SLC0621 Biologia II. Profa. Ana Paula 2017

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SLC0621 Biologia II. Profa. Ana Paula 2017"

Transcrição

1 SLC0621 Biologia II Profa. Ana Paula 2017

2 Disciplina SLC0621 Biologia II Dia Programa 03/ago Poríferos e Cnidários 10/ago Platelmintos e Rotíferos 17/ago Nematódeos e Moluscos 24/ago Anelídeos 31/ago Artrópodes I (Quelicerados e Crustáceos) 07/set Feriado (Independência) 14/set Artrópodes II (Miriápodos e Insetos) 21/set Semana da Licenciatura 28/set Artrópodes (Insetário) 05/out Prova 1 (Teórica e Prática) 12/out Feriado (N. Sra. Aparecida) 19/out Equinodermos 26/out Cordados I 02/nov Feriado (Finados) 09/nov Cordados II 16/nov Sistema Sensorial e Cardiovascular 23/nov Sistema Digestório e Respiratório 30/nov Sistemas Excretor e Reprodutor 07/dez Prova 2 (Teórica)

3 AVALIAÇÃO Média final = 0,8 x (Média das 3 provas) + 0,2 x (Média dos relatórios) O aluno deverá ter, no mínimo, média final 5,0 para ser aprovado. A frequência mínima necessária para aprovação é de 70%, tanto nas aulas teóricas como práticas. Os relatórios das aulas práticas deverão ser entregues ao final da aula, impreterivelmente. Não haverá prova substitutiva nesta disciplina. Haverá prova de recuperação no período determinado pelo calendário escolar. A prova de recuperação incluirá o conteúdo de todo semestre.

4 Introdução ao Reino Animal Profa. Dra. Ana Paula Biologia II (SLC0621) Grupo de Biofísica Molecular - IFSC-USP

5 Divisão dos seres vivos em 5 reinos proposta por Robert H. Whittaker (1969)

6 Comparações entre sequências de RNA ribossomal por Carl R. Woese (1978) elevou os 3 tipos de células em 3 Domínios Tortora et al., Microbiologia 6ª Edição, 2000

7 Comparações entre seqüências de RNA ribossomal por Carl R. Woese (1978) elevou os 3 tipos de células em 3 Domínios Organismos são classificados pelo tipo de célula em 3 domínios; Além da diferença no RNAr, os 3 domínios diferem em: estrutura de membrana lipídica, moléculas de RNA de transferência e sensibilidade aos antibióticos

8 Reino Animal pertence ao Domínio Eucarya 2 grandes grupos Invertebrados (95%) 1,5 milhão de espécies animais descritas Vertebrados (5%) Sem espinha dorsal! Nosso estudo: invertebrados mais primitivos para compreender a ascendência dos vertebrados

9

10 Características Gerais dos Animais Reino Animal: organismos eucariotos, multicelulares, heterótrofos (por ingestão/absorção). Filogenia do Reino Animal é baseada em características como: Níveis De Organização Do Corpo Simetria Disposição Das Estruturas Relacionadas À Digestão Número De Folhetos Germinativos Presença Do Celoma

11 1. Níveis de Organização do Corpo zigoto organismo multicelular mitoses Sub-reino PARAZOA: (do grego para, ao lado de ou junto a + zoon, animal) subreino de animais sem tecidos definidos - único filo: Porifera Sub-reino EUMETAZOA (eu = verdadeiro): sub-reino que inclui todas as espécies animais de formas multicelulares caracterizadas por um sistema digestivo e camadas separadas de células que são diferenciadas em vários tecidos.

12 2. Simetria Assimétrico Simetria Radial (Radiados) Simetria Bilateral (Bilatéria) Simetria na fase: Embrionária = Primária Adulta = Secundária

13 Sem simetria (Placozoa)

14 3. Disposição das estruturas relacionadas à digestão Rede de canais (exclusivo das esponjas) Tubo uma abertura (trato digestivo incompleto) Típico dos Cnidários e platelmintos duas aberturas (completo) - demais bilatérias PROTOSTÔMIOS (do grego proto: "primeiro" / stoma: "boca") X DEUTEROSTÔMIOS (do grego deuteros, posterior + stoma, boca)

15 Primeira abertura do tubo digestivo surgida durante o desenvolvimento embrionário

16 4. Número de folhetos germinativos e presença de celoma Diblásticos ou Triblásticos Ectoderme e endoderme + mesoderme Celoma: cavidade interna do corpo que é totalmente delimitada pela mesoderme (peritônio) Entre os triblásticos podemos encontrar: ACELOMADOS PSEUDOCELOMADOS CELOMADOS

17 Celoma

18 Reino Animal Porifera e Cnidários Profa. Ana Paula IFSC, 2017

19 bilatérias, triblásticos Radiados, diblásticos

20 Filo PORIFERA + de 5000 sp do latim: porus=poro; ferre=possuir Animais mais primitivos Não há tecidos verdadeiros, diblásticos Ausência de órgãos e baixo nível de diferenciação celular Simetria radial ou assimétricos Vida solitária ou em colônias Sésseis e na maioria marinhos Aristóteles os considerava plantas!!!!!!!! 1765: descobertas correntes de água internas

21 Filo PORIFERA

22 Filo PORIFERA Estrutura Dimensões variadas: Padrão de crescimento de acordo com substrato e correntes. Cores variadas e fortes (sugestivo de proteção contra radiação solar ou advertência) Mas o que há em comum???!! SISTEMA DE CANAIS para a circulação de água.

23 Filo PORIFERA

24 flagelo colarinho ósculo coanócito núcleo Poro inalante Espícula átrio Pinacócito amebócito Mesênquima porócito Fluxo de água: Meio externo à poro inalante à átrio à ósculo à meio externo

25 Coanócitos Células que caracterizam o grupo; Apresentam um flagelo circundado por um colarinho contrátil; Localizada do lado interno do animal, revestindo a cavidade do átrio Função: promover uma corrente de água dentro do átrio

26 flagelo colarinho ósculo coanócito núcleo Poro inalante Espícula átrio Pinacócito amebócito Mesênquima porócito Fluxo de água: Meio externo à poro inalante à átrio à ósculo à meio externo

27 Pinacócitos Células achatadas que formam a superfície externa do corpo; As margens dos pinacócitos podem ser expandidas ou contraídas de forma que o animal pode aumentar ligeiramente de tamanho; Secretam um material que fixa a esponja ao substrato Esqueleto Espículas calcáreas ou silicosas (formas variadas); Fibras protéicas de espongina (esponjas de banho!)

28 Espículas Formas variadas à formam o esqueleto e são importantes para identificação e classificação das espécies

29 Células amebóides no mesênquima Arqueócitos Células fagocitárias (digestão) e são totipotentes Esclerócitos - secretam espículas Células fixas Colêncitos - ancoradas por longas fitas citoplasmáticas, responsáveis pela secreção das fibras de colágeno dispersas

30 Tipos estruturais segundo o arranjo interno de canais Asconóides Siconóides ou tipo Sycon Leuconóides

31 ASCONÓIDES (ou tipo Ascon) Esponjas mais simples e primitivas (não há canais); Pequenas; Superfície perfurada (poros inalantes); Àrea recoberta por Coanócitos é pequena e a circulação de água é prejudicada Quanto maior a esponja, mais intenso é o problema do movimento da água

32 Siconóides ou tipo Sycon ósculo Átrio Apresentam dobramento do corpo; Produz bolsas externas estendendose para dentro ; Evaginações que se estendem para fora a partir do átrio.

33 Leuconóides Mais alto grau de dobramento do corpo; Canais flagelares formam câmaras arredondadas; Átrio reduzido ou desaparece

34

35 FISIOLOGIA DAS ESPONJAS Correntes de água trazem: oxigênio/alimentos removem: detritos transportam: óvulos e espermatozóides Uma esponja leuconóide com: 10 cm de altura x 1 cm de diâmetro pode bombear 22,5 litros de água/dia

36 80% material particulado fino Alimentação 20% bactérias, dinoflagelados, pequenos seres planctônicos partículas poros câmaras coanócitos amebócitos detritos eliminados digestão intracelular por correntes de água

37 Fisiologia das esponjas Trocas gasosas: simples difusão água/célula Regulação da água nas esponjas de água doce: vacúolos contráteis Excretas nitrogenadas (Amônia) saem do organismo junto com a corrente de água à não há sistema circulatório. Não há sistema nervoso reações principalmente locais Coordenação é em função da transmissão de substâncias mensageiras (difusão no mesênquima ou por células amebóides se locomovendo)

38 Reprodução Em Poríferos Sexuada e assexuada Assexuada Regeneração (fragmentos regeneram-se) Arqueócitos são essenciais Brotamento (expansões laterais = brotos) Gemulação (formam estruturas reprodutoras chamadas gêmulas)

39 Reprodução Em Poríferos Assexuada: gemulação Formam-se gêmulas grupo de amebócitos/arqueócitos indiferenciados + envoltório espícula micrópila Massa de arqueócitos

40 Reprodução Sexuada em Poríferos Maioria é hermafrodita Gametas gerados a partir de amebócitos ou coanócitos espermatozóides saem pelo ósculo penetram pelos poros em esponja capturados pelos coanócitos amebócitos encontram o óvulo no meso-hilo Fecundação larva ciliada outra

41 AS CLASSES DE ESPONJAS Cerca de espécies de esponjas descritas Divididas em 4 classes: 1) Classe Calcarea 2) Classe Hexactinellida 3) Classe Demonspogiae 4) Classe Sclerospongiae

42 AS CLASSES DE ESPONJAS 1. CALCÁREA Tem espículas de CaCO 3 Tem os 3 graus de estrutura: Ascon, Sycon e Leucon. A maioria é pequena (< 10 cm) e de águas rasas

43 AS CLASSES DE ESPONJAS 2. HEXACTINELLIDA esponjas-de-vidro Espículas silicosas com 6 pontas; Forma dominante: siconóide; Habitam águas profundas (450 a 900 m); Marinhas Ósculo pode ser coberto por placa crivada formada por espículas fundidas Ex. Euplectella sp

44 2. HEXACTINELLIDA esponjas-de-vidro Euplectella e Spongicola

45 AS CLASSES DE ESPONJAS 3. DEMOSPONGIAE (90% das esponjas incluem-se nessa classe) Todas tipo Leuconóides; Amebócitos com pigmentos coloração brilhante; Diferentes espécies e cores esqueleto variável: espículas silicosas, fibras de espongina ou ambos.

46 bilatérias, triblásticos Radiados, diblásticos

47 Termo Coelenterata (Celenterados) = Filos: Cnidaria + Ctenophora presença do celenteron = cavidade digestiva

48 Ctenophora (menos de 120sp) Ctenophora (do grego ktenes, pente + phoros, portador) cerca de 120 espécies descritas. ("águas-vivas-de-pente" ou "carambolas-do-mar ). Fileiras de pentes tentáculos

49

50 Filo Cnidaria Águas vivas Anêmonas Corais Hidras

51 FILO CNIDARIA + de 9000 sp Características gerais: ü Diblásticos ü Simetria primária radial ü Tentáculos ao redor da boca ü Tecidos verdadeiros (epiderme e gastroderme) ü Corpo saculiforme ü Presença de cnidócitos contendo nematocistos ü Sistema nervoso em rede difusa presente

52 Dimorfismo e Polimorfismo em Cnidária Matriz extracelular gelatinosa PÓLIPO Vive fixo em substrato MEDUSA vida livre

53 Parede do corpo epiderme mesogléia gastroderme Cnidocílio Cnidócito nematocisto Céls. epitélio-musculares Núcleo Cél. Sensorial fibrilas contráteis long. fibrilas contráteis circ. Céls. Epitélio-digestivas Secreção glandular Célula glandular

54 Locomoção Pólipos não sésseis por mede-palmos e cambalhotas (Hydra) Medusas por jato-propulsão possível devido a células musculares

55 Filo Cnidaria Cnidaria = (do grego knidos, irritante, e do latim aria, sufixo plural) Maioria é carnívora Capturam e incapacitam as presas ou desencorajam seus agressores com túbulos urticantes ou pegajosos, disparados de células exclusivas: cnidócitos Defesa e captura de alimentos

56 Cnidócito e nematocisto nematocisto Predominam nos tentáculos São utilizados uma única vez Podem ser mais de um tipo

57 Sistema Nervoso e respiração Sistema Nervoso: difuso e primitivo!!! Células arranjadas em rede irregular, sob a epiderme. Respiração: simples difusão! Filo possui 3 Classes: Ø Hydrozoa Ø Scyphozoa Ø Anthozoa

58 CLASSE HYDROZOA Única com representantes de água doce Indivíduos na forma MEDUSÓIDE e/ou POLIPÓIDE quando ambas: ALTERNÂNCIA de GERAÇÕES Não possuem células na mesogléia Cnidócitos e gônadas na epiderme Medusas (hidromedusas) pequenas (até 6 cm) Ex.: Hydra sp, Obelia sp Solitários ou coloniais nestas há polimorfismo

59 Hydra Gênero de água doce Não há forma medusóide

60 Aequorea Produz GFP - (Green Fluorescent Protein)

61 Physalia (caravela-portuguesa) Crista para abaixar e levantar Pólipos especializados: alimentação, reprodução e defesa.

62 Gastrozóides sexuada Gonozóides assexuada Larva plânula Pólipo jovem Ciclo de vida de Obelia

63 CLASSE SCYPHOZOA Cerca de 200 sp Forma medusóide é predominante no ciclo vital. grande!!!!!! Maioria entre 2 e 40cm de diâmetro Contém células amebóides na mesogléia Pólipo reduzido ou ausente. Há alternância de gerações. Ex. Aurelia aurita

64 Cyanea capillata (sifomedusa gigante, até 2m de diâmetro)

65 Scyphozoa

66 Scyphozoa

67 Chironex fleckeri

68 Aurelia aurita

69 éfira plânula

70 CLASSE ANTHOZOA Mais de 6 mil sp! Só formas polipóides: solitários (anêmonas) ou coloniais (corais) Gônadas gastrodérmicas NÃO há alternância de gerações!!!!!!!!!!!

71 CLASSE ANTHOZOA Disco oral tentáculos farige Diferem dos pólipos hidrozoários: -boca faringe cav. gastrovascular Disco pedal boca Dividida em septos com cnidócitos;

72 CLASSE ANTHOZOA

73

Classificação dos Seres Vivos

Classificação dos Seres Vivos Classificação dos Seres Vivos Quantos seres vivos há na Terra? Estimativa: ~30 milhões Identificados: ~1,75 milhão de sp animais... A classificação dos seres vivos surgiu com a própria necessidade do homem

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Representantes Representantes Características Diblásticos: ectoderme e endoderme Simetria: Radial

Leia mais

UNIDADE IV Filo Porifera

UNIDADE IV Filo Porifera CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CAMPUS DE POMBAL UNIDADE IV Filo Porifera Prof. Dr. Sc. Ancélio Ricardo de Oliveira Gondim Em paz me deito e logo adormeço,

Leia mais

Prof.: Gilmar Marques FILO CNIDÁRIA. Celenterados

Prof.: Gilmar Marques FILO CNIDÁRIA. Celenterados 1 FILO CNIDÁRIA Celenterados Cnidários 2 Do Grego (Cnid=urtiga), devido aos cnidócitos. Fósseis de Cnidários datam do Pré- Cambriano (600 milhões de anos) São organismos aquáticos. Podem ser solitários

Leia mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Existem espécies de sexos separados e espécies hermafroditas. Neste último caso, os óvulos e espermatozoides de um mesmo indivíduo amadurecem em épocas diferentes, o que evita a

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º ano ALUNO(a): Lista de Exercícios NOTA: No Anhanguera você é + Enem Questão 01) São divididos em áscon, sícon e lêucon: a) Cnidários. b) Platelmintos.

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

04) O filo porífera é representado pelas esponjas. Na figura, as letras A, B e C referem-se aos aspectos reprodutivos destes animais.

04) O filo porífera é representado pelas esponjas. Na figura, as letras A, B e C referem-se aos aspectos reprodutivos destes animais. Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 3º Disciplina: Ciências da Natureza/ Biologia Data da prova: 01) A digestão dos Poríferos (esponjas) é intracelular e realizada por células

Leia mais

Noções de Embriologia Geral

Noções de Embriologia Geral Noções de Embriologia Geral EMBRIOLOGIA É o estudo do desenvolvimento de um ser pluricelular desde o estágio de uma célula (zigoto) até a diferenciação e especialização das células, tecidos e órgãos que

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria.

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. INTRODUÇÃO AOS BILATERIA META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. OBJETIVOS Ao final da aula, o aluno deverá: entender os planos e eixos corporais (diferença

Leia mais

Reino Animalia (Metazoa)

Reino Animalia (Metazoa) Reino Animalia (Metazoa) Filo Porifera Filo Cnidaria Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Maior e mais diversificado mais de 1 milhão de espécies

Leia mais

25/03/2013. Características gerais dos animais REINO ANIMALIA. Principais filos. Desenvolvimento embrionário

25/03/2013. Características gerais dos animais REINO ANIMALIA. Principais filos. Desenvolvimento embrionário Características gerais dos animais Eucariontes; Pluricelulares; Heterótrofos; Simetria bilateral, radial ou assimétricos; REINO ANIMALIA CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS Principais filos Porífera: esponjas;

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Cnidaria (parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Cnidaria (parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Cnidaria (parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Relembrando Cnidaria: Eucarióticos pluricelulares e heterótrofos; Diblásticos;

Leia mais

Filo Porífera. Esponjas

Filo Porífera. Esponjas Filo Porífera Esponjas Filo Porifera Osculo Átrio Pinacócitos Amebócito poros Porocito Espícula Flagelo Esponja Mesogléia Coanócito Gonócito Pinacócito Espícula Átrio Póro Porócito Arqueócito Meio Externo

Leia mais

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento :::

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: Seres Invertebrados adsense1 Desde os protozoários, unicelulares e microscópicos, até os grandes polvos e lulas, que atingem vários metros de comprimento, os invertebrados formam uma ampla variedade de

Leia mais

Resumo Cap. 10 (Poríferos e Cnidários) 1ª Série EM Prof.: Alexsandra Ribeiro PORÍFEROS

Resumo Cap. 10 (Poríferos e Cnidários) 1ª Série EM Prof.: Alexsandra Ribeiro PORÍFEROS Resumo Cap. 10 (Poríferos e Cnidários) 1ª Série EM Prof.: Alexsandra Ribeiro PORÍFEROS Os poríferos, ou esponjas, surgiram há cerca de 1 bilhão de anos e, provavelmente, se originaram de seres unicelulares

Leia mais

REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS

REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS REINO PROTOCTISTA Reino Protoctista - Protozoários Eucariontes, unicelulares (alguns coloniais) Vida livre e parasitária Relações Ecológicas: mutualismo

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - PORÍFEROS E CNIDÁRIOS Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - PORÍFEROS E CNIDÁRIOS Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - PORÍFEROS E CNIDÁRIOS Prof. Enrico Blota Biologia Reino animal Poríferos e cnidários Poríferos A linhagem que originou as esponjas atuais se separou da linhagem

Leia mais

Na verdade apenas a multicelularidade e o desenvolvimento embrionário são características que distinguem o reino animal dos demais reinos

Na verdade apenas a multicelularidade e o desenvolvimento embrionário são características que distinguem o reino animal dos demais reinos 1 2 Na verdade apenas a multicelularidade e o desenvolvimento embrionário são características que distinguem o reino animal dos demais reinos heterótrofos do domínio Eukaria. Tais características estavam

Leia mais

PORIFERA. Barnes e Ville et al., Calcarea ou Calcisponpongiae Hexactinellida ou Hyalospongiae Demospongiae Sclerospongiae

PORIFERA. Barnes e Ville et al., Calcarea ou Calcisponpongiae Hexactinellida ou Hyalospongiae Demospongiae Sclerospongiae PORIFERA - Sésseis, marinhos (5000 spp.) ou dulcícolas (150 spp.); - Com poucos movimentos detectáveis; - Simetria radial ou ausente; - Não apresentam órgãos. - Estrutura corporal sistema de canais e câmaras

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS Reino Animalia Organização do corpo e principais filos São pluricelulares, eucariontes e heterótrofos Apresentam grande diversidade (1 milhão de espécies distribuídas

Leia mais

REINO METAZOA FILOS. Placozoa Rhombozoa Orthonectida Monoblastozoa Porifera

REINO METAZOA FILOS. Placozoa Rhombozoa Orthonectida Monoblastozoa Porifera REINO METAZOA FILOS Placozoa Rhombozoa Orthonectida Monoblastozoa Porifera Tópicos da Aula Termo Mesozoa Placozoa Monoblastozoa Rhombozoa Orthonectida Porifera METAZOA Brusca e Brusca Protistas CHOANOFLAGELLATA

Leia mais

Zoologia. Os Grandes Filos Animais

Zoologia. Os Grandes Filos Animais Zoologia Os Grandes Filos Animais Poríferos Aquáticos: marinhos dulcícolas Bentônicos (sésseis) Diblásticos e acelomados Simetria radial Digestão intracelular Ausência de sistemas funcionais Sustentação:

Leia mais

FILO PORIFERA 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS

FILO PORIFERA 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS Porífero ( porus = poro + ferre = possuir) Representado pelas esponjas, que aparecem do Ártico aos trópicos; Vivem desde a linha da maré baixa até 5.500 m São marinha e dulcícolas ( 2 Famílias ); FILO

Leia mais

03. Uma célula que perdeu grande quantidade de água só poderá se recuperar se colocada em solução

03. Uma célula que perdeu grande quantidade de água só poderá se recuperar se colocada em solução 03. Uma célula que perdeu grande quantidade de água só poderá se recuperar se colocada em solução 01. O esquema a seguir representa o modelo de organização molecular da membrana plasmática. (A) isotônica.

Leia mais

Protostomado: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Pseudocelomado: Aneuromiários:

Protostomado: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Pseudocelomado: Aneuromiários: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Aneuromiários: Placentários: Deuterostomado: Ovíparos: Protostomado: Pseudocelomado: Parazoário:

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre MÓDULO 2 PORIFERA E CNIDARIA 1 - Em relação ao plano corporal dos animais, observamos que algumas espécies são assimétricas, enquanto outras apresentam

Leia mais

FILO PORIFERA AS ESPONJAS

FILO PORIFERA AS ESPONJAS FILO PORIFERA AS ESPONJAS Filogenia do Grupo CARACTERÍSTICAS GERAIS Filo Porifera (Lt. Porus = poro + ferre = possuir); Metazoários, nível celular, sem tecidos verdadeiros; Adultos assimétricos, ou as

Leia mais

Objetivo. Fornecer subsídios para uma compreensão geral da. modificação de caracteres

Objetivo. Fornecer subsídios para uma compreensão geral da. modificação de caracteres Objetivo Fornecer subsídios para uma compreensão geral da diversidade biológica, da evolução dos táxons t e da modificação de caracteres Bibliografia básicab AMORIM, D. S. 2002. Fundamentos de sistemática

Leia mais

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Invertebrados bentônicos como bioindicadores

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Invertebrados bentônicos como bioindicadores Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Invertebrados bentônicos como bioindicadores Bioindicadores de sistemas bênticos A escolha do bioindicador requer um conhecimento prévio da biologia do organismo ou

Leia mais

Filo PORIFERA Esponjas Latin porus, poro + fero, possuir

Filo PORIFERA Esponjas Latin porus, poro + fero, possuir Evolução dos Metazoários Aula 03 Evolução dos Metazoários * Metazoa: multicelular [Protozoa: uma célula] * Teoria da Origem Colonial: primeiro metazoário teria estrutura similar a Volvox * Colônia de flagelados

Leia mais

Platelmintos, vermes achatados

Platelmintos, vermes achatados Platelmintos, vermes achatados Animais triblásticos, bilaterais, com cefalização e sistema excretório Equipe de Biologia Relação filogenética do filo platelmintos Planária como exemplo de platelminto Dorsal

Leia mais

Texto Base: Aula 17 Linhagens de Organismos Metazoários 1

Texto Base: Aula 17 Linhagens de Organismos Metazoários 1 Texto Base: Aula 17 Linhagens de Organismos Metazoários 1 João Miguel de Matos Nogueira 1. Introdução, metazoários basais e Lophotrochozoa Iniciamos nosso estudo recordando a representação esquemática

Leia mais

REINO ANIMAL OU METAZOA:

REINO ANIMAL OU METAZOA: REINO ANIMAL OU METAZOA: Diblásticos: são animais que apresentam dois folhetos embrionários: a ectoderme, (externo) e a endoderme, (interno). Triblásticos: são animais que apresentam três folhetos embrionários:

Leia mais

Cnidários e Ctenóforos Aula Teórica 4. Introdução Organização Morfológica

Cnidários e Ctenóforos Aula Teórica 4. Introdução Organização Morfológica Cnidários e Ctenóforos Aula Teórica 4 Introdução Organização Morfológica Morfologia Geral * Tipos de Esqueletos Exoesqueleto (e.g., tecas de Protozoa, insetos) Endoesqueleto Esqueletos hidrostáticos &

Leia mais

BIOLOGIA Prof.: Doo Lista: 06 Aluno(a): Turma: Data: 23/02/2015

BIOLOGIA Prof.: Doo Lista: 06 Aluno(a): Turma: Data: 23/02/2015 BIOLOGIA Prof.: Doo Lista: 06 Aluno(a): Turma: Data: 23/02/2015 PORÍFEROS Características gerais Exclusivamente aquáticos Maioria assimétrica Aneuromiários Filtradores Fixos quando adultos Classes Calcária:

Leia mais

ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA

ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA 1 - FILO MOLLUSCA CLASSE GASTROPODA CONCHA A concha típica dos gastrópodes é uma espiral cônica assimétrica, composta de voltas tubulares e contendo a massa visceral do

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

CNIDARIA. locomoção por tombamento

CNIDARIA. locomoção por tombamento CNIDARIA - Maioria marinhos; - Formas de vida livre natantes medusas fixos pólipos locomoção por tombamento - Simetria radial (Birradial em alguns Anthozoa); - Sem cabeça ou segmentação; - Boca e tentáculos

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 1ª Aula 1ª Parte Cordados: diversidade, classificação e evolução Profa. Dra. Virgínia Sanches Uieda Departamento t de Zoologia - IB/UNESP/Botucatu

Leia mais

EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA - 2ª SÉRIE - Odete São Paio

EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA - 2ª SÉRIE - Odete São Paio EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA - 2ª SÉRIE - Odete São Paio 01) (UFAC/2009) Sobre os poríferos qual das afirmativas abaixo é verdadeira? a) São organismos invertebrados que possuem corpo com simetria bilateral

Leia mais

Apostila de Biologia 02 Reprodução Comparada

Apostila de Biologia 02 Reprodução Comparada Apostila de Biologia 02 Reprodução Comparada 1.0 Reprodução É o processo através do qual o ser vivo dá origem a outros indivíduos da mesma espécie que ele. Pode ser: Assexuada: quando não ocorre troca

Leia mais

META Apresentar as características do Filo Porifera, suas características morfológicas, fisiológicas e sua evolução.

META Apresentar as características do Filo Porifera, suas características morfológicas, fisiológicas e sua evolução. FILO PORIFERA META Apresentar as características do Filo Porifera, suas características morfológicas, fisiológicas e sua evolução. OBJETIVOS Ao final da aula, o aluno deverá: entender o processo que levou

Leia mais

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO Entomologia Entomologia veterinária: é o estudo de insetos de importância veterinária, num sentido mais amplo que engloba inclusive os aracnídeos (carrapatos e ácaros). Filo Arthropoda O filo arthropoda

Leia mais

Características Gerais dos Animais

Características Gerais dos Animais Características Gerais dos Animais 0 Reino Animalia ou Metazoa é formado por organismos pluricelulares; heterótrofos e eucariontes. No entanto, entre eles alguns não formam órgãos e portanto não apresentam

Leia mais

BA B.. 0 6 0 6 Inv n e v rt r e t bra r dos o s m ais s si s m i ple l s s ( p ( la l t a e t lm l in i t n o t s o ) s Apostila 1 Pág.

BA B.. 0 6 0 6 Inv n e v rt r e t bra r dos o s m ais s si s m i ple l s s ( p ( la l t a e t lm l in i t n o t s o ) s Apostila 1 Pág. BA. 06 Invertebrados mais simples (platelmintos) Apostila 1 Pág. 34 REINO ANIMAL OU METAZOA -Pluricelular Eucarionte Heterótrofo - sem parede celular - PORÍFEROS Esponjas - CNIDÁRIOS Águas vivas, corais,

Leia mais

SISTEMA CIRCULATÓRIO COMPARADO. PROFESSOR: João Paulo

SISTEMA CIRCULATÓRIO COMPARADO. PROFESSOR: João Paulo SISTEMA CIRCULATÓRIO COMPARADO PROFESSOR: João Paulo PORÍFEROS Não apresentam organização tissular. A difusão aparece como forma de trocar alimentos, gases respiratórios e excretas entre si e com o meio.

Leia mais

Biologia. AIDS, dengue e gripe

Biologia. AIDS, dengue e gripe 01 - (PUC SP) Os recifes de corais são formados por colônias de animais providos de um esqueleto que protege um grande número de pólipos. Os animais presentes nos corais pertencem ao mesmo filo que a)

Leia mais

REPRODUÇÃO COMPARADA. Sérgio Magalhães

REPRODUÇÃO COMPARADA. Sérgio Magalhães REPRODUÇÃO COMPARADA Sérgio Magalhães REPRODUÇÃO É o processo através do qual o ser vivo dá origem a outros indivíduos da mesma espécie que ele. Pode ser: Assexuada: quando não ocorre troca nem recombinação

Leia mais

Curso Wellington Biologia Reino Animal - Equinodermos Prof Hilton Franco

Curso Wellington Biologia Reino Animal - Equinodermos Prof Hilton Franco 1. Esta é a turma do Bob Esponja: Lula Molusco é supostamente uma lula; Patric, uma estrela-do-mar; o Sr. Siriguejo, um caranguejo; e Bob é supostamente uma esponja-do-mar. Cada um, portanto, pertence

Leia mais

2. (FATEC) A digestão dos poríferos é intracelular e realizada por células chamadas:

2. (FATEC) A digestão dos poríferos é intracelular e realizada por células chamadas: Aula 13 Revisão do 1º semestre 2013 1. (FUVEST) Existem animais que não possuem órgão ou sistema especializado em realizar trocas gasosas. Na respiração, a absorção do oxigênio e a eliminação do gás carbônico

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Biologia - Embriologia

Exercícios de Aprofundamento Biologia - Embriologia 1. (Fgv 2015) A figura ilustra os vasos sanguíneos maternos e fetais na região da placenta, responsável pela troca dos gases respiratórios oxigênio e dióxido de carbono. Como a circulação e a ventilação

Leia mais

Biologia. 2 a série do Ensino Médio Lista de exercícios para a prova discursiva 3 o ciclo de avaliações DIVERSIDADE DA VIDA

Biologia. 2 a série do Ensino Médio Lista de exercícios para a prova discursiva 3 o ciclo de avaliações DIVERSIDADE DA VIDA MITOSES MEIOSE 2 a série do Ensino Médio DIVERSIDADE DA VIDA 1. (UNEB-BA) Uma planta na qual os esporos são produzidos num esporófito diploide e os gametas são produzidos num gametófito haploide, é correto

Leia mais

INTRODUÇÃO A BIOLOGIA O ESTUDO DA VIDA. Prof. Fernando Stuchi

INTRODUÇÃO A BIOLOGIA O ESTUDO DA VIDA. Prof. Fernando Stuchi INTRODUÇÃO A BIOLOGIA O ESTUDO DA VIDA O QUE É BIOLOGIA Bio = Vida / Logos = estudo A biologia divide-se em diversas áreas para a fundamentação do estudo da vida. Zoologia Embriologia Ecologia Bioquímica

Leia mais

Data: /10/14 Bimestr e:

Data: /10/14 Bimestr e: Data: /10/14 Bimestr e: 3 Nome : Disciplina Ciências : Valor da Prova / Atividade: 2,0 Objetivo: Instruções Lista de Recuperação Professo r: 7 ANO Nº Ângela Nota: 1.Quais são as características dos artrópodes?

Leia mais

Lista 2º ano/1ºtrim Biologia/prof. Karina CFNP

Lista 2º ano/1ºtrim Biologia/prof. Karina CFNP 1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. 02) Animais em que o blastóporo dá origem a boca e posteriormente surge o ânus são denominados deuterostômios.

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS CARACTERÍSTICAS GERAIS AULA DE RECUPERAÇÃO DE INVERTEBRADOS - Prof. Maria Lúcia 2ª EM 1. PATAS ARTICULADAS 2. CORPO COM POROS E SEM TECIDOS 3. EXOESQUELETO DE QUITINA 4. DIPLOBLASTICOS ACELOMADOS 5. ESPINHOS

Leia mais

3ª série Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e. condição de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica.

3ª série Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e. condição de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica. DISCIPLINA DE BIOLOGIA OBJETIVOS: 1ª série Compreender a natureza como um todo dinâmico e o ser humano como agente de transformação do mundo em que vive, em relação essencial com os demais seres vivos

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS PROF. PANTHERA

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS PROF. PANTHERA CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SERES VIVOS PROF. PANTHERA COMPOSIÇÃO QUÍMICA COMPLEXA Está representada por: Substâncias inorgânicas: água e sais minerais. Substâncias orgânicas (possuem o carbono como elemento

Leia mais

BIOLOGIA ZOOLOGIA PROF ESTEVAM REINO ANIMAL

BIOLOGIA ZOOLOGIA PROF ESTEVAM REINO ANIMAL BIOLOGIA ZOOLOGIA PROF ESTEVAM CONTEÚDO: Os diversos filos animais REINO ANIMAL FILO PROTOZOA (Proto = primeiro, primitivo e Zoon = animal) Classe Rhizopoda amebas. Classe Ciliata paramécios. Classe Flagelata

Leia mais

CNIDÁRIOS. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho (UESPI)

CNIDÁRIOS. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho (UESPI) CNIDÁRIOS Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho (UESPI) Filo Cnidaria ou Coelenterata Do grego: knidos = urticante; coele=cavidade; enteron=intestino São animais aquáticos, diblásticos que para sua defesa

Leia mais

Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento.

Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Embriologia Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Fecundação Mitoses sucessivas; Crescimento celular: Zigoto:

Leia mais

Caminho da comida. Introdução. Materiais Necessários

Caminho da comida. Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução Os platelmintos são vermes achatados interessantes e semelhantes aos seres humanos em alguns aspectos. Um deles é a presença do sistema digestório. Mas, diferente do nosso, o sistema

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios Resoluções de Exercícios EA: EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM EH: EXERCITANDO HABILIDADES TC: TAREFA DE CASA BIOLOGIA IV DARWIN Capítulo 04 IDENTIDADE DOS SERES VIVOS Funções Vitais dos Seres Vivos e sua Relação

Leia mais

Está(ao) correta(s): a) a afirmação III. b) a afirmação II. c) as afirmações I e III. d) as afirmações II e III.

Está(ao) correta(s): a) a afirmação III. b) a afirmação II. c) as afirmações I e III. d) as afirmações II e III. 1. (Udesc 2014) O desenvolvimento embrionário é diversificado entre os diferentes grupos animais, e ocorre, de maneira geral, em três fases consecutivas. Assinale a alternativa correta quanto ao desenvolvimento

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 1ª Aula 1ª Parte Cordados: diversidade, classificação e evolução (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis:

Leia mais

Gabarito: GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO. Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D]

Gabarito: GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO. Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D] GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO Gabarito: Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D] Resposta da questão 4: [A] Resposta da questão 5: [B] Resposta da

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 06 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP 0 Os milagres sempre acontecem na vida de cada um e na vida de

Leia mais

a) Indique a que filo cada um dos animais pertence: A: B:

a) Indique a que filo cada um dos animais pertence: A: B: valiação 1. baixo, temos a imagem de dois animais marinhos. mbos são muito simples estruturalmente. Observe ambos e responda aos questionamentos. Imagin/rchivo SM/ID/ES Imagin/rchivo SM/ID/ES a) Indique

Leia mais

Características gerais

Características gerais Reino das Plantas Características gerais São organismos: Eucariontes Pluricelulares Autótrofos Possuem diversos pigmentos, como os fotossintetizantes e os acessórios. Características gerais Capacidade

Leia mais

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN 2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS 1. Um tipo de característica que pode ser levada em conta quando vamos trabalhar com Biologia Comparada são as características observadas

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 27 REINO MONERA

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 27 REINO MONERA BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 27 REINO MONERA Enzimas relacionadas à respiração e que estão ligadas à face interna da membrana plasmática Como pode cair no enem? (ENEM) O uso prolongado de lentes de contato,

Leia mais

7 O ANO EF CIÊNCIAS. Thiago Judice REINO ANIMAL

7 O ANO EF CIÊNCIAS. Thiago Judice REINO ANIMAL 7 O ANO EF CIÊNCIAS COMPLEMENTO Thiago Judice REINO ANIMAL O reino animal reúne os animais, seres pluricelulares com células eucariontes e nutrição heterotrófica. Você já aprendeu o significado destas

Leia mais

A disposição da vida na Terra

A disposição da vida na Terra Aula 01 A disposição da vida na Terra O que é a vida? Existe vida em outros planetas? Podemos viver sem o Sol? O nosso sistema solar possui os seguintes planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte Júpiter,

Leia mais

Possuem sistema circulatório. O sangue desloca-se por um sistema fechado de vasos e contém pigmentos respiratórios dissolvidos no plasma.

Possuem sistema circulatório. O sangue desloca-se por um sistema fechado de vasos e contém pigmentos respiratórios dissolvidos no plasma. Possuem sistema circulatório. O sangue desloca-se por um sistema fechado de vasos e contém pigmentos respiratórios dissolvidos no plasma. Na minhoca, o pigmento respiratório é a hemoglobina, responsável

Leia mais

Entende-se que a diversidade de seres vivos é resultante de processos evolutivos e que esses processos ocorrem por anagênese e por cladogênese.

Entende-se que a diversidade de seres vivos é resultante de processos evolutivos e que esses processos ocorrem por anagênese e por cladogênese. Sistemática Filogenética ou Cladística Entende-se que a diversidade de seres vivos é resultante de processos evolutivos e que esses processos ocorrem por anagênese e por cladogênese. As relações evolutivas

Leia mais

Aula 13.2 Conteúdo. O reino dos animais Poríferos e Cnidários CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER FAZENDO E APRENDENDO

Aula 13.2 Conteúdo. O reino dos animais Poríferos e Cnidários CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER FAZENDO E APRENDENDO A A Aula 13.2 Conteúdo O reino dos animais Poríferos e Cnidários 2 A A Habilidades Conhecer a diversidade de animais Compreender algumas características utilizadas para identificar animais vertebrados

Leia mais

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria Filo Platyhelminthes Características: Do grego, platy = plano + helmins = verme Animais de corpo alongado e achatado dorsoventralmente; Maioria aquática (marinhos e dulcícolas). Os terrestres vivem em

Leia mais

1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária.

1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. 1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. Considerando a figura: a) denomine os folhetos embrionários primordiais X, Y e Z, respectivamente, e identifique

Leia mais

Zoologia. Escala zoológica. Celenterados

Zoologia. Escala zoológica. Celenterados Zoologia Escala zoológica Cnidários Habitat modo de vida Todos de vida livre, fixos ou moveis Podem ser individuais ou coloniais Embriologia Tipos morfológicos Pólipo boca cavidade gástrica cavidade gástrica

Leia mais

Tema: Animais Vertebrados e Invertebrados

Tema: Animais Vertebrados e Invertebrados Tema: Animais Vertebrados e Invertebrados Prezado Aluno, Nesta oficina, você desenvolverá atividades que abordam a diversidade de vida dos seres vivos, a diversidade e características físicas dos animais

Leia mais

Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com

Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Anteriormente... Zigoto Mórula Blástula Gástrula Neurula Organogênese Anexos embrionários Gêmeos Dos

Leia mais

Biomembranas. Cap. 11(p 365 a 377) e 12 (p 390 a 410)- Fundamentos da Biologia Celular- Alberts- 2ª edição

Biomembranas. Cap. 11(p 365 a 377) e 12 (p 390 a 410)- Fundamentos da Biologia Celular- Alberts- 2ª edição Biomembranas Cap. 11(p 365 a 377) e 12 (p 390 a 410)- Fundamentos da Biologia Celular- Alberts- 2ª edição Bicamada da membrana Grupos de cabeças polares Caudas hidrofóbicas Grupos de cabeças polares As

Leia mais

Corpo Esses animais têm um corpo mole e não segmentado, muitas vezes dividido em cabeça (com os órgãos dos sentidos), um pé muscular e um manto que protege uma parte do corpo e que muitas vezes secreta

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Universidade Aberta do Brasil UFPB VIRTUAL COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS À DISTÂNCIA

Universidade Federal da Paraíba Universidade Aberta do Brasil UFPB VIRTUAL COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS À DISTÂNCIA CB Virtual 2 Universidade Federal da Paraíba Universidade Aberta do Brasil UFPB VIRTUAL COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS À DISTÂNCIA Caixa Postal 5046 Campus Universitário -

Leia mais

Animais Bilaterais Aula Teórica 07. Animais Bilaterais o que muda com a bilateralidade * Simetrial radial Simetria bilateral

Animais Bilaterais Aula Teórica 07. Animais Bilaterais o que muda com a bilateralidade * Simetrial radial Simetria bilateral Animais Bilaterais Aula Teórica 07 Animais Bilaterais o que muda com a bilateralidade * Simetrial radial Simetria bilateral Bilateral: lados direito e esquerdo são imagem especular um do outro Bilateral:

Leia mais

O Nosso Corpo Volume XX. Aparelho Genital Masculino Parte 1. um Guia de O Portal Saúde. www.oportalsaude.com. Abril de 2010. www.oportalsaude.

O Nosso Corpo Volume XX. Aparelho Genital Masculino Parte 1. um Guia de O Portal Saúde. www.oportalsaude.com. Abril de 2010. www.oportalsaude. O Nosso Corpo Volume XX Aparelho Genital Masculino Parte 1 um Guia de O Portal Saúde Abril de 2010 O Portal Saúde Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright O

Leia mais

ZOOLOGIA Filo Mollusca

ZOOLOGIA Filo Mollusca ZOOLOGIA Filo Mollusca Profa Maria Célia Portella - Protozoários - Filo Mesozoa (mesozoa e parazoa) - Filo Placozoa (mesozoa e parazoa) - Filo Porifera (mesozoa e parazoa) Filos Precedentes - Filo Cnidaria

Leia mais

www.interaulaclube.com.br

www.interaulaclube.com.br A UU L AL A O mar Observe atentamente a figura abaixo. Uma olhada mais despreocupada para o desenho pode dar a impressão de que estamos diante de uma região desértica na superfície da Terra. Mas, prestando

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UFRJ 2011 2ª fase www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UFRJ 2011 2ª fase www.planetabio.com 1- Uma dieta muito popular para perder peso consiste em ingerir alimentação rica em gordura e proteína, mas sem carboidratos. O gráfico a seguir mostra o efeito dessa dieta na recomposição do glicogênio

Leia mais

CURSINHO PRÉ-VESTIBULAR UECEVEST ESPECÍFICA - BIOLOGIA PROF(A): Ana Léa de Oliveira 25/06/2014

CURSINHO PRÉ-VESTIBULAR UECEVEST ESPECÍFICA - BIOLOGIA PROF(A): Ana Léa de Oliveira 25/06/2014 CURSINHO PRÉ-VESTIBULAR UECEVEST ESPECÍFICA - BIOLOGIA PROF(A): Ana Léa de Oliveira 25/06/2014 1) (UECE 2009.2) Podemos afirmar corretamente que no desenvolvimento embrionário de metazoários, arquêntero

Leia mais

Célula Procarionte X Célula Eucarionte

Célula Procarionte X Célula Eucarionte Célula Procarionte X Célula Eucarionte Células procarióticas (grego protos, primitivo, e Karyon, núcleo) Núcleo antigo Surgimento a bilhões de anos atrás Bactérias e Cianobactérias (algas) Não apresenta

Leia mais

Corrida Infernal - Coito

Corrida Infernal - Coito Corrida Infernal - Coito Fecundação origem a nova célula ovo ou zigoto Reprodução ao nascimento Etapa Importante 30-48 - 72 horas Divisão Óvulo segmentação rápida e depois lentas Fenómeno Inesquecível

Leia mais

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos:

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos: Aula 4 Os animais Os seres vivos apresentam uma diversidade muito grande; a cada ano, novas espécies vêm sendo descritas. Fica compreensível a necessidade de um sistema de classificação para a organização

Leia mais

Complexo Educacional FMU Curso de Ciências Biológicas. Zoologia de invertebrados I. Filo Porifera. Prof: Biólogo Luiz A.B. Mello Lula 2º semestre 2011

Complexo Educacional FMU Curso de Ciências Biológicas. Zoologia de invertebrados I. Filo Porifera. Prof: Biólogo Luiz A.B. Mello Lula 2º semestre 2011 Complexo Educacional FMU Curso de Ciências Biológicas Zoologia de invertebrados I Filo Porifera Prof: Biólogo Luiz A.B. Mello Lula 2º semestre 2011 Filo Porifera Porifera (do latim porus, poro + hfera,

Leia mais

Colégio São Paulo. Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano

Colégio São Paulo. Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano Colégio São Paulo Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano Características principais do Reino Animalia Reúne organismos eucariotos, pluricelulares e com nutrição heterotrófica. O reino apresenta

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. Classificações Biológicas

EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. Classificações Biológicas TAXONOMIA Ramo da Biologia que se ocupa da classificação dos seres vivos e da nomenclatura dos grupos formados. SISTEMÁTICA Biologia comparativa que utiliza todos os conhecimentos acerca dos seres vivos

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios Resoluções de Exercícios BIOLOGIA IV 01 Embriologia Humana A espermatogônia é uma célula diploide (2n) e o espermatócito II é uma célula haploide (n), portanto, a espermatogônia terá o dobro do número

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 02/12/2012 Candidato: GABARITO Curso Pretendido: OBSERVAÇÕES: 01 Prova SEM consulta

Leia mais