Congresso SAE BRASIL. O Inovar-Auto e as oportunidades para Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil. Confidencial. Copyright 2013, PIER

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Congresso SAE BRASIL. O Inovar-Auto e as oportunidades para Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil. Confidencial. Copyright 2013, PIER"

Transcrição

1 Congresso SAE BRASIL O Inovar-Auto e as oportunidades para Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil Confidencial Copyright 2013, PIER 07 Outubro 2013

2

3

4

5 77%!!...

6 BRASIL

7 Você

8 Você Brasil Nação

9 Agenda 1. Inovar-Auto é um importante marco nos novos caminhos para um Brasil Inovador 2. A meta é o fortalecimento da inovação e competitividade para a indústria 3. Você é quem fará o Inovar-Auto acontecer

10 Inovar-auto é um importante marco nos novos caminhos para um Brasil inovador

11 LIBERDADE STATUS POLUIÇÃO

12 O investimento em inovação envolve incerteza e risco. Por isso, existem vários instrumentos de apoio financeiro e técnico. Financiamento e Subvenção Econômica Incentivos Fiscais Capital de Risco Bolsas

13 Lei do Bem ( de 2005) Dedução adicional dos dispêndios com inovação tecnológica: 60%, 70% ou 80% de dedução na apuração do Lucro Real para fins de pagamento do IR e CSLL, dependendo do nº de pesquisadores dedicados. Ganho fiscal: As empresas obtém ganhos de caixa a partir de 20,4% do valor investido com P&D. Outros benefícios da Lei do Bem: Depreciação acelerada integral para equipamentos exclusivos de P&D; Redução de 50% da alíquota do IPI para todos os equipamentos exclusivos de P&D; Redução a zero do IR sobre gastos e manutenção de patentes; e dedução adicional de 100% dos dispêndios com P&D que geraram patentes; Amortização acelerada - Amortização dobrada para bens intangíveis e exclusivos em P&D.

14

15

16 O Governo quer que a indústria se mobilize e atue fortemente para a Inovação

17

18 O Inovar-Auto é o toque de despertar para a Inovação Serial e Sistêmica na cadeia automotiva.

19 Inovação é mais do que uma questão de sobrevivência Aumento de IPI para quem não inovar Lei do Bem Preferência em licitações Disputa por clientes // Competição

20 IPI 1001cc até 2000cc

21 Gerenciar resultados está cada vez mais difícil Maximizar Minimizar

22 A meta é o fortalecimento da inovação e competitividade para a indústria

23 Inovar-Auto Novo plano de desenvolvimento da inovação nas empresas Mais projetos e com maior robustez Gestão da carteira de projetos e relativa alocação de recursos Convênios e Serviços Tecnológicos Aceleração de projetos e programas de desenvolvimento Capacitação técnica, atração e retenção de talentos Ampliar recursos de engenharia e utilizar bem os créditos de impostos

24 Objetivos e duração Apoiar o desenvolvimento tecnológico, a inovação, a segurança, a proteção ao meio ambiente, a eficiência energética e a qualidade dos veículos e das autopeças. 31 de dezembro de 2017, data em que cessarão seus efeitos e todas as habilitações vigentes serão consideradas canceladas. Não prejudica a exigência do cumprimento dos compromissos assumidos, inclusive posteriores a 31 de dezembro de 2017.

25 Conceitos do Inovar-Auto P&D Pesquisa e Desenvolvimento Pesquisa básica dirigida: atividades executadas com o objetivo de adquirir conhecimentos quanto à compreensão de novos fenômenos, com vistas ao desenvolvimento de produtos, processos ou sistemas inovadores; Pesquisa aplicada: atividades executadas com o objetivo de adquirir novos conhecimentos, com vistas ao desenvolvimento ou aprimoramento de produtos, processos e sistemas;

26 Conceitos do Inovar-Auto P&D Pesquisa e Desenvolvimento Desenvolvimento experimental: atividades sistemáticas delineadas a partir de conhecimentos pré-existentes, visando à comprovação ou demonstração da viabilidade técnica ou funcional de novos produtos, processos, sistemas e serviços ou, ainda um evidente aperfeiçoamento dos já produzidos ou estabelecidos; Serviços de Apoio Técnico (SAT): serviços indispensáveis à implantação e à manutenção das instalações ou dos equipamentos destinados, exclusivamente, à execução de projetos de pesquisa, desenvolvimento ou à inovação tecnológica, bem como à capacitação dos recursos humanos a eles dedicados.

27 Conceitos do Inovar-Auto Engenharia Desenvolvimento de engenharia: concepção de novo produto ou processo de fabricação, e a agregação de novas funcionalidades ou características a produto ou processo que implique melhorias incrementais e efetivo ganho de qualidade ou produtividade, resultando maior competitividade no mercado; Tecnologia Industrial Básica (TIB): aferição e a calibração de máquinas e equipamentos, o projeto e a confecção de instrumentos de medida específicos, a certificação de conformidade, inclusive os ensaios correspondentes, a normalização ou a documentação técnica gerada e o patenteamento do produto ou processo desenvolvido

28 Metas do Inovar-Auto Eficiência Energética Para atingir a meta de redução de consumo e emissões, as empresas terão necessariamente de investir em novas tecnologias. Novos projetos de produto e processo. Novos motores com mudanças tecnológicas de base e novos sistemas de transmissão, veículos e peças mais leves, e elevado padrão de confiabilidade no processo. Para o consumidor final, o carro produzido dentro da meta de incentivo deixará de gastar em média R$ /ano em combustível, equivalente a 3/4 do IPVA pago por um carro médio no País.

29 O que está em foco no Inovar-Auto? Estímulo à concorrência Incentivos são antecedidos de um tempo de adaptação e adequação dos fabricantes para atingir a meta ( ) e de um tempo de usufruto temporário de 4 anos ( ) para estimular os investimentos tecnológicos necessários e impedir pressões de custos; O Inovar-Auto estimula a concorrência. Os incentivos tributários do regime estão direcionados para os novos investimentos; Também contempla empresas que comercializam e não produzem no País. É voltado, portanto, para trazer ganhos sistêmicos de eficiência e aumento de produtividade da cadeia produtiva, das etapas de fabricação até a rede de serviços tecnológicos e de vendas.

30 Habilitação = Clube... Será solicitada ao MDIC e concedida por ato conjunto dos Ministros do MDIC e do MCTI. Terá validade de 12 meses, contados da data da habilitação. Poderá ser renovada pelo período de doze meses, com limite de validade em 31/12/2017. Deve estar em dia com as obrigações fiscais Assumir o compromisso de cumprir as exigências. A habilitação é específica para cada fábrica, planta ou projeto industrial Deve ser renovada desde que cumprido o cronograma físicofinanceiro do projeto de investimento. O projeto de investimento deverá contemplar a descrição e as características técnicas

31 Empresas que produzem veículos no país Etapas Fabris e maior conteúdo de componentes nacionais - OBRIGATÓRIO Automóveis e comerciais leves 2 de 3 Caminhões e veículos pesados 1 de 2* Sim Não Etapas Fabris Investimentos em P&D Investimentos em Engenharia Etiquetagem veicular* *Não se aplica a caminhões e veículos pesados

32 Benefícios Crédito presumido de IPI a partir de 30 pontos percentuais. A partir de 2017: Veículos que consumam 15,46% menos combustível terão direito a abatimento de um ponto percentual de IPI Veículos que consumam 18,84% menos combustível terão direito a abatimento de dois pontos percentuais de IPI

33 Metas Empresas que produzem veículos no país Etapas P&DI % Faturamento 0,15 0,3 0,5 0,5 0,5 Eng. / TIB Capacitação de Fornecedores % Faturamento 0,5 0, Veículos leves 08 de de de de de 12 Etapas fabris Veículos pesados 09 de de de de de 14 Etiquetagem % Vendas veículos

34 Os dispêndios em pesquisa, desenvolvimento tecnológico, engenharia, tecnologia industrial e capacitação de fornecedores de que tratam os incisos II, III e IV do caput do art. 7º I - deverão ser realizados, no País, pela pessoa jurídica beneficiária do INOVAR- AUTO: a) diretamente; b) por intermédio de fornecedor contratado; ou c) por intermédio de contratação de universidade, instituição de pesquisa, empresa especializada ou inventor independente de que trata o inciso IX do caput do art. 2º da Lei nº , de 2 de dezembro de 2004; III - poderão abranger a destinação de recursos ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - FNDCT; IV - tomarão por base a receita bruta total de venda de bens e serviços, excluídos os impostos e contribuições incidentes sobre a venda, apurada no ano-calendário.

35 Incentivo como contrapartida ao investimento, agregação de valor, emprego, inovação, segurança veicular e eficiência energética Redução do IPI em 30 p.p. no ato da habilitação Redução adicional de IPI de até 1 p.p. em P&D (Art.12º. inc. III a VI) até 1 p.p. em engenharia, TIB e capacitação de fornecedores (Art.12º. inc. VII e VIII) e em até 2 p.p. para incrementos de eficiência energética superiores a 18,8% em relação a 2011 Limites do Crédito de 50% dos Dispêndios: Inc. III a VI até 2% e Inc. VII e VIII de 0,75 a 2,75% sobre receita bruta menos impostos

36 20 anos de incentivos governamentais e mercado promissor... Intensidade de P&D (investimento / vendas líquidas) muito baixo na maior parte das montadoras brasileiras. Deveremos crescer, dobrar, triplicar ou mais... Conceitos eram pouco claros e disseminados. Hoje existe um forte esforço de entendimento dos conceitos e disseminação na rede de colaboração. Insuficiente estruturação de P, D & I incluindo-se aí o valor dos dispêndios e estratégia de Inovação. Os decretos e as habilitações indicam um novo modelo de gestão.

37 Pensar e agir mais como Centro de P&D e como TIER 0,5 do que como Indústria... Dinheiro novo impactando resultados Receitas extraordinárias Gestão do Conhecimento e da Propriedade Intelectual Gestão de Talentos e de Engenharia Gestão e Mensuração do P&D e da Engenharia Industrial como ferramenta estratégica

38 O que isso tem a ver com você? Elementos do programa que implicam em um novo plano de desenvolvimento das inovações na sua empresa no Brasil Ameaça ou oportunidade para a competitividade de sua empresa Depende apenas de como o tema será tratado Governança Estudos comparativos e análises de cenários Integração das iniciativas Visão Sistêmica Robustez do P, D & I Especialização Ação rápida e precisa Integração Empresas, Universidades e Centros de Pesquisa

39 Você é quem fará o Inovar-Auto acontecer

40

41 E não será fácil gerenciar... GIIA - Gestão Inteligente do Inovar Auto

42 Um PDI Plano Diretor de Inovação é a estratégia para gerar máximos resultados a partir do novo cenário da inovação no País.

43 Plano Diretor de Inovações e Contribuições para Inovar-Auto. Qual é o papel da sua empresa? Desenvolvimento de novos componentes nacionais Aumento das etapas fabris e novos arranjos produtivos Investimentos em P&D&E e benefícios fiscais através da Lei do Bem Investimentos em P&D&E em colaboração com as montadoras e seus benefícios atrelados à parceria e resultados (alocações que valerão descontos em IPI) Investimentos em P,D&I que significarão melhores capacidades de redução de consumo/emissões (também durante o processo)

44 Gestão Integrada da Inovação Adequar e reestruturar processos Incentivos Fiscais Engenharia Industrial Make or Buy Conhecimento como um Ativo Gestão de P,D&I Parceiros Estratégicos Secretaria Técnica Lei do Bem Engenharia de Fornecedor Custos da Engenharia Engenharia de Processos Potencializar os Investimentos

45 Fases e entregas... FASE II Criação do Centro de Resultados FASE III Elaboração do Plano de Execução Avaliação e detalhamento do portfolio de projetos candidatos, classificação em plataformas tecnológicas, identificação dos possíveis benefícios e alinhamento aos requisitos do IA, LB, LI e F. Classificar os projetos, estabelecer processos de captura e rastreabilidade dos dispêndios. Capacitar os profissionais para a gestão (inclui ciclos de treinamento). Elaborar documentação de suporte. FASE I Diagnóstico Diagnóstico das práticas de gestão e do uso dos incentivos fiscais para as dimensões técnicas e administrativas. Definição das diretrizes e roteiro de ações. FASE IV Elaboração dos Relatórios de FORM P&D Documentar os projetos selecionados, preparar evidências técnicas e contábeis para atendimento aos requisitos do IA, LB, LI e F. FASE V Monitorar Permanentemente Monitorar os indicadores e realizar uma gestão eficaz do programa e todos os documentos e suporte necessários. $

46 A gestão eficaz gerará uma serie de benefícios desde que haja captura e tratativa adequadas dos dispêndios Crédito presumido de IPI incisos III a VIII Art.12º. 3 e 5 Automóveis e Comerciais Leves Dispêndios : Inciso III Pesquisa... R$ Inciso IV - Des. Tecnológico... R$ Inciso V - Inovação Tecnológica.. R$ Inciso VI- Recolhimento FNDCT.. R$ 0 Inciso VII - Cap. Fornecedores... R$ Inciso VIII - Engenharia e TIB... R$ Dispêndios Inc. III a VIII... R$ Crédito Presumido Incisos III a VIII Dispêndios = R$ X 50%. Credito Presumido IPI = R$ Limite do Crédito de 50% dos Dispêndios Sobre Receita Bruta de Vendas s/ Impostos: Incisos III a VI até 2% Incisos VII e VIII de 0,75 a 2,75%

47 Lei do Bem Apuração dos Benefícios Cumulativos Lei do Bem: Dispêndios : Pesquisa R$ Des. Tecnológico R$ Des. Inovação R$ Engenharia + TIB R$ Total... R$ Incentivo Fiscal IR + CSLL (20,4%) R$ (20,4%) R$ (27,4%) incremento pesquisadores Benefícios Fiscais Acumulados Dispêndios I-A em PD&E: R$ Dispêndios LB em PD&E: R$ ( total I-A ) Total Benefícios: R$ ou 77,4%

48 Desafio Profissional - A Busca de Talentos - Equipe da Unicamp vence a Formula SAE Eletric 2013 nos EUA - Baja SAE de universitários da UFMG figura entre os 5 melhores do mundo - Estudantes brasileiros mais uma vez vencem a SAE Aero Design no Texas - Equipe da FEI levou o Brasil a ocupar o grupo Top Ten durante competição internacional

49 Aero Design SAE / 2012 Estado Nº de Universidades Bahia 2 Distrito Federal 2 Espírito Santo 1 Maranhão 2 Minas Gerais 10 Mato Grosso do Sul 1 Mato Grosso 1 Pará 1 Paraíba 1 Pernambuco 1 Piauí 1 Paraná 4 Rio de Janeiro 5 Rio Grande do Norte 2 Rio Grande do Sul 7 Santa Catarina 2 São Paulo 21 TOTAL 64

50 Baja Nacional SAE / 2012 Estado Nº de Universidades Bahia 2 Ceará 1 Distrito Federal 1 Espirito Santo 1 Minas Gerais 6 Mato Grosso 1 Paraíba 2 Pernanbuco 2 Piauí 1 Paraná 4 Rio de Janeiro 7 Rio Grande do Norte 2 Rio Grande do Sul 5 Santa Catarina 4 Sergipe 1 São Paulo 18 Total 58

51 Fórmula SAE / 2012 Estado Nº de Universidades Bahia 2 Distrito Federal 1 Minas Gerais 4 Paraíba 1 Paraná 1 Rio de Janeiro 3 Rio Grande do Sul 2 Santa Catarina 2 São Paulo 11 Total 27

52 Mobilidade Elétrica Exemplo de cooperação tecnológica - CPFL Energia, fabricantes automóveis, equipamentos, componentes e Centros de Pesquisa, para desenvolver tecnologia para rede de recarga

53 O Brasil está na rota e dispara na frente para realizar os projetos de Veículos Híbridos com Biocombustível

54 O SENAI CIMATEC ICT EMBRAPII Instituição Científica e Tecnológica Modelo integrado combinando ensino e prestação de serviços de alta tecnologia

55 EMBRAPII RECURSOS PARA OS PROJETOS (TRIPARTITE) 1/3 Embrapii (financeiro) MCTI / FINEP 1/3 Empresa (financeiro) Empresas 1/3 ICT (não financeiro) CIMATEC

56 Boas Notícias!!! - O Brasil começa a despertar para a exportação de autoveículos. As empresas planejam reduzir mais rapidamente o gap tecnológico. - Com a rápida evolução tecnológica e agregação de valor ao produto o país se torna mais competitivo. - Os processos enxutos atravessarão toda a cadeia produtiva. - Temos em curso projetos de aprimoramento tecnológico para motores Flex Etanol e 100%Etanol. A maior eficiência térmica possibilitará um significativo aumento da competitividade do combustível verde. - As indústrias estão considerando de forma estratégica a avaliação de seus produtos nos padrões e metodologias tipo classes de desempenho (Latin NCap, Inmetro, e outros). - O consumidor mudou e está mais informado sobre as características técnicas do produto.

57 Inovação??? Estamos convencidos de que há muito a fazer!!!

58

59 Somos gestores e nos comprometemos com os objetivos do projeto e do cliente Geramos resultados Aplicando conhecimento em gestão e conduzindo transformações nas empresas Nossas especialidades são inovação e gestão do conhecimento Fortalecemos o conhecimento que existe em sua empresa e tornando-o combustível para que ela seja mais inovadora. Ideias se tornando negócios, pessoas inovando e sua empresa conectada ao macro ambiente (clientes, universidades, fornecedores etc). pessoas e desempenho Capacitamos e educamos profissionais para que se tornem especiais, fazendo sua empresa especial. planejamento e estratégias Alinhamos a estratégia e as ações de sua empresa para resultados efetivos e desdobrando seu planejamento nas equipes. excelência em operações Asseguramos, pelo redesenho de processos, mudanças para a excelência operacional em todas as áreas e de forma integrada em toda a empresa.

60 Vinte anos. 500 projetos em mais de 150 empresas vencedoras

61 Obrigado! Valter Pieracciani, Msc.

62 Edifício Paulista III R. Geraldo Flausino Gomes, 78 15º andar, Brooklin Novo São Paulo, SP CEP T F pierconsult.com.br

Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem)

Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem) Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem) Características Básicas dos Incentivos Fiscais: Atende empresas que operam em regime de lucro real e que realizam atividades de P&D; Introduziu

Leia mais

Incentivos Fiscais Pro r f. f.dr. r.a ri r st s e t u G omes T i T ninis C iab a á, á 1 5 1 5 de d ez e e z mbr b o r de 2 0 2 1 0 5

Incentivos Fiscais Pro r f. f.dr. r.a ri r st s e t u G omes T i T ninis C iab a á, á 1 5 1 5 de d ez e e z mbr b o r de 2 0 2 1 0 5 MCTI - Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Incentivos Fiscais Prof. Dr. Aristeu Gomes Tininis Cuiabá, 15 de dezembro de 2015 MCTI SETEC. AGENDA Programa Inovar Auto. Lei do Bem. Possibilidades

Leia mais

O que acontecerá se as montadoras começarem a comprar mais moldes e estampos das ferramentarias brasileiras?

O que acontecerá se as montadoras começarem a comprar mais moldes e estampos das ferramentarias brasileiras? O que acontecerá se as montadoras começarem a comprar mais moldes e estampos das ferramentarias brasileiras? Christian Dihlmann presidente@abinfer.org.br Agenda Características do setor automotivo Linha

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE P&D E INOVAÇÃO ALFONSO ABRAMI

ESTRATÉGIAS DE P&D E INOVAÇÃO ALFONSO ABRAMI ESTRATÉGIAS DE P&D E INOVAÇÃO ALFONSO ABRAMI 1 2 77%!!... 3 BRASIL 4 O INVESTIMENTO EM INOVAÇÃO ENVOLVE INCERTEZA E RISCO. POR ISSO, EXISTEM VÁRIOS INSTRUMENTOS DE APOIO FINANCEIRO, TÉCNICO E INTELECTUAL

Leia mais

Guia de incentivos fiscais à inovação tecnológica

Guia de incentivos fiscais à inovação tecnológica recursos para inovação Centro de Conhecimento recursos para inovação Guia de incentivos fiscais à inovação tecnológica Lei 11.196/05 (Lei do Bem) Estratégia Incentivos Fiscais e Recursos Educação e Cultura

Leia mais

NOVO REGIME AUTOMOTIVO INOVAR-AUTO

NOVO REGIME AUTOMOTIVO INOVAR-AUTO NOVO REGIME AUTOMOTIVO INOVAR-AUTO OBJETIVOS Atração de Investimentos Inovação Tecnológica Incorporação Tecnológica Competitividade da Cadeia Automotiva Adensamento da Cadeia Automotiva Abrangência Automóveis,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 63 - Data 7 de março de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Normas Gerais de Direito Tributário Ementa: LEI Nº 11.196, DE 2005. INCENTIVO

Leia mais

INT VIDEO INSTITUCIONAL

INT VIDEO INSTITUCIONAL INT VIDEO INSTITUCIONAL Carlos Alberto Teixeira 16 de Fevereiro de 2011 Investimentos e Incentivos Fiscais - Projetos de Inovação em Ciência e Tecnologia Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha

Leia mais

Fórum Qualidade Automotiva - IQA

Fórum Qualidade Automotiva - IQA Fórum Qualidade Automotiva - IQA INOVAR-AUTO: EM BUSCA DA COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA BRASILEIRA Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Principais objetivos

Leia mais

ABINFER. Programa para a cadeia produtiva de FERRAMENTARIA

ABINFER. Programa para a cadeia produtiva de FERRAMENTARIA ABINFER Programa para a cadeia produtiva de FERRAMENTARIA O Plano de Metas foi um importante programa de industrialização e modernização levado a cabo na presidência de Juscelino Kubitschek 1956-1961.

Leia mais

ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012

ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012 Fevereiro 2014 Um olhar da Inventta: ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012 Maria Carolina Rocha, Marina Loures e Otávio Vianna 1. Introdução A Lei do Bem, cujo principal objetivo é promover

Leia mais

Inovar-Auto: novas perspectivas para a indústria automotiva nacional?

Inovar-Auto: novas perspectivas para a indústria automotiva nacional? Inovar-Auto: novas perspectivas para a indústria automotiva nacional? Com a participação ativa dos Metalúrgicos da CNM/CUT, em 3 de outubro de 2012 o Governo Federal publicou o decreto 7.819/2012 1 que

Leia mais

III WORKSHOP DAS UNIDADES DO MCT E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CTI/CAMPINAS

III WORKSHOP DAS UNIDADES DO MCT E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CTI/CAMPINAS III WORKSHOP DAS UNIDADES DO MCT E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CTI/CAMPINAS Carlos Alberto Teixeira Agosto 2010 Criação, Invenção e Inovação A criatividade existe no universo das idéias, em que os processos

Leia mais

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Medidas Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Plano Competitividade Brasil Exportadora Maior Financiamento à Exportação 2011/2014 Defesa Comercial Defesa da Indústria e do Mercado Interno

Leia mais

Perspectivas, Desafios e Qualidade

Perspectivas, Desafios e Qualidade Perspectivas, Desafios e Qualidade 11. Encontro das Montadoras para a Qualidade Paulo Butori Presidente do Sindipeças e da Abipeças Sistemistas Tier 2 Tier 3 São Paulo, fevereiro novembro de de 2014 Agenda

Leia mais

Inovação Tecnológica

Inovação Tecnológica Inovação Tecnológica Cliente AAA Ltda. Mensagem: O empresário que necessita de uma tecnologia tem duas opções: ele pode ou desenvolvê-la, ou adquiri-la. Agenda Introdução Arcabouço Legal Conceitos Incentivos

Leia mais

Fórum IQA da Qualidade Automotiva. O Papel da Qualidade no Inovar-Auto A Qualidade como Diferencial para Competir

Fórum IQA da Qualidade Automotiva. O Papel da Qualidade no Inovar-Auto A Qualidade como Diferencial para Competir Fórum IQA da Qualidade Automotiva O Papel da Qualidade no Inovar-Auto A Qualidade como Diferencial para Competir Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC INOVAR-AUTO e o Papel

Leia mais

Incentivo fiscal MP do Bem permite compensar débitos previdenciários

Incentivo fiscal MP do Bem permite compensar débitos previdenciários Notíci as Artigo s Página 1 de 5 @estadao.com.br :;):: ''(**. e-mail: senha: Esqueceu sua senha? Cadastre-se Artigos > Empresarial ÍNDICE IMPRIMIR ENVIAR COMENTAR aaa Incentivo fiscal MP do Bem permite

Leia mais

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077)

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Sobre a autora Eng. Adelice Leite de Godoy Obteve sua graduação em Engenharia Química pela Unicamp em 1992, completando sua formação com o Curso

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010

Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Programa Automotivo Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Gestor: Paulo Sérgio Bedran Diretor do Departamento de Indústrias de Equipamentos de Transporte

Leia mais

Tributação e Incentivos à Inovação

Tributação e Incentivos à Inovação VIII Seminário do Setor de Saúde - BRITCHAM Tributação e Incentivos à Inovação São Paulo/SP, 17 de junho de 2009 Inovação Tecnológica no Brasil 30% das empresas industriais realizam algum tipo de inovação

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO N.º 5.798, DE 7 DE JUNHO DE 2006

ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO N.º 5.798, DE 7 DE JUNHO DE 2006 ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO N.º 5.798, DE 7 DE JUNHO DE 2006 Regulamenta os incentivos fiscais às atividades de pesquisa tecnológica e desenvolvimento de inovação tecnológica, de que tratam os arts.

Leia mais

Art. 1º Este Decreto regulamenta o art. 11-B da Lei nº 9.440, de 14 de março de 1997.

Art. 1º Este Decreto regulamenta o art. 11-B da Lei nº 9.440, de 14 de março de 1997. Decreto nº 7.389, de 9 de dezembro de 2010 DOU de 10.12.2010 Regulamenta o incentivo de que trata o art. 11- B da Lei nº 9.440, de 14 de março de 1997, que estabelece incentivos fiscais para o desenvolvimento

Leia mais

O INOVAR AUTO e os investimentos em P&D no setor automotivo

O INOVAR AUTO e os investimentos em P&D no setor automotivo UM OLHAR DA INVENTTA: O INOVAR AUTO e os investimentos em P&D no setor automotivo Carina Leão e Letícia Goulart 1. Introdução Em abril de 2012, o governo brasileiro anunciou a criação de um novo regime

Leia mais

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Prof. Dr. Elvis Fusco 2014 Prefeitura Municipal de Garça Apresentação Prof. Dr. Elvis Fusco Centro Universitário Eurípides

Leia mais

CIESP CAMPINAS 21-08-2014. Incentivos Fiscais à Inovação. Análise da Legislação em vigor. Susy Gomes Hoffmann

CIESP CAMPINAS 21-08-2014. Incentivos Fiscais à Inovação. Análise da Legislação em vigor. Susy Gomes Hoffmann CIESP CAMPINAS 21-08-2014 Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica Análise da Legislação em vigor Susy Gomes Hoffmann Breve Histórico da Legislação. Breve Histórico do Trabalho realizado pela FIESP/CIESP

Leia mais

Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica

Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica R&D TAX INCENTIVES Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica Abril 2013 Agenda Incentivos fiscais da Lei do Bem Conceito de Inovação Tecnológica IN 1.187/11 Controles e Assuntos Controversos Diferenciais

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 5 Decreto nº 6.260, de 20 de novembro de 2007 DOU de 20.11.2007 Dispõe sobre a exclusão do lucro líquido, para efeito de apuração do lucro real e da base de cálculo da Contribuição Social sobre

Leia mais

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Programa de Inovação Tecnologica FIESP CIESP - SENAI Sede Fiesp 2013 Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT

Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT Saulo Soares saulo.soares@fiat.com.br Instituto Tecnológico de Aeronáutica ITA Centro de Competência em Manufatura CCM Fiat Chrysler VIII WORKSHOP DE

Leia mais

Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil

Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil Inovar-Auto Aspectos relevantes Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores 22 Janeiro de 2015

Leia mais

ENCONTRO RMPI e FIEMG DE INOVAÇÃO Belo Horizonte, 4 de novembro de 2013

ENCONTRO RMPI e FIEMG DE INOVAÇÃO Belo Horizonte, 4 de novembro de 2013 ENCONTRO RMPI e FIEMG DE INOVAÇÃO Belo Horizonte, 4 de novembro de 2013 Agilidade Relacionamento O panorama da inovação no Brasil e no mundo Relações entre das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs)

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Máquinas e Equipamentos - IPDMAQ. O que é inovação?

Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Máquinas e Equipamentos - IPDMAQ. O que é inovação? Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Máquinas e Equipamentos - IPDMAQ O que é inovação? Investimentos em Inovação X PIB O Brasil aplica 1,1% de seu Produto Interno Bruto

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. João Arruda) Institui Regime Especial de Tributação para instalação e manutenção de Centros de Processamento de Dados - Data Centers. O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica nas empresas (previstos no Capítulo III da Lei do Bem )

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica nas empresas (previstos no Capítulo III da Lei do Bem ) 1. Nome do Programa/Atividade/Ação fomentado: Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica nas empresas (previstos no Capítulo III da Lei do Bem ) 2. O que é? A Lei n.º 11.196, de 21 de novembro de 2005,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Benefício INOVAR-AUTO

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Benefício INOVAR-AUTO Segmentos Benefício INOVAR-AUTO 25/02/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 4 2. Normas apresentadas pelo cliente... 4 3. Análise da Legislação... 4 3.1. Adesão... 5 3.2. Vigência...

Leia mais

Apoiamos grandes empresas a otimizar os investimentos em P,D&I e reduzir os riscos de inovar

Apoiamos grandes empresas a otimizar os investimentos em P,D&I e reduzir os riscos de inovar Apoiamos grandes empresas a otimizar os investimentos em P,D&I e reduzir os riscos de inovar Com quase 10 anos de atuação no Brasil, é uma das empresas pioneiras especializadas em mecanismos financeiros

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação em Produtos e Processos TAX

Incentivos Fiscais à Inovação em Produtos e Processos TAX Incentivos Fiscais à Inovação em Produtos e Processos TAX Planejamento Tributário O debate sobre a carga tributária brasileira é incessante desde os tempos em que esta não ultrapassava 25% do PIB nacional.

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

do Bem e outras considerações

do Bem e outras considerações Politicas públicas de fomento a inovação: Lei do Bem e outras considerações 8 de setembro de 2014 Legislação Lei do Bem (Lei No. 11.196/2005) Decreto No. 5.798/2006 Lei No. 11.487/2007 (Dec. No. 6.260/2007)

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Brasília, 28 de maio de 2015 Quarto Painel Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Experiências

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.770-A, DE 2011 (Do Sr. Vicentinho)

PROJETO DE LEI N.º 1.770-A, DE 2011 (Do Sr. Vicentinho) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.770-A, DE 2011 (Do Sr. Vicentinho) Dispõe sobre a obrigatoriedade de as montadoras de veículos utilizarem, na fabricação de seus produtos, 70% de peças produzidas

Leia mais

Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA

Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA Gestão Pública: Plano Palhoça 2030 Prefeito Municipal de Palhoça Comitê Executivo de Acompanhamento e Implantação Avaliação de Desempenho

Leia mais

O Avanço da Qualidade nos Programas de Governo

O Avanço da Qualidade nos Programas de Governo III Fórum IQA da Qualidade Automotiva O Avanço da Qualidade nos Programas de Governo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC 2 Conceitos Qualidade Produtos e Serviços Conformidade

Leia mais

Agenda para Micro e Pequenas Empresas

Agenda para Micro e Pequenas Empresas Agenda para Micro e Pequenas Empresas As Micro e Pequenas Empresas (MPE) são de vital importância para o desenvolvimento econômico de Goiás, pois atuam em diversas atividades econômicas, tais como indústria,

Leia mais

PROCESSOS PARA REDUÇÃO DO CUSTO

PROCESSOS PARA REDUÇÃO DO CUSTO PROCESSOS PARA REDUÇÃO DO CUSTO A BgmRodotec Empresa de tecnologia que desenvolve, implanta e presta consultoria ao Software de gestão Globus. Atuamos exclusivamente no mercado de transportes há 30 anos;

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS

TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS Relatório Executivo Relatório Executivo da Dissertação de Mestrado Profissionalizante

Leia mais

ESTRATÉGIAS EM ENGENHARIA, PRODUTO, P&D E INOVAÇÃO

ESTRATÉGIAS EM ENGENHARIA, PRODUTO, P&D E INOVAÇÃO ESTRATÉGIAS EM ENGENHARIA, PRODUTO, P&D E INOVAÇÃO Valter Pieracciani, MSc. TIME PIERACCIANI 2 1 Pibinho Incentivos fiscais Cortes Desindustrialização X Imagem positiva do Brasil Grandes eventos esportivos

Leia mais

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Christimara Garcia CEO Inventta+bgi São Paulo, 29 de abril de 2015 CONTEXTO BRASILEIRO APOIO DIRETO Captação de Recursos Evolução dos desembolsos

Leia mais

Conceitos e Contexto Indicadores e Legislação Vantagens e Benefícios

Conceitos e Contexto Indicadores e Legislação Vantagens e Benefícios MODELO DE ATUAÇÃO Conceitos e Contexto Indicadores e Legislação Vantagens e Benefícios Conceitos É a implementação (do que?) de um produto (bem ou serviço) novo ou significamente melhorado, ou processo,

Leia mais

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Brasília 22 de março o de 2009 Inovação Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

MEI Mecanismos de incentivo à inovação no contexto da crise

MEI Mecanismos de incentivo à inovação no contexto da crise MEI Mecanismos de incentivo à inovação no contexto da crise Proposta de Trabalho Brasília, 27 de setembro de 2012 São Paulo, Agosto 2011 Apresentação do projeto PEDRO PASSOS 1 Baixo crescimento das economias

Leia mais

PRINCIPAIS LINHAS DE FINANCIAMENTO E FOMENTO PARA INOVAÇÃO

PRINCIPAIS LINHAS DE FINANCIAMENTO E FOMENTO PARA INOVAÇÃO PRINCIPAIS LINHAS DE FINANCIAMENTO E FOMENTO PARA INOVAÇÃO inovação. Dentre esses se destacam as formas especiais de financiamento a projetos inovadores através de Editais e linhas de fomento. Nesse sentido

Leia mais

Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009. Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009. Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009 Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Contribuições solicitadas pelo MCT para o Aperfeiçoamento

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES É obrigatório oferecer contrapartida? Em caso afirmativo, quanto devo oferecer de contrapartida? Sim. O

Leia mais

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias REDEPETRO RN Grandes Compradores, pequenos fornecedores M.Sc. Gutemberg Dias MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO BRASIL 5 milhões de empresas formais (99% das empresas formais) e 10 milhões de informais;

Leia mais

Programa Juro Zero. Guilherme Calheiros Coordenador. Dezembro de 2008

Programa Juro Zero. Guilherme Calheiros Coordenador. Dezembro de 2008 Programa Juro Zero Guilherme Calheiros Coordenador Dezembro de 2008 OBJETIVO O Programa Juro Zero foi criado com a finalidade de estimular o desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas Inovadoras (MPEI

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

OS INCENTIVOS FISCAIS À

OS INCENTIVOS FISCAIS À DECOMTEC OS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA LEI Nº 11.196/2005 Departamento de Competividade e Tecnologia - DECOMTEC São Paulo, 08 de outubro de 2012 Principais incentivos da Lei do Bem (Cap.

Leia mais

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Documento de Trabalho SESSÃO TEMÁTICA INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Indicador de importância das prioridades (Resultado

Leia mais

Grupo da Qualidade. Grupos de Trabalho

Grupo da Qualidade. Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupo da Qualidade A finalidade do Grupo da Qualidade é promover ações para discussão e melhoria do sistema de gestão da qualidade das empresas associadas ao Sindipeças. Coordenador:

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando)

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando) INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO I. Objetivos e Metas 1. Liste os 5 principais objetivos de inovação para o horizonte de cinco anos, identificando: Objetivo 1 Objetivo 2 Objetivo 3 Objetivo

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO MCTI. Lei 11.196 de 21.11.2005 Lei do Bem

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO MCTI. Lei 11.196 de 21.11.2005 Lei do Bem INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO MCTI Lei 11.196 de 21.11.2005 Lei do Bem Fevereiro/2015 ÍNDICE Quem somos e o que propomos...4 Programa de Inovação Tecnológica do MCTI...12 Metodologia de Trabalho...21 Relatório

Leia mais

OS DESAFIOS À PRODUÇÃO E VENDAS DE TINTAS AUTOMOTIVAS

OS DESAFIOS À PRODUÇÃO E VENDAS DE TINTAS AUTOMOTIVAS 8º FÓRUM ABRAFATI OS DESAFIOS À PRODUÇÃO E VENDAS DE TINTAS AUTOMOTIVAS MOBILIDADE DESAFIANDO A COMPETITIVIDADE 21/AGOSTO/2013 Source: Paulo Cardamone Managing Director, Consulting IHS AUTOMOTIVE 1 Escopo

Leia mais

Perspectiva da Indústria de Autopeças no contexto do Inovar-Auto

Perspectiva da Indústria de Autopeças no contexto do Inovar-Auto Perspectiva da Indústria de Autopeças no contexto do Inovar-Auto Apresentação Paulo Butori Presidente do Sindipeças Elaboração: Assessoria Econômica do Sindipeças São Paulo, novembro de 2013 Números do

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

Índice da apresentação

Índice da apresentação Cenário da reparação de veículos 2013 Índice da apresentação 1. Indicadores 2. Ameaças e oportunidades 3. Cenário futuro Indicadores Total 5.565 Municípios NORTE 449 Amazonas 62 Pará 143 Rondônia 52 Acre

Leia mais

PLANO BRASIL MAIOR MEDIDAS TRIBUTÁRIAS

PLANO BRASIL MAIOR MEDIDAS TRIBUTÁRIAS PLANO BRASIL MAIOR MEDIDAS TRIBUTÁRIAS REINTEGRA Medida Incentivo fiscal à exportação. Beneficiados Pessoa jurídica produtora que efetue exportação direta ou indireta. Condições Exclusivo para bens manufaturados

Leia mais

CT-ENERG/Empresas: FINEP 02/2002 CARTA CONVITE ÀS EMPRESAS DA CADEIA PRODUTIVA VINCULADA AO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA

CT-ENERG/Empresas: FINEP 02/2002 CARTA CONVITE ÀS EMPRESAS DA CADEIA PRODUTIVA VINCULADA AO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA CT-ENERG/Empresas: FINEP 02/2002 CARTA CONVITE ÀS EMPRESAS DA CADEIA PRODUTIVA VINCULADA AO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA - MCT, em cumprimento à recomendação do Comitê

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

Of. 36 FOPROP Porto Alegre, 25 de agosto de 2009.

Of. 36 FOPROP Porto Alegre, 25 de agosto de 2009. Of. 36 FOPROP Porto Alegre, 25 de agosto de 2009. Prezado Secretário Ronaldo Motta: Seguem as sugestões do FOPROP (Fórum dos Pró-Reitores de Pesquisa e PG das Universidades Brasileiras) com relação ao

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica da Lei do Bem Workshop

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica da Lei do Bem Workshop Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica da Lei do Bem Workshop Eduardo Grizendi Professor Titular egrizendi@inatel.br Blog: www.eduardogrizendi.blogspot.com Santa Rita do Sapucaí, 12 de Março de 2010

Leia mais

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Secretaria de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia - SERHMACT Fundação de Apoio à Pesquisa - FAPESQ Setembro/Outubro de 2013 TECNOVA

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS Orientador Empresarial Incentivos Fiscais-Atividades de Pesquisa Tecnológica e Desenvolvimento de Inovação Tecnológica-

Leia mais

Planejamento estratégico 2016-2019

Planejamento estratégico 2016-2019 Planejamento estratégico 2016-2019 Fortalecer as instituições e a qualidade dos serviços públicos para fortalecer a democracia e a competitividade. www.agendapublica.org.br 2 GOVERNANÇA PARA UM FUTURO

Leia mais

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral PAULO MOL Diretor de Inovação Brasília, 10 de junho de 2013 Brasil precisa ser mais competitivo e a inovação é um dos caminhos 6ª Economia Mundial

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA ANEEL / BNDES / FINEP DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR ELÉTRICO INOVA ENERGIA 01/2013 Modelo de Plano de Negócios Junho - 2013-1 - Introdução Este documento tem

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

ENCTI. C,T&I: Protagonistas do Desenvolvimento Sustentável. Ministro Marco Antonio Raupp. Estratégia Nacional 2012 2015 Ciência, Tecnologia e Inovação

ENCTI. C,T&I: Protagonistas do Desenvolvimento Sustentável. Ministro Marco Antonio Raupp. Estratégia Nacional 2012 2015 Ciência, Tecnologia e Inovação C,T&I: Protagonistas do Desenvolvimento Sustentável Ministro Marco Antonio Raupp Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) Aprovada pelo CCT em 15 de dezembro de 2011 Elaborada com

Leia mais

Gestão do Valor Tecnológico

Gestão do Valor Tecnológico Maison do Conhecimento Grupo ECC Gestão do Valor Tecnológico A Tecnologia Gerenciada como Ativo CONFIDENCIAL Sobre o Grupo ECC www.grupoecc.com.br O grupo é formado por empresas de consultoria, tecnologia,

Leia mais

Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial

Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato Coordenador Missão Promover a utilização do conhecimento científico,

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES 1 INCIDÊNCIAS TRIBUTÁRIAS NAS EXPORTAÇÕES Optantes do SIMPLES Os transformadores plásticos exportadores optantes do SIMPLES devem analisar a conveniência da continuidade

Leia mais

13/02/2012. Alysson Andrade Amorim

13/02/2012. Alysson Andrade Amorim Importância de um Sistema de Gestão da Inovação em uma instituição de educação 13/02/2012 Alysson Andrade Amorim ROTEIRO Unidade de Inovação e Tecnologia - UNITEC Cenário de inovação tecnológica no Brasil;

Leia mais

REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO

REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO 1. OBJETIVOS O Prêmio EDP Inovação é uma iniciativa da EDP Brasil, subsidiária da EDP Energias de Portugal, que visa incentivar a inovação, a sustentabilidade e o empreendedorismo

Leia mais

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento PNQS 2010 IGS SETEMBRO/2010 ORGANOGRAMA DA ORGANIZAÇÃO CANDIDATA Vice-presidência de GO Superintendência T Gerência Prod. e Desenvolvimento

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

Soluções Inovadoras em Polímeros

Soluções Inovadoras em Polímeros Soluções Inovadoras em Polímeros Credenciamento na ANP N 562/2015 Credenciado Centro Tecnológico de Polímeros Evolução para Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros 1992 a 2011 2000 a 2011

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Objetivos. Benefícios

Objetivos. Benefícios Objetivos Mais competitividade, tecnologia e segurança para os carros produzidos e vendidos no Brasil. Grande mercado nacional permite, via incentivo tributário, colocar os carros vendidos e produzidos

Leia mais

Capítulo I Dos Dispêndios com Insumos Estratégicos e Ferramentaria

Capítulo I Dos Dispêndios com Insumos Estratégicos e Ferramentaria Port. MDIC 257/14 - Port. - Portaria MINISTRO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC nº 257 de 23.09.2014 D.O.U.: 24.09.2014 Estabelece regulamentação complementar do Programa

Leia mais

TERCEIRO SETOR. Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado

TERCEIRO SETOR. Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado TERCEIRO SETOR Financiamento com recursos do orçamento público e ou do setor privado Modalidade de apoio e financiamento por parte do Estado ESPÉCIE Auxílios Contribuições Subvenções PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais