CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO"

Transcrição

1 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO 1

2 2 1 SOFTWARE LIVRE CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO Software livre é definido como sendo qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído sem restrições. Trata se de uma alternativa aos softwares restritivos (Software proprietário). Não se pode dizer que é software gratuito, pois, em alguns casos, o utiilizador precisará pagar por uma licença de utilização do software. Ser livre não significa ser gratuito. Um software, para ser livre, deve atender à 4 liberdades: A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. Permite que qualquer tipo de pessoa física ou jurídica utilize o programa em quantas máquinas quiser, em qualquer tipo de sistema computacional, para qualquer tipo de trabalho ou atividade, sem nenhuma restrição; A liberdade de estudar como o programa funciona (O acesso ao código fonte é um pré requisito para esta liberdade); A liberdade de redistribuir, inclusive vender, cópias de modo a beneficiar o seu próximo; A liberdade de modificar o programa, e liberar as modificações, de modo que toda a comunidade se beneficie. (O acesso ao código fonte é um pré requisito para esta liberdade). Para que seja possível estudar ou modificar o software (para uso particular ou para distribuir) é necessário ter acesso ao código-fonte, por isso, a disponibilidade desses arquivos é pré-requisito para a liberdade do software. Para que essas liberdades sejam reais, elas devem ser irrevogáveis. Caso o desenvolvedor do software tenha o poder de revogar a licença, o software não é livre. O que é Copyleft? Licenças como a GPL contêm um conceito adicional, conhecido como Copyleft, que se baseia na propagação dos direitos. Um software livre sem copyleft pode ser tornado não livre por um usuário, caso seja de sua vontade. Estando protegido por copyleft, se distribuído, deverá ser sob a mesma licença, ou seja, repassando os direitos. Associando os conceitos de copyleft e software livre, programas e serviços derivados de um código livre devem obrigatoriamente permanecer com uma licença livre. O usuário, porém, permanece com a possibilidade de não distribuir o programa e manter as modificações ou serviços utilizados para si próprio. Software livre pode ser vendido? Claro que sim. Como já foi dito anteriormente, software livre não quer dizer gratuito, portanto, pode ser vendido sim, porém, a maioria dos softwares livres são distribuídos gratuitamente. Normalmente, quando se paga por um software livre, tem se direito a suporte técnico, manuais e alguns outros benefícios. 2 SISTEMA OPERACIONAL LINUX Tudo começou quando Richard Stallman decidiu criar um sistema operacional totalmente compatível com Unix (outro sistema operacional), mas que não usasse o código fonte desse último. O nome inicial desse software seria GNU, que além de homenagear um mamífero chamanado Gnou, é um acrônimo recursivo para a expressão (GNU IS NOT UNIX).

3 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO Usando esse software, qualquer pessoa poderia usar, modificar e redistribuir esse software e seu código fonte, desde que garantido para todos o mesmo direito. Em 1984, Stallman e mais um grupo de programadores iniciaram o desenvolvimento das peças do sistema operacional e em 1991, o mesmo já se encontrava em estágio avançado de desenvolvimento, mas ainda faltava o item mais importante do sistema operacional: o kernel, também definido como sendo o núcleo do sistema operacional Kernel é o item mais importante do sistema operacional. Gerencia todo o hardware do computador e serve de base sobre a qual rodam os outros softwares. Na verdade, a equipe de Stallman já havia desenvolvido um kernel chamado Hurd, mas um jovem finlandês chamado Linus Torvalds apresentou seu Kernel e ele funcionava com todas as peças do sistema operacional GNU. Esse Kernel ficou conhecido como Linux, contração dos termos Linus e Unix. Então, a fusão do Kernel Linux com o sistema operacional GNU, originou o sistema operacional GNU LINUX (que muitas vezes é referenciado como LINUX somente), um sistema operacional amado por uns, odiado por outros e que tem suas vantagens e desvantagens. Linux é mais seguro do que Windows? Não se pode negar que o sistema operacional Linux é mais seguro do que o Windows. Um dos motivos da maior segurança do Linux em relação ao Windows, é que o Windows possui um número de utilizadores muito superior ao que possui o LINUX e consequentemente, um número de vírus e ameaças também muito maior. Quando um sistema se torna muito utilizado, Crackers não poupam esforços para desenvolver programas que exploram suas vulnerabilidades e por isso, dizemos que o LINUX é mais seguro do que o Windows. Caso o LINUX ultrapasse o Windows em número de utilizadores, logo estarão falando que o Windows é mais seguro do que o LINUX. Outro fator que aumenta a segurança do LINUX é que, como é um software livre, existem milhares de empresas e programadores individuais que o desenvolvem e, portanto, qualquer falha é detectada e corrigida levando muito menos tempo do que no Windows, que é um sistema desenvolvido por uma só empresa, a Microsoft. Porque o Windows é mais utilizado do que o Linux? O Windows é um ótimo sistema operacional, mas que as vezes peca por suas instabilidades e vulnerabilidades. Mesmo assim, é o sistema operacional mais utilizado no mundo. Essa maior popularidade do Windows em relação ao Linux, se deve à um conjunto de fatores. Alguns desses fatores estão listados logo abaixo: O Windows teve sua primeira versão lançada em 1985 (Windows 1.0), enquanto que o Linux foi lançado somente por volta de 1991; O Windows possui uma GUI (Interface gráfica do usuário) muito amigável e intuitiva, enquanto que no Linux, a princípio, não existia interface gráfica, ou seja, todos as tarefas à serem realizadas deveriam ser comandadas através do teclado, e isso fez com que o Linux fosse alvo de um certo preconceito por parte dos usuários que não eram experts em informática; Os principais softwares comerciais do mercado eram criados para funcionar em Windows e não em Linux. Até hoje, temos softwares que podem ser executados em Windows, mas que não funcionam em Linux, embora já tenhamos diversos casos de softwares que possuem versões para os dois sistemas operacionais; Alguns fabricantes de Hardware desenvolvem seus drivers somente para sistema operacional Windows, o que impede que aquele hardware seja utilizado em Linux e isso, faz com que muitos usuários optem pelo Windows. 3

4 4 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO Algumas características do Linux Possui Kernel modular, ou seja, todo o Kernel, incluindo os drivers de dispositivos e outros componentes, ainda formam um único bloco de código gigantesco, mas podem ser compilados separadamente na forma de módulos. O Linux é um sistema Case sensitive, ou seja, sabe diferenciar letras maiúsculas de minúsculas. Isso aumenta muito as possibilidades quando se deve nomear um arquivo; Não é preciso ser reinicializado após instalação de hardware ou software; O Linux é um sistema multiusuário, ou seja, permite que diversos usuários se conectem ao mesmo computador e realizem suas tarefas. É também um sistema multitarefa que permite que diversas tarefas sejam executadas simultaneamente. Distribuições Linux O Linux possui diversas distribuições, que podem ser entendidas como versões desse Sistema Operacional. Cada versão apresenta uma coleção de aplicativos e também pode apresentar modificações em seu código fonte. É interessante escolher uma versão mais estável e recente, pois sendo recente, será possível encontrar diversas correções para os falhas encontradas no Sistema. Algumas das distribuições mais conhecidas e citadas em provas de concursos públicos são: MANDRIVA MANDRAKE CONECTIVA DEBIAN FEDORA KURUMIN RED HAT SLACKWARE SUSE UBUNTU Algumas distribuições Linux não precisam ser instaladas para que funcionem em um computador. Algumas versões do Linux são LIVE CD, ou seja, são carregadas diretamente do CD e funcionam como se estivessem instaladas no computador. Interface gráfica do Linux No Windows, a Interface gráfica se confunde com o restante do sistema. O usuário não tem outra escolha senão utilizar e se habituar com a interface gráfica do sistema. O Linux, nas primeiras distribuições, não possuía uma interface gráfica, mas hoje possui várias opções. Isso acontece porque no Linux, o conceito de interface gráfica é um pouco diferente. Existe um elemento chamado X.org, também conhecido simplesmente por X, que é responsável pela infra estrutura básica. Sua responsabilidade é se comunicar com a placa de vídeo, montar as imagens que serão mostradas no monitor e fornecer recursos de que os programas precisam. Podemos dizer que o X é invisível, assim como o Kernel. O que o usuário vê não é o X e sim um gerenciador de janelas, que nada mais é do que um programa que monta as janelas e menus exibidos na tela. Existem diversos gerenciadores de janela no mercado. Basta que o usuário escolha e instale o que mais lhe agrada, uma vez que sua função será apenas exibir as imagens geradas pelo X. Os mais conhecidos gerenciadores do mercado são: KDE, Gnome, WindowMaker, XFCE, OpenBox, FluxBox, BlackBox. Esses gerenciadores serão responsáveis pelo Layout do Linux. Os usuários no Linux O Linux possui dois tipos de conta. Uma delas é o famoso super usuário, chamado de Root e o outro é o usuário restrito. Assim como em qualquer outro sistema operacional, o root pode ser entendido como o administrador do sistema. Tem privilégios de acesso à qualquer arquivo e pasta e pode realizar qualquer modificação no sistema. Já o usuário restrito tem acesso aos arquivos armazenados em sua pasta /home e outros que o usuário root alterar as permissões manualmente.

5 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO Todos os programas que rodam em Linux salvam seus arquivos em pastas ocultas dentro do diretório /home de cada usuário e isso faz com que cada usuário tenha seus programas personalizados de acordo com as suas preferências. Alguns programas e configurações só podem ser acessadas pelo superusuário root. Mesmo que uma pessoa esteja logada como usuário restrito, ela pode executar comandos e abrir programas como se fosse o administrador do sistema, bastando apenas que ela digite o comando su e forneça a senha do administrador (root). Um ponto interessante a se obervar são os símbolos $ e # : quando o símbolo $ for exibido, indica que o sistema está sendo executado por um usuário restrito. Já a presença do símbolo # indica a execução do sistema por um superusuário (Root). Sistemas de arquivos O Linux, a princípio trabalhava com dois sistemas de arquivos: Minix e EXT. Esses sistemas de arquivos possuiam limitações quanto ao tamanho máximo das partições e também ao desemprenho do computador e por isso, foram substituídos pelo EXT2, que é usado até hoje. EXT2: Trata se de um sistema de arquivos que pode ser comparado ao FAT32 do Windows. Assim como em seu semelhante, os arquivos são organizados de forma simples, com o HD dividido em vários clusters, que no Ext2 são conhecidos como Blocos, onde cada bloco armazena arquivo ou fragmento de arquivo. A vantagem de se utilizar Ext2 é a sua simplicidade e a desvantagem, é que assim como no Fat32, é muito comum que os arquivos do usuário sejam perdidos na ocorrência de um desligamento incorreto. Existe um utilitário chamado fsck que, assim como o Scandisk do Windows, vasculha todos os arquivos da partição de forma a detectar e corrigir erros. Surgem dois problemas quando se usa o fsck: O teste é lento demais, levando muito tempo para ser concluído; Corrige apenas os erros mais simples. Quando o erro é mais grave, levará o usuário à um prompt de recuperação, onde o usuário precisará conhecer os comandos para que os arquivos possam ser reparados manualmente. EXT3: Esse sistema de arquivos é uma evolução do EXT2. Possui um sistema Journaling que consiste numa espécie de log que armazena todas as configurações que foram feitas em cima de um arquivo e quando elas foram concluídas. Caso o micro seja desligado de forma incorreta, o fsck consulta o journal para corrigir os erros, excluindo a necessidade de se executar o teste completo. O problema é que o journal é um arquivo como outro qualquer, e que também pode ser perdido caso haja um desligamento incorreto. Se isso ocorrer, um teste completo deverá ser realizado e novamente caímos no problema do tempo excessivo que o teste leva para ser concluído. Existe também um terceiro problema, que é o fato de o Journal necessitar ser atualizado constantemente, o que reduz a velocidade de leitura e gravação em até 30% em relação ao EXT2. REISERFS: Esse sistema de arquivos está para o EXT2 e EXT3 assim como o NTFS está para o FAT. É um sistema de arquivos muito mais robusto e estável, onde a perda de dados é um fato muito raro. É mais moderno e inclui muitos recursos de proteção dos dados e do próprio sistema de arquivos no caso de desligamento incorreto. Uma outra característica do REISERFS é aproveitar melhor o espaço do disco, agrupando arquivos pequenos de forma que eles sejam gravados de forma contínua no disco. Por todos esses motivos, é o sistema de arquivos mais indicado atualmente. 5

6 6 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO ESTRUTURA DE DIRETÓRIOS DO LINUX Uma das principais diferenças do Linux em relação ao Windows é sua estrutura de pastas. O diretório raiz está tomado pelas pastas do sistema e espera se que o usuário armazene seus arquivos dentro da sua pasta que se encontra no diretório /home. Uma outra diferença é que discos e partições não aparecem como unidades e sim como itens do grande diretório, chamado diretório Raiz ou simplesmente /. Dentro do diretório / encontramos todos os arquivos, partições e também CD ROM, Disquete, etc. Conheça algumas das pastas encontradas no diretório raiz do Linux: /bin: armazena os executáveis de alguns comandos básicos do sistema, como su, tar, cat, rm, pwd, etc. /usr: é o diretório que possui mais arquivos em qualquer distribuição Linux. Armazena todos os executáveis e bibliotecas dos principais softwares instalados. /usr/bin: armazena programas e atalhos para programas. Caso seja necessário localizar o executável de um programa instalado no computador, certamente essa busca deverá ser iniciada no diretório /usr/bin. /usr/lib: é outro diretório bastante populado no Linux. Armazena as bibliotecas dos principais programas instalados. Bibliotecas tem funções parecidas com as dos arquivos.dll do Windows. As biblitecas com extensão.a são chamadas de estáticas e fazem parte de um programa específico, enquanto que as terminadas em.so.versão (xxx.so.1, por exemplo) são compartilhadas, ou seja, usadas por vários programas.

7 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO /boot: como é de se esperar, armazena o kernel e os arquivos de inicialização do sistema. Esses arquivos são usados por um programa chamado lilo, que é o gerenciador de boot do Linux /dev: não armazena arquivos salvos no disco rígido, mas sim ponteiros para acessar algum dispositivo de hardware. Temos por exemplo, o arquivo dev/dsp que contém informações que serão reproduzidas pela placa de som, ou ainda o dev/mouse, que contém informações enviadas pelo mouse. /etc: contém arquivos de configuração do sistema, substituindo, de certa forma, o registro do Windows. O usuário pode editar as configurações do sistema manualmente através desse diretório, embora o Linux tenha vários utilitários de configuração do sistema. /home: Diretório contendo os arquivos dos usuários. Cada usuário tem um sub diretório dentro deste diretório. /lib: Arquivos essenciais para o funcionamento do Linux e também para os módulos do kernel. /mnt: Ponto de montagem temporário. /proc: Sistema de arquivos do kernel. /root: É um diretório HOME do superusuário (administrador root). Embora não seja o recomendado, o usuário pode criar pastas no diretório raiz e salvar seus arquivos nessas novas pastas 7 ALGUNS PROGRAMAS PRESENTES NAS DISTRIBUIÇÕES LINUX Cedega, Wine e VMware Há algum tempo atrás, não existia compatibilidade alguma entre Linux e Windows, ou seja, programas que eram desenvolvidos para Windows não podiam ser executados em Linux. Hoje em dia, a realidade é outra, pois já existem programas que permitem simular um ambiente Windows mesmo quando o sistema operacional em uso é o Linux e com isso, programas que foram feitos para o ambiente Windows, podem ser executados em distribuições Linux. Como exemplos desses simuladores podemos citar o Cedega, o Wine e também o VMware. Konqueror É um navegador contido no gerenciador de janelas KDE. É super versátil e rápido e também funciona como um excelente gerenciador d arquivos, podendo ser comparado ao Windows Explorer.

8 8 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO Gaim, Kopete, Sim, Amsn e Skype Esses são mensageiros instantâneos presentes em algumas distribuições linux. Kaffeine, Xine, gxine, Toten, RealPlayer Trata se de softwares que executam arquivos de vídeo no Linux. OpenOffice, BrOffice, Koffice, Abiword, Vi e Gnumeric Trata se de suites de aplicativos de escritório (textos, planilhas eletrônicos, apresentações, etc). Os aplicativos Abiword e Vi não são suítes de aplicativos e sim editores de textos, da mesma forma que Gnumeric é uma planilha eletrônica.

9 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO XMMS e Amarok Programas próprios para execuão de arquivos de áudio. 9 Gimp, Inkscape, Sodipodi, Karbon14 OpenOffice Draw São programas para edição de imagens e desenhos vetoriais. Mozilla Thunderbird, Evolution e Kmail São softwares clients de e mail. COMANDOS BÁSICOS DO LINUX $ ls Lista arquivos e diretórios; $ clear Limpa a tela do prompt; $ pwd Exibe o nome e caminho do diretório atual; $ cd Entra em um diretório; $ mkdir Cria um diretório no sistema; $ rmdir Remove um diretório vazio do sistema $ cat Mostra o conteúdo de um arquivo de texto; $ cp Copia arquivos; $ rm Apaga arquivos ou diretórios; $ mv Move ou renomeia arquivos ou diretórios; $ df Exibe informações sobre as partições do sistema; $ du Exibe espaço ocupado por arquivos e sub diretórios no diretório atual; $ find Procura por arquivos ou diretórios no disco; $ free Mostra detalhes da Memória RAM do sistema; $grep Procura por um texto dentro de um arquivo; $ head Mostra as linhas iniciais de um arquivo de texto; $ tail Mostra as linhas finais de um arquivo de texto; $ more É usado para leitura de arquivos que ocupam mais de uma tela; $ Locate Localiza rapidamente arquivos pelo nome; $ Time Mostra o tempo gasto para executar um processo; $ Su Permite executar comandos como outro usuário, sem ter que fazer logoff; $ Sudo Variação do comando Su; $ Reboot Reinicia o computador; $ ps Lista os processos em execução; $ Kill Encerra processos em execução;

10 10 CURSO MAURÍCIO TRIGUEIRO - PROF: PABLO LEONARDO $ w Lista os usuários logados no sistema; $ Who Lista os usuários logados no sistema; $ Finger Exibe dados de um determinado usuário; $ Manual Acessa o manual de cada comando; $ Stat Exibe informações detalhadas de um arquivo ou diretório $ Vi Abre o editor de textos # Shutdown h now Desliga o computador # Shutdown r now Reinicia o computador # hostname Muda o nome do computador; # chmod Muda as permissões de acesso de arquivos e diretórios # chgrp Muda o grupo de um arquivo ou diretório; # chown Muda o dono do arquivo ou diretório # adduser Adiciona um usuário ao sistema; # passwd Altera a senha do usuário; # userdel Exclui um usuário do sistema; # cal Mostra o calendário; # Nice Altera prioridade das operações 01) Com relação ao Linux, observe as afirmativas a seguir. I - Desenvolve seus drivers de forma livre e com código fonte (compiláveis) via engenharia reversa ou com base nas informações que são disponibilizadas por fabricantes que apóiam o software livre. II - Possui interface gráfica intuitiva, que, bem configurada e rodando sobre hardware compatível, fornece usabilidade equivalente para a grande maioria das atividades de informática atuais. III- Muito usado em desktops, exige mais reboots e reformatações, devido a instalação de novos programas e à instabilidade do sistema em relação à propagação de vírus oriundos de periféricos removíveis. É(são) correto(s) apenas a(s) afirmativa(s) a) I b) II c) III d) I e II e) II e III EXERCÍCIOS 02) Em um sistema operacional Linux, o comando a) mv serve para copiar um arquivo. b) Who serve para verificar todos os administradores cadastrados no sistema. c) echo serve para exibir a diferença entre dois ou mais arquivos. d) vi serve para iniciar o editor de texto. e) mkdir serve para lista um diretório. 03) Em um sistema operacional Linux, o comando a) kill serve para reinicializar o sistema. b) ls serve para serve para mover um arquivo. c) man serve para obter documentação on-line. d) clear serve para limpar a memória do computador. e) pwd serve para alterar a senha (password) do usuário. 04) O sistema operacional Linux não é a) capaz de dar suporte a diversos tipos de sistema de arquivos. b) um sistema monousuário. c) um sistema multitarefa. d) capaz de ser compilado de acordo com a necessidade do usuário. e) capaz de suportar diversos módulos de dispositivos externos.

Informática. Linux. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Linux. Professor Márcio Hunecke. Informática Linux Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática O SISTEMA OPERACIONAL GNU/LINUX Características Gerais O Linux surgiu por meio do Projeto GNU (GNU s Not Unix) e é

Leia mais

SISTEMAS DE ARQUIVOS E DIRETÓRIOS DO LINUX. Prof. Gleison Batista de Sousa

SISTEMAS DE ARQUIVOS E DIRETÓRIOS DO LINUX. Prof. Gleison Batista de Sousa SISTEMAS DE ARQUIVOS E DIRETÓRIOS DO LINUX Prof. Gleison Batista de Sousa Sistema de Arquivo É o método e a estrutura de dados que um sistema operacional utiliza para administrar arquivos em um disco ou

Leia mais

Minicurso Básico de Linux

Minicurso Básico de Linux Minicurso Básico de Linux PET Computação 15 de março de 2017 GNU/Linux (a) Linux (b) GNU Linux: Kernel GNU/Linux: Sistema Operacional Distro (c) Arch (d) Debian (e) Fedora (f) Gentoo (g) Manjaro (h) opensuse

Leia mais

LINUX. Uma visão geral

LINUX. Uma visão geral LINUX Uma visão geral O QUE É? Sistema Operacional Código aberto Criado por Linus Torvalds em 1991 Estudante de computação, 20 anos Linguagem C Variação do Minix Criado por Andrew S. Tanenbaum em 1987

Leia mais

Aula de Linux Modo Texto

Aula de Linux Modo Texto Aula de Linux Modo Texto Prompt usuario@maquina:/caminho # $ - indica usuario que está logado com usuário comum # - indica que está logado com o usuário root (Administrador do Sistema) ~ - indica o diretório

Leia mais

Histórico e conceitos básicos. GSO I Gestão de Sistemas Operacionais

Histórico e conceitos básicos. GSO I Gestão de Sistemas Operacionais Histórico e conceitos básicos GSO I Gestão de Sistemas Operacionais História do Linux Em 1991, Linus Benedict Torvalds, um estudante Filandês, pela necessidade de estudar melhor sistemas operacionais desenvolve

Leia mais

CESPE/UNB ANÁLISE DE LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA MPS 2010 1) Em um computador em que se use o sistema operacional Linux, os arquivos referentes ao monitor, ao disco rígido, às unidades de CD, à porta de

Leia mais

b. Causa parada do processo c. Reinicia um processo parado d. O processo é enviado para primeiro plano e. O processo é enviado para segundo plano 5)

b. Causa parada do processo c. Reinicia um processo parado d. O processo é enviado para primeiro plano e. O processo é enviado para segundo plano 5) SENAC Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Unidade Curricular Administração de Sistemas Operacionais Não Proprietários Professor Eduardo Maroñas Monks Nome do Aluno: GABARITO Data: 06/05/2011

Leia mais

1.1-Digitar o comando abaixo para entrar no manual on-line do sistema para buscar informações sobre o comando pwd. man pwd

1.1-Digitar o comando abaixo para entrar no manual on-line do sistema para buscar informações sobre o comando pwd. man pwd Universidade Federal do ABC Disciplina: Software LIvre Prática: Ambiente Linux Laboratório Conteúdo Objetivo...1 1. Comandos de Ajuda...1 2. Comandos de Navegação...2 3. Comandos de Localização de Arquivo...2

Leia mais

Programação Aplicada a Redes de Computadores Shell Script

Programação Aplicada a Redes de Computadores Shell Script Programação Aplicada a Res Computadores Shell Script Faculdas IESGO 2º Sem 2016 Definições Software Livre (Free Software) Conceito que prevê que todo software será distribuído com seu código-fonte, pondo

Leia mais

Informática. Windows 7 e Linux. Professor Marcelo Leal.

Informática. Windows 7 e Linux. Professor Marcelo Leal. Informática Windows 7 e Linux Professor Marcelo Leal www.acasadoconcurseiro.com.br Informática SISTEMAS OPERACIONAIS É o Software responsável por manter o computador em funcionamento. Não é possível um

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS UNIX Aula Prática 01 Sistemas Operacionais Gil Eduardo de Andrade

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS UNIX Aula Prática 01 Sistemas Operacionais Gil Eduardo de Andrade ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS UNIX Aula Prática 01 Sistemas Operacionais Gil Eduardo de Andrade Introdução Os sistemas UNIX/Linux são caracterizados por serem: Interativo usuário requisita os comandos e obtém

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 160 aprovado pela portaria Cetec nº 138 de 04 / 10 /2012 Etec Professora Ermelinda Giannini Teixeira Código: 187 Município: Santana de Parnaíba

Leia mais

M4 SO Open Source LINUX. Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos

M4 SO Open Source LINUX. Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos M4 SO Open Source LINUX SO Open Source O sistema operativo é um programa (software) que: controla a atividade do processador (CPU); gere as memórias; assegura a interação com os periféricos. Responsável

Leia mais

SHELL. Alberto Felipe Friderichs Barros

SHELL. Alberto Felipe Friderichs Barros SHELL Alberto Felipe Friderichs Barros Introdução Os três componentes principais de um sistema operacional são o kernel, o shell e o sistema de arquivos. Shell A tradução de Shell para português neste

Leia mais

Linux - comando essenciais

Linux - comando essenciais Linux - comando essenciais João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 1 / 22 http://wiki.ubuntu-br.org/comandosbasicos http://www.uniriotec.br/ morganna/guia/introd guia.html Um guia de referência rápida em

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação

Tecnologias da Informação e Comunicação Tecnologias da Informação e Comunicação A1 - LINUX O sistema operativo Linux O sistema operativo é um programa (software) que: controla a atividade do processador (CPU); gere as memórias; assegura a interação

Leia mais

Administração de sistemas Linux. Manipulação do sistemas de arquivos

Administração de sistemas Linux. Manipulação do sistemas de arquivos Administração de sistemas Linux Manipulação do sistemas de arquivos Antes de instalar qualquer sistema operacional, é necessário particionar o HD, criando as partições de instalação. Devido a uma limitação

Leia mais

AULA 3. Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki. PET Computação UFRGS

AULA 3. Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki. PET Computação UFRGS M i n i - C u r s o d e I n t r o d u ç ã o a o G N U / L i n u x AULA 3 Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki PET Computação UFRGS Setembro 2009 L i n h a d e C o m a n d o I Terminal (Shell)

Leia mais

LINUX -- Usando o Terminal -- Flávia Maristela

LINUX -- Usando o Terminal -- Flávia Maristela LINUX -- Usando o Terminal -- Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) Na aula passada... Particionamento de Disco Sistema de Arquivos Estrutura de Diretórios ( básicos Terminal (comandos Manipulação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Shell Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br 1 Interpretador de comandos Interpreta as instruções enviadas pelo usuário e seus programas ao sistema operacional (kernel) Executa

Leia mais

Aula 01 Introdução ao S.O. Linux

Aula 01 Introdução ao S.O. Linux Prof. Diego Pereira Gerência e Configuração de Serviços para Internet Aula 01 Introdução ao S.O. Linux Objetivos Conhecer a história do sistema operacional Linux; Ver a importância

Leia mais

IFSC - SJ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES DISCIPLINA: MAN / SOP

IFSC - SJ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES DISCIPLINA: MAN / SOP IFSC - SJ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES DISCIPLINA: MAN / SOP Conceitos relativos a um Sistema Operacional Sistema Operacional O Sistema Operacional é um programa especial que gerencia todos os recursos

Leia mais

Instalação e Configuração de Servidores Linux Server. Prof. Alex Furtunato

Instalação e Configuração de Servidores Linux Server. Prof. Alex Furtunato Instalação e Configuração de Servidores Linux Server Prof. Alex Furtunato alex.furtunato@academico.ifrn.edu.br Roteiro Definições Histórico Características Principais Distribuições Shell Partições Sistemas

Leia mais

Usando o terminal -- Linux -- Flávia Maristela

Usando o terminal -- Linux -- Flávia Maristela Usando o terminal -- Linux -- Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) Os comandos que já vimos man info cal date uname clear nano pico clear exit pwd ls cd locate mkdir rmdir cp mv rm cat tree file

Leia mais

Sistema Operacional. O S.O. é o programa mais importante do computador. - Realizar a interação entre o usuário, o hardware e o firmware -(BIOS)

Sistema Operacional. O S.O. é o programa mais importante do computador. - Realizar a interação entre o usuário, o hardware e o firmware -(BIOS) O S.O. é o programa mais importante do computador. É um controlador intermediário que fica entre os softwares da categoria dos aplicativos e o hardware. Ele é o tradutor / intérprete das nossas interações

Leia mais

Comandos.::. Aplicativos > Sistema > Acessar Console

Comandos.::. Aplicativos > Sistema > Acessar Console Comandos Aplicativos > Sistema > Acessar Console jonilso 30 de outubro de 2012 Comandos Iniciais whoami Comandos Iniciais whoami Exibe o login do usuário que executou o comando. Comandos Iniciais whoami

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação ICC0001 Prof. Diego Buchinger

Introdução à Ciência da Computação ICC0001 Prof. Diego Buchinger Sistemas Operacionais Introdução à Ciência da Computação ICC0001 Prof. Diego Buchinger Inicializando o Sistema BIOS verifica os componentes instalados (RAM, teclado etc.) e verifica se dispositivos estão

Leia mais

Introdução ao Linux. Thiago Yukio Kikuchi Oliveira

Introdução ao Linux. Thiago Yukio Kikuchi Oliveira Introdução ao Linux Thiago Yukio Kikuchi Oliveira stratus@lgmb.fmrp.usp.br O que é Linux??? Definição: Linux é um sistema operacional criado em 1991 por Linus Torvalds na universidade de Helsinki na Finlândia.

Leia mais

Sistema Operacionais II. Aula: Linux Desktop

Sistema Operacionais II. Aula: Linux Desktop Sistema Operacionais II Aula: Linux Desktop Objetivos Instalar e utilizar o Ubuntu Desktop 13.10; Utilizar o Ubuntu Desktop como cliente de uma rede local. Conhecer seu sistema de arquivos e estrutura

Leia mais

LÉO MATOS INFORMÁTICA - SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS

LÉO MATOS INFORMÁTICA - SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS LÉO MATOS INFORMÁTICA - SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 1. CONCEITO É um sistema operacional proprietário do tipo Payware (Comercial) da Empresa Microsoft Corporation. 1.1 CARACTERÍSTICAS a) Multitarefas e

Leia mais

Administração de sistemas Linux. Estrutura de diretórios Linux

Administração de sistemas Linux. Estrutura de diretórios Linux Administração de sistemas Linux Estrutura de diretórios Linux Filesystem Hierarchy Standard (FHS): A norma FHS é um conjunto de requerimentos técnicos que visam estabelecer normas e padrões para a estrutura

Leia mais

Estrutura geral de um computador

Estrutura geral de um computador Estrutura geral de um computador Prof. Marcos V. O. de Assis mvoassis@gmail.com marcos.assis@ufpr.br h

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA O UNIX BÁSICO. 1. Cada um dos usuários possui uma área de trabalho no Unix. Escreva no quadro abaixo o seu username.

EXERCÍCIOS PARA O UNIX BÁSICO. 1. Cada um dos usuários possui uma área de trabalho no Unix. Escreva no quadro abaixo o seu username. EXERCÍCIOS PARA O UNIX BÁSICO 1. Cada um dos usuários possui uma área de trabalho no Unix. Escreva no quadro abaixo o seu username. 2. Este laboratório começa com você entrando em sua área. 3. Tecle a

Leia mais

Turma: SD-R Área: Redes Informáticas Formador: Tomás Lima Mediadora: Maria Eduarda Luz Unidade: UFCD 17 - Linux - Instalação e configuração Curso:

Turma: SD-R Área: Redes Informáticas Formador: Tomás Lima Mediadora: Maria Eduarda Luz Unidade: UFCD 17 - Linux - Instalação e configuração Curso: Turma: SD-R Área: Redes Informáticas Formador: Tomás Lima Mediadora: Maria Eduarda Luz Unidade: UFCD 17 - Linux - Instalação e configuração Curso: Técnico/a de Informática - Instalação e Gestão de Redes.

Leia mais

Instalação e Configuração de Servidores Linux Server Pós-Instalação. Prof. Alex Furtunato

Instalação e Configuração de Servidores Linux Server Pós-Instalação. Prof. Alex Furtunato Instalação e Configuração de Servidores Linux Server Pós-Instalação Prof. Alex Furtunato alex.furtunato@academico.ifrn.edu.br Roteiro Login e logout Desligando o sistema Ambiente Shell Entendendo o ambiente

Leia mais

Sistema Operacionais II. Linux e Software Livre

Sistema Operacionais II. Linux e Software Livre Sistema Operacionais II Linux e Software Livre Objetivos Entender o que é um software livre; Conhecer as licenças livres mais populares; Conhecer basicamente o Linux e suas principais distribuições.. O

Leia mais

Comandos Linux. Instalação e Montagem de Computadores. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos

Comandos Linux. Instalação e Montagem de Computadores. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Prof. Diego Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Instalação e Montagem de Computadores Comandos Linux Objetivos

Leia mais

Preparatório LPIC-1 Tópico 102

Preparatório LPIC-1 Tópico 102 Preparatório LPIC-1 Tópico 102 Professor Leandro Trindade leandro.a.trindade@gmail.com Tópico 102 Visão Geral Instalação do Linux e gerenciamento de pacotes Definir layout do disco rígido Instalação de

Leia mais

ROTEIRO: DUAL BOOT. Conhecer as funcionalidades do software VMware Player implantando dois sistemas operacionais em uma mesma máquina virtual.

ROTEIRO: DUAL BOOT. Conhecer as funcionalidades do software VMware Player implantando dois sistemas operacionais em uma mesma máquina virtual. ROTEIRO: DUAL BOOT IMPLANTANDO OS SISTEMAS OPERACIONAIS LINUX E WINDOWS. OBJETIVO Conhecer as funcionalidades do software VMware Player implantando dois sistemas operacionais em uma mesma máquina virtual.

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais. Prof.: Marlon Marcon

Administração de Sistemas Operacionais. Prof.: Marlon Marcon Administração de Sistemas Operacionais Prof.: Marlon Marcon Iniciando de Encerrando o Sistema Aula 10 Visao Geral Durante a inicialização, um computador carrega inicialmente uma pequena porção de código

Leia mais

Waldemar Dibiazi Junior Engenheiro de Computação Especialista em Banco de Dados

Waldemar Dibiazi Junior Engenheiro de Computação Especialista em Banco de Dados Waldemar Dibiazi Junior Engenheiro de Computação Especialista em Banco de Dados Objetivos da Palestra Entender o que é uma distribuição Linux Visão geral sobre algumas distribuições Linux existentes Evolução

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Redirecionamentos Editor vi

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Redirecionamentos Editor vi Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Redirecionamentos Editor vi 1 Objetivos: 1. Exercitar o uso de redirecionamentos de entrada e saída padrão 2. Usar o editor de texto vi 2 Entrada e saída

Leia mais

Meios de Comunicação de Dados.

Meios de Comunicação de Dados. Meios de Comunicação de Dados www.profjvidal.com Instalação do ELASTIX Configurando a Máquina Virtual Abra o VirtualBox e clique em novo no canto superior esquerdo. Depois selecione conforme na imagem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS EM SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS EM SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS EM SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA AULA 01 APRESENTAÇÃO DO LINUX Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática Roteiro Introdução Linux Históriado Linux

Leia mais

Sistemas de arquivos

Sistemas de arquivos Todos os programas precisam armazenar e recuperar dados. Os processos não podem armazenar grande quantidade de dados no seu espaço de endereçamento. Quando o processo chega ao final os dados no seu espaço

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 1

Sistemas Operacionais Aula 1 Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sistemas Operacionais Aula 1 Igor Augusto de Carvalho Alves Igor.alves@ifrn.edu.br Apodi, Maio de 2012 Sistemas Operacionais Conceitos Programa que realiza

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE E SOFTWARE

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE E SOFTWARE CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE E SOFTWARE Conceitos Básicos A Informática é a informação automática, ou seja, é a utilização de algumas técnicas para o tratamento de informações por meio de um computador.

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 8.1 Comandos de Hardware. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 8.1 Comandos de Hardware. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 8.1 Comandos de Hardware Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 COMANDOS DE HARDWARE... 3 uname... 3... 3 free... 3... 3 vmstat... 4 df... 4... 4 uptime... 4 lsusb...

Leia mais

Criar uma máquina virtual para o Red Hat Enterprise Linux 6 no VirtualBox

Criar uma máquina virtual para o Red Hat Enterprise Linux 6 no VirtualBox Criar uma máquina virtual para o Red Hat Enterprise Linux 6 no VirtualBox Na tela inicial, clique em Novo : Escolha um nome para a máquina virtual, selecione o tipo Linux e a versão Red Hat (64 bit) :

Leia mais

Administração de Redes Linux

Administração de Redes Linux Administração de Redes Linux Alberto Felipe Friderichs Barros alberto.barros@ifsc.edu.br Users As contas de usuário são projetados para fornecer segurança no sistema operacional Linux. Cada pessoa no sistema

Leia mais

Informática para Concursos

Informática para Concursos Informática para Concursos Professor: Thiago Waltz Linux a) Histórico: UNIX: Unix é um sistema operativo (ou sistema operacional) portátil(ou portável), multitarefa e multiutilizador (ou multiusuário)

Leia mais

Laboratório de Informática III. Sistema Operativo Linux

Laboratório de Informática III. Sistema Operativo Linux Laboratório de Informática III Sistema Operativo Linux INTRODUÇÃO O Linux éum sistema operativo que foi criado em 1991 por Linus Torvalds na Universidade de Helsinki na Finlândia. Éum sistema Operativo

Leia mais

Antes de Começarmos...

Antes de Começarmos... Introdução ao Linux Antes de Começarmos... Algumas dicas pra aprender Linux: Leia sempre!; Seja paciente!; Tenha interesse!; Não decore! Entenda!; Seja curioso!; Não desanime!; E Finalmente, saiba: Ninguém

Leia mais

Executar uma macro clicando em um botão da Barra de Ferramentas de Acesso Rápido

Executar uma macro clicando em um botão da Barra de Ferramentas de Acesso Rápido Página 1 de 8 Excel > Macros Executar uma macro Mostrar tudo Há várias maneiras de executar uma macro no Microsoft Excel. Macro é uma ação ou um conjunto de ações que você pode usar para automatizar tarefas.

Leia mais

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática Exercício 1: Correspondência Relacione os termos da tabela 1 abaixo com as definições da tabela 2. Para facilitar, os termos da tabela 1 estão colocados

Leia mais

Sistemas Operacionais. Linux Básico

Sistemas Operacionais. Linux Básico Sistemas Operacionais Linux Básico Principais Distribuições As principais distribuições Linux são: Debian, Ubuntu, Mint, Red Hat, Fedora, OpenSuse, Mandriva e Slackware. Estrutura de Diretórios / Diretório

Leia mais

AULA 4. Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki. PET Computação UFRGS

AULA 4. Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki. PET Computação UFRGS M i n i - C u r s o d e I n t r o d u ç ã o a o G N U / L i n u x AULA 4 Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki PET Computação UFRGS Setembro 2009 L i n h a d e C o m a n d o I I Tipos de execução

Leia mais

Organização e Planejamento didáticopedagógico da disciplina. Elaboração dos

Organização e Planejamento didáticopedagógico da disciplina. Elaboração dos Ano Letivo: 2011 Curso: AS Série: 3 Disciplina: AS300310 Carga Anual: 132 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Ementa: Conceitos básicos de sistemas distribuídos, arquiteturas de núcleo monolítico

Leia mais

BCC201 Introdução à Programação. Prof. Saul Delabrida 2013/2

BCC201 Introdução à Programação. Prof. Saul Delabrida 2013/2 BCC201 Introdução à Programação Prof. Saul Delabrida 2013/2 Como um programa é criado? Compilação por linha de comando Introdução à linguagem C 2 Como um programa é criado? 3 Quando queremos digitar um

Leia mais

Introdução ao Linux Prof. Pedro Filho

Introdução ao Linux Prof. Pedro Filho Introdução ao Linux Prof. Pedro Filho Objetivo O objetivo deste curso é lhe fazer familiar com o sistema operacional Linux. Iniciaremos com os fundamentos do Linux como ele surgiu e seu criador, e depois

Leia mais

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Curso de extensão da Faculdade Ruy Barbosa Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Dedicasse especial a Rogério Bastos e ao GRACO (Gestores da Rede Acadêmica de Computação) do DCC UFBA Paul Regnier

Leia mais

INFORMÁTICA CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE. Prof. MSc. Glécio Rodrigues de Albuquerque

INFORMÁTICA CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE. Prof. MSc. Glécio Rodrigues de Albuquerque INFORMÁTICA CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE de Albuquerque Ementa Conceitos de Hardware e Software Dispositivos de Entrada e Saída Processadores e Memórias Componentes das janelas Paint e WordPad Arquivos

Leia mais

Introdução à Informática Aulas 27 e 28

Introdução à Informática Aulas 27 e 28 FAPAN SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Introdução à Informática Aulas 27 e 28 Prof. Roberto Tikao Tsukamoto Júnior Cáceres, 18 de abril de 2011. REVISÃO Conversão Decimal para Binário Exemplo 1: número 107

Leia mais

Planeamento de Unidade Linux no programa de TIC do 9º e 10º ano

Planeamento de Unidade Linux no programa de TIC do 9º e 10º ano Planeamento de Unidade Linux no programa de do 9º e 10º ano Tecnologias da Informação e Comunicação Versão Date: Pages: Issue: State: Access: Reference: 23/9/2004 14 Draft Public i Approved Version: RR

Leia mais

KERNEL LINUX. Por Jussara Reis

KERNEL LINUX. Por Jussara Reis KERNEL LINUX Por Jussara Reis KERNEL O kernel do Linux foi idealizado pelo estudante de ciência da computação finlandês Linus Benedict Torvalds da Universidade de Helsinque na Finlândia, em 1991. Torvalds

Leia mais

SOFTWARE. Disciplina: Informática Professor: Gustavo Sabry

SOFTWARE. Disciplina: Informática Professor: Gustavo Sabry SOFTWARE Disciplina: Informática Professor: Gustavo Sabry MARÇO/2016 O QUE É SOFTWARE? É a parte lógica de um computador; Ou seja, nada mais é que todo e qualquer programa utilizado pelos usuários; Gerado

Leia mais

Particionando discos Rígidos.

Particionando discos Rígidos. Particionando discos Rígidos. OBJETIVOS: PREPARAÇÃO DO HD PARA INSTALAÇÃO DO WINDOWS 98 PARTICIONAMENTO FORMATAÇÃO BOOT INSTALAÇÃO LÓGICA DO DISCO RÍGIDO PARTICIONAMENTO FDISK FORMATAÇÃO LÓGICA FORMAT

Leia mais

Manual de Instalação LINUX EDUCACIONAL versão 4.0

Manual de Instalação LINUX EDUCACIONAL versão 4.0 Manual de Instalação LINUX EDUCACIONAL versão 4.0 12 de maio de 2011 O ambiente Linux Educacional O LE 4.0 foi projetado para oferecer aos seus usuários um Ambiente agradável e de fácil utilização. Com

Leia mais

Nesse guia, estão relacionados os principais comandos para manipulação de arquivos e diretórios, que são mais comumente usados no dia-a-dia de um pwd

Nesse guia, estão relacionados os principais comandos para manipulação de arquivos e diretórios, que são mais comumente usados no dia-a-dia de um pwd 1 Nesse guia, estão relacionados os principais comandos para manipulação de arquivos e diretórios, que são mais comumente usados no dia-a-dia de um pwd 1. cd Mostra o caminho do diretório em onde o usuário

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Edital nº. 005-200 CARGO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO DE NÍVEL MÉDIO FUNÇÃO: AUXILIAR DE LABORATÓRIO DE INFORMATICA Nome: RG: CPF: Nº. de inscrição:

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Administração de Sistemas Operacionais Administração de Usuários e Arquivos Alex Furtunato CEFET/RN alex@cefetrn.br http://www.cefetrn.br/~alex Sumário Introdução Arquivos de configuração Comandos de administração

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL MS-DOS MICROSOFT SISTEMA OPERACIONAL EM DISCO

SISTEMA OPERACIONAL MS-DOS MICROSOFT SISTEMA OPERACIONAL EM DISCO Informática Básica Sistemas Operacionais Aplicativos Prof. Marcos César Bottaro 48 SISTEMA OPERACIONAL MS-DOS MICROSOFT SISTEMA OPERACIONAL EM DISCO DISK OPERATING SYSTEM - DOS SISTEMA OPERACIONAL DE DISCO

Leia mais

Informática básica. Professor: Francisco Ary

Informática básica. Professor: Francisco Ary Informática básica Professor: Francisco Ary O que vimos na ultima aula: O que é informática? O que é um computador? Evolução; Computadores eletrônicos: Válvulas; Transistor; Circuito integrado;e Microprocessador;

Leia mais

Como instalar o Ubuntu Server

Como instalar o Ubuntu Server Como instalar o Ubuntu Server Passo 1. Inicie o computador pela mídia de instalação do Ubuntu Server; Passo 2. Na primeira tela, escolha a linguagem Português do Brasil ; Passo 3. Na tela seguinte, escolha

Leia mais

Preparatório LPIC-1 Tópico 103

Preparatório LPIC-1 Tópico 103 Preparatório LPIC-1 Tópico 103 Professor M.Sc. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 A maneira correta de definir uma variável no Bash é: a. $NOME = manuel braga b. $NOME = manuel braga c. NOME = manuel

Leia mais

Asterisk para Raspberry Pi

Asterisk para Raspberry Pi Asterisk para Raspberry Pi Faça backup do sistema Existem duas opções recomendadas para fazer backup do seu sistema: 1. Módulo FreePBX Backup e Módulo de restauração Este módulo salva todas as configurações

Leia mais

Vejamos agora as ferramentas mais utilizadas para criação de imagens:

Vejamos agora as ferramentas mais utilizadas para criação de imagens: Vejamos agora as ferramentas mais utilizadas para criação de imagens: Lápis: Apenas mantenha pressionado o botão do mouse sobre a área em branco, e arraste para desenhar. Pincel: Tem a mesma função do

Leia mais

Estrutura do Sistema Operacional

Estrutura do Sistema Operacional Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Aula 04 Estrutura do Sistema Operacional 2 1 Estrutura do Sistema Operacional

Leia mais

Configurando DNS no Red Hat Enterprise Linux 6

Configurando DNS no Red Hat Enterprise Linux 6 Configurando DNS no Red Hat Enterprise Linux 6 Primeiro: Instalar o serviço de DNS. Verifique se o DVD de instalação está inserido. Acesse o menu Locais e clique sobre o DVD de instalação: Abra o diretório

Leia mais

Introdução ao Sistema Linux

Introdução ao Sistema Linux 1997-2017 - Volnys Bernal 1 Introdução ao Sistema Linux Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Laboratório de Sistemas Integráveis http://www.lsi.usp.br/ 1997-2017 - Volnys

Leia mais

15/07/ :15 Leite Júnior QUESTÕES CESPE /07/ :15 Noções de sistema operacional Windows

15/07/ :15 Leite Júnior QUESTÕES CESPE /07/ :15 Noções de sistema operacional Windows QUESTÕES CESPE 2013 15/07/2013 19:15 Noções de sistema operacional Windows CONCURSO: TJ - DF CARGO: ANALISTA AMBIENTAL - NS Com relação a ambiente Windows e a aplicativos de edição de texto e de navegação

Leia mais

CARACTERÍSTICAS. é a mais recente versão do sistema operacional da Microsoft.

CARACTERÍSTICAS. é a mais recente versão do sistema operacional da Microsoft. WINDOWS 10 CARACTERÍSTICAS WINDOWS 10 é a mais recente versão do sistema operacional da Microsoft. É Multiplataforma! Vários tipos de dispositivos! O Download pode ser instalado em PCs e dispositivos móveis

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Primeira Aula Prática

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Primeira Aula Prática Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Primeira Aula Prática 1 Introdução No Unix não existe uma interface padrão. Você pode escolher, alterar, tirar e muito mais com diversas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES I LINUX. Frederico Madeira LPIC 1, CCNA

ADMINISTRAÇÃO DE REDES I LINUX. Frederico Madeira LPIC 1, CCNA ADMINISTRAÇÃO DE REDES I LINUX Frederico Madeira LPIC 1, CCNA fred@madeira.eng.br www.madeira.eng.br Agenda Sobe a Disciplina Introdução ao Linux FHS Inicialização Boot Loaders X Introdução Instalação

Leia mais

COMANDOS DESCRIÇÃO EXEMPLOS DE USO

COMANDOS DESCRIÇÃO EXEMPLOS DE USO COMANDOS DESCRIÇÃO EXEMPLOS DE USO whatis stat wc find gzip tar du locate grep wall mensagem Descreve o que um determinado comando é/faz Mostra o estado de um arquivo, útil para saber por exemplo a hora

Leia mais

Gerência do Sistema de Arquivos. Adão de Melo Neto

Gerência do Sistema de Arquivos. Adão de Melo Neto Gerência do Sistema de Arquivos Adão de Melo Neto 1 Gerência do Sistema de Arquivos Organização dos arquivos Estrutura de diretório Gerência de espaço livre Gerência de alocação de arquivos em disco Proteção

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Zabbix Instalação. Prof. Alex Furtunato

Gerência de Redes de Computadores Zabbix Instalação. Prof. Alex Furtunato Gerência de Redes de Computadores Zabbix Instalação Prof. Alex Furtunato alex.furtunato@ifrn.edu.br Introdução Sistema de monitoramento de rede enterprise open source, com solução de monitoramento distribuído

Leia mais

Acronis Backup & Recovery 10 Server for Linux. Manual de introdução rápido

Acronis Backup & Recovery 10 Server for Linux. Manual de introdução rápido Acronis Backup & Recovery 10 Server for Linux Manual de introdução rápido Este documento descreve como instalar e começar a utilizar o Acronis Backup & Recovery 10 Server para Linux. Copyright Acronis,

Leia mais

Minicurso Linux para os LCCs

Minicurso Linux para os LCCs Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Minicurso Linux para os LCCs Como forma de apresentar os laboratórios de ensino

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO 1 SUMÁRIO REQUISITOS MÍNIMOS... 3 INSTALAÇÃO A PARTIR DO ARQUIVO RPM...4 Download do Arquivo...4 Instalação pela linha de comando...4 Regras de Firewall...4 Acessando o Monsta...5

Leia mais

Informática para Concursos Professor Thiago Waltz

Informática para Concursos Professor Thiago Waltz Informática para Concursos Professor: Thiago Waltz Correio Eletrônico a) Correio Eletrônico O software de correio eletrônico surgiu com o objetivo de auxiliar a comunicação e a troca de informações entre

Leia mais

Tutorial para Instalar e configurar o Xampp

Tutorial para Instalar e configurar o Xampp Tutorial para Instalar e configurar o Xampp Vamos preparar o ambiente de desenvolvimento PHP em um servidor separado. Obs.: Esse processo é apenas para desenvolvedores. Não indicamos em ambiente de produção.

Leia mais

Instalação do Oracle VM Virtual Box

Instalação do Oracle VM Virtual Box 1 de 14 09/08/2012 12:56 Instalação do Oracle VM Virtual Box Após fazer download do Oracle VM VirtualBox o próximo passo é a instalação. Seguindo este tutorial passo-a-passo não haverá qualquer dificuldade

Leia mais

Entendendo e usando permissões no Linux. Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira

Entendendo e usando permissões no Linux. Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira Entendendo e usando permissões no Linux Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira Como você deve saber, somente o super-usuário (root) tem ações irrestritas no sistema, justamente por ser o usuário

Leia mais

p/ SEFAZ-CE- Foco: ESAF e Similares Turma: 05

p/ SEFAZ-CE- Foco: ESAF e Similares Turma: 05 Aula 01 Informática p/sefaz-ce Noções de Sistema Operacional (Ambiente Linux) Professora: Patrícia Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br Prof a. Patrícia Lima Quintão 1 Aula 01 Noções de Sistema Operacional

Leia mais

SEMPRE FAÇA BACKUP DOS ARQUIVOS DE DADOS DE UMA MÁQUINA ANTES DE INSTALAR OUTRO SISTEMA OPERACIONAL

SEMPRE FAÇA BACKUP DOS ARQUIVOS DE DADOS DE UMA MÁQUINA ANTES DE INSTALAR OUTRO SISTEMA OPERACIONAL Introdução O objetivo deste tutorial é preparar uma máquina para poder realizar o boot através de um sistema Windows ou um Sistema Linux. Para isto foram utilizadas as seguintes versões de Sistema Operacional

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Sistemas Elétricos de Automação e Energia ENG10032 Microcontroladores

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Sistemas Elétricos de Automação e Energia ENG10032 Microcontroladores Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Sistemas Elétricos de Automação e Energia ENG10032 Microcontroladores Roteiro de Laboratório 11 Compilação Cruzada de um Kernel

Leia mais

LINUX. Prof. Camila. Pedro de Assis Sobreira Jr.

LINUX. Prof. Camila. Pedro de Assis Sobreira Jr. LINUX Prof. Camila Pedro de Assis Sobreira Jr. 2 Sistemas de Arquivo Todo sistema operacional precisa de um sistema de arquivos. Todo sistema de arquivo serve para fornecer ao sistema operacional uma estrutura

Leia mais

Introdução ao Linux e Shell Script

Introdução ao Linux e Shell Script Introdução ao Linux e Shell Script Daniel Gaspar Gonçalves de Souza daniel@gaspar.ws VII Encontro Acadêmico de Modelagem Computacional Janeiro/2014 Daniel Gaspar (daniel@gaspar.ws) Introdução ao Linux

Leia mais