Escola de Leigos. Tema da sessão. Patriarcado de Lisboa. Juan Ambrosio/Paulo Paiva. 2º Semestre Ano letivo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola de Leigos. Tema da sessão. Patriarcado de Lisboa. Juan Ambrosio/Paulo Paiva. 2º Semestre Ano letivo"

Transcrição

1 Tema da sessão 1. Uma Interpelação 2. De onde vimos 3. Onde estamos 4. A teologia fundamental 5. Itinerário 6. cronograma 7. TPC Juan Ambrosio/Paulo Paiva 2º Semestre Ano letivo Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano da Formação Cristã

2 Uma interpelação/desafio Estai sempre dispostos a responder a quem vos peça a razão da vossa esperança a todo aquele que vo-la pede. I Pe 3, 15

3 Uma interpelação/desafio Podemos legitimamente pensar que o destino futuro da humanidade está nas mãos daqueles que souberem dar às gerações vindoiras razões de viver e de esperar. GS 31

4 Uma interpelação/desafio Hoje já não basta com proclamar, afirmar e engrandecer a pretensão vasta e universal da fé cristã; é necessário fundamentá-la frente à força impressionante da experiência atual do mundo e da existência e frente ao desafio que isso supõe. É um tarefa grave, mas simultaneamente uma oportunidade. Heinrich Fries, Teologia fundamental, Herder, Barcelona 1987, 19.

5 De onde vimos Vimos de um cristianismo de cristandade. Vimos de uma concepção religiosa dominante e uniformizadora. Vimos de uma religião (cristã) possuidora da verdade. Vimos de um cristianismo com uma instituição eclesial possuidora da plenitude dos meios de salvação. Vimos de um cristianismo que viveu contemplando do exterior o Mistério Santo. (cf. Jose Maria Mardones, Religião e religiões: Donde vimos, onde estamos, para onde vamos?, in Deus no Séc XXI e o futuro do cristianismo, campo das Letras, Porto 2007, 25-40)

6 Onde estamos Desmoronamento do cristianismo de cristandade. A religião desloca-se para as margens (privatização). Perdeu-se a evidência social da religião, mas aparecem formas de integrismo religioso. A instituição (cristã) perdeu o monopólio, mas está a universalizar-se (desocidentalização). Crise de credibilidade do cristianismo europeu. Existe uma proliferação de novas formas de religiosidade e de buscas de espiritualidade. O cristianismo aparece como mais uma religião entre outras.

7 Onde estamos Deus mais do que fruto da reflexão humana, é o resultado de uma experiência religiosa. Cristianismo de sensações que se manifesta mais através do genuíno dos sentimentos do que da objetividade da ortodoxia. Cristianismo individualista ao qual bastam suaves afinidades comunitárias. Cristianismo que comparte os sentimentos religiosos sem importar-se com o pluralismo doutrinal.

8 Onde estamos Muda a atitude do crente no que diz respeito a Deus: de herdado e recebido de uma tradição e de uma Igreja, agora coloca-se o ênfase na procura e na descoberta pessoal. Há uma atitude que é mais de peregrinagem onde se valoriza mais a procura do que a meta ou retrato final. Interessa mais o processo da própria procura, a aventura de estar frente ao Mistério, o persistir e rastrear as suas pegadas, do que a afirmação ou assentimento de verdades ou imagens doutrinais. Vale mais para o indivíduo atual a experiencia do que a teologia. José Maria Mardones, O lugar de Deus em tempos de credulidade, in Hay lugar para Dios hoy? PPC, madrid 20052, 39.

9 A A teologia fundamental indaga os fundamentos da teologia; entendendo por fundamento os supostos e condições que tornam possível a teologia. Esses supostos e condições não se inventam ou constroem artificialmente, nem são aduzidos a partir de fora, mas são reclamados pelo próprio assunto, ou seja, pela teologia. Heinrich Fries, Teologia fundamental, Herder, Barcelona 1987, 17.

10 A [ ] a teologia fundamental comporta uma carga muito específica de atualidade, assim como o dever de um aggiornamento bem entendido. Por esse motivo já não basta a mera repetição ou afirmação do que foi dito e do que sempre foi válido; é necessária uma tradução e transposição radical no mais verdadeiro sentido da palavra do ontem ao hoje. Impõe-se uma mudança de horizonte. Heinrich Fries, Teologia fundamental, Herder, Barcelona 1987, 15.

11 A A teologia fundamental tem justamente a tarefa de ser fiel às origens e de adaptar-se à situação, respeitando tanto a fé da mensagem como as exigências do homem concreto a quem se deve transmitir a mensagem, de tal modo que a possa entender e experimentar como uma resposta às suas perguntas e, simultaneamente, como uma interrogação às respostas que ele mesmo dá. Heinrich Fries, Teologia fundamental, Herder, Barcelona 1987, 15.

12 Um itinerário Teologia Fé Revelação Tradição

13 Cronograma março Aula 1 10 de março Introdução/Apresentação Aula 2 17 de março Teologia I Aula 3 24 de março Teologia II Aula 4 31 de março Fé I abril Aula 5 07 de abril Fé II Aula 6 28 de abril Fé III

14 Cronograma maio Aula 7 05 de maio Fé IV Aula 8 12 de maio Revelação I Aula 9 19 de maio Revelação II Aula de maio Revelação III junho Aula de junho Tradição I Aula de junho Tradição II Aula de junho Conclusão

15 TPC O que é a teologia?

16 Tema da sessão 1. Uma Interpelação 2. De onde vimos 3. Onde estamos 4. A teologia fundamental 5. Itinerário 6. cronograma 7. TPC Juan Ambrosio/Paulo Paiva 2º Semestre Ano letivo Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano da Formação Cristã

Teologia Sistemática

Teologia Sistemática Teologia Sistemática Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano de Formação Cristã Escola de Leigos 1º Semestre 2014/2015 Docente: Juan Ambrosio Fernando Catarino Tema da sessão A Igreja 1. Identidade e

Leia mais

O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e

O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade,

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

Antes de começar, precisamos reconhecer que

Antes de começar, precisamos reconhecer que Antes de começar, precisamos reconhecer que toda pessoa de fé tem dúvidas toda pessoa cética tem fé A dúvida do crente: Uma fé sem algumas dúvidas é como um corpo sem anticorpos Tim Keller A fé do cético:

Leia mais

Os Outros Seis Dias. Aula 02/08/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira

Os Outros Seis Dias. Aula 02/08/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Os Outros Seis Dias Aula 02/08/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira S Vivendo Teologicamente S O que a teologia tem a ver com a vida diária? S A teologia geralmente é considerada como algo abstrato.

Leia mais

A Transmissão da FéF no Seio da Família

A Transmissão da FéF no Seio da Família 1 A Transmissão da FéF no Seio da Família Pistas para um itinerário Juan Ambrosio 2 PRESSUPOSTOS A transmissão da fé ocupa um dos primeiros lugares na linha das preocupações da Igreja e das comunidades.

Leia mais

ENCONTRAMOS O SENHOR! VEM E VÊ!

ENCONTRAMOS O SENHOR! VEM E VÊ! ENCONTRAMOS O SENHOR! VEM E VÊ! CATEQUESE: PERSPECTIVA CRISTOLÓGICO-BÍBLICA 1 Viram o Senhor e conheceram coisas maravilhosas: que coisas são estas? A catequese visa ajudar outros a encontrarem o Senhor

Leia mais

IGREJA E CULTO. Por que me importar? Presb. José Cordeiro Neto» Presb. Lúcio Mafra Teixeira

IGREJA E CULTO. Por que me importar? Presb. José Cordeiro Neto» Presb. Lúcio Mafra Teixeira AULA-5 Os Sem-Igreja Igreja(parte 2): O desinteresse pela igreja e o momento atual da fé evangélica no contexto da pós modernidade e do secularismo IGREJA E CULTO Por que me importar? Presb. José Cordeiro

Leia mais

Conselho Arquidiocesano de Pastoral

Conselho Arquidiocesano de Pastoral Conselho Arquidiocesano de Pastoral Capítulo 1 Marco histórico-eclesial Marco Histórico-Eclesial (VER-JULGAR-AGIR) OS LEIGOS NA ÉPOCA DA CRISTANDADE... A presença e organização dos leigos buscou sempre

Leia mais

Luzes dos Documentos Conciliares Para a Nova Evangelização

Luzes dos Documentos Conciliares Para a Nova Evangelização Luzes dos Documentos Conciliares Para a Nova Evangelização Prof. Denilson A. Rossi O que se entende por Nova Evangelização? Quais são as luzes dos documentos conciliares para a Nova Evangelização? Em que

Leia mais

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Prof. Elcio Cecchetti elcio.educ@terra.com.br ENSINO RELIGIOSO? Como? Outra vez? O quê? Por quê? Para quê? O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA DO PASSADO

Leia mais

Teologia Sistemática

Teologia Sistemática Teologia Sistemática Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano de Formação Cristã Escola de Leigos 1º Semestre 2014/2015 Docente: Juan Ambrosio Fernando Catarino Tema da sessão Os Sacramentos da Cura O

Leia mais

- Santificação - Uma Realidade ao Alcance de todos. Pr. Evanildo Ferreira da Silva

- Santificação - Uma Realidade ao Alcance de todos. Pr. Evanildo Ferreira da Silva - Santificação - Uma Realidade ao Alcance de todos I Pedro 1:14-16 Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; (I Pedro 1:14) pelo contrário, segundo

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

o sentido da vida na catequese

o sentido da vida na catequese o sentido da vida na catequese Coleção CATEQUESE Catequese junto à pessoa com deficiência mental, Ana Shirlei P. Vinhal, Lucy Ângela C. Freitas Catequese e liturgia: Duas faces do mesmo mistério Reflexões

Leia mais

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas Estudo da Teologia E Metodologia Teológica INTRODUÇÃO 1 - Vivemos tempos difíceis para a fé e portanto para a Teologia. Porém este desafio é nosso,

Leia mais

JUSTIFICATIVA. OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e metodologicamente fundam Específicos:

JUSTIFICATIVA. OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e metodologicamente fundam Específicos: JUSTIFICATIVA A Bíblia é a fonte primeira da teologia cristã, de onde os mais diversos grupos do cristianismo retiram OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e

Leia mais

Aula 08 Terceiro Colegial.

Aula 08 Terceiro Colegial. Aula 08 Terceiro Colegial Cristianismo: Entre a Fé e a Razão Busca por uma base racional para sustentar a fé Formulações filosóficas se estendendo por mais de mil anos Cristianismo Palavra de Jesus, que

Leia mais

Ensino Religioso PROBLEMÁTICAS DO ENSINO E DO USO DE MATERIAL DIDÁTICO. Colégio Ibituruna Governador Valadares, MG 19 de outubro de 2016

Ensino Religioso PROBLEMÁTICAS DO ENSINO E DO USO DE MATERIAL DIDÁTICO. Colégio Ibituruna Governador Valadares, MG 19 de outubro de 2016 Ensino Religioso PROBLEMÁTICAS DO ENSINO E DO USO DE MATERIAL DIDÁTICO Colégio Ibituruna Governador Valadares, MG 19 de outubro de 2016 Welder Lancieri Marchini welder.marchini@gmail.com Nossa rota...

Leia mais

1º tema: Modos de viver o natal; 2º tema: Os símbolos e tradições de natal; 3º tema: O nascimento de Jesus; 4º tema: O Natal é tempo de amor;

1º tema: Modos de viver o natal; 2º tema: Os símbolos e tradições de natal; 3º tema: O nascimento de Jesus; 4º tema: O Natal é tempo de amor; Disciplina de: E.M.R.C. Ano escolaridade: Professor: Carlos Durães U.L. 1: Ter um coração bom tema: Significado da expressão «ser bondoso»; tema: Ser bom para todos; tema: Jesus fala de bondade; 4º tema:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 1447 V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação TEOLOGIA E COMUNICAÇÃO Deus e o Humano a partir do Êxodo e Advento na Teologia de Bruno Forte e Jesús Martin-Barbero v Apresentador 1, Jurema Andreolla 1 (orientador)

Leia mais

Teologia Sistemática

Teologia Sistemática Teologia Sistemática Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano de Formação Cristã Escola de Leigos 1º Semestre 2014/2015 Docente: Juan Ambrosio Fernando Catarino Tema da sessão A Iniciação cristã Noção

Leia mais

Curso de PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 DE GÊNESIS A ESTER. Professor: José Martins Júnior. (11) (Whatsapp Telegram)

Curso de PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 DE GÊNESIS A ESTER. Professor: José Martins Júnior. (11) (Whatsapp Telegram) Curso de PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 DE GÊNESIS A ESTER Professor: José Martins Júnior (11) 9.8383-5316 (Whatsapp Telegram) Email: pastorjunioropbb2815@gmail.com Blog: www.reflexoes-e-flexoes.blogspot.com.br

Leia mais

Jesus perdoa e cura você também. Marcos Pr. Fernando Fernandes. PIB em Penápolis 24/08/2008

Jesus perdoa e cura você também. Marcos Pr. Fernando Fernandes. PIB em Penápolis 24/08/2008 Jesus perdoa e cura você também Marcos 2.1-12 12 Pr. Fernando Fernandes PIB em Penápolis 24/08/2008 1 Está cientificamente comprovado que o desenvolvimento da espiritualidade e a prática religiosa ajudam

Leia mais

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Imersão progressiva na onda do Espírito, acompanhada por testemunhas feita de escuta, encontros e experiências no coração do REINO/COMUNIDADE

Leia mais

A Declaração de Jerusalém

A Declaração de Jerusalém A Declaração de Jerusalém Introdução Preocupados em estabelecer fundamentos sobre os quais a igreja deve buscar a expansão do cristianismo, representantes anglicanos de todo o mundo firmaram princípios

Leia mais

A Santa Sé AD TUENDAM FIDEM, Igrejas Orientais, sejam acrescentadas normas, pelas quais expressamente se imponha o dever

A Santa Sé AD TUENDAM FIDEM, Igrejas Orientais, sejam acrescentadas normas, pelas quais expressamente se imponha o dever A Santa Sé CARTA APOSTÓLICA DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II SOB A FORMA DE MOTU PROPRIO AD TUENDAM FIDEM, COM A QUAL SÃO INSERIDAS ALGUMAS NORMAS NO CÓDIGO DE DIREITO CANÓNICO E NO CÓDIGO DOS CÂNONES DAS

Leia mais

Escutar a Palavra do Senhor

Escutar a Palavra do Senhor EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 20 DE MARÇO DE 2011 Escutar a Palavra do Senhor Catequese do 2º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 20 de Março de 2011 Introdução 1. Na primeira Catequese vimos que Deus, ao

Leia mais

SER CATEQUISTA NOS DIAS DE HOJE

SER CATEQUISTA NOS DIAS DE HOJE Quem é o leigo catequista? SER CATEQUISTA NOS DIAS DE HOJE Pessoas que descobrem, na experiência de fé e na inserção na comunidade, a vocação de catequista. Exercem essa missão com esmero, com doação e

Leia mais

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 Fiéis em cristo Direitos e deveres dos fiéis leigos Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 A igreja Necessidade de se fazer a distinção quando usamos o termo IGREJA. Quando falamos em

Leia mais

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura.

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Franklin Ferreira No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Necessariamente isso inclui tudo o que é revelado

Leia mais

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão.

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Como animadores da comunhão, temos a missão de acolher,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. desenvolvimento social e humano /ucp centro regional do porto

PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. desenvolvimento social e humano /ucp centro regional do porto PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO desenvolvimento social e humano /ucp centro regional do porto Como pode a escola católica promover o desenvolvimento da inteligência espiritual? O A educação deve

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA MATRIZ CURRICULAR Macapá 2011 FATECH FACULDE DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS 1 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERFIL DE FORMAÇÃO A representação gráfica do perfil

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta disciplina é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Documentos sobre o diálogo inter-religioso

Documentos sobre o diálogo inter-religioso 4 2017 Documentos sobre o diálogo inter-religioso D. Miguel Ángel Ayuso Guixot, MCCJ Secretário do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso Caros irmãos no episcopado, Agradeço a oportunidade

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC) 2015-16 3 º ANO Unidade Letiva 1 A Dignidade das Crianças 1. Tomar consciência de que as crianças

Leia mais

EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA?

EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA? EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA? O documento Conclusivo da V Conferência contém inúmeras e oportunas indicações pastorais, motivadas por ricas reflexões à luz da fé e do atual contexto

Leia mais

Essa é a TV Humaitá RELIGIÃO

Essa é a TV Humaitá RELIGIÃO A TV DA NOSSA GENTE Essa é a TV Humaitá RELIGIÃO A TV Humaitá é uma emissora fundamentada na valorização da cultura e tradições do povo de Guarapuava e região com destaque para conteúdo religioso e ao

Leia mais

Roteiros Mensais para Grupos

Roteiros Mensais para Grupos Roteiros Mensais para Grupos ABRIL 2017 INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO PAPA Ajudar a aprofundar e rezar com a INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO PAPA de cada mês, para mobilizar os grupos e a vida pessoal diante dos grandes

Leia mais

Nessa mensagem vamos tratar da Igreja única. É uma instituição decretada por Deus, a fim de representá-lo na terra.

Nessa mensagem vamos tratar da Igreja única. É uma instituição decretada por Deus, a fim de representá-lo na terra. Pr. Cantoca Carta 1 Pedro Cap 2.1-10 Sermão manhã IBFé 29Nov2015 Introdução: Nessa mensagem vamos tratar da Igreja única. É uma instituição decretada por Deus, a fim de representá-lo na terra. O Senhor

Leia mais

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54 Sumário Sumário detalhado...4 Prefácio à quarta edição... 11 Como usar este livro... 14 1. A Reforma: uma introdução... 17 2. O cristianismo no final da Idade Média... 41 3. O humanismo e a Reforma...

Leia mais

1 Coríntios 15,4: E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé.

1 Coríntios 15,4: E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé. BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER PERGUNTA 30 PERGUNTA 30: Como nos aplica o Espírito a redenção adquirida por Cristo? Resposta: O Espírito aplica-nos a redenção adquirida por Cristo pelo chamado eficaz,

Leia mais

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B (ENSINO MÉDIO) 1. PRÉ-REQUISITOS - Primeiro Grau Completo ou Segundo Grau Incompleto. - É necessária indicação da pároco/ministro encarregado e autorização do bispo diocesano.

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM arta-feira da 3ª Semana da Páscoa Qu 1) Oração Permanecei,

Leia mais

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor :Airton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor :Airton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa LIST DE CONTEÚDOS PR RECUPERÇÃO FINL - 2015 Professor :irton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa CONTEÚDOS DO EXME 6º no 16 C e D Quem sou eu? mizade, cooperação, respeito... Convivência

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO 1º PERÍODO UL1 - As origens ÉTICA E MORAL Calendarização - 26 aulas A. Construir uma chave de leitura religiosa Os dados da ciência sobre a origem do Diálogo com os alunos, relacionado da pessoa, da vida

Leia mais

17º CONCURSO NACIONAL MUSEU DA IMPRENSA

17º CONCURSO NACIONAL MUSEU DA IMPRENSA Ficha de inscrição 17º CONCURSO NACIONAL MUSEU DA IMPRENSA 2014/2015 Categoria Artigo Jornalístico Nível superior Tema: A importância dos museus na formação cultural do país Aluna: Janaina Bárbara Bolonezi

Leia mais

PLANEJAMENTO Fé versus força física Todos saberão que há deus em Israel Jeitos de ser convicto O que diz a educação física

PLANEJAMENTO Fé versus força física Todos saberão que há deus em Israel Jeitos de ser convicto O que diz a educação física Disciplina: Ensino Religioso Série: 8º ano Prof.:Cristiano Souza 1ªUNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES Convicção Favorecer um caminho de auto descoberta. Auto-conhecimento: Caminho para conviver

Leia mais

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15 Sumário Prefácio, 13 Primeira parte - Fundamentação, 15 I. A teologia fundamental como ciência teológica básica, 17 1 Teologia como "fala de Deus", 17 1.1 Tipos básicos de teologia, 17 a) A teologia como

Leia mais

o sacramento do matrimônio e as causas de nulidade

o sacramento do matrimônio e as causas de nulidade o sacramento do matrimônio e as causas de nulidade Coleção Sacramentos hoje O Sacramento da Confirmação Perspectivas teológico-pastorais, V. M. Goedert Sacramentos da iniciação cristã, Félix Moracho Galindo

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÂO DE PROFESSORES EM CARÁTER TEMPORÁRIO 2017 PARECER RECURSOS PROVA 2 ENSINO RELIGIOSO 12) Conforme o disposto no DECRETO

Leia mais

A Fé que nos gloriamos de professar (continuação)

A Fé que nos gloriamos de professar (continuação) A Fé que nos gloriamos de professar (continuação) Fé cristã: Costume ou Decisão Pessoal É uma decisão livre, da consciência de cada um! As raízes da fé cristã A fé cristã não começou connosco. A fé que

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAS E HUMANAS PROGRAMA CURRICULAR HISTÓRIA 7º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAS E HUMANAS PROGRAMA CURRICULAR HISTÓRIA 7º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAS E HUMANAS PROGRAMA CURRICULAR HISTÓRIA 7º ANO DOMÍNIOS DE CONTEÚDO DOMÍNIO / TEMA A Das Sociedades Recolectoras às Primeiras

Leia mais

Ensino Religioso: construção de uma proposta

Ensino Religioso: construção de uma proposta ISSN 1984-3755 Licenciado sob uma Licença Creative Commons Ensino Religioso: construção de uma proposta PASSOS, J. D. Ensino Religioso: construção de uma proposta. São Paulo: Paulinas, 2007. (A) Robson

Leia mais

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO. Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO. Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal ITINERÁRIO CATEQUÉTICO Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal COMO É PROPOSTO O PROCESSO CATEQUÉTICO NO ITINERÁRIO? O Itinerário orienta a construção do processo catequético conforme

Leia mais

A Fidelidade EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 27 DE MARÇO DE 2011

A Fidelidade EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 27 DE MARÇO DE 2011 EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 27 DE MARÇO DE 2011 A Fidelidade Catequese do 3º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 27 de Março de 2011 Introdução 1. A fidelidade é uma exigência e uma expressão da Aliança

Leia mais

Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA:

Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA: Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA: Faz muito tempo, mas parece que foi ontem. Cada criança que nasce é uma mensagem de que Deus acredita nos homens. Deus acreditou em nós e nos deu a alegria e a responsabilidade

Leia mais

PROJETO FILME MADRE TEREZA

PROJETO FILME MADRE TEREZA Madre Teresa de Calcutá. Tesouro da humanidade: mística, sábia e santa. Turmas dos 9ºs anos - Capítulo 8 - Livro didático(2015). PROJETO FILME MADRE TEREZA TEMA : OS FENÔMENOS RELIGIOSOS: O SER HUMANO

Leia mais

A comunicação da Igreja no Brasil na ótica do Diretório de Comunicação

A comunicação da Igreja no Brasil na ótica do Diretório de Comunicação A comunicação da Igreja no Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Uma longa história de vivência e exercício da ação evangelizadora como prática de comunicação no Brasil 1963 - Inter mirifica, fruto

Leia mais

Recordando e refletindo

Recordando e refletindo MARCOS - O EVANGELHO DO SERVIÇO Recordando e refletindo ESTUDO 39 Lição 1 Chegam ao mundo as Boas Novas 1. Por que Gn 3.15 recebeu o nome de primeiro evangelho? 2. Identifique as qualidades de João Batista:

Leia mais

Aulas Previstas Para Lecionação de Para Avaliação 1. 1º Período

Aulas Previstas Para Lecionação de Para Avaliação 1. 1º Período PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA 10º ANO DE ESCOLARIDADE 2016/2017 Períodos Escolares 1º Período Temas/Conteúdos programáticos UM SENTIDO PARA A VIDA O sentido da

Leia mais

QUESTIONÁRIO SOBRE OS VALORES PESSOAIS

QUESTIONÁRIO SOBRE OS VALORES PESSOAIS QUESTIONÁRIO SOBRE OS VALORES PESSOAIS Shalom H. Schwartz; Tradução e Adaptação: Menezes & Campos, 989 Recriação: Prioste, Narciso, & Gonçalves (00) Neste questionário deve perguntar-se a si próprio: "Que

Leia mais

Filosofia (aula 15) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 15) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 15) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Teoria do Conhecimento Teoria do Conhecimento A crise da Razão Blaise Pascal (1623-1662) Soren Kierkegaard (1813-1855) Pascal (séc. XVII)

Leia mais

Evangelhos e atos. Observações

Evangelhos e atos. Observações NOVO TESTAMENTO Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho (Hebreus 1,1-2) EVANGELHOS E ATOS Evangelhos e atos Os melhores recursos

Leia mais

Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de Professor: José Martins Júnior. Quartas-feiras. (11) (Whatsapp)

Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de Professor: José Martins Júnior. Quartas-feiras. (11) (Whatsapp) Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 Professor: José Martins Júnior Quartas-feiras (11) 9.8383-5316 (Whatsapp) pastorjunioropbb2815@gmail.com www.reflexoes-e-flexoes.blogspot.com.br

Leia mais

Paróquia missionária comunidades de comunidades. Animada pela Palavra de Deus

Paróquia missionária comunidades de comunidades. Animada pela Palavra de Deus Paróquia missionária comunidades de comunidades Animada pela Palavra de Deus Renovação paroquial Toda paróquia é chamada a ser o espaço onde se recebe e se acolhe a Palavra (172). Sua própria renovação

Leia mais

TRINDADE O DEUS TRIUNO DO CRISTIANISMO

TRINDADE O DEUS TRIUNO DO CRISTIANISMO TRINDADE O DEUS TRIUNO DO CRISTIANISMO Jörg Garbers Ms. De Teologia O QUE SIGNIFICA O TERMO? A palavra triuno pode ser facilmente subdividida em duas palavras: tri uno. Três elementos que formam uma unidade.

Leia mais

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES O homem e sua relação com o Transcendente LIDERANÇA CHAMADOS PARA FORMAR UMA NAÇÃO Favorecer

Leia mais

Curso de Teologia de Leigos

Curso de Teologia de Leigos Curso de Teologia de Leigos O MISTÉRIO DA CRIAÇÃO; DEUS MANTÉM E SUSTENTA A CRIAÇÃO; DEUS REALIZA O SEU PROJETO: A DIVINA PROVIDÊNCIA; A DIVINA PROVIDÊNCIA E AS CAUSAS SEGUNDAS; A DIVINA PROVIDÊNCIA E

Leia mais

PLANEJAMENTO Fé versus força física Todos saberão que há deus em Israel Jeitos de ser convicto O que diz a educação física

PLANEJAMENTO Fé versus força física Todos saberão que há deus em Israel Jeitos de ser convicto O que diz a educação física Disciplina: Ensino Religioso Série: 8º ano Prof.:Cristiano Souza 1ªUNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES CONVICÇÃO Favorecer um caminho de auto descoberta. Auto-conhecimento: Caminho para conviver

Leia mais

Vivemos em dias em que um número cada vez maior de pessoas demonstra, das mais variadas maneiras, que nada sabem sobre Deus.

Vivemos em dias em que um número cada vez maior de pessoas demonstra, das mais variadas maneiras, que nada sabem sobre Deus. Vivemos em dias em que um número cada vez maior de pessoas demonstra, das mais variadas maneiras, que nada sabem sobre Deus. Questiona-se muito se as escolas devem ou não ter em sua grade curricular a

Leia mais

MISSIOLOGIA. Missão e juventude

MISSIOLOGIA. Missão e juventude MISSIOLOGIA Cesar Leandro Ribeiro O cristianismo é uma religião marcada por uma série de aspectos próprios e indispensáveis para sua existência, sendo um deles justamente a missão, condição que se fez

Leia mais

Pontifícias Obras Missionárias

Pontifícias Obras Missionárias Pontifícias Obras Missionárias www.pom.org.br Três Campanhas Campanha da Fraternidade (1963) Na Quaresma - coleta Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) Campanha Missionária (DMM - 1926) No mês de Outubro

Leia mais

Escola Ryle de Teologia. Grade Curricular 1º Ano

Escola Ryle de Teologia. Grade Curricular 1º Ano Escola Ryle de Teologia Ensinando o poder do evangelho de Cristo Grade Curricular 1º Ano Introdução à Bíblia Como não se pode fazer teologia sem a Palavra de Deus, vamos dar início com esse tema. Este

Leia mais

SDCIA - ISCRA Secretariado Diocesano da Catequese de Infância e Adolescência Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro

SDCIA - ISCRA Secretariado Diocesano da Catequese de Infância e Adolescência Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro SDCIA - ISCRA Secretariado Diocesano da Catequese de Infância e Adolescência Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro Formação para Catequistas Directório Geral da Catequese Janeiro - Março

Leia mais

1. Introdução. Dehoniane, 1970, pp

1. Introdução. Dehoniane, 1970, pp 11 1. Introdução A índole escatológica faz parte da natureza e da missão da Igreja, que, como sacramento visível da salvação em Cristo, aponta à tensão de já possuir a salvação, mas não plenamente efetivada

Leia mais

MEDIUNIDADE & ESPIRITUALIDADE

MEDIUNIDADE & ESPIRITUALIDADE Curso Online MEDIUNIDADE & ESPIRITUALIDADE com Maísa Intelisano Aula 02 - O que é Mediunidade Bloco 01 Maísa Intelisano AULA 2 O QUE É MEDIUNIDADE BLOCO 1 Reflexões sobre trechos de O Livro dos Médiuns

Leia mais

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério Propedêutica Bíblica 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério ORAÇÃO Hebreus 1 Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. 2 Nestes dias, que

Leia mais

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE:

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE: HISTÓRIA DA IGREJA Prof. GUILHERME WOOD APOSTILA NO SITE: http://www.ibcu.org.br/apostilas/historiaigreja.pdf Primitiva Imperial Medieval Escolastic Reforma Moderna Contemporânea Linha do Tempo: História

Leia mais

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias TEXTOS SAGRADOS Noções introdutórias A ORIGEM Os Textos Sagrados, via de regra, tiveram uma origem comum: Experiência do sagrado. Oralidade. Pequenos textos. Primeiras redações. Redação definitiva. Organização

Leia mais

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Princípios para uma Catequese Renovada Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Por que Renovada? Podemos renovar o que ainda não existe? Como renovar? Introdução A renovação atual da catequese nasceu para

Leia mais

O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS

O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS 1. O CONHECIMENTO é uma relação que se estabelece entre o sujeito que conhece e o objeto conhecido. O sujeito que conhece se apropria, de certo modo, do objeto conhecido. Através

Leia mais

Fala-se muito hoje daqueles que preferem

Fala-se muito hoje daqueles que preferem CAPA Natal: uma grata dependência de Cristo A mensagem para os leitores de 30Dias de sua graça Rowan Williams, arcebispo de Canterbury Fala-se muito hoje daqueles que preferem espiritualidade a religião.

Leia mais

Breve Biografia e Seleção de Frases John Wesley

Breve Biografia e Seleção de Frases John Wesley Breve Biografia e Seleção de Frases John Wesley John Wesley Não poderia deixar de colocar aqui este servo de Deus, não especialmente ministro de curas, na verdade um dos primeiros avivalistas da história.

Leia mais

Interpretando os textos sagrados. Hermenêutica e exegese

Interpretando os textos sagrados. Hermenêutica e exegese Interpretando os textos sagrados { Hermenêutica e exegese Pesquisar na internet e TRAZER a interpretação (exegese/hermenêutica) de algum texto sagrado, no qual a compreensão apresentada é distinta da interpretação

Leia mais

LIÇÃO 1 ENSINANDO COM AUTORIDADE Mateus 5.1-2;

LIÇÃO 1 ENSINANDO COM AUTORIDADE Mateus 5.1-2; LIÇÃO 1 ENSINANDO COM AUTORIDADE Mateus 5.1-2; 7.28-29 1. Jesus ensinava. Encontre no Sermão do Monte exemplos do uso das seguintes estratégias pedagógicas: a) ilustrações: b) aplicações: c) linguagem

Leia mais

Reflexões sobre a vida do pregador da Justiça

Reflexões sobre a vida do pregador da Justiça Como nos dias de Noé... E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Mateus 24:37 Reflexões sobre a vida do pregador da Justiça Introdução 1 Um história amada por todos. Um

Leia mais

CURRÍCULOS 2015/2016

CURRÍCULOS 2015/2016 CURRÍCULOS 2015/2016 Ensino Regular Departamento: Ciências Humanas e Sociais Disciplina: EMRC Ano de Escolaridade: 7º 1.º Período Aulas Previstas: 13 As origens 7. ano Unidade Letiva 1 A maravilha do Universo

Leia mais

O FENÔMENO RELIGIOSO E MÍSTICO: UM DESAFIO ÀS RELIGIÕES

O FENÔMENO RELIGIOSO E MÍSTICO: UM DESAFIO ÀS RELIGIÕES Anais do V Congresso da ANPTECRE Religião, Direitos Humanos e Laicidade ISSN:2175-9685 Licenciado sob uma Licença Creative Commons O FENÔMENO RELIGIOSO E MÍSTICO: UM DESAFIO ÀS RELIGIÕES Francilaide de

Leia mais

O Plano de Salvação Encontro

O Plano de Salvação Encontro O Plano de Salvação Encontro 17 1. Competência a ser construída: Evangelizar usando a Bíblia. Já vimos que o testemunho é a primeira e mais fácil ferramenta de evangelização que podemos usar. Agora queremos

Leia mais

O papel do assessor diante do pluralismo eclesial juvenil atual

O papel do assessor diante do pluralismo eclesial juvenil atual Tema 05: Dimensão de Capacitação (Processo- metodológico. Como organizar a ação ). Tituto 02: O papel do assessor diante do pluralismo eclesial juvenil atual Antonio Ramos do Prado, sdb (Ms. Pastoral Juvenil

Leia mais

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA[1] PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA SISTEMA EAD DE NATUREZA JURÍDICA LIVRE ALUNO (A): MAT: 000/2014 MATÉRIA: INTRODUÇÃO À TEOLOGIA

Leia mais

ALBERTO MAGNO E TOMÁS DE AQUINO

ALBERTO MAGNO E TOMÁS DE AQUINO 1 ALBERTO MAGNO E TOMÁS DE AQUINO A ESCOLÁSTICA E OS PRINCIPAIS REPRESENTANTES ALBERTO MAGNO TOMÁS DE AQUINO Buscaram provar a existência de Deus utilizando argumentos racionais. 2 A UNIDADE ENTRE A FÉ

Leia mais

Informações da disciplina de EMRC 5.º ano. Aulas Previstas (45 minutos )

Informações da disciplina de EMRC 5.º ano. Aulas Previstas (45 minutos ) Departamento de Ciências Socias e Humanas 2016/ 2017 Educação Moral e Religiosa Católica 5.º ano RESUMO DA PLANIFICAÇÃO Informações da disciplina de EMRC 5.º ano Resumo da Planificação: Conteúdos 1.º Período

Leia mais

CATEQUESE PARA CRIANÇAS (do 4º ao 6º anos) A VIDA NAS MÃOS DE DEUS Eu vim para que tenham Vida e Vida em abundância! (Jo 10,10b)

CATEQUESE PARA CRIANÇAS (do 4º ao 6º anos) A VIDA NAS MÃOS DE DEUS Eu vim para que tenham Vida e Vida em abundância! (Jo 10,10b) INTRODUÇÃO Por decisão da Conferência Episcopal Portuguesa, vamos celebrar e viver, mais uma vez, a Semana do Consagrado. Este ano terá lugar de 26 de Janeiro a 02 de Fevereiro. Neste dia celebra-se liturgicamente

Leia mais

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português 1º Ano Paroquial e CNE Escutismo Católico Português JESUS GOSTA DE MIM Proporcionar às crianças um bom acolhimento eclesial, pelos catequistas e por toda a comunidade cristã (cf CT 16 e 24). Ajudá-las

Leia mais

Superando os momentos difíceis

Superando os momentos difíceis Superando os momentos difíceis Valdir José de Castro Superando os momentos difíceis para viver melhor Direção editorial: Claudiano Avelino dos Santos Assistente editorial: Jacqueline Mendes Fontes Revisão:

Leia mais

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral Diocese de Criciúma Plano Diocesano de Pastoral 2012-2016 OBJETIVO GERAL Nós, povo de Deus da Diocese de Criciúma, animados pela Santíssima Trindade, queremos: Evangelizar vivendo em comunidade, como Igreja

Leia mais

CIENCIA CONCIENCIA Y LUZ Peter Russell

CIENCIA CONCIENCIA Y LUZ Peter Russell CIENCIA CONCIENCIA Y LUZ Peter Russell por: Marouva Fallgatter Faqueti Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedade em redes 1/2016 Professor: Aires José Roverr Peter Russell (1946 - ) Escritor e

Leia mais