capa STRATUS ISO CRCC Petrobrás

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "capa STRATUS WWW.STRATUSFRP.COM ISO CRCC Petrobrás"

Transcrição

1 STRATUS MPOSTOS ESTRUTURAIS LTDA Rua Januária, Cácaras Runidas São José dos Campos - SP Tl: Fax: ISO 1:2008 ISO Emprsa Crtificada Nº AQ-BRA-INMETRO ISO 1:2008 Crt. nº STRATUS CRCC Ptrorás - GRADES DE PISO - GUARDA-RPOS - ESCADAS - ESTRUTURAS - LEITOS PARA CABOS - ELETROCALHAS - ELETRODUTOS - PERFIS ESTRUTURAIS capa Portifólio d s

2 Emprsa Elmntos Estruturais Dsd sua fundação a STRATUS tm como principais ojtivos a qualidad d sus produtos o atndimnto difrnciado a sus clints. Por sta razão a STRATUS, vm invstindo cada vz mais m sua infrastrutura na tcnologia aplicada a produção d prfis rforçados, com fira d vidro, fira d carono aramida, qu possum como principais caractrísticas: Baixo pso; Alta rsistência mcânica; Exclnt rsistência à corrosão. A STRATUS Compostos Estruturais Ltda., é uma Emprsa 100% rasilira, com crtificado da Gstão ISO 1:2008 omologada tcnicamnt pla Ptrorás, com CRCC m atndimnto a Norma, além d possuir crtificado Typ Approval para andjamnto létrico grad d piso plo DNV BV. Possui uma quip spcializada formada por técnicos ngniros das áras d Mcânica, Matriais, Civil Arospacial, mpnada m dsnvolvr novos produtos qu rqurm alta tcnologia lvada ficiência mcânica. A Stratus projta, dsnvolv produz montagns struturais divrsas, smpr asadas no mprgo d produtos d alto dsmpno strutural, m fira d vidro ou carono. São grads d piso, guarda-corpos, scadas divrsos prfis struturais, qu formam o conjunto adquado ao amint d aplicação. Compltando os srviços d projto, disponiilizamos tamém quips d montagm instalação para prfita implantação dos matriais forncidos pla Stratus. GCS02-05 GCS02-06 Índic Pág. 02 Elmntos Estruturais Pág. 03 Grads d Piso Montadas (GPS) Pág. 04 Grads d Piso Montadas - Fnólica Pág. 04 Lista d nsaios Pág. 11 s Espciais Pág. 13 Protção Antidrrapant para Pisos Pág. 13 Procsso d Pultrusão Tipos d Rsina Pág. 14 Prfis Estruturais Consult nossa Engnaria para dtrminar a mlor solução para sua mprsa. Instalação d grad d piso Escada mariniro instalada GCS02-05 GCS02-05 Pág. 05 Grads d Piso Injtadas (GPI) Ára d atuação Pág. 06 Guarda-Corpos Pág. 07 Eltrodutos Conxõs Pág. 08 Escadas Mariniro / Inclinada Pág. 09 Litos para Caos Pág. 11 Eltrocalas Como mprsa faricant d matriais m Fira d Vidro, a Stratus atua m várias áras, tais como: sanamnto, ptrólo gás, alimntícia, química, farmacêutica, tc. Atualmnt fornc m todo trritório rasiliro, com dstaqu nos stados d Baia, Cará, Espírito Santo, Minas Grais, Paraná, Rio d Janiro, Santa Catarina, São Paulo, Srgip, ntr outros. Alguns d nossos Clints Arcllor Mittal, Basf S/A, Construtora Camargo Corra, Firia, Grdau, Odrct, Ptrorás, Prysmian, Sasp, Sma, Ultrafértil, Usiminas, Vólia, ntr outras. Instalação d strutura Alta rsistência a corrosão Matriais lvs ( 1/4 do aço) Fácil instalação Guarda-corpos instalados GCS02-04 GCS02-05 Torr d Escadas Ensaios Ensaio Grad d Piso Ensaio Escada Mariniro Estrutura m fira d vidro Ensaio Guarda-Corpo Ensaio Lito para Caos 02

3 Grads d Piso Montadas (GPS) Grads - Fnólica As grads d piso Stratus (GPS) são projtadas para divrsos nívis d carrgamnto ofrcidas com uma gama d formuaçõs d rsinas qu prmitm sua aplicação m divrsos amints corrosivos. São faricadas so mdida, possum camada spcial antidrrapant protção contra dgradação provocadas plos raios UV. A dtrminação do tipo d formulação da rsina a sr utilizada, stá vinculada à anális das condiçõs opracionais ond srá instalada a grad. Amints altamnt corrosivos /ou com tmpraturas lvadas rqurm projtos spcíficos. As rsinas disponívis são a isoftálica éstr-vínilica. Tamém faricamos m outros sistmas d rsina, tais como acrílicas, fnólicas m atndimnto as normas Ptrorás. Lvza alta rsistência são as principais caractrísticas mprgadas m nossos produtos. Indústrias ptroquímicas, alimntícias, farmacêuticas, d tratamnto d água, tc, ncssitam dsta cominação m sus complxos industriais, afim d garantir a maior durailidad do produto aliada a aixa manutnção. Consult nossa ngnaria para dtrminação da mlor solução a sr aplicada à sua instalação. As grads Fnólicas ofrcm altíssima sgurança para amints ond o fogo é um risco minnt. Sua lvada rsistência mcânica rsistência a altas tmpraturas (até ºC), além d suas caractrísticas anti-corrosivas d lvza, faz com qu sja a única grad omologada pla Ptrorás conform normas, passando por rigorosos tsts, inclusiv no xtrior, aprovada por orgãos rconcidos intrnacionalmnt m tsts químicos, mcânicos d rsistência. Além da oa caractrística d rsistência mcânica, as grads fnólicas tamém tm caractrísticas auto-xtinguívis, aixa missão d gass tóxicos d fumaça, sndo um prfito produto para utilização m amints confinados rotas d fuga. As grads d piso m rsina fnólica da Stratus, é aprovada conform a Norma da Ptroras (CRCC). GPS 25 D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA Grad d Piso Stratus: Modlo GPS25mm 1 1 GPS APLICADA MÁXIMA DEFLEXÕES 0,2 0,3 0,5 0,7 0,8 1,0 1,1 1,3 1,5 1, ,1 0,2 0,3 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 7 0,3 0,7 1,0 1,3 1,6 2,0 2,3 2,6 3, ,2 0,4 0,5 0,7 0,9 1,1 1,3 1,5 1,6 1, ,6 1,2 1,8 2,4 2,9 3,5 4,1 4,7 5,3 5, ,3 0,7 1,0 1,4 1,7 2,0 2,4 2,7 3,1 3, ,0 1,9 2,9 3,9 4,8 5,8 6,8 7,7 8,7 9, ,6 1,2 1,8 2,4 2,9 3,5 4,1 4,7 5,3 5,9 3 1,5 4,5 7,4 8,9 10,4 11,9 13,4-50 1,0 1,9 2,9 3,8 4,8 5,8 6,7 7,7 8,6 9, ,2 4,4 6,5 8,7 10,9 13,1 15,2 17, ,5 4,5 7,5 8,9 10,4 11,9 13,4 14, ,1 6,1 9,2 12,2 15,3 18,3 21, ,2 4,5 6,7 8,9 11,1 13,4 15,6 17,8 20,1 22, ,1 8,3 12,4 16,6 20,7 24, ,2 6,4 9,7 12,9 16,1 1 22,5 25,8 29,0 32, ,5 11,0 16,4 21,9 27,4 32, ,5 9,1 13,9 18,1 22,6 27,2 31,7 36,2 40,7 45,3 7,1 14,1 21,2 28,3 35, ,2 12,4 18,6 24,8 31,0 37,2 43,4 49,7 55, ,6 27,3 40,9 54, ,2 28,4 42,6 56,8 71,1 85, ,4 46,9 70, ,4 56,8 85,2 113, ,1 64,1 96, ,6 85,2 127, Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado Pso aproximado: 10,8kg/m2 - Ára Arta: 52% Grad d Piso Stratus: Modlo GPS32mm APLICADA DEFLEXÕES 0,1 0,2 0,3 0,4 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 0,1 0,1 0,2 0,2 0,3 0,3 0,4 0,4 0,5 0,5 0,2 0,4 0,5 0,7 0,9 1,1 1,2 1,4 1,6 1,8 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 0,3 0,6 0,9 1,2 1,6 1,9 2,2 2,5 2,8 3,1 0,2 0,4 0,6 0,8 1,0 1,2 1,3 1,5 1,7 1,9 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,6 4,1 4,6 5,1 0,3 0,7 1,0 1,3 1,6 2,0 2,3 2,6 2,9 3,3 0,8 1,6 2,3 3,1 3,9 4,7 5,4 6,2 7,0 7,8 0,5 1,1 1,6 2,1 2,6 3,2 3,7 4,2 4,7 5,3 1,1 2,3 3,4 4,5 5,7 6,8 7,9 9,1 10,2 11,3 0,8 1,6 2,4 3,2 4,1 4,9 5,7 6,5 7,3 8,1 1,6 3,2 4,8 6,3 7,9 9,5 11,1 12,7 14,3 15,9 1,2 2,4 3,6 4,8 7,2 8,4 9,6 10,8 12,0 2,2 4,3 6,5 8,6 10,8 12,9 15,1 17,2,4 21,5 1,7 3,5 5,2 6,9 8,6 10,4 12,1 13,8 15,5 17,3 2,8 5,7 8,5 11,3 14,2 17,0,9 22,7 25,5 28,4 2,4 4,8 7,2 9,6 12,1 14,5 16,9 1 21,7 24,1 3,7 7,3 11,0 14,6 18,3 21,9 25,6 2 32,9 36,6 3,3 6,6 9,9 13,2 16,5,7 2 26,3 29,6 32,9 7,0 14,1 21,1 28,2 35,2 42,3 4 56,4 63,4-7,5 14,9 22,4 29,9 37,3 44,8 52,2 59,7 67,2 74,6 12,1 24,2 36,3 60,4 72,5 84, ,8 29,7 44,5 5 74,2 89,0 103,8 118, ,5 33,1 49,6 66,1 82,6 99, ,2 44,4 66,5 88,7 110,9 133, TABELA DE CARREGAMENTO MÁXIMA Pso aproximado: 13,3kg/m2 - Ára Arta: 52% GPS 38 D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA 1 1 Os modlos disponívis stão associados às alturas das vigas "I": Grad d Piso Stratus: Modlo GPS38mm 25mm 18mm Opçõs d Prfis 32mm GPS 25 GPS 32 GPS 38 APLICADA DEFLEXÕES 0,1 0,1 0,2 0,2 0,3 0,3 0,4 0,5 0,5 0,6 0,0 0,1 0,1 0,1 0,2 0,2 0,2 0,3 0,3 0,3 0,1 0,2 0,3 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0 1,2 0,1 0,1 0,2 0,3 0,3 0,4 0,5 0,5 0,6 0,7 0,2 0,4 0,6 0,8 1,0 1,2 1,4 1,6 1,9 2,1 0,1 0,2 0,4 0,5 0,6 0,7 0,9 1,0 1,1 1,2 0,3 0,7 1,0 1,3 1,7 2,0 2,4 2,7 3,4 0,2 0,4 0,6 0,8 1,1 1,3 1,5 1,7 1,9 2,1 0,5 1,0 1,6 2,1 2,6 3,1 3,6 4,1 4,7 5,2 0,3 0,7 1,0 1,4 1,7 2,0 2,4 2,7 3,1 3,4 0,8 1,5 2,3 3,8 4,5 5,3 6,1 6,8 7,6 0,5 1,1 1,6 2,1 2,6 3,2 3,7 4,2 4,8 5,3 1,1 2,1 3,2 4,2 5,3 6,4 7,4 8,5 9,5 10,6 0,8 1,6 2,4 3,1 3,9 4,7 5,5 6,3 7,1 7,9 1,4 2,9 4,3 5,8 7,2 8,6 10,1 11,5 12,9 14,4 1,1 2,3 3,4 4,5 5,7 6,8 7,9 9,1 10,2 11,3 1,9 3,8 5,7 7,6 9,5 11,4 13,3 15,2 17,1,0 1,6 3,2 4,8 6,4 7,9 9,5 11,1 12,7 14,3 15,9 2,4 4,9 7,3 9,8 12,2 14,7 17,1,6 22,0 24,5 2,2 4,3 6,5 8,7 10,9 1 15,2 17,4,6 21,7 4,7 9,5 14,2 18,9 23,6 28,4 33,1 37,8 42,5 47,3 9,9 14,9,8 24,8 29,7 34,7 39,7 44,6 49,6 8,1 16,2 24,3 34,4 40,6 48,7 56,8 64, ,9,8 29,7 39,5 49,4 5 69,2 79,1 89,0-11,1 22,2 33,3 44,4 55,5 66,6 77, ,8 29,6 44,4 59,2 7 88,8 103, Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado 18mm CAR G A NCENT R AD A (kgf / m tr o li n ar) STRIBUIDA (kg f / mtro lin a r ) m m AP O IO 38mm 38mm 2 0 mm 18mm 18mm AP O IO D ( STÂNCI A ENTRE APOIOS) 25,4 / 31,7 / 38,1mm MÁXIMA Pso aproximado: 14,3kg/m2 - Ára Arta: 52% GPS 25 D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA Ensaio Grad Fnólica Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado Ensaio Grad Fnólica Grad d Piso Stratus: Modlo GPS25mm Pso aproximado: 10,8kg/m2 - Ára Arta: 52% Ensaio nívl 2 Carrgamnto TABELA DE CARREGAMENTO - Fnólica APLICADA APLICADA MÁXIMA MÁXIMA DEFLEXÕES GPS 38 DEFLEXÕES 0,1 0,3 0,4 0,6 0,7 0,9 1,0 1,1 1,3 1, ,1 0,1 0,2 0,2 0,3 0,4 0,4 0,5 0,6 0, ,1 0,2 0,3 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0, ,0 0,1 0,1 0,1 0,2 0,2 0,2 0,3 0,3 0, ,3 0,6 0,8 1,1 1,4 1,7 2,0 2,2 2,5 2, ,1 0,3 0,4 0,5 0,6 0,8 0,9 1,0 1,1 1, ,2 0,3 0,5 0,7 0,9 1,0 1,2 1,4 1,6 1, ,1 0,1 0,2 0,3 0,4 0,4 0,5 0,6 0,6 0, ,5 1,0 1,5 2,0 2,5 2,9 3,4 3,9 4,4 4, ,2 0,4 0,7 0,9 1,1 1,3 1,6 1,8 2,0 2, ,3 0,6 0,9 1,3 1,6 1,9 2,2 2,5 2,8 3, ,1 0,3 0,4 0,5 0,7 0,8 0,9 1,0 1,2 1, ,8 1,6 2,4 3,2 4,8 5,6 6, ,4 0,7 1,1 1,5 1,8 2,2 2,6 2,9 3,3 3, ,5 1,1 1,6 2,1 2,7 3,2 3,7 4,3 4,8 5, ,2 0,5 0,7 0,9 1,1 1,4 1,6 1,8 2,0 2, ,2 2,4 3,6 4,9 6,1 7,3 8, ,6 1,1 1,7 2,3 2,8 3,4 4,5 5,1 5, ,9 1,7 2,6 3,4 4,3 5,1 6,8 7,7 8, ,4 0,7 1,1 1,5 1,8 2,2 2,6 2,9 3,3 3, ,8 3,5 5,3 7,1 8,8 10, ,8 1,7 2,5 3,3 4,1 5,8 6,6 7,4 8, ,3 2,6 3,9 5,2 6,5 7,8 9,1 10,4 11, ,6 1,1 1,7 2,3 2,8 3,4 4,6 5,1 5, ,5 4,9 7,4 9,9 12, ,2 2,3 3,5 4,6 5,8 7,0 8,1 10,5 11, ,9 3,8 5,8 7,7 9,6 11,5 13,4 15,3 17,3, ,8 1,7 2,5 3,4 4,2 5,1 5,9 6,8 7,6 8, ,3 6,7 10,0 13,4 16, ,6 3,2 4,7 6,3 7,9 9,5 11,0 12,6 14,2 15, ,7 5,5 8,2 11,0 13,7 16,4,2 21,9 24,7 27, ,2 2,5 3,7 4,9 6,1 7,4 8,6 9,8 11,1 12, ,4 8,8 13,2 17, ,1 4,2 6,2 8,3 10,4 12,5 14,6 16,6 18,7 20, ,8 7,6 11,4 15,3,1 22,9 26,7 30, ,7 3,4 5,2 6,9 8,6 10,3 12,1 13,8 15,5 17, ,7 11,3 17,0 22, ,7 5,4 8,1 10,7 13,4 16,1 18,8 21,5 24,2 26, ,2 10,4 15,6 20,8 2 31,2 36, ,4 4,7 7,1 9,5 11,8 14,2 16,5 18,9 21,3 23, ,9 21,8 32, ,7 23,4 35,1 46, ,2 10,4 15,6 20,7 25,9 31,1 36,3 41,5 46,7-82 5,4 10,8 16,2 21,6 27,0 1 32,4 37,8 43,3 48,7 54, ,7 37, ,2 46,3 69, ,9 17,8 26,7 35,6 44,5 53,4 62,3 71, ,8 21,6 32,4 43,2 5 64,8 75,6 86,4 97, ,6 51, ,2 24,4 36,5 48,7 60,9 73,1 85, ,6 69, ,2 32,4 48,6 64,8 81,0 97,2 113, D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado Algumas aplicaçõs d grads montadas Stratus Pso aproximado: 14,3kg/m2 - Ára Arta: 52% Grads nas scadas inclinadas Grads m tratamnto d águas Grads com travamnto Grads com guarda-corpos TIPO DE ENSAIO Durza Intmprismo Tor d Firas Propagação d cama Intgridad rsistência ao fogo m struturas construçõs Rsistência ao impacto, carrgamnto, auto-xtinguiilidad, missão d fumaça gass tóxicos rsistividad létrica. Fumaça toxicidad Propridads Estruturais Rsistência ao Fogo (nívl 2 3) ENSAIOS E NORMAS NORMA APROVAÇÃO ASTM D2583 Rlatório: 00057/07 Stratus ASTM D2565 (ASTM G155-ciclo1) Rlatório: TES-BR R0 ASTM D5630 Rlatório: /1/2007-CIV ASTM E84 ASTM E1 IACS REC.73 IMO RES. MSC.61(67) USCG PFM 2-98 Grad d Piso Stratus: Modlo GPS38mm Rlatório: SAT-001 Rlatório: Crtificado: E-9639 Rlatório: R a / R Rlatório: Ensaio para todos os matriais Stratus Ensaio para todos os matriais Stratus Ensaio para todos os matriais Stratus Grad d piso montada - Rsina Fnólica Grad d piso montada - Rsina Fnólica Lito para cao: lv psado Ensaio para todos os matriais Stratus Grad d piso montada - Rsina Fnólica 03 04

4 A LT URA S UGERI D A = m m As grads injtadas Stratus (GIS) são lvs, rsistnts d fácil cort. Faricadas através d molds, ond os fios d vidro são trançados manualmnt. São construídas com 60% d rsina 40% d fios d vidro. As grads injtadas Stratus (GIS) são indicadas para utilização m amints químicos com graus d agrssividad lvada locais qu rquiram grand númro d rcorts para montagm. As grads podm sr faricadas nas rsinas isoftálica éstr-vinílica. A Stratus utiliza um avançado sistma d rsina qu proporciona xclnt rsistência a amints corrosivos, além d um alto grau d rsistência a solvnts. Tipicamnt as grads são disponívis nas cors cinza amarla. Outras cors podm sr consultadas com nosso comrcial. Aplicaçõs - Estaçõs d Tratamnto; - Estacionamnto (passagm d mpiladiras, carros d passio, caminõs tc...); - Cozinas industriais (passagm d quipamntos com rodízios); - Suprmrcados; - Passarlas; - Aplicaçõs Industriais divrsas. Grads d Piso Injtadas (GIS) Vantagns - Pod-s fazr corts para adquar ao projto do clint sm qu prca as propridads mcânicas; - São faricadas com quadro fcado facilitando o acaamnto; - Por possuir mala quadrada tm maior stailidad ao pisar; - Suportam cargas lvadas. Rsistência Sgurança Elvada rsistência mcânica dvido a distriuição dos Rovings. As grads Injtadas são faricadas m molds os Rovings, são trançados nas duas dirçõs proporcionando uma distriuição mlor das cargas atuants. As grads Stratus não são condutoras d ltricidad. Disponívis nas alturas d 25mm 38mm (Cód: Grad Injtada Stratus - GIS25 ou GIS38) GIS: Grad d Piso Injtada Stratus 25x38x38mm D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA GIS 25 APLICADA 100 DEFLEXÕES 1,02 7 5,12 7,17 9,21 0,26 0,77 1,28 1,79 2,31 1,99 5,98 9,97 13,96 17,95 0,62 1,87 3,12 4,36 5,61 3,46 10,37 17,28 24, - 1,31 3,89 6,48 9,07 11,66 5,47 16, ,39 7,18 11,97 16,76 21,55 8, 24, ,29 20, , ,54, , , Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado TABELA DE CARREGAMENTO MÁXIMA GIS: Grad d Piso Injtada Stratus 38x38x38mm D: STÂNCIA ENTRE APOIOS NFORME FIGURA Tst da grad com mpiladira GIS 38 APLICADA 100 DEFLEXÕES 0,31 0,91 1,52 2,12 2,73 0,08 0,23 0,38 0,53 0,68 0,59 1,77 2,96 4,14 5,35 0,18 0,55 0,92 1,29 1,66 1,02 7 5,12 7,17 9,22 0,38 1,15 1,92 2,69 3,46 1,62 4,87 8,11 11,35 14,59 0,71 2,13 3,55 4,97 6,38 2,43 7,28 12,14 16,99 21,84 1,21 3,64 7 8,49 10,92 3,45 10,34 17, ,94 5,82 9,69 13,57 17,45 4,74 14, ,96 8,89 14,81 20,74 - Carga Concntrada: kgf/ mtro linar Carga Distriuída: kgf/ mtro quadrado Grad injtada (GIS) MÁXIMA Escada inclinada com guarda-corpo Tratamnto d sgoto (ETE) Tratamnto d flunts Guarda-corpo Aplicação m rota d fuga Guarda-corpo com scada inclinada Modlos: GCS01, GCS02, GCS03, GCS04, Ptrorás Sasp. Consult nossa ngnaria para l aprsntar todos os modlos d guarda-corpos Stratus. Guarda-Corpos Os Guarda-corpos Stratus m fira d vidro, podm sr faricados d acordo com o projto rquisitos d montagm do clint, facilitando o traalo m campo. Sgurança, rsistência, lvza, durailidad aixíssima manutnção são agrgados à lza qu o produto final proporciona ao amint. O guarda-corpo é utilizado para várias áras industriais como plataformas d ptrólo, papl clulos, tratamnto d água sgoto, indústrias químicas m gral para todos amints corrosivos. Guarda-Corpo modlo: GCS02 TUBO ESTRUT. QUADRADO 50.8mm, ESP. 4mm (TQS 50) BARRA DE PROTEÇÃO OMEGA (BOS 58) BARRA DE PROTEÇÃO W (BWS 102) VIGA ESTRUT. U 58,9 mm X 25 mm, ESP. 4 mm (PUS 58) PERFIL L 50 mm X 6 mm (PLS 50) POSSIBILIDADES DE F I N A L I Z A Ç Õ E S B ARR A D E P RO T. O MEG A B ARR A D E P RO T. W PERFIS UTILIZADOS PARA MONTAGEM DE GUARDA-RPOS VIGA U VÃO SUGERIDO = mm TUBO ESTRUT. QUADRADO FIXAÇÃO FEITA M PERFIL ESPECIAL EM EM FIBRA DE VIDRO, OU RETA M PARAFUSOS. ½ Vão C a rga C o ncnt ra da Carga distriuída mm V ão (distância ntr os apoios) mm Vão (distância ntr os apoios) 05 06

5 340mm Eltrodutos Conxõs Escadas Mariniro EDS-A-XX EDS-B-XX EDS-LB-XX EDS-T-XX Os ltrodutos conxõs Stratus faricados m fira d vidro, aprsntam as sguints caractrísticas: aixo pso, rsistência à corrosão, auto-xtinguívl possum lvadas caractrísticas dilétricas mcânicas. As caixas d ligação drivação, sm rosca (Polgada) DN tampa d ncaix so mdida, proporciona conomia agilidad na ora da instalação FICAÇÃO: NDULETES Di 26, E A B TAMANHO DAS BITOLAS C Altura livr Final livr Aro d Protção Barra cata para protção Tuo strutural quadrado Dgrau m fira com camada antidrrapant Ora Conaut Ora Ptrorás As Escadas Mariniro Stratus podm sr produzidas d acordo com a ncssidad do clint, adquando-s a su projto. Suportam lvadas cargas nos dgraus dispnsam manutnção. Têm as tradicionais caractrísticas dos produtos m fira d vidro: lvza, isolação létrica rsistência à corrosão. Sus dgraus são antidrrapants sua strutura faricada com matriais spcialmnt formulados para rsistir à dgradação provocada plos raios UV. As scadas mariniro são ncontradas m divrsas instalaçõs industriais como tratamnto d água sgoto, papl clulos, plataforma d ptrólo m outros amints corrosivos. Ora Sasp Ora Ptrorás Dtals Escada EDS-C-XX EDS-E-XX EDS-LR-XX EDS-X-XX EDS-TB-XX EDS-LL-XX (Polgada) ELETRODUTO STRATUS DESCRIÇÃO DO NDULETE (LL) ELETRODUTOS ELETRODUTOS Diâmntro Intrno 20,27 27,0 41,86 53,93 Diâmtro Extrno EDS-E- EDS-E- EDS-E- EDS-E- As arras são disponívis m 0 0 mm. Comprimntos spciais so consulta. Disponívis nas cors: cinza, amarlo, vrmlo, azul, vrd prto. o m m x 350mm 450mm 640mm Vão Dgrau Carga Máxima Até mm mm a mm Acima d mm ACESSÓRIO ESCADA Escada Inclinada - Dgraus As scadas inclinadas Stratus podm sr faricadas m divrsas cors. Sus dgraus possum suprfíci antidrrapant, proporcionando maior sgurança. Opcionalmnt os dgraus podm sr forncidos sparados para montagm m struturas já xistnts. DGS 25 (Alt. 1, Mala 6 x1.1/2 ) DGS 38 (Alt. 1.1/2, Mala 6 x1.1/2 ) Consultar Kgf Kgf (Polgada) CURVAS 45º Cota B ACESSÓRIOS ELETRODUTOS EDS-C45- EDS-C45- EDS-C45- EDS-C45- (Polgada) BUCHA DE ACABAMENTO Cota B EDS-BAC- EDS-BAC- EDS-BAC- EDS-BAC- (Polgada) LUVAS Cota B 26, ACESSÓRIOS ELETRODUTOS EDS-LUV- EDS-LUV- EDS-LUV- EDS-LUV- (Polgada) x x x x x x LUVAS M REDUÇÃO Cota B Cota C (G) 26,7 26,7 26, ,5 5 26,7 210 EDS-RED - x EDS-RED- x EDS-RED - x EDS-RED - x EDS-RED - x EDS-RED - x (Polgada) Cota B 160 CURVAS 90º Cota C 70 Cota D 52 (G) 5 EDS-C90- (Polgada) TAMPÃO 27 EDS-TAP- (Polgada) ADAPTADOR LA-ROSCA 31 Rosca B (NPT) EDS-ACR- (Polgada) LUVA DE EXPANSÃO 140 EDS-LEC EDS-C90-35 EDS-TAP- 35 EDS-ACR- 176 EDS-LEC EDS-C90- EDS-C EDS-TAP- EDS-TAP EDS-ACR- EDS-ACR EDS-LEC- EDS-LEC- 08

6 Litos para Caos ACESSÓRIOS Disponívis nos modlos lv psado, os litos para caos Stratus aprsntam caractrísticas próprias dos matriais compostos como: aixo pso, rsistência à corrosão, auto-xtinguívl não rqurm manutnção além d qu são rcomndados para sustntar distriuir caos com caractrísticas dimnsionais projtadas para divrsas cargas vãos. Disponívis m rsinas isoftálica éstr-vínilica. Faricados tamém m outros rsinas, tais como, acrílicas, fnólicas qu atnd as normas Ptrorás. D fácil instalação, prmitm corts furaçõs durant a instalação, dmandando para isto, discos, srras d cort arasivos furadiras convncionais. Tala d Junção Articulávl Vrtical TJAV União d trcos Rtos d Litos com angulação, com furos, complta. Grapa para Litos GRAPA Fixação d litos lvs psados, numa só pça, com furos Tala d Junção Rta com Aa TJRL União com Aa d trcos Rtos d Litos, com furos, idal para fixar m vigas Tala d Junção Horizontal 45º TJH45 União d trcos Rtos d Litos com angulação, com furos TRECHOS RETOS Com 3m PESADO 152 mm (6 ) 102 mm (4 ) LEVE Dscrição m mm LCL-3M 100 a LCP-3M Com 6m Dscrição m mm LCL-6M 100 a LCP-6M Tampas para Litos 3M 100 a M Tala d Junção Horizontal 90º TJH90 União d trcos Rtos d Litos com angulação rta, com furos Tala d Junção Rta TJR União d trcos Rtos d lito d cao, com 8 furos SUPORTES Tala d Junção Vrtical 45º TJV45 União d trcos rtos d litos com angulação, com furos Tala d Junção Vrtical 90º LCL-TJV90 União d trcos Rtos d Litos com angulação rta, com furos CURVAS HORIZONTAIS Curva Horizontal 90º Dscrição m mm CH a Curva Horizontal 45º Dscrição m mm CH a Cotovlo Rto Dscrição m mm CTO a CURVAS VERTICAIS Tê orizontal Dscrição m mm TH a Cruzta Dscrição m mm CZT 100 a Pndural LC-SP Para fixação no tto FICAÇÃO: Mão francsa LC-SMF Para fixação na pard ou vigas RAIO ( mm) ESPECIFICAÇÃO CURVA VERTICAL EXTERNA 90º (LCX-CVE90-XXX) Engastado LC-SE Para fixação na pard ou vigas, para litos até mm d largura GRAPA p/ Lvs Psados 74 mm Pdstal LC-PDT Para fixação no cão, livr d pard / vigas TAMPA RETA (TMPR) LARGURA (XXX) Curva Vrtical Extrna 45º Dscrição m mm CVE a Curva Vrtical Extrna 90º Curva Vrtical Intrna 45º Curva Vrtical Intrna 90º Tê Suida Dscida Dscrição m mm CVE a Dscrição m mm CVI a Dscrição m mm CVI a Dscrição m mm TVD/S a TIPO DO LEITO (LEVE OU PESADO) LARGURA ( mm) DESCRIÇÃO (CURVA HORIZONTAL. 90º) CURVA VERTICAL INTERNA 90º (LCX-CVI90-XXX) TOVELO RETO (LCX-CTO90-XXX) CRUZETA (LCX-CZT-XXX) CURVA DE INVERSÃO 90º (LCX-CI90-XXX) 65 mm SEPTO 30 mm 30 mm TÊ VERTICAL SUBIDA ou DESCIDA (LCX-TV_-XXX) 95 mm TAMPA ANGULAR (TMP150) 150º LARGURA (XXX) REDUÇÕES CURVA HORIZONTAL 45º (LCX-CH45-XXX) CURVA HORIZONTAL 90º (LCX-CH90-XXX) Litos para Caos Rdução Cntral Rdução Dirita / Esqurda REDUÇÃO CENTRAL (LCX-RC-EXXXSXXX) TALA DE JUNÇÃO RETA (LCX-TJR) CURVA VERTICAL EXTERNA 45º (LCX-CVE45-XXX) Dscrição Entrada m mm RC-EXSX 100 a Saída m mm 100 a Dscrição Entrada m mm RD/RE 100 a Saída m mm 100 a GOTEJADOR TRECHO RETO 3m E 6m (GT-XXX) TALA ARTICULÁVEL VERTICAL Aplicação do Lito (LCX-3-XXX ou LCX-6-XXX) (LCX-TAH) TÊ HORIZONTAL (LCX-TH90-XXX)

7 Eltrocalas As Eltrocalas Stratus são projtadas faricadas com matriais plásticos rforçados com fira d vidro. Possum caractrísticas próprias dos matriais compostos como: aixo pso, rsistência à corrosão, autoxtinguívl, não conduz ltricidad não rqurm manutnção. Disponívis m rsinas isoftálica éstr-vínilica. Faricados tamém m outros rsinas, tais como, acrílicas, fnólicas qu atnd as normas Ptrorás. São d fácil instalação, prmitindo corts furaçõs durant a instalação. Trcos rtos d a 6.000mm divrsos tipos d curvas conxõs stão disponívis para os mais divrsos projtos d caamnto létrico ltro-ltrônico. REDUÇÃO ESQUERDA Entrada (L1 x ) Saída (L2 x ) ECS-RE-E100X50-S50X50 ECS-RE-E200X50-S50X50 ECS-RE-E200X50-S100X50 REDUÇÃO REITA Entrada (L1 x ) Saída (L2 x ) ECS-RD-E100X50-S50X50 ECS-RD-E200X50-S50X50 ECS-RD-E200X50-S100X50 Comprimnto d ou 6.000mm (L x ) TRECHO RETO Trcos d 3.000mm Trcos d 6.000mm ECS-RE-E200X100-S100X100 ECS-RE-EX100-S200X100 ECS-RD-E200X100-S100X100 ECS-RD-EX100-S200X100 ECS-3M-50X50 ECS-6M-50X50 Trco rto liso com ou sm tampa Trco rto prfurado com ou sm tampa ECS-3M-100X50 ECS-3M-100X100 ECS-3M-200X50 ECS-3M-200X100 ECS-3M-X100 ECS-6M-100X50 ECS-6M-100X100 ECS-6M-200X50 ECS-6M-200X100 ECS-6M-X100 Opçõs com ou sm tampa REDUÇÃO CENTRAL Entrada (L1 x ) Saída (L2 x ) ECS-RC-E100X50-S50X50 TÊ HORIZONTAL (L x ) ECS-TH90-50X50-R50 ECS-TH90-100X50-R100 ECS-RC-E200X50-S50X50 ECS-TH90-100X100-R100 TOVELO RETO 90º (L x ) ECS-CT90-50X50-R50 CURVAS DE INVERSÃO 90º (L x ) ECS-CI90-50X50-R50 ECS-RC-E200X50-S100X50 ECS-RC-E200X100-S100X100 ECS-RC-EX100-S200X100 ECS-TH90-200X50-R200 ECS-TH90-200X100-R200 ECS-TH90-X100-R ECS-CT90-100X50-R100 ECS-CI90-100X50-R100 ECS-CT90-100X100-R100 ECS-CI90-100X100-R100 ECS-CT90-200X50-R200 ECS-CT90-200X100-R200 ECS-CT90-X100-R ECS-CI90-200X50-R200 ECS-CI90-200X100-R200 ECS-CI90-X100-R TÊ VERTICAL (com ou sm drivação latral) (L x ) Dscida ECS-TVD90-50X50-R50 Suida ECS-TVS90-50X50-R50 Nota: Dsno com drivação latral. CURVAS HORIZONTAIS 45º (L x ) ECS-CH45-50X50-R50 ECS-CH45-100X50-R100 ECS-CH45-100X100-R100 CURVAS HORIZONTAIS 90º (L x ) ECS-CH90-50X50-R50 ECS-CH90-100X50-R100 ECS-CH90-100X100-R100 ECS-TVD90-100X50-R100 ECS-TVD90-100X100-R100 ECS-TVD90-200X50-R200 ECS-TVD90-200X100-R200 ECS-TVD90-X100-R ECS-TVS90-100X50-R100 ECS-TVS90-100X100-R100 ECS-TVS90-200X50-R200 ECS-TVS90-200X100-R200 ECS-TVS90-X100-R As ltrocalas Stratus não asorvm calor, não conduzm ltricidad não sofrm corrosão m amints agrssivos. ECS-CH45-200X50-R200 ECS-CH45-200X100-R200 ECS-CH45-X100-R CURVAS VERTICAIS EXTERNAS 45º (L x ) ECS-CVE45-50X50-R50 ECS-CVE45-100X50-R100 ECS-CVE45-100X100-R100 ECS-CVE45-200X50-R200 ECS-CVE45-200X100-R200 ECS-CVE45-X100-R CURVAS VERTICAIS INTERNAS 45º (L x ) ECS-CVI45-50X50-R50 ECS-CVI45-100X50-R100 ECS-CVI45-100X100-R100 ECS-CVI45-200X50-R200 ECS-CVI45-200X100-R200 ECS-CVI45-X100-R CURVAS VERTICAIS INTERNAS 90º (L x ) ECS-CH90-200X50-R200 ECS-CH90-200X100-R200 ECS-CH90-X100-R CURVAS VERTICAIS EXTERNAS 90º (L x ) ECS-CVE90-50X50-R50 ECS-CVE90-100X50-R100 ECS-CVE90-100X100-R100 ECS-CVE90-200X50-R200 ECS-CVE90-200X100-R200 ECS-CVE90-X100-R ECS-CVI90-50X50-R50 ECS-CVI90-100X50-R100 ECS-CVI90-100X100-R100 ECS-CVI90-200X50-R200 ECS-CVI90-200X100-R200 ECS-CVI90-X100-R s Espciais Stop Log Comporta m fira d vidro, muito utilizada m canais artos, tamém utilizado para dcantadors, acsso para câmaras d flotadors. Estaçõs d Tratamntos d sgoto, água flunts tm grand ncssidad m suas instalaçõs, dvido a alta durailidad dos produtos m fira d vidro, lvza aixa manutnção. Vrgalão m Fira (Rar) A Stratus, mprsa 100% rasilira, vm rvolucionar su mprndimnto com os vrgalõs fito m fira d vidro. Um produto qu não corrói garant longvidad m suas oras. Além disso, os vrgalõs são lvs possum uma varidad d tamano, garantindo conomia, modrnidad durailidad. Caixa d Luz Caixa para instalação d painéis létricos, disjuntors, circuitos létricos, tc. Além da durailidad rsistência dos matriais m fira d vidro, os produtos Stratus contém aditivos anticamas auto-xtinguívis, portanto não propagam cama numa situação d incêndio. Anti-Vortx Dispositivo m fira d vidro, utilizado para liminar o fito dinâmico do Vortx, criado na saída d rsrvatórios d líquidos, com alta vlocidad d vazão. O Anti-Vortx Stratus torna-s uma xclnt solução, já qu não sofr com prolmas d corrosão, típicos dos produtos m aço, msmo imrso m mio aquoso quimicamnt agrssivo

8 Protção Antidrrapant para Pisos Prfis Estruturais A protção antidrrapant são faricadas plo procsso d pultrusão, rforçada com fira d vidro. Essa protção é utilizada para mlorar a sgurança do local a sr instalado, pois ssa capa rsist a fogo altas tmpraturas. As propridads são: sm corrosão, aixa missão d fumaça d gass tóxicos, xclnt rsistências mcânica química. A protção antidrrapant stá disponívl m divrsos tamanos, cors, tc, qu dv sr dfinida ond o matrial srá utilizado. Aplicação Pod sr fita sor qualqur tipo d piso xistnt, sja m fira d vidro, azuljo, aço, alumínio, concrto. A aplicação é rápida fácil. A instalação é fita através d grampos, cola parafusos. Protção para plataformas, passarlas rampas Dvrá sr informado as dimnsõs (largura x comprimnto). Para fixar as placas, pod sr usado um conjunto d lmntos (parafusos ou grampos) ou somnt o adsivo. Protção para Dgrau - Escada Inclinada Dvrá sr informado a altura da grad do dgrau suas dimnsõs: A B A B Grampos Parafusos Para instalaçõs industriais, a Stratus tm prfis spcialmnt projtados tamém so ncomnda. São mprgados m corrimãos, scadas, guarda-corpos, pisos, grads, litos d caos, ltrocalas, ntr outros. 41,0 PERFIL E - PES a a 41,0 131,5 PERFIL F - PFS a a 6,2 Faricados m divrsas mdidas cors, são otidos plo procsso d pultrusão, através do composto rsina firas d vidro ou carono. Isto gra alto dsmpno strutural mcânico, aixo pso, xclnt rsistência létrica à corrosão ,3 1 VIGA H - VHS 2 6,3 PLACA PLANA 200,0 até,0 2,5 até Outras so consulta Procsso d Pultrusão 1 A Pultrusão é um procsso utilizado para faricação d prfis d gomtria contínua, no qual fios d fira d vidro, aramida ou carono são imprgnados m um rsrvatório com rsina aditivada (spcialmnt prparada para cada aplicação), sndo tracionados por um puxador, fazndo com qu sss fios imprgnados passm por um mold aqucido; tal tmpratura rag com a rsina sus aditivos, ocasionando o "ndurcimnto" (polimrização, cura) do prfil na gomtria dfinida plo mold, rsultando num produto contínuo com xclnt acaamnto suprficial. Fira Banira Mold Puxador Cort CANTONEIRA Y - PYS 2 2 BARRA W - BWS BARRA OMEGA - BOS 58,0 150,0 SAPATA - SFS 6 10,0 1 Firas Banira - Rsina Fnólica Pré- mold Puxador TIPOS DE RESINA 50,3 82, ,0 PERFIL I - VIS 1 2 8,3 58,0 20 9,5 8,5 12,4,0 37,5 38,1 9 PERFIL L - PLS 37,5 38,1 4,5 8,0 BARRA CHATA - BCS 4,2 32,0 32,0 1,2 100,0 100,0 58,9 203,2 PERFIL U - PUS 3 41,0 50,0 5 6,2 6,2 Rsina Isoftálica Indicada para amints mnos agrssivos; aditivada com componnts para protção a raios UV, tm xclnts propridads d isolamnto térmico létrico, anti-cama (auto-xtinguívl), aixo pso, pigmntada na cor dsjada, xclnt rsistência ao intmprismo. Rsina Éstr-Vinílica Alta rsistência a corrosão, principalmnt m amints mais agrssivos; aditivada com componnts para protção aos raios UV, xclnts propridads d isolamnto térmico létrico, anti-cama (autoxtinguívl), aixo pso, pigmntada na cor dsjada, xclnt rsistência a produtos químicos m gral. 13 Rsina Offsor Indicada para aplicaçõs m plataforma marítimas flutuants, ond sua alta rsistência a corrosão lvada rsistência mcânica a raios UV, são fundamntais para utilização nst tipo d aplicação. Rsina Fnólica Indicada para rotas d fuga, amints confinados situaçõs d lvada tmpratura. Possui aixa missão d fumaça d gass tóxicos, além das caractrísticas d aixo pso, isolamnto térmico létrico, sndo omologada pla Norma Ptrorás (CRCC). Rsina Acrílica Indicada para amints agrssivos confinados, dvido a sua aixa missão d gass tóxicos fumaça. Homologada pla Norma Ptrorás, sta rsina tm a vantagm d sr pigmntada durant o procsso d faricação, sm a ncssidad d pintura. TUBO QUADRADO - TQS 6 76,2 6 76,2 5,5 6,2 D d TUBO CILÍNDRI - TCS D 9,5 12,7 1,0 26,7 88,9 114,3 d 8,5 10,0 12,7 20,3 27,8 41,8 53,9 82,9 108,1 D BARRA CILÍNDRICA - BCS Prfis com alto dsmpno strutural, capazs d suportar as mais divrsas cargas, m amints altamnt corrosivos, unindo a lvza rsistência do produto. 2,0 5,5 10,0 D 12,7 1,0 26,7 14

CATÁLOGO DE PRODUTOS STRATUS SOLUÇÕES EM FIBRA DE VIDRO ISO9001:2008 ISO. CRCC Petrobrás

CATÁLOGO DE PRODUTOS STRATUS SOLUÇÕES EM FIBRA DE VIDRO ISO9001:2008 ISO. CRCC Petrobrás STRTUS UM MR DE FIR UM MR DE FIR STRTUS ompostos Estruturais tda Matriz: Rua Januária, 581 ácaras Runidas EP: 12238-0 / São José dos ampos SP Filial: Rua storga, 70 ácaras Runidas EP: 12238-400 / São José

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

F o l e s S a n f o n a d o s

F o l e s S a n f o n a d o s Fols Sanfonados Protção individualmnt sob mdida sanfonada por sanfonada A protção prfita para o homm para a máquina. A Hnnig projta produz fols sanfonados para máquinasfrramnta há mais d 50 anos. Hoj a

Leia mais

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO SISTEMA CONSTRUTIVO PAREDES DE CONCRETO NBR60 PAREDES DE CONCRETO Sistma construtivo m qu as lajs as pards são moldadas m conjunto, formando um lmnto monolítico.

Leia mais

Catálogo de Perfis Padronizados

Catálogo de Perfis Padronizados Extrusão Gral Catálogo d Prfis P Shaping a lightr futur Frramntaria Estoqu d tarugos rfis Introdução SP no Mundo Fundada m 1963 na Suécia, a Sapa iniciou suas atividads a partir do zro s transformou, m

Leia mais

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento Válvula Condicionadora d Vapor Tipo DUP válvula d control d água d rsfriamnto Aplicação: Válvula Condicionadora d Vapor para Cntrais Elétricas Procssos Industriais combinada numa unidad com válvula d control

Leia mais

EMPRESA ESTRUTURA. Com diversificado, a Tubonasa possui uma sólida infraestrutura seguindo padrões internacionais de armazenagem e manuseio.

EMPRESA ESTRUTURA. Com diversificado, a Tubonasa possui uma sólida infraestrutura seguindo padrões internacionais de armazenagem e manuseio. EMPRES Tubonasa ços é uma organização prsnt há mais d anos no mrcado, é pionira m su sgmnto d distribuição d tubos m aço carbono, quadrados, rtangulars rdondos; m suas mais divrsas normas, para as mais

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

POLÍTICA DA QUALIDADE

POLÍTICA DA QUALIDADE TUBOS E CONEXÕES PD N BR 1 5561 POLI ERG POL GP10 0BK PEA IERG D NB PE 1 00 D R 15 PEA 561 D NB R 15 E 45 0 PN GP10 561 0BK GP1 10 Á GUA PE 1 00B 00 D K PE E 45 100 0 PN DE 4 10 E 50 P SGOT O N 10 ÁGU

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais

érea a A h Lin Linha Aérea

érea a A h Lin Linha Aérea Linha érea Linha érea Linha érea Eletrocalha aramada... 61 Eletrocalhas... 74 Perfilados... 80 Leito para cabos... 85 Eletrocalha ramada Eletrocalha ramada Valemam, também conhecida como leito sanitário,

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

Introdução. uniformização de cargas. uniformização de cargas. uniformização de cargas ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO.

Introdução. uniformização de cargas. uniformização de cargas. uniformização de cargas ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO. ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO - Estrutura - Engnhiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalbrto1@trra.com.br Introdução projto xcução basados m normas técnicas, psquisa prática

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

Vedação. Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO. em poliuretano

Vedação. Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO. em poliuretano Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO INSTALAÇÃO RÁPIDA INSTALAÇÃO SEM USAR FERRAMENTA Corpo injtado m trmoplástico auto-xtinguívl (UL94V0). progrssivo

Leia mais

No N r o m r a m s a?

No N r o m r a m s a? Normas? EM ALGUMA CERÂMICA... NORMAS? O qu tnho a vr com isso? VENDAS NORMAS??? O qu é isso?...um clint dixou d fchar o pdido porqu o bloco não stava dntro das NORMAS... Grnt Produção...Uma carga d Blocos

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO E DE PRODUTOS INFRAESTRUTURA SANEAMENTO ÁGUA E ESGOTO TELEFONIA GÁS

CATÁLOGO TÉCNICO E DE PRODUTOS INFRAESTRUTURA SANEAMENTO ÁGUA E ESGOTO TELEFONIA GÁS TÁLOGO TÉNIO E PROUTOS INFRESTRUTUR SNEMENTO ÁGU E ESGOTO TELEFONI GÁS 1 mprsa qu mais crscu nos últimos 22 anos no stor. Um dos lídrs na fabricação d tubos conxõs do país. 2 Qum somos 3 Produtos Qualificados

Leia mais

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba Catálogo M404 PowrTrap Mcânica Séri GP Séri GT Rcupração ficaz do Mlhora a ficiência da planta Aumnto da produtividad qualidad dos produtos são, alguns dos bnfícios da drnagm rcupração do, além d rduzir

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

Perfil pultrudado. O avanço do compósito na construção civil. Antônio Euzébio Diretor de Engenharia antonioeuzebio@pultrusao.com.

Perfil pultrudado. O avanço do compósito na construção civil. Antônio Euzébio Diretor de Engenharia antonioeuzebio@pultrusao.com. Perfil pultrudado O avanço do compósito na construção civil Antônio Euzébio Diretor de Engenharia antonioeuzebio@pultrusao.com.br Empresa brasileira instalada no Sul de Santa Catarina; Atua no mercado

Leia mais

Projetos de um forno elétrico de resistência

Projetos de um forno elétrico de resistência Projtos d um forno létrico d rsistência A potência para um dtrminado forno dpnd do volum da câmara sua tmpratura, spssura condutividad térmica do isolamnto do tmpo para alcançar ssa tmpratura. Um método

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS STRATUS SOLUÇÕES EM FIBRA DE VIDRO ISO9001:2008 ISO. CRCC Petrobrás

CATÁLOGO DE PRODUTOS STRATUS SOLUÇÕES EM FIBRA DE VIDRO ISO9001:2008 ISO. CRCC Petrobrás STRTUS UM MR DE FIR UM MR DE FIR STRTUS ompostos Estruturais tda Matriz: Rua Januária, 581 ácaras Runidas EP: 12238-0 / São José dos ampos SP Filial: Rua storga, 70 ácaras Runidas EP: 12238-400 / São José

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

Senado Federal maio/2008

Senado Federal maio/2008 Audiência Pública PL 213/2007 Difrnciação d Prços nas Vndas com Cartõs d Crédito José Antonio Marciano Brasília Snado Fdral maio/2008 1 Rgra d Não Sobr-pr prço - Dfinição Rgra contratual imposta plas socidads

Leia mais

PROJETO DE PILARES DE CONCRETO ARMADO

PROJETO DE PILARES DE CONCRETO ARMADO UNIVERSIDDE FEDERL DO RIO GRNDE DO SUL ESCOL DE ENGENHRI DEPRTMENTO DE ENGENHRI CIVIL PROJETO DE PILRES DE CONCRETO RMDO MÉRICO CMPOS FILHO 014 SUMÁRIO 1 Dimnsõs... 1 1.1 Dimnsõs mínimas das sçõs transvrsais

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

ELETROCALHAS, LEITOS E PERFILADOS

ELETROCALHAS, LEITOS E PERFILADOS ELETROCALHAS, LEITOS E PERFILADOS 1 Perfilados Lisos, Vincados e Perfurados Gama Perfurado liso 38 x 38 mm Perfurado liso 19 x 38 mm Perfurado Vincado 38 x 38 mm 2 Perfilados Acessórios Tampa de pressão

Leia mais

Ofertas para dias Especiais

Ofertas para dias Especiais Dsignação P. Unitário Imagm mlhor brilhants nnt. cors tcidos Papl gns Transparnt, Laranja, (Rolo até d Rsistnts com Clofan 60º. - 50x65cm) Amarlo, Vrmlho, tinta Para Vrd prma- têxtil a cors fixar para

Leia mais

Curso de Engenharia Mecânica Disciplina: Física 2 Nota: Rubrica. Coordenador Professor: Rudson R Alves Aluno:

Curso de Engenharia Mecânica Disciplina: Física 2 Nota: Rubrica. Coordenador Professor: Rudson R Alves Aluno: Curso d Engnharia Mcânica Disciplina: Física 2 Nota: Rubrica Coordnador Profssor: Rudson R Alvs Aluno: Turma: EA3N Smstr: 1 sm/2017 Data: 20/04/2017 Avaliação: 1 a Prova Valor: 10,0 p tos INSTRUÇÕES DA

Leia mais

PRODUTOS E SISTEMAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE COMUNICAÇÃO

PRODUTOS E SISTEMAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE COMUNICAÇÃO PRODUTOS E SISTEMS PR INSTÇÕES EÉTRICS E DE COMUNICÇÃO Perfilados, Eletrocalhas e eitos pág. 310 Perfilados e acessórios Perfilados, Eletrocalhas e eitos Perfilados e acessórios (pág. 310) 306 pág. 316

Leia mais

Barras. Cantoneiras. Perfis U, T e Z. Tubos. Catálogo de Perfis Industriais

Barras. Cantoneiras. Perfis U, T e Z. Tubos. Catálogo de Perfis Industriais arras Cantoniras Prfis U, T Z Catálogo d Prfis Industriais tualizado m 09/11/2011 20/03/2012 Votorantim Mtais C idrança na produção d alumínio no rasil Fundada m 1955, a Votorantim Mtais C possui a maior

Leia mais

Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-I 20 0 M². Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-G 20 0 M²

Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-I 20 0 M². Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-G 20 0 M² t SISTEMA DE EXAUSTÃO Equipamntos Profissionais létricos Séris: Caixa/Água/MDlta/Dlta/Clan-air 1 COIFA MODELO CAIXA Construção m aço inoxidávl AISI Austnítico; Calha coltora com drno para scoamnto da gordura;

Leia mais

escoramento Sistema de Escoramento Metálico

escoramento Sistema de Escoramento Metálico escoramento Sistema de Escoramento Metálico para Lajes e Vigas. ESCORAMENTO MECAN Pela facilidade de montagem e versatilidade, o escoramento metálico Mecan permite montagens rápidas e seguras, proporcionando

Leia mais

LIMPEZA DE VESTIÁRIOS E SANITÁRIOS

LIMPEZA DE VESTIÁRIOS E SANITÁRIOS IT 002/01 SUMÁRIO 1. Objtivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documntos Complmntars... 2 4. Dfiniçõs/Siglas... 2 5. Dscrição dos Procdimntos... 2 6. Rgistros... 6 7. Histórico d Rvisõs... 7 8. Fluxograma...

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO E DE PRODUTOS IRRIGAÇÃO IRRIGAÇÃO GEOTÉCNICO

CATÁLOGO TÉCNICO E DE PRODUTOS IRRIGAÇÃO IRRIGAÇÃO GEOTÉCNICO CTÁLOGO TÉCNICO E E PROUTOS IRRIGÇÃO IRRIGÇÃO GEOTÉCNICO 1 mprsa qu mais crscu nos últimos 22 anos no stor. Um dos lídrs na fabricação d tubos conxõs do país. 2 3 Produtos Qualificados Linhas: sanamnto,

Leia mais

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO)

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO) ABR 98 Tubos d politilno PE abp/e001 Espcificação Origm: ISO 4427/96 abp - associação brasilira d tubos poliolfínicos sistmas CTPE - Comissão Técnica d Politilno abp/e001 - Polythyln (PE) pips - Spcification

Leia mais

ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES

ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES 17 As associaçõs d pilhas ou batrias m séri ou parallo xigm o domínio d suas rspctivas polaridads, tnsõs corrnts. ALGUMAS SITUAÇÕES CLÁSSICAS (pilhas

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

A ferramenta de planeamento multi

A ferramenta de planeamento multi A frramnta d planamnto multi mdia PLANVIEW TELEVISÃO Brv Aprsntação Softwar d planamnto qu s basia nas audiências d um príodo passado para prvr asaudiências d um príodo futuro Avrsatilidad afacilidad d

Leia mais

e do operador na instalação e na manutenção. Nesse tipo de montagem, o cabo de alimentação não sofre torções nem é tracionado.

e do operador na instalação e na manutenção. Nesse tipo de montagem, o cabo de alimentação não sofre torções nem é tracionado. O Giroposte tem por objetivo ser um modelo de poste de giro articulável. Indicado para uso em áreas que necessitam de um sistema seguro para instalação de iluminação, câmeras de segurança, sensores e outros

Leia mais

Cotas DE di. Corrugado interna e externamente, formato espiral. Bitolas: 1 ¼, 1 ½, 2, 6.

Cotas DE di. Corrugado interna e externamente, formato espiral. Bitolas: 1 ¼, 1 ½, 2, 6. Ultraflx Localização no Wbsit TIGRE: Obra Infra-strutura Eltricidad Ultraflx FUNÇÃO: Protção mcânica para instalaçõs ntrradas d cabamnto tlfônico létrico. PLICÇÃO: RIL/2007 Instalaçõs prais létricas para

Leia mais

FT44 Purgador de Bóia em Aço Carbono

FT44 Purgador de Bóia em Aço Carbono Página 1 d 5 BR Rv 00 Purgador d Bóia m Aço Carbono DN15, DN20 DN25 DN15 (mostrado na figura) DN40 DN50 DN50 (mostrado na figura) -C Dscrição O é um purgador d bóia com corpo produzido m Aço Carbono. Possui

Leia mais

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações.

uma estrutura convencional. Desta forma, o desempenho de um sistema estrutural está diretamente relacionado com o desempenho de suas ligações. ISSN 1809-5860 ESTUDO DE UMA LIGAÇÃO VIGA-PILAR UTILIZADA EM GALPÕES DE CONCRETO PRÉ- MOLDADO Anamaria Malachini Miotto 1 & Mounir Khalil El Dbs 2 Rsumo Em gral, as ligaçõs ntr lmntos pré-moldados d concrto

Leia mais

Perfilados e acessórios

Perfilados e acessórios Perfilados e acessórios 936563 936511 frente e verso 936501 frente e verso 936551 Perfi l de aço perfi lado. Produzido em chapa de aço pré-galvanizado, por imersão a quente, ou galvanizado à fogo com excelente

Leia mais

Linha Telecom m Teleco

Linha Telecom m Teleco Linha Telecom Telecom Linha Telecom Esteiras para telecomunicações... 93 Sistema para condução e distribuição do cabeamento, constituído de barra chata de aço carbono, muito utilizado como solução no cabeamento

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

alfatubo Engineering Pipes Produzimos tubos... Canalizamos energias... Tabalhamos para um futuro sustentávél...

alfatubo Engineering Pipes Produzimos tubos... Canalizamos energias... Tabalhamos para um futuro sustentávél... alfatubo Produzimos tubos... Canalizamos nrgias... Tabalhamos para um futuro sustntávél... Catálogo Produtos 1 1.1.alfaHIDRO Obras Públicas Infra-struturas Rga Industrial Transport Água Potávl 1.2. alfagás

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

Derivada Escola Naval

Derivada Escola Naval Drivada Escola Naval EN A drivada f () da função f () = l og é: l n (B) 0 l n (E) / l n EN S tm-s qu: f () = s s 0 s < < 0 s < I - f () só não é drivávl para =, = 0 = II - f () só não é contínua para =

Leia mais

Leitos. www.calhaskennedy.com.br Telefones: (11) 2126-3333, (11) 5641-5090. Leitos para Cabos

Leitos. www.calhaskennedy.com.br Telefones: (11) 2126-3333, (11) 5641-5090. Leitos para Cabos Telefones: (11) 2126-3333, (11) 5641-5090 Leitos Suporte para encaminhamento de cabos, construído em chapa de aço carbono conforme as Normas: SE 1008/1010, NR 11888/2 e NR 7013, constituído de duas longarinas

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA Tma: Sxualidad rlaçõs intrpssoais 1º Ano- EB1/JI DE VELAS Turma 2 Formas d Rcursos Atividads Objtivos Contúdos organização/ (humanos (por disciplina)

Leia mais

Centro de Suporte Técnico 0800 015 1500 projetos@valemam.com.br Canaletas de Alumínio - Linha Frog CONTEÚDOS 1. Linha 2. Acessórios de acabamento 3. Acessórios complementares 4. Suporte para Equipamentos

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

MUNICÍPIO DE SANTIAGO DO CACÉM MAPA DE PESSOAL - 2013 ANEXO I Caracterização do posto de trabalho. Página 1 de 77

MUNICÍPIO DE SANTIAGO DO CACÉM MAPA DE PESSOAL - 2013 ANEXO I Caracterização do posto de trabalho. Página 1 de 77 MAPA DE PESSOAL - 203 Caractrização do posto d trabalho Gabint d Apoio à Prsidência. Carrira - Assistnt Técnico Contúdo funcional Dscrição da função GAP - AT0 Funçõs d naturza xcutiva, d aplicação d métodos

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis.

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. 18/05/12 Anvisa - Lgislação - Portarias Lgislação Para vrificar a atualização dsta norma, como rvogaçõs ou altraçõs, acss o Visalgis. Portaria n º 27, d 13 d janiro d 1998 A Scrtária d Vigilância Sanitária,

Leia mais

1/5. be-16. Bancada laboratório 2 CUBAS 50x40x25cm (L=180cm) eco. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1 04/04/14

1/5. be-16. Bancada laboratório 2 CUBAS 50x40x25cm (L=180cm) eco. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1 04/04/14 /5 2/5 3/5 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Tampo de granito polido (L=65cm, e=2cm), cinza andorinha ou cinza corumbá, com moldura perimetral (3,5x2cm) e frontão (7x2cm), conforme detalhe. Alvenaria de apoio

Leia mais

PBS 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Conduzir água a temperatura ambiente;

PBS 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Conduzir água a temperatura ambiente; PS PONT OLS SOL Localização no Wbsit Tigr: Obra Prdial Indústria PS Função: Conduzir água a tmpratura ambint; plicaçõs: Indústrias, piscinas, obras vrticais d grand port. Class IMENSÕES 12 15 12 15 E L

Leia mais

andaime tubular aicom

andaime tubular aicom andaime tubular aicom O ANDAIME TUBULAR AICOM é um sistema de andaime destinado a construção, reforma, manutenção industrial e montagem em áreas com grandes interferências. Composto de tubo de aço galvanizado

Leia mais

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras Dobradiça Furação para passagem de cabo de Ø21 mm ( 12x ) Vista Inferior Item 1 e 2 Adaptador para parafuso A.A. Fixação dos trilhos através de parafuso e porca ( possibilitando regulagem ) Trilho de fixação

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS Tipo: Gabinete Rack do tipo bastidor com porta e ventilação forçada 24U x 19"x 670mm, com porta de

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pgógica (4) (5) Mtas Rorganizar a distribuição dos discnts. Elaborar uma Política d contratação gstão d pssoal Rvisar o Projto Pgógico. Rstruturar

Leia mais

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho S is tm a d G s tã o da Qua lida d S gura n ça do T ra ba lho G s tã o da Qua lida d I n t r n a ti o n a l O r g a n i za ti o n fo r S ta n d a r d i za ti o n (I S O ) Organização Normalização. Intrnacional

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

Uso Eficiente da Água no setor doméstico. Aproveitamento de águas pluviais e de águas cinzentas. http://www.all-aqua.pt/ 1/

Uso Eficiente da Água no setor doméstico. Aproveitamento de águas pluviais e de águas cinzentas. http://www.all-aqua.pt/ 1/ Uso Eficint da Água no stor doméstico Aprovitamnto d águas pluviais 1/ Aprovitamnto d águas pluviais Águas cinzntas águas rsiduais domésticas não fcais. Ex: águas d banhiras, duchs, lavatórios. 2/ Aprovitamnto

Leia mais

PLUGUES E TOMADAS. Padrão NBR 14.136. Painel Setorial INMETRO 11 abr 2006

PLUGUES E TOMADAS. Padrão NBR 14.136. Painel Setorial INMETRO 11 abr 2006 PLUGUES E TOMADAS Padrão NBR 14.136 Painl Storial INMETRO 11 abr 2006 1 NBR para (P&T) 2 ABNT NBR NM 60884-1 tomadas para uso doméstico análogo Part 1: Rquisitos grais - Fixa as condiçõs xigívis para P&T

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

Linha para Piso Elevado

Linha para Piso Elevado Linha para Piso Elevado Linha para Piso Elevado Linha para Piso Elevado Calha para piso elevado... 53 Derivações... Caixa para piso elevado... 54 Metálico... 54 Nylon... 56 Latão... 58 54 Sistemas para

Leia mais

Comando e Sinalização Botões de Comando Ø 22mm HB2-E (Plástico)

Comando e Sinalização Botões de Comando Ø 22mm HB2-E (Plástico) Botõs d Comando Ø 22mm HB2-E (Plástico) Diâmtro d furação 22mm. Dsign modrno. Com ligação por parafuso. Conformidad IEC EN 60947-5 Crtificação CE Botõs d Comando Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plástico) A linha

Leia mais

INDÚSTRIA DO PETRÓLEO E GÁS

INDÚSTRIA DO PETRÓLEO E GÁS APLICAÇÕES DE PERFIS PULTRUDADOS INDÚSTRIA DO PETRÓLEO E GÁS Palestrante : Carlos Viegas Apoio O QUE É UM COMPÓSITO ROVING CONTÍNUO RESINA POLIESTER VINIL ESTER FENOLICA EPOXI MANTA DE FIBRA DE VIDRO VÉU

Leia mais

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS TORRE ESTAIADA A torre estaiada é a solução mais econômica por atingir grandes alturas e com elevada capacidade de carga, porém exige-se disponibilidade de terreno para sua instalação. Possui seção transversal

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

GIBI R Glossário de Imagens Básicas para Identificações de Riscos [ no caso, riscos de contaminação de um sistema municipal de suprimento de água ]

GIBI R Glossário de Imagens Básicas para Identificações de Riscos [ no caso, riscos de contaminação de um sistema municipal de suprimento de água ] GIBI R Glossário Imagns Básicas para Intificaçõs Riscos [ no caso, riscos contaminação um sistma municipal suprimnto água ] A - - Mapa Mapa rgional. rgional. Projção Projção horizontal horizontal corrta

Leia mais

VEDAÇÕES PRFV. Vantagens: MADE IN ITALY. resistência à corrosão leveza isolamento eléctrico. livre de manutenção fácil colocação colorida

VEDAÇÕES PRFV. Vantagens: MADE IN ITALY. resistência à corrosão leveza isolamento eléctrico. livre de manutenção fácil colocação colorida VEDAÇÕES VEDAÇÕES MADE IN ITALY Vedações Plastico Reforçado a Fibra de Vidro), graças às suas propriedades intrínsecas e ao processo de produção mecânico TEKNOTEX, são uma solução excelente para resolver

Leia mais

A Certificação de Qualidade na Área dos Seguros. Sandra Santos - ADQ-Ok! TeleSeguro Certificação de Qualidade na Área de Seguros

A Certificação de Qualidade na Área dos Seguros. Sandra Santos - ADQ-Ok! TeleSeguro Certificação de Qualidade na Área de Seguros A Crtificação d Qualidad na Ára d Sgur Importância da difrnciação pla Qualidad do Srviço/ Produto Principal Canal Canal d d Distribuição Tlfon Intrnt Má Má imagm d d Call Call Cntrs Dificuldad m m difrnciar

Leia mais

Ganzglasgeländer. Guardas em vidro sem prumos. Sistema de perfis para montagem frontal e superior

Ganzglasgeländer. Guardas em vidro sem prumos. Sistema de perfis para montagem frontal e superior Ganzglasgeländer Guardas em vidro sem prumos Sistema de perfis para montagem frontal e superior Índice Conjuntos, aplicações, ajudas de montagem 1402... 08 1400... 12 1404... 16 Componentes Perfis... 21

Leia mais

205x50mm - Ref: ED 4D5

205x50mm - Ref: ED 4D5 DUTO DE PISO TIPO CANAL ABERTO ELETROCALHA DE PISO ED 4D5 (205 X 50 mm) - 4 seções 100% BRASILEIRA Dutos de piso abertos 1 - Perfil tipo canal aberto em alumínio extrudado que permite acesso/visita em

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

PERFORT SISTEMAS DE BANDEJAMENTO

PERFORT SISTEMAS DE BANDEJAMENTO PERFORT 1 SISTEMAS DE BANDEJAMENTO Utilizando o conceito de estruturação mecânica desenvolvido pela MOPA, o ELETROFORT é uma eletrocalha de seção transversal e características exclusivas, que permitiram

Leia mais

MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS

MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS S CALHA PARSHALL REV 0-2012 MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS 1- INTRODUÇÃO O medidor Parshall desenvolvido pelo engenheiro Ralph L. Parshall, na década de 1920, nos Estados Unidos, é uma melhoria realizada

Leia mais

Painel pré-isolado Uma nova maneira de fabricar dutos

Painel pré-isolado Uma nova maneira de fabricar dutos Painel pré-isolado Uma nova maneira de fabricar dutos Catálogo de materiais, ferramentas e acessórios AluPir: o painel pré-isolado AluPir representa uma maneira inovadora de fabricar dutos de ar. O sistema

Leia mais

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015 www.lmntos.com.br du dilignc slção d arogradors inspçõs d fábricas ngnharia do propritário projtos solars ntr outros 17 d abril d 2015 Sxta-Fira - # 1.528 Rio Grand do Nort trá maior ofrta d nrgia ólica

Leia mais

AGILIDADE E QUALIDADE,

AGILIDADE E QUALIDADE, INTRODUÇÃO Há 6 anos começou a empresa Alumínios Fortal. Iniciando no ramo de distribuição de perfis de alumínios, kit janela e de box, ferragens, acessórios, policarbonato, material para box acrílico,

Leia mais