A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE"

Transcrição

1 1 Março 2008 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE Ângela da Matta Silveira Martins * Esta nota técnica apresenta algumas considerações sobre a inserção da mão-de-obra feminina no mercado de trabalho paranaense em um período mais recente, entre 2001 e Apesar de constantes discussões acerca da posição da mulher no mercado de trabalho e de sua ascensão ser mais ponderada, ela tem começado a destacar-se em atividades que antes eram consideradas masculinas, como na Construção Civil, em que a remuneração média das mulheres foi de 2,3% maior que a dos homens. Representando 44,6% da população economicamente ativa do Paraná, em 2006, posição esta que vem crescendo ao longo do tempo, o seu ingresso no mercado de trabalho tem sido gradativo, muitas vezes em razão da sua ocupação no ambiente doméstico e da necessidade de melhor qualificação profissional. Em termos absolutos, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD), no período entre 2001 e 2006 o número de mulheres que ingressaram no mercado de trabalho paranaense foi de aproximadamente 437 mil, resultando em um aumento da participação feminina de 41,9% em 2001 para 44,6% em 2006, enquanto a dos homens, no mesmo período, foi de 233 mil, ou seja, decresceu de 58,1% para 55,4% (gráfico 1). * Técnica do Núcleo de Informações Estatísticas do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES).

2 2 GRÁFICO 1 - POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA POR GÊNERO - PARANÁ PERCENTUAL 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 58,1 56,5 56,4 56,6 55,8 55,4 41,9 43,5 43,6 43,4 44,2 44, Homem Mulher Mesmo apresentando uma ascensão mais ponderada, de 2,7% no período considerado, 91,9% das mulheres economicamente ativas têm uma colocação no mercado de trabalho, ainda que seja precária e não-adequada, necessariamente, à sua formação e/ou qualificação profissional. Os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2006 apontam que as mulheres apresentam mais tempo de estudo que os homens, pois a maioria delas (53,4%) e menos da metade deles (46,6%) têm mais de 15 anos de estudo (gráfico 2). GRÁFICO 2 - POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA POR GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO E GÊNERO - PARANÁ Homem Mulher 60,0 50,0 PERCENTUAL 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 Nenhum e 1 a 3 4 a 7 8 a a ou mais menos de 1 GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO

3 3 Essa variação nos anos de estudo pode aparentar pouco significativa, levando-se em conta que o número de mulheres no mercado de trabalho é inferior ao de homens, no entanto elas continuam a buscar equilíbrio, principalmente na escolaridade, igual ou superior à deles, para uma possível equiparação salarial. Os dados dos registros administrativos do Ministério do Trabalho e (MTE) de 2006 indicam uma tendência de inserção da mulher no mercado de trabalho mais tardiamente. Os dados da PNAD apresentam a mesma tendência na taxa de ocupação, demonstrando que há maior inserção da mulher no mercado de trabalho, principalmente na faixa etária entre 30 e 49 anos, e entre os homens ela é menos acentuada. Isso está ocorrendo em razão de mudança nos padrões sociais, quer pela complementação no orçamento familiar, quer pela falta deste ou por a mulher já ter cumprido seu papel dentro da família. Ela volta como aluna à sala de aula e, conseqüentemente, como profissional no mercado de trabalho (gráfico 3). GRÁFICO 3 - EMPREGO POR FAIXA E ETÁRIA E GÊNERO - PARANÁ Homem Mulher 30,0 25,0 PERCENTUAL 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 Até a a a a a ou mais FONTE: MTE / RAIS A remuneração média real 1 da mulher paranaense, segundo dados do MTE, em 2006, foi de R$ 894,33, correspondendo a 5,3%, superior ao crescimento da remuneração masculina no mesmo período, que foi de 3,4%. O aumento da remuneração média, homem e mulher, foi de 3,4%. Nas atividades em que predominam mulheres (Indústria Têxtil, do Vestuário e Artefatos de Tecidos; Serviços de Alojamento, Alimentação, Reparo, Manutenção, Radiodifusão e Televisão; Serviços Médicos, Odontológicos e Veterinários; Ensino; Administração Pública Direta e Indireta), elas receberam, em média, 30,6% a menos que os homens. 1 Atualizado pelo deflator INPC, do IBGE.

4 4 Além disso, na grande maioria das atividades econômicas o ritmo de crescimento da mulher foi superior ao do homem, e mesmo assim o rendimento da mulher paranaense era, em média, 20,9% inferior ao dos homens. Embora muito ponderadamente, as mulheres vêm aumentando sua participação nos empregos de melhor qualidade, nos quais desfrutam de melhores condições de trabalho com o amparo da legislação trabalhista e previdenciária. A informalidade vem diminuindo gradativamente, demonstrando que elas, mesmo recebendo menos que os homens, estão conseguindo ampliar a sua participação no mercado de trabalho formal. O fim da discriminação da mulher ainda está longe, principalmente no que se refere à remuneração do trabalho, porém ela avança em busca de melhores espaços. POPULAÇÃO EM IDADE ATIVA, ECONOMICAMENTE ATIVA E OCUPADA, SEGUNDO FAIXA ETÁRIA E GÊNERO - PARANÁ (mil pessoas) 2005 FAIXA ETÁRIA (anos) PIA PEA PO Total Até a a a a a a ou mais FAIXA ETÁRIA (anos) 2006 PIA PEA PO Total Até a a a a a a ou mais NOTA: PIA = População em Idade Ativa; PEA = População Economicamente Ativa; PO = População Ocupada (População Economicamente Ativa Ocupada)

