Sistema de Informação Integrado de Apoio ao Cardiologista

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Informação Integrado de Apoio ao Cardiologista"

Transcrição

1 Sistema de Informação Integrado de Apoio ao Cardiologista Fábio R. Spiazzi 1, Ciro J. Egoavil 2 1,2 Faculdades Integradas da Rede de Ensino Univest (FACVEST), Brasil Resumo Este artigo apresenta um sistema para aquisição, plotagem e armazenamento de sinais bioelétricos, especificamente os sinais gerados pelo eletrocardiograma de superfície. O sistema foi desenvolvido com o intuito de auxiliar o especialista na área de cardiologia a informatizar o seu consultório médico como um todo. O sistema captura o sinal proveniente de um módulo de hardware, composto por um amplificador de instrumentação. O sinal adquirido pelo módulo de hardware é enviado a um computador do tipo IBM-PC pela porta de comunicação serial. O sistema foi divido em dois níveis: nível básico e avançado. O primeiro com algumas restrições e o segundo com acesso total. Com a informatização do consultório, as informações estarão disponíveis de forma rápida e clara ao cardiologista e até mesmo ao próprio paciente através de relatórios, uma vez que os dados estarão armazenados em um banco de dados. Palavras chave: Consultório de cardiologia, ECG, eletrocardiograma. Abstract This article show a system for acquisition, plotting and storage of electrocardiogram bioelectrical signals. As well as assisting the specialist in the area of cardiology to informality its medical doctor's office as a whole. The system will capture the signal proceeding from a hardware module that possess an instrumentation amplifier. The acquired bioelectrical signal by the hardware module is sent to an IBM-PC computer through the serial communication port. The system is composed for two parts, basic and advanced level. The first one with some restrictions and second one with total access. With the computerization of the doctor's office, the information will be available in fast and clear form to the cardiologist and even though to the proper patient through reports, a time that the data will be stored in a data base. Keywords: Cardiology s office, ECG, electrocardiogram. Introdução Com a crescente disseminação de tecnologias baseadas em informações, uma área de grande importância não poderia ficar de fora, a medicina e todas as suas sub-áreas. Este trabalho descreve um sistema integrado com aquisição, plotagem e armazenamento de sinais de eletrocardiograma (ECG), juntamente com o controle e informatização dos procedimentos em um consultório de cardiologia. A agilidade na busca dos dados e a correta utilização e interpretação dos mesmos, é uma prérequisito que torna uma instituição reconhecida e valorizada pela sociedade. Este fato transforma esse sistema não só em um auxiliar para o especialista, mas também exerce um papel fundamental na solidificação e importância de se investimento em tecnologia para automatizar um determinado conjunto de processos como os consultórios médicos. O software é direcionado para os especialistas na área de cardiologia, onde o mesmo terá o controle das atividades internas de seu consultório. O eletrocardiograma (ECG) reflete a propagação elétrica da despolarização e repolarização das contrações das fibras musculares do coração [6]. Este sistema trabalha com a aquisição do sinal, plotando-o na tela e armazenando-o em um banco de dados para futuras consultas e análises pelo médico especialista. Basicamente o sistema de informação divide-se na aquisição propriamente dita do sinal de ECG e no controle cadastral dos pacientes. Este último é de fundamental importância para a geração de relatórios, pesquisas e agendamentos, mantendo assim um histórico sempre atualizado das atividades realizadas no consultório. Também existe um controle dos usuários do software, onde o usuário administrador, o médico, por exemplo, tem acesso a todas as funções existentes no programa e um usuário com nível de restrição, uma secretária, por exemplo, que possui acesso á apenas alguns módulos do sistema (como cadastro e marcação de consultas). A questão de segurança é fator decisivo quando se trabalha com informações pessoais, mais precisamente informações médicas. O sistema conta com esse nível de controle de usuário por este motivo, preservando assim o sigilo dos dados, possibilitando apenas aos usuários

2 devidamente habilitados à acessarem as informações, onde o software registra quem e quando teve acessos aos dados. Este software não se caracteriza como um cliente-servidor, devido ao fato de ser um sistema relativamente pequeno, onde a princípio somente funciona em duas estações de trabalho, a do médico e a da secretária. Onde essas estações têm a mesma base de dados em comum. A comunicação entre as duas estações poderá se feita por uma pequena rede ponto a ponto, onde a principio apenas os computadores da secretária e do médico estarão interligados. A configuração das estações deverá atender às configurações mínimas exigidas pelo sistema. Onde as estações deverão ter uma comunicação através de uma placa de rede qualquer, devidamente configurada e a estação do médico deverá conter uma porta de comunicação serial, para que sinal de ECG seja capturado pelo sistema. Aquisição do Sinal de ECG Independentemente da origem do sinal, o processamento de sinais biomédicos inicia-se com um registro temporal do evento de interesse. Por exemplo, a atividade elétrica do coração é representada por um registro denominado eletrocardiograma (ECG). O ECG representa mudanças no potencial (tensão) devido aos processos eletroquímicos envolvidos na formação e dispersão espacial das excitações elétricas nas células do coração. Consequentemente, interferências detalhadas a respeito do coração podem ser feitas a partir do ECG.[5] A principal característica deste trabalho é a aquisição do sinal de ECG, ou seja, um sinal elétrico oriundo de um módulo de hardware já pré-montado e devidamente configurado para tal função. Módulo este desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa em Ciência da Computação das Faculdades Integradas da Rede de Ensino Univest (GPCC). Este módulo de aquisição vem sendo usado na implementação de diversos outros sistemas similares. A qualidade do sinal depende exclusivamente da correta configuração deste módulo de hardware. Posteriormente, esse sinal é enviado ao computador através da porta de comunicação serial de um computador compatível com IBM-PC, que o interpretará as informações numéricas e de posse dessas, realizar a plotagem do sinal que pode ser realizada em tempo real ou não. Os sinais bioelétricos capturados não necessariamente precisam estar ligados a um único modelo de hardware, como o módulo desenvolvido pelo GPCC, pois o sistema em caráter de implementações futuras contará com um módulo para que possam ser acoplados diferentes drivers de comunicação para diferentes dispositivos amplificadores de ECG comerciais. Funcionamento do Sistema - Módulos O que acontece hoje em dia na maioria dos consultórios de cardiologia não informatizados é a utilização de fichas ou planilhas pra cadastro e anotações pertinentes as consultas dos pacientes, e o eletrocardiograma é simplesmente recortado do registro em papel e colado em um formulário, como parte do relatório do paciente. As consultas são normalmente agendadas manualmente em agendas à caneta onde a única garantia da integridade dos dados era a própria agenda. Geralmente, os registros das consultas dos pacientes ficam guardados em um arquivo de aço, propensos a todo tipo de deterioração. Com a informatização, os dados são facilmente manipulados e encontrados, pois estarão armazenados em uma base de dados confiável em um microcomputador. O programa trabalha, com níveis de restrição dividido em dois módulos. Essa divisão é necessária devido ao fato de que cada usuário devidamente cadastrado pelo administrador do sistema possa ter acesso a somente algumas partes do mesmo, e o médico ou administrador possa controlar todo o sistema. Portanto a necessidade da existência de dois módulos no software está direcionada a utilização do sistema pela secretária do especialista e o outro módulo ao médico propriamente dito ou administrador. Em tese o programa é uma única ferramenta instalada em dois terminais distintos, tendo em comum o acesso à mesma base de dados. Esses módulos são: o básico e o avançado que podem ser observados na figura 1. Figura 1 layout dos módulos do sistema. Módulo Básico O dado é uma representação, um registro de uma informação. Para serem úteis os dados em um banco de dados devem ser exatos, completos e organizados de tal maneira que os dados possam ser recuperados quando necessários e no formato requerido [6]. Este registro pode ser a origem de uma série de processos que

3 influenciam na realidade observada (apresentar resultados de exames, soar um alarme, etc). Neste módulo as funções essenciais do sistema como cadastro de pacientes, agendamento de consultas e geração de alguns relatórios estarão disponíveis para a secretária ou qualquer outro usuário habilitado a operar as funções do software neste módulo. O cadastro no sistema é feito de forma simples e rápida. Primeiramente, são coletadas as informações pessoais do paciente, como: nome, endereço e etc. Posteriormente essas podem ser associadas ao registro bioelétrico do paciente para que futuramente os relatórios possam ser gerados. O médico especialista de posse dos dados pode então iniciar a aquisição do sinal de ECG em diferentes períodos (datas) e associa-las ao cadastro do paciente, possibilitando assim um crescente registro de informações médicas muito importantes para o acompanhamento individual dos pacientes. A tela de cadastro pode ser observada na figura 2. Figura 2 Tela de cadastro de pacientes. Todas as anotações referentes ao agendamento de uma consulta ficam armazenadas no banco de dados do programa, onde a secretária pode acessar e manipular esses dados da agenda de forma a melhor gerir o controle do fluxo de pacientes. As consultas poderão ser agendadas pela secretária com base nas informações cadastrais do paciente onde também é possível verificar a disponibilidade dos horários existentes em uma determinada data. Como o software trabalhará com as informações alocadas em banco de dados, todos os registros deste cadastro estarão disponíveis com uma forma de manter um histórico de cada paciente. Desta forma em uma eventual busca de informações referentes aos períodos anteriores, todas as informações estarão preservadas. Módulo Avançado Todas as funcionalidades do software estão disponíveis neste módulo, que agrupa tanto as funções da secretária quanto às do médico, possibilitando que o médico durante a consulta além de realizar a aquisição do sinal de ECG também possa consultar e alterar as informações do seu paciente. O módulo de aquisição desenvolvido em separado nesse trabalho é um dispositivo microcontrolado, composto amplificadores instrumentais e operacionais, filtros, conversor A/D e interface serial. É responsável pela captura dos sinais de ECG, realizada de forma não invasiva, através de eletrodos de superfície fixados na pele, onde estes captam a atividade elétrica ali presente, enviando até os amplificadores de instrumentação para a amplificação do sinal, dando inicio ao processo de aquisição [2]. A qualidade do sinal de ECG depende exclusivamente da correta configuração do hardware. O sinal proveniente de um amplificador de instrumentação, responsável pelo aumento da amplitude do sinal, torna-se necessário. Logo após a aquisição este é filtrado para eliminar algumas interferências que geralmente estão relacionadas à rede elétrica e possíveis ruídos (imperfeições) [5] presentes no sinal, devido a eletrodos e movimentos do paciente. Depois dessa etapa faz-se necessário a conversão dos dados da forma analógica para digital, utilizando um conversor A/D (analógico/digital), para que no envio das informações para o computador, o mesmo possa interpretá-las de maneira correta. Durante a captura do sinal pelo módulo de hardware, o sistema através da porta de comunicação serial faz a leitura dos dados e gera na tela do computador o gráfico de eletrocardiograma em tempo quase real, onde são plotados cerca de 240 pontos por segundo, preenchendo na totalidade da tela um total de 480 pontos correspondentes a 2 segundos de aquisição. Para que assim o especialista possa acompanhar a qualidade do sinal adquirido, realizando ajustes se necessário. A figura 3 ilustra a plotagem do sinal de ECG na tela do computador. Figura 3 sinal de ECG plotado na tela A configuração do ECG e a duração das várias ondas conduzem a importantes informações fisiológicas que levam a diversos diagnóstico,[6]. Após a captura do sinal e posterior plotagem do mesmo na tela, o médico especialista contará com algumas ferramentas disponíveis no software que o auxiliaram na correta interpretação dos dados. Essas ferramentas possibilitam

4 ao profissional ter um controle da imagem ou sinal que esta sendo analisada configurando sua visualização, dando zoom em determinadas regiões do eletrocardiograma, marcar trechos do sinal e navegar do começo ao fim no registro do sinal de ECG. Há também a opção de salvar o registro cardíaco, e abrir um registro já existente. Onde se necessário os longos trechos de registro podem ser selecionados por intervalos, possibilitando ao especialista marcar somente os trechos que julgar mais relevantes, podendo também inserir comentários individuais em cada intervalo (imagem do ECG) selecionado, armazenando-o no banco de dados para a confecção dos relatórios com as imagens do captura do ECG. Esse intervalo pode ser observado na figura 4. Figura 4 - Tela de cadastro de observações de trechos do ECG. Esse registro ou aquisição do sinal só poderá ser feito se o paciente já estiver devidamente cadastro, ou seja, tenha passado pelo módulo básico do sistema, pois esse registro ficará armazenado no banco de dados e é necessário que haja uma ligação entre o sinal adquirido e o paciente. Como os registros das informações estarão armazenados no banco de dados, o médico pode a qualquer hora solicitar um relatório com os dados de cadastro e informações pertinentes ao sinal de eletrocardiograma inclusive dispor neste relatório o registro da captura de sinal, ou seja, a imagem plotada na tela e selecionada pelo médico pode ser inclusa no relatório como mostra a figura 5. Figura 5 Tela de relatório de captura do ECG Este mesmo relatório pode ser exportado para o formato (.PDF ou.rtf) e armazenado no próprio micro computador pra futuras consultas de relatório já emitidos para um determinado paciente. Banco de Dados Hoje em dias os bancos de dados são essenciais para todos os ramos de negócio. São usados para manter registros internos, apresentar dados ao usuário e clientes, fornecendo suporte a muitos outros processos comerciais. Da mesma forma dos bancos de dados são encontrados no núcleo de muitas investigações científicas [6]. Por se tratar de uma aplicação relativamente pequena, não necessitando assim de um SGBD de grande porte, o que naturalmente acarretaria numa perda considerável de desempenhos, o banco de dados utilizado pelo sistema é o Microsoft Access 2003, pois se trata de um banco de dados robusto, veloz. O que para uma aplicação de pequeno à médio porte, torna-se suficiente e principalmente por ser uma aplicativo Microsoft, e a plataforma Windows, onde o sistema trabalha já possuir nativamente os drivers para sua configuração, não necessitando assim o acoplamento da aplicação Access junto ao sistema. O gerenciamento de informações implica a definição das estruturas de armazenamento das informações e a definição dos mecanismos para a manipulação dessas informações [2]. O software trabalhará numa arquitetura de rede, os dois módulos, o básico e o avançado estarão ligados a uma mesma base de dados que pode ficar alojada no terminal do médico. Uma saída na forma de armazenamento utilizando todas as funcionalidades do banco de dados é utilização de arquivos, ou seja, cada registro eletrocardiográfico é um arquivo independente, porém relacionado a um determinado paciente. Isto deve-se ao fato de que em uma aquisição do sinal de ECG, o especialista necessita realizar a captura por um tempo prolongado, o que gera uma grande quantidade de dados e consequentemente um arquivo relativamente grande, que por questões de desempenho é melhor tratado na forma de arquivos independentes. A função do banco de dados está ligada ao armazenamento do caminho ou do endereço desse arquivo no microcomputador e todas as outras funções do sistema. A análise de sinais eletrográficos via computador poupa tempo e espaço ao especialista. Poupa tempo, pois as rotinas de análise podem transformar e reduzir os sinais a resumos informativos. Poupa espaço porque elimina as pilhas de papel de registros arquivados em laboratórios e clínicas, ficando os registros armazenados no computador [6]. Este sistema foi implementado em uma linguagem orienta a objetos, que é uma abordagem para o desenvolvimento de software que organiza os problemas

5 e suas soluções como um conjunto de objetos distintos [6]. Facilitando assim seu desenvolvimento durante as várias fases do ciclo de vida do software, e permitindo uma expansão de módulos de forma fácil e flexível. Conclusão e Discussão A informática é uma das tecnologias mais presentes, sua utilização melhorou muito a vida das pessoas, facilitando no trabalho e dando uma maior comodidade nas atividades do dia a dia. Este trabalho teve por objetivo explanar uma pequena utilização da computação na área medica, especificadamente na área de cardiológica. Controlar os dados de um consultório de maneira a agilizar todo o processo burocrático do mesmo. Aquisição do sinal de eletrocardiograma, armazenamento em um banco de dados, controle de agendamento de consultas, cadastro de pacientes e geração de relatórios, são os principais itens que compõem este sistema. Existe uma série de ferramentas que vem a auxiliar o médico nesta tarefa, ferramentas estas específicas para a aquisição do ECG, cada qual com sua particularidade como, por exemplo, o Wincardio (MICROMED) que utiliza a porta serial do microcomputador para a aquisição do sinal e o ECGPC (TEB) que é similar ao Wincardio, porém utiliza a porta de comunicação USB (Universal Serial Bus). O Wincardio, até possui controle de agenda, porém funciona como uma ferramenta isolada, que apenas faz comunicação com uma outra ferramenta de aquisição de ECG também da Micromed, nesta ferramenta de aquisição não é possível visualizar a aquisição online, o sistema mostra em forma de relatório após o final da aquisição. Todas as funcionalidades apresentadas neste trabalham objetivam auxiliar o médico especialista a realizar um trabalho de maior qualidade, oferecendo aos seus pacientes um atendimento diferenciado. Referências 1. Artigos em Revistas e Anais e Capítulos de Livros Contato [2] ESCOLARO, Geovani Rodrigo. Sistema de Eletronistagmografia Computadorizado. TCC(Trabalho de Conclusão de Curso) [3] GARCIA-MOLINA, Hector. Implementação de Sistemas de Banco de dados. Rio de Janeiro: Campus, [4] Geddes, L. A.; Baker, L. E. Principles of Applied Biomedical Instrumentation 3.ed. Wiley. [5] HAYKIN, Simon. Sinais e Sistemas. Porto Alegre: BookMan, [6] PFLEEGER, Shari Lawrence. Engenharia de Software, teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, [7] SILBERSCHATZ, Abrahm; KORT, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. São Paulo: MAKRON Books, Fábio Rodrigues Spiazzi: Estudante de pós-graduação do curso de Ciências da Computação. Endereço: Rua Coronel Córdova, 701 Centro: Lages SC, Brasil. cel: Ciro J. Egoavil: Professor dos cursos de Graduação e Pós-graduacão em Ciência da Computação das Faculdades Integradas Facvest, Lages, SC. Graduado em Engenharia Eletrônica, pela Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Lima - Peru e Mestre em Engenharia Elétrica pela UFSC, SC na área de Engenharia Biomédica. Endereço: Av. Marechal Floriano 947 Centro: Lages SC, Brasil. [1] Rodrigues, Marco Aurélio Benedetti; Azevedo, Fernando Mendes de, Marino- Neto, José. Instrumento Virtual para Aquisição de Sinais Bioelétricos. In: III Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde. Campos do Jordão - SP, Anais p.257, v Livros e Teses

Apresentação. ECG Digital. Life Card. Telemedicina

Apresentação. ECG Digital. Life Card. Telemedicina ECG Digital Apresentação O WinCardio é composto por um eletrocardiógrafo USB em 12 derivações simultâneas, software compatível com Windows XP, Vista (32 bits), Windows 7 (32 bits) e filtros digitais que

Leia mais

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS ANTECIPANDO TECNOLOGIAS Apresentação O WinCardio é composto por um eletrocardiógrafo USB em 12 derivações simultâneas, software compatível com Windows XP, Vista, Windows 7 e filtros digitais que garantem

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

Optiview Dermatologia Software Sistema Especialista para Dermatologistas

Optiview Dermatologia Software Sistema Especialista para Dermatologistas Optiview, software médico, sistema para dermatologia, captura de imagens médicas, sistema médico, gerenciamento de clínicas médicas, laudo médico, imagem médica, dermatologia, congresso médico, duosistem,

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furbbr Resumo. Este artigo apresenta a especificação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM ELETROCARDIÓGRAFO COM MICROCONTROLADOR MSP 430

DESENVOLVIMENTO DE UM ELETROCARDIÓGRAFO COM MICROCONTROLADOR MSP 430 19 a 21 de mar o de 2010 152 DESENVOLVIMENTO DE UM ELETROCARDIÓGRAFO COM MICROCONTROLADOR MSP 430 Luiz Dionisio Pedrini, Walter Antonio Gontijo Engenharia de Computação Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

Manual de Usuário INDICE

Manual de Usuário INDICE Manual de Usuário INDICE Características do Sistema... 02 Características Operacionais... 03 Realizando o Login... 04 Menu Tarifador... 05 Menu Relatórios... 06 Menu Ferramentas... 27 Menu Monitor... 30

Leia mais

Conceitos de Banco de Dados

Conceitos de Banco de Dados Conceitos de Banco de Dados Autor: Luiz Antonio Junior 1 INTRODUÇÃO Objetivos Introduzir conceitos básicos de Modelo de dados Introduzir conceitos básicos de Banco de dados Capacitar o aluno a construir

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93 Capítulo 3 Implementação do SMD 93 CAPÍTULO 3 IMPLEMENTAÇÃO DO SMD Este capítulo reserva-se à apresentação da implementação do SMD tomando como partida o desenvolvimento do Projeto Preliminar que consta

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS. BioGer Server e BioGer Client

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS. BioGer Server e BioGer Client ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS BioGer Server e BioGer Client ÍNDICE A) OBJETIVO...3 B) MODELOS...3 C) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS...5 D) CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS...5 D.1) Características Operacionais

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e

Leia mais

Sistema de Processamento e Difusão de Sinais Cardíacos na Web

Sistema de Processamento e Difusão de Sinais Cardíacos na Web Sistema de Processamento e Difusão de Sinais Cardíacos na Web Ricardo Godoi Vieira, Ciro José Egoavil Montero Grupo de Pesquisa de Ciência da Computação Faculdades Intergradas FACVEST Mal. Floriano, 947

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DOCUMENTAL PARA EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DOCUMENTAL PARA EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DOCUMENTAL PARA EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE Cláudio Leones Bazzi 1 ; Juliano Rodrigo Lamb

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

Prontuários eletrônicos práticos, com recursos textuais e de multimídia

Prontuários eletrônicos práticos, com recursos textuais e de multimídia Centralx Clinic O ciclo de trabalho completo em um só sistema. Para ambientes de alta produtividade, do agendamento à consulta, do faturamento ao rateio entre prestadores de serviço, o Centralx Clinic

Leia mais

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam.

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam. 1 - APRESENTAÇÃO Este descritivo tem como objetivo, apresentar o Sistema de Identificação de Visitantes enfocando suas funcionalidades e condições técnicas necessárias de implantação. Vantagens do Sistema

Leia mais

MEDWARE Sistemas Médicos Ltda

MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Empresa MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Medware Sistemas Médicos é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltada para a criação de soluções de informática para a área médica. Criada em meados da

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML.

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML. MODELAGEM ORIENTADA A OBJETOS APLICADA À ANÁLISE E AO PROJETO DE SISTEMA DE VENDAS ALTEMIR FERNANDES DE ARAÚJO Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas ANDRE LUIZ DA CUNHA DIAS Discente da

Leia mais

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente Documentos formam a grande massa de conhecimentos de uma organização seja ela privada ou pública, esses documentos em sua maioria são parte do seu patrimônio. A Gestão

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE Pág. 1 0. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...2 2. OBJETIVOS....2 3. ESTIMATIVAS DO PROJETO....4 4. RISCOS DO PROJETO....5 4.1. Identificação e Análise dos Riscos....5 4.1.1. Riscos de Projeto...6 4.1.2. Riscos Técnicos....6

Leia mais

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br DIGIMAN MANDADO JUDICIAL ELETRÔNICO Arquitetura WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Arquitetura de Software O sistema DIGIMAN é implementado em três camadas (apresentação, regras de negócio e armazém de

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Portaria. Versão 4.8.J

Ajuda On-line - Sistema de Portaria. Versão 4.8.J Versão 4.8.J Sumário PORT - Módulo de Apoio Portaria 3 1 Manual... de Processos - Portaria 4 Fluxo - Portaria... 5 2 Configurações... 6 Unidades... de Internação 6 Setores Administrativos... 9 Configuração...

Leia mais

2. O que informatizar?

2. O que informatizar? A INFORMÁTICA NO CONSULTÓRIO MÉDICO No fascículo anterior, comentamos como a gestão de custos, mesmo sendo feita de maneira simplista, auxilia o consultório a controlar e avaliar seus resultados, permitindo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração

Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração 1) Faça o download do Medica Office através do nosso site www.medicaloffice.com.br opção do Download; 2) Após realizado o download do arquivo

Leia mais

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5 Manual do usuário Softcall Java versão 1.0.5 Sumário Iniciando SoftCall...3 Tela Principal...3 Configurando o SoftCall...4 Agenda...5 Incluindo um contato...5 Procurando um contato...6 Apagando um contato...6

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Departamento de Física e Ciência dos Materiais Caixa Postal 369-13560-970 São Carlos SP Brasil e-mail : andretec@ifsc.usp.br Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Introdução Neste projeto

Leia mais

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Victor Halla Conteúdo Arquitetura de Processadores: Modo Operacional; Velocidade; Cache; Barramento; Etc. Virtualização: Maquinas virtuais; Gerenciamento

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Introdução aos Sistemas Operacionais

Arquitetura de Computadores. Introdução aos Sistemas Operacionais Arquitetura de Computadores Introdução aos Sistemas Operacionais O que é um Sistema Operacional? Programa que atua como um intermediário entre um usuário do computador ou um programa e o hardware. Os 4

Leia mais

Palavras chave: Extensão universitária, Aquisição de dados, Observação; Tempo, Serie histórica

Palavras chave: Extensão universitária, Aquisição de dados, Observação; Tempo, Serie histórica MONITORAMENTO DO TEMPO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO E USO DE DADOS METEOROLÓGICOS DA ESTAÇÃO AGROMETEOROLÓGICA DO CAV/UDESC LAGES, SC Célio Orli Cardoso, Centro de Ciências

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS

Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Sistema de Gerenciamento do Protocolo Geral da FAPERGS Alcides Vaz da Silva 1 Luiz Gustavo Galves Mählmann 2 Newton Muller 3 RESUMO Este artigo apresenta o projeto de desenvolvimento de um Sistema de Informação

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

Sistema de Aquisição de Dados

Sistema de Aquisição de Dados Sistema de Aquisição de Dados Versão 2013 RESUMO Nesta experiência será desenvolvido o projeto de um sistema de aquisição e armazenamento de dados analógicos em formato digital. O sinal de um sensor de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

AUTOR(ES): EDUARDO COSTA LOPES DA SILVA JUNIOR, CAIO CESAR DUARTE DE CARVALHO, OSMAR DA SILVA MOTTA JUNIOR

AUTOR(ES): EDUARDO COSTA LOPES DA SILVA JUNIOR, CAIO CESAR DUARTE DE CARVALHO, OSMAR DA SILVA MOTTA JUNIOR TÍTULO: SISTEMA PARA GERENCIAMENTO DE TEATROS DIONÍSIO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA AUTOR(ES): EDUARDO COSTA LOPES DA

Leia mais

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br Soluções em Software para Medicina Diagnóstica www.digitalmed.com.br NOTA DE AGRADECIMENTO Primeiramente, agradecemos pela sua receptividade em conhecer as nossas soluções, afinal, é sempre uma imensa

Leia mais

DESCRIÇÃO DO SISTEMA DE TELEMEDICINA

DESCRIÇÃO DO SISTEMA DE TELEMEDICINA DESCRIÇÃO DO SISTEMA DE TELEMEDICINA Com a necessidade dos serviços médicos em disponibilizar para os seus pacientes exames especializados com qualidade, laudos analisados por especialistas e rapidez para

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

Sociedade do Conhecimento

Sociedade do Conhecimento Gerenciamento (Gestão) Eletrônico de Documentos GED Introdução Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Sociedade do Conhecimento Nunca se produziu tanto documento e se precisou de tanta velocidade

Leia mais

AULA 01-02-03 SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS

AULA 01-02-03 SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS AULA 01-02-03 SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS Curso: Sistemas de Informação (Subseqüente) Disciplina: Administração de Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br História

Leia mais

Manual de Utilização SCI-Ponto

Manual de Utilização SCI-Ponto Manual de Utilização SCI-Ponto Sumário 1. Cadastro de Empregador... 2 2. Cadastro de Locais... 3 3. Cadastro de REPs... 3 4. Cadastro de Horário de Verão... 5 5. Cadastro de Funcionários... 6 6. Exportação

Leia mais

Roteiro. BCC321 - Banco de Dados I. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. O que é um banco de dados (BD)?

Roteiro. BCC321 - Banco de Dados I. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. O que é um banco de dados (BD)? Roteiro BCC321 - Banco de Dados I Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz Conceitos Básicos Banco

Leia mais

Concepção e Elaboração

Concepção e Elaboração UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Análise e Projeto Orientado a Objetos Concepção e Elaboração Estudo

Leia mais

1) MANUAL DO INTEGRADOR Este documento, destinado aos instaladores do sistema, com informações de configuração.

1) MANUAL DO INTEGRADOR Este documento, destinado aos instaladores do sistema, com informações de configuração. O software de tarifação é uma solução destinada a rateio de custos de insumos em sistemas prediais, tais como shopping centers. O manual do sistema é dividido em dois volumes: 1) MANUAL DO INTEGRADOR Este

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU Manual do usuário Acesso ao GEFAU Fev/2015 GEFAU PORTAL DO EMPREENDEDOR Conteúdo Introdução... 2 1. Acesso ao GEFAU... 3 2. Cadastro de empreendimentos... 5 2.1. Consulta aos empreendimentos do usuário...

Leia mais

www.lojatotalseg.com.br

www.lojatotalseg.com.br Manual do Aplicativo de Configurações J INTRODUÇÃO Este manual visa explicar a utilização do software embarcado do equipamento Prisma. De fácil utilização e com suporte a navegadores de internet de todos

Leia mais

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1 Manual do Usuário Central de Agendamento Versão 1.1 Maio, 2014 Central de Agendamento Manual de utilização Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Setor: Coordenação de Sistemas - COSIS Histórico de Revisões

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Administração A palavra administração vem do latim

Leia mais

Koryosoft_CAD. Manual de usuário (LOTD1M7A13)

Koryosoft_CAD. Manual de usuário (LOTD1M7A13) Koryosoft_CAD Manual de usuário 2013 (LOTD1M7A13) Sumário Introdução... 02 Leia com atenção... 03 Instalação de Programa... 04 Ativação de Programa... 05 Agenda... 08 Cadastro de pacientes... 09 Ficha

Leia mais

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva.

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva. Não há dúvida de que o ambiente de rede está cada vez mais complexo e que sua gestão é um grande desafio. Nesse cenário, saber o que está passando por essa importante infraestrutura é um ponto crítico

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais

Gerencie a sala de espera e garanta a satisfação dos pacientes

Gerencie a sala de espera e garanta a satisfação dos pacientes Centralx Clinic O ciclo de trabalho completo em um só sistema. Para ambientes de alta produtividade, do agendamento à consulta, do faturamento ao rateio entre prestadores de serviço, o Centralx Clinic

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

GEST - SISTEMA DE GESTOR DE ESTACIONAMENTOS

GEST - SISTEMA DE GESTOR DE ESTACIONAMENTOS GEST - SISTEMA DE GESTOR DE ESTACIONAMENTOS VISÃO GERAL 1- INTRODUÇÃO GEST Sistema Gestor de Estacionamentos é o sistema desenvolvido pela INFRAERO para o controle operacional e financeiro do fluxo e permanência

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

Manual de uso PSIM Client 2010

Manual de uso PSIM Client 2010 MANUAL DE USO PSIM CLIENT VERSÃO 2010 ÍNDICE Manual de uso PSIM Client 2010 INSTALAÇÃO...2 INSTALAÇÃO LOCAL...2 INICIANDO O SISTEMA...13 UTILIZANDO O ÍCONE DA ÁREA DE TRABALHO...13 UTILIZANDO O MENU INICIAR...16

Leia mais

Menu Utilitários. Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes

Menu Utilitários. Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes Rotina responsável pelo rastreamento de possíveis arquivos não indexados, danificados ou inexistentes. Este processo poderá

Leia mais

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS AUTOR(ES):

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

SAGLI Sistema de Acompanhamento e Gestão da Lei de Informática

SAGLI Sistema de Acompanhamento e Gestão da Lei de Informática FabriQ Informática Ltda. Av. Rodrigo Otávio, 1866 módulo 9 Distrito Industrial Manaus/AM suporte@fabriq.com.br - www.fabriq.com.br Manual de Preenchimento do Plano de Pesquisa e Desenvolvimento SAGLI Sistema

Leia mais

Manual de utilização do Sistema de gerenciamento de inspeção de equipamentos (SGIE) Conteúdo

Manual de utilização do Sistema de gerenciamento de inspeção de equipamentos (SGIE) Conteúdo Manual de utilização do Sistema de gerenciamento de inspeção de equipamentos (SGIE) Conteúdo Introdução... 2 Sistemática de utilização do pacote SGIE... 2 Projeto de inspeção... 2 Instalação do projeto

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL Adson Diego Dionisio da SILVA 1, Saulo Soares de TOLEDO², Luiz Antonio Costa Corrêa FILHO³, Valderí Medeiros

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

Documento de Arquitetura

Documento de Arquitetura Documento de Arquitetura A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO #1 Pág. 1 de 11 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 28/10/2010 1 Elaboração do documento

Leia mais

Introdução a listas - Windows SharePoint Services - Microsoft Office Online

Introdução a listas - Windows SharePoint Services - Microsoft Office Online Page 1 of 5 Windows SharePoint Services Introdução a listas Ocultar tudo Uma lista é um conjunto de informações que você compartilha com membros da equipe. Por exemplo, você pode criar uma folha de inscrição

Leia mais

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS

Apresentação ANTECIPANDO TECNOLOGIAS ANTECIPANDO TECNOLOGIAS Apresentação A Micromed tem o prazer de apresentar o Sistema para Telemedicina em Cardiologia mais avançado disponível no mercado. O Sistema utiliza tecnologia nacional e, de forma

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 94p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 94p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Ismael Sousa Araujo Pós-graduado em Gerência de Projetos PMBOK UNICESP. Graduado em Tecnologia em Segurança da Informação UNICESP. Professor de concurso da área de informática e consultor em EAD.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Gerenciamento. Controlador de Fator de Potência. Self Control

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Gerenciamento. Controlador de Fator de Potência. Self Control MANUAL DO USUÁRIO Software de Gerenciamento Controlador de Fator de Potência Self Control ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 4 1.1 Aplicações 4 2.0 CARACTERÍSTICAS 4 2.1 Compatibilidade 4 3.0 INSTALAÇÃO 4 4.0 INICIALIZAÇÃO

Leia mais

Eletroforese por Scanner - SEA. Análise de eletroforese por scanner. Software dedicado a rotinas de análise eletroforéticas.

Eletroforese por Scanner - SEA. Análise de eletroforese por scanner. Software dedicado a rotinas de análise eletroforéticas. Eletroforese por Scanner - SEA Análise de eletroforese por scanner. Software dedicado a rotinas de análise eletroforéticas. Muito simples de usar e extremamente rápido. Acompanha manual muito bem detalhado

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E Unidade III TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO Prof. Me. Eduardo Fernando Mendes Google: um mundo de oportunidades Os conteúdos abordados neste modulo são: Google: Um mundo de oportunidades;

Leia mais

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Ambiente Virtual de Aprendizagem (Moodle) - - Atualizado em 29/07/20 ÍNDICE DE FIGURAS Figura Página de acesso ao SIGRA... 7 Figura 2 Portal de Cursos... 8

Leia mais

Manual da Petição Eletrônica Intercorrente

Manual da Petição Eletrônica Intercorrente TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DEATE Departamento de Suporte e Atendimento Manual da Petição Eletrônica Intercorrente TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Leia mais

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE.

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE. CURSOS OFERECIDOS Access 2007 Aproximadamente 20 horas O aluno aprenderá criar Banco de Dados de forma inteligente, trabalhar com estoques, número de funcionários, clientes etc. Conhecerá ferramentas aprimoradas

Leia mais

4 DIGITAR, CONSULTAR E ALTERAR DADOS DIGITAR DADOS

4 DIGITAR, CONSULTAR E ALTERAR DADOS DIGITAR DADOS Sphinx APRENDIZ - p.94 4 DIGITAR, CONSULTAR E ALTERAR DADOS DIGITAR DADOS Depois de o questionário estar pronto, seus formulários definidos e as respostas coletadas ou prontas a coletar/importar, é possível

Leia mais

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário Setor de Tecnologia da Informação 2012 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

PROJETO PIMS DO PÁTIO DE MINÉRIOS UMA PODEROSA FERRAMENTA DE APOIO À MANUTENÇÃO RESUMO

PROJETO PIMS DO PÁTIO DE MINÉRIOS UMA PODEROSA FERRAMENTA DE APOIO À MANUTENÇÃO RESUMO PROJETO PIMS DO PÁTIO DE MINÉRIOS UMA PODEROSA FERRAMENTA DE APOIO À MANUTENÇÃO Riberte Dias de Souza riberte.souza@arcelormittal.com ArcelorMittal Tubarão Edílson Jose Machado Correia edilson.correia@arcelormittal.com

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais