1º FÓRUM DE DEBATES DO CICLO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DIAS 06 e

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1º FÓRUM DE DEBATES DO CICLO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DIAS 06 e 07.12.2010"

Transcrição

1 1 1º FÓRUM DE DEBATES DO CICLO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DIAS 06 e º DIA Questões sobre Sistema de Registro de Preços: 1. O prazo de vigência da Ata de Registro de Preços pode ser prorrogado além dos 12 meses? R. Não pode ser prorrogada além dos 12 meses porque existe a Orientação Normativa nº 19/2009 da AGU e Acórdão TCU 991/2009-Plenário. encaminhamento solicitando a revogação do 2º do artigo 4º do Decreto nº 3931/ Qual deve ser o procedimento mais adequado para que o carona a Ata de Registro de Preços atenda os requisitos legais? R. Pode ser realizado o procedimento de carona desde que na mesma esfera de governo (Orientação Normativa nº 21/2009 da AGU). O procedimento considerado mais adequado para embasar o processo administrativo de carona pode ser: Conveniência e oportunidade; Pesquisar Atas no Sistema Comprasnet; Solicitar autorização ao Gestor da Ata e ao fornecedor; Formalizar o processo; Pesquisa de preço para justificar a vantajosidade para a administração. 3. É possível acrescer ou diminuir o quantitativo registrado com base no artigo 65, 1º da Lei 8666/93? A unidade que usou do carona como fica? R. Para o gerenciador da Ata aplica-se o artigo 12 do Decreto nº 3931/2001 que autoriza o acréscimo. Quanto à unidade que usou do carona se for fornecimento de material não pode, no entanto, se for o caso de contrato de serviço continuado pode desde que previsto no Edital e no Contrato. 4. Quem penaliza o fornecedor no caso do carona, o órgão gerenciador da Ata ou a unidade que pegou a carona? R. Artigo 3º 2º e 4º inciso IV, do Decreto nº 3931/09. É possível estabelecer no Edital e Ata quem vai aplicar a penalização.

2 2 Quanto a presente questão não houve consenso no grupo, quanto ao alcance da penalização. 5. Como e quando pode ser feita a revisão de preços na Ata de Registro de Preços? R. Aplica-se o artigo 12 do Decreto nº 3931/01 Não houve consenso, será encaminhada consulta a AGU quanto a possibilidade de reequilíbrio econômico financeiro para acréscimo do valor registrado. 6. Quando poderá ser cancelada uma Ata de Registro de Preços a pedido do fornecedor? E do gestor? Caberá penalização? R. Aplicam-se os artigos 12 e 13 do Decreto 3931/01, dando ao fornecedor ampla defesa e contraditório. 7. Quais as vantagens e desvantagens do Registro de Preços? R. Vantagens: Entrega parcelada; Redução do número de licitações; Diminuição do custo; Transparência; Possibilidade de registrar itens por prazos adequados a sua natureza e interesse do mercado; Não necessidade de comprovação de recursos de dotação orçamentária prévia de acordo com orientação da AGU na Orientação Normativa nº 20/09 Etc. Desvantagens: Valor tornar-se obsoleto; Possibilidade de formação de cartéis; 8. Quais as vantagens e desvantagens do Carona? R. Vantagens: Desnecessidade de fazer nova licitação; Economicidade; Celeridade; Eficiência; Possibilidade de análise prévia do fornecedor e do produto;

3 3 Redução de estoque; R. Desvantagens: Limite de quantidade; Especificações e detalhes pré definidas; Uso ilimitado pode ocasionar a perda de economia de escala; Formação de cartéis; Incerteza quanto a aplicação de penalidade (gerenciador ou carona) 9. Há obrigatoriedade de deixar, por 05 dias úteis, nosso Pregão de Registro de Preços, a disposição dos demais órgãos, para o registro de Intenção de Registro de Preços, IRP? R. No momento, não existe a obrigatoriedade do registro dessa intenção, embora incida o artigo 3º, 2º, I do Decreto 3931/01. Existe, conforme informações da AGU, grande possibilidade dessa pratica tornar-se obrigatória. 10. Sobre as pesquisas de preços, há funcionalidade no uso dos programas que estão sendo vendidos no mercado que divulgam valores de mercado? Essas pesquisas apresentam, muitas vezes, preços abaixo daqueles praticados no mercado. R. A pesquisa de preços é importante e pode ser utilizado todos os meios legais de conseguí-la. Deverá haver razoabilidade na utilização dos preços colhidos para a fixação do preço médio ou máximo. 11. É possível descontar a multa aplicada a empresa de outro valor que a empresa tenha direito a receber? Se o valor for de R$ 500,00 pode inscrever em dívida ativa? R. Se a empresa não pagar é obrigatória a inscrição no CADIN. Inscrever em dívida ativa depende do valor da multa, no exemplo acima não seria inscrita. Aplica o artigo 86 2º da Lei 8666/93 que determina o desconto do valor da garantia. A retenção de valores no próprio contrato depende de previsão contratual. Aplicação de multa deve garantir contraditório e ampla defesa. Quanto a descontar o valor de outro contrato que a empresa venha a ter com a administração se pode ou não pode descontar, está sendo objeto de estudo pela AGU, sendo recomendável aguardar o posicionamento daquele órgão. Noticia: A AGU está trabalhando no sentido de elaborar novas orientações normativas com relação às penalidades e uniformização de entendimentos das consultorias jurídicas. 12. Qual a diferença entre Ata de Registro de Preços e o Contrato advindo de uma Ata?

4 4 R. A Ata de Registro de Preços é pré-contrato onde há somente o compromisso de fornecimento e os contratos advindos da ARP seguem sua rotina conforme a Lei 8666/93. É recomendável que a ARP seja bem elaborada contendo todos os elementos necessários a sua boa gestão. 13. A Administração pode suprir sua necessidade através de dois processos de caronas distintos para o mesmo objeto? Exemplo: necessidade de 60 computadores, 30 de uma ata e 30 de outra ata com preços diferentes? R. Pode desde que o preço seja comprovadamente vantajoso para a administração. Se o valor do item for superior ao valor da pesquisa de mercado não pode. 14. Existe a obrigatoriedade de se colocar o preço médio estimado (pelo órgão gerenciador) no termo de referência/edital? R. Existe a obrigatoriedade de constar do processo o valor apurado. Quanto ao Edital é obrigatório para obras e serviços, porém é recomendável para as outras situações. 15. Tem validade a renovação do contrato firmado a partir da carona de registro de preços se a Ata de origem tenha sido cancelada? R. O cancelamento da Ata pelo gestor não afeta os contratos já em andamento pelos caronas, via de regra. No caso de nulidade da Ata o contrato será prejudicado. 16. Em que casos não cabe o Registro de Preços? A lista do artigo 2º do Decreto 3931/01 é exaustiva ou exemplificativa? R. Não cabe para obras, locação de imóveis e quando não se enquadrar no artigo 2º. A lista é exaustiva. 17. A estimativa das quantidades no Registro de Preços precisa ser justificada? Em que parâmetros? Existe a obrigatoriedade de colocar quantidade mínima no Termo de Referência? Pode fazer Registro de uma unidade? R.Sim, de acordo com artigo 3º, 2º, inciso II. O artigo 5º estabelece que se coloque a quantidade mínima a ser adquirida em cada acionamento da Ata. Legalmente não, tem se enquadrar no artigo 2º do Decreto 3931/ Pode-se utilizar o Registro de preços para a licitação de serviços contínuos? No caso de terceirizados para vigilância, portaria, limpeza entre outros?

5 5 R.Legalmente pode desde que se enquadre no artigo 2º do Decreto 3931/01, mas é conveniente analisar o caso concreto a vantajosidade de se ter mais de um contrato por Registro de Preço nos casos de serviços contínuos. 19. Precisa parecer jurídico nos processos de carona? R.Obrigatoriedade não há, no entanto, é recomendável especialmente nos casos de dúvida ou que envolva contrato. O Termo Aditivo tem obrigatoriamente que passar pelo jurídico. 20. Pode ser feito novo pregão para um produto que já consta em outro registro de preços? R. Aplica-se o artigo 7º do Decreto 3931/01. Se o fornecedor do produto registrado não concordar em reduzir seu preço, cancela a Ata e contrata com o vencedor do pregão. 21. Pode pegar carona de Registro de Preços de pregão presencial? R. Não há nenhum impedimento legal. 2º Dia: Questões sobre Fiscalização de Contratos: 1. Pode haver retenção do pagamento mensal da empresa, se houver falha na execução do contrato ou a empresa não mantiver suas condições de habilitação? R. Haverá retenção de pagamento no caso de inexecução do serviço ou se o mesmo não tiver sido prestado a contento (art. 34 A, da IN 02). Pelo parágrafo primeiro, do mesmo artigo, conclui-se que no caso de inadimplência fiscal (falta de documentação) ou mesmo nos casos de inadimplências trabalhistas, a Administração pode conceder prazo para regularização, sob pena de rescisão, conforme artigo 34-A, parágrafo único, da IN e Acórdão /08-2. Para os casos de inadimplências trabalhistas haverá depósito em juízo, nos termos do artigo 36, parágrafo segundo, da IN 02. Em todas as situações acima, deve ser concedido o contraditório e a ampla defesa. Sobre o Termo de Ajustamento de Conduta, concluiu-se que é sempre possível utilizá-lo como instrumento para que haja o pagamento aos empregados. 2. Como comprovar a vantajosidade referente ao preço na prorrogação do contrato, quando as empresas consultadas se recusam a fornecer orçamentos/preços e quando os contratos de outros órgãos não são compatíveis uns com os outros?

6 6 R. Tema debatido no primeiro dia do Fórum. A Administração deve utilizar-se de todos os meios possíveis para buscar preços praticados nos demais Órgãos Públicos em contratos semelhantes, bem como consultar o mercado, por meio de diligências. A partir dessas pesquisas, deve-se averiguar se o preço atualmente praticado pelo contrato em vigor ainda é vantajoso ou seja, ainda mantém seus preços dentro desta realidade de mercado apurada. 3. Pode o órgão contratante interferir no processo de seleção dos funcionários terceirizados? R. É vedado à Administração praticar atos gerais de ingerência na empresa. Não pode, por exemplo, interferir na escolha dos funcionários terceirizados direcionando a contratação de pessoas para trabalhar na empresa (art. 10, da IN 02) 4. Quais os cuidados e precauções na relação entre servidores e terceirizados? R. O artigo 10 e seus incisos, todos da IN 2, elencam as condutas que devem ser observadas e evitadas pelos servidores públicos envolvidos com o contrato administrativo em execução, principalmente em relação aos empregados da contratada. Concluiu-se ser recomendável a abertura de processo específico para o acompanhamento e fiscalização do contrato. 5. Quando o servidor pode se negar a ser fiscal de contrato? R. O servidor poderia alegar o seguinte: 1) o servidor não possuir competência técnica para a referida execução, como, por exemplo, no caso de obras; 2) a Administração não ofertou curso de formação para o treinamento do servidor. Nesses casos, é importante que haja a comunicação formal (o registro) deste pedido de afastamento das funções de fiscal, para que o servidor público possa resguardar-se no futuro. Mesmo assim, nos casos acima, nada impedirá que o superior hierárquico expeça Portaria de designação desse servidor, que assumirá todas as responsabilidades que lhe são atribuídas pela legislação. 6. Qual a distinção entre gestor e fiscal de contrato? R. Há certa diferença de Órgão para Órgão. Na maioria dos casos, o Gestor fica com toda a documentação do contrato, fazendo a parte de gerência. O fiscal é quem fica responsável pela verificação na ponta dos serviços. O Anexo I, inc. XVIII, da IN, dá a definição dessas funções. 7. Quais os procedimentos que devem ser adotados para autorizar a aplicação de penalidade contratual? R. 1. Documentar o fato, informando a Administração tudo o que ocorreu na execução do contrato; 2. O fiscal fará ofício/ para a empresa relatando as inadimplências em tese, oportunizando a correção do fato e apresentação de defesa; 3) Com a defesa da empresa e eventuais informações complementares do

7 7 executor do contrato, o ordenador de despesa é o responsável pela decisão final quanto à aplicação de penalidade; 4) Com a decisão do ordenador da despesa, o gestor do contrato fará a comunicação oficial à empresa, quanto à penalidade. A partir daí, abre-se o prazo de recurso à empresa, nos termo do art. 109, da Lei n /93 e artigo 56, da Lei 9.784/99); 4) É relevante a motivação de todos os atos administrativos, especificando bem quais as causas da penalidade infligida à empresa (art. 50, da Lei 9784/99); 8. Que documentos podem ou devem ser exigidos pelo fiscal do contrato para comprovação de atendimento das normas trabalhistas pelo contratado? R. O art. 34, parágrafo 5º, da IN, elenca todos os documentos que devem ser exigidos da empresa. A decisão 540/00, do TCU, trata desta temática, orientando a Administração quanto a estes deveres. 9. O dolo é requisito para aplicação de penalidade contratual? Em que casos? R. Para a maioria das penalizações é suficiente a culpa (negligência, imprudência ou imperícia). Há recentes decisões, entretanto, que começam a exigir o dolo para que seja aplicada penalidade de suspensão e/ou impedimento para licitar. Há Acórdão nº 1427/07 TCU, que já orientou nesse sentido. O interesse público também se reveste de requisito fundamental para a aplicação das penalidades. O art. 34, parágrafo único, da IN 02, cita a má-fé, indicando a preocupação quanto à análise do comportamento da empresa. 10. Como proceder a rescisão do contrato? R. A decisão quanto à instrução de processo específico para a rescisão dependerá do caso concreto, nos termos do art. 78, parágrafo único, da lei de licitações. O artigo 77, da mesma lei, também informa os motivos norteadores da rescisão contratual, que serão observados por ocasião da instrução deste processo. O art. 35, parágrafo único, da IN 02, estabelece a hipótese de retenção e utilização de garantia para o pagamento de verbas trabalhistas, nas hipóteses que menciona, após a extinção do contrato. Especificar em Edital na cláusula de garantia, que a apólice cubra todas as despesas trabalhistas. Ainda, é recomendável atenção no recebimento dessas apólices (para assinatura do contrato), pois estão sendo apresentadas com ressalvas ao pagamento de verbas trabalhistas e multa contratual, o que contraria os dispositivos legais, e deve ser recusada pela Administração. Por fim, é necessário verificar a vigência da apólice, que deverá ser de 3 meses após o término do contrato. 11. Podem ser colocadas no Edital as penalidades da Lei 8666/93 e do Decreto nº 5450/05 no pregão eletrônico?

8 8 R. Há controvérsia na questão. O que se verificou ser o mais correto é o entendimento de que o que estiver previsto em contrato é o que regerá a relação entre as partes. Nesse sentido, o art. 7º e 9º, da Lei /02 prevê as penalidades a serem aplicadas no Pregão e, autoriza, expressamente, a utilização subsidiária da Lei 8.666/93, o que autorizaria a regulamentação conjunta das penalidades previstas nos dois diplomas legais. 12. Se o contrato envolver duas categorias profissionais com data base diferentes, como deverá ser feita a repactuação? R. O TCU tem julgados que tratam do assunto, assim como a IN regulamenta a matéria no artigo 37, parágrafo 3º. Ambos consideram ser possível fazer individualmente cada uma. A AGU frisou que a alteração advinda de termo aditivo à convenção coletiva que houve nos contratos de vigilância intervalo intrajornada deve ser tratada como reequilíbrio e ser formalizada por meio de Termo Aditivo. A AGU ressaltou, também, que deverá ser tratado como reequilíbrio a ocorrência que se verificará em fevereiro de 2011, em razão da antecipação da CCT para janeiro de A AGU informa que o Edital deve ter regra específica mencionando a preclusão do direito à repactuação, caso o contratado não tenha feito o pedido no prazo adequado, sob pena de não ser possível aceitar o pedido do contratado. 13. Quais as responsabilidades do fiscal do contrato? R. A IN prevê todas essas responsabilidades, sendo recomendável que o fiscal faça um check-list de todas as condutas que deverá adotar e todos os documentos que deverá fiscalizar, de forma a poder dar baixa à medida que verifica a regularidade ou não de cada uma destas obrigações. 14. Quais os cuidados que o fiscal do contrato deve tomar antes de atestar uma nota fiscal de serviços prestados ou obras executadas? R. Verificar o cumprimento de todas as obrigações editalícias e contratuais antes do atesto da Nota Fiscal, vez que não há disponibilidade do interesse público e o fiscal não pode transigir da observância de todas as obrigações previstas no Instrumento Convocatório (encargo). Para o atesto da Nota Fiscal, também é importante observar o regime de tributação da empresa e o cálculo dos tributos, para verificar se não houve alteração daquele utilizado na proposta apresentada na licitação. O fiscal deverá ater-se, também, ao acompanhamento diário das atividades que envolvem a execução do contrato. 15. Qual o procedimento para suprimir e aditar os serviços previstos? Esse procedimento deve ser feito à medida da execução do contrato ou ser feita uma revisão no inicio e formalizada? R. Primeiramente, nos termos da lei, para haver aditamento é necessária a verificação de uma ocorrência superveniente, impossível de ser prevista à época da

9 9 contratação. Há, também, que se respeitar os limites e condições previstos no art. 65, da Lei de Licitações. O reajuste só pode ser concedido se previsto expressamente no contrato, para os casos de vigência superior a um ano. Assim, se em razão de um pedido de prorrogação de prazo de execução de determinado contrato, o prazo de vigência superar um ano, não haverá direito algum a reajuste pelos índices setoriais. 16. Qual a forma de contagem do prazo de vigência do contrato para efeitos de prorrogação? R. O contrato inclui em sua abrangência o dia em que é feita a sua assinatura. Assim, se o contrato prevê vigência de 12 meses e a assinatura se dá em 12 de dezembro, terá por dia final de vigência o dia 11 de dezembro do ano seguinte (neste caso, o termo aditivo de prorrogação deverá ser assinado, no máximo, no dia 11 de dezembro. No dia seguinte, já não há mais contrato e não se pode prorrogálo). O contrato pode prever, também, prazo de vigência do dia X ao dia Y, ocasião em que se considera esse período. 17. Existe impedimento legal para que a vigência de contrato possa ser pelo período de 20 meses direto? R. Não há impedimento expresso, devendo repousar a decisão do prazo da vigência inicial no livre convencimento da Administração, sem deixar de verificar, nos contratos de longa vigência, constantemente, se o contrato mantém-se vantajoso. É importante que haja justificativa que comprove a vantagem na previsão de um prazo inicial de vigência (para serviços contínuos) superior a 12 meses. As Decisões nº 25/2000 e nº 586/2002 e os Acórdãos nº 1191/2005 e nº 361/2006, todas do TCU autorizam a vigência de contratos por prazo superior a 12 meses. 18. Quais os direitos da Administração em caso de rescisão? R. Estão todos previstos nos incisos do artigo 80, da Lei de Licitações, confirmados pelo Acórdão 2519/2006 2ª Câmara TCU. A forma de executar as prerrogativas mencionadas está prevista nos parágrafos do mesmo artigo. 19. Quais são os custos não renováveis pagos ou amortizados, que podem ser eliminados no caso de prorrogação do contrato para um segundo ano de vigência? R. A IN determina que, para prorrogação contratual, o Órgão deverá realizar a negociação contratual para a redução/eliminação dos custos fixos ou variáveis não renováveis que já tenham sido amortizados ou pagos no primeiro ano da contratação, sob pena de não renovação do contrato. Apurou-se que se enquadra nestes custos, o seguinte: Aviso prévio indenizado, depreciação e instalação de equipamentos. Trata-se de lista exemplificativa, dependendo de cada caso concreto.

10 Em que caso as revisões do preço contratado poderão ser feitas por apostilamento? Em caso de repactuações devemos usar apostilamento ou termo aditivo? R. Como espécie de reajuste, a repactuação pode dar-se por apostilamento, nos termos do art. 65, parágrafo 8º, da Lei de Licitações. A mesma determinação é prevista no art. 40, parágrafo 4º, da IN 02. Agora, quando este procedimento coincidir com a prorrogação, tudo deverá ser formalizado em um único Termo Aditivo. O apostilamento, entretanto, não dispensa a produção de todos os atos instrutórios que seriam necessários para a elaboração de um Termo Aditivo, exceto a pesquisa de mercado. Nos casos de apostilamento, não há obrigatoriedade de encaminhamento à Procuradoria sendo, no entanto, recomendável que para lá se envie para análise geral das alterações implementadas. 21. Como deve ser comprovado o aumento dos insumos (gasolina, peças automotivas, material de limpeza, uniformes, etc...) numa repactuação? R. A empresa deve comprovar o desequilíbrio do seu custo em relação aos encargos. É possível, por exemplo, que a empresa apresente Notas Fiscais do início e fim do período para tentar comprovar a alteração dos seus custos (os produtos devem ser iguais no início e fim do período). É também possível que se faça pesquisa de mercado para tal comprovação. Ao final do segundo dia deste Fórum, de forma unânime, os Órgãos participantes manifestaram à Diretora da ESAF/PR o interesse de alteração na sistemática de inscrições para a Semana Orçamentária e Financeira promovida pela ESAF. A proposta apresentada pelos integrantes deste Fórum foi no sentido de que se analise a possibilidade de disponibilização de um número de vagas por Órgão, de forma a possibilitar um maior número de servidores representativos de suas áreas de atuação, reduzindo a participação de servidores que não estão diretamente envolvidos com os temas debatidos na Semana. Ainda, solicitou-se que haja preferência para as inscrições dos servidores dos Órgãos da Região em que se realizará o evento. PRÓXIMO TEMA A SER ABORDADO PELO FÓRUM:. FASE INTERNA DO PREGÃO ELETRÔNICO. MÊS DE REALIZAÇÃO:. MARÇO DE DATA e LOCAL a DEFINIR. Curitiba, 07 de dezembro de 2010.

11 11 Realização: CENTRESAF/PR Diretora: Fabiane Lopes Bueno Netto Bessa Coordenação: Jose Marcos Manente AGU/NAJ Luciane Maria Gervásio AGU/IBGE - Marco Aurélio Jacob Bretas RECEITA FEDERAL Roberson Klug - JFPR Sonia Maria da Silva Rocha - UFPR Participantes: Ana Carolina Ferreira de França MPOG Andia Nara Guiraud Polícia Rodoviária Federal Aparecido Godoi Bueno AGU/ANATEL Augusto Cezar da Silva Gomes EXERCITO Bruno Freitas Pinto Claudia de Oliveira Cruz Policia Federal Cleo Amaro de Oliveira Filho SAUDE Denise Reinaldet AGRICULTURA Eduardo Ferreira Gomes MPOG Elisabete Fátima Seer da Silva CGU Expedito Sandro de Barros Silva Imanuel Brepohl RECEITA FEDERAL Jacqueline Both Camilotti AGU/NAJ João Guilherme Soares da Silva SAUDE José Augusto Pinto Rodrigues Josias Soares da Silva Kelly C. D. Martins TRT 9ª R, Marcos Siqueira Campus UFPR/HC Mário Luis Krüger TRT 9ª R. Paulo Virgilio Guimarães Junior IFPR Ramon de Lima Brezolin Polícia Rodoviária Federal Reginaldo de Souza Renata Aguiar Santos Belo CGU Reneudo de Albuquerque Junior UTFPR Rogério Salim José Exército Roberto Haruo Takata Receita Federal Rubens Claudino dos S. Filho Sueli Heimbecher IFPR Waldir José Bathke Procuradoria Fazenda Nacional Welligton Bley DNIT Hsu Hsiu Wei Schmidt IBAMA Rayana Candido Domingos -

1º DIA FASE INTERNA DA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS

1º DIA FASE INTERNA DA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS 1º DIA FASE INTERNA DA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS 1. Qual a legislação básica que regula a prestação de serviços terceirizados? R. Constituição Federal, artigo 37, Decreto Lei 200/67, Decreto

Leia mais

PORTARIA CAU/SP Nº 063, DE 31 DE AGOSTO DE 2015.

PORTARIA CAU/SP Nº 063, DE 31 DE AGOSTO DE 2015. PORTARIA CAU/SP Nº 063, DE 31 DE AGOSTO DE 2015. Aprova a Instrução Normativa nº 06, de 31 de agosto de 2015, que regulamenta os trâmites administrativos dos Contratos no âmbito do Conselho de Arquitetura

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN MPU Nº 70/2015

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN MPU Nº 70/2015 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN MPU Nº 70/2015 Referência : Correio eletrônico, de 10/12/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 2308/2014. Assunto

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

CONTRATOS DE COMPRAS E SERVIÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MELHORES PRÁTICAS PARA A GESTÃO E FISCALIZAÇÃO

CONTRATOS DE COMPRAS E SERVIÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MELHORES PRÁTICAS PARA A GESTÃO E FISCALIZAÇÃO SEMINÁRIO NACIONAL CONTRATOS DE COMPRAS E SERVIÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MELHORES PRÁTICAS PARA A GESTÃO E FISCALIZAÇÃO Enfoque aplicado com resolução de casos práticos, análise de cláusulas contratuais,

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

Ferramentas do Sistema de Registro de Preços. Intenção de Registro de Preços - IRP e Adesão

Ferramentas do Sistema de Registro de Preços. Intenção de Registro de Preços - IRP e Adesão Ferramentas do Sistema de Registro de Preços Intenção de Registro de Preços - IRP e Adesão OBJETIVO Divulgar ferramentas e alternativas que auxiliam os gestores no planejamento e execução das despesas:

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.931, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21

Leia mais

ATORES DA LICITAÇÃO POR SRP E IMPLICAÇÕES DO NOVO REGULAMENTO Nº 7.892/2013

ATORES DA LICITAÇÃO POR SRP E IMPLICAÇÕES DO NOVO REGULAMENTO Nº 7.892/2013 1 ATORES DA LICITAÇÃO POR SRP E IMPLICAÇÕES DO NOVO REGULAMENTO Nº 7.892/2013 Por: Flavia Daniel Vianna Advogada especialista e instrutora na área das licitações e contratos administrativos. Pós-graduada

Leia mais

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU-REGIONAL/MT MATRIZ DE PLANEJAMENTO - CONTRATOS EM GERAL E TERCEIRIZADOS

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU-REGIONAL/MT MATRIZ DE PLANEJAMENTO - CONTRATOS EM GERAL E TERCEIRIZADOS CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU-REGIONAL/MT MATRIZ DE PLANEJAMENTO - CONTRATOS EM GERAL E TERCEIRIZADOS 1. GERAL - O contrato contém todas as cláusulas essenciais e necessárias, define com precisão

Leia mais

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA COMPRAS E SERVIÇOS COMO PLANEJAR, JULGAR A LICITAÇÃO E GERIR A ATA E O CONTRATO

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA COMPRAS E SERVIÇOS COMO PLANEJAR, JULGAR A LICITAÇÃO E GERIR A ATA E O CONTRATO SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA COMPRAS E SERVIÇOS COMO PLANEJAR, JULGAR A LICITAÇÃO E GERIR A ATA E O CONTRATO Melhores práticas, análise de casos concretos e checklist dos procedimentos Aspectos polêmicos

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 003 -TERRACAP PROCESSO Nº: 111.004.762/2013 Pregão Presencial Nº: 29/2013 VALIDADE: 12 meses, a partir da publicação no DODF. Aos dias do mês de

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/15. PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/15.

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/15. PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/15. ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/15. PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/15. Aos 13 dias do mês de maio de 2015, o Município de Roca Sales, entidade de direito público, situada na Rua Eliseu Orlandini, nº 51, nesta

Leia mais

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005.

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no artigo 15, 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e artigo 11 da Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 612, DE 16 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Registro de Preços nas compras, obras e serviços contratados pelos órgãos da

Leia mais

TÍTULO DO CURSO (PALESTRA, REUNIÃO, EVENTO...) ASPECTOS RELEVANTES NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA

TÍTULO DO CURSO (PALESTRA, REUNIÃO, EVENTO...) ASPECTOS RELEVANTES NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA TÍTULO DO CURSO (PALESTRA, REUNIÃO, EVENTO...) ASPECTOS RELEVANTES NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA OBJETIVO Capacitar gestores e servidores públicos dos órgãos jurisdicionados quanto à interpretação e à aplicação

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 GABINETE DO GOVERNADOR D E C R E T O Nº 1.093, DE 29 DE JUNHO DE 2004 Institui, no âmbito da Administração Pública Estadual, o Sistema de Registro de Preços

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA A B C D E OBJETO O presente Termo de Referência tem como objeto o fornecimento parcelado de combustíveis à frota dos veículos oficiais do Conselho Regional de Medicina do

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

Art. 2º Este Ato Normativo entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Normativo entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. ATO NORMATIVO Nº 92 13 de agosto de 2007 Aprova o Regulamento do Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. O Presidente do TRIBUNAL

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N" 03/2014 PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N 01/2014

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 03/2014 PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N 01/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N" 03/2014 PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N 01/2014 PROCESSO N 23233.000087/2014-91 VALIDADE: 12 (doze) MESES Aos três dias do mês de julho de dois mil e quatorze,

Leia mais

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL Nº 032, DE 17-02-2004 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP, previsto no art. 15, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARAÇU ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARAÇU ESTADO DE MINAS GERAIS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS/CONTRATO Nº004-B/2016 PROCESSO LICITATÓRIO Nº018/2016 MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL N 006/2016 VALIDADE: 12 (doze) meses O Município de Jaguaraçu, neste ato representado por seu

Leia mais

REVISÃO, REAJUSTE E REPACTUAÇÃO DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Obras, serviços contínuos e contratos decorrentes de registro de preços

REVISÃO, REAJUSTE E REPACTUAÇÃO DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Obras, serviços contínuos e contratos decorrentes de registro de preços REVISÃO, REAJUSTE E REPACTUAÇÃO DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS Obras, serviços contínuos e contratos decorrentes de registro de preços Entendimentos do TCU e dos tribunais superiores Com enfoque aplicado:

Leia mais

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO Instrumento Particular de Contrato referente ao PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG, que entre si fazem o Serviço Social do Comércio

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 28/2009

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 28/2009 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 28/2009 Processo nº: 8478AD/2008 Pregão Eletrônico nº: 001/2009 Validade: 06 (seis) meses, de 19/05/2009 a 18/12/2009 Empresa: AMAZON INFORMÁTICA LTDA End: Av. Conselheiro

Leia mais

PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DE PALHOÇA SETOR DE COMPRAS E LICITAÇÃO

PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DE PALHOÇA SETOR DE COMPRAS E LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS Nº 004/2012 CONTRATO Nº 12/2012 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS QUE CELEBRAM A CÂMARA MUNICIPAL DE PALHOÇA, E A EMPRESA DATAVOX TELEINFORMÀTICA LTDA. A, doravante denominada CMP ou CONTRATANTE,

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇO nº 001/2009

ATA DE REGISTRO DE PREÇO nº 001/2009 ATA DE REGISTRO DE PREÇO nº 001/2009 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA OS SERVIÇOS DE CONFECÇÃO DE CARIMBOS, CONFORME PROCESSO LICITATÓRIO Nº 2008.0701.000825, PREGÃO PRESENCIAL Nº052/2008. Aos 02 dias

Leia mais

DECRETO Nº 15.219 DE 30 DE JUNHO DE 2014

DECRETO Nº 15.219 DE 30 DE JUNHO DE 2014 DECRETO Nº 15.219 DE 30 DE JUNHO DE 2014 Regulamenta a Lei nº 12.949, de 14 de fevereiro de 2014 que estabelece mecanismos de controle do patrimônio público do Estado da Bahia, dispondo sobre provisões

Leia mais

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas, empresas de pequeno porte e equiparadas nas contratações de bens, prestação de serviços e execução de obras, no âmbito

Leia mais

CONTRATOS ADMINISTRATIVOS RESCISÃO DO CONTRATO E APLICAÇÃO DE PENALIDADES

CONTRATOS ADMINISTRATIVOS RESCISÃO DO CONTRATO E APLICAÇÃO DE PENALIDADES SEMINÁRIO NACIONAL CONTRATOS ADMINISTRATIVOS RESCISÃO DO CONTRATO E APLICAÇÃO DE PENALIDADES Passo a passo do procedimento de rescisão e de aplicação das penalidades Entendimentos do TCU e dos tribunais

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS DIREITO ADMINISTRATIVO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS Atualizado em 22/10/2015 CONTRATOS ADMINISTRATIVOS São contratos celebrados pela Administração Pública sob regime de direito público com particulares ou

Leia mais

3º FÓRUM DE DEBATES DO CICLO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DIAS 06 e 07.10.2011

3º FÓRUM DE DEBATES DO CICLO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DIAS 06 e 07.10.2011 3º FÓRUM DE DEBATES DO CICLO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DIAS 06 e 07.10.2011 1º DIA 06/10/2011 TEMA: FASE INTERNA DA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS 1. Qual a legislação básica que regula a prestação

Leia mais

São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante

São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante O que são serviços de comunicações eletrónicas? São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante remuneração e que consistem no envio de sinais através de redes de comunicações

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 025/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as atribuições e designações dos procedimentos

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria Executiva Diretoria de Administração

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria Executiva Diretoria de Administração MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria Executiva Diretoria de Administração PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 11/2015 PROCESSO Nº 03110.014908/2014 55 OBJETO: Contratação

Leia mais

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções?

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções? LUANA ASSUNÇÃO ALBUQUERK Especialista em Direito do Trabalho Advogada Associada de Cheim Jorge & Abelha Rodrigues - Advogados Associados O CONTRATO TEMPORÁRIO DE TRABALHO São as conhecidas contratações

Leia mais

PROCESSO Nº 1.23.000.000388/2015-83

PROCESSO Nº 1.23.000.000388/2015-83 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 03/2015 PROCESSO Nº 1.23.000.000388/2015-83 VALIDADE: 12 MESES Aos 25 dias do mês de março de 2015, na, Sala de licitações, localizada na Rua Domingos Marreiros, nº 690 Bairro

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA FUNDAMENTO LEGAL

CLÁUSULA PRIMEIRA FUNDAMENTO LEGAL CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº09/2015 Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa CABOCLO MOVEIS E ELETRO LTDA- ME. CONTRATANTE: A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO SIMÃO, pessoa jurídica de

Leia mais

CONTRATO 035/2014 CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CONTRATO 035/2014 CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO CONTRATO 035/2014 A Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência (FATEC), inscrita no CNPJ n.º 89.252.431/0001-59, sediada na Cidade Universitária, em Santa Maria /RS, neste ato representada pelo Diretor Presidente,

Leia mais

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS REF. AO PREGÃO Nº 007/2009

VALEC: Desenvolvimento Sustentável do Brasil 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS REF. AO PREGÃO Nº 007/2009 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS REF. AO PREGÃO Nº 007/2009 1) Qual é a função a ser cotada? Encarregado ou líder de turma? Tal pergunta se dá, uma vez que no termo de referência se fala em encarregado

Leia mais

I PARTE (SERVIÇOS DIÁRIOS) II PARTE (ENSINO E INSTRUÇÃO) III PARTE (ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS)

I PARTE (SERVIÇOS DIÁRIOS) II PARTE (ENSINO E INSTRUÇÃO) III PARTE (ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS) GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR DO PARÁ AJUDÂNCIA GERAL ADITAMENTO AO BG Nº 064 03 ABR 2012 Para conhecimento dos Órgãos subordinados

Leia mais

DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007

DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007 DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas e empresas de pequeno porte nas contratações públicas de

Leia mais

SEGUNDA ATUALIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº.006/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº.008/2015. VALIDADE: 01/04/2016

SEGUNDA ATUALIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº.006/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº.008/2015. VALIDADE: 01/04/2016 SEGUNDA ATUALIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº.006/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº.008/2015. VALIDADE: 01/04/2016 Aos três dias do mês de junho de 2015, o Município de Santo Antônio da Patrulha/RS, neste

Leia mais

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição Contratos 245 Conceito A A Lei de Licitações considera contrato todo e qualquer ajuste celebrado entre órgãos ou entidades da Administração Pública e particulares, por meio do qual se estabelece acordo

Leia mais

ISO 9001 : 2008. De 08/04/2013 a 12/04/2013. Local: Hotel Windsor Guanabara Av. Presidente Vargas, 392 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.

ISO 9001 : 2008. De 08/04/2013 a 12/04/2013. Local: Hotel Windsor Guanabara Av. Presidente Vargas, 392 Centro Rio de Janeiro RJ Tel. ISO 9001 : 2008 Administração de Contratos Visão Global De 08/04/2013 a 12/04/2013 Local: Hotel Windsor Guanabara Av. Presidente Vargas, 392 Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: (21) 2195-6000 Carga Horária:

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA DECRETO N.º 2356/2013 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. Rosane Minetto Selig, Prefeita Municipal de Ouro

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº. 017/2015 - SRP

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº. 017/2015 - SRP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº. 017/2015 - SRP Aos 27 (vinte e sete) dias de mês de maio do ano de 2015, o Município de Parazinho/RN, CNPJ nº. 08.113.631/0001-29, com sede na Praça Senador

Leia mais

Resposta à Impugnação

Resposta à Impugnação GECOL/SSEAF, 11 de outubro de 2011. Assunto: Contratação de Fábrica de Software Resposta à Impugnação Diante da Impugnação recebida às 16h39 de 10/10/2011, do Edital do Pregão Eletrônico nº 22/2011, esta

Leia mais

Seguro Garantia É o seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice.

Seguro Garantia É o seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice. 2 Definição Seguro Garantia É o seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice. Partes Seguradora - Sociedade de seguros garantidora,

Leia mais

1. DA POSSIBILIDADE DE PRORROGAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS DECORRENTES DE ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

1. DA POSSIBILIDADE DE PRORROGAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS DECORRENTES DE ATA DE REGISTRO DE PREÇOS 1. DA POSSIBILIDADE DE PRORROGAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS DECORRENTES DE ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Indaga-se sobre a possibilidade de os contratos decorrentes de ata de registro de preços,

Leia mais

Escola de Gestão Pública Municipal - EGEM

Escola de Gestão Pública Municipal - EGEM - EGEM EDITAL Nº 018/2009 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE QUESTÕES POLÊMICAS SOBRE LICITAÇÃO PÚBLICA E CONTRATO ADMINISTRATIVO 1. OBJETIVO DO CURSO Através da pontuação de diversas questões polêmicas

Leia mais

CLÁUSULA SEGUNDA - DA VINCULAÇÃO AO EDITAL

CLÁUSULA SEGUNDA - DA VINCULAÇÃO AO EDITAL PROCESSO Nº 01550.000345/2009-46. PREGÃO Nº 26/2009. ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 1/2010. A FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA, pessoa jurídica de direito público vinculada a Ministério da Cultura, com sede

Leia mais

Seguro Garantia - Seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice.

Seguro Garantia - Seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice. GUIA DE SEGURO GARANTIA PARA CONSULTA FENSEG QUEM SÃO AS PARTES Seguro Garantia - Seguro que garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador perante o segurado, conforme os termos da apólice.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 Referência : Correio eletrônico de 13/3/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 453/2014.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SEGURO GARANTIA CIRCULAR SUSEP 232/03. Processo SUSEP nº 10.003.017/01-08

CONDIÇÕES GERAIS SEGURO GARANTIA CIRCULAR SUSEP 232/03. Processo SUSEP nº 10.003.017/01-08 CONDIÇÕES GERAIS SEGURO GARANTIA CIRCULAR SUSEP 232/03 Processo SUSEP nº 10.003.017/01-08 Cláusula 1ª - OBJETO Este seguro garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo Tomador no contrato principal,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 ATA DO REGISTRO DE PREÇOS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DE PRESTAÇÃO DE

Leia mais

LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS PASSO A PASSO PARA MUNICÍPIOS

LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS PASSO A PASSO PARA MUNICÍPIOS CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO NOVO LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS PASSO A PASSO PARA MUNICÍPIOS Brasília, Data a definir! Carga Horária: 24 horas/atividade Horário: das 8h30 às 18h (com

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N" 28/2014 PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N 01/2014

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 28/2014 PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N 01/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N" 28/2014 PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS N 01/2014 PROCESSO N 23233.000087/2014-91 VALIDADE: 1 2 (doze) MESES Aos três dias do mês de julho de dois mil e quatorze,

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013.

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. Dispõe sobre as regras e os critérios para operação do seguro de garantia estendida, quando da aquisição de

Leia mais

MUNICÍPIO DE CÉU AZUL Estado do Paraná Av. Nilo Umb. Deitos, 1426 Centro CEP 85840-000 Fone (45)3266-1122 / Fax 3266-1755 CNPJ 76.206.

MUNICÍPIO DE CÉU AZUL Estado do Paraná Av. Nilo Umb. Deitos, 1426 Centro CEP 85840-000 Fone (45)3266-1122 / Fax 3266-1755 CNPJ 76.206. ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 169/2014 PREGÃO nº. 117/2014 Forma Presencial Pelo presente instrumento, o MUNICÍPIO DE CÉU AZUL PR,, pessoa jurídica de direito interno, com sede à Av. Nilo Umberto Deitos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO DIRETORIA DE COMPRAS E LICITAÇÕES

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO DIRETORIA DE COMPRAS E LICITAÇÕES ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 002/2013 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 193/2012 Órgão Processo SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA 2012007522 Modalidade Nº Data Tipo PREGAO ELETRONICO 193/2012 18/07/2012 MENOR PREÇO POR

Leia mais

QUETIONAMENTOS. Empresas interessadas em participar do certame encaminharam as seguintes perguntas:

QUETIONAMENTOS. Empresas interessadas em participar do certame encaminharam as seguintes perguntas: PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS para os serviços de emissão de apólice de SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS COLETIVO, para os ALUNOS dos cursos ofertados pelas Administrações Regionais

Leia mais

LICITAÇÕES E CONTRATOS DE ACORDO COM O TCU E OS TRIBUNAIS SUPERIORES

LICITAÇÕES E CONTRATOS DE ACORDO COM O TCU E OS TRIBUNAIS SUPERIORES LICITAÇÕES E CONTRATOS DE ACORDO COM O TCU E OS TRIBUNAIS SUPERIORES Sistema de Registro de Preços Julgamento do pregão Atuação e responsabilidade dos agentes públicos Prorrogação do prazo de vigência

Leia mais

II. Contrato Principal: o documento contratual, seus aditivos e anexos, que especificam as obrigações e direitos do segurado e do tomador.

II. Contrato Principal: o documento contratual, seus aditivos e anexos, que especificam as obrigações e direitos do segurado e do tomador. SEGURO-GARANTIA - CONDIÇÕES GERAIS Este seguro garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo tomador no contrato principal, firmado com o segurado, conforme os termos da apólice. I. Seguro-Garantia:

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE O RDC E A LEI 8666/93. Viviane Moura Bezerra

COMPARAÇÃO ENTRE O RDC E A LEI 8666/93. Viviane Moura Bezerra COMPARAÇÃO ENTRE O RDC E A LEI 8666/93 Viviane Moura Bezerra Índice de Apresentação 1.Considerações iniciais 2.Surgimento do RDC 3.Principais Inovações 4.Pontos Comuns 5.Contratação Integrada 6.Remuneração

Leia mais

MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS

MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS 2013 MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS UNIPAMPA Pró-Reitoria de Administração 12/02/2013 APRESENTAÇÃO Este Manual destina-se a orientar sobre procedimentos de contratações de serviços (terceirizados; energia

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO 01/06 1 DOS OBJETIVOS 1.1 Definir normas para elaboração dos contratos de aquisição de materiais, prestação de serviços gerais e prestação de serviços e obras de engenharia. 1.2 Normatizar os procedimentos

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 001/2013 REFERENTE AO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 037/2013

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 001/2013 REFERENTE AO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 037/2013 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 001/2013 REFERENTE AO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 037/2013 Pelo presente instrumento, a SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO, órgão gerenciador do Registro de Preços, localizada na

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

Habilitar o aluno a entender o ambiente pertinente às Contratações Governamentais, obtendo

Habilitar o aluno a entender o ambiente pertinente às Contratações Governamentais, obtendo Realização: INCLUSO: Pasta, apostila(manual), caneta, lápis, borracha, slides trabalhados em sala de aula junto a apostila, dois coffee breaks (manhã e tarde) e certificado. OBJETIVO: Habilitar o aluno

Leia mais

CAPACITAÇÃO E FORMAÇÃO DE PREGOEIROS E EQUIPES DE APOIO, LICITAÇÕES E CONTRATOS E SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS

CAPACITAÇÃO E FORMAÇÃO DE PREGOEIROS E EQUIPES DE APOIO, LICITAÇÕES E CONTRATOS E SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS APRESENTA: CAPACITAÇÃO E FORMAÇÃO DE PREGOEIROS E EQUIPES DE APOIO, LICITAÇÕES E CONTRATOS E SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS INCLUINDO NOVA LEI 7.892/13 DATA: 31 DE AGOSTO E 01 DE SETEMBRO LOCAL: BRASILIA

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*)

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) Disciplina no âmbito do IFPR as Orientações acerca da Execução Orçamentária e Financeira, relativas à Concessão de Suprimentos

Leia mais

ELABORAÇÃO DE EDITAIS,

ELABORAÇÃO DE EDITAIS, ELABORAÇÃO DE EDITAIS, TERMOS DE REFERÊNCIA E PROJETOS BÁSICOS Os cuidados necessários no planejamento das licitações O direito de preferência para bens e serviços produzidos no Brasil As regras de sustentabilidade

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0103/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0103/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0103/2013. CONTRATO DE ADMINISTRATIVO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. 0103/2013. O, Estado de Santa Catarina, com sede a Rua Rui Barbosa, 347, inscrito no CNPJ/MF Sob o N. 82.854.670/0001-30,

Leia mais

1.3 Os serviços elencadas na tabela acima devem apresentar-se dentro das normas de qualidade exigidas pelas legislações aplicáveis.

1.3 Os serviços elencadas na tabela acima devem apresentar-se dentro das normas de qualidade exigidas pelas legislações aplicáveis. CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SOFTWARE CONTRATO QUE ENTRE SI FIRMAM O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE MINEIROS E A EMPRESA BATISTA E MULLER TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LTDA-ME, PARA IMPLANTAÇÃO, TREINAMENTO,

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES Prezada Senhora, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. EDITAL - Item 4.12.4 inciso I - Qual documento

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0017/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0017/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0017/2013. CONTRATO DE ADMINISTRATIVO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. 0017/2013. O, Estado de Santa Catarina, com sede a Rua Rui Barbosa, 347, inscrito no CNPJ/MF Sob o N. 82.854.670/0001-30,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE LIMPEZA E COPA

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE LIMPEZA E COPA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE LIMPEZA E COPA Contratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessoa jurídica de direito público constituída sob a forma de autarquia

Leia mais

MINUTA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PROVEDORES

MINUTA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PROVEDORES Sumário TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA...2 1.1 DO OBJETO...2 1.2 DA EXECUÇÃO...2 1.3 DOS DIREITOS E DAS OBRIGAÇÕES DAS PARTES...2 1.3.1 SÃO DIREITOS DOS PARTÍCIPES:...2 1.3.2 SÃO OBRIGAÇÕES DOS PARTÍCIPES:...2

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/SPOA Nº 07, DE 24 DE JULHO DE 2006. Dispõe sobre procedimentos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. Súmula: Estabelece normas e procedimentos para a realização de inscrição dos mutuários, relaciona os documentos necessários a instruir

Leia mais

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATU SENSO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA COMPOR O PROGRAMA DE EFICIÊNCIA

Leia mais

PORTARIA Nº PGE - 089/2012

PORTARIA Nº PGE - 089/2012 PORTARIA Nº PGE - 089/2012 O PROCURADOR GERAL DO ESTADO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 32 da Lei Complementar nº 34, de 06 de fevereiro de 2009, considerando a necessidade de

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20...

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... Ao...do dia do mês de... do ano de 20..., na PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA PGR,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PUBLICAÇÃO DE MATÉRIAS OFICIAIS EM JORNAL DE CIRCULAÇÃO DIÁRIA E LOCAL,

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PUBLICAÇÃO DE MATÉRIAS OFICIAIS EM JORNAL DE CIRCULAÇÃO DIÁRIA E LOCAL, CONTRATO Nº 13/2015 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PUBLICAÇÃO DE MATÉRIAS EM JORNAL DE CIRCULAÇÃO DIÁRIA E LOCAL, QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SERGIPE (COREN/SE) E A

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº. 53/2009

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº. 53/2009 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº. 53/2009 Processo nº: 1866AD/2009 Pregão nº: Nº. 33/2009 Validade: 12 (doze) meses, de 03/09/2009 a 02/09/2010 Empresa: FABIANA RIMES COSTA FERREIRA - ME. CNPJ: 08.004.529/0001-95

Leia mais

Sistema de Registro de Preços. Diretoria Central de Licitações e Contratos Outubro/2013

Sistema de Registro de Preços. Diretoria Central de Licitações e Contratos Outubro/2013 Sistema de Registro de Preços Diretoria Central de Licitações e Contratos Outubro/2013 CONTEÚDO 1. Conceito 2. Embasamento Legal 3. Aplicação 4. Atores e atribuições 5. Etapas do Procedimento para registro

Leia mais

MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO?

MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO? MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO? Na prestação dos serviços públicos e para o seu funcionamento é necessário que a Administração Pública adquira bens e/ou contrate serviços

Leia mais

WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46

WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46 WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46 NORMATIVOS Resolução Normativa nº 356, de 2014 Altera a RN nº 85, de 2004. Altera a RN nº 89, de 2003. Altera a RN nº 309, de

Leia mais

RAZOES DA SOLICITAÇÃO/IMPUGNAÇÃO

RAZOES DA SOLICITAÇÃO/IMPUGNAÇÃO RAZOES DA SOLICITAÇÃO/IMPUGNAÇÃO As solicitações das Declarações e Especificações Técnicas 01 DO OBJETO (pagina 01 do Edital) Locação de impressoras multifuncionais novas (comprovadamente, com o máximo

Leia mais

APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA

APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA Apólice: 024612013000107750002827 Processo SUSEP : 15414.004045/2010-49 Endosso: 0000000 Número de Controle Interno: 7202Ě CONDIÇÕES PARTICULARES A Austral Seguradora

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01

RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01 RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01 EMITENTE Presidência Aprovada pela Diretoria REUNIÃO DE 01/06/2005 Revisão Nº 01 Aprovada pela Diretoria REUNIÃO DE 10/01/2007 ASSUNTO Contratação de Prestação de Serviços

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. (publicado no DOE n.º 137, de 17 de julho de 2012) Institui o Programa

Leia mais

A presente Ata de Registro de preços vigorará pelo prazo de 12 (doze) meses, a partir da data de sua assinatura.

A presente Ata de Registro de preços vigorará pelo prazo de 12 (doze) meses, a partir da data de sua assinatura. MUNICÍPIO DE HORIZONTINA EDITAL N.º 021/2015 PREGÃO PRESENCIAL ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N.º 016/2015 Aos trinta dias do mês de março de dois mil e quinze, nas dependências da Prefeitura Municipal, situada

Leia mais

Planilhas de Custos e Preços da IN 02/08 MPOG e suas Alterações

Planilhas de Custos e Preços da IN 02/08 MPOG e suas Alterações Planilhas de Custos e Preços da IN 02/08 MPOG e suas Alterações Campo Grande - MS Dias 15 e 16 de Julho de 2013 Grand Park Hotel Avenida Afonso Pena, 5282 - Chácara Cachoeira Objetivos: * Destacar os procedimentos

Leia mais

MUNICÍPIO DE MAUÉS TERRA DO GUARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE MAUÉS TERMO DE CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA Nº 045A/ 2014.

MUNICÍPIO DE MAUÉS TERRA DO GUARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE MAUÉS TERMO DE CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA Nº 045A/ 2014. TERMO DE CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA Nº 045A/ 2014. TERMO DE CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA, celebrado entre o MUNICÍPIO DE MAUÉS, por intermédio da PREFEITURA

Leia mais