Governabilidade Local, Articulação Institucional e Financiamento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governabilidade Local, Articulação Institucional e Financiamento"

Transcrição

1 Governabilidade Local, Articulação Institucional e Financiamento Campo Grande - Mato Grosso do Sul / Brasil Catiana Sabadin Diretora-Executiva de Planejamento e Gestão Estratégicos da Secretaria de Governo e Relações Institucionais Coordenadora Geral da Unidade Gestora do Programa de Desenvolvimento Integrado do Município de Campo Grande - MS Setembro/ 2017

2 Campo Grande Aspectos Gerais Torna-se município em: 1889 Torna-se capital em: 1977 Área do município: 8.092,95 Km² (2,26% do território do Estado) Área Urbana: ,53 ha População: hab. (estimativa IBGE, 2016) Taxa de Urbanização: 98,66% (22 município em volume populacional) Dens. Demog.: 97,22 hab/km² (2010). Principais Atividades Econômicas: Comércio e serviços. Fonte: Perfil Socioeconômico ª edição Mato Grosso do Sul VÍDEO INSTITUCIONAL

3 Aspectos Econômicos / Financeiros Indicadores: IDHM: 0,784-12ª posição entre as capitais (2010) PIB: R$ 20,7 bi (2013) PIB per capita: R$ ª posição no País (2013) Receita 2016: R$ 2,9 Bi Evolução dos investimentos municipais por fonte de recurso (em R$)

4 Unidade de Programas e Projetos Estratégicos Objetivo Identificar e mobilizar novas fontes de recursos para financiamento de programas e projetos que atendam aos propósitos da administração municipal. Manter relações institucionais com organismos e instituições financeiras de âmbito nacional e internacional e elaborar os perfis dos projetos, estudos e diagnósticos que possam induzir, apoiar e orientar potenciais investimentos no município. UPPE / UGP R$ 130 milhões/ano Captação e Gerenciamento de R$ 650 milhões nos últimos 5 anos. CAPTAÇÃO / GERENCIAMENTO R$ 1,9 milhões/ano (1,5%) MANUTENÇÃO UPPE

5 Atribuições da Unidade de Programa e Projetos Estratégicos Identificação e Preparação dos Projetos Prioridades de investimento; Concepção; Estudos técnicos de engenharia, econômicos, ambientais, sociais, financeiros e institucionais; Arranjos de parcerias e arranjos institucionais; Sustentabilidade. Captação de Recursos Ciclo de Projetos Viabilização Financeira Recursos Externos Recursos Internos Execução e Implementação Execução Licitação; Acompanhamento de Obras; Adequação dos Projetos / Relatórios; Avaliação de Riscos Sistemática da Prefeitura Execução Financeira Sistemática e Contabilidade Específica Identificação e Preparação dos Projetos Captação de Recursos

6 PREFEITO Procuradoria Geral do Município Secretarias Meio Secretarias Fins UNIDADE DE PROGRAMAS E PROJETOS ESTRATÉGICOS Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais Planejamento Finanças, Controle, Receita e Administração Educação, Saúde Pública, Políticas Sociais e Cidadania, Infraestrutura, Transporte e Habitação, Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e do Agronegócio Administração Indireta Administração Indireta - Fundações

7 GABINETE PREFEITO Unidade de Programas e Projetos Estratégicos Secretarias Afins Comissão Especial de Licitação Assessoria Jurídica UGP FONPLATA UGP BID UGP Projetos Nacionais Supervisão Técnica Obras e Ambiental Auditoria Contábil Avaliação Externa

8 Modelo Adotado Apoio ao gerenciamento do Projeto As Unidades estruturadas por equipes locais, e que contam com o apoio de consultores, propicia a capacitação das equipes municipais. A execução com protagonismo da Prefeitura, garantindo a formação de quadros e aprendendo com o processso é mais importante do que a rapidez inicial que o Projeto pode ter se fosse tercerizado para empresas gerenciadoras. Manutenção da equipe local continuidade administrativa; Contratação de consultores Transferência de conhecimentos; Aumento da capacidade gerencial; Equipe multidisciplinar; Avaliação de desempenho. Custo associado ao gerenciamento...socialmente apropriado. Percentual Representado pela UGP e Supervisão de Obras no valor global dos Programas 9,5% Fonte: Observatório Pró-Cidades 4,0% 3,0% 3,3% 2,0% 3,2% 3,0% 0,7% Projeto Sóter FONPLATA 2002 Proj. Imbirussu FONPLATA 2007 Viva C.Gde. I BID 2008 Viva C.Gde. II BID 2017

9 Projeto Sóter FONPLATA ( ) Urbanização, infraestrutura urbana com drenagem e pavimentação do fundo de vale do córrego Sóter, construção de 108 unidades habitacionais para remoção de famílias em áreas de risco. Investimentos: US$ 7,7 mi SITUAÇÃO ANTERIOR

10 Projeto Sóter

11 Projeto Imbirussu FONPLATA ( ) Estrutura do Projeto Reassentamento Populacional e Desenvolvimento Social; Recuperação das Áreas Degradadas; Desenvolvimento da Infraestrutura Urbana. Investimentos: US$ 70 milhões

12 Recuperação de Áreas Degradadas Ações destinadas à recuperação do ecossistema e manutenção do equilíbrio ecológico da micro bacia do Córrego Imbirussu, com a implantação de um parque linear e eliminação de lançamentos de efluentes nos córregos Imbirussu e Serradinho, além da revitalização e ampliação do Horto Municipal. Implantação do Parque Linear PARQUE LINEAR Revitalização e Ampliação do Horto Municipal Área de m² integrada ao Parque Linear; Administração do Horto Municipal; Atividades de educação ambiental; Espaço de lazer. Recuperação dos cursos d água e fundos de vale, em aproximadamente 90ha, com o objetivo de preservar a faixa de drenagem dos córregos, evitar novas ocupações nas áreas e oferecer à população uma alternativa de lazer.

13 Desenvolvimento da Infraestrutura Urbana Reestruturação do sistema viário, com a abertura de vias urbanas pavimentadas, pontes, calçadas e ciclovia e a implementação de redes de distribuição de água, coletora de esgotos sanitários, drenagem, energia elétrica e iluminação pública, proporcionando integração urbanística e mobilidade urbana para as áreas adjacentes. 20 km de rede de drenagem; 14,4 km de pavimentação asfáltica; 9 pontes de concreto armado; 7,8 km de ciclovia; 7,8 km de parque Linear. Sistema de esgotamento sanitário 14,4 km de rede de iluminação pública

14 Arranjos de Parcerias Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata - FONPLATA; Habitar Brasil/BID Pró Sanear/BIRD; Programa de Aceleração do Crescimento - PAC / Governo Federal; Programa Nacional de Iluminação Pública Eficiente / Governo Federal; Saneamento Básico / Iniciativa Privada; Recursos Próprios. CAPACIDADE DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS RECURSOS CAPTADOS US$ 58 milhões RECURSOS PRÓPRIOS US$ 10,3 milhões

15 Programa Viva Campo Grande BID ( ) Investimento: US$ ,00 Conjunto de ações integradas com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos moradores da cidade de Campo Grande mediante a execução de projetos urbanos e ações voltadas para a melhoria da gestão municipal, através da revitalização da área central, melhoria nos sistemas de mobilidade da população e melhoria na eficiência da gestão administrativa do município.

16 Programa Viva Campo Grande Projeto Via Morena Revitalização da Av. Duque de Caxias entre o Aeroporto e a Av. Julio de Castilho com a ampliação da seção transversal das vias, reserva de faixa no canteiro central para transporte coletivo, infraestrutura, ciclovia e paisagismo. LOCALIZAÇÃO SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO ANTERIOR

17 Programa Viva Campo Grande Projeto Via Morena

18 Programa Viva Campo Grande Projeto Via Morena

19 Programa Viva Campo Grande Av. Júlio de Castilho Readequação da seção transversal, revisão de embarque/desembarque do transporte coletivo, implantação de ciclovia paralela à via, padronização das calçadas e mobiliário urbano com remoção das interferências existentes. SITUAÇÃO ANTERIOR SITUAÇÃO ATUAL LOCALIZAÇÃO

20 Programa Viva Campo Grande Projeto Orla Ferroviária Revitalização do leito ferroviário desativado na área central com a implantação de mobiliário urbano, criação de espaços de lazer, contribuindo para a preservação da história da ferrovia e dinamização da atividade comercial local. SITUAÇÃO ANTERIOR SITUAÇÃO ATUAL LOCALIZAÇÃO

21 Programa Viva Campo Grande Projeto Orla Ferroviária

22 Programa Viva Campo Grande Projeto Orla Morena Revitalização de 2,3Km da área remanescente dos trilhos através da criação de um Parque Linear com pistas para caminhada, aparelhos de ginástica e ciclovia, reorganização viária da avenida Noroeste com implantação de quatro novas travessias.. LOCALIZAÇÃO SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO ANTERIOR

23 Programa Viva Campo Grande Projeto Orla Morena

24 Viva Campo Grande 2ª Etapa BID ( ) Conjunto de ações que visam promover a requalificação urbana na ZEIC de Campo Grande incentivando a ocupação dos terrenos e edificações, mediante a melhoria da infraestrutura e dos espaços públicos no centro; aumentando a eficiência do sistema de transporte coletivo e a acessibilidade ao centro; e fortalecendo a capacidade de planejamento urbano e mobilidade do município. CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CONTRATO Financiamento BID: US$ 56 milhões Contrapartida PMCG: US$ 56 milhões (PAC Mobilidade e Pavimentação) Taxa de juros: 2,10% a.a (baseado na Libor para o 2º trimestre/2017) Carência: 5 anos e meio Amortização: 25 anos LOCALIZAÇÃO DAS OBRAS

25 VIVA CAMPO GRANDE 2ª ETAPA Recurso: BID / PMCG (US$ 112 milhões) COMPONENTES REVITALIZAÇÃO DO CENTRO Requalificação da Rua 14 de Julho e transversais;(bid) Implementação de um projeto piloto de habitação na área central; (BID) Requalificação urbanística na área central - conexões estratégicas; (BID) Estudos de viabilidade técnica e econômica para áreas de interesse no centro; (BID) Atualização do Plano Diretor de Campo Grande. (PMCG) MOBILIDADE URBANA Ampliação e Melhoria do Sistema de Transporte Coletivo - Construção dos Terminais; - Reforma e Ampliação Terminal Morenão; - Faixas preferenciais; - Intervenções viárias; - Estações Pré-Pago e abrigos. Atualização do PDTMU, Pesquisa OD e Sistema de Simulação de tráfego

26 Requalificação da Rua 14 de Julho e Transversais Investimento: US$ 30 milhões Criação de lugares seguros e confortáveis que priorizem a circulação de pedestres e organizem a circulação de veículos, inibindo seu uso e conciliando-o às necessidades dos usuários. Foram propostos espaços lúdicos, que possibilitem o descanso ao mesmo tempo em que resgatam o valor sócio-cultural, de memória e de lugar, com a inclusão de elementos que fortalecem a afetividade do cidadão com o centro e a identidade urbana.

27 HABITAÇÃO NA ÁREA C E N T R A L Edificar área subutilizada na região central; Fomentar a moradia na área central; Construir aproximadamente de 350 unidades habitacionais; Construir espaços para comércio e serviços voltados para avenida de grande fluxo; Implantar o conceito de Fachada Ativa consorciando usos; Implantar a diversidade tipológica habitacional; Propiciar espaços abertos e integrados à malha urbana; Adotar do conceito bairro-verde.

28 AMPLIAÇÃO E MELHORIA DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO PAC MOBILIDADE Investimento: US$ 56 milhões Implantação de 62 Km de faixas exclusivas de ônibus; Construção de um viaduto no trecho entre a Av. Dr. Olavo Vilela de Andrade e Av. Gury Marques; Reforma e Ampliação do Terminal de ônibus Morenão; Construção de estações de embarque /desembarque; Implantação de 500 abrigos de ônibus. Atualização do PDTMU, Pesquisa OD e Sistema de Simulação de Tráfego

29 PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS - PPP

30 Catiana Sabadin Unidade de Programas e Projetos Estratégicos Tel:

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com.

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com. URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com.br Tel: 55-41-320 3232 Fax: 55-41-232 9475 PLANEJAMENTO, GERENCIAMENTO E

Leia mais

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES PROPOSTAS PRIORITÁRIAS: 1. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL Criar o Conselho Estadual da cidade e apoiar a criação dos conselhos municipais, de forma paritária, de caráter

Leia mais

Cidade Compacta. Diagonal Norte. Carandiru-Vila Maria. Água Branca. Lapa-Brás. Lapa-Brás Celso Garcia Centro. Vila Leopoldina. Rio Verde.

Cidade Compacta. Diagonal Norte. Carandiru-Vila Maria. Água Branca. Lapa-Brás. Lapa-Brás Celso Garcia Centro. Vila Leopoldina. Rio Verde. Repensar a cidade Diagonal Norte Cidade Compacta Vila Leopoldina Lapa-Brás Água Branca Carandiru-Vila Maria Lapa-Brás Celso Garcia Centro Rio Verde Vila Sonia Faria Lima Mooca-Vila Carioca Made by: SMDU/ATOU

Leia mais

Unidade Gestora...: CONSOLIDADO Orgao...: 01 CAMARA MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 01.01 Camara Municipal

Unidade Gestora...: CONSOLIDADO Orgao...: 01 CAMARA MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 01.01 Camara Municipal Orgao...: 01 CAMARA MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 01.01 Camara Municipal 01.000.0000.0.000.000 Legislativa 2.159.894,63 2.159.894,63 01.031.0000.0.000.000 Acao Legislativa 2.159.894,63 2.159.894,63 01.031.0001.0.000.000

Leia mais

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a).

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Anexo A 96 DIRECTIVIDADE ATRATIVIDADE CONFORTO COERÊNCIA SEGURANÇA Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Nível de segurança social do entorno

Leia mais

F 5 2 90 0 100 73.762.862 F 3 2 90 0 100 11.148.628 TOTAL - FISCAL 84.911.490 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 84.911.490

F 5 2 90 0 100 73.762.862 F 3 2 90 0 100 11.148.628 TOTAL - FISCAL 84.911.490 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 84.911.490 UNIDADE : 47101 - MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, ORCAMENTO E GESTAO ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0913 OPERACOES ESPECIAIS - PARTICIPACAO DO BRASIL EM

Leia mais

Projeto Nascentes Urbanas. MÓDULO BÁSICO Autora : Deise Nascimento Proponente: OSCIP Instituto Árvore da Vida

Projeto Nascentes Urbanas. MÓDULO BÁSICO Autora : Deise Nascimento Proponente: OSCIP Instituto Árvore da Vida Projeto Nascentes Urbanas MÓDULO BÁSICO Autora : Deise Nascimento Proponente: OSCIP Instituto Árvore da Vida O projeto Nascentes Urbanas conjuga ações de recuperação e preservação ambiental, abrange o

Leia mais

Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base

Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base O QUE É REDEAMÉRICA? É UMA REDE TEMÁTICA LIDERADA PELO SETOR EMPRESARIAL COM UMA ESTRATÉGIA HEMISFÉRICA PARA FAZER DO

Leia mais

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa: 0252 - CAPTAÇÃO E DIFUSÃO DE NOTÍCIAS Objetivo: Divulgar material jornalístico sobre os atos governamentais nos campos social, político, econômico, educativo,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000 PROJETO DE LEI DO PLANO PLURIANUAL Projeto de Lei: Dispoe sobre o Plano Plurianual para o periodo 2015/2018 A CAMARA MUNICIPAL decreta: Art. 1o. Esta lei institui o Plano Plurianual para o quadrienio 2015/2018

Leia mais

Capítulo I DO PROGRAMA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

Capítulo I DO PROGRAMA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL LEI Nº 2.598 DE 21 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre o Programa Municipal de Habitação de Interesse Social PMHIS, cria o Fundo Municipal e Habitação de Interesse Social FMHIS, revoga a Lei Municipal n 2.235,

Leia mais

GOIÂNIA + 25 LUIZ FERNANDO C. TEIXEIRA ARQUITETO

GOIÂNIA + 25 LUIZ FERNANDO C. TEIXEIRA ARQUITETO GOIÂNIA + 25 LUIZ FERNANDO C. TEIXEIRA ARQUITETO 01 As cidades ou os povoados, seja qual seja seu tamanho, são realidades complexas, de caráter social, econômico e cultural, que se manifestam fisicamente

Leia mais

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Coordenação Geral do Planejamento e Gestão Revisão do Plano Diretor de Belém (Lei nº 7.603/93) 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA,

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Márcio Holland Secretário de Política Econômica Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Brasília, 19 de maio de 2014 2 Por que investimentos

Leia mais

Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo. Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013

Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo. Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013 Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013 Estrutura da Apresentação 1. Contexto 1.1. Situação atual da Mobilidade Urbana; 1.2. Manifestações:

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO Formular e implementar estratégias de gestão com participação, transparência, compromisso, responsabilidade e efetividade, potencializando a administração pública

Leia mais

Propostas para o Plano 500 Pddu e Lous

Propostas para o Plano 500 Pddu e Lous Propostas para o Plano 500 Pddu e Lous Meio Ambiente 1º urbanização das vias públicas e a criação de áreas verdes (praças, bosques, parques) de livre acesso a população 2º Implementação de ação social

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO

PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO A Gestão Participativa, com a construção de múltiplos canais de consulta, com a participação em decisões, com o controle Social,

Leia mais

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN 1.0 Objetivo Promover o planejamento físico-financeiro, acompanhamento e controle das ações de implantação, ampliação e melhoria

Leia mais

Seção III. Do Saneamento Básico

Seção III. Do Saneamento Básico Seção III Do Saneamento Básico Art. 1º - Saneamento básico é o conjunto de serviços que compreende o abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, drenagem

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO

PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL ESPECIALIZADA EM ANÁLISE DE SISTEMAS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO Sumário 1 Objetivo da contratação... 1 2 Antecedentes e

Leia mais

O Rio de Janeiro e as oportunidades com o PELC RJ 2045

O Rio de Janeiro e as oportunidades com o PELC RJ 2045 O Rio de Janeiro e as oportunidades com o PELC RJ 2045 Documento confidencial para uso e informação do cliente Rio de Janeiro, 01/04/2016 A Logística é um grande negócio para o Estado Brasileiro (Arrecadação

Leia mais

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL SUMAC/PECOC CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Governo 21/12/2009 Superintendência de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Introdução

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 1 Relatório de Atividades 2005 I- Introdução A Fundação Fé e Alegria do Brasil é uma sociedade civil de direito privado, de ação pública e sem fins lucrativos, com sede a Rua Rodrigo Lobato, 141 Bairro

Leia mais

Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013

Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013 Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013 I. OBJETO Regulamentação da Lei n o 4.791 de 02/04/2008, que dispõe sobre

Leia mais

Exercício: 2013 Data base: 31/12/2013

Exercício: 2013 Data base: 31/12/2013 Prefeitura Municipal de Alvorada Página: 000001 Orgão: 01 CAMARA MUNICIPAL DE VEREADORES 01 LEGISLATIVA 41.087,91 6.600.377,60 0,00 6.641.465,51 01.031 ACAO LEGISLATIVA 41.087,91 5.758.613,76 0,00 5.799.701,67

Leia mais

Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09

Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09 Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09 Texto em letra Arial Narrow: texto da lei 14.266/07 que não foi alterado Texto em

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

Todos dos dias construindo um futuro melhor PLANO DE GOVERNO DONIZETEOLIVEIRA COSTA VICE - PREFEITO

Todos dos dias construindo um futuro melhor PLANO DE GOVERNO DONIZETEOLIVEIRA COSTA VICE - PREFEITO 15 Todos dos dias construindo um futuro melhor PLANO DE GOVERNO FRANCISCO COELHO FILHO PREFEITO DONIZETEOLIVEIRA COSTA VICE - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 Educação Reforma e ampliação das escolas municipais.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal irá submeter à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades de financiamento

Leia mais

Agenda MEI de Inovação e Manufatura Avançada

Agenda MEI de Inovação e Manufatura Avançada 10 Diálogos da MEI Agenda MEI de Inovação e Gilberto Peralta - GE Salvador, 04 de abril de 2016 A Economia Digital revolucionará o cotidiano das pessoas e das empresas, transformando nosso dia-a-dia Internet

Leia mais

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil Aparecido Hojaij Presidente da Assemae XV Assembleia da Assemae Regional de Santa Catarina 25 de agosto de 2015 Sobre a Assemae

Leia mais

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE Jilmar Tatto Secretário municipal de transportes GERENCIAMENTO DA DEMANDA DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE URBANA E TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO SÃO PAULO

Leia mais

Saneamento Basico Canalizacao e despoluicao do Correqo da Divineia Saneamento basico no Jardim Por do Sol e

Saneamento Basico Canalizacao e despoluicao do Correqo da Divineia Saneamento basico no Jardim Por do Sol e Propostas 2013-2016 Coligacao Uma Cidade Forte se Constr6i corn Uniao Candidato: Prefeito Claudia Viveani de Moraes - Vice Prefeito Antonio Jose de Lima Geracao de Emprego e Renda Continuacao com a Politica

Leia mais

CURITIBA 1966 2016 50 ANOS de PLANO DIRETOR e IPPUC

CURITIBA 1966 2016 50 ANOS de PLANO DIRETOR e IPPUC CURITIBA 1966 2016 50 ANOS de PLANO DIRETOR e IPPUC Estatuto da Cidade O Estatuto da Cidade é a denominação oficial da lei 10.257 de 10 de julho de 2001, que regulamenta o capítulo "Política Urbana" da

Leia mais

Comunicação Integrada: uma experiência em assessoria na Saúde Pública

Comunicação Integrada: uma experiência em assessoria na Saúde Pública Comunicação Integrada: uma experiência em assessoria na Saúde Pública Kalyne Menezes, mskalyne@gmail.com, UFG Daiana Stasiak, daiastasiak@gmail.com, UFG Silvana Coleta, silvanacoleta@gmail.com, UFG Marcelo

Leia mais

Betha Sistemas ESTADO DE SANTA CATARINA Exercício de 2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE CACADOR

Betha Sistemas ESTADO DE SANTA CATARINA Exercício de 2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE CACADOR Página 1 01 Legislativa 3.384.984,24 3.548.093,50 01.031 Ação Legislativa 3.384.984,24 3.548.093,50 01.031.0001 PROCESSO LEGISLATIVO 3.384.984,24 3.548.093,50 01.031.0001.1.191 MODERNIZAÇÃO DA ESTRUTURA

Leia mais

Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis. Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis. Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Iniciativas para fomentar Cidades Sustentáveis Jean Rodrigues Benevides Gerência Nacional de Meio Ambiente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Disco Egan para comunidade sustentáveis sustentabilidade nos espaços urbanos

Leia mais

PROGRAMA INTERNACIONAL DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

PROGRAMA INTERNACIONAL DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL PROGRAMA INTERNACIONAL DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL Integrar, na educação formal e na aprendizagem ao longo da vida, os conhecimentos, valores e habilidades necessárias para um modo de vida sustentável.

Leia mais

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Justificativas O Estado contemporâneo busca superar uma parte substantiva dos obstáculos que permeiam as políticas públicas e as ações privadas através

Leia mais

A T I V O P A S S I V O DE RIBEIRÃO PRETO FINDO EM DE 2012. Títulos. Títulos PASSIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL. Realizável PATRIMÔNIO/CAPITAL

A T I V O P A S S I V O DE RIBEIRÃO PRETO FINDO EM DE 2012. Títulos. Títulos PASSIVO ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL. Realizável PATRIMÔNIO/CAPITAL FIPASE CNPJ 04.755.519/ /0001-30 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕESS CONTÁBEIS PARA O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 FIPASE - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 20122 A T I V O P A S

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE RIBAS DO RIO PARDO, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que o Plenário Aprovou a seguinte Lei.

O PREFEITO MUNICIPAL DE RIBAS DO RIO PARDO, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que o Plenário Aprovou a seguinte Lei. LEI MUNICIPAL Nº. 932/2010 Dispõe sobre o Sistema Municipal de Habitação de Interesse Social, institui a Coordenadoria Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

DESPESA DO PROGRAMA DE TRABALHO

DESPESA DO PROGRAMA DE TRABALHO Órgão: 19000 - Secretaria de Estado da Administração Unidade: 19204 - Companhia de Processamento de Dados da Paraíba Esf Ft [F] Ciência e Tecnologia 22752000 6273700 14274500 2203800 [S] Administração

Leia mais

Consórcio das Universidades Federais do Sul/Sudeste de Minas Gerais. Uma proposta inovadora e estratégica para a região, o Estado e o País

Consórcio das Universidades Federais do Sul/Sudeste de Minas Gerais. Uma proposta inovadora e estratégica para a região, o Estado e o País Consórcio das Universidades Federais do Sul/Sudeste de Minas Gerais Uma proposta inovadora e estratégica para a região, o Estado e o País Consórcio O que não é: Uma Superuniversidade Uma Fusão de Universidades

Leia mais

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Elzira Leão Trabalho Social/DHAB/DUAP/SNH Ministério

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DO PODER JUDICIÁRIO

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DO PODER JUDICIÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DO PODER JUDICIÁRIO Renatto Marcello de Araujo Pinto Comitê Gestor da PNRSJT Comissão de Responsabilidade Socioambiental DILEMAS DO DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF

PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF PENSAR BRASÍLIA TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo Brasília/DF, 30 de agosto de 2012 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GOVERNO PARA O DISTRITO FEDERAL Postura de Estado. Visão > Eixo de Desenvolvimento

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Secretaria de Desenvolvimento Econômico

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Secretaria de Desenvolvimento Econômico SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS Secretaria de Desenvolvimento Econômico Junho 2015 Metas SEDEIS Desenvolver PPP s e PE s (Projetos Estruturados) Melhoria do Ambiente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS - REITORIA POLÍTICA DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA UFMT.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS - REITORIA POLÍTICA DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA UFMT. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS - REITORIA POLÍTICA DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA UFMT. Elaborado por: Joíra Martins Supervisão: Prof. Paulo

Leia mais

Comitê Científico do Enangrad

Comitê Científico do Enangrad Comitê Científico do Enangrad Administração Pública Empreendedorismo e Governança Corporativa Ensino, Pesquisa e Formação Docente em Administração Finanças Gestão da Sustentabilidade Gestão de Informações

Leia mais

Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística Sustentável

Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística Sustentável Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Produção e Consumo Sustentável DPCS Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística

Leia mais

EDITAL DE LANÇAMENTO E SELEÇÃO DE ALUNOS PESQUISADORES PARA O PROJETO DE PESQUISA

EDITAL DE LANÇAMENTO E SELEÇÃO DE ALUNOS PESQUISADORES PARA O PROJETO DE PESQUISA EDITAL DE LANÇAMENTO E SELEÇÃO DE ALUNOS PESQUISADORES PARA O PROJETO DE PESQUISA Moradia de qualidade e o direito à cidade. Investigação sobre o processo fundiário na cidade de São Luís ORIENTADOR: PROF.

Leia mais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Ações Orçamentárias Número de Ações 15 05110000 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Projeto apoiado Unidade de Medida: unidade UO: 26298 FNDE

Leia mais

LEI Nº. - 7 9 4 - DATA: 03 de Dezembro de 1.997

LEI Nº. - 7 9 4 - DATA: 03 de Dezembro de 1.997 LEI Nº. - 7 9 4 - DATA: 03 de Dezembro de 1.997 SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Gerais para a elaboração do Orçamento do Município relativo ao exercício financeiro de 1.998. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Linhas de Financiamento para Reconstrução e Mitigação de Mudanças Climáticas Fortalecimento de estratégias e produtos financeiros

Leia mais

MOBILIDADE NA CIDADE INTELIGENTE. ANGELA AMIN Doutoranda EGC/UFSC

MOBILIDADE NA CIDADE INTELIGENTE. ANGELA AMIN Doutoranda EGC/UFSC MOBILIDADE NA CIDADE INTELIGENTE ANGELA AMIN Doutoranda EGC/UFSC 3 Desde o fim de 2010, 50,5% da população mundial está nas Cidades No Brasil 85% dos domicílios estão em áreas urbanas Que Cidades queremos?

Leia mais

São Paulo, 17 de Agosto de 2012

São Paulo, 17 de Agosto de 2012 São Paulo, 17 de Agosto de 2012 Discurso do Presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini, no 22º Congresso da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - Fenabrave Senhoras

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 Lei 12.114/2009 Lei 12.114/2009 Art. 5º Os recursos do FNMC serão aplicados: I - em apoio financeiro reembolsável mediante concessão de empréstimo,

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Operações urbanas: Mooca-Vila Carioca e os galpões abandonados

Urban View. Urban Reports. Operações urbanas: Mooca-Vila Carioca e os galpões abandonados Urban View Urban Reports Operações urbanas: Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão ESPN As operações urbanas são parcerias entre o poder público

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO Coordenadoria de Relações Institucionais CESAN Terezinha de Jesus S. R. Vanzo LEI 11.445 de 05/01/07 Lei De Regulamentação do Setor de Saneamento Básico Introdução

Leia mais

Cidades Analíticas. das Cidades Inteligentes em Portugal

Cidades Analíticas. das Cidades Inteligentes em Portugal Cidades Analíticas Acelerar o desenvolvimento das Cidades Inteligentes em Portugal Programa Operacional Regional Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO

Leia mais

Seminário Espaços Urbanos Seguros

Seminário Espaços Urbanos Seguros Seminário Espaços Urbanos Seguros A atuação da CAIXA e seu impacto no desenvolvimento de cidades sustentáveis Vice-Presidência de Governo Superintendência Nac de Ass Técnica e Desenv Sustentável Jean R.

Leia mais

TOTAL - FISCAL 899.545 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 899.545

TOTAL - FISCAL 899.545 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 899.545 ORGAO : 32000 - MINISTERIO DE MINAS E ENERGIA UNIDADE : 32314 - EMPRESA DE PESQUISA ENERGETICA - EPE ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0750 APOIO ADMINISTRATIVO

Leia mais

CONTRATO OBRA CREDOR EMPRESA NPD

CONTRATO OBRA CREDOR EMPRESA NPD SC-033/13 RESIDENCIAL HIBISCO. RESIDENCIAL FIGUEIRA RESIDENCIAL CANARIO. RESIDENCIAL BEIJA FLOR. RESIDENCIAL ESPLENDIDO. RESIDENCIAL HIBISCO. RESIDENCIAL FIGUEIRA RESIDENCIAL CANARIO. RESIDENCIAL ESPLENDIDO.

Leia mais

Agili Softwares para Area Publica

Agili Softwares para Area Publica ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER ÓRGÃO: 01 CAMARA MUNICIPAL UNIDADE: 001 CAMARA MUNICIPAL PROGRAMA: 0001 ACAO DO LEGISLATIVO 2001 Manutencao das Atividades da Camara Meta Física 144,00

Leia mais

CIDADES INTELIGENTES E EMPREENDEDORAS

CIDADES INTELIGENTES E EMPREENDEDORAS CIDADES INTELIGENTES E EMPREENDEDORAS Em 2050, subirá para 70% (6,3 bilhões). Fonte: ONU/2010 Fonte: IBGE/2010 As cidades inteligentes vão quadruplicar. Em 2013, eram 21 e até 2025, podemos ter até 88

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

1. Perfil A Faculdade de Medicina de Campos foi criada pela Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), na sessão de 02 de agosto de 1965,

1. Perfil A Faculdade de Medicina de Campos foi criada pela Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), na sessão de 02 de agosto de 1965, 1. Perfil A Faculdade de Medicina de Campos foi criada pela Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), na sessão de 02 de agosto de 1965, para se constituir em uma Instituição de Ensino Superior

Leia mais

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações LEI Nº 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Investimento Social no Entorno do Cenpes. Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE)

Investimento Social no Entorno do Cenpes. Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE) Investimento Social no Entorno do Cenpes Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE) MBA em Desenvolvimento Sustentável (Universidade Petrobras) Abril / 2010 PETR ROBRAS RESPONSABILIDADE

Leia mais

Estacionamentos Belo Horizonte

Estacionamentos Belo Horizonte SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO Estacionamentos Belo Horizonte Belo Horizonte, 24 de Janeiro de 2012 Objetivos do encontro de hoje Objetivos Esclarecimento e discussão do projeto junto aos munícipes

Leia mais

VIII ENESE Maio / 2015

VIII ENESE Maio / 2015 Propostas voltadas para a futura Reforma Urbana, considerando a experiência do Estatuto da Cidade do Estatuto da Metrópole... e do processo de planejamento de Curitiba VIII ENESE Maio / 2015 FATORES CRÍTICOS:

Leia mais

MERIDIANO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

MERIDIANO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 MERIDIANO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: celebrados 2 convênios com a Prefeitura e entidades sociais para atendimento a 15 crianças e adolescentes e 15 pessoas de outros segmentos

Leia mais

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Audiência Pública na Câmara dos Deputados Comissão Especial sobre a Crise Hídrica Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae

Leia mais

LEI N.º 296, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2007.

LEI N.º 296, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2007. LEI N.º 296, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2007. Estima as Receitas e Fixa as Despesas do Município de Gaúcha do Norte, Estado de Mato Grosso, para o Exercício Financeiro de 2008 e dá outras providências. EDSON

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013.

ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013. ESTADO DO MARANHÃO PLANO DE GOVERNO DO SR. RAIMUNDO TELES PONTES DO MUNICÍPIO DE GOVERNADOR LUIZ ROCHA PARA A LEGISLATURA DE 2013. 1 - PODER LEGISLATIVO 1.1 - CÂMARA MUNICIPAL 1.1.1 - Manutenção e funcionamento

Leia mais

Unidade Gestora : CONSOLIDADO Codigo Especificacao Ordinario Vinculado Total

Unidade Gestora : CONSOLIDADO Codigo Especificacao Ordinario Vinculado Total 01.000.0000 Legislativa 55.548.990,00 55.548.990,00 01.031.0000 Acao Legislativa 55.544.400,00 55.544.400,00 01.031.0010 Prover a Camara Municipal de 16.350.000,00 16.350.000,00 infra-estrutura fisica

Leia mais

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO PROJETO DE LEI Institui o Plano Estadual de Cultura da Bahia e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO

Leia mais

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações.

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. Levando em considerações os aspectos sociais, econômicos e ambientais, o Sistema Federação

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA A Socioambiental (PRSA) substitui a Política Corporativa pela Sustentabilidade (2011), e incorpora a contribuição das partes interessadas

Leia mais

LA COOPERACIÓN INTERNACIONAL E METROPOLITANA DE CANOAS

LA COOPERACIÓN INTERNACIONAL E METROPOLITANA DE CANOAS Seminário de Planificación Urbana y Metropolización: Experiencias y Desafios Posadas, 21 de agosto de 2014 LA COOPERACIÓN INTERNACIONAL E METROPOLITANA DE CANOAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS E COOPERAÇÃO Constituição

Leia mais

ORGAO: 01 CAMARA MUNICIPAL DE GUARACIABA DO NORTE - ORCAMENTO FISCAL UNIDADE ORCAMENTARIA: 01 CAMARA MUNICIPAL DE GURACIABA DO NORTE FUNCAO: 01 LEGISLATIVA SUBFUNCAO: 031 ACAO LEGISLATIVA PROGRAMA: 0001

Leia mais

A RNP e a Educação no Brasil

A RNP e a Educação no Brasil A RNP e a Educação no Brasil SBC 99 - Educação e Aprendizagem na Sociedade da Educação - Rio de Janeiro (RJ) 21 de julho 1999 José Luiz Ribeiro Filho Sumário: A história da Internet e seu uso na educação

Leia mais

PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR

PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR 2016-2019 Consolidar, Incluir e Unir com ética, transparência e responsabilidade SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 5 2 METODOLOGIA... 6 3 EQUIPE... 7 4 MAPA SITUACIONAL... 8 5 EIXOS

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO ANO 2013 2016 COLIGAÇÃO. Todos por Abaeté.

PROPOSTA DE GOVERNO ANO 2013 2016 COLIGAÇÃO. Todos por Abaeté. PROPOSTA DE GOVERNO ANO 2013 2016 COLIGAÇÃO Todos por Abaeté. Queremos um Abaeté onde todos possam participar das decisões sobre os investimentos públicos e fiscalizar os serviços prestados. Uma cidade

Leia mais

Nota Técnica Conjunta nº 002/SUFER-DCN/ANTT Processo: 50500.034785/2013-84

Nota Técnica Conjunta nº 002/SUFER-DCN/ANTT Processo: 50500.034785/2013-84 Nota Técnica Conjunta nº 002/SUFER-DCN/ANTT Processo: 50500.034785/2013-84 Assunto: Programa de Investimentos em Logística Ferrovias. Trecho Lucas do Rio Verde (MT) Campinorte (GO) Data: 23 de abril de

Leia mais

Territórios de atuação do PGI no Pará

Territórios de atuação do PGI no Pará Projeto - Pará Territórios de atuação do PGI no Pará Itaituba 97 mil Habitantes - Distrito de Miritituba - Distrito de Campo Verde Barcarena 99 mil Habitantes - Vila Itupanema - Vila Nova / Vila União

Leia mais

3.1 Criar leis que condicionem eventuais mudanças, a um igual processo de discussão participativa, por área/região afetada direta ou indiretamente;

3.1 Criar leis que condicionem eventuais mudanças, a um igual processo de discussão participativa, por área/região afetada direta ou indiretamente; PLATAFORMA AMBIENTAL AOS MUNICÍPIOS Prefeitos e Vereadores 2012 A APREMAVI A missão da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) é a defesa, preservação e recuperação do meio ambiente

Leia mais

TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL

TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RORAIMA Janeiro, Fevereiro e Março de François E. J. de Bremaeker Salvador, janeiro de Transparência Municipal 2 A ONG TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL é uma

Leia mais

Projeto Óleo Amigo SANTA CRUZ DO RIO PARDO S/P REALIZAÇÃO: ONG RIO PARDO VIVO PARCERIAS: SABESP/SEC MUN DE MEIO AMBIENTE

Projeto Óleo Amigo SANTA CRUZ DO RIO PARDO S/P REALIZAÇÃO: ONG RIO PARDO VIVO PARCERIAS: SABESP/SEC MUN DE MEIO AMBIENTE Projeto Óleo Amigo SANTA CRUZ DO RIO PARDO S/P REALIZAÇÃO: ONG RIO PARDO VIVO PARCERIAS: SABESP/SEC MUN DE MEIO AMBIENTE INTRODUÇÃO DESCARTE DO ÓLEO DE COZINHA Forma uma película sobre a ÁGUA, que provoca

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE INDÚSTRIA, COMERCIO, TURISMO E MINERAÇÃO- SICTM.

SECRETARIA MUNICIPAL DE INDÚSTRIA, COMERCIO, TURISMO E MINERAÇÃO- SICTM. 1 Quadro Funcional da Secretaria Nome Zeno Nicolau Schneider Jose Almiro Muller José Aparecido Marques de Assis Angela Maria Souza Iara Knabben Melo Leidiane Luiza Viegas da Silva Ivone Matias Esdras Alves

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO - PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER Identificação de Programas. Lei Autorizativa

ESTADO DE MATO GROSSO - PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER Identificação de Programas. Lei Autorizativa CAMARA MUNICIPAL ACAO DO LEGISLATIVO Atender as necessidades do Municipio, viabilizar aprovacoes de Projetos de Leis de interesse do municipio; suporte tecnico politico. Oferecer suporte conceitual de

Leia mais

PORTARIA N.º 1.900, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013.

PORTARIA N.º 1.900, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013. REVOGADA PELA PORTARIA N.º 465, DE 03 DE MARÇO DE 2016 PUBLICADA NO DJE DE 03.03.2016 EDIÇÃO 5694 PÁG. 76. http://diario.tjrr.jus.br/dpj/dpj-20160303.pdf PORTARIA N.º 1.900, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013.

Leia mais

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL Ideias Centrais Metodologia de Construção do Programa Quatro instâncias: 1. Fóruns de discussão regionalizados Um coordenador regional; Espaço de discussão permanente; Diálogo

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO GABINETE DO PREFEITO Anexo A Minuta de acompanhamento Parcial do Protocolo de Intenções PROGRAMA PBA JIRAU LOCALIDADE VALOR (R$) Status I PROGRAMA DE COMPENSAÇÃO SOCIAL 16.300.000,00 1) Subprograma de Apoio ao Município 10.300.000,00

Leia mais

Secretaria de Turismo e Lazer da Cidade do Recife

Secretaria de Turismo e Lazer da Cidade do Recife Secretaria de Turismo e Lazer da Cidade do Recife Revisão do Planejamento Estratégico para o período de 2014-2017 Este relatório apresenta os resultados da revisão do Planejamento Estratégico utilizando

Leia mais

Hidrovias: Uma visão do futuro

Hidrovias: Uma visão do futuro Hidrovias: Uma visão do futuro Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Data: 18 de agosto de 2010 I Seminário Portuário Público Privado Latino-Americano Hidrovias: Uma visão do futuro Slide

Leia mais