SISTEMAS DE GESTÃO DA PRODUÇÃO E A CADEIA DE VALOR MINERAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS DE GESTÃO DA PRODUÇÃO E A CADEIA DE VALOR MINERAL"

Transcrição

1 SISTEMAS DE GESTÃO DA PRODUÇÃO E A CADEIA DE VALOR MINERAL Bek Nader Engenheiro de Minas (EPUSP), Mestrando em Tecnologia Mineral Departamento de Engenharia de Minas e Metalurgia da UFMG Vice Presidente da Gemcom América Latina Paulo F. T. Sachs Engenheiro de Minas (EPUSP), MBA (FGV), Mestrando em Engenharia Mineral Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo da EPUSP Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Gemcom América Latina - RESUMO Sistemas ERP têm sido amplamente implementados nos dias de hoje, nos mais diversos segmentos de indústria. Entretanto, como os ERPs foram originalmente idealizados para atender ao segmento de manufatura discreta, pouca pesquisa foi desenvolvida com foco no uso de sistemas ERP na mineração. Além disso, este segmento apresenta muitas características peculiares, que são difíceis de serem atendidas por um sistema ERP padrão. O objetivo desse trabalho é identificar, através de estudos de caso, como os sistemas ERP gerenciam as áreas funcionais da indústria mineral, e como eles se compatibilizam, ou não, aos requisitos de Tecnologia da Informação da cadeia de valor mineral. O trabalho apresenta casos reais e os principais benefícios obtidos por empresas mineradoras a partir da implementação de sistemas ERP e sistemas integrados de gestão da produção mineral. Palavras Chave: Gestão Integrada da Produção Mineral, ERP, Tecnologia da Informação, Cadeia de Valor ABSTRACT ERP systems have been widely implemented nowadays in several industries. However, as ERP was originally designed to fit the requirements of discrete manufacturing, limited research has been developed with focus on enterprise management systems in mining. On top oh that, the mining segment in particular presents many peculiar characteristics, which are difficult to comply with ERP systems standard functionalities. The objective of this paper is to identify, through case studies, how ERP systems manage the functional areas of the mining industry, and how they fit, or not, into the mineral value chain IT requirements. This paper also presents real cases and the main benefits obtained by mining companies with the implementation of ERP and integrated mining production management systems. Key Words: Mine Production Management System, ERP, Information Technology, Value Chain

2 INTRODUÇÃO As primeiras iniciativas de implementação de sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) na Mineração ocorreram, em nível mundial, no início da década de 90. Como tantos outros segmentos industriais, sistemas legados antigos e baseados em computadores de grande porte tiveram seu fim abreviado pelo bug do milênio, e foram substituídos por sistemas de mercado de forma acelerada, no fim da década. No Brasil, verificou-se uma situação diferente, talvez ditada pelas características conservadoras desse segmento de indústria no país: A principal mineradora brasileira e uma das maiores do mundo a Companhia Vale do Rio Doce optou por adaptar seus sistemas legados em mainframes, enquanto avaliava com mais cuidado seus modelos de negócios e de gestão de TI (Tecnologia da Informação), ao mesmo tempo em que passava por importante rearranjo do bloco de controle societário. Apenas recentemente a empresa decidiu-se por um pacote ERP de mercado, que se encontra ainda em implementação. Empresas multinacionais organizações de médio porte subsidiárias de grandes grupos optaram por duas vertentes antagônicas: ou seguiram as soluções adotadas mundialmente por suas matrizes, ou implementaram soluções locais de menor porte. A principal razão nos casos destas que tomaram essa última opção foi o escopo, complexidade e custo de projetos ERP high-end mundiais, comparados ao tamanho e necessidades das operações brasileiras da organização. Empresas de médio porte nacionais ou multinacionais sejam empreendimentos mineiros isolados ou parte de grandes grupos industriais multi-segmentados, com maior foco em outras indústrias de maneira geral implementaram sistemas ERP de mercado. Em todos os casos, questionam-se os objetivos, benefícios e resultados obtidos ou desejados, uma vez que a indústria mineral tem características intrínsecas muito distintas da maioria dos outros segmentos industriais, difíceis de serem atendidas por sistemas ERP padrão de mercado. Esse trabalho explora as características de negócio da indústria mineral, propondo uma Cadeia de Valor Mineral adaptada da cadeia de valor de Porter e Millar (1985). Ele também identifica como o sistema ERP gerencia as áreas funcionais de uma empresa de mineração, como se insere em sua cadeia de valor, e como e porque gera benefícios para a organização. A metodologia utilizada será a de estudos de caso, principalmente através de fontes primárias (entrevistas semi-estruturadas e questionários), porém também utilizando fontes secundárias. OS SISTEMAS ERP Segundo Hicks e Stecke (1995), Enterprise Resource Planning, ou ERP, é um termo que foi inicialmente utilizado pelo Gartner Group, não significando uma revolução conceitual, um avanço tecnológico significativo, ou ainda uma idéia verdadeiramente inovadora: em vez disso, era na verdade um paradigma útil, essencialmente preocupado em assegurar que as decisões de produção de uma empresa fossem tomadas considerando seus impactos em toda a cadeia de suprimentos, tanto a montante (upstream) quanto a jusante (downstream). Além disso, as decisões de produção são influenciadas e por sua vez influenciam todas as outras áreas principais do negócio, incluindo engenharia, finanças e marketing. Para tomar

3 decisões melhores, deve-se levar em conta todas essas importantes interações dentro da empresa. Segundo Corrêa, Gianesi e Caon (1997), o ERP é constituído por módulos integrados entre si que atendem às necessidades de informação de apoio à tomada de decisão de todos os setores da empresa, a partir de uma base de dados única e não-redundante. O sistema considerado uma evolução do MRP II (Manufacturing Resources Planning) controla todos os recursos da empresa, e não apenas os diretamente utilizados na manufatura. De acordo com Davenport (1998), um sistema ERP é um pacote comercial que promete às empresas integrar todas as informações que fluem através da organização, nas áreas de operações e cadeia de suprimentos, vendas e marketing, finanças e recursos humanos. O sistema impõe sua própria lógica à estratégia, organização e cultura da empresa, levando à integração total mesmo quando uma certa dose de segregação poderia ser desejável, e à adoção de processos genéricos, ainda que processos customizados pudessem ser uma fonte de vantagem competitiva para a empresa. O coração de um sistema ERP é a base de dados, que tanto extrai quanto alimenta dados das aplicações, as quais suportam as mais diversas funções e departamentos da empresa. Essa arquitetura de base de dados única agiliza dramaticamente o fluxo de informações através de toda a organização. Wood Jr. (1999) afirma que esses sistemas são teoricamente capazes de integrar a gestão de toda a empresa, agilizando a tomada de decisão, podendo ser adaptados a qualquer empresa. As expectativas sobre seu impacto são enormes, assim como os investimentos para implementá-los. Langenwalter (2000) descreve a evolução histórica do ERP como uma terceira geração de sistemas que iniciaram no fim dos anos 60 com o MRP (Material Requirement Planning), posteriormente sucedido na década de 70 pelo MRP II (Manufacturing Resources Planning), que integrava planejamento de materiais, compras de material de produção, contabilidade e o chão-de-fábrica. Ptak e Schragenheim (2000) enfatizam que o ERP não é apenas o MRP II com um novo nome, utilizando uma nova arquitetura cliente-servidor: o ERP é, sim, um novo nível lógico de sofisticação na evolução de ferramentas de TI, trazendo novas funções integradas ao recurso de planejamento. Segundo Laurindo e Pessôa (2001), os sistemas ERP surgiram no início da década de 90, como uma evolução dos sistemas MRP II, expandindo sua abrangência para além da produção e atingindo áreas funcionais como contabilidade, finanças, engenharia, recursos humanos e gerenciamento de projetos. Como esses sistemas passaram a englobar todas as atividades dentro do cenário de negócios das empresas, passaram a ser denominados genericamente Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Segundo Zwicker e Souza (2003), sistemas ERP são sistemas de informação integrados adquiridos na forma de pacotes comerciais de software com a finalidade de dar suporte à maioria das operações de uma empresa industrial (suprimentos, manufatura, manutenção, administração financeira, contabilidade, recursos humanos, etc.). Os sistemas ERP têm algumas características que os diferenciam de sistemas desenvolvidos internamente pelas empresas, os chamados sistemas legados, e de outros pacotes comerciais. Segundo Zwicker e Souza (2003), essas principais características são: são pacotes comerciais de software; incorporam modelos de processos de negócios (best practices); são sistemas de informação integrados e utilizam um banco de dados corporativo;

4 possuem grande abrangência funcional; requerem procedimentos de ajuste para que possam ser utilizados em determinada empresa. A grande maioria dos sistemas ERP é dividida em módulos que podem até mesmo ser comercializados separadamente que atendem às diversas áreas funcionais ou departamentos da empresa. Entretanto, esses módulos interagem entre si à medida que os processos demandam troca de informações entre áreas funcionais distintas. Essas interações, feitas em tempo real e armazenadas em uma só base de dados, resultam naquele que possivelmente seja o maior benefício do sistema: sua integração e disponibilização de dados únicos e consolidados a todos os departamentos da empresa (Figura 1). FIGURA 1: Principais módulos de um ERP em uma empresa industrial e suas interligações (Zwicker e Souza, 2003) A MINERAÇÃO A Mineração é parte da chamada indústria de Processo, que por sua vez compreende cerca da metade das empresas de manufatura em todo o mundo (Ptak e Schragenheim, 2000). Tratam-se tipicamente de empreendimentos de porte, intensivos em capital, com equipamentos pesados e grandes plantas industriais. Com o objetivo de obter o melhor retorno possível sobre seus ativos considerando-se que é um negócio intensivo em capital e custos mais baixos de produção, equipamentos de mina e plantas industriais normalmente operam 24 horas por dia, 7 dias por semana. Desse modo, o principal foco de um sistema empresarial nesse segmento de indústria deve ser manter a alta utilização dos equipamentos, através do efetivo gerenciamento da manutenção e da utilização da capacidade instalada. Assim, aspectos importantes para a boa performance do negócio devem ser evitar tempo e capacidade ociosos dos ativos, através de sistemas de programação da produção e de manutenção preditiva e preventiva. Uma característica da indústria mineral, intrínseca à sua natureza, é o fato de a principal matéria prima o minério ter por origem a própria mina da empresa. Apesar do avanço em sistemas de modelagem geológica e geoestatística, os resultados obtidos desses sistemas sempre terão algum nível de incerteza e erro quanto à sua qualidade estimada

5 mineralogia, teores, granulometria, etc. a qual somente será conhecida com precisão após a lavra do minério. Ptak e Schragenheim (2000) abordam o seguinte conceito de indústrias tipo Planta A e Planta V : Uma Planta A, tipicamente de manufatura discreta, utiliza planejamento e programação da produção através da lógica tradicional de sistemas MRP (Material Requirement Planning). Os componentes da estrutura de materiais, suas especificações e o tempo em que serão necessários na linha de montagem são perfeitamente determinados e detalhados a partir do plano de produção, ou, em última instância, das ordens ou do plano de vendas (Figura 2). FIGURA 2 Estrutura de Materiais: Manufatura (adaptado de Heizer e Render, 2001) Já em uma Planta V, que representa a indústria mineral, a lógica de planejamento e programação de um MRP simplesmente não é adequada. Esse tipo de planta utiliza poucas matérias primas, porém em grandes quantidades, para produzir produtos finais, assim como co-produtos e sub-produtos. As incertezas no processo de produção exigem a existência de estoques, ou buffers, normalmente pilhas de estocagem intermediárias e de produtos finais. Companhias mineradoras normalmente produzem commodities para estoque, e não contra ordens de venda (Figura 3). FIGURA 3 Estrutura de Materiais: Mineração Um outro fator limitante importante a ser considerado nos processos de produção e de planejamento é o seqüenciamento do minério: para que um bloco de minério esteja disponível para a produção, ou seja, para que possa ser lavrado, sua localização deve estar na frente de lavra, ou na face da mina exposta ao acesso de equipamentos. Para que em um determinado momento este bloco de minério esteja disponível, isto exigiu cuidadoso planejamento de atividades anteriores, como remoção de material estéril e de outros blocos de minério em níveis sobrejacentes em minas a céu aberto ou a construção de acessos apropriados através de planos inclinados, poços e galerias, no caso de minas subterrâneas. Isso contrasta com um almoxarifado de matérias primas em outros segmentos industriais, onde todos os materiais podem ser acessados a qualquer tempo, sem restrições (Figuras 4 e 5).

6 FIGURA 4 Porta-palete de componentes em Manufatura FIGURA 5 Modelagem de sequenciamento de lavra em Mina a céu aberto e subterrânea Ainda que as indústrias de processo tenham sido tradicionalmente um desafio para os sistemas MRP tradicionais, alguns dos seus segmentos como farmacêutica, química, alimentos e bebidas podem ser atendidos por sistemas MRP padrão ou especialistas, razoavelmente adequados para gerenciar plantas de fluxo contínuo simples ou em bateladas. Entretanto, como já exposto, os sistemas MRP simplesmente não atendem aos requisitos de fluxo de produção de uma mineradora. Já que o ERP pode ser considerado como uma evolução dos sistemas MRP e MRP II (Hicks e Stecke, 1995; Correa et al., 1997; Langenwalter, 2000; Ptak e Schragenheim, 2000; Laurindo e Pessoa, 2001), com forte ênfase em produção e planejamento e programação da produção, pode-se entender as razões pelas quais é difícil o uso efetivo de um sistema ERP nos processos mais importantes de um empreendimento mineral, os quais estão ligados à cadeia de produção. A CADEIA DE VALOR MINERAL Segundo Porter e Millar (1985), a TI está transformando o modo de operação das empresas. Um conceito importante que evidencia o papel da TI no ambiente competitivo é o da cadeia de valor, que identifica as atividades desempenhadas pela empresa, do ponto de vista tecnológico e econômico, para executar o seu negócio. A cadeia de valor é um sistema de atividades interdependentes conectadas por elos, os quais surgem quando a maneira pela qual uma atividade é desempenhada afeta outras atividades correlatas (Figura 6).

7 FIGURA 6 Cadeia de Valor de Porter; Fonte: Porter e Millar (1985) As atividades primárias são as que compõem a produção física, a venda e a entrega do produto ao cliente. As atividades de suporte ou secundárias proporcionam os insumos e a infra-estrutura para a realização das atividades primárias. Cada atividade dentro da cadeia de valor tem tanto componentes físicos quanto de informação. A TI está permeando entre todos os pontos da cadeia de valor, transformando a maneira como as atividades são desempenhadas e a natureza dos elos entre elas. No caso da indústria mineral, propõe-se o detalhamento das atividades primárias, conforme a Figura 7. FIGURA 7 Cadeia de Valor Mineral; Fonte: Sachs e Damasceno (2004) Observam-se as seguintes peculiaridades na Cadeia de Valor Mineral, com relação ao trabalho mais abrangente de Porter e Millar (1985): A Logística Interna é predominantemente realizada através das operações unitárias de lavra da mina, isto é, extração do minério, e a preparação para seu aproveitamento nas etapas subseqüentes do processo. As Operações podem englobar as mais diversas operações industriais, desde simples plantas de britagem e peneiramento até complexas usinas de concentração ou plantas metalúrgicas (ferro, ouro, nióbio, níquel, etc) e químicas (fosfato, etc). Vendas normalmente precedem Logística Externa, uma vez que se tratam de contratos de longo prazo com clientes pré-definidos, que são então atendidos através do envio de lotes específicos. Parte significativa do comércio de minérios é transoceânico, demandando complexas operações de transporte intermodal e estocagem intermediária.

8 METODOLOGIA DE PESQUISA A questão chave relacionada ao objetivo desse trabalho é: como um sistema ERP pode ser efetivamente implementado na mineração, considerando-se as características, requisitos e limitações da indústria, tendo por base a cadeia de valor do negócio? Inicialmente, foi realizada uma pesquisa de caráter exploratório, visando levantar o comportamento das empresas da indústria de mineração em relação aos ERPs. Foi adotada a metodologia de estudo de caso, uma vez que a situação proposta está perfeitamente alinhada à seguinte definição de Yin (1994): Um estudo de caso é uma investigação empírica que investiga um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto da vida real, especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos. Foram utilizados questionários e entrevistas semi-estruturadas para coletar os dados primários. Os dados secundários foram obtidos em publicações e trabalhos acadêmicos. Estudo Exploratório Inicialmente, enviou-se um questionário ao CIO (Chief Information Officer) ou Diretor de TI, ou executivo de nível equivalente, de oito mineradoras brasileiras, com as seguintes questões: Informações da Empresa Informações do ERP Provedor do sistema ERP Módulos implementados Por que a empresa decidiu implementar o sistema ERP Sistemas Dedicados de Mineração ou Estratégicos Quais sistemas dedicados de mineração e/ou estratégicos foram mantidos, e se e como eles foram integrados ou interfaceados ao sistema ERP. Benefícios obtidos do ERP Foram listadas 23 questões fechadas, baseadas no trabalho de Souza (2000); Colângelo Filho (2001); Zwicker e Souza (2003), e também em informações coletadas nas entrevistas preparatórias. As respostas deveriam atribuir pontos ao benefício potencialmente obtido, observando-se o seguinte critério: (0) Não se verificou (1) Verificou-se de alguma maneira (2) Verificou-se de maneira significativa No questionário, assegurou-se a confidencialidade das respostas e também que não seriam divulgadas informações que possibilitassem a identificação da empresa respondente.

9 Resultados do Estudo Exploratório Como o objetivo desse trabalho é identificar como os sistemas ERP gerenciam as áreas funcionais da indústria de mineração; como eles se compatibilizam aos requisitos de TI da cadeia de valor mineral; e quais benefícios são obtidos, o foco será mantido nessas questões em particular. Das oito empresas inicialmente consideradas, duas ainda estavam em processo de implementação de sistemas ERP, e foram descartadas. Cinco questionários foram respondidos a tempo de terem seus resultados considerados. Módulos do ERP implementados (Tabela 1): TABELA 1 Módulos do ERP Implementados FREQUÊNCIA MÓDULO 100% Finanças 100% Materiais / Suprimentos 80% Recursos Humanos 60% Manutenção Apenas uma empresa utiliza o módulo de Distribuição, o qual foi desconsiderado por não ser utilizado no negócio de mineração, mas em outro segmento. Nenhuma das empresas pesquisadas usa o ERP para Produção ou Planejamento da Produção na área mineral. Benefícios Classificou-se a importância de cada benefício, calculando-se o percentual entre a soma das notas dos respondentes e o máximo possível de ser obtido, ou 10 pontos (2 pontos obtidos em cada uma das 5 empresas). Os resultados seguem na Tabela 2 abaixo: TABELA 2 Classificação dos Benefícios ORDEM % QUESTÃO 1 100% Aumento da produtividade das pessoas 2 90% Dados únicos e consistentes, menor número de erros 3 90% Eliminação ou menor número de re-entradas de dados 4 90% Redução do ciclo financeiro-contábil 5 80% Melhor coordenação dos trabalhos inter-departamentais e inter-localidades 6 80% Acesso fácil e imediato às informações 7 70% Tempo maior das pessoas utilizado nas atividades-fins de cada área 8 70% Redução de re-trabalho 9 60% Implementação de novos ou melhores processos de negócios 10 50% Aumento da produtividade global 11 50% Maior flexibilidade nos processos internos 12 50% Redução do custo de compras 13 40% Melhor relacionamento com Fornecedores 14 40% Redução de pessoal 15 40% Redução de horas extras 16 40% Redução dos estoques 17 30% Aumento da produtividade dos equipamentos e instalações 18 30% Melhores indicadores do negócio 19 20% Maior lucro 20 20% Melhoria da imagem da empresa perante o mercado 21 20% Redução de desperdício de materiais 22 20% Redução dos custos de manutenção 23 10% Maior satisfação dos Clientes

10 Sistemas dedicados de Mineração ou Estratégicos, e sua integração ao ERP A maioria dos respondentes decidiu manter o uso dos seus sistemas dedicados ou sistemas especialistas para suas atividades de modelagem geológica, planejamento de lavra e despacho de caminhões, os quais de maneira geral não foram integrados ao ERP. Apenas duas empresas decidiram integrar seus sistemas de gestão da mineração, desenvolvidos internamente, com o ERP. Estes sistemas internos gerenciam a produção, qualidade, vendas, estoques e embarque de produtos finais. Em uma das empresas este sistema chega até ao processo de venda e atendimento ao Cliente, incluindo rastreabilidade do produto final até o início do processo produtivo. O Estudo de Caso Considerando-se que apenas duas empresas desenvolveram sistemas de gestão da produção integrados ao ERP, além da reconhecida posição de destaque dessas organizações na indústria mineral brasileira, decidiu-se prosseguir a pesquisa com a metodologia de estudos de caso múltiplos nessas empresas, doravante ficticiamente denominadas Mineração Topázio e Mineração Turmalina. Efetuou-se uma entrevista com o principal executivo de TI de cada uma dessas empresas, tendo por objetivo responder às seguintes questões: Como os sistemas tanto o ERP quanto os demais sistemas de mercado ou desenvolvidos internamente cobrem as atividades da cadeia de valor do negócio? Por que os módulos do ERP de gerenciamento das atividades de Produção e Planejamento da Produção não foram implementados? Por que a empresa decidiu manter os sistemas legados que gerenciavam essas atividades? Como o sistema ERP mudou o relacionamento interno (interdepartamental) e externo (com fornecedores e clientes) na cadeia de valor? A empresa está satisfeita com a implementação do ERP? Por que? Resultados do Estudo de Caso Mineração Topázio O sistema ERP abrange os seguintes módulos e departamentos gerenciados: estoques de materiais, compras, manutenção, contas a pagar e a receber, tesouraria, ativos fixos, contabilidade, orçamento e recursos humanos. O chamado sistema de gestão da produção, qualidade e vendas, totalmente desenvolvido internamente, gerencia a produção (tonelagem e qualidade por produto), estoque (tonelagem e qualidade de cada produto acabado ou intermediário nas pilhas de estocagem, ao longo da cadeia de mineração e de transporte), embarque, monitoramento da qualidade, vendas e reclamações de clientes. O sistema também provê indicadores básicos de performance (KPIs), como produtividade, comparação orçado/realizado, falhas de equipamentos, etc. Os pacotes de engenharia de minas envolvem aplicações típicas da indústria, como modelagem geológica, mapeamento, geoestatística, cálculo de reservas minerais, planejamento de mina, mecânica de rochas e geotecnia, gestão ambiental e despacho de caminhões.

11 Quando a Mineração Topázio avaliou os pacotes ERP disponíveis no mercado, não encontrou nenhum fornecedor oferecendo as funcionalidades necessárias para atender aos seus requisitos de gerenciamento das atividades de planejamento, operações e logística externa. Embora alguns fornecedores afirmassem possuir a funcionalidade adequada, não foram capazes de provar, de claramente demonstrar, e de convencer a equipe do projeto quanto a esta capacidade. Vendas e serviços pós-venda nunca foram áreas prioritárias para o novo sistema ERP, considerando-se que a Mineração Topázio tem um número relativamente limitado de clientes menos de cem e há requisitos específicos de faturamento, contendo obrigatoriamente dados técnicos e comerciais, tanto para o mercado interno quanto para exportação. Essa situação era difícil de ser atendida a contento por um sistema de mercado, sem consideráveis customizações. Assim, a equipe de projeto decidiu-se pela manutenção dos seus sistemas legados de gestão da produção, qualidade e vendas, considerando-se sua superioridade com relação aos respectivos módulos dos pacotes ERP. Essa decisão não foi tomada em função de se manter sistemas internos de cunho estratégico contra a adoção de sistemas do mercado, mas sim a partir de aspectos puramente técnicos e de custo-desempenho. Imediatamente após a implementação do sistema ERP, a equipe responsável pelo projeto encontrou o que poderia ser uma resistência natural dos usuários, que estavam satisfeitos com os antigos sistemas legados substituídos, e reclamaram de dificuldades e mudanças de procedimentos do novo pacote. Quando se atingiu o nível de maturidade, entretanto, apareceram os benefícios de um sistema moderno, tecnologicamente atualizado e contendo melhores práticas de negócios. Reconheceram-se então, especialmente, os seguintes benefícios: acesso fácil e imediato às informações; base de dados única e consistente, com menos erros; mais tempo disponível para dedicar às atividades fim dos departamentos; e aumento da produtividade. A Mineração Topázio efetuou recentemente um estudo comparativo benchmarking envolvendo outras mineradoras e também empresas similares, porém de outros segmentos de indústria. A questão ao principal executivo da empresa sobre o seu nível de satisfação com o sistema ERP teve como resposta uma satisfação neutra a moderada. A justificativa dada foi a de que o impacto do ERP na performance do negócio foi mínima. Os benefícios auferidos afetaram mais tarefas pontuais, em nível departamental, do que o negócio em si. Externamente, verificou-se uma melhora significativa das práticas de compras e no relacionamento com fornecedores: colocou-se foco na avaliação sistemática de fornecedores, com o objetivo de reduzir o número deles, porém mantendo-se os de melhor qualidade, segundo parâmetros pré-definidos. Contratos de longo prazo celebrados com vendedores mais qualificados resultaram em aumento da produtividade e satisfação dos usuários finais, ao mesmo tempo em que reduziram-se custos e tempo de entrega. Uma vez que o ERP não foi implementado nas áreas de vendas e serviços aos clientes, não houve impacto no relacionamento com clientes. Todas as aplicações tiveram um nível de integração significativo, através de APIs (Application Program Interface) on-line ou batch. As aplicações rodando em um nível hierárquico inferior alimentam as de nível superior com dados atualizados. Entretanto, pouca troca de informações se dá no sentido inverso.

12 Resultados do Estudo de Caso Mineração Turmalina O sistema ERP abrange os seguintes módulos e departamentos gerenciados: estoques de materiais, compras, contas a pagar e a receber, tesouraria, ativos fixos, contabilidade, orçamento e recursos humanos. O chamado sistema de produção e vendas, totalmente desenvolvido internamente, gerencia a produção, controle de qualidade, vendas e atendimento aos clientes. Também foi desenvolvido internamente um sistema de manutenção industrial. Os pacotes de engenharia de minas envolvem aplicações típicas da indústria, como modelagem geológica, mapeamento, geoestatística, cálculo de reservas minerais, planejamento de mina e gestão ambiental. Diferentemente da Mineração Topázio, a Mineração Turmalina optou por desenvolver internamente seus sistemas de Produção e Vendas, de valor estratégico para o negócio, por acreditar que fornecedores do mercado não atenderiam tão bem as suas necessidades. O CIO considera que com esses sistemas a área de TI passou a assumir importância estratégica para a empresa, tanto atual quanto futuramente, uma vez que os sistemas possibilitam efetuar as vendas, consulta de posição de ordens de compra pelos clientes através da Web, atualização de pedidos e visibilidade de todo o fluxo de informações da produção. Assim, as operações rotineiras de negócios da empresa dependem totalmente dos sistemas ERP e de produção e vendas, e a satisfação da alta direção da empresa com eles é alta. Conclusões da Pesquisa Diante do estudo realizado, percebe-se que um pacote ERP padrão não pode ser considerado um sistema efetivo de gestão empresarial para uma empresa de mineração: sua falta de funcionalidade para atender aos requisitos da indústria pode ser claramente percebida, uma vez que nenhuma das mineradoras estudadas utiliza módulos do ERP na produção, planejamento da produção, logística externa ou vendas, isto é, na grande maioria das atividades primárias (Porter e Millar, 1985). Como o sistema não gerencia as atividades primárias, muito mais relacionadas ao negócio, é improvável que ele resulte em benefícios significativos para a empresa como um todo.por outro lado, os sistemas ERP são bem adequados às atividades secundárias ou de suporte, como finanças, suprimentos, manutenção e materiais e recursos humanos, na sua maioria atividades não-produtivas. Essa observação está alinhada com Laurindo e Mesquita (2000), que destacam que em muitas implementações de sistemas ERP apenas são adquiridos e implementados os módulos voltados para a parte administrativa da corporação, ficando de lado a parte que trata da produção. Se, por exemplo, na manufatura essa função é coberta por sistemas específicos MRP II, na mineração não se verificou a predominância de um sistema ou módulo que atenda especificamente a essa área funcional. A maioria das empresas utiliza simplesmente planilhas eletrônicas para cumprir essa importante função. Fica também claro nos estudos de caso que o ERP cobre principalmente as atividades de suporte, com exceção de uma pequena participação em logística interna, uma vez que ele gerencia todos os suprimentos externos. Para melhor visualizar essa cobertura e alcance dos sistemas, utilizou-se a seguinte representação dos mesmos sobre a cadeia de valor (Figura 8):

13 FIGURA 8 Abrangência dos Sistemas na Cadeia de Valor Os principais benefícios mencionados considerando-se aqueles constantes no primeiro quartil do ranking da Tabela 2, ou seja: aumento da produtividade das pessoas; dados únicos e consistentes, com menor número de erros; eliminação ou menor número de reentradas de dados; redução do ciclo financeiro-contábil; melhor coordenação dos trabalhos inter-departamentais e inter-localidades; acesso fácil e imediato às informações pelas empresas pesquisadas no estudo exploratório parecem estar muito alinhados com a arquitetura tecnológica do ERP (módulos aplicativos integrados rodando em uma única base de dados não redundante) e a incorporação das melhores práticas de negócios, como mencionado na literatura (Correa et al. 1997; Davenport, 1998; Zwicker e Souza, 2003). Os sistemas de engenharia de minas, apesar da sua importância para lavrar de maneira eficaz o minério correto, no tempo programado e de acordo com o orçamento, normalmente não são integrados com nenhum outro sistema da cadeia de valor. PROPOSTA DE SOLUÇÕES Um provedor de solução para suprir este gap entre os sistemas corporativos ERP e os sistemas dedicados é a Gemcom Software, empresa global sediada em Vancouver, Canadá. A Gemcom desenvolve soluções de TI para a indústria mineral, tais como: exploração, planejamento, projeto e produção da mina; planejamento estratégico da mina; otimização de cavas finais e sequenciamento; e gestão integrada da produção mineral. O MPMS (Mine Production Management System) da Gemcom é uma solução integrada de gestão da produção mineral, que disponibiliza aos seus usuários supervisores, gerentes nos mais diversos níveis e executivos as informações que eles necessitam, de modo que possam tomar decisões melhor fundamentadas em seus negócios. O MPMS integra dados de todo o empreendimento, da mina à usina e até as plantas metalúrgicas ou químicas que eventualmente façam parte da cadeia produtiva. Histórico O conceito do MPMS surgiu inicialmente em 1992, através do desenvolvimento interno do sistema ProdTrak pela WMC Resources uma das mais diversificadas mineradoras australianas exatamente para suprir essa necessidade de gestão da produção mineral

14 então não atendida por sistemas comerciais de TI. In 1998, a Western Mining Corporation (WMC) transferiu as operações e direitos do ProdTrak para a Alpha West, uma das principais software houses da Austrália. Em 2002, a Gemcom Software comprou da Alpha West todos os direitos sobre o ProdTrak, incorporando-o ao seu portfolio de soluções. Hoje, as melhores práticas de engenharia e de negócios, tanto da Gemcom quanto de seus parceiros de negócios, continuam a ser incorporadas ao ProdTrak, agora parte central do conceito MPMS: uma solução utilizada para efetivamente gerenciar informações da exploração, mineração (a céu aberto e subterrânea), concentração e transformação. Descrição da Solução Os componentes do MPMS foram especificamente projetados para tratar as complexidades de registro, rastreamento e reconciliação de dados da mineração. A solução pode ser integrada a sistemas ERP, de automação e controle (SCADA), de laboratório (LIMS), de despacho de caminhões e de gestão de frotas, além de outros sistemas técnicos e comerciais. O MPMS suporta ferramentas de BI (Business Intelligence) e de elaboração de relatórios executivos contendo indicadores chave do negócio. Esses KPI s podem ser abertos e pesquisados em detalhes, possibilitando rápida identificação de causa e efeito. Uma melhor visualização da solução MPMS pode ser vista na Figura 9 abaixo: Planejamento e Programação de Lavra Relatórios e Análises Mine Production Management System Gestão de Frotas SCADA ERP Topografia Perfuração e Desmonte Carregamento Transporte Concentração Metalurgia Vendas Transporte FIGURA 9 O Conceito MPMS; Fonte: Nader, Triginer e Ejtemai (2004) Caso de Aplicação da Solução MPMS Keating (2003) descreve uma significativa implementação da solução da Gemcom na Iluka Resources. As principais características dessa implementação são as seguintes: Integração de sete minas, três usinas e duas plantas metalúrgicas de produção de rutilo sintético, em duas regiões geográficas distintas da Austrália. Interface com o sistema ERP, da SAP, utilizado para contabilidade, manutenção, suprimentos, recursos humanos, vendas, distribuição e planejamento da produção.

15 Os principais benefícios relatados por Keating (2003) são: Consolidação das informações da produção em dois repositórios de dados regionais, reduzindo a duplicidade e assegurando maior integridade dos dados; Habilidade de rastrear movimentações de materiais, incluindo suas características de qualidade associadas, desde as operações de mina, plantas de processamento e até as vendas; Ganhos de eficiência através do módulo de captura eletrônica de dados (EDC), evitando-se digitações e entradas manuais de dados; Introdução de processos padrão de operações e gestão de dados; Processos e fluxos de materiais bem documentados, com pontos de medição; Redução dos custos de TI, através da eliminação de sistemas múltiplos e superposição de funcionalidades. CONCLUSÕES A Tecnologia da Informação não é um diferencial competitivo por si só, e é improvável que empresas tenham obtido benefícios de negócios com o seu simples uso. Entretanto, a TI pode resultar em vantagens competitivas se for empregada de forma apropriada, dentro do seu papel de suporte efetivo aos processos chave do negócio, e assim contribuindo diretamente para a melhoria dos resultados da empresa. Especificamente para a indústria mineral, a implementação de uma solução como o MPMS pode ser uma maneira de se aplicar efetivamente a TI nos processos de negócio da cadeia de valor mineral, ou seja, nas atividades primárias da cadeia de valor da indústria. Com isso, ocupa-se este gap identificado na pesquisa com um sistema especialista para a mineração, resultando em maior eficácia gerencial e melhores resultados para a empresa. ACRÔNIMOS UTILIZADOS API Application Program Interface BI Business Intelligence CIO Chief Information Officer, Diretor de TI ERP Enterprise Resource Planning KPI Key Performance Indicators LIMS Laboratory Information Management System MPMS Mine Production Management System MRP Material Requirement Planning MRP II Manufacturing Resources Planning SCADA Supervisory Control and Data Acquisition TI Tecnologia da Informação

16 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS COLÂNGELO FILHO, L. Implantação de Sistemas ERP: um enfoque de longo prazo. São Paulo, Editora Atlas CORRÊA, H.; GIANESI, I.G.N.; CAON, M. Planejamento, programação e controle da produção: MRP II / ERP: conceitos, uso e implantação. São Paulo, Editora Atlas DAVENPORT, T.H. Putting the Enterprise into the Enterprise System. Harvard Business Review, v.76, n.4, p , Jul./Aug HEIZER, J.; RENDER, B. Operations Management. 6th Edition, Prentice Hall, 2001 HICKS, D.A.; STECKE, K. The ERP maze: Enterprise resource planning and other production and inventory control software. Industrial Engineer, Aug 1995, Vol.27, Iss.8. KEATING, G. GEMS ProdTrak at Iluka Resources. Proceedings of the Gemcom 11 th International User Group Conference, Swaziland, LANGENWALTER, G. Enterprise resources planning and beyond: integrating your entire organization. Boca Raton, St. Lucie Press, the APICS series, LAURINDO, F.J.B.; MESQUITA, M.A. "Material Requirements Planning: 25 anos de história; uma revisão do passado e prospecção do futuro. Revista G&P: Gestão & Produção, Vol.7, n.3, p , São Carlos, Dezembro LAURINDO, F.J.B.; PESSÔA, M.S.P. Sistemas Integrados de Gestão in Amato Neto, org. Manufatura classe mundial: conceitos, estratégias e aplicações. S.Paulo, Atlas, NADER, B.; TRIGINER, K.; EJTEMAI, O. Driving Profitability with Effective Support for Mine Production Management. International Conference in Mining Innovation (MININ) Proceedings, Santiago, PORTER, M.E.; MILLAR, V. How information gives you competitive advantage. Harvard Business Review, p , Jul/Aug PTAK, C.A.; SCHRAGENHEIM, E. ERP: Tools, Techniques, and Applications for Integrating the Supply Chain. Boca Raton, St. Lucie Press, the APICS series, SACHS, P.F.T.; DAMASCENO, E.C. ERP Systems in the Brazilian Mining Industry: a Case Study. CIM (Canadian Institute of Mining) Conference Proceedings, Edmonton, SACHS, P.F.T.; LAURINDO, F.J.B.; DAMASCENO, E.C. ERP Systems in Mining Industry: Efficiency, Effectiveness or Nothing? EUROMA 2004 Proceedings. INSEAD, Fontainebleau. SOUZA, C.A. Sistemas integrados de gestão empresarial: estudos de casos de implementação de sistemas ERP. Dissertação de Mestrado na FEA-USP. São Paulo, WOOD JR., T. Modas e modismos gerenciais: o caso dos sistemas integrados de gestão. Relatório no 16/1999. Série de Relatórios de Pesquisa NPP/FGV. YIN, R.K. Case Study Research Design and Methods. 2nd Edition, London, Sage, ZWICKER, R.; SOUZA, C.A. Sistemas ERP: Conceituação, Ciclo de Vida e Estudos de Caso Comparados in Souza, C.A.; Saccol, A.Z., org. Sistemas ERP no Brasil: teoria e casos. São Paulo, Atlas, 2003, p

A UTILIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE ERP NO SETOR DE MINERAÇÃO: ESTUDO DE CASO

A UTILIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE ERP NO SETOR DE MINERAÇÃO: ESTUDO DE CASO A UTILIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE ERP NO SETOR DE MINERAÇÃO: ESTUDO DE CASO Maura Chaves Sousa (UFSJ ) maurachsousa@yahoo.com.br Paula Cristina Resende (UFSJ ) paulacresende@hotmail.com JORGE NEI BRITO (UFSJ

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

12 o Congresso Brasileiro de Mineração. Desafios e Riscos na Utilização de Software de Mineração

12 o Congresso Brasileiro de Mineração. Desafios e Riscos na Utilização de Software de Mineração 12 o Congresso Brasileiro de Mineração Desafios e Riscos na Utilização de Software de Mineração Ciclo Clássico de Planejamento e Operação Mineira Geologia Planejamento Perfuração Desmonte Carga Beneficiamento

Leia mais

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Gustavo Gerlach (FAHOR) gg000675@fahor.com.br Édio Polacinski (FAHOR) edio.pk@gmail.com.br Resumo

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO. Prof. Esp. Lucas Cruz

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO. Prof. Esp. Lucas Cruz SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Prof. Esp. Lucas Cruz SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Os SIs têm o objetivo de automatizar os diversos processos empresariais, visando aumentar o controle e a produtividade, bem

Leia mais

Reflexos das customizações na implantação de sistemas ERP: uma comparação entre dois estudos de caso

Reflexos das customizações na implantação de sistemas ERP: uma comparação entre dois estudos de caso Reflexos das customizações na implantação de sistemas ERP: uma comparação entre dois estudos de caso José Henrique de Andrade (EESC-USP) jandrade@sc.usp.br José Renato Munhoz (UFSCAR) renato.munhoz@citrovita.com.br

Leia mais

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Enterprise Resource Planning 1 Agenda Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Com o avanço da TI as empresas passaram a utilizar sistemas computacionais

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda.

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. O PAPEL DA AUTOMAÇÃO NA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. INTRODUÇÃO Peter Drucker, um dos pensadores

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de Recursos da Empresa Sistema Integrado de Gestão Corporativa Prof. Francisco José Lopes Rodovalho 1 Um breve histórico sobre o surgimento do software ERP

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

8º Congresso de Pós-Graduação ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO (ERP)

8º Congresso de Pós-Graduação ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO (ERP) 8º Congresso de Pós-Graduação ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO (ERP) Autor(es) GIOVANNI BECCARI GEMENTE Orientador(es) MATHEUS CONSOLI 1. Introdução A década de 1990 foi de

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

Sistemas ERP como instrumento de integração entre as disciplinas de um curso de graduação em Engenharia de Produção

Sistemas ERP como instrumento de integração entre as disciplinas de um curso de graduação em Engenharia de Produção Sistemas ERP como instrumento de integração entre as disciplinas de um curso de graduação em Engenharia de Produção José Roberto de Barros Filho (UNISUL) jroberto@unisul.br Ana Regina Aguiar Dutra (UNISUL)

Leia mais

Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP

Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP Ricardo Vilarim Formado em Administração de Empresas e MBA em Finanças Corporativas pela UFPE, Especialização em Gestão de Projetos pelo PMI-RJ/FIRJAN. Conceito

Leia mais

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN Sistemas ERP Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Definições Sistemas de informações que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

ERP Características utilizadas, benefícios percebidos e problemas encontrados na implantação nas pequenas e microempresas de Ponta Grossa - PR

ERP Características utilizadas, benefícios percebidos e problemas encontrados na implantação nas pequenas e microempresas de Ponta Grossa - PR ERP Características utilizadas, benefícios percebidos e problemas encontrados na implantação nas pequenas e microempresas de Ponta Grossa - PR Adm. Cesar Eduardo Abud Limas (UTFPR) cesar@interalfa.com.br

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning História

ERP Enterprise Resource Planning História ERP (Enterprise Resource Planning, Planejamento (ou planeamento, em Portugal) de Recursos Empresariais) são sistemas de informações transacionais(oltp) cuja função é armazenar, processar e organizar as

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes O que é ERP? ERP é a sigla de Enterprise Resourse Planning (Planejamento dos Recursos Empresariais). Trata-se de uma técnica moderna de gestão empresarial pela qual todas as informações de todas as áreas

Leia mais

Advanced Planning and Scheduling

Advanced Planning and Scheduling Advanced Planning and Scheduling Por Soraya Oliveira e Raquel Flexa A importância do planejamento Uma cadeia de suprimentos é composta por diversos elos conectados que realizam diferentes processos e atividades

Leia mais

PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015

PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015 PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015 Confidencialidade, Propriedade Intelectual e Marca Registrada Apresentação Renato Mendes renato.mendes@mezasoft.com

Leia mais

Análise da implantação do sistema ERP em empresas fornecedoras de energia elétrica: estudos de caso exploratórios

Análise da implantação do sistema ERP em empresas fornecedoras de energia elétrica: estudos de caso exploratórios Análise da implantação do sistema ERP em empresas fornecedoras de energia elétrica: estudos de caso exploratórios Marcia Habiro (Universidade Federal de São Carlos) marciahabiro@yahoo.com.br Moacir Godinho

Leia mais

Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP

Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão por Processos SAP Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP Inscrições Abertas: Início das aulas: 25/05/2015 Término das aulas: Maio de 2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

PIMS Process Information Management System

PIMS Process Information Management System INTRODUÇÃO O setor industrial vem sofrendo constantes pressões para alcançar a excelência operacional, objetivando garantir sua competitividade. Algumas das principais pressões observadas são: redução

Leia mais

Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP

Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão por Processos SAP Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP Inscrições Abertas: Início das aulas: 24/08/2015 Término das aulas: Agosto de 2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management Sistemas de Informações SCM Supply Chain Management Fontes Bozarth, C.; Handfield, R.B. Introduction to Operations and Supply Chain Management. Prentice Hall. 2nd. Edition Objetivos Fluxos de Informação

Leia mais

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY)

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

Classificações dos SIs

Classificações dos SIs Classificações dos SIs Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Classificações dos SIs Classificações dos sistemas de informação Diversos tipo de classificações Por amplitude de suporte Por

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação em empresas industriais e de serviços: estudo de casos

Gestão da Tecnologia da Informação em empresas industriais e de serviços: estudo de casos Gestão da Tecnologia da Informação em empresas industriais e de serviços: estudo de casos Carlos Augusto Angrisano (USP) carlos.angrisano@poli.usp.br Fernando José Barbin Laurindo (USP) fjblau@usp.br Resumo

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação UNIDADE XI Sistema De Apoio à Gestão Empresarial Professor : Hiarly Alves www.har-ti.com Fortaleza - 2014 Tópicos Conceitos de software de gestão administrativas Principais softwares de gestão do mercado

Leia mais

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Louis Albert Araujo Springer Luis Augusto de Freitas Macedo Oliveira Atualmente vem crescendo

Leia mais

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Por Christian Vieira, engenheiro de aplicações para a América Latina da GE Fanuc Intelligent Platforms, unidade da GE Enterprise

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

onda Logistics powered by Quantum

onda Logistics powered by Quantum onda Logistics powered by Quantum Sonda IT Fundada no Chile em 1974, a Sonda é a maior companhia latino-americana de soluções e serviços de TI. Presente em 10 países, tais como Argentina, Brasil, Chile,

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO APLICADOS NO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO APLICADOS NO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO APLICADOS NO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO ENTERPRISE RESOURCE PLANNING APPLIED IN THE MANUFACTURING PLANNING AND CONTROL José Eduardo Freire 1 Ruchele Marchiori Coan

Leia mais

PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems

PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems Prof. Ricardo J. Rabelo UFSC Universidade Federal de Santa Catarina DAS Departamento de Automação e Sistemas SUMÁRIO

Leia mais

A utilização de sistemas ERP voltados para Instituições de Ensino Superior Privadas

A utilização de sistemas ERP voltados para Instituições de Ensino Superior Privadas 2º Contecsi Congresso Internacional de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação / Internacional Conference on Information Systems and Technology Management 01-03 de Junho de 2005 São Paulo/SP Brasil

Leia mais

Estruturação do sistema de informação contábil no ERP

Estruturação do sistema de informação contábil no ERP Estruturação do sistema de informação contábil no ERP Clóvis Luís Padoveze (UNIMEP) cpadoveze@romi.com.br Resumo A característica gerencial da informação contábil determina que o sistema de informação

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas?

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas? XACT FOR ENTERPRISE A ênfase na produtividade é fundamental na mineração à medida que as minas se tornam mais profundas, as operações se tornam cada vez mais complexas. Empresas de reconhecimento mundial

Leia mais

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP)

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Um sistema ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) é um pacote de software que tem por finalidade organizar, padronizar e integrar as

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

Aplicações Integradas Empresariais ERP e CRM Simone Senger Souza

Aplicações Integradas Empresariais ERP e CRM Simone Senger Souza Aplicações Integradas Empresariais ERP e CRM Simone Senger Souza ICMC/USP 1 Visão Tradicional de Sistemas Dentro das empresas Há funções, e cada uma tem seus usos para os sistemas de informação. Além das

Leia mais

Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais. Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com.

Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais. Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com. Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com.br Sistemas de Informação SE SSD/ SAE Estratégico Tipos de decisão Não

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

Aula 5 Supply Chain Management (SCM) Gestão da cadeia de suprimentos Prof: Cleber A. de Oliveira

Aula 5 Supply Chain Management (SCM) Gestão da cadeia de suprimentos Prof: Cleber A. de Oliveira 1. Introdução Aula 5 Supply Chain Management (SCM) Gestão da cadeia de suprimentos Prof: Cleber A. de Oliveira Gestão de Sistemas de Informação Os estudos realizados nas disciplinas Gestão da Produção

Leia mais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais Sistemas ERP Prof. Breno Barros Telles do Carmo Conceitos Iniciais Sistema de Informação adquirido em forma de pacotes comerciais de software que permite a integração de dados de sistemas de informação

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO Jorge Luiz Maria Junior 1 Profa. MSc. Rosangela Kronig 2 Resumo Através dos sistemas de informação, as organizações mundiais buscam práticas

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema ERP; Processos de Desenvolvimento, Seleção, Aquisição, Implantação de ERP; Aderência e divergência

Leia mais

UM ERRO DE ESSÊNCIA ENSINADO NAS UNIVERSIDADES

UM ERRO DE ESSÊNCIA ENSINADO NAS UNIVERSIDADES UM ERRO DE ESSÊNCIA ENSINADO NAS UNIVERSIDADES A matéria Engenharia de Produção nas Universidades tem grande peso e influência na sua formação intelectual e na formação de profissionais que atuam nas fábricas.

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA A informação sempre esteve presente em todas as organizações; porém, com a evolução dos negócios, seu volume e valor aumentaram muito, exigindo uma solução para seu tratamento,

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Evolução da TI nas Organizações Estágios de Evolução da TI nas Organizações

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

De onde vieram e para onde vão os sistemas integrados de gestao ERP

De onde vieram e para onde vão os sistemas integrados de gestao ERP Artigo 02 De onde vieram e para onde vão os sistemas integrados de gestao ERP Este documento faz parte do material que compõe o livro: Planejamento, Programação e Controle da Produção MRP II / ERP: Conceitos,

Leia mais

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP Enterprise Resource Planning Implantação de Sistema ERP Jorge Moreira jmoreirajr@hotmail.com Conceito Os ERP s (Enterprise Resource Planning) são softwares que permitem a existência de um sistema de informação

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES MAXMES EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES White Paper Maxmes # 01 07/2009 MAXMES www.maxmes.com.br 1.0 Introdução A AMR Research conceituou o MES em 1990 como um sistema de informação que residia entre a automação

Leia mais

MI02 - Manufatura Inteligente, trazendo resultados para o cliente

MI02 - Manufatura Inteligente, trazendo resultados para o cliente MI02 - Manufatura Inteligente, trazendo resultados para o cliente Core Business Soluções para controle e gestão de processos. Mercados Alvo Alimentos; Nutrição animal; Polímeros; Química Auto peças. Unidade

Leia mais

Sistemas Integrados ASI - II

Sistemas Integrados ASI - II Sistemas Integrados ASI - II SISTEMAS INTEGRADOS Uma organização de grande porte tem muitos tipos diferentes de Sistemas de Informação que apóiam diferentes funções, níveis organizacionais e processos

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial. Aula 5. Contextualização. Organização da Aula. Organização da Disciplina. Sistemas Produtivos Industriais

Sistemas de Informação Gerencial. Aula 5. Contextualização. Organização da Aula. Organização da Disciplina. Sistemas Produtivos Industriais Sistemas de Informação Gerencial Aula 5 Contextualização Prof. Me. Claudio Nogas Organização da Disciplina Buscaremos por meio da apresentação de conceitos e exemplos gerar conhecimentos sobre Sistemas

Leia mais

SmartMine. O controle da mina em suas mãos

SmartMine. O controle da mina em suas mãos SmartMine. O controle da mina em suas mãos SmartMine. Alta tecnologia, máximo desempenho. O SmartMine é uma solução completa para a operação e otimização de minas subterrâneas e a céu aberto. Um conjunto

Leia mais

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MBA GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS DISCIPLINAS E EMENTAS SINTONIZANDO PERCEPÇÕES E UNIFORMIZANDO A LINGUAGEM

Leia mais

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES André Luís da Silva Pinheiro * Resumo: Este trabalho discutirá o impacto da implantação de um sistema do tipo ERP em uma empresa. Apresentaremos uma breve introdução de

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP 2 ERP Planejamento dos Recursos da Empresa 3 CONCEITO DE

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Paulo Henrique Ribeiro de Souza. UTILIZAÇÃO DE ERP E DOS KPIs NA MINERAÇÃO: em busca da integração e eficiência

Paulo Henrique Ribeiro de Souza. UTILIZAÇÃO DE ERP E DOS KPIs NA MINERAÇÃO: em busca da integração e eficiência Paulo Henrique Ribeiro de Souza UTILIZAÇÃO DE ERP E DOS KPIs NA MINERAÇÃO: em busca da integração e eficiência Palmas TO 2015 Paulo Henrique Ribeiro de Souza UTILIZAÇÃO DE ERP E DOS KPIs NA MINERAÇÃO:

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

A utilização de sistemas ERP na gestão e em atividades do processo de desenvolvimento de produtos de três empresas

A utilização de sistemas ERP na gestão e em atividades do processo de desenvolvimento de produtos de três empresas A utilização de sistemas ERP na gestão e em atividades do processo de desenvolvimento de produtos de três empresas Eduardo de Senzi Zancul (EESC-USP) ezancul@yahoo.com Henrique Rozenfeld (EESC-USP) roz@sc.usp.br

Leia mais

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução 19 Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS: APRIMORAMENTO DA METODOLOGIA DE DIAGNOSTICO E PROPOSIÇÃO DE UM MÉTODO PARA IMPLANTAÇÃO BASEADO EM PROCESSOS DE NEGÓCIO Autor(es) FELIPE

Leia mais

Capítulo 2 E-Business global e colaboração

Capítulo 2 E-Business global e colaboração Objetivos de estudo Capítulo 2 E-Business global e colaboração Quais as principais características de um negócio que são relevantes para a compreensão do papel dos sistemas de informação? Como os sistemas

Leia mais

Introdução ao Sistema ERP

Introdução ao Sistema ERP Introdução ao Sistema ERP Parte 1- Introdução ao ERP - Benefícios básicos de um sistema ERP - Dificuldades de implantação - ERP e a realidade da pequena empresa brasileira Parte 2 Sistema Genesis-ERP da

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Melhorias adquiridas com a implantação de um software APS no setor de PCP para equipamento de decapagem de bobinas de aço

Melhorias adquiridas com a implantação de um software APS no setor de PCP para equipamento de decapagem de bobinas de aço Melhorias adquiridas com a implantação de um software APS no setor de PCP para equipamento de decapagem de bobinas de aço Meire Aleixo Silvestre dos Reis Faculdade Educacional Araucária - Bacharel em Engenharia

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

Módulos QM de sistemas ERP ou MES x Sistemas LIMS

Módulos QM de sistemas ERP ou MES x Sistemas LIMS Módulos QM de sistemas ERP ou MES x Sistemas LIMS Módulos de controle ou gestão da qualidade de sistemas ERP ou MES X sistemas para automação e gestão de laboratórios LIMS e suas diferenças conceituais

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning. (Planejamento de Recursos Empresariais)

ERP Enterprise Resource Planning. (Planejamento de Recursos Empresariais) ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) ERP Os ERPs, em termos gerais, são plataformas de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa;

Leia mais