INFORMAÇÕES QUE A SOCIEDADE EUROPÉIA DE OZONIOTERAPIA RECOMENDA SEJAM DADAS AOS PACIENTES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÕES QUE A SOCIEDADE EUROPÉIA DE OZONIOTERAPIA RECOMENDA SEJAM DADAS AOS PACIENTES"

Transcrição

1 INFORMAÇÕES QUE A SOCIEDADE EUROPÉIA DE OZONIOTERAPIA RECOMENDA SEJAM DADAS AOS PACIENTES (Traduzida, revisada e acrescida com mais informações pela ABOZ Associação Brasileira de Ozonioterapia) O que é Ozônio? O ozônio é um composto químico de três átomos de oxigênio (O 3 ), um composto altamente energético do oxigênio atmosférico normal (O 2 ). Assim, as moléculas destes dois compostos são diferentes na estrutura: Oxigênio O 2 Ozônio O 3 Em condições normais, o ozônio é um gás incolor com um odor característico perceptível, por exemplo, após temporais, em altas altitudes ou próximo ao mar. Seu nome é de origem grega, do ozein, o que emite cheiro, e foi descoberto em 1840 pelo químico alemão Friedrich Christian Schönbein ( ). Mais perto do nível da terra pode ocorrer na forma de neblina e fumaça, em concentrações de 1 porção de ozônio por 10 milhões de porções do ar, isto é, 0,1 ppm (parte por milhão), o que equivale a 200 µg/m3). A uma altura de metros, entretanto, está muito menos concentrado, geralmente só em torno de 0,03 a 0,04 ppm. Por ser um agente de oxidação extremamente poderoso e um desinfetante altamente eficaz, é também usado em todo o mundo para esterilizar as instalações de tratamento de água que fornecem a água para consumo. O que é Ozonioterapia (ou Ozonoterapia )? É o uso do ozônio para fins medicinais. O ozônio medicinal é sempre uma mistura de ozônio e de oxigênio puro, produzido por um gerador de ozônio (promove uma descarga elétrica entre e volts nas moléculas de oxigênio, o que possibilita a agregação dos átomos e a formação do gás ozônio). De acordo com sua aplicação, a concentração do ozônio pode variar entre 1 e 100 µg/ml (0,05 a 5% de ozônio). O ozonioterapeuta, um médico especialmente treinado para isso, determina a dosagem completa de acordo com a indicação médica e a condição do paciente. Propriedades e Efeitos O ozônio medicinal tem propriedades altamente bactericidas, fungicidas e antivirais (é virustático). Usado extensamente para desinfetar feridas infectadas, assim como em doenças bacterianas e virais. Sua capacidade de estimular a circulação é usada no tratamento de problemas circulatórios e na revitalização de funções orgânicas de modo geral. Quando administrado em baixas concentrações, o ozônio pode ativar o sistema imunológico do organismo. Como uma resposta a esta ativação através do ozônio, as células imunes do corpo produzem os mensageiros especiais chamados citoquinas (mediadores importantes como interferon e interleucinas). Estes informam outras células imunes, provocando uma cadeia de mudanças positivas no sistema imune, que se torna mais capaz de resistir a doenças. Isto significa que a 1

2 aplicação do ozônio medicinal é extremamente útil para a ativação imunológica em pacientes com um status imune baixo e/ou imunodeficientes. Estas pequenas quantidades de ozônio são aplicadas ao sangue do paciente, num processo que é chamado auto-hemoterapia (tratamento externo do sangue do paciente antes da reinfusão). Desta forma são ativados os sistemas antioxidantes e removedores de radicais livres ( scavengers ) do próprio corpo. Assim torna-se possível compreender o motivo do ozônio ser usado nas doenças que envolvem inflamações crônicas. Indicações O ozônio médico é indicado para: Tratamento de problemas circulatórios e também na área da geriatria. Tratamento das doenças provocadas por vírus, tais como hepatites e herpes. Tratamento de feridas infectadas, inflamadas, mal curadas e de processos inflamatórios crônicos, tais como úlceras nas pernas, colites e outras inflamações intestinais, além de queimaduras. Como terapia complementar em vários tipos de câncer, o ozônio é aplicado para a imunoativação geral, em dosagens baixas, na forma de Autohemoterapia Maior (ou Grande Auto-hemoterapia, GAHT) na qual o sangue é reinfundido por via endovenosa, ou de Auto-hemoterapia Menor (ou Pequena Auto-hemoterapia, PAHT), na qual o sangue ozonizado é injetado via intramuscular. Formas de Aplicação do Ozônio ATENÇÃO Inalar ozônio é absolutamente proibido e altamente perigoso. Esta é praticamente a única via de aplicação do ozônio que não pode ser utilizada de maneira nenhuma. A aplicação direta por via endovenosa da mistura gasosa oxigênioozônio também não é recomendada. Muitas décadas da experiência e estudos clínicos recentes mostraram que os seguintes cinco métodos da aplicação são válidos para o ozônio : Auto-hemoterapia Maior - GAHT (tratamento externo do sangue do paciente, seguido de reinfusão por via endovenosa). Utilizada em geriatria, para revitalização em geral (útil especialmente para atletas), no tratamento de problemas circulatórios e de doenças provocadas por vírus e condições relacionadas à resposta imune em geral. Por este método, 50 a 100 ml de sangue do paciente são retirados na maneira normal, enriquecida externamente com uma quantidade exata definida da mistura gasosa oxigênio-ozônio, com material e os recipientes estéreis e descartáveis. O ozônio reage completamente e imediatamente com substâncias específicas que compõem as células vermelhas e brancas do sangue, e desse modo ativa o seu metabolismo. É este sangue ativado (não mais o ozônio ou o oxigênio! ) que é reinfundido imediatamente no paciente, usando-se para isso um equipo de transfusão (frasco de vidro com vácuo). A insuflação retal do ozônio não é tão inconveniente ou desagradável quanto possa parecer. De fato, o paciente não sente desconforto, porque a mistura gasosa oxigênioozônio é absorvido diretamente pela mucosa intestinal em frações de segundos. Além disso, o tubo de inserção (sonda retal) é descartável e lubrificado, o que torna o método totalmente higiênico e prático. Este método é indicado primeiramente para condições inflamatórias do intestino, mas está encontrando uso crescente para processos gerais de revitalização, em substituição à Grande Auto-hemoterapia, em pacientes com veias difíceis e crianças. Previamente ao ciclo de aplicações da insuflação retal (entre 10 a 20), 2

3 é útil a realização de enemas de café, que promovem a limpeza da mucosa do reto (última porção do intestino), facilitando a absorção da mistura gasosa oxigênio-ozônio, além de ajudar na desintoxicação de fígado e rins. Auto-hemoterapia Menor - PAHT É uma aplicação, através da via intramuscular, de 5 a 10 ml de sangue ozonizado. Pode ser usada em doenças alérgicas, acne ou de maneira geral para melhorar a resistência inerente do organismo. O tratamento tópico com ozônio (bolsa, bag, touca) requer um sistema fechado de circulação da mistura gasosa. Uma parte do corpo, por exemplo uma perna, é colocada dentro de um saco plástico transparente, feito de material ozônio-resistente, cujas bordas são vedadas junto à pele. A parte do corpo a ser tratada deve ser previamente umedecida com água, porque o ozônio age menos em áreas secas. Em seguida, o ar é retirado de dentro do saco plástico, e a mistura oxigênio-ozônio é injetada. Após 10 a 20 minutos o ozônio é aspirado para fora do saco plástico, e este é retirado do paciente. Este método é altamente eficaz para tratar úlceras, escaras, feridas abertas, lesões pós-operatórias, herpes, áreas infectadas, queda de cabelo, dentre outras lesões. A insuflação vaginal de ozônio é uma forma de aplicação tópica da mistura gasosa, realizada por meio de uma sonda plástica. É um procedimento indolor, indicado em casos de infecções vaginais (corrimento), em especial as candidíases de repetição. A lavagem prévia com água bidestilada ozonizada potencializa o efeito da mistura gasosa oxigênioozônio. Água ozonizada e azeite ozonizado O uso da água bidestilada ozonizada tem sido demonstrado como altamente interessante na odontologia, principalmente no tratamento de canais dentários e de afecções da gengiva. Á água ozonizada bidestilada é também utilizada no tratamento de queimaduras. O azeite ozonizado tem sido aplicado no tratamento tópico de úlceras, feridas, escaras e dermatites, com bons resultados. Usamse principalmente o azeite de oliva e o óleo de sementes de girassol. É segura a inalação de azeite ozonizado (e não da mistura gasosa oxigênio-ozônio), pois as triozonides de trioleína presentes na sua composição, exercem efeito anti-inflamatório e mucolítico, muito útil em processos infecciosos de vias aéreas superiores. Na injeção intra-articular de ozônio, este é injetado diretamente dentro do espaço articular da articulação afetada. Este procedimento requer treinamento especial do médico, e é utilizado em muitos consultórios de ortopedia. É indicado em artrites, artroses e rigidez articular. Com a injeção intra-discal, realizada por neurocirurgiões e ortopedistas treinados, é possível tratar um grande número de hérnias de disco, evitando cirurgias maiores. A injeção subcutânea de ozônio pode ser utilizada com dois objetivos: analgesia (alívio de dores agudas e crônicas, hérnia de disco) e fins estéticos (celulite, gordura localizada, flacidez, escleroterapia de microvarizes, olheiras, rugas de expressão, queda de cabelo, manchas de pele, cicatrizes hipertróficas, quelóides, nódulos de gordura (lipomas), dermatites, para revitalização facial e no pós-operatório de cirurgias plásticas reparadoras ou estéticas. A sauna com ozônio apresenta vários benefícios, principalmente como adjuvante na eliminação de toxinas.também tem efeito relaxante muscular (aumenta a flexibilidade), melhora a circulação sanguínea, promove vasodilatação dos vasos de menor calibre (o que ajuda a aliviar dores e otimiza a cicatrização), auxilia na eliminação de infecções secundárias e acelera o metabolismo (perda de calorias em sessão de 20 minutos). 3

4 O banho com ozônio (hidrozonoterapia) promove drenagem linfática, absorção transcutânea de oxigênio, tem efeito relaxante (em geral e muscular) e faz prevenção de fibrose, infecção e pigmentação. Jatos de ozônio ( jatos), com intensidade variável, em água morna, com duração entre 5 a 25 minutos. Está indicado em pré- e pósoperatório de cirurgia plástica, celulite, estagnação linfática e circulatória, queimaduras, revitalização, estresse, micoses e para preparo de atletas (antes e após competições). Em que doenças a Ozonioterapia é geralmente aplicada? Várias doenças podem ser influenciadas positivamente ou mesmo curadas pelo ozônio. Este é um fato que é confirmado por uma série de investigações científicas e de publicações médicas. De modo geral, o ozônio medicinal é aplicado paralelamente a outros medicamentos, isto é, ainda pertence ao campo da Medicina Complementar. Médicos na Europa fundaram a Sociedade Médica para a Aplicação do Ozônio em Prevenção e Tratamento, convocando a classe médica em geral, com o objetivo de fornecer a informação básica aos médicos, profissionais de saúde e pacientes igualmente. É preciso que todos saibam que o ozônio medicinal, quando utilizado de maneira correta e indicado com segurança, é valioso, prático, eficaz e - como um preventivo pelo menos de baixo custo. Por outro lado, como aliás ocorre com qualquer tratamento ou procedimento médico, não há e nem pode haver garantia de sucesso terapêutico em 100% dos casos tratados. O sucesso variará de acordo com o estado de saúde do paciente, a freqüência do tratamento do ozônio, as doses e as concentrações aplicadas, entre outros fatores. Problemas circulatórios Entre outros sintomas, frio nos pés ou dores após andar somente distâncias curtas são sinais que podem ser corrigidos por meio da Ozonioterapia. Seu sucesso foi confirmado por um grande número experimentações clínicas. O ozônio é aplicado como um complemento e em combinação com outros métodos da Medicina clássica. Regeneração e revitalização As situações de estresse no trabalho ou as condições de tensão mental e física excessiva respondem particularmente bem à Ozonioterapia. Sua capacidade de ativar o metabolismo das células vermelhas e brancas do sangue produz uma melhora no bem-estar geral e uma revitalização de todo o organismo. O uso do ozônio por atletas profissionais Embora o ozônio não dê a seu usuário um nível de desempenho físico mais elevado, melhora a performance física durante a fase da resistência, isto é, apenas abaixo do grau de exercício máximo. Além disso, a fase da regeneração é encurtada de modo significativo em esportes de resistência. O paciente idoso - prevenção e terapia Os pacientes idosos respondem muito bem à Ozonioterapia porque é possível empregar todas suas vantagens clínicas, tais como melhoria do oxigênio disponível aos tecidos, mobilização do sistema imunológico, e ativação do próprio sistema de anti-oxidantes e de eliminadores de radicais livres. Além disso, temos sua influência positiva em problemas circulatórios cerebrais - uma situação caracterizada por uma redução geral no desempenho físico, pela insegurança no andar, e pelas vertigens. O ozônio medicinal é usado também como um preventivo, contribuindo para o aumento na qualidade da vida. Doenças oculares Os distúrbios circulatórios próprios da idade afetam também os olhos com mudanças atróficas e degenerativas. Por exemplo, a degeneração senil macular ocorre no centro da retina - o ponto onde o foco visual está mais nítido. Suas seqüelas podem assim influenciar o nervo óptico em graus variados, produzindo o que é chamado atrofia do nervo óptico. Os resultados obtidos de uma experimentação clínica 4

5 realizada na universidade de Siena mostram, além dos relatórios das aplicações práticas, melhora da visão, que dura de 6 a 8 meses após a reinfusão do próprio sangue ozonizado (Grande Auto-hemoterapia). Continuar a série dos tratamentos pode produzir uma melhora adicional no desempenho visual ou impedir que ocorra piora novamente. Doenças malignas (câncer) A Grande Auto-hemoterapia pode ser aplicada com bons resultados no tratamento adicional, biológico, complementar à terapia usual em doenças malignas. O objetivo da aplicação é produzir a propriedade imunoativadora do ozônio, gerada quando é aplicado em doses baixas. As células imunes - tais como os linfócitos T helper e supressor, e as células natural killer são ativadas através das reações biológicas induzidas pelo ozônio para produzir uma classe de proteínas transmissoras chamadas citoquinas, a que pertencem, por exemplo, os interferons. De fato, o ozônio faz o corpo produzir quantidades aumentadas de seus próprios interferons e interleucinas. Na reintrodução do sangue ozonizado, uma cascata de reações imunes positivas é desencadeada, contribuindo também para a resistência e para o bem-estar geral. Lesões de pele e micoses As propriedades fungicida e bactericida do ozônio foram usadas com sucesso durante 100 anos no tratamento da água potável. O ozônio medicinal é um agente terapêutico eficaz no combate a fungos persistentes, especialmente aqueles dos pés, infecções de fungos do tronco ou infecções fúngicas das mucosas. Feridas infectadas O tratamento local de feridas infectadas, tais como podem ocorrer facilmente com escaras, úlceras de perna e de pé, gangrena diabética ou processos demorados de cura de feridas, pertencem aos campos clássicos da aplicação do ozônio medicinal. Inicialmente se emprega seu poder desinfetante, isto é, bactericida e fungicida, para obter uma ferida limpa e livre de germes. Uma vez que isso foi conseguido, aplicamos então doses mais baixas da mistura gasosa oxigênio-ozônio para acelerar a cicatrização da ferida. Doenças intestinais: proctites e colites Nos processos inflamatórios intestinais, particularmente nas suas fases avançadas, a aplicação local do ozônio na forma de insuflação retal é muito útil. Uma série de 10 aplicações do ozônio é suficiente na maioria de casos, podendo chegar a 20 sessões nos casos mais graves. Séries repetidas são somente necessárias em aproximadamente 10% dos pacientes (de um estudo clínico com ozônio que envolveu 248 pacientes). Doenças virais Herpes simples, Herpes zoster Ambos os tipos de herpes são causados por vírus. O herpes labial é uma condição que freqüentemente retorna, altamente desagradável, que pode ser tratado com muito sucesso pelo ozônio, eventualmente em combinação com outros métodos terapêuticos. No caso do herpes zoster, a aplicação complementar do ozônio é útil, na forma de compressas de água ozonizada, Grande Auto-hemoterapia e injeção subcutânea próxima à área afetada (para o efeito analgésico). Processos Inflamatórios do fígado As doenças Inflamatórias do fígado estão presentes entre as indicações clássicas do ozônio medicinal. Assim, o tratamento da hepatite viral tipo A é relativamente simples e produz cura completa. No caso de hepatite viral tipo B, crônica, além aos métodos de tratamento médico clássico, a Grande Autohemoterapia com ozônio e/ou a insuflação retal de quantidades controladas da mistura oxigênio-ozônio pode ter bons resultados. O mesmo vale também para o tratamento da hepatite viral tipo C que, devido a um período de incubação possível de vários anos, geralmente não é diagnosticada como uma doença do fígado até que se transforme em uma condição crônica. 5

6 Condições inflamatórias comuns e degenerativas Quando dividimos doenças inflamatórias das articulações em três estágios, são particularmente os estágios 1 e 2, isto é, aqueles que ainda não produziram uma deformação severa do osso, que respondem bem à aplicação médica do ozônio. Isto se aplica à artrose do joelho ou à forma ativa de artrite em joelho e ombro. Aqui, as injeções intra-articulares do ozônio são aplicadas além dos métodos médicos clássicos. Nessas patologias, é possível observar o uso completo dos efeitos anti-inflamatórios do ozônio (modulação da inflamação), além de suas propriedades imunomoduladoras e a sua habilidade ativadora do metabolismo da cartilagem. Condições de artrites e poliartrites crônicas O termo artrite reumática inclui várias doenças dolorosas do aparelho locomotor, envolvendo em parte também limitações funcionais. No geral, a aplicação do ozônio medicinal pode aqui ser considerada como sendo uma medida complementar somente, combinado com algum método clássico básico, e fisioterapia correspondente. No exemplo da artrite reumatóide (poliartrite crônica), a Grande Auto-hemoterapia com ozônio é um método complementar muito útil quando dado durante as fases não-agudas. Suas propriedades imunomoduladoras e antiinflamatórias são seu princípio básico da ação. O que devo saber como paciente? Antes de se submeter a qualquer tratamento com ozônio, você deve informar seu médico sobre todos os medicamentos que estiver usando, medidas dietéticas especiais, e exames que tenha feito recentemente. Informe-o também sobre alergias, doenças hereditárias ou outras queixas, e os tratamentos submetidos previamente. Seu médico deverá solicitar alguns exames complementares (visando excluir anemia intensa e hipertireoidismo, por exemplo). A Ozonioterapia é um procedimento de baixo risco e aplicada geralmente como um método complementar, aditivo ou restaurativo, isto é, em associação a tratamentos médicos habituais. A Ozonioterapia, atualmente, é reconhecida pelo Ministério da Saúde da Alemanha, da Suíça, da Espanha, do Egito e de outros 15 países, além de ser praticada em 13 estados dos Estados Unidos da América. Cuba, por exemplo, conta com 39 Centros Clínicos de Ozonioterapia dentro de seus maiores hospitais, incorporando a terapia nas suas rotinas de atendimento. Na Rússia, a Ozonioterapia é utilizada em todos os Hospitais Governamentais. Aproximadamente médicos utilizam este método na Europa atualmente. No Brasil, ainda não há legislação específica regulamentando a prática da Ozonioterapia. Portanto, é necessário que o médico forneça ao paciente informações detalhadas sobre a Ozonioterapia e que o paciente assine um Termo de Consentimento Informado para Ozonioterapia antes do início das aplicações. Os seguros médicos inclusive reembolsam os procedimentos de Ozonioterapia em vários desses países, embora na maioria a técnica ainda não tenha cobertura por parte dos seguros-saúde ou das empresas. Como paciente, você deve também tentar encontrar escolas de ozônio existentes em seu país, que treinam especialistas. No Brasil, a ABOZ Associação Brasileira de Ozonioterapia, com sede em São Paulo, promove dois cursos teóricopráticos por ano. A lista dos profissionais, de todo o Brasil, que realizaram os cursos da ABOZ encontra-se à disposição para consulta telefônica. A maioria das aplicações do ozônio são em série de até 12 sessões (exceto a insuflação retal, que geralmente é feita em ciclos de até 20 aplicações), e uma segunda ou terceira séries semelhantes podem ser necessárias em algumas indicações. Não obstante, você deve sempre recordar que uma pequena prevenção pode tornar desnecessário um tratamento em grande escala, muito mais caro, mais tarde. 6

7 Características do Ozônio Ocorrência natural O ozônio é um dos gases mais importantes na estratosfera que cerca nosso planeta (a uma altura de 10 a 50 quilômetros). Em uma altura de 20 a 30 quilômetros, sua concentração máxima é 1 porção de ozônio por porções do ar (10 ppm) e assim é muito maior do que no nível da terra (0,03 0,04 ppm). A camada de ozônio Esta camada protetora de ozônio age como um filtro da energia ultravioleta (UV), altamente destrutiva, que vem do sol, assim ajudando manter o equilíbrio biológico em nosso planeta. O buraco de ozônio Um processo químico complicado, causado por gases industriais (contendo os CFCs e outros halogênios) provoca buracos na camada de ozônio. Por não haver, então, ozônio suficiente para agir como um filtro, ocorre uma abertura cada vez maior, permitindo que os raios UV (que são capazes de causar câncer de pele e de influenciar processos genéticos) possam penetrar sem resistência. Alarme do Smog (fumaça + neblina) Este termo é derivado das palavras inglesas Smoke e Fog. Perto da terra, principalmente em cidades grandes, o ozônio acaba sendo produzido a partir dos gases resultantes de decomposição ou de combustão (por exemplo, escapamento dos automóveis e chaminés de fábricas) e da interação de óxidos de enxofre e de nitrogênio, com o oxigênio e a radiação ultravioleta. Pelo fato de podermos medi-lo muito precisamente, o ozônio é usado e, conseqüentemente, citado como um indicador para a poluição ambiental, embora não seja absolutamente a causa desta poluição. Concentração máxima no local de trabalho A concentração máxima permitida no local de trabalho para o ozônio é de 200 µg/m3 ou 0,1 ppm, e não deve ser excedida durante um dia de trabalho de 8 horas e 40 horas por semana, porque o ozônio é capaz de causar danos ao aparelho respiratório e às mucosas. Os valores variam de um país a outro e não são sempre obrigatórios (na Alemanha, por exemplo, este era um regulamento legal em 1995, e agora é apenas uma recomendação). Ozônio técnico O ozônio técnico é uma mistura do ozônio e do ar ambiente, gerada a partir do ar atmosférico, que é usada no mundo inteiro, principalmente para a água esterilizada (instalações da cidade) e nos processos químicos de descoloração. Ozônio medicinal Ao contrário do ozônio técnico, a forma medicinal é gerada a partir do oxigênio médico puro através de descarga elétrica silenciosa, para uso como uma mistura de oxigênio-ozônio em concentrações e doses exatas. Sua concentração varia de 1 a 100 microgramas por mililitro (µg/ml), correspondendo a uma mistura de oxigênioozônio em relações entre 0,05% de ozônio a 99.95% de oxigênio e 5% de ozônio a 95% de oxigênio. Pelo fato da molécula do ozônio ser quimicamente instável, sua forma medicinal sempre é preparada imediatamente antes do uso, no local (em um gerador especial), para administração imediata - após menos de 1 hora, apenas a metade do ozônio original permanece, o restante se transforma em oxigênio novamente). Onde posso obter informações? Dependendo do país, seu médico pode saber sobre o ozônio medicinal e suas indicações. Entretanto, a informação básica em todas as áreas ligadas ao uso medicinal do ozônio no Brasil pode ser obtida por meio da ABOZ Associação Brasileira de Ozonioterapia, com sede em São Paulo Tel: (11)

SEGURANÇA NO LOCAL DE TRABALHO

SEGURANÇA NO LOCAL DE TRABALHO SEGURANÇA NO LOCAL DE TRABALHO Adaptação da obra: Higiene e Segurança do Trabalho Fundação Roberto Marinho Colecção Telecurso 2000 Rio de Janeiro, 1999 I - Acidente de Trabalho - Introdução O que é acidente?

Leia mais

Espondilite Anquilosante

Espondilite Anquilosante Espondilite Anquilosante CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: Comissão de Espondiloartrites CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://omurtlak.bloguez.com/ EDITORAÇÃO: Rian Narcizo Mariano PRODUÇÃO: www.letracapital.com.br

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE QUIMIOTERAPIA

ORIENTAÇÕES SOBRE QUIMIOTERAPIA Este Manual foi elaborado pela Equipe de Enfermagem e Com o apoio da Equipe Médica da Clínica ONCOSUL. MANUAL DO PACIENTE ORIENTAÇÕES SOBRE QUIMIOTERAPIA Equipe de Enfermagem: Rozilda Maurício Enfermeira

Leia mais

SEGURANÇA NO AMBIENTE HOSPITALAR

SEGURANÇA NO AMBIENTE HOSPITALAR SEGURANÇA NO AMBIENTE HOSPITALAR www.anvisa.gov.br CAPÍTULO I Aspectos da Segurança no Ambiente Hospitalar 1. INTRODUÇÃO O Dr. Samuel Dwane Thomas, residente em urologia do Hospital Episcopal na Filadélfia

Leia mais

Introdução I. INTRODUÇÃO

Introdução I. INTRODUÇÃO Introdução I. INTRODUÇÃO Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Seminário do 4º ano do curso de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra. Na temática aqui desenvolvida

Leia mais

Grupo Vontade de Viver

Grupo Vontade de Viver Grupo Vontade de Viver 01 - O que é Hepatite? Apoio aos portadores de Hepatite C contato@vontadedeviver.org.br O termo hepatite significa inflamação no fígado. Existem diversos tipos de hepatite, mas as

Leia mais

CONVIVENDO COM A HEPATITE C. Manual de convivência. Segunda Edição Revista e Ampliada

CONVIVENDO COM A HEPATITE C. Manual de convivência. Segunda Edição Revista e Ampliada CONVIVENDO COM A HEPATITE C Manual de convivência Segunda Edição Revista e Ampliada Edição de 2003 O avanço do conhecimento nas pesquisas pode ter tornado obsoleta alguma colocação. Página 1 Carlos Varaldo

Leia mais

CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA AUDIOLOGIA CLÍNICA. Alerta ao Ruído Ocupacional ANGELA DE MELLO

CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA AUDIOLOGIA CLÍNICA. Alerta ao Ruído Ocupacional ANGELA DE MELLO CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA AUDIOLOGIA CLÍNICA Alerta ao Ruído Ocupacional ANGELA DE MELLO PORTO ALEGRE 1999 1 CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA AUDIOLOGIA

Leia mais

ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPH SERIES NUTRIÇÃO E IMUNIDADE NO HOMEM

ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPH SERIES NUTRIÇÃO E IMUNIDADE NO HOMEM ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPH SERIES NUTRIÇÃO E IMUNIDADE NO HOMEM International Life Sciences Institute SOBRE O ILSI / ILSI EUROPE Fundado em 1978, o International Life Sciences Institute (ILSI) é uma

Leia mais

Tuberculose. Perguntas

Tuberculose. Perguntas Tuberculose Perguntas e Respostas Tuberculose PERGUNTAS E RESPOSTAS Elaboração: Divisão de Tuberculose CVE Av.Dr. Arnaldo 351, 6ºAndar Fone: 3066-8294 3066-8291 Internet : www.cve.saude.sp.gov.br Capa

Leia mais

JOANA BEZERRA DA SILVA LUCENA DIABETES MELLITUS TIPO 1 E TIPO 2

JOANA BEZERRA DA SILVA LUCENA DIABETES MELLITUS TIPO 1 E TIPO 2 JOANA BEZERRA DA SILVA LUCENA DIABETES MELLITUS TIPO 1 E TIPO 2 São Paulo 2007 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS JOANA BEZERRA DA SILVA LUCENA DIABETES MELLITUS TIPO 1 E TIPO 2

Leia mais

Manual formação pme HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO

Manual formação pme HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Manual formação pme HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Índice: Fundamentos da Higiene e Segurança 3 Introdução 3 Definições 4 Acidentes de Trabalho 5 Factores que afectam a Higiene e Segurança 8 As Perdas

Leia mais

com poderes medicinais

com poderes medicinais com poderes medicinais Lelington Lobo Franco com poderes medicinais Copyright 2005 by Lelington Lobo Franco Produção Editorial e Revisão: Equipe Elevação Impressão: Mundial Artes Gráficas Capa e diagramação:

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE AMILOIDOSE

CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE AMILOIDOSE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE AMILOIDOSE Para pacientes e sua rede de apoio, incluindo médicos, enfermeiros e estudantes de medicina Nome da seção aqui 1 índice Publicado em outubro de 2013. Esta brochura foi

Leia mais

meu filho TEm artrite um guia para famílias www.acredite.org.br

meu filho TEm artrite um guia para famílias www.acredite.org.br meu filho TEm artrite www.acredite.org.br um guia para famílias ÍNDICE INTRODUÇÃO... TIPOS DE AIJ... DIAGNÓSTICO... TRATAMENTO... DICAS PARA OS PACIENTES... ACOMPANHAMENTO CLÍNICO... O IMPACTO DA DOENÇA...

Leia mais

agência nacional de vigilância sanitária - anvisa MEDICAMENTOS

agência nacional de vigilância sanitária - anvisa MEDICAMENTOS agência nacional de vigilância sanitária - anvisa O que devemos saber sobre MEDICAMENTOS 2010 agência nacional de vigilância sanitária - anvisa O que devemos saber sobre MEDICAMENTOS Copyright 2010. Agência

Leia mais

Poluição Atmosférica e seus Efeitos na Saúde Humana. Alfesio Braga Luiz Alberto Amador Pereira Paulo Hilário Nascimento Saldiva

Poluição Atmosférica e seus Efeitos na Saúde Humana. Alfesio Braga Luiz Alberto Amador Pereira Paulo Hilário Nascimento Saldiva Poluição Atmosférica e seus Efeitos na Saúde Humana Alfesio Braga Luiz Alberto Amador Pereira Paulo Hilário Nascimento Saldiva Faculdade de Medicina da USP As grandes concentrações humanas que hoje existem

Leia mais

Análise de riscos nos locais de trabalho:conhecer para transformar

Análise de riscos nos locais de trabalho:conhecer para transformar Análise de riscos nos locais de trabalho:conhecer para transformar Marcelo Firpo de Souza Porto Engenheiro de Produção e Doutor pela COPPE/UFRJ. Pesquisador do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria Serviço Social da Indústria Departamento Nacional TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE AGENTES AMBIENTAIS: MANUAL SESI

Confederação Nacional da Indústria Serviço Social da Indústria Departamento Nacional TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE AGENTES AMBIENTAIS: MANUAL SESI Confederação Nacional da Indústria Serviço Social da Indústria Departamento Nacional TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE AGENTES AMBIENTAIS: MANUAL SESI BRASÍLIA 2007 TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE AGENTES AMBIENTAIS

Leia mais

recebem o diagnóstico já com sequelas permanentes e perdem um tempo precioso de tratamento e prevenção de incapacidades. Os achados fisiopatológicos

recebem o diagnóstico já com sequelas permanentes e perdem um tempo precioso de tratamento e prevenção de incapacidades. Os achados fisiopatológicos 12 1. INTRODUÇÃO A hanseníase também conhecida como lepra é uma doença tão antiga quanto a história da humanidade. Caracteriza-se por ser uma doença infectocontagiosa de evolução crônica, com via de transmissão

Leia mais

Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar

Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar Caderno E Programa do Controle de Infecção Hospitalar AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Diretor-Presidente

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE DOENÇA CELÍACA

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE DOENÇA CELÍACA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE DOENÇA CELÍACA Material fornecido pela diretoria da www.acelpar.com.br (Associação dos Celíacos do Paraná) O que é doença Celíaca? A doença celíaca (DC) é uma doença do intestino

Leia mais

M. Books do Brasil Editora Ltda. 2002. Este livro foi escrito com uma profunda humildade e respeito pelo Grande Médico.

M. Books do Brasil Editora Ltda. 2002. Este livro foi escrito com uma profunda humildade e respeito pelo Grande Médico. M. Books do Brasil Editora Ltda. 2002 Este livro foi escrito com uma profunda humildade e respeito pelo Grande Médico. É com grande veneração e apreço que dedico este livro à mais bela manifestação da

Leia mais

DICAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS NO TRABALHO

DICAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS NO TRABALHO DICAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS NO TRABALHO SESI-SEBRAE Saúde e Segurança no Trabalho Micro e Pequenas Empresas Brasília 2005 DICAS DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES E DOENÇAS NO TRABALHO Confederação

Leia mais

V A L I D A Ç Ã O primeiros_socorros.p65 1 2/8/2005, 11:26

V A L I D A Ç Ã O primeiros_socorros.p65 1 2/8/2005, 11:26 primeiros_socorros.p65 1 V A L I D A Ç Ã O CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Armando de Queiroz Monteiro Neto Presidente SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL SENAI Conselho nacional Fernando

Leia mais

NEURODYN III Manual de Operação

NEURODYN III Manual de Operação NEURODYN III Manual de Operação Estimulação Elétrica Nervosa Trascutânea (TENS e FES) (Registro Anvisa nº 10360310012) 9 a edição (09/2009) 2 ATENÇÃO: ESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES FAZ MENÇÃO AO EQUIPAMENTO

Leia mais

Curso de Prevenção de Acidentes do Trabalho para Membros da CIPA

Curso de Prevenção de Acidentes do Trabalho para Membros da CIPA Universidade José do Rosário Vellano - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES UNIFENAS GESTÃO CIPA - 2006/2007 Curso de Prevenção de Acidentes do Trabalho para Membros da CIPA UNIFENAS Coragem e Compromisso

Leia mais

SESI/DR/AC ANUAL DE BIOSSEGUR ANÇA PROTOCOLOS DE BIOSSEGURANÇA PARA PROFISSIONAIS EM ODONTOLOGIA. Rio Branco-Ac, 2009 MANUAL DE BIOSSEGURANÇA MANU

SESI/DR/AC ANUAL DE BIOSSEGUR ANÇA PROTOCOLOS DE BIOSSEGURANÇA PARA PROFISSIONAIS EM ODONTOLOGIA. Rio Branco-Ac, 2009 MANUAL DE BIOSSEGURANÇA MANU ANUAL DE BIOSSEGUR ANÇA PROTOCOLOS DE BIOSSEGURANÇA PARA PROFISSIONAIS EM ODONTOLOGIA SESI/DR/AC Rio Branco-Ac, 2009 MANUAL DE BIOSSEGURANÇA MANU 1 UAL DE BIOSSEGURANÇA MANUAL DE BIOSSEGURANÇA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais