Discussão do atual estágio de desenvolvimento tecnológico da produção de energia nuclear no país

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Discussão do atual estágio de desenvolvimento tecnológico da produção de energia nuclear no país"

Transcrição

1 Discussão do atual estágio de desenvolvimento tecnológico da produção de energia nuclear no país José Soares Junior Presidente da SBBMN (Sociedade Brasileira de Biologia, Medicina Nuclear e Imagem Molecular) Médico Chefe do Serviço de Medicina Nuclear do InCor-HCFMUSP

2 Isótopos Átomos de um mesmo elemento químico com massas diferentes H Alfa 2 α 4 Beta -1 β0 Gama 0 γ0 Próton 1 p1 Deutério 1 d2 Nêutron 0 n1 Pósitron +1 β 0 Radiação ionizante

3 Câmara de Cintilação 1958 Anger Radioisótopos De luz p/ carga Distribuição da luz p/ posicionamento Cintilografia (NaI) Energia-luz Foco

4

5

6 99m Tc 131 I 188 Re Ga Tl 123 I 177Lu Y 67 Ga In 82 Rb 11 C 15 O 13 N 18 F FDG FluorDeoxiGlicose Sestamibi DTPA DMSA MDP MAA

7 Isótopos Reator Cíclotron Gerador 99 99m T1/2=66h. T1/2=06h.

8 Distribuição dos Laboratórios rios de Medicina Nuclear por Região do Brasil Tecnécio-99m Iodo-131 Ga-67 Tl-201 Etc 45 PRODUÇÃO NACIONAL DE RADIOISÓTOPOS E RADIOFÁRMACOS

9 Equivalência de códigos por procedimento LPM CBHPM ANS SUS Denominação Cardiovascular Sim Angiografia radioisotópica Cintilografia com hemácias marcadas Endócrino Cintilografia do miocárdio com duplo isótopo (perf. + viab.) Cintilografia da tireóide e/ou captação com iodo Cintilografia do coração com Galio Sim Sim Cintilografia Cintilografia da tireóide do miocárdio e/ou com captação FDG flúor com 18 em iodo câmara 131híbrida Sim Sim Cintilografia da tireóide do miocárdio e/ou - necrose captação (infarto com agudo) tecnécio 99m Tc Sim Cintilografia Cintilografia das do paratireóides miocárdio perfusão - repouso Sim Cintilografia do miocárdio perfusão - estresse físico Sim Cint. de corpo inteiro para pesq. de metástase (PCI) Cintilografia do miocárdio perfusão - estresse farmacológico Sim Teste de estímulo da tireóide com TSH recombinante Sim Cintilografia sinc. das câmaras cardíacas - esfôrço Sim Sim Teste Cintilografia de supressão sinc. das da câmaras tireóide cardíacas com T3 - repouso Sim Sim Teste Fluxo do perclorato sanguíneo das extremidades Sim Cintilografia Quantificação da tireóide "shunt"da com teste direita de para estímulo esquerda (TSH) Sim Quantificação de "shunt" periférico Genitourinário Sim Venografia radioisotópica Sim Cintilografia renal dinâmica Cintilografia para avaliação do fluxo venoso Sim Cintilografia PET dedicado renal cardíaco com Galio-67 Cintilografia renal dinâmica com diuréticodigestivo Sim Sim Cintilografia renal das estática glandulas (qualitativa salivares com ou ou quantitativa) sem estímulo Sim Sim Cintilografia do fígado e baço Cintilografia testicular escrotal Cintilografia do pancreas Cintilografia para pesquisa de refluxo visco-ureteral Sim Cintilografia do fígado e vias biliares Sim Cistocintilografia direta Sim Cintilografia para detecção de hemorragia digestória ativa Sim Sim Cistocintilografia Cintilografia para indireta detecção de hemorragia digestória não ativa Sim Sim Determinação Cint. para determinação da filtração do glomerular tempo de esvaziamento gástrico Sim Cint. para estudo de trânsito esofágico (líquidos) Sim Cint. para estudo de trânsito esofágico (semi-sólidos) Sim Cint. para pesquisa de divertículo de Meckel Sim Cint. para pesquisa de refluxo gastroesofágico Sim Fluxo sanguíneo hepático (qualitativo e quantitativo) Absorção de gorduras Sim Perdas protéicas

10 PROCEDIMENTO Total % total CINTILOG.ÓSSEA COM/SEM FLUXO SANG.(COR.INT % CINTIL.MIOCÁR./PERFUSÃO-REPOUSO % CINTIL.MIOCÁR./PERFUSÃO-ESTRESSE % CINTILOGR.RENAL(QUALITAT.E/OU QUANTITATIVA % CINTILOGR. TIREÓIDE COM/SEM CAPTAÇ.(I 131) % ESTUDO RENAL DINÂMICO, COM DIURÉTICO % CINTILOG.ARTICULAÇÕES E/OU EXTREMID.COM/SE % CINTILOGR. P/PESQUISA DO CORPO INTEIRO(PCI % RENOGRAMA % CINTILOG.P/PESQUISA REFLUXO GASTRO-ESOFÁGI % TRATAMENTO DO HIPERTIREOIDISMO (GRAVES) % CINTILOG.SINCRON.CÂMARAS CARDÍACAS/-RE % CINTILOG.CORPO INT.C/GÁLIO 67-EXCL.P/DOENÇ % CINTILOG.PULMONAR(PERFUSÃO)-MÍN.4 PROJEÇÕE % PERFUSÃO CEREBRAL % LINFOCINTILOGRAFIA % total PET/CT PET Dose FDG

11 REEMBOLSO INCLUSÃO DE PROCEDIMENTOS TABELA SUS Linfonodo Sentinela

12 PET Tomografia por emissão de pósitrons 511Kev 13 N - 10 min 15 O - 2 min 18 F min 11 C - 20 min Produção dos isótopos: Cíclotron, vários alvos, produz 18 F, 11 C, 15 O, 13 N e outros emissores de β + para aplicações avançadas. Síntese dos traçadores: Módulos automáticos para a produção de 11 C-CO 2, 11 C-CH 3 I, 11 C-HCN, 11 C-acetate, 13 N-NH 3, 15 O-O 2, 15 O-CO, 15 O-CO 2, 15 O-H 2 O, 18 F-FDG Outros traçadores devem ser sintetizados «à mão» em laboratório quente.

13 Objetivo : detectar e monitorar marcadores biológicos precoces das doenças Screening in vivo ( DNA, proteína) Imagem Molecular ( PET) Terapia Molecular Imagem Molecular : detecta as alterações bioquímicas das doenças, as quais ocorrem frequentemente antes da expressão morfológica Oferece uma abordagem completamente diferente à assistência médica

14 Objetivos dos métodos de imagem em ONCOLOGIA Screening para doença maligna Diferenciar doença benigna de maligna Identificar o grau de malignidade ( indicador prognóstico ) Estadiamento / Planejamento terapêutico Avaliaçãodarespostaàterapia Detecção precoce de recorrência Diferenciar tu recorrente de necrose ou fibrose PET Evitar procedimentos desnecessários

15 SAE 64a, m Adenocarcinoma pulmão D Massa adrenal E Planejamento terapêutico 1 PET mudou conduta : (pt iria ser sub punção adrenal para diag) Não punciona/não opera Quimioterapia

16 SAE

17 JMVS Melanoma metastático(achado US grande massa abd) Conduta proposta: duodenopancreatectomia PET 2 Mudança de conduta

18 MIMF 3

19 CAG LH Pcte sexo masculino, 32 anos CAG Estadiamento EPET: III ECC: III 2 ciclo Qt Massa residual à TC 8 ciclo Qt 4 ciclo GIV 6 ciclo Qt PET negativo PET Scan no acompanhamento de Linfoma

20 Nacionalização da Produção de Radioisótopos Radiofármacos Redução Impostos Equipamentos Importados Parceria com órgãos estatais fiscalizadores : CNEN/ANVISA TABELAS DE PROCEDIMENTOS INCLUSÃO SUS REMUNERAÇÃO Aumento do número de laboratórios de medicina nuclear no país* Aumento do número de exames/ terapias ATENDIMENTO A TODA A POPULAÇÃO

Medicina Nuclear. Cintilografia

Medicina Nuclear. Cintilografia Medicina Nuclear Cintilografia Conheça o serviço Corredor de Acesso Porta Entrada Sala Quente Espera Sala Injeção Injetados Espera Injetados Teste Ergométrico Conheça o Serviço Comando Sala de Exames Composição

Leia mais

CENTRO DE MEDICINA NUCLEAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário

CENTRO DE MEDICINA NUCLEAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário CENTRO DE MEDICINA NUCLEAR Sumário NORMAS OPERACIONAIS Fluxograma dos Pacientes Fluxo de Pacientes antes ou após Cintilografia sem Ergometria e/ou Acompanhantes Fluxo de Pacientes após Ergometria Protocolo

Leia mais

Sérgio Altino de Almeida

Sérgio Altino de Almeida Project and Uses of PET Scan LAS ANS SYMPOSIUM 2005 Sérgio Altino de Almeida Hospital Samaritano - Clínica Radiológica Luiz Felippe Mattoso Rio de Janeiro - Junho - 2005 Geração e Interpretação das Imagens

Leia mais

Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET-CT)

Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET-CT) Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Biociências Departamento de Biofísica Biofísica Biomédica III BIO10016 Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET-CT) Franciele Giongo e Luíza Fortes

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE MEDICINA NUCLEAR Princípios e Aplicações

PROCEDIMENTOS DE MEDICINA NUCLEAR Princípios e Aplicações PROCEDIMENTOS DE MEDICINA NUCLEAR Princípios e Aplicações VIII Encontro de Técnicos de Radiologia da Alta Noroeste Marco Antônio de Carvalho Físico Médico e Supervisor de Radioproteção em Medicina Nuclear

Leia mais

MEDICINA NUCLEAR Lidia Vasconcellos de Sá 2011

MEDICINA NUCLEAR Lidia Vasconcellos de Sá 2011 MEDICINA NUCLEAR Lidia Vasconcellos de Sá 2011 APLICAÇÕES NA ÁREA MÉDICA RADIODIAGNÓSTICO RADIOTERAPIA MEDICINA NUCLEAR USO DE FONTES DE RADIAÇÃO NA ÁREA MÉDICA RAIOS-X DIAGNÓSTICO: equipamentos emissores

Leia mais

www.imaginologia.com.br Imaginologia.com.br - Radiologia e Diagnóstico por Imagem para médicos clínicos e cirurgiões.

www.imaginologia.com.br Imaginologia.com.br - Radiologia e Diagnóstico por Imagem para médicos clínicos e cirurgiões. www.imaginologia.com.br Imaginologia.com.br - Radiologia e Diagnóstico por Imagem para médicos clínicos e cirurgiões. 1 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE EXAMES DE MEDICINA NUCLEAR R e d a t o r

Leia mais

GUIA PET-CT DEPARTAMENTO DE MEDICINA MOLECULAR TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE POSITRÕES COM TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA MEDICINA DE EXCELÊNCIA E INOVAÇÃO

GUIA PET-CT DEPARTAMENTO DE MEDICINA MOLECULAR TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE POSITRÕES COM TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA MEDICINA DE EXCELÊNCIA E INOVAÇÃO GUIA PET-CT TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE POSITRÕES COM TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA DEPARTAMENTO DE MEDICINA MOLECULAR MEDICINA DE EXCELÊNCIA E INOVAÇÃO TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE POSITRÕES COM TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA

Leia mais

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Endocrinologia

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Endocrinologia Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear Endocrinologia Este documento foi elaborado conforme orientações da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear, visando aproximar ainda mais

Leia mais

Manual de Exames Medicina Nuclear

Manual de Exames Medicina Nuclear Manual de Exames Medicina Nuclear AGENDAMENTO DE EXAMES 31-36670867 Rua Ipanema, 95 1º Andar Coronel Fabriciano MG Manual de Exames Medicina Nuclear Introdução 1. Apresentação Atuando há mais de 24 anos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PET/CT NO DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER THE IMPORTANCE OF PET / CT DIAGNOSTIC EARLY CANCER

A IMPORTÂNCIA DO PET/CT NO DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER THE IMPORTANCE OF PET / CT DIAGNOSTIC EARLY CANCER Centro de Imagem e Saúde CIMAS São Paulo SP A IMPORTÂNCIA DO PET/CT NO DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER THE IMPORTANCE OF PET / CT DIAGNOSTIC EARLY CANCER Juliana Thaina Lopes Pinéo Fone: (85)8737-6812 Endereço:

Leia mais

Tema: Uso do pet scan em pacientes portadores de câncer

Tema: Uso do pet scan em pacientes portadores de câncer Data: 27/11/2012 Nota Técnica 23/2012 Medicamento Material Procedimento X Cobertura Solicitante: Bruna Luísa Costa de Mendonça Assessora do Juiz da 2ª Vara Cível Numeração Única: 052512020931-3 Tema: Uso

Leia mais

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT Segundo diretrizes ANS Referencia Bibliográfica: Site ANS: http://www.ans.gov.br/images/stories/a_ans/transparencia_institucional/consulta_despachos_poder_judiciari

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA Imagenologia: Técnicas Radiológicas II Prof. Msc Ana Paula de Souza Paixão Biomedicina 5º P Método de diagnóstico

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO SESA/NUEPAC/Nº 001/2012 REGULAMENTO

EDITAL DE CREDENCIAMENTO SESA/NUEPAC/Nº 001/2012 REGULAMENTO EDITAL DE CREDENCIAMENTO SESA/NUEPAC/Nº 001/2012 REGULAMENTO A Secretaria de Estado da Saúde, doravante denominada SESA, realizará CREDENCIAMENTO DE ENTIDADES PRIVADAS COM FINS LUCRATIVOS, PRESTADORAS

Leia mais

Programação Pactuada e Integrada Composição dos serviços ambulatoriais de alta complexidade

Programação Pactuada e Integrada Composição dos serviços ambulatoriais de alta complexidade Bolsas - Bolsas de Urostomia 0701060026 BOLSA COLETORA P/ UROSTOMIZADOS 0701060042 CONJUNTO DE PLACA E BOLSA P/ UROSTOMIZADOS Bolsas - Coletor Urinário 0701060034 COLETOR URINARIO DE PERNA OU DE CAMA Bolsas

Leia mais

Academia Nacional de Medicina. Data: 07/04/2011 Hora: 18:00h

Academia Nacional de Medicina. Data: 07/04/2011 Hora: 18:00h Academia Nacional de Medicina Data: 07/04/2011 Hora: 18:00h Aplicabilidade Clínica da Medicina Nuclear Cláudio Tinoco Mesquita Conflito de interesse (CFM nº 1.595/00 de 18/5/2000 e ANVISA nº 120/2000 de

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE EXAMES LABORATORIAIS. Publicado na PORTARIA Nº. 110-S, DE 02 DE MARÇO DE 2015.

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE EXAMES LABORATORIAIS. Publicado na PORTARIA Nº. 110-S, DE 02 DE MARÇO DE 2015. TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE 103203 SERVICO, TITULO: EXAME, SUBTITULO: ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS), COM 103204 SERVICO, TITULO: EXAME, SUBTITULO: ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS), SEM EXAME 2.525,0000

Leia mais

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011 Agenda Medicina Nuclear Endocrinologia Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com O objetivo desta aula é abordar a Medicina nuclear em endocrinologia (notadamente aplicações Câncer de Tireóide).

Leia mais

Cintilografia Cerebral LARYSSA MARINNA RESIDENTE DE ENFERMAGEM EM NEONATOLOGIA

Cintilografia Cerebral LARYSSA MARINNA RESIDENTE DE ENFERMAGEM EM NEONATOLOGIA Cintilografia Cerebral LARYSSA MARINNA RESIDENTE DE ENFERMAGEM EM NEONATOLOGIA A cintilografia tomográfica da perfusão cerebral (SPECT) detecta alterações da perfusão sanguínea cerebral inclusive na ausência

Leia mais

O estado da arte na produção de radiofármacos no Brasil

O estado da arte na produção de radiofármacos no Brasil O estado da arte na produção de radiofármacos no Brasil Jair Mengatti Diretor de Produtos e Serviços IPEN-CNEN/SP " XI ENAN 26 de novembro de 2013 Recife, Pernambuco Radiofármaco De acordo com a RDC nº

Leia mais

O SUS na medicina nuclear do Brasil: avaliação e comparação dos dados fornecidos pelo Datasus e CNEN *

O SUS na medicina nuclear do Brasil: avaliação e comparação dos dados fornecidos pelo Datasus e CNEN * Artigo Original Pozzo L et al. / O SUS na medicina nuclear do Brasil O SUS na medicina nuclear do Brasil: avaliação e comparação dos dados fornecidos pelo Datasus e CNEN * SUS in nuclear medicine in Brazil:

Leia mais

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Oncologia

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Oncologia Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear Oncologia Este documento foi elaborado conforme orientações da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear, visando aproximar ainda mais nossa

Leia mais

OFERTA/DEMANDA DO RADIOISÓTOPO 99 MO NO BRASIL: UMA NECESSIDADE SOCIAL.

OFERTA/DEMANDA DO RADIOISÓTOPO 99 MO NO BRASIL: UMA NECESSIDADE SOCIAL. 2013 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2013 Recife, PE, Brazil, November 24-29, 2013 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-05-2 OFERTA/DEMANDA DO RADIOISÓTOPO

Leia mais

No caso de alimentos, a irradiação é realizada para retardar o apodrecimento, principalmente no caso de frutos, para inibir brotamento,

No caso de alimentos, a irradiação é realizada para retardar o apodrecimento, principalmente no caso de frutos, para inibir brotamento, 7 1. INTRODUÇÃO Poucas áreas da ciência tiveram um desenvolvimento tão rápido e um campo de aplicação tão abrangente quanto ao da energia nuclear. Aplicações que beneficiam toda a sociedade e que vão da

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CANCEROLOGIA 21. O melhor esquema terapêutico para pacientes com neoplasia maligna de bexiga, os quais são clinicamente inelegíveis para cirurgia radical, é: a) Ressecção

Leia mais

PET- TC aplicações no Tórax

PET- TC aplicações no Tórax PET- TC aplicações no Tórax Disciplina de Pneumologia InCor- HCFMUSP Prof. Dr. Mário Terra Filho 1906 1863 Eisenberg 1992 (J. Kavakama) RxTC- Sec XIX-XX Lyons-Petrucelli 1978 Sec XIX PET- Sec XX-XXI PET

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

Setor de PET/CT & Medicina Nuclear PET/CT (FDG) Agradecimento a Dra. Carla Ono por ceder material científico

Setor de PET/CT & Medicina Nuclear PET/CT (FDG) Agradecimento a Dra. Carla Ono por ceder material científico PET/CT (FDG) Agradecimento a Dra. Carla Ono por ceder material científico EMENTA 1. PET/CT com FDG: Conceitos básicos 2. PET/CT-FDG no CA de Pulmão e NPS: a. Indicações aprovadas pela ANS b. Bases científicas

Leia mais

Comissão Nacional de Energia Nuclear

Comissão Nacional de Energia Nuclear II workshop International ENUMAs 2010 Comissão Nacional de Energia Nuclear Nilson Dias Vieira Junior 19/08/2010 A ÁREA NUCLEAR BRASILEIRA Presidência da República Ministério da Ciência e Tecnologia Institutos

Leia mais

Data: 07/12/2012. Medicamento X Material Procedimento Cobertura. TEMA: Pet CT no câncer de colon e no câncer gástrico

Data: 07/12/2012. Medicamento X Material Procedimento Cobertura. TEMA: Pet CT no câncer de colon e no câncer gástrico NT 43/2012 Solicitante: Ilma Dra Jacqueline de Souza Toledo e Dutra Juíza de Direito do 2º JESP do Juizado Especial da Comarca de Pouso Alegre Numeração: 0162231-94.2012.8.13.0525 Data: 07/12/2012 Medicamento

Leia mais

Manuseio do Nódulo Pulmonar Solitário

Manuseio do Nódulo Pulmonar Solitário VIII Congresso de Pneumologia e Tisiologia do Estado do Rio de Janeiro Manuseio do Nódulo Pulmonar Solitário Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Ciências Médicas Hospital Universitário

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014 PORTARIA 13/2014 Dispõe sobre os parâmetros do exame PET-CT Dedicado Oncológico. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL-IPERGS, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

CINTILOGRAFIA E PET/CT NAS NEOPLASIAS MALÍGNAS

CINTILOGRAFIA E PET/CT NAS NEOPLASIAS MALÍGNAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL RAFAEL STORTE TONIN CINTILOGRAFIA E PET/CT NAS NEOPLASIAS MALÍGNAS 333333333 Porto Alegre 2011 RAFAEL STORTE TONIN CINTILOGRAFIA E PET/CT NAS NEOPLASIAS MALIGNAS

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N. 002/2013 ANEXO IV TABELA DE PROCEDIMENTOS PLANILHA 01

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N. 002/2013 ANEXO IV TABELA DE PROCEDIMENTOS PLANILHA 01 EDITAL DE CREDENCIAMENTO N. 002/2013 ANEXO IV TABELA DE PROCEDIMENTOS PLANILHA 01 ECG ELETROCARDIOGRAMA 20010010 ECG ELETROCARDIOGRAMA R$ 14,05 TESTE ERGOMETRICO 20010028 TESTE ERGOMETRICO BICICLETA ESTEIRA

Leia mais

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Ortopedia

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Ortopedia Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear Ortopedia Este documento foi elaborado conforme orientações da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear, visando aproximar ainda mais nossa

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

Radiopharmaceuticals: Status and Trends for Modern Medicine

Radiopharmaceuticals: Status and Trends for Modern Medicine November 24-29, 2013 Recife, Brazil Radiopharmaceuticals: Status and Trends for Modern Medicine Celso Darío Ramos Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, presidente. Serviço de Medicina Nuclear da UNICAMP,

Leia mais

Aspectos Metrológicos na Estimativa da Atividade Administrada em Pacientes de Medicina Nuclear

Aspectos Metrológicos na Estimativa da Atividade Administrada em Pacientes de Medicina Nuclear Aspectos Metrológicos na Estimativa da Atividade Administrada em Pacientes de Medicina Nuclear A Ruzzarin 1,AM Xavier 2, A Iwahara 1, L Tauhata 1 1 Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes/Instituto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

Boletim nº. 003 Resumo de Termos e procedimentos, usado com radiações ionizantes em diagnóstico médico

Boletim nº. 003 Resumo de Termos e procedimentos, usado com radiações ionizantes em diagnóstico médico Boletim nº. 003 Resumo de Termos e procedimentos, usado com radiações ionizantes em diagnóstico médico Colaboração: Paulo Mota Craveiro - Docente da Faculdade de Marília Igor R. de Castro Bienert Médico

Leia mais

1a. Aula. O que é Medicina Nuclear? Medicina Nuclear. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear. Métodos de Imagem Medicina Nuclear Aspectos Técnicos 3/22/12

1a. Aula. O que é Medicina Nuclear? Medicina Nuclear. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear. Métodos de Imagem Medicina Nuclear Aspectos Técnicos 3/22/12 a. Aula Métodos de Imagem Medicina Nuclear Aspectos Técnicos O que é Medicina Nuclear? Prof. Dr. Lauro Wichert Ana Medicina Nuclear Especialidade Médica Área de Atuação do Físico Médico Diagnóstico, Tratamento

Leia mais

Gomes,Gustavo V.; Abreu,Daniel D.G.; Magalhães,Gustavo S.C.; Calapodopulos,George H.;

Gomes,Gustavo V.; Abreu,Daniel D.G.; Magalhães,Gustavo S.C.; Calapodopulos,George H.; VALOR DO 99m Tc-SESTAMIBI EM PACIENTES COM MELANOMA MALIGNO Gomes,Gustavo V.; Abreu,Daniel D.G.; Magalhães,Gustavo S.C.; Calapodopulos,George H.; Braga, Helton M.; Moraes, Renata F.; Rezende,Marta O.;

Leia mais

Cintilografia cerebral

Cintilografia cerebral MÉDICOS RESPONSÁVEIS Dr. José Ribamar Villela Dra. Ivana Moura Abuhid Dr. Hermes Pardini MEDICINA NUCLEAR é uma especialidade médica que utiliza pequenas quantidades de material radioativo de maneira segura

Leia mais

Química Nuclear e Radiofarmácia

Química Nuclear e Radiofarmácia Licenciatura em Engenharia Biomédica Química Nuclear e Radiofarmácia T 7 AC Santos - 2008/2009 Outros radiometais para marcação de radiofármacos Os radiofármacos baseados em metais deram um grande contributo

Leia mais

Departamento de Diagnóstico por Imagem do I.C.A.V.C. TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA

Departamento de Diagnóstico por Imagem do I.C.A.V.C. TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA TOMOGRAFIA EM ONCOLOGIA Tomografia: diagnóstico stico, estadiamento, acompanhamento, prevenção e pesquisa clínica nica; Objetivo da aula; TC Helicoidal X Multi slice Limitações do método. *Ajustes das

Leia mais

A RADIAÇÃO IONIZANTE. O que é? Fontes de radiação Efeitos biológicos

A RADIAÇÃO IONIZANTE. O que é? Fontes de radiação Efeitos biológicos A RADIAÇÃO IONIZANTE O que é? Fontes de radiação Efeitos biológicos Palestra introdutória Curso de Física da Radiação I -2004/1 Resp.: Prof. Stenio Dore O que é radiação? Def. abrangente: É o transporte

Leia mais

Antonie - Henri Becquerel

Antonie - Henri Becquerel FUNDAÇÃO LUSÍADA CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA MEDICINA NUCLEAR MEDICINA NUCLEAR TRABALHO DE ELABORADO NO CURSO TÉCNOLOGIA EM RADIOLOGIA COMO PARTE DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE

Leia mais

CONSOLIDADO DAS MODIFICAÇÕES À CONSULTA PÚBLICA Nº 27

CONSOLIDADO DAS MODIFICAÇÕES À CONSULTA PÚBLICA Nº 27 CONSOLIDADO DAS MODIFICAÇÕES À CONSULTA PÚBLICA Nº 27 1. PROCEDIMENTOS QUE FORAM EXCLUÍDOS DA PROPOSTA DO ROL COLOCADA EM CONSULTA PÚBLICA Nº DA LINHA PROCEDIMENTO 0018 MONITOR DE EVENTOS SINTOMÁTICOS

Leia mais

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Saúde - Subárea Radiologia Médica. Especialização Profissional de Nível Técnico em

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Saúde - Subárea Radiologia Médica. Especialização Profissional de Nível Técnico em Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC - SP CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 03 de abril de 2003. Número do Plano: 76 Área do Plano: Saúde - Subárea Radiologia Médica PLANO

Leia mais

USO DE MARCADORES TUMORAIS PARA DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER. Orientadora, docente do Curso de Farmácia, UnuCET Anápolis - UEG

USO DE MARCADORES TUMORAIS PARA DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER. Orientadora, docente do Curso de Farmácia, UnuCET Anápolis - UEG USO DE MARCADORES TUMORAIS PARA DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER Gyzelly Gondim de Oliveira 1 ; Cristiane Alves da Fonseca 2 1 Graduanda do Curso de Farmácia, UnuCET Anápolis - UEG

Leia mais

Câncer de Tireóide. O segredo da cura é a eterna vigilância

Câncer de Tireóide. O segredo da cura é a eterna vigilância Câncer de Tireóide Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira O câncer de tireóide é um tumor maligno de crescimento localizado dentro da glândula

Leia mais

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Relação dos POPs

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Relação dos POPs DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Relação dos POPs PREPAROS DOS EXAMES E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM 08.01 Ablação por Cateter com Radiofrequência 08.02 Alergia aos Contrastes Iodados 08.03 Angio Ressonância Abdome

Leia mais

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES TUMORES Tumores, também chamados de neoplasmas, ou neoplasias, são alterações celulares que provocam o aumento anormal dos tecidos corporais envolvidos. BENIGNO: são considerados benignos quando são bem

Leia mais

2) Acesso dos candidatos à Residência Médica ou Curso de Especialização credenciado pelo CBR em Medicina Nuclear

2) Acesso dos candidatos à Residência Médica ou Curso de Especialização credenciado pelo CBR em Medicina Nuclear PROGRAMA BÁSICO DE RESIDÊNCIA MÉDICA E/OU CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO CREDENCIADO PELO COLÉGIO BRASILEIRO DE RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM PARA FORMAÇÃO EM MEDICINA NUCLEAR 1) Objetivo Formação de médicos

Leia mais

Energia Nuclear. Apostila educativa. Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves Claudio Braz Sonia Pestana

Energia Nuclear. Apostila educativa. Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves Claudio Braz Sonia Pestana Aplicações da Energia Nuclear Por ELIEZER DE MOURA CARDOSO Colaboradores: Ismar Pinto Alves Claudio Braz Sonia Pestana Rua General Severiano, 90 - Botafogo - Rio de Janeiro - RJ - CEP 22290-901 www.cnen.gov.br

Leia mais

Tumor Desmoplásico de Pequenas Células Redondas: Relato de um caso.

Tumor Desmoplásico de Pequenas Células Redondas: Relato de um caso. Everton Pereira D. Lopes² Eduardo M Pracucho¹ Ricardo de Almeida Campos² Karla Thaiza Thomal¹ Celso Roberto Passeri¹ Renato Morato Zanatto¹ 1-Departamento de Cirurgia Oncológica Aparelho Digestivo Alto

Leia mais

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS METÁSTASES HEPÁTICAS Carcinoma Metastático do Fígado METÁSTASES HEPÁTICAS Neoplasia primeira

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

Diretriz para tratamento da dor óssea metastática com radioisótopos

Diretriz para tratamento da dor óssea metastática com radioisótopos Diretriz para tratamento da dor óssea metastática com radioisótopos Contribuição : Alexandre Barbosa Cancela Moreira Revisão : Bárbara Juarez Amorim Edição : Elba Cristina Sá de Camargo Etchebehere I.

Leia mais

0204010136 - RADIOGRAFIA DE REGIAO ORBITARIA (LOCALIZACAO DE CORPO ESTRANHO)

0204010136 - RADIOGRAFIA DE REGIAO ORBITARIA (LOCALIZACAO DE CORPO ESTRANHO) ANEXO PT/SAS/MS Nº 420 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 GRUPO II 0204010012 - DACRIOCISTOGRAFIA 0204010020 - PLANIGRAFIA DE LARINGE 0204010039 - RADIOGRAFIA BILATERAL DE ORBITAS (PA + OBLIQUAS + HIRTZ) 0204010047

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA O BRASIL COM A MINERAÇÃO DE TÁLIO. Vladimir Aps

AS OPORTUNIDADES PARA O BRASIL COM A MINERAÇÃO DE TÁLIO. Vladimir Aps AS OPORTUNIDADES PARA O BRASIL COM A MINERAÇÃO DE TÁLIO Vladimir Aps AGENDA A ITAOESTE DESCOBERTA DA JAZIDA DE TÁLIO O METAL TÁLIO E SUAS APLICAÇÕES DESENVOLVIMENTO DE PROCESSO HIDROMETALÚRGICO OPORTUNIDADES

Leia mais

Princípio de radiotraçador Observação não invasiva de processos fisiológicos

Princípio de radiotraçador Observação não invasiva de processos fisiológicos Exame de diagnóstico II: Técnicas Cintilográficas Princípio de radiotraçador Observação não invasiva de processos fisiológicos Algumas datas marcantes na história da Medicina Nuclear 1896 - Descobrimento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ESTADO DA ARTE DA RADIOPROTEÇÃO PARA LACTANTES E ELABORAÇÃO DE RECOMENDAÇÕES PARA EQUIPES MULTIDISCIPLINARES

AVALIAÇÃO DO ESTADO DA ARTE DA RADIOPROTEÇÃO PARA LACTANTES E ELABORAÇÃO DE RECOMENDAÇÕES PARA EQUIPES MULTIDISCIPLINARES 2009 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2009 Rio de Janeiro,RJ, Brazil, September27 to October 2, 2009 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-03-8 AVALIAÇÃO DO

Leia mais

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio Maria de Fátima Dias Gaui CETHO Introdução Objetivo: Definir a extensão da doença: Estadiamento TNM (American Joint Committee on Cancer ). 1- Avaliação

Leia mais

Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN

Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN Jose Augusto Perrotta Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento DPD/CNEN Tópicos abordados nesta apresentação Institutos da CNEN Principais

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30-8:45 Abordagem nos múltiplos ferimentos abdominais penetrantes.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30-8:45 Abordagem nos múltiplos ferimentos abdominais penetrantes. MAPA AUDITÓRIO PARQUE TINGUI (280 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. ESPACO DO TRAUMA (SBAIT) SEGUNDA FEIRA 03 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15

Leia mais

IINFORMAÇÕES GERAIS PARA O EXAME DE CINTILOGRAFIA RENAL

IINFORMAÇÕES GERAIS PARA O EXAME DE CINTILOGRAFIA RENAL IINFORMAÇÕES GERAIS PARA O EXAME DE CINTILOGRAFIA RENAL Importante: A cintilografia NÃO deve ser realizada em mulheres grávidas! Caso haja qualquer dúvida de risco de gestação, é melhor realizar antes

Leia mais

Engenharia Biomédica e Física Médica

Engenharia Biomédica e Física Médica Engenharia Biomédica e Física Médica 2010-2011 Teste 1 Importante: - Indique todos os cálculos e aproximações que efectuar. - Quando achar necessário arbitrar valores ou parâmetros (p.ex. diâmetro de um

Leia mais

Autor. Revisão Técnica. Durval Alex Gomes e Costa

Autor. Revisão Técnica. Durval Alex Gomes e Costa Apresentação A estrutura do Guia de Interpretação de Exames, em que cada capítulo aborda um exame diferente, foi concebida para ser uma alternativa à literatura especializada na melhor interpretação possível

Leia mais

Tomografia por emissão de pósitrons (PET) Pedro Bastos Costa

Tomografia por emissão de pósitrons (PET) Pedro Bastos Costa Tomografia por emissão de pósitrons (PET) Pedro Bastos Costa Introdução Na Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET), diferentemente dos exames de Raio-x ou CT, a emissão da radiação é realizada diretamente

Leia mais

A ENERGIA NUCLEAR E SEUS USOS NA SOCIEDADE

A ENERGIA NUCLEAR E SEUS USOS NA SOCIEDADE A ENERGIA NUCLEAR E SEUS USOS NA SOCIEDADE Cínthia Helena Claudino Silvestre Disrael Camargo Neves da Cunha Felipe Prates Moitinho Mendes Pereira Felipe Renier Maranhão Lima Guilherme Campos Gonçalves

Leia mais

PECOGI A.C.Camargo Cancer Center PROGRAMA 2014

PECOGI A.C.Camargo Cancer Center PROGRAMA 2014 PECOGI A.C.Camargo Cancer Center PROGRAMA 2014 21/08 QUINTA-FEIRA 7:50 8:00 Abertura 8:00 9:30 Mesa Redonda: CEC de Esôfago 8:00 8:15 Ferramentas de estadiamento na neoplasia esofágica. É possível individualizar

Leia mais

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Neurologia

Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear. Neurologia Orientações sobre procedimentos em Medicina Nuclear Neurologia Este documento foi elaborado conforme orientações da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear, visando aproximar ainda mais nossa

Leia mais

Parte II: Sumário narrativo das diretrizes práticas da NCCN PET e PET/CT

Parte II: Sumário narrativo das diretrizes práticas da NCCN PET e PET/CT Parte II: Sumário narrativo das diretrizes práticas da NCCN PET e PET/CT As diretrizes da NCCN foram revisadas em 03/02/2011 para utilização de PET e PET/CT (disponível em: http://www.nccn.org/professionals/physician_

Leia mais

Linha de Cuidado da Obesidade. Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas

Linha de Cuidado da Obesidade. Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas Linha de Cuidado da Obesidade Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas Evolução do excesso de peso e obesidade em adultos 0,8% (1.550.993) da população apresenta obesidade grave 1,14% das

Leia mais

WDS, masculino, 57 anos

WDS, masculino, 57 anos Módulo: Câncer de Pulmão Não-Pequenas Células Metastático Caso 1 WDS, masculino, 57 anos FEV/2010: Dor lombar e em quadril E; ausência de tosse com hemoptise; sem sintomas neurológicos Cintilografia óssea:

Leia mais

Apudoma TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO. PROCED. DESCRIÇÃO QT CID At. Prof. Vr. TOTAL

Apudoma TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO. PROCED. DESCRIÇÃO QT CID At. Prof. Vr. TOTAL TABELAS DE PROCEDIMENTOS POR NEOPLASIA E LOCALIZAÇÃO Apudoma 0304020117 Quimioterapia paliativa de apudoma (doença loco-regional avançada, inoperável, metastática ou recidivada; alteração da função hepática;

Leia mais

MARCADORES TUMORAIS EM DESTAQUE

MARCADORES TUMORAIS EM DESTAQUE Adriana Helena Sedrez Farmacêutica Bioquímica Especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR Coordenadora do setor de Hematologia Clínica, responsável pelo Atendimento ao Cliente e gerente de Recursos

Leia mais

Programação Preliminar do 41 Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo

Programação Preliminar do 41 Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo Programação Preliminar do 41 Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo Cirurgia do Esôfago Painel de perguntas e filmes cirúrgicos

Leia mais

IMAGEM FUNCIONAL PET E fmri EDUARDO TINOIS (A)

IMAGEM FUNCIONAL PET E fmri EDUARDO TINOIS (A) IMAGEM FUNCIONAL PET E fmri EDUARDO TINOIS (A) (A) Físico do Grupo de Radiodiagnóstico da Área de Física Médica do Centro de Engenharia Biomédica da UNICAMP (desde 1996, atuando na Área de Medicina Nuclear

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO:

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: 1) Esta prova é composta por 20 (vinte) questões de múltipla escolha, cada uma valendo 0,5 (meio) ponto. 2) Cada questão apresenta apenas uma resposta correta. Questões rasuradas

Leia mais

RADIONUCLÍDEOS UTILIZADOS EM PET/CT E SUAS APLICAÇÕES

RADIONUCLÍDEOS UTILIZADOS EM PET/CT E SUAS APLICAÇÕES RADIONUCLÍDEOS UTILIZADOS EM PET/CT E SUAS APLICAÇÕES Jaqueline Ferruci Barbosa 1, Leandro Bolognesi 2 1 Faculdade de Tecnologia de Botucatu, Botucatu, São Paulo, Brasil. E-mail jackeaislan@yahoo.com.br

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO:

INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: INSTRUÇÕES PARA O CANDIDATO: 1) Esta prova é composta por 20 (vinte) questões de múltipla escolha, cada uma valendo 0,5 (meio) ponto. 2) Cada questão apresenta apenas uma resposta correta. Questões rasuradas

Leia mais

Atualizado em Março/2014.

Atualizado em Março/2014. ANEXO I PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER REGISTRADOS EM BPA INDIVIDUALIZADO DE ACORDO COM A PORTARIA Nº 380, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Atualizado em Março/2014. CÓDIGO NOME 0201010062 BIOPSIA DE BEXIGA 0201010216

Leia mais

TECNOLÓGICAS ESTUDO DE DOSIMETRIA EM EXAMES DE MEDICINA NUCLEAR

TECNOLÓGICAS ESTUDO DE DOSIMETRIA EM EXAMES DE MEDICINA NUCLEAR 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA ESTUDO DE DOSIMETRIA EM EXAMES DE MEDICINA NUCLEAR Halaine Cristine Mariano Silva

Leia mais

Carcinoma de tireóide ide na infância

Carcinoma de tireóide ide na infância Carcinoma de tireóide ide na infância Dra. Rossana Corbo INCa/UFRJ 2006 Incidência: 5 casos/milhão /ano EUA (1973 1977) crianças as com idade inferior a 20 anos Apresentação clinica: predomínio em meninas

Leia mais

TABELA CONVÊNIOS À VISTA COM MEDICAÇÃO

TABELA CONVÊNIOS À VISTA COM MEDICAÇÃO TABELA CONVÊNIOS À VISTA COM MEDICAÇÃO CONSULTAS MÉDICAS 10101012 Cardiologia 120,00 10101012 Pneumologia 120,00 10101012 Ginecologia/Obstetrícia 120,00 10101012 Clínico Geral 120,00 10101012 Mastologia

Leia mais

NEOPLASIAS. Prof. Dr. Fernando Ananias

NEOPLASIAS. Prof. Dr. Fernando Ananias NEOPLASIAS Prof. Dr. Fernando Ananias Neoplasia = princípio básico CLASSIFICAÇÃO DOS TUMORES Comportamento Benigno versus Maligno Crescimento lento rápido Semelhança com O tecido de origem (Diferenciação)

Leia mais

TUMORES NEUROENDÓCRINOS

TUMORES NEUROENDÓCRINOS TUMORES NEUROENDÓCRINOS MEDICINA NUCLEAR Inês Lucena Sampaio Serviço de Medicina Nuclear do IPO-Porto TNE: DEFINIÇÃO The North American Neuroendocrine Tumor Society (NANETS) (NANETS Guidelines, The Pathologic

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

ACORDAM, em Quarta Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, por votação unânime, negar provimento ao recurso.

ACORDAM, em Quarta Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, por votação unânime, negar provimento ao recurso. ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÂTICA REGISTRADO(A) SOB N III H *02536027* Piano de saúde - Recusa de cobertura de exame prescrito por médico especialista para paciente em

Leia mais

Junho/2011: durante investigação de quadro gripal observado nodulo em LID

Junho/2011: durante investigação de quadro gripal observado nodulo em LID Módulo: Câncer de Pulmão de Pequenas Células Caso 1 MRC, femin, 70 anos Junho/2011: durante investigação de quadro gripal observado nodulo em LID CT de Torax: nodulo 28 2,8 x 1,9 19 cm junto à pleura base

Leia mais

Juíz de Direito do 3º JESP do Juizado Especial da Comarca de Pouso Alegre

Juíz de Direito do 3º JESP do Juizado Especial da Comarca de Pouso Alegre NT 40/2013 Solicitante: NAPOLEÃO DA SILVA CHAVES Juíz de Direito do 3º JESP do Juizado Especial da Comarca de Pouso Alegre Data: 04/04/2013 Medicamento Material Procedimento x Cobertura Numeração: 004561-6/13

Leia mais

Prof a Dr a Camila Souza Lemos IMUNOLOGIA. Prof a. Dr a. Camila Souza Lemos. camila.souzabiomedica@gmail.com AULA 4

Prof a Dr a Camila Souza Lemos IMUNOLOGIA. Prof a. Dr a. Camila Souza Lemos. camila.souzabiomedica@gmail.com AULA 4 IMUNOLOGIA Prof a. Dr a. Camila Souza Lemos camila.souzabiomedica@gmail.com AULA 4 Imunidade contra tumores Linfócitos T-CD8 (azul) atacando uma célula tumoral (amarela) A imunologia tumoral é o estudo

Leia mais

André Salazar e Marcelo Mamede CANCER PATIENTS: CORRELATION WITH PATHOLOGY. Instituto Mário Penna e HC-UFMG. Belo Horizonte-MG, Brasil.

André Salazar e Marcelo Mamede CANCER PATIENTS: CORRELATION WITH PATHOLOGY. Instituto Mário Penna e HC-UFMG. Belo Horizonte-MG, Brasil. F-FDG PET/CT AS A PREDICTOR OF INVASIVENESS IN PENILE CANCER PATIENTS: CORRELATION WITH PATHOLOGY André Salazar e Marcelo Mamede Instituto Mário Penna e HC-UFMG. Belo Horizonte-MG, Brasil. 2014 CÂNCER

Leia mais

MEIOS DE CONTRASTE NA TC. Profº. Emerson Siraqui

MEIOS DE CONTRASTE NA TC. Profº. Emerson Siraqui MEIOS DE CONTRASTE NA TC Profº. Emerson Siraqui MEIOS DE CONTRASTE NA TC Em termos amplos, meios de contrastes radiológicos, são compostos que, uma vez dentro de estruturas orgânicas, conseguem dar as

Leia mais

Dr. Jefferson Mazzei Radiologista Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho

Dr. Jefferson Mazzei Radiologista Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho Dr. Jefferson Mazzei Radiologista Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho Objetivo da aula; Diagnóstico, estadiamento, acompanhamento, prevenção e pesquisa clínica; Limitações do método. Definição

Leia mais