidade Técnica e de Financiamento ao Presidente do Governo Regional, com vista a obtermos o reconhecimento de Projeto Regional de Interesse Estratégico e ser tramitado para a Comissão Bilateral. O Terminal de Passageiros é: Medida Plus do PREIT O Projeto do Século XXI para a Terceira Viável Técnica, Económica e Financeiramente. 7

8 E S T U D O D E V I A B I L I D A D E CÂMARA MUNICIPAL DA PRAIA DA VITÓRIA PASSAGEIROS AO ABRIGO DO MOLHE NORTE DO PORTO DA E S T U D O D E V I A B I L I D A D E L O C A L I Z A Ç Ã O 1

9 E S T U D O D E V I A B I L I D A D E E S T U D O D E V I A B I L I D A D E S I T U A Ç Ã O E X I S T E N T E S I T U A Ç Ã O E X I S T E N T E 2

10 Esquema de ordenamento portuário Novo terminal de cruzeiros (com valência de terminal de combustíveis) Um terminal de apoio ao tráfego inter-ilhas de passageiros e viaturas Uma área de terraplenos destinada à implantação dos apoios terrestres, incluindo uma gare de passageiros e parques de estacionamento de viaturas Navios de projeto Navio de Cruzeiros: equivalente à classe Fantasia Class da MSC Cruises: o Comprimento 333 Metros o Calado máximo admitido - 8,50 Metros o Boca máxima 37,92 Metros Navio Petroleiro o Comprimento - Navios até 200 Metros o Calado máximo admitido - 10,40 Metros Navio Ferry o Comprimento - Navios até 115 Metros o Calado máximo admitido 6,0 Metros 3

11 E S T U D O D E V I A B I L I D A D E E S T U D O D E V I A B I L I D A D E ALTERNATIVA A ALTERNATIVA A 4

12 E S T U D O D E V I A B I L I D A D E E S T U D O D E V I A B I L I D A D E ALTERNATIVA B ALTERNATIVA B 5

13 E S T U D O D E V I A B I L I D A D E E S T U D O D E V I A B I L I D A D E ALTERNATIVAS A E B C U S T O E S T I M A D O D A S A L T E R N A T I V A S 10 a 15 milhões de Euros Terminal de Cruzeiros e Inter-llhas, com aproveitamento da infraestrutura de combustíveis existente (ALTERNATIVA A) 15 a 20 milhões de Euros Terminal de Cruzeiros e Inter-Ilhas, incorporando numa nova estrutura o cais de combustíveis (ALTERNATIVA B) 6

14 E S T U D O D E V I A B I L I D A D E ESQUEMA 3D 7

O FUTURO DO PORTO DE LISBOA. Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária

O FUTURO DO PORTO DE LISBOA. Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária O FUTURO DO PORTO DE LISBOA Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária 17 de março de 2017 Alcântara Cruise Terminal - 15 Terminais Portuários - Porto Multifuncional com uma Oferta Multimodal

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DO NOVO TERMINAL DE CONTENTORES NO BARREIRO

LOCALIZAÇÃO DO NOVO TERMINAL DE CONTENTORES NO BARREIRO PROMAN, S.A. 1 UM NOVO TERMINAL DESTINADO À OPERAÇÃO DOS GRANDES NAVIOS PORTA CONTENTORES DE ÚLTIMA GERAÇÃO? Justifica-se a sua construção? Esse terminal, seria principalmente vocacionado para a exportação

Leia mais

PORTUGAL A CRESCER ECONOMIA DO MAR. Roadshow Portugal Global Setúbal, 2 de março de May 2015

PORTUGAL A CRESCER ECONOMIA DO MAR. Roadshow Portugal Global Setúbal, 2 de março de May 2015 PORTUGAL A CRESCER ECONOMIA DO MAR Roadshow Portugal Global Setúbal, 2 de março de 2016 May 2015 Uma oportunidade económica Área: 92,152 Km 2 (108 º maior país do Mundo) Linha de Costa: 1,859 Km (incluindo

Leia mais

Um porto de excelência, moderno e competitivo

Um porto de excelência, moderno e competitivo Um porto de excelência, moderno e competitivo Porto de Viana do Castelo O porto de Viana do Castelo tem uma longa história que radica na ocupação romana, se estende pela época dos Descobrimentos e se afirma

Leia mais

O transporte marítimo ao serviço das exportações Açorianas

O transporte marítimo ao serviço das exportações Açorianas Prof. Dr. Mário Fortuna, Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de P. Delgada 1 INDICE Introdução 1 - Ideias do FORUM CCIA 2012 2 - O Estudo Açores Logístico 3 - Ideias retiradas de reunião de empresários

Leia mais

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 52-A/2015, de 23 de julho, o Governo criou a estrutura de missão designada por Estrutura de Gestão do Instrumento Financeiro

Leia mais

PROGRAMA POLIS OUTUBRO

PROGRAMA POLIS OUTUBRO OUTUBRO 2008 1 PROGRAMA POLIS OUTUBRO 2008 2 O PROGRAMA POLIS Objectivos Desígnios Tipologias PLANO ESTRATÉGICO MODELO ORGANIZACIONAL GESTÃO DE PROJECTO OUTUBRO 2008 3 Objectivos Desenvolver grandes operações

Leia mais

SUPERPORTO DE SALVADOR

SUPERPORTO DE SALVADOR Um projeto conceitual de alta atratividade e rápida resposta ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA Motivação: fatores de eficiência Aproveita os potenciais do Porto de Salvador e sua localização,

Leia mais

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO DO LITORAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 Nos termos do regulamento específico Acções de Valorização

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

Efeitos Potenciadores das novas redes logísticas intercontinentais sobre o desenvolvimento sustentável da rede logística de Portugal e Espanha

Efeitos Potenciadores das novas redes logísticas intercontinentais sobre o desenvolvimento sustentável da rede logística de Portugal e Espanha Efeitos Potenciadores das novas redes logísticas intercontinentais sobre o desenvolvimento sustentável da rede logística de Portugal e Espanha Ruy Moreira Cravo 0 ÍNDICE I. Redes Logísticas de Portugal

Leia mais

Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A.

Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A. Grupo ANA Aeroportos de Portugal S.A. _Objectivos e Fins Exploração do serviço público aeroportuário de apoio à aviação civil nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro, bem como no terminal civil de Beja,

Leia mais

OPERAÇÃO 2015 Balanço

OPERAÇÃO 2015 Balanço OPERAÇÃO 2015 Balanço 29-03-2016 OPERAÇÃO SAZONAL 2015 Capital Social 7.145.400 Euros Contribuinte n.º 512 091 773 PRINCIPAIS INDICADORES Operação de 6/05 a 27/09 REUNIÃO GERAL DE COLABORADORES Foram realizadas

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES. Período 2015/2017

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES. Período 2015/2017 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES Período 2015/2017 Julho 2015 Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Glauco José Côrte Presidente Câmara de

Leia mais

Novo Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia ficará concluído em 2013

Novo Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia ficará concluído em 2013 COMUNICADO DE IMPRENSA Novo Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia ficará concluído em 2013 A Câmara Municipal de Lisboa e a Administração do Porto de Lisboa lançam hoje, 24 de Março, o Concurso Público

Leia mais

Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade

Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade Lisboa, 18 de Outubro de 2016 A ENMC possui responsabilidades em quarto áreas de atuação, sendo uma delas a área

Leia mais

Estudo Prévio e Estudo de Impacte Ambiental do Terminal do Barreiro

Estudo Prévio e Estudo de Impacte Ambiental do Terminal do Barreiro Estudo Prévio e Estudo de Impacte Ambiental do Terminal do Barreiro 21 de outubro de 2016 1. ENQUADRAMENTO LEGAL 2. ANTECEDENTES DO EIA 3. ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL AÇÕES DE PROJETO ESTADO ATUAL DO AMBIENTE

Leia mais

O COMPETE 2020 ANEXO I

O COMPETE 2020 ANEXO I O COMPETE 2020 O Programa Operacional Temático Competitividade e Internacionalização, designado por COMPETE 2020, insere-se na prioridade temática Competitividade e Internacionalização do Portugal 2020

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ

CÂMARA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ CADERNO DE ENCARGOS PROGRAMA DE ACÇÃO PARA PARCERIAS DE REGENERAÇÃO URBANA - 1 - ÍNDICE Artº 1º Objecto do concurso Artº 2º Âmbito Artº 3º Controlo dos trabalhos Artº 4º Curriculum da Empresa Artº 5º Prazo

Leia mais

Tema 7 - Rentabilização das infra-estrutura da estação: semelhanças entre estações da rede da alta velocidade e aeroportos.

Tema 7 - Rentabilização das infra-estrutura da estação: semelhanças entre estações da rede da alta velocidade e aeroportos. Tema 7 - Rentabilização das infra-estrutura da estação: semelhanças entre estações da rede da alta velocidade e aeroportos. 9º Congresso da ADFER - Sessão D Dia 2 Abril de 2009 ANA AEROPORTOS SA Director

Leia mais

Economia do mar nos Açores estado atual da informação disponível

Economia do mar nos Açores estado atual da informação disponível Economia do mar nos Açores estado atual da informação disponível Gilberto P. Carreira gilberto.mp.carreira@azores.gov.pt Direção Regional dos Assuntos do Mar Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia

Leia mais

A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE

A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE Rodoviária Ferroviária De Aeroportos De Portos De Energia Uma distribuição desigual Uma rede melhorada Segura e sustentável Coesão nacional MELHORAMENTOS

Leia mais

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias

Leia mais

PIIP Programas de Investimentos em Infraestruturas

PIIP Programas de Investimentos em Infraestruturas PIIP Programas de Investimentos em Infraestruturas Prioritárias Apresentação do Documento de Orientação Estratégica CCB Centro Cultural de Belém 05 de Julho 2005 Mandato Identificar as propostas de investimentos

Leia mais

Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região. Senhor Presidente do Governo Regional dos Açores. Senhoras Deputadas e Senhores Deputados

Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região. Senhor Presidente do Governo Regional dos Açores. Senhoras Deputadas e Senhores Deputados Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região Senhor Presidente do Governo Regional dos Açores Senhoras Deputadas e Senhores Deputados Senhoras e Senhores Membros do Governo No passado dia 31

Leia mais

Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa 2017 Cabe à LCT Lisbon Cruise Terminals, Ld.ª, enquanto empresa concessionária do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, nos termos do Contrato

Leia mais

Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa 2017 Cabe à LCT Lisbon Cruise Terminals, Ld.ª, enquanto empresa concessionária do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, nos termos do Contrato

Leia mais

TERMINAL DE CRUZEIROS DO PORTO DE LEIXÕES

TERMINAL DE CRUZEIROS DO PORTO DE LEIXÕES TERMINAL DE CRUZEIROS DO PORTO DE LEIXÕES APDL - Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, SA Avenida da Liberdade 4450-718 Leça da Palmeira, Portugal Tel: +351 22 999 07 00 O novo

Leia mais

Propiciar à região uma logística competitiva:

Propiciar à região uma logística competitiva: 11 Pará - Oportunidade Propiciar à região uma logística competitiva: Integrar o Pará e norte a sul; Reduzir o custo logístico (Tarifa, Eficiência, Previsibilidade, Produtividade) Transportar a produção

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio a Atividades de Interesse Público

Regulamento Municipal de Apoio a Atividades de Interesse Público Regulamento Municipal de Apoio a Atividades de Interesse Público Preâmbulo O associativismo constitui um forte aliado do poder local na prossecução de políticas de desenvolvimento de interesse público,

Leia mais

O SECTOR DE CRUZEIROS E A PROMOÇÃO DO PORTO DE PORTIMÃO. Índice Luís Monteiro 1. ANÁLISE DE MERCADO 1. ANÁLISE DE MERCADO

O SECTOR DE CRUZEIROS E A PROMOÇÃO DO PORTO DE PORTIMÃO. Índice Luís Monteiro 1. ANÁLISE DE MERCADO 1. ANÁLISE DE MERCADO O SECTOR DE CRUZEIROS E A PROMOÇÃO DO PORTO DE PORTIMÃO Luís Monteiro Portimão, 21 de Abril de 212 Índice 1. ANÁLISE DE MERCADO 1. ANÁLISE DE MERCADO 2. O PORTO DE PORTIMÃO 3. ACÇÕES PROMOCIONAIS 4. INVESTIMENTOS

Leia mais

ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL. Reunião com Comissão de Economia e Obras Públicas da Assembleia da República - 07 Maio 2012

ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL. Reunião com Comissão de Economia e Obras Públicas da Assembleia da República - 07 Maio 2012 ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL Reunião com Comissão de Economia e Obras Públicas da Assembleia da República - 07 Maio 2012 Í NDICE Grupo ANA 01_Empresas que constituem o Grupo 02_Principais Indicadores ANA,

Leia mais

COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA

COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA 2 DISCLAIMER Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

SUAPE: BASE PARA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA

SUAPE: BASE PARA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA SUAPE: BASE PARA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA O Nordeste de ontem O Novo Nordeste Fonte: Instituto Data Popular. Ago/2013 O Novo Nordeste Fonte: Instituto Data Popular. Ago/2013 Pernambuco fez a sua escolha

Leia mais

CURRICULUM VITAE LUISA GOMES. OA - Oficina de Arquitectura, Urbanismo, Construção e Imagens Visuais, Lda - Lisboa

CURRICULUM VITAE LUISA GOMES. OA - Oficina de Arquitectura, Urbanismo, Construção e Imagens Visuais, Lda - Lisboa CURRICULUM VITAE LUISA GOMES Nacionalidade: Portuguesa Data de Nascimento: 1957 Local de Trabalho: OA - Oficina de Arquitectura, Urbanismo, Construção e Imagens Visuais, Lda - Lisboa Habilitações Literárias:

Leia mais

PROMOVER O INVESTIMENTO E O CRESCIMENTO

PROMOVER O INVESTIMENTO E O CRESCIMENTO PROMOVER O INVESTIMENTO E O CRESCIMENTO António Laranjo Presidente do Conselho de Administração Famalicão 24 de julho de 2017 ÍNDICE 01 PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DAS ÁREAS EMPRESARIAIS 02 REQUALIFICAÇÃO

Leia mais

Engº Marcelo Werner Salles

Engº Marcelo Werner Salles Engº Marcelo Werner Salles Decorridos 20 anos da municipalização: Registrado crescimento de 1.537,87% na movimentação de contêineres. O crescimento nas operações, após a delegação, proporcionou aumento

Leia mais

PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO

PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO III FÓRUM DE PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E DIVULGAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS INOVAÇÃO NA GESTÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO LNEC, 22 MAIO 2015 PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO MANUELA

Leia mais

Fundo Florestal Permanente

Fundo Florestal Permanente Fundo Florestal Permanente Encontro Nacional Zonas de Intervenção Florestal Centro de Interpretação da Serra da Estrela Seia 30 de abril de 2013 Enquadramento legal e objetivos Sumário Mecanismos de financiamento

Leia mais

OPORTUNIDADES NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA 6 março 2015

OPORTUNIDADES NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA 6 março 2015 OPORTUNIDADES NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA 6 março 2015 1 QUEM SOMOS A CONSULAI (www.consulai.com) possui atualmente cerca de 600 clientes, passando por todos os sectores da produção e transformação de produtos

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais

dos Açores Ao abrigo das disposições regimentais aplicáveis, a Representação Parlamentar do

dos Açores Ao abrigo das disposições regimentais aplicáveis, a Representação Parlamentar do 0 ^ Bloco m Representação Parlamentar I V Excelentíssima Senhora Presidente da Assembléia Legislativa da Região Autônoma dos Excelência, Ao abrigo das disposições regimentais aplicáveis, a Representação

Leia mais

O IMPACTO DA EXPANSÃO DO PORTO E DO PRÉ-SAL EM SANTOS e BAIXADA SANTISTA João Paulo Tavares Papa

O IMPACTO DA EXPANSÃO DO PORTO E DO PRÉ-SAL EM SANTOS e BAIXADA SANTISTA João Paulo Tavares Papa Santos, 22/08/2011 O IMPACTO DA EXPANSÃO DO PORTO E DO PRÉ-SAL EM SANTOS e BAIXADA SANTISTA João Paulo Tavares Papa Prefeito de Santos Presidente da ABMP (2009/2011) VETORES RELEVANTES Energia Porto, retroporto

Leia mais

Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Regulamento de Tarifas Máximas do Terminal de Cruzeiros de Lisboa 2018 Cabe à LCT Lisbon Cruise Terminals, Ld.ª, enquanto empresa concessionária do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, nos termos do Contrato

Leia mais

Gargalos dos portos do Rio de Janeiro. Sistema FIRJAN

Gargalos dos portos do Rio de Janeiro. Sistema FIRJAN Gargalos dos portos do Rio de Janeiro Sistema FIRJAN 14 de fevereiro de 2014 Principais portos do Rio de Janeiro (incluindo novas unidades em estágio avançado) Açu (São João da Barra) Angra dos Reis Itaguaí

Leia mais

Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto. Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração

Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto. Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Funchal, 22 de maio de 2015 Cidade do Porto, Diagnóstico

Leia mais

Nesta zona a batimétrica dos 20 m desenvolve se a cerca de 270 jardas de terra.

Nesta zona a batimétrica dos 20 m desenvolve se a cerca de 270 jardas de terra. Capítulo 4 Ilha de São Jorge Nesta zona a batimétrica dos 20 m desenvolve se a cerca de 270 jardas de terra. Instruções para a entrada Para entrar no porto das Velas os navios devem navegar a cerca de

Leia mais

Comissão de Acompanhamento reúne na Madeira

Comissão de Acompanhamento reúne na Madeira Junho 2010 Comissão de Acompanhamento reúne na Madeira A Comissão de Acompanhamento do POVT reuniu-se no dia 24 de Junho, no Funchal, Madeira, para a realização da sua 5ª reunião, onde estiveram presentes

Leia mais

Sr. Presidente Senhoras e senhores Deputados Sr. Presidente do Governo, senhora e senhores Membros do Governo

Sr. Presidente Senhoras e senhores Deputados Sr. Presidente do Governo, senhora e senhores Membros do Governo Intervenção do Deputado Jorge Macedo Assunto: Discussão do Plano e Orçamento 2008 Horta 29 de Novembro de 2007 Sr. Presidente Senhoras e senhores Deputados Sr. Presidente do Governo, senhora e senhores

Leia mais

PARQUE EMPRESARIAL WORLD TRADE CENTER DA PRAIA (WTCP)

PARQUE EMPRESARIAL WORLD TRADE CENTER DA PRAIA (WTCP) PARQUE EMPRESARIAL WORLD TRADE CENTER DA PRAIA (WTCP) Designação Parque Empresarial World Trade Center da Praia (WTCP) Função Habitação/comércio/turismo Localização ilha de Santiago, Município da Praia,

Leia mais

Plano Municipal de Emergência

Plano Municipal de Emergência ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO 1 1 Introdução 2 2 Âmbito de aplicação 3 3 Objectivos gerais 3 4 Enquadramento legal 4 5 Antecedentes do processo de planeamento 4 6 Articulação com instrumentos

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS CÓDIGO DO AVISO: POVT- 35-2010-35 14 de Junho

Leia mais

6693/17 mc/jc 1 DGE 2A

6693/17 mc/jc 1 DGE 2A Conselho da União Europeia Bruxelas, 28 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6693/17 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 28 de fevereiro de 2017 para: Delegações TRANS 82 MAR 47

Leia mais

Gestão voluntária de carbono e de eficiência energética

Gestão voluntária de carbono e de eficiência energética Gestão voluntária de carbono e de eficiência energética Gestão voluntária de carbono e de eficiência energética A ANA Aeroportos de Portugal (ANA) reconhece que as alterações climáticas são um dos maiores

Leia mais

A Regulação e o Desenvolvimento das Energias Renováveis em Cabo Verde

A Regulação e o Desenvolvimento das Energias Renováveis em Cabo Verde AGÊNCIA DE REGULAÇÃO ECONOMICA Seminário Boa Governação em Energias Renováveis 29 de Junho 1 de Julho de 2015 São Tomé e Príncipe A Regulação e o Desenvolvimento das Energias Renováveis em Cabo Verde Apresentação

Leia mais

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO PLANOS ESTRATÉGICOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO AVISO DE CONCURSO Nº ALT20 06 2016 18 ALT20 16 2016 19 ALT20 43 2016 20 DOMÍNIO DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA

Leia mais

60% 92% Território abrangido. dos edifícios abrangidos A REABILITAÇÃO URBANA Estratégia de Reabilitação Urbana / Delimitação ARU

60% 92% Território abrangido. dos edifícios abrangidos A REABILITAÇÃO URBANA Estratégia de Reabilitação Urbana / Delimitação ARU A REABILITAÇÃO URBANA 2007 2014 2012 - Estratégia de Reabilitação Urbana / Delimitação ARU 60% Território abrangido 92% dos edifícios abrangidos 1 REGENERAÇÃO/REABILITAÇÃO O PDM DOS 3 R Reutilizar Reabilitar

Leia mais

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007 JORNAL DA CONSTRUÇÃO Lisboa, 28 de Maio de 2007 1. LISBOA OCIDENTAL, SRU (ENQUADRAMENTO) O Município de Lisboa criou a Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental, SRU, em Julho de 2004. A Empresa,

Leia mais

Encontro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Presença na ExpoAlcanede e no Festival de Gastronomia

Encontro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Presença na ExpoAlcanede e no Festival de Gastronomia Outubro 2016 Trimestral Edição nº 4 Encontro de Engenharia Sanitária e Ambiental Presença na ExpoAlcanede e no Festival de Gastronomia A.S. efetua Substituição de condutas de água no Vale de Santarém e

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento de Negócios em Soluções Logísticas TERMINAL DE LOGÍSTICA DE CARGA AEROPORTO DE JOINVILLE LAURO CARNEIRO DE LOYOLA

Superintendência de Desenvolvimento de Negócios em Soluções Logísticas TERMINAL DE LOGÍSTICA DE CARGA AEROPORTO DE JOINVILLE LAURO CARNEIRO DE LOYOLA TERMINAL DE LOGÍSTICA DE CARGA AEROPORTO DE JOINVILLE LAURO CARNEIRO DE LOYOLA Concessão de uso de área para exploração Comercial e operação das atividades de armazenagem e movimentação de cargas internacionais

Leia mais

PROGRAMA QUADRO SOLID. Fundo para as Fonteiras Externas Casos de Sucesso DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO DE FUNDOS COMUNITÁRIOS

PROGRAMA QUADRO SOLID. Fundo para as Fonteiras Externas Casos de Sucesso DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO DE FUNDOS COMUNITÁRIOS PROGRAMA QUADRO SOLID Fundo para as Fonteiras Externas Casos de Sucesso Índice Gestão das Fronteiras na União Europeia Fronteiras da União Fundo Europeu para as Fronteiras Externas Fundo Europeu para as

Leia mais

mar 2020: Fazer acontecer o MAR

mar 2020: Fazer acontecer o MAR Onde a terra se acaba e o mar começa (in Os Lusíadas, Canto III) Portugal sempre foi mar. Mas agora, mais do que nunca, o mar pode ser uma infinidade de oportunidades para todos os portugueses. A extensão

Leia mais

MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS AUMENTA NOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2007

MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS AUMENTA NOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2007 ACTIVIDADE DOS TRANSPORTES Janeiro a Setembro 2007 03 de Dezembro de 2007 MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS AUMENTA NOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2007 De Janeiro a Setembro de 2007, movimentaram-se

Leia mais

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO 01 MULTIMODALIDADE 02 HUB DE TRANSPORTES 03 EIXO ANTLÂNTICO - ÍNDICO AFRICA AUSTRAL 04 AEROPORTO CATUMBELA INFRA-ESTRUTURA INTERNACIONAL

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

Gabinete do Presidente

Gabinete do Presidente Câmara Municipal de Aveiro Gabinete do Presidente Nota de Imprensa N.º 11, de 25 de janeiro de 2017 I Reunião de Câmara 25 de janeiro de 2017 Apresentamos por este meio informação sobre as principais deliberações

Leia mais

Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Albufeira, 7 de abril de 2015

Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Albufeira, 7 de abril de 2015 Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Albufeira, 7 de abril de 2015 AGENDA 1 Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2 Linha de Apoio à Qualificação da Oferta Apoio ao Empreendedorismo 3 Circuito de Decisão

Leia mais

Económico Ambiental Social

Económico Ambiental Social EUROPA 2020 Desenvolvimento Sustentável Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo (CISI) Estratégia Marítima da União Europeia para a Área do Atlântico Estratégias Regionais de Suporte (asseguram

Leia mais

Sendo esta a minha primeira intervenção de tribuna, saúdo especialmente a:

Sendo esta a minha primeira intervenção de tribuna, saúdo especialmente a: ALRAA DISCURSO TRIBUNA PROGRAMA DO XI GOVERNO Sendo esta a minha primeira intervenção de tribuna, saúdo especialmente a: Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, as Senhoras

Leia mais

WORKSHOP: Portos - Perspectivas e Melhoria dos Acessos

WORKSHOP: Portos - Perspectivas e Melhoria dos Acessos WORKSHOP: Portos - Perspectivas e Melhoria dos Acessos São Paulo, 28 de outubro de 2015 CENÁRIO E PERSPECTIVAS DE MELHORIA NOS ACESSOS SUMÁRIO: Acesso Aquaviário - Evolução dos navios - Iniciativa Santos

Leia mais

Nova Alcântara Novo Nó Ferroviário e Terminal de Contentores. Lisboa, 28 de Abril de

Nova Alcântara Novo Nó Ferroviário e Terminal de Contentores. Lisboa, 28 de Abril de Nova Alcântara Novo Nó Ferroviário e Terminal de Contentores Lisboa, 28 de Abril de 2008 1 O sector dos transportes é uma peça fundamental do desenvolvimento económico do país, contribuindo decisivamente

Leia mais

Região do Médio Tejo. Características e Desafios

Região do Médio Tejo. Características e Desafios Região do Médio Tejo Características e Desafios 09 março 2015 A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Território e Municípios A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Atribuições e Competências das

Leia mais

R E I D I. September, 2012

R E I D I. September, 2012 Aduana Brasileira R E I D I September, 2012 Organograma R E I D I Aduana Responsabilidades Regulador Economico Protecao comercial Regimes especiais Arrecadacao Ambiente Competitivo Seguranca Publica Crimes

Leia mais

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras A nossa Visão Potenciar o máximo aproveitamento e utilização do território

Leia mais

Subsistema de Incentivos para o Fomento da base económica de exportação

Subsistema de Incentivos para o Fomento da base económica de exportação Dezembro de 2015 Proposta de prestação de serviços Candidatura ao Subsistema de Incentivos para o Fomento da base económica de exportação Construção de Hotel 4 ou 5 Estrelas S. Vicente A/C: A. Machado,

Leia mais

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL /04/11

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL /04/11 Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL 2011 EMAP EMPRESA MARANHENSE DE ADMINISTRAÇÃO PORTUÁRIA Empresa pública, criada pela Lei 7.225, de 31 de agosto 1998, com personalidade jurídica de

Leia mais

FINANCIAMENTO DISPONÍVEL PARA TODOS OS SEUS NEGÓCIOS

FINANCIAMENTO DISPONÍVEL PARA TODOS OS SEUS NEGÓCIOS FINANCIAMENTO DISPONÍVEL PARA TODOS OS SEUS NEGÓCIOS com condições exclusivas e únicas Sobre a GRENKE. Somos uma Multinacional Alemã Líder de Mercado Europeu em Financiamento de TI para PMEs, com 35 anos

Leia mais

RESUMO PARA OS CIDADÃOS

RESUMO PARA OS CIDADÃOS RESUMO PARA OS CIDADÃOS Relatório Anual de Execução 2015 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO DO PROGRAMA Para o Programa Operacional de Assistência Técnica 2014-2020 (POAT2020) foi determinante a aprovação do Acordo

Leia mais

Transportes. Prof. Márcio Padovani

Transportes. Prof. Márcio Padovani Transportes Índice Definição de transporte Origem e evolução dos transportes Rodoviário Ferroviário Marítimo Aéreo Oleoduto Evolução dos transportes no Porto Classificação dos transportes Quanto à modalidade

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I Anexo I Diretivas Diretiva Quadro da Água (DQA) Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM) Diretiva 2000/60/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de outubro de 2000, que estabelece um quadro de

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO I REDES E EQUIPAMENTOS NACIONAIS DE TRANSPORTES

EIXO PRIORITÁRIO I REDES E EQUIPAMENTOS NACIONAIS DE TRANSPORTES Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) Programa Operacional Temático Valorização do Território AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO I REDES E EQUIPAMENTOS NACIONAIS DE TRANSPORTES

Leia mais

POSEUR APRESENTAÇÃO DO AVISO

POSEUR APRESENTAÇÃO DO AVISO POSEUR-12-2016-37 APRESENTAÇÃO DO AVISO Operações que visam o fecho de sistemas de abastecimento de água em baixa e de sistemas de saneamento de águas residuais. Operações com vista à redução da poluição

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Não te deslumbres comigo. Cometes um erro crasso Se ligares muito ao que digo Sem atentares ao que faço.

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Não te deslumbres comigo. Cometes um erro crasso Se ligares muito ao que digo Sem atentares ao que faço. RESPONSABILIDADE SOCIAL Não te deslumbres comigo. Cometes um erro crasso Se ligares muito ao que digo Sem atentares ao que faço. ACEESA - Centro de Estudos Natália Correia Fajã de Baixo, 26 de junho de

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PERNAMBUCO. Elber Justo MSC 2016

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PERNAMBUCO. Elber Justo MSC 2016 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PERNAMBUCO Elber Justo MSC 2016 AS EMPRESAS DO GRUPO MSC Desde 1970, a MSC tem crescido e se tornado uma das maiores transportadoras marítimas do mundo. Durante

Leia mais

INVESTIMENTOS PÚBLICOS - AV PERIMETRAL - MARGEM ESQUERDA 2ª FASE. 8º Encontro de Logística e Transportes

INVESTIMENTOS PÚBLICOS - AV PERIMETRAL - MARGEM ESQUERDA 2ª FASE. 8º Encontro de Logística e Transportes INVESTIMENTOS PÚBLICOS - AV PERIMETRAL - MARGEM ESQUERDA 2ª FASE INVESTIMENTOS PRIVADOS MODAL RODOVIÁRIO ACESSO RODOVIÁRIO OBRAS DO GOVERNO ESTADUAL ACESSO RODOVIÁRIO OBRAS DO GOVERNO ESTADUAL ACESSO RODOVIÁRIO

Leia mais

Ciência e Inovação Realizar Portugal

Ciência e Inovação Realizar Portugal Programa Operacional Ciência e Inovação Realizar Portugal União Europeia Fundos Estruturais Programa Operacional Ciência e Inovação 2010 No dia 24 de Dezembro de 2004 foi aprovado, por decisão (5706/2004)

Leia mais

Parceria para a formação financeira na Região Norte

Parceria para a formação financeira na Região Norte Parceria para a formação financeira na Região Norte Objetivos da formação financeira Elevar os conhecimentos financeiros da população Contribuir para a melhoria dos comportamentos financeiros Promover

Leia mais

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Corredores Logísticos Legenda Ferrovias Estrada de Ferro Carajás - EFC Ferrovia Norte Sul FNS Ferrovia Norte Sul FNS (em construção)

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação Territorial Europeia 2007/2013 Que oportunidades para Lisboa e Vale do Tejo? Centro Cultural de Belém 31 de Março 2008 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação territorial

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Brasília. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Brasília. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Brasília Setembro/2013 Brasília: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética

Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética Interreg CO 2 Programa ADENE 13.07.2017 Fernando Martins Diretor Executivo da Estrutura de Gestão do PNAEE Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética

Leia mais

A atividade da construção e reparação naval na RAA

A atividade da construção e reparação naval na RAA NÁUTICAS AO SERVIÇO DA A atividade da construção e reparação naval na RAA Ponta Delgada 25 de Março de 2013 Nuno Lima A actividade da construção e reparação naval na RAA Caracterização Geral Infra-estruturas

Leia mais

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO 1ENGENHARIA O PROJECTO (I) O Projecto corresponde à preparação da realização depois de decidido o que é que se quer fazer (planeamento); especifica-se como é que se vai fazer (resolvendo problemas que

Leia mais

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 18 SEXTA-FEIRA, 6 DE FEVEREIRO DE 2015 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, EMPREGO E COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 18 SEXTA-FEIRA, 6 DE FEVEREIRO DE 2015 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, EMPREGO E COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL I SÉRIE NÚMERO 18 SEXTA-FEIRA, 6 DE FEVEREIRO DE 2015 ÍNDICE: VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, EMPREGO E COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL Portaria n.º 12/2015: Altera o artigo 6.º da Portaria n.º 33/2013,

Leia mais

INTERVENÇÃO DO DEPUTADO ANÍBAL PIRES NO ENCERRAMENTO DO DEBATE DE URGÊNCIA AGENDADO PELO PCP SOBRE TRANSPORTES AÉREOS NOS AÇORES 14 de Maio de 2013

INTERVENÇÃO DO DEPUTADO ANÍBAL PIRES NO ENCERRAMENTO DO DEBATE DE URGÊNCIA AGENDADO PELO PCP SOBRE TRANSPORTES AÉREOS NOS AÇORES 14 de Maio de 2013 INTERVENÇÃO DO DEPUTADO ANÍBAL PIRES NO ENCERRAMENTO DO DEBATE DE URGÊNCIA AGENDADO PELO PCP SOBRE TRANSPORTES AÉREOS NOS AÇORES 14 de Maio de 2013 Ainda antes de passar para a apreciação que o PCP Açores

Leia mais

VLI e a Logística Integrada

VLI e a Logística Integrada VLI e a Logística Integrada José Osvaldo Cruz 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Modelo de Negócio: Sistema Logístico Integrado A VLI é uma operadora logística de base ferroviária que movimenta

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 13.2.2015 C(2015) 850 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 13.2.2015 que aprova o programa de desenvolvimento rural de Portugal-Açores, para apoio pelo Fundo Europeu Agrícola

Leia mais