5 5 TAXAS DE ATIVIDADE, OCUPAÇÃO E DESOCUPAÇÃO, SEGUNDO FAIXA ETÁRIA E GÊNERO - PARANÁ FAIXA ETÁRIA (anos) Taxa de Atividade Taxa de Ocupação Taxa de Desocupação Total 75,60 56,33 65,68 94,27 92,08 93,29 5,73 7,92 6,71 Até 17 30,03 20,42 25,37 84,35 79,59 82,23 15,65 21,09 17,77 18 a 19 78,33 67,03 72,45 85,11 78,69 82,13 15,60 21,31 17,87 20 a 24 90,34 73,03 81,66 89,55 86,77 88,43 10,20 13,23 11,57 25 a 29 95,23 75,11 84,50 94,20 94,03 94,12 5,54 5,97 5,88 30 a 39 95,34 75,15 84,78 96,33 93,17 94,86 3,67 6,83 5,14 40 a 49 93,80 71,09 82,04 97,42 95,83 96,71 2,58 4,37 3,29 50 a 59 84,60 55,80 69,95 96,51 96,35 96,44 3,49 3,65 3,56 60 ou mais 50,87 24,03 36,13 98,71 99,26 98,38 1,72 1,47 1,35 FAIXA ETÁRIA (anos) 2006 Taxa de Atividade Taxa de Ocupação Taxa de Desocupação Total 76,02 56,85 66,08 94,70 91,90 93,47 5,30 8,06 6,53 Até 17 28,98 19,81 24,41 85,27 77,03 81,94 14,29 22,97 17,79 18 a 19 84,15 60,32 71,77 82,47 76,32 80,52 17,53 22,81 19,85 20 a 24 88,76 71,40 80,13 91,14 85,40 88,44 8,86 14,91 11,56 25 a 29 95,90 74,84 84,93 95,96 90,31 93,26 4,04 9,97 6,74 30 a 39 96,52 76,91 86,24 97,50 94,94 96,31 2,36 5,21 3,69 40 a 49 94,53 72,70 82,97 96,09 96,21 96,23 3,75 3,79 3,77 50 a 59 85,54 59,07 71,73 97,14 96,84 97,01 3,10 3,16 2,99 60 ou mais 50,11 25,40 36,52 97,84 98,60 97,86 2,16 1,40 1,87 FAIXA ETÁRIA (anos) 2006 / 2005 Taxa de Atividade Taxa de Ocupação Taxa de Desocupação Total 0,42 0,52 0,40 0,43-0,18 0,18-0,43 0,14-0,18 Até 17-1,05-0,61-0,96 0,92-2,56-0,29-1,36 1,88 0,02 18 a 19 5,82-6,71-0,68-2,64-2,37-1,61 1,93 1,50 1,98 20 a 24-1,58-1,63-1,53 1,59-1,37 0,01-1,34 1,68-0,01 25 a 29 0,67-0,27 0,43 1,76-3,72-0,86-1,50 4,00 0,86 30 a 39 1,18 1,76 1,46 1,17 1,77 1,45-1,31-1,62-1,45 40 a 49 0,73 1,61 0,93-1,33 0,38-0,48 1,17-0,58 0,48 50 a 59 0,94 3,27 1,78 0,63 0,49 0,57-0,39-0,49-0,57 60 ou mais -0,76 1,37 0,39-0,87-0,66-0,52 0,44-0,07 0,52

6 6 POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA, SEGUNDO GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO E GÊNERO - PARANÁ (mil pessoas) GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO Sem instrução e menos de 1 ano a 3 anos a 7 anos a 10 anos a 14 anos anos ou mais Não determinados e sem declaração TOTAL GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO Sem instrução e menos de 1 ano a 3 anos a 7 anos a 10 anos a 14 anos anos ou mais Não determinados e sem declaração TOTAL POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA, SEGUNDO GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO E GÊNERO - PARANÁ GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO Homem Mulher Homem Mulher Homem Mulher Sem instrução e menos de 1 ano 58,9 41,3 55,6 44,4 55,3 44,4 1 a 3 anos 62,7 37,1 59,3 40,5 58,7 41,3 4 a 7 anos 61,7 38,3 61,3 38,7 60,5 39,5 8 a 10 anos 59,4 40,6 58,3 41,7 58,7 41,3 11 a 14 anos 51,2 48,9 51,0 49,0 52,2 47,8 15 anos ou mais 51,7 48,0 48,0 52,3 48,2 51,8 Não determinados e sem declaração 58,5 41,5 52,6 47,4 58,7 41,3 TOTAL 58,1 41,9 56,5 43,5 56,4 43,6 GRUPOS DE ANOS DE ESTUDO Homem Mulher Homem Mulher Homem Mulher Sem instrução e menos de 1 ano 56,8 43,2 56,3 43,7 56,1 43,9 1 a 3 anos 60,0 40,0 58,7 41,3 57,6 42,4 4 a 7 anos 61,4 38,5 61,9 38,2 59,7 40,2 8 a 10 anos 57,7 42,3 57,8 42,2 59,5 40,5 11 a 14 anos 52,6 47,4 50,9 49,1 51,2 48,8 15 anos ou mais 48,3 51,7 45,7 54,3 46,6 53,4 Não determinados e sem declaração 51,2 48,8 56,3 43,8 43,5 60,9 TOTAL 56,6 43,4 55,8 44,2 55,4 44,6

7 7 CARTEIRA ASSINADA EMPREGADOS COM 10 ANOS OU MAIS DE IDADE, SEGUNDO CATEGORIA DO EMPREGO E GÊNERO - PARANÁ (mil pessoas) CATEGORIA DO EMPREGO Com carteira de trabalho assinada Homem Mulher Militares e funcionários públicos estatutários Homem Mulher Outros, sem carteira de trabalho assinada Homem Mulher TOTAL Homem Mulher EMPREGADOS COM 10 ANOS OU MAIS DE IDADE, SEGUNDO CATEGORIA DO EMPREGO E GÊNERO - PARANÁ CATEGORIA DO EMPREGO Com carteira de trabalho assinada 60,3 62,0 62,7 61,7 63,5 64,2 Homem 59,8 62,1 63,5 62,4 63,9 64,2 Mulher 61,2 61,9 61,2 60,6 62,9 64,2 Militares e funcionários públicos estatutários 10,1 9,2 10,3 10,0 10,5 10,8 Homem 7,6 5,9 6,7 6,9 7,4 7,3 Mulher 14,7 14,8 16,3 15,0 15,4 16,1 Outros, sem carteira de trabalho assinada 29,6 28,8 27,0 28,3 26,0 25,0 Homem 32,6 32,0 29,7 30,7 28,8 28,5 Mulher 24,1 23,3 22,4 24,4 21,7 19,7

8 8 EMPREGO SEGUNDO FAIXA E ETÁRIA E GÊNERO - PARANÁ /2006 FAIXA ETÁRIA s % s % s % MASCULINO , , ,1 Até 17 anos , , ,4 18 a 24 anos , , ,0 25 a 29 anos , , ,2 30 a 39 anos , , ,6 40 a 49 anos , , ,8 50 a 64 anos , , ,3 65 anos ou mais , , ,7 Ignorado 200 0,0 19 0,0 25 0,0 FEMININO , , ,9 Até 17 anos , , ,0 18 a 24 anos , , ,9 25 a 29 anos , , ,1 30 a 39 anos , , ,7 40 a 49 anos , , ,9 50 a 64 anos , , ,1 65 anos ou mais , , ,3 Ignorado 76 0,0 8 0,0 13 0,0 TOTAL , , ,0 Até 17 anos , , ,2 18 a 24 anos , , ,5 25 a 29 anos , , ,1 30 a 39 anos , , ,1 40 a 49 anos , , ,6 50 a 64 anos , , ,8 65 anos ou mais , , ,5 Ignorado 276 0,0 27 0,0 38 0,0 FONTE: MTE-RAIS

9 9 EMPREGO SEGUNDO FAIXA E ETÁRIA E GÊNERO - PARANÁ /2006 FAIXA ETÁRIA (anos) s s s HOMEM ,61 747, ,68 879, , ,94 Até ,18 227, ,18 284, ,77 391,78 18 a ,88 392, ,93 474, ,59 627,72 25 a ,80 593, ,30 704, ,26 912,66 30 a ,44 838, ,88 955, , ,67 40 a , , , , , ,20 50 a ,37 962, , , , ,00 65 ou mais ,66 808, , , , ,94 Ignorado ,02 615, ,34 439, ,76 590,44 MULHER ,86 580, ,93 685, ,67 894,33 Até ,47 235, ,79 286, ,68 384,34 18 a ,37 346, ,15 419, ,65 556,79 25 a ,68 506, ,10 591, ,18 776,84 30 a ,75 637, ,34 738, ,14 917,49 40 a ,63 745, ,53 884, , ,65 50 a ,31 678, ,04 807, , ,61 65 ou mais ,04 733, ,17 888, , ,65 Ignorado 76 28,61 376,46 8 2,81 351, ,51 500,54 TOTAL ,47 681, ,61 801, , ,70 Até ,65 229, ,97 284, ,45 389,19 18 a ,25 375, ,08 453, ,24 598,96 25 a ,48 559, ,40 659, ,44 855,78 30 a ,19 756, ,22 865, , ,94 40 a ,89 932, , , , ,59 50 a ,68 858, , , , ,70 65 ou mais ,70 794, , , , ,22 Ignorado ,63 549, ,15 413, ,27 559,69 FONTE: MTE-RAIS

10 10 EMPREGO SEGUNDO GRAU DE INSTRUÇÃO E GÊNERO - PARANÁ / GRAU DE INSTRUÇÃO s s s HOMEM ,61 747, ,68 879, , ,94 Analfabeto ,54 439, ,02 441, ,24 566,09 4ª Série Incompleta ,98 399, ,15 492, ,01 636,59 4ª Série Completa ,30 470, ,57 579, ,45 724,37 8ª Série Incompleta ,44 472, ,85 578, ,02 736,21 8ª Série Completa ,33 512, ,56 612, ,51 765,88 2 Grau Incompleto ,24 561, ,58 600, ,05 730,87 2 Grau Completo ,22 818, ,79 874, , ,28 Superior Incompleto , , , , , ,76 Superior Completo , , , , , ,39 Mestrado , ,37 Doutorado , ,18 MULHER ,86 580, ,93 685, ,67 894,33 Analfabeto ,01 349, ,88 339, ,45 459,72 4ª Série Incompleta ,78 311, ,01 395, ,18 491,55 4ª Série Completa ,08 314, ,71 390, ,26 491,95 8ª Série Incompleta ,59 318, ,99 389, ,78 497,05 8ª Série Completa ,67 347, ,83 413, ,19 522,30 2 Grau Incompleto ,09 355, ,17 433, ,85 534,92 2 Grau Completo ,63 505, ,75 553, ,06 711,90 Superior Incompleto ,01 774, ,36 827, ,40 953,16 Superior Completo , , , , , ,29 Mestrado , ,57 Doutorado , ,16 TOTAL ,47 681, ,61 801, , ,70 Analfabeto ,55 411, ,90 411, ,68 534,70 4ª Série Incompleta ,76 376, ,16 469, ,20 603,46 4ª Série Completa ,38 427, ,28 524, ,71 657,67 8ª Série Incompleta ,03 427, ,84 523, ,80 664,42 8ª Série Completa ,99 458, ,39 547, ,70 682,93 2 Grau Incompleto ,33 485, ,75 541, ,90 661,28 2 Grau Completo ,85 664, ,54 721, ,67 896,88 Superior Incompleto , , , , , ,55 Superior Completo , , , , , ,26 Mestrado , ,90 Doutorado , ,56 FONTE: MTE-RAIS

11 11 ATIVIDADE ECONÔMICA REMUNERAÇÃO MÉDIA SEGUNDO ATIVIDADE ECONÔMICA E GÊNERO - PARANÁ / continua ATIVIDADE ECONÔMICA s s s Extração de Minerais ,54 522, ,80 647, , ,14 Homem ,76 530, ,29 645, , ,93 Mulher ,78 472, ,51 659, , ,22 Minerais não Metálicos ,53 555, ,71 665, ,15 809,62 Homem ,20 558, ,46 670, ,53 817,92 Mulher ,33 532, ,25 620, ,62 735,72 Metalúrgica ,53 563, ,57 719, ,47 929,02 Homem ,99 574, ,10 737, ,17 948,24 Mulher ,54 481, ,48 596, ,31 796,63 Mecânica ,96 924, , , , ,58 Homem ,20 940, , , , ,67 Mulher ,76 791, , , , ,66 Materiais Elétricos e de Comunicação , , , , , ,97 Homem , , , , , ,18 Mulher ,25 708, ,51 827, ,68 843,14 Materiais de Transporte , , , , , ,32 Homem , , , , , ,44 Mulher , , , , , ,86 Madeira e do Mobiliário ,26 409, ,07 529, ,83 721,96 Homem ,29 416, ,03 542, ,74 744,06 Mulher ,97 363, ,04 460, ,09 621,13 Papel, Papelão, Editorial e Gráfica ,28 810, ,34 956, , ,50 Homem ,68 854, , , , ,93 Mulher ,60 657, ,16 773, ,45 940,56 Borracha, Fumo, Couros, Peles, Produtos Similares e Indústria ,42 566, ,44 703, ,06 904,39 Diversa Homem ,25 624, ,98 762, , ,14 Mulher ,16 430, ,45 565, ,81 687,42 Química, Produtos Farmacêuticos, Veterinários, Perfumaria, Sabões, ,51 850, ,89 966, , ,12 Velas e Matérias Plásticas Homem ,26 952, , , , ,19 Mulher ,26 538, ,04 637, ,71 860,11 Têxtil, do Vestuário e Artefatos de Tecidos ,95 319, ,74 392, ,62 521,64 Homem ,09 413, ,39 501, ,48 628,96 Mulher ,85 278, ,34 344, ,14 473,24 Indústria de Calçados ,17 310, ,44 399, ,81 556,43 Homem ,25 322, ,36 413, ,50 593,83 Mulher ,92 286, ,07 371, ,31 490,52 Indústria de Produtos Alimentícios, de Bebida e Álcool Etílico ,08 533, ,21 629, ,96 791,94 Homem ,17 582, ,45 688, ,58 876,17 Mulher ,90 400, ,76 481, ,38 621,02 Serviços Industriais de Utilidade Pública , , , , , ,41 Homem , , , , , ,37 Mulher , , , , , ,49

12 12 REMUNERAÇÃO MÉDIA SEGUNDO ATIVIDADE ECONÔMICA E GÊNERO - PARANÁ / conclusão ATIVIDADE ECONÔMICA s s s Construção Civil ,26 573, ,41 674, ,20 821,52 Homem ,98 569, ,58 676, ,18 820,41 Mulher ,28 618, ,82 654, ,03 839,68 Comércio Varejista ,84 426, ,00 519, ,56 664,50 Homem ,42 471, ,08 574, ,63 726,67 Mulher ,41 361, ,92 443, ,93 584,69 Comércio Atacadista ,18 615, ,36 753, , ,97 Homem ,38 654, ,83 804, , ,25 Mulher ,80 490, ,53 593, ,48 816,55 Instituições de Crédito, Seguro e de Capitalização , , , , , ,56 Homem , , , , , ,63 Mulher , , , , , ,58 Administradoras de Imóveis, Valores Mobiliários, Serviços Técnicos Profissionais, Auxiliar Atividade ,53 608, ,61 718, ,17 879,44 Econômica Homem ,03 678, ,91 795, ,47 984,81 Mulher ,50 479, ,70 579, ,70 715,96 Transporte e Comunicações ,45 794, ,97 898, , ,84 Homem ,62 809, ,95 915, , ,71 Mulher ,83 706, ,02 788, ,04 970,36 Serviços de Alojamento, Alimentação, Reparo, Manutenção, ,86 468, ,91 571, ,26 705,70 Radiodifusão e Televisão Homem ,19 564, ,18 683, ,44 819,66 Mulher ,66 383, ,73 479, ,82 618,75 Serviços Médicos, Odontológicos e Veterinários ,37 552, ,22 654, , ,28 Homem ,52 747, ,83 879, , ,11 Mulher ,85 506, ,39 599, ,14 911,09 Ensino , , , , , ,13 Homem , , , , , ,41 Mulher ,17 857, , , , ,74 Administração Pública Direta e Indireta ,73 927, , , , ,61 Homem , , , , , ,78 Mulher ,47 781, ,81 935, , ,20 Agricultura, Silvicultura, Criação de Animais, Extração Vegetal e Pesca ,58 357, ,73 462, ,05 646,66 Homem ,02 362, ,22 470, ,42 661,65 Mulher ,55 309, ,51 400, ,63 553,04 Atividade não Especificada ou Classificada Homem Mulher TOTAL ,47 681, ,61 801, , ,70 Homem ,61 747, ,68 879, , ,94 Mulher ,86 580, ,93 685, ,67 894,33 FONTE: MTE-RAIS

13 13 ATIVIDADES RELACIONADAS AO TURISMO ÍNDICE DE MÃO-DE-OBRA FEMININA EM RELAÇÃO À MASCULINA, SEGUNDO ATIVIDADE ECONÔMICA NO TURISMO - PARANÁ ATIVIDADE ECONÔMICA Meios de Hospedagem 1,31 1,35 1,43 1,46 1,50 1,51 Serviços de Alimentação 1,36 1,42 1,43 1,42 1,54 1,57 Transporte Rodoviário 0,13 0,12 0,13 0,13 0,15 0,16 Transporte Aéreo Regular 0,53 0,54 0,50 0,56 0,62 0,64 Transporte Aéreo não Regular 0,24 0,27 0,30 0,27 0,33 0,28 Agências de Viagens 0,81 0,86 1,09 1,06 1,03 1,12 Aluguel de Automóveis 0,18 0,18 0,19 0,23 0,23 0,50 Atividades Recreativas 0,58 0,58 0,61 0,64 0,65 0,65 TOTAL 0,84 0,88 0,90 0,92 1,00 1,04 FONTE: MTE-RAIS

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS O número de empregos formais no estado alcançou 1,514 milhão em dezembro de 2014, representando

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/2015 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/2015 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou os dados do Cadastro Geral de Empregados

Leia mais

ANÁLISE CONJUNTURAL DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO CATARINENSE: 2012-2013

ANÁLISE CONJUNTURAL DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO CATARINENSE: 2012-2013 GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE COORDENAÇÃO ESTADUAL DO SISTEMA NACIONAL DE EMPREGO SINE SETOR

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Estado de São Paulo 2 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

11º FÓRUM DE ECONOMIA DA FGV. Qual o Ajustamento Macroeconômico Necessário? As questões dos salários.

11º FÓRUM DE ECONOMIA DA FGV. Qual o Ajustamento Macroeconômico Necessário? As questões dos salários. 11º FÓRUM DE ECONOMIA DA FGV Qual o Ajustamento Macroeconômico Necessário? As questões dos salários. Resultados das negociações coletivas gradativamente superaram o INPC e têm aumento real aproximado de

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará BOLETIM MERCADO DE TRABALHO PARAENSE

Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará BOLETIM MERCADO DE TRABALHO PARAENSE Fapespa BOLETIM MERCADO DE TRABALHO PARAENSE FEVEREIRO 2015 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene Governador do Estado do Pará José da Cruz Marinho Vice-Governador do Estado do Pará Fapespa

Leia mais

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás.

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. O Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8 de março, traz avanços do gênero feminino no mercado de trabalho formal. Segundo informações disponibilizadas

Leia mais

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO 12 março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO Expediente Esta é uma publicação da Fundação Perseu Abramo. Diretoria

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Manutenção das desigualdades nas condições de inserção

Manutenção das desigualdades nas condições de inserção A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MARÇO 2014 Manutenção das desigualdades nas condições de inserção De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Pesquisa Mensal de Emprego PME Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Algumas das principais

Leia mais

informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará

informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene Governador do Estado do Pará José da Cruz Marinho Vice-Governador do Estado do Pará Fapespa

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CURITIBA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CURITIBA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CURITIBA Relatório Especial sobre a Mulher no Mercado de Trabalho de Curitiba-PR Contrato de Prestação de Serviços Nº. 17731/2007 - PMC / DIEESE MARÇO DE 2010 EXPEDIENTE DA

Leia mais

Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste

Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste Introdução De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

SÉRIE 2013, Nº 02 - MESORREGIÃO NORTE CATARINENSE

SÉRIE 2013, Nº 02 - MESORREGIÃO NORTE CATARINENSE SÉRIE 2013, Nº 02 - MESORREGIÃO NORTE CATARINENSE GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE SISTEMA NACIONAL

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: MATO GROSSO DO SUL

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: MATO GROSSO DO SUL MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: MATO GROSSO DO SUL O número de empregos formais no estado alcançou 653,6 mil em dezembro de 2014, representando

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: SANTA CATARINA

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: SANTA CATARINA MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: SANTA CATARINA O número de empregos formais no estado alcançou 2,274 milhões em dezembro de 2014, representando

Leia mais

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina A 5ª edição do Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa é um dos produtos elaborados por meio

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: CEARÁ

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: CEARÁ MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: CEARÁ O número de empregos formais no estado alcançou 1,552 milhão em dezembro de 2014, representando

Leia mais

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae)

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Metodologia Entrevistas por telefone com 9.657 Microempreendedores Individuais feitas em abril de 2015. Análise da base de dados do Microempreendedor Individual

Leia mais

OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2015

OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2015 OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2015 OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS E m comemoração ao 20 de novembro, consagrado como o Dia da Consciência Negra, o DIEESE

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA DE TRABALHO ASSINADA 2003-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 2 Pesquisa Mensal de Emprego - PME I - Introdução A Pesquisa

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E

O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E 2012 Camila Cristina Farinhaki Henrique Alves dos Santos Lucas Fruet Fialla Patricia Uille Gomes Introdução Este artigo tem como objetivo

Leia mais

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Novembro 2013 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO O mercado de trabalho em 2012 Dia Nacional da Consciência Negra A rota de redução de desigualdades na RMSP O crescimento

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO NO AGLOMERADO URBANO SUL

O MERCADO DE TRABALHO NO AGLOMERADO URBANO SUL O MERCADO DE TRABALHO NO AGLOMERADO URBANO SUL Abril /2007 O MERCADO DE TRABALHO NO AGLOMERADO URBANO SUL A busca de alternativas para o desemprego tem encaminhado o debate sobre a estrutura e dinâmica

Leia mais

Gênero e trabalho na terceira idade

Gênero e trabalho na terceira idade 97 Gênero e trabalho na terceira idade Norma Herminia Kreling* Com as transformações demográficas ocorridas nos últimos anos, o envelhecimento populacional deixa de ser um fenômeno restrito aos países

Leia mais

{dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE

{dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE {dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE A taxa de desocupação ficou praticamente estável, pois suas variações em relação a março (9,0%) de 2009 e também a abril de 2008 (8,5%)

Leia mais

O mercado de trabalho no biênio 2011-2012. Dia Nacional da Consciência Negra

O mercado de trabalho no biênio 2011-2012. Dia Nacional da Consciência Negra PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 Novembro 2013 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO DO ABC O mercado de trabalho no biênio 2011-2012 Dia Nacional da Consciência Negra 1. Compreende

Leia mais

3Apesar dos direitos adquiridos pelas

3Apesar dos direitos adquiridos pelas objetivo. promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres mulheres ao longo do século 20, ainda há considerável desigualdade entre os gêneros no mundo. Em geral, as mulheres sofrem com a

Leia mais

Participação de mulheres no mercado formal de trabalho em Diadema cresce, mas homens ainda são maioria.

Participação de mulheres no mercado formal de trabalho em Diadema cresce, mas homens ainda são maioria. BOLETIM DO OBSERVATÓRIO ECONÔMICO Agosto 2013 Nº1 População Economicamente Ativa representa 52,9% da população total em Diadema. A população de Diadema, conforme o Censo IBGE 2010, era de 386.089 habitantes.

Leia mais

Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013

Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013 SEBRAE (Org.) Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013 São Paulo, 2013 SEBRAE (Org.) S492a Anuário

Leia mais

Mercado de Trabalho nas Regiões Metropolitanas em 2015

Mercado de Trabalho nas Regiões Metropolitanas em 2015 Mercado de Trabalho nas Regiões Metropolitanas em 2015 As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego mostram que a taxa de desemprego cresceu nas regiões metropolitanas pesquisadas. O DIEESE

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese 2014 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese Dieese Subseção Força Sindical 19/09/2014 PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICILIOS - PNAD 2013 Síntese dos Indicadores POPULAÇÃO A Pesquisa

Leia mais

Figura 2 Pirâmide etária em percentual - Goiás, 2013.

Figura 2 Pirâmide etária em percentual - Goiás, 2013. PNAD 2013: Uma análise para o Estado de A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2013, realizada anualmente pelo Instituto eiro de Geografia e Estatística (IBGE), é dividida em duas partes,

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em maio, o conjunto das

Leia mais

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS Em 5 de agosto de 2013 foi sancionado o Estatuto da Juventude que dispõe sobre os direitos da população jovem (a Cidadania, a Participação Social e Política e a Representação Juvenil, a Educação, a Profissionalização,

Leia mais

A inserção das mulheres nos mercados de trabalho metropolitanos e a desigualdade nos rendimentos

A inserção das mulheres nos mercados de trabalho metropolitanos e a desigualdade nos rendimentos A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO MARÇO 2013 A inserção das mulheres nos mercados de trabalho metropolitanos e a desigualdade nos rendimentos De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 17 outubro de 2014 Organização:

Leia mais

Anuário das MULHERES. Empreendedoras. e Trabalhadoras em Micro e. Pequenas Empresas

Anuário das MULHERES. Empreendedoras. e Trabalhadoras em Micro e. Pequenas Empresas Anuário das MULHERES Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2014 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto

Leia mais

Luciana Nussbaumer Andréia S Gnoatto Clarissa Gleich Rita Luedke Virgínia Dapper

Luciana Nussbaumer Andréia S Gnoatto Clarissa Gleich Rita Luedke Virgínia Dapper SAÚDE INTEGRAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ECONOMICAMENTE ATIVOS: AGRAVOS RELACIONADOS AO TRABALHO NOTIFICADOS NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO RIO GRANDE DO SUL EM 2007 Luciana Nussbaumer

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Formalização das relações de trabalho

Formalização das relações de trabalho PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Formalização das relações de trabalho SÚMARIO EXECUTIVO O aumento da proporção de ocupações com relações de trabalho formalizadas,

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA JUNHO DE 2014 Redução da taxa de desemprego Ano 20 - Número 6 1. A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED),

Leia mais

SÉRIE 2013, Nº 05 - MESORREGIÃO SUL CATARINENSE

SÉRIE 2013, Nº 05 - MESORREGIÃO SUL CATARINENSE SÉRIE 2013, Nº 05 - MESORREGIÃO SUL CATARINENSE GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE SISTEMA NACIONAL

Leia mais

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia Metodologia 1 SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Considerações gerais O PIB mensal é um índice de acompanhamento da economia paulista e tem como propósito principal oferecer uma visão

Leia mais

A MULHER EMPREENDEDORA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ

A MULHER EMPREENDEDORA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ A MULHER EMPREENDEDORA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ 1.0 Introdução Prof. Dr. Joilson Dias Assistente Científica: Cássia Kely Favoretto Costa Departamento de Economia Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero.

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Pesquisa O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Introdução Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e políticas capazes de ampliar a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/12/1958 - Distância da capital: 128 km - Área: 130 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Borborema Potiguar - População: 4.217 (IBGE/2007)

Leia mais

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres META 3 Eliminar as disparidades entre os sexos no ensino fundamental e médio, se possível, até 2005, e em todos os níveis de ensino, o mais

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Março de 2015 A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 Em 2014, a presença de

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DO TRABALHO DOMÉSTICO REMUNERADO NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS

AS CARACTERÍSTICAS DO TRABALHO DOMÉSTICO REMUNERADO NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS A MULHER NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS MARÇO 2008 Especial - Abril 2011 AS CARACTERÍSTICAS DO TRABALHO DOMÉSTICO REMUNERADO NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS Em homenagem ao Dia Nacional

Leia mais

PED ABC Novembro 2015

PED ABC Novembro 2015 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 Novembro 2015 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO DO ABC Diferenciais de inserção de negros e não negros no mercado de trabalho em 2013-2014 Dia

Leia mais

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou o saldo de empregos dos principais setores da economia, através

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

A participação feminina no mercado de trabalho: observações sobre as docentes no ensino privado brasileiro 2013

A participação feminina no mercado de trabalho: observações sobre as docentes no ensino privado brasileiro 2013 A participação feminina no mercado de trabalho: observações sobre as docentes no ensino privado brasileiro 2013 Qual a importância da discussão de gênero no mercado de trabalho? O campo de atuação profissional

Leia mais

PROJETO DE FORTALECIMENTO DO GERENCIAMENTO COSTEIRO NO LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL PNMA II

PROJETO DE FORTALECIMENTO DO GERENCIAMENTO COSTEIRO NO LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL PNMA II PROJETO DE FORTALECIMENTO DO GERENCIAMENTO COSTEIRO NO LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL PNMA II MATRIZ ECONÔMICA DO LITORAL NORTE Porto Alegre, abril de 2002 Introdução 4 1 A População 4 2 A Economia

Leia mais

A INSERÇÃO DOS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS

A INSERÇÃO DOS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2013 A INSERÇÃO DOS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS A sociedade brasileira comemora, no próximo dia 20 de novembro, o Dia da

Leia mais

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DO DISTRITO FEDERAL Novembro de 2010 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO E O ACESSO AO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA Em comemoração ao Dia da Consciência Negra

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2016. PME Retrospectiva 2003-2015 13 anos Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento 1 (IBGE / DPE / COREN) 1 Rio de Janeiro,

Leia mais

Tabelas anexas Capítulo 7

Tabelas anexas Capítulo 7 Tabelas anexas Capítulo 7 Tabela anexa 7.1 Indicadores selecionados de inovação tecnológica, segundo setores das indústrias extrativa e de transformação e setores de serviços selecionados e Estado de São

Leia mais

SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro

SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DEZEMBRO DE 2012 18 2012 PANORAMA GERAL

Leia mais

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA RMBH EM 2007

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA RMBH EM 2007 MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ESPECIAL NEGROS Novembro de 2008 NOVEMBRO de 2008 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA RMBH EM 2007 Na Região Metropolitana de Belo Horizonte

Leia mais

PALAVRA DO PRESIDENTE

PALAVRA DO PRESIDENTE PALAVRA DO PRESIDENTE A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria CNTI por meio da Secretaria para Assuntos do Trabalho da Mulher, do Idoso e da Juventude, dando seguimento ao nosso trabalho

Leia mais

Dezembro de 2014 * INTERROMPE-SE A RECUPERAÇÃO DO NÍVEL OCUPACIONAL

Dezembro de 2014 * INTERROMPE-SE A RECUPERAÇÃO DO NÍVEL OCUPACIONAL MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE Ano 23 - Número 12 Dezembro de 2014 * INTERROMPE-SE A RECUPERAÇÃO DO NÍVEL OCUPACIONAL As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego. Abril 2011

Pesquisa Mensal de Emprego. Abril 2011 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2011 1 1 Rio de Janeiro, 26/05/2011 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro O Janeiro

Leia mais

Pesquisa / Estudo (Análise de Dados)

Pesquisa / Estudo (Análise de Dados) SUBPROJETO I DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA DE ANÁLISE DE MERCADO DE TRABALHO MUNICIPAL E QUALIFICAÇÃO SOCIAL PARA APOIO À GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA Pesquisa / Estudo (Análise

Leia mais

Emprego doméstico na Região Metropolitana de Porto Alegre em 2013

Emprego doméstico na Região Metropolitana de Porto Alegre em 2013 EMPREGO DOMÉSTICO NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE ABRIL 2014 Emprego doméstico na Região Metropolitana de Porto Alegre em Em, diminuiu o número de empregadas domésticas na

Leia mais

I - A inserção dos trabalhadores negros nos mercados de trabalho metropolitanos entre 1998 e 2004

I - A inserção dos trabalhadores negros nos mercados de trabalho metropolitanos entre 1998 e 2004 DESIGUALDADE RACIAL EM MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS (ROTEIRO DE DIVULGAÇÃO) Embora a segregação racial esteja presente em várias manifestações e estruturas da sociedade brasileira, o mercado de

Leia mais

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA SETEMBRO /2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1. Dimensão e características da ocupação no setor da construção civil no Brasil e na Bahia (2000 e 2010)...

Leia mais

A INDÚSTRIA DO ESTADO DA BAHIA. Estrutura

A INDÚSTRIA DO ESTADO DA BAHIA. Estrutura A INDÚSTRIA DO ESTADO DA BAHIA Estrutura A principal característica da indústria do é a pequena diversificação de sua estrutura. Os quatro gêneros mais significativos de indústria química, metalúrgica,

Leia mais

NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO

NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO Abril de 2015 1 Sumário Executivo O trabalho utiliza a mesma base de dados e metodologia que o elaborado pela CUT/DIEESE, ou seja, agregações de setores terceirizados e contratantes

Leia mais

Qualificação e Mercado de Trabalho: Apontamentos para política pública em regiões metropolitanas

Qualificação e Mercado de Trabalho: Apontamentos para política pública em regiões metropolitanas Qualificação e Mercado de Trabalho: Apontamentos para política pública em regiões metropolitanas Rede de Pesquisa Formação e Mercado de Trabalho 25.10.2012 Estudos com base PED: 2008: Projeto MTE / DIEESE

Leia mais

Aeconomia brasileira tem passado por constantes

Aeconomia brasileira tem passado por constantes Populaçăo de 10 anos ou mais de idade: taxas e desocupaçăo Aeconomia brasileira tem passado por constantes transformaçőes. Portanto, conhecer e acompanhar os movimentos que orientam estas mudanças é de

Leia mais

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. A mulher no setor privado de ensino em Caxias do Sul.

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. A mulher no setor privado de ensino em Caxias do Sul. Pesquisa A mulher no setor privado de ensino em Caxias do Sul. Introdução Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e políticas capazes de ampliar a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Leia mais

DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa

DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa São Paulo, 05 de dezembro de 2011 NOTA À IMPRENSA DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa O aumento no número de estabelecimentos de micro e pequenas empresas no Brasil, bem

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO MARÇO DE 2009 DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO N o 292 N o 266 Desemprego cresce, mas indústria e serviços param de demitir Demissões no Comércio

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR.

NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR. NÍVEL DE EMPREGO, ESCOLARIDADE E RENDA NO RAMO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS, SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS, DE CAMPO MOURÃO-PR Área: ECONOMIA LOPES, Janete Leige PEREIRA, Kelli Patrícia PONTILI, Rosangela

Leia mais

Diretoria. Boletim Informativo - Emprego em Abril de 2015. Presidente Aarão Ruben de Oliveira Vice-Presidente Jorge Alberto Taiar. Dr.

Diretoria. Boletim Informativo - Emprego em Abril de 2015. Presidente Aarão Ruben de Oliveira Vice-Presidente Jorge Alberto Taiar. Dr. Boletim Informativo Emprego em Guarulhos Mês de referência: abril/2015 Boletim Informativo - Emprego em Abril de 2015 Diretoria Presidente Aarão Ruben de Oliveira Vice-Presidente Jorge Alberto Taiar Secretário

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

O Emprego Doméstico na Região Metropolitana de Belo Horizonte em 2013

O Emprego Doméstico na Região Metropolitana de Belo Horizonte em 2013 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE Ano 19 Nº 13 - O Emprego Doméstico na Região Metropolitana de Belo Horizonte em A partir da aprovação da Emenda Constitucional n 72,

Leia mais

Expediente: Autor: Érika Andreassy Editor Responsável: Érika Andreassy Diagramação: Érika Andreassy Abril/ 2012 2

Expediente: Autor: Érika Andreassy Editor Responsável: Érika Andreassy Diagramação: Érika Andreassy Abril/ 2012 2 A mulher no mercado de trabalho e na organização sindical Expediente: Produzido pelo Instituto Latinoamericano de Estudos Socioeconômicos. Praça Padre Manuel da Nóbrega, 16-4º andar. Sé - São Paulo SP.

Leia mais

Desafios e Oportunidades do IFRN: Aspectos Econômicos e Desenvolvimento Regional numa Perspectiva de Consolidação de CT&I

Desafios e Oportunidades do IFRN: Aspectos Econômicos e Desenvolvimento Regional numa Perspectiva de Consolidação de CT&I Desafios e Oportunidades do IFRN: Aspectos Econômicos e Desenvolvimento Regional numa Perspectiva de Consolidação de CT&I José Yvan Pereira Leite leite@cefetrn.br Fonte: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA

Leia mais

EMPRESAS DO BRASIL E NORDESTE Ano IV N O 20

EMPRESAS DO BRASIL E NORDESTE Ano IV N O 20 O nosso negócio é o desenvolvimento EMPRESAS DO BRASIL E NORDESTE Ano IV N O 20 ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE Superintendente José Narciso Sobrinho Ambiente de Estudos, Pesquisas

Leia mais

V Pedreiros e Vendedores. 1 Introdução

V Pedreiros e Vendedores. 1 Introdução V Pedreiros e Vendedores 1 Introdução No contexto da análise dos trabalhadores por conta própria, tendo em vista a destacada participação nos grupamentos de atividades da construção (17,4%) e do comércio

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

3 O Magnetismo à primeira oportunidade. Características Conjunturais do Comércio Varejista de Araraquara:

3 O Magnetismo à primeira oportunidade. Características Conjunturais do Comércio Varejista de Araraquara: Núcleo de Conjuntura e Estudos Econômicos Coordenador: Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - UNESP FCL/UNESP/Araraquara Características Conjunturais do Comércio

Leia mais

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução O Modelo de Geração de Empregos do BNDES 1 (MGE) estima o número de postos de

Leia mais