Embriologia. Prof. Mateus Grangeiro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Embriologia. Prof. Mateus Grangeiro"

Transcrição

1 Embriologia Prof. Mateus Grangeiro

2 OBJETIVOS DA AULA Comparar a espermatogênese com a ovulogênese. Descrever os principais eventos da fecundação. Introduzir os processos básicos do desenvolvimento embrionário, Relacionar o tipo de ovo ao tipo de segmentação que ocorre.

3 GAMETOGÊNESE Processo de formação e desenvolvimento das células germinativas especializadas os gametas (espermatozoide e ovócito). Células haploides (n): apresentam metade do número de cromossomos presentes nas células somáticas (células diploides 2n). Espermatogênese: sequência de eventos pelos quais as espermatogônias são transformadas em espermatozoides maduros. Ovogênese: sequência de eventos pelos quais as ovogônias são transformadas em ovócitos maduros.

4

5 GAMETOGÊNESE

6 GAMETAS MASCULINO E FEMININO Camada de material glicoproteico acelular e amorfo. Fonte: Moore e Persaud.

7 FECUNDAÇÃO A fecundação é uma sequência complexa de eventos coordenados. Fonte: Moore e Persaud.

8 FASES DA FECUNDAÇÃO Passagem do espermatozoide através da corona radiata. Penetração da zona pelúcida. Obs.: reação zonal mudança nas propriedades da zona pelúcida que a torna impermeável a outros espermatozoides. Fusão das membranas plasmáticas do ovócito e espermatozoide. Término da 2ª divisão meiótica e formação do pronúcleo feminino. Formação do pronúcleo masculino. União dos pronúcleos.

9 CONSEQUÊNCIAS DA FECUNDAÇÃO Estimula o ovócito penetrado a completar a segunda divisão meiótica. Restaura o número diploide normal de cromossomos (46) no zigoto. Determina o sexo cromossomial do embrião (xx ou xy). Causa ativação metabólica do ovócito e inicia a clivagem do zigoto. SEGMENTAÇÃO OU CLIVAGEM Sequência de divisões mitóticas que ocorre após a formação do zigoto, resultando em rápido aumento do número de células.

10 DO ZIGOTO AO ORGANISMO Fonte: Amabis e Martho.

11 DISTRIBUIÇÃO DE VITELO NOS OVOS OLIGOLÉCITO/ ISOLÉCITO SEGMENTAÇÃO HOLOBLÁSTICA (TOTAL) E IGUAL Pouco vitelo distribuído de forma homogênea. Exemplo: equinodermos e mamíferos. Obs.: em muitos mamíferos a quantidade de vitelo nos ovos é tão reduzida que eles são chamados de ALÉCITOS. HETEROLÉCITO SEGMENTAÇÃO HOLOBLÁSTICA (PARCIAL) E DESIGUAL Quantidade intermediária de vitelo distribuído de maneira heterogênea no citoplasma. Exemplo: anfíbios.

12 SEGMENTAÇÃO HOLOBLÁSTICA (TOTAL) OVO ISOLÉCITO/OLIGOLÉCITO IGUAL Equinodermos e Mamíferos OVO HETEROLÉCITO DESIGUAL Anfíbios Origina blastômeros de tamanho diferentes, devido ao vitelo estar distribuindo heterogeneamente. Fonte: Amabis e Martho.

13 DISTRIBUIÇÃO DE VITELO NOS OVOS TELOLÉCITO SEGMENTAÇÃO MEROBLÁSTICA (PARCIAL) E DISCOIDAL Grande quantidade de vitelo, que empurra o núcleo para uma região mais periférica. Exemplo: répteis e aves. CENTROLÉCITO SEGMENTAÇÃO MEROBLÁSTICA (PARCIAL) E SUPERFICIAL Quantidade considerável de vitelo, que fica localizado na região central do ovo ao redor do núcleo. Exemplo: artrópodes.

14 SEGMENTAÇÃO MEROBLÁSTICA (PARCIAL) Fonte: Amabis e Martho. OVO TELOLÉCITO Disco germinativo Blastômeros Vitelo DISCOIDAL Répteis e aves As células só se dividem na região do disco germinativo. O restante do ovo acumula vitelo. OVO CENTROLÉCITO SUPERFICIAL Maioria dos artrópodes Apenas os núcleos se dividem, sem formação de células individualizadas. 2- Os núcleos migram para a periferia do ovo.

15 MÓRULA

16 FORMAÇÃO DA BLÁSTULA Segmentação ou clivagem Blastômeros Zigoto Mitose Blastocele Mórula Blastulação Blástula Blastulação: os blastômeros migram para a periferia celular, formando uma cavidade central, a blastocele. As células da periferia secretam proteínas para o interior da mórula, e este processo faz com que as células, por osmose, liberem líquido para este espaço, fazendo a cavidade aumentar.

17 Fonte: Vítor e César. BLÁSTULA

18

19 CÉLULAS-TRONCO Células indiferenciadas com capacidade de especialização para regeneração de tecidos lesados.

20 TIPOS DE CÉLULAS-TRONCO EMBRIONÁRIAS Encontradas no interior do embrião. Embriões descartados em Clínicas de Reprodução Assistida. Classificadas em totipotentes ou pluripotentes.

21 TIPOS DE CÉLULAS-TRONCO TOTIPOTENTES Capacidade de gerar todos os tipos de células do corpo, incluindo os anexos embrionários. PLURIPOTENTES Capacidade de gerar todos os tipos de células do corpo, excluindo os anexos embrionários. 32 a 64 células, aproximadamente. 5 dias após a fecundação (blastocisto).

22 TIPOS DE CÉLULAS-TRONCO ADULTAS Extraídas dos diversos tecidos humanos. Capacidade de gerar um número limitado de células especializadas. Medula óssea. Cordão umbilical. Sist. Nervoso e Epitélio.

23 OBJETIVOS DA AULA Descrever os principais eventos da gastrulação. Caracterizar animais protostômios, deuterostômios, diblásticos e triblásticos. Descrever os principais eventos da histogênese e da organogênese. Explicar a importância dos anexos embrionários.

24 GASTRULAÇÃO Origem dos folhetos embrionários: Endoderma. Mesoderma. Ectoderma. Blastóporo origina o ânus: deuterostômios. Blastóporo origina a boca: protostômios. Blástula A blastocele desaparece, surgindo uma nova cavidade, o arquêntero (tubo digestório primitivo).

25 GÁSTRULA As células dos tecidos embrionários definem o seu destino. Diferenciação entre a linhagem germinativa e a linhagem somática. Cnidários Platelmintos até Cordados

26 CAVIDADES CORPORAIS Fonte: Amabis e Martho.

27 DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DOS ANIMAIS Número de folhetos germinativos Presença de Cavidade corporal Destino do Blastóporo Filo Diblásticos x x Cnidários Triblásticos Acelomado Pseudocelomado Celomado Prostostômios Deuterostômios Características embrionárias presentes nos principais filos animais. Platelmintos Nematelmintos Moluscos Anelídeos Artrópodes Equinodermos Cordados Fonte: Hickman e Larson.

28 Fonte: Amabis e Martho. ORIGEM EMBRIONÁRIA DOS ÓRGÃOS E TECIDOS No estágio de gástrula, os blastômeros diferenciam-se em três conjuntos de células, denominados folhetos germinativos.

29 Formação do tubo nervoso HISTOGÊNESE E ORGANOGÊNESE

30 NÊURULA Estágio do desenvolvimento embrionário em que ocorre a formação do tubo nervoso. Fonte: Vítor e César.

31 ANEXOS EMBRIONÁRIOS Surgem paralelamente ao embrião e exercem importantes funções no desenvolvimento embrionário. Não farão parte do organismo do indivíduo após o nascimento ou eclosão do ovo. ANEXO EMBRIONÁRIO FUNÇÃO Saco vitelínico Armazena vitelo, principal nutriente do embrião. Âmnio Cório/Alantoide Placenta Proteção contra choques mecânicos e dessecação. Troca de gases entre os tecidos embrionários, viabilizando a respiração celular do embrião. Intercâmbio de substâncias entre o organismo materno e o feto.

32 ANEXOS EMBRIONÁRIOS DOS VERTEBRADOS Saco vitelínico Âmnio Cório Alantoide Placenta Peixes Presente x x x x Anfíbios Vitelo dentro das células x x x x Répteis Presente Presente Presente Presente x Aves Presente Presente Presente Presente x Mamíferos Presente (vestigial) Presente Presente Presente (vestigial) Presente

33 ANEXOS EMBRIONÁRIOS

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os Embriologia Embriologia é a parte da Biologia que estuda as transformações que se processa no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia

Leia mais

Segmentação ou clivagem; Gastrulação; Organogênese.

Segmentação ou clivagem; Gastrulação; Organogênese. A embriologia é o estudo do crescimento e da diferenciação sofridos por um organismo no curso de seu desenvolvimento, desde o estágio de ovo até o de um ser altamente complexo, de vida independente e semelhante

Leia mais

Professor: Fernando Stuchi

Professor: Fernando Stuchi Professor: Fernando Stuchi Reprodução Sexuada Ação de células especiais chamadas de gametas, que possuem em seu núcleo metade do material genético de uma célula normal do indivíduo; Com a união dos gametas

Leia mais

a) multiplicação de células, através de mitoses sucessivas.

a) multiplicação de células, através de mitoses sucessivas. Embbr ri iiool llooggi iiaa Huumaannaa... 1 Introdução... 1 Gastrulação... 1 Tipos de óvulos (ovos): classificação e ocorrência.... 2 Tipos de clivagem:... 2 Fases do Desenvolvimento... 3 Destino dos Folhetos

Leia mais

1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária.

1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. 1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. Considerando a figura: a) denomine os folhetos embrionários primordiais X, Y e Z, respectivamente, e identifique

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 1 EMBRIOLOGIA 1 Atualmente já existem protocolos de pesquisa utilizando células-tronco embrionárias na busca de tratamento para várias doenças humanas,

Leia mais

Exercícios de Biologia Tipos de Ovos e Segmentação

Exercícios de Biologia Tipos de Ovos e Segmentação Exercícios de Biologia Tipos de Ovos e Segmentação TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufsc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses a soma dos itens corretos. 1. A figura a seguir representa a estrutura

Leia mais

Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento.

Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Embriologia Embriologia: É a parte da Biologia que estuda as transformações que se tem no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Fecundação Mitoses sucessivas; Crescimento celular: Zigoto:

Leia mais

ULTI RESUMOS BIOLOGIA ULTIRESUMOS.COM.BR - TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO: UltiResumos - Biologia

ULTI RESUMOS BIOLOGIA ULTIRESUMOS.COM.BR - TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO: UltiResumos - Biologia ULTI RESUMOS BIOLOGIA ULTIRESUMOS.COM.BR - TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO: - FROUXO Finalidade: - DENSO + Unir os espaços localizados entre a pele e os órgãos + Apoio aos epitélios + Formam camadas

Leia mais

Noções de Embriologia Geral

Noções de Embriologia Geral Noções de Embriologia Geral EMBRIOLOGIA É o estudo do desenvolvimento de um ser pluricelular desde o estágio de uma célula (zigoto) até a diferenciação e especialização das células, tecidos e órgãos que

Leia mais

GAMETOGÊNESE. especializadas chamadas de GAMETAS. As células responsáveis pela formação desses gametas são chamadas de GÔNIAS

GAMETOGÊNESE. especializadas chamadas de GAMETAS. As células responsáveis pela formação desses gametas são chamadas de GÔNIAS Embriologia GAMETOGÊNESE É o processo de formação e desenvolvimento de células especializadas chamadas de GAMETAS As células responsáveis pela formação desses gametas são chamadas de GÔNIAS Espermatogônias

Leia mais

- pouco vitelo distribuído uniformemente nos polos vegetativo e animal; - clivagens do tipo holoblásticas iguais.

- pouco vitelo distribuído uniformemente nos polos vegetativo e animal; - clivagens do tipo holoblásticas iguais. 1. (Unifor 2014) Imagine que você é um cientista! Ao chegar a um laboratório de embriologia, verificou que havia um material a ser identificado no microscópio. O material tratava-se de um zigoto (ou ovo)

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios Resoluções de Exercícios BIOLOGIA IV 01 Embriologia Humana A espermatogônia é uma célula diploide (2n) e o espermatócito II é uma célula haploide (n), portanto, a espermatogônia terá o dobro do número

Leia mais

Questões de Embriologia 01

Questões de Embriologia 01 Questões de Embriologia 01 1) (F. M. Catanduva-SP) Assinale a afirmativa incorreta. a) A notocorda está ausente no embrião dos crustáceos. b) Ovos pobres em vitelo são característicos exclusivamente de

Leia mais

Embriologia humana: primeira semana de desenvolvimento embrionário

Embriologia humana: primeira semana de desenvolvimento embrionário Embriologia humana: primeira semana de desenvolvimento embrionário Prof. Dr. Daniel F. P. Vasconcelos (Professor Adjunto de Histologia e Embriologia Colegiado de Biomedicina Campus de Parnaíba - UFPI )

Leia mais

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista:

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Biologia Questão 1 A questão da fertilização é muito discutida hoje na mídia, principalmente em programas que visam a informação para leigos interessados

Leia mais

Questões sobre Embriologia - Professor Fernando

Questões sobre Embriologia - Professor Fernando Questões sobre Embriologia - Professor Fernando 1. (Pucrj) O desenvolvimento embrionário pode ser usado para organizar os filos animais de acordo com as diferentes sequências de estágios e graus de complexidade

Leia mais

Segmentação Gastrulação Organogênese

Segmentação Gastrulação Organogênese APOSTILA DE EMBRIOLOGIA Prof. Cristiano Nogueira A embriologia é o estudo do desenvolvimento embrionário, que se inicia com a fecundação e se caracteriza não só por uma rápida seqüência de divisões celulares

Leia mais

Está(ao) correta(s): a) a afirmação III. b) a afirmação II. c) as afirmações I e III. d) as afirmações II e III.

Está(ao) correta(s): a) a afirmação III. b) a afirmação II. c) as afirmações I e III. d) as afirmações II e III. 1. (Udesc 2014) O desenvolvimento embrionário é diversificado entre os diferentes grupos animais, e ocorre, de maneira geral, em três fases consecutivas. Assinale a alternativa correta quanto ao desenvolvimento

Leia mais

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin UPGRADE BIOLOGIA 2 Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco Prof. Diego Ceolin Desenvolvimento Embrionário Animal Divisões Divisões Cavidade (blastocele) celulares celulares Ovo Gastrulação Mórula

Leia mais

03. Uma célula que perdeu grande quantidade de água só poderá se recuperar se colocada em solução

03. Uma célula que perdeu grande quantidade de água só poderá se recuperar se colocada em solução 03. Uma célula que perdeu grande quantidade de água só poderá se recuperar se colocada em solução 01. O esquema a seguir representa o modelo de organização molecular da membrana plasmática. (A) isotônica.

Leia mais

Protostomado: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Pseudocelomado: Aneuromiários:

Protostomado: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Pseudocelomado: Aneuromiários: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Aneuromiários: Placentários: Deuterostomado: Ovíparos: Protostomado: Pseudocelomado: Parazoário:

Leia mais

UNOCHAPECÓ Disciplina: Genética e Embriologia Professora: Ana Cristina Confortin 2014/01 1) Introdução A Embriologia, é a parte da Biologia que estuda a formação e o desenvolvimento do embrião. Didaticamente

Leia mais

ENEM. E correto apenas o que se afirma em a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) II e III.

ENEM. E correto apenas o que se afirma em a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) II e III. 01. (ENEM) No primeiro semestre de 2006, o Movimento Global pela Criança, em parceria com o UNICEF, divulgou o relatório Salvando vidas: o direito das crianças ao tratamento de HIV e AIDS. Nesse relatório,

Leia mais

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente CÉLULA - TRONCO São células com capacidade de autorenovação,eficiente proliferação, gerando células-filhas com as mesmas características fenotípicas da célula precursora e, ainda, com habilidade de gerar

Leia mais

Aula 01: Reprodução Reprodução é a capacidade de uma espécie em gerar novos indivíduos da mesma espécie. Ela é uma característica de todo ser vivo.

Aula 01: Reprodução Reprodução é a capacidade de uma espécie em gerar novos indivíduos da mesma espécie. Ela é uma característica de todo ser vivo. Aula 01: Reprodução Reprodução é a capacidade de uma espécie em gerar novos indivíduos da mesma espécie. Ela é uma característica de todo ser vivo. A reprodução é fundamental para a manutenção da espécie,

Leia mais

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 1º ANO DO ENSINO MÉDIO

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 1º ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 1º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor (a): Mirley Alves Vasconcelos 2ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA Roteiro de Estudos Questões e Respostas Estudante: Turma: 101 Conteúdo: -

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Profª Glenda Carvalho

DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Profª Glenda Carvalho DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Profª Glenda Carvalho E assim, começa uma nova vida... Os tipos de desenvolvimento embrionário Vivíparos Ovovivíparos Ovíparos Ovulíparos

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Biologia - Embriologia

Exercícios de Aprofundamento Biologia - Embriologia 1. (Fgv 2015) A figura ilustra os vasos sanguíneos maternos e fetais na região da placenta, responsável pela troca dos gases respiratórios oxigênio e dióxido de carbono. Como a circulação e a ventilação

Leia mais

02 - (UFCG PB) O esquema abaixo representa as fases de fecundação, clivagem, e formação do bastocisto.

02 - (UFCG PB) O esquema abaixo representa as fases de fecundação, clivagem, e formação do bastocisto. COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 1º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor (a): Mirley Alves Vasconcelos 2ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA Roteiro de Estudos Questões Estudante: Turma: 101 Conteúdo: - Reprodução e

Leia mais

Biologia 3 Módulo 1 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS

Biologia 3 Módulo 1 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS Biologia 3 Módulo 1 1. a) O pênis possui, em seu interior, os corpos cavernosos (tecido esponjoso formado por veias e capilares). A excitação provoca aumento do fluxo de sangue nas artérias, preenchendo

Leia mais

1. Os óvulos de aves e répteis, por possuírem grande quantidade vitelo no pólo vegetativo, denominam-se:

1. Os óvulos de aves e répteis, por possuírem grande quantidade vitelo no pólo vegetativo, denominam-se: 1. Os óvulos de aves e répteis, por possuírem grande quantidade vitelo no pólo vegetativo, denominam-se: a) oligolécitos b) heterolécitos c) mediolécitos d) telolécitos e) centrolécitos 2. O esquema abaixo

Leia mais

O que é gametogênese?

O que é gametogênese? O que é gametogênese? É o processo pelo qual os gametas são produzidos nos organismos dotados de reprodução sexuada. Nos animais, a gametogênese acontece nas gônadas, órgãos que também produzem os hormônios

Leia mais

e) O indivíduo X é o esporófito proveniente da multiplicação celular mitótica.

e) O indivíduo X é o esporófito proveniente da multiplicação celular mitótica. Aula n ọ 05 01. A meiose é um processo de divisão celular que ocorre na natureza e que visa à produção de esporos ou gametas. Esta divisão celular produz células-filhas com a metade dos cromossomos da

Leia mais

EXERCÍCIOS DE VESTIBULAR www.planetabio.com. Assunto: Embriologia

EXERCÍCIOS DE VESTIBULAR www.planetabio.com. Assunto: Embriologia 1- (UFMG) No Brasil, travaram-se, recentemente, intensos debates a respeito das pesquisas que envolvem o uso de células-tronco para fins terapêuticos e da legislação que regulamenta esse uso. Assinale,

Leia mais

09. GAMETOGÊNESE CICLO MENSTRUAL EMBRIOLOGIA

09. GAMETOGÊNESE CICLO MENSTRUAL EMBRIOLOGIA 09. GAMETOGÊNESE CICLO MENSTRUAL EMBRIOLOGIA QUESTÃO - 102 A perpetuação da vida em nosso planeta deve-se à característica mais típica dos seres vivos: sua capacidade de se reproduzir. Sobre os mecanismos

Leia mais

A FORMAÇÃO DO EMBRIÃO

A FORMAÇÃO DO EMBRIÃO A FORMAÇÃO DO EMBRIÃO A SEGMENTAÇÃO DO OVO Após a fecundação, a célula-ovo ou zigoto entra logo em segmentação ou clivagem e começa a formar os blastômeros (células embrionárias indiferenciadas). Inicialmente,

Leia mais

TECIDO NERVOSO. Prof. Esp. André Luís Souza Stella

TECIDO NERVOSO. Prof. Esp. André Luís Souza Stella TECIDO NERVOSO Prof. Esp. André Luís Souza Stella TECIDO NERVOSO Tecido de origem ectodérmica sendo caracterizado pela propriedade de reação a estímulos ambientais; Estes estímulos são percebidas pelo

Leia mais

Exercícios Propostos Células - tronco Professor Fernando

Exercícios Propostos Células - tronco Professor Fernando Exercícios Propostos Células - tronco Professor Fernando 1. (Fuvest) Células-tronco são células indiferenciadas que têm a capacidade de se diferenciar em diversos tipos celulares. Para que ocorra tal diferenciação,

Leia mais

Fecundação, desenvolvimento embrionário e gestação. Isabel Dias CEI Biologia 12

Fecundação, desenvolvimento embrionário e gestação. Isabel Dias CEI Biologia 12 Fecundação, desenvolvimento embrionário e gestação Formação de um novo ser encontro do oócito II com espermatozóides Fecundação formação de um ovo desenvolvimento contínuo e dinâmico, com a duração em

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria.

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. INTRODUÇÃO AOS BILATERIA META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. OBJETIVOS Ao final da aula, o aluno deverá: entender os planos e eixos corporais (diferença

Leia mais

Colégio IMPULSO Prof.: Ramon Lamar BIOLOGIA - 1 EMBRIOLOGIA

Colégio IMPULSO Prof.: Ramon Lamar BIOLOGIA - 1 EMBRIOLOGIA Colégio IMPULSO Prof.: Ramon Lamar BIOLOGIA - 1 EMBRIOLOGIA No sentido restrito, a embriologia cuida apenas do desenvolvimento embrionário (ontogênese). No sentido amplo, a embriologia é o estudo das modificações

Leia mais

EMBRIOLOGIA E HISTOLOGIA COMPARADA

EMBRIOLOGIA E HISTOLOGIA COMPARADA EMBRIOLOGIA E HISTOLOGIA COMPARADA 1 Embriologia e Histologia Comparada SOMESB Sociedade Mantenedora de Educação Superior da Bahia S/C Ltda. Presidente Vice-Presidente Superintendente Administrativo e

Leia mais

Unidade 2. Princípios do Desenvolvimento Embrionário em Animais. Sumário. Introdução. II. Gametogênese. III. Fecundação. IV.

Unidade 2. Princípios do Desenvolvimento Embrionário em Animais. Sumário. Introdução. II. Gametogênese. III. Fecundação. IV. EIXO BIOLÓGICO Unidade 2 Princípios do Desenvolvimento Embrionário em Animais Autores: Umberto Euzébio Sumário Introdução II. Gametogênese III. Fecundação IV. Segmentação V. Gastrulação (anfioxo, ouriço

Leia mais

Na verdade apenas a multicelularidade e o desenvolvimento embrionário são características que distinguem o reino animal dos demais reinos

Na verdade apenas a multicelularidade e o desenvolvimento embrionário são características que distinguem o reino animal dos demais reinos 1 2 Na verdade apenas a multicelularidade e o desenvolvimento embrionário são características que distinguem o reino animal dos demais reinos heterótrofos do domínio Eukaria. Tais características estavam

Leia mais

Apostila de Biologia 02 Reprodução Comparada

Apostila de Biologia 02 Reprodução Comparada Apostila de Biologia 02 Reprodução Comparada 1.0 Reprodução É o processo através do qual o ser vivo dá origem a outros indivíduos da mesma espécie que ele. Pode ser: Assexuada: quando não ocorre troca

Leia mais

FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO OU FERTILIZAÇÃO

FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO OU FERTILIZAÇÃO FECUNDAÇÃO Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia 1 FECUNDAÇÃO OU FERTILIZAÇÃO Processo pelo qual o gameta masculino (espermatozóide) se une ao gameta feminino (ovócito) para formar

Leia mais

Corrida Infernal - Coito

Corrida Infernal - Coito Corrida Infernal - Coito Fecundação origem a nova célula ovo ou zigoto Reprodução ao nascimento Etapa Importante 30-48 - 72 horas Divisão Óvulo segmentação rápida e depois lentas Fenómeno Inesquecível

Leia mais

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia.

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. Questão 01 B100010RJ Observe o esquema abaixo. 46 23 46 23 46 23 23 Disponível em: . Acesso

Leia mais

Palmares, 2004 Í N D I C E I N T R O D U Ç Ã O...2

Palmares, 2004 Í N D I C E I N T R O D U Ç Ã O...2 ESCOLA DR. PEDRO AFONSO DE MEDEIROS - EPAM www.escolas.educacao.pe.gov.br/mas.pamedeiros epampalmares@yahoo.com.br (081) 3662 2062 / 3662 7021 PROFESSORA AMARA MARIA PEDROSA SILVA www.clickbio.k25.net

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Enfermagem Disciplina: Embriologia Humana Carga Horária: 45 h Teórica: 30 h Prática: 15 h Semestre: 2013.1 Professores: Albuquerque da Silva Obrigatória:

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 41 EMBRIOLOGIA: FECUNDAÇÃO

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 41 EMBRIOLOGIA: FECUNDAÇÃO BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 41 EMBRIOLOGIA: FECUNDAÇÃO Membrana que impede a penetração de outros espermatozóides Fusão das membranas plasmáticas do óvulo e do espermatozóide Núcleo do espermatozóide no

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

GABARITO - BIOLOGIA - Grupos A e B

GABARITO - BIOLOGIA - Grupos A e B 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor A figura abaixo representa um trecho da fita codificante de uma molécula de DNA que codifica um segmento peptídico de seis aminoácidos. A seta 1 indica o local

Leia mais

REPRODUÇÃO COMPARADA. Sérgio Magalhães

REPRODUÇÃO COMPARADA. Sérgio Magalhães REPRODUÇÃO COMPARADA Sérgio Magalhães REPRODUÇÃO É o processo através do qual o ser vivo dá origem a outros indivíduos da mesma espécie que ele. Pode ser: Assexuada: quando não ocorre troca nem recombinação

Leia mais

Semi-extensivo Uno Biologia Caderno de Teoria 4

Semi-extensivo Uno Biologia Caderno de Teoria 4 543 2006 PAUL GIOVANOPOULOS C/OTHEISPOT.COM Butterfly II. Paul Giovanopoulos (1995). B1 T7 Hormônios vegetais, movimentos e fotoperiodismo 3 B2 T7 Evolução biológica 8 B3 T13 O ciclo menstrual 17 B3 T14

Leia mais

Classificação: valores

Classificação: valores ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO 1º Teste Sumativo DISCIPLINA DE BIOLOGIA 12ºano Turma A TEMA : Reprodução Humana 20 de Outubro de 2011 90 minutos Nome: Nº Classificação: valores A professora:

Leia mais

Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com

Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Embriogênese (parte II) Histologia animal (parte I) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Anteriormente... Zigoto Mórula Blástula Gástrula Neurula Organogênese Anexos embrionários Gêmeos Dos

Leia mais

BIOLOGIA Palmares, 2007

BIOLOGIA Palmares, 2007 BIOLOGIA Palmares, 2007 Í N D I C E I N T R O D U Ç Ã O...3 REPRODUÇÃO: A CONTINUIDADE DA VIDA...4 FORMAS DE REPRODUÇÃO...4 ESTRUTURA E DUPLICAÇÃO DO DNA...6 CROMOSSOMOS...8 DIVISÃO CELULAR...10 GAMETOGÊNESE...12

Leia mais

04) O filo porífera é representado pelas esponjas. Na figura, as letras A, B e C referem-se aos aspectos reprodutivos destes animais.

04) O filo porífera é representado pelas esponjas. Na figura, as letras A, B e C referem-se aos aspectos reprodutivos destes animais. Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 3º Disciplina: Ciências da Natureza/ Biologia Data da prova: 01) A digestão dos Poríferos (esponjas) é intracelular e realizada por células

Leia mais

Exercícios de Biologia Divisões Celulares - Gametogênese

Exercícios de Biologia Divisões Celulares - Gametogênese Exercícios de Biologia Divisões Celulares - Gametogênese Esta lista foi feita para complementar as vídeo-aulas sobre Divisões Celulares disponibilizadas em Parceria com O Kuadro www.okuadro.com TEXTO PARA

Leia mais

Tópicos. Reação acrossômica. Implantação embrionária. Desenvolvimento embrionário. Fisiologia da gestação. Parto

Tópicos. Reação acrossômica. Implantação embrionária. Desenvolvimento embrionário. Fisiologia da gestação. Parto Tópicos Reação acrossômica Implantação embrionária Desenvolvimento embrionário Fisiologia da gestação Parto Reação acrossômica Fusão da membrana plasmática do espermatozóide com a membrana externa do acrossomo

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

AULA 1 FRENTE 1 ------ 6C0 2 + 6H 2 + 0 2 H 12

AULA 1 FRENTE 1 ------ 6C0 2 + 6H 2 + 0 2 H 12 AULA 1 FRENTE 1 Roteiro de estudo Mitocôndrias e lisossomos Peroxissomos, microtúbulos e centríolo Exercícios propostos 1 Para a manutenção de sua intensa atividade vital, a célula obtém energia através

Leia mais

Exercícios sobre Células Tronco Fernando Biologia

Exercícios sobre Células Tronco Fernando Biologia Exercícios sobre Células Tronco Fernando Biologia 1. (Ufpb) A Biologia, com os estudos sobre célulastronco, proporciona grandes esperanças aos portadores de traumas com dano tecidual permanente. Resultados

Leia mais

Biologia 12ºAno. Autor: Francisco Cubal. Unidade da Reprodução Humana até Anexos Embrionários

Biologia 12ºAno. Autor: Francisco Cubal. Unidade da Reprodução Humana até Anexos Embrionários Biologia 12ºAno Autor: Francisco Cubal Unidade da Reprodução Humana até Anexos Embrionários 1. Aparelho Reprodutor Masculino Aparelho Reprodutor Masculino Órgãos Externos Órgãos Internos Escroto (Envolve

Leia mais

BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA

BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova aplicada pela UFPR 2012 apresentou boa distribuição das diferentes áreas do conhecimento biológico. As questões exigiram que o candidato apresentasse organização

Leia mais

Lê com atenção e reflecte antes de responder. Boa sorte!

Lê com atenção e reflecte antes de responder. Boa sorte! Agrupameo de Escolas de Casquilh Escola Secundária de Casquilh 2º Teste Sumativo (90 minut) DISCIPLINA DE BIOLOGIA 12ºano Turmas A e B TEMA: Reprodução Humana e Engenharia Genética Dezembro 2013 Professora

Leia mais

GENÉTICA APLICADA AO MELHORAMENTO ANIMAL

GENÉTICA APLICADA AO MELHORAMENTO ANIMAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL GENÉTICA APLICADA AO MELHORAMENTO ANIMAL 1. DIVISÃO DO MATERIAL

Leia mais

DIVISÃO CELULAR: MITOSE E MEIOSE

DIVISÃO CELULAR: MITOSE E MEIOSE DIVISÃO CELULAR: MITOSE E MEIOSE PROFª. ROSE LOPES /1º ANO - 2016 DIVISÃO CELULAR A capacidade de duplicar-se é a característica mais extraordinária dos organismos vivos. Para fazê-lo, multiplicamos o

Leia mais

Reprodução humana. Aula 01. Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese. Espermatogênese Ovogênese UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA

Reprodução humana. Aula 01. Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese. Espermatogênese Ovogênese UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA Reprodução humana UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese CAPÍTULO 11 Espermatogênese Ovogênese Aula 01 1. SISTEMA GENITAL MASCULINO ÓRGÃOS DO SISTEMA GENITAL

Leia mais

GAMETOGÊNESES & SISTEMAS REPRODUTORES HUMANOS PROF. CARLOS FREDERICO

GAMETOGÊNESES & SISTEMAS REPRODUTORES HUMANOS PROF. CARLOS FREDERICO GAMETOGÊNESES & SISTEMAS REPRODUTORES HUMANOS PROF. CARLOS FREDERICO GAMETOGÊNESES O processo de formação de gametas, na maioria dos animais, se dád através s da meiose e recebe a denominação de gametogênese..

Leia mais

Nome: Nº Ano: 1º Turma: Disciplina: Biologia Professor: Wanessa Data: / / Lista de exercícios exame final 1ºano

Nome: Nº Ano: 1º Turma: Disciplina: Biologia Professor: Wanessa Data: / / Lista de exercícios exame final 1ºano Nome: Nº Ano: 1º Turma: Disciplina: Biologia Professor: Wanessa Data: / / Lista de exercícios exame final 1ºano Questão 01) Carboidratos (glicídios ou hidratos de carbono) são moléculas orgânicas constituídas

Leia mais

CICLO OVARIANO. Estas alterações estão sob influencia dos hormônios gonadotrópicos da hipófise anterior.

CICLO OVARIANO. Estas alterações estão sob influencia dos hormônios gonadotrópicos da hipófise anterior. CICLO OVARIANO Formado por várias alterações em um ovário, os quais se repetem a intervalos mensais Estas alterações estão sob influencia dos hormônios gonadotrópicos da hipófise anterior. Principais fases

Leia mais

Platelmintos, vermes achatados

Platelmintos, vermes achatados Platelmintos, vermes achatados Animais triblásticos, bilaterais, com cefalização e sistema excretório Equipe de Biologia Relação filogenética do filo platelmintos Planária como exemplo de platelminto Dorsal

Leia mais

Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Veterinária EMBRIOLOGIA. Prof. Dra. Janaina Serra Azul Monteiro Evangelista

Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Veterinária EMBRIOLOGIA. Prof. Dra. Janaina Serra Azul Monteiro Evangelista Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Veterinária EMBRIOLOGIA Prof. Dra. Janaina Serra Azul Monteiro Evangelista Ovócito I e II EMBRIOLOGIA Definições Óvulo ou Ovócito Fecundado ou Ovo Maduro Ovócito

Leia mais

1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos. a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta.

1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos. a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta. 12. Cordados 1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos vertebrados, exceto: a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta. b) sistema excretor com néfrons

Leia mais

ATLAS DE BIOLOGIA ORIGEM DA VIDA

ATLAS DE BIOLOGIA ORIGEM DA VIDA ATLAS DE BIOLOGIA ORIGEM DA VIDA H 2 CH 4 H 2 O NH 3 Atmosfera Primitiva: Sem O 2 e sem ozônio (O 3 ) Figura 1: À esquerda, segundo o experimento de Stanley Miller (1953), a partir de uma mistura de GÁS

Leia mais

9/11/2010. Prof. MSc. Weverson Pires. wlp_cell@yahoo.com.br pirescell@gmail.com. 3 meses - O sexo já pode ser identificado externamente;

9/11/2010. Prof. MSc. Weverson Pires. wlp_cell@yahoo.com.br pirescell@gmail.com. 3 meses - O sexo já pode ser identificado externamente; Desenvolvimento Humano Prof. MSc. Weverson Pires wlp_cell@yahoo.com.br pirescell@gmail.com Eventos Importantes do Desenvolvimento do Embrião Humano. 24 horas - Primeira divisão do zigoto, com formação

Leia mais

3ª série Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e. condição de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica.

3ª série Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e. condição de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica. DISCIPLINA DE BIOLOGIA OBJETIVOS: 1ª série Compreender a natureza como um todo dinâmico e o ser humano como agente de transformação do mundo em que vive, em relação essencial com os demais seres vivos

Leia mais

Diversidade e Evolução de Fungos e Animais Invertebrados

Diversidade e Evolução de Fungos e Animais Invertebrados 1 Introdução aos Metazoários: Origem, Evolução e Características gerais dos animais José Eduardo Marian Sonia Lopes João Miguel de Matos Nogueira 1.1 Introdução 1.2 Multicelularidade e graus de organização

Leia mais

Unidade I - Embriologia Geral

Unidade I - Embriologia Geral Unidade I - Embriologia Geral 1.1 - Noções de aparelho reprodutivo e ciclo estral; 1.2 - Fertilização, formação do disco embrionário; 1.3 - Tipos de implantação; 1.4 - Desenvolvimento embrionário; 1.5

Leia mais

UNIDADE IV Filo Porifera

UNIDADE IV Filo Porifera CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CAMPUS DE POMBAL UNIDADE IV Filo Porifera Prof. Dr. Sc. Ancélio Ricardo de Oliveira Gondim Em paz me deito e logo adormeço,

Leia mais

b) Justifique sua resposta. Resolução a) A afirmação não é válida. b) Os vírus são parasitas obrigatórios de células procarióticas

b) Justifique sua resposta. Resolução a) A afirmação não é válida. b) Os vírus são parasitas obrigatórios de células procarióticas 1 BIOLOGIA Devido ao fato de serem muito simples em termos de organização, podemos afirmar que os vírus provavelmente tiveram sua origem antes do surgimento das primeiras células procarióticas. a) A afirmação

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozóides ) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

Testes complementares Volume 3

Testes complementares Volume 3 Volume 3 Exercícios Matemática A Matemática B 06) 80% 08) 17 04) a) cos y = 3 5 b) sen2 x = 120 169 06) π 2 rd 07) D 08) 96 Matemática C 01) Obteve um prejuízo de R$20,00. 03) A 1ª pessoa deve receber

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS Reino Animalia Organização do corpo e principais filos São pluricelulares, eucariontes e heterótrofos Apresentam grande diversidade (1 milhão de espécies distribuídas

Leia mais

Qual é o objeto de estudo da Fisiologia Humana? Por que a Fisiologia Humana é ensinada em um curso de licenciatura em Educação Física?

Qual é o objeto de estudo da Fisiologia Humana? Por que a Fisiologia Humana é ensinada em um curso de licenciatura em Educação Física? Fisiologia Humana QUESTÕES INICIAIS 1 2 3 Qual é o objeto de estudo da Fisiologia Humana? Por que a Fisiologia Humana é ensinada em um curso de licenciatura em Educação Física? Qual a importância dos conhecimentos

Leia mais

DICIONÁRIO DE TERMOS BIOLÓGICOS (EMBRIOLOGIA E ZOOLOGIA)

DICIONÁRIO DE TERMOS BIOLÓGICOS (EMBRIOLOGIA E ZOOLOGIA) DICIONÁRIO DE TERMOS BIOLÓGICOS (EMBRIOLOGIA E ZOOLOGIA) A Acelomado: (DO GREGO a= sem + kôlios: oco, cavidade) É a designação de um grupo de animais, atualmente sem valor sistemático, que segundo uma

Leia mais

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA...

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA... Atividade extra Fascículo 4 Biologia Unidade 9 Questão 1 A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA. O processo de divisão celular é composto por cinco etapas:

Leia mais

Placenta e Membranas Fetais. Prof. Daniela B. Hara

Placenta e Membranas Fetais. Prof. Daniela B. Hara Placenta e Membranas Fetais Prof. Daniela B. Hara 2009/2 Anexos embrionários no desenvolvimento humano Placenta e o cordão umbilical O córion O âmnio O saco vitelínico O alantóide Membranas fetais A parte

Leia mais

Exercícios Propostos Clonagem Professor Fernando

Exercícios Propostos Clonagem Professor Fernando Exercícios Propostos Clonagem Professor Fernando 1. (Fuvest) Uma maneira de se obter um clone de ovelha é transferir o núcleo de uma célula somática de uma ovelha adulta A para um óvulo de uma outra ovelha

Leia mais