SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica"

Transcrição

1 Especializações em Transportes e Vias de Comunicação e Sistemas de Informação Geográfica Transportes / SIG / INSPIRE Painel Lisboa 6 novembro 2012 SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica Eduardo M. R. Moutinho (APS) OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

2 Índice Enquadramento do Porto de Sines Porto de Sines Localização Estratégica Principais Características Projeto SIIG Introdução Objetivos do Projeto Áreas Funcionais Módulos do Projeto Integrações do Projeto Portal SIIG Equipa de Projeto e Solução tecnológica Especialização em Transportes e Vias de Comunicação Transportes / SIG / INSPIRE Painel Lisboa 6 novembro 2012 OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

3 Porto de Sines Porta Atlântica da Europa O Porto de Sines é um porto marítimo e um dos maiores portos de águas profundas da Europa, localizado na costa atlântica de Portugal. OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

4 OCEANO ATLÂNTICO Localização Estratégica Sines localiza-se na confluência das principais rotas marítimas internacionais, Norte-Sul e Este- Oeste. NORTE DA EUROPA AMÉRICA DO NORTE CANAL DO PANAMÁ SUL DA EUROPA NORTE DE ÁFRICA MÉDIO ORIENTE EXTREMO ORIENTE AMÉRICA DO SUL ÁFRICA MAR MEDITERRÂNEO OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

5 Principais características / Acessos Principal porto nacional em movimentação de carga 5 Terminais Especializados Terminal de Graneis Líquidos, Petroquímico, Carga Geral, Gás Natural Liquefeito e Contentores 3 Portos Interiores Porto de Pesca, Serviços e Recreio. Competitividade Operacional Operação 365dias/ano 24h/24h Sem constrangimentos urbanos e com excelentes capacidades de expansão Industrial e Logística Forte aposta em Tecnologias Informação Despacho electrónico de navios e carga JUP Controlo de Acessos e Segurança CUP Controlo de Tráfego de Navios VTS Planeamento de Operações portuárias SIIG Liquid Bulks Liquefied Natural Gas Petrochemical Containers Dry Bulks General Cargo and Ro-Ro OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

6 Eduardo M. R. Moutinho Administração do Porto de Sines, S.A. PORTUGAL SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica Sistema de Gestão Portuária do Porto de Sines Ordem dos Engenheiros, 6 de Novembro 2012 OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

7 Introdução O Porto de Sines num esforço de modernização implementou o SIIG - Sistema de Identificação e Informação Geográfica, uma plataforma transversal, totalmente suportado em tecnologia ArcGIS, integrando todas as áreas funcionais do porto. O SIIG é baseado num portal web, com sete módulos funcionais, de suporte às áreas de engenharia, ordenamento, concessões e áreas dominais, planeamento de operações portuárias, ambiente, segurança e estatística, dando suporte às decisões com base em informação alfanumérica e geográfica estática e dinâmica, sobre o seu hinterland e foreland. OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

8 Objetivos do Projeto SIIG 1. Visualização e a integração de dados dinâmicos; 2. Visualização em tempo real do movimento dos navios e suporte ao planeamento de operações portuárias, com a integrando das regras e restições relacionadas com as manobras de navios, recursos e infraestruturas disponíveis; 3. Gestão da actividade portuária diária com base em informação georreferênciada; 4. Integração com os sistemas existentes e simplificar o acesso à informação a toda a empresa; 5. Implementar maior eficiência nos procedimentos existentes; 6. Aumentar a competitividade do Porto de Sines. OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

9 SIIG Áreas Funcionais O SIIG é um sistema de apoio à gestão portuária para o Porto de Sines Ordenamento e Portu Cadastro á rio Concessões Cadastro e e Áreas Infraestruturas Dominiais Planeamento Concessões Operações Á reas Dominiais Portuárias Novas Áreas Funcionais PLATAFORMA SIIG Segurança Ambiente Estatística Novas Futuras Áreas Á reas Funcionais funcionais OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

10 Módulo de Backoffice Módulos do Projecto SIIG Módulo Base Módulo de Ordenamento e Cadastro Portuário SIIG Módulo de Concessões Módulo de Planeamento de Operações Portuárias Módulo de Segurança Módulo de Ambiente Módulo de Indicadores Estatísticos OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

11 Integrações do Projecto Projecto SIIG tem 7 integrações com outros sistemas AIS Automatic Identification Vessels System JUP Janela Única Portuária SSP Sistema de Supervisão Portuária CUP Cartão Único Portuário ALOHA Modelação de Incidentes ambientais SAP Sistema de Gestão Empresarial DW Data Warehouse OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

12 Portal SIIG OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

13 1. Módulo Base Acesso a todos utilizadores do porto Funcionalidades base de SIG transversais a todos os módulos: Visualização Inquirição Impressão normalizada Medição e Desenho Localização e identificação: Terminais, edifícios e vias Navios em porto Áreas de codificação do porto Acesso a plantas de edifícios Pedido de cópias das plantas OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

14 2. Módulo de Ordenamento e Cadastro Identificação e caracterização do Edificado Gestão da manutenção do edificado (SAP) Gestão de Infraestruturas e equipamentos Confrontação de temas com produção de relatórios de resultados Proximidade de redes com produção de relatórios de resultados Gestão de Cadastro Predial na AJAPS Identificação de Projetos em arquivo Pedido de cópias das plantas OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

15 3. Módulo Concessões e Áreas Dominiais Identificação e produção de relatórios: Áreas Dominiais Concessões Áreas disponíveis de expansão Identificação do Edificado e Acesso às plantas de edifícios e concessões Acesso aos consumos por concessão e edifícios Confrontação de temas, com produção de relatórios de resultados Proximidade de redes, com produção de relatórios de resultados Pedido de cópias das plantas OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

16 4. Módulo de Segurança Mapeamento e consulta das áreas de segurança, restritas, condicionadas, internacionais (Código ISPS); Consultar em tempo real do número total de pessoas e viaturas, nas instalações portuárias (CUP); Visualização em tempo real das câmaras de vídeo do porto (SSP); Cálculo do percurso mais curto entre dois pontos; Informação meteorológica; Modulação de incidentes ambientais com ALOHA (EPA/NOAA). OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

17 5. Módulo de Ambiente Gestão do Plano Geral de Monitorização Ambiental Mapeamento e Identificação dos pontos de monitorização das águas, pontos de descarga, areia da praia Visualização e consulta das análises e produção de relatórios Visualização e consulta dos consumos da água, energia, gás gasóleo e produção de resíduos Informação meteorológica Cálculo de percursos mais curtos entre dois pontos Modulação de incidentes ambientais com ALOHA (EPA/NOAA) OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

18 6. Módulo de Planeamento de Operações Portuárias Identificação de navios e cargas Visualização, pesquisa e análise das operações portuárias Visualização em tempo real dos dados cinemáticos do AIS dos navios (AIS) Criação de cenários de operações portuárias e desenvolvimento de acções (JUP) Cálculo de rotas marítimas Vídeo do histórico do movimento portuário (30 dias) Consulta do movimento de carga por Terminal Consulta de documentos OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

19 7. Indicadores Estatísticos Disponibilidade em tempo real dos dados estatísticos do Data Warehouse para a gestão do porto OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

20 SIIG como Sistema de Gestão Portuária O SIIG é uma ferramenta chave para a interoperabilidade de todos os sistemas no porto e toda a informação cartográfica e tabular que é usada na gestão das diferentes de operações realizadas no porto todos os dias. SIIG: Facilita o acesso à informação a toda empresa, integrando com os sistemas em funcionamento Aumenta os níveis de eficiência na gestão e supervisão portuária Aumenta os níveis de segurança e operacionalidade Maximiza a utilização das infraestruturas portuárias e meios humanos existentes na APS OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

21 Equipa da Projeto SIIG Solução Tecnológica OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

22 Informação Geográfica O Projeto implicou o carregamento e classificação massiva de informação, da qual se destaca alguma das mais significativas: Limites administrativos, da área de jurisdição marítima e terrestre da APS (AJAPS). Limites administrativos de entidades envolventes CMS e AICEP (PDM, PU PUZILS). Limites dos instrumentos de ordenamento do território (CAOP, PNMP, POEM, REN, PNSACV). Limites das áreas dominiais de concessão e licenciamento, expansão na AJAPS. Limites das áreas de segurança na AJAPS (áreas internacionais, restritas e condicionadas). Ortofotos de 2004, 2007 e 2010 da AJAPS. Rotas dos serviços regulares no porto de Sines. Rede de portos internacionais, mais de 2000 portos referenciados. Redes rodoviária e ferroviária da AJAPS e na Europa. Infraestruturas marítimas de proteção e abrigo Infraestruturas marítimas de acostagem Hidrografia oficial da CENO Carta Eletrónica Náutica Oficial do Instituto Hidrográfico, com batimetria geral e de pormenor. Edificado na AJAPS edifícios levantados, dos quais 108 da APS. Cadastro de 12 redes de infraestruturas enterradas, na área de jurisdição da (Redes de Águas, Rede de Drenagem e Esgotos, Rede Elétrica, Terras, Iluminação Pública, Telecomunicações e Fibra Ótica, Rede de Gás) Cadastro de equipamentos, mais de 2500 elementos referenciados, dos quais 267 cabeços de amarração, 1659 caixas, 85 contadores, entre outros. Cadastro Geométrico da AJAPS e envolvente com 898 artigos. Análises biológicas e químicas dos planos de observação ambiental na AJAPS de 2001 a OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

23 Sala de Planeamento de Operações Portuárias OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

24 Especializações em Transportes e Vias de Comunicação e Sistemas de Informação Geográfica Transportes / SIG / INSPIRE Painel Lisboa 6 novembro 2012 Obrigado OE - Transportes / SIG / INSPIRE, 6 Novembro

Universidade de Lisboa,

Universidade de Lisboa, Universidade de Lisboa, 2016.03.04 Os Espaços Marítimos Nacionais 200 MI SUBÁREA AÇORES SUBÁREA CONTINENTE SUBÁREA MADEIRA LEGENDA MAR TERRITORIAL ZONA CONTÍGUA ZEE (coluna de água) e PLATAFORMA CONTINENTAL

Leia mais

Porto de Sines, Porta Atlântica da Europa

Porto de Sines, Porta Atlântica da Europa Porto de Sines, Porta Atlântica da Europa Idalino José Diretor de Infraestruturas e Ordenamento IECE 2016 Inovação na Engenharia para a Competitividade Económica 27/10/2016 Posicionamento Geoestratégico

Leia mais

IX CONGRESSO DA AGEPOR 9 e 10 de Outubro/Douro

IX CONGRESSO DA AGEPOR 9 e 10 de Outubro/Douro IX CONGRESSO DA AGEPOR 9 e 10 de Outubro/Douro ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O SETOR MARÍTIMO-PORTUÁRIO (2006) VISÃO ESTRTÉGICA Reforçar a centralidade euro-atlântica de Portugal Aumentar fortemente a

Leia mais

O FUTURO DO PORTO DE LISBOA. Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária

O FUTURO DO PORTO DE LISBOA. Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária O FUTURO DO PORTO DE LISBOA Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária 17 de março de 2017 Alcântara Cruise Terminal - 15 Terminais Portuários - Porto Multifuncional com uma Oferta Multimodal

Leia mais

Um porto de excelência, moderno e competitivo

Um porto de excelência, moderno e competitivo Um porto de excelência, moderno e competitivo Porto de Viana do Castelo O porto de Viana do Castelo tem uma longa história que radica na ocupação romana, se estende pela época dos Descobrimentos e se afirma

Leia mais

CDNM Web Centro de Despacho de Navios e Mercadorias. CDNM Web GESTÃO PORTUÁRIA

CDNM Web Centro de Despacho de Navios e Mercadorias. CDNM Web GESTÃO PORTUÁRIA CDNM Web Centro de Despacho de Navios e Mercadorias CDNM Web GESTÃO PORTUÁRIA PÁGINA 2 DE 18 CDNM Centro de Despacho de Navios e Mercadorias 2 18 PÁGINA 3 DE 18 CDNM Centro de Despacho de Navios e Mercadorias

Leia mais

PORTUGAL A CRESCER ECONOMIA DO MAR. Roadshow Portugal Global Setúbal, 2 de março de May 2015

PORTUGAL A CRESCER ECONOMIA DO MAR. Roadshow Portugal Global Setúbal, 2 de março de May 2015 PORTUGAL A CRESCER ECONOMIA DO MAR Roadshow Portugal Global Setúbal, 2 de março de 2016 May 2015 Uma oportunidade económica Área: 92,152 Km 2 (108 º maior país do Mundo) Linha de Costa: 1,859 Km (incluindo

Leia mais

Localização 288 Km 240 Km 192 Km 144 Km 96 Km 48 Km PORTO

Localização 288 Km 240 Km 192 Km 144 Km 96 Km 48 Km PORTO Porto de Niterói Localização 288 Km 240 Km 192 Km 144 Km 96 Km 48 Km PORTO Histórico O Porto Organizado de Niterói está localizado na área central do município com sua área de influência, ou seja, sua

Leia mais

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade Workshop Regional de Disseminação do Universidade do Minho - Braga -10 de Abril de 2012 GUIÃO Orientador da Temática dos Transportes nos Planos Municipais de Ordenamento do Território António Pérez Babo

Leia mais

APRESENTAÇÃO GRUPO ABSORSOR. MADRID c/ Lopez Aranda, Madrid Tel: Fax:

APRESENTAÇÃO GRUPO ABSORSOR. MADRID c/ Lopez Aranda, Madrid Tel: Fax: MONITORIZAÇÃO E CONTROLO DE RUÍDO E VIBRAÇÕES LISBOA Taguspark Edificío Tecnologia I, n.º 11 2780-920 Oeiras Tel: +351 214 228 950 Fax: +351 214 228 959 PORTO Zona Industrial da Maia I, Sector X, Lote

Leia mais

60% 92% Território abrangido. dos edifícios abrangidos A REABILITAÇÃO URBANA Estratégia de Reabilitação Urbana / Delimitação ARU

60% 92% Território abrangido. dos edifícios abrangidos A REABILITAÇÃO URBANA Estratégia de Reabilitação Urbana / Delimitação ARU A REABILITAÇÃO URBANA 2007 2014 2012 - Estratégia de Reabilitação Urbana / Delimitação ARU 60% Território abrangido 92% dos edifícios abrangidos 1 REGENERAÇÃO/REABILITAÇÃO O PDM DOS 3 R Reutilizar Reabilitar

Leia mais

Hinterland Acessibilidades ao Terminal do Barreiro

Hinterland Acessibilidades ao Terminal do Barreiro Hinterland Acessibilidades ao Terminal do Barreiro O futuro faz-se hoje Gare Marítima de Alcântara, 21 de outubro de 2016 Mário Fernandes Diretor de Planeamento da IP Acessibilidades ao Terminal do Barreiro

Leia mais

O Instituto Hidrográfico (IH): Ciência e Tecnologia do Mar ao serviço dos Países da Lusofonia

O Instituto Hidrográfico (IH): Ciência e Tecnologia do Mar ao serviço dos Países da Lusofonia O Instituto Hidrográfico (IH): Ciência e Tecnologia do Mar ao serviço dos Países da Lusofonia Carlos Ventura Soares Capitão-de-mar-e-guerra Engenheiro Hidrógrafo DIRECTOR TÉCNICO Encontro sobre Produtos

Leia mais

Regulamentação externa e interna

Regulamentação externa e interna Regulamentação externa e interna Dada a extensão das atribuições da APL, S.A. e da sua área de jurisdição, as normas que regem a respetiva atividade ou que têm interesse para a mesma são muito diversas.

Leia mais

REMODELAÇÃO DO ESTALEIRO MUNICIPAL VIANA DO ALENTEJO

REMODELAÇÃO DO ESTALEIRO MUNICIPAL VIANA DO ALENTEJO REMODELAÇÃO DO ESTALEIRO MUNICIPAL VIANA DO ALENTEJO ÍNDICE 1 CADERNO DE ENCARGOS 2 PROJECTO DE EXECUÇÃO A ARQUITECTURA 1.1.2 Solução Proposta 1.1.2.1 - Introdução 1.1.2.2 Caracterização do Espaço 1.1.2.2.1

Leia mais

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Central 2 Classificação e Qualificação do Solo Solo

Leia mais

Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Industria Brasileira

Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Industria Brasileira Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Industria Brasileira INSTITUTOS SENAI de INOVAÇÃO ISIs Especializados em uma área de conhecimento transversal; Atendem a diversos setores industriais em todo

Leia mais

PAINEL CANAL FORNECEDOR

PAINEL CANAL FORNECEDOR PAINEL CANAL FORNECEDOR Sistema Petrobras Fórum Regional da Bacia de Santos Caraguatatuba, 04 de Junho de 2009 PAINEL CANAL DO FORNECEDOR AGENDA 1 2 Apresentação do Compartilhado Necessidades do Compartilhado

Leia mais

O valor da água como bem público

O valor da água como bem público Universidade de Lisboa Institituto de Ciências Sociais O valor da água como bem público Anexo III Administração Pública da Água - Orgânica João Howell Pato Doutoramento em Ciências Sociais Especialidade:

Leia mais

Plano de Pormenor da Praia Grande. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território

Plano de Pormenor da Praia Grande. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Índice 1. Localização e Termos de referência 2. Eixos Estratégicos e Objetivos 3. Enquadramento legal 4. Diagnóstico 5. Proposta 6. Concertação

Leia mais

RESOLUÇÃO de novembro de 2012

RESOLUÇÃO de novembro de 2012 RESOLUÇÃO 52 20 de novembro de 2012 O DIRETOR-PRESIDENTE DA COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO - CODESA, no uso da atribuição que lhe confere a letra g, do artigo 17, do Estatuto Social da Companhia, e

Leia mais

REGULAMENTO DE TARIFAS PARA UTILIZAÇÃO DE BENS DOMINIAIS DO PORTO DE VIANA DO CASTELO 2016

REGULAMENTO DE TARIFAS PARA UTILIZAÇÃO DE BENS DOMINIAIS DO PORTO DE VIANA DO CASTELO 2016 REGULAMENTO DE TARIFAS PARA UTILIZAÇÃO DE BENS DOMINIAIS DO PORTO DE VIANA DO CASTELO 2016 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito de aplicação 1. O presente regulamento, elaborado em conformidade

Leia mais

Apresentado por: Tiago Mendonça

Apresentado por: Tiago Mendonça Apresentado por: Tiago Mendonça Lisboa, 19 de Novembro 2014 KaTembe Melhor Projecto Transversal de África Mapa Ferroviário de Moçambique Moçambique Mapa Ferroviário Moçambique Rede Ferroviária de Moçambique

Leia mais

O NOSSO PORTO. O NOSSO FUTURO.

O NOSSO PORTO. O NOSSO FUTURO. www.portodecaio.ao O NOSSO PORTO. O NOSSO FUTURO. INTRODUÇÃO Bem-vindo ao projecto Porto de Caio, a porta de entrada para o comércio na África. A instalação portuária de classe mundial, parte integral

Leia mais

Manual para impressão das plantas do PDM 2015

Manual para impressão das plantas do PDM 2015 Manual para impressão das plantas do PDM 2015 Depois de aceder à aplicação do Portal Geográfico de Vila Nova de Famalicão, através do sítio do Município de Vila Nova de Famalicão na internet em: http://www.cm-vnfamalicao.pt/_portal_geografico,

Leia mais

Porquê ler este documento? Por quem é elaborada a informação?

Porquê ler este documento? Por quem é elaborada a informação? Informação a comunicar ao público sobre estabelecimento abrangido pelo regime de prevenção de acidentes graves que envolvem substâncias perigosas Ecoslops Portugal S.A. Porquê ler este documento? Este

Leia mais

Sessão: Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) Aplicação / exercício

Sessão: Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) Aplicação / exercício Mestrado Integrado de Engenharia Civil (MEC) Mestrado em Planeamento e Operação de Transportes (MPOT) Disciplina: Gestão da Mobilidade Urbana Prof. Responsável: Rosário Macário Apoio: Ana Galelo Aulas

Leia mais

Engenharia e. O que é engenharia? Sumário. Engenharia Civil. Engenharia envolve... Atualmente temos que preparar os estudantes:

Engenharia e. O que é engenharia? Sumário. Engenharia Civil. Engenharia envolve... Atualmente temos que preparar os estudantes: Engenharia e Engenharia Civil Sergio Scheer 1º semestre de 2016 Atualmente temos que preparar os estudantes: para empregos que ainda não existem... para usar tecnologias que ainda não foram inventadas...

Leia mais

O valor da água como bem público

O valor da água como bem público Universidade de Lisboa Instituto de Ciências Sociais O valor da água como bem público Anexo V Indicadores João Howell Pato Doutoramento em Ciências Sociais Especialidade: Sociologia Geral 2007 Índice Portos...

Leia mais

APOIO AO PROJECTO DE OBRAS MARÍTIMAS COM O SOFTWARE MIKE21

APOIO AO PROJECTO DE OBRAS MARÍTIMAS COM O SOFTWARE MIKE21 APOIO AO PROJECTO DE OBRAS MARÍTIMAS COM O SOFTWARE MIKE21 Ana Catarina Zózimo e Inês Pipa, WW - Consultores de Hidráulica e Obras Marítimas, S.A. 1 O projecto de obras marítimas envolve a consideração

Leia mais

GUIA VTS PORTO DO AÇU-RJ

GUIA VTS PORTO DO AÇU-RJ GUIA VTS PORTO DO AÇU-RJ REV. DATA ELABORAÇÃO VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO 0 01/02/2017 Valter Barbosa Joffre Villote Álisson Freire 1 15/02/2017 Valter Barbosa Gustavo Cruz Álisson Freire BRASIL - AÇU Procedimentos

Leia mais

Teleconferência e Webcast

Teleconferência e Webcast Teleconferência e Webcast Divulgação dos Resultados 3T13 19 de Novembro de 2013 Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos e/ou resultados futuros

Leia mais

Transportes & Negócios Seminário de Transporte Rodoviário

Transportes & Negócios Seminário de Transporte Rodoviário Transportes & Negócios Seminário de Transporte Rodoviário PRACE Res.Cons.Min. 39/2006 DL 210/2006, 27Out DL 147/2007, 27Abr P 545/2007, 30 Abr. DGTTF INTF DGV (MAI) - Veículos e condutores DGV (MAI) -

Leia mais

MARLISCO. Marine Litter in Europe's Seas: Social Awareness and Co-responsibility. Conferência Nacional 14 Dezembro, Lisboa

MARLISCO. Marine Litter in Europe's Seas: Social Awareness and Co-responsibility.  Conferência Nacional 14 Dezembro, Lisboa MARLISCO Marine Litter in Europe's Seas: Social Awareness and Co-responsibility http://www.marlisco.eu/ Conferência Nacional 14 Dezembro, Lisboa OBJECTIVO PRINCIPAL Promover a sensibilização para as consequências

Leia mais

Porto de Sines. IST PU 2016 PORTO DE SINES Catarina Rocha Filomena Safara Mariana Reis Ximena Pino 85538

Porto de Sines. IST PU 2016 PORTO DE SINES Catarina Rocha Filomena Safara Mariana Reis Ximena Pino 85538 Porto de Sines IST PU 2016 PORTO DE SINES Catarina Rocha 70271 Filomena Safara 69036 Mariana Reis 85028 Ximena Pino 85538 Contexto Histórico do Porto de Sines 1929 Classificação de Sines no plano de melhoramento

Leia mais

O FUTURO FAZ-SE HOJE SOLUÇÕES INOVADORAS NA RELAÇÃO PORTO CIDADE CICLO DE DEBATES 14 DE OUTUBRO DE 2016

O FUTURO FAZ-SE HOJE SOLUÇÕES INOVADORAS NA RELAÇÃO PORTO CIDADE CICLO DE DEBATES 14 DE OUTUBRO DE 2016 CICLO DE DEBATES O FUTURO FAZ-SE HOJE SOLUÇÕES INOVADORAS NA RELAÇÃO PORTO CIDADE 14 DE OUTUBRO DE 2016 Porto Fluvial de Castanheira do Ribatejo e O Transporte Fluvial no Rio Tejo 2 Agenda I. Apresentação

Leia mais

GUIA VTS PORTO DO AÇU-RJ

GUIA VTS PORTO DO AÇU-RJ GUIA VTS PORTO DO AÇU-RJ REV. DATA ELABORAÇÃO VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO 0 01/08/2016 Valter Barbosa Joffre Villote Joffre Villote BRASIL - AÇU Procedimentos do VHF 1. Ao adentrar ou deixar a Área VTS; e ao

Leia mais

Manual Website. Fassina

Manual Website. Fassina Manual Website Perfil Transportadora 20/06/2016 Versão 1.0 Apresentação Este manual tem como objetivo fornecer ao clientes da orientações sobre os procedimentos a serem observados quando da utilização

Leia mais

PRIMAVERA v7.50 / v8.0. Starter. Limitações da versão Starter em relação a outras versões PRIMAVERA. Versão 1.12

PRIMAVERA v7.50 / v8.0. Starter. Limitações da versão Starter em relação a outras versões PRIMAVERA. Versão 1.12 PRIMAVERA v7.50 / v8.0 Starter Limitações da versão Starter em relação a outras versões PRIMAVERA PRIMAVERA v7.50 / v8.0 Versão 1.12 março de 2013 Índice Índice... 2 Descrição do Produto... 3 STARTER...

Leia mais

Regulamentos Internos e Externos a que a empresa está sujeita

Regulamentos Internos e Externos a que a empresa está sujeita Regulamentos Internos e Externos a que a empresa está sujeita Regulamentos Externos A atividade da APA, S.A. contextualiza-se numa envolvente legal e regulamentar extensa, de que destacamos: Decreto-Lei

Leia mais

Regime fiscal do Residente Não Habitual

Regime fiscal do Residente Não Habitual Regime fiscal do Residente Não Habitual Regime fiscal do Residente Não Habitual Enquadramento geral Beneficiários: Indivíduos que se tornem fiscalmente residentes em Portugal e que não tenham, nos últimos

Leia mais

OCEANO XXI CLUSTER DO CONHECIMENTO E DA ECONOMIA DO MAR

OCEANO XXI CLUSTER DO CONHECIMENTO E DA ECONOMIA DO MAR OCEANO XXI CLUSTER DO CONHECIMENTO E DA ECONOMIA DO MAR MISSÃO OCEANO XXI Dinamizar o Cluster do Conhecimento e da Economia do Mar (EEC Estratégia de Eficiência Colectiva reconhecida pelo POFC Compete

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologias

Faculdade de Ciências e Tecnologias Faculdade de Ciências e Tecnologias Universidade Nova de Lisboa Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente Duração: 5 anos Grau: Mestrado Coordenador: Maria de Graça Martinho Objectivos: A Engenharia

Leia mais

ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES

ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES 02 de junho de 2015 ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES Transportes terrestres Veículos e Extensão de Percursos No âmbito das carreiras urbanas de passageiros, constatou-se que, em 2014, existiam 104 veículos,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DA CARTOGRAFIA

CLASSIFICAÇÃO DA CARTOGRAFIA CLASSIFICAÇÃO DA CARTOGRAFIA ISMAT CARTOGRAFIA E EXPRESSÃO GRÁFICA DO TERRITÓRIO DOCENTE JOSÉ LIMA DATA: 2011-03-26 ARQUITECTURA ANO: 2º TURMA N Edgar Lisboa 21000791 Tito Duarte 21001296 ÍNDICE INTRODUÇÃO

Leia mais

DIA MANHÃ

DIA MANHÃ DIA 03.07.2016 MANHÃ NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO - Cargos: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS, AUXILIAR OPERACIONAL, OPERADOR DE SISTEMAS ALTERNATIVOS, VIGIA 3 A 4 D 5 D 6 C 7 C 8 D 9 B 10 C 11 A 1 15 B 16 A

Leia mais

Código: CIVL0039 Obrigatória : Eletiva : Sim Período : 10º Carga Horária : 60 HORAS. Número de Créditos: TEÓRICO 04; PRÁTICOS 00; TOTAL: 04

Código: CIVL0039 Obrigatória : Eletiva : Sim Período : 10º Carga Horária : 60 HORAS. Número de Créditos: TEÓRICO 04; PRÁTICOS 00; TOTAL: 04 Disciplina: PORTOS 2 Código: CIVL0039 Obrigatória : Eletiva : Sim Período : 10º Carga Horária : 60 HORAS Número de Créditos: TEÓRICO 04; PRÁTICOS 00; TOTAL: 04 Pré-Requisito: PORTOS 1 Co-Requisito: EMENTA:

Leia mais

GeoCompetitivo na Administração Local

GeoCompetitivo na Administração Local GeoCompetitivo na Administração Local Conferência O GeoCompetitivo na Administrac a o Local Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, Tellheiras 6 de Dezembro de 2016 SUMÁRIO ESTRATÉGIA DIMINUIÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Direcção-Geral dos Assuntos Comunitários SERVIÇO JURÍDICO E - NAVEGAÇÃO MARÍTIMA

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Direcção-Geral dos Assuntos Comunitários SERVIÇO JURÍDICO E - NAVEGAÇÃO MARÍTIMA E - NAVEGAÇÃO MARÍTIMA I.E.1.379 L 0115 Directiva 79/115/CEE do Conselho, de 21 de Dezembro de 1978, relativa à pilotagem de navios por pilotos de alto mar no Mar do Norte e no Canal da Mancha. (JO L 33/32

Leia mais

LOCALIZAÇÃO

LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇÃO CURITIBA: Sinônimo de sustentável, de organizada, de a mais europeia das cidades brasileiras. Local de encontro de cenários na região sul do país. Pedaços do leste europeu; da França, com parques

Leia mais

CARTOGRAFIA. Cartografia 1/10. VERSÃO FINAL. Junho de 2013

CARTOGRAFIA. Cartografia 1/10. VERSÃO FINAL. Junho de 2013 Cartografia 1/10 ÍNDICE 1. CARTOGRAFIA À ESCALA 1:25000... 3 2. ORTOCARTOGRAFIA À ESCALA 1:10000... 3 3. CARTOGRAFIA À ESCALA 1:10000 (COMO COMPLEMENTO PARA VERIFICAÇÃO DE DADOS)... 4 4. LIMITES ADMINISTRATIVOS...

Leia mais

Tabela I ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA

Tabela I ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA Tabela I ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA Possíveis Saídas Profissionais: As engenheiras e os engenheiros electrotécnicos podem exercer a sua actividade profissional em: a) projecto de instalações eléctricas,

Leia mais

44.º Geoforum Utilização de Fotografia Aérea e Imagens de Satélite

44.º Geoforum Utilização de Fotografia Aérea e Imagens de Satélite Rua Julieta Ferrão, 10-10.ºA 1600-131 Lisboa Tel.: 21 781 66 40 Fax: 21 793 15 33 info@esri-portugal.pt www.esri-portugal.pt 44.º Geoforum Utilização de Fotografia Aérea e Imagens de Satélite Por favor,

Leia mais

O Oceano Atlântico situa-se entre a América (oeste) e África e Europa (leste). Ao norte localiza-se o Oceano Glacial Ártico e ao sul a Antártida.

O Oceano Atlântico situa-se entre a América (oeste) e África e Europa (leste). Ao norte localiza-se o Oceano Glacial Ártico e ao sul a Antártida. * O Oceano Atlântico situa-se entre a América (oeste) e África e Europa (leste). Ao norte localiza-se o Oceano Glacial Ártico e ao sul a Antártida. É o segundo maior oceano do mundo em extensão, possuindo

Leia mais

A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE

A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE Rodoviária Ferroviária De Aeroportos De Portos De Energia Uma distribuição desigual Uma rede melhorada Segura e sustentável Coesão nacional MELHORAMENTOS

Leia mais

Licenciamento Ambiental Portuário: Riscos e Emergências

Licenciamento Ambiental Portuário: Riscos e Emergências Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC Licenciamento Ambiental Portuário: Riscos e Emergências Rio

Leia mais

Requerimento. sujeitas a licenciamento

Requerimento. sujeitas a licenciamento Requerimento Comunicação Prévia para alterações ao projecto Licenciado ou com Admissão de Comunicação Prévia durante a execução da obra Alterações que se fossem obra nova estariam sujeitas a licenciamento

Leia mais

Ordenamento do Espaço Rural

Ordenamento do Espaço Rural Ordenamento do Espaço Rural Ano lectivo 2005/2006 Capítulo 4 Ordenamento do Espaço Rural 1 4.1 A Política Nacional de Ordenamento do Território 2 Ordenamento do Território Assenta no sistema de gestão

Leia mais

As infraestruturas e oportunidades logísticas do GNL em Portugal

As infraestruturas e oportunidades logísticas do GNL em Portugal As infraestruturas e oportunidades logísticas do GNL em Portugal PROFORUM Inovação na Engenharia para a Competitividade Económica 27 outubro 2016 Valter Diniz REN Gestão do Sistema de Gás Natural As infraestruturas

Leia mais

AEROPORTOS DA MADEIRA GUIA DE TAXAS COMERCIAIS 2017

AEROPORTOS DA MADEIRA GUIA DE TAXAS COMERCIAIS 2017 AEROPORTOS DA MADEIRA GUIA DE TAXAS COMERCIAIS 2017 IMPORTANTE: O presente documento tem apenas valor informativo, pretendendo facilitar o acesso à informação relativa às taxas aplicadas nos Aeroportos

Leia mais

Projeto FTTH Novembro 2016

Projeto FTTH Novembro 2016 Novembro 2016 Know-How da = SUCESSO na Implementação Levantamento Fator decisivo no sucesso de um projeto Tipologias de Rede Importância e impacto das métricas definidas Automatismos como factor de aumento

Leia mais

Versão Pública DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA PROCESSO CCENT. Nº 26/ 2005 SVITZER LISBOA/LISBON TUGS I.

Versão Pública DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA PROCESSO CCENT. Nº 26/ 2005 SVITZER LISBOA/LISBON TUGS I. DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA PROCESSO CCENT. Nº 26/ 2005 SVITZER LISBOA/LISBON TUGS I. INTRODUÇÃO 1. Em 5 de Abril de 2005, foi notificada à Autoridade da Concorrência, nos termos

Leia mais

Náutica de Recreio Legislação da Náutica de Recreio Actualmente a Legislação da Náutica de Recreio exige aos possuidores de embarcações de recreio um cuidado redobrado, especialmente no que respeita à

Leia mais

Apresentação Institucional: Empresa Cases Tecnologias

Apresentação Institucional: Empresa Cases Tecnologias Apresentação Institucional: Empresa Cases Tecnologias Nosso DNA: Nosso Negócio: Soluções Inteligentes para Controle de Acesso e Segurança Nossa Missão: Identificar e viabilizar as melhores oportunidades

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO

COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO N O R M A P - 1 NORMA DE TRÁFEGO E PERMANÊNCIA DE NAVIOS E EMBARCAÇÕES NO PORTO DE VITÓRIA CODESA 0 PORTO DE VITÓRIA 1 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS 1.1 Localizações COMPANHIA

Leia mais

Sistemas de Comunicações Ópticas Submarinas

Sistemas de Comunicações Ópticas Submarinas Sistemas de Comunicações Ópticas Submarinas A Empresa A Angola Cables é uma wholesale carrier, criada em 2009 pelos cinco maiores operadores angolanos de telecomunicações. O Governo angolano bem como os

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação Territorial Europeia 2007/2013 Que oportunidades para Lisboa e Vale do Tejo? Centro Cultural de Belém 31 de Março 2008 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação territorial

Leia mais

A Experiência da CEMAR na Digitalização de Subestações e a Utilização da Tecnologia GPRS e Canal Redundante

A Experiência da CEMAR na Digitalização de Subestações e a Utilização da Tecnologia GPRS e Canal Redundante A Experiência da CEMAR na Digitalização de Subestações e a Utilização da Tecnologia GPRS e Canal Redundante 1.0 - APRESENTAÇÃO 2.0 - OBJETIVOS DA DIGITALIZAÇÃO 3.0 - HISTÓRICO AUTOMAÇÃO CEMAR 4.0 - DIGITALIZAÇÃO

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 2015 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Estimativa Orçamental DEMOLIÇÕES 1. Edifícios e estruturas

Leia mais

3i Buildings. Intelligent, Interactive and Immersive. Buildings para o telemóvel e interagem com o

3i Buildings. Intelligent, Interactive and Immersive. Buildings para o telemóvel e interagem com o 3i Buildings 3i Buildings Atenta aos desafios colocados às cidades em matéria de sustentabilidade e gestão eficiente de recursos, a Siemens aposta nas tecnologias de informação e comunicação (TIC), para

Leia mais

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 011/2014 DPC /03/2014 NORMAM, VISTORIAS, INSPEÇÕES E PERÍCIAS A S S U N T O

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 011/2014 DPC /03/2014 NORMAM, VISTORIAS, INSPEÇÕES E PERÍCIAS A S S U N T O C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 011/2014 DPC-02-02 132 18/03/2014 NORMAM, VISTORIAS, INSPEÇÕES E PERÍCIAS A S S U N T O Assunto : Altera a Abrangência do Acordo de Delegação de Competência

Leia mais

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 3 II. LOCALIZAÇÃO 3 III. ENQUADRAMENTO PDM 3 VII. CEDÊNCIAS E INFRAESTRUTURAS 3 V. PROPOSTA 3 VI. ÍNDICES URBANÍSTICOS 4 VII.

Leia mais

Projecto Mobilidade Sustentável Município de Santarém Objectivos e Propostas

Projecto Mobilidade Sustentável Município de Santarém Objectivos e Propostas Objectivos e Propostas Objectivos e Propostas Relatório de Diagnóstico Diagnóstico de problemas, intenções e projectos Relatório de Objectivos e Conceito de Intervenção Definição de objectivos e escalas

Leia mais

PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2015 Custeio + Investimentos Regionalizados (*)

PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2015 Custeio + Investimentos Regionalizados (*) No Estado do Rio de Janeiro (RJ) PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2015 24000 Ciência, Tecnologia e Inovação 69.973.212 1.100.000 71.073.212 2059 Política Nuclear 0 1.100.000 1.100.000 13CQ Ampliação do

Leia mais

Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade

Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade Mercado de Combustíveis em Portugal Conferência Produtos Petrolíferos e a Sustentabilidade Lisboa, 18 de Outubro de 2016 A ENMC possui responsabilidades em quarto áreas de atuação, sendo uma delas a área

Leia mais

PLANO DE PORMENOR INFRAESTRUTURAS DE APOIO DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE ERVIDEL TERMOS DE REFERÊNCIA ACOLHIMENTO PARA EMPRESAS, LOCALIZADO NO ESPAÇO DE

PLANO DE PORMENOR INFRAESTRUTURAS DE APOIO DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE ERVIDEL TERMOS DE REFERÊNCIA ACOLHIMENTO PARA EMPRESAS, LOCALIZADO NO ESPAÇO DE PLANO DE PORMENOR INFRAESTRUTURAS DE APOIO DE ACOLHIMENTO PARA EMPRESAS, LOCALIZADO NO ESPAÇO DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE ERVIDEL TERMOS DE REFERÊNCIA 1. Introdução 2. Oportunidade da elaboração do Plano

Leia mais

Recorte nº 236. Índice 11 de Dezembro de 2009

Recorte nº 236. Índice 11 de Dezembro de 2009 Recortenº236 Índice 11deDezembrode2009 Sines Crisenãotravoucrescimentodoportomarítimo Portugal:Mercadoriascommenorquebranoterceirotrimestre Recessão:Portosmenosafectadosqueaslinhas EMSAaprovouemLisboaplanodeacçãode2010

Leia mais

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PEÇAS ESCRITAS: ÍNDICE 6.1 - INTRODUÇÃO... 1 6.2.1 BARREIRAS ACÚSTICAS... 2 6.2-1.1 LOCALIZAÇÃO... 2 6.2-1.2 CARACTERÍSTICAS ACÚSTICAS... 2 6.2-2.1.1 BARREIRA B1- BARREIRA REFLECTORA... 2 6.2-1.3 CONDIÇÕES

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica

Sistema de Informação Geográfica Sistema de Informação Geográfica Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2016 Fundamentos de Cartografia para o Geoprocessamento 2 1 Geoprocessamento Área do conhecimento

Leia mais

1. (PT) - Diário Económico, 27/02/2013, Governo quer mais investimento de Angola para tornar Portugal plataforma para a Europa e a América Latina

1. (PT) - Diário Económico, 27/02/2013, Governo quer mais investimento de Angola para tornar Portugal plataforma para a Europa e a América Latina Tema de Pesquisa: Internacional 27 de Fevereiro de 2013 Revista de Imprensa 27-02-2013 1. (PT) - Diário Económico, 27/02/2013, Governo quer mais investimento de Angola para tornar Portugal plataforma para

Leia mais

DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS E DOCUMENTAÇÃO

DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS E DOCUMENTAÇÃO DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS E DOCUMENTAÇÃO Outubro 2010 LEGISLAÇÃO MARÍTIMO-PORTUÁRIA 2008-2009 ÍNDICES DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES PÚBLICAS E DOCUMENTAÇÃO Outubro 2010 SUMÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA. 3

Leia mais

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Requerimento Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

TARIFA PORTO DE IMBITUBA

TARIFA PORTO DE IMBITUBA TARIFA PORTO DE IMBITUBA TAXAS CONVENCIONAIS Consolidada pela Ordem de Serviço n o 11/2012 - Anexo 2 1 / 4 ORDEM DE SERVIÇO N.º 11/2012 - Anexo 2 TABELA DE TAXAS CONVENCIONAIS Item Descrição Unid Valor

Leia mais

Estudo Prévio e Estudo de Impacte Ambiental do Terminal do Barreiro

Estudo Prévio e Estudo de Impacte Ambiental do Terminal do Barreiro Estudo Prévio e Estudo de Impacte Ambiental do Terminal do Barreiro 21 de outubro de 2016 1. ENQUADRAMENTO LEGAL 2. ANTECEDENTES DO EIA 3. ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL AÇÕES DE PROJETO ESTADO ATUAL DO AMBIENTE

Leia mais

Portal do PEBC e Eco.AP do Ministério da Saúde. Lisboa, 18 Setembro 2015

Portal do PEBC e Eco.AP do Ministério da Saúde. Lisboa, 18 Setembro 2015 Portal do PEBC e Eco.AP do Ministério da Saúde Lisboa, 18 Setembro 2015 AGENDA 1 2 3 4 5 6 Introdução Estrutura Descrição Geral Relatórios Análise Gráfica, Alertas e Mensagens Utilização do portal: ponto

Leia mais

*** OE COIMBRA 30 JANEIRO 2013

*** OE COIMBRA 30 JANEIRO 2013 POLÍTICAS DE GESTÃO DE TRÁFEGO RODOVIÁRO EM MEIO URBANO *** ORGANIZAÇÃO E PAPEL DOS TRANSPORTES PÚBLICOS 1 ÍNDICE Enquadramento regulamentar do Transporte Público Autoridade Metropolitana de Transportes

Leia mais

Resultados Consolidados Primeiro Semestre de 2006

Resultados Consolidados Primeiro Semestre de 2006 Resultados Consolidados Primeiro Semestre de 2006 Lisboa, 21 de Setembro de 2006 www.orey.com Agenda Highlights Resultados Consolidados Evolução por Área de Negócio Agenda Highlights Resultados Consolidados

Leia mais

Parcelário (isip)

Parcelário (isip) Parcelário (isip) 14.12.2016 1. O que é o Parcelário 2. Principais Fontes de Atualização 3. Interação com outras Entidades 4. Projetos em curso 2 1. O que é o Parcelário 1.O que é o Parcelário Enquadramento

Leia mais

PLANO DE MONITORIZAÇÃO

PLANO DE MONITORIZAÇÃO PM 01 Fuga de SF 6 Contribuição para o efeito de estufa Detecção e quantificação de fugas Todos os equipamentos com SF 6 Monitorização em contínuo Monitorização pontual --- Registo no SAP (módulo PM) Relatório

Leia mais

EM PORTUGAL. As Energias do Presente e do Futuro. Situação, objectivo e desafios. Lisboa, 21 de Novembro de Álvaro Rodrigues

EM PORTUGAL. As Energias do Presente e do Futuro. Situação, objectivo e desafios. Lisboa, 21 de Novembro de Álvaro Rodrigues As Energias do Presente e do Futuro Lisboa, 21 de Novembro de 2005 ENERGIA EÓLICA E EM PORTUGAL Situação, objectivo e desafios Álvaro Rodrigues Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Instituto

Leia mais

Shuo Ma, Vice-Reitor da Universidade Marítima Internacional Porto de Sines pode servir de hub para a África Ocidental

Shuo Ma, Vice-Reitor da Universidade Marítima Internacional Porto de Sines pode servir de hub para a África Ocidental 11/12/2010 Shuo Ma, Vice-Reitor da Universidade Marítima Internacional Porto de Sines pode servir de hub para a África Ocidental O porto de Sines tem uma localização ideal para servir de hub de transhipment

Leia mais

Marinas & Docas Dimensão:

Marinas & Docas Dimensão: Temática: Dimensão: Transportes 1344 Âmbito: Tiragem: Nacional 6000 Imagem: Página (s): S/Cor 38 a 42 Náutico Algés entro Apesar de estar a dar os primeiros passos o Centro Náutico de Algés é um projeto

Leia mais

Exmo. Sr. Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Uma primeira palavra de boas-vindas à Universidade de Aveiro, e de

Exmo. Sr. Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Uma primeira palavra de boas-vindas à Universidade de Aveiro, e de Exmo. Sr. Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Exmo. Sr. Secretário de Estado da Energia e da Inovação, Exmo. Sr. Director Geral da Agência para a Energia, Caros membros da Comunidade

Leia mais

Plano Director Municipal. Tecnologias de Informação Geográfica

Plano Director Municipal. Tecnologias de Informação Geográfica Plano Director Municipal Tecnologias de Informação Geográfica munwebgis Com o objectivo de difundir a utilização da informação geográfica, agilizar e simplificar os processos administrativos dentro dos

Leia mais

PORTO DO AÇU OPERAÇÕES S.A.

PORTO DO AÇU OPERAÇÕES S.A. Manual de uso Terminal e Agências Marítimas PORTO DO AÇU OPERAÇÕES S.A. 1ª. EDIÇÃO Versão 1.0 Junho, 2017 Histórico de Revisões Ediçã Data Resp. Revisão o 1 JUN 2017 LCC Versão inicial. 1ª Edição, 1ª atualização

Leia mais

INSTALAÇÕES DE TRATAMENTO

INSTALAÇÕES DE TRATAMENTO INSTALAÇÕES DE TRATAMENTO ANO LECTIVO 2008/2009 (2º SEMESTRE) APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA PROFª ANA AMBRÓSIO DE SOUSA LISBOA, MARÇO DE 2009 INSTALAÇÕES DE TRATAMENTO ANO LECTIVO 2008/2009 2º SEMESTRE APRESENTAÇÃO

Leia mais

Efeitos Potenciadores das novas redes logísticas intercontinentais sobre o desenvolvimento sustentável da rede logística de Portugal e Espanha

Efeitos Potenciadores das novas redes logísticas intercontinentais sobre o desenvolvimento sustentável da rede logística de Portugal e Espanha Efeitos Potenciadores das novas redes logísticas intercontinentais sobre o desenvolvimento sustentável da rede logística de Portugal e Espanha Ruy Moreira Cravo 0 ÍNDICE I. Redes Logísticas de Portugal

Leia mais

Processo de Input - Procedimentos Administrativos: Atualização via parcelamento - loteamento.

Processo de Input - Procedimentos Administrativos: Atualização via parcelamento - loteamento. Atualização via parcelamento - loteamento. Aprovação do projeto Regularização das parcelas no Registro de Imóveis Concessão da Licença de Obras de Urbanização Digitação de no sistema de licenciamento (módulo

Leia mais

Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais

Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais Osmar Martins Luz Superintendente de Planejamento Estratégico 09/08/10 Sobre a Usiminas Mecânica 2 Estrutura Organizacional ORGANOGRAMA Diretor

Leia mais

Manual de. Rodoviário

Manual de. Rodoviário Manual de Agendamento Rodoviário INTERMODAL SUMÁRIO 1. ACESSO 1.1. Link para acesso 1.2. Login e senha 1.2.1. Alteração de senha 4 4 4 4 2. AGENDAMENTO 2.1. Novo agendamento 2.1.1. Dados gerais 2.1.2.

Leia mais