Aula 16. Modelagem de Transformador

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 16. Modelagem de Transformador"

Transcrição

1 Aula 16 Modelagem de Transformador

2 Modelagem Iremos apresentar o modelo do transformador para uso no cálculo de fluxo de potência em redes de alta tensão. Estes modelos descrevem matematicamente o comportamento do transformador sob condições estacionárias, com as tensões e correntes variando senoidalmente, ou seja, em regime permanente para a freqüência fundamental do sistema (60 Hz). Para estas condições poderemos representar os transformadores trifásicos por seu equivalente de seqüência positiva. No caso de ligações em delta iremos converter para ligações em estrela equivalentes para podermos trabalhar com a seqüência positiva.

3 Modelagem (cont.) Os transformadores utilizados em sistema de potência (alta tensão) têm algumas características diferentes dos demais. Em geral os efeitos de corrente de magnetização podem ser desprezados (em condições de regime permanente). Os modelos que iremos utilizar serão semelhantes aos modelos Pis utilizados para linhas de transmissão. Iremos rever o sistema pu e aplicaremos o conceito para transformadores. Finalmente apresentaremos as equações de fluxo de potência para os transformadores em condições de regime permanente (representados por seu equivalente de seqüência positiva em pu).

4 Equivalentes de transformador monofásico Dado o transformador monofásico a seguir Podemos representá-lo pelo modelo abaixo. I p + r d j x d + I s p g m j b m s - a : 1 - Este modelo será utilizado para dedução da expressão de fluxo de potência através do transformador.

5 Modelo teórico No modelo o comportamento elétrico do transformador é representado por um transformador ideal, com relação de transformação a:1. A impedância série representa o fluxo de dispersão (reatância) e a perda no cobre (resistência). A admitância transversal representa a perda de magnetização (susceptância) e as perdas no ferro (Foucault -condutância).

6 Indutâncias Da teoria de transformadores surgem as indutâncias Lp indutância própria do primário Ls indutância própria do secundário Mps indutância mútua primáriosecundário Estas indutâncias são descritas pela permeabilidade magnética do material, um fator que depende da geometria do trafo e um fator de dispersão, além do número de espiras dos enrolamentos primário e secundário.

7 Indutâncias (cont.) Analisando os fasores das tensões no primário e no secundário do transformador pode-se relacionar estas indutâncias com as impedâncias longitudinais e transversais do modelo.

8 Transformador monofásico ideal Circuito equivalente: Relações de tensão: dϕ v1 N1 v dt 1 N N 1 N a dϕ dt a relação de espiras Relação de corrente: i 1 N1 i N 0 i1 N 1 i N a 1

9 Transformador monofásico ideal Relações de Potência: * * 1 1 I1 I S S Não há perdas (potência de entrada igual a potência de saida) Relações de impedâncias(reflexão): a Z a 1 1 a Z I I 1 I a

10 Transformador monofásico real Considera-se: Perdas ôhmicas, resistência dos enrrolamentos do primário e secundário (r 1, r ); Perdas magnéticas por dispersão de fluxo magnético Representadas por Reatâncias lineares (x 1, x ). Perdas no núcleo Perdas ativas por Foulcaut e histerese representada por resistência (r c ) e a magnetização do núcleo aproximada por reatância linear (aprox. Pela componente de 1ª h da Corrente de magnetização em quadratura com o fluxo) - x m ; Circuito equivalente: A relação de espiras é válida para 1 e e para I 1 e I.

11 Transformador 1φ real (em vazio) EM AZIO (SECUNDÁRIO EM ABERTO) I 0 I 1 0; A impedância do ramo de magnetização (rc e xm ) é muito maior que a impedância série equivalente (pode-se desprezar os parâmetros série). Circuito equivalente: Corrente no primário (da ordem de 5 % da corrente nominal do trafo): i1 ( t) i ϕ ( t) + im ( t) Corrente no tensão no secundário: 1 a

12 Transformador 1φ real (em vazio) Devido à não linearidades da curva B x H do núcleo (ciclo de histerese e eventualmente saturação): A corrente de excitação não é senoidal; A análise de Fourier mostra que a corrente de magnetização possui uma componente fundamental em fase com o fluxo e harmónicas de ordem ímpar (3ª, 5ª, ) Como a If é pequena considera-se somente a componente de primeira harmônica: I 1 Iϕ Diagrama fasorial

13 Transformador 1φ real (com carga) I 0 Todos os parâmetros do circuito equivalente são considerados; Podemos eliminar o transformador ideal refletindo as impedâncias do secundário para o primário e utilizando a relação de transformação de tensão e corrente. Circuito equivalente: Como Iϕ << I 1 pode-se desprezar o ramo de magnetização: Em geral para trafos de Potência (centenas de ka), depreza-se as perdas ôhmicas.

14 Ensaios A partir de ensaios é possível determinar os parâmetros do modelo do transformador nas condições de regime permanente : Curto-circuito Com o lado de baixa (secundário) em curtocircuito impõe-se uma tensão menor do que a nominal no lado de alta (primário) de modo a se ter corrente nominal no secundário em curto e mede-se a tensão e a corrente no primário, além da corrente no secundário e a potência consumida no primário. Em azio Com o terminal do lado de alta (secundário) em vazio ompõe-se tensão nominal no lado de baixa (primário) e mede-se a tensão no secundário, além da corrente no primário e a potência consumida no primário.

15 Determinação de parâmetros (Ensaio em vazio) Teste em aberto: Um dos lados do transformador é deixado em aberto, normalmente o lado de alta tensão. Instrumentos de medição são conectados para medir a corrente I 1, 1 e a potência ativa na entrada P 1. A tensão aplicada 1 deve ser igual a tensão nominal do transformador (dado de placa). Como um dos lados em vazio teremos: I 0 I 1 0; A impedância do ramo de magnetização (rc e xm ) é muito maior que a impedância série equivalente (pode-se desprezar os parâmetros série). Toda a corrente é responsável pela magnetização do núcleo do trafo.

