RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO"

Transcrição

1 Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de janeiro de COMPARAÇÃO DO MÊS JANEIRO DE 2015 COM O MÊS DE DEZEMBRO DE 2014 Em janeiro de 2015, na comparação com o mês anterior, houve uma queda no total das exportações de 24,01%, resultando num total exportado de US$ 602 milhões. Com a exceção do Trigo e dos e subprodutos da indústria de moagem, que cresceram respectivamente 35,36% e 52,10%, todos os outros grupos abordados neste relatório sofreram quedas nas suas exportações, destacando-se a redução nas exportações de Carnes, Arroz e Lácteos em, respectivamente, 34,46%, 60,55% e 89,01%. COMPARAÇÃO DO MÊS DE JANEIRO DE 2015 COM JANEIRO DE 2014 As exportações totais apresentaram um crescimento de 6,37% frente ao mês de janeiro de Dentre os grandes grupos analisados, o Complexo Soja e o grupo Carnes apresentaram quedas de, respectivamente, 10,65% e 8,38%. Dentro do grupo Carnes, houve um aumento das exportações de Carne Bovina (7,24%) e Carne Suína (6,44%), apesar disto, observa-se uma queda de 14,98% nas exportações de Carne de Frango, contribuindo para a contração das exportações do grupo Carnes mencionada anteriormente. Apesar de uma queda das exportações de Arroz (35,50%) e Aveia (61,91%), o grupo Cereais apresentou um crescimento de 209,50%, crescimento puxado pelas exportações de Trigo que cresceram 1958,70% em relação a janeiro de Outros grupos também apresentaram um aumento na suas exportações: Animais vivos (170,59%), e subprodutos da indústria de moagem (659,50%), Fumo e seus produtos (15,13%) e Lácteos (652,49%). IMPORTAÇÕES DO EM JANEIRO DE 2015 O Rio Grande do Sul importou no mês de janeiro de 2015 cerca de US$ 79 milhões em mercadorias do agronegócio, um aumento de 13,43% frente ao mês de janeiro de Os grupos Complexo Soja (40%), Preparações a base de cereais (49,95%), Frutas (24,42%) e Fumo e seus produtos (70,82%) apresentaram contrações nos seus valores importados. O grupo Carnes apresentou um crescimento de 6,57%, ainda que tenha ocorrido uma queda de 8,98% nas importações de Carne Bovina, observa-se um aumento nas importações de Carne de Frango (61,39%) e Carne Suína (253,59%). As importações de Cereais aumentaram em 165,07%, tendo como responsáveis por este aumento a o aumento das importações de Cevada (161,34%) e Trigo (231,75%). Ainda podemos observar um aumento nas importações dos grupos Animais vivos (3.872,41%), e subprodutos da indústria de moagem (67,83%) e Lácteos (44,24%).

2 PRINCIPAIS PARCEIROS COMERCIAIS DO RIO GRANDE DO SUL Sobre os parceiros comerciais do Agronegócio do RS em janeiro de 2015, observa-se um movimento importante nas exportações para a China com uma queda de 42,96% na comparação com o mês de janeiro de A União Europeia aparece como o principal destino das exportações do agronegócio gaúcho (26,88%), ainda que tenha diminuído em 13,34% na comparação com janeiro de O segundo maior destino foi a Coréia do Sul (8%), com um aumento de 128,60% na comparação entre os meses de janeiro de 2014 e Em terceiro lugar aparece a Tailândia (6,40%) e um crescimento de 2.818,57% na comparação entre os meses de janeiro de 2014 e Quanto as importações, destaca-se o MERCOSUL, origem de 66,51% das importações ligadas ao agronegócio no Rio Grande do Sul e com um aumento de 45,17% no valor importado na comparação entre os meses de janeiro de 2014 e SALDO DA BALANÇA COMERCIAL DO NO PERÍODO DE JANEIRO DE 2015 O saldo da balança comercial do agronegócio no RS em janeiro de 2015 foi de US$ 523 milhões. Observa-se um crescimento de 5,38% em relação ao resultado de janeiro de Ainda que tenha ocorrido uma contração de US$ 18 milhões no Complexo Soja e US$ 11 milhões no grupo Carnes, houve um aumento de US$ 79 milhões no grupo Cereais, puxado pelo Trigo com US$ 87 milhões.

3 ANEXOS GRÁFICOS E TABELAS TABELA 1 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL EM JANEIRO Valor (US$) Valor (US$) Variação % COMPLEXO SOJA ,65% CARNES ,38% Carne Bovina ,24% Carne de Frango ,98% Carne Suína ,44% CEREAIS ,50% Arroz ,50% Aveia ,91% Cevada ,00% Milho ,00% Sorgo 0 0 0,00% Trigo ,70% ANIMAIS VIVOS ,59% Bovinos Vivos 0 0 0,00% Galos e Galinhas Vivos 0 0 0,00% Suínos Vivos 0 0 0,00% PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS ,80% PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM ,50% FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) ,62% FUMO E SEUS PRODUTOS ,13% Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo ,96% do Fumo Manufaturados ,31% LÁCTEOS ,49% Leite UHT e Leite em Pó ,66% OUTROS ,50% TOTAL ,37%

4 TABELA 2 COMPARAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DO RS NO PERÍODO DE JANEIRO DOS ANOS DE 2014 E 2015 (VALOR ABSOLUTO) Variação % Exportações Valor (US$) COMPLEXO SOJA -10,65% CARNES -8,38% Carne Bovina 7,24% Carne de Frango -14,98% Carne Suína 6,44% CEREAIS 209,50% Arroz -35,50% Aveia -61,91% Cevada 0,00% Milho 0,00% 825 Sorgo 0,00% 0 Trigo 1958,70% ANIMAIS VIVOS 170,59% Bovinos Vivos 0,00% 0 Galos e Galinhas Vivos 0,00% 0 Suínos Vivos 0,00% 0 PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS -45,80% PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM 659,50% FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) -45,62% FUMO E SEUS PRODUTOS 15,13% Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 18,96% do Fumo Manufaturados -26,31% LÁCTEOS 652,49% Leite UHT e Leite em Pó 88,66% OUTROS -18,50% TOTAL 6,37%

5 GRÁFICO 1 EXPORTAÇÕES POR MÊS DO RS (2014) GRÁFICO 2 DESTINO DAS EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO DO RS EM 2015 (%)

6 TABELA 3 EXPORTAÇÕES POR MÊS DO RS NO PERÍODO DE JANEIRO A DEZEMBRO DE 2014 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) Valor (US$) COMPLEXO SOJA 170,733,830 85,553, ,745, ,375, ,351, ,675, ,169, ,519, ,963, ,960,406 77,800, ,460,586 CARNES 132,195, ,751, ,333, ,570, ,318, ,748, ,253, ,274, ,081, ,214, ,917, ,804,050 Carne Bovina 15,830,293 15,641,513 17,540,140 19,882,485 17,440,242 16,937,709 19,362,481 19,736,757 19,565,011 24,006,438 20,630,512 21,993,148 Carne de Frango 82,017,094 89,180,767 98,304, ,920, ,759, ,526, ,098, ,104, ,829, ,031, ,078, ,814,516 Carne Suína 23,463,029 29,990,045 29,626,662 35,232,195 31,065,417 45,465,650 52,095,681 52,346,552 40,296,999 51,047,175 39,650,176 30,081,340 CEREAIS 38,076,719 43,374, ,742, ,532,490 44,233,168 37,760,415 27,123,566 26,144,273 17,806,451 31,850,599 42,849, ,306,275 Arroz 33,552,664 13,976,446 37,462,540 40,593,737 36,540,871 37,123,476 26,502,725 26,138,432 17,683,853 23,746,774 21,903,875 54,855,689 Aveia 54, ,726 20,925 76,851 76,396 10,908 77,737 5,346 33,588 36,580 97, ,168 Cevada Milho 0 28,726,155 91,282,024 99,555,212 6,267, , ,010 8,067, , ,921 Sorgo , , , , Trigo 4,469, ,282 1,977, ,000 1,055, , , ,644,882 67,979,497 ANIMAIS VIVOS 12,750 13,944 15,002 33,000 2,390,976 1,258,959 64,800 19,795 53,500 28,786 37,405 48,934 Bovinos Vivos ,390,976 1,213, Galos e Galinhas Vivos 0 13, Suínos Vivos PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS 728, , , , , ,088 1,254, , ,776 1,020, , ,408 PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM 49, ,476 4,200 52,288 28,413 15,196 1, ,356 8, ,267 FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) 1,676,537 3,161,042 8,155,349 6,556,132 8,781,542 3,550,054 2,117, , ,761 1,296,064 2,037,472 1,470,260 FUMO E SEUS PRODUTOS 79,568,813 86,602,802 58,597,313 64,595, ,789, ,604, ,010, ,701, ,021, ,898, ,686, ,260,903 Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 72,844,012 81,580,049 50,081,485 55,335, ,147, ,972, ,774, ,720, ,664, ,507, ,623,145 95,628,863 do Fumo Manufaturados 6,724,801 5,022,753 8,515,828 9,259,841 7,641,908 5,631,791 7,236,213 6,981,401 6,356,825 8,391,247 6,063,281 5,632,040 LÁCTEOS 132, , , , , ,427 8,083,008 3,651, ,333 6,412,958 8,703,705 9,102,436 Leite UHT e Leite em Pó 18,954 56,631 3,748 4,412 31,233 20,935 6,922,063 3,483,811 34,857 4,802,751 6,929,288 7,912,310 OUTROS 143,666, ,091, ,062, ,447, ,031, ,952, ,612, ,040, ,255, ,300, ,790, ,763,236 TOTAL 566,841, ,325, ,494,437 1,194,962,940 1,409,401,012 1,496,691,521 1,385,705,143 1,183,856,593 1,500,459, ,997, ,222, ,411,355

7 TABELA 4 EXPORTAÇÕES POR MÊS DO RS NO PERÍODO DE JANEIRO A JANEIRO DE 2015 Janeiro Valor (US$) COMPLEXO SOJA 152,552,007 CARNES 121,117,657 Carne Bovina 16,976,023 Carne de Frango 69,734,305 Carne Suína 24,973,336 CEREAIS 117,848,322 Arroz 21,641,516 Aveia 20,652 Cevada 4,164,914 Milho 825 Sorgo 0 Trigo 92,020,415 ANIMAIS VIVOS 34,500 Bovinos Vivos 0 Galos e Galinhas Vivos 0 Suínos Vivos 0 PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS 394,818 PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM 376,097 FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) 911,677 FUMO E SEUS PRODUTOS 91,610,513 Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 86,654,795 do Fumo Manufaturados 4,955,718 LÁCTEOS 1,000,425 Leite UHT e Leite em Pó 35,759 OUTROS 117,090,239 TOTAL 602,936,255

8 TABELA 5 PRINCIPAIS PARCEIROS COMERCIAIS DO RS EXPORTAÇÃO (JANEIRO) País Variação % Valor (US$) Valor (US$) (BLOCO) - UNIÃO EUROPEIA 28 - UE ,042, ,097, % (PAIS) - COREIA,REP.SUL 21,105,455 48,247, % (PAIS) - TAILANDIA 1,321,472 38,568, % (PAIS) - ESLOVENIA,REP. 31,692,317 38,462, % (PAIS) - PAISES BAIXOS 29,365,403 37,070, % (PAIS) - ESTADOS UNIDOS 38,400,145 35,958, % (PAIS) - BANGLADESH 172,260 28,062, % (BLOCO) - MERCADO COMUM DO SUL - MERCOSUL 38,801,184 27,904, % (PAIS) - VIETNA 5,704,143 25,647, % (PAIS) - ARABIA SAUDITA 14,762,146 23,396, % (PAIS) - RUSSIA,FED.DA 12,837,872 19,761, % (PAIS) - CUBA 17,042,554 17,602, % (PAIS) - URUGUAI 20,700,780 16,340, % (PAIS) - BELGICA 8,947,644 15,894, % (PAIS) - HONG KONG 21,270,554 15,716, % (PAIS) - POLONIA 20,535,922 13,359, % (PAIS) - ALEMANHA 37,177,508 13,187, % (PAIS) - FILIPINAS 7,608,132 11,701, % (PAIS) - LETONIA,REP.DA 0 10,854,057 #DIV/0! (PAIS) - CHINA 18,983,135 10,827, % (PAIS) - REINO UNIDO 11,908,457 10,790, % (PAIS) - INDIA 30,702,751 10,676, % (PAIS) - EMIR.ARABES UN. 11,813,478 10,223, % (PAIS) - JAPAO 6,537,278 8,771, % (PAIS) - ANGOLA 8,262,955 7,780, % TODOS PAÍSES 566,841, ,936, %

9 TABELA 6 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL EM JANEIRO Variação % Valor (US$) Valor (US$) COMPLEXO SOJA 4,711,800 2,827, % CARNES 1,674,541 1,784, % Carne Bovina 1,194,418 1,087, % Carne de Frango 126, , % Carne Suína 79, , % CEREAIS 11,418,005 30,265, % Arroz 1,363,155 1,007, % Aveia % Cevada 5,820,885 15,212, % Milho % Sorgo % Trigo 4,233,965 14,045, % ANIMAIS VIVOS 15, , % Bovinos Vivos % Galos e Galinhas Vivos % Suínos Vivos % PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS 1,556, , % PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM 497, , % FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) 6,987,512 5,281, % FUMO E SEUS PRODUTOS 4,592,878 1,340, % Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 4,586,619 1,305, % do Fumo Manufaturados 6,259 34, % LÁCTEOS 5,186,740 7,481, % Leite UHT e Leite em Pó 4,860,641 7,046, % OUTROS 33,105,041 27,919, % TOTAL 69,745,816 79,109, %

10 TABELA 7 - COMPARAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES DO RS NO PERÍODO DE JANEIRO DOS ANOS DE 2014 E 2015 (VALOR ABSOLUTO) Variação % Importações Valor (US$) COMPLEXO SOJA % -1,884,800 CARNES 6.57% 110,042 Carne Bovina -8.98% -107,308 Carne de Frango 61.39% 77,599 Carne Suína % 201,127 CEREAIS % 18,847,815 Arroz % -355,707 Aveia 0.00% 0 Cevada % 9,391,489 Milho 0.00% 0 Sorgo 0.00% 0 Trigo % 9,812,033 ANIMAIS VIVOS % 580,862 Bovinos Vivos 0.00% 0 Galos e Galinhas Vivos 0.00% 0 Suínos Vivos 0.00% 0 PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS % -777,728 PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM 67.83% 337,384 FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) % -1,706,151 FUMO E SEUS PRODUTOS % -3,252,878 Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo % -3,281,286 do Fumo Manufaturados % 28,408 LÁCTEOS 44.24% 2,294,842 Leite UHT e Leite em Pó 44.96% 2,185,494 OUTROS % -5,185,825 TOTAL 13.43% 9,363,563

11 TABELA 8 PRINCIPAIS PARCEIROS COMERCIAIS DO RS IMPORTAÇÃO (JANEIRO) País Variação % Valor (US$) Valor (US$) (BLOCO) - MERCADO COMUM DO SUL - MERCOSUL 36,246,480 52,617, % (PAIS) - ARGENTINA 17,428,662 37,131, % (PAIS) - URUGUAI 13,764,135 11,795, % (BLOCO) - UNIÃO EUROPEIA 28 - UE 28 9,526,670 8,085, % (PAIS) - CHINA 3,107,876 4,490, % (PAIS) - PARAGUAI 5,053,683 3,690, % (PAIS) - ESTADOS UNIDOS 4,681,102 3,496, % (PAIS) - CHILE 5,652,991 3,391, % (PAIS) - FRANCA 1,444,680 2,088, % (PAIS) - ITALIA 1,262,204 1,892, % (PAIS) - INDONESIA 84,170 1,196, % (PAIS) - TAILANDIA 1,838,396 1,103, % (PAIS) - PORTUGAL 662, , % (PAIS) - ALEMANHA 1,714, , % (PAIS) - MALASIA 1,389, , % (PAIS) - VIETNA 1,048, , % (PAIS) - ESPANHA 1,130, , % (PAIS) - PAISES BAIXOS 1,355, , % (PAIS) - PERU 428, , % (PAIS) - JAPAO 378, , % (PAIS) - POLONIA 88, , % (PAIS) - FINLANDIA 735, , % (PAIS) - AUSTRALIA 0 266,037 #DIV/0! (PAIS) - INDIA 314, , % (PAIS) - TAIWAN (FORMOSA) 56, , % TODOS PAÍSES 69,745,816 79,109, %

12 TABELA 9 SALDO DA BALANÇA COMERCIAL (JANEIRO) Valor (US$) Valor (US$) Variação % COMPLEXO SOJA 166,022, ,725, % CARNES 130,521, ,333, % Carne Bovina 14,635,875 15,888, % Carne de Frango 81,890,693 69,530, % Carne Suína 23,383,716 24,692, % CEREAIS 26,658,714 87,582, % Arroz 32,189,509 20,634, % Aveia 54,216 20, % Cevada -5,820,885-11,047, % Milho % Sorgo % Trigo 235,874 77,974, % ANIMAIS VIVOS -2, , % Bovinos Vivos % Galos e Galinhas Vivos % Suínos Vivos % PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS -828, , % PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM -447, , % FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) -5,310,975-4,369, % FUMO E SEUS PRODUTOS 74,975,935 90,270, % Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 68,257,393 85,349, % do Fumo Manufaturados 6,718,542 4,921, % LÁCTEOS -5,053,791-6,481, % Leite UHT e Leite em Pó -4,841,687-7,010, % OUTROS 110,561,405 89,171, % TOTAL 497,096, ,826, %

13 TABELA 10 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL EM JANEIRO (PESO Kg) Variação % Peso (Kg) Peso (Kg) COMPLEXO SOJA 302,307, ,691, % CARNES 67,113,085 62,189, % Carne Bovina 3,941,056 4,288, % Carne de Frango 47,333,579 42,833, % Carne Suína 9,490,516 9,634, % CEREAIS 94,562, ,100, % Arroz 79,189,055 45,206, % Aveia 270, , % Cevada % Milho % Sorgo % Trigo 15,103, ,225, % ANIMAIS VIVOS 1, % Bovinos Vivos % Galos e Galinhas Vivos % Suínos Vivos % PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS 427, , % PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM 56,540 1,183, % FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) 1,676,537 1,855, % FUMO E SEUS PRODUTOS 79,568,813 19,096, % Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 72,844,012 17,986, % do Fumo Manufaturados 6,724,801 1,109, % LÁCTEOS 132, , % Leite UHT e Leite em Pó 18,954 8, % OUTROS 19,721,432 61,216, % TOTAL 565,567,434 1,015,920, %

14 TABELA 11 PREÇO DOS PRODUTOS EXPORTADOS EM JANEIRO (US$/ton) Variação % US$/ton US$/ton COMPLEXO SOJA % CARNES 1, , % Carne Bovina 4, , % Carne de Frango 1, , % Carne Suína 2, , % CEREAIS % Arroz % Aveia % Cevada % Milho , % Sorgo % Trigo % ANIMAIS VIVOS 12, , % Bovinos Vivos % Galos e Galinhas Vivos % Suínos Vivos % PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS 1, , % PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM % FRUTAS (INCLUI NOZES E CASTANHAS) % FUMO E SEUS PRODUTOS 5, , % Fumo Não Manufaturado e Desperdícios de Fumo 5, , % do Fumo Manufaturados 5, , % LÁCTEOS 2, , % Leite UHT e Leite em Pó 5, , % OUTROS 1, , %

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Introdução a Agronegócios

Introdução a Agronegócios Introdução a Agronegócios Professor: Me. Claudio Kapp Junior juniorkapp@hotmail.com Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com Pilares do Agronegócio Sustentabilidade Segurança Alimentar

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR GLOBAL BRASIL: janeiro-dezembro 2015

COMÉRCIO EXTERIOR GLOBAL BRASIL: janeiro-dezembro 2015 Secretaria-Geral ALADI/SEC/di 2668 12 de janeiro de 2016 COMÉRCIO EXTERIOR GLOBAL BRASIL: janeiro-dezembro 2015 Os fluxos globais do comércio exterior brasileiro contraíram-se significativamente em 2015

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS mensário estatístico - CAFÉ EM GRÃOS CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP. Redução de Custos no Comércio Exterior

II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP. Redução de Custos no Comércio Exterior II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP PALESTRA Redução de Custos no Comércio Exterior Fábio Martins Faria Curitiba, 29 de outubro de 2014 1 - REALIDADE BRASIL: PAÍS EXPORTADOR DE PESO 2

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP CONSELHO SUPERIOR DE COMÉRCIO EXTERIOR DA FIESP - COSCEX PALESTRA AS DIFICULDADES DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NA ARGENTINA, VENEZUELA, EUA E

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio do Agronegócio Edição 2010 África do Sul Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Bangladesh Canadá China Cingapura Colômbia Coréia do Sul Egito

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 I - Resultados do mês Em junho de 2012 as exportações

Leia mais

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Cenário Macro Econômico Brasileiro 2015 Economia em forte e crescente desequilibrio Deficit Fiscal 2014

Leia mais

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Dezembro/2013 12.000 Gráfico 1 - Balança Comercial do Agronegócio

Leia mais

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015 EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DO ALGODÃO Abril/15 Abril/14 VARIAÇÃO RELATIVA ALGODÃO VALOR QUANT. VALOR QUANT. US$ Mil t US$ Mil t VALOR

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: 09/12 á 16/12 de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: 09/12 á 16/12 de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. ISS 2316-119 SOJA» MERCADO INTERNO A segunda semana de dezembro foi de leve depreciação com valor médio de R$ 69,56 no preço da saca de 6 Kg de soja em grãos, representando uma queda de 2% em relação aos

Leia mais

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR PAINEL 1 COMO AUMENTAR A PARTICIPAÇÃO DO PAÍS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE DOS PRODUTOS BRASILEIROS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo,

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Janeiro/2016 I Resultados do mês (comparativo jan/2016 jan/2015)

Leia mais

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA INFORMAÇÕES PARA A FEIRA SIAL 2016 PARIS (FRANÇA) INTRODUÇÃO A SIAL (Salon International de l'alimentation) é considerada a maior feira de alimentos

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED,,, 1 de 16 2000 1999 %(2000x1999) Janeiro / January US$ (000) US$/Ton 25.537 9.793 2.608 15.392 4.375 3.518 66% 124% -26% INDUSTRIALIZADA / PROCESSED

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Intercâmbio. Comercial do Agronegócio. principais mercados de destino. Edição 2012. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Intercâmbio. Comercial do Agronegócio. principais mercados de destino. Edição 2012. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Intercâmbio Comercial do Agronegócio principais mercados de destino Edição 2012 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Relações

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 15/2014

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 15/2014 92.005.586/0001-03 Tipo de Julgamento: Menor Preço por Página 1 de 5 Sub. Qtde. Unid. Descrição Marca/Modelo Valor Valor Total 1 75,00 KG AÇUCAR 2 3,00 UND AÇUCAR DE BAUNILHA PC/500G 3 0,80 Kg ALHO 4 5,00

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Novembro/2013 I - Resultados do mês As exportações do agronegócio

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações agroexportações EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS DO PARANÁ De Janeiro a Julho de 2012 Contexto Nacional Cooperativas do Paraná 1,15 bilhão de dólares em exportações 36% das exportações brasileiras de cooperativas

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/07/11 02/08/11 30/08/11 27/09/11 25/10/11 22/11/11 20/12/11 17/01/12 14/02/12 13/03/12 10/04/12 08/05/12 05/06/12 03/07/12 31/07/12 28/08/12 25/09/12

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina

Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina Brasília, julho de 2007 Matheus A. Zanella 1 Superintendência Técnica da CNA Este artigo apresenta um panorama dos principais indicadores do mercado mundial de

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL INTEGRAÇÃO CONTRATUAL Uma Estratégia de Acesso ao Mercado Internacional Flávio Tadeu C. Silva Analista de Comércio Exterior Internacionalização de Cooperativas Integração Regional no Mercosul Escritório

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Outubro/2015 I Resultados do mês (comparativo Outubro/2015 Outubro/2014)

Leia mais

A Importância da Parceria Transpacífico para a agropecuária brasileira

A Importância da Parceria Transpacífico para a agropecuária brasileira Edição 1 - Outubro de 2015 ESPECIAL A Importância da Parceria Transpacífico para a agropecuária brasileira A conclusão das negociações da Parceria Transpacífico (TPP), anunciada formalmente na segunda-feira,

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

LIGA ÁRABE Comércio Exterior

LIGA ÁRABE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIGA ÁRABE Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Relação Econômica Bilateral Japão e Brasil

Relação Econômica Bilateral Japão e Brasil Relação Econômica Bilateral e Ⅰ.Comércio Exterior e Os principais parceiros de intercâmbio comercial brasileiro são os, a e a. A presença do não é significativa comparando a esses países. As exportações

Leia mais

Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura

Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura Francisco Edilson Maia Presidente da Comissão Nacional de Caprinos e Ovinos CNA Presidente da Câmara Setorial e Temática de Ovinos e

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES

CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES Exportação de carne e produtos cárneos para países terceiros - Ponto de situação e estratégias futuras para eliminação das barreiras identificadas A

Leia mais

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário JOSÉ VICENTE FERRAZ JULIANA MORETTI ANGELO 20 de Junho 2008 Investment Grade Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil (milhões

Leia mais

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro Em fevereiro de 215, o Brasil apresentou um déficit na balança comercial de, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o montante é um déficit de US$ 3,8 bilhões (Figura 1),

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 I Resultados do mês (comparativo Mar/2015 Mar/2014)

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida.

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. Aves SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. SOL PINTEIROS: Pintos desde o 1º dia até 3 semanas de vida. COELHOS SOL A 115: Frangos desde as 4 semanas de vida até ao abate. SOL A 120: Galinhas

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 22/2014

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 22/2014 Tipo de Julgamento: Menor Preço por Página 1 de 5 Sub. Qtde. Unid. Descrição Marca/Modelo Valor Valor Total 1 75,00 KG AÇUCAR 2 3,00 UND AÇUCAR DE BAUNILHA PC/500G 3 0,80 Kg ALHO 4 9,00 PACT AMIDO DE MILHO

Leia mais

Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos. Luiz G Murat Jr.

Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos. Luiz G Murat Jr. Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos Luiz G Murat Jr. Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos Amazônia legal 350 Milhões ha 41% Área útil 350 Milhões hectares

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Missão Promover o desenvolvimento sustentável e a competitividade do agronegócio em benefício da

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 11/06/11 11/07/11 11/08/11 11/09/11 11/10/11 11/11/11 11/12/11 11/01/12 11/02/12 11/03/12 11/04/12 11/05/12 11/06/12 11/07/12 11/08/12 11/09/12 11/10/12

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 10. Brasília, 06 de fevereiro de 2008 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS EM 2007

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 10. Brasília, 06 de fevereiro de 2008 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS EM 2007 INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 10 Brasília, 06 de fevereiro de 2008 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS EM 2007 Equipe da Gerência de Mercados - GEMERC: Autor: Marcos Antonio Matos - Técnico

Leia mais

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r?

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r? A CRISE MUNDIAL DOS ALIMENTOS: O que o Brasil pode fazer? Geraldo Barros USA: Inflation, Interest Rates, GDP Int rates Infl 12 14 16 18 6% 8% 1% GDP -4-2 2 4 6 8 1 198 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

Exportação e importação

Exportação e importação 17 Exportação e importação Este capítulo, com 12 tabelas, possui informações sobre uma série histórica da Balança Comercial de Mato Grosso no período de 1995 a 2004. Para o ano de 2004 são apresentadas

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA A conjuntura econômica do último mês foi marcada por aceleração dos principais índices de inflação em todo Brasil. Em janeiro, o IPCA avançou 1,24% em nível de Brasil, esta foi a maior

Leia mais

INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AGRÍCOLA E EXPANSÃO DOS FLUXOS COMERCIAIS SUL-SUL Mário Jales *

INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AGRÍCOLA E EXPANSÃO DOS FLUXOS COMERCIAIS SUL-SUL Mário Jales * Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais Institute for International Trade Negotiations INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AGRÍCOLA E EXPANSÃO DOS FLUXOS COMERCIAIS SUL-SUL

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL* - Agronegócio, Eletrônica e TIC e Biotecnologia 2010-2014 * Mercado Comum do Sul, composto pela República Federativa do Brasil, República da Argentina, República do Paraguai, República

Leia mais

Exportação Brasileira de Tangerinas por País de Destino 2010

Exportação Brasileira de Tangerinas por País de Destino 2010 Exportação Brasileira de Laranjas por País de Destino 2010 ESPANHA 5.293.450 12.795.098 PAISES BAIXOS (HOLANDA) 4.669.412 10.464.800 REINO UNIDO 2.015.486 5.479.520 PORTUGAL 1.723.603 3.763.800 ARABIA

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR AGRO E ALIMENTOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR AGRO E ALIMENTOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR AGRO E ALIMENTOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa,

Leia mais

Caminhos da Soja Conquistas da Soja no Brasil

Caminhos da Soja Conquistas da Soja no Brasil Caminhos da Soja Conquistas da Soja no Brasil Francisco Sérgio Turra Presidente Executivo Soja no Mundo Mil toneladas Evolução da produção de soja por país (mil toneladas) 100 75 50 Brasil - 84 EUA - 82

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Outubro 2015

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Outubro 2015 >> Exportações de produtos industriais 1 Período Quadro evolutivo - Exportação de Mato Grosso do Sul (2011 a 2015) Industrial Total Receita (US$ Milhão) Participação (%) sobre a Receita total Variação

Leia mais

RADIOGRAFIA DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO

RADIOGRAFIA DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO RADIOGRAFIA DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: PASSADO, PRESENTE E FUTURO Rio de Janeiro, 15 de janeiro de 2012 Av. General Justo, 335 4º andar Cep 20021-130 Rio de Janeiro Brasil Tel.: (21) 2544-0048 -

Leia mais

Mudança do cenário internacional e reflexos para o setor externo brasileiro

Mudança do cenário internacional e reflexos para o setor externo brasileiro Mudança do cenário internacional e reflexos para o setor externo brasileiro Irailton Silva Santana Júnior 1 Vinícius de Araújo Mendes 1 Introdução O presente relatório concentra a análise da economia brasileira

Leia mais

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL INTEGRAÇÃO CONTRATUAL Uma Estratégia de Acesso ao Mercado Internacional Pedro Viana Borges Esp. Pol. Públicas P e Gestão Governamental Internacionalização de Cooperativas Integração Regional no Mercosul

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

Levin Flake Economista Senior de Comércio Escritório de Análise Global Serviço Exterior de Agricultura Departamento de Agricultura dos Estados Unidos

Levin Flake Economista Senior de Comércio Escritório de Análise Global Serviço Exterior de Agricultura Departamento de Agricultura dos Estados Unidos Levin Flake Economista Senior de Comércio Escritório de Análise Global Serviço Exterior de Agricultura Departamento de Agricultura dos Estados Unidos Levin.Flake@fas.usda.gov Global Policy Analysis Division

Leia mais

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Dezembro, 2015 1 Roteiro sofre de diversos desequilíbrios e problemas de competitividade.

Leia mais

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações Carta de Conjuntura nº2 Dezembro de 2015 Setor Externo As cotações do dólar recuaram em relação aos últimos meses, chegando a taxa média em novembro a ficar em R$ 3,77, cerca de 2,77% abaixo da taxa média

Leia mais

DESAFIOS ÀS EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

DESAFIOS ÀS EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Departamento de Promoção Internacional do Agronegócio DESAFIOS ÀS EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

Leia mais

Estatísticas da suinocultura no Brasil e no mundo

Estatísticas da suinocultura no Brasil e no mundo AZ44 - Suinocultura Estatísticas da suinocultura no e no mundo Prof. Marson Bruck Warpechowski PRODUÇÃO MUNDIAL DE CARNE SUÍNA EM 28 3% 2% 23% 1% % 3% 46% Vietnã Filipinas Taiwan Chile Belarus Australia

Leia mais

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - DEZEMBRO/2015 As exportações catarinenses cresceram 1,10 no mês de dezembro de 2015 em relação

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

www.apcergroup.com O processo de auditoria na cadeia de valor

www.apcergroup.com O processo de auditoria na cadeia de valor O processo de auditoria na cadeia de valor Tópicos Auditorias a fornecedores - Enquadramento Auditoria - Fases APCER como prestadora deste serviço de auditorias Auditorias a Fornecedores Conduzidas por

Leia mais

Grãos: um mercado em transformação. Steve Cachia

Grãos: um mercado em transformação. Steve Cachia Grãos: um mercado em transformação. Steve Cachia Diretor - Business Development Consultor / Analista de Commodities 3º Forum de Agricultura da América do Sul. 12 de novembro, 2015 Curitiba, PR Brasil.

Leia mais

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013

IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços. São Paulo, 25 de junho de 2013 2013 IV ENAServ - Encontro Nacional de Comércio Exterior de Serviços São Paulo, 25 de junho de 2013 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE SERVIÇOS* - US$ Bilhões 2011 2012 Δ% 2012/2011 Exportações

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Brasil PARTICIPAÇÃO NO SUPRIMENTO MUNDIAL DE CARNES 2013 Bovino Frango Suíno Produção 2º 3º 4º Consumo 2º 3º 5º Exportação 2º 1º 4º Fonte:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Governo do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP

Governo do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Governo do Brasil Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Integração Contratual para Acesso a Mercado Rodolfo Osorio de Oliveira Coordenador

Leia mais

Preçário dos Cartões Telefónicos PT

Preçário dos Cartões Telefónicos PT Preçário dos Cartões Telefónicos PT Cartão Telefónico PT 5 e (Continente)... 2 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma dos Açores)... 6 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma da Madeira)... 10 Cartão

Leia mais

Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas

Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas Robert John van Dijk Diretor Superintendente Administração de recursos de terceiros no Brasil e no mundo: evolução e perspectivas Agosto de 2008 Agenda - Administração de recursos de terceiros: no Brasil

Leia mais

Intercooperação para Acesso a Mercados

Intercooperação para Acesso a Mercados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo Departamento de Cooperativismo e Associativismo Rural Intercooperação para Acesso a Mercados

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 03/05/2013 a 09/05/2013 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Prof. Ms.

Leia mais

Negociações internacionais para abertura e manutenção de mercados. panorama da situação atual. Rinaldo Junqueira de Barros

Negociações internacionais para abertura e manutenção de mercados. panorama da situação atual. Rinaldo Junqueira de Barros Negociações internacionais para abertura e manutenção de mercados panorama da situação atual Rinaldo Junqueira de Barros Balança comercial do Agronegócio 120 100 100 80 83 60 40 20 17 0 1997 1998 1999

Leia mais