Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial."

Transcrição

1 Radioatividade II e Energia Nuclear

2 Meia-vida Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial.

3 Meia-vida Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial. N= N0 onde x= n de períodos 2 x

4 Fissão Nuclear

5 Energia Liberada A fissão completa de 1kg de 235 U libera aproximadamente 8 x joules, suficiente para ferver 270 milhões de litros de água.

6 O ciclo do urânio, do minério à bomba atômica -URÂNIO -YELLOW CAKE. -ENRIQUECIMENTO -REPROCESSAMENTO -PLUTÔNIO - BOMBA: As bombas atômicas podem ser feitas com urânio altamente enriquecido ou com plutônio. A bomba de Hiroxima era de urânio enriquecido; a de Nagasáqui, de plutônio.

7 O Lado Bom

8 O Lado Ruim liberação de 400 vezes mais contaminação que a bomba que foi lançada sobre Hiroshima Em Chernobyl, em 1986, reator explodiu durante operação de manutenção dos equipamentos da usina.

9 O Lado Ruim Bomba A- 1945

10 Fusão Nuclear 2 H + 3 H 1 0n +

11 O Lado Bom O Sol é um grande reator de fusão nuclear

12 O Lado Ruim Bomba H

13 A Radioatividade do Cotidiano Alimentos: 25 mrem (*) por ano Radiografia dentária: 20 mrem cada Energia solar: 11 mrem por ano

14 A Radioatividade do Cotidiano Área num raio de 1 km de uma usina nuclear: 5 mrem por ano

15 Por que a radiação provoca danos biológicos? Quando exposta à radiação a molécula de água, presente no líquido puro ou fazendo parte dos tecidos vivos, absorve energia e forma radicais livres.

16 Aplicações da Radioatividade Alimentos Irradiados Radioterapia

17 Um Grande Problema O LIXO ATÔMICO

18

19

20

21

22

23 O ciclo do urânio, do minério à bomba atômica URÂNIO: O urânio, ponto de partida essencial para o processo nuclear, e seu combustível básico, é um minério que está presente em abundância no mundo. O difícil é encontrar concentrações que permitam sua exploração em termos econômicos. Mesmo nas jazidas ricas, a proporção oscila entre apenas 3 e 4 gramas de urânio puro por tonela de minério. Os maiores produtores fora do bloco soviético são Estados Unidos, Canadá, África do Sul, Níger, França e Austrália. O Brasil é pequeno produtor mas, em termos de reservas, está entre os dez primeiros colocados. YELLOW CAKE: O primeiro passo do ciclo nuclear é o de limpar o urânio das impurezas. Com isso, produz-se o yellow cake - ou " bolo amarelo" ainda com impurezas da mina, mas com algo entre 70% e 80% de urânio puro. Normalmente, é nessa forma que o produto é fornecido no mercado. ENRIQUECIMENTO: Este processo é essencial porque só um tipo de átomo de urânio, o U 235, libera energia aproveitável quando seu núcleo é rompido. Apenas 0,72% dos átomos de urânio é de U 235. A maior parte, 99,28%, é de U 238, que não serve como combustível para movimentar reatores nucleares os equipamentos que geram a energia nuclear, cujas aplicações vão da produção de eletricidade e usos medicinais à confecção de bombas.o objetivo do enriquecimento é aumentar a proporção de U 235 no urânio. Para a produção de bombas a proporção é superior a 90%.

24 -REPROCESSAMENTO: Terminado seu aproveitamento pelo reator, o urânio enriquecido ali utilizado como combustível é reprocessado para a separação dos outros elementos surgidos durante a reação atômica. Em seguida, é devolvido à usina de enriquecimento, que coloca em condições de ser novamente aproveitados. - PLUTÔNIO: É nessa fase do processo nuclear que ocorre a separação do plutônio, um elemento que não existe na natureza. Ele aparece só como resultado do bombardeio dos núcleos de U 235 dentro do reator. Como combustível para usinas atômicas, o plutônio é tão bom como o U 235. Para a fabricação de bombas atômicas, também. - BOMBA: As bombas atômicas podem ser feitas com urânio altamente enriquecido ou com plutônio. A bomba de Hiroxima era de urânio enriquecido; a de Nagasáqui, de plutônio. A maioria dos peritos acha difícil que um país interessado em produzir armas atômicas secretamente seguisse o caminho do urânio enriquecido. Os poucos países que fornecem o produto controlam estritamente seu uso. A alternativa, caso o país interessado ignore os fatores custo e tempo, seria usar o plutônio procedente de um reator de pesquisas como fez a Índia para detonar a sua bomba atômica, em 1974.

Energia nuclear 1 INTRODUÇÃO 2 FISSÃO NUCLEAR. leve usa como combustível o urânio 235 (também chamado de urânio enriquecido) e como

Energia nuclear 1 INTRODUÇÃO 2 FISSÃO NUCLEAR. leve usa como combustível o urânio 235 (também chamado de urânio enriquecido) e como 1 INTRODUÇÃO Energia nuclear Energia nuclear, energia liberada durante a fissão ou fusão dos núcleos atômicos. As quantidades de energia que podem ser obtidas mediante processos nucleares superam em muito

Leia mais

Química. Prof. Arilson. Aluno(a):

Química. Prof. Arilson. Aluno(a): Produção de energia Projeções indicam que até 2050 o consumo de energia terá um aumento de 160%.Uma das possíveis opções para solucionar esse problema de produção de energia é a utilização da energia nuclear.existem

Leia mais

ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO AVALIAÇÃO DEFINIÇÃO/CONCEITO SAIBA MAIS. Olá!

ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO AVALIAÇÃO DEFINIÇÃO/CONCEITO SAIBA MAIS. Olá! Manual do aluno Sumário ÍCONES ORGANIZADORES... 3 EMENTA... 4 Objetivo do curso... 5 Público-alvo... 5 Pré Requisitos... 5 Carga-horária... 6 Dicas para estudo... 6 Exercícios de fixação e Avaliação...

Leia mais

Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Balanço de Energia Nacional (BEN - 2010)

Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Balanço de Energia Nacional (BEN - 2010) Aspectos Químicos Basicamente, a química envolvida nas matrizes energéticas se relaciona à obtenção de energia a partir de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás natural) e a partir de fissão nuclear.

Leia mais

II Seminário de Seguros de Responsabilidade Civil Utilização de radioisótopos na indústria. Palestrante: Luiz Carlos de Miranda Júnior

II Seminário de Seguros de Responsabilidade Civil Utilização de radioisótopos na indústria. Palestrante: Luiz Carlos de Miranda Júnior II Seminário de Seguros de Responsabilidade Civil Utilização de radioisótopos na indústria Palestrante: Luiz Carlos de Miranda Júnior AGENDA A bomba atômica. A geração da energia atômica. RI efeitos sobre

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear WNTI W O R L D N U C L E A R T R A N S P O RT I N S T I T U T E FICHA DESCRITIVA Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear Materiais Front End (da etapa inicial) Dedicado ao transporte seguro, eficiente

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS USADOS EM ENERGIA NUCLEAR

GLOSSÁRIO DE TERMOS USADOS EM ENERGIA NUCLEAR GLOSSÁRIO DE TERMOS USADOS EM ENERGIA NUCLEAR A Acelerador Aparelho para aumentar a velocidade e a energia de partículas elementares carregadas, como elétrons e prótons, utilizando campos elétricos e/ou

Leia mais

O TERROR DO ACIDENTE NUCLEAR OCORRIDO EM CHERNOBYL, CIDADE DA NORTE DE UCRÂNIA, EM 26 DE ABRIL DE 1986

O TERROR DO ACIDENTE NUCLEAR OCORRIDO EM CHERNOBYL, CIDADE DA NORTE DE UCRÂNIA, EM 26 DE ABRIL DE 1986 O TERROR DO ACIDENTE NUCLEAR OCORRIDO EM CHERNOBYL, CIDADE DA NORTE DE UCRÂNIA, EM 26 DE ABRIL DE 1986 Fotos: Sites Phoronix e Der Spiegel http://www.achetudoeregiao.com.br/rj/usina_nuclear2.htm No inicio

Leia mais

Tipos de Embalagens Usadas para o Transporte de Materiais Radioativos

Tipos de Embalagens Usadas para o Transporte de Materiais Radioativos WNTI W O R L D N U C L E A R T R A N S P O RT I N S T I T U T E FICHA DESCRITIVA Tipos de Embalagens Usadas para o Transporte de Materiais Radioativos Dedicado ao transporte seguro, eficiente e confiável

Leia mais

5. Fusão Nuclear. Hinrichs, R.A.; Kleinbach, M. Energia e Meio Ambiente, Pioneira Thomson Learning, SP, 2003.

5. Fusão Nuclear. Hinrichs, R.A.; Kleinbach, M. Energia e Meio Ambiente, Pioneira Thomson Learning, SP, 2003. 5. Fusão Nuclear Hinrichs, R.A.; Kleinbach, M. Energia e Meio Ambiente, Pioneira Thomson Learning, SP, 003. As reservas mundiais de petróleo e gás natural, nesta ordem, sofrerão grandes declínios neste

Leia mais

As catástrofes humanas decorrentes do uso da energia nuclear

As catástrofes humanas decorrentes do uso da energia nuclear As catástrofes humanas decorrentes do uso da energia nuclear Março, 2011 (Mahatma Gandhi) Quando em 1895 Röntgen descobriu os raios X, não podia imaginar o quanto essa descoberta seria importante para

Leia mais

Aula 5 A energia não é o começo de tudo, mas já é um início

Aula 5 A energia não é o começo de tudo, mas já é um início Aula 5 A energia não é o começo de tudo, mas já é um início Itens do capítulo 5 A energia não é o começo de tudo, mas já é o início 5. A energia não é o começo de tudo, mas já é o início 5.1 O consumo

Leia mais

REGIME JURÍDICO NUCLEAR Parte 1 A possível retomada do Projeto Nuclear Brasileiro

REGIME JURÍDICO NUCLEAR Parte 1 A possível retomada do Projeto Nuclear Brasileiro 1 REGIME JURÍDICO NUCLEAR Parte 1 A possível retomada do Projeto Nuclear Brasileiro A. BREVE INTRODUÇÃO POLÍTICA Tendo em vista os atuais acontecimentos que alteraram o equilíbrio geopolítico mundial,

Leia mais

FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE

FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Química Analítica Ambiental FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Fevereiro, 2014 Grupo: Isabela Vieira da Silva Thaeny

Leia mais

Mais Alimentos, Desenvolvimento e Energia P R O J E T O

Mais Alimentos, Desenvolvimento e Energia P R O J E T O Mais Alimentos, Desenvolvimento e Energia P R O J E T O M A T E R I A L I N F O R M A T I V O Riquezas da nossa terra O nosso planeta se formou ao longo de milhões de anos. Nesse período a Terra passou

Leia mais

Os 10 lugares mais poluídos do planeta

Os 10 lugares mais poluídos do planeta Os 10 lugares mais poluídos do planeta O ranking da ONG ambiental Blacksmith Institute tem 300 cidades, mas o Top 10 é mesmo de assustar. Conheça o mapa da morte: SUMGAYIT, Azerbaijão População potencialmente

Leia mais

ANEXO A. NORMAS DA CNEN www.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp

ANEXO A. NORMAS DA CNEN www.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp ANEXO A NORMAS DA CNEN www.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp A.1. GRUPO 1: INSTALAÇÕES NUCLEARES Resolução CNEN N o 109/2011, Licenciamento de Operadores de Reatores Nucleares, D.O.U. de 01/09/2011.

Leia mais

8ª série / 9º ano U. E. 16

8ª série / 9º ano U. E. 16 8ª série / 9º ano U. E. 16 Radiação O dicionário de física descreve radiação como: Designação genérica da energia que se propaga de um ponto a outro do espaço, no vácuo ou em um meio material, mediante

Leia mais

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear.

Tipos de Energia. Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Tipos de Energia Gravitacional; Elétrica; Magnética; Nuclear. Fontes de Energia Primaria fontes que quando empregadas diretamente num trabalho ou geração de calor. Lenha, para produzir

Leia mais

Defensores (argumentos utilizados)

Defensores (argumentos utilizados) A Energia Nuclear Nem todo avanço científico e tecnológico vem acompanhado de expectativas positivas pela sociedade. Muitas são recebidas com inquietação e ansiedade, devido aos efeitos colaterais Usinas

Leia mais

Poluição da água é a introdução de partículas estranhas ao Quantidade de água disponível. ambiente natural, bem como induzir condições em um

Poluição da água é a introdução de partículas estranhas ao Quantidade de água disponível. ambiente natural, bem como induzir condições em um POLUIÇÃO DA ÁGUA Poluição da água é a introdução de partículas estranhas ao Quantidade de água disponível ambiente natural, bem como induzir condições em um determinado curso ou corpo de água, direta

Leia mais

A energia nuclear. Odair Dias Gonçalves e Ivan Pedro Salati de Almeida Comissão Nacional de Energia Nuclear (RJ) 36 CIÊNCIA HOJE vol.

A energia nuclear. Odair Dias Gonçalves e Ivan Pedro Salati de Almeida Comissão Nacional de Energia Nuclear (RJ) 36 CIÊNCIA HOJE vol. F Í F S Í S I C I AC A A energia nuclear Toda tecnologia avançada pode ser usada para fins pacíficos ou bélicos. Isso ocorre com a eletrônica, a nanotecnologia, a biologia, a engenharia genética e também

Leia mais

Os 10 lugares habitados mais poluídos do mundo

Os 10 lugares habitados mais poluídos do mundo Saúde 28/11/2013-12h13 Os 10 lugares habitados mais poluídos do mundo por Redação do EcoD Atualmente, mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo estão expostas à poluição tóxica em níveis superiores

Leia mais

Energia Nuclear e Impacto Ambiental

Energia Nuclear e Impacto Ambiental José Marcus de Oliveira Godoy Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 18 - Energia Nuclear. Sorocaba, Maio de 2015.

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 18 - Energia Nuclear. Sorocaba, Maio de 2015. Campus Experimental de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 18 - Energia Nuclear Sorocaba, Maio de 2015. ÁTOMO Eletrosfera Energia Elétrica Núcleo Energia Nuclear

Leia mais

NOVAS FONTES DE ENERGIAS LIMPAS, PRÁTICAS NECESSÁRIAS PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL

NOVAS FONTES DE ENERGIAS LIMPAS, PRÁTICAS NECESSÁRIAS PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL NOVAS FONTES DE ENERGIAS LIMPAS, PRÁTICAS NECESSÁRIAS PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL Jessica Barbosa Tavares 1 Everton da Silva Ferraz 2 Silvia Helena Antunes dos Santos 3 RESUMO: De cunho bibliográfico a

Leia mais

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo

Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo A Energia e suas Fontes Fontes de Energia Renováveis Fontes de Energia Não-Renováveis Conclusões Energia: Capacidade de realizar trabalho Primeira Lei da Termodinâmica: No

Leia mais

Radioatividade. Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013

Radioatividade. Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013 Radioatividade Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013 Dados históricos: Descoberta por Henri Becquerel. Em 1903, Rutherford e Frederick Soddy propuseram

Leia mais

A questão energética. Capítulo 28

A questão energética. Capítulo 28 A questão energética Capítulo 28 Balanço energético mundial Energia é a capacidade de produzir trabalho; Aumento da capacidade produtiva Aumento do consumo Necessidade de novas fontes de energia Ciclos

Leia mais

Energia Nuclear e Contaminação Radioativa. Prof. Dr. Fábio Luiz Melquiades Departamento de Física - Unicentro

Energia Nuclear e Contaminação Radioativa. Prof. Dr. Fábio Luiz Melquiades Departamento de Física - Unicentro Energia Nuclear e Contaminação Radioativa Prof. Dr. Fábio Luiz Melquiades Departamento de Física - Unicentro Motivação Em todas as áreas da atividade humana ocorrem acidentes; batidas de veículos, descarrilamentos

Leia mais

CAPÍTULO 28 A QUESTÃO ENERGÉTICA. Professor: Gelson Alves Pereira 2ª Série Ensino Médio

CAPÍTULO 28 A QUESTÃO ENERGÉTICA. Professor: Gelson Alves Pereira 2ª Série Ensino Médio CAPÍTULO 28 A QUESTÃO ENERGÉTICA Professor: Gelson Alves Pereira 2ª Série Ensino Médio 1- Introdução Nos últimos 250 anos, houve um grande consumo de energia e combustíveis. Acredita-se que, até 2030,

Leia mais

CAPÍTULO 28 A QUESTÃO ENERGÉTICA

CAPÍTULO 28 A QUESTÃO ENERGÉTICA Disciplina - Geografia 2 a Série Ensino Médio CAPÍTULO 28 A QUESTÃO ENERGÉTICA Professor: Gelson Alves Pereira 1- INTRODUÇÃO Nos últimos 250 anos, houve um grande consumo de energia e combustíveis. Acredita-se

Leia mais

Radioatividade. Apostila educativa

Radioatividade. Apostila educativa Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves José Mendonça de Lima Luiz Tahuata Paulo Fernando Heilbron Filho Claudio Braz Sonia Pestana Rua General Severiano, 90 - Botafogo - Rio de Janeiro

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO. Cristina Maria Brucki

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO. Cristina Maria Brucki PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Cristina Maria Brucki Produto Final da Dissertação apresentada à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 15 de setembro de 2011, Programa de Mestrado

Leia mais

Efeitos da Corrente Elétrica. Prof. Luciano Mentz

Efeitos da Corrente Elétrica. Prof. Luciano Mentz Efeitos da Corrente Elétrica Prof. Luciano Mentz 1. Efeito Magnético Corrente elétrica produz campo magnético. Esse efeito é facilmente verificado com uma bússola e será estudado no eletromagnetismo. 2.

Leia mais

O Acordo Nuclear do Irã: consequências para o Brasil e Argentina?

O Acordo Nuclear do Irã: consequências para o Brasil e Argentina? O Acordo Nuclear do Irã: consequências para o Brasil e Argentina? Por Leonam Guimarães Dia 14 de julho de 2015, o grupo de potências mundiais E3/UE+3 (China,EUA e Rússia, juntamente com três membros da

Leia mais

Energia e Meio Ambiente

Energia e Meio Ambiente INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Energia e Meio Ambiente Rodrigo Valle Cezar O que é Energia INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Tudo o que existe no mundo é energia. A luz O calor A matéria Os Átomos As estrelas A

Leia mais

PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO PASSADO, PRESENTE E FUTURO

PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO PASSADO, PRESENTE E FUTURO PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO PASSADO, PRESENTE E FUTURO Odair Dias Gonçalves Comissão Nacional de Energia Nuclear 1. GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA ENERGIA NUCLEAR 2. CICLO DE COMBUSTÍVEL 3. ENERGIA

Leia mais

Combustíveis. Radioativos

Combustíveis. Radioativos Combustíveis Radioativos Introdução Os combustíveis radioativos São compostos de elementos químicos instáveis que liberam energia térmica t através s de ondas eletromagnéticas ticas (alfa, beta e gama).

Leia mais

Parte III Fontes não-renováveis

Parte III Fontes não-renováveis Energia Nuclear Capítulo 8 Parte III Fontes não-renováveis 8 Energia Nuclear Atlas de Energia Elétrica do Brasil 117 Capítulo 8 Energia Nuclear Box 8 O ciclo do combustível nuclear O valor do minério urânio

Leia mais

Verdades e Perigos da energia nuclear

Verdades e Perigos da energia nuclear Verdades e Perigos da energia nuclear O símbolo da radiação Você conhece esse símbolo? Ele é o símbolo internacional de radiação, apresentado na cor vermelha ou preta em um fundo amarelo, que deve estar

Leia mais

Reatores Nucleares - Conceitos

Reatores Nucleares - Conceitos Reatores Nucleares - Conceitos Observa-se na mídia, em decorrência do acidente nas usinas nucleares do Japão, um grande interesse sobre os reatores nucleares, o acompanhamento das causas do acidente, sua

Leia mais

ETAPAS NA PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA UMA USINA NUCLEAR

ETAPAS NA PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA UMA USINA NUCLEAR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ETAPAS NA PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA UMA USINA NUCLEAR Lucas Ferreira de Souza 1, Luana Thayse Moreira 2, Arquimedes Luciano 3 RESUMO: O Programa de

Leia mais

Exercícios de Radioatividade

Exercícios de Radioatividade Exercícios de Radioatividade 1. Os Curie empreenderam uma elaborada análise química da uranimite, separando seus numerosos elementos em grupos analíticos: sais de metais alcalinos, de elementos alcalino

Leia mais

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas AULA 22.2 Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas Habilidades: Frente a uma situação ou problema concreto, reconhecer a natureza dos fenômenos envolvidos, situando-os dentro do

Leia mais

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS A correção de cada questão será restrita somente ao que estiver registrado no espaço

Leia mais

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER Theinformationcontainedinthisdocumentcannotbechangedormodifiedinanywayand shouldserveonlythepurposeofpromotingexchangeofexperience,knowledgedissemination

Leia mais

Vantagens da Energia Nuclear sobre Combustíveis Fósseis

Vantagens da Energia Nuclear sobre Combustíveis Fósseis Vantagens da Energia Nuclear sobre Combustíveis Fósseis Reservas mundiais de U devem bastar para, pelo menos, mais 100 anos de geração de energia elétrica no mundo. Independência estratégica. Emissão zero

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

Como se produz eletricidade Os vários meios de obtê-la transformando outros tipos de energia

Como se produz eletricidade Os vários meios de obtê-la transformando outros tipos de energia A geracao de eletricidade Como se produz eletricidade Os vários meios de obtê-la transformando outros tipos de energia valdemir cunha/horizonte Unidades geradoras da usina hidrelétrica de Promissão, no

Leia mais

APLICAÇÕES DA CIÊNCIA NUCLEAR E O ENSINO DE DISCIPLINAS

APLICAÇÕES DA CIÊNCIA NUCLEAR E O ENSINO DE DISCIPLINAS APLICAÇÕES DA CIÊNCIA NUCLEAR E O ENSINO DE DISCIPLINAS 1 INTRODUÇÃO Wellington Antonio Soares soaresw@cdtn.br Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN Centro

Leia mais

O BRASIL DEVE DESISTIR DA ENERGIA NUCLEAR?

O BRASIL DEVE DESISTIR DA ENERGIA NUCLEAR? O BRASIL DEVE DESISTIR DA ENERGIA NUCLEAR? Edmundo Montalvão 1 Em março de 2011, um forte terremoto gerou um acidente nuclear na usina de Fukushima, no Japão. Reabriu-se, a partir daí, o debate sobre os

Leia mais

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear WNTI W O R L D N U C L E A R T R A N S P O RT I N S T I T U T E FICHA DESCRITIVA Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear Materiais Back End (da etapa final) Dedicado ao transporte seguro, eficiente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Energia Nuclear. A utilização da energia nuclear vem crescendo a cada dia. A geração núcleo elétrica é uma das alternativas menos poluentes; permite a obtenção de muita energia em um espaço físico relativamente

Leia mais

FÍSICA-2012. Da análise da figura e supondo que a onda se propaga sem nenhuma perda de energia, calcule

FÍSICA-2012. Da análise da figura e supondo que a onda se propaga sem nenhuma perda de energia, calcule -2012 UFBA UFBA - 2ª - 2ª FASE 2012 Questão 01 Ilustração esquemática (fora de escala) da formação da grande onda Em 11 de março de 2011, após um abalo de magnitude 8,9 na escala Richter, ondas com amplitudes

Leia mais

2º SIMULADO ONLINE CIÊNCIAS NATURAIS 2º ANO ENSINO MÉDIO

2º SIMULADO ONLINE CIÊNCIAS NATURAIS 2º ANO ENSINO MÉDIO 2º SIMULADO ONLINE CIÊNCIAS NATURAIS 2º ANO ENSINO MÉDIO A respeito das informações contidas nos textos e nos estudos realizados, em sala, a respeito de radioatividade, julgue os itens a seguir. O Departamento

Leia mais

Boletim Informativo Energia

Boletim Informativo Energia Boletim Informativo 01 A Rio Tinto é uma empresa líder internacionai envolvida em todos os estágios da produção de metais e minerais. O Grupo é composto pela Rio Tinto plc, cujas ações são negociadas

Leia mais

PERNAMBUCO TERÁ UMA USINA NUCLEAR?

PERNAMBUCO TERÁ UMA USINA NUCLEAR? PERNAMBUCO TERÁ UMA USINA NUCLEAR? A usina nuclear será instalada no município de Itacuruba na Mesorregião do São Francisco em Pernambuco. Música: Rosa de Hiroshima Localização de Itacuruba O município

Leia mais

PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO

PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO DEFINIÇÃO DO FOGO O FOGO É UMA REAÇÃO QUIMICA QUE LIBERA LUZ E CALOR. PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO 193 QUAL É O NUMERO DO CORPO DE BOMBEIROS?

Leia mais

Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser. Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados

Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser. Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados Roteiro 1. Motivação: - Isótopos: o que são porque um determinado isótopo é mais interessantes que

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO RADIOATIVIDADE I EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (CESGRANRIO-RJ) A partir da década de 40, quando McMillan e Seaborg obtiveram em laboratório os primeiros elementos transurânicos (NA > 92), o urânio natural

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS

ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS Apresentação no Senado Federal Aquilino Senra COPPE/UFRJ 23/03/2011 AS PRINCIPAIS ÁREAS DA ENGENHARIA NUCLEAR TECNOLOGIA NUCLEAR

Leia mais

Acidente de Fukushima

Acidente de Fukushima Acidente de Fukushima Março, 2012 Entrevista à Revista do Instituto Humanitas Unisinos (IHU) On-Line Revista do IHU - Um ano após o acidente de Fukushima, quais são as conclusões que explicam o ocorrido?

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA DE APROPRIAÇÃO DE DESPESA

ESPELHO DE EMENDA DE APROPRIAÇÃO DE DESPESA Avaliação dos Recursos Minerais do Brasil Página: 1 de 5 CPRM 22.663.1115.2399.0001 Avaliação dos Recursos Minerais do Brasil Relatório elaborado(unidade) 100 9 Reserva de Contingência 00 Res. de Contingencia

Leia mais

OS GRAVES RISCOS DA ENERGIA NUCLEAR

OS GRAVES RISCOS DA ENERGIA NUCLEAR 1 OS GRAVES RISCOS DA ENERGIA NUCLEAR JOSÉ LUTZENBERGER Trechos selecionados dos seguintes artigos: Os Perigos da Poluição Nuclear, 1977 Os Custos Ambientais do Uso Pacífico da Energia Nuclear, 1975 Aprendiz

Leia mais

PERSPECTIVAS DA COMPONENTE NUCLEAR DA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA. A disponibilidade de energia deixou de ser um processo cuja análise leva em

PERSPECTIVAS DA COMPONENTE NUCLEAR DA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA. A disponibilidade de energia deixou de ser um processo cuja análise leva em PERSPECTIVAS DA COMPONENTE NUCLEAR DA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA Rex Nazaré Alves 1, Maysa Joppert Coelho 2 e Silvio Ari Kerscher 2 1. INTRODUÇÃO A disponibilidade de energia deixou de ser um processo

Leia mais

Apresentação na íntegra. Apresentação

Apresentação na íntegra. Apresentação Energia Nuclear e o Desenvolvimento Sustentável. Por Vanusa Feliciano Jacomino, pesquisadora do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear - CDTN. Apresentação realizada em 31 de março de 2005 na

Leia mais

AULA 2 A CONTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO

AULA 2 A CONTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 2 1. Conceituar a Contabilidade Ambiental; 2. Definir Meio Ambiente 3. Citar as finalidades da Contabilidade Ambiental; 4. Conhecer a evolução histórica; 3

Leia mais

Decreto Legislativo No. 67, de 25.08.1999

Decreto Legislativo No. 67, de 25.08.1999 Decreto Legislativo No. 67, de 25.08.1999 Aprova o texto do Acordo de Cooperação sobre os Usos Pacíficos da Energia Nuclear, celebrado entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo dos

Leia mais

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA Iria Müller Guerrini, No Brasil a maior quantidade de energia elétrica produzida provém de usinas hidrelétricas (cerca de 95%). Em regiões rurais e mais distantes das hidrelétricas

Leia mais

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1 Rosa de Hiroshima Ney Matogrosso Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas, oh, não se esqueçam

Leia mais

LEGISLAÇÃO NUCLEAR NO BRASIL, ESTADOS UNIDOS, AUSTRÁLIA, CANADÁ E ALEMANHA

LEGISLAÇÃO NUCLEAR NO BRASIL, ESTADOS UNIDOS, AUSTRÁLIA, CANADÁ E ALEMANHA ESTUDO LEGISLAÇÃO NUCLEAR NO BRASIL, ESTADOS UNIDOS, AUSTRÁLIA, CANADÁ E ALEMANHA Wagner Marques Tavares Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO JUNHO/2005 Câmara

Leia mais

ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL. descubra como ela está no seu dia a dia e nos planos do país

ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL. descubra como ela está no seu dia a dia e nos planos do país ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL descubra como ela está no seu dia a dia e nos planos do país OLÁ, EM TODO O MUNDO, CADA VEZ MAIS CIDADÃOS, EMPRESAS E GOVERNOS ESTÃO PENSANDO EM NOVAS MANEIRAS DE PRODUZIR ENERGIA,

Leia mais

Fig.: Esquema de montagem do experimento.

Fig.: Esquema de montagem do experimento. Título do Experimento: Tratamento de água por Evaporação 5 Conceitos: Mudanças de fases Materiais: Pote de plástico de 500 ml ou 1L; Filme PVC; Pote pequeno de vidro; Atilho (Borracha de dinheiro); Água

Leia mais

Guia Didático do Professor

Guia Didático do Professor Guia Didático do Professor Programa Tudo se Transforma Energia Nuclear 2 Energia Nuclear e I m p a c t o A m b i e n t a l Química 3ª Série Ensino Médio CONTEÚDOS DIGITAIS MULTIMÍDIA Conteúdos Digitais

Leia mais

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014.

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. 1- Prazeres, benefícios, malefícios, lucros cercam o mundo dos refrigerantes. Recentemente, um grande fabricante nacional anunciou que havia reduzido em 13

Leia mais

Conceito. são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos:

Conceito. são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos: Conceito são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos: Renováveis renovação em um curto período de tempo; Não renováveis

Leia mais

Distribuição Percentual das Fontes de Geração de Eletricidade no Mundo

Distribuição Percentual das Fontes de Geração de Eletricidade no Mundo A ENERGIA NUCLELÉTRICA 1 HISTÓRICO Até 1954, a energia elétrica que alimentava as residências e as indústrias, era de origem hídrica ou da queima de combustíveis fósseis (carvão e petróleo). Naquele ano,

Leia mais

I SENCIR SEMANA DE ENGENHARIA NUCLEAR E CIÊNCIAS DAS RADIAÇÕES ESCOLA DE ENGENHARIA UFMG

I SENCIR SEMANA DE ENGENHARIA NUCLEAR E CIÊNCIAS DAS RADIAÇÕES ESCOLA DE ENGENHARIA UFMG I SENCIR SEMANA DE ENGENHARIA NUCLEAR E CIÊNCIAS DAS RADIAÇÕES ESCOLA DE ENGENHARIA UFMG Belo Horizonte, 29-31 de Maio de 2012 TECNOLOGIA DOS REATORES NUCLEARES DE POTÊNCIA E DE PESQUISA Dr. Clarysson

Leia mais

INTRODUÇÃO À MECÂNICA QUÂNTICA E A FÍSICA NUCLEAR

INTRODUÇÃO À MECÂNICA QUÂNTICA E A FÍSICA NUCLEAR INTRODUÇÃO À MECÂNICA QUÂNTICA E A FÍSICA NUCLEAR Prof.: Giovane Irribarem de Mello Uniforte pré vestibular - 1870 A Ampola de Crookes e os Misteriosos Raios Catódicos (William Crookes Físico Inglês) -

Leia mais

REVISÃO QUÍMICA. Profº JURANDIR QUÍMICA

REVISÃO QUÍMICA. Profº JURANDIR QUÍMICA REVISÃO QUÍMICA Profº JURANDIR QUÍMICA DADOS 01. (ENEM 2004) Em setembro de 1998, cerca de 10.000 toneladas de ácido sulfúrico (H 2 SO 4 ) foram derramadas pelo navio Bahamas no litoral do Rio Grande

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) e os desafios na implantação. São Paulo

Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) e os desafios na implantação. São Paulo Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) e os desafios na implantação São Paulo Apresentação Pessoal Ailton de Paula - Pós Graduação em Administração Industrial / Qualidade - Fundação Carlos Alberto Vanzolini

Leia mais

ensaio êtendências Atuais dos Projetos de Armas Nucleares

ensaio êtendências Atuais dos Projetos de Armas Nucleares Tendências Atuais dos Projetos de Armas Nucleares Fernando de Souza Barros Instituto de Física Universidade Federal do Rio de Janeiro fsbarros@if.ufrj.br Resumo A motivação principal deste artigo é de

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA n 518, de 4 de abril de 2003

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA n 518, de 4 de abril de 2003 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA n 518, de 4 de abril de 2003 Revoga a Portaria 496, de 11 de dezembro de 2002. O MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das competências que

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS SOBRE A ENERGIA NUCLEAR

CONCEITOS BÁSICOS SOBRE A ENERGIA NUCLEAR 1. Introdução CONCEITOS BÁSICOS SOBRE A ENERGIA NUCLEAR Hilton Andrade de Mello Eng. Eletrônico e Nuclear Ex-Diretor do Instituto de Engenharia Nuclear Quando a mídia se manifesta sobre a energia nuclear,

Leia mais

Energia e Trabalho Energia

Energia e Trabalho Energia . Energia Energia Energia Conceito: é uma grandeza física escalar, pode ser acumulada em um corpo, pode ser usada para mover um corpo, pode ser transferida de um corpo para outro, pode existir e ser transferida

Leia mais

A Energia Nuclear. Olá! eu sou o Nuclídeo, venha descobrir o que é, e as várias aplicações da energia nuclear. 3ª edição

A Energia Nuclear. Olá! eu sou o Nuclídeo, venha descobrir o que é, e as várias aplicações da energia nuclear. 3ª edição Apostila educativa ELIEZER DE MOURA CARDOSO 3ª edição Olá! eu sou o Nuclídeo, venha descobrir o que é, e as várias aplicações da energia nuclear. 02 A (CNEN), instituição vinculada ao Ministério da Ciência

Leia mais

Autor Eliezer de Moura Cardoso

Autor Eliezer de Moura Cardoso Autor Eliezer de Moura Cardoso APRESENTAÇÃO O Programa de Integração CNEN - PIC, em seu Módulo I - Informação Técnica, visa apresentar informações básicas sobre a energia nuclear e das radiações, de forma

Leia mais

A ENERGIA NUCLEAR E SEUS USOS NA SOCIEDADE

A ENERGIA NUCLEAR E SEUS USOS NA SOCIEDADE A ENERGIA NUCLEAR E SEUS USOS NA SOCIEDADE Cínthia Helena Claudino Silvestre Disrael Camargo Neves da Cunha Felipe Prates Moitinho Mendes Pereira Felipe Renier Maranhão Lima Guilherme Campos Gonçalves

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 13 - Energia Solar. Sorocaba, Maio de 2015

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 13 - Energia Solar. Sorocaba, Maio de 2015 Campus Experimental de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 13 - Energia Solar Sorocaba, Maio de 2015 ENERGIA SOLAR Sol: imenso reator de fusão nuclear onde converte-se,

Leia mais

Fontes de energia. Fonte: UOl - educação

Fontes de energia. Fonte: UOl - educação Fontes de energia. Fonte: UOl - educação As fontes de energia podem ser convencionais ou alternativas. Energia convencional é caracterizada pelo baixo custo, grande impacto ambiental e tecnologia difundida.

Leia mais

Guia Didático do Professor

Guia Didático do Professor Guia Didático do Professor Programa É Tempo de Química! Radioatividade e Energia Nuclear Estrutura Atômica Química 1ª Série Ensino Médio CONTEÚDOS DIGITAIS MULTIMÍDIA Conteúdos Digitais Multimídia Guia

Leia mais

Introdução à Química. Prof. Fernando R. Xavier

Introdução à Química. Prof. Fernando R. Xavier Introdução à Química Prof. Fernando R. Xavier UDESC 2013 Qual a idade da química? É possível identificar a presença da química desde a idade do bronze (3,300 a.c.). Ex.: Agricultura, conserva de alimentos,

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS POR IRRADIAÇÃO

CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS POR IRRADIAÇÃO CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS POR IRRADIAÇÃO Aula 4 Prof. Dr. Estevãn Martins de Oliveira CONCEITO A irradiação é uma técnica eficiente na conservação dos alimentos reduz as perdas naturais causadas por processos

Leia mais

MÓDULOS DIDÁTICOS DE FÍSICA EIXO I: ENERGIA NA TERRA TEMA 1: ENERGIA E VIDA NA TERRA

MÓDULOS DIDÁTICOS DE FÍSICA EIXO I: ENERGIA NA TERRA TEMA 1: ENERGIA E VIDA NA TERRA MÓDULOS DIDÁTICOS DE FÍSICA EIXO I: ENERGIA NA TERRA TEMA 1: ENERGIA E VIDA NA TERRA TÓPICO 2: O SOL E AS FONTES DE ENERGIA Autor: Márcio Quintão Moreno CONTEÚDO DO MÓDULO: O SOL E AS FONTES DE ENERGIA

Leia mais