INTEGRAR PARA ALIMENTAR:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTEGRAR PARA ALIMENTAR:"

Transcrição

1 INTEGRAR PARA ALIMENTAR: CONHECIMENTO, SAÚDE E SUSTENTABILIDADE INTEGRAR PARA ALIMENTAR: CONHECIMENTO, SAÚDE E SUSTENTABILIDADE Socialização de Resultados e Autoavaliação João José Fernandes, 15 de março 2016

2 Objetivo Principal: Contribuir para a criação de uma estratégia integrada de alimentação em Portugal, através da integração de políticas públicas setoriais relevantes (agrícola, educativa, social, económica, ambiental e saúde) de modo a influir na qualidade, equidade, segurança e sustentabilidade do consumo de alimentos da população portuguesa. Objetivo Específico: Desenhar e facilitar um processo multistakeholder de forma a promover a criação de uma estratégia integrada de alimentação em Portugal, como política pública.

3 Análise Documental Boas Práticas 6 Comunidades de Prática (AIRESIS) Contribuir para a criação de uma estratégia integrada de alimentação em Portugal 2 Consultas Públicas (entidades e cidadãos) Influência Legislativa

4 Resultado Previsto Alcançado Nº de diplomas legais, políticas e práticas alteradas ou melhoradas (Obs 1) 1 1 Nº Atividades de cooperação e diálogo iniciadas ou desenvolvidas com o poder local, regional ou central (Obs 2) 7 39 Plataforma Online de Boas Práticas e Contributos para uma política pública de alimentação 1 1 Entidades envolvidas num processo multi-stakeholder para definição de uma política de alimentação (Obs 3) Cidadãos Auscultados pelas 6 Comunidades de Prática (Obs 4)

5 Observação 1: Influência legislativa e políticas públicas A nível legislativo, o projeto (IpA) contribuiu para a definição do regime jurídico aplicável aos mercados locais de produtores. Este regime foi aprovado pelo Conselho de Ministros de 19/03/15 e publicado em Diário da República no dia 21/05/ Decreto-Lei n.º 85/2015. Contribuímos ainda com pareceres para 4 projetos de lei (PAN, BE, PEV, PS) em debate na especialidade. De modo a responder às expectativas de várias autarquias e associações de desenvolvimento, em torno da relevância de implementação de Estratégias Locais de Segurança Alimentar e Nutricional, lançámos em Portugal o Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana, uma agenda totalmente compatível com as recomendações do IpA.

6 Observação 2: 39 Ações colaborativas e de diálogo com entidades públicas do poder Central e Local 6 Ações colaborativas com Poder Central 33 Ações colaborativas com Poder Local Secretaria de Estado da Alimentação Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural Direção Geral de Veterinária Direção Geral de Educação Instituto da Segurança Social Assembleia da República 31 Municípios (Peniche, Sabugal, Macedo de Cavaleiros, Cinfães, Gondomar, Seia, Tábua, Arganil, Paredes de Coura, Alvito, Valongo, Cantanhede, Vila Nova de Poiares, Lousã, Grândola, Alcanena, Serpa, Sesimbra, Amarante, Fornos de Algodres, Manteigas, Trofa, Castanheira de Pêra, Sever do Vouga, Mira, Moimenta da Beira, Sousel, Vila do Conde, Tabuaço) 2 Comunidades Intermunicipais (Região de Coimbra e Trás-os-Montes)

7 Observação 3: 650 Entidades envolvidas num processo multistakeholder para definição de uma política pública de alimentação (Efetuaram recomendações de política pública, participaram em workshops colaborativos e outras atividades colaborativas). Entidades Envolvidas n=650 Sociedade Civil ; 224; 34% Empresas; 31; 5% Ensino Superior ; 13; 2% Administração Autónoma do Estado ; 77; 12% Administração Direta Do Estado ; 10; 2% Administração Indireta do Estado ; 28; 4% Ensino Públicos Ou Privados ; 267; 41%

8 Observação 4: Comunidades de Prática e Auscultação dos Cidadãos 37 Comunidades de Prática 2348 Questionário Preferências e Comportamentos do Consumo Alimentar 2385 Cidadãos Auscultados

9 Eventos: Participação em Eventos no Âmbito do Projeto «Integrar para Alimentar»: Nº de Eventos por Modo de Participação Aplicação de questionários; 1; 3% Participantes; 17; 52% Oradores; 10; 30% Organizadores; 5; 15% Aplicação de questionários Oradores Organizadores Participantes

10 Entregáveis: Um (1) livro resultante do projeto IpA e da colaboração com a academia, intitulado "Integrar para Alimentar: Conhecimento, acesso à alimentação e políticas públicas em Portugal (em fase de edição), vem colmatar uma lacuna existente em Portugal. Dois (2) manuais sobre SAN intitulados: Manual de boas práticas no âmbito da segurança alimentar e nutricional"; "Publicação de recomendações às Partes Interessadas, no âmbito da segurança alimentar e nutricional.

11 Entregáveis: Sistematização e publicação na Web de acervo de notícias e diplomas legais, entre , relevantes para a temática da Segurança Alimentar e Nutricional. Notícias por Setor de Política Pública (n=552) Sistema alimentar, Nutricional e Cultural 52 Saúde Preventiva Educação Economia Segurança social Legislação por Setor de Política Pública (n=767) Recursos Naturais e Ambiente Mandato Politico

12 Entregáveis: Sistematização e publicação na Web de acervo de projetos e programas identificadas pelos Stakeholders como Boas Práticas no âmbito da Segurança Alimentar e Nutricional. Economia Segurança Social Educação Saúde Ambiente Sistema Alimentar Projetos por Stakeholder e Setor de Atividade Admin. Autónoma do Estado Admim. Direta do Estado Admin. Indireta do Estado Empresas Ensino Público e Privado Ensino Superior Sociedade Civil

13 PROJETOS POR REGIÃO E SETOR DE ATIVIDADE Alentejo Algarve AML Centro Norte RAA RAM SISTEMA ALIMENTAR AMBIENTE SAÚDE EDUCAÇÃO SEGURANÇA SOCIAL ECONOMIA

14

15 Dificuldades e Pontos Negativos Dificuldade em encontrar um técnico especialista em políticas públicas e SAN O desenho inicial do projeto demasiado centrado na escala nacional das políticas públicas, estando ausente a dimensão territorial (escala e nível local e regional). Falta de recursos financeiros para Parceiros Públicos implicou um envolvimento de menor densidade. Inexistência de bases de dados atualizadas das entidades públicas e privadas a contactar para o envolvimento de stakeholders. Dificuldade em arrancar cm um envolvimento formal com as partes interessadas, devido à inexistência de uma linguagem e compreensão consensualizada de segurança alimentar e nutricional. A inexistência de um Quadro Conceptual Partilhado dificultou um envolvimento mais formal de um leque suficientemente abrangente e representativo do poder público e das Partes Interessadas. Adesão de cidadãos às Comunidades de Prática mais baixo do que o antecipado.

16 Pontos Positivos Impacto e Sustentabilidade (Legislação e Estratégias Locais de SAN Pacto de Milão). Grande expectativa das Autarquias e Organizações de Base Local, relativamente à implementação de Estratégias Locais de SAN. Inicialmente o projeto pretendia apenas influenciar as políticas de âmbito nacional. O lançamento do Pacto de Milão foi o resultado da necessidade de atender a esta expectativa. Grande interesse e envolvimento de Stakeholders e cidadãos em todo o território nacional. Reforço da capacidade colaborativa com a academia. Diversificação das alianças para uma maior capilaridade da intervenção da Oikos no território nacional. Capacitação do promotor, sobretudo ao nível da influência pública.

17 INTEGRAR PARA ALIMENTAR: CONHECIMENTO, SAÚDE E SUSTENTABILIDADE Obrigado!

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde CASCAIS SAUDÁVEL 1. Contexto SÓCIO-POLÍTICO: Saúde na ordem do dia Envelhecimento da população Sustentabilidade do SNS Transferência de competências para as Autarquias

Leia mais

AUTORREGULAÇÃO NA CADEIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR

AUTORREGULAÇÃO NA CADEIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR AUTORREGULAÇÃO NA CADEIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR 27 fevereiro 2013 Agenda Trabalho desenvolvido em PT Atuação da UE e outros Estados Membros Que Futuro? Propostas de atuação 2/13 Trabalho desenvolvido

Leia mais

TIPO MUNICÍPIOS COM SERVIÇOS CRO OBSERVAÇÃO - OUTRAS AUTORIZAÇÕES. ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT CGM in situ

TIPO MUNICÍPIOS COM SERVIÇOS CRO OBSERVAÇÃO - OUTRAS AUTORIZAÇÕES. ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT CGM in situ ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS ALCOBAÇA

Leia mais

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade.

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. O Baobá é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. Especializada em gestão e sociedade, com foco em sustentabilidade para os setores público e privado.

Leia mais

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo. Apresentação do Projecto

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo. Apresentação do Projecto Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo Apresentação do Projecto Teresa Pinto-Correia e José da Veiga ICAAM Universidade de Évora e Direcção Regional

Leia mais

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC 2020) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 A Estratégia

Leia mais

ANEXOS 79. As doenças são referidas e ordenadas pelos respectivos códigos da CID-10.

ANEXOS 79. As doenças são referidas e ordenadas pelos respectivos códigos da CID-10. ANEXOS 79 O Anexo 1 é constituído por quadros que apresentam as taxas de incidência, por 100 000 habitantes, das doenças de declaração obrigatória com casos notificados em 2000, por Regiões de Saúde e

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS ALCOBAÇA

Leia mais

Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x

Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x São Bernardo de Campo SP, 04 de março de 2015 Contato: James Allen james@olab.com.br Neste relatório,

Leia mais

Criar capacidade básica em compras sustentáveis em Portugal o projeto Building SPP. Paula Trindade Investigadora LNEG Coordenadora Building SPP

Criar capacidade básica em compras sustentáveis em Portugal o projeto Building SPP. Paula Trindade Investigadora LNEG Coordenadora Building SPP Criar capacidade básica em compras sustentáveis em Portugal o projeto Building SPP Paula Trindade Investigadora LNEG Coordenadora Building SPP Coordenação internacional: LNEG/UEE Parceiros nacionais: CM

Leia mais

COBERTURA TDT POR CONCELHO

COBERTURA TDT POR CONCELHO COBERTURA TDT POR CONCELHO Percentagem (%) de população coberta, estimada para cada concelho, da rede implementada pela PT Comunicações, relativa ao primeiro trimestre de 2012. Cobertura Televisão Digital

Leia mais

Mapa de Sensibilidade Ambiental dos Concelhos de Portugal Continental

Mapa de Sensibilidade Ambiental dos Concelhos de Portugal Continental Mapa de Sensibilidade Ambiental dos Concelhos de Portugal Continental 233 234 238 240 235 231 232 59 236 237 246 46 242 34 44 252 42 39 37 36 35 41 191 58 52 54 53 249 247 38 47 181 245 48 192 187 183

Leia mais

Concelhos e Distritos (2016)

Concelhos e Distritos (2016) Angra do Heroísmo Calheta Corvo Horta Lagoa Lajes das Flores Lajes do Pico Madalena Nordeste Ponta Delgada Povoação Praia da Vitória Ribeira Grande Santa Cruz da Graciosa Santa Cruz das Flores São Roque

Leia mais

Pacto de Milão. Desafio para as Autarquias. Lucinda Fonseca

Pacto de Milão. Desafio para as Autarquias. Lucinda Fonseca Pacto de Milão Desafio para as Autarquias Lucinda Fonseca Caracterização CARACTERIZAÇÃO PACTO DE MILÃO /03 Freguesias: 26 Área: 302,33 km 2 População residente: 56 264 Densidade populacional: 185,9 hab/

Leia mais

Projecto Vitalidade XXI. FIPA Federação das Indústrias Agro-Alimentares. Conclusões do estudo. A Indústria Alimentar e os Estilos de Vida Saudáveis

Projecto Vitalidade XXI. FIPA Federação das Indústrias Agro-Alimentares. Conclusões do estudo. A Indústria Alimentar e os Estilos de Vida Saudáveis Projecto Vitalidade XXI FIPA Federação das Indústrias Agro-Alimentares Conclusões do estudo A Indústria Alimentar e os Estilos de Vida Saudáveis A Percepção das Partes Interessadas e Apresentação dos compromissos

Leia mais

Experiência Supraconcelhia do Tâmega e Sousa

Experiência Supraconcelhia do Tâmega e Sousa Experiência Supraconcelhia do Tâmega e Sousa conjunto de ações e comportamentos estabelecidos através da interação social que permite aos parceiros, a capacidade de agir, participar e provocar mudança

Leia mais

ANEXO TÉCNICO SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SAMA 2020) AVISO Nº 02/SAMA 2020/2017

ANEXO TÉCNICO SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SAMA 2020) AVISO Nº 02/SAMA 2020/2017 ANEXO TÉCNICO SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SAMA 2020) AVISO Nº 02/SAMA 2020/2017 OPERAÇÕES DE CAPACITAÇÃO (PI 11.1) DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Página 1 de 8 Na

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 58/XIII/1.ª PROMOÇÃO DO ACESSO A PRODUTOS DA AGRICULTURA DE PRODUÇÃO LOCAL ÀS CANTINAS PÚBLICAS

PROJETO DE LEI N.º 58/XIII/1.ª PROMOÇÃO DO ACESSO A PRODUTOS DA AGRICULTURA DE PRODUÇÃO LOCAL ÀS CANTINAS PÚBLICAS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 58/XIII/1.ª PROMOÇÃO DO ACESSO A PRODUTOS DA AGRICULTURA DE PRODUÇÃO LOCAL ÀS CANTINAS PÚBLICAS Exposição de motivos No universo público existem diversas cantinas que

Leia mais

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

local Indice 2 Populacao e Territorio Indice 4 Actividade Economica Indice 6 Saude e Recursos de Saúde Indice 8 Sintetico D.

local Indice 2 Populacao e Territorio Indice 4 Actividade Economica Indice 6 Saude e Recursos de Saúde Indice 8 Sintetico D. local A21L_OP Indice 1 Ambiente Consumo Indice 2 Populacao e Territorio Indice 3 Educacao e Cultura Indice 4 Actividade Economica Indice 5 Emprego e M. Trabalho Indice 6 Saude e Recursos de Saúde Indice

Leia mais

ZA6774. Flash Eurobarometer 436 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal

ZA6774. Flash Eurobarometer 436 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal ZA677 Flash Eurobarometer 6 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal FL6 Independence of Justice BTB PT D Em que região se situa

Leia mais

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO CARTA DE COMPROMISSO DA REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Considerando: Que o 5.º

Leia mais

Anexo 7 - Lista de Códigos de Concelhos por QZP

Anexo 7 - Lista de Códigos de Concelhos por QZP Anexo 7 - Lista de s de s por QZP QZP - 01 AVEIRO 0101 ÁGUEDA 0102 ALBERGARIA-A-VELHA 0103 ANADIA 0105 AVEIRO 0108 ESTARREJA 0110 ÍLHAVO 0111 MEALHADA 0112 MURTOSA 0114 OLIVEIRA DO BAIRRO 0115 OVAR 0117

Leia mais

PCP. Partido Comunista Português CDS-PP. CDS Partido Popular PPD/PSD. Partido Social Democrata. Partido Socialista PCTP/MRPP

PCP. Partido Comunista Português CDS-PP. CDS Partido Popular PPD/PSD. Partido Social Democrata. Partido Socialista PCTP/MRPP 29 - setembro - 2013 Símbolos dos órgãos autárquicos e denominações, siglas e símbolos dos partidos políticos, coligações permanentes de partidos e coligações de partidos para fins eleitorais legalizados

Leia mais

Tabela 1: Classificação dos Municípios por dimensão

Tabela 1: Classificação dos Municípios por dimensão Tabela 1: Classificação dos Municípios por dimensão Municípios de grande dimensão 1 Lisboa Lisboa Vale do Tejo 519 795 509 751 499 700 489 562 2 Sintra Lisboa Vale do Tejo 419 382 428 470 437 471 445 872

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Desemprego Registado por Concelho Estatísticas Mensais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Desemprego Registado por Concelho Estatísticas Mensais Abril 2009 FICHA TÉCNICA TÍTULO Desemprego Registado por Concelho Estatísticas Mensais EDIÇÃO Gabinete de Estudos e Avaliação Rua de Xabregas, 52 1949-003 Lisboa Telef.: 218 614 100 Fax: 218 614 613 DIRECÇÃO

Leia mais

Indicadores de Sustentabilidade à escala local a realidade Portuguesa

Indicadores de Sustentabilidade à escala local a realidade Portuguesa I. Breve caracterização da realidade Portuguesa: A implementação de Indicadores Locais de Sustentabilidade Indicadores de Sustentabilidade à escala local a realidade Portuguesa II. Os Indicadores têm contribuido

Leia mais

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Mar nos Programas Temáticos Regionais 2014-2020 João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Panorama Nacional e Internacional Oceano Atlântico Norte Oceano Atlântico Sul Reafirmar Portugal

Leia mais

Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres. Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação

Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres. Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação Diário da República, 1.ª série N.º 93 13 de maio de 2016 1565 Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres (n.º de Ordem) Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Desagregação das medidas e das tipologias de atividades ESTRATÉGIA NACIONAL

Leia mais

Listagem de delegações da IGAC por ordem alfabética

Listagem de delegações da IGAC por ordem alfabética ÁGUEDA AGUIAR DA BEIRA ALBERGARIA-A-VELHA ALBUFEIRA ALCÁCER DO SAL ALCANENA ALCOBAÇA ALCOCHETE ALCOUTIM ALENQUER ALFÂNDEGA DA FÉ ALJEZUR ALJUSTREL ALMADA ALMEIDA ALMEIRIM ALMODÔVAR ALTER DO CHÃO AMADORA

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 346/XII CRIAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DA CRIANÇA

PROPOSTA DE LEI N.º 346/XII CRIAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DA CRIANÇA PROPOSTA DE LEI N.º 346/XII CRIAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DA CRIANÇA Recentes indicadores sociais confirmam a crescente e indisfarçável gravidade dos problemas da pobreza junto das crianças no nosso País. Os

Leia mais

MAPA XIX - TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS - OE/2017

MAPA XIX - TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS - OE/2017 FINAL ÁGUEDA 7 035 116 781 680 7 816 796 775 247 0 8 592 043 586259 65140 64603 0 586267 65140 64614 0 ALBERGARIA-A-VELHA 4 478 645 497 627 4 976 272 498 356 418 651 5 893 279 373220 41468 41529 34887

Leia mais

Concelhos abrangidos pela Rede Social, segundo a NUT II, por NUT III e Distrito

Concelhos abrangidos pela Rede Social, segundo a NUT II, por NUT III e Distrito abrangidos pela Rede Social, segundo a NUT II, por NUT III e Distrito NUTS II* NUT III* Distrito Concelhos Ano de Adesão 278 Bragança Alfândega da Fé 2004 Bragança 2005 Macedo de Cavaleiros 2000 Miranda

Leia mais

Célia Laranjeira Gil Nadais Município de Águeda

Célia Laranjeira Gil Nadais Município de Águeda Célia Laranjeira Gil Nadais Município de Águeda 11 Municípios 1 Comunidade Intermunicipal 1 Projeto de Sustentabilidade A RUCI da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, visa desenvolver uma estratégia

Leia mais

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo 1. Casos de Estudo 2. Metodologia 3. Principais resultados: boas práticas e práticas a explorar 1. Casos de

Leia mais

Devolução municipal do IRS em 2016

Devolução municipal do IRS em 2016 Devolução municipal do IRS em 2016 Devolução máxima (5%) Devolução entre 3% e 4% Devolução entre 2% e 2,5% Devolução até 1,5% Sem devolução Municípios IRS para o município Devolução do IRS Águeda 0,00%

Leia mais

ANEXO II. Página 1 ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA?

ANEXO II. Página 1 ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA? ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA? 2 C. Predial 1 VISEU NÃO 0 C. Predial/Comercial 1 BRAGANÇA NÃO 0 C. Civil/Predial/Comercial 2 VILA NOVA DE CERVEIRA NÃO 0 C. Predial/Comercial 1 VIANA DO CASTELO

Leia mais

EVOLUÇÃO DO ENDIVIDAMENTO DE MÉDIO E LONGO PRAZOS, POR MUNICÍPIO (2010 a 2013)

EVOLUÇÃO DO ENDIVIDAMENTO DE MÉDIO E LONGO PRAZOS, POR MUNICÍPIO (2010 a 2013) Limite de Endividamento SANTARÉM ABRANTES 17.826.299 16.296.512 6.660.154 9.636.358 11.590.900 14.996.367 6.097.434 8.898.933 10.014.089 14.811.552 5.575.824 9.235.728 16.157.114 13.234.222 5.022.183 8.212.039

Leia mais

Distância-física entre NUTS II ponderado pela População (Censos 2011)

Distância-física entre NUTS II ponderado pela População (Censos 2011) Distância-física entre NUTS II ponderado pela População (Censos 2011) Centro Lisboa 73,6 Centro 205,5 132,7 Lisboa 364,8 216,7 30,0 403,3 254,7 146,9 133,7 595,4 452,3 282,6 264,1 49,2 Informação relativa

Leia mais

Plano de Comunicação. Plano de Comunicação. Elaborado a 22 dezembro Revisto a 19 de fevereiro de 2016

Plano de Comunicação. Plano de Comunicação. Elaborado a 22 dezembro Revisto a 19 de fevereiro de 2016 Plano de Comunicação Elaborado a 22 dezembro 2015 Revisto a 19 de fevereiro de 2016 0 Índice 1. Enquadramento...- 1-2. Objetivos...- 2-3. Identidade Gráfica...- 2-3.1 Logótipo...- 2-3.2 Assinatura...-

Leia mais

SERVIÇO DESCONCENTRADO NIB FAX

SERVIÇO DESCONCENTRADO NIB FAX 1ª Conservatória do Registo Predial de Almada 0035.2143.00033486530.03 212721259 1ª Conservatória do Registo Predial de Amadora 0007.0000.00207288322.23 214929419 1ª Conservatória do Registo Predial de

Leia mais

Amigas das Pessoas Idosas

Amigas das Pessoas Idosas Amigas das Pessoas Idosas Entidade Promotora O projecto cidades É um Projecto de Investigação-Acção 1 para apresentação do projecto global da OMS Cidades Amigas das Pessoas Idosas e identificar de práticas

Leia mais

Balanço do Seminário Gestão Estratégica da Contratação Pública. Praia, Dezembro de 2009

Balanço do Seminário Gestão Estratégica da Contratação Pública. Praia, Dezembro de 2009 Balanço do Seminário Gestão Estratégica da Contratação Pública Praia, Dezembro de 2009 Índice 1. Apresentação 3 2. Objectivos pedagógicos 4 3. Destinatários 5 4. Sinopse 6 5. Conteúdos 7 6. Metodologia

Leia mais

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Seminário Pequenos Investimentos Produzir e vender com Qualidade e Segurança Luís Chaves 01 de setembro de 2016 Rio Maior 1. A Federação

Leia mais

O FUTURO DO INTERIOR Desafios e Oportunidades LUÍS RAMOS

O FUTURO DO INTERIOR Desafios e Oportunidades LUÍS RAMOS O FUTURO DO INTERIOR Desafios e Oportunidades LUÍS RAMOS 1 I. O INTERIOR: GEOGRAFIA OU METÁFORA? 2 I. O INTERIOR: GEOGRAFIA OU METÁFORA? 3 I. O INTERIOR: GEOGRAFIA OU METÁFORA? Perfil Territorial - Hipsometria,

Leia mais

O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos:

O projecto Potencial C inclui ainda um número limitado de actividades a decorrer fora do país. Objectivos: O projecto Potencial C é uma iniciativa da Agência INOVA e é constituído por um conjunto integrado e abrangente de actividades que, ao longo de 24 meses, procurará estimular a criação de empresas no âmbito

Leia mais

QUADRO I. LISTA DO PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO REGISTADO POR MUNICÍPIO EM DEZEMBRO DE 2014

QUADRO I. LISTA DO PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO REGISTADO POR MUNICÍPIO EM DEZEMBRO DE 2014 QUADRO I. LISTA DO PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO REGISTADO POR PORTIMÃO 1.054 1.055 1.975 2.044 4.628 NAZARÉ 421 428 1.632 1.692 3.411 PAÇOS DE FERREIRA 874 916 865 1.122 1.417 SÃO VICENTE 436 543 744 889 1.088

Leia mais

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 2 de dezembro de Série. Número 188

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 2 de dezembro de Série. Número 188 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 2 de dezembro de 2015 Série 2.º Suplemento Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA MADEIRA Decreto Legislativo Regional n.º 9/2015/M Adapta à Região Autónoma

Leia mais

MAPA XIX - TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO

MAPA XIX - TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO MAPA XIX - PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO - 2012 MUNICÍPIOS AVEIRO (distrito) ÁGUEDA 4 477 961 2 985 308 7 463 269 660 535 1 284 849 5,0% 1 284 849 9 408 653 ALBERGARIA-A-VELHA

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais PROJECTO DE RESOLUÇÃO Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Exma. Sras. Deputadas e Srs. Deputados Exmo. Sr. Presidente do Governo Exma. Sra. e

Leia mais

Os Territórios e a Economia do Conhecimento: que Respostas face aos Novos Desafios?

Os Territórios e a Economia do Conhecimento: que Respostas face aos Novos Desafios? Os Territórios e a Economia do Conhecimento: que Respostas face aos Novos Desafios? Domingos Santos CICS-UM, 3 de Novembro de 2011 Agenda 1. Novos desafios para os territórios. 2. O que nos dizem as abordagens

Leia mais

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 1 1 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

Leia mais

GUIA METODOLÓGICO. Indicadores, ferramentas e metodologias a seguir na avaliação da. Rede Rural Nacional

GUIA METODOLÓGICO. Indicadores, ferramentas e metodologias a seguir na avaliação da. Rede Rural Nacional GUIA METODOLÓGICO Indicadores, ferramentas e metodologias a seguir na avaliação da Rede Rural Nacional Porquê acompanhar e avaliar a RRN? Este documento disponibiliza uma base comum de ferramentas e indicadores

Leia mais

Parque Automóvel Seguro 2000-2001 INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL

Parque Automóvel Seguro 2000-2001 INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL 2000-2001 INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL Autoridade de Supervisão da Actividade Seguradora e de Fundos de Pensões Autorité de Contrôle des Assurances et des Fonds de Pensions du Portugal Portuguese Insurance

Leia mais

MAPA XIX - TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO

MAPA XIX - TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO MAPA XIX - PARA OS MUNICÍPIOS CORRENTE CAPITAL PIE % a transferir AVEIRO (distrito) ÁGUEDA 6 728 451 747 606 7 476 057 775 247 1 585 731 0,0% 0 8 251 304 ALBERGARIA-A-VELHA 4 279 964 475 551 4 755 515

Leia mais

MAPA XIX TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO 2014 (Un: euros) FEF FINAL

MAPA XIX TRANSFERÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO 2014 (Un: euros) FEF FINAL MAPA XIX TRANSFERÊNCIAS PARA OS PARTICIPAÇÃO DOS NOS IMPOSTOS DO ESTADO 2014 (Un: euros) FEF FINAL CORRENTE CAPITAL PIE % a transferir TRANSFERÊNCIAS AVEIRO (distrito) ÁGUEDA 6 448 168 716 463 7 164 631

Leia mais

ORDENAMENTO DOS ESPAÇOS MARÍTIMOS:

ORDENAMENTO DOS ESPAÇOS MARÍTIMOS: 23-04-2015 ORDENAMENTO DOS ESPAÇOS : ALGUMAS REFLEXÕES SINÓTICAS Nuno Antunes Índice Enquadramento Jurídico Ordenamento dos Espaços Marítimos Instrumentos de Ordenamento Títulos de Utilização Privativa

Leia mais

1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA (2001, Municípios por ordenação alfabética)

1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA (2001, Municípios por ordenação alfabética) 1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA ABRANTES Médio Tejo Santarém Lisboa e Vale do Tejo Continente ÁGUEDA Baixo Vouga Aveiro Centro Continente AGUIAR DA BEIRA Dão-Lafões Guarda Centro Continente

Leia mais

Boas Práticas no domínio da Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças Crónicas na Europa: a experiência atual do Projeto JA-CHRODIS

Boas Práticas no domínio da Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças Crónicas na Europa: a experiência atual do Projeto JA-CHRODIS Boas Práticas no domínio da Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças Crónicas na Europa: a experiência atual do Projeto JA-CHRODIS Luciana Costa Departamento de Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças

Leia mais

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE Museu do Douro PESO DA RÉGUA, 6 de setembro de 2016 Nuno Fazenda O Turismo nos últimos 10 anos ESTRUTURA Gestão e Monitorização Grandes Desafios Referencial Estratégico GRANDES

Leia mais

Reflexões no âmbito do AIAF 2014 em Portugal

Reflexões no âmbito do AIAF 2014 em Portugal 1 Conferência Internacional A Pequena Agricultura Familiar: Chayanov revisitado? Engº Pedro Teixeira Universidade Nova Lisboa, 27 de outubro Reflexões no âmbito do AIAF 2014 em Portugal 2 O AIAF em Portugal

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

Entidades Intermunicipais. Entidade Intermunicipal Designação Munícipios População. Comunidade Intermunicipal do Alto Minho

Entidades Intermunicipais. Entidade Intermunicipal Designação Munícipios População. Comunidade Intermunicipal do Alto Minho Intermunicipal Intermunicipal Intermunicipal Área Metropolitana Intermunicipal Intermunicipal do Alto Minho Intermunicipal do Cávado Área Metropolitana do Porto Intermunicipal do Ave Intermunicipal do

Leia mais

DECRETO Nº , DE 4 DE DEZEMBRO DE 2014.

DECRETO Nº , DE 4 DE DEZEMBRO DE 2014. DECRETO Nº 18.861, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2014. Cria a Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN), no âmbito do Sistema Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável

Leia mais

Índice. 1. Entidades promotoras 2. Âmbito de atuação 3. Objetivo geral 4. Objetivos específicos 5. Planos de ação 6. Carácter transfronteiriço

Índice. 1. Entidades promotoras 2. Âmbito de atuação 3. Objetivo geral 4. Objetivos específicos 5. Planos de ação 6. Carácter transfronteiriço Índice 1. Entidades promotoras 2. Âmbito de atuação 3. Objetivo geral 4. Objetivos específicos 5. Planos de ação 6. Carácter transfronteiriço 2 Entidades promotoras Chefe de Fila: Instituto Galego de Promoção

Leia mais

Dados Greve Escola/Agrupamento

Dados Greve Escola/Agrupamento COIMBRA Total Prof. em Escola EB 2/3 Vila Nova de Poiares 34 33 97% Aveiro Agrupamento de Escolas de Oiã 20 18 90% Aveiro Agrupamento de Escolas de Aveiro 99% Aveiro Escola 2/3de Valongo do Vouga 29 19

Leia mais

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis Organização Pan Americana da Saúde Oficina Regional da Organização Mundial da Saúde Municípios e Comunidades Saudáveis Guia dos prefeitos e outras autoridades locais Promovendo a qualidade de vida através

Leia mais

PORTAL DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL COM INTERVENÇÃO NA SAÚDE

PORTAL DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL COM INTERVENÇÃO NA SAÚDE PORTAL DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL COM INTERVENÇÃO NA SAÚDE Sistema de Informação de Apoio à Gestão das Organizações da Sociedade Civil Direcção de Serviços de Prevenção e Controlo de Doenças Divisão

Leia mais

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030 Programa Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC2020/2030) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030 O Programa

Leia mais

DESAGREGAÇÃO DE ASSOCIADOS 1 ASSOCIADOS POR ESPECIALIDADE E CONSELHO REGIONAL

DESAGREGAÇÃO DE ASSOCIADOS 1 ASSOCIADOS POR ESPECIALIDADE E CONSELHO REGIONAL DESAGREGAÇÃO DE ASSOCIADOS Notas: 1 O conselho geral deliberou, em reunião de 15 de outubro, nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do EOSAE, agregar as delegações distritais de Beja, Évora e Portalegre numa

Leia mais

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. 1º de outubro de 2009

I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. 1º de outubro de 2009 I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO 1º de outubro de 2009 (112 MUNICÍPIOS) (64 MUNICÍPIOS) (91 MUNICÍPIOS) (16 MUNICÍPIOS) (10 MUNICÍPIOS) (IDH Médio M Nacional = 0,766) Especificação

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO TRABALHOS DA COMISSÃO A Subcomissão da Comissão Permanente de Economia reuniu no dia 13 de maio de 2015, na Delegação da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na cidade de Ponta Delgada,

Leia mais

Turismo INATEL: do compromisso social à valorização do território

Turismo INATEL: do compromisso social à valorização do território Turismo INATEL: do compromisso social à valorização do território José Manuel Alho Vogal do Conselho de Administração Organização: Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável Confederação

Leia mais

Prémio Floresta e Sustentabilidade 2016

Prémio Floresta e Sustentabilidade 2016 Prémio Floresta e Sustentabilidade 2016 Formulário de Candidatura Categoria Sustentabilidade Florestal Iniciativa desenvolvida pela CELPA em associação com o Correio da Manhã e o Jornal de Negócios, com

Leia mais

Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa

Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa Estratégia para a formação financeira Susana Narciso Departamento de Supervisão Comportamental 11 de julho

Leia mais

Atividades de Enriquecimento Curricular

Atividades de Enriquecimento Curricular Atividades de Enriquecimento Curricular 2012 / 2 0 1 3 Dados finais 1 ÍNDICE NOTA METODOLÓGICA... 5 RELATÓRIO... 6 1 - Evolução 2007/2008 2012/2013... 6 1.1. Evolução do número de estabelecimentos com

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2017 VAGAS E ABERTURA DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO INFORMAÇÃO COM EMBARGO ATÉ ÀS 00H01 DE (QUINTA-FEIRA)

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2017 VAGAS E ABERTURA DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO INFORMAÇÃO COM EMBARGO ATÉ ÀS 00H01 DE (QUINTA-FEIRA) ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2017 VAGAS E ABERTURA DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO NOTA INFORMAÇÃO COM EMBARGO ATÉ ÀS 00H01 DE 21-07-2015 (QUINTA-FEIRA) 1. Inicia-se quarta-feira, 19 de julho, o prazo de candidatura

Leia mais

III REUNIÃO ORDINÁRIA DE MINISTROS DOS ASSUNTOS DO MAR DA CPLP

III REUNIÃO ORDINÁRIA DE MINISTROS DOS ASSUNTOS DO MAR DA CPLP III REUNIÃO ORDINÁRIA DE MINISTROS DOS ASSUNTOS DO MAR DA CPLP Díli, 18 de maio de 2016 DECLARAÇÃO DE DÍLI Os Ministros dos Assuntos do Mar da CPLP ou seus representantes de Angola, Brasil, Cabo Verde,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 254/XI INTEGRA O CONCELHO DE MAÇÃO NA UNIDADE TERRITORIAL DO MÉDIO TEJO

PROJECTO DE LEI N.º 254/XI INTEGRA O CONCELHO DE MAÇÃO NA UNIDADE TERRITORIAL DO MÉDIO TEJO Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 254/XI INTEGRA O CONCELHO DE MAÇÃO NA UNIDADE TERRITORIAL DO MÉDIO TEJO Exposição de Motivos O Município de Mação tem a sua integração coerente com o Médio Tejo e

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

Balanço das atividades desenvolvidas

Balanço das atividades desenvolvidas Plataforma para o Acompanhamento das Relações na Cadeia Alimentar 13ª Reunião Plenária Balanço das atividades desenvolvidas 19 de dezembro 2014 Lisboa - Ministério da Agricultura e do Mar Enquadramento

Leia mais

Nova Rede de Urgências

Nova Rede de Urgências Nova Rede de Urgências Objectivos Reunião da Comissão Técnica com a Comunicação Social O processo de definição da Rede de Urgências A Comissão Técnica de Apoio ao Processo de Requalificação das Urgências

Leia mais

PORTUGAL, UM PAIS DESIGUAL (inclui todos os concelhos)

PORTUGAL, UM PAIS DESIGUAL (inclui todos os concelhos) Portugal, um país desigual para os portugueses Pág. 1 PORTUGAL, UM PAIS DESIGUAL (inclui todos os concelhos) % QUE PODER DE COMPRA MÉDIO DE UM HABITANTE DE CADA CONCELHO REPRESENTA EM RELAÇÃO AO PODER

Leia mais

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Os Ministérios das Finanças, da Economia e da Saúde, e a Indústria Farmacêutica, por intermédio

Leia mais

Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância dos Olivais PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016

Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância dos Olivais PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância dos Olivais PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 O ano letivo 2015/2016 será um ano de implementação da Associação de Pais e Encarregados de

Leia mais

NOTA DE IMPRENSA. Conselho Intermunicipal da CI Região de Aveiro de 22DEZ14

NOTA DE IMPRENSA. Conselho Intermunicipal da CI Região de Aveiro de 22DEZ14 NOTA DE IMPRENSA Aveiro, 29 de dezembro de 2014 Conselho Intermunicipal da CI Região de Aveiro de 22DEZ14 O Conselho Intermunicipal (CI) da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CI Região de Aveiro)

Leia mais

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras A nossa Visão Potenciar o máximo aproveitamento e utilização do território

Leia mais

QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04)

QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04) QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04) Z3 ENTRE DOURO E VOUGA (21) AVEIRO (01) VISEU (18) Z4 COIMBRA (06) LEIRIA (10) Z5 CASTELO

Leia mais

Uma vida em cada palavra

Uma vida em cada palavra Uma vida em cada palavra Sistemas de Informação para a Saúde: Normas e recomendações europeias Serviços Partilhados do Ministério da Saúde Projetos Internacionais e Interoperabilidade Semântica Anabela

Leia mais

Plano de Ação 2013 Autoria:

Plano de Ação 2013 Autoria: Supraconcelhia BAIXO VOUGA (Cf. Dec- Lei n.º 115/2006 de 14 Junho) Plano de Ação Autoria: julho Introdução Corresponde o presente documento à proposta de Plano de Ação de da Territorial Supra concelhia

Leia mais

PROVEDOR DO IDOSO PROTOCOLO

PROVEDOR DO IDOSO PROTOCOLO PROVEDOR DO IDOSO PROTOCOLO As alterações demográficas que se têm verificado na população portuguesa e que se traduzem num envelhecimento populacional, coloca às instituições, às famílias e à comunidade

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM É uma pessoa coletiva de direito público de natureza associativa e âmbito territorial e visa a realização de interesses comuns aos Municípios que a integram,

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PRIORIDADE DE INVESTIMENTO: INVESTIMENTO NA CONSERVAÇÃO, PROTECÇÃO, PROMOÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PATRIMÓNIO CULTURAL

Leia mais

Relatório dos Resultados do Questionário de Satisfação aos Clientes Externos do GPP

Relatório dos Resultados do Questionário de Satisfação aos Clientes Externos do GPP Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral Relatório dos Resultados do Questionário de Satisfação aos Clientes Externos do GPP 2015 Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral

Leia mais

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO DE TURISMO. Tendências & Agenda Internacional

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO DE TURISMO. Tendências & Agenda Internacional LABORATÓRIO ESTRATÉGICO DE TURISMO Tendências & Agenda Internacional PORTO, 13 de outubro de 2016 Nuno Fazenda O Turismo nos últimos 10 anos ESTRUTURA Gestão e Monitorização Grandes Desafios Referencial

Leia mais