ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO AVALIAÇÃO DEFINIÇÃO/CONCEITO SAIBA MAIS. Olá!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO AVALIAÇÃO DEFINIÇÃO/CONCEITO SAIBA MAIS. Olá!"

Transcrição

1 Manual do aluno

2 Sumário ÍCONES ORGANIZADORES... 3 EMENTA... 4 Objetivo do curso... 5 Público-alvo... 5 Pré Requisitos... 5 Carga-horária... 6 Dicas para estudo... 6 Exercícios de fixação e Avaliação... 6 Avaliação de reação... 6

3 Olá! Bem vindo ao curso de Introdução à Proteção Radiológica, que tem como objetivo apresentar os conceitos de energia, energia nuclear, radioatividade, segurança nuclear, radioproteção. ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO Serão destacados conceitos, ideias e lembretes importantes. Por isto, sempre que vir este destaque: ATENÇÃO! AVALIAÇÃO Momento de realizar exercícios e avaliações para consolidar o aprendizado. DEFINIÇÃO/CONCEITO É utilizado ao definir conceitos e significados. SAIBA MAIS Aprofundamento de ideias, curiosidades, links de sites e textos complementares.

4 EXEMPLO Utilizado no momento em que exemplifica conteúdo ou ideias. RESUMO É utilizado para sintetizar assuntos abordados, a fim de facilitar a visão geral dos assuntos explorados. Palavra em destaque: Utilizada para criar links para arquivos ou informações complementares. Sempre que vir uma palavra com destaque e sublinhada, clique sobre ela para acessar maiores informações. EMENTA Unidade 1 Energia: Formas de Energia. Matéria e Energia. Uso da Energia. Conversão de Energia. Conversão para Energia Elétrica. Central Térmica. Estrutura da Matéria. O Átomo. Estrutura do Núcleo e Energia Nuclear. Os Isótopos. Liberação da Energia Nuclear. Fissão Nuclear. Reação em Cadeia. Controle da Reação de. Fissão Nuclear em Cadeia. Urânio Enriquecido. Enriquecimento de Urânio. Unidade 2 Radioatividade: Partícula Alfa ou Radiação Alfa. Partícula Beta ou Radiação Beta. Radiação Gama. Radiação. Decaimento Radioativo. Atividade de uma Amostra. Unidade de Atividade. Meia Vida. Um Exemplo Doméstico. Um Exemplo Prático. Radiação Natural - Séries Radioativas Naturais. Penetração das Radiações na Matéria. Rejeitos Radioativos - ORejeitoradioativo. Tratamento dos Rejeitos Radioativos. Deposição dos Rejeitos Radioativos do Acidente de Goiânia.

5 Unidade 3 - Segurança Nuclear: Varetas de Combustível. Vaso de Pressão. A Contenção. Edifício do Reator. Independência entre os Sistemas de Refrigeração. Filosofia de Segurança. Sistemas Ativos de Segurança. Segurança no Projeto de uma Usina Nuclear. Segurança na Operação de Reatores Nucleares. Reator Nuclear e Bomba Atômica. Acidente Nuclear. Acidente Nuclear em Three Miles Island. O Reator Nuclear de Chernobyl. O Acidente de Chernobyl. Comparação com os Reatores PWR de Angra. Unidade 4 Radioproteção (proteção radiológica): Princípio da Justificação. Princípio da Otimização. Princípio da Limitação da Dose Individual. Grandezas e Unidades Radiológicas. Limites de Dose. Irradiação e Contaminação. Efeitos das Radiações no Ser Humano. Como se Proteger das Radiações Dosimetria. Monitoração / Monitoramento. Detectores de Radiações. Unidade 5 - As Aplicações da Energia Nuclear e das Radiações: Traçadores Radioativos. A Medicina Nuclear. Os Radioisótopos na Medicina. A Radioterapia. Aplicações na Agricultura. Aplicações na Indústria. Gamagrafia. A Preservação de Alimentos por Irradiação. Os Raios-X. Descoberta dos Raios-X. Identificação da Presença de Radiação. Objetivo do curso Apresentar os conceitos de energia, energia nuclear, radioatividade, segurança nuclear, radioproteção, bem como mostrar as aplicações da energia nuclear e das radiações em benefício da sociedade. Público-alvo Profissionaisou público em geral que precisam ou desejam ter algum conhecimento sobre radiações, proteção radiológica e energia nuclear. Pré Requisitos Escolaridade mínima: 2º grau.

6 Carga-horária O curso tem carga horária de três horase é dividido em quatro unidades. Dicas para estudo Utilize um bom local para se concentrar sem distrações; Fique atento às orientações de leituras e atividades; Atenção aos prazos; Administre bem seu tempo de dedicação aos estudos; Realize sínteses/resumos do conteúdo, ressaltando os pontos mais importantes; Busque respostas para suas dúvidas, garantindo a assimilação correta; Aprofunde seus conhecimentos, pesquisando em livros, revistas, artigos, Internet, mantendo uma visão atualizada sobre o conteúdo que está estudando. Isso enriquecerá seu processo de aprendizagem, trazendo novos conceitos e linguagens. Exercícios de fixação e Avaliação São apresentados exercícios de fixação de conhecimento, a serem realizados durante o curso de forma direcionada e formal. Os exercícios aplicados ao longo do curso são compostos de perguntas de múltipla escolha, tendo duas chances de acerto. Caso o estudante não acerte, será fornecido o feedback com a resposta adequada. Ao final do curso teremos a avaliação de aprendizagem. O aluno terá duas chances para realizar a avaliação, sendo necessário o aproveitamento mínimo de 70% para emissão do certificado. Avaliação de reação Esta avaliação tem como objetivo certificar a satisfação do aluno em relação ao conteúdo e recursos disponibilizados. Sua opinião é fundamental para o aperfeiçoamento dos nossos serviços.

ANEXO A. NORMAS DA CNEN www.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp

ANEXO A. NORMAS DA CNEN www.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp ANEXO A NORMAS DA CNEN www.cnen.gov.br/seguranca/normas/normas.asp A.1. GRUPO 1: INSTALAÇÕES NUCLEARES Resolução CNEN N o 109/2011, Licenciamento de Operadores de Reatores Nucleares, D.O.U. de 01/09/2011.

Leia mais

Energia Nuclear e Contaminação Radioativa. Prof. Dr. Fábio Luiz Melquiades Departamento de Física - Unicentro

Energia Nuclear e Contaminação Radioativa. Prof. Dr. Fábio Luiz Melquiades Departamento de Física - Unicentro Energia Nuclear e Contaminação Radioativa Prof. Dr. Fábio Luiz Melquiades Departamento de Física - Unicentro Motivação Em todas as áreas da atividade humana ocorrem acidentes; batidas de veículos, descarrilamentos

Leia mais

Química. Prof. Arilson. Aluno(a):

Química. Prof. Arilson. Aluno(a): Produção de energia Projeções indicam que até 2050 o consumo de energia terá um aumento de 160%.Uma das possíveis opções para solucionar esse problema de produção de energia é a utilização da energia nuclear.existem

Leia mais

APLICAÇÕES DA CIÊNCIA NUCLEAR E O ENSINO DE DISCIPLINAS

APLICAÇÕES DA CIÊNCIA NUCLEAR E O ENSINO DE DISCIPLINAS APLICAÇÕES DA CIÊNCIA NUCLEAR E O ENSINO DE DISCIPLINAS 1 INTRODUÇÃO Wellington Antonio Soares soaresw@cdtn.br Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN Centro

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS USADOS EM ENERGIA NUCLEAR

GLOSSÁRIO DE TERMOS USADOS EM ENERGIA NUCLEAR GLOSSÁRIO DE TERMOS USADOS EM ENERGIA NUCLEAR A Acelerador Aparelho para aumentar a velocidade e a energia de partículas elementares carregadas, como elétrons e prótons, utilizando campos elétricos e/ou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Energia Nuclear. A utilização da energia nuclear vem crescendo a cada dia. A geração núcleo elétrica é uma das alternativas menos poluentes; permite a obtenção de muita energia em um espaço físico relativamente

Leia mais

Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial.

Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial. Radioatividade II e Energia Nuclear Meia-vida Tempo necessário para que a atividade radioativa de uma amostra seja reduzida à metade da atividade inicial. Meia-vida Tempo necessário para que a atividade

Leia mais

II Seminário de Seguros de Responsabilidade Civil Utilização de radioisótopos na indústria. Palestrante: Luiz Carlos de Miranda Júnior

II Seminário de Seguros de Responsabilidade Civil Utilização de radioisótopos na indústria. Palestrante: Luiz Carlos de Miranda Júnior II Seminário de Seguros de Responsabilidade Civil Utilização de radioisótopos na indústria Palestrante: Luiz Carlos de Miranda Júnior AGENDA A bomba atômica. A geração da energia atômica. RI efeitos sobre

Leia mais

Energia nuclear 1 INTRODUÇÃO 2 FISSÃO NUCLEAR. leve usa como combustível o urânio 235 (também chamado de urânio enriquecido) e como

Energia nuclear 1 INTRODUÇÃO 2 FISSÃO NUCLEAR. leve usa como combustível o urânio 235 (também chamado de urânio enriquecido) e como 1 INTRODUÇÃO Energia nuclear Energia nuclear, energia liberada durante a fissão ou fusão dos núcleos atômicos. As quantidades de energia que podem ser obtidas mediante processos nucleares superam em muito

Leia mais

Autor Eliezer de Moura Cardoso

Autor Eliezer de Moura Cardoso Autor Eliezer de Moura Cardoso APRESENTAÇÃO O Programa de Integração CNEN - PIC, em seu Módulo I - Informação Técnica, visa apresentar informações básicas sobre a energia nuclear e das radiações, de forma

Leia mais

Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Balanço de Energia Nacional (BEN - 2010)

Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Balanço de Energia Nacional (BEN - 2010) Aspectos Químicos Basicamente, a química envolvida nas matrizes energéticas se relaciona à obtenção de energia a partir de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás natural) e a partir de fissão nuclear.

Leia mais

Energia Nuclear e Impacto Ambiental

Energia Nuclear e Impacto Ambiental José Marcus de Oliveira Godoy Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE

FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Química Analítica Ambiental FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Fevereiro, 2014 Grupo: Isabela Vieira da Silva Thaeny

Leia mais

8ª série / 9º ano U. E. 16

8ª série / 9º ano U. E. 16 8ª série / 9º ano U. E. 16 Radiação O dicionário de física descreve radiação como: Designação genérica da energia que se propaga de um ponto a outro do espaço, no vácuo ou em um meio material, mediante

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS

ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS Apresentação no Senado Federal Aquilino Senra COPPE/UFRJ 23/03/2011 AS PRINCIPAIS ÁREAS DA ENGENHARIA NUCLEAR TECNOLOGIA NUCLEAR

Leia mais

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER Theinformationcontainedinthisdocumentcannotbechangedormodifiedinanywayand shouldserveonlythepurposeofpromotingexchangeofexperience,knowledgedissemination

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL RADIOPROTEÇÃO (SEGURANÇA)

NORMA PROCEDIMENTAL RADIOPROTEÇÃO (SEGURANÇA) 50.05.005 1/5 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos básicos de proteção radiológica para as pessoas em relação à exposição à radiação ionizante. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Em toda a Instituição onde houver

Leia mais

Reatores Nucleares - Conceitos

Reatores Nucleares - Conceitos Reatores Nucleares - Conceitos Observa-se na mídia, em decorrência do acidente nas usinas nucleares do Japão, um grande interesse sobre os reatores nucleares, o acompanhamento das causas do acidente, sua

Leia mais

Tipos de Embalagens Usadas para o Transporte de Materiais Radioativos

Tipos de Embalagens Usadas para o Transporte de Materiais Radioativos WNTI W O R L D N U C L E A R T R A N S P O RT I N S T I T U T E FICHA DESCRITIVA Tipos de Embalagens Usadas para o Transporte de Materiais Radioativos Dedicado ao transporte seguro, eficiente e confiável

Leia mais

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1 Rosa de Hiroshima Ney Matogrosso Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas, oh, não se esqueçam

Leia mais

Luciano Santa Rita Oliveira Mestre em Radioproteção e Dosimetria Tecnólogo em radiologia

Luciano Santa Rita Oliveira Mestre em Radioproteção e Dosimetria Tecnólogo em radiologia Luciano Santa Rita Oliveira Mestre em Radioproteção e Dosimetria Tecnólogo em radiologia www.lucianosantarita.pro.br tecnologo@lucianosantarita.pro.br Motivação Conceitos fundamentais sobre radioproteção

Leia mais

Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN

Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN Jose Augusto Perrotta Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento DPD/CNEN Tópicos abordados nesta apresentação Institutos da CNEN Principais

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA n 518, de 4 de abril de 2003

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA n 518, de 4 de abril de 2003 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA n 518, de 4 de abril de 2003 Revoga a Portaria 496, de 11 de dezembro de 2002. O MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das competências que

Leia mais

PROJETO DE CAPTAÇÃO. 1 o Congresso de Metrologia em Radiações Ionizantes. 23 a 25 de novembro de 2014.

PROJETO DE CAPTAÇÃO. 1 o Congresso de Metrologia em Radiações Ionizantes. 23 a 25 de novembro de 2014. PROJETO DE CAPTAÇÃO 1 o Congresso de Metrologia em Radiações Ionizantes 23 a 25 de novembro de 2014. Instituto de Radiações e Dosimetria Barra da Tijuca - RJ Realização: CONGRESSO BRASILEIRO DAS RADIAÇÕES

Leia mais

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER Theinformationcontainedinthisdocumentcannotbechangedormodifiedinanywayand shouldserveonlythepurposeofpromotingexchangeofexperience,knowledgedissemination

Leia mais

Ata da Reunião do Grupo Temático xxxx

Ata da Reunião do Grupo Temático xxxx Ata da Reunião do Grupo Temático xxxx Data: 30 e 31 de março de 2009 Local: Centro de Convenções Israel Pinheiro - Brasília - DF OBJETIVO DA REUNIÃO A reunião foi realizada com os laboratórios, no âmbito

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2006

PROJETO DE LEI N o, DE 2006 PROJETO DE LEI N o, DE 2006 (Da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) Dispõe sobre a proteção aos trabalhadores ocupacionalmente expostos à radiação, regulamenta o Art. 12 da Convenção

Leia mais

As catástrofes humanas decorrentes do uso da energia nuclear

As catástrofes humanas decorrentes do uso da energia nuclear As catástrofes humanas decorrentes do uso da energia nuclear Março, 2011 (Mahatma Gandhi) Quando em 1895 Röntgen descobriu os raios X, não podia imaginar o quanto essa descoberta seria importante para

Leia mais

Leocadio J.C 1.; Ramalho A. T. 1 ; Pinho, A S. 1 ; Lourenço, M. M. J. 1 ; Nicola, M. S. 1 ; D Avila, R. L. 1 ; Melo, I. F 1.; Cucco, A C. S.

Leocadio J.C 1.; Ramalho A. T. 1 ; Pinho, A S. 1 ; Lourenço, M. M. J. 1 ; Nicola, M. S. 1 ; D Avila, R. L. 1 ; Melo, I. F 1.; Cucco, A C. S. CONTROLE DAS FONTES RADIOATIVAS NA INDÚSTRIA ATRAVÉS DE INSPEÇÕES REGULATÓRIAS Leocadio J.C.; Ramalho A. T. ; Pinho, A S. ; Lourenço, M. M. J. ; Nicola, M. S. ; D Avila, R. L. ; Melo, I. F.; Cucco, A C.

Leia mais

REGIME JURÍDICO NUCLEAR Parte 1 A possível retomada do Projeto Nuclear Brasileiro

REGIME JURÍDICO NUCLEAR Parte 1 A possível retomada do Projeto Nuclear Brasileiro 1 REGIME JURÍDICO NUCLEAR Parte 1 A possível retomada do Projeto Nuclear Brasileiro A. BREVE INTRODUÇÃO POLÍTICA Tendo em vista os atuais acontecimentos que alteraram o equilíbrio geopolítico mundial,

Leia mais

http://biosafety-level.wikispaces.com/radiação

http://biosafety-level.wikispaces.com/radiação Profa. Katia Aquino http://biosafety-level.wikispaces.com/radiação Radiação ionizante Arranca elétrons da matéria não ionizante Excitação da matéria partícula http://blogtecrad.blogspot.com/2010_09_01_archive.html

Leia mais

Conseqüências do Gás Radônio na Saúde Humana

Conseqüências do Gás Radônio na Saúde Humana Conseqüências do Gás Radônio na Saúde Humana 1 LARANA Laboratório de Radioatividade Natural do Rio Grande do Norte da UFRN. Coordenador: Pr. Dr. Thomas Ferreira da Costa Campus* Contatos: www.larana.geologia.ufrn.br

Leia mais

2014-LAS-ANS Symposium on

2014-LAS-ANS Symposium on Panorama do Setor Nuclear Brasileiro para Geração Elétrica 2014-LAS-ANS Symposium on Small Modular Reactors for Nuclear Power Rio de Janeiro, 21-24 July 2014 Luiz Soares Diretor Técnico 2014-LAS-ANS Symposium

Leia mais

I SENCIR SEMANA DE ENGENHARIA NUCLEAR E CIÊNCIAS DAS RADIAÇÕES ESCOLA DE ENGENHARIA UFMG

I SENCIR SEMANA DE ENGENHARIA NUCLEAR E CIÊNCIAS DAS RADIAÇÕES ESCOLA DE ENGENHARIA UFMG I SENCIR SEMANA DE ENGENHARIA NUCLEAR E CIÊNCIAS DAS RADIAÇÕES ESCOLA DE ENGENHARIA UFMG Belo Horizonte, 29-31 de Maio de 2012 TECNOLOGIA DOS REATORES NUCLEARES DE POTÊNCIA E DE PESQUISA Dr. Clarysson

Leia mais

PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO PASSADO, PRESENTE E FUTURO

PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO PASSADO, PRESENTE E FUTURO PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO PASSADO, PRESENTE E FUTURO Odair Dias Gonçalves Comissão Nacional de Energia Nuclear 1. GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA ENERGIA NUCLEAR 2. CICLO DE COMBUSTÍVEL 3. ENERGIA

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia. Comissão Nacional de Energia Nuclear CNEN

Ministério da Ciência e Tecnologia. Comissão Nacional de Energia Nuclear CNEN A CNEN REJEITOS RADIOATIVOS 1/8 NOV/2001 A CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear é o órgão federal responsável pelo licenciamento e fiscalização das instalações nucleares e radiativas brasileiras.

Leia mais

O Centro Regional de Treinamento do IRD/IAEA IRD/IAEA Simpósio Minérios & Radioatividade

O Centro Regional de Treinamento do IRD/IAEA IRD/IAEA Simpósio Minérios & Radioatividade O Centro Regional de Treinamento do Simpósio Minérios & Radioatividade 18 a 20 de Agosto de 2014 Almir Faria Clain almir@ird.gov.br Centro Regional de Treinamento do O Centro Regional de Ensino e Treinamento:

Leia mais

Presença de agentes biológicos com risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente.

Presença de agentes biológicos com risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente. Classificação Os resíduos de Serviço de Saúde são classificados por grupo e tipo, com base na Resolução CONAMA 5-5/8/93, complementada pela Resolução Federal 283-12/7/2001 Grupo A: INFECTANTES Presença

Leia mais

EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA NUCLEAR

EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA NUCLEAR EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA NUCLEAR A radioatividade e as radiações ionizantes não são percebidas naturalmente pelos órgãos dos sentidos do ser humano, diferindo-se da luz e do calor. Talvez seja por isso que

Leia mais

A Energia Nuclear. Olá! eu sou o Nuclídeo, venha descobrir o que é, e as várias aplicações da energia nuclear. 3ª edição

A Energia Nuclear. Olá! eu sou o Nuclídeo, venha descobrir o que é, e as várias aplicações da energia nuclear. 3ª edição Apostila educativa ELIEZER DE MOURA CARDOSO 3ª edição Olá! eu sou o Nuclídeo, venha descobrir o que é, e as várias aplicações da energia nuclear. 02 A (CNEN), instituição vinculada ao Ministério da Ciência

Leia mais

Radiações Radiação corpuscular Radiação eletromagnética

Radiações Radiação corpuscular Radiação eletromagnética Radiações Quando se fala em radiação, as pessoas geralmente associam esta palavra com algo perigoso. O que elas não sabem é que estamos expostos diariamente à radiação. Radiação nada mais é do que a emissão

Leia mais

MEDICINA NUCLEAR Lidia Vasconcellos de Sá 2011

MEDICINA NUCLEAR Lidia Vasconcellos de Sá 2011 MEDICINA NUCLEAR Lidia Vasconcellos de Sá 2011 APLICAÇÕES NA ÁREA MÉDICA RADIODIAGNÓSTICO RADIOTERAPIA MEDICINA NUCLEAR USO DE FONTES DE RADIAÇÃO NA ÁREA MÉDICA RAIOS-X DIAGNÓSTICO: equipamentos emissores

Leia mais

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Radioproteção em Dosimetria IRD/CNEN Quem é o (sico médico?

Leia mais

Radiografia industrial

Radiografia industrial A U A UL LA Radiografia industrial Introdução Se você já teve algum tipo de fratura óssea ou pegou uma gripe mais forte, certamente o médico deve ter solicitado uma radiografia da área afetada, para fazer

Leia mais

O Sistema Brasileiro de Atendimento a Emergências Radiológicas e Nucleares

O Sistema Brasileiro de Atendimento a Emergências Radiológicas e Nucleares O Sistema Brasileiro de Atendimento a Emergências Radiológicas e Nucleares Iêda Gomes Nícoli Distrito do Planalto Central MOTIVAÇÃO Fonte de Césio-137 levada até a Vigilância Sanitária de Goiânia, GO,

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO E OPORTUNIDADES NO SETOR NUCLEAR

O MERCADO DE TRABALHO E OPORTUNIDADES NO SETOR NUCLEAR O MERCADO DE TRABALHO E OPORTUNIDADES NO SETOR NUCLEAR rimeira Semana de Engenharia Nuclear e Ciências das Radiações - UFMG 29/05/2012 Ilson Soares Chefe da Divisão de Treinamento SUMÁRIO INSTITUIÇÕES

Leia mais

Guia Didático do Professor

Guia Didático do Professor Guia Didático do Professor Programa É Tempo de Química! Radioatividade e Energia Nuclear Estrutura Atômica Química 1ª Série Ensino Médio CONTEÚDOS DIGITAIS MULTIMÍDIA Conteúdos Digitais Multimídia Guia

Leia mais

O BRASIL DEVE DESISTIR DA ENERGIA NUCLEAR?

O BRASIL DEVE DESISTIR DA ENERGIA NUCLEAR? O BRASIL DEVE DESISTIR DA ENERGIA NUCLEAR? Edmundo Montalvão 1 Em março de 2011, um forte terremoto gerou um acidente nuclear na usina de Fukushima, no Japão. Reabriu-se, a partir daí, o debate sobre os

Leia mais

Energia Nuclear. Apostila educativa. Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves Claudio Braz Sonia Pestana

Energia Nuclear. Apostila educativa. Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves Claudio Braz Sonia Pestana Aplicações da Energia Nuclear Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves Claudio Braz Sonia Pestana Rua General Severiano, 90 - Botafogo - Rio de Janeiro - RJ - CEP 22290-901 www.cnen.gov.br

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DA POPULAÇÃO PAULISTANA SOBRE A ENERGIA NUCLEAR E OS REJEITOS RADIOATIVOS - O ACIDENTE DE GOIÂNIA DESPERTOU O INTERESSE?

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DA POPULAÇÃO PAULISTANA SOBRE A ENERGIA NUCLEAR E OS REJEITOS RADIOATIVOS - O ACIDENTE DE GOIÂNIA DESPERTOU O INTERESSE? AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DA POPULAÇÃO PAULISTANA SOBRE A ENERGIA NUCLEAR E OS REJEITOS RADIOATIVOS - O ACIDENTE DE GOIÂNIA DESPERTOU O INTERESSE? Barbara M. Rzyski*, Carla E. Sartori Instituto de Pesquisas

Leia mais

a expansão do uso das radiações ionizantes na Medicina e Odontologia no país;

a expansão do uso das radiações ionizantes na Medicina e Odontologia no país; Boa tarde! Diego Veja a legislação abaixo: Mensagem encaminhada pelo colega Jorge INTRODUÇÃO - PORTARIA Nº 453 DO MINISTÉRIO DA SAÚDE TERÇA-FEIRA, 02 DE JUNHO DE 1998 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE

Leia mais

Ações de Resposta da Área de Saúde nos Acidentes Radiológicos e Nucleares

Ações de Resposta da Área de Saúde nos Acidentes Radiológicos e Nucleares Ações de Resposta da Área de Saúde nos Acidentes Radiológicos e Nucleares MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental Conteúdo: Contexto e Conceitos

Leia mais

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear WNTI W O R L D N U C L E A R T R A N S P O RT I N S T I T U T E FICHA DESCRITIVA Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear Materiais Front End (da etapa inicial) Dedicado ao transporte seguro, eficiente

Leia mais

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER Theinformationcontainedinthisdocumentcannotbechangedormodifiedinanywayand shouldserveonlythepurposeofpromotingexchangeofexperience,knowledgedissemination

Leia mais

A energia nuclear. Odair Dias Gonçalves e Ivan Pedro Salati de Almeida Comissão Nacional de Energia Nuclear (RJ) 36 CIÊNCIA HOJE vol.

A energia nuclear. Odair Dias Gonçalves e Ivan Pedro Salati de Almeida Comissão Nacional de Energia Nuclear (RJ) 36 CIÊNCIA HOJE vol. F Í F S Í S I C I AC A A energia nuclear Toda tecnologia avançada pode ser usada para fins pacíficos ou bélicos. Isso ocorre com a eletrônica, a nanotecnologia, a biologia, a engenharia genética e também

Leia mais

Participantes Alunos regularmente matriculados no Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da UNIP

Participantes Alunos regularmente matriculados no Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da UNIP 1 Participantes Alunos regularmente matriculados no Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da UNIP Pré-requisitos Ter estudado e compeendido o conteúdo das páginas 5 até 23 do e-book Radiologia Industrial

Leia mais

ATMEA1: Desenvolvido em conjunto pela AREVA e pela Mitsubishi

ATMEA1: Desenvolvido em conjunto pela AREVA e pela Mitsubishi ATMEA1: Desenvolvido em conjunto pela AREVA e pela Mitsubishi ANDREAS GOEBEL, PRESIDENTE E CEO DA ATMEA - DEZEMBRO 2014 COPYRIGHT @ 2014 BY THE AMERICAN NUCLEAR SOCIETY O reator ATMEA1 é um reator evolucionário

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Radioatividade - Parte 1

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Radioatividade - Parte 1 Questões Resolvidas Radioatividade - Parte 1 01. (Unifesp) 2011 é o Ano Internacional da Química; neste ano, comemoram-se também os 100 anos do recebimento do Prêmio Nobel de Química por Marie Curie, pela

Leia mais

CNEN NE 5.02 Outubro/1986 TRANSPORTE, RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE ELEMENTO COMBUSTÍVEIS DE USINAS NUCLEOELÉTRICAS.

CNEN NE 5.02 Outubro/1986 TRANSPORTE, RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE ELEMENTO COMBUSTÍVEIS DE USINAS NUCLEOELÉTRICAS. CNEN NE 5.02 Outubro/1986 TRANSPORTE, RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE ELEMENTO COMBUSTÍVEIS DE USINAS NUCLEOELÉTRICAS. Transporte, Recebimento, Armazenagem e Manuseio de Elementos Combustíveis de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática ANÁLISE DOS LIVROS DIDÁTICOS E FÍSICA DO PNLD 2012 E TEXTO COMPLEMENTAR SOBRE ENERGIA NUCLEAR

Leia mais

Radioatividade. Apostila educativa

Radioatividade. Apostila educativa Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves José Mendonça de Lima Luiz Tahuata Paulo Fernando Heilbron Filho Claudio Braz Sonia Pestana Rua General Severiano, 90 - Botafogo - Rio de Janeiro

Leia mais

UM ESTUDO INTRODUTÓRIO DA ENERGIA NUCLEAR

UM ESTUDO INTRODUTÓRIO DA ENERGIA NUCLEAR 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA MAURO BARBOSA DE LIMA UM ESTUDO INTRODUTÓRIO DA ENERGIA NUCLEAR CAMPINA GRANDE PB

Leia mais

A ENERGIA NUCLEAR E SUA APLICAÇÃO INDUSTRIAL

A ENERGIA NUCLEAR E SUA APLICAÇÃO INDUSTRIAL A ENERGIA NUCLEAR E SUA APLICAÇÃO INDUSTRIAL LEONEL SOARES DE SOUZA 1 ; RICARDO COURA OLIVEIRA 2 ; MARCELO JOSÉ SIMONETTI 3. 1 Graduando do Curso de Tecnologia em Automação Industrial, Fatec - SP. E-mail:

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE MEDICINA NUCLEAR Princípios e Aplicações

PROCEDIMENTOS DE MEDICINA NUCLEAR Princípios e Aplicações PROCEDIMENTOS DE MEDICINA NUCLEAR Princípios e Aplicações VIII Encontro de Técnicos de Radiologia da Alta Noroeste Marco Antônio de Carvalho Físico Médico e Supervisor de Radioproteção em Medicina Nuclear

Leia mais

QUADRO N.º 2 FAIXA DE TERRENO ATÉ A DISTÃNCIA QUANTIDADE ARMAZENADA EM QUILO MÁXIMA DE

QUADRO N.º 2 FAIXA DE TERRENO ATÉ A DISTÃNCIA QUANTIDADE ARMAZENADA EM QUILO MÁXIMA DE QUADRO N.º 1 ATIVIDADES ADICIONAL DE 30% a) no armazenamento de explosivos Todos os trabalhadores nessa atividade ou que permaneçam na área de risco. b) no transporte de explosivos Todos os trabalhadores

Leia mais

Guia Didático do Professor

Guia Didático do Professor Guia Didático do Professor Programa Tudo se Transforma Energia Nuclear 2 Energia Nuclear e I m p a c t o A m b i e n t a l Química 3ª Série Ensino Médio CONTEÚDOS DIGITAIS MULTIMÍDIA Conteúdos Digitais

Leia mais

Acidente de Fukushima

Acidente de Fukushima Acidente de Fukushima Março, 2012 Entrevista à Revista do Instituto Humanitas Unisinos (IHU) On-Line Revista do IHU - Um ano após o acidente de Fukushima, quais são as conclusões que explicam o ocorrido?

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

CHERNOBYL. Segundo estimativas, 50% da radioatividade liberada constituiu-se de 1-131. A evacuação

CHERNOBYL. Segundo estimativas, 50% da radioatividade liberada constituiu-se de 1-131. A evacuação CHERNOBYL O acidente com a central nucleoelétrica de Chernobyl teve início "a 01323 hs do dia 23/04/86, COM uma primeira explosão ocorrida na área do separador de vapor - rompimento do tubo - com perda

Leia mais

PRINCIPAIS REALIZAÇÕES GESTÃO 1999

PRINCIPAIS REALIZAÇÕES GESTÃO 1999 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR - CNEN PRINCIPAIS REALIZAÇÕES GESTÃO 1999 SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO janeiro / 2000 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA Iria Müller Guerrini, No Brasil a maior quantidade de energia elétrica produzida provém de usinas hidrelétricas (cerca de 95%). Em regiões rurais e mais distantes das hidrelétricas

Leia mais

TRANSPORTE, RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE ELEMENTOS COMBUSTÍVEIS DE USINAS NUCLEOELÉTRICAS

TRANSPORTE, RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE ELEMENTOS COMBUSTÍVEIS DE USINAS NUCLEOELÉTRICAS Norma CNEN NE 5.02 Portaria CNEN/PR 08/03 Fevereiro / 2003 TRANSPORTE, RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE ELEMENTOS COMBUSTÍVEIS DE USINAS NUCLEOELÉTRICAS Histórico da norma: Portaria DExI CNEN - 02/86

Leia mais

Ensaio por raios gama

Ensaio por raios gama A UU L AL A Ensaio por raios gama Na aula anterior, você aprendeu a fazer ensaio por raios X numa chapa soldada. Constatou que durante a realização do ensaio aparentemente nada acontece, porque as radiações

Leia mais

PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

PRINCIPAIS REALIZAÇÕES COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR - CNEN PRINCIPAIS REALIZAÇÕES GESTÃO 1998 SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO janeiro / 99 COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR SUMÄRIO 1- FINALIDADES ESSENCIAIS

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS POR IRRADIAÇÃO

CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS POR IRRADIAÇÃO CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS POR IRRADIAÇÃO Aula 4 Prof. Dr. Estevãn Martins de Oliveira CONCEITO A irradiação é uma técnica eficiente na conservação dos alimentos reduz as perdas naturais causadas por processos

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) apresenta ao IBAMA o documento intitulado:

APRESENTAÇÃO. A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) apresenta ao IBAMA o documento intitulado: APRESENTAÇÃO A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) apresenta ao IBAMA o documento intitulado: Relatório de Impacto Ambiental do Reator Multipropósito Brasileiro Agosto de 2013 ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Comissão Nacional de Energia Nuclear

Comissão Nacional de Energia Nuclear II workshop International ENUMAs 2010 Comissão Nacional de Energia Nuclear Nilson Dias Vieira Junior 19/08/2010 A ÁREA NUCLEAR BRASILEIRA Presidência da República Ministério da Ciência e Tecnologia Institutos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO. Cristina Maria Brucki

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO. Cristina Maria Brucki PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Cristina Maria Brucki Produto Final da Dissertação apresentada à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 15 de setembro de 2011, Programa de Mestrado

Leia mais

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica -

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Fís. Adriano Oliveira dos Santos Goulart Especialista em Administração Hospitalar e Negócios em Saúde Especialista

Leia mais

Ensaios Não Destrutivos

Ensaios Não Destrutivos Ensaios Não Destrutivos DEFINIÇÃO: Realizados sobre peças semi-acabadas ou acabadas, não prejudicam nem interferem a futura utilização das mesmas (no todo ou em parte). Em outras palavras, seriam aqueles

Leia mais

Distribuição Percentual das Fontes de Geração de Eletricidade no Mundo

Distribuição Percentual das Fontes de Geração de Eletricidade no Mundo A ENERGIA NUCLELÉTRICA 1 HISTÓRICO Até 1954, a energia elétrica que alimentava as residências e as indústrias, era de origem hídrica ou da queima de combustíveis fósseis (carvão e petróleo). Naquele ano,

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS DE SEGURANÇA E PROTEÇÃO RADIOLÓGICA. Terceira Edição Revisada

PRINCÍPIOS BÁSICOS DE SEGURANÇA E PROTEÇÃO RADIOLÓGICA. Terceira Edição Revisada PRINCÍPIOS BÁSICOS DE SEGURANÇA E PROTEÇÃO RADIOLÓGICA Terceira Edição Revisada Universidade Federal do Rio Grande do Sul Setembro de 2006 PRINCÍPIOS BÁSICOS DE SEGURANÇA E PROTEÇÃO RADIOLÓGICA Terceira

Leia mais

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas AULA 22.2 Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas Habilidades: Frente a uma situação ou problema concreto, reconhecer a natureza dos fenômenos envolvidos, situando-os dentro do

Leia mais

RADIAÇÕES IONIZANTES: APLICAÇÕES E CUIDADOS

RADIAÇÕES IONIZANTES: APLICAÇÕES E CUIDADOS RADIAÇÕES IONIZANTES: APLICAÇÕES E CUIDADOS 1. CONCEITOS 1.1. Radiações São ondas eletromagnéticas ou partículas que se propagam com alta velocidade e portando energia, eventualmente carga elétrica e magnética,

Leia mais

Combustíveis. Radioativos

Combustíveis. Radioativos Combustíveis Radioativos Introdução Os combustíveis radioativos São compostos de elementos químicos instáveis que liberam energia térmica t através s de ondas eletromagnéticas ticas (alfa, beta e gama).

Leia mais

Radioatividade. Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013

Radioatividade. Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013 Radioatividade Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013 Dados históricos: Descoberta por Henri Becquerel. Em 1903, Rutherford e Frederick Soddy propuseram

Leia mais

EXPOSIÇÕES OCUPACIONAIS

EXPOSIÇÕES OCUPACIONAIS EXPOSIÇÕES OCUPACIONAIS Silvia Maria Velasques de Oliveira INSTITUTO DE RADIOPROTEÇÃO E DOSIMETRIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA, UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 18 - Energia Nuclear. Sorocaba, Maio de 2015.

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 18 - Energia Nuclear. Sorocaba, Maio de 2015. Campus Experimental de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 18 - Energia Nuclear Sorocaba, Maio de 2015. ÁTOMO Eletrosfera Energia Elétrica Núcleo Energia Nuclear

Leia mais

É com muita honra e imensa satisfação que estamos inaugurando o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Física.

É com muita honra e imensa satisfação que estamos inaugurando o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Física. 1 SENHOR VICE-GOVERNADOR, SENHOR MINISTRO, SENHOR REITOR, SENHOR PREFEITO AUTORIDADES JÁ MENCIONADAS, SENHORES E SENHORES, CORDIAL BOA NOITE! É com muita honra e imensa satisfação que estamos inaugurando

Leia mais

Parte III Fontes não-renováveis

Parte III Fontes não-renováveis Energia Nuclear Capítulo 8 Parte III Fontes não-renováveis 8 Energia Nuclear Atlas de Energia Elétrica do Brasil 117 Capítulo 8 Energia Nuclear Box 8 O ciclo do combustível nuclear O valor do minério urânio

Leia mais

Exercícios de Radioatividade

Exercícios de Radioatividade Exercícios de Radioatividade 1. Os Curie empreenderam uma elaborada análise química da uranimite, separando seus numerosos elementos em grupos analíticos: sais de metais alcalinos, de elementos alcalino

Leia mais

NOTAS DA I AEA SOBRE O ACI DENTE NUCLEAR NO JAP ÃO. 15 de março a 01 de junho de 2011.

NOTAS DA I AEA SOBRE O ACI DENTE NUCLEAR NO JAP ÃO. 15 de março a 01 de junho de 2011. NOTAS DA I AEA SOBRE O ACI DENTE NUCLEAR NO JAP ÃO 15 de março a 01 de junho de 2011. A Agência Internacional de Energia Atômica (International Atomic Energy Agency IAEA) verifica as informações recebidas

Leia mais

NR 16 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS

NR 16 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS NR 16 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 02, de 02 de fevereiro de 1979 08/02/79

Leia mais

PARECER COREN-DF Nº 001/2013

PARECER COREN-DF Nº 001/2013 PARECER COREN-DF Nº 001/2013 SOLICITANTE: Sindate DF Sindicato dos auxiliares e técnicos de enfermagem do Distrito Federal. ASSUNTO: Competência do profissional técnico de enfermagem nos procedimentos

Leia mais

II Workshop Internacional ENUMAS 2010 REATORES NUCLEARES DE POTÊNCIA

II Workshop Internacional ENUMAS 2010 REATORES NUCLEARES DE POTÊNCIA II Workshop Internacional ENUMAS 2010 Oportunidades em Atividades Nucleares no Brasil: Medicina, Agricultura e Indústria REATORES NUCLEARES DE POTÊNCIA Antonio Teixeira e Silva Unicamp-Campinas, 19 e 20

Leia mais

TUTORIAL PLATAFORMA DOS CURSOS CRIANÇA SEGURA PRIMEIRO ACESSO

TUTORIAL PLATAFORMA DOS CURSOS CRIANÇA SEGURA PRIMEIRO ACESSO TUTORIAL PLATAFORMA DOS CURSOS CRIANÇA SEGURA PRIMEIRO ACESSO São Paulo/2014 APRESENTAÇÃO Olá, Cursista! Seja bem vindo ao nosso curso! Para garantir que você tenha o melhor aproveitamento, elaboramos

Leia mais

(Código INF) Capítulo 1. Generalidades. 1.1 Definições. 1.1.1 Para os efeitos deste Código:

(Código INF) Capítulo 1. Generalidades. 1.1 Definições. 1.1.1 Para os efeitos deste Código: CÓDIGO INTERNACIONAL PARA O TRANSPORTE SEGURO DE COMBUSTÍVEL NUCLEAR IRRADIADO, PLUTÔNIO E RESÍDUOS COM ELEVADO NÍVEL DE RADIOATIVIDADE, SOB A FORMA EMBALAGEM, A BORDO DE NAVIOS (Código INF) Capítulo 1

Leia mais