MODELO DE AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR (MABE)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MODELO DE AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR (MABE)"

Transcrição

1 Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra EB D. Domingos Jardo MODELO DE AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR (MABE) Ano letivo 2012/2013 Profª bibliotecária Lígia Freitas Domínio Avaliado: C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidade

2 Avaliação da biblioteca escolar to Fundamentação: A aplicação do MABE pretende avaliar a qualidade e eficácia da Biblioteca Escolar, na sua função de elemento aglutinador de recursos ao serviço da escola, devendo esta mesma autoavaliação ser encarada como um processo pedagógico e regulador, inerente à gestão e procura de uma melhoria contínua da BE. Quatro Domínios/Subdomínios objeto de avaliação Representam as áreas essenciais para que a BE cumpra, de forma efetiva, os pressupostos e objetivos que suportam a sua ação no processo educativo. Domínio C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidade. Subdomínio / Indicadores: C.1 Apoio a atividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular C.1.1 Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos. C.1.2 Dinamização de atividades livres, de carácter lúdico e cultural na escola/agrupamento. C.1.3 Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos. C.1.4 Disponibilização de espaços, tempos e recursos para a iniciativa e intervenção livre dos alunos. Subdomínio / Indicadores: C.2 Projetos e parcerias Domínio selecionado para avaliação em 2012/13 C.2.1 Envolvimento da BE em projetos da respetiva escola/agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo. C.2.2 Desenvolvimento de trabalho e serviços colaborativos com outras escolas, agrupamentos e BE. C.2.3 Participação com outras escolas/agrupamentos e, eventualmente, com outras entidades (RBE,DRE,CFAE) em reuniões da BM/SABE ou outro grupo de trabalho a nível concelhio ou interconcelhio. C.2.4 Estímulo à participação e mobilização dos pais/encarregados de educação no domínio da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola/agrupamento. C.2.5. Abertura da BE à comunidade local. 1

3 Outros Domínios/Subdomínios avaliados Cada um destes domínios/subdomínios é avaliado de acordo com evidências demonstradas, devendo, obrigatoriamente, propor-se ações para a melhoria. Domínio A Apoio ao desenvolvimento curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e os docentes A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital Domínio B Leitura e Literacia B.1. Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento. B.2. Integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível da escola/agrupamento. B.3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia. Domínio D Gestão da biblioteca escolar D.1. Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D.3. Gestão da coleção/da informação. 2

4 No Domínio C Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à Comunidade (objeto de avaliação mais detalhada 2012/2013) Instrumentos utilizados para recolha de informação QA3 Aplicação de questionários - Aos Alunos (Os inquéritos aplicados são da responsabilidade da RBE e disponibilizados no MABE) QA3. Questionário aos Alunos aplicado a 219 alunos (proporcional ao nº de alunos por ano de escolaridade, nomeadamente: 5º ano 65 alunos 6º ano 70 alunos 7º ano 30 alunos 8º ano 24 alunos 9º ano 30 alunos Questões inquiridas: Frequência no uso da BE (Todos os dias? Uma ou duas vezes por semana? Uma ou duas vezes por mês? Uma ou duas vezes por período? Muito raramente e de forma irregular? Nunca?) Objetivo no uso da BE (Requisitar livros/outros materiais; Ler; Jogar; Ver filmes; Ouvir música; Utilizar a Internet; Conviver/conversar; Estudar/realizar trabalhos; Fazer TPC; Participar em AEC s) Opinião geral sobre as atividades culturais dinamizadas pela BE (São numerosas? São diversificadas? São interessantes?) Opinião geral sobre as atividades culturais dinamizadas pela BE (Horário é adequado? Espaço é adequado? Ambiente calmo? Fácil encontrar documentos? Livros atuais? CDs/DVDs são do agrado? Computadores suficientes? A BE apoia?) Consideras que a BE contribui para desenvolver a boa convivência/espírito de iniciativa/entreajuda/autoconfiança dos alunos? Nota: Consultar os quadros apresentados relativos ao Questionário supracitado para ter conhecimento total das respostas dadas a cada questão. 3

5 Instrumentos utilizados para recolha de informação QEE3 Aplicação de questionários Pais e Encarregados de Educação (Os inquéritos aplicados são da responsabilidade da RBE e disponibilizados no MABE) QEE3. Questionário aos pais e encarregados de educação aplicado a 101 pais/ee (proporcional ao nº de alunos por ano de escolaridade, nomeadamente: Questões inquiridas: 5º ano 37 pais/encarregados de educação 6º ano 38 pais/encarregados de educação 7º ano 14 pais/encarregados de educação 8º ano 10 pais/encarregados de educação 9º ano 12 pais/encarregados de educação Conhece a BE? (Sim; Não) Costuma acompanhar as leituras? (Nunca; Ocasionalmente; Frequentemente) Desloca-se à BE a título pessoal? (Nunca; Ocasionalmente; Frequentemente) Desloca-se à biblioteca para participar em atividades da BE? (Nunca; Ocasionalmente; Frequentemente) Costuma receber informação sobre atividades da BE? (Nunca; Ocasionalmente; Frequentemente) Tem colaborado/sido envolvido no trabalho/organização de atividades da BE? (Nunca; Ocasionalmente; Frequentemente) em caso afirmativo, indique a situação (Como orador/interveniente; Como formador; Como leitor/animador; Como voluntário; Como Apoiante; Outra) Considera que as atividades realizadas pela BE contribuem para estimular o interesse do seu educando pela leitura? (Sim; Não) Que importância atribui à BE para a aprendizagem global do seu educando? (Nada importante; Pouco importante; Importante; Muito importante) Nota: Consultar os quadros apresentados relativos ao Questionário supracitado para ter conhecimento total das respostas dadas a cada questão. 4

6 Instrumentos utilizados de recolha de informação GO5 Grelha de observação de observação da utilização da BE pelos alunos em contexto livre (A Grelha de Observação aplicada é da responsabilidade da RBE e disponibilizada no MABE) GO5. Grelha de observação da utilização da biblioteca pelos alunos em contexto livre aplicada a 8 turmas, equivalente a 192 alunos, divididos em grupos: A; B; C e D, em que se avalia o nível de desempenho de cada aluno numa escala de: 1 Fraco; 2 razoável; 3 Bom; 4 Muito Bom. Questões inquiridas: 5º ano 2 turmas 6º ano 2 turmas 7º ano 2 turmas 8º ano 2 turmas 9º ano 2 turmas 1. Desenvolve atividades lúdicas de leitura, visionamento de filmes, jogos 2. Realiza atividades livres de pesquisa e de estudo. 3. Sabe organizar a sua própria aprendizagem, revelando autonomia na execução independente das suas tarefas escolares incluindo TPC. 4. Explora informação de diferentes tipos de documentos (livros, dossiês temáticos, Internet, outros). 5. Utiliza estratégias diversificadas de leitura e registo de informação (toma notas, elabora fichas de leitura, faz resumos, executa esquemas, outros). 6. Produz e edita trabalhos escritos recorrendo sempre que necessário ao uso do computador. 7. Cultiva um clima de liberdade e de responsabilidade quando utiliza a BE de forma livre e por sua iniciativa. 8. Desenvolve um clima de boa convivência e entreajuda quando utiliza a BE de forma livre e por sua iniciativa. 9. Mostra iniciativa e capacidade de concretização nas atividades e projetos da sua responsabilidade. 10. Demonstra interesse e revela empenho quando participa em atividades propostas pela BE. Nota: Consultar os gráficos apresentados relativos à Grelha supracitada para ter conhecimento total das respostas dadas a cada questão. 5

7 Recolha de Evidências Horário da BE; Estatísticas de utilização da BE (presenças; livros; jornais/revistas; computadores; vídeo; trabalhos de casa; trabalhos de grupo; empréstimo domiciliário; empréstimo PLN/Educação Literária; empréstimo de outros materiais para sala de aula; cartões de leitor; impressões alunos/impressões professores; cacifos; nº de docentes que utilizaram a BE individualmente; nº de docentes que utilizaram a BE com turma; nº de turmas que utilizaram a BE; nº de utilizações dos equipamentos informáticos disponibilizados aos utilizadores no âmbito dos trabalhos escolares e de lazer; Plano de Atividades da BE; Plano Anual de Atividades do Agrupamento; Projeto Educativo do Agrupamento; Regulamento Interno do Agrupamento; Atas da equipa da BE; Atas de Departamentos / Grupos disciplinares; Atas de Conselhos de docentes; Atas de Conselhos de Turma; Atas de Conselho Pedagógico; Fichas de Avaliação de Atividades; Registo de reuniões/contactos; Registo de planificação das atividades/projetos; Existência de Monitores ao longo do ano letivo; Apoio das Assistentes Operacionais da BE; Caixa de Sugestões; Atividades planificadas e executadas a nível curricular; Atividades planificadas e executadas a nível extracurricular; Atividades planificadas e executadas com as crianças do pré-escolar; Atividades planificadas e executadas com as EB1 do agrupamento; Projetos e parcerias com outras entidades (CM/ BM/RBE/SABE); Número total de docentes envolvidos nas atividades dinamizadas ou em parceria com a BE; Número total de alunos envolvidos nas atividades dinamizadas ou em parceria com a BE; Número de certificados/diplomas realizados; Número de recursos educativos produzidos, por área, para os utilizadores no contexto das atividades (impressos; literacia tecnológica, da informação e dos média; leitura e literacia); Observação direta da frequência da BE por parte dos Pais/EE com os alunos; Blogue da BE; Facebook da BE; Sítio da BE; Newsletter DDJ (boletim mensal online). 6

8 Perfis de desempenho do MABE A BE fomenta e apoia a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos 80% ou mais dos alunos avalia positivamente as condições e apoio oferecidos pela biblioteca (ver C.1.1 sobre condições de aplicação). A BE dinamiza um amplo conjunto de atividades livres, de carácter lúdico e cultural, que correspondem aos interesses e necessidades dos alunos. A BE promove a utilização autónoma e voluntária da biblioteca como espaço de lazer e livre fruição dos recursos, praticando um horário contínuo e alargado e a abertura nos períodos de interrupção letiva. A BE estimula e apoia fortemente a iniciativa e intervenção livre dos alunos. A BE está implicada nas AEC/ AAAF, conciliando as com a utilização livre da BE (ver C.1.5 sobre condições de aplicação). A BE fomenta e apoia a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho de estudo autónomos pelos alunos 60 a 79% dos alunos avalia positivamente as condições e apoio oferecidos pela biblioteca (ver C.1.1 sobre condições de aplicação). A BE dinamiza atividades livres, de carácter lúdico e cultural, que correspondem aos interesses e necessidades dos alunos. A BE facilita a utilização autónoma e voluntária da biblioteca como espaço de lazer e livre fruição dos recursos, permitindo o acesso durante a hora de almoço e todo o período de permanência de alunos na escola. A BE proporciona as condições necessárias para a iniciativa e intervenção livre dos alunos. A BE apoia as AEC/ AAAF, conciliando as com a utilização livre da BE (ver C.1.5 sobre condições de aplicação). A BE fomenta e apoia a aquisição e desenvolvimento de alguns métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos 45 a 59% dos alunos avalia positivamente as condições e apoio oferecidos pela biblioteca (ver C.1.1 sobre condições de aplicação). A BE dinamiza algumas atividades livres, de carácter lúdico e cultural. A BE assegura à hora de almoço a utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos, embora com limitações pontuais. A BE proporciona pontualmente apoio a iniciativas dos alunos. A BE dá algum apoio, quando solicitado, às AEC/ AAAF (ver C.1.5 sobre condições de aplicação). A BE pouco contribui para a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos menos de 45% dos alunos avalia positivamente as condições e apoio oferecidos pela biblioteca (ver C.1.1 sobre condições de aplicação). A BE raramente dinamiza atividades livres, de carácter lúdico e cultural. A BE dificulta a sua utilização autónoma e de livre fruição dos recursos, praticando um horário de funcionamento que não permite o acesso fora do período letivo. A BE não proporciona quaisquer apoios a iniciativas dos alunos. A BE não apoia as AEC/ AAAF (ver C.1.15 sobre condições de aplicação). 7

9 Perfis de desempenho obtidos pela BE C.1 Apoio a atividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular C1.1 A BE fomenta e apoia a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos. Resultado da aplicação dos inquéritos: 60 a 79% dos alunos avalia positivamente as condições e apoio oferecidos pela biblioteca. Nível obtido: 3 C1.2 A BE dinamiza: Resultado da aplicação dos inquéritos: Um amplo conjunto de atividades livres, de caráter lúdico e cultural, que correspondem aos interesses e necessidades dos alunos. Nível obtido: 4 C1.3 Utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos Resultado da aplicação dos inquéritos: A BE facilita esta utilização permitindo o acesso durante a hora de almoço e no período de permanência dos alunos na escola. Nível obtido: 3 C1.4 A BE: Resultado da aplicação dos inquéritos: Proporciona as condições necessárias para a iniciativa e intervenção livre dos alunos. Nível obtido: 3 C.2 Projetos e parcerias C2.1 A BE: Resultado da aplicação dos inquéritos: Estabelece fortes parcerias com outras entidades /CM/BM e outros) e é envolvida nos diferentes projetos da escola. Nível obtido: 4 C2.2 A BE: Resultado da aplicação dos inquéritos: Desenvolve um trabalho colaborativo permanente com outras escolas, agrupamentos e BE. Nível obtido: 4 8

10 C2.3 A BE: Resultado da aplicação dos inquéritos: Participa regularmente com outras escolas/agrupamentos, com a BM/SABE e outras entidades num grupo de trabalho colaborativo. Nível obtido: 4 C2.4 (ver condições de aplicação Pré-escolar ) C2.5 A BE: Resultado da aplicação dos inquéritos: Viabiliza a utilização dos seus recursos pela comunidade educativa, sobretudo antigos alunos. Nível obtido: 3 Avaliação - Quadro Síntese Domínio C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidade. Subdomínio Nível obtido C.1 Apoio a atividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular 3.25 C.2 Projetos e parcerias

7. Participar em atividades (efemérides, palestras, eventos de leitura, sessões formativas, projetos, clubes, outras)

7. Participar em atividades (efemérides, palestras, eventos de leitura, sessões formativas, projetos, clubes, outras) QA Questionário aos alunos 17 Escola: 1 Identificação: Data: Masculino 2 Frequentas o Feminino Ensino Básico: 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º Outros cursos Ensino Secundário: 10.º 11.º 12.º Curso profissional Outros

Leia mais

Plano de melhoria (2015/16)

Plano de melhoria (2015/16) Plano de melhoria (2015/16) Introdução Agrupamento Vertical de Portel Escola EB 2,3 de D. João de Portel Quatro domínios de ação da Biblioteca Escolar: A. Currículo, literacias e aprendizagem B. Leitura

Leia mais

Avaliação da biblioteca escolar

Avaliação da biblioteca escolar Avaliação da biblioteca escolar 2009-2013 2010 B. Leitura e literacia Avaliação 4 2011 D. Gestão da biblioteca escolar Avaliação D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas. Plano de acção Nota introdutória

Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas. Plano de acção Nota introdutória Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas Plano de acção 2009-2013 Nota introdutória O plano de acção é um documento orientador onde se conceptualizam e descrevem as metas a atingir num período

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE CARVALHO, FIGUEIRA DA FOZ PLANO DE AÇÃO B I B L I O T E C A E S C O L A R

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE CARVALHO, FIGUEIRA DA FOZ PLANO DE AÇÃO B I B L I O T E C A E S C O L A R ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE CARVALHO, FIGUEIRA DA FOZ PLANO DE AÇÃO 2014-2017 B I B L I O T E C A E S C O L A R Nota Introdutória A Biblioteca Escolar existe para servir toda a comunidade escolar.

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2011/2012

PLANO DE ATIVIDADES 2011/2012 1º Período BibliotecaEscolar Agrupamento de Escolasde Águeda PLANO DE ATIVIDADES 2011/2012 Ações/Atividades Responsáveis/ dinamizadores Público alvo Avaliação/ Evidências Domínios/ subdomínios setembro/

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

PLANO DE ACÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA PLANO DE ACÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / a / Dezembro de Profª Bibliotecária: Maria Clara Nogueira de Almeida DEFINIÇÃO Documento que apresenta as linhas orientadoras para

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA BIBLIOTECA DE AGRUPAMENTO À BEIRA DOURO

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA BIBLIOTECA DE AGRUPAMENTO À BEIRA DOURO Domínio A: Apoio ao desenvolvimento curricular PLANIFICAÇÃO ANUAL DA BIBLIOTECA DE AGRUPAMENTO À BEIRA DOURO 2012-2013 A.1 Articulação curricular da biblioteca escolar com as estruturas de coordenação

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alcabideche Escola Básica de Alcabideche PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Alcabideche Escola Básica de Alcabideche PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO BIBLIOTECA ESCOLAR - ALCABIDECHE E ALTO DA PEÇA - GLOBAL Data Atividades Reuniões entre a Professora Bibliotecária/Coordenadora da Biblioteca Escolar () o Diretor do Agrupamento (DA) e/ou a Coordenadora

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria Plano de Melhoria 1 Enquadramento O presente Plano de Melhoria resulta, simultaneamente, das orientações emanadas da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que assentam nas sugestões do Conselho Nacional

Leia mais

avaliação da biblioteca escolar

avaliação da biblioteca escolar guia de apoio à elaboração do relatório 2017 Sumário Secção A Processo de melhoria... 1 Secção B Informação... 1 Secção C Processo de avaliação... 2 Contextualização do processo de avaliação... 2 Perfis

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

Plano de Actividades da Biblioteca Escolar de Valongo do Vouga

Plano de Actividades da Biblioteca Escolar de Valongo do Vouga Plano de Actividades da Biblioteca Escolar de Valongo do Vouga Plano de Actividades da Biblioteca Escolar de Valongo do Vouga A BE deve ser complemento e núcleo da vida da escola, um recurso indispensável

Leia mais

PAA BE-EB 2,3 Aradas Ano Letivo 2016 / 2017

PAA BE-EB 2,3 Aradas Ano Letivo 2016 / 2017 PAA BE-EB 2,3 Aradas Ano Letivo 2016 / 2017 - Ao longo do ano - Manutenção do blogue da BE - Divulgar as actividades no blogue - Promover a integração da BE na Escola -Difusão da informação educativa -

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES AUTO-AVALIAÇÃO BIBLIOTECA ESCOLAR DE MARRAZES 2009/2010

BIBLIOTECAS ESCOLARES AUTO-AVALIAÇÃO BIBLIOTECA ESCOLAR DE MARRAZES 2009/2010 BIBLIOTECAS ESCOLARES AUTO-AVALIAÇÃO BIBLIOTECA ESCOLAR DE MARRAZES 2009/2010 ONTEM... tendo magníficas colecções de informação, um ambiente físico inspirador ou uma rede avançada de tecnologia de informação.

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO TINTO CALENDÁRIO - Processo de ADD - ano escolar de Decreto Regulamentar nº 26/2012 de 21 de fevereiro

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO TINTO CALENDÁRIO - Processo de ADD - ano escolar de Decreto Regulamentar nº 26/2012 de 21 de fevereiro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO TINTO CALENDÁRIO - Processo de ADD - ano escolar de 2016-17 Decreto Regulamentar nº 26/2012 de 21 de fevereiro Ação Prazo Pedido de observação de aulas: docentes em período

Leia mais

Plano Nacional de Leitura

Plano Nacional de Leitura 2012-2014 Plano Nacional de Leitura 1 I. O que motivou o projeto? Centralidade da leitura Leitura como ponto de partida para: - Aprender (competência transversal ao currículo) - Colaborar - Interagir /

Leia mais

Questionário aos Pais e Encarregados de Educação 2015

Questionário aos Pais e Encarregados de Educação 2015 Questionário aos Pais e Encarregados de Educação Caros Pais e/ou Encarregados de Educação, professores e funcionários da EB Leão de Arroios - este inquérito é da responsabilidade da Associação de Pais

Leia mais

II Encontro Bibliotecas de Bragança. Ler o Mundo: passaporte para o futuro. Agrupamento de Escolas André Soares. Ler. Projeto de leitura

II Encontro Bibliotecas de Bragança. Ler o Mundo: passaporte para o futuro. Agrupamento de Escolas André Soares. Ler. Projeto de leitura o Mundo: passaporte para o futuro Agrupamento de Escolas André Soares Génese do projeto II Encontro Bibliotecas de Bragança Pontos fracos Decréscimo de participação dos alunos do 3º ciclo nas atividades

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DE LEITURA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE PROMOÇÃO DE LEITURA DO AGRUPAMENTO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO PLANO DE PROMOÇÃO DE LEITURA DO AGRUPAMENTO A leitura um bem essencial Para viver com autonomia, com plena consciência de si próprio e dos outros, para poder tomar

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Ano lectivo de 2013 2014

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Ano lectivo de 2013 2014 PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR Ano lectivo de 2013 2014 A Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos, de acordo com o que está definido no Projecto educativo, deste agrupamento (...)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO Resumo da proposta final Documento para análise PROJETO EDUCATIVO Análise na matriz SWOT (strenghts, weaknesses, opportunities, threats) pontos fortes/pontos fracos/

Leia mais

NA MATEMÁTICA TU CONTAS

NA MATEMÁTICA TU CONTAS PLANO AÇÃO ESTRATÉGICA 41ª MEDIDA NA MATEMÁTICA TU CONTAS OBJETIVO Melhorar o sucesso em Matemática. ANO(S) ESCOLARIDA A ABRANGER - Do 1.º ao 9.º de escolaridade. ATIVIDAS A SENVOLVER NO ÂMBITO DA MEDIDA:

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES Departamento: BIBLIOTECA ESCOLAR Eio de Intervenção: (Nº) 1;2 Plano Melhoria: Ação/Atividade Objetivos Coordenador/ Colaboradores Público-alvo Calendarização Actividade CNL Actividade

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA

Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA Leça da Palmeira, Julho 2012 0 INDICE Introdução. Relatório da avaliação externa..

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Mafra

Agrupamento de Escolas de Mafra CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome da Diretora Maria de Jesus Azevedo dos Santos Roxo Geraldes Pires Escalão 6º Escola : Agrupamento de Escolas de Mafra Grupo de Recrutamento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA 2014 Plano de melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA O Plano de Melhoria do Agrupamento de Escolas de Águeda surge na sequência do relatório da Avaliação Externa das Escolas realizada pela equipa de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA ESCOLA BÁSICA DE VOUZELA Relatório de Autoavaliação da Biblioteca Escolar Ano letivo O presente processo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA ESCOLA BÁSICA DE VOUZELA Relatório de Autoavaliação da Biblioteca Escolar Ano letivo O presente processo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA ESCOLA BÁSICA DE VOUZELA Relatório de Autoavaliação da Biblioteca Escolar Ano letivo 2013-2014 O presente processo avaliativo, iniciado no ano letivo de 2013 2014, teve

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANIFICAÇÃO DE ATIVIDADES 2014 / 2015

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANIFICAÇÃO DE ATIVIDADES 2014 / 2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO ESCOLA EB/S VIEIRA DE ARAÚJO VIEIRA DO MINHO BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANIFICAÇÃO DE ATIVIDADES / 2015 PROJETO EDUCATIVO Lacunas ao nível da articulação entre ciclos,

Leia mais

Plano de Atividades da Rede de Bibliotecas de Mealhada Ano Letivo

Plano de Atividades da Rede de Bibliotecas de Mealhada Ano Letivo Plano de Atividades da Rede de Bibliotecas de Mealhada Ano Letivo 2011-2012 Outubro 2011 Domínio de Intervenção: 1. Planeamento e Gestão 1.1. Cooperação / Articulação Inter-bibliotecas Grupo de Trabalho

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

2011/2012. da BE da Escola Básica Eugénio de. Relatório Final de Autoavaliação. Castro (MABE) PB Isabel Torre

2011/2012. da BE da Escola Básica Eugénio de. Relatório Final de Autoavaliação. Castro (MABE) PB Isabel Torre Relatório Final de Autoavaliação da BE da Escola Básica Eugénio de Castro (MABE) PB Isabel Torre 2011/2012 Fig. 1 Aluno a pesquisar informação sobre Monsanto, no âmbito da área curricular não disciplinar

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Escolar

Regulamento da Biblioteca Escolar Regulamento da Biblioteca Escolar PREÂMBULO ARTIGO 1.º (Nota prévia) O presente regulamento, elaborado em conformidade com o Regulamento Interno, define as regras de organização / gestão e funcionamento

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015-2016 BIBLIOTECA ESCOLAR

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015-2016 BIBLIOTECA ESCOLAR 2015-2016 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES BIBLIOTECA ESCOLAR DIRETORA DA BIBLIOTECA ESCOLAR, ANA CARVALHO EXTERNATO D. AFONSO HENRIQUES Largo da Igreja, nº 81 4660-227 Resende Índice 1. Introdução... 2 2. Domínio

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. FR ANCISCO FERNANDES LOPES BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO DE ACÇÃO

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. FR ANCISCO FERNANDES LOPES BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO DE ACÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA DR. FR ANCISCO FERNANDES LOPES BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO DE ACÇÃO 2009-2013 Introdução O Plano de Acção da Biblioteca Escolar para o quadriénio 2009/2013 encontra-se dividido em quatro

Leia mais

RELATÓRIO DO PLANO DE FORMAÇÃO

RELATÓRIO DO PLANO DE FORMAÇÃO RELATÓRIO DO PLANO DE FORMAÇÃO Ano letivo 2014/2015 ÍNDICE Introdução---------------------------------------------------------3 Ações realizadas--------------------------------------------------4 Grau

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES: Plano de Ação 2010/2013 PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES. Agrupamento de Escolas da Moita. Agrupamento de Escolas da Moita

BIBLIOTECAS ESCOLARES: Plano de Ação 2010/2013 PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES. Agrupamento de Escolas da Moita. Agrupamento de Escolas da Moita PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

ANO LETIVO 2016/2017. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações

ANO LETIVO 2016/2017. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 ANO LETIVO 2016/2017 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações 29- Agosto 15.00 1 e 2-Set. Todo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE PLANO DE MELHORIA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA 2015/2017 EqAI - 2015 Página 1 de 6 1. Resultados Em Português: incentivar a leitura; recontar as Académicos: histórias

Leia mais

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Pais/Encarregados de Educação CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia Agrupamento de Escolas de Arganil 2º/3º CEB e Secundário

Leia mais

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO APOIO AO ESTUDO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/20164 1º CICLO 1. INTRODUÇÃO O despacho normativo nº7/2013 tem como objetivo conceder maior flexibilidade na constituição das

Leia mais

PLANO TIC 1

PLANO TIC 1 2015-2016 PLANO TIC 1 Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres Estrada Nacional n.º 16 6370-147 Fornos de Algodres Tel.: 271700110 Fax: 271700118 www.ae-fa.pt e-mail: aefa.og@ae-fa.pt 2 Equipa PTE

Leia mais

Definição do plano de desenvolvimento em função dos Domínios do Projeto e dos aspetos positivos e negativos referidos no balanço realizado --

Definição do plano de desenvolvimento em função dos Domínios do Projeto e dos aspetos positivos e negativos referidos no balanço realizado -- Projeto aler+ Continuidade em 2016/2017 2 - PROJETO Designação do Projeto André Soares a ALer+ 6.1. Plano de desenvolvimento do Projeto Definição do plano de desenvolvimento em função dos Domínios do Projeto

Leia mais

Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas Escolares 2016

Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas Escolares 2016 Concurso de Ideias Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas Escolares 2016 Dados da Ideia Inovadora 1. Nome da Ideia Espaço Digital 2. Nome do(a) professor(a) bibliotecário(a)

Leia mais

Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais do Concelho de Seia

Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais do Concelho de Seia BIBLIOTECA MUNICIPAL DE SEIA Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais do Concelho de Seia Plano de Acção Autor: RBEMS (Grupo de Trabalho Concelhio) Setembro, 2009 1 Este Plano de Acção Concelhio visa

Leia mais

Projecto aler

Projecto aler Área de incidência Estratégia para envolver toda a escola Actividades para envolver toda a comunidade educativa profissional contínuo Relações interdisciplinares Projecto aler+ 2010-2011 Lançamento Uma

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades. PLANO DE PROMOÇÃO DA LEITURA Quadriénio

Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades. PLANO DE PROMOÇÃO DA LEITURA Quadriénio Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades PLANO DE PROMOÇÃO DA LEITURA Quadriénio 2014-18 Aprender a ler e ler para aprender é uma questão central no ensino e na aprendizagem. Os programas e metas do

Leia mais

Plano de Intervenção

Plano de Intervenção Plano de Intervenção 201415 Os agrupamentos de escolas que já integram a Rede aler+ são convidados a apresentarem um Plano de Intervenção que evidencie a centralidade da leitura e envolva os jardins de

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Código 171591 Designação Agrupamento de Escolas do Algueirão Data da intervenção Início 18.01.2017

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE Relatório de Reflexão Critica do Plano Anual de Atividades Ano Letivo 2011/2012 1ºPeríodo Índice Índice 2 Introdução 3 Grau execução e de satisfação 4 Participação dos agentes

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

Gostaríamos que respondessem de forma reflectida e sincera, a fim de acedermos a um conhecimento fundamentado sobre as questões em análise.

Gostaríamos que respondessem de forma reflectida e sincera, a fim de acedermos a um conhecimento fundamentado sobre as questões em análise. Questionário de Inquérito Colegas, A experiência profissional e a investigação educacional têm revelado que a supervisão organizacional das escolas é um factor que concorre decisivamente para a melhoria

Leia mais

ESCOLA REGIONAL DR. JOSÉ DINIS DA FONSECA INQUÉRITOS REALIZADOS À COMUNIDADE ESCOLAR- 2014/2015

ESCOLA REGIONAL DR. JOSÉ DINIS DA FONSECA INQUÉRITOS REALIZADOS À COMUNIDADE ESCOLAR- 2014/2015 ESCOLA REGIONAL DR. JOSÉ DINIS DA FONSECA INQUÉRITOS REALIZADOS À COMUNIDADE ESCOLAR- 2014/2015 INQUÉRITO AO PESSOAL DOCENTE SIM NÃO Conheço o fluxo do ensino-aprendizagem e de avaliação Contribuo para

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA Avaliação Externa das Escolas 2012-2013 PLANO DE MELHORIA A elaboração deste plano de melhoria assenta no pressuposto de que o Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão é capaz de repensar estratégias

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes Missão do Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes Assegurar a prestação de um serviço público de qualidade na educação, partindo do reconhecimento das condições objectivas do

Leia mais

O programa BE\CRE à la carte apresenta atividades e projetos pedagógicos que a equipa de Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Mem Martins

O programa BE\CRE à la carte apresenta atividades e projetos pedagógicos que a equipa de Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Mem Martins O programa BE\CRE à la carte apresenta atividades e projetos pedagógicos que a equipa de Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Mem Martins pretende desenvolver ao longo do ano com os diferentes níveis

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA SETEMBRO 2014 Enquadramento O presente documento surge na sequência do processo de Avaliação Externa realizada ao Agrupamento de Escolas Santos Simões

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro. Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia. Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro. Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia. Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Ano Letivo 2015/2016 Página2 Introdução Considerando: 1. A importância das

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo Taxa média de retenção no 2.º ano de escolaridade de 12% no ano letivo 2014/2015 e de 11,6% no ano letivo 2015/2016. 1.º e 2.º anos. 3. Designação da Apoio educativo coadjuvante nas turmas de 1.º e 2.º

Leia mais

Uma história lida por uma história contada

Uma história lida por uma história contada Projeto Uma história lida por uma história contada O projeto Uma história lida por uma história contada surgiu de uma atividade desenvolvida pelo Clube de Leitura dinamizado pela Biblioteca Escolar e foi

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches 2016 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

Projeto E.M.A. (Estímulo à Melhoria das Aprendizagens) Tejo: Um rio de Conhecimento

Projeto E.M.A. (Estímulo à Melhoria das Aprendizagens) Tejo: Um rio de Conhecimento Projeto E.M.A. (Estímulo à Melhoria das Aprendizagens) Tejo: Um rio de Conhecimento Objetivo Geral Desenvolver nos alunos competências relacionadas com a prática experimental que reforcem a motivação,

Leia mais

RELATÓRIO SECÇÃO DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. BERNARDO

RELATÓRIO SECÇÃO DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. BERNARDO RELATÓRIO SECÇÃO DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. BERNARDO ÍNDICE Introdução... 3 Projeto educativo e avaliação das atividades... 3 Avaliação das atividades... Erro! Marcador não definido.

Leia mais

Plano de Formação

Plano de Formação Plano de Formação 2013-2015 Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 2 PÚBLICO-ALVO... 2 OBJETIVOS GERAIS... 2 EXPLICITAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES... 3 ÁREAS PRIORITÁRIAS DE FORMAÇÃO... 3 ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO...

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

PLANEAMENTO DAS AEC 2013/14

PLANEAMENTO DAS AEC 2013/14 PLANEAMENTO DAS AEC 2013/14 ENTIDADE PROMOTORA Município de Ponte de Sor NIPC: 506806456 Coordenação e Monitorização por parte da equipa de Coordenação dos Projetos Socioeducativos ENTIDADES PARCEIRAS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO REGIMENTO INTERNO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES. Capítulo I. Artigo 1

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO REGIMENTO INTERNO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES. Capítulo I. Artigo 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO REGIMENTO INTERNO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Capítulo I Artigo 1 O serviço de bibliotecas do Agrupamento integra as Bibliotecas Escolares da Escola Básica e Secundária

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARADAS Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna 2006-2013 Equipa de Avaliação Interna Página 1 [ES C R E V E R O E N D E R E Ç O D A

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO 2012/ /16

PROJETO EDUCATIVO 2012/ /16 ESCOLA SECUNDÁRIA/3º CEB POETA AL BERTO, SINES PROJETO EDUCATIVO 2012/13-2015/16 Aprovado pelo Conselho Geral a 8 de abril de 2013. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MISSÃO... 3 3. VISÃO... 3 4. VALORES..4

Leia mais

Plano de Melhoria para 2015/2016

Plano de Melhoria para 2015/2016 Plano de Melhoria para 2015/2016 Ano letivo de 2015/2016 Preâmbulo justificativo O recebeu, de 17 a 20 de novembro de 2014, a visita da equipa de avaliação externa (constituída no âmbito da Área Territorial

Leia mais

I Competências / Domínios a avaliar

I Competências / Domínios a avaliar O trabalho desenvolvido na disciplina de Português 2º ciclo visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos dois as do ciclo, metas linguísticas s domínios do oral e do escrito, competências de leitura

Leia mais

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Agenda Preparação do trabalho a realizar no ano letivo 2015/2016 Regulamento Interno disponível no portal do agrupamento www.esvalongo.org

Leia mais

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA 1. Introdução A avaliação externa do Agrupamento de Escolas da Maia, da responsabilidade da IGEC, decorreu de 17 a 20 de novembro do ano transato. A classificação de Muito Bom em todos os domínios enche-nos

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES Definir um currículo para o desenvolvimento das literacias da informação adequado aos diferentes anos de escolaridade;

PLANO DE ATIVIDADES Definir um currículo para o desenvolvimento das literacias da informação adequado aos diferentes anos de escolaridade; Acções de melhoria Definir um currículo para o desenvolvimento das literacias da informação adequado aos diferentes s de escolaridade; Criar uma bolsa de recursos para o desenvolvimento das atividades

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR - RBE

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR - RBE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR - RBE 1 A. CURRÍCULO, LITERACIAS E APRENDIZAGEM A.1 Apoio ao currículo e formação para as literacias da informação e dos media. - Colaboração sistemática

Leia mais

Constituída a equipa, iniciaram-se os trabalhos necessários à elaboração deste Plano de Melhorias.

Constituída a equipa, iniciaram-se os trabalhos necessários à elaboração deste Plano de Melhorias. Plano de Melhoria 1. Introdução Em Julho de 2012, o Agrupamento de Escolas de Carnaxide-Valejas juntou-se à Escola Secundária Camilo Castelo Branco dando origem ao atual Agrupamento de Escolas de Carnaxide.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

2016/2017 [PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - BIBLIOTECA ESCOLAR]

2016/2017 [PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - BIBLIOTECA ESCOLAR] Projeto / Atividade Objetivos Intervenientes Recursos/ materiais BE - Vamos Partilh@r (Divulgação/marketing BE através da página, das redes sociais, rádio escolar, jornal escolar) Concurso Nacional de

Leia mais

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática 2014/2015 Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática Grupo de trabaho: Professores: Nela Fee (coordenadora) Carla Queiroz (Pré-Escolar) - Rosário Timóteo (1º c) Nuno Tomé (1ºc) - Anabela Hilário

Leia mais

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR MICROREDE DE ESCOLAS DO CFAC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURE E RIBEIRA DO NEIVA - Medida : Pouca autonomia por parte dos alunos nas diversas disciplinas e falta de hábitos de autorregulação das suas aprendizagens

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas de Grândola PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2015/2016 Pág.1/ 7 INTRODUÇÃO O Plano Anual de das s Escolares do Agrupamento de Escolas de Grândola atende à especificidade

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CAPACIDADES INDICADORES INSTRUMENTOS Domínio Cognitivo (Saber) Componentes do Currículo Conceitos Identifica/Reconhece/Adquire conceitos; Domina

Leia mais

APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso

APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso Plano Plurianual de Melhoria APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso 1 18 de setembro de 2015 26 de abril de 2013 Organização do Agrupamento de Escolas da Caparica - AEC Secundária do

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS José Maria dos Santos E.B.Salgueiro Maia PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2011 / 2012 BE

AGRUPAMENTO de ESCOLAS José Maria dos Santos E.B.Salgueiro Maia PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2011 / 2012 BE APOIO AO DESENVOLVI CURRICULAR AGRUPA de ESCOLAS José Maria dos Santos E.B.Salgueiro Maia PLANO ANUAL DE 2011 / 2012 BE OBJECTIVOS GERAIS PÚBLICO- ALVO RECURSOS DATA INSTRUMEN- TOS DE OR ÇA- MEN TO - Estimular

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno)

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) Novembro/2015 Capítulo I Introdução Considerando a importância do desenvolvimento

Leia mais

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros Plano de Actividades Ano 2008/2009 Tema: A aventura dos livros 1 ACTIVIDADES DE ORGANIZAÇÃO Actividades Objectivos Intervenientes Calendarização Proceder à gestão de colecções. Organização e gestão do

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO 1 Introdução Um Plano de Melhoria é um instrumento fundamental para potenciar o desempenho académico dos alunos e a qualidade

Leia mais

Plano de Actividades. Biblioteca da Escola EB 2,3 de Valongo do Vouga Ano Lectivo 2009/2011

Plano de Actividades. Biblioteca da Escola EB 2,3 de Valongo do Vouga Ano Lectivo 2009/2011 Pl de Actividades Biblioteca da Escola EB 2,3 de Valongo do Vouga 2010-2011 Ano Lectivo 2009/2011 Pl de Actividades da Biblioteca Escolar de V.V. 2010-2011 Prioridades: Promover actividades que incentivem

Leia mais

Departamento Curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico

Departamento Curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal Departamento Curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico Critérios Específicos de Avaliação 2013/2014 Introdução Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver

Leia mais

Plano de formação e atividades ª fase Ações financiadas pela C.M. Sintra

Plano de formação e atividades ª fase Ações financiadas pela C.M. Sintra 1 Plano de formação e atividades 2016 1ª fase Ações financiadas pela C.M. Sintra - A emergência da escrita no pré-escolar. Uma abordagem à escrita em contexto pré-escolar Formadora: Manuela Guedes Destinatários:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE Observatório da Qualidade Plano de Ação 2011/2012 ÍNDICE Introdução... 2 Equipa e Horário Semanal... 2 Metodologia

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais