Clube Web 2.0. Biblioteca Escolar. PROPONENTES: - Maria José Domingues - Marta Medeiros MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Clube Web 2.0. Biblioteca Escolar. PROPONENTES: - Maria José Domingues - Marta Medeiros MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. ANTÓNIO GRANJO Biblioteca Escolar Clube Web 2.0 PROPONENTES: - Maria José Domingues - Marta Medeiros Ano letivo

2 Introdução Hoje é tido pela generalidade dos teóricos e práticos da educação que o enciclopedismo não responde convenientemente ao sentido nem ao papel da escola de um tempo de futuro-presente. Urge, como tal, assumirmos uma escola que tenha como preocupação principal formar cidadãos de espírito aberto, corpo são e mente sã, dotados de imaginação e com sentido de pesquisa apurado, tendo como base um equilíbrio harmonioso entre educação intelectual, ética e física, incentivando para a aquisição de autonomia e responsabilidade e para a apropriação de valores e de competências de base que lhe permitam a adaptação perante a necessidade de domínio das situações que a própria vida lhes incumbe de solucionar (Machado, 1995:39-41). Hoje, mais do que nunca, o professor tem um novo papel a desempenhar, o de facilitador da aprendizagem, apoiando o aluno na sua construção individual e colaborativa do conhecimento, proporcionando-lhe autonomia na aprendizagem e incentivando ao desenvolvimento de pensamento crítico, preparando-o para a tomada de decisão, numa sociedade globalizada e concorrencial.

3 Fundamentação Assistiu-se no final do século XX e no início deste século, em todos os países desenvolvidos, a uma crise do sistema de ensino à qual se tem tentado dar resposta através de sucessivas reformas do sistema educativo. Uma das causas que se tem apontado para esta crise reside no facto de tradicionalmente o ensino se basear de forma quase exclusiva na exposição do professor e no estudo, por parte do aluno, de um texto escrito (manual) no qual o professor se apoia. Este tipo de ensino teve como consequência um fraco incentivo para a aprendizagem de alguns tipos de alunos; uma abordagem passiva e mecânica do conhecimento, centrada na repetição e memorização; uma visão fragmentária e unilateral do saber. As tecnologias da informação, associadas à mudança na forma como a Internet é usada pelos utilizadores, revestem-se de um enorme potencial para alterar a natureza do ensino e da aprendizagem, fazendo emergir a criação de redes de aprendizagem, numa verdadeira rutura com o paradigma educacional do passado. A Web 2.0 pode então ser definida como uma nova atitude e como uma nova forma de as pessoas se relacionarem com a Internet: a rede deixa de ligar apenas máquinas, passa a unir pessoas, um processo com implicações sociais profundas. As escolas, talvez a instituição onde as mudanças ocorrem mais lentamente, acordam lentamente para a nova realidade da Web, e são os jovens quem primeiro traz a Web 2.0 para os computadores da escola. É potenciado o trabalho colaborativo e disponibilizado um grande número de espaços que permitem a criação conjunta e a partilha de trabalhos e atividades online. O aluno fica a conhecer diferentes temas e adquire nova informação aumentando assim as competências sociais, de interação e comunicação, desenvolvendo o

4 pensamento crítico e a abertura mental. Também são diminuídos os sentimentos de isolamento e de temor à crítica saindo reforçadas a segurança em si mesmo, a autoestima e a integração no grupo, fortalecendo o sentimento de solidariedade e respeito mútuo, baseado nos resultados do trabalho em grupo. Através da dinamização do Clube Web 2.0 serão otimizadas de forma lúdica e criativa competências/saberes de índole transversal, promovendo no seu conjunto e de uma forma criativa/formativa, a literacia digital, entre outros saberes. Este Projecto é também um instrumento que viabilizará alguns dos objetivos e metas veiculados no Agrupamento. Objetivos Objetivos Gerais Desenvolver nos alunos o sentido de espírito crítico, de iniciativa e autonomia na construção de saberes. Permitir que cada aluno aumente os seus conhecimentos, descubra e desenvolva as suas potencialidades, no âmbito das TIC e no exercício da cidadania, tendo em vista a globalidade da ação educativa. Objetivos Específicos Criar e desenvolver novos serviços e novos espaços de aprendizagem reais ou virtuais. Melhorar as competências dos alunos para o uso e exploração da Internet e da Web 2.0, de forma a criar novos ambientes de aprendizagem coletiva. Familiarizar-se com ferramentas de escrita colaborativa.

5 Familiarizar-se com ferramentas de produção e partilha de conteúdos (Audacity, Podomatic, Prezi, Animoto); Compreender as potencialidades destas ferramentas para o trabalho da escola. Planificar atividades no âmbito dos aplicativos da Web 2.0. Produzir conteúdos com recursos a ferramentas Web 2.0 de forma a difundir a informação para dentro e fora da Escola/Agrupamento. Destinatários Alunos dos 3º, 4º, 5º e 6º anos. Estratégias de Implementação Explicação e familiarização com diferentes ferramentas da Web 2.0. Recolha e seleção de materiais. Apropriação das ferramentas Audacity, Podomatic, Prezzi e Animoto; Produção de trabalhos relacionados com as temáticas do currículo recorrendo às ferramentas estudadas; Publicitação de trabalhos no blogue;

6 Calendarização Periodicidade Estratégias/Recursos Produção de Podcasts 1º Período 2º Período 3º Período Apresentação da temática. Disponibilização do tutorial no blogue Utilização e download do software audacity Familiarização/exploração da ferramenta web 2.0: Podcast e a utilização do Audacity Levantamento de trabalhos a realizar em contexto de sala de aula. Seleção de trabalhos. Gravação de um ficheiro áudio com fundo musical. Tratamento do ficheiro. Elaboração de cartazes para publicitação. Upload dos ficheiros cartaz/áudio para o PodOMatic. Publicitação no blogue. Apresentação dos trabalhos em contexto de sala de aula. Produção de Prezzis. Apresentação da temática. Disponibilização do tutorial no blogue. Familiarização/exploração desta ferramenta. Levantamento de trabalhos a realizar em contexto de sala de aula. Seleção de trabalhos. Produção de PowerPoint, fotos, filmes, desenhos, cartazes. Elaboração do Prezzi utilizando estes materiais. Publicitação no blogue. Apresentação dos trabalhos em contexto de sala de aula. Produção de Animoto. Apresentação da temática. Disponibilização do tutorial no blogue. Familiarização/exploração desta ferramenta. Levantamento de trabalhos a realizar em contexto de sala de aula. Seleção de trabalhos. Criação de apresentações com texto, clips de música, vídeos e imagens utilizando estes materiais. Publicitação no blogue e no youtube. Apresentação dos trabalhos em contexto de sala de aula.

7 Intervenientes e Recursos Professoras bibliotecárias Alunos / Participantes no Clube Agrupamento BE (Biblioteca do Agrupamento) Livro Computadores Projetor multimédia Microfones Material Específico Comunidade Escolar Máquina fotográfica digital Pens Fotocópias Calendarização / Periodicidade Número de horas: 2 blocos semanais de 45 minutos Número previsto de alunos:10 alunos Modelo de Acompanhamento e Avaliação

8 Com a avaliação pretende valorizar-se a dinâmica das aprendizagens, traduzida nos sucessos progressivos dos alunos. Será essencialmente de carácter qualitativo, contextual e processual. O processo de avaliação deve permitir que todos os alunos tenham plenas oportunidades de demonstrarem o que podem e sabem fazer de modo a revelarem e desenvolverem as competências, as atitudes e os saberes necessários à sua formação. Assim, serão feitas auto e hetero - avaliação de forma contínua (no final de cada período), procurando criar espaços de diálogo participado e reflexões construtivas. O Clube deverá ser alvo de uma avaliação no final do ano letivo, de forma a analisar -se o seu funcionamento e a utilidade para os alunos que o frequentaram. Nesta avaliação deverão participar os professores dinamizadores e os alunos inscritos no Clube. Em conjunto, farão o balanço final, realçando a pertinência do trabalho realizado e os aspetos a melhorar. Far-se-á um Relatório Crítico, do qual constarão as actividades realizadas, os objectivos conseguidos e a avaliação dos alunos e dos professores intervenientes no Clube.

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros Plano de Actividades Ano 2008/2009 Tema: A aventura dos livros 1 ACTIVIDADES DE ORGANIZAÇÃO Actividades Objectivos Intervenientes Calendarização Proceder à gestão de colecções. Organização e gestão do

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR da Escola Básica 1º ciclo e da Escola Básica e

BIBLIOTECA ESCOLAR da Escola Básica 1º ciclo e da Escola Básica e 2015/2016 BIBLIOTECA ESCOLAR da Escola Básica 1º ciclo e da Escola Básica e Secundária pólo Aquilino Ribeiro e pólo Luís Veiga Leitão DATA LOCAL ATIVIDADES OBJETIVOS/DOMÍNIOS ORGANIZADORES/ INTERVENIENTES

Leia mais

Projecto aler

Projecto aler Área de incidência Estratégia para envolver toda a escola Actividades para envolver toda a comunidade educativa profissional contínuo Relações interdisciplinares Projecto aler+ 2010-2011 Lançamento Uma

Leia mais

O aprendiz de investigador

O aprendiz de investigador O aprendiz de investigador Criar um filme com o Movie Maker literacia digital L i t e r a c i a s n a e s c o l a : f o r m a r o s p a r c e i r o s d a b i b l i o t e c a O que é? O é um software de

Leia mais

Uma história lida por uma história contada

Uma história lida por uma história contada Projeto Uma história lida por uma história contada O projeto Uma história lida por uma história contada surgiu de uma atividade desenvolvida pelo Clube de Leitura dinamizado pela Biblioteca Escolar e foi

Leia mais

Vamos ler para... Avenida 24 de Julho, n.º Lisboa Rede de Bibliotecas Escolares.

Vamos ler para... Avenida 24 de Julho, n.º Lisboa  Rede de Bibliotecas Escolares. Vamos ler para... Vamos ler para... Editor Design gráfico Autor Rede de Bibliotecas Escolares Avenida 24 de Julho, n.º 140 1399-025 Lisboa http://www.rbe.mec.pt rbe@rbe.mec.pt Rede de Bibliotecas Escolares

Leia mais

Atividades de Apoio Educativo

Atividades de Apoio Educativo Plano Curricular 2012 2013 Plano Anual de Atividades Atividades de Apoio Educativo Departamento/Estrutura: Orientações para as Atividades de Apoio Educativo Receção Biblioteca Manuel Monteiro Zonas de

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR

AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 PSICOLOGIA B 12.º ANO COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Desenvolve a consciência, o respeito e a valorização da

Leia mais

Anexo 3. ANEXO 3 Questionário distribuído aos alunos

Anexo 3. ANEXO 3 Questionário distribuído aos alunos ANEXO 3 Questionário distribuído aos alunos 1 Instruções Este questionário é realizado no âmbito de um estudo que pretende caracterizar o envolvimento dos alunos do ensino superior com a Internet. Este

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Grândola. Plano de Atividades. Projeto de Educação para a Saúde e a Sexualidade

Agrupamento de Escolas de Grândola. Plano de Atividades. Projeto de Educação para a Saúde e a Sexualidade Agrupamento de Escolas de Grândola Pl de Atividades Projeto de Educação para a e a Sexualidade 2015/2016 1 ESCOLA BÁSICA D. JORGE DE LENCASTRE: OFÉLIA ROSA SIMÃO VALÉRIO (COORDENADORA) P D O PLANO Obj.

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ SOARES (150952) Português CRITÉRIOS - 2.º ano 6 AL / ATITUDINAL língua portuguesa Respeita regras da interação discursiva. Escuta discursos breves para aprender e construir

Leia mais

Critérios de Avaliação Disciplina: Orquestra de Sopros 2º CICLO

Critérios de Avaliação Disciplina: Orquestra de Sopros 2º CICLO 2º CICLO DOMÍNIO DA CRITÉRIOS GERAIS PERFIL DO ALUNO: DESCRITORES GERAIS INSTRUMENTOS INDICADORES DE % Coordenação psico-motora. Sentido de pulsação/ritmo/harmonia/ fraseado. COGNITIVOS: APTIDÕES CAPACIDADES

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC. Manuel José Gouveia Alves

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC. Manuel José Gouveia Alves PLANO TIC 2012/2013 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O O Coordenador TIC Manuel José Gouveia Alves [1] CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA ESCOLA Escola Básica do 1º Ciclo

Leia mais

Currículo da Oferta de Escola Música

Currículo da Oferta de Escola Música Departamento de Expressões Currículo da Oferta de Escola Música Competências Específicas As competências específicas a desenvolver na disciplina de Música são aqui apresentadas em torno de quatro grandes

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Creaza M a n

Leia mais

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO 10º B FILOSOFIA P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O D I S POSITIVO DE AV AL I AÇ Ã O (Versão de 2010-2011) Psicologia B Avaliação / Pág. 1 de 8 1. MATRIZES

Leia mais

Projeto do trabalho A Música Erudita nos Dias de Hoje Visões, Críticas, Divulgação

Projeto do trabalho A Música Erudita nos Dias de Hoje Visões, Críticas, Divulgação Universidade do Algarve Escola Superior de Educação e Comunicação Projeto Multimédia Música na Comunicação Docentes: Fernando Carrapiço, Raquel Correia Ano letivo 2011/2012 Projeto do trabalho A Música

Leia mais

Introdução. 2. O domínio da Língua Portuguesa, ferramenta essencial de acesso ao conhecimento

Introdução. 2. O domínio da Língua Portuguesa, ferramenta essencial de acesso ao conhecimento Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama Biblioteca Escolar/Área de Projecto Novas leituras, outros horizontes Ano Lectivo 2010/2011 ÍNDICE Introdução 3 1. A Escola novos desafios 3 2. O domínio da

Leia mais

O Referencial de Educação para os Media: currículo, contexto, capacitação. Manuel Pinto CECS Universidade do Minho

O Referencial de Educação para os Media: currículo, contexto, capacitação. Manuel Pinto CECS Universidade do Minho O Referencial de Educação para os Media: currículo, contexto, capacitação Manuel Pinto CECS Universidade do Minho Trajetórias 1982: Declaração de Grünwald, UNESCO 1988: CRSE - Proposta de Reforma Global

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2016 / 2017 Pré-escolar e 1º Ciclo Receção dos Fomentar a integração da criança no meio escolar. Promover a socialização dos alunos. Receção

Leia mais

Gestão de Base de dados Conceitos Básicos

Gestão de Base de dados Conceitos Básicos Gestão de Base de dados Conceitos Básicos Ano Letivo 2014/2015 Professora: Vanda Pereira Sumário: Introdução ao módulo 2 Gestão de Base de Dados Conceitos básicos de Gestão de Base de Dados Atividade nº1

Leia mais

Requisitos funcionais (what the application needs to be able to do?)

Requisitos funcionais (what the application needs to be able to do?) Requisitos funcionais (what the application needs to be able to do?) Plataforma web Registo de utilizadores a aplicação deve permitir o registo de utilizadores na plataforma. Apenas utilizadores registados

Leia mais

Designação do Módulo: Técnicas de Animação

Designação do Módulo: Técnicas de Animação Módulo N.º 3258 Designação do Módulo: Técnicas de Animação Planificar e dinamizar a animação com caráter interdisciplinar, como forma de desenvolver competências e autonomias. Expressão livre e animação

Leia mais

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT - 2010 Grau de Satisfação para Colaboradores sobre a Satisfação Global Nº de inquéritos recebidos 90 P1. Imagem global da organização. 0 2

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO Domínios Disciplinas Domínios de referência Parâmetros Ponderação% 1º 2º 3º 4º ano Instrumentos de Avaliação Oralidade Leitura Português Escrita Educação literária Conhecimento Explicito/gramática Resolução

Leia mais

REGULAMENTO 1. ÂMBITO

REGULAMENTO 1. ÂMBITO REGULAMENTO 1. ÂMBITO 1.1 Este regulamento estabelece as normas de participação no concurso "QUEM VAI ABRIR O NOS SUMMER OPENING '17?", promovido pela organização do festival NOS Summer Opening e pela

Leia mais

CEF 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Instalação e Configuração de. Computadores em Redes Locais e à Rede Internet. Ano Letivo 2012/2013

CEF 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Instalação e Configuração de. Computadores em Redes Locais e à Rede Internet. Ano Letivo 2012/2013 PLANIFICAÇÃO ANUAL Instalação e Configuração de Computadores em Redes Locais e à Rede Internet CEF 2 Instalação e Operação de Sistemas Informáticos Ano Letivo 2012/2013 Ano Letivo: 2012/2013 E 2013/2014

Leia mais

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período JANEIRO Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período Receção dos alunos e diálogo sobre as férias de Natal Elaboração de um texto sobre as mesmas Prof./Educ. e Responsáveis Dia de Reis Comemoração desta

Leia mais

RELATÓRIO PROJETO DE ENSINO À DISTÂNCIA MÚSICA & TECNOLOGIA II

RELATÓRIO PROJETO DE ENSINO À DISTÂNCIA MÚSICA & TECNOLOGIA II RELATÓRIO PROJETO DE ENSINO À DISTÂNCIA MÚSICA & TECNOLOGIA II Equipe do projeto Coordenador: Prof. Dr. Eloi F. Fritsch Bolsistas: Alexandre A. Morales e Bernardo Grings. Introdução O projeto Música e

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Multimídia e Hipermídia

Prof. Daniel Hasse. Multimídia e Hipermídia Prof. Daniel Hasse Multimídia e Hipermídia AULA 01 O que é multimídia? Prof. Daniel Hasse Livro - Multimídia: conceitos e aplicações Os principais conceitos da tecnologia da multimídia serão abordados

Leia mais

Subdomínio: A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias

Subdomínio: A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias Domínio: Informação Subdomínio: A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias Grandes Marcos da História das TIC; Papel das tecnologias na sociedade contemporânea e as potencialidades da web social;

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO 2010 - DEPARTAMENTO: 1º Ciclo PCA1 Coordenador(a): Fernando Martins Tel/Tem:

Leia mais

PLANO TIC 2 º E 3 º C I C L O S D O E N S I N O B Á S I C O E E N S I N O S E C U N D Á R I O 2012/2013. O Coordenador TIC

PLANO TIC 2 º E 3 º C I C L O S D O E N S I N O B Á S I C O E E N S I N O S E C U N D Á R I O 2012/2013. O Coordenador TIC PLANO TIC 2012/2013 2 º E 3 º C I C L O S D O E N S I N O B Á S I C O E E N S I N O S E C U N D Á R I O O Coordenador TIC Tânia Maria Pimenta Pereira de Castro Dias CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA Escola Básica

Leia mais

1. Princípios orientadores e funções da avaliação Objetivos da avaliação Processos de avaliação Avaliação Diagnóstica 3

1. Princípios orientadores e funções da avaliação Objetivos da avaliação Processos de avaliação Avaliação Diagnóstica 3 Índice 1. Princípios orientadores e funções da avaliação 2 2. Objetivos da avaliação 2 3. Processos de avaliação 3 3.1. Diagnóstica 3 3.2. Formativa 3 3.3. Instrumentos de avaliação 4 3.3. Períodos de

Leia mais

Projeto E.M.A. (Estímulo à Melhoria das Aprendizagens) Tejo: Um rio de Conhecimento

Projeto E.M.A. (Estímulo à Melhoria das Aprendizagens) Tejo: Um rio de Conhecimento Projeto E.M.A. (Estímulo à Melhoria das Aprendizagens) Tejo: Um rio de Conhecimento Objetivo Geral Desenvolver nos alunos competências relacionadas com a prática experimental que reforcem a motivação,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Vagos

Agrupamento de Escolas de Vagos Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Atiiviidades transversaiis 2016-2017 Na onda dos valores é o tema aglutinador sugerido para este ano letivo, com o intuito de enaltecer

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento Ciências Sociais e Humanas Grupos: 200; 400; 410; 420; 430; 530 ESCOLA BÁSICA DO 2º CICLO DE PINHEL Critérios de Avaliação de Português- 2º Ciclo O R A L I D A D E Componente

Leia mais

Utilização do Moodle em situações de formação de professores não presencial. Partilha de prática da formação Prezi Outra forma de apresentações

Utilização do Moodle em situações de formação de professores não presencial. Partilha de prática da formação Prezi Outra forma de apresentações Utilização do Moodle em situações de formação de professores não presencial Partilha de prática da formação Prezi Outra forma de apresentações Formação a distância? Porquê? Permite a articulação em termos

Leia mais

PLANO TIC 2013/2014 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O

PLANO TIC 2013/2014 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O PLANO TIC 2013/2014 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA EB1/PE VISCONDE CACONGO EB1PEVCACONGO@MADEIRA-EDU.PT IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR

Leia mais

Portugal 2020 Inovar na Administração Pública

Portugal 2020 Inovar na Administração Pública Portugal 2020 Inovar na Administração Pública Jaime S. Andrez Vogal da Comissão Diretiva Lisboa 29 de abril de 2015 1 Driver da Competitividade Ambiente favorável aos negócios Emprego e Valor económico

Leia mais

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA EB1/PE DE ÁGUA DE PENA 2010 2014 1.Introdução 2.Enquadramento legal 3.Diagnóstico avaliação do projecto anterior 4.Identificação de prioridades de intervenção 5.Disposições finais 6.Avaliação 1.Introdução

Leia mais

MOSTRA DE ARTE, CULTURA E DESIGN Regulamento para submissão de trabalhos

MOSTRA DE ARTE, CULTURA E DESIGN Regulamento para submissão de trabalhos MOSTRA DE ARTE, CULTURA E DESIGN Regulamento para submissão de trabalhos A Mostra de Arte, Cultura e Design, propõe o debate e a reflexão sobre a democratização da Arte, da Cultura e do Design em nossa

Leia mais

Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas. Plano de acção Nota introdutória

Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas. Plano de acção Nota introdutória Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas Plano de acção 2009-2013 Nota introdutória O plano de acção é um documento orientador onde se conceptualizam e descrevem as metas a atingir num período

Leia mais

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO APOIO AO ESTUDO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/20164 1º CICLO 1. INTRODUÇÃO O despacho normativo nº7/2013 tem como objetivo conceder maior flexibilidade na constituição das

Leia mais

BOLETIM DA BE. O Regresso à Biblioteca. BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas de São João da Pesqueira

BOLETIM DA BE. O Regresso à Biblioteca. BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas de São João da Pesqueira A biblioteca escolar desenvolve nos estudantes competências para a aprendizagem ao longo da vida e desenvolve a imaginação, permitindo-lhes tornaremse cidadãos responsáveis In Manifesto da Biblioteca Escolar,

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2014-2015 O Coordenador TIC Isabel Maria Jesus Campos Escola do Santo Condestável IDENTIFICAÇÃO Identificação da

Leia mais

Proposta do Projeto A Escrita Chinesa Das inscrições oraculares aos dígitos binários

Proposta do Projeto A Escrita Chinesa Das inscrições oraculares aos dígitos binários Proposta do Projeto A Escrita Chinesa Das inscrições oraculares aos dígitos binários 1 Agenda de Convocação de Reunião Data Local Início Término 03/05/2012 CDI 13h 14h Objetivos Traçar os planos para a

Leia mais

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil de aprendizagens específicas do aluno à saída 1.º Ciclo do Ensino Básico Tendo em atenção as características estruturais e humanas das Escolas

Leia mais

Magix - Vídeos, Música e Apresentações como um Profissional

Magix - Vídeos, Música e Apresentações como um Profissional Magix - Vídeos, Música e Apresentações como um Profissional Date : 22 de Fevereiro de 2011 Quem nunca teve aquela colecção de vídeos e fotografias das férias, de um passeio de fim-desemana ou de um jantar

Leia mais

Tecnologias de Computadores

Tecnologias de Computadores Tecnologias de Computadores TSI no ensino Trabalho realizado por: Carlos Aguilar nº 27886 Miguel Xavier nº 26705 Bruno Esteves nº 26975 TSI no ensino Introdução Aplicadas ao ensino como consequência da

Leia mais

Para EMPRESAS TREINAMENTO EMPRESARIAL. Gincana Empresarial. (atividades lúdicas corporativas )

Para EMPRESAS TREINAMENTO EMPRESARIAL. Gincana Empresarial. (atividades lúdicas corporativas ) Para EMPRESAS TREINAMENTO EMPRESARIAL Gincana Empresarial (atividades lúdicas corporativas ) O Studio Sapienza Com a Missão de Desenvolver competências e fomentar soluções para organizações e profissionais

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

ACADEMIA DE MÚSICA DE SANTA CECÍLIA IDEÁRIO EDUCATIVO

ACADEMIA DE MÚSICA DE SANTA CECÍLIA IDEÁRIO EDUCATIVO ACADEMIA DE MÚSICA DE SANTA CECÍLIA IDEÁRIO EDUCATIVO Ideário Educativo da Academia de Música de Santa Cecília ESCOLA DE ENSINO INTEGRADO A AMSC define-se como uma Escola de Ensino Integrado que garante,

Leia mais

Enquadramento Objetivos Alunos Professores estagiários Recursos Humanos Temporais Espaciais...

Enquadramento Objetivos Alunos Professores estagiários Recursos Humanos Temporais Espaciais... 1 Índice Enquadramento... 3 Objetivos... 3 Alunos... 3 Professores estagiários... 3 Recursos... 4 Humanos... 4 Temporais... 4 Espaciais... 4 Materiais... 4 Procedimentos... 4 Recolha de informações...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24) 2012/2013 9º Ano de Escolaridade 1. INTRODUÇÃO O exame desta disciplina

Leia mais

O aprendiz de investigador

O aprendiz de investigador O aprendiz de investigador Criar um podcast com o literacia digital L i t e r a c i a s n a e s c o l a : f o r m a r o s p a r c e i r o s d a b i b l i o t e c a Ferramenta de edição e gravação digital

Leia mais

Encontros Regionais da Educação

Encontros Regionais da Educação Encontros Regionais da Educação Abril de 2016 PROJETOS DGE Laboratórios de Aprendizagem Surgiu no final de 2014 em parceria com a EUN Workshops de divulgação Formação de formadores MOOC Disseminação de

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC PLANO TIC 2012/2013 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O O Coordenador TIC Raquel Susana Rodrigues de Oliveira E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C

Leia mais

Educação Musical com Ênfase em Música popular Objetivo do curso:

Educação Musical com Ênfase em Música popular Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso Educação Musical com Ênfase em Música popular é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos

Leia mais

METODOLOGIA DE PROJETO

METODOLOGIA DE PROJETO METODOLOGIA DE PROJETO DE INTERIORES AULA 10: PLANEJAMENTO E PRINCÍPIOS DO DESIGN Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional Arq. Urb. Octavio F. Loureiro Data:

Leia mais

IBM SPSS DATA COLLECTION

IBM SPSS DATA COLLECTION IBM SPSS DATA COLLECTION VERSÃO 6.0 IBM e SPSS são marcas registadas da IBM Corporation A PSE Produtos e Serviços de Estatística, Lda distribui esta informação na qualidade de parceiro de negócio IBM.

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação 8.º Ano

Tecnologias de Informação e Comunicação 8.º Ano Tecnologias de Informação e Comunicação 8.º Ano Planificação Semestral de médio prazo (3 tempos de 5m) Conteúdos e avaliação diagnóstica 2 do programa da disciplina; apresentação das regras e normas da

Leia mais

PERSPETIVAS DE INTERVENÇÃO

PERSPETIVAS DE INTERVENÇÃO PERSPETIVAS DE INTERVENÇÃO DOMÍNIOS OBJETIVO ESTRATÉGICO 1. RESULTADOS a) Melhorar o sucesso escolar dos alunos Avaliação Interna e Externa b) Promover Atitudes e Comportamentos de Cidadania a) Intensificar

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo PORTUGUÊS

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo PORTUGUÊS PORTUGUÊS Oralidade Leitura e escrita Iniciação à Educação Literária Gramática - Fichas de avaliação 50% - Outros: fichas de trabalho (trabalho individual, trabalhos de grupo, trabalhos de pesquisa, ditados,

Leia mais

VMSIMULADOS QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS CE EA FP PE PP 1

VMSIMULADOS QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS CE EA FP PE PP  1 CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS CE EA FP PE PP WWW.VMSIMULADOS.COM.BR 1 CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS CURRÍCULO ESCOLAR ENSINOAPRENDIZAGEM FORMAÇÃO DO PROFESSOR PLANEJAMENTO ESCOLAR PROJETO PEDAGÓGICO CURRÍCULO

Leia mais

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos DGEstE Direção de Serviços da Região Norte Agrupamento de Escolas LEONARDO COIMBRA FILHO, PORTO Código 152213 Departamento da Educação Pré-Escolar Ano Letivo 2016/2017 Perfil de Aprendizagens Específicas,

Leia mais

Plano de Formação

Plano de Formação Plano de Formação 2013-2015 Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 2 PÚBLICO-ALVO... 2 OBJETIVOS GERAIS... 2 EXPLICITAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES... 3 ÁREAS PRIORITÁRIAS DE FORMAÇÃO... 3 ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO...

Leia mais

5 passos para você fazer as primeiras vendas no hotmart

5 passos para você fazer as primeiras vendas no hotmart Sumário 5 passos para você fazer a primeira venda no hotmart... 3 1º passo: Escolha o produto... 4 2º passo: Faça um canal no youtube... 5 3º passo: Crie um blog... 7 4º passo: Construa sua lista de e-mails...

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2015

RELATÓRIO DE GESTÃO 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO 2015 ÍNDICE 1. Nota Introdutória... 3 2. Relatório... 4 3. Receitas... 4 4. Receitas Próprias... 6 5. Transferências... 6 6. Despesas... 8 7. Encargos de Funcionamento... 9 8. Rácios

Leia mais

1. DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO. Educação Musical no Pré-escolar e Ensino Básico - CCPFC/ACC- Destinatários: Educadores e professores do 1º CEB

1. DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO. Educação Musical no Pré-escolar e Ensino Básico - CCPFC/ACC- Destinatários: Educadores e professores do 1º CEB 1. DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO Educação Musical no Pré-escolar e Ensino Básico - CCPFC/ACC- Modalidade: Oficina de Formação Destinatários: Educadores e professores do 1º CEB Duração: 25HP + 25 HNP RAZÕES

Leia mais

UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CALENDÁRIOS DE EXAMES

UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CALENDÁRIOS DE EXAMES UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CALENDÁRIOS DE EXAMES ANO LETIVO 2016/2017 1º Semestre Calendário de Exames do 1º Semestre - Ano Letivo 2016/2017 DATA: De 23 de jan. a 04 de fev. 2017 CURSO:

Leia mais

PLANO TIC E S C O L A B Á S I C A D O 1 º C I C L O C O M P RÉ- E S C O L A R D O R O C H Ã O D E L E G A Ç Ã O E S C O L A R D E S A N T A C R U Z

PLANO TIC E S C O L A B Á S I C A D O 1 º C I C L O C O M P RÉ- E S C O L A R D O R O C H Ã O D E L E G A Ç Ã O E S C O L A R D E S A N T A C R U Z PLANO TIC E S C O L A B Á S I C A D O 1 º C I C L O C O M P RÉ- E S C O L A R D O R O C H Ã O D E L E G A Ç Ã O E S C O L A R D E S A N T A C R U Z O Coordenador TIC Teresa João Martins da Silva IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS

COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS A Coelba, uma empresa do Grupo Neoenergia, tem consciência do seu importante papel na melhoria da qualidade

Leia mais

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Setembro Integração e adaptação das Crianças Reunião de pais - Promover a (re)integração e adaptação das crianças à creche; - Proporcionar um ambiente que

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

Novas ferramentas para uma metodologia da EJA

Novas ferramentas para uma metodologia da EJA Novas ferramentas para uma metodologia da EJA Vídeo SESI - EDUFOCO Ampliação do espaço Ensino-Aprendizagem Educar é colaborar para que professores e alunos nas escolas e organizações - transformem suas

Leia mais

GRELHAS DE REGISTO DE ATIVIDADES JÁ CALENDARIZADAS As atividade com indicação de mês ou período serão introduzidas nas grelhas posteriormente.

GRELHAS DE REGISTO DE ATIVIDADES JÁ CALENDARIZADAS As atividade com indicação de mês ou período serão introduzidas nas grelhas posteriormente. GRELHAS DE REGISTO DE ATIVIDADES JÁ CALENDARIZADAS As atividade com indicação de mês ou período serão introduzidas nas grelhas posteriormente. SETEMBRO Sáb 01 Dom 02 2ª F 03 Apresentação dos docentes e

Leia mais

PROJETO SOCIAL E CULTURAL

PROJETO SOCIAL E CULTURAL PROJETO SOCIAL «E CULTURAL» CONHEÇA MINHA MÚSICA Plataforma Cultural de divulgação de novos artistas, músicas ou bandas Projeto Aprovado Pronac nº 140.147 O Projeto: - Novos Artistas, músicas e Bandas

Leia mais

A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias

A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 7º Ano (PCA) TIC Planificação Anual 2015-2016 METAS CURRICULARES DOMÍNIO A informação,

Leia mais

Como Organizar seu Canal de Vídeos No Youtube

Como Organizar seu Canal de Vídeos No Youtube Como Organizar seu Canal de Vídeos No Youtube Com certeza você já notou que criar vídeos é uma das melhores formas de fazer a divulgação dos seus projetos online e ter uma boa apresentação, organização,

Leia mais

ROTEIRO PARA REALIZAÇÃO DE CONSULTA PÚBLICA PARA CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO (modelo de questionário anexado)

ROTEIRO PARA REALIZAÇÃO DE CONSULTA PÚBLICA PARA CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO (modelo de questionário anexado) ROTEIRO PARA REALIZAÇÃO DE CONSULTA PÚBLICA PARA CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO (modelo de questionário anexado) O presente roteiro está dividido em quatro momentos: 1º Momento: CONVOCAÇÃO DA CONSULTA

Leia mais

Mediações dos usos da internet. Resultados do projecto EU Kids Online Conferência nacional, José Alberto Simões, FCSH-UNL

Mediações dos usos da internet. Resultados do projecto EU Kids Online Conferência nacional, José Alberto Simões, FCSH-UNL Mediações dos usos da internet Resultados do projecto EU Kids Online Conferência nacional, 4-2-2011 José Alberto Simões, FCSH-UNL A questão da mediação Em termos gerais, e no caso dos media, mediação pressupõe

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 7º Ano TIC Planificação Semestral 016-017 DOMÍNIO A informação, o conhecimento

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Actividades Recepção aos novos alunos - Promover a integração dos novos alunos; Início do ano lectivo 15/09/2003 algumas regras de convivência

Leia mais

Tecnologias Aplicadas ao Ensino Superior Prof. Esp. André Luís Belini

Tecnologias Aplicadas ao Ensino Superior Prof. Esp. André Luís Belini Tecnologias Aplicadas ao Ensino Superior Prof. Esp. André Luís Belini Aula 03 Software Livre e Educação O que o Software Livre tem a ver com a Educação A liberdade do software tem um papel especialmente

Leia mais

Escola: AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS

Escola: AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS e Comunicação Formação Pessoal e Social Escola: AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS Nome: Idade: 4 anos Sala: Educação pré-escolar Ano letivo / 1º período Assiduidade Presenças: Faltas: Sabe o seu nome e idade.

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 4/2010. Gestão Integrada da Biblioteca Escolar do Agrupamento. Modalidade: Curso de Formação

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 4/2010. Gestão Integrada da Biblioteca Escolar do Agrupamento. Modalidade: Curso de Formação Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 4/2010 Gestão Integrada da Biblioteca Escolar do Agrupamento Modalidade: Curso

Leia mais

Microsoft PowerPoint - Apresentações acessíveis

Microsoft PowerPoint - Apresentações acessíveis Microsoft PowerPoint - Apresentações acessíveis O Microsoft PowerPoint é uma ferramenta muito utilizada na Universidade por docentes, funcionários e estudantes para fazerem apresentações. Este documento

Leia mais

Design de sites web e software

Design de sites web e software Design de sites web e software para jornalismo digital Apontamentos do Livro Notícias e Mobilidade de João Canavilhas Introdução Explosão Mobile e Web na última década; Novas práticas de consumo e produção

Leia mais

Identificação das necessidades dos utilizadores 2007

Identificação das necessidades dos utilizadores 2007 Nota prévia: Este documento corresponde a um trabalho de grupo apresentado na Unidade Curricular Desenvolvimento e Gestão de Colecções do Curso de Mestrado em Gestão da Informação e Biblioteca Escolares.

Leia mais

Ponderação dos domínios por disciplina

Ponderação dos domínios por disciplina Critérios de Avaliação - 1º ciclo Domínio Instrumentos de avaliação Peso % Cognitivo Trabalhos individuais e de grupo 15% Participação e intervenção 15% Fichas de avaliação 50 % Socioafetivo Registos 20%

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO LER PARA RECRIAR

REGULAMENTO DO CONCURSO LER PARA RECRIAR REGULAMENTO DO CONCURSO LER PARA RECRIAR L I A L T R A L T I E R R E A L E E V R R E E F L E R P A R A R E C R I A R E R + O T O T E P O E N Z E R + E R S U C R N E V E P + S O R R E S L E R R I A E S

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR Organização do acervo. Maria da Luz Antunes Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa

BIBLIOTECA ESCOLAR Organização do acervo. Maria da Luz Antunes Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa BIBLIOTECA ESCOLAR Organização do acervo Maria da Luz Antunes Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa mluz.antunes@estesl.ipl.pt Missão da Biblioteca Escolar A biblioteca escolar oferece um serviço

Leia mais

Linhas de Exploração do Quadro de Competências da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 1º Ciclo do Ensino Básico

Linhas de Exploração do Quadro de Competências da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 1º Ciclo do Ensino Básico Escola Básica e Secundária de Velas Linhas de Exploração do Quadro de Competências da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) 1º Ciclo do Ensino Básico 1 Conceitos Básicos No final

Leia mais

Pesquisa e análise de informação

Pesquisa e análise de informação A ARPANet (Advanced Research Projects Agency Network) - Projeto do Ministério da Defesa dos Estados Unidos da América, criado em 1969, que tinha como objetivo interligar em rede, computadores utilizados

Leia mais

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR MICROREDE DE ESCOLAS DO CFAC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURE E RIBEIRA DO NEIVA - Medida : Pouca autonomia por parte dos alunos nas diversas disciplinas e falta de hábitos de autorregulação das suas aprendizagens

Leia mais

II Encontro Bibliotecas de Bragança. Ler o Mundo: passaporte para o futuro. Agrupamento de Escolas André Soares. Ler. Projeto de leitura

II Encontro Bibliotecas de Bragança. Ler o Mundo: passaporte para o futuro. Agrupamento de Escolas André Soares. Ler. Projeto de leitura o Mundo: passaporte para o futuro Agrupamento de Escolas André Soares Génese do projeto II Encontro Bibliotecas de Bragança Pontos fracos Decréscimo de participação dos alunos do 3º ciclo nas atividades

Leia mais

Atividades Extraclasse

Atividades Extraclasse Atividades Extraclasse No Marista Ipanema, o estudante também aprende e desenvolve habilidades além da sala de aula. As turmas das Atividades Extraclasse, para cada modalidade, são divididas de acordo

Leia mais

Programa de parceiros

Programa de parceiros Programa de parceiros Ofereça o céu aos seus clientes! Suas câmeras online e mais SEGURANÇA, SEGURANÇA e SEGURANÇA! Garanta ao seu cliente a máxima segurança evitando perder as imagens em caso de roubo,

Leia mais