16 Determinação de parâmetros (Ensaio em vazio) Como foram desprezadas as perdas ôhmicas no cobre, toda a potência ativa medida representa as perdas ôhmicas no núcleo do tranformador, e desta forma calculamos r c e x m : Resistência do ramo de magnetização r c 1 1 P Correntes Ic e Im do ramo de magnetização 1 Ic I m I1 Ic rc Reatância de magnetização: 0 I X 1 m1 m Nota: Os parâmetros são referentes ao lado de aplicação da tensão 1.

17 Determinação de parâmetros (ensaio em curto) Ensaio em curto: Um dos lados do transformador é curto-circuitado, normalmente o lado de baixa tensão. Instrumentos de medição são conectados para medir as correntes I, I 1, e potência ativa na entrada P. A tensão aplicada deve ser tal que I1 seja igual a corrente nominal do transformador (dado de placa). Com o terminal em curto (situação de plena carga) a tensão aplicada que resulta na corrente nominal é muito menor que a tensão nominal do trafo no lado em que a tensão é aplicada; Como vimos a corrente de magnétização é de pequena ordem de grandeza, na prática as perdas no ramo de magnetização são desprezadas neste ensaio.

18 Determinação de parâmetros (ensaio em curto) Desta forma calcula-se o módulo da impedância, Z Z I Resistência de perdas no cobre: r equiv P I 1 Reatância de dispersão: x equiv Z r

19 Exemplos (circuito equivalente) Testes são feitos em um transformador monofásico, 10 ka, 00/0, 60 Hz e anotados na tabela abaixo. Circuito Aberto Curto Circuito Tensão () Corrente (A) 0, ,55 Potência (W) (a)encontre o circuito equivalente aproximado, com os parametros refletidos de alta e do lado de baixa tensão. (b)expressa a corrente de excitação como uma porcentagem da corrente nominal. (c)determine o fator de potência para os testes de circuito aberto (sem carga) e curto circuito(plena carga).

20 Solução: Os valores nominais (em módulo) do trafo são descritos abaixo. (nominal) 00 1(nominal) 0 00 a I (nominal) 4,55A I 1(nominal) 45,5A 00 0 I(nominal) 1 I1(nominal) 10kA (a) Parâmetros do Circuito equivalente. Diagrama fasorial para o teste de circuito aberto. r 1 0 c 1 P1 100 I r c c 484Ω 0,45A Im I1 Ic,5 0,45 X I 0,46 1 m 1 m 89,4Ω,46 A Parâmetros referidos para o lado de alta r c a rc 48400Ω Xm a Xm 8940Ω 1

21 Solução: Circuito equivalente e diagrama fasorial para o teste de curto-circuito. P 15 requiv 10,4Ω I 4,55 x Z , 97Ω 4,55 equiv equiv Z r 3,97 10,4 31, 3Ω Parâmetros referidos para o lado de baixa 1 rc 0, 104Ω a requiv 1 x 1 x 0, 313Ω a equiv1 equiv

22 Solução: (b) Relação porcentual entre corrente de magnetização e nominal. Do teste de circuito aberto, a corrente (magnetização) é de,5 A. Portanto: I ϕ I no min al %,5 45,5 5,5% (c) Fatores de potência Teste de circuito aberto fp S P 100,5 0 0,18 Teste de curto-circuito fp S P 100 4, ,315

23 Modelos referidos ao primário e secundário Nos modelos para regime permanente o transformador é representado por um transformador ideal, com sua relação de transformação e a impedância série referida a um dos lados. O ramo da magnetização e as perdas no ferros são desprezados. Modelo referido ao secundário I p + z s I s + p s - a : 1 Modelo referido ao primário - I p + z p a z s I s + p s - a : 1 -

24 Conexões de transformadores trifásicos Transformadores trifásicos são utilizados para mudar a tensão dos sistemas trifásicos. Normalmente em alta tensão se utiliza bancos de transformadores trifásicos formador por 03 unidades monofásicas. Os enrolamentos primário e secundário podem ser conectados em delta ou estrela, formando bancos - ; Y ; Y ou Y Y. Os transformadores Y-Y têm um menor custo de isolamento (tensão do enrolamento menor) e permitem acesso ao neutro para aterramento. Para eliminar harmônicas um terceiro conjunto de enrolamento (terciário) é conectado em delta (harmônicas de seqüência zero 3a harm.). O enrolamento terciário é utilizado para alimentação local e instalação de compensação reativa.

25 Conexões de transformadores trifásicos (cont.) A tensão do enrolamento terciário é normalmente menor (por ex., 500 Y 30 Y 69 ). A conexão em delta tem que se isolada para tensão de linha (custo maior). As conexões Y e Y são bastante freqüentes e são utilizadas como transformadores elevadores junto a usinas e transformadores abaixadores junto a cargas. O neutro do Y normalmente é aterrado.

26 Relação de transformação de transformadores trifásicos Define-se a relação de transformação dos transformadores trifásicos como sendo a relação entre as tensões nominais dos enrolamentos primário e secundário (relação entre o número de espiras). a a' Transformador Z c enrp b a enrp eq enrs b' enrs carga Z c Z c c c' amos analisar o banco de transformador Y-Y e Y-.

27 Transformador Y-Y ou Como definimos, a relação de transformação a é definida pela razão entre as tensões dos enrolamentos primário e secundário. b a b' a' Z c p s Z c carga Z c c c' No caso do banco trifásico com conexão Y-Y (ou ) a relação entre as tensões de linha primário/secundário é igual à relação entre as tensões de fase primário/secundário (igual à tensão dos enrolamentos) e não há defasagem entre as tensões dos lados de alta e baixa : a p s p s φt φt p s φφ φφ 3 3 p s φφ φφ

28 Ou seja, para o transformador trifásico Y-Y (ou ) a relação de transformação a pode ser obtida da razão entre as tensões nominais de linha ou da razão entre as tensões nominais de fase dos lados primário/secundário.

29 Exercício 1 Um banco de transformador conectado em Y- Y alimenta uma carga de 80 MA fp 0,85 ind. Representar o conjunto transformador + carga em Ω. N1 N carga Diagrama unifilar Dados Transformador 138 k/13,8 k X dispersão : 15,3 Ω (alta) Potência nominal S 100 MA Carga S 80 MA fp 0,85 atras. nominal 13,8 k

30 Carga no lado de baixa S Z Z S f 1φ ( ) 13,8/ 3 ( 80 / 3) ,8 80,3805 Ω Carga vista do lado de alta Z alta 138, , 05 13,8 Ângulo da impedância Ω θ cos 1 0,85 31,79 Reatância de dispersão no lado de baixa X 13,8 15,3 0, Ω

31 Sistema visto do lado de alta N1 j 15,3 Ω N trafo carga 0,34 + j 15,40 Ω Sistema visto do lado de baixa N1 j 0,153 Ω N trafo carga,034 + j 1,540 Ω

32 Transformador Y- ou Y Analisando o transformador trifásico Y- e lembrando que a relação de transformação é dada pela relação entre as tensões dos enrolamentos primário/secundário vemos que : No lado em Y a tensão do enrolamento corresponde à tensão de fase do sistema, No lado em a tensão do enrolamento corresponde à tensão de linha do sistema. b a b' a' Z c p s Z c carga Z c c c'

33 Desta forma temos : a p φ t pφφ ou s φφ s φφ 3 a No caso do banco trifásico com conexão Y- a relação entre as tensões de linha é igual a 3 vezes a relação entre as espiras. Lembrando do diagrama fasorial trifásico vemos que um transformador -Y atua como um elemento defasador, por incluir uma defasagem de 30º entre as tensões /Y. ca c b ab a b bc

34 A relação de transformação passa a ser vetorial, onde a tensão no lado do está adiantada de 30º em relação a do lado Y. a s φφ p.e φt jπ / 6 p jπ / 6 A relação de transformação pode ser representada como a associação em série de dois elementos, o primeiro com relação de transformação real e o segundo somente com a defasagem. φφ s φφ 3.e a a T r a r p + a φφ s φφ d 3 p φφ s φφ 3.e jπ / 6 d a 1.e jπ / 6

35 Normalmente a defasagem é cancelada devido à existência de vários transformadores em cascata. Num sistema radial a defasagem pode ser ignorada a não ser que haja interesse no ângulo das tensões. Com relação ao fluxo de potência no sistema radial não há impacto porque tanto a tensão quanto a corrente sofrem o mesmo defasamento. Em sistemas com malha fechada é preciso verificar se a defasagem precisa ser representada. No Brasil existe uma interligação entre Cemig e Escelsa onde foi instalado um transformador Y- (300 MA 30/138 k) para gerar a defasagem devido à restrições de fluxo de potência e esta defasagem deve ser corretamente modelada.

36 Y equivalente amos então desprezar a defasagem e lembrar que estamos trabalhando com a representação de seqüência positiva ( uma fase ). Iremos representar a conexão por um Y equivalente e assim trabalharemos somente com uma fase, supondo que o sistema esteja equilibrado (para que os neutros estejam no mesmo potencial). Quando uma impedância for referida ao lado do ela deve ser corrigida para o Y equivalente, lembrando que Z Y Z Neste caso a relação de transformação Y-Yeq passa a ser dada pelas relações entre as tensões de linha (como no caso Y-Y). 3

37 Exercício Trafo Y- Represente o transformador conectado em Y- por seu equivalente de seqüência positiva. Desprezar a defasagem gerada pelo transformador. N1 N Diagrama unifilar Dados Transformador 138 k/13,8 k Y- X dispersão : 15,3 Ω (alta) Potência nominal S 100 MA

38 Reatância de dispersão no lado de baixa X 13,8 15,3 0, / 3 Ω Trabalhando com Y equivalente Reatância de dispersão no lado de baixa X 0,4569 0, Ω

39 Transformador visto do lado de alta N1 138 k j 15,3 Ω trafo N Transformador visto do lado de baixa (Y equivalente seq pos) N1 j 0,153 Ω trafo N 13,8 k

40 Reparem que as impedâncias variam com a relação de entre as tensões de linha. O transformador Y- pode ser substituído por um equivalente Y-Y : N1 N N1 N 138 k-13,8 k 138 k-13,8 k As relações de transformação serão : a f1 L a L1 L

PEA 2400 - MÁQUINAS ELÉTRICAS I 60 CARACTERIZAÇÃO DAS PERDAS E RENDIMENTO NO TRANSFORMADOR EM CARGA: PERDAS NO FERRO (HISTERÉTICA E FOUCAULT)

PEA 2400 - MÁQUINAS ELÉTRICAS I 60 CARACTERIZAÇÃO DAS PERDAS E RENDIMENTO NO TRANSFORMADOR EM CARGA: PERDAS NO FERRO (HISTERÉTICA E FOUCAULT) PEA 400 - MÁQUINAS ELÉTRICAS I 60 CARACTERIZAÇÃO DAS PERDAS E RENDIMENTO NO TRANSFORMADOR EM CARGA: PERDAS NO FERRO (HISTERÉTICA E FOUCAULT) PERDAS CONSTANTES: p C INDEPENDENTES DA CARGA EFEITO DO CAMPO

Leia mais

P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s

P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 5.3 Componentes Simétricas - Transformadores P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s E - m a i l : f l a v i o.

Leia mais

Lista de Exercícios Circuitos Trifásicos Equilibrados. Prof. Marcelo. Engenharia Elétrica IFG/Jataí

Lista de Exercícios Circuitos Trifásicos Equilibrados. Prof. Marcelo. Engenharia Elétrica IFG/Jataí Lista de Exercícios Circuitos Trifásicos Equilibrados Prof. Marcelo Engenharia Elétrica IFG/Jataí 8) Encontrar os parâmetros elétricos assinalados no circuito abaixo, e ilustrá-los através de um diagrama

Leia mais

C A D E R N O D E P R O V A S

C A D E R N O D E P R O V A S CONCURSO PÚBLICO ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS C A D E R N O D E P R O V A S CADERNO 7 ESPECIALIDADE: ENGENHEIRO ELETRICISTA PROVA: CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - DISCURSIVA LEIA ATENTAMENTE

Leia mais

Eletrotécnica TEXTO Nº 6

Eletrotécnica TEXTO Nº 6 Eletrotécnica TEXTO º 6 TRAFORMADORE DE POTÊCIA. ITRODUÇÃO OBJETIO PRICIPAL: Estabelecimento de modelos matemáticos para transformadores de potência monofásicos, de forma a propiciar o cálculo das correntes,

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA: ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA (EP)

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA: ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA (EP) LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA: ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA (EP) NOTA RELATÓRIO -.... Grupo:............ Professor:...Data:... Objetivo:............ 1 - Considerações gerais

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA - ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA - ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA - ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA RELATÓRIO - NOTA... Grupo:............ Professor:...Data:... Objetivo:............ 1 - Considerações gerais A parte

Leia mais

Questão 3: Um resistor de 10Ω é alimentado por uma tensão contínua de 50V. A potência dissipada pelo resistor é:

Questão 3: Um resistor de 10Ω é alimentado por uma tensão contínua de 50V. A potência dissipada pelo resistor é: Questão 1: Dois resistores de 1Ω e 2Ω, conectados em série, são alimentados por uma fonte de tensão contínua de 6V. A tensão sobre o resistor de 2Ω é: a) 15V. b) 2V. c) 4V. d) 5V. e) 55V. Questão 2:A resistência

Leia mais

Finalmente, para adaptar o nível de tensão às necessidades de consumo, são necessários outros transformadores (de distribuição).

Finalmente, para adaptar o nível de tensão às necessidades de consumo, são necessários outros transformadores (de distribuição). TRASFORMADORES TRFÁSCOS van Camargo Março de 007 ) ntrodução e Aspectos Construtivos Os transformadores trifásicos são equipamentos indispensáveis para o funcionamento de um sistema elétrico. O transformador

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA CONHECIENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO E ELETROTÉCNICA 26. Analise o circuito a seguir. Considerando que a lâmpada L foi projetada para funcionar numa rede de 120 V, dissipando 60 W, o valor da resistência Rx,

Leia mais

TRANSFORMADORES. Figura 6 1. Transformador

TRANSFORMADORES. Figura 6 1. Transformador 6 TRANSFORMADORES 6.. ASPECTOS CONSTRUTIVOS Núcleo: Confeccionado com chapas de Aço-Silicio laminado, empilhadas e prensadas, as quais apresentam permeabilidades magnéticas elevadas. Enrolamentos: Confeccionados

Leia mais

Fundamentos de Máquinas Elétricas

Fundamentos de Máquinas Elétricas Universidade Federal do C Engenharia de nstrumentação, utomação e Robótica Fundamentos de Máquinas Elétricas rof. Dr. José Luis zcue uma Regulação de tensão Rendimento Ensaios de curto-circuito e circuito

Leia mais

Introdução a Transformadores

Introdução a Transformadores Introdução a Transformadores O transformador possibilita a geração de energia elétrica em média tensão, pois pode transformar essa energia em alta tensão para uma transmissão mais econômica. As tensões

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE SISTEMAS DE POTÊNCIA

REPRESENTAÇÃO DE SISTEMAS DE POTÊNCIA 1 REPRESENTAÇÃO DE SISTEMAS DE POTÊNCIA revisão mar06 1 - Introdução A maioria dos sistemas elétricos de potência é em corrente alternada. As instalações em corrente contínua são raras e tem aplicações

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES - PERDAS EM VAZIO Potência absorvida pelo transformador quando alimentado em tensão e frequência nominais,

Leia mais

EQUACIONAL ELÉTRICA E MECÂNICA LTDA CIRCUITO EQUIVALENTE PARA REGULADOR DE TENSÃO TIPO INDUÇÃO

EQUACIONAL ELÉTRICA E MECÂNICA LTDA CIRCUITO EQUIVALENTE PARA REGULADOR DE TENSÃO TIPO INDUÇÃO TELEFONE () 00-0777 - FAX () 00-0779 - CEP 033-0 CIRCUITO EQUIVALENTE PARA REGULADOR DE TENSÃO TIPO INDUÇÃO O artigo a seguir propõe um circuito equivalente para regulador de tensão, simples e prático,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS PARTE 2

LISTA DE EXERCÍCIOS PARTE 2 UNIFEI - UNIERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ LISTA DE EXERCÍCIOS PARTE 2 MEDIDOR DE POTÊNCIA ATIA 1.1. Dispõe-se de um wattímetro para 1500W e 300. A escala tem 150 divisões. Pede-se: a) Corrente nominal do

Leia mais

1 a Lista de Exercícios Exercícios para a Primeira Prova

1 a Lista de Exercícios Exercícios para a Primeira Prova EE.UFMG - ESCOLA DE ENGENHARIA DA UFMG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ELE 0 - CIRCUITOS POLIFÁSICOS E MAGNÉTICOS PROF: CLEVER PEREIRA 1 a Lista de Exercícios Exercícios para a Primeira Prova

Leia mais

Ensaio em Vazio de um Transformador Trifásico

Ensaio em Vazio de um Transformador Trifásico Ensaio em Vazio de um Transformador Trifásico Em um ensaio em vazio, como o próprio nome diz, o transformador é ensaiado sem carga. Os objetivos do teste em vazio do transformador trifásico são: Determinar

Leia mais

Conversão de Energia I

Conversão de Energia I Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Aula 2.7 Transformadores Prof. Clodomiro Vila Bibliografia FITZGERALD, A. E., KINGSLEY Jr. C. E UMANS, S. D. Máquinas Elétricas: com Introdução

Leia mais

WWW.escoladoeletrotecnico.com.br

WWW.escoladoeletrotecnico.com.br CURSO PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS EM ELETROTÉCNICA CPCE AULA 2 Ligações do transformador trifásico Prof.: Jean WWW.escoladoeletrotecnico.com.br 19 de novembro de 2009 Transformador trifásico (3φ) O transformador

Leia mais

Objetivo Geral: - Conhecer o método mais utilizado para obter os parâmetros de um transformador de tensão a partir de ensaios.

Objetivo Geral: - Conhecer o método mais utilizado para obter os parâmetros de um transformador de tensão a partir de ensaios. ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO - TRANSFORMADORES. Transformadores monofásicos

ESTUDO DIRIGIDO - TRANSFORMADORES. Transformadores monofásicos UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA 1 PROF.: LEANDRO MICHELS ESTUDO DIRIGIDO - TRANSFORMADORES

Leia mais

- SISTEMA TRIFÁSICO. - Representação senoidal

- SISTEMA TRIFÁSICO. - Representação senoidal - SISTEMA TRIFÁSICO - Representação senoidal As ligações monofásicas e bifásicas são utilizadas em grande escala na iluminação, pequenos motores e eletrodomésticos Nos níveis da geração, transmissão e

Leia mais

ENGENHEIRO ELETRICISTA

ENGENHEIRO ELETRICISTA ENGENHEIRO ELETRICISTA QUESTÃO 01 O projeto de uma S.E. consumidora prevê dois transformadores, operando em paralelo, com as seguintes características: 500kVA, 13800//220/127V, Z = 5% sob 13.8KV; I n =

Leia mais

TRANSFORMADORES. P = enrolamento do primário S = enrolamento do secundário

TRANSFORMADORES. P = enrolamento do primário S = enrolamento do secundário TRANSFORMADORES Podemos definir o transformador como sendo um dispositivo que transfere energia de um circuito para outro, sem alterar a frequência e sem a necessidade de uma conexão física. Quando existe

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Nome Nº ATENÇÃO: A justificação clara e concisa das afirmações e cálculos mais relevantes

Leia mais

Máquinas e Equipamentos Elétricos e Mecânicos

Máquinas e Equipamentos Elétricos e Mecânicos Indicação de ícones Os ícones são elementos gráficos utilizados para ampliar as formas de linguagem e facilitar a organização e a leitura hipertextual. Atenção: indica pontos de maior relevância no texto.

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

ESTUDO DOS REQUISITOS ESSENCIAIS A ESPECIFICAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO RODRIGO DA SILVA DELGADO

ESTUDO DOS REQUISITOS ESSENCIAIS A ESPECIFICAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO RODRIGO DA SILVA DELGADO ESTUDO DOS REQUISITOS ESSENCIAIS A ESPECIFICAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO RODRIGO DA SILVA DELGADO PROJETO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

Leia mais

Representação em PU P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s

Representação em PU P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s UNERDADE FEDERAL DE JU DE FORA Análise de istemas Elétricos de Potência Representação em PU P r o f. F l á v i o a n d e r s o n G o m e s E - m a i l : f l a v i o. g o m e s @ u f j f. e d u. b r E N

Leia mais

Gerador CC- Excitação Independente

Gerador CC- Excitação Independente Gerador CC- Excitação Independente Necessidade de uma fonte externa: Outro gerador CC; Retificador (diodo ou controlado); Bateria; etc... Gerador CC- Excitação Independente Analisando o circuito: Rfw ->

Leia mais

Transformadores trifásicos

Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Por que precisamos usar transformadores trifásicos Os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica

Leia mais

Introdução à Máquina Síncrona

Introdução à Máquina Síncrona Apostila 2 Disciplina de Conversão de Energia B 1. Introdução Introdução à Máquina Síncrona Esta apostila descreve resumidamente as principais características construtivas e tecnológicas das máquinas síncronas.

Leia mais

Sistemas trifásicos. Introdução

Sistemas trifásicos. Introdução Sistemas trifásicos Introdução Em circuitos elétricos de potência, a energia elétrica é gerada, transmitida, distribuída e consumida sob a forma e trifásica, Uma das vantagens dos circuitos trifásicos

Leia mais

Ligações de Máquinas de Solda nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica

Ligações de Máquinas de Solda nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Ligações de Máquinas de olda nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Revisão 05 0/03 NORMA ND.50 ELEKTRO Eletricidade e erviços.a. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento

Leia mais

TEATRO DA FUNDAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

TEATRO DA FUNDAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL TEATRO DA FUNDAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR EM PORTO VELHO RO Documento: Memória de cálculo Corrente de curto-circuito Emissão: 00 Responsáveis: Eng. Fabrício Silva Lima Eng. Fábio José

Leia mais

. analogamente. Np Ns. a = Ns

. analogamente. Np Ns. a = Ns - Transformadores O transformador é um equipamento elétrico formado por bobinas isoladas eletricamente em torno de um núcleo comum. A bobina que recebe energia de uma fonte ca é chamada de primário. A

Leia mais

CONCEITOS TEORICOS ESSESNCIAIS

CONCEITOS TEORICOS ESSESNCIAIS EXEÊNCA CCUTOS C SÉE COEÇÃO DO FATO DE OTÊNCA OBJETOS: - Aprender a ler os valores dos capacitores de poliéster e cerâmico; - erificar o comportamento do indutor em corrente alternada; - erificar o comportamento

Leia mais

Eletricidade II Sumário

Eletricidade II Sumário Sumário 1.0 Conceitos gerais sobre Magnetismo... 3 2.0 - Campo Magnético gerado por corrente elétrica... 3 3.0 A natureza dos materiais magnéticos... 6 5.0 Indução Eletromagnética... 10 6.0 Geração de

Leia mais

1 Problemas resolvidos

1 Problemas resolvidos 1 Problemas resolvidos Sistemas Electromecânicos 1. Circuitos eléctricos monofásicos 2. Circuitos eléctricos trifásicos 3. Circuitos magnéticos 4. Transformador Paulo Branco (2004/2005) 1 2 Circuitos eléctricos

Leia mais

Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão Eletricidade Básica Jones Clécio Otaviano Dias Júnior Curso FIC Aluna:

Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão Eletricidade Básica Jones Clécio Otaviano Dias Júnior Curso FIC Aluna: Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão Eletricidade

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 41 De acordo com a NBR 5410, em algumas situações é recomendada a omissão da proteção contra sobrecargas. Dentre estas situações estão, EXCETO: a) Circuitos de comando.

Leia mais

Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente

Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA TRANSFORMADORES ELABORADO POR: Prof. Adalton Lima de Aguiar Prof. José Roberto Camacho INTRODUÇÃO Ao corpo discente, A disciplina TRANSFORMADORES,

Leia mais

3 Faltas Desbalanceadas

3 Faltas Desbalanceadas UFSM Prof. Ghendy Cardoso Junior 2012 1 3 Faltas Desbalanceadas 3.1 Introdução Neste capítulo são estudados os curtos-circuitos do tipo monofásico, bifásico e bifase-terra. Durante o estudo será utilizado

Leia mais

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE 750kVA DESTINADA AO PRÉDIO DA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DE PERNAMBUCO, SITUADO NO MUNICÍPIO DE RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO. MEMORIAL DESCRITIVO 1. FINALIDADE:

Leia mais

Capítulo 3. Máquinas de corrente contínua. Introdução

Capítulo 3. Máquinas de corrente contínua. Introdução Capítulo 3 Máquinas de corrente contínua Introdução A máquina de corrente contínua foi, durante muito tempo, a solução mais natural para problemas em que era imprescindível variar a velocidade durante

Leia mais

WWW.escoladoeletrotecnico.com.br

WWW.escoladoeletrotecnico.com.br CURSO PREPARATÓRO PARA COCURSOS EM ELETROTÉCCA CPCE ELETRCDADE AULA TRASFORMADOR: Polaridade de u enrolaento Enrolaento e série e e paralelo Ensaio a vazio e e curto-circuito Ligações de u transforador

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; freqüência nominal; potência ou corrente

Leia mais

GABARITO - DEF30. Questão 1

GABARITO - DEF30. Questão 1 GABARITO - DEF30 Questão 1 a) Ensaio em aberto: Um dos lados do transformador é deixado em aberto, normalmente o lado de alta tensão. Instrumentos de medição são conectados para medir a corrente I 1, V

Leia mais

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA. Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof.

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA. Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof. DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica Prof.: Hélio Henrique INTRODUÇÃO IFRN - Campus Mossoró 2 MOTORES TRIFÁSICOS CA Os motores

Leia mais

**Transformadores MEGA Ltda. Caixa Postal 6302 CEP 89068-970 - Blumenau - SC Fone/Fax 047 337 2000 mega@braznet.com.br

**Transformadores MEGA Ltda. Caixa Postal 6302 CEP 89068-970 - Blumenau - SC Fone/Fax 047 337 2000 mega@braznet.com.br Modelagem Estática e Dinâmica do Comportamento de Materiais Magnéticos sob Regimes Senoidais Puro e Com Harmônicos Sérgio H. L. Cabral* Thair I. Mustafa* André Carvalho** Jonas B. N. Coral** *Fundação

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA Transformadores são máquinas de operação estática que transferem energia elétrica de um circuito

Leia mais

Acionamento de Motores CA

Acionamento de Motores CA Fundação Universidade Federal ACIONAMENTOS de Mato Grosso do CA Sul 1 Acionamentos Eletrônicos de Motores Acionamento de Motores CA Prof. Márcio Kimpara Prof. João Onofre. P. Pinto Universidade Federal

Leia mais

Trabalho Prático Nº 6.

Trabalho Prático Nº 6. Trabalho Prático Nº 6. Título: Carga Predominantemente Resistiva, Carga Predominantemente Indutiva e Carga Resistiva e Indutiva em paralelo. Objetivo: Este trabalho prático teve como objetivo montar três

Leia mais

ABAIXO ENCONTRAM-SE 10 QUESTÕES. VOCÊ DEVE ESCOLHER E RESPONDER APENAS A 08 DELAS

ABAIXO ENCONTRAM-SE 10 QUESTÕES. VOCÊ DEVE ESCOLHER E RESPONDER APENAS A 08 DELAS ABAIXO ENCONTRAM-SE 10 QUESTÕES. VOCÊ DEVE ESCOLHER E RESPONDER APENAS A 08 DELAS 01 - Questão Esta questão deve ser corrigida? SIM NÃO Um transformador de isolação monofásico, com relação de espiras N

Leia mais

Constituição - Núcleo. Constituição. Tipos de núcleos. Núcleo ferromagnético. Constituição - Enrolamentos. Tipos de núcleos 02/03/2015

Constituição - Núcleo. Constituição. Tipos de núcleos. Núcleo ferromagnético. Constituição - Enrolamentos. Tipos de núcleos 02/03/2015 02/03/2015 es monofásico Eletricista de Instalações trifásico es de tensão de medida 2014/ 2015 de intensidade 1 monofásico 2 4 Simbologia es: o aparelhos eletromagnéticos o sem partes móveis o destinados

Leia mais

CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA - lista de exercícios sobre transformadores antonioflavio@ieee.org

CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA - lista de exercícios sobre transformadores antonioflavio@ieee.org 1ª. Questão Considere as seguintes impedâncias e tensões de um transformador cuja potência nominal é S N. Z AT : impedância de dispersão, referida à alta tensão, em ohms; Z BT : impedância de dispersão,

Leia mais

2 ANÁLISE DE IRREGULARIDADES NA MEDIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

2 ANÁLISE DE IRREGULARIDADES NA MEDIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 24 2 ANÁLISE DE IRREGULARIDADES NA MEDIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 2.1 INTRODUÇÃO Como conseqüência direta das privatizações do mercado de energia, as concessionárias do setor elétrico começaram a investigar

Leia mais

Modelamento de Saturação em Transformadores

Modelamento de Saturação em Transformadores Modelamento de Saturação em Transformadores O Circuito Equivalente do Transformador na Figura 1 pode ser modificado para incluir os efeitos não-lineares da característica do núcleo. Esta modificação pode

Leia mais

Ligações de Equipamentos de Raios X nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica

Ligações de Equipamentos de Raios X nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Ligações de Equipamentos de Raios X nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Revisão 05 0/03 NORMA ND.5 ELEKTRO Eletricidade e erviços.a. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento

Leia mais

TRANSFORMADOR. A figura 1 mostra o esquema de um transformador básico.

TRANSFORMADOR. A figura 1 mostra o esquema de um transformador básico. TRAFORMADOR O transformador é constituído basicamente por dois enrolamentos que, utilizando um núcleo em comum, converte primeiramente e- nergia elétrica em magnética e a seguir energia magnética em elétrica.

Leia mais

ANÁLISE DE CIRCUITOS

ANÁLISE DE CIRCUITOS NÁLISE DE CIRCUITOS Corrente Contínua 1 Na figura seguinte representa um voltímetro e um amperímetro. Se indicar 0,6 m, quanto deverá marcar? U 50kΩ Figura 1 2 Se R b = 3R a, qual a tensão entre e B (sabendo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Os sistemas elétricos estão sujeitos a sobretensões de origem externa e interna, cuja ocorrência pode ser evitada com a instalação adequada de para-raios na rede elétrica. No que se refere a esse assunto,

Leia mais

Circuitos RLC em Corrente Alternada Senoidal Monofásica

Circuitos RLC em Corrente Alternada Senoidal Monofásica Escola Técnica Estadual Monteiro obato - IMO Apostila sobre: ircuitos em orrente Alternada Senoidal Monofásica (última atualização: 3/07/05) rofessor: Fabiano da osa Hollweg Taquara, S. SUMÁIO. AÍTUO OENTES

Leia mais

Aula 1 Introdução. Análise de redes em condições transitórias. rias:

Aula 1 Introdução. Análise de redes em condições transitórias. rias: Proteção de Sistemas Elétricos Aula 1 Introdução Análise de redes em condições transitórias condições transitórias: rias: chaveamento CC falta de fase formas de ondas anormais descargas atmosféricas origem:

Leia mais

Estudo de Caso das Falhas em Transformadores de Corrente de Neutro em Banco de Capacitores de 138kV

Estudo de Caso das Falhas em Transformadores de Corrente de Neutro em Banco de Capacitores de 138kV XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 010 a 6 de novembro São Paulo - SP - Brasil Estudo de Caso das Falhas em Transformadores de Corrente de Neutro em Banco de Capacitores de

Leia mais

Aula 8 Análise de circuitos no domínio da frequência e potência em corrente alternada

Aula 8 Análise de circuitos no domínio da frequência e potência em corrente alternada ELETRICIDADE Aula 8 Análise de circuitos no domínio da frequência e potência em corrente alternada Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Associação de impedâncias As impedâncias

Leia mais

ANÁLISE DAS PERDAS NO TRANSFORMADOR MONOFÁSICO PARA DIFERENTES CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO. Jonathan Carvalho de Vasconcellos

ANÁLISE DAS PERDAS NO TRANSFORMADOR MONOFÁSICO PARA DIFERENTES CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO. Jonathan Carvalho de Vasconcellos ANÁLISE DAS PERDAS NO TRANSFORMADOR MONOFÁSICO PARA DIFERENTES CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO Jonathan Carvalho de Vasconcellos Projeto de Graduação apresentado ao Curso de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito de sistemas de distribuição de energia elétrica, julgue os itens a seguir. 4 Ao operar em tensão secundária, um sistema de distribuição de energia elétrica funciona

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL Paulo dos Santos CARACTERIZAÇÃO ELÉTRICA DE UM TRANSFORMADOR

Leia mais

Transformador Trifásico [de isolamento]

Transformador Trifásico [de isolamento] ISTITTO POLITÉCICO DE ISE ESCOLA SPERIOR DE TECOLOGIA Transformador Trifásico [de isolamento] Ligações do transformador trifásico de isolamento. Objectivos * Conhecer as possibilidades para a transformação

Leia mais

Manual de Utilização do Programa. HarmZs. Versão 1.9. CEPEL - Centro de Pesquisas de Energia Elétrica

Manual de Utilização do Programa. HarmZs. Versão 1.9. CEPEL - Centro de Pesquisas de Energia Elétrica Manual de Utilização do Programa HarmZs Versão 1.9 CEPEL - Centro de Pesquisas de Energia Elétrica Novembro 2009 Índice 1. Introdução 1 Introdução...1 2. Códigos de Execução 3 Introdução...3 Código de

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador.

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador. CAPÍTULO 8 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS 8.1 CONCEITO O transformador, representado esquematicamente na Figura 8.1, é um aparelho estático que transporta energia elétrica, por indução eletromagnética, do primário

Leia mais

Medidas elétricas em altas frequências

Medidas elétricas em altas frequências Medidas elétricas em altas frequências A grande maioria das medidas elétricas envolve o uso de cabos de ligação entre o ponto de medição e o instrumento de medida. Quando o comprimento de onda do sinal

Leia mais

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA A tensão alternada senoidal é a qual utilizamos em nossos lares, na indústria e no comércio. Dentre as vantagens, destacamos: Facilidade de geração em larga escala; Facilidade

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Considerando que um transformador monofásico será submetido aos ensaios de curto-circuito e a vazio para determinação dos parâmetros do seu circuito equivalente, o qual deverá

Leia mais

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS 8.1 - Motores de Corrente Contínua 8.2 - Motores de Corrente Alternada 8.3 - Motores Especiais 8.4 - Exercícios Propostos Na natureza a energia se encontra distribuída sob

Leia mais

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I QUALIDADE DE ENERGIA 1-Introdução ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I Desde o princípio do método de transmissão de energia elétrica utilizando CA, ou ondas senoidais, o aparecimento de componentes harmônicas é um

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA NOTAS DE AULA PROF. LUCIANO VITORIA BARBOZA SUMÁRIO Capítulo 1. Faltas Trifásicas Simétricas... 1 1.1. Introdução... 1 1.. Transitórios

Leia mais

DESTAQUE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA

DESTAQUE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA Capítulo 0 Transformadores DESTAQE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA Os geradores elétricos, que fornecem tensões relativamente baixas (da ordem de 5 a 5 kv), são ligados

Leia mais

Aula 2 TRANSFORMADORES I. Prof. Dr. Maurício Salles mausalles@usp.br USP/POLI/PEA

Aula 2 TRANSFORMADORES I. Prof. Dr. Maurício Salles mausalles@usp.br USP/POLI/PEA Aula 2 TRANSFORMADORES I Prof. Dr. Maurício Salles mausalles@usp.br USP/POLI/PEA Aula 2 TRANSFORMADORES Utilização do transformador Princípio de funcionamento do transformador (ideal e real) Transformador

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Acerca de equipamentos que utilizam sistemas de controle para o seu funcionamento, julgue o item abaixo. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 5 As modernas máquinas de lavar roupa, em que é possível controlar desde

Leia mais

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil IX Seminário Técnico de Proteção e Controle 1 o a 5 de Junho de 2008 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil Uma Metodologia de Testes Automáticos nos IED s Diferenciais de Proteção de Transformadores que Dispensa

Leia mais

2. Suponha que o primário do transformador anterior tinha 800 espiras. Qual será o número de espiras do secundário?

2. Suponha que o primário do transformador anterior tinha 800 espiras. Qual será o número de espiras do secundário? 1. Um transformador tem a seguinte característica: 220/110 V. Responda as seguintes questões: a) 0 transformador é redutor ou elevador? b) Indique o valor da tensão no primário e a do secundário. c) Calcule

Leia mais

Laboratório 7 Circuito RC *

Laboratório 7 Circuito RC * Laboratório 7 Circuito RC * Objetivo Observar o comportamento de um capacitor associado em série com um resistor e determinar a constante de tempo do circuito. Material utilizado Gerador de função Osciloscópio

Leia mais

XXIX Olimpíada Internacional de Física

XXIX Olimpíada Internacional de Física XXIX Olimpíada Internacional de Física Reykjavík, Islândia Parte Experimental Segunda-feira, 6 de Julho de 1998 Lê isto primeiro: Duração: 5 H 1. Utiliza apenas a esferográfica que te foi dada. 2. Usa

Leia mais

Circuitos Retificadores

Circuitos Retificadores Circuitos Retificadores 1- INTRODUÇÃO Os circuito retificadores, são circuitos elétricos utilizados em sua maioria para a conversão de tensões alternadas em contínuas, utilizando para isto no processo

Leia mais

6.0 Curto-Circuito Simétrico P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s

6.0 Curto-Circuito Simétrico P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s UNVERSDADE FEDERAL DE JUZ DE FORA Análise de Sistemas Elétricos de Potência 6.0 Curto-Circuito Simétrico P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s E - m a i l : f l a v i o. g o m e s @ u f j f.

Leia mais

Transformador Monofásico [de Isolamento]

Transformador Monofásico [de Isolamento] Transformador Monofásico [de Isolamento] Determinação do rendimento para a carga nominal Curva característica do rendimento η = f (S 2 ), para vários factores de potência 1 - Informação Geral A potência

Leia mais

Levantamento da Característica de Magnetização do Gerador de Corrente Contínua

Levantamento da Característica de Magnetização do Gerador de Corrente Contínua Experiência IV Levantamento da Característica de Magnetização do Gerador de Corrente Contínua 1. Introdução A máquina de corrente contínua de fabricação ANEL que será usada nesta experiência é a mostrada

Leia mais

Governo do Estado de Mato Grosso do Sul Secretaria de Estado de Educação Centro de Educação Profissional Ezequiel Ferreira Lima APOSTILA

Governo do Estado de Mato Grosso do Sul Secretaria de Estado de Educação Centro de Educação Profissional Ezequiel Ferreira Lima APOSTILA APOSTILA CUSO TÉCNICO EM ELETÔNICA PATE IV - Circuito etificador - Fonte de Tensão - Diodo ener - Dobrador de Tensão - Circuitos Limitadores ou Ceifadores - Cargas em corrente alternada - Impedância -

Leia mais

ET720 Sistemas de Energia Elétrica I. Capítulo 3: Gerador síncrono. Exercícios

ET720 Sistemas de Energia Elétrica I. Capítulo 3: Gerador síncrono. Exercícios ET720 Sistemas de Energia Elétrica I Capítulo 3: Gerador síncrono Exercícios 3.1 Dois geradores síncronos estão montados no mesmo eixo e devem fornecer tensões em 60 Hz e 50 Hz, respectivamente. Determinar

Leia mais

Transformadores. Gil Marques 2005

Transformadores. Gil Marques 2005 Transformadores Gil Marques 005 Transformadores - Gil Marques 005 Conteúdo Pioneiros Classificação Princípio de funcionamento Circuito equialente Medida dos parâmetros Rendimento Comportamento Valores

Leia mais

Sistemas Elétricos de Potência 1 Lista de Exercícios No. 6

Sistemas Elétricos de Potência 1 Lista de Exercícios No. 6 Sistemas Elétricos de Potência 1 Lista de Exercícios No. 6 1) Determine a corrente de curto-circuito trifásico em Ampères e em p.u. no ponto F da figura abaixo (lado de AT do trafo), desprezando-se a corrente

Leia mais

TRANSFORMADORES ELÉTRICOS

TRANSFORMADORES ELÉTRICOS TRANSFORMADORES ELÉTRICOS (Módulo 3 TEM) Prof. Dr. Emerson Silveira Serafim FONTE:http://br.geocities.com/salad efisica7/funciona/transformador.htm SUMÁRIO 1.1 Introdução 1.2 Definição 1.2.1 Princípio

Leia mais

Auto - Transformador Monofásico

Auto - Transformador Monofásico Auto - Transformador Monofásico Transformação de Tensão Transformação de tensão para várias tensões de entrada: U 2, U 3, U 23 = f (U 1 ) 1.1. - Generalidades A função do transformador é transformar a

Leia mais