Aprendizagem autodirigida. 1 Em desenvolvimento. 2 Espaço Informativo... 4 Próximos eventos... 5 Excelente Ideia Editorial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aprendizagem autodirigida. 1 Em desenvolvimento. 2 Espaço Informativo... 4 Próximos eventos... 5 Excelente Ideia... 5. Editorial"

Transcrição

1 Que é a aprendizagem autodirigida? Tal como em relação a qualquer conceito, não se encontra uma definição cabal, que suscite o acordo de todos os especialistas. Contudo, para clarificar as ideias e desfazer preconceitos, começamos por referir o que este fenómeno não é, tal como o fizeram Brockett e Hiemstra (1991). Não se trata de um atributo de tudo ou de nada, mas sim uma característica que existe ou tem o potencial de existir em todas as pessoas e em todas as situações de aprendizagem, em maior ou menor grau. Também não significa que é aprendizagem que decorra no isolamento, dado que as pessoas mais autodirigidas têm revelado uma grande tendência para aprenderem com outras pessoas, através, por exemplo, de comunidades de aprendizagem. Do mesmo modo se pode dizer que as actividades de aprendizagem autodirigida não estão limitadas à leitura e à escrita, sendo sim utilizados amplos recursos e métodos (entrevistas, observações, demonstrações, discussões, produção de materiais, visionamento de filmes, etc.). E, contrariamente ao que por vezes se pensa, aprender de forma autodirigida, está associado a aprender melhor, mais profundamente e à realização de aprendizagens mais significativos, satisfatórias e mais perduráveis. Todavia, apesar destas vantagens, não se pode afirmar que seja a panaceia para as dificuldades em torno da aprendizagem ou a melhor abordagem de todas! Ao longo da história humana e em todas as culturas sempre existiram pessoas que se auto-educaram (só considerando o século XX podemos destacar Charlie Chaplin, Walt Disney, Henry Ford, Harry Houdini, George Bernard Shaw), mas foi sobretudo a partir do início da década de 70 desse mesmo século que o fenómeno da aprendizagem autodirigida começou a ser sistematicamente investigado e a suscitar um interesse crescente. O primeiro marco científico deve-se ao canadiano Allen Tough (1971), que estudou os projectos de aprendizagem dos adultos e verificou que cerca de 70% deles eram autoplaneados. Muitas outras investigações se seguiram em diferentes grupos e amostras, à luz do mesmo enquadramento, constatando-se de forma bastante consistente que muitos adultos mostram preferência por dirigir a sua aprendizagem (Hiemstra, 1992). Mas quem verdadeiramente popularizou o conceito foi Malcolm Knowles (1975), ao definir a aprendizagem autodirigida como um processo, em que os indivíduos tomam a iniciativa, com ou sem a ajuda de outrem, no que respeita ao diagnóstico das suas necessidades de aprendizagem, à formulação de metas de aprendizagem, à escolha e implementação de estratégias apropriadas de aprendizagem, e à avaliação dessas mesmas aprendizagens (p. 18). Trata-se de uma definição que salienta como aspectos intrínsecos ao fenómeno a iniciativa, a responsabilidade e o controlo principal exercido pelo educando sobre o processo de aprendizagem. Esta proactividade em relação à aprendizagem está largamente dependente de um conjunto de características pessoais que predispõem os sujeitos para serem autodirigidos, tais como autoconceito e auto-estima elevados, satisfação com a vida, criatividade, autodisciplina, inquisitividade e resistência às contrariedades (Guglielmino, 1977, Oddi, 1986, Oliveira, 2005). Para além das dimensões processo de aprendizagem e característica interna, o fenómeno da aprendizagem autodirigida contempla ainda a dimensão social, estando ligada aos factores do contexto que nela estão implicados (Brockett & Hiemstra, 1991; Long, 1989). Aprendizagem autodirigida. 1 Em desenvolvimento. 2 Espaço Informativo Próximos eventos Excelente Ideia... 5 Editorial Este número da PALADINews é dedicado à aprendizagem autodigirida. Não me compete definir com detalhe académico, outros o farão com mais rigor, por isso, sem essa obrigatoriedade de rigor cientifico, partilho com vocês a minha versão pessoal: aprendizagem auto dirigida é a capacidade que cada um tem de descobrir novas fronteiras dentro de si, no espaço que nos rodeia; é exercício que cada um pratica para experimentar novas versões e novas hipóteses de si mesmo. Num mundo onde se aprende online, 24/7, em directo, com todo o corpo e com todos os sentidos, esta é uma capacidade fundamental para se continuar a aprender ao longo da vida. Se ainda não descobriu esta poderosa ferramenta, ouse e atreva-se a auto-aprender, porque nunca é tarde demais para se superar. A próxima edição da PALADINews será sobre "Empowering dos Seniores ao Nível Local". Agradecemos todo o tipo de notícias, artigos ou outras informações que nos queira enviar sobre este assunto A PALADINews No.3 será publicada em Setembro de Até lá desejo a todos um óptimo Verão e, se possível umas férias relaxantes! Teresa Almeida Pinto Associação VIDA 1

2 Tendo em conta a necessidade de todas as pessoas se tornarem mais autónomas e participantes nos processos democráticos da sociedade, envolvendo-se verdadeira e conscientemente no paradigma da aprendizagem ao longo da vida, e tendo presente as numerosas vantagens que têm sido associadas a esta abordagem, sem dúvida que precisamos de a continuar a compreender e investigar. Albertina L. Oliveira P8. Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra O artigo completo, incluindo a bibliografia encontra-se na página do projecto Paladin Aprendizagem autodirigida Na Aprendizagem Autodirigida (AA), o indivíduo toma a iniciativa e a responsabilidade pelo que ocorre. Os indivíduos seleccionam, gerem e avaliam as suas próprias actividades de aprendizagem, que podem ser exercidas a qualquer momento, em qualquer lugar, por qualquer meio, em qualquer idade. Nas escolas, os professores podem realizar o seu trabalho rumo à AA uma etapa de cada vez. O ensino enfatiza as competências, processos e sistemas da AA, em vez da cobertura alargada de conteúdos e testes. Saiba mais em Em desenvolvimento Informações sobre o desenvolvimento do PALADIN WP 1 Coordenação e Gestão Da Pedagogia à Andragogia Como formadores profissionais estamos todos conscientes das diferenças reais entre os dois estilos de aprendizagem. Mas será que realmente aplicamos o conhecimento que temos da eficácia da andragogia nos nossos programas? Malcomb Knowles é uma autoridade de referência mundial na educação de adultos que enfatiza o uso do estilo andragógico em programas de educação de adultos. Leia mais em: agogy-vs-pedagogy-in-training/ ~~~ WP2 - Produzir um índice de aprendizagem autodirigida Congratulamo-nos em ter como novo parceiro associado o Instituto de Comunicação e Saúde da Universidade de Lugano, na Suíça. O Instituto de Comunicação e Saúde (ICH, da Universidade de Lugano, na Suíça, explora o campo das ciências da comunicação para a investigação teórica e para a aplicada visando: a preservação e desenvolvimento da saúde individual e, através de programas sociais e empresariais para a promoção da saúde, o bem-estar e políticas sociais. O Instituto baseia a sua investigação na integração interdisciplinar entre a tradição humanista e as ciências sociais. Esta estratégia é a base de uma abordagem de qualidade nos estudos do sector da saúde com implicações conceptuais e empíricas. Além disso, o ICH oferece um excelente programa de doutoramento em Comunicação e Saúde financiado pela Swiss National Science Foundation, um mestrado em Comunicação, Gestão e Saúde em colaboração com a Universidade Virginia Tech (Blacksburg, Virginia, E.U.A.) e vários cursos de formação para alunos e profissionais de saúde relacionados com o estudo e a prática desta disciplina. O ICH é composto actualmente por 30 membros, incluindo professores, investigadores, alunos de doutoramento e colaboradores científicos. Contacto: Peter J. Schulz Website: O índice e as ferramentas didácticas estarão prontos até o final de Maio. O índice já possui cerca de 160 documentos em formato pdf e mais de 200 referências. WP3 - Desenvolvimento de escalas de prontidão para autoaprendizagem em 5 áreas específicas O primeiro passo no processo de construção das escalas já está feito - definir os identificadores principais dos idosos desfavorecidos - e foi realizado pelo nosso parceiro grego, Georgio Zarifis, da Universidade Aristóteles de Salónica. Neste contexto, foi desenvolvido um documento muito importante e completo. Foi também concluída a segunda etapa, que se traduz em fazer entrevistas no âmbito de uma estratégia de focus group, com o objectivo de analisar o domínio relevante de funcionamento e identificar as formas, os desafios e os obstáculos em cada área. 2

3 A equipa da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação (Universidade de Coimbra) realizou 10 focus groups com um total de 23 idosos desfavorecidos. O processo de transcrição das entrevistas está quase concluído e agora estam a ser produzidos os itens para a versão preliminar da escala (três fases). A equipa da Universidade Aristóteles de Salónica, já colocou em prática as escalas de testes SDL geradas pela equipa da Universidade de Coimbra. A ideia deste teste preliminar é estar atento ao nível de compreensão dos itens das escalas e da sua relevância para os idosos que vão participar. Todas as observações serão assinaladas numa folha especialmente criada para o efeito. O objectivo é fazer melhorias nas escalas e tornálas mais confiáveis antes de as enviar para os outros parceiros, de modo a que o estudo-piloto possa começar. Seguindo as instruções da equipa de Coimbra, a equipa de Salónica, apresentará um relatório sobre eventuais alterações e aditamentos com base no ensaio que terá lugar em meados de Maio. Neste teste participarão dois grupos de idosos com 5-6 pessoas (um grupo de idosos reformados e outro com idosos mais jovens que ainda trabalham). Ambos os grupos estão ligados ao Open Protection Centres for Older Adults (ΚΑΠΗ) em Salónica. WP 5 - Organizar quatro Eventos Científicos Internacionais A próxima Conferência das PALADIN terá lugar a 19 de Junho de 2010 em Sofia - Bulgária no Hotel Rodina. O tema será: Educação de Adultos e Desenvolvimento Local Promovendo a aprendizagem activa. O objectivo é capacitar as pessoas para a auto-aprendizagem, em especial para a prevenção de doenças e melhoria da qualidade de vida. Estarão envolvidos os principais órgãos governamentais, universidades de medicina e autoridades locais Búlgaros. O primeiro painel, no período da manhã, vai permitir aos participantes discutir sobre o incentivo à participação da sociedade civil a nível regional e local no diálogo sobre a formação profissional como factor para superar os efeitos da crise económica global. O segundo painel, no período da tarde, será dedicado ao fortalecimento da aprendizagem auto-dirigida na prevenção de doenças de importância social e qualidade de vida. Como fazer programas de promoção de saúde para pessoas idosas com êxito. Recomendações para as pessoas que gostariam de realizar acções de promoção da saúde para os idosos. WP7 - Comunicação e Disseminação O material gráfico foi traduzido e impresso nas diferentes línguas da parceria. O site está online, contribuindo para a visibilidade do projecto. Albertina L. Oliveira, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (P8), vai apresentar um trabalho, relacionado com o projecto, na 6ª Conferência Europeia de Investigação - Adult Learning in Europe: Understanding different meanings and contexts September 2010, Linkoping University, na Suécia. O documento é subscrito pela equipa de investigação / académica do projecto, Portugal (P8) e Grécia (P4), e o seu título é: Building self-efficacy for selfdirection scales to improve learning and development of disadvantage seniors. Fundación Proyectos Europa (P3), participou em dois eventos onde apresentou o projecto Paladin. O primeiro foi a feira local da região de Illueca, onde a Fundação gere um dos seus lares para idosos, tendo participado no stand oficial da região, que teve lugar a 9, 10 e 11 de Abril. A segunda divulgação foi feita durante o seminário transnacional do projecto de telemedicina Resater, no qual a Fundação participa como parceiro, e que teve lugar em 3 de Maio passado em Zamora. As línguas oficiais da conferência são o Búlgaro e o Inglês Para ler a programação completa, visite o website Paladin: Se quiser participar entre em contacto com: Dr. Tchavdar Roussev: Association for Development of Mountain Municipalities of Republic of Bulgaria WP9 - Plano de Qualidade e Avaliação Georgios Zarifis, da Universidade Aristóteles de Salónica, o parceiro líder desta WP convidou Bernhard Schmidt-Hertha da Ludwig- Maximilians-Universität, München - Alemanha, para ser o avaliador externo do projecto Paladin. O projecto Paladin foi apresentado, por Teresa Pinto 3

4 (P1) e Albertina Oliveira (P8) a um grupo de cerca de 35 estudantes da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação que frequentam um curso de voluntariado na mesma faculdade (Universidade de Coimbra), em 10 de Abril. Paladin foi notícia em: Newsletter Novas Oportunidades n º 14. Março "Novas Oportunidades" é o Programa nacional para melhorar as qualificações da população adulta em Portugal, promovido pelo Ministério da Educação e Ministério da Segurança Social e do Emprego Newsletter n º 1 da ESREA, Abril 2010 ESREA/ReNaDET - Rede de Adultos educadores, formadores e seu Desenvolvimento Profissional Newsletter n º 4 de InCreaSe, Janeiro InCreaSe é uma academia itenerantel de formação para a aprendizagem cultural e participação das pessoas idosas na Europa. Espaço Informativo Notícias sobre livros e publicações ESREA ReNaDET primeira Newsletter Foi publicada a primeira edição da 'Newsletter' da Rede ESREA Rede de Adultos educadores, formadores e seu Desenvolvimento Profissional. A 'Newsletter' foi criada para servir como meio de partilha e divulgação de informações cujos temas sejam relevantes para os objectivos da rede, mas também servirá como elo e ponto de referência entre os apoiantes e membros da rede. Pode descarregar a Newsletter em: Compreendendo a aprendizagem - mais algumas reflexões Jane Knight escreveu no seu blog que ela e os seus colegas da Internet Time Alliance têm reflectido sobre o que significa "aprender" e ser um "aprendente. Este assunto tem feito parte dos debates em curso sobre a apropriação de termos como aprendizagem social e informal por "vendedores de banha da cobra". Jay Cross tornou-se conhecido por ajudar as organizações a compreender que a aprendizagem é tanto formal como informal. No seu Manual de Aprendizagem Social, Jane Knight identifica cinco categorias de aprendizagem: Aprendizagem formal estruturada, Aprendizagem auto-dirigida, Aprendizagem dirigida ao grupo, Aprendizagem Intra-Organizacional e Aprendizagem acidental e inesperada. Harold Jarche analisou estas cinco categorias e agrupou-as em três tipos de aprendizagem: dirigida, auto-dirigida e aprendizagem indirecta. Website: Satisfação com a Vida entre os idosos Essencialmente, a satisfação com a vida varia consideravelmente entre os adultos mais velhos, assim como a sua propensão para investir na sua aprendizagem. São essas as variações que estão no cerne das áreas propostas para este estudo. Se é possível estabelecer uma ligação entre a satisfação com a vida e uma atitude favorável à aprendizagem auto-dirigida, então talvez seja possível olhar para a aprendizagem auto-dirigida como uma estratégia para promover uma maior qualidade de vida entre as pessoas na sua idade mais avançada. Espera-se que o estudo faça pelo menos três contribuições para as áreas de educação de adultos e gerontologia. Em primeiro lugar, o estudo contribuirá para a expansão da base de conhecimentos da aprendizagem auto-dirigida. Quanto mais se sabe sobre a relação da aprendizagem auto-dirigida com áreas como a satisfação de uma pessoa com a vida, mais se compreenderá claramente o significado da aprendizagem autodirigida. A pesquisa proposta é vista como uma peça deste puzzle. Em segundo lugar, este estudo é a primeira tentativa de utilizar o SDLRS com uma amostra de idosos residentes em instituições e residências. Estes segmentos da população de idosos não são, muitas vezes, vistos como aprendentes em potencial. O estudo deverá contribuir para uma melhor compreensão deste grupo. Finalmente, a questão principal subjacente ao estudo é a qualidade de vida. Prevê-se que o estudo possa identificar as formas através das quais a educação pode contribuir para dar sentido à vida de muitas pessoas na sua idade mais avançada. Embora este seja um enorme empreendimento, o estudo poderá revelar-se um pequeno passo nessa direcção. Descarregue o estudo em 4

5 Próximos eventos Transforming care: Provision, quality and inequalities in late life June 2010, Copenhagen, Denmark Esta conferência internacional explora as dinâmicas e os contextos de mudanças em políticas dirigidas aos idosos e as abordagens e desafios emergentes. Website: 6th World Ageing & Generations Congress August 2010, St. Gallen, Switzerland Tal como no ano passado, o congresso será uma plataforma onde a academia, empresas, políticos e profissionais de diferentes áreas se reúnem para partilhar a sua experiência e know-how para lidar com os desafios das alterações demográficas. ngress2ndannouncement_e_web_cs.pdf 50 Plus Beurs 15/09/2010 to 19/09/2010 Utrecht, the Netherlands 50plus Beurs é o maior evento do mundo para idosos activos oferecendo 50,000 m² de informação e entretenimento. Mais de 600 stands em 6 salas com workshops, palestras e apresentações. 50plus Beurs oferece concertos e performances exclusivas aos seus visitantes. Esta exposição terá lugar em Utrecht, na Holanda a de Setembro de Website: First Conference of the ESREA Network on Education and Learning of Older Adults (ELOA) Munich, Germany, October 7-9. Mais informação disponível em: Ainda há tempo, até 01 de junho, para se registar na ESREA triennial research conference, Linköping, Suécia, Setembro. Mais informações disponíveis em: Existem neste momento dois convites à apresentação de documentos para a secção temática das próximas duas edições do Jornal Europeu para a Investigação sobre o Ensino e Aprendizagem de Adultos (RELA). Para mais informações entrar na página do jornal em: ou entrar em contacto com o organizador da rede: Bernhard Schmidt-Hertha: Esta publicação é financiada pela Comissão Europeia e reflecte os pontos de vista dos autores. A Comissão não se responsabiliza pelo conteúdo da informação contida nesta publicação. Excelente ideia Apresentação de boas práticas, projectos e actividades Um modelo conceptual para a compreensão da aprendizagem autodirigida em ambientes online A pesquisa indica que a aprendizagem on-line situa frequentemente o controlo da sua implementação no aprendente. Recentemente, os estudiosos voltaram a sua atenção para a importância das competências da aprendizagem auto-dirigida (SDL) em ambientes de aprendizagem online. As estruturas existentes para a compreensão da SDL centram-se essencialmente no processo e atributos pessoais em ambientes presenciais. Alguns quadros retratam SDL como um processo, focado na autonomia do aluno no processo de aprendizagem; outros quadros enfatizam atributos pessoais, centrando-se sobre nas capacidades do aluno em regular o processo de aprendizagem. No entanto, o nível de auto-direcção necessária pode mudar em diferentes contextos. O objectivo deste trabalho é apresentar um quadro de pesquisa baseada em SDL para a compreensão da aprendizagem online. Descarregue o PDF aqui F/6.1.3.pdf ~~~ PALADINews é produzido por Associação VIDA. Contacto: Para esta edição contribuíram: Teresa Almeida Pinto, Paulo Tomás Neves, Pedro Afonso, Tchavdar Roussev, Albertina L. Oliveira, Georgios K. Zarifis, Sara Fernández (c)vida Este documento pode ser livremente usado e copiado para fins não comerciais, desde que a sua fonte seja devidamente identificada. Para subscrição das próximas edições da PALADINews é favor visitar: 5

Educação para os Media em Portugal: experiências, actores e contextos

Educação para os Media em Portugal: experiências, actores e contextos Educação para os Media em Portugal: experiências, actores e contextos Educação para os Media em Portugal: experiências, actores e contextos Manuel Pinto (coordenador) Sara Pereira Luís Pereira Tiago Dias

Leia mais

DIRECTRIZES DA IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECAS ESCOLARES

DIRECTRIZES DA IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECAS ESCOLARES DIRECTRIZES DA IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECAS ESCOLARES Título original: The IFLA/Unesco School Libraries Guidelines http://www.ifla.org/vii/s11/pubs/school-guidelines.htm Tradução em Língua Portuguesa (Portugal)

Leia mais

PSIS21. O encontro que marcou a Psicologia em Portugal. Retrato de uma profissão Quem somos, quantos somos?

PSIS21. O encontro que marcou a Psicologia em Portugal. Retrato de uma profissão Quem somos, quantos somos? ISSN 2182-4479 REVISTA OFICIAL DA ORDEM DOS PSICÓLOGOS PORTUGUESES Nº 3 Julho 2012 O encontro que marcou a Psicologia em Portugal CESIS: Duas décadas a transformar vidas em percursos de sucesso PSICOLOGIA:

Leia mais

Memorando sobre Aprendizagem ao Longo da Vida

Memorando sobre Aprendizagem ao Longo da Vida COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 30.10.2000 SEC(2000) 1832 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO Memorando sobre Aprendizagem ao Longo da Vida 1 Memorando sobre Aprendizagem ao Longo

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E DAS HUMANIDADES (CCCSH)

CONSELHO CIENTÍFICO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E DAS HUMANIDADES (CCCSH) CONSELHO CIENTÍFICO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS E DAS HUMANIDADES (CCCSH) Ciências Sociais e Humanidades: mais excelência, maior impacte Internacionalização, pluralismo, pluridisciplinaridade, avaliação, disseminação

Leia mais

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA. Progressos e Desenvolvimentos 2005 2010

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA. Progressos e Desenvolvimentos 2005 2010 INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA Progressos e Desenvolvimentos 2005 2010 INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA PROGRESSOS E DESENVOLVIMENTOS 2005 2010 European Agency for Development in Special Needs Education

Leia mais

Um estudo de caso sobre as organizações que aprendem

Um estudo de caso sobre as organizações que aprendem COG132A.QXD 09-01-2008 10:23 Page 169 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO, 2007, VOL. 13, N.º 2, 169-189 Um estudo de caso sobre as organizações que aprendem Mário José Batista Franco Universidade da

Leia mais

Projecto ADD-FORM. Adequação da Oferta Formativa Superior às Necessidades dos Agentes Empregadores (no Espaço Rural)

Projecto ADD-FORM. Adequação da Oferta Formativa Superior às Necessidades dos Agentes Empregadores (no Espaço Rural) Projecto ADD-FORM Adequação da Oferta Formativa Superior às Necessidades dos Agentes Empregadores (no Espaço Rural) Junho 2008 Projecto ADD-FORM Adequação da Oferta Formativa Superior às Necessidades dos

Leia mais

Pessoas com Deficiência: Mobilidade, Educação e Trabalho

Pessoas com Deficiência: Mobilidade, Educação e Trabalho Pessoas com Deficiência: Mobilidade, Educação e Trabalho Parecer de Iniciativa (Aprovado no Plenário de 19 de Novembro de 2008) Relatora: Conselheira Isabel Guerra Lisboa 2008 Índice Nota Prévia........

Leia mais

plano integração III 06/09/27 12:50 Page 1

plano integração III 06/09/27 12:50 Page 1 Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social 1º Plano de Acção para a Integração das Pessoas com Deficiências ou Incapacidade Autoria > Gabinete da Secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação, Secretariado

Leia mais

PLANO CURRICULAR DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO E ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO CURRICULAR DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO E ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO Projecto de Desenvolvimento do Currículo do 3º Ciclo da Educação Básica em Timor-Leste (CEB3-TL) [Agreement UNICEF/Universidade do Minho SSA/IDSM/2009/00000315-0] PLANO CURRICULAR DO 3º CICLO DO ENSINO

Leia mais

Os putos também fazem filmes?

Os putos também fazem filmes? e d u c a ç ã o / f o r m a ç ã o Maria do Rosário Rodrigues & João Grácio Os putos também fazem filmes? Os putos também fazem filmes? Maria do Rosário Rodrigues Escola Superior de Educação - Instituto

Leia mais

EURYDICE A Educação para a Cidadania nas Escolas da Europa

EURYDICE A Educação para a Cidadania nas Escolas da Europa EURYDICE A Educação para a Cidadania nas Escolas da Europa Eurydice A rede de informação sobre educação na Europa Documento publicado pela Unidade Europeia de Eurydice com o apoio financeiro da Comissão

Leia mais

Recursos. Abertos. e Inovação. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura

Recursos. Abertos. e Inovação. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Andreia Inamorato dos santos Recursos Educacionais Abertos no Brasil O Estado da Arte, Desafios e Perspectivas para o Desenvolvimento e Inovação Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência

Leia mais

CONTRIBUTOS PARA UMA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA

CONTRIBUTOS PARA UMA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA T E S E S 17 DEZEMBRO 2008 CONTRIBUTOS PARA UMA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA Professores e Alunos em Contexto Intercultural S Ó N I A A L M E I D A A R A Ú J O PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS CONTRIBUTOS

Leia mais

Um novo modelo de desenvolvimento profissional. Um projecto em marcha. Certificação de Competências e Individualização de Especialidades em Enfermagem

Um novo modelo de desenvolvimento profissional. Um projecto em marcha. Certificação de Competências e Individualização de Especialidades em Enfermagem da Revista Número 26 Junho 2007 www.ordemenfermeiros.pt ISSN 1646-2629 Um novo modelo de desenvolvimento profissional Certificação de Competências e Individualização de Especialidades em Enfermagem Um

Leia mais

A C ÊNCIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOL R

A C ÊNCIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOL R A C ÊNCIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOL R Maria Lúcia Santos Maria Filomena Gaspar Sofia Saraiva Santos estudos da fundação Santos, Maria Lúcia É educadora de infância, licenciada em Ciências da Educação e mestre

Leia mais

Um roteiro para desenvolver o empreendedorismo. Louis Jacques Filion. Cadeira de empreendedorismo Rogers-J.A.Bombardier HEC Montréal.

Um roteiro para desenvolver o empreendedorismo. Louis Jacques Filion. Cadeira de empreendedorismo Rogers-J.A.Bombardier HEC Montréal. Um roteiro para desenvolver o empreendedorismo Louis Jacques Filion Cadeira de empreendedorismo Rogers-J.A.Bombardier HEC Montréal Resumo A idéia de empreendedorismo, e mais particularmente a idéia de

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL.

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL Ser Professor Dissertação orientada por: Professora Doutora Maria Manuela

Leia mais

Por que deixar a empresa quando tudo indica que o melhor é ficar?

Por que deixar a empresa quando tudo indica que o melhor é ficar? Por que deixar a empresa quando tudo indica que o melhor é ficar? Cléber Jorge de Mello Silva Adriane Vieira Faculdade de Estudos Administrativos - Fead RESUMO A temática desse artigo está inserida no

Leia mais

Guia de Orientações Metodológicas Gerais

Guia de Orientações Metodológicas Gerais Guia de Orientações Metodológicas Gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Fundamental Programa de Formação de Professores Alfabetizadores Guia de Orientações Metodológicas Gerais JANEIRO 2001

Leia mais

Guia AGENDA 21 Local

Guia AGENDA 21 Local MANUAL Guia AGENDA 21 Local Um desafio para todos GUIA AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO PARA TODOS Manual Novembro de 2007 Título: Guia Agenda 21 Local Um desafio para todos Autoria: Equipa da TTerra Auditoria,

Leia mais

Erasmus+ Guia do programa. Válido a partir de 1 de janeiro de 2014

Erasmus+ Guia do programa. Válido a partir de 1 de janeiro de 2014 Erasmus+ Guia do programa Válido a partir de 1 de janeiro de 2014 Versão 3: 04/06/2014 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 8 PARTE A - INFORMAÇÕES GERAIS ACERCA DO PROGRAMA ERASMUS+... 10 Quais são os objetivos e as

Leia mais

Desenvolvimento de Políticas de Orientação ao Longo da Vida: Um Kit de Recursos Europeu

Desenvolvimento de Políticas de Orientação ao Longo da Vida: Um Kit de Recursos Europeu ELGPN TOOLS Desenvolvimento de Políticas de Orientação ao Longo da Vida: Um Kit de Recursos Europeu ELGPN Tools No. 1 Desenvolvimento de Políticas de Orientação ao Longo da Vida: Um Kit de Recursos Europeu

Leia mais

Educação pública de qualidade: quanto custa esse direito?

Educação pública de qualidade: quanto custa esse direito? Educação pública de qualidade: quanto custa esse direito? B r a s i l 2011 Síntese do CAQi (2010) (valores atualizados conforme PIB per capita de 2010) Ensino fundamental Ensino fundamental no campo Tipo

Leia mais

Competências de Gestão de Carreira

Competências de Gestão de Carreira DORIANNE GRAVINA MIHA LOVŠIN Competências de Gestão de Carreira FATORES DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DE POLITICAS ELGPN Concept Note No. 3 Competências de Gestão de Carreira: Fatores de Sucesso na Implementação

Leia mais

123 escola superior de enfermagem de viseu - 30 anos

123 escola superior de enfermagem de viseu - 30 anos 123 FORMAR MELHOR PARA UM MELHOR CUIDAR Manuela Maria da Conceição Ferreira Seja como a fonte que transborda e não como o tanque que contém sempre a mesma água Paulo Coelho (1999) A formação surge como

Leia mais

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO 3 Maria da Graça L. Castro Pinto Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Presidente da Comissão Coordenadora do Programa de Estudos

Leia mais

aos serviços bancários Bruno Dias Elisa Silva Rahul Kumar Tiago Ralha

aos serviços bancários Bruno Dias Elisa Silva Rahul Kumar Tiago Ralha ACEsso Dos imigrantes aos serviços bancários EM PorTugal Bruno Dias Elisa Silva Rahul Kumar Tiago Ralha Biblioteca Nacional Catalogação na Publicação Dias, Bruno e outros Acesso dos imigrantes aos serviços

Leia mais

GUIAS ORIENTADORES DE BOA PRÁTICA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE INFANTIL E PEDIÁTRICA

GUIAS ORIENTADORES DE BOA PRÁTICA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE INFANTIL E PEDIÁTRICA GUIAS ORIENTADORES DE BOA PRÁTICA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE INFANTIL E PEDIÁTRICA ENTREVISTA AO ADOLESCENTE PROMOVER O DESENVOLVIMENTO INFANTIL NA CRIANÇA G U I A O R I E N T A D O R D E B O A P R Á T I C

Leia mais