APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL"

Transcrição

1 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL IMPACTO Auditoria em Saúde S/A Abril de 2016

2 +20 anos de mercado +100 colaboradores 4 escritórios (Curitiba, Belo Horizonte, Florianópolis e Campinas) + 50 Operadoras clientes sendo os maiores projetos em autogestões

3 Alguns clientes atendidos

4 Os Produtos e Serviços CONSULTORIA: Apoio aos gestores de Operadoras de Planos de Saúde e Hospitais para melhoria de eficiência e efetividade do seu negócio. BPO: Terceirização parcial ou total dos serviços de auditoria em saúde

5 Estruturação do ICS Curitiba Gestão do SAS PR (com equipe) Redesenho do plano de saúde dos servidores de Maringá no PR Alguns projetos relevantes de Consultorias Assessoria de gestão completa do IPE Saúde de Sergipe Estruturação, implantação e apoio à gestão do Centro Médico do Santa Rita Saúde

6 Produtos da Consultorias Produto Descrição Clientes GAPs GFH APOPs RHIAS Avaliação, estruturação e acompanhamento de equipes de auditoria das OPS Avaliação, estruturação e acompanhamento dos serviços e processos de auditoria interna nos hospitais Diagnósticos prévios com avaliação de processos e equipes existentes nas áreas de auditoria de OPS e Hospitais Estruturação de Centros Médicos com foco em Atenção Primária UNIMED Franca, UNIHOSP, Santa Rita Saúde Hospital Santa Rita, Erasto Gaertner, Hospital XV Pequeno Principe, UNIHOSP, Marcelino Champagnat Santa Rita Saúde, Aliança Saúde RN 1303 PARAMETRIZAÇÃO Avaliação de rede credenciada para acreditação de OPS Parâmetros de regulação para OPS, com milhares de regras e diferentes tabelas UNIMED Franca CLINIPAM, PAM, UNIMED Uberlândia

7 GAPS Gestão da Auditoria de Planos de Saúde

8

9 Objetivos do GAPS Mapear os processos operacionais da auditoria da Operadora e dos setores que se inter-relacionam diretamente; Avaliar e otimizar a equipe Promover a incorporação do conhecimento às pessoas que estarão envolvidas em todo o processo de auditoria da Operadora; Garantir a aderência aos processos pelas equipes através de controle contínuo da qualidade; Melhorar o nível de informações aos gestores para tomada de decisões.

10 Fases do GAPS APOP Avaliação da Performance Operacional do Plano de Saúde; Implantação do Modelo: Corresponde à implantação do modelo de auditoria da IMPACTO e da validação e aderência aos processos pelos profissionais; Monitoramento e Avaliação: Para monitoramento mensal dos processos que foram implantados, manutenção da parametrização da tabela de honorários e dos manuais técnicos e operacionais

11 Análise da Carteira Atividades APOP Auditoria por amostragem APOP Análise da Rede Análise do Setor da Auditoria

12 Principais resultados já observados GAPS Maior informação da carteira e da rede, comparando com base de dados nacionais Normatização dos processos com base em evidências Padronização das atividades Otimização da equipe: maior eficiência e efetividade

13 Alguns clientes GAPS Santa Rita Saúde IPESAÚDE Sergipe SAÚDE Ideal UNIMED Franca UNIHOSP 13

14 RHIAS Rede Hierarquizada e Integrada de Atenção à Saúde

15 RHIAS Fundamentos Pacient Centered Medical Home (NCQA) Accountable Care Organization Necessidades identificada na Saúde Suplementar Tendência de estruturação de ambulatórios próprios Uso de redes restritas de baixo custo e alta eficácia Busca das Classes C e D Alta utilização de PA pela dificuldade de acesso

16 A importância do RHIAS Possibilita a gestão da informação a partir da integração das informações clínicas do Centro Médico e PGD, ERP da OPS, Saúde Ocupacional, Benefícios Farmacêuticos e outros disponíveis Reorganiza e integra a rede: alto custo assistencial em redes amplas e não integradas Possibilidade de gerenciar a utilização e demanda. Resolve boa parte dos problemas de ACESSO Possibilita focar em ações baseadas nas necessidades dos clientes Gerar VALOR (reduz esforço e aumenta benefícios) Permite implantar conceitos de Pagamento por Performance

17 Premissas do RHIAS Hierarquização do atendimento médico Uso de PRONTUÁRIO ELETRÔNICO Organização do processo horizontal de atenção (pré e pós consulta; referência e contra-referência) Integração com toda a cadeia de valores Inclusive com PGD Carteira de Clientes restrita

18 Alguns Resultados Observados RHIAS Redução do custo médio por consulta 35% de redução do custo médio gerado por consulta Maior aderência dos pacientes crônicos e de alta utilização Nível alto da satisfação do paciente. 95% de satisfação dos usuários 45% do uso do Centro Médico por usuários da rede aberta Maior controle da utilização 70% dos atendimentos concentrado nas especialidades básicas Registro de informações clínicas para maior gestão da carteira Políticas e modelos de remuneração médica baseada na Performance 25% do ganho do médico através de P4P FONTE: Abicalaffe, 2008 e 2009) 18

19 Alguns clientes RHIAS Santa Rita Saúde (modelo parcial) IPESAÚDE Sergipe (modelo parcial) SAÚDE Ideal (modelo parcial) 19

20 Gestão completa do setor de auditoria da CEF PR, SC e CAMPINAS Alguns projetos de BPO em Auditoria em Saúde CARR Sabesprev BPO Auditoria Itaipu BPO Auditoria Volvo (VOAM)

21 GRUPO AUDITORIA Prospectiva TIPO DE AUDITORIA Perícia Médica Perícia Odontológica Parecer Técnico Credenciamento Vistoria de Rede CARR CLIENTES CEFs UNIMED Joinville VOAM Itaipu CONAB CEFs UNIHOSP Mercoplan CEFs SABESPREV Itaipu VOAM CONAB UNIMED Franca CEFs IPESaude CEFs Itaipu CEFs SABESPREV UNIHOSP Itaipu BPO

22 GRUPO AUDITORIA Concorrente Retrospectiva TIPO DE AUDITORIA Auditorias Hospitalares Auditorias Domiciliares Vista de Fechamento in loco Revisão e Processamento de Contas Perícia Pós Operatória CEFs VOAM Itaipu CEFs VOAM Itaipu CEFs VOAM Itaipu CONAB CEFs VOAM Itaipu CONAB CEFs VOAM Itaipu CLIENTES BPO

23

24 CARR Melhor controle e gestão das informações e das infraestruturas Segurança Facilita treinamentos, trocas de informação e conhecimentos Redução expressiva de custo quando comparado com serviço próprio Equipe técnica 3º Nível compartilhada

25 CARR Central de Atendimento ao Usuário Central de Relacionamento com o Prestador Central de Regulação de Eventos

26 CARR Características mínimas comuns Estrutura de telefone 0800 ou 4000 e web 24/7/365 exclusiva e personalizada Gravação e armazenamento das chamadas Retorno aos usuários e prestadores por SMS Equipe (técnicos em saúde, enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas e médicos auditores) Obrigatoriedade de integração com o ERP da Operadora para emissão de senhas ou autorizações

27 CARR Relatórios mínimos disponibilizados 1/2 Dados diários de volume de atendimento; Índices estatísticos de Tempo Médio de Atendimento; Tempo Médio de Espera; Nível de Atendimento; Percentual de Abandono; Quantidade de Senhas Pendentes de Autorização; Quantidade de senhas em fila de espera para análise; Quantidade de senhas pendentes com beneficiário no local; Tempo Médio para autorização da senha; Relatório com quantidade de senhas autorizadas antes, no dia e depois do procedimento;

28 CARR Relatórios mínimos disponibilizados 2/2 Por modalidade: internação, remoção, SAD, quimioterapia, atendimento domiciliar, material especial, terapias (fisio, fono, etc.), procedimentos ambulatoriais; Relatório com total de senhas efetivamente autorizadas e efetivamente negadas, conforme especificações definidas pela SABESPREV; Relatório com tempo de autorização da senha dividido nos intervalos, por modalidade: internação, remoção, quimioterapia, procedimentos ambulatoriais e SAD; Relatório com a identificação dos prestadores que solicitam a senha no dia do exame; Relatório discriminando as senhas autorizadas com o paciente "in loco" e as senhas onde o paciente não se encontrava no local do exame; Relatório diário com senhas emitidas por hospital, beneficiário, diagnóstico, diárias liberadas e modalidade de plano.

29 Central de Atendimento ao Beneficiário Atendimento à RN 395 (14 de Janeiro de 2016) Atendimento à demanda do beneficiário com relação ao seu estado de saúde e a utilização de seus benefícios Tratamento preferencial no caso de urgência e emergência Respeito ao regramento e ao sigilo e privacidade

30 Central de Regulação Parametrização de regras do sistema da OPS, para consistência de cada procedimento, utilizando regras de associação, como: adequação entre sexo e idade, entre sexo e procedimento, necessidade de autorização prévia, perícia, procedimentos únicos, utilizando o histórico de atendimento de cada beneficiário, Associação de procedimentos e incompatibilidades, dentre outros

31 Central de Regulação Níveis diferenciados para regulação: Nível 1: técnicos em saúde para liberação e análise de procedimentos de baixa complexidade Nível 2: Supervisão e enfermagem, para suporte ao Nível 1, análises e cotações de OPMEs, dentre outras Nível 3: Médico auditor, para suporte aos níveis anteriores e atendimento dos casos de maior complexidade (internações, prorrogações, pareceres técnicos para novas tecnologias e pareceres especializados, como oncologia, neurologia, cardiologia, etc).

32 Alguns Resultados Central de Regulação 10 a 15% de economia no processo de regulação 25% de econômica nas regulações de OPME 5% de redução em Auditoria em Oncologia e na Endovascular 5 a 8% de economia da regulação Odontológica 32

33 Alguns clientes BPO CARR CEF Paraná (todos os níveis) CEF Santa Catarina (todos os níveis) CEF Campinas (todos os níveis) VOAM (nível 2 e 3) ITAIPU (nível 2 e 3) SABESPREV (todos os níveis) UNIHOSP (nível 3) 33

34

35 Alguns Resultados BPO Auditorias Concorrentes Otimização das auditorias reduzindo o custo com os auditores em mais de 40%, visto aos parâmetros e metodologia baseada em evidência Até 10% de glosas com consenso 35

36 Alguns clientes BPO Auditorias Concorrentes CEF Paraná, CEF Santa Catarina CEF Campinas VOAM ITAIPU 36

37

38 Alguns Resultados BPO Auditorias Retrospectivas Otimização das auditorias reduzindo o custo com os profissionais em até 60%, visto aos parâmetros e metodologia baseada em evidências Até 15% de glosas com consenso 38

39 Alguns clientes BPO Auditorias Retrospectivas CEF Paraná, CEF Santa Catarina CEF Campinas VOAM ITAIPU CONAB 39

40 Certificações

41 Certificada no Software FACPLAN Certificada no software GPS.2iM Certificada no software da BENNER Certificações

Auditoria Concorrente. Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015

Auditoria Concorrente. Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015 Auditoria Concorrente Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015 UNIMED PORTO ALEGRE 40,7% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS dezembro/2014) Municípios

Leia mais

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED!

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! CONCEITO O Inova Unimed é um movimento de renovação que visa a modernização estrutural, operacional e administrativa da Unimed Vale do Aço. OBJETIVOS SATISFAZER

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA 18 de Novembro de 2016 UNIMED VITÓRIA / ES 328.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 32.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.360 MÉDICOS COOPERADOS; 260 PRESTADORES DE SERVIÇO;

Leia mais

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Carla Sales Ingressou no sistema Unimed em 1995 Unimed do Brasil; Participou dos processos ligados ao atendimento durante a Criação da Central Nacional

Leia mais

Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar

Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar AGENDA 1. A Qualirede 2. Cenário das cobranças e dos pagamentos 3. Dificuldades no faturamento hospitalar 4.

Leia mais

Soluções que facilitam a gestão da saúde

Soluções que facilitam a gestão da saúde Soluções que facilitam a gestão da saúde A Hospidata Mais eficiência na gestão de saúde Empresa do grupo MV, líder brasileira em soluções de tecnologia para gestão da saúde, a Hospidata oferece um portfólio

Leia mais

COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016

COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016 COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016 Conceito É o conjunto de profissionais e estabelecimentos de saúde, incluindo médicos, consultórios, laboratórios, clínicas e hospitais,

Leia mais

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca Agenda Regulatória ANS Debates GVSaúde João Luis Barroca Secretário Executivo da ANS São Paulo, 05 de novembro de 2012 Evolução do Processo de Regulação Até 1997 1997 1998 1999 2000 Debates no Congresso

Leia mais

O Pagamento por Performance Como Viabilizar no Cenário Atual

O Pagamento por Performance Como Viabilizar no Cenário Atual O Pagamento por Performance Como Viabilizar no Cenário Atual Por: Dr. César Abicalaffe cesar.abicalaffe@2im.com.br Desmistificando o P4P Uso de incentivos em Saúde Como implantar um modelo de P4P Alguns

Leia mais

PORTARIA Nº 210 DE 15 DE JUNHO DE 2004

PORTARIA Nº 210 DE 15 DE JUNHO DE 2004 PORTARIA Nº 210 DE 15 DE JUNHO DE 2004 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, e Considerando a Portaria 1.169/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção

Leia mais

TISS S S ver e sã s o ã Junho/2012

TISS S S ver e sã s o ã Junho/2012 TISS versão 3.0 Junho/2012 Conceitos Básicos TISS Troca de Informação em Saúde Suplementar Componentes do Padrão: I. Conteúdo e Estrutura II. Representação de Conceitos em Saúde III. Segurança e Privacidade

Leia mais

Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar

Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Instruções para preenchimento Grupo 5 - Clínicas e Laboratórios Unimed Sorocaba Cooperativa de Trabalho Médico Av. Pres. Juscelino Kubitscheck de Oliveira,

Leia mais

PLANO DE SAÚDE MANUAL DO CREDENCIADO

PLANO DE SAÚDE MANUAL DO CREDENCIADO Vitallis PLANO DE SAÚDE MANUAL DO CREDENCIADO Apresentação É com grande satisfação que iniciamos parceria. A Vitallis Saúde é classificada na modalidade Medicina de Grupo, tem cobertura nacional e é uma

Leia mais

RESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO DA UNIMED-BH. Área temática: Gestão pela Qualidade Total

RESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO DA UNIMED-BH. Área temática: Gestão pela Qualidade Total RESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO DA UNIMED-BH. Área temática: Gestão pela Qualidade Total Ana Cláudia Mendes ana.cmendes@unimedbh.com.br Francisco Junior francisco.junior@unimedbh.com.br

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Padrão TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar

Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Padrão TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Padrão TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Padrão Projeto TISS Sistema suplementar - Operadoras SIB, SIP,RPS,DIOPS Operadoras TISS -

Leia mais

RN 277 Programa de Acreditação. de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde

RN 277 Programa de Acreditação. de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde RN 277 Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde Disposições Preliminares Objetivo da RN 277: Incentivar a melhoria continuada na qualidade assistencial da saúde suplementar.

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE VENDAS

ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE VENDAS Atenção Primária à Saúde A experiência da Unimed-BH Triple Aim Como está nosso modelo tradicional de plano de saúde nestes 3 quesitos? Custos do cuidado http://www.iess.org.br/?p=publicacoes&id_tipo=13

Leia mais

Auditoria Farmacêutica. Unimed Federação Minas

Auditoria Farmacêutica. Unimed Federação Minas Auditoria Farmacêutica Unimed Federação Minas Unimed Federação Minas REPRESENTATIVIDADE POLÍTICO-INSTITUCIONAL 3 Milhões de clientes 56% de participação de mercado 16.530 cooperados NÚMEROS 61 Cooperativas

Leia mais

Manual Guias -Padrão TISS 3.02

Manual Guias -Padrão TISS 3.02 Unimed Caçapava Cooperativa de Trabalho Médico Manual Guias -Padrão TISS 3.02 Para uso interno Departamento de Faturamento Setembro/2014 Padrão TISS 3.0 A versão 3.0 do Padrão TISS complementa o processo

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS GUIAS ANEXAS E CONFIRMAÇÃO DA INTERNAÇÃO 1) Quais mudanças ocorreram com o processo de autorizações de procedimentos? A Postal Saúde implantou a versão TISS 3.03.02 Guias Anexas e

Leia mais

Sistemáticas de remuneração dos hospitais que atuam na Saúde Suplementar: Diretrizes e Rumos Dr. Jair Monaci Dr. Sérgio Vieira

Sistemáticas de remuneração dos hospitais que atuam na Saúde Suplementar: Diretrizes e Rumos Dr. Jair Monaci Dr. Sérgio Vieira Sistemáticas de remuneração dos hospitais que atuam na Saúde Suplementar: Diretrizes e Rumos Dr. Jair Monaci Dr. Sérgio Vieira 09/03/12 Criação do Grupo Técnico sobre Modelos de Remuneração 28/01/10: ANS

Leia mais

Auditoria em Fisioterapia

Auditoria em Fisioterapia Segundo Ministério da Saúde a Fisioterapia se enquadra no nível de média complexidade de atenção à saúde. Pouco lembrada no Sistema Unimed. Quando um beneficiário reconhece a importância de ter um plano

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FGV CORPORATIVO 12.227/14_v3 QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas (**) Carga Horária (*) 1. Cooperativismo e Administração de Serviços

Leia mais

Gestão de Custos Assistenciais. Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná

Gestão de Custos Assistenciais. Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná Gestão de Custos Assistenciais Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná 2 Gestão de Custos Assistenciais Atenção à Saúde Interação entre as áreas de Contratos e da Atenção à Saúde

Leia mais

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos 15/03/2017 Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos Modelo Adotado Grupo São Lucas Ribeirania Ribeirão Preto Dr Pedro Antonio Palocci o Médico Pediatra formado pela XXIIIª Turma da FMRP-USP 1979

Leia mais

PADRÃO TISS. Cléia Delfino do Nascimento Representante da SBPC/ML no COPISS

PADRÃO TISS. Cléia Delfino do Nascimento Representante da SBPC/ML no COPISS Fonte: www.ans.gov.br TISS Troca de Informação em Saúde Suplementar PADRÃO TISS Cléia Delfino do Nascimento Representante da SBPC/ML no COPISS cleia@sluzia.com.br Conceito É um padrão de Troca de Informação

Leia mais

Recursos Próprios 2013

Recursos Próprios 2013 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná

Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná Roteiro Cenário da Unimed Paraná; Abordar a relevância do Tema; Apresentar algumas Propostas de ações para

Leia mais

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras 22/07/2015 4º no Ranking nacional Medicina de Grupo 1º Empresa

Leia mais

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA APRESENTAÇÃO COMERCIAL O NEGÓCIO SISTEMA UNIMED SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA Qualidade comprovada Top of Mind (Plano mais lembrado pela sociedade), Certificação ONA Nível 3 (Acreditação de Excelência

Leia mais

Sustentabilidade da Saúde Suplementar

Sustentabilidade da Saúde Suplementar Sustentabilidade da Saúde Suplementar Rafael Pedreira Vinhas Gerente-Geral Gerência-Geral Regulatória da Estrutura dos Produtos Fórum de Regulação do Sistema Unimed - Maceió, 11 de maio de 2016. Agência

Leia mais

Processo de Certificação. Grupo PMQ

Processo de Certificação. Grupo PMQ Processo de Certificação da Operadora RN 277 Grupo PMQ UNIMED São José do Rio Preto Cooperados 1391 Clínicas 137 Hospitais 27 Sendo 14 Santa Casas e 13 Hospitais privados Serviços de Diagnose 111 Laboratórios

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar. Padrão TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar

Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar. Padrão TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar Troca de Informações em Saúde Suplementar INSTRUÇÕES GERAIS Este manual tem como finalidade instruir todos os prestadores de serviço no preenchimento

Leia mais

Ricardo Augusto Bordin Guimarães Auditoria Administrativa Hospitalar ricardo@rgauditoria.com.br (51) 9841.7580 www.rgauditoria.com.br www.twitter.com/ricardorgaud Qualidade e Gestão em Saúde através da

Leia mais

O Desafio do Prontuário Eletrônico

O Desafio do Prontuário Eletrônico O Desafio do Prontuário Eletrônico SOUZA J. G. A.; BOULANGER A.; LANDSBERG.G. Unimed-BH INTRODUÇÃO Contexto e Porte da Rede Núcleos de Atenção à Saúde Atenção Domiciliar Unimed Maternidade Unimed Centro

Leia mais

João Monlevade. O que é o TISS?

João Monlevade. O que é o TISS? O que é o TISS? O TISS é a sigla para Troca de Informações em Saúde Suplementar Instituído pela RN 114, de 26/10/2005 Modelos de guias definidos pela IN 17, de 10/11/2005 TODAS AS OPERADORAS DE SAÚDE IRÃO

Leia mais

Fluxo Atendimento - Autorizador HILUM Hospital São José.

Fluxo Atendimento - Autorizador HILUM Hospital São José. Fluxo Atendimento - Autorizador HILUM Hospital São José. 1. Identificação do Cliente (beneficiário) Beneficiário não identificado: Cliente Unimed Santos: contatar a Central de Atendimento Unimed telefone:

Leia mais

Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar

Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar Terceirização de Mão de Obra: Modelos de Contratação Frente as Exigências de Mercado Rosana Margarete de Freitas Vieira Diretora Executiva da Med Lar Internações

Leia mais

Gestão eficiente e integrada

Gestão eficiente e integrada Gestão eficiente e integrada Philips Tasy para Operadoras de Planos de Saúde Controle e eficiência operacional O sistema Philips Tasy disponibiliza inúmeras ferramentas que permitem aos gestores um controle

Leia mais

COMISSÃO PARITÁRIA DIAGNÓSTICO DA POSTAL SAÚDE - ACT 2016/2017. Novembro/2016

COMISSÃO PARITÁRIA DIAGNÓSTICO DA POSTAL SAÚDE - ACT 2016/2017. Novembro/2016 COMISSÃO PARITÁRIA DIAGNÓSTICO DA POSTAL SAÚDE - ACT 2016/2017 Novembro/2016 SUMÁRIO Responsabilidades Correios Regulamentação Interna - MANPES Estrutura Operacional da Postal Saúde CorreiosSaúde em Números

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

TISS. Troca de Informações em Saúde Suplementar MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA REDE CREDENCIADA PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS

TISS. Troca de Informações em Saúde Suplementar MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA REDE CREDENCIADA PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA REDE CREDENCIADA PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS 2007 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 03 2. INFORMAÇÕES CONTATOS... 03 3. APRESENTAÇÃO... 04

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

TISS PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR. Regras de negocio. JORNADA NACIONAL de SAÚDE SUPLEMENTAR para HOSPITAIS E OPERADORAS

TISS PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR. Regras de negocio. JORNADA NACIONAL de SAÚDE SUPLEMENTAR para HOSPITAIS E OPERADORAS JORNADA NACIONAL de SAÚDE SUPLEMENTAR para HOSPITAIS E OPERADORAS Regras de negocio TISS PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR CONCEITO As funções de Estado são fundamentais para a regulação

Leia mais

Ferramentas Institucionais

Ferramentas Institucionais Ferramentas Institucionais Agenda. Intercâmbio. Fluxo de Autorização. Adaptação às mudanças. Os projetos do Intercâmbio Eletrônico. Evolução do sistema Unimed. Cobrança X Contestação Intercâmbio. Diferencial

Leia mais

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 GNT Saúde Suplementar Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 DRG e sua aplicabilidade na Saúde Suplementar GOLDETE PRISZKULNIK Executiva Médica em Gestão

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE RISCOS

GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE RISCOS FÓRUM DE PRESIDENTES DO SISTEMA UNIMED Central Nacional Unimed GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE RISCOS SÃO PAULO AGO/2012 UNIMED SANTA CATARINA Edevard J de Araujo Presidente SISTEMA UNIMED EM SANTA

Leia mais

Prontuário. Sistema Unimed. Dr. Antonio Cesar Azevedo Neves Diretor de Tecnologia da Informação

Prontuário. Sistema Unimed. Dr. Antonio Cesar Azevedo Neves Diretor de Tecnologia da Informação Prontuário Eletrônico no Sistema Unimed Dr. Antonio Cesar Azevedo Neves Diretor de Tecnologia da Informação Sistema Unimed Sistema Unimed 16,5 milhões de clientes 109 mil médicos cooperados 73 mil empresas

Leia mais

PORTARIA DG Nº 323 /2012

PORTARIA DG Nº 323 /2012 PORTARIA DG Nº 323 /2012 Estabelece o fluxograma de tramitação da solicitação de credenciados para a autorização de procedimento de assistência à saúde e de órteses, próteses e materiais especiais, no

Leia mais

Sistemática de Auditoria Interna Postal Saúde AUDIN. Dezembro/2016

Sistemática de Auditoria Interna Postal Saúde AUDIN. Dezembro/2016 Sistemática de Auditoria Interna Postal Saúde AUDIN Dezembro/2016 1 Órgãos de Controle da PS CONTOLE EXTERNO Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS Lei 9.656 - Dispõem sobre os planos e seguros privados

Leia mais

REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE. Diretoria de Tecnologia e Sistemas

REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE. Diretoria de Tecnologia e Sistemas REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE Diretoria de Tecnologia e Sistemas Maio/2013 AGENDA OBS. USO DA TI NA QUALIDADE ASSISTENCIAL EXEMPLO Número de reinternações no mesmo hospital com o mesmo diagnóstico por um

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 267, DE 24 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 267, DE 24 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 267, DE 24 DE AGOSTO DE 2011 Institui o Programa de Divulgação da Qualificação de Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar. [Índice] [Correlações] A Diretoria Colegiada

Leia mais

Manual de navegação ao Portal AMS TISS

Manual de navegação ao Portal AMS TISS Manual de navegação ao Portal AMS TISS Sumário Página Inicial... 3 Item de menu: Beneficiário Validação... 9 Item de Menu: Autorização... 11 Item de Menu: Digitação de Faturamento... 24 Item de Menu: Transferência

Leia mais

Prefeitura de Goiânia Secretaria Municipal de Saúde Processo N.º

Prefeitura de Goiânia Secretaria Municipal de Saúde Processo N.º Prefeitura de Goiânia Secretaria Municipal de Saúde Processo N.º 30.373.294 Extrato Partícipes: IDTECH e o Município de Goiânia-GO Órgão Supervisor: SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE GOIÂNIA Objeto Principal

Leia mais

Comissão Paritária ACT 2016/2017. Plano de Saúde dos Empregados dos Correios. CorreiosSaúde

Comissão Paritária ACT 2016/2017. Plano de Saúde dos Empregados dos Correios. CorreiosSaúde Comissão Paritária ACT 2016/2017 Plano de Saúde dos Empregados dos Correios CorreiosSaúde Referência: ACT 2016/2017 Clausula 28 e PRT/PRESI 206/2016. Tema: Modelo de Gestão do Plano de Saúde Demanda: Comparar

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Rede de Prestadores Fachesf FACHESF. Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Rede de Prestadores Fachesf FACHESF. Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social MANUAL DE INSTRUÇÕES Rede de Prestadores Fachesf FACHESF Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social Ficha Técnica: Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social - Fachesf Coordenação Técnica:

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

Atendimento. Cadastramento de Guias; Saída da clínica (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 20/08/2014

Atendimento. Cadastramento de Guias; Saída da clínica (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 20/08/2014 Treinamento Grupo IV Prestadores PJ Cadastramento de Guias; Atendimento Saída da clínica (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 1 Atendimento Status dos Procedimentos Status NEGADO, verificar

Leia mais

Anexo III Documentos, informações e regras necessárias para análise de autorização de serviços/itens relacionados ao atendimento Ambulatorial.

Anexo III Documentos, informações e regras necessárias para análise de autorização de serviços/itens relacionados ao atendimento Ambulatorial. São Paulo, 2016. Caro Prestador, Para melhor atendê-los e reforçar o compromisso da Seguros Unimed com seus clientes, expomos nesse comunicado algumas regras importantes relativas aos processos de autorizações,

Leia mais

A Informatização da Auditoria Concorrente Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo

A Informatização da Auditoria Concorrente Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo A Informatização da Auditoria Concorrente Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo UNIMED Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP) UNIMED Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP) UNIMED Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP)

Leia mais

Resolução Normativa RN n 395/2016

Resolução Normativa RN n 395/2016 Resolução Normativa RN n 395/2016 Rodrigo Aguiar Gerente Geral de Assessoramento da Diretoria de Fiscalização Rio de Janeiro, janeiro de 2016. O que apresentamos aqui? Resolução Normativa RN n 395/2015,

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 Altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde, para tornar obrigatória a cobertura de assistência

Leia mais

Negociações Integradas de OPME para Obtenção de Resultados

Negociações Integradas de OPME para Obtenção de Resultados Negociações Integradas de OPME para Obtenção de Resultados Sr. Jorge Luiz Gonçalves Coordenador Técnico do Comitê Técnico de Materiais Unimed Mercosul Coordenador Técnico do Comitê Técnico Nacional de

Leia mais

REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE CONECTIVIDADE E INFORMAÇÃO ON-LINE NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE

REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE CONECTIVIDADE E INFORMAÇÃO ON-LINE NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE REGISTRO ELETRÔNICO DE SAÚDE CONECTIVIDADE E INFORMAÇÃO ON-LINE NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE Clique para editar Marizélia o nome Leão do Moreira autor Gerente da Gerência Executiva de Clique Padronização

Leia mais

Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento.

Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento. Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento. Ricardo Ayache Diretor de Comunicação da Unidas Presidente da Caixa

Leia mais

metas do plano de trabalho

metas do plano de trabalho Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação Acompanhamento das metas do plano de trabalho 2016 Acompanhamento das metas do plano de trabalho 2016 1º semestre 2016 Conforme

Leia mais

Manual de Instruções TISS

Manual de Instruções TISS Manual de Instruções TISS Introdução A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar - TISS para registro e intercâmbio de dados entre operadoras de planos privados de assistência

Leia mais

JUNTA MÉDICA: ORIENTAÇÕES PARA A ANÁLISE DAS DEMANDAS NIP ASSISTENCIAIS

JUNTA MÉDICA: ORIENTAÇÕES PARA A ANÁLISE DAS DEMANDAS NIP ASSISTENCIAIS JUNTA MÉDICA: ORIENTAÇÕES PARA A ANÁLISE DAS DEMANDAS NIP ASSISTENCIAIS Junta médica: normativos CONSU 8/98 De acordo com o Art. 4º, inciso V, da Resolução CONSU 08/1998, as operadoras de planos privados

Leia mais

ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED VITÓRIA

ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED VITÓRIA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED VITÓRIA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR CIAS CENTRO INTEGRADO DE ATENÇÃO A SAÚDE UNIMED DIAGNÓSTICO SOS CONCEITO FORNECER SERVIÇOS, EQUIPAMENTOS, MATERIAIS E MEDICAMENTOS AO USUÁRIO

Leia mais

42,5% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS Setembro/2016) 6,3 mil. 720 mil. 359 pontos de atendimento UNIMED PORTO ALEGRE

42,5% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS Setembro/2016) 6,3 mil. 720 mil. 359 pontos de atendimento UNIMED PORTO ALEGRE UNIMED PORTO ALEGRE 42,5% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS Setembro/2016) Municípios em sua área de atuação 6,3 mil médicos cooperados Mais de 720 mil clientes 359 pontos de

Leia mais

Guias TISS As condições de preenchimento dos campos são: 1.Obrigatório: a situação na qual o termo deve ser preenchido, incondicionalmente;

Guias TISS As condições de preenchimento dos campos são: 1.Obrigatório: a situação na qual o termo deve ser preenchido, incondicionalmente; Guia Guias TISS 3.02.01 No TISS 3.02.00 a ANS definiu novo layout para troca de informações entre operadoras e prestadores de serviços, na autorização, cobrança, demonstrativos de pagamento e recurso de

Leia mais

Desafios e Oportunidades na Logística Hospitalar. Fernando Andreatta Torelly Diretor Executivo

Desafios e Oportunidades na Logística Hospitalar. Fernando Andreatta Torelly Diretor Executivo Desafios e Oportunidades na Logística Hospitalar Fernando Andreatta Torelly Diretor Executivo O Mercado de Saúde Mudou O Brasil viveu anos de desenvolvimento econômico; Este desenvolvimento gerou melhoria

Leia mais

Intercâmbio Eletrônico Diretoria de Integração Cooperativista e Mercado Dr. Valdmário Rodrigues Jr

Intercâmbio Eletrônico Diretoria de Integração Cooperativista e Mercado Dr. Valdmário Rodrigues Jr Intercâmbio Eletrônico Diretoria de Integração Cooperativista e Mercado Dr. Valdmário Rodrigues Jr Clientes no Intercâmbio Intercâmbio Eletrônico Nacional Intercâmbio Um diferencial da marca e um desafio

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde DESENVOLVIMENTO DA GESTÃO DO TRABALHO E SAÚDE DO TRABALHADOR DA SAÚDE Adryanna Saulnier Bacelar Moreira Márcia Cuenca

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 001.1/2009

ORDEM DE SERVIÇO Nº 001.1/2009 1 DIRETORIA DE SAÚDE GABINETE ORDEM DE SERVIÇO Nº 001.1/2009 Dispõe sobre a implantação da Auditoria Eletrônica de Contas. O DIRETOR DE SAÚDE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

Manual de Preenchimento dos formulários da TISS. Versão

Manual de Preenchimento dos formulários da TISS. Versão Manual de Preenchimento dos formulários da TISS Versão 3.02.00 Agosto/2014 u Página 2 de 58 Sumário Instruções Gerais... 4 Guia de Consulta... 5 Guia de Serviço Profissional/Serviço Auxiliar de Diagnóstico

Leia mais

Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2

Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2 Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2 Pré requisito: O sistema WebPlan está homologado para os seguintes navegadores de internet: - Microsoft Internet Explorer Versão 9 ou superior. - Google

Leia mais

Atendimento. Cadastramento de Guias; Saída do consultório (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 20/08/2014

Atendimento. Cadastramento de Guias; Saída do consultório (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 20/08/2014 Treinamento Grupo I - Oncologia Cadastramento de Guias; Atendimento Saída do consultório (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 1 Atendimento Status NEGADO, verificar o motivo! Atendimento

Leia mais

Qualificação das Operadoras

Qualificação das Operadoras Qualificação das Operadoras Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS QualiHosp Congresso Internacional de Qualidade em Serviços e Sistemas de Saúde São Paulo - SP Junho de 2013 Sumário 1 Introdução

Leia mais

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 12/5/2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Unimed no Estado de São Paulo Singulares - 73 Intrafederativas - 6 Federação

Leia mais

Especificação de Produtos do Plano Brasil de Saúde. Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Especificação de Produtos do Plano Brasil de Saúde. Universidade Federal de Uberlândia - UFU Especificação de Produtos do Plano Brasil de Saúde Universidade Federal de Uberlândia - UFU PLANOS COM ABRANGÊNCIA NACIONAL AMIL ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL S.A. a) Plano Básico (Amil 120) Plano Ambulatorial

Leia mais

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 Robsmeire Calvo Melo Zurita 1 ; Alessandra Massi Puziol Alves 2 Neide Barboza Lopes 3 INTRODUÇÃO: No Brasil ainda

Leia mais

Objetivo. Orientar a SEDE quanto ao processo de parametrização das tabelas do Sistema Operacional CASSI SOC quando da entrada da versão TISS 3.0.

Objetivo. Orientar a SEDE quanto ao processo de parametrização das tabelas do Sistema Operacional CASSI SOC quando da entrada da versão TISS 3.0. Parametrização Objetivo Orientar a SEDE quanto ao processo de parametrização das tabelas do Sistema Operacional CASSI SOC quando da entrada da versão TISS 3.0. Carência Nas carências já cadastradas, o

Leia mais

SERVIÇO DE ATENÇÃO AO PORTADOR DE OBESIDADE GRAVE

SERVIÇO DE ATENÇÃO AO PORTADOR DE OBESIDADE GRAVE Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE PSICOLOGIA POP nº 04 PSI/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina SERVIÇO DE ATENÇÃO AO PORTADOR

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO GUIAS TISS

SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO GUIAS TISS SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO GUIAS TISS 3.02.00 1 Campos obrigatórios das guias Os campos com preenchimento obrigatório possuem um asterisco antes do nome do campo. Tabelas de

Leia mais

Um mundo Tyco de soluções

Um mundo Tyco de soluções Um mundo Tyco de soluções VENDAS VENDAS Safer. Smarter. Tyco. // Quem somos Tyco Integrated Security lidera o mercado de performance de loja, prevenção de perdas, soluções de segurança e gerenciamento

Leia mais

Organograma UDI Hospital

Organograma UDI Hospital Organograma UDI Hospital ASSEMBLÉIA DOS SÓCIOS CONSELHO CONSULTIVO Centro de Estudos Ensino e Pesquisa CONSELHO FISCAL/ AUDITORIA INDEPENDENTE COMISSÃO DE ÉTICA MÉDICA UDI HOSPITAL SUPERINTENDÊNCIA DIRETOR

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 31/07/2014 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2

Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2 Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2 Pré requisito: O sistema WebPlan está homologado para os seguintes navegadores de internet: - Microsoft Internet Explorer Versão 9 ou superior. - Google

Leia mais

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas.

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas. Setor: Escritório da Qualidade Pág. 1 de 10 Código:.QLD.NOR.002 Versão: 00 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3. SIGLAS UTILIZADAS... 2 4. GLOSSÁRIO / CONCEITOS... 2 5.

Leia mais

Cronograma de Educação Permanente 2016

Cronograma de Educação Permanente 2016 Cronograma de Educação Permanente 2016 JANEIRO FEVEREIRO Atendimento ao cliente s Favorecer diálogos sobre boas práticas de atendimento ao cliente. quimioterapia, equipe do SAME e colaboradores. MARÇO

Leia mais

Manual de Instruções CAMED SAÚDE

Manual de Instruções CAMED SAÚDE Manual de Instruções CAMED SAÚDE Janeiro/2015 1 Sumário 1. Introdução... 5 2. Orientações Gerais... 6 2.1 Entrega de guias... 6 2.2 Numeração de guias... 6 2.3 Pacotes - Autorização e cobrança... 6 3.

Leia mais

Manual de preenchimento das Guias TISS

Manual de preenchimento das Guias TISS Manual de preenchimento das Guias TISS (Troca de informações em Saúde Suplementar) Página 1 de 21 Guia de Consulta Legenda: Campos de preenchimento obrigatório 1, 2, 4, 6, 7, 9, 10, 11, 13, 14, 15, 16,

Leia mais

Regulação em Saúde no SUS e o Pacto Federativo.

Regulação em Saúde no SUS e o Pacto Federativo. Cláudio Tavares - Diretor de Regulação, Avaliação e Controle da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (DRAC/SMS) Regulação em Saúde no SUS e o Pacto Federativo. Experiência do Município de Goiânia no

Leia mais

( ) O envio de contas como sendo primeira apresentação a fim de realizar a auditoria analítica ao convênio é denominado recurso de glosa

( ) O envio de contas como sendo primeira apresentação a fim de realizar a auditoria analítica ao convênio é denominado recurso de glosa 1) Marque V (verdadeiro) ou F (falso) ( ) Podemos conceituar GLOSA como sendo: A rejeição total ou parcial de recursos financeiros, com conseqüentes cancelamentos de verbas de uma conta ou orçamento. (

Leia mais