L ABF ABI T R 1 º LABORAT Ó R I O - F Á B R I C A D E L I G A S E Í M Ã S D E T E R R A S R A R A S N O B R A S I L

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "L ABF ABI T R 1 º LABORAT Ó R I O - F Á B R I C A D E L I G A S E Í M Ã S D E T E R R A S R A R A S N O B R A S I L"

Transcrição

1 L ABF ABI T R 1 º LABORAT Ó R I O - F Á B R I C A D E L I G A S E Í M Ã S D E T E R R A S R A R A S N O B R A S I L

2 P I O N E I R I S M O T E R R A S R A R A S LabFabITR 1º laboratório-fábrica de ligas e ímãs de terras raras do Brasil será instalado em Minas Gerais Investimento previsto: R$ 175 milhões Produtos: Ímãs NdFeB sinterizados, ligas de terras raras Capacidade instalada: 100 ton/ano Inauguração: Outubro/2018 *Investimento e capacidade de produção em cinco anos, com apoio do BNDES e da FINEP (terras raras).

3 M E TA S T E R R A S R A R A S LabFabITR representa um avanço na agregação de valor às reservas de terras raras existentes no estado e um passo decisivo para o fomento de toda cadeia produtiva de motores e geradores elétricos de alta eficiência. Foco no desenvolvimento de novas composições para as ligas magnéticas, processos produtivos, equipamentos e instrumentação, atendendo, primeiramente, a demanda de aplicações do mercado Nacional.

4 M E TA S T E R R A S R A R A S Proporcionar a capacitação de recursos humanos especializados e a geração de soluções inovadoras para os integrantes da cadeia produtiva e as empresas clientes. Apoiar as empresas no desenvolvimento de soluções com imãs de TR e produção de protótipos e pequenas séries.

5 L O C A L L A G O A S A N T A - MG Lagoa Santa MG Av. Belmiro Salomão s/n ÁREA Principais distâncias: Belo Horizonte - 41 km Rio de Janeiro km São Paulo km Brasília km Confins km Área: 9645 m 2

6 P R I M E I R A FA S E T E R R A S R A R A S Contratação da Fundação Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI) para estudo da viabilização do projeto concluído em ago/17. Projeto básico e executivo do empreendimento para a consolidação das tecnologias de fabricação, atendimento de aplicações de mercado e fornecimento estratégico em pequenas séries. Articulação estratégica para consolidação de parcerias tecnológicas. Macro modelamento de uma 1ª Planta Industrial Competitiva de Ímãs de TR, também em Minas Gerais.

7 P R I M E I R A FA S E E V O L U Ç Ã O D O P R O J E T O 1 3 Análise dos insumos e matérias-primas críticas Priorização de tipologias e mercados a serem atendidos 6 Criação do modelo conceitual do Labfab 7 Modelamento Institucional 9 Projeto de Arquitetura e Engenharia Fevereiro Análise de mercado nacional e internacional 4 Estudo Locacional e Ambiental 5 Estudo do PPB e equipamentos 8 Estudo de viabilidade econômica 10 Plano de Negócios Agosto 2017

8 P R I M E I R A FA S E M E R C A D O I N T E R N A C I O N A L Aplicações priorizadas: Aerogeradores Motores Elétricos Industriais Motores Elétricos de Elevadores Motores para Veículos Convencionais Motores para Veículos Elétricos Outras aplicações estudadas: Alto-falantes Separação Magnética Bicicletas Elétricas Equipamentos de Ressonância Magnética Geradores Transmissão e Frenagem por Histerese Magnética Equipamentos Condicionadores de Ar CAGR: aprox. 8% 145 mil toneladas de ímãs NdFeB em mil toneladas de ímãs NdFeB em 2020 Fontes: Relatório ROSKILL, WEG, ANFAVEA, ABVE, MDIC, NEII, CONSTANTINIDES.

9 P R I M E I R A FA S E M E R C A D O N A C I O N A L Aplicações priorizadas: Aerogeradores; Motores Elétricos Industriais; Motores Elétricos de Elevadores; Motores para Veículos Convencionais; Motores para Veículos Elétricos. 6% 9% 8% Potencial em 2020: toneladas de ímãs NdFeB Atual (2016): toneladas de ímãs NdFeB Importação: Aprox. 400 toneladas de ímãs NdFeB Embarcado: Aprox. 800 toneladas de ímãs NdFeB Fontes: Receita Federal, Relatório ROSKILL, WEG, ANFAVEA, ABVE, MDIC, NEII, CONSTANTINIDES.

10 P R I M E I R A FA S E P R I M E I R A S T I P O L O G I A S E M E R C A D O S A S E R E M A T E N D I D O S Critérios analisados: Mercado potencial Fornecimento de MP Custos envolvidos Propriedades magnéticas Aplicabilidade Flexibilidade do processo Oportunidades Critérios analisados: Mercado existente e potencial Brasil e Mundo Futuro da tecnologia Políticas públicas de incentivo Parceiros-chave Flexibilidade de produto

11 P R I M E I R A FA S E P R O C E S S O P R O D U T I V O Redução eletrolítica Sinterização e tratamento térmico Produção de Ligas-Strip Casting Usinagem Decriptação por H2 Revestimento Moagem autógena Magnetização Compactação e orientação sob campo magnético Embalagem

12 Capacidade do LabFabITR Desafios do LabFabITR P R I M E I R A FA S E C R O N O G R A M A D E I M P L A N T A Ç Ã O Foco no mercado existente no Brasil Demanda compatível com este mercado Busca de domínio Indução da nacionalização dos motores e sensores de veículos à combustão Processos dominados Finalização de componentes de aerogeradores Projetos específicos para aerogeradores off shore Indução de mercado para ímãs de alto valor agregado Motores de veículos elétricos Novas tecnologias Aerogeradores Fase 4: Capacidade instalada 93 ton/ano Fase 0: Implantação Motores elétricos industriais Fase 1: Capacidade instalada 23 ton/ano Motores e sensores de veículos à combustão Motores elétricos de elevadores Fase 2: Capacidade instalada 38 ton/ano Fase 3: Capacidade instalada 62 ton/ano 55,80 62,0 74,40 83,70 93,0 8,050 16,10 23,0 32,30 38,0 Ano 0 Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 Ano 6 Ano 7 Ano 8 Ano 9 Ano 10

13 S E G U N D A FA S E I M P L A N TA Ç Ã O E O P E R A Ç Ã O Empresas parceiras ICTs parceiras

14 S E G U N D A FA S E C O N S T R U Ç Ã O DO L A B O R AT Ó R I O - F Á B R I C A Edital publicado no site da Codemig 10 meses para construção Inauguração prevista: Outubro/2018 Licitação:

15 S E G U N D A FA S E R E C U R S O F I N A N C E I R O Plano de negócios aprovado na primeira chamada do Edital Inova Mineral. Linha Temática Linha 1: Minerais Portadores de Futuro. Detalhamento do Plano de Negócios Fonte do recurso pré-aprovado Valor do Projeto Projeto 1 CODEMIG BRATS, IMAG e CERTI Implantação e Operação do LabFabITR Linha de crédito FINEP R$ Projeto 2 CODEMIG, CBMM IPT, CDTN Scale up da redução eletrolítica do Didímio Cooperativo ICT-Empresa FINEP R$ Projeto 3 CODEMIG, UFSC, CDTN Desenvolvimento de tecnologias de fabricação de ímãs de alto desempenho FUNTEC - BNDES R$ Previsão de investimento de R$ 175 milhões somando recursos: Codemig, Crédito FINEP e subvenção apoiada pela FINEP e pelo BNDES.

16 S E G U N D A FA S E C R O N O G R A M A DE E X E C U Ç Ã O D O S P R O J E T O S

17 S E G U N D A FA S E I N T E R E S S E DO M E R C A D O Cartas de intenção de apoio, compra e teste dos ímãs: WEG MOTORES LESS COMMON METALS (REINO UNIDO) NDFEB CORPORATION (JAPÃO) Cartas de teste e desenvolvimentos de produtos: BRATS FILTROS SINTERIZADOS E PÓS METÁLICOS SIEMENS BRASIL WHIRLPOOL S.A. (EMBRACO) Cartas de apoio ao PN: ThyssenKrupp INNOVATION METALS (CANADÁ)

18 O B R I G A D O WWW. C ODEMIG. C OM. BR

Agenda. O que éo Inova Energia? Linhas Temáticas. Etapas do Inova Energia

Agenda. O que éo Inova Energia? Linhas Temáticas. Etapas do Inova Energia Agenda O que éo Inova Energia? Linhas Temáticas Etapas do Inova Energia 2 O Inova Energia é parte do Plano Inova Empresa Orçamento esperado: R$ 32 bi............ Objetivo do Inova Energia fomentar e apoiar

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Área de Insumos Básicos Seminário sobre Petróleo e Gás APIMEC RIO Agosto/2012 BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO DO IFRN INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO DO IFRN INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO DO IFRN INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL EDITAL Nº 01/2016 - SELEÇÃO DE IDEIAS EMPREENDEDORAS PARA PRÉ-INCUBAÇÃO EM HOTEL DE PROJETOS A direção-geral do Campus Natal

Leia mais

Plano Brasil Maior Inovar para competir. Competir para crescer. 2011/2014

Plano Brasil Maior Inovar para competir. Competir para crescer. 2011/2014 II Seminário Brasileiro de Terras-Raras Plano Brasil Maior Inovar para competir. Competir para crescer. 2011/2014 Indústria de Terras Raras no Brasil Proposta de articulação empresarial para integração

Leia mais

ABINEE TEC 2011 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Fomento à Inovação Subvenção, Apoio

ABINEE TEC 2011 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Fomento à Inovação Subvenção, Apoio ABINEE TEC 2011 3º ENITEE Encontro Nacional de Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica Fomento à Inovação Subvenção, Apoio Tecnológico Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira

Leia mais

PLANO CONJUNTO BNDES/FINEP PARA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA PADIQ. Consulta aos Potenciais Interessados

PLANO CONJUNTO BNDES/FINEP PARA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA PADIQ. Consulta aos Potenciais Interessados PLANO CONJUNTO BNDES/FINEP PARA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA PADIQ Consulta aos Potenciais Interessados Agenda Objetivos Linhas temáticas Etapas Consulta a parceiros e potenciais clientes

Leia mais

Política e Prioridades Brasileiras para Recursos Minerais Desenvolvimento Tecnológico e Inovação

Política e Prioridades Brasileiras para Recursos Minerais Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Workshop: Oportunidades de Desenvolvimento e Inovação em Mineração e Metais Política e Prioridades Brasileiras para Recursos Minerais Desenvolvimento Tecnológico e Inovação SECRETARIA DE GEOLOGIA, MINERAÇÃO

Leia mais

Relatório Investimento Social - 2013

Relatório Investimento Social - 2013 Relatório Investimento Social - 2013 Divisão de Promoção da Cidadania Empresarial e Projetos com a Sociedade - PCSC Departamento de Responsabilidade Social e Projetos com a Sociedade PCS Sumário Projetos

Leia mais

1ª Oficina de Trabalho do Programa CI-Brasil Instituto Werner von Braun Campinas/SP. 15 e 16 de março de 2007. Apresentação do MDIC:

1ª Oficina de Trabalho do Programa CI-Brasil Instituto Werner von Braun Campinas/SP. 15 e 16 de março de 2007. Apresentação do MDIC: 1ª Oficina de Trabalho do Programa CI-Brasil Instituto Werner von Braun Campinas/SP 15 e 16 de março de 2007 Apresentação do MDIC: Incentivos fiscais concedidos para a produção de semicondutores, displays

Leia mais

Cogeração SISTEMA DE COGERAÇÃO DE ENERGIA

Cogeração SISTEMA DE COGERAÇÃO DE ENERGIA SISTEMA DE COGERAÇÃO DE ENERGIA O Que é Cogeração? SISTEMA DE COGERAÇÃO DE ENERGIA A cogeração a partir do gás natural é o processo que permite a produção de energia elétrica e térmica, de forma simultânea,

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

REGULAMENTO DA APRESENTAÇÃO

REGULAMENTO DA APRESENTAÇÃO REGULAMENTO DA APRESENTAÇÃO Art. 1º - Idealizado e instituído pela ANPROTEC 1, em parceria com o SEBRAE, o Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador, cuja periodicidade é anual, reconhece e prestigia

Leia mais

A IntegraçãoProdutivadaAméricaLatina e Caribe: Oportunidades para o Setor de Software e Serviços de TI

A IntegraçãoProdutivadaAméricaLatina e Caribe: Oportunidades para o Setor de Software e Serviços de TI A IntegraçãoProdutivadaAméricaLatina e Caribe: Oportunidades para o Setor de Software e Serviços de TI I Seminário Internacional sobre Software e Serviços de TI: Políticas Públicas e Estratégias Empresariais

Leia mais

O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil

O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil O BNDES e as Possibilidades de Apoio à Biotecnologia no Brasil I SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA -ABRIL/2008 Política Nacional de Biotecnologia Instituída

Leia mais

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE

CHAMADA MCT / FINEP ENERGIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE CHAMADA MCT / FINEP Ministério da Ciência e Tecnologia / Financiadora de Estudos e Projetos IDENTIFICAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS COM TECNOLOGIA INOVADORA NA ÁREA DE ENERGIA O Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Painel: Redes de inovação e inovação colaborativa no cenário brasileiro

Painel: Redes de inovação e inovação colaborativa no cenário brasileiro Painel: Redes de inovação e inovação colaborativa no cenário brasileiro São Paulo 23_11_2011 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA missão A missão da Anpei é: Estimular a Inovação Tecnológica

Leia mais

QUADRO SINTESE POR FUNCOES 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 5.545.799 25 ENERGIA 80.000.000 26 TRANSPORTE 28.446.280 TOTAL - GERAL 113.992.

QUADRO SINTESE POR FUNCOES 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 5.545.799 25 ENERGIA 80.000.000 26 TRANSPORTE 28.446.280 TOTAL - GERAL 113.992. PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES R$ 1,00 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 5.545.799 26 TRANSPORTE 28.446.280 TOTAL - GERAL 113.992.079 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL 17.570.500 694 SERVIÇOS

Leia mais

Reunião do Steering Committee

Reunião do Steering Committee Projecto Engenharia 2020 Reunião do Steering Committee Ordem dos Engenheiros Lisboa 10 de Maio 2013 Parceiros Estratégicos: Augusto Mateus e Associados (A.M.); MIT Portugal; Ordem dos Engenheiros (O.E.)

Leia mais

PDE - Fundição. Programa de Desenvolvimento Empresarial

PDE - Fundição. Programa de Desenvolvimento Empresarial PDE - Fundição Programa de Desenvolvimento Empresarial PDE - Fundição Bem-vindos ao Programa de Desenvolvimento Empresarial 1) Apresentação da Equipe 2) Dinâmica de Trabalho 3) Conteúdos 4) Metodologia

Leia mais

O BNDES no Apoio a APLs de Baixa Renda 28/10/2009

O BNDES no Apoio a APLs de Baixa Renda 28/10/2009 O BNDES no Apoio a APLs de Baixa Renda 28/10/2009 BNDES - Estados: Objetivos do Apoio Complementar o apoio financeiro dos estados a empreendimentos solidários de baixa renda Contribuir para a redução de

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2009

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2009 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2009 CARACTERÍSTICAS DOS CONDOMÍNIOS INDUSTRIAIS COMO OPÇÃO DE INVESTIMENTO EM REAL ESTATE Prof. M.Eng. Rogerio Santovito em

Leia mais

A visão empresarial da nova institucionalidade

A visão empresarial da nova institucionalidade Inovação Tecnológica e Segurança Jurídica A visão empresarial da nova institucionalidade José Ricardo Roriz Coelho Diretor Titular Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC Presidente Suzano

Leia mais

Curso de Capacitação de Gestores de APLs. Plano de Desenvolvimento

Curso de Capacitação de Gestores de APLs. Plano de Desenvolvimento Curso de Capacitação de Gestores de APLs Plano de Desenvolvimento Introdução Etapas do Plano de Desenvolvimento Cadeia Produtiva Cadeia de Valor Conclusões Introdução Apresentar as etapas do Plano de Desenvolvimento.

Leia mais

Inteligência Competitiva (IC)

Inteligência Competitiva (IC) (IC) Habilidade e capacidade de usar o conhecimento para buscar uma posição competitiva. Inteligência Competitiva (IC) é um processo sistemático e ético, ininterruptamente avaliado com identificação, coleta,

Leia mais

Fornecedor Mundial de Ímãs e outros produtos de Terras Raras

Fornecedor Mundial de Ímãs e outros produtos de Terras Raras BRASIL: 2011 >>> 2020 Fornecedor Mundial de Ímãs e outros produtos de Terras Raras Subsídios à: Subcomissão temporária para elaboração do Projeto de Lei do Marco Regulatório da Mineração e Exploração de

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO Presidência Setembro/2013 Conheça o... Há 16 anos promovendo a Regularização Fundiária no Estado do Rio de Janeiro Regularização Fundiária Títulos Emitidos por Ano Comunidades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 05/12/2008 (*) Portaria/MEC nº 1.476, publicada no Diário Oficial da União de 05/12/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

soluções inteligentes

soluções inteligentes soluções inteligentes Catálogo de soluções NEGÓCIOS INOVADORES Soluções inteligentes, negócios inovadores Empresa Data Center CSC - Centro de Serviços Compartilhados Gestão de Ativos, Licenças e Recursos

Leia mais

Banco inovador, parceiro do cliente em soluções financeiras, para. empresas comprometidas com a geração de oportunidades e o

Banco inovador, parceiro do cliente em soluções financeiras, para. empresas comprometidas com a geração de oportunidades e o ABIMAQ Maio de 2014 BDMG Missão: Banco inovador, parceiro do cliente em soluções financeiras, para empresas comprometidas com a geração de oportunidades e o desenvolvimento sustentável de Minas Gerais.

Leia mais

Painel 1 Aglomerados Produtivos: Análise da Experiência Nacional e Internacional. A Experiência do Estado de Sergipe

Painel 1 Aglomerados Produtivos: Análise da Experiência Nacional e Internacional. A Experiência do Estado de Sergipe Painel 1 Aglomerados Produtivos: Análise da Experiência Nacional e Internacional A Experiência do Estado de Sergipe Brasília, 28 de outubro de 2009 APL/MPE -APL-SE -Extensionismo -Lei Geral -GTP Formalize-SE

Leia mais

Parceiros do Programa

Parceiros do Programa Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial MARCO LÓGICO DO PROGRAMA Parceiros do Programa Problema do Programa Inserção na Estratégia Estadual adensamento das cadeias desconcentração espacial

Leia mais

Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição

Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição Daniel Mendonça - Abradee Brasília, 28 de novembro de 2014. Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica QUEM SOMOS A Associação Brasileira

Leia mais

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon Metodologias de PETI Prof. Marlon Marcon PETI O PETI é composto de: Planejamento Estratégico da organização, que combina os objetivos e recursos da organização com seus mercados em processo de transformação

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS Aspectos qualitativos. Profª MSc. Patrícia Tavares

LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS Aspectos qualitativos. Profª MSc. Patrícia Tavares LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS Aspectos qualitativos Profª MSc. Patrícia Tavares LOCALIZAÇÃO É o processo que determina os locais geográficos para as operações de uma empresa; Localizar significa determinar o

Leia mais

Programas 2014. Março de 2014

Programas 2014. Março de 2014 Programas 2014 Março de 2014 RoteirodestaApresentação 1.Informações gerais sobre a SUDENE 2.Ações da Sudene disponíveis em 2014 para recebimento de propostas 3.Informações para apresentação de propostas

Leia mais

POLITICADERESPONSABILIDADESOCIALDATHYSSENKRUPPELEVADORESBRASIL

POLITICADERESPONSABILIDADESOCIALDATHYSSENKRUPPELEVADORESBRASIL POLITICADERESPONSABILIDADESOCIALDATHYSSENKRUPPELEVADORESBRASIL 1. PoliticadoGrupoThyssenKrupp Esta política trata-se de um complemento à Politica «Group Policy on Corporate Citizenship Activities,MembershipsandTicketsPurchases(últimamodificaçãoJaneiro2013)».

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO

PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO Sumário 1 Objetivo da contratação... 1 2 Antecedentes e

Leia mais

REDE PAULISTA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS. O Programa Estadual de APLs. 4ª. Conferência Nacional de APLs

REDE PAULISTA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS. O Programa Estadual de APLs. 4ª. Conferência Nacional de APLs REDE PAULISTA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS O Programa Estadual de APLs 4ª. Conferência Nacional de APLs Brasília, 28 de outubro de 2009 A Secretaria de Desenvolvimento Missão Promover o crescimento econômico

Leia mais

Conectando você ao Futuro

Conectando você ao Futuro Conectando você ao Futuro Grupo Método das Comunicações 16 ANOS DE PRESENÇA NO MERCADO MISSÃO Propiciar as melhores soluções tecnológicas e de excelência, agregando valor ao nosso negócio, respeitando

Leia mais

Programas e Instrumentos de Promoção da Inovação

Programas e Instrumentos de Promoção da Inovação Programas e Instrumentos de Promoção da Inovação Fernanda Magalhães Coordenadora de Propriedade Intelectual Coordenadora-Geral de Inovação Tecnológica Subs?tuta Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Seminário de Transporte Ferroviário. Alargar Horizontes. 10º Ciclo de Seminários Transportes e Negócios

Seminário de Transporte Ferroviário. Alargar Horizontes. 10º Ciclo de Seminários Transportes e Negócios Seminário de Transporte Ferroviário Alargar Horizontes 10º Ciclo de Seminários Transportes e Negócios 1.Funcionamento do Sector 2.Portugal na Península Ibérica 3.Novo Paradigma 4.Objectivos CP Carga 5.Materialização

Leia mais

Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais

Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais Infraestrutura logística: condições de financiamento e incentivos à participação do mercado de capitais Cleverson Aroeira Chefe de Departamento de Transportes e Logística (DELOG) Área de Infraestrutura

Leia mais

Rodada de Integração Produtiva de Governadores do FCCR: Frente Norte do Mercosul

Rodada de Integração Produtiva de Governadores do FCCR: Frente Norte do Mercosul Rodada de Integração Produtiva de Governadores do FCCR: Frente Norte do Mercosul Manaus, 11 e 12 de setembro de 2008. Feira Internacional da Amazônia (FIAM) Contexto No 2 o semestre de 2008, o Brasil assumiu

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Dados das organizações:

Ministério da Cultura Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Dados das organizações: 1 Ministério da Cultura Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Dados das organizações: Data de elaboração da ficha: Ago 2007 Nome: Ministério da Cultura (MinC) Endereço: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas

Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas Gás LP no Brasil: Energia limpa e abundante para o agronegócio e áreas remotas O Sindigás 33 milhões de botijões entregues porta a porta mensalmente 5 bilhões em tributos arrecadados anualmente 27% Participação

Leia mais

Fluxo Direto de Financiamento

Fluxo Direto de Financiamento Fluxo Direto de Financiamento Fluxo Direto de Financiamento de Projetos Objetivo: acelerar a tramitação de projetos reembolsáveis no Inova Energia Fluxo Direto de Projetos Workshop Submissão dos Planos

Leia mais

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Linhas de Financiamento para Reconstrução e Mitigação de Mudanças Climáticas Fortalecimento de estratégias e produtos financeiros

Leia mais

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil Uriel Antonio Superti Rotta urielrotta@pensa.org.br O SAG do leite no Brasil O sistema agroindustrial do leite reúne importantes segmentos da

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

Unidades de Negócios. Formingplast S/A Buenos Aires Argentina Tempo de Mercado: 35 anos. Área: 2.000 m2

Unidades de Negócios. Formingplast S/A Buenos Aires Argentina Tempo de Mercado: 35 anos. Área: 2.000 m2 GRUPO FORMINGPLAST Histórico O grupo econômico Formingplast, atua em diversos segmentos economicos, contando atualmente com sete empresas nas mais diversas areas de atuação. A primeira empresa do grupo,

Leia mais

TECNOPARQUE UECE INCUBADORA DE EMPRESAS HELIANE CÁPUA DALLAPÍCULA

TECNOPARQUE UECE INCUBADORA DE EMPRESAS HELIANE CÁPUA DALLAPÍCULA TECNOPARQUE UECE INCUBADORA DE EMPRESAS HELIANE CÁPUA DALLAPÍCULA NOVEMBRO 2009 INCUBADORA DE EMPRESAS É um ambiente que possui condições efetivas para possibilitar o desenvolvimento de negócios promissores

Leia mais

Energias Renováveis BIODIESEL

Energias Renováveis BIODIESEL Energias Renováveis BIODIESEL Profª Elisa Helena Siegel Moecke UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina Apresentação Com o Protocolo de Kyoto (1997) muitos países se comprometeram com a redução da

Leia mais

Resultados do 1T13. 02 de Maio de 2013

Resultados do 1T13. 02 de Maio de 2013 Resultados do 02 de Maio de 2013 2 Grupo Eucatex Fundada em 1951 Segmentos Indústria Moveleira, Revenda, Construção Civil e Exportação Subsidiária em Atlanta EUA 72 Fazendas de Eucalipto Total de 45,8

Leia mais

I - Objetivos do INOVA MINERAL

I - Objetivos do INOVA MINERAL CONSULTA SOBRE O PLANO CONJUNTO FINEP/BNDES DE DESENVOLVIMENTO, SUSTENTABILIDADE E INOVAÇÃO DO SETOR DE MINERAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO MINERAL INOVA MINERAL I - Objetivos do INOVA MINERAL O Inova Mineral é

Leia mais

Relevância Tecnológica, Econômica e Estratégica da Computação em Nuvem para a Competitividade Nacional

Relevância Tecnológica, Econômica e Estratégica da Computação em Nuvem para a Competitividade Nacional Relevância Tecnológica, Econômica e Estratégica da Computação em Nuvem para a Competitividade Nacional Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática 24 de Abril de 2012 Câmara dos Deputados

Leia mais

Lei de Inovação Tecnológica

Lei de Inovação Tecnológica Inovações de Tecnologias nas Organizações Lei de Inovação Tecnológica Prof. Fabio Uchôas de Lima MBA Gestão Empresarial P&D Invenção Saber C&T Descoberta Conhecimento Um dos maiores problemas para se tratar

Leia mais

PROGRAMA DA CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO & GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS

PROGRAMA DA CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO & GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS CENÁRIO POR QUE TRABALHAR NA CADEIA DO PETRÓLEO? Em função do potencial do mercado (Oportunidade) A Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás movimentará

Leia mais

Teleconferência 30 de julho de 2010

Teleconferência 30 de julho de 2010 Teleconferência 30 de julho de 2010 Suzano Energia Renovável Visão estratégica da Suzano Mercado de energia renovável Competitividade Suzano Visão geral da Suzano Energia Renovável 1 Suzano é um grupo

Leia mais

Eficiência Energética - Desafios na Busca da Sustentabilidade. João Carlos Mello A&C

Eficiência Energética - Desafios na Busca da Sustentabilidade. João Carlos Mello A&C Eficiência Energética - Desafios na Busca da Sustentabilidade João Carlos Mello A&C A APINE 55 associados Geradores privados e concessionárias de geração PCHs e hidráulicas de médio e grande porte Térmicas

Leia mais

G.P.A.A. AEAMESP AGOSTO 2007

G.P.A.A. AEAMESP AGOSTO 2007 G.P.A.A. AEAMESP AGOSTO 2007 Diretrizes para Conservação da Via Permanente Metrô-SP Engº Sérgio Luís Silva Tec. Esp.. Márcio Satoshi Torii DO/GMT/MTC/EPV Fotografias: Frederico (VPN) e André Calçada ada

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração.

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração. Santos, 17 de outubro de 2014. CARTA CONVITE Nº 012/2014 Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração Museu do Café O Instituto de Preservação e Difusão da

Leia mais

Resíduos Têxteis. Curitiba, 27 de Julho de 2011

Resíduos Têxteis. Curitiba, 27 de Julho de 2011 Resíduos Têxteis Curitiba, 27 de Julho de 2011 So... We have a problem? Or an opportunity? O quê fazer com os resíduos sólidos da confecção???? Aparas têxteis Quanto resíduo é gerado no Estado do PR????

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

PROJETO DE PARCERIA EXPOSITOR

PROJETO DE PARCERIA EXPOSITOR PROJETO DE PARCERIA EXPOSITOR Realização: Amda Associação Maranhense de Distribuidores e Atacadista Amasp Associação Maranhense de Supermercados Fiema Federação das Indústrias do Estado do MA 1 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

Política Permanente de Valorização e Fortalecimento da Engenharia Nacional de Estudos e Projetos

Política Permanente de Valorização e Fortalecimento da Engenharia Nacional de Estudos e Projetos Política Permanente de Valorização e Fortalecimento da Engenharia Nacional de Estudos e Projetos UMA ESTRATÉGIA DE PAÍS Mauro Viegas Filho Presidente da Concremat Engenharia e Tecnologia Vice-Presidente

Leia mais

14 de maio de 2013 Belo Horizonte (MG)

14 de maio de 2013 Belo Horizonte (MG) 14 de maio de 2013 Belo Horizonte (MG) Empresa: Anglo American Trabalho premiado: Utilização de biomassa no lugar de combustível fóssil no processamento de níquel Categoria: Processo Autores: Juliana Rehfeld

Leia mais

BRASIL. Da ideia à produção em série. 18-22 Agosto 2014 Pavilhões da Expoville - Joinville SC - Brasil

BRASIL. Da ideia à produção em série. 18-22 Agosto 2014 Pavilhões da Expoville - Joinville SC - Brasil Evento Simultâneo: BRASIL 18-22 Agosto 2014 Pavilhões da Expoville - Joinville SC - Brasil Da ideia à produção em série Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de

Leia mais

Comitê Científico do Enangrad

Comitê Científico do Enangrad Comitê Científico do Enangrad Administração Pública Empreendedorismo e Governança Corporativa Ensino, Pesquisa e Formação Docente em Administração Finanças Gestão da Sustentabilidade Gestão de Informações

Leia mais

Gresca. Planta G1. Gresca. Planta G2. Gresca. Planta G3

Gresca. Planta G1. Gresca. Planta G2. Gresca. Planta G3 Gresca Planta G1 Gresca Planta G2 Gresca Planta G3 sobre a empresa Referência no mercado da construção civil, a Cerâmica Gresca fabrica blocos com furo vertical e peças especiais de alto desempenho, que

Leia mais

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Cláudia Lins Consultora Ambiental Foi instituída pela Lei 12.305/10 e regulamentada pelo Decreto 7.404/10 A PNRS fixou obrigações para União, Estados e

Leia mais

Política de investimentos sociais 3M

Política de investimentos sociais 3M Política de investimentos sociais 3M 1. Objetivos A presente política tem por finalidade estabelecer os critérios para investimento em projetos sociais com recursos próprios visando: Estabelecer os princípios

Leia mais

Agenda MEI de Inovação e Manufatura Avançada

Agenda MEI de Inovação e Manufatura Avançada 10 Diálogos da MEI Agenda MEI de Inovação e Gilberto Peralta - GE Salvador, 04 de abril de 2016 A Economia Digital revolucionará o cotidiano das pessoas e das empresas, transformando nosso dia-a-dia Internet

Leia mais

Gestão de Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos 21 e 22 de maio, Hotel Mercure São Paulo - SP

Gestão de Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos 21 e 22 de maio, Hotel Mercure São Paulo - SP Gestão de Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos 21 e 22 de maio, Hotel Mercure São Paulo - SP Apresentação: Na sua caminhada para o desenvolvimento, o Brasil tem ainda um déficit muito grande com relação

Leia mais

Equipamentos Água Gelada Água Torre

Equipamentos Água Gelada Água Torre Água Gelada Água Torre Equipamentos Equipamentos Bombeamento Água Torre Bombeamento Água Gelada Torres de Resfriamento Fancoil de Alvenaria Equipamentos Vista Externa Fancoil de Alvenaria Equipamentos

Leia mais

Apresentação Clio Do Brasil.

Apresentação Clio Do Brasil. Apresentação Clio Do Brasil. Nossa história: A Clio do Brasil, nasceu através da necessidade de um gestor da área de compras que atuou em empresas líderes no segmento em que atuava, através de buscas de

Leia mais

Desafios do Comitê Temático. Massa crítica de associadas para alavancar ações Pessoas com tempo dedicado ao tema (hands on) Perspectiva futura

Desafios do Comitê Temático. Massa crítica de associadas para alavancar ações Pessoas com tempo dedicado ao tema (hands on) Perspectiva futura Desafios do Comitê Temático Massa crítica de associadas para alavancar ações Pessoas com tempo dedicado ao tema (hands on) Perspectiva futura Continuidade dos trabalhos de 2007 Introdução Foram discutidas

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

III Congresso FAPERN Ciência, Tecnologia e Inovação

III Congresso FAPERN Ciência, Tecnologia e Inovação III Congresso FAPERN Ciência, Tecnologia e Inovação A Atuação Regional do BNDES e as Perspectivas de Desenvolvimento Novembro de 2014 Paulo Guimarães Chefe do Departamento Nordeste Quem somos Fundado em

Leia mais

Porto Alegre, 6 de maio de 2013

Porto Alegre, 6 de maio de 2013 1! Porto Alegre, 6 de maio de 2013 Ministério da Cultura MinC Secretaria Executiva Gabinete da Ministra SEC SAV Funarte FBN ASPAR SPC SCDC Iphan Palmares CONJUR SEFIC SAI Ibram FCRB AECI Ancine DRI Representações

Leia mais

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Estrutura da apresentação: Antecedentes Fórum pela Vida Cenário Atual Rede Fito RS Objetivos Organização Atores participantes

Leia mais

O mercado e as perspectivas para a integração da cadeia deterras raras

O mercado e as perspectivas para a integração da cadeia deterras raras O mercado e as perspectivas para a integração da cadeia deterras raras Miguel Nery Diretor de Desenvolvimento Produtivo 26/11/2015 Demanda por Aplicação Usos de ETR em 2010 (Lynas, 2011), Citi in Lima,

Leia mais

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES

AGENDA DESEMPENHO FINANCEIRO NOSSO NEGÓCIO VANTAGENS COMPETITIVAS OPORTUNIDADES Dezembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior Decex DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e DúvidasD DECEX CGEX Coordenação-Geral de Mecanismos de Exportação

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Gestão de Projetos é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos,

Leia mais

Estrutura Acionária. Grupo Espírito Santo 18,3% Fundo Asas G&G. Grupo AIG. 99,9% 99,9% Providência Transportes. Providência Participações 0,1% 100,0%

Estrutura Acionária. Grupo Espírito Santo 18,3% Fundo Asas G&G. Grupo AIG. 99,9% 99,9% Providência Transportes. Providência Participações 0,1% 100,0% Reunião APIMEC SP 21/12/2007 Estrutura Acionária Grupo AIG Fundo Asas G&G Grupo Espírito Santo 18,4% 17,7% 18,3% 9,1% 36,5% 99,9% 99,9% Providência Transportes 0,1% Providência Participações Isofilme 100,0%

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA - SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY Brasília, 20 de maio de 2014 números do setor de telecomunicações R$ 29,3 bilhões de investimentos em 2013 segundo ano consecutivo

Leia mais

Gestão estratégica socioambiental: foco em ecoeficiência de processo. João S. Furtado jsfurtado2@gmail.com

Gestão estratégica socioambiental: foco em ecoeficiência de processo. João S. Furtado jsfurtado2@gmail.com Gestão estratégica socioambiental: foco em ecoeficiência de processo João S. Furtado jsfurtado2@gmail.com Modelo dominante: comando-e-controle & fim-de-tubo Entrada de materiais Manufatura Distribuição

Leia mais

PPPs e Concessões na Prefeitura de SP

PPPs e Concessões na Prefeitura de SP PPPs e Concessões na Prefeitura de SP Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) LEI Nº 8.987/95 - Art. 21. Realização de estudos pelo parceiro privado: sem caráter de exclusividade não gera direito

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO Não existem regras ou leis para gestão; Não existem países pobres ou ricos, mas simplesmente países mal e bem administrados, que sabem extrair o máximo dos recursos

Leia mais

É isto que diferencia a Loja in Company de outros modelos de negócio.

É isto que diferencia a Loja in Company de outros modelos de negócio. O objetivo da Nexus Loja in Company (Outsourcing) é o de prestar serviços que não fazem parte do conjunto de competências essenciais da Empresa Contratante. Outsourcing sugere externalização, no sentido

Leia mais

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil Buenos Aires Argentina 13 de Agosto de 2004 Leis de Incentivo no Brasil 1. Leis Nacionais 1. Lei Rouanet (8313/91)

Leia mais

SENADO FEDERAL - JULHO 2015

SENADO FEDERAL - JULHO 2015 Audiência Pública - Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Principais obstáculos ao desenvolvimento de tecnologias de informação SENADO FEDERAL - JULHO 2015 Pensando juntos,

Leia mais

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000.

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Estabelece que as concessionárias de Serviços públicos de Distribuição, Transmissão ou Geração de energia elétrica, devem aplicar, anualmente, um percentual mínimo

Leia mais

Prêmios Santander Universidades Edição 2010. Maio de 2010.

Prêmios Santander Universidades Edição 2010. Maio de 2010. Prêmios Santander Universidades Maio de 2010. O Santander acredita que o investimento no ensino superior é a forma mais direta e eficaz de apostar no desenvolvimento dos países em que está presente E,

Leia mais

Prof. Marcelo de Oliveira Marques Pró-diretoria de Desenvolvimento de Tecnologias e Inovação

Prof. Marcelo de Oliveira Marques Pró-diretoria de Desenvolvimento de Tecnologias e Inovação Inovação Tecnológica Reflexos e Resultados da Política Industrial de TI nos Institutos de Pesquisa Prof. Marcelo de Oliveira Marques Pró-diretoria de Desenvolvimento de Tecnologias e Inovação O Inatel

Leia mais

SUMÁRIO 1. SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA - UNISOCIESC... 3 2. CINTEC - CONGRESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA... 4

SUMÁRIO 1. SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA - UNISOCIESC... 3 2. CINTEC - CONGRESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA... 4 1 SUMÁRIO 1. SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA - UNISOCIESC... 3 2. CINTEC - CONGRESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA... 4 2.1 Missão... 4 2.2 Objetivos... 4 2.3 Diferencial... 4 2.4 Histórico... 5 2.5

Leia mais

Utilização da Lei de Informática

Utilização da Lei de Informática Utilização da Lei de Informática Índice Digitel S.A. Indústria Eletrônica Produtos Serviços Canais de vendas Principais clientes Administração Informações Gerais Digitel S.A. Indústria Eletrônica Fundada

Leia mais