INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE Conselho de Reguladores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE Conselho de Reguladores"

Transcrição

1 INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE 215 Conselho de Reguladores

2 DESTAQUES DO MÊS Outubro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 49,9 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa foi de 49,89 /MWh Foram negociados no mercado diário GWh (14.41 GWh de energia adquirida em Espanha e 4.96 GWh de energia adquirida em Portugal) Foram negociados GWh no mercado a prazo gerido pelo OMIP (1.587 contratos negociados em contínuo e contratos negociados em leilão) e 6 GWh no mercado a prazo gerido pelo EEX (31 contratos negociados em contínuo) Foi negociado em OTC um volume estimado de GWh (2.635 GWh em OTC não registado e 8.98 GWh em OTC registado, dos quais GWh registados em OMIClear, GWh em Meff Power e GWh em EEX-ECC) A maioria dos contratos de futuros negociados no OMIP cotaram acima dos contratos da Nordpool, da EPEX(DE) e da EPEX(FR) Relatório mensal Outubro de 215 2

3 CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO IBÉRICO Estrutura de mercado 1% Repartição por empresa E.ON 5% RENTGALP 2% % 4% % 1% Energia negociada (vendas) ESPANHA: GWh 6% 9% 8% 7% END 15% GNF 14% 2% 17% 44% 7% 43% 6% 5% Outros 2% 16% PORTUGAL: GWh 3% 4% 3% EDP 22% 18% 24% 6% 67% 2% 1% IBER 22% 24% Mercado diário Mercado intradiário % Vendas Compras Bilateral físico Serviços de sistema Relatório mensal Outubro de 215 3

4 31/1/215 CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO IBÉRICO Interligação Espanha Portugal 1 Out Capacidade e utilização 3. EXPORT Capacidade média: 1873 MW Utilização média: 261 MWh Capacidade média: 2781 MW Utilização média: 629 MWh IMPORT. -4. Importação Exportação Capacidade importação Capacidade exportação Relatório mensal Outubro de 215 4

5 Preços (EUR/MWh) 1 Out MERCADO DIÁRIO E INTRADIÁRIO Evolução do mercado diário Renda (milhares EUR) 7 6 Preços médios diários e renda de congestionamento Espanha: 49,9 EUR/MWh Portugal: 49,89 EUR/MWh MIBEL: 49,9 EUR/MWh Spread (PT - ES): EUR/MWh Renda de congestionamento: 21,6 milhares EUR Renda de congestionamento Preços Espanha Preços Portugal Relatório mensal Outubro de 215 5

6 GWh MERCADO DIÁRIO E INTRADIÁRIO Energia colocada em mercado diário MIBEL Espanha Out Nuclear Carvão CCGT Hídrica Fuel-Gás PRE Outros 1 6% 26% 7% 5% 57% Portugal 4% 26% 8% 7% 54% 29% 13% 15% 43% Relatório mensal Outubro de 215 6

7 Procura Preços MERCADO DIÁRIO E INTRADIÁRIO Evolução do mercado intradiário Preços médios intradiários ,27 49,37 49,24 49,36 51,8 52,82 53,4 51,8 5,93 52,76 53, 51, Sessão de mercado intradiário Procura Espanha Procura Portugal Preços Espanha Preços Portugal Relatório mensal Outubro de 215 7

8 MERCADO A PRAZO Negociação em Contínuo, Leilão e OTC Mercado Mercado contínuo e leilões 11% Energia: 13 6 GWh Leilões % % Energia: GWh OTC não registado 2% 23% 3% Contratos: Contratos: % Mercado contínuo 1% OTC registado Energia: 8 98 GWh 74% OTC registado 69% OTC EEX-ECC 31% 9% 46% OTC OMIClear 48% Contratos: % Informação sobre o OTC não registado: dados estimados Produtos: Opções, Futuros, Forwards, Swaps, FTR e contratos derivados OTC Relatório mensal Outubro de 215 OTC MEFF Power 21% 8

9 EUR/MWh REFERÊNCIAS DE MERCADO Mercados internacionais de energia elétrica Mercados spot Mercados a prazo Nordpool 1 Nordpool: 22,13 EUR/MWh EPEX(FR): 44,95 EUR/MWh EPEX(DE): 39,36 EUR/MWh OMIE(ES): 49,9 EUR/MWh OMIE(PT): 49,89 EUR/MWh 1 Out Últimas cotações a dia 2 EPEX(FR) EPEX(DE) OMIE(ES) OMIE(PT) Nordpool EPEX(FR) EPEX(DE) OMIE(ES) OMIE(PT) Relatório mensal Outubro de 215 9

10 Índice 1 = 1 Out 215 REFERÊNCIAS DE MERCADO Mercados de energia primária Out 215: Brent: 42,48 EUR/bbl FO - NWE: 189,64 EUR/t GN - TTF: 18 EUR/MWh gás Coal API2: 48,28 EUR/t Mercados spot Mercados a prazo Brent FO - NWE GN - TTF Coal API Out Brent FO - NWE GN - TTF Coal API2 85 Últimas cotações a dia 2 Relatório mensal Outubro de 215 1

11 RESUMO DO MÊS Outubro de 215 Out 215 Set 215 Out 214 Estrutura de Mercado Energia negociada MIBEL (GWh) Energia ES (%) 83% 85% 85% Energia PT (%) 17% 15% 15% Interligação ES-PT Capacidade exportação (MW) Utilização média (MWh) Capacidade importação (MW) Utilização média (MWh) Mercado diário Preço MIBEL (EUR/MWh) 49,9 51,89 55,18 Preço ES 49,9 51,88 55,11 Preço PT 49,89 51,92 55,39 Spread,,4,27 Rendas congest. (milhares EUR) 21,6 13,42 31,25 Mercado a prazo Volume negociado (GWh) Mercado contínuo Leilões OTC registado OTC não registado N.º de contratos Relatório mensal Outubro de

12 Siglas, acrónimos e fontes de informação Siglas e acrónimos EDP - Energias de Portugal END Endesa IBD Iberdrola RENT REN Trading GNF Gas Natural Fenosa PT Portugal ES Espanha MIBEL Mercado Ibérico de Eletricidade FR França DE Alemanha CCGT centrais de ciclo combinado a gás natural PRE produção em regime especial OTC over the counter FO - NWE fuelóleo de referência no Noroeste da Europa com 1% de enxofre GN - TTF gás natural do hub holandês Title Transfer Facility Coal API2 Carvão importado com entrega no Noroeste da Europa e poder calorífico de 6 kcal/kg Fontes de informação REN REE OMI Clear OMIE OMIP MEFF Power EPEX Spot Nordpool Spot Nasdaq OMX EEX Reuters Relatório mensal Outubro de

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 214 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Novembro de 214 O preço médio aritmético durante o mês foi de 46,8 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Fevereiro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 42,57 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep DADOS IBÉRICOS 214 BALANÇO ENERGÉTICO ktep 212 213 (%) 212 213 (%) Consumo de Energia Primária 21 482 21 74 1 128 98 121 119-6 Petróleo 9 297 9 648 4 3 978 2 934-2 Carvão 2 91 2 63-9 1 1 1 31-32 Gás natural

Leia mais

Perspectiva dos Operadores

Perspectiva dos Operadores OS NOVOS DESAFIOS DO MIBEL Perspectiva dos Operadores Rui Cartaxo 1 de Junho de 2010 Rede Eléctrica Nacional, S.A. A especialização geográfica dos perfis de produção faz sentido mas implica mais e melhores

Leia mais

MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL. Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado

MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL. Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado Nº 185 VI Série 2011/03/30 MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado 1. Market Data / Datos de

Leia mais

O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL

O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL 1ª Conferência Luso-Espanhola de Direito da Concorrência Lisboa, 01 e 02 de Julho de 2010 O Grupo EDP tem presença significativa no mundo E.U.A Capacidade

Leia mais

O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade

O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade O estudo analisa a evolução do Mercado Ibérico de Electricidade desde a sua

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

Relatório de preços 2015

Relatório de preços 2015 2 1 Negociação no MIBEL: Energia, volume econômico e tipos de tecnologias 1.1. Compras no MIBEL da energia negociada no mercado diário e no mercado intradiário... 5 1.2. Volume econômico das compras negociadas

Leia mais

Integração da Electricidade Renovável em Mercado. José Carvalho Netto - OMIP

Integração da Electricidade Renovável em Mercado. José Carvalho Netto - OMIP Integração da Electricidade Renovável em Mercado José Carvalho Netto - OMIP 1. HÁ UMA VONTADE POLÍTICA DA UE PARA ATINGIR A META DE 20% ATÉ 2020... MAS EXISTEM DIFERENTES MECANISMOS DE APOIO. 2. O CASO

Leia mais

Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis

Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis António Sá da Costa Lisboa, 18 de Junho de 2015 ENERGIA EM PORTUGAL 4 VISÃO GLOBAL

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL CMVM PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL 1...Descrição geral do método e fases da sua implementação... 2 2...Mecanismo de leilões explícitos de capacidade... 2 3...Mecanismo

Leia mais

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia sinta a nossa energia Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 0 1S07: Principais Acontecimentos Crescimento de EBITDA: +27% com base em crescimento orgânico Turnaround das actividades em mercado: enfoque

Leia mais

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Sumário No sentido de aprofundar o MIBEL - Mercado Ibérico de Electricidade, e em linha com o Acordo de Santiago de Compostela e

Leia mais

Seminário Mercado Liberalizado de Energia

Seminário Mercado Liberalizado de Energia Seminário Mercado Liberalizado de Energia A EDP Comercial no Mercado Liberalizado Carlos Neto Lisboa, 26 de Outubro de 2012 As cadeias de valor da electricidade e do gás têm grandes semelhanças A convergência

Leia mais

MIBEL / / 1. / / 1.1. MIBEL SPEL

MIBEL / / 1. / / 1.1. MIBEL SPEL Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado Nº 291 VII Série 2012/08/23 MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL 1. Market Data / Datos de

Leia mais

O preço das Renováveis

O preço das Renováveis O preço das Renováveis Comissão de Especialização em Engenharia da OE Ciclo de encontros sobre o preço da energia Lisboa, 17 de Fevereiro de 2011 Pedro Neves Ferreira Director de Planeamento Energético

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

Rede Eléctrica Nacional Gestão do Sistema. Julho/ 2015

Rede Eléctrica Nacional Gestão do Sistema. Julho/ 2015 Rede Eléctrica Nacional Gestão do Sistema Julho/ 2015 1 Indice Organização da REN Organização da Gestão do Sistema Sistema Elétrico Nacional Função Segurança e Operação da RNT Função Equilíbrio Produção

Leia mais

ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA (ART.º 196.º DO RRC) PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS. Recomendação n.º 1/2008

ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA (ART.º 196.º DO RRC) PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS. Recomendação n.º 1/2008 ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA (ART.º 196.º DO RRC) PRINCÍPIOS E BOAS PRÁTICAS Recomendação n.º 1/2008 Março 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão

Leia mais

V CONFERÊNCIA ANUAL DA RELOP

V CONFERÊNCIA ANUAL DA RELOP V CONFERÊNCIA ANUAL DA RELOP Novos Instrumentos para Aprofundamento dos Mercados [Novos Desafios para a Regulação da Energia] Lisboa, 31.Mai.2012 Agenda 1. Porquê Modelos de Mercado? 2. Modelos de Leilão

Leia mais

O Valor dos Activos Hídricos

O Valor dos Activos Hídricos edp sinta a nossa energia O Valor dos Activos Hídricos António Castro, Administrador de Desenvolvimento de Projectos, EDP Produção O Valor da Energia Hídrica Produção flexível da Hídrica permite obter

Leia mais

Relatório sobre a formação dos preços grossistas da energia eléctrica em Portugal no segundo semestre de 2007

Relatório sobre a formação dos preços grossistas da energia eléctrica em Portugal no segundo semestre de 2007 Relatório sobre a formação dos preços grossistas da energia eléctrica em Portugal no segundo semestre de Maio 2009 Autoridade da Concorrência Rua Laura Alves, n.º 4 1050-138 Lisboa Portugal Tel: (+351)

Leia mais

Energia Eólica e Impactes Tarifários. Pedro Verdelho 10 Fevereiro 2010

Energia Eólica e Impactes Tarifários. Pedro Verdelho 10 Fevereiro 2010 Energia Eólica e Impactes Tarifários Pedro Verdelho 10 Fevereiro 2010 Agenda 1. A Política Energética Europeia e Nacional 2. Remuneração e alocação dos custos da Produção em Regime Especial 3. O Sobrecusto

Leia mais

A integração da produção sustentável em Portugal do planeamento à operação Seminário - Energia Eléctrica Universidade Agostinho Neto Luanda 8 de

A integração da produção sustentável em Portugal do planeamento à operação Seminário - Energia Eléctrica Universidade Agostinho Neto Luanda 8 de A integração da produção sustentável em Portugal do planeamento à operação Seminário - Energia Eléctrica Universidade Agostinho Neto Luanda 8 de Setembro de 2011 Rui Pestana REN Redes Energéticas Nacionais,

Leia mais

Gestão do Risco Elétrico

Gestão do Risco Elétrico Gestão do Risco Elétrico Aveiro, 10 de abril de 2015 João António Ribeiro Agenda 1. A EDP 2. Risco elétrico 3. Proteção contra o risco elétrico 4. Segurança nos trabalhos em instalações elétricas Trabalhos

Leia mais

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013 AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom

Leia mais

Energias renováveis e o Mercado Ibérico Desafios de harmonização

Energias renováveis e o Mercado Ibérico Desafios de harmonização Energias renováveis e o Mercado Ibérico Desafios de harmonização Eduardo Teixeira ERSE 1 de junho de 2012 Agenda 1. A experiência do MIBEL 2. Renováveis e PRE 3. MIBEL, Renováveis e PRE 4. Os desafios

Leia mais

ESTRUTURA TARIFÁRIA DO SETOR ELÉTRICO EM 2015

ESTRUTURA TARIFÁRIA DO SETOR ELÉTRICO EM 2015 ESTRUTURA TARIFÁRIA DO SETOR ELÉTRICO EM 2015 Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

Resultados 1T2007. Lisboa, 3 de Maio de 2007. Direcção de Relações com Investidores. Miguel Viana, Director Elisabete Ferreira Ricardo Farinha

Resultados 1T2007. Lisboa, 3 de Maio de 2007. Direcção de Relações com Investidores. Miguel Viana, Director Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Resultados Direcção de Relações com Investidores Miguel Viana, Director Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Tel: +351 21 001 2834 Fax: +351 21 001 2899 Email: ir@edp.pt Site: www.edp.pt Reuters: Bloomberg:

Leia mais

rotulagem de energia eléctrica

rotulagem de energia eléctrica rotulagem de energia eléctrica ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA A produção e a distribuição de energia eléctrica são fundamentais para o desenvolvimento das sociedades. A rotulagem de energia eléctrica pretende

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER Braga, 26 de Outubro de 2012 Luis Alexandre Silva Porquê a presença no Mercado Elétrico? Expansão de Negócios Estratégia de diversificação (novos mercados) Crescimento nos

Leia mais

Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal

Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal Jorge Esteves, XI Reunião Ibero-Americana de Reguladores de Energia Madrid, 18 de Junho de 2007 Entidade Reguladora dos Serviços

Leia mais

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores Conferência do Diário Económico Vitor Santos Presidente da ERSE Hotel Sheraton, Lisboa 4 de Julho de 2012 Agenda 1. Liberalização efetiva

Leia mais

Energias Renováveis, Regulação e Sustentabilidade

Energias Renováveis, Regulação e Sustentabilidade Energias Renováveis, Regulação e Sustentabilidade XIV Reunión Anual Iberoamericana de Reguladores de la Energía Salvador - Bahía 28 a 30 de Abril de 2010 Vítor Santos Agenda 1. A Política Energética Europeia

Leia mais

Simulação Interactiva do Mercado de Energia Eléctrica

Simulação Interactiva do Mercado de Energia Eléctrica INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Área Departamental de Engenharia de Sistemas de Potência e Automação Simulação Interactiva do Mercado de Energia Eléctrica BRUNO MIGUEL FERREIRA ADÃO (Licenciado)

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016 Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

1º SEMESTRE 2011 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL. janeiro 2013. julho 2012

1º SEMESTRE 2011 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL. janeiro 2013. julho 2012 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL O Governo, através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 34/211, de 1 de Agosto, veio concretizar um calendário de extinção das tarifas reguladas de venda de

Leia mais

V Conferência Anual da RELOP

V Conferência Anual da RELOP V Conferência Anual da RELOP Energias Renováveis em Portugal António Sá da Costa 1 Junho 2012 Distribuição do Consumo e da Produção de Electricidade entre as várias fontes existentes Valores para Portugal

Leia mais

NFPA-APSEI Prevenção e Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP. Outubro 2014

NFPA-APSEI Prevenção e Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP. Outubro 2014 NFPA-APSEI Prevenção e Segurança Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho no Grupo EDP Outubro 2014 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Outubro de 2014 Agenda 1. O Grupo EDP 2. O Sistema de Gestão da

Leia mais

Recomendações Estratégicas para o Sector Energético Português. Proposta de Reorganização

Recomendações Estratégicas para o Sector Energético Português. Proposta de Reorganização Recomendações Estratégicas para o Sector Energético Português Proposta de Reorganização 3 de Abril de 2003 Política Energética Governamental: uma política para o Futuro A reorganização proposta pelo Governo

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011 Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

GERAÇÃO ELÉCTRICA SEGURA E COMPETITIVA Gás Natural e Carvão Limpo

GERAÇÃO ELÉCTRICA SEGURA E COMPETITIVA Gás Natural e Carvão Limpo GERAÇÃO ELÉCTRICA SEGURA E COMPETITIVA Gás Natural e Carvão Limpo 21.Abril.2009 Victor Baptista O Futuro Energético em Portugal Museu da Electricidade - Lisboa «Current global trends in energy supply and

Leia mais

RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE 2015

RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE 2015 1 27 Abril, 2015 RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE 2015 Operador integrado de energia focado na exploração e produção DISCLAIMER 2 Esta apresentação contém declarações prospetivas ( forward looking statements

Leia mais

Energias Renováveis O ponto de vista da edp distribuição

Energias Renováveis O ponto de vista da edp distribuição Energias Renováveis O ponto de vista da edp distribuição A edp em várias geografias Situação Portuguesa As metas da renovável A edp A produção em regime especial O Operador da Rede de Distribuição e a

Leia mais

Previsão a longo prazo de preços de electricidade

Previsão a longo prazo de preços de electricidade Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Previsão a longo prazo de preços de electricidade Guilherme Almeida Ferreira Gomes VERSÃO FINAL Dissertação realizada no âmbito do Mestrado Integrado em

Leia mais

Efeitos da Economia do Carbono sobre a Produção de Electricidade

Efeitos da Economia do Carbono sobre a Produção de Electricidade Tomar, 31 de Março de 2006 Efeitos da Economia do Carbono sobre a Produção de Electricidade Seminário TECNICELPA sobre Mercado de Carbono Gabinete de Planeamento Energético Agenda Ponto de situação do

Leia mais

Reunião com o MME: Visão sobre os mercados europeu e brasileiro de energia. Paulo Pedrosa e Walter Fróes Brasília, 22/12/2008

Reunião com o MME: Visão sobre os mercados europeu e brasileiro de energia. Paulo Pedrosa e Walter Fróes Brasília, 22/12/2008 Reunião com o MME: Visão sobre os mercados europeu e brasileiro de energia. Paulo Pedrosa e Walter Fróes Brasília, 22/12/2008 Associados da Abraceel Esforço de integração Europeu Mercado Europeu Um conglomerado

Leia mais

DECISÃO DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent. 36/2005 ENDESA GENERACÍON, S.A. / FINERGE-GESTÃO DE PROJECTOS ENERGÉTICOS, S.A.

DECISÃO DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent. 36/2005 ENDESA GENERACÍON, S.A. / FINERGE-GESTÃO DE PROJECTOS ENERGÉTICOS, S.A. DECISÃO DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent. 36/2005 ENDESA GENERACÍON, S.A. / FINERGE-GESTÃO DE PROJECTOS ENERGÉTICOS, S.A. I INTRODUÇÃO 1. Em 16 de Maio de 2005, a Autoridade da Concorrência

Leia mais

Avaliação dos custos e dos benefícios da energia eléctrica de origem renovável

Avaliação dos custos e dos benefícios da energia eléctrica de origem renovável Avaliação dos custos e dos benefícios da energia eléctrica de origem renovável Relatório final do estudo Lisboa, Julho de 2011 1 Nota introdutória (1/3) > As opções de política energética de Portugal têm

Leia mais

PREÇÁRIO 1.JANEIRO.2011

PREÇÁRIO 1.JANEIRO.2011 PREÇÁRIO 1.JANEIRO.2011 PREÇÁRIO OMIP ÍNDICE DE VERSÕES DATA 1.Julho.2010 OBSERVAÇÕES Versão inicial. Substitui a versão original de 2006, que continha um Preçário conjunto OMIP e OMIClear. 1.Janeiro.2011

Leia mais

Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica

Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Relatório Quadrimestral de Acompanhamento dos Indicadores do Setor Elétrico Mundial Setembro a Dezembro de 212 Eduardo

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

A liberalização do sector da energia, o MIBEL (Mercado Ibérico de Electricidade) e o OMIP (Operador do Mercado Ibérico de Energia - pólo português)

A liberalização do sector da energia, o MIBEL (Mercado Ibérico de Electricidade) e o OMIP (Operador do Mercado Ibérico de Energia - pólo português) Luís Braga da Cruz Presidente do OMIP Operador do Mercado Ibérico de Energia/pólo português A liberalização do sector da energia, o MIBEL (Mercado Ibérico de Electricidade) e o OMIP (Operador do Mercado

Leia mais

Assembleia Geral de Accionistas EDP 2010

Assembleia Geral de Accionistas EDP 2010 Assembleia Geral de Accionistas EDP 2010 António Mexia Presidente do Conselho de Administração Executivo Lisboa, 16 de Abril de 2010 EDP: Uma visão global, integrada e sustentável #1 hídrica na Europa

Leia mais

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 52/2015 EDP Renewables/Stirlingpower Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 19/2012, de 8 de maio] 27/11/2015 DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO

Leia mais

Setor Elétrico Portugal

Setor Elétrico Portugal Setor Elétrico Portugal Documentp realizado com informação disponível a 24 de julho de 2014. 1 A situação de relativa estagnação económica que o país enfrenta, leva Portugal a procurar encontrar soluções

Leia mais

PERSPECTIVA DA GESTÃO TÉCNICA DO SISTEMA ELÉCTRICO

PERSPECTIVA DA GESTÃO TÉCNICA DO SISTEMA ELÉCTRICO PERSPECTIVA DA GESTÃO TÉCNICA DO SISTEMA ELÉCTRICO REN Rede Eléctrica Nacional, SA Victor Baptista 1 / 30 Potência instalada e consumo em Portugal MW 18000 16000 14000 12000 10000 8000 6000 4000 2000 0

Leia mais

III Conferência Anual da RELOP

III Conferência Anual da RELOP Energias Renováveis, Regulação e Sustentabilidade III Conferência Anual da RELOP Rio de Janeiro 4 Novembro 2010 Vítor Santos Agenda 1. A Política Energética Europeia e Nacional 2. Remuneração e alocação

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 2/2011 ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉTRICA

RECOMENDAÇÃO N.º 2/2011 ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉTRICA RECOMENDAÇÃO N.º 2/2011 ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉTRICA Dezembro de 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

Demonstrações Financeiras das Atividades Reguladas do Exercício de 2014 Em conformidade com as regras estabelecidas no Regulamento Tarifário

Demonstrações Financeiras das Atividades Reguladas do Exercício de 2014 Em conformidade com as regras estabelecidas no Regulamento Tarifário Demonstrações Financeiras das Atividades Reguladas do Exercício de 2014 Em conformidade com as regras estabelecidas no Regulamento Tarifário Relatório Sumário 30 de abril de 2015 Este texto foi escrito

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL PARA A COMISSÃO EUROPEIA

RELATÓRIO ANUAL PARA A COMISSÃO EUROPEIA RELATÓRIO ANUAL PARA A COMISSÃO EUROPEIA Julho 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

Cogeração na Indústria

Cogeração na Indústria Cogeração na Indústria A cogeração como medida de eficiência energética na indústria: vantagens, enquadramento regulatório e situação em Portugal Rui Quintans dos Santos Comissão Executiva da COGEN Portugal

Leia mais

Reflexão sobre a Evolução e Redesenho do Mercado Interno de Electricidade

Reflexão sobre a Evolução e Redesenho do Mercado Interno de Electricidade Reflexão sobre a Evolução e Redesenho do Mercado Interno de Electricidade Eduardo Catroga Presidente do Conselho Geral e de Supervisão da EDP Agradeço o convite que me foi dirigido por tão distinto Fórum.

Leia mais

Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010. 30 Julho 2010. Do sucesso para novos desafios

Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010. 30 Julho 2010. Do sucesso para novos desafios Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010 30 Julho 2010 Do sucesso para novos desafios Envolvente de mercado Análise financeira Perfil exportador Inovação e partilha do conhecimento 2 Sinais de retoma mostram

Leia mais

Energia Eólica e Gestão Técnica do Sistema Eléctrico: A Perspectiva da Regulação

Energia Eólica e Gestão Técnica do Sistema Eléctrico: A Perspectiva da Regulação Energia Eólica e Gestão Técnica do Sistema Eléctrico: A Perspectiva da Regulação Jorge Esteves Director, Direcção de Infra-estruturas e Redes Mesa Redonda sobre Energia Eólica ERSE, 10 de Fevereiro de

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 42, DE 1 o DE MARÇO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

A APREN. A APREN é associada das seguintes entidades:

A APREN. A APREN é associada das seguintes entidades: 1. QUEM SOMOS 2 A APREN A APREN - Associação Portuguesa de Energias Renováveis, é uma associação sem fins lucrativos, constituída em Outubro de 1988, com a missão de coordenação, representação e defesa

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017 Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado

Leia mais

Energy Derivatives ELETRICIDADE. 1ª Edição. Domine e controle os distintos tipos de Derivados e saiba como e quando utilizá-los SEMINÁRIO TÉCNICO

Energy Derivatives ELETRICIDADE. 1ª Edição. Domine e controle os distintos tipos de Derivados e saiba como e quando utilizá-los SEMINÁRIO TÉCNICO INSCREVA-SE EM 21 793 29 89 SEMINÁRIO TÉCNICO 1ª Edição Domine e controle os distintos tipos de Derivados e saiba como e quando utilizá-los Energy Derivatives ELETRICIDADE GÁS Lisboa 23 e 24 de Outubro

Leia mais

Politica Energética nacional desafios para 2020

Politica Energética nacional desafios para 2020 Seminário Estratégias para a Sustentabilidade Energética e Ambiental dos Territórios Politica Energética nacional desafios para 2020 João Pedro Bernardo Diretor de Serviços de Sustentabilidade Energética

Leia mais

Simulador do Operador de Mercado e de Sistema Considerando Restrições Intertemporais entre Períodos de Contratação

Simulador do Operador de Mercado e de Sistema Considerando Restrições Intertemporais entre Períodos de Contratação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Simulador do Operador de Mercado e de Sistema Considerando Restrições Intertemporais entre Períodos de Contratação Miguel Ângelo Guimarães Fernandes Gomes

Leia mais

& ' & )*( " # $%# Status. Eficiência superior. Crescimento orientado. Risco controlado

& ' & )*(  # $%# Status. Eficiência superior. Crescimento orientado. Risco controlado ! 0 " # $%# & ' ( & )*( + % +,# #! Status Risco controlado 1. Gestão activa dos desafios regulatórios para sustentar o baixo perfil de risco 2. Desenvolver uma estratégia de comercialização lucrativa como

Leia mais

Leilão A-5 de 2014 Preços Médios de Referência dos Combustíveis Vinculados ao CVU de Usinas Termelétricas

Leilão A-5 de 2014 Preços Médios de Referência dos Combustíveis Vinculados ao CVU de Usinas Termelétricas 1. OBJETIVO Este Informe Técnico visa fornecer subsídios para a operacionalização do art. 5º da Portaria MME nº 46, de 9 de março de 2007, com a redação dada na Portaria MME nº 175, de 16 de abril de 2009,

Leia mais

PREÇÁRIO 20.MAIO.2011

PREÇÁRIO 20.MAIO.2011 PREÇÁRIO 20.MAIO.2011 PREÇÁRIO OMIP ÍNDICE DE VERSÕES DATA 1.Julho.2010 OBSERVAÇÕES Versão inicial. Substitui a versão original de 2006, que continha um Preçário conjunto OMIP e OMIClear. 1.Janeiro.2011

Leia mais

Ónus para os consumidores domésticos da política de incentivos às energias renováveis

Ónus para os consumidores domésticos da política de incentivos às energias renováveis Ónus para os consumidores domésticos da política de incentivos às energias renováveis Caso Português e Alemão Por Nuno Gomes da Costa Dissertação apresentada para a obtenção do Grau de Mestre em Economia

Leia mais

Estratégias Empresariais - EDP João Manso Neto EDP Membro do Conselho de Administração Executivo Lisboa, 29 de Maio de 2008

Estratégias Empresariais - EDP João Manso Neto EDP Membro do Conselho de Administração Executivo Lisboa, 29 de Maio de 2008 Estratégias Empresariais - EDP João Manso Neto EDP Membro do Conselho de Administração Executivo Lisboa, 29 de Maio de 2008 0 Índice I Introdução II Internacionalização III Estratégia em Portugal 1 I Introdução

Leia mais

Preços de Referência para a Mudança de Combustível Exercícios 2012

Preços de Referência para a Mudança de Combustível Exercícios 2012 1. PRELIMINAR A mudança de combustível de usinas termelétricas que já celebraram o Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado CCEAR será autorizada pelo Ministério de Minas e

Leia mais

AS RENOVÁVEIS EM PORTUGAL ABRIL DE 2013

AS RENOVÁVEIS EM PORTUGAL ABRIL DE 2013 AS RENOVÁVEIS EM PORTUGAL ABRIL DE 2013 ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. DADOS GERAIS 3. A CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTOS NACIONAL 4. O IMPACTO DAS RENOVÁVEIS NA FACTURA DE ELECTRICIDADE E

Leia mais

Estratégias de Comercialização de Energia Elétrica em Mercados Liberalizados

Estratégias de Comercialização de Energia Elétrica em Mercados Liberalizados INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Área Departamental de Engenharia de Sistemas de Potência e Automação Estratégias de Comercialização de Energia Elétrica em Mercados Liberalizados EMANUEL CAMÕES

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO Junho de 2007 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00

Leia mais

Resultados. Direcção de Relação com Investidores. Miguel Viana, Director Sónia Pimpão Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Pedro Coelhas Noélia Rocha

Resultados. Direcção de Relação com Investidores. Miguel Viana, Director Sónia Pimpão Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Pedro Coelhas Noélia Rocha Resultados Direcção de Relação com Investidores Miguel Viana, Director Sónia Pimpão Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Pedro Coelhas Noélia Rocha Tel: +351 21 001 2834 Email: ir@edp.pt Site: www.edp.pt

Leia mais

AVISO DO ACERTO DE CONTAS Nº1/2007

AVISO DO ACERTO DE CONTAS Nº1/2007 AVISO DO ACERTO DE CONTAS Nº1/2007 Fluxos de Informação com o Operador de Mercado Diário e Intradiário 29 de Junho de 2007 Índice 1 INFORMAÇÃO ENVIADA PELO OPERADOR DE MERCADO PARA O ACERTO DE CONTAS...1

Leia mais

Análise e Previsão da Evolução do Custo da Electricidade em Portugal

Análise e Previsão da Evolução do Custo da Electricidade em Portugal Análise e Previsão da Evolução do Custo da Electricidade em Portugal João Tiago Quejas Machado Gil Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Júri Presidente:

Leia mais

Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal. Carlos Almeida Diretor Geral da DGEG

Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal. Carlos Almeida Diretor Geral da DGEG Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal Carlos Almeida Diretor Geral da DGEG Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal Estoril, 3 dezembro 2015 O consumo de energia em

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS

ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303

Leia mais

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E O REINO DE ESPANHA PARA A CONSTITUIÇÃO DE UM MERCADO IBÉRICO DA ENERGIA ELÉCTRICA.

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E O REINO DE ESPANHA PARA A CONSTITUIÇÃO DE UM MERCADO IBÉRICO DA ENERGIA ELÉCTRICA. Resolução da Assembleia da República n.º 33-A/2004 Acordo entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha para a Constituição de Um Mercado Ibérico da Energia Eléctrica, assinado em Lisboa em 20 de Janeiro

Leia mais

Análise de viabilidade de centrais de geração de eletricidade virtuais

Análise de viabilidade de centrais de geração de eletricidade virtuais Análise de viabilidade de centrais de geração de eletricidade virtuais Hugo Filipe Ferreira Patrício Dissertação para a obtenção do Grau de Mestre em Engenharia e Gestão Industrial Júri Presidente: Prof.

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS ENGENHARIA EM MOVIMENTO

CICLO DE CONFERÊNCIAS ENGENHARIA EM MOVIMENTO CICLO DE CONFERÊNCIAS ENGENHARIA EM MOVIMENTO Estratégia para o Crescimento Verde A ELETRICIDADE RENOVÁVEL EM PORTUGAL António Sá da Costa 22 de Janeiro de 2015 ÍNDICE 1. A ENERGIA EM PORTUGAL 2. CONTRIBUIÇÃO

Leia mais

A SITUAÇÃO ENERGÉTICA E O CASO

A SITUAÇÃO ENERGÉTICA E O CASO O FUTURO ENERGÉTICO EM PORTUGAL CIP, AIP, AEP, OE A SITUAÇÃO ENERGÉTICA E O CASO PORTUGUÊS LUÍS MIRA AMARAL Professor do IST 21 de Abril de 2008 1 ÍNDICE I. O 3º CHOQUE PETROLÍFERO FEITO PELO LADO DA PROCURA

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Nos termos regulamentarmente previstos, o Conselho de Administração da ERSE apresenta, a 15 de outubro de cada ano, uma proposta

Leia mais

Análise de Conjuntura

Análise de Conjuntura Análise de Conjuntura Novembro 2006 Associação Industrial Portuguesa Confederação Empresarial Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico de Outubro de 2006 apresenta uma melhoria

Leia mais

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL CONTRIBUTO PARA DISCUSSÃO 31 de Março de 2011 O presente documento resume as principais conclusões do Estudo O Sector Eléctrico em Portugal Continental elaborado

Leia mais

Alternativas eficientes de atração e proteção de investimentos

Alternativas eficientes de atração e proteção de investimentos Alternativas eficientes de atração e proteção de investimentos Bolsa de Mercadorias & Futuros Félix Schouchana São Paulo 5 de Outubro de 2007 Comercialização de energia elétrica não é oportunismo de curto

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais