Blocos de segurança para Prensas tipo N e P

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Blocos de segurança para Prensas tipo N e P"

Transcrição

1 1 Blocos de segurança para Prensas tipo N e P

2 Conteúdo Introdução Referências normativas Bloco tipo N Bloco tipo P Considerações finais 2

3 Introdução Prensas hidráulicas são máquinas responsáveis pela conformação, corte e dobra de peças metálicas e não metálicas. A conformação é realizada por meio do movimento de cilindro (s) hidráulico (s) controlado e acionado por um sistema hidráulico. 3

4 Introdução Devido as características operacionais, de acordo com a interação do operador com a máquina, da máquina com o operador, da máquina com o meio e do operador com o meio, a prensa hidráulica pode requerer o uso de rigorosos sistemas de segurança para o seu acionamento e movimentação do martelo, acoplado ao cilindro hidráulico. 4

5 Introdução Conforme a norma NBR e a norma européia EN 954, por meio de uma análise de risco, as prensas hidráulicas podem exigir o uso de sistemas de segurança categoria 4 Exemplo - Prensa Esmagamento -> S2 Operação manual -> F2 Velocidades rápidas na prensa -> P2 Nível 4 5

6 Introdução Conforme a norma ISO 13849, em prensas devem ser projetados e utilizados sistemas que atinjam o maior grau de segurança PL = redução de risco e Sistema de controle de prensa 1 st Caso: Risco de vida Segurança Máquina PL = redução de risco d Aplicação comum na hidráulica PL = redução de risco c 2 nd Case: Alto risco com dano Circuitos De grampo 3 rd Case: Médio risco com dano tolerado Baixo risco exposição de /h para situações perigosas risco inaceitável Risco médio Risco alto Risco 6

7 Introdução Os blocos de segurança para prensas hidráulicas tipo N e P foram desenvolvidos para adequação de sistemas hidráulicos para prensas já existentes e que não estão de acordo com as normas de segurança. O objetivo é implementar a segurança hidráulica em prensas, adicionando à um sistema hidráulico já existente, a função de segurança. Devido a alta inércia do movimento de descida do martelo, em caso de necessidade de parada de emergência, a hidráulica é um meio eficiente para interromper o movimento do cilindro. 7

8 Introdução Os blocos de segurança tipo N e tipo P são compostos por circuito hidráulico com duas válvulas com monitoramento e uma válvula de segurança contra multiplicação de pressão. Por meio das duas válvulas monitoradas é possível alcançar a categoria 4 de segurança hidráulica conforme NBR O objetivo do bloco de segurança é parar o movimento perigoso de descida do martelo/cilindro por meio da hidráulica conforme comando do controlador de segurança!!! A parada é feita por meio do desligamento do comando das válvulas monitoradas Falhas mecânicas estruturais, o risco não é evitado por meio do bloco de segurança. Exemplos de falha mecânica: - Rompimento de tubo - Quebra do cilindro do martelo 8

9 Conteúdo Introdução Referências normativas Bloco tipo N Bloco tipo P Considerações finais 9

10 Referências normativas Para a obtenção de um correto projeto, fabricação e implementação de máquinas e equipamentos, bem como sua conservação, manutenção e descarte é obrigatório seguir as orientações e especificações contidas em normas. No Brasil, a principal diretiva de segurança para máquinas e equipamentos, com força de lei é a Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho número 12 (NR12). 10

11 Referências normativas NR 12 Segurança em Máquinas e Equipamentos NBR Partes de sistemas de comando relacionados à segurança princípios gerais para projeto NBR Segurança de máquinas princípios para apreciação de riscos NBR NM Segurança em máquinas conceitos fundamentais e princípios gerais de projeto EN Safety of machinery, safety related parts of control systems EN 693 Hydraulic Presses - Safety IEC EN Electrical equipament of machines part 1 General requirements 11

12 Referências normativas ISO Safety of machinery Safety related parts of control systems - ISO Safety of machinery General principles for design Risk assessment and risk reduction ISO 4413 Hydraulic fluid power General rules relating to systems 12

13 Conteúdo Introdução Referências normativas Bloco tipo N Bloco tipo P Considerações finais 13

14 Bloco tipo N O bloco tipo N é um controle hidráulico de segurança para prensas hidráulicas. Ele é composto de um circuito hidráulico redundante por meio de válvulas direcionais com monitoramento. Indicado para adequação de sistemas hidráulicos existentes, onde existe a necessidade de instalar um circuito hidráulico categoria 4 (NBR 14153) O movimento do cilindro do martelo somente é possível mediante ao acionamento do bloco. 14

15 Bloco tipo N Exemplo de instalação Bloco tipo N PERIGO! Hidráulica existente Bloco N 15

16 Bloco tipo N Exemplo de diagrama de acionamento O diagrama de acionamentos mostrado é somente do bloco N!!! No trabalho de adequação ele deve ser inserido no diagrama de acionamento já existente na prensa. Eventuais temporizações nos acionamentos podem ser necessárias em função do projeto. 16

17 Bloco tipo N Características gerais Dados técnicos: Hidráulico -Pressão máxima = 315 bar -Conexão T = 210 bar -Fluído hidráulico = Óleo mineral (HL, HLP) conforme DIN Classe de pureza do fluído hidráulico conforme ISO 4406 ( C ) classe 20/18/15 Elétrico -Tipo de tensão = Continua -Tensão disponível = 24V Maiores informações ver também catálogos RP (TN 6), RP (TN10), RP (válvulas pré-operadas) e RE Aplicações especiais entrar em contato com os canais de vendas da Bosch Rexroth 17

18 Bloco tipo N Características gerais A válvula monitorada do bloco tipo N usa sensor indutivo tipo QM Quadro de sinais Posição neutra Posição atuada Curso do embolo % Esquema do sensor Conector 4 pinos M12x1 18

19 Bloco tipo N Principais tamanhos Código Descrição Vazão máxima (L/min) Pressão máxima em P (bar) R IH04M06NB X/G24K R IH04M10NB X/G24K R IH04M12NB X/G24K4 1) R IH04M16NB X/G24K4 1) ) Para os blocos tipo N tamanhos 12 e 16 deve ser previsto pilotagem externa e dreno externo 19

20 Conteúdo Introdução Referências normativas Bloco tipo N Bloco tipo P Considerações finais 20

21 Bloco tipo P O bloco tipo P é um controle hidráulico de segurança para prensas hidráulicas. Ele é composto de um circuito hidráulico redundante por meio de elementos lógicos direcionais com monitoramento. Indicado para adequação de sistemas hidráulicos existentes, onde existe a necessidade de instalar um circuito hidráulico categoria 4 (NBR 14153). O movimento do cilindro do martelo somente é possível mediante ao acionamento do bloco. 21

22 Bloco tipo P Exemplo de instalação Bloco tipo N Nota!!! Conexões X3,X4 X6 e X7 podem ser ligadas dependendo do projeto PERIGO! Conexão X5 deve ser ligada na linha de piloto do componente de pressão ou descompressão do sistema existente Bloco P Hidráulica existente 22

23 Bloco tipo P Exemplo de diagrama de acionamento O diagrama de acionamentos mostrado é somente do bloco P!!! No trabalho de adequação ele deve ser inserido no diagrama de acionamento já existente na prensa. Eventuais temporizações nos acionamentos podem ser necessárias em função do projeto. 23

24 Bloco tipo P Características gerais Dados técnicos: Hidráulico -Pressão máxima = 315 bar -Conexão T = 210 bar -Fluído hidráulico = Óleo mineral (HL, HLP) conforme DIN Classe de pureza do fluído hidráulico conforme ISO 4406 ( C ) classe 20/18/15 Elétrico -Tipo de tensão = Continua -Tensão disponível = 24V Maiores informações ver também catálogo RP Aplicações especiais entrar em contato com os canais de vendas da Bosch Rexroth 24

25 Bloco tipo P Características gerais A válvula monitorada do bloco tipo P usa sensor indutivo tipo QM Quadro de sinais Posição neutra Posição atuada Curso do embolo % Esquema do sensor Conector 4 pinos M12x1 25

26 Bloco tipo P Principais tamanhos Código Descrição Vazão máxima (L/min) Pressão máxima em P (bar) R IH04ME16P7A1001-3X/G24K R IH04ME25P7A1001-3X/G24K R IH04ME32P7A1001-3X/G24K R IH04ME40P7A1001-3X/G24K R IH04ME50P7A1001-3X/G24K

27 Conteúdo Introdução Referências normativas Bloco tipo N Bloco tipo P Considerações finais 27

28 Considerações finais Projeto de adequação Para o dimensionamento e seleção do bloco de adequação mais apropriado é necessário análise técnica do circuito hidráulico existente na máquina. Informações como velocidades de trabalho, esforços, pressões, força de sustentação, contrabalanço do martelo e o esquema atual da máquina são informações obrigatórias para a correta seleção do bloco. Após a seleção do bloco, o esquema existente da máquina deve ser revisado e a documentação atualizada. O projeto de adequação deve buscar manter o desempenho da máquina o mais próximo possível da condição original. 28

29 Considerações finais Instalação O bloco de adequação deve ser montado o mais próximo possível do cilindro. O tubo que liga o bloco ao cilindro deve ser dimensionado para resistir ao máximo esforço mecânico e hidráulico existente na máquina aplicando um coeficiente de segurança. A tubulação deve fazer uso de conexões positivas e flanges. Os terminais preferencialmente devem ter a ponta conformada a frio (sistema Vossform) ou deve ser utilizado solda. Em caso de processo de soldagem, todo o processo deve ser qualificado e os cordões de solda devem ser inspecionados com emissão de relatório de aprovação. Tubo de segurança. Exigência de elevada qualidade. 29

30 Considerações finais Instalação Devem ser observados boas práticas e alta qualidade na montagem do tubo de segurança. Não são permitidas a utilização de emendas ou junções por conexões na tubulação entre o bloco e o cilindro. O tubo deve ser preso com braçadeiras e ter resistência e estabilidade aos efeitos de vibrações. Não é permitido a utilização de tubo com costura. Não é permito a utilização de conexões com anel de cravamento conforme recomendação da EN 693. Não é permitido o uso de mangueiras entre o bloco de segurança e o cilindro conforme recomendação da EN 693. Tubo de segurança. Exigência de elevada qualidade. 30

31 Considerações finais Instalação Caso a máquina possua vibração intensa característica a sua natureza de trabalho, condições de contorno e outras medidas devem ser tomadas caso exista impedimento ao uso de tubulação de segurança rígida. Quanto a tubulação, demais exigências vide as referências normativas. Tubo de segurança. Exigência de elevada qualidade. 31

32 Considerações finais Comissionamento O comissionamento e start-up devem ser realizados por profissionais especializados em mecânica, hidráulica e elétrica. Medidas de segurança devem ser providenciadas durante o comissionamento, tendo acesso a máquina somente os envolvidos no trabalho. Após a finalização da instalação, testes de ciclagem de máquina devem ser realizados. Todo o procedimento de teste, descrição, números de ciclos, ferramenta usada, produto conformado, etc, devem ser registrados em relatório. Não sendo evidenciado nenhum problema de ordem elétrica, hidráulica e mecânica, e sendo constatado o correto funcionamento e estabilidade da máquina, a mesma poderá ser homologada com o fechamento do relatório e documentação atualizada. 32

33 Considerações finais Comissionamento Somente após a homolagação do teste (ver NBR 14153) e finalização da documentação, a máquina poderá ser liberada para a produção. Catálogos de referência para comissionamento hidráulico RP Montagem, colocação em operação e manutenção de bombas e motores hidráulicos RP Montagem, colocação em operação e manutenção de cilindros hidráulicos RP Montagem, colocação em operação e manutenção de válvulas industriais RP Montagem, colocação em operação e manutenção de instalações hidráulicas 33

34 Considerações finais Reforma e adequação Toda a reforma e adequação deve ser emitido a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) por Engenheiro responsável junto a CREA. A adequação de uma prensa hidráulica não se limita apenas a instalação de bloco hidráulico de segurança. A adequação plena e completa envolve o uso de uma série de dispositivos, componentes de segurança, proteções, etc, cujo as recomendações técnicas podem ser encontradas nas normativas de referência, sendo obrigatório seguir a diretivas da NR

35 Considerações finais - Exemplo de sistema de segurança integrado Exemplo de um sistema integrado de controle eletrônico de segurança, intertravamento e atuadores Image: Sick AG Valvula 1 Valvula 2 Valvula 3 35

36 Machine Safety Obrigado Bosch Rexroth Securing Your Future! 36

Válvula Proporcional Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DRE e ZDRE

Válvula Proporcional Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DRE e ZDRE RP 29 175/11.2 Substitui: 1.99 Válvula Proporcional Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DRE e ZDRE Tamanho Nominal 6 Série 1X Pressão máxima de operação 21 bar Vazão máxima L/min H/A 26/98 Tipo DRE 6-1X/...G2K...com

Leia mais

Válvula de Preenchimento placa intermediária Tipo ZSF e ZSFW

Válvula de Preenchimento placa intermediária Tipo ZSF e ZSFW R 0 478/0.0 Substitui:.0 Válvula de reenchimento placa intermediária Tipo ZSF e ZSFW Tamanho Nominal a 60 Série ressão máxima de operação 50 bar H/ 50/9 Tipo ZSF 40 F.--/... Índice Conteúdo Características

Leia mais

DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO. www.decibel.com.br

DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO. www.decibel.com.br DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO www.decibel.com.br ATENÇÃO É de fundamental importância a leitura completa deste manual antes de ser iniciada qualquer atividade

Leia mais

Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C

Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C Isolamento da Energia Pneumática Categoria 4 Líder na Tecnologia de Válvulas de Segurança Desde 1950 2005 Tecnologia e experiência 1995 2000 1980 1976 1967 1962 1954

Leia mais

VÁLVULAS BORBOLETA COM SEDE RESILIENTE MANUAL DE SEGURANÇA

VÁLVULAS BORBOLETA COM SEDE RESILIENTE MANUAL DE SEGURANÇA VÁLVULAS BORBOLETA COM SEDE RESILIENTE MANUAL DE SEGURANÇA The High Performance Company ÍNDICE 1.0 Introdução...1 1.1 Termos e abreviações... 1 1.2 Acrônimos... 1 1.3 Suporte ao produto... 2 1.4 Literatura

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 3 PROTEÇÕES MECÂNICAS MÓVEIS

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 3 PROTEÇÕES MECÂNICAS MÓVEIS MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 3 PROTEÇÕES MECÂNICAS MÓVEIS INTRODUÇÃO Este trabalho é uma compilação de informações sobre várias formas de proteções em máquinas e equipamentos. A Norma

Leia mais

Automação Hidráulica

Automação Hidráulica Automação Hidráulica Definição de Sistema hidráulico Conjunto de elementos físicos associados que, utilizando um fluido como meio de transferência de energia, permite a transmissão e o controle de força

Leia mais

Segurança em Máquinas Soluções Rexroth

Segurança em Máquinas Soluções Rexroth Segurança em Máquinas Soluções Rexroth 2 Produtividade necessita de segurança Sistema ABS de antibloqueio de frenagem, controle eletrônico do chassis e sensores de aviso de distância são características

Leia mais

Segurança Operacional em Máquinas e Equipamentos

Segurança Operacional em Máquinas e Equipamentos Segurança Operacional em Máquinas e Equipamentos Manfred Peter Johann Gerente de Vendas da WEG Automação A crescente conscientização da necessidade de avaliação dos riscos na operação de uma máquina ou

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 1 DISPOSITIVOS DE PARTIDA, ACIONAMENTO E PARADA (DE EMERGÊNCIA)

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 1 DISPOSITIVOS DE PARTIDA, ACIONAMENTO E PARADA (DE EMERGÊNCIA) MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA SISTEMAS DE SEGURANÇA 1 DISPOSITIVOS DE PARTIDA, ACIONAMENTO E PARADA (DE EMERGÊNCIA) INTRODUÇÃO Este trabalho é uma compilação de informações sobre várias formas de proteções

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 197, de 17 de dezembro de 2010 17 de outubro 2011 Eng João Baptista Beck Pinto REVISÃO NR-12 Art. 2º Criar a Comissão Nacional Tripartite

Leia mais

ANEXO I DISTÂNCIAS DE SEGURANÇA E REQUISITOS PARA O USO DE DETECTORES DE PRESENÇA OPTOELETRÔNICOS

ANEXO I DISTÂNCIAS DE SEGURANÇA E REQUISITOS PARA O USO DE DETECTORES DE PRESENÇA OPTOELETRÔNICOS ANEXO I DISTÂNCIAS DE SEGURANÇA E REQUISITOS PARA O USO DE DETECTORES DE PRESENÇA OPTOELETRÔNICOS A) Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo quando utilizada barreira física QUADRO

Leia mais

Pressostato Eletrohidráulico

Pressostato Eletrohidráulico Pressostato Eletrohidráulico RP 5006/0.06 Substitui: 0.06 /8 ipo HED 8 Série X Pressão máx. de operação 60 bar DINEN 6058- : 99-05 IEC 6097- : 999-0 / revisão : 000-08 / alteração : 00-0 IEC 6097-5- :

Leia mais

Série 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial

Série 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial 83400 Regulador eletrônico de pressão diferencial Identifica a pressão diferencial requerida para atuar em filtros com pó Boa interferência de imunidade tal como na Diretiva EMC Usando operação dot matrix

Leia mais

Manual de Instruções TORVEL. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45. Manual Técnico. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45

Manual de Instruções TORVEL. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45. Manual Técnico. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45 Manual Técnico 1 Índice 1. Precauções de segurança...3 2. Diagrama hidropneumático...4 3. Principais componentes e suas funções...5 4. Características técnicas...6 e 7 5. Instalação...8 e 9 6. Componentes

Leia mais

Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355.

Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355. Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355. Sócio do Grupo Rumo Engenharia www.rumoengenharia.com.br Telefone: (15) 3331-2300 Celular: (15) 9 9742-9819 Diretor da Área de Engenharia

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

Programa de Treinamentos 2014

Programa de Treinamentos 2014 Programa de Treinamentos 2014 Introdução A Bosch Rexroth tem compromisso com a qualidade de seus treinamentos. Baseado nesse compromisso, a Divisão Service - Didática da Bosch Rexroth desenvolveu uma série

Leia mais

Programa de Treinamentos 2015

Programa de Treinamentos 2015 Programa de Treinamentos 2015 Introdução A Bosch Rexroth tem compromisso com a qualidade de seus treinamentos. Baseado nesse compromisso, a área de Didática da Bosch Rexroth desenvolveu uma série de cursos

Leia mais

COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12 (25/06/15):

COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12 (25/06/15): COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12 (25/06/15): Com a publicação do texto revisado da Norma Regulamentadora 12, em 25 de Junho de 2015 pela Portaria MTE 857 do Ministério do Trabalho

Leia mais

E-mail: vendas@bratal.com.br

E-mail: vendas@bratal.com.br CENTRAL DE VENDAS Consulte-nos pelo fone/fax : (19) 341.0081 E-mail: vendas@bratal.com.br 603 - Tubos 01 ESCOLHA ADEQUADA DA TUBULAÇÃO.... 1 DIAGRAMA TEÓRICO PARA CÁLCULO DE TUBULAÇÕES...........................

Leia mais

ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação

ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação descontínua de produtos moldados, por meio de injeção de material

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 4 NOTA TÉCNICA 6.008 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA COM INTERRUPÇÃO

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

Série de Válvulas Compact Performance

Série de Válvulas Compact Performance Série de Válvulas Compact Performance Largura mínima, consumo de energia muito baixo e vazão extremamente alta. Densidade máxima de potência: _ pequena massa _ dimensões mínimas Montagem da válvula diretamente

Leia mais

- MINI GRUA RG MG 500.1 -

- MINI GRUA RG MG 500.1 - - MINI GRUA RG MG 500.1 - 2 ÍNDICE 1- APRESENTAÇÃO...3 2- CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS...4 3- INSTRUÇÕES DE MONTAGEM MECÂNICA...5 3.1- SISTEMA DE FIXAÇÃO POR TRIPÉ...5 3.2- CONJUNTO DE ACIONAMENTO PRINCIPAL...6

Leia mais

1 INSPEÇÃO DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA CONFORME A NBR 5410

1 INSPEÇÃO DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA CONFORME A NBR 5410 1 INSPEÇÃO DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA CONFORME A NBR 5410 A segurança sempre está em pauta em nossas vidas e com a eletricidade não deve ser diferente. Durante a utilização normal das instalações elétricas

Leia mais

Introdução de (EN) ISO 14119 Dispositivos de intertravamento associados às proteções

Introdução de (EN) ISO 14119 Dispositivos de intertravamento associados às proteções Introdução de (EN) ISO 14119 Dispositivos de intertravamento associados às proteções Derek Jones Gerente de desenvolvimento de negócios (Engenheiro de segurança funcional TÜV Rheinland) David Reade Consultor

Leia mais

Válvulas de Segurança 5/2 vias para o Comando de Cilindros Pneumáticos. 2012 ROSS South America Ltda

Válvulas de Segurança 5/2 vias para o Comando de Cilindros Pneumáticos. 2012 ROSS South America Ltda Válvulas de Segurança 5/2 vias para o Comando de Cilindros Pneumáticos Prensa Pneumática Comandada por Válvula Convencional 5/2 vias Simples Solenóide Escape Área de pilotagem conectada à atmosfera através

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

Catalogo VIC Controle Remoto e Monitoramento de Guindastes

Catalogo VIC Controle Remoto e Monitoramento de Guindastes Controle Remoto e Monitoramento de Guindastes O projeto: trata-se de um equipamento para controlar e monitorar as operações de guindastes à distancia. Controle: O conceito aplicado é o de comando via rádio

Leia mais

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Características Construtivas Tomada de Força VM Contents Generalidades, página 2 Tomada de força montada na caixa de mudanças, página 2 Tomada de

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 015 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos EE: Etec Paulino Botelho Eixo Tecnológico: Controle e Processos

Leia mais

MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO

MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO Normas Aplicáveis MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO - NBR 15.979 Sistemas para Distribuição de Água e Esgoto sob pressão Tubos de polietileno PE 80 e PE 100 Procedimentos de Reparo - NBR 14.461 Sistemas

Leia mais

Bancada de Testes Hidrostáticos e Pneumáticos

Bancada de Testes Hidrostáticos e Pneumáticos Bancada de Testes Hidrostáticos e Pneumáticos 1 Concepção O que é a bancada de testes da Valeq? Esta bancada foi desenvolvia com a intenção de agilizar os testes de campo e de bancada que envolvem pressão.

Leia mais

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos.

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos. TREINAMENTOS 2015 Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas NR-12*. *NR-12: segurança no trabalho

Leia mais

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos.

TREINAMENTOS 2015. *NR-12: segurança no trabalho em máquinas e equipamentos. TREINAMENTOS 2015 Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas NR-12*. *NR-12: segurança no trabalho

Leia mais

SOLUÇÔES INTEGRAIS 1

SOLUÇÔES INTEGRAIS 1 SOLUÇÔES INTEGRAIS 111 Sistema estrutural de alumínio Perfis e acessórios Série MICRO Tipo... Liga... Estado... Tolerâncias dimensionais... Terminação... Sistema modular de perfis de alumínio e seus acessórios

Leia mais

Válvulas: Podem ser: -CONTROLADORAS DE DIREÇÃO. -CONTROLADORAS DE FLUXO. -CONTROLADORAS DE PRESSÃO. - DE BLOQUEIO.

Válvulas: Podem ser: -CONTROLADORAS DE DIREÇÃO. -CONTROLADORAS DE FLUXO. -CONTROLADORAS DE PRESSÃO. - DE BLOQUEIO. Válvulas: São os elementos utilizados para comando dos atuadores, exercendo função preponderante dentro dos circuitos fluídicos e são classificadas conforme suas funções. Podem ser: -CONTROLADORAS DE DIREÇÃO.

Leia mais

HYDAC KineSys Sistemas de acionamento

HYDAC KineSys Sistemas de acionamento HYDAC KineSys Sistemas de acionamento Veículos de manuseio de materiais Usinas termelétricas Máquinas injetoras de plástico Seu parceiro profissional para soluções de acionamento Todas as condições para

Leia mais

SENAI - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CARTILHA ORIENTATIVA PARA ADEQUAÇÃO DE EQUIPAMENTOS À NR12

SENAI - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CARTILHA ORIENTATIVA PARA ADEQUAÇÃO DE EQUIPAMENTOS À NR12 SENAI - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CARTILHA ORIENTATIVA PARA ADEQUAÇÃO DE EQUIPAMENTOS À NR12 (BALACIM SYCLON AF6) (BALACIM RAPID 28) (PRENSA SOLAS UNIPEG SAFE) 2 Introdução 4 Balancim

Leia mais

Bombas Combinadas de Engrenamento Externo Tipo AZPFF e AZPFFF

Bombas Combinadas de Engrenamento Externo Tipo AZPFF e AZPFFF RP 11440D/03.05 Substitui: 10.03 Bombas Combinadas de Engrenamento Externo Tipo AZPFF e AZPFFF Tamanhos Nominais 002 até 022 Pressão máxima até 250 bar (conforme TN) Bomba combinada Tipo AZPFFF Índice

Leia mais

EMTV MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DESDE 1956

EMTV MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DESDE 1956 EMTV Elevador de manutenção telescópico vertical MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ZELOSO DESDE 1956 PREFÁCIO APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS ANEXO XVIII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica visa a adequar o texto da norma NBR 10897, que dispõe sobre

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE CONFORMIDADE SEGURANÇA DE MÁQUINAS

RELATÓRIO TÉCNICO DE CONFORMIDADE SEGURANÇA DE MÁQUINAS RELATÓRIO TÉCNICO DE CONFORMIDADE SEGURANÇA DE MÁQUINAS EMPRESA: Jzardo-ME ENDEREÇO: Rua sebastião Ferraz de Campos Junior,210 BAIRRO: Chácara Flora ESPECIFICAÇÃO: Equipamento destina à compactação de

Leia mais

Quem somos nós. Uma Empresa, Assistência total, Soluções completas

Quem somos nós. Uma Empresa, Assistência total, Soluções completas Produtos e Serviços Quem somos nós Uma Empresa, Assistência total, Soluções completas Durante muitos anos, a Hydratight tem fornecido soluções na forma de juntas aparafusadas de categoria internacional

Leia mais

Sistema de Proteção contra Sobrepressão

Sistema de Proteção contra Sobrepressão Sistema de Proteção contra Sobrepressão Sistema de Proteção contra Sobrepressão HIPPS O QUE É UM SISTEMA HIPPS? HIPPS é uma sigla para High Integrity Pressure Protection System (Sistema de Proteção contra

Leia mais

APLICATIVOS RENAULT. Siemens/Fênix 5

APLICATIVOS RENAULT. Siemens/Fênix 5 CAPÍTULO 13 APLICATIVOS RENAULT Siemens/Fênix 5 MEGANE 1.6 K7M 702/703/720 1995 em diante COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA Este sistema é multiponto seqüencial, com 4 válvulas injetoras que possui autodiagnose

Leia mais

das válvulas de vazão de líquidos e gases

das válvulas de vazão de líquidos e gases Válvulas de Vazão de Líquidos e Gases Wagner Britto Vaz de Oliveira 00/16144 Pedro Kouri Paim 00/16063 9 de Junho de 2005 1 Introdução No contexto de automação industrial, válvulas de comando são elementos

Leia mais

Instruções de funcionamento originais Dispositivo de comutação de segurança com saídas de relé G1501S 706326 / 00 01 / 2014

Instruções de funcionamento originais Dispositivo de comutação de segurança com saídas de relé G1501S 706326 / 00 01 / 2014 Instruções de funcionamento originais Dispositivo de comutação de segurança com saídas de relé G50S 706326 / 00 0 / 204 Índice Introdução 4. Símbolos utilizados 4 2 Instruções de segurança 4 3 Material

Leia mais

DESOBSTRUIDOR MIDES MODELO 4TES

DESOBSTRUIDOR MIDES MODELO 4TES DESOBSTRUIDOR MIDES MODELO 4TES MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO 1 INDICE 01- INTRODUÇÃO 02- DADOS TÉCNICOS 03- INSTALAÇÃO 04- COMANDOS ELETRICOS E PNEUMÁTICOS 05- OPERAÇÃO 06- MANUTENÇÃO NOTA:

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DIDÁTICAS, INTEGRANDO ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA (PUC-RIO) E CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA DO CEFET-RJ

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DIDÁTICAS, INTEGRANDO ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA (PUC-RIO) E CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA DO CEFET-RJ DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DIDÁTICAS, INTEGRANDO ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA (PUC-RIO) E CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA DO CEFET-RJ Alunos: Felipe Portes Lanes (PUC-Rio), Viviane Helena da

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 9. Sistema de Aterramento 02 9.1. Geral 02 9.2. Normas 02 9.3. Escopo de Fornecimento 02 T-9.1. Tabela 02 9.4. Características Elétricas 03 9.4.1. Gerais 03 9.4.2. Concepção Geral

Leia mais

Amplificador Analógico Tipo VT 3015

Amplificador Analógico Tipo VT 3015 RP 29 892/05.02 Substitui: 29 893 Amplificador Analógico Tipo VT 305 Série X Índice Conteúdo Características Dados para pedido Página Diagrama de funcionamento, ajustes 2 Dados técnicos Diagrama de blocos

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

3º ENCONTRO ESTADUAL DE CIPA E SESMT DO SETOR QUÍMICO

3º ENCONTRO ESTADUAL DE CIPA E SESMT DO SETOR QUÍMICO 3º ENCONTRO ESTADUAL DE CIPA E SESMT DO SETOR QUÍMICO PROTEÇÃO DE MÁQUINAS NR 12 ENG. ROBERTO DO VALLE GIULIANO CONVENÇÃO COLETIVA DE 1995 EXEMPLOS DE PROTEÇÕES UNIDADE DE FECHAMENTO Proteção móvel Proteção

Leia mais

Explicação dos Tipos de Válvula Solenóide

Explicação dos Tipos de Válvula Solenóide Explicação dos Tipos Válvula Solenói Todas as válvulas da Danfoss possuem agora uma signação que talha sua estrutura e operação.vários números e letras finem se a válvula é operada diretamente ou servocontrolada,

Leia mais

Válvula de Governo e Alarme 2.1/2 e 3

Válvula de Governo e Alarme 2.1/2 e 3 DESCRIÇÃO: A Válvula de Alarme Modelo E atua como um dispositivo de alarme de fluxo de água em sistemas espargidores de tubo úmido. O projeto permite instalação sob condições de fornecimento de pressão

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL 1 OBJETIVO: Padronizar os diversos tipos de sistemas de bomba de incêndio das edificações, seus requisitos técnicos, componentes, esquemas elétricos-hidráulicos e memória de cálculo, de acordo com os parâmetros

Leia mais

Sprinklers, Válvulas e Acessórios

Sprinklers, Válvulas e Acessórios A Argus é uma empresa brasileira, especializada em segurança e proteção contra incêndio, com sede em Vinhedo/SP. Embora nova, a Argus é uma empresa com muita experiência. Seus sócios em conjunto somam

Leia mais

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 Catálogo técnico Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 EV220B 15 50 é um programa universal de válvula solenoide de 2/2 vias indiretamente servo-operada. O corpo da válvula em

Leia mais

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL Obrigado por escolher equipamentos FLUHYDRO SYSTEMS. Os sistemas óleo hidráulicos são hoje, as melhores, mais seguras e econômicas

Leia mais

Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica. Roteiro de Laboratório: Pneumática

Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica. Roteiro de Laboratório: Pneumática Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica Roteiro de Laboratório: Pneumática Prof. Engº Felipe Amélio de Lucena Catanduva, 25 de julho de 2012. Sumário 1 Objetivo... 3 2 Estrutura para elaboração

Leia mais

Filtro de retorno conforme DIN 24550 para montagem direta no reservatório

Filtro de retorno conforme DIN 24550 para montagem direta no reservatório Filtro de retorno conforme DIN 4550 para montagem direta no reservatório RP 50088/05.04 1/14 Tipo ABZFR -DIN Tamanho nominal 40 a 630 Série 1X Pressão nominal 10 bar HAD 7108 Conteúdo Índice Características

Leia mais

TORNO MECÂNICO PARALELO UNIVERSAL

TORNO MECÂNICO PARALELO UNIVERSAL - Foto meramente ilustrativa podendo não conter os mesmos acessórios/cores do orçamento, marca NARDINI, Modelo ND - 220 GOLD, procedência NACIONAL, produzido por Indústrias Nardini S/A, de acordo com normas

Leia mais

Sistema de Proporcionamento Bomba dosadora de LGE Fire Dos

Sistema de Proporcionamento Bomba dosadora de LGE Fire Dos Sistema de Proporcionamento Bomba dosadora de LGE Fire Dos Descrição A bomba dosadora de LGE FIRE DOS é o mais versátil sistema de proporcionamento existente no mercado. Este revolucionário sistema de

Leia mais

Artigo Técnico: Startup de Elevadores

Artigo Técnico: Startup de Elevadores Artigo Técnico: Startup de Elevadores Problemas enfrentados no início de operação de elevadores instalados em edifícios existentes modernização ou substituição dos equipamentos em edificações habitadas.

Leia mais

Válvula Globo de Assento Inclinado 2/2-vias para produtos até +180 C

Válvula Globo de Assento Inclinado 2/2-vias para produtos até +180 C Válvula Globo de Assento Inclinado /-vias para produtos até +1 C O Tipo pode ser combinado com... Altos níveis de vazão Amplo ciclo de vida útil Programa de opção modular universal até os cabeçotes de

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 12/2015 Campus São João del-rei

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 12/2015 Campus São João del-rei CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO Tema 01: ELETRICIDADE BÁSICA E CIRCUITOS EM CC Um fabricante de isoladores informa que seu produto, no formato de um cilindro, como mostrado na Figura

Leia mais

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: Embreagens são elementos que

Leia mais

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Instruções de Operação Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Conteúdo Instruções de segurança... pág. 03 Função e características... pág. 04 Montagem... pág. 04 Conexão elétrica... pág. 05

Leia mais

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS 1 MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS A presente especificação destina-se a estabelecer as diretrizes básicas e definir características técnicas a serem observadas para execução das instalações da

Leia mais

O produto esta disponível em 4 modelos com tamanho nominal de 10 à 40, todos com aprovação do BG (Associação Alemã de segurança no Trabalho).

O produto esta disponível em 4 modelos com tamanho nominal de 10 à 40, todos com aprovação do BG (Associação Alemã de segurança no Trabalho). As Válvulas de segurança da GPA são a forma mais efetiva de proteger sua prensa freio embreagem contra mau funcionamento ou operação acidental derivada por falha da válvula. MEP-A é uma série de válvulas

Leia mais

Unidades Hidráulicas Modular Tipo ABDT

Unidades Hidráulicas Modular Tipo ABDT Unidades Hidráulicas Modular Tipo ABDT R979037122/12.13 Série 1x Tamanhos Nominais de reservatórios: 100; 160; 250; 400 litros em aço carbono. Pressão máxima de trabalho até 250 bar Vazão até 124 L/min.

Leia mais

CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS. Engº. Gilberto Mian

CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS. Engº. Gilberto Mian CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS Engº. Gilberto Mian SOBRE A METAX A Metax é especializada em Engenharia de Acesso, fornecendo soluções para acesso e elevação de carga, atuando

Leia mais

Bosch Rexroth. The Drive & Control Company A Bosch Rexroth no Brasil

Bosch Rexroth. The Drive & Control Company A Bosch Rexroth no Brasil Bosch Rexroth. The Drive & Control Company A Bosch Rexroth no Brasil A Bosch Rexroth A Bosch Rexroth AG, uma empresa do grupo Bosch, domina as tecnologias de acionamento, comando e movimento para máquinas

Leia mais

Conexões para instalações pneumáticas Série CQ

Conexões para instalações pneumáticas Série CQ Conexões para instalações pneumáticas Série CQ 14662094 Info 181 Características de um sistema moderno de distribuição de ar comprimido: Instalação rápida e simples Montagem sem ferramentas Não há necessidade

Leia mais

Produtos pneumáticos para sistemas de segurança

Produtos pneumáticos para sistemas de segurança E Produtos pneumáticos para sistemas de segurança Conteúdo (BS EN 983 EN692) EN 983 Válvula de alívio (5.1.2) Suprimento de pressão (5.1.4) Fechamento (desligar) Cilindros com travamento Conexão-retenção

Leia mais

PALESTRA NR 12: Suas alterações e as mudanças de paradigmas. Eng. Almir Buganza. Grupo Rumo Engenharia 18/11/2014

PALESTRA NR 12: Suas alterações e as mudanças de paradigmas. Eng. Almir Buganza. Grupo Rumo Engenharia 18/11/2014 PALESTRA NR 12: Suas alterações e as mudanças de paradigmas Eng. Almir Buganza Grupo Rumo Engenharia 18/11/2014 Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355. Sócio do Grupo Rumo Engenharia

Leia mais

Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis

Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis 13017381 Info 166 Cilindros de parada o equipamento compacto e simples para automatizar linhas de transporte Utilização Equipamento rápido e simples

Leia mais

Elevador de Cremalheira. ELC001-F - Catálogo Técnico 2015

Elevador de Cremalheira. ELC001-F - Catálogo Técnico 2015 Elevador de Cremalheira ELC001-F - Catálogo Técnico 2015 Conheça o Elevador de Cremalheira ELC001-F! Porque utilizar o Elevador de Cremalheira ELC001-F em minha obra? Vivemos em uma época em que a maioria

Leia mais

SISTEMA HOTELEIRO. Deseja-se modelar um sistema para um pequeno hotel que atenda aos seguintes. requisitos:

SISTEMA HOTELEIRO. Deseja-se modelar um sistema para um pequeno hotel que atenda aos seguintes. requisitos: GERAIS Desenha um diagrama de classes com relacionamentos, nomes de papéis e multiplicidade para as seguintes situações: - Uma pessoa pode ser casada com outra pessoa. - Uma disciplina é pré-requisito

Leia mais

Válvula de Fluxo Anular. 1º Encontro Técnico da Baixada Santista

Válvula de Fluxo Anular. 1º Encontro Técnico da Baixada Santista Válvula de Fluxo Anular 1º Encontro Técnico da Baixada Santista André Marques Produtos Tradicionais - SGC aplicados a Controle de Perdas Peças de Manutenção Válvulas de Controle Tubos e Conexões e Intervenção

Leia mais

VÁLVULAS MULTIFUNÇÃO TIPO SPOOL Operadas por ar ou solenóide-ar ISO 5599/01 - Tamanho 1

VÁLVULAS MULTIFUNÇÃO TIPO SPOOL Operadas por ar ou solenóide-ar ISO 5599/01 - Tamanho 1 Série Modelo PH VÁLVULAS MULTIFUNÇÃO TIPO SPOOL Operadas por ar ou solenóidear ISO 99/0 Tamanho /2/ vias / posições VANTAGENS: A série no novo modelo PH oferece além das vantagens da linha : Excepcional

Leia mais

KIT HIDRÁULICO CARREGA TUDO

KIT HIDRÁULICO CARREGA TUDO KIT HIDRÁULICO CARREGA TUDO MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. APRESENTAÇÃO PARABÉNS! Você acaba de adquirir um produto Lycos. Desenvolvido e fabricado para atender todos os requisitos de ergonomia

Leia mais

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion SISTEMA I MOTION FOX - I Motion Professor SCOPINO Técnico e Administrador da Auto Mecânica Scopino Professor do Umec Universo do Mecânico Ex-Professor do Senai Diretor do Sindirepa-SP Consultor do Jornal

Leia mais

www.imbil.com.br 1 1

www.imbil.com.br 1 1 www.imbil.com.br 1 1 INTRODUÇÃO Neste catálogo estão descritos todos os modelos de bombas da linha BP de nossa fabricação. Nele constam informações técnicas de construção, e curvas características de cada

Leia mais

Válvulas Direcionais 5/2 vias tipo 740/DN7. Um desenvolvimento da Rexroth que conecta perfeitamente vantagens e desempenho.

Válvulas Direcionais 5/2 vias tipo 740/DN7. Um desenvolvimento da Rexroth que conecta perfeitamente vantagens e desempenho. Válvulas Tipo 740 Válvulas Direcionais 5/2 vias tipo 740/DN7 Um desenvolvimento da Rexroth que conecta perfeitamente vantagens e desempenho. As vantagens estão nos detalhes Válvula de diafragma Capacidade

Leia mais

MOTOR SISTEMA ELÉTRICO TRANSMISSÃO SISTEMA HIDRÁULICO SISTEMA DE GIRO PARTE RODANTE CABINE E COMANDOS CAPACIDADES DE ABASTECIMENTO

MOTOR SISTEMA ELÉTRICO TRANSMISSÃO SISTEMA HIDRÁULICO SISTEMA DE GIRO PARTE RODANTE CABINE E COMANDOS CAPACIDADES DE ABASTECIMENTO MOTOR Tier II Modelo F4GE0684B*D600 Marca New Holland Fabricante FPT Tipo diesel, de injeção direta, 4 tempos, turboalimentado, intercooler Bomba Injetora Rotativa Potência líquida (SAE J1349) 170 hp (120

Leia mais

Segurança para Máquinas Cenário Brasil Rodrigo Rodrigues

Segurança para Máquinas Cenário Brasil Rodrigo Rodrigues Segurança para Máquinas Segurança para Máquinas Cenário Brasil Rodrigo Rodrigues 1 Internal 20/04/2011 DC/QMM3 Dr. Alexandre Orth Training Bosch Rexroth AG 2011. All rights reserved, also regarding any

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS, LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da realização dos serviços 03 5.2. Condições

Leia mais

Dados Técnicos Sobre Tubos

Dados Técnicos Sobre Tubos www.swagelok.com Dados Técnicos Sobre Tubos Índice Serviço de Gás.......................... 2 Instalação.............................. 2 Tabelas de Pressão de Trabalho Sugeridas Tubos em Aço Carbono.....................

Leia mais

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n. ANEXO I da NR-20 1 e 2.... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.º 9: a) o inventário e características dos inflamáveis

Leia mais

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 APLICADO EM ACIONAMENTO DE TRANSPORTADORES DE CORREIA TMPM SÃO LUÍS - MA SAT 1260 Localidade,

Leia mais

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0)

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1. Instalações e áreas de trabalho. NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1.1. Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre

Leia mais

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SEGURANÇA NR12 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL SOLUÇÕES INDUSTRIAIS. A EMPRESA Para a SAFE, a tecnologia é somente um dos elementos de qualquer solução industrial. Suporte e serviços técnicos de alto nível são ingredientes

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 3ª 16/05/2008 Adequação ao novo padrão de normativos no SGN. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 3ª 16/05/2008 Adequação ao novo padrão de normativos no SGN. Nome dos grupos Instalação de Geradores Particulares em Baixa Tensão Processo Atendimento aos Clientes Atividade Código Edição Data SM01.00-00.006 3ª Folha 1 DE 6 16/05/2008 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais