O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil"

Transcrição

1 O Compromisso Crescimento e a Sustentabilidade na Secil GONÇALO SALAZAR LEITE CEO GRACE - Encontro Temático Crescimento 1

2 Ponto de Partida O cimento é um bem essencial ao conforto, segurança e património das populações. Produto manufacturado mais consumido no mundo. Essencial para a adaptação às alterações climáticas: erosão costeira, inundações, abastecimento de água. Forte impacto social : criação de emprego e ligação às comunidades locais. Elevada Certificação em Sistemas de Gestão Ambiental. Grande contributo económico: Emprego, saldo BTC ( exportações acrescidas com elevado VAB e diminuição da importação de combustíveis fósseis). Profunda ligação à investigação e desenvolvimento: Universidades, consultoras. Forte ligação a entidades internacionais - Cembureau, ECRA, WBCSD-CSI. 2

3 Contributos SECIL para a Sustentabilidade 3

4 Contributos SECIL para a Sustentabilidade 4

5 Resultados Obtidos pela SECIL no Domínio da Sustentabilidade (1) 5

6 Resultados Obtidos pela SECIL no Domínio da Sustentabilidade (2) 6

7 A Sustentabilidade na CEMBUREAU Eficiência na Utilização dos Recursos 7

8 A SECIL e o Crescimento Pontos Críticos Avaliação do impacto? Co-Financiamento nacional às medidas propostas? Avaliação do caminho percorrido até agora? Competitividade e eficiência 8

9 A SECIL e o Crescimento Muito Obrigado 9

10 A Sustentabilidade na CEMBUREAU Low Carbon Roadmap para 2050 A CEMBUREAU elegeu 5 vias com vista à sua contribuição para uma redução significativa do CO 2, estando 3 delas no âmbito do controlo directo do sector, enquanto as duas restantes, com reduções potenciais muito significativas, se situam a jusante do fabrico do cimento. A SECIL participa activamente nos 4 Working Groups (e respectivas Task Forces): WGA - Climate Change & Energy WGC - Health & Safety WGB - Resources & Processes WGD - "Markets & Products" 10

11 Walk the Talk na CSI Projecto CEO Driven (2) TF5 - Biodiversity and Land Stewardship (Environmental & Social Impacts Assessment Guidelines [ESIA], Biodiversity Management Plan [BMP] Guidance, Net Positive Impact [NPI] framework development) TF6 - Communications (Communication and Stakeholder Involvement Guidebook for Cement Facilities, Expanding CSI Communication Partner network) TF8 - Sustainability with Concrete (Responsible Sourcing Scheme for Concrete) TF9 - Water (Global Water Tool for the Cement Sector, Protocol for Water Reporting for the Cement Industry) TF10 - Sustainable Supply Chain (CSI s Guide to Sustainable Supply Chain Management) TF11 - Integrated Value (2015 & 2016 work plan for Qualitative Assessments of the externalities, Quantitative Assessments & Monetization when possible, Potential Collaboration with the World Resources Forum for KPI s concerning Resource Efficiency) 11

12 Resultados Obtidos pela SECIL no Domínio da Sustentabilidade (3) Redução do Coque consumido substituído por Combustíveis Alternativos ( ): Em volume: t Em valor: 22,8 M Consumo de Resíduos ( ): t Emissões de CO 2 evitadas ( ) t de CO 2 Razão entre o valor dos Investimentos Ambientais + I&D e o valor de mercado dos excedentes de Alocações Gratuitas ( ) = 206% Contribuição para o equilíbrio da Balança Comercial ( ): Redução do Coque Importado : - 22,8 M Exportação de Clínquer e Cimento: 373 M Vivência Diária da Sustentabilidade na SECIL A remuneração variável dos Quadros e Chefias da SECIL é função do cumprimento de objectivos de desempenho económico (a nível da Empresa) e de desempenho ambiental e de segurança (a nível dos sectores e departamentos onde estão inseridos), constituindo uma motivação significativa para uma atitude positiva na actividade dos Colaboradores da SECIL, inserida nos pilares fundamentais em que assenta o desenvolvimento sustentável. 12

13 Walk the Talk na CSI Projecto CEO Driven (1) TF 1 - Climate Protection (Cement CO 2 and Energy Protocol, Getting the Numbers Right Database [GNR], Avoided emissions & Resilience projects, Technology Roadmaps for Índia, Brasil and Egipto, Cement Sector Scope 3 GHG Accounting and Reporting Guidance, EPD Tool) TF2 - Co-processing (Setting up of an online library, Guidelines for Co-processing Fuels and Raw Materials in Cement Manufacturing, Proposal from UNIDO about promoting co-processing in cement kilns in developing countries) TF3 - Health and Safety (Annual health & safety data reporting and analysis, Driving & Contractor safety initiatives, Recommended good practices for the management of health risks from occupational exposure to dust and noise, CEO Safety Moment in each Annual CEO s Meeting) TF4 - Air Emissions (Guidance for Controlling and Reducing Emissions of Mercury Compounds in the Cement Industry inside UNEP Guidelines) 13

Desafios na Gestão de Fornecedores emissões de âmbito 3 e outros

Desafios na Gestão de Fornecedores emissões de âmbito 3 e outros www.pwc.pt Desafios na Gestão de Fornecedores emissões de âmbito 3 e outros Cláudia Coelho, Senior Manager, Sustainable Business Solutions 3 de abril 2014 Os desafios na gestão da cadeia de fornecedores

Leia mais

EFICIÊNCIA DE RECURSOS: EMBASANDO AS POLÍTICAS EUROPEIAS ALAVANCANDO UM SETOR DE CIMENTO DE BAIXO CARBONO

EFICIÊNCIA DE RECURSOS: EMBASANDO AS POLÍTICAS EUROPEIAS ALAVANCANDO UM SETOR DE CIMENTO DE BAIXO CARBONO EFICIÊNCIA DE RECURSOS: EMBASANDO AS POLÍTICAS EUROPEIAS ALAVANCANDO UM SETOR DE CIMENTO DE BAIXO CARBONO Vagner Maringolo CEMBUREAU Environment & Resources Manager 19 a 21 maio 2014 São Paulo/SP Brasil

Leia mais

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do

Leia mais

ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade. Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland

ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade. Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland Sumário Introdução Desafios da mitigação de Gases de

Leia mais

Sustentabilidade e Mudança Climática

Sustentabilidade e Mudança Climática Sustentabilidade e Mudança Climática 23 de Setembro 2009 Definindo uma Estratégia Corporativa para lidar com Mudanças Climáticas de forma sustentável Aceitar que o debate está concluído Entender a sua

Leia mais

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Rita Almeida Dias 18 Setembro de 2012 2012 Sustentare Todos os direitos reservados Anterior Próximo www.sustentare.pt

Leia mais

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE CGD 1 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE GEE CGD S.A. 2014 2 CGD Relatório de Compensação de Emissões de GEE - CGD S.A. 2014 1.1 Introdução O Programa de Baixo Carbono, pioneiro no setor da banca

Leia mais

A Iniciativa para a Sustentabilidade do Cimento. 10 anos de progresso avançar para a próxima década

A Iniciativa para a Sustentabilidade do Cimento. 10 anos de progresso avançar para a próxima década A Iniciativa para a Sustentabilidade do Cimento 10 anos de progresso avançar para a próxima década A Iniciativa para a Sustentabilidade do Cimento 10 anos de progresso avançar para a próxima década Em

Leia mais

Emprego da Contabilidade de Custos Ecológicos em um Projeto de Produção Enxuta de uma Indústria Automobilística Brasileira

Emprego da Contabilidade de Custos Ecológicos em um Projeto de Produção Enxuta de uma Indústria Automobilística Brasileira Emprego da Contabilidade de Custos Ecológicos em um Projeto de Produção Enxuta de uma Indústria Automobilística Brasileira Fabiana Giusti Serra 2015 Indústria automobilística brasileira A indústria automobilística

Leia mais

Sustainable Energy Technology at Work: Thematic Promotion of Energy Efficiency and Energy Saving Technologies in the Carbon Markets

Sustainable Energy Technology at Work: Thematic Promotion of Energy Efficiency and Energy Saving Technologies in the Carbon Markets Projecto: SETatWork Sustainable Energy Technology at Work: Thematic Promotion of Energy Efficiency and Energy Saving Technologies in the Carbon Markets IDMEC-Porto Porto,, 12 de Novembro 2009 Enquadramento

Leia mais

TRABALHO DIGNO EMPREGOS VERDES Amílcar Ramos. 16 Junho de 2011

TRABALHO DIGNO EMPREGOS VERDES Amílcar Ramos. 16 Junho de 2011 TRABALHO DIGNO EMPREGOS VERDES Amílcar Ramos 16 Junho de 2011 CGTP-IN 1 Grandes pontos a abordar 1.Conceito e pilares da sustentabilidade 2.Responsabilidades das empresas / Gestores 3.Qualidade do trabalho

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Metodologia, resultados e ações CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS CARTA ABERTA AO BRASIL Compromissos Assumidos A. Publicar anualmente o

Leia mais

Cimento (CSI) Sustentabilidade do. para a. Plano de Acção. A Indústria Cimenteira. Iniciativa. Resumo. Sobre o WBCSD.

Cimento (CSI) Sustentabilidade do. para a. Plano de Acção. A Indústria Cimenteira. Iniciativa. Resumo. Sobre o WBCSD. DEDICATED TO MAKING A DIFFERENCE A Indústria Cimenteira Sobre o WBCSD Algumas das estruturas gregas e romanas já empregavam, há mais de 2000 anos, produtos semelhantes ao cimento, mas o cimento moderno

Leia mais

ANDREIA BANHE CDP SUPPLY CHAIN

ANDREIA BANHE CDP SUPPLY CHAIN ANDREIA BANHE CDP SUPPLY CHAIN Workshop com os fornecedores do Banco Bradesco: CDP Supply Chain 2013 19 de Junho de 2013 respond@cdp.net Agenda O que é o CDP? Sobre o programa CDP Supply Chain; Como responder

Leia mais

Sustentabilidade na Cadeia de Abastecimento

Sustentabilidade na Cadeia de Abastecimento Sustentabilidade na Cadeia de Abastecimento 9.11.01 Artur Andrade Gestor de Projectos MARCA www.gs1pt.org Workshop Normas GS1 nos T&L Optimize as suas Operações Movimente Eficiência 01 GS1 Portugal 9 Novembro,

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

Resumo Apresentação : Orador

Resumo Apresentação : Orador Resumo Apresentação : Orador Formador Rumos Consultor ITSM desde 2006 ITIL v2/v3 ISO 20000 ISO / IEC 27001/2 Certificação ITIL Foundation Certificação ITIL Expert Certificação Cisco CCNA 6 Anos de Experiencia

Leia mais

PROGRAMA CAIXA CARBONO ZERO

PROGRAMA CAIXA CARBONO ZERO 1 RELATÓRIOS CGD NEUTRALIDADE CARBÓNICA 2010 PROGRAMA CAIXA CARBONO ZERO www.cgd.pt 2 1. A compensação de emissões como COMPROMISSO do Programa Caixa Carbono Zero A compensação de emissões inevitáveis

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute Metodologias para medir pegada carbônica Stephen Russell World Resources Institute O que é uma pegada carbônica? Empresa Fonte Instalação GHG Protocol Inventário Nacional Ferramentas de cálculo GHG Protocol

Leia mais

O MUNDO É UM SISTEMA COMPLEXO

O MUNDO É UM SISTEMA COMPLEXO SIMBIENTE Engenharia e Gestão Ambiental Apresentação Institucional O MUNDO É UM SISTEMA COMPLEXO Edição: Janeiro 2012 O Mundo é um sistema complexo. Sistemas naturais. Sistemas socioeconómicos. Desafio

Leia mais

Mainstreaming Sustainable Tourism

Mainstreaming Sustainable Tourism 8. Se sim, quais os meios mais apropriados para tanto? Não aplicável Em estudo Em implementação Implementado Divulgação de informações sobre as práticas de sustentabilidade realizadas ou apoiadas pelo

Leia mais

Sustentabilidade Workshops

Sustentabilidade Workshops www.pwc.pt/academy Workshops PwC s Academy Portefólio de soluções formativas de profissionais para profissionais Workshops As empresas do futuro devem ser capazes de garantir a gestão dos seus pilares

Leia mais

GHG Protocol in EDP. Pedro Sirgado

GHG Protocol in EDP. Pedro Sirgado GHG Protocol in EDP Pedro Sirgado EDP Empresa de referência no mercado Ibérico, com uma presença de destaque no mercado Brasileiro e forte investimento nos E.U.A. Renováveis E.U.A. Capacidade de produção

Leia mais

Standards e evoluções na medição de emissões de âmbito 3

Standards e evoluções na medição de emissões de âmbito 3 www.pwc.pt Standards e evoluções na medição de emissões de âmbito 3 Cláudia Coelho, Senior Manager Sustainable Business Solutions 16 de abril 2013 O impacto ambiental dos fornecedores porte chegar a representar

Leia mais

Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME. Horizonte 2020

Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME. Horizonte 2020 Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME PME, empreendedores, inovação no centro da Estratégia EU2020 COSME Fundos Regionais Da Investigação Fundamental ao Mercado Pilares

Leia mais

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Piracicaba, 15 de Agosto de 2013 Muito obrigada!! Conteúdo: Desafio da Sustentabilidade Relato de Sustentabilidade

Leia mais

Energia, investimento e desenvolvimento económico

Energia, investimento e desenvolvimento económico Energia, investimento e desenvolvimento económico Aníbal Fernandes ENEOP Eólicas de Portugal Mesa Redonda Energia Eólica ERSE, 10 Fevereiro 2010 Prioridades de política energética e benefícios económicos

Leia mais

CEMENT SUSTAINABILITY INITIATIVE - KEY PERFORMANCE INDICATORS AND TARGETS SELECTION OF KEY PERFORMANCE INDICATORS

CEMENT SUSTAINABILITY INITIATIVE - KEY PERFORMANCE INDICATORS AND TARGETS SELECTION OF KEY PERFORMANCE INDICATORS CEMENT SUSTAINABILITY INITIATIVE - KEY PERFORMANCE INDICATORS 2012-2013 AND TARGETS 2015-2023 SELECTION OF KEY PERFORMANCE INDICATORS (Cement Activity) Performance Targets CLIMATE CHANGE & ENERGY Plants

Leia mais

e Gestão de Riscos Alicerces firmes para o crescimento sustentável Compromissos internacionais assumidos Sustentabilidade Ambiental

e Gestão de Riscos Alicerces firmes para o crescimento sustentável Compromissos internacionais assumidos Sustentabilidade Ambiental 8 Sustentabilidade resultado 31 e Gestão de Riscos A Companhia reconhece que suas atividades influenciam as comunidades nas quais opera e se compromete a atuar de forma proativa para monitorar e mitigar

Leia mais

Supply Chain Management / Siemens Real Estate

Supply Chain Management / Siemens Real Estate Siemens em Portugal Supply Chain Management / Siemens Real Estate Lisbon, September 2010 Page 1 Supply Chain Management Organização RC Portugal Board SCM Supply Chain Management ECC - Export Control and

Leia mais

HORIZONTE 2020 Apresentação das oportunidades de financiamento na temática do ambiente (água, alterações climáticas e biodiversidade)

HORIZONTE 2020 Apresentação das oportunidades de financiamento na temática do ambiente (água, alterações climáticas e biodiversidade) HORIZONTE 2020 Apresentação das oportunidades de financiamento na temática do ambiente (água, alterações climáticas e biodiversidade) Anabela Carvalho NCP para o Desafio Societal Ação Climática do Horizonte

Leia mais

O contributo do Cluster Habitat Sustentável

O contributo do Cluster Habitat Sustentável O contributo do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma para a Construção Sustentável Seminário Construção Sustentável CONCRETA 2011 20/10/2011 Visão e Missão O Cluster Habitat? agregador

Leia mais

7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013)

7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013) 7º Programa Quadro Tema ENERGIA O 7ºPrograma Quadro e o PPQ Eduardo Maldonado Coordenador dos Pontos de Contacto Nacionais 7º Programa-Quadro de I&DT (2007-2013) Promoção da carreira de investigação e

Leia mais

Problemas ambientais urbanos

Problemas ambientais urbanos MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Problemas ambientais urbanos 3ª aula Maria do Rosário Partidário CITIES ENVIRONMENT Inputs Outputs Energy Food Water

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS 4 2º INVENTÁRIO BRASILEIRO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 5 PERSPECTIVAS E DESAFIOS 6

Leia mais

inovação & nas empresas 2020 competitividade

inovação & nas empresas 2020 competitividade inovação & nas empresas 2020 competitividade FACING THE INNOVATION CHALLENGE Lisboa 02 MARÇO 2016 1 Desafios e oportunidades: fatores críticos de sucesso PRINCIPAIS ALTERAÇÕES SETORES VERSUS CADEIAS DE

Leia mais

Programa Nacional de Desenvolvimento do Empreendedorismo,, Inovação e Emprego no Sector Cultural e Criativo Cri[activo]

Programa Nacional de Desenvolvimento do Empreendedorismo,, Inovação e Emprego no Sector Cultural e Criativo Cri[activo] Programa Nacional de Desenvolvimento do Empreendedorismo,, Inovação e Emprego no Sector Cultural e Criativo Cri[activo] 1. ENQUADRAMENTO Ao longo de 2009 consolidou-se em Portugal o reconhecimento de que

Leia mais

Intercooperação entre Portugal e Brasil no Sector da Habitação Cooperativa. Guilherme Vilaverde

Intercooperação entre Portugal e Brasil no Sector da Habitação Cooperativa. Guilherme Vilaverde Intercooperação entre Portugal e Brasil no Sector da Habitação Cooperativa Guilherme Vilaverde Brasília 26 de Agosto de 2009 Objectivos da Apresentação Caracterizar o Sector Cooperativo de Habitação em

Leia mais

Escritórios de Barcelona: 143 Sobreático 08011 Barcelona - Espanha Telefone +34 937 247 477

Escritórios de Barcelona: 143 Sobreático 08011 Barcelona - Espanha Telefone +34 937 247 477 Perfil Corporativo Configuração, Implementação e Integração de Sistemas Aplicacionais de Negócio: Fundada em 1989 Presença directa em Portugal e Espanha +100 Clientes de média/grande dimensão, em vários

Leia mais

Inovação e Empreendedorismo

Inovação e Empreendedorismo Inovação e Empreendedorismo Kami Saidi Diretor de Operações & Sustentabilidade HP Brasil 09-maio-13 HP Commitment Many assume, wrongly, that a company exists simply to make money... the real reason HP

Leia mais

CONHECIMENTO como GERADOR

CONHECIMENTO como GERADOR CONHECIMENTO como GERADOR 2001 Licenciada Bioquímica (Coimbra) 2008 Doutorada Biologia Molecular, Microbiologia e Evolução (Aveiro, Oxford e Barcelona) 2012 MBA Especialização Finanças, Porto Business

Leia mais

Sustentabilidade e mercado de capitais. Luís d Eça Pinheiro Direcção de Relações com Investidores, Comunicação e Sustentabilidade

Sustentabilidade e mercado de capitais. Luís d Eça Pinheiro Direcção de Relações com Investidores, Comunicação e Sustentabilidade Sustentabilidade e mercado de capitais Luís d Eça Pinheiro Direcção de Relações com Investidores, Comunicação e Sustentabilidade Brisa e mercado de capitais Título Brisa 2000-2004 Dividendo por acção Cêntimos

Leia mais

Oportunidades para as PME

Oportunidades para as PME Programa-Quadro de I&I da CE: Horizonte 2020: Oportunidades para as PME Gonçalo Lobo Xavier Delegado Nacional Inovação nas PME e Acesso a Financiamento de Risco Horizonte 2020 -Oportunidades para a indústria

Leia mais

Seminário sobre Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa em Cidades

Seminário sobre Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa em Cidades Seminário sobre Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa em Cidades 23 de Maio 2013 Igor Reis de Albuquerque Gerente de Mudanças Climáticas ICLEI Governos Locais pela Sustentabilidade Secretariado

Leia mais

Consequências da escassês ou desaparecimento dos serviços ambientais. Hannah Murray

Consequências da escassês ou desaparecimento dos serviços ambientais. Hannah Murray Consequências da escassês ou desaparecimento dos serviços ambientais Hannah Murray Objetivos Oferecer exemplos concretos de serviços das florestas relacionados aos recursos hídricos, seqüestro de carbono,

Leia mais

POWER-RH. organizacional e individual - OS NOSSOS SERVIÇOS

POWER-RH. organizacional e individual - OS NOSSOS SERVIÇOS POWER-RH Gestão estratégica a de mudança organizacional e individual - OS NOSSOS SERVIÇOS PARA EMPRESAS - A Power-rh Somos peritos em gestão estratégica de mudança organizacional e desenvolvimento humano.

Leia mais

ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. A ENERGIA EM PORTUGAL 3. CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL

ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. A ENERGIA EM PORTUGAL 3. CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. A ENERGIA EM PORTUGAL 3. CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL 4. O PAPEL DE PORTUGAL NAS ENERGIAS RENOVÁVEIS 2 1. QUEM SOMOS 3 A APREN A APREN - Associação

Leia mais

Presença global. Dispersão geográfica com presença 8 países. 40 Unidades fabris 9.500 colaboradores diretos 38 MM ton capacidade

Presença global. Dispersão geográfica com presença 8 países. 40 Unidades fabris 9.500 colaboradores diretos 38 MM ton capacidade Setembro 2013 Presença global Dispersão geográfica com presença 8 países 40 Unidades fabris 9.500 colaboradores diretos 38 MM ton capacidade SUSTENTABILIDADE Inspirar a transformação sustentável, gerando

Leia mais

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE CLUSTER ENERGÉTICO DE BEJA OPORTUNIDADES SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO A sustentabilidade energética e climática é um desígnio estratégico duplo significado. Por um lado, desenvolvimento

Leia mais

A REFORMA DA PAC E O APOIO À ACTIVIDADE DE RESINAGEM. Francisco Avillez (Prof. Emérito do Isa/UTL e Coordenador Científico da AGROGES)

A REFORMA DA PAC E O APOIO À ACTIVIDADE DE RESINAGEM. Francisco Avillez (Prof. Emérito do Isa/UTL e Coordenador Científico da AGROGES) A REFORMA DA PAC E O APOIO À ACTIVIDADE DE RESINAGEM Francisco Avillez (Prof. Emérito do Isa/UTL e Coordenador Científico da AGROGES) Esquema da apresentação: Objectivos da PAC pós-2013 Orientações propostas

Leia mais

CVR Centro para a Valorização de Resíduos

CVR Centro para a Valorização de Resíduos Bioenergia Portugal 2015 Portalegre, 28/05/2015 Centro para a Valorização de Resíduos 2015 Guimarães CVR Centro para a Valorização de Resíduos O CVR - Centro para a Valorização de Resíduos é uma associação

Leia mais

Apresentação de Solução

Apresentação de Solução Apresentação de Solução Solução: Gestão de Altas Hospitalares Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros,

Leia mais

A Construção Sustentável e o Futuro

A Construção Sustentável e o Futuro A Construção Sustentável e o Futuro Victor Ferreira ENERGIA 2020, Lisboa 08/02/2010 Visão e Missão O Cluster Habitat? Matérias primas Transformação Materiais e produtos Construção Equipamentos Outros fornecedores

Leia mais

A Responsabilidade Social nas Organizações. Maria Luísa Silva

A Responsabilidade Social nas Organizações. Maria Luísa Silva A Responsabilidade Social nas Organizações Maria Luísa Silva Objectivos Identificar a relação entre o que é Responsabilidade Social e Sustentabilidade Reconhecer as motivações e vantagens da adopção de

Leia mais

A ENERGIA SOLAR NA UNIVERSIDADE DE ÉVORA

A ENERGIA SOLAR NA UNIVERSIDADE DE ÉVORA O PANORAMA MUNDIAL DA ENERGIA WORLD ENERGY OUTLOOK 2011 IEA SOLAR ENERGY PERSPECTIVES 2011 IEA O PROGRAMA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA PARA AS ENERGIAS RENOVÁVEIS INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ENSINO MESTRADO

Leia mais

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015 Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem Jorge Soto 11/08/2015 1 Braskem INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas Termoplásticas

Leia mais

Relatório de atribuição do Certificado off7. Observatório Português de Boas práticas Laborais

Relatório de atribuição do Certificado off7. Observatório Português de Boas práticas Laborais Relatório de atribuição do Certificado off7 Observatório Português de Boas práticas Laborais Ano: 2011 1. Índice 1. ÍNDICE... 2 2. SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 5 4. MEDIR... 8 4.1. METODOLOGIA

Leia mais

Encontro Investigação, Desenvolvimento e Inovação Lisboa, 07de Outubro de 2013

Encontro Investigação, Desenvolvimento e Inovação Lisboa, 07de Outubro de 2013 Encontro Investigação, Desenvolvimento e Inovação Lisboa, 07de Outubro de 2013 1 PROBLEMA Como responder às crescentes exigências económicas e ambientais, às alterações permanentes e aos diversos estilos

Leia mais

Valorização de rejeições e subprodutos das indústrias de processamento pescado:

Valorização de rejeições e subprodutos das indústrias de processamento pescado: Valorização de rejeições e subprodutos das indústrias de processamento pescado: Os resultados do Projecto Biotecmar! Lisboa, 6 de Outubro 2011 José Martins jmartins@net-sa.pt BIOTEChnological exploitation

Leia mais

Os Sistemas Inteligentes na Europa: Enquadramento e Evolução Prevista no Período 2007-2013

Os Sistemas Inteligentes na Europa: Enquadramento e Evolução Prevista no Período 2007-2013 Os Sistemas Inteligentes na Europa: Enquadramento e Evolução Prevista no Período 2007-2013 COLÓQUIO APCAP 2008 Sistemas e Serviços Inteligentes na Rede Concessionada Rui Camolino 19Jun08 Agenda Plano de

Leia mais

Seminário sobre Energia Elétrica Luanda, 8 e 9 de Setembro de 2011

Seminário sobre Energia Elétrica Luanda, 8 e 9 de Setembro de 2011 Seminário sobre Energia Elétrica Luanda, 8 e 9 de Setembro de 2011 A política energética europeia para a promoção da competitividade, sustentabilidade e segurança de abastecimento Jorge de Sousa Professor

Leia mais

Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor

Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor Rachel Biderman World Resources Institute (WRI BRASIL) rbiderman@wri.org www.wri.org Greenhouse Gas Protocol Lançado em 1998

Leia mais

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 O CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA CONTINUARÁ A CRESCER, MAS AS POLÍTICAS DE EFICIÊNCIA TERÃO UM FORTE IMPACTO

Leia mais

Inventário de Emissões e Estratégias de Neutralização. Desafios dos Projetos de Crédito de Carbono

Inventário de Emissões e Estratégias de Neutralização. Desafios dos Projetos de Crédito de Carbono Inventário de Emissões e Estratégias de Neutralização Desafios dos Projetos de Crédito de Carbono Julho 2009 Sobre a GSS Empresa com atuação focada no desenvolvimento de projetos e prestação de consultorias

Leia mais

Workshop Mercado de Angola

Workshop Mercado de Angola Papel das Instituições Financeiras Multilaterais e dos Instrumentos Financeiros de Cooperação Bilateral Competências do Coordenação da actividade do MFAP no âmbito das relações internacionais Gestão da

Leia mais

A Gestão da Energia & O impacto nas mudanças climáticas. Agosto - 2015. Alberto J. Fossa

A Gestão da Energia & O impacto nas mudanças climáticas. Agosto - 2015. Alberto J. Fossa A Gestão da Energia & O impacto nas mudanças climáticas Agosto - 2015 Alberto J. Fossa eficiência energética & mudanças climáticas gestão da energia & eficiência energética movimentos internacionais de

Leia mais

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural Engenharia Florestal Desenvolvimento Rural 2/05/2010 Trabalho realizado por : Ruben Araújo Samuel Reis José Rocha Diogo Silva 1 Índice Introdução 3 Biomassa 4 Neutralidade do carbono da biomassa 8 Biomassa

Leia mais

Horizonte 2020. Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME

Horizonte 2020. Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME Marta Candeias: marta.candeias@fct.pt Ponto de Contato Nacional NMP e PME H2020 (2014-2020) Três prioridades que se reforçam mutuamente ~79M 7% para o SME Instrument Projetos de uma única PME (ou consórcio

Leia mais

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves. Fundos Comunitários geridos pela Comissão Europeia M. Patrão Neves Fundos comunitários: no passado Dependemos, de forma vital, dos fundos comunitários, sobretudo porque somos um dos países da coesão (e

Leia mais

Desafios e Estratégias para o mercado de GLP numa economia Global de baixo carbono

Desafios e Estratégias para o mercado de GLP numa economia Global de baixo carbono Desafios e Estratégias para o mercado de GLP numa economia Global de baixo carbono Dezembro - 2015 Alberto J. Fossa ABRINSTAL Dir. Executivo Newen Sócio Diretor Visão e Estratégias para o GLP Justificativas

Leia mais

MUDANÇA DO CLIMA E ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS:

MUDANÇA DO CLIMA E ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS: MUDANÇA DO CLIMA E ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS: INVENTEARIOS DE EMISSÕES E METODOLOGIAS Carlos Henrique Delpupo 28 / 05 / 2010 CONTEÚDO 1.Visão geral 2. Inventário de Emissões 4. Mercado de carbono 5. Riscos

Leia mais

Protection notice / Copyright notice

Protection notice / Copyright notice Innovation@Siemens Protection notice / Copyright notice Innovation@Siemens Worldwide Megatrends e Respostas Mais de mil milhões de pessoas não têm acesso a água potável Transporte de carga mundial aumentará

Leia mais

O papeldas novasfontes renováveis no crescimento económico- desafios

O papeldas novasfontes renováveis no crescimento económico- desafios Ciclo de Mesas Redondas A APREN e as Universidades O papeldas novasfontes renováveis no crescimento económico- desafios Cardoso Marques, Universidade da Beira Interior Covilhãe UBI, 16 de Junhode 2014

Leia mais

Seminário Eco-Condução. Tecnologia: Projectos e Oportunidades

Seminário Eco-Condução. Tecnologia: Projectos e Oportunidades Seminário Eco-Condução Tecnologia: Projectos e Oportunidades Margarida C. Coelho Universidade de Aveiro Departamento de Engenharia Mecânica Lisboa, 20 de Maio de 2009 1 Estrutura 1. Motivação 2. Tendências

Leia mais

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS Enquadramento Protocolo de Quioto Cimeira de Joanesburgo Directiva Renováveis Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável Programa E4 Nova Resolução do Conselho de Ministros INTERREG Programas Regionais

Leia mais

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies JUNNIUS MARQUES ARIFA Head of Department of Agriculture and Environmental Audit TCU s mandate and jurisdiction 1. Role of Supreme

Leia mais

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY INTERNATIONAL ENERGY AGENCY Sessão Plenária Final 29 de Maio 16h05 17h15 Roteiro Local para as Alterações Climáticas Moderador: Artur Trindade, Associação Nacional de Municípios Portugueses O contributo

Leia mais

Desafio Societal 3 Energia segura, não poluente e eficiente

Desafio Societal 3 Energia segura, não poluente e eficiente Desafio Societal 3 Energia segura, não poluente e eficiente Ana Raposo ana.raposo@fct.pt Ponto de Contacto Nacional Eunice Ribeiro eunice.ribeiro@fct.pt Ponto de Contacto Nacional Programa de Trabalhos

Leia mais

Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa.

Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa. Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa. 17 de Março de 2011, Salão Nobre da Reitoria da Universidade dos Açores Magnífico

Leia mais

Projeto EnerBuiLCA. Life Cycle Assessment for Energy Efficiency in Buildings. Envolvimento de stakeholders em direção à Construção Sustentável

Projeto EnerBuiLCA. Life Cycle Assessment for Energy Efficiency in Buildings. Envolvimento de stakeholders em direção à Construção Sustentável Programa de Cooperação Territorial SUDOE Interreg IV B Projeto EnerBuiLCA Life Cycle Assessment for Energy Efficiency in Buildings Envolvimento de stakeholders em direção à Construção Sustentável Ana Paula

Leia mais

GRANDES BARRAGENS: ENERGIA VERDE OU ESVERDEADA?

GRANDES BARRAGENS: ENERGIA VERDE OU ESVERDEADA? GRANDES BARRAGENS: ENERGIA VERDE OU ESVERDEADA? Paula CHAINHO Novas Barragens, Porto, 28 de Fevereiro PROGRAMA NACIONAL DE BARRAGENS Objectivos a) Contribuição para as metas de produção de energia com

Leia mais

O que é o Banco Europeu de Investimento?

O que é o Banco Europeu de Investimento? O que é o Banco Europeu de Investimento? O BEI é o banco da União Europeia. Como primeiro mutuário e mutuante multilateral, proporciona financiamento e conhecimentos especializados a projectos de investimento

Leia mais

AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTES AMBIENTAIS E SOCIAIS DE ATIVIDADES, PRODUTOS E SERVIÇOS

AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTES AMBIENTAIS E SOCIAIS DE ATIVIDADES, PRODUTOS E SERVIÇOS AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTES AMBIENTAIS E SOCIAIS DE ATIVIDADES, PRODUTOS E SERVIÇOS POLÍTICA E COMPROMISSOS: Na nossa Política de Responsabilidade Corporativa estabelecemos o compromisso de incluir

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

SUSTENTABILIDADE URBANA

SUSTENTABILIDADE URBANA 1ª FEIRA IBÉRICA SUSTENTABILIDADE URBANA ENERGIA, SUSTENTABILIDADE, CIDADANIA Joaquim Borges Gouveia bgouveia@ua.pt DEGEI UAVEIRO 8 de Junho de 2011 ENERGIA e SUSTENTABILIDADE Utilização Racional de Energia

Leia mais

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende SEMINÁRIO: QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO ÃO Porto, 3 e 4 de Novembro de 2005 O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende Carla Dias carla.dias@cm-esposende.pt

Leia mais

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural Guião de Programa de Rádio e Televisão Tema: Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+) Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante

Leia mais

PMBoK 2000 x PMBoK 2004

PMBoK 2000 x PMBoK 2004 PMBoK 2000 x PMBoK 2004 23 de Novembro de 2004 André Barcaui, MSc, PMP 1 Introdução de 5 novos processos (total de 44); Introdução aos conceitos de subprojeto, portfólio e Gerência de Portfólio; Incrementada

Leia mais

Construção no Reino Unido. Situação Actual e Perspectivas de Futuro

Construção no Reino Unido. Situação Actual e Perspectivas de Futuro Construção no Reino Unido Situação Actual e Perspectivas de Futuro Construção no Reino Unido 100 mil milhões /ano 8% PIB 3 milhões de trabalhadores Sector público: representa 1/3 do mercado Situação Actual

Leia mais

I&D colectiva Possibilidades oferecidas pelos Pólos de Competitividade e Clusters

I&D colectiva Possibilidades oferecidas pelos Pólos de Competitividade e Clusters I&D colectiva Possibilidades oferecidas pelos Pólos de Competitividade e Clusters Tim Hogg UCP Porto 8º Simpósio de Vitivinicultura do Alentejo Évora 6 de Maio 2010 Tim Hogg UCP Porto Como está a I&D relevante

Leia mais

Avaliação do Ciclo de Vida

Avaliação do Ciclo de Vida Avaliação do Ciclo de Vida dos produtos de base florestal Paulo Bessa As florestas e o ciclo da madeira na captura do Carbono Lisboa 2011.11.25 Visão 2050 Pegada ecológica até que ponto a nossa forma de

Leia mais

Análise das implicações da implementação do "Emission trading scheme" no transporte aéreo: caso TAP. AIRDEV Seminar 20th October 2011

Análise das implicações da implementação do Emission trading scheme no transporte aéreo: caso TAP. AIRDEV Seminar 20th October 2011 AIRDEV Seminar 20th October 2011 Realizada por: Pedro Augusto Gomes Machado dos Santos Estrutura da apresentação 1. Introdução 2. Estado da arte 2.1. Impactes da aviação 2.2. Emission Trading Scheme 3.

Leia mais

Agenda. O que é o CDP O que é o CDP Supply Chain CDP Supply Chain 2014

Agenda. O que é o CDP O que é o CDP Supply Chain CDP Supply Chain 2014 www.cdp.net @CDP Agenda O que é o CDP O que é o CDP Supply Chain CDP Supply Chain 2014 O que é Organização internacional que trabalha com as principais forças do mercado para motivar as empresas e cidades

Leia mais

Pagamentos por Serviços Ambientais

Pagamentos por Serviços Ambientais Pagamentos por Serviços Ambientais l Adriana Moreira Departamento de Desenvolvimento Sustentável da América Latina e Caribe Banco Mundial Stefano Pagiola, World Bank, 2010 1 Degradação de bacia hidrográfica

Leia mais

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI Pólo de Competitividade das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica TICE.PT PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

LEA - População, Recursos e Ambiente 1º Ano / 1º Semestre - 2006-07 Aulas Práticas. Pegada Ecológica. 26 de Novembro de 2007

LEA - População, Recursos e Ambiente 1º Ano / 1º Semestre - 2006-07 Aulas Práticas. Pegada Ecológica. 26 de Novembro de 2007 LEA - População, Recursos e Ambiente 1º Ano / 1º Semestre - 2006-07 Aulas Práticas Pegada Ecológica Bernardo Augusto bra@civil.ist.utl.pt 26 de Novembro de 2007 Conceito de Capital Natural; Definição de

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais