UM PROGRAMA ERP COMO FERRAMENTA DE ENSINO NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO UMA APLICAÇÃO NA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA -

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM PROGRAMA ERP COMO FERRAMENTA DE ENSINO NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO UMA APLICAÇÃO NA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA -"

Transcrição

1 UM PROGRAMA ERP COMO FERRAMENTA DE ENSINO NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO UMA APLICAÇÃO NA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA - Autores: Luis Carlos Martinhago SCHLICHTING, Dr. Jolmar Luiz HAWERROTH, Msc. Marcus TOMASI, Msc. Ary OLIVEIRA FILHO, Msc Departamento de Administração Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina FEESC Florianópolis - Santa Catarina - Brasil

2 RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar o Enterprise Resource Planning - ERP como ferramenta de ensino nos cursos de Administração. Pretende-se mostrar que atualmente o administrador necessita ter o domínio básico de ferramentas de Sistemas de Informação (SI), e para tanto os cursos de Administração das Instituições de Ensino Superior (IES) devem propiciar ao estudante de graduação a possibilidade de entrar em contato com essas ferramentas durante a formação acadêmica. Porém, inserir uma ferramenta em um curso superior não se resume simplesmente em criar uma disciplina voltada ao ensino dessa ferramenta, é interessante que ela esteja inserida e contextualizada dentro do curso como um todo e das disciplinas que compõem este curso. Assim este trabalho apresenta uma proposta para implantar um software de ERP como mecanismo de permitir a gestão integrada em empresas, possa também propiciar a integração de diversas disciplinas que compõem a grade curricular de um Curso Superior de Administração, a partir da experiência desenvolvida na Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina. Palavras chave: ERP; Tecnologia da Informação; Ensino; Administração.

3 1. Introdução Há muitos os autores da área, e empresários da área de Administração, atestam que a atividade de administrar está mudando, vive-se uma nova realidade, e que dentro de um mundo em que já estão desgastadas palavras como GLOBALIZAÇÃO, MUDANÇA e EVOLUÇÃO. Administrar está cada vez mais se transformando na capacidade de conseguir adaptar a gestão de uma empresa a esta nova realidade. Deve então, o administrador, estar atento a estas transformações, procurando reconhecê-las para não correr o risco de tornar-se obsoleto e sem condições de sobrevivência. Para Kotler (2000) o planejamento estratégico orientado para o mercado é o processo gerencial de desenvolver e manter um ajuste viável entre objetivos, habilidades e recursos de uma organização e as oportunidades de um mercado em contínua mudança. Porém, perceber estas mudanças não é uma tarefa fácil. As informações necessárias à administração, nem sempre estão visíveis e na grande maioria dos casos estão cifradas em meio a uma grande quantidade de dados que isoladamente nada ou quase nada representam. Para tanto, estes dados necessitam ser processados, analisados e transformados em informação para que se possa, então, tomar a decisão perante as mudanças. Assim, administrar passa significativamente, atualmente, quase que prioritariamente, pelo processo de coletar dados, contextualizá-los para gerar informação e subsidiar a tomada de decisão. A tomada de decisão tem como objetivo maior colocar a organização em busca de uma vantagem competitiva dentro da atual realidade. Para Oliveira (1998) Dado é qualquer elemento identificado em sua forma bruta que por si só não conduz a uma compreensão de determinado fato ou situação. Enquanto que para Stair e Reynolds (2002) dados consistem em fatos não trabalhados como o nome do empregado, a quantidade de horas semanais trabalhadas por ele, o número de peças em estoque ou de pedidos de vendas. Já informação para Oliveira (1998) é o dado trabalhado que permite ao executivo a tomada de decisões. E para Stair e Reynolds (2002) informação é uma coleção de fatos organizados que de modo que adquirem um valor adicional além do valor dos próprios fatos. No entanto, perceber as mudanças e adaptar-se (tomar decisão) ainda não é suficiente. Aliado a isto é necessário que o administrador trabalhe de uma forma rápida e eficaz com estes dados e informações de modo a garantir uma análise e resposta a todas as circunstâncias que possam ocorrer. Isto sim poderá lhe trazer uma vantagem competitiva. Assim é imperativo ao administrador utilizar recursos (ferramentas) de Tecnologia da Informação (TI) para auxiliá-lo no processo administrativo. Considerando os serviços de TI como serviços de apoio aos negócios e objetivos empresariais, quanto mais o profissional entender destes recursos, maior será sua chance de sucesso. Pode-se também afirmar que a aplicação da tecnologia auxilia no processo de fornecimento, de produção e até o processo de comercialização, influencia no sucesso das organizações. Isto ocorre por meio dos computadores que auxiliam as organizações nas mais diferentes etapas da cadeia de valor. Além de afetar de um modo generalizado as organizações, podem trazer consigo vantagens sobre a concorrência e alcance dos objetivos empresariais. (PORTER, 1989) Segundo Siqueira (2003) o processo administrativo apresenta a tomada de decisão como elemento básico, e, para um adequado processo decisório é necessário ter um sistema de informações eficiente. A revista CRN em sua edição de 27 de fevereiro de 2004 apresenta dados sobre investimentos em TI no Brasil para o ano de De um total US$ 19 Bilhões, 14,5% serão investidos em ERP, o que resulta em investimento de aproximadamente US$ 2,8 bilhões. A

4 mesma reportagem mostra que o ERP se apresenta no topo da lista de investimentos em TI superando itens como telecomunicações, segurança de dados, BI (bussines intelligence), E- commerce e Automação de força de vendas entre outros. Diante do exposto, se defende a importância do administrador envolver-se e habituarse à utilização de ferramentas de gestão da informação. É nesta ótica que este trabalho sugere que tais ferramentas, mais especificamente o ERP, devam ser apresentadas ao administrador nos cursos de graduação, estabelecendo uma cultura voltada à inovação tecnológica. 1. O Enterprise Resource Planning - ERP Os sistemas de gestão integrada (Enterprise Resource Planning - ERP ) evoluíram a partir do sistemas de Planejamento das Necessidades de Materiais (Material Requirement Planning - MRP) e do Planejamento dos Recursos de Manufatura (Manufacturing Resource Planning MRP II), e têm como objetivo integrar os processos empresariais. Eles são comercial e didaticamente divididos em módulos, que integrados incorporam tais processos. O ERP evoluiu e atualmente é um sistema de informação que integra vários departamentos que se comunicam e atualizam a mesma base de dados. Cada departamento tem o seu próprio computador, o ERP agrupa todos em um só software que trabalha com um banco de dados comum. Para Corrêa, Gianesi e Caon (1997), o ERP incorpora além das funções antes contempladas em MRP/MRP II, funcionalidades de finanças, custos, vendas, recursos humanos, e outras, antes trabalhadas nas empresas através de inúmeros sistemas não integrados. A ilustração 1 mostra um modelo padrão de integração de módulos/departamentos constituindo um sistema ERP. Diretoria e acionistas C l i e n t e s Vendas e distribuição Representantes de vendas e serviços Apoio a serviços Relatórios Base de dados central Gestão de recursos Humanos Finanças e controladoria Pessoal Administrativo Gestão da produção Pessoal de chão de fábrica Gestão de materiais F o R n e c e d o r e s Funcionários Ilustração 1 Modelo ERP Integração de módulos/departamentos.

5 Algumas características importantes de um ERP são: Flexibilidade, as constantes mudanças no ambiente externo como interno implica que o ERP tenha que ser flexível para poder adpatar-se a estas mudanças; Modularidade aberta, eles devem ter uma arquitetura aberta para poder-se utilizar um modulo livremente dos outros; Adaptativo, deve estar apto a suportar várias estruturas funcionais da organização bem como uma vasta área de negócios; Aberto, ele não deve limitar-se a organização, deve ter ligação com outras entidades de negócio do mesmo grupo empresarial e até de outros empresas; Realista, deve simular a realidade dos processos da empresa no computador. A contínua evolução do ERP, associado a sua característica de flexibilidade, lhe confere possibilidade de englobar, atualmente, os quatro grandes grupos que compõem um sistema de informações gerenciais - SIG. Para Damian apud Vieira (2003) estes grupos são: Sistemas de processamento de operacional - SPO, que são aqueles sistemas mais fundamentais, projetados para executar as operações rotineiras da administração. Sistemas de informação para administração - SAI, que são aqueles sistemas que tem por finalidade colaborar com a tomada de decisão em situações estruturadas e recorrentes. Sistemas de apoio à decisão - SAD, que os que utilizam a computação para facilitar o processo de tomada de decisão e diferentemente dos SAIs os SADs tornam o processo de tomada de decisão mais eficiente e sua elaboração passa por etapas da compreensão total de como os administradores tomam decisões. Sistemas de informações para executivos - SIE, que são os sistemas que afetam a tomada de decisão da administração, sua principal função é facilitar o acesso aos dados e confecção de analises administrativas. Assim o ERP atende às necessidades da divisão de um SIG, em níveis estratégicos, conforme apresenta Laudon (2001) na ilustração 2. Ilustração 2 Tipos de sistemas X Grupos assistidos Para Laudon e Laudon (2001), um sistema de informações gerenciais (SIG) é um agrupamento organizado de pessoas, procedimentos, bancos de dados e dispositivos usados para oferecer informações de rotina aos administradores e tomadores de decisões.

6 Enquanto para Oliveira (2000), um SIG é um sistema de pessoas, equipamentos, procedimentos, documentos e comunicação que coleta, valida, executa operações, transforma, armazena, recupera e apresenta dados para o uso no planejamento, orçamento, contabilidade, controle e em outros processos gerenciais para vários propósitos administrativos. Percebe-se, para o administrador da atualidade, a importância do domínio de ferramentas como o ERP para exercer as atividades. 2. Integração de Disciplinas Este trabalho não tem por objetivo fazer reflexões profundas acerca da questão didático-pedagógica relacionadas ao ensino. Porém a integração das disciplinas do curso de graduação em torno de uma ferramenta comum proporciona a interdisciplinaridade que de acordo com Germain (1991), o conceito de interdisciplinaridade tem seu sentido em um contexto disciplinar: a interdisciplinaridade pressupõe a existência de ao menos duas disciplinas como referência e a presença de uma ação recíproca. Para Japiassu (1992), pela interdisciplinaridade tem-se uma relação de reciprocidade, de mutualidade, em regime de co-propriedade que possibilita um diálogo mais fecundo entre os vários campos do saber. Em vez de disciplinas fragmentadas, a interdisciplinaridade postula a construção de interconexões acrescentando-se como um instrumento eficaz contra a fragmentação do conhecimento (saber). Assim que o ERP pela sua característica de integração modular (ilustração 1) apresenta uma natural propriedade interdisciplinar. Porém, a interdisciplinaridade transcende aos conteúdos repassados em cada disciplina e atinge um ponto mais importante que é a aplicação destes conteúdos em um ponto central, uma ação comum. Aqui pode-se fazer uma analogia entre dados/informação e conteúdo de uma disciplina/erp. O conteúdo de uma disciplina passa a ser o dado, isto é, fatos (conceitos) não trabalhados, enquanto que o ERP passa a atuar como contexto no qual as disciplinas (dados) são inseridas, para serem trabalhadas gerando informação (conhecimento). A contextualização é outro ponto que possibilita a sinergia das disciplinas e de acordo com o apresentado no site da Fundação Darcy Ribeiro (2004),...um trabalho contextualizado parte do saber dos alunos para desenvolver competências que venham a ampliar o saber inicial. Um saber que situe os alunos num campo mais amplo de conhecimentos.... Desta forma observa-se que o aluno, de agente passivo do saber fragmentado em disciplinas, passa a ser membro atuante na construção de seu conhecimento com novas competências. É desta forma então que a interdisciplinaridade ultrapassa a visão equivocada de compatibilização de conteúdos e atua como meio de construção de novos saberes. Saberes estes que por muitas vezes podem não estar previamente determinados. Na visão de Piaget (1972), Integração global de várias ciências. À etapa das relações interdisciplinares sucede-se uma etapa superior, que seria a transdisciplinaridade que, não só atingiria as interações ou reciprocidades entre investigações especializadas, mas também situaria estas relações no interior de um sistema total, sem fronteiras estáveis entre as disciplinas. Tratar-se-ia de uma teoria geral de sistemas ou estruturas que incluiria estruturas operativas, estruturas regulatórias e sistemas probabilísticos e que uniria estas diversas possibilidades por meio de transformações reguladas e definidas. Ousa-se aqui observar que a visão de transdisciplinaridade estabelecida por Piaget (1972) apresenta uma grande semelhança com um SIG/ERP e suas funções.

7 3. A Proposta e a Implementação do Projeto Diante do desafio de preparar o acadêmico de administração para atuar no mercado informatizado, as Instituições de Ensino Superior (IES) e seus docentes buscam iniciativas para tornar o processo ensino-aprendizagem das disciplinas que compõem a grade curricular do curso de administração mais próximas das vivências da gestão empresarial. Com esse intuito, a Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina investe constantemente em cursos de capacitação para os docentes que compõem seus quadros funcionais. Assim, em um destes cursos, a partir da apresentação de um software de ERP, surgiu a iniciativa desta Instituição e de seus docentes, para a formação de um grupo de estudos destinado a implantar este software como instrumento no processo ensino/aprendizagem nos cursos de administração. A seleção do grupo de docentes obedeceu ao critério de abranger o maior número possível de áreas ligadas à administração, bem como aquelas áreas contempladas nos módulos que integram o software ERP. Dessa maneira, os docentes selecionados formam os das seguintes áreas: informática, contabilidade, finanças, tecnologia da informação, logística, custos e administração. A partir da formação do grupo de estudos denominado, posteriormente, de Núcleo de Estudos em ERP, aconteceram reuniões periódicas que culminaram na proposta final de implementação da ferramenta ERP no curso de Administração. A proposta de implementação do software ERP no curso de Administração da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina tem como objetivo a integração dos conhecimentos apresentados em sala de aula e sua aplicação na vivência da gestão empresarial do mercado. O que permite o exercício, paralelo, da interdisciplinaridade de uma forma ainda pouco explorada por outras instituições do ensino superior. Para a implementação da proposta foi avaliada a grade curricular do curso de administração da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina, concomitante a avaliação dos módulos que o software de ERP disponibilizava. Com este acompanhamento, pode-se verificar que havia a viabilidade de implementação do projeto. Optou-se então, pela inclusão gradual dos acadêmicos junto ao software, ou seja, a cada fase que o acadêmico avança em seu curso, deverá aprimorar seu conhecimento junto ao software e as disciplinas a ele relacionadas na respectiva fase em curso. Desta forma, o projeto de implementação do software ERP tornou-se um grande exercício de interdisciplinaridade, tanto para docentes como para discentes. Diante da grade curricular do curso de administração, verificou-se que o software poderia ser apresentado aos acadêmicos já no segundo semestre do curso, quando é ministrada a disciplina de Contabilidade Geral. A escolha desta disciplina como ponto de partida para a implementação do projeto justifica-se porque a área contábil das empresas vem sendo totalmente informatizada, bem como a própria contabilidade como conceito já caracteriza-se como um SI, e por fim, verifica-se que qualquer dado a ser registrado em um software de ERP, transita primeiramente pelo seu registro na contabilidade. 3.1 Metodologia Determinado em qual disciplina o ERP deveria ser inicialmente implantado, partiu-se para planejar e desenvolver a metodologia a ser empregada na construção do projeto piloto. A construção do projeto piloto iniciou pela decisão de realizar um estudo de caso em uma empresa fictícia. As etapas posteriores estão assim compostas: Discussão do estudo de caso a ser levado aos alunos (tema, tipo de empresa, profundidade, habilidades a desenvolver);

8 Customização do sistema (ERP) à proposta levantada; Elaboração de estudo de caso com informações sobre uma empresa fictícia, criada especialmente para a abordagem dos temas ligados ao software e aos conteúdos ministrados em sala de aula. Aplicação de simulações para observar o encaminhamento do processo; Implementação das atividades; Avaliação do processo; Feedback dos alunos e professores. Após a viabilização do projeto piloto, a etapa seguinte foi adaptar e incrementar o estudo de caso para ser gradativamente implantado em disciplinas de fases seguintes. É importante ressaltar aqui que o estudo de caso atua como elemento contextualizador dos conteúdos das disciplinas, sejam elas de mesma fase ou não. Novamente passou-se pelo processo de planejar e desenvolver como se daria esta implantação. A tabela 1 mostra a evolução da implantação do ERP/projeto/estudo de caso, no que se refere à fase, disciplina e objetivos a serem alcançados, apenas para a 2 a, 3 a e 4 a fases. FASE DISCIPLINAS CONTEÚDOS 2 a Contabilidade Geral Estudo do plano de contas; Lançamentos contábeis; Fluxo da informação contábil; Relatórios contábeis; Contabilidade Gerencial Análise estrutural das demonstrações contábeis. a Organização, Sistemas e Métodos Controle/visualização do fluxo dos 3 processos e rotinas; Padronização de formulários; Controle de qualidade. Estatística. Elaboração e visualização de gráficos; Séries estatísticas; Preparação de dados para análise estatística; 4 a Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I. Administração de Sistemas de Informação Gerenciais I Administração Mercadológica I amostragem; previsões. Estoques (gestão); Distribuição Física (administração de depósitos); Sistema de Gerenciamento ERP. A administração estratégica da informação; Os sistemas de informações e o suporte à tomada de decisões; Tipos e usos de informações. Conceitos de Marketing (valor, demanda e tipos de demanda), orientações de Marketing (necessidades dos consumidores); Estratégia de preço (estabelecimento). Estrutura e Análise de Balanços Uso da informação contábil pela administração; Análise e interpretação econômicofinanceira. Tabela 1. Evolução da implantação do ERP.

9 4. Conclusões O presente artigo visando contribuir para o processo ensino/aprendizagem dos cursos de Administração nas IES, buscou apresentar uma proposta de utilização de ferramentas computacionais, mais especificamente o ERP, como elemento de sinergia entre as diversas disciplinas do referido curso. O uso dessa metodologia irá familiarizar gradativamente o aluno com uma ferramenta de auxílio ao processo administrativo e tomada de decisão, aproximando o acadêmico das práticas de mercado. Consegue-se também proporcionar a interdisciplinaridade vertical e horizontal, utilizando o mesmo estudo de caso que evolui durante o curso, aumentando o grau de dificuldade e complexidade das variáveis. Pode-se, além desse estudo de caso principal, criar cases paralelos que abordem mais especificamente os conteúdos referentes a uma disciplina ou grupo de disciplinas. Isto é, a proposta é totalmente aberta e até onde pode-se chegar depende do empenho do corpo docente e discente. Com relação ao corpo docente cabe aqui ressaltar uma das dificuldades encontradas durante a implantação deste projeto, foi a resistência a mudança e ao novo e principalmente por que muitos docentes não estavam bem familiarizados com o sistema. Já o corpo discente mostrou-se extremamente engajado e receptivo, pois pode perceber uma aplicação, mesmo que fictícia, dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas e a maneira como estes conhecimentos se inter-relacionam dentro de uma empresa. É importante ressaltar que este projeto exige uma carga de hora/aula em laboratório de informática muito elevada, pois a partir de um determinado momento as disciplinas começam a ser ministradas em laboratório. Podem ser criados cases por turnos, fases e até cursos de diferentes habilitações, de tal forma que possamos ter diversas empresas integradas a partir de um mesmo sistema.

10 Referência bibliográfica: CORRÊA, H. L., GIANESI. I. G. N.e CAON, M. Planejamento, programação e controle da Produção, FUNDAÇÃO DARCY RIBEIRO, Acesso em 03/05/04. KOTLER, Philip. Administração de marketing. São Paulo: Atlas, LAUDON, K. C., LAUDON J. P. Gerenciamento de sistemas de informação. Rio de Janeiro: LTC, 2001 O BRIEN, James A. Sistemas de informação. São Paulo: Saraiva, OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Sistemas de informações gerenciais. 5. ed. São Paulo: Atlas, OLIVEIRA, Wilson José de. CRM Florianópolis: Visual Books, PIAGET, Jean, Epistemologie des rélations interdisciplinaires. In Ceri (eds.) L'interdisciplinarité. Problèmes d'enseignement et de recherche dans les Universités, Paris: UNESCO/OCDE PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. 16. ed. Rio de Janeiro: Campus, STAIR, Ralph M. e REYNOLDS, George W. Princípios de sistemas de informação. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, VIEIRA, Marilene M., Proposta para o desenvolvimento de um sistema relacionamento com clientes (CRM) a ser aplicado em uma empresa de informática. Trabalho de conclusão (Curso de graduação em administração gestão de sistemas de informação) Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina. São José, 2003.

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Código: ENGP -

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES André Luís da Silva Pinheiro * Resumo: Este trabalho discutirá o impacto da implantação de um sistema do tipo ERP em uma empresa. Apresentaremos uma breve introdução de

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial. Aula 5. Contextualização. Organização da Aula. Organização da Disciplina. Sistemas Produtivos Industriais

Sistemas de Informação Gerencial. Aula 5. Contextualização. Organização da Aula. Organização da Disciplina. Sistemas Produtivos Industriais Sistemas de Informação Gerencial Aula 5 Contextualização Prof. Me. Claudio Nogas Organização da Disciplina Buscaremos por meio da apresentação de conceitos e exemplos gerar conhecimentos sobre Sistemas

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Disciplina Professor

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Código: ADM - 251 Pré-requisito: ------- Período Letivo:

Leia mais

Palavras chaves: Pequena Empresa, Sistemas de Informação, Tecnologia na pequena empresa, Informática na Pequena Empresa.

Palavras chaves: Pequena Empresa, Sistemas de Informação, Tecnologia na pequena empresa, Informática na Pequena Empresa. Resumo: Este trabalho tem como principal objetivo apresentar alguns conceitos da administração para a pequena empresa, o uso da tecnologia, a importância da tecnologia para pequenas empresas, as vantagens

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br Maio -2013 Bibliografia básica LAUDON,

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes O que é ERP? ERP é a sigla de Enterprise Resourse Planning (Planejamento dos Recursos Empresariais). Trata-se de uma técnica moderna de gestão empresarial pela qual todas as informações de todas as áreas

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação (X) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Administração de Empresas

Leia mais

Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária

Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária Acadêmico: Diego Vicentini Orientador: Prof. Paulo R. Dias FURB Universidade Regional de Blumenau Julho/2007 Roteiro da apresentação Introdução

Leia mais

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO CURSO: GESTÃO AMBIENTAL PROFESSOR: WENES SILVA DOS SANTOS ALUNOS: ANDRÉ VIANA CAVALCANTE, DANILO CARVALHO DE OLIVEIRA, GEISA MOREIRA DE SOUSA, FERNANDA MONTES, LIAMAR MONTES, PRISCILA CASTRO, RAIMUNDINHA

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Sistema de Informação Sistemas de Informação em Negócios e SIG Francisco Rodrigues Sistemas de Informação em Negócios Ajudam os funcionários na execução das tarefas, principalmente

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ADMINISTRAÇÃO LINHA DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM COMÉRCIO INTERNACIONAL ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Carga horária semanal Etapa 4 5 OBJETIVO Realizar escolhas sobre a adoção de tecnologias e sistema

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções.

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções. Revisão 1 Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento Coletar informação; e Identificar as direções. Precisa; Clara; Econômica; Flexível; Confiável; Dirigida; Simples; Rápida;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL NA EMPRESA SOL DISTRIBRUIDORA DE COMBUSTÍVEIS LTDA 1

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL NA EMPRESA SOL DISTRIBRUIDORA DE COMBUSTÍVEIS LTDA 1 A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL NA EMPRESA SOL DISTRIBRUIDORA DE COMBUSTÍVEIS LTDA 1 Ozineide Alves Miranda 2 RESUMO Este artigo foi realizado partindo do pressuposto de que sistema de

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO-SUL FUNDASUL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Contabilidade Gerencial PROFESSOR - PAULO NUNES

FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO-SUL FUNDASUL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Contabilidade Gerencial PROFESSOR - PAULO NUNES FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO-SUL FUNDASUL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Contabilidade Gerencial PROFESSOR - PAULO NUNES 1 1. Conceito e caracterização CONTABILIDADE GERENCIAL A Contabilidade

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG)

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Faculdade de Engenharia - Campus de Guaratinguetá Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Prof. José Roberto Dale Luche Unesp Um SISTEMA DE INFORMAÇÃO é um conjunto de componentes inter-relacionados, desenvolvidos

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Técnico em Administração

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Técnico em Administração Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação:

Leia mais

FORMAÇÃO. Algumas atividades já exercidas. Disciplina Informática Básica. Graduação: Processamento de Dados e Administração

FORMAÇÃO. Algumas atividades já exercidas. Disciplina Informática Básica. Graduação: Processamento de Dados e Administração Curso de Administração Cláudio Márcio, quem é você? Disciplina Informática Básica Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com FORMAÇÃO Graduação: Processamento de Dados e Administração Pós-Graduação: Especialização:

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Na prática, não existe uma classificação rígida, permitindo aos autores e principalmente as empresas classificar seus sistemas de diversas maneiras. A ênfase

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

Por que estudar sistemas de informação?

Por que estudar sistemas de informação? Por que estudar sistemas de informação? Por que estudar sistemas de informação? Isto é o mesmo que perguntar por que alguém deve estudar contabilidade, finanças, as, marketing, RH ou qualquer outra grande

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL

ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL ASPECTS OF MANAGEMENT SYSTEMS IN ENTERPRISE CONTEXT Gabriela Concolin Schimidt Centro Universitário Filadélfia UniFil Prof. Rodrigo Duarte Seabra

Leia mais

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Sistemas de Informações ( Parte I) Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Administração em Gestão Hospitalar Hospital Universitário - UFJF Ato ou efeito

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Sistemas de Informações. Profº: Daniel Gondim

Sistemas de Informações. Profº: Daniel Gondim Sistemas de Informações Profº: Daniel Gondim 1 Roteiro O que é um sistema de informação. Entrada, processamento, saída, feedback. SI (Manuais e Computadorizados). Tipos de Sistema de Informação e Grupos

Leia mais

SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) PARADA OBRIGATÓRIA!!! SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) CONTEÚDO DA AULA

SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) PARADA OBRIGATÓRIA!!! SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) CONTEÚDO DA AULA PROF.ª MARCIA CRISTINA DOS REIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 14/08/2012 Aula 4 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) PARADA OBRIGATÓRIA!!! LEITURA DO LIVRO DO TURBAN, RAINER JR E POTTER Sistemas SPT p. 212

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Tecnologia Aplicada à Gestão

Tecnologia Aplicada à Gestão Tecnologia Aplicada à Gestão Parte 4 Aula 11 Fundamentos de SI Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br Introdução O que são e para que servem os Sistemas de Suporte Gerencial? Como

Leia mais

O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais.

O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais. O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais. Elaine Raquel Fernandes carlosadm@bol.com.br SENAC Flávia Cristina Pereira

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

Resolução 038/2001 CONSEPE

Resolução 038/2001 CONSEPE Resolução 038/2001 CONSEPE Aprova as normas de funcionamento do Curso de Administração do Centro de Ciências da Administração CCA/ESAG. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Série / Ano 2009 Carga Horária Semanal: 4h Semestral: 80h Anual:

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Série / Ano 2009 Carga Horária Semanal: 4h Semestral: 80h Anual: 1 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( x ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Ciências Contábeis

Leia mais

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Fonte: Tipos de Sistemas de Informação (Laudon, 2003). Fonte: Tipos de Sistemas

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 6.02.00.00-6 ADMINISTRAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ADONILTON ALMEIDA DE SOUZA Curso

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA Engenharia Logística 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Programa de Pós-Graduação

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso março 2011. ESPM Unidade Porto Alegre. Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS.

MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso março 2011. ESPM Unidade Porto Alegre. Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. MANUAL DO CANDIDATO Ingresso março 2011 ESPM Unidade Porto Alegre Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Central de Candidatos: (51) 3218-1400 Segunda a sexta-feira 9h00

Leia mais

LOGÍSTICA GLOBAL. Sistemas de Logística EDI, MRP e ERP.

LOGÍSTICA GLOBAL. Sistemas de Logística EDI, MRP e ERP. LOGÍSTICA GLOBAL Sistemas de Logística EDI, MRP e ERP. EDI Intercâmbio Eletrônico de Dados Introdução O atual cenário econômico é marcado por: a) intensa competitividade, b) pela necessidade de rápida

Leia mais

Faculdade de Tecnologia da Zona Leste Prof. Fumio Ogawa

Faculdade de Tecnologia da Zona Leste Prof. Fumio Ogawa Faculdade de Tecnologia da Zona Leste Prof. Fumio Ogawa Sistemas de Informação 2 1. Fundamentos dos Sistemas de Informação Antes de começar a discutir os sistemas de informação precisamos definir e entender

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Wilson Felipe / Elemar Rossi

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Wilson Felipe / Elemar Rossi PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Contabilidade Gerencial e Estratégica Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares ABEPRO Associação Brasileira de Engenharia de Produção DOCUMENTO NÃO CONCLUÍDO Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares Documento elaborado nas reuniões do grupo de trabalho de graduação

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais. André G. Coimbra

Sistemas de Informações Gerenciais. André G. Coimbra Sistemas de Informações Gerenciais André G. Coimbra Ementa A disciplina dará uma visão geral dos assuntos relevantes da tecnologia da informação com enfoque na gestão financeira. Serão abordados temas

Leia mais

ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EMPRESARIAL (ERP)

ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EMPRESARIAL (ERP) ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EMPRESARIAL (ERP) Leandro Roberto Baran 1 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Ponta Grossa Brasil leandro.baran@pr.senai.br Ademir

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

Conceitos de Sistemas de Informação

Conceitos de Sistemas de Informação Conceitos de Sistemas de Informação Prof. Miguel Damasco AEDB 1 Objetivos da Unidade 1 Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional)

Estratégias em Tecnologia da Informação. Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional) Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 2 Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional) Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

Sistemas ERP como instrumento de integração entre as disciplinas de um curso de graduação em Engenharia de Produção

Sistemas ERP como instrumento de integração entre as disciplinas de um curso de graduação em Engenharia de Produção Sistemas ERP como instrumento de integração entre as disciplinas de um curso de graduação em Engenharia de Produção José Roberto de Barros Filho (UNISUL) jroberto@unisul.br Ana Regina Aguiar Dutra (UNISUL)

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Sistemas, Processos e Informações Ao observarmos o funcionamento de um setor

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

Sistemas Integrados ASI - II

Sistemas Integrados ASI - II Sistemas Integrados ASI - II SISTEMAS INTEGRADOS Uma organização de grande porte tem muitos tipos diferentes de Sistemas de Informação que apóiam diferentes funções, níveis organizacionais e processos

Leia mais

Sistema de Informação

Sistema de Informação Sistema de Informação É um conjunto de partes coordenadas, que buscam prover a empresa com informações, com o objetivo de melhorar a tomada de decisões. Conjunto organizado de pessoas, hardware, software,

Leia mais

Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais. Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com.

Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais. Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com. Planejamento operacional e sistemas automatizados de gestão de recursos organizacionais Prof. Gilberto Porto porto@gilbertoporto.com.br Sistemas de Informação SE SSD/ SAE Estratégico Tipos de decisão Não

Leia mais

:: Portfólio OBJETIVO

:: Portfólio OBJETIVO Disciplina Portfólio N 03 Engenharia de Software Sistema de Informações OBJETIVO :: Portfólio Levar o aluno a conhecer as principais características de um Sistema de Informação e quais os critérios de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO EXTENSÃO E. E. INDIA VANUÍRE Código: 9136 Município: Tupã Área Profissional: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

Sistemas de informação Gerencial

Sistemas de informação Gerencial + Sistemas de informação Gerencial Referência: LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Sistemas de información gerencial. 12. ed. México: Pearson Educación, 2012. + Componentes de um sistema de informações n (LAUDON;LAUDON,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Componente Curricular: Tecnologia da Informação Aplicada à Logística. Professor: André Luiz Pilastri

Plano de Trabalho Docente 2010. Componente Curricular: Tecnologia da Informação Aplicada à Logística. Professor: André Luiz Pilastri Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEC RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística Qualificação: Técnico

Leia mais

Sociedade da Informação

Sociedade da Informação Sociedade da Revolução Tecnológica Revolução industrial: ampliação dos músculos m dos homens em forma de equipamentos Mecanização ão. Responsável por mudanças as nas formas de produção existentes Revolução

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Qualificação: De nível médio - Técnico Jurídico. Componente Curricular: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E TÁTICO

Plano de Trabalho Docente 2010. Qualificação: De nível médio - Técnico Jurídico. Componente Curricular: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E TÁTICO Plano de Trabalho Docente 010 ETEC RODRIGUES DE ABREU Ensino Técnico Código: 1 Município: Bauru Eixo Tecnológico: GESTÃO Habilitação Profissional: TÉCNICO JURIDICO Qualificação: De nível médio - Técnico

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais