Anhanguera - Uniderp

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anhanguera - Uniderp"

Transcrição

1 Anhanguera - Uniderp CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A SELEÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICO- VETERINÁRIA - PRMV R1 / TURMA 2012 ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS 1. Terapêutica Clínica Geral e Especial 2- Patologia Cirúrgica Geral 2.1 Choque 2.2 Transfusão Sanguínea 2.3. Reposição de hidroeletrólitos 3. Sistema Respiratório Problemas clínicos e cirúrgicos da cavidade nasal, laringe, traquéia, pulmões 4. Sistema Cardiovascular 4.1. ICC 5. Afecções do Sistema Genito-Urinário Afecções clínicas e cirúrgicas dos rins, ureteres, bexiga, uretra, glândula prostática e pênis. Útero, ovários e glandulas mamárias. 6. Sangue e Orgãos Hematopoiéticos 7. Sistema Nervoso 8. Sistema Imunológico 9. Sistema Digestório Afecções clínicas e cirúrgicas da cavidade oral, faringe, glândulas salivares, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, ânus e reto. 10 Hérnias, Eventração e Evisceração Hérnias umbilical, inguinal, perineal e diafragmática. 11 Ortopedia 11.1 Fraturas em geral

2 11.2 Fraturas dos membros torácicos 11.3 Fraturas dos membros pélvicos 11.4 Articulações 11.5 Amputações 11.6 Osteite e Osteomielite 11.7 Distrofias ósseas 11.8 Afecções da coluna vertebral 12 Afecções Clínicas e Cirúrgicas dos Ouvidos Feridas do pavilhão auricular, otohematoma, otite externa, otite média, otite interna. 13 Afecções Clínicas e Cirúrgicas dos Olhos e Anexos Afecções cirúrgicas das pálpebras, conjuntiva, sistema lacrimal, membrana nictitante, córnea, cristalino e globo ocular. ÁREA DE PATOLOGIA CLÍNICA 1. Sistema Hematopoético 1.1.Hematopoese pré-natal e pós-natal inicial; 1.2.Hematopoese do animal em crescimento e do animal adulto; 2. Eritrócito 2.1.Eritropoese; 2.2.Eritrocinética; 2.3.Metabolismo; 2.4.Fatores nutricionais na produção e função dos eritrócitos; 2.5.Distribuição dos eritrócitos; 2.6.Patologia dos eritrócitos. 3. Anemias e Policitemias 3.1.Classificação morfológica das anemias; 3.2.Classificação etiológica das anemias; 3.4.Classificação da anemia de acordo com a resposta da medula óssea; 3.5.Importância do reticulócito; 3.6.Policitemia absoluta e relativa.

3 4. Leucócitos 4.1.Granulopoese; 4.2.Granulocinética: intramedular; reserva da medula óssea de neutrófilos; fase intravascular; fase tecidual 4.3.Propriedade dos leucócitos; 4.4.Alterações morfológicas e citoplasmáticas dos neutrófilos. 5. Interpretação Clínica das Alterações do Número e Morfologia dos Leucócitos 5.1.Conceito básico da interpretação do leucograma; 5.2.Resposta leucocitária nas diferentes espécies; 5.3.Fatores que influenciam tanto na contagem global e diferencial de leucócitos; 5.4.Leucocitoses, leucopenias, eosinofilias, eosinopenias, etc.; 5.5.Reação leucemóide 6. Interpretação do Aspirado da Medula Óssea 6.1.Indicações e contra indicações; 6.2.Técnicas de biópsia e colheita de amostras; 6.3.Avaliação do esfregaço; 6.4.Interpretação da relação M:E; 6.5.Causas de falência da medula óssea; 6.6.Doenças hematopoéticas: aplasia, hipoplasia, hiperplasia. 7. Hemostasia 7.1.Mecanismo de hemostasia; 7.2.Provas laboratoriais de hemostasia; 7.3.Doenças de Sangramento. 8. Função Renal 8.1.Alterações da função renal devido a fatores extra renais; 8.2.Disfunção renal primária ( falência renal aguda e crônica ); 8.3.Testes de função renal: urinálise, uréia, creatinina, prova de concentração, prova de fenosulfonofitaleína; 8.4.Outros: cálcio, fósforo, sódio, potássio, cloreto, colesterol, proteínas séricas e hemograma. 9. Função Hepática 9.1.Metabolismo da bilirrubina; 9.2.Tipos de Icterícias; 9.3.Testes enzimáticos de avaliação da função hepática; 9.4.Testes bioquímicos de avaliação da função hepática.

4 10. Função Exócrina do Pâncreas 10.1.Fisiologia do pâncreas exócrino: regulação da secreção do suco pancreático; 10.2.Provas laboratoriais para avaliar a função exócrina do pâncreas. 11. Função Endócrina do Pâncreas 11.1.Efeitos da insulina, do glucagon; 11.2.Hiperglicemia, hipoglicemia; 11.3.Colesterol; 11.4.Provas laboratoriais para avaliar a função endócrina do pâncreas. 12. Exames de Derrames Cavitários 12.1.Classificação dos derrames; 12.2.Colheita; 12.3.Exame laboratorial dos derrames: exame físico, exame químico, exame citológico, exame bioquímico. 13. Exame do Líquido Cefalorraquidiano ( LCR ) 13.1.Indicações e contra indicações para colheita; 13.2.Cuidados especiais na colheita; 13.3.Técnicas de colheita para diferentes espécies; 13.4.Exame laboratorial do liquor: físico, químico, citológico; 13.5.Exame bioquímico do liquor. ÁREA DE CLÍNICA MÉDICA COM ÊNFASE EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM 1. Terapêutica Clínica Geral 2. Sistema Cardiovascular 3. Afecções do Sistema Genito-Urinário 4. Afecções Clínicas dos Ouvidos 5. Afecções Clínicas dos Olhos e Anexos 6. Afecções do Sistema respiratório 7. Radiologia 7.1. Física das radiações e proteção radiológica 7.2. Formação imagem: radiologia convencional 7.3. Anatomia radiográfica e peculiaridades 7.4. Terminologia radiográfica e confecção de laudos 7.5. Posicionamento radiográfico 7.6. Exames contrastados

5 7.7. Sistema ósseo osteotraumatologia - fraturas, calo ósseo, luxações, entorses, alterações desenvolvimento, alterações metabólicas, osteomielite e neoplasias Sistema articular: luxações, necrose asséptica, artrite, artrose, neoplasia, ruptura do cruzado, displasia do cotovelo, osteocondrose e displasia coxofemoral) 7.9. Radiologia do crânio Radiologia da coluna vertebral e mielografia Radiologia da cavidade torácica Radiologia da cavidade abdominal Formação imagem: ultrassonografia 8. Ultrassonográfica 8.1. Semiologia ultrassonográfica 8.2. Patologias ultrassonograficas do estômago e intestinos 8.3. Patologias ultrassonograficas do pâncreas, mesentério, líquido livre Patologias ultrassonograficas dos rins, bexiga, ureteres e uretra 8.5. Patologias ultrassonograficas do fígado, vesícula biliar, vias biliares 8.6. Patologias ultrassonograficas do sistema reprodutor feminino e masculino 8.7. Patologias ultrassonograficas do baço, adrenais e linfonodos 8.8. Ultrassonografia torácica 8.9. Confecção de laudos ultrassonográficos

Anhanguera - Uniderp

Anhanguera - Uniderp Anhanguera - Uniderp CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A SELEÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICO- VETERINÁRIA - PRMV R1 / TURMA 2012 ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS 1. Distúrbios locomotores de

Leia mais

Conteúdo programático para Prova de Aprimoramento em Medicina Veterinária da UNIME

Conteúdo programático para Prova de Aprimoramento em Medicina Veterinária da UNIME 1 União Metropolitana de Educação e Cultura Conteúdo programático para Prova de Aprimoramento em Medicina Veterinária da UNIME Subárea: Clínica Médica de Pequenos Animais MANEJO HIGIÊNICO, DIETÉTICO E

Leia mais

UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Aprimoramento Médico-Veterinário Hospital Veterinário

UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Aprimoramento Médico-Veterinário Hospital Veterinário UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Aprimoramento Médico-Veterinário Hospital Veterinário EDITAL DE SELEÇÃO Nº 01/PROPP/2015 PROGRAMA DE APRIMORAMENTO MÉDICO-VETERINÁRIA

Leia mais

ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS:

ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS: CONTEÚDO PRGRAMÁTICO PARA O CONCURSO DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA VETERINÁRIA DO HOSPITAL VETERINÁRIO DE UBERABA EDITAL 001/2004 ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS: 1. ANESTESIOLOGIA 1.1. Técnicas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO Identificação do animal Nome/número RG do HV Espécie: Raça: Idade: Sexo: Peso: Cor: Data e hora do

Leia mais

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS -

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - Código SUGRUPO 10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - RECÉM-NASCIDO 10104003 PROCEDIMENTOS

Leia mais

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011 H Convencionados Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010 7 11 de Fevereiro de 2011 Título Actividade cirúrgica dos Convencionados Versão V1 Autores Unidade Central de Gestão

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA

ANATOMIA E FISIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA SITEMA DIGESTÓRIO Enfª Renata Loretti Ribeiro 2 3 SISTEMA DIGESTÓRIO Introdução O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS ROLIM DE MOURA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS ROLIM DE MOURA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA 01. DADOS PROFESSOR: NAYCHE TORTATO VIEIRA ÁREA/DISCIPLINA (CÓDIGO): PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA (VET30033) UNIDADE: ROLIM DE MOURA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 80 HORAS CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 HORAS TURMA:

Leia mais

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta?

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Como as fezes são formadas? Como a urina é formada no nosso corpo? Sistema Cardiovascular Funções Gerais: Transporte de nutrientes,

Leia mais

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges RADIOGRAFIA ABDOMINAL Profª Drª Naida Cristina Borges Produção de Radiografias Diagnósticas Preparo adequado jejum/enema Pausa da inspiração evita o agrupamento das vísceras Indicações para a Radiologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO Pelo presente edital, estarão abertas as inscrições, no período de 18 de novembro a 02 de dezembro de 2011, para o processo de seleção do Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Biomedicina (17) Ano: 2013 Semestre: 2 Período: 2 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

DISCIPLINAS MINISTRADAS PELO DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA

DISCIPLINAS MINISTRADAS PELO DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA DISCIPLINAS MINISTRADAS PELO DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA Anestesiologia e Técnica Cirúrgica Carga-Horária: 120h Pré-medicação anestésica. Anestesia local. Anestesias regionais. Anestesia

Leia mais

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA Instituto Long Tao SISTEMA RESPIRATÓRIO A função do sistema respiratório é facultar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Digestório. Prof. Me. Fabio Milioni. Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação ANATOMIA HUMANA I Sistema Digestório Prof. Me. Fabio Milioni Função: - Preensão - Mastigação - Deglutição - Digestão - Absorção - Defecação Sistema Digestório 1 Órgãos Canal alimentar: - Cavidade oral

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL

AVALIAÇÃO LABORATORIAL AVALIAÇÃO LABORATORIAL Escolha das análises a serem realizadas Realização da coleta de forma adequada domínio da técnica reconhecimento de eventuais erros de procedimento escolha do recipiente, acondicionamento

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS PROGRAMA DE ENSINO Curso: Nutrição (04) Ano: 2013 Semestre: 1 Período: 1 Disciplina: Anatomia Humana (Human Anatomy) Carga Horária Total: 90 Teórica: 60 Atividade Prática: 30 Prática Pedagógica: 0 Aulas Compl. Tutorial:

Leia mais

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES TUMORES Tumores, também chamados de neoplasmas, ou neoplasias, são alterações celulares que provocam o aumento anormal dos tecidos corporais envolvidos. BENIGNO: são considerados benignos quando são bem

Leia mais

Para quê precisamos comer?

Para quê precisamos comer? Para quê precisamos comer? Para a reposição de água, substratos energéticos, vitaminas e sais minerais. O TUBO DIGESTIVO E SUAS PRINCIPAIS ESTRUTURAS O Trato Gastrointestinal (TGI) Digestive System (Vander,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA EDITAL Nº 04/CDPI/IFB, DE 17 DE ABRIL DE 2009.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA EDITAL Nº 04/CDPI/IFB, DE 17 DE ABRIL DE 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA EDITAL Nº 04/CDPI/IFB, DE 17 DE ABRIL DE 2009. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A PROVA OBJETIVA CARGO Técnico em Tecnologia

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA PARAÍBA VAGAS DE MONITORIA - EDITAL N. 18 / 2012. CURSO DE MEDICINA - Semestre 2012.2.

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA PARAÍBA VAGAS DE MONITORIA - EDITAL N. 18 / 2012. CURSO DE MEDICINA - Semestre 2012.2. Área do Conhecimento Professor Número de vagas Caracterização Prova Dia Hora Local ANATOMIA Alisson 2 Bolsista 07/08/2012 4 Voluntário 08/08/12 8/8/2012 LAB ANATOMIA HISTOLOGIA Nadábia 2 Bolsista Renato

Leia mais

9/30/2014. Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução. Fisiologia. Anatomia

9/30/2014. Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução. Fisiologia. Anatomia Por que engenheiros biomédicos precisam estudar anatomia e fisiologia? Introdução à Anatomia e Fisiologia EN2319-Bases Biológicas para Engenharia I Reginaldo K Fukuchi Universidade Federal do ABC Por que

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS

TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS 1 TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS Relação adotada entre peso e porte dos pacientes (P, M, G, Gigante). COD. PROCEDIMENTO VALOR (R$) 1. CIRURGIA 1 Caudectomia terapêutica adulto pequeno 200,00 2 Caudectomia

Leia mais

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do C00 C000 C001 C002 C003 C004 C005 C006 C008 C009 C01 C019 C02 C020 C021 C022 C023 C024 C028 C029 C03 C030 C031 C039 C04 C040 C041 C048 C049 C05 C050 C051 C052 C058 C059 C06 C060 C061 C062 C068 C069 C07

Leia mais

Aulas Teóricas: 4 Aulas Práticas: 4 Número de Créditos: 6 Carga Horária: 144

Aulas Teóricas: 4 Aulas Práticas: 4 Número de Créditos: 6 Carga Horária: 144 BM2301 Bases Biológicas I (Morfologia) Aulas Teóricas: 4 Aulas Práticas: 4 Número de Créditos: 6 Carga Horária: 144 Introdução ao Estudo da Anatomia. Membro Superior : ossos-articulações, músculos, inervação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS

OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DAS MENINGITES- ESTUDO DO LCR TÓPICOS A SEREM ABORDADOS : FASE PRÉ ANALÍTICA PROCESSAMENTO

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução Os mensageiros químicos do corpo (hormônios) são produzidos pelas glândulas endócrinas ou glândulas de secreção interna,

Leia mais

O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem

O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem fidedignidade aos resultados. Seu principal objetivo é assegurar

Leia mais

Aula 4: Sistema digestório

Aula 4: Sistema digestório Aula 4: Sistema digestório Sistema digestório As proteínas, lípideos e a maioria dos carboidratos contidos nos alimentos são formados por moléculas grandes demais para passar pela membrana plasmática e

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO. Definição Nutrição Alimentos Anatomia Fisiologia www.infopedia.pt/$sistema-digestivo,2

SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO. Definição Nutrição Alimentos Anatomia Fisiologia www.infopedia.pt/$sistema-digestivo,2 SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO Definição Nutrição Alimentos Anatomia Fisiologia www.infopedia.pt/$sistema-digestivo,2 Digestão É o conjunto de transformações fisioquímicas ou físico-químicas que os alimentos

Leia mais

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães Cecilia Sartori Zarif Residente em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais da UFV Distúrbio do Pâncreas Endócrino Diabete Melito

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: INTERPRETAÇÃO DE EXAMES COMPLEMENTARES Código: ENF 313 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS 4º E 5º PERÍODOS MATRIZ 2 4 º Período BIOLOGIA MOLECULAR - 2835 Introdução a Biologia Molecular. Estrutura

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS OBJETIVOS GERAIS O Programa de Residência Médica opcional de Videolaparoscopia em Cirurgia do Aparelho Digestivo (PRMCAD) representa modalidade de ensino de Pós Graduação visando ao aperfeiçoamento ético,

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL. Aula 1.2 Conteúdo: Sistema Digestório

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL. Aula 1.2 Conteúdo: Sistema Digestório Aula 1.2 Conteúdo: Sistema Digestório 2 Habilidades: Conhecer o sistema digestório humano, compreendendo o papel de cada um de seus órgãos e glândulas anexas no processo de digestão. 3 4 Comendo insetos

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO III ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 4. o ANO/EF - 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO III ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 4. o ANO/EF - 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC MINAS E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO III ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 4. o ANO/EF - 2015 Caro (a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DE OSTEOPATIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DE OSTEOPATIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DE OSTEOPATIA Carga Horária: 135h Preço: 1080 Horário de funcionamento: Laboral ou pós laboral Destinatários: fisioterapeutas, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, outros profissionais

Leia mais

Patologia Geral. Adaptações Celulares. Carlos Cas4lho de Barros Augusto Schneider. h:p://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/

Patologia Geral. Adaptações Celulares. Carlos Cas4lho de Barros Augusto Schneider. h:p://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/ Patologia Geral Adaptações Celulares Carlos Cas4lho de Barros Augusto Schneider h:p://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/ Adaptações Celulares Alterações do: Volume celular aumento = hipertrofia - diminuição

Leia mais

PROGRAMA DE ANATOMIA 10ª Classe. Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário

PROGRAMA DE ANATOMIA 10ª Classe. Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário PROGRAMA DE ANATOMIA 10ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica Título Programa de Anatomia - 10ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário

Leia mais

RADIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO

RADIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO RADIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO Aspectos Radiográficos Normais de Rins e Ureteres Visualização variável da imagem renal quanto ao número, forma, contorno, tamanho, posição e densidade (intermediária entre

Leia mais

Atresia... TRANSTORNOS DO CRESCIMENTO E DA DIFERENCIAÇÃO CELULAR. Agenesia, aplasia, atresia e hipoplasia

Atresia... TRANSTORNOS DO CRESCIMENTO E DA DIFERENCIAÇÃO CELULAR. Agenesia, aplasia, atresia e hipoplasia PATOLOGIA GERAL CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO CELULAR VETERINÁRIA INDISPENSÁVEIS PARA OS SERES VIVOS CRESCIMENTO - multiplicação celular formação normal dos organismos e reposição TRANSTORNOS DO CRESCIMENTO

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Sistema responsável pelo processamento (transformações químicas) de nutrientes, para que possam

Leia mais

1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens

1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens Biologia - revisão 301 1. O esquema ao lado representa uma seção do tubo digestivo humano com alguns anexos. Observe as indicações e resolva os itens a) Cite o nome do substrato digerido pela principal

Leia mais

Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz

Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz Afecções Ósseas Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz Definição estados patológicos que se manifestam sobre o esqueleto apendicular e axial

Leia mais

SBPC/ML 2228/2010. Rio de Janeiro, 05 de abril de 2010. Prezados Senhores,

SBPC/ML 2228/2010. Rio de Janeiro, 05 de abril de 2010. Prezados Senhores, SBPC/ML 2228/2010. Rio de Janeiro, 05 de abril de 2010. Prezados Senhores, Conforme solicitado, segue o Programa de Residência Médica em Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, elaborado por esta Sociedade

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES 1 UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE FAC CG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EDITAL DE SELEÇÃO DE MONITORES PERÍODO LETIVO 2013.1 A Coordenação do Curso de Graduação

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio Viver melhor na Terra, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMATICO PARA PROVA DE TRANSFERÊNCIA MEDICINA UNITAU

CONTEÚDO PROGRAMATICO PARA PROVA DE TRANSFERÊNCIA MEDICINA UNITAU CONTEÚDO PROGRAMATICO PARA PROVA DE TRANSFERÊNCIA MEDICINA UNITAU PARA O 2º PERÍODO: - Bases Morfológicas Médicas I: 1-Terminologia e mecanismos do desenvolvimento. 2-Gametogênese. 3-Fertilização. 4-Desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio Viver melhor na Terra, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade de

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

Sistema Reprodutor e Hormônios. 01- Existem dois sistemas que estão atuando na coordenação do nosso corpo: o sistema nervoso e o sistema hormonal.

Sistema Reprodutor e Hormônios. 01- Existem dois sistemas que estão atuando na coordenação do nosso corpo: o sistema nervoso e o sistema hormonal. PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 5º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Sistema Reprodutor e Hormônios 01- Existem

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS

ANEXO I QUADRO DE VAGAS III -ANATOMIA HUMANA II -HABILIDADES E ATITUDES I -HISTOLOGIA GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL ANEXO I QUADRO DE VAGAS - Processo Seletivo para a Atividade de Monitoria no Curso de Graduação em Medicina da

Leia mais

Histologia animal. Equipe de Biologia

Histologia animal. Equipe de Biologia Histologia animal Equipe de Biologia Tipos de tecidos animais Tecidos epiteliais Tecidos conjuntivos Tecidos musculares http://www.simbiotica.org/tecidosanimal.htm Tecido nervoso Tecidos epiteliais Apresenta

Leia mais

Roteiro de aulas teórico-práticas

Roteiro de aulas teórico-práticas Roteiro de aulas teórico-práticas Sistema digestório O sistema digestório humano é formado por um longo tubo musculoso, ao qual estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. Apresenta

Leia mais

Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia. Sistema Digestório

Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia. Sistema Digestório Introdução Apostila de Anatomia e Fisiologia humana Sistema Digestório-Prof. Raphael Garcia Sistema Digestório O sistema digestório se resume em um longo tubo muscular que tem início nos lábios e termina

Leia mais

Departamento de Diagnóstico por Imagem do I.C.A.V.C. TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA

Departamento de Diagnóstico por Imagem do I.C.A.V.C. TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA Tomografia: diagnóstico stico, estadiamento, acompanhamento, prevenção e pesquisa clínica nica; Objetivo da aula; TC Helicoidal X Multi slice Limitações do método. *Ajustes das

Leia mais

EDITAL N 021/2015/CAV EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA O PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA.

EDITAL N 021/2015/CAV EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA O PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA. EDITAL N 021/2015/CAV EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA O PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA. O Diretor Geral do Centro de Ciências Agroveterinárias, no uso de suas atribuições legais e com base

Leia mais

RETIFICAÇÃO N 1 EDITAL Nº 08/2013 TRANSFERÊNCIA EXTERNA DO CURSO DE MEDICINA

RETIFICAÇÃO N 1 EDITAL Nº 08/2013 TRANSFERÊNCIA EXTERNA DO CURSO DE MEDICINA RETIFICAÇÃO N 1 EDITAL Nº 08/2013 TRANSFERÊNCIA EXTERNA DO CURSO DE MEDICINA Súmula: Dispõe sobre a retificação dos itens 1.2 II, e Anexo I. O Pró-Reitor Administrativo e de Desenvolvimento e o Pró-Reitor

Leia mais

14. TERAPÊUTICA FETAL INVASIVA - CIRURGIA FETAL

14. TERAPÊUTICA FETAL INVASIVA - CIRURGIA FETAL 14. TERAPÊUTICA FETAL INVASIVA - CIRURGIA FETAL Com o desenvolvimento dos equipamentos de ultra-sonografia tornou-se possível o diagnóstico intra-útero de grande número de anomalias fetais, entretanto,

Leia mais

PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL EM MEDICINA VETERINÁRIA

PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL EM MEDICINA VETERINÁRIA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA EDITAL 03/2015 PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL EM MEDICINA VETERINÁRIA O Programa de Aprimoramento Profissional

Leia mais

PLANO DE SAÚDE ANIMAL

PLANO DE SAÚDE ANIMAL PLANO DE SAÚDE ANIMAL 1 Manual do Usuário Introdução A concepção deste manual tem por objetivo deixar de forma transparente todas as cláusulas que regem o contrato bilateral de prestação de serviços médico

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO:

SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: SISTEMA DIGESTÓRIO DEFINIÇÃO: CONJUNTO DE ÓRGÃOS FORMANDO UM CANAL ALIMENTAR COM A FINALIDADE DE NUTRIÇÃO DO ORGANISMO. FUNÇÕES: Sistema Digestório INSERÇÃO MASTIGAÇÃO DEGLUTIÇÃO DIGESTÃO ABSORÇÃO EXCREÇÃO

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 12 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem

Leia mais

Instituto Veterinário de Imagem

Instituto Veterinário de Imagem Instituto Veterinário de Imagem Tabela de Preço ABRIL DE 2012 CARDIOLOGIA VALOR R$ Eletrocardiografia (E.C.G.) 98,00 Ecodopplercardiografia Colorido 138,00 Pressão Arterial 41,00 ULTRASSONOGRAFIA (U.S.G.)

Leia mais

CIRURGIA TORÁCICA Prof. André Lacerda de Abreu Oliveira- MV, Msc,PhD Prof. de Cirurgia da UENF INTRODUÇÃO

CIRURGIA TORÁCICA Prof. André Lacerda de Abreu Oliveira- MV, Msc,PhD Prof. de Cirurgia da UENF INTRODUÇÃO Page 1 of 6 CIRURGIA TORÁCICA Prof. André Lacerda de Abreu Oliveira- MV, Msc,PhD Prof. de Cirurgia da UENF INTRODUÇÃO A cirurgia torácica em pequenos animais não tem sido realizada com rotina na prática

Leia mais

Sistemas do Corpo Humano

Sistemas do Corpo Humano Sistemas do Corpo Humano Sistema Digestório consegue energia e matéria prima. Cada órgão tem uma função específica no processo de transformação dos alimentos O QUE É UM SISTEMA????? Sistema Digestório

Leia mais

Planificação anual de Saúde- 10ºano

Planificação anual de Saúde- 10ºano CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Turmas: 10ºI Professora: Ana Margarida Vargues Planificação anual de Saúde- 10ºano 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Saúde do Curso

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

DEFESA CIVIL NA ESCOLA SOCORROS DE URGENCIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS

DEFESA CIVIL NA ESCOLA SOCORROS DE URGENCIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEFESA CIVIL NA ESCOLA SOCORROS DE URGENCIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS 1 SOCORROS DE URGÊNCIA... 4 1.ANATOMIA E FISIOLOGIA.... 4 1.1DEFINIÇÕES... 4 1.2 POSIÇÕES DE ESTUDO.... 4 1.2.3 CONSTITUIÇÃO GERAL DO

Leia mais

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada.

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada. Questão 1 Uma paciente de 35 anos é internada com história de cinco dias de cefaleia progressiva, febre e astenia. A avaliação laboratorial mostrou contagem plaquetária de 23.000/mm³, anemia com hemácias

Leia mais

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza

Protocolo abdome. Profº Cláudio Souza Protocolo abdome Profº Cláudio Souza Abdome Quando falamos em abdome dentro da tomografia computadorizada por uma questão de radioproteção e também financeira o exame é dividido em, abdome superior e inferior

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 66.02.01.01 biópsia do colo uterino 4.02.01.01 Biópsia de

Leia mais

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia.

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia. SISTEMA ESQUELÉTICO Ossos do corpo humano se juntam por meio das articulações. E são responsáveis por oferecer um apoio para o sistema muscular permitindo ao homem executar vários movimentos. O sistema

Leia mais

A SOMATOPSICODINÂMICA: SISTEMÁTICA REICHIANA DA PATOLOGIA E DA CLÍNICA MÉDICA Roberto Koya Hasegawa Filho

A SOMATOPSICODINÂMICA: SISTEMÁTICA REICHIANA DA PATOLOGIA E DA CLÍNICA MÉDICA Roberto Koya Hasegawa Filho 1 A SOMATOPSICODINÂMICA: SISTEMÁTICA REICHIANA DA PATOLOGIA E DA CLÍNICA MÉDICA Roberto Koya Hasegawa Filho RESUMO A partir dos trabalhos de Reich, Federico Navarro desenvolveu a análise do caráter, que

Leia mais

ANEXO VIII - EDITAL Nº. 15/2011 PERÍODO: INTENSIVO INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - ICS MONITORIA PRESENCIAL NA MODALIDADE REMUNERADA FARMÁCIA

ANEXO VIII - EDITAL Nº. 15/2011 PERÍODO: INTENSIVO INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - ICS MONITORIA PRESENCIAL NA MODALIDADE REMUNERADA FARMÁCIA ANEXO VIII - EDITAL Nº. 15/2011 PERÍODO: INTENSIVO INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - ICS MONITORIA PRESENCIAL NA MODALIDADE REMUNERADA FARMÁCIA VAGAS DIA CARGA Microbiologia 01 INTM 12h de Microbiologia.

Leia mais

Rinite Bilateral Crônica em Felino da Raça Persa

Rinite Bilateral Crônica em Felino da Raça Persa O Sucesso da Terapêutica Homeopática VII Rinite Bilateral Crônica em Felino da Raça Persa Profa. Dra. Maria Luiza Delavechia HUVET UFF; IHB; ABRAH Rinite Bilateral Crônica Rino Sinusite Trato respiratório

Leia mais

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS Tipos de tecidos: Tecido Epitelial Tecido Conjuntivo Tecido Muscular Tecido Nervoso Tecido Epitelial Funções: Tecido Epitelial Revestimento Proteção Absorção de impacto Secreção

Leia mais

Abordagem diagnóstica a casos oncológicos em Répteis. Filipe Martinho, DVM

Abordagem diagnóstica a casos oncológicos em Répteis. Filipe Martinho, DVM Abordagem diagnóstica a casos oncológicos em Répteis Filipe Martinho, DVM III Congresso OMV - Novembro 2012 Oncologia e Répteis Aparentemente casos oncológicos são raros; Em colecções zoológicas até 23%

Leia mais

ANEXO 1 : PROGRAMAS E BIBLIOGRAFIA SUGERIDA ANATOMIA HUMANA

ANEXO 1 : PROGRAMAS E BIBLIOGRAFIA SUGERIDA ANATOMIA HUMANA ANEXO 1 : PROGRAMAS E BIBLIOGRAFIA SUGERIDA ANATOMIA HUMANA 01. Terminologia Anatomica Médica (Posição Anatômica, Planos anatômicos, Termos de Relação Comparação, Termos de Lateralidade, Termos de movimento).

Leia mais

Co C mo m o é cons n tituído o aparel e ho di d ge g sti e vo v? Sistema Digestivo - Helena Carreiro 2010 1

Co C mo m o é cons n tituído o aparel e ho di d ge g sti e vo v? Sistema Digestivo - Helena Carreiro 2010 1 Como é constituído o aparelho digestivo? 1 Morfologia do aparelho digestivo Glândulas salivares Boca Faringe Esófago Fígado Vesícula biliar Estômago Intestino delgado pâncreas Apêndice Recto Intestino

Leia mais

Projeto Elaboração de Jogos sobre Doação de Órgãos e Tecidos

Projeto Elaboração de Jogos sobre Doação de Órgãos e Tecidos 1 Projeto Elaboração de Jogos sobre Doação de Órgãos e Tecidos Márcia Ferret Renner Graduação: Ciências Biológicas Licenciatura Plena/1996 PUCRS. Especialização: Venenos Animais/1997 Instituto Butantan.

Leia mais

BIOLOGIA IACI BELO. www.iaci.com.br. 01. Identifique, na figura, as partes indicadas pelos números: 10:

BIOLOGIA IACI BELO. www.iaci.com.br. 01. Identifique, na figura, as partes indicadas pelos números: 10: BIOLOGIA IACI BELO www.iaci.com.br ASSUNTO: FISIOLOGIA Série: 2EM 01. Identifique, na figura, as partes indicadas pelos números: 1: 2: 3: 4 5: 6 7: 8 9: 10: 02. Explique por que o ventrículo esquerdo é

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

1 - Estrutura e Finalidades da disciplina

1 - Estrutura e Finalidades da disciplina CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de SAÚDE 10º ano 014/015 Turma K Professora: Maria de Fátima Martinho. 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Saúde

Leia mais

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011.

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011. Portaria 024/2011 Estabelece protocolos operacionais para a atividade de Regulação e Auditoria no âmbito do IPSEMG. A Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais, no

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 33.02.01.01 biópsia do colo uterino 0.